site da FAPESP
 

Refine sua pesquisa

Pesquisa
  • Uma ou mais palavras adicionais
Publicações científicas
Auxílios à Pesquisa
Bolsas
Programas voltados a Temas Específicos
Programas de Pesquisa direcionados à Aplicação
Programas de Infraestrutura de Pesquisa
Área do conhecimento
Situação
Ano de início
495 resultado(s)
|

Definição de padrões de usabilidade para interfaces de software aplicadas em atividades de gestão da biodiversidade e mudanças climáticas e um estudo de caso aplicável a pandemias sazonais

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Marcelo Morandini
Anfitrião: Suzanne L Allard
Local de pesquisa: University of Tennessee (UT) (Estados Unidos)
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Ciência da Computação
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Pesquisa
Processo:16/04827-5
Vigência: 01 de setembro de 2016 - 31 de agosto de 2017
Assunto(s):BiodiversidadeMudança climática
Resumo
Atualmente os princípios de usabilidade que podem ser empregados para se procurar garantir um produto que corresponda às expectativas do usuário e que traga qualidade à solução apresentada ganham evidência dentre os profissionais da área de desenvolvimento de sistemas computacionais. Dessa forma, desenvolver um produto de software que atenda às expectativas dos usuários é fundamental em quaisquer domínios de aplicação. Particularmente, o monitoramento da biodiversidade e das condições climáticas é uma das ferramentas mais importantes para a gestão de áreas protegidas e, para que os dados obtidos sejam eficazes e produzam resultados confiáveis, é necessário que cada passo do processo - coleta, estruturação, digitalização, armazenamento e acesso aos dados - deve ser realizado utilizando ferramentas específicas que minimizem perdas ou distorções. Dentro deste contexto, o objetivo geral dessa proposta é gerar um conjunto de padrões de usabilidade para apoiar o desenvolvimento de sistemas que suportem esses domínios de aplicação e possam ser também empregados para análises acerca de pandemias causadas por agentes transmissores sazonais que dependam de condições climáticas, como é o caso do Aedes Aegypts. Ainda, pretende-se gerar documentos de diretrizes que podem ser usados como guia para os desenvolvedores de sistemas de apoio, sendo que para alcançar estes objetivos. Pretende-se também utilizar estratégias e ferramentas de suporte para avaliar a usabilidade de sistemas de apoio a essas atividades de monitoramento. Para finalizar, destaca-se que as atividades a serem realizadas serão apoiadas por pesquisadores envolvidos nas áreas relacionadas à Interação Humano-Computador (IHC) e Big Data tanto na Universidade de Tennessee quanto no Oak Ridge National Laboratory, que desenvolvem ambientes e pesquisas nesta área. (AU)

Técnicas matemáticas e estatísticas aplicadas a biossistemas

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Rogerio Antonio de Oliveira
Pesquisador visitante: Dylan Jones
Instituição do pesquisador visitante: University of Portsmouth (Inglaterra)
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia de Produção - Pesquisa Operacional
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisador Visitante - Internacional
Processo:16/09553-0
Vigência: 08 de agosto de 2016 - 19 de agosto de 2016
Assunto(s):Modelos matemáticos
Resumo
Este projeto visa a investigação de técnicas estatísticas e matemáticas aplicadas na otimização de biossistemas, como exemplos Controle ótimo da dengue, otimização de processos em unidades sucroenergéticas, otimização do processo de biodigestão em biodigestores e planejamento ótimo da radioterapia para tratamento de câncer. O projeto é parte das atividades desenvolvidas no Programa de Pós Graduação: Biometria e Agronomia (Energia na Agricultura) da UNESP e será desenvolvido junto ao Departamento de Bioestatística IB UNESP, Botucatu, SP, Brasil. (AU)

"caracterização do papel de Linfócitos T CD8+ na infecção por Zika vírus"

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Jean Pierre Schatzmann Peron
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Celular
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Processo:16/07371-2
Vigência: 01 de agosto de 2016 - 31 de maio de 2019
Vinculado ao auxílio:11/18703-2 - O papel do eixo triptofano - Kinureninas na regulação da resposta imune através de receptores de glutamato tipo NMDA na encefalomielite experimental auto-imune e na lesão por isquemia e reperfusão cerebral, AP.JP
Assunto(s):Linfócitos
Resumo
Os linfócitos T CD8+ têm funções cruciais no controle da infecção por alguns vírus neurotrópicos através de mecanismos dependentes de perforina e granzimas, Fas-FasL, ou da produção de citocinas antivirais tais como, IFN-³ ou TNF-±. A granzima B induz apoptose e fragmentação de DNA em células alvo. As células T CD8+ participam da erradicação de células infectadas pelo vírus do Nilo Ocidental, enquanto que, camundongos atímicos apresentam susceptibilidade à infecção pelo vírus da encefalite japonesa, a qual pode ser revertida pela transferência adoptiva de linfócitos citolíticos. Em reinfecção pelo vírus da dengue, as células T CD8+ podem promover reação cruzada de memória da infecção primária, resultando em altos índices de degranulação, produção de citocinas e atividade citolítica alterada. E assim, contribuindo para o agravamento da doença e desenvolvimento da febre hemorrágica. O Zika vírus (ZIKV), bem como o vírus da dengue e da febre amarela são flavivírus bem conhecidos como patógenos humanos, portanto, sendo de grande importância para a saúde pública. Segundo a OMS, os primeiros casos de infecção por ZIKV no Brasil em 2015 foi associado ao aumento dos casos de microcefalia. A despeito do conhecido de parte das ações do sistema imunológico sobre infecções por certos flavivírus, pouco se sabe sobre a patogênese da infecção por ZIKV. Sendo assim, este projeto visa elucidar o papel das células T CD8+ em infecções por este vírus em modelo murino, e assim, auxiliar no entendimento da patogênese da doença causada pelo ZIKV. (AU)

Desenvolvimento de sensores de RNA para identificação dos vírus da Zika

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCFAR). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Danielle Biscaro Pedrolli
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Molecular e de Microorganismos
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:16/02520-0
Vigência: 01 de agosto de 2016 - 31 de julho de 2017
Assunto(s):Vírus ZikaBiologia sintéticaTécnicas e procedimentos diagnósticosTécnicas e procedimentos de laboratórioSequenciamento de RNAExpressão gênica
Resumo
O diagnóstico preciso de doenças virais como Zika, Dengue e Chikungunya depende hoje de procedimentos laboratoriais demorados e caros. Por isso, têm seu uso limitado, causando dificuldade no diagnóstico preciso, especialmente em situações de epidemia como a vivida no Brasil no ano de 2015. A diferenciação entre as infecções pelos três vírus citados ganhou importância desde que casos da síndrome de Guillain-Barré e de microcefalia em recém-nascidos foram associados a infecções por Zika. Neste trabalho, propõe-se o desenvolvimento de sensores de RNA para identificação do vírus Zika. Tais sensores moleculares serão baseados em um sistema de RNA regulatório capaz de ativar a expressão gênica in vitro na presença do RNA viral. O produto gênico, então, será visualizado como resposta ao teste. (AU)

Imunomodulação da encefalomielite autoimune experimental por proteínas salivares do mosquito Aedes Aegypti

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Anderson de Sá Nunes
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Celular
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:15/22934-0
Vigência: 01 de agosto de 2016 - 31 de julho de 2018
Assunto(s):SalivaAutoimunidadeAedes aegyptiImunomodulaçãoEncefalomielite autoimune experimental
Resumo
Em uma das teses de Doutorado desenvolvidas durante a vigência do projeto Jovem Pesquisador intitulado "Imunoma funcional da saliva de Aedes aegypti", mostramos que o extrato de glândula salivar (EGS) do mosquito é capaz de modular consistentemente os sinais clínicos da encefalomielite autoimune experimental (EAE), um modelo murino para o estudo da esclerose múltipla. Evidenciamos que a adição do EGS na emulsão preparada para induzir a doença diminuiu a incidência retardou o aparecimento dos sinais clínicos e, nos poucos animais que ficaram doentes, os sintomas foram mais brandos do que no grupo não tratado com EGS. Diversos mecanismos estão envolvidos na modulação da EAE pelo EGS de A. aegypti, levando a redução na proliferação de linfócitos específicos e diminuição na produção de IFN-gama e IL-17, citocinas pró-encefalomielogênicas Th1 e Th17, respectivamente. Os resultados dessa tese, embora promissores, não revelaram a molécula responsável pela modulação descrita, limitando significativamente o impacto do nosso trabalho e o periódico científico a ser escolhido para publicação. Por esse motivo, após a defesa da tese em questão, continuamos realizando experimentos funcionais e bioquímicos e identificamos 3 moléculas salivares potencialmente envolvidas no fenótipo observado. No presente projeto, pretendemos expressar essas moléculas e caracterizar sua atividade no modelo de EAE, proporcionando maior relevância e impacto científico ao nosso trabalho. Esse investimento na qualidade das publicações geradas com financiamentos da FAPESP vem sendo claramente apoiado pelo Diretor Científico da Fundação, Prof. Dr. Carlos Henrique de Brito Cruz, em suas apresentações institucionais. (AU)

Diversidade genética e filodinâmica dos arbovírus emergentes e reemergentes (DENV, ZIKV e CHIKV) nas regiões Nordeste e Sudeste do Brasil, 2014-2016

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Paolo Marinho de Andrade Zanotto
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia - Biologia e Fisiologia dos Microorganismos
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Processo:16/08204-2
Vigência: 01 de agosto de 2016 - 31 de março de 2018
Assunto(s):ArbovirusEvolução molecularSaúde pública
Resumo
Os vírus transmitidos por artrópodes (arbovírus) são responsáveis por doenças infecciosas emergentes e reemergentes em diferentes áreas do mundo, especialmente em regiões tropicais e subtropicais. Entre estes vírus, destacam-se os vírus que fazem parte das famílias Flaviviridae e Togaviridae, que podem causar manifestações clínicas que vão desde infecção assintomática, doença febril aguda à febre hemorrágica viral e encefalites. No Brasil, os vírus que mais se destacam são os vírus Dengue (DENV), o vírus Chikungunya (CHIKV) e o vírus Zika (ZIKV) sendo os dois últimos identificados pela primeira vez em 2014 e 2015, respectivamente, causando inúmeros problemas de Saúde Pública, sobretudo na região Nordeste do Brasil. No entanto, os processos que moldam os padrões de transmissão em escalas urbanas são desconhecidos para estes vírus, sobretudo o impacto de fatores como a movimento da população humana e urbanização. Elucidar a dispersão dos arbovírus emergentes e reemergentes no Brasil no tempo e no espaço é central para a compreensão de sua epidemiologia. Neste contexto, o presente estudo tem como objetivo compreender a dinâmica da propagação urbana dos arbovírus emergentes e reemergentes (DENV, ZIKV, CHIKV) nas regiões Nordeste e Sudeste do Brasil (estados de Sergipe e São Paulo), e identificar os aspectos demográficos e socioeconômicos associados à dinâmica da movimentação viral que podem fornecer novas perspectivas de estratégias de controle e intervenção. (AU)

Avaliação preliminar dos óleos essenciais de Petroselinum crispum e Daucus carota (Apiaeceae) como repelentes contra o mosquito Aedes Aegypti

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Biociências (IB-CLP). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus Experimental do Litoral Paulista. São Vicente, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Wagner Vilegas
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Orgânica
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:16/12748-8
Vigência: 01 de agosto de 2016 - 30 de junho de 2017
Assunto(s):FitoquímicaAedes aegyptiÓleos essenciais
Resumo
Os vírus Zika, da Dengue e Chikungunya são transmitidos principalmente pelo mosquito da espécie Aedes aegypti. Essas doenças tem gerado grandes preocupações nas instituições públicas de saúde por atingirem uma grande parcela da população brasileira. Além disso, o mosquito A. aegypti ocupa uma vasta região no globo, principalmente no continente Sul-Americano. Portanto, iniciativas que visam controlar a incidência de picadas do mosquito com matérias-primas economicamente viáveis e fáceis de encontrar são essenciais no momento atual. Pensando nisso, o presente projeto pretende testar a ação repelente dos óleos essenciais das folhas, raízes e sementes da cenoura (Daucus carota) e salsinha (Petroselinum crispum), usando, primeiramente o olfatômetro, seguido do teste arm in a cage, com a intenção de trazer novos produtos de origem natural viáveis para a produção repelentes seguros contra o mosquito. Antes dos ensaios biológicos serão traçados os perfis químicos dos óleos essenciais através da técnica de cromatografia gasosa acoplada à espectrometria de massas. (AU)

Utilização de proteínas recombinantes do vírus Zika no desenvolvimento de métodos de diagnóstico e aplicações vacinais

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Luis Carlos de Souza Ferreira
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia - Microbiologia Aplicada
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Processo:16/05570-8
Vigência: 01 de agosto de 2016 - 31 de julho de 2019
Assunto(s):Vírus ZikaProteínas recombinantesVacinasDiagnóstico
Resumo
O vírus Zika (ZIKV) pertence à família Flavividae, gênero Flavivirus, apresentando parentesco com outros vírus emergentes como o vírus dengue (DENV) e vírus da febre amarela (YFV), sendo também transmito à humanos por picadas de mosquitos do gênero Aedes. A infecção por ZIKV apresenta caráter agudo e autolimitado, entretanto, manifestações graves como a Síndrome de Guillain-Barrée e a possível correlação com o desenvolvimento de microcefalia realçam a importância desta arbovirose, motivo de preocupação mundial na atualidade. Ainda não existem tratamentos efetivos ou vacinas disponíveis para a população, bem como métodos de sorodiagnóstico específico para esta infecção. Neste sentido, a busca de antígenos que apresentem baixa homologia com outros flavivirus e, portanto, permitam o desenvolvimento de testes sorológicos específicos, e que sejam potenciais antígenos vacinais é uma prioridade. Desta forma, o presente projeto tem por objetivo obter formas recombinantes de porções da proteína do envelope (E) e da proteína não estrutural 1 (NS1) do ZIKV que apresentem baixa homologia com outros flavivírus. Uma vez obtidas, essas proteínas serão empregadas no desenvolvimento de ensaios sorológicos específicos e formulações vacinais capazes de desencadear imunidade protetora contra o vírus. Para isso, o domínio III da proteína E e um fragmento da proteína NS1 (”Delta-NS1) do ZIKV serão expressos em sistema procarioto e purificados por técnica de cromatografia de afinidade. Os antígenos recombinantes serão utilizados para padronização de ensaios de sorodiagnóstico (ELISA, Western blot e imunofluorescência) discriminatórios para o ZIKV, sendo utilizados soros hiperimunes específicos para outros flavivirus (incluindo DENV e YFV) como controles de reatividade cruzada. Os antígenos citados também serão avaliados quanto ao seu potencial vacinal, os quais serão utilizados na composição de formulações a serem testadas em modelo murino, sendo avaliadas a magnitude e a funcionalidade das respostas imunológicas desencadeadas, bem como a capacidade protetora das mesmas frente ao desafio com cepa do vírus Zika em modelo murino. Assim, espera-se que o conhecimento gerado a partir desse trabalho possa contribuir para o desenvolvimento de diferentes métodos de sorodiagnóstico específico e estratégias vacinais eficazes contra o ZIKV. (AU)
495 resultado(s)
|
Exportar 0 registro(s) selecionado(s) | Limpar seleção
CDi/FAPESP - Centro de Documentação e Informação da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo

R. Pio XI, 1500 - Alto da Lapa - CEP 05468-901 - São Paulo/SP - Brasil
cdi@fapesp.br - Converse com a FAPESP