Busca avançada

Consumo de produtos ultra-processados e sua associação com excesso de peso e obesidade na Colômbia

Processo: 13/08129-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de outubro de 2013
Vigência (Término): 30 de setembro de 2014
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Saúde Coletiva - Saúde Pública
Pesquisador responsável:Carlos Augusto Monteiro
Beneficiário:
Instituição-sede : Faculdade de Saúde Pública (FSP). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Assunto(s):Consumo de alimentos   Nutrição humana   Obesidade

Resumo

A participação de produtos prontos para o consumo na dieta tem sido associada com o aumento do risco de excesso de peso e de obesidade. O objetivo principal desta pesquisa é documentar o consumo desses produtos e sua associação com excesso de peso e obesidade na Colômbia. A fonte de dados para esta pesquisa será a Pesquisa Nacional de Nutrição realizada na Colômbia do ano de 2005. O padrão de consumo alimentar da população será descrito com base nos dados colhidos por um inquérito recordatório de 24 horas aplicado a uma amostra probabilística de 39.413 homens e mulheres com idade entre 2 e 64 anos. Os itens de consumo informados nos inquéritos serão classificados em três grupos que levam em conta a natureza, extensão e finalidade do processamento industrial a que foram submetidos: alimentos in natura ou minimamente processados, ingredientes culinários processados e produtos prontos para consumo processados ou ultra-processados (Monteiro et al. 2012). O indicador central que decorre desta classificação é a porcentagem da energia total ingerida que provém de produtos prontos para consumo (em oposição àquela que provém de alimentos e preparações à base de alimentos e ingredientes culinários). Também será estimada a fração de produtos prontos para o consumo ingerida na forma de lanches ou como refeições principais, e se eles foram consumidos concomitantemente ou não com alimentos in natura ou minimamente processados. A associação entre a ingestão de produtos prontos para consumo e a ocorrência de excesso de peso ou obesidade será estudada por análises de regressão ajustadas para idade, sexo, renda, escolaridade, área de residência (rural ou urbana), região geográfica de residência, calorias adicionais (derivadas de itens não classificados como produtos prontos para consumo) e atividade física. A ingestão de produtos prontos para consumo será estudada como variável contínua e classificada segundo quintos da sua distribuição crescente na população. O excesso de peso e a obesidade serão caracterizados com base no valor do Índice de Massa Corporal (IMC) calculado a partir da mensuração direta do peso e altura dos indivíduos estudados. No caso de adultos o excesso de peso e a obesidade serão diagnosticados quando o IMC exceder 25 kg/m2 ou 30 kg/m2, respectivamente. No caso de crianças, serão utilizados valores do IMC para idade e sexo correspondentes a + 1 e + 2 escores da distribuição de referência estabelecida pela Organização Mundial de Saúde. A proposta de pós-doutorado envolverá a participação do bolsista em outras atividades e projetos do NUPENS/USP, incluindo um estudo internacional comparativo sobre consumo de produtos alimentícios prontos para consumo em países de renda alta, média e baixa, em execução com a colaboração da FAO (Food and Agriculture Organization). (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
"Alimentos ultraprocessados são ruins para as pessoas e para o ambiente"