Busca avançada
Ano de início
Entree

Uso de videogame como treino de controle inibitório em adolescentes com transtorno do déficit de atenção e hiperatividade

Processo: 12/02045-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de maio de 2012
Vigência (Término): 29 de fevereiro de 2016
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia - Psicologia Cognitiva
Pesquisador responsável:Orlando Francisco Amodeo Bueno
Beneficiário:Thiago Strahler Rivero
Instituição-sede : Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa. Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo, SP, Brasil
Assunto(s):Avaliação neuropsicológica   Transtorno do deficit de atenção com hiperatividade   Reabilitação cognitiva   Adolescentes

Resumo

Atualmente pesquisas a respeito do transtorno do déficit de atenção e hiperatividade (TDAH) na adolescência vêm focando nos prejuízos de funcionamento executivo, motivação, e falha no sistema de reforços, mudando a antiga percepção do binômio sintomatológico desatenção-hiperatividade. Por conta disso, intervenções de tratamento precisam ser multimodais enfocando tratamentos psicoeducativos, metacognitivos e que visem o treino das funções cognitivas. Além disso, as falhas de controle inibitório vêm sendo indicadas como as maiores causadoras de prejuízo em atividades de vida diária. O uso de vídeo game como uma ferramenta no processo de reabilitação das funções cognitivas de jovens com TDAH tem agregado importantes valores ao tratamento como um todo, associando ao treino das funções, maior motivação, engajamento e aprendizado intrínseco. Objetivo: esse estudo tem por objetivo encontrar parâmetros para o desenvolvimento de um treinamento de controle inibitório através de um vídeo game e que tenha um alto impacto motivacional, em adolescentes com TDAH. Além disso, objetivamos a compreensão de como treino cognitivo pode ser transferido (generalizado) para atividades além do contexto laboratorial, como as atividades de vida diária, através da investigação de medidas de funcionalidade e adaptação. Materiais e métodos: o desenho do estudo será controlado, randomizado, cego, um grupo de intervenção e um grupo controle. Em cada grupo serão alocados 40 adolescentes com TDAH. Os sujeitos do grupo intervenção passarão por um treino cognitivo enfocando nas três habilidades que estão mais funcionalmente prejudicadas, o controle inibitório atencional, motor e de planejamento. Já o grupo controle também receberá treino cognitivo, mas não para funções de controle inibitório e sim treino de sociabilização. Hipóteses do trabalho: 1) O treino de controle inibitório reduz as falhas comportamentais impulsivas (atencional, comportamental, e por pobre planejamento); 2) Melhora da resposta ao tratamento através do treino de vídeo game; 3) Melhor aderência ao treino de vídeo game; 4) Melhora dos sintomas clínicos de TDAH (sintomas de impulsividade) após o treinamento de vídeo game; 5) Melhora dos sintomas de impulsividade em casa e na escola; 6) Melhora do desempenho acadêmico. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Videogame pode se tornar aliado no tratamento do TDAH 
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.