site da FAPESP
 

Refine sua pesquisa

Pesquisa
  • Uma ou mais palavras adicionais
Publicações científicas
Auxílios à Pesquisa
Bolsas
Programas voltados a Temas Específicos
Programas de Pesquisa direcionados a Aplicações
Programas de Infraestrutura de Pesquisa
Área do conhecimento
Situação
Ano de início
554 resultado(s)
|

Construção e análise de modelos epidemiológicos

Processo:16/23738-3
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Pesquisa
Vigência: 24 de julho de 2017 - 23 de julho de 2018
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Física - Física da Matéria Condensada
Pesquisador responsável:Cláudia Pio Ferreira
Beneficiário:
Anfitrião: Pejman Rohani
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu, SP, Brasil
Local de pesquisa: University of Georgia (UGA) (Estados Unidos)
Assunto(s):Febre de ChikungunyaDengueVírus ZikaRedes complexas
Resumo
Modelos matemáticos podem ser usados para abordar várias questões relacionadas a doenças e identificar padrões temporais e espaciais. Além disso, parâmetros epidemiológicos relevantes que não podem ser acessados experimentalmente podem ser estimados a partir desses modelos que constituem um laboratório in silico. O desenvolvimento de novas metodologias que associam dados, conhecimento de doenças e modelos são um verdadeiro desafio.Doenças infecciosas como a dengue e infecções hospitalares são exemplos e o tema deste projeto. (AU)

Enfrentamento do Aedes Aegypti: ação do quartenário de amônio como potencial atividade inseticida

Processo:17/01651-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência: 01 de abril de 2017 - 30 de novembro de 2018
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Parasitologia - Entomologia e Malacologia de Parasitos e Vetores
Pesquisador responsável:Margarete Teresa Gottardo de Almeida
Beneficiário:
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (FAMERP). Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia (São Paulo - Estado). São José do Rio Preto, SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:16/15245-7 - Enfrentamento do Aedes Aegypti: ação do quartenário de amônio como potencial atividade inseticida, AP.PP.SUS
Assunto(s):Aedes aegypti
Resumo
As pesquisas envolvendo o controle do Aedes Aegypti sãofundamentais, devido as epidemias e surtos constantes das arbovirosestransmitidas por este mosquito, que acometem grande parte da populaçãobrasileira. Tal evento, frequentemente, faz com que os indivíduos infectadosbusquem atendimento junto ao Sistema Único de Saúde, acarretando altoscustos para o governo e lotações nas Unidades Básicas de Saúde. O plano deatividades proposto para esta bolsa de treinamento técnico refere-se àexecução do projeto, que o bolsista realizará através dos bioensaios propostos,anotação e desenvolvimento dos relatórios e redação da literatura. Essasatividades proporcionarão ao bolsista conhecimento pratico e teórico essenciaispara a vida profissional, desta forma os benefícios surgem para o aluno e paraa população que desfrutara dos promissores resultados.Objetivo: Estudar a atividade inseticida de um composto derivado do óleo decoco, um quaternário de amônio potencializado sobre o Aedes aegypti e avaliarseu efeito no meio ambiente. (AU)

Estudo da permissividade de Zika vírus, linhagens asiática e africana, em células neurais e salivares humanas e comparação da cinética dos vírus cultivados

Processo:16/21085-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência: 01 de março de 2017 - 30 de novembro de 2017
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia - Biologia e Fisiologia dos Microorganismos
Pesquisador responsável:Paolo Marinho de Andrade Zanotto
Beneficiário:
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Assunto(s):Linhagem celularVirologiaVírus ZikaInfecções por Arbovirus
Resumo
Os arbovírus são transmitidos por artrópodes e são responsáveis por doenças infecciosas emergentes e reemergentes em diferentes áreas do mundo. O Zika vírus (ZIKV) é transmitido pelo mosquito Aedes aegypti, mesmo transmissor do vírus da dengue e do vírus chikungunya. O contágio do vírus ZIKV se dá pela picada do mosquito que, após picar alguém contaminado, pode transportar o ZIKV durante todo o seu ciclo vital, transmitindo a doença para uma população que não possui anticorpos contra ele. A transmissão vertical do ZIKV (da gestante para o bebê) foi observada levando a compreensão sobre a interação deste patógeno com as células progenitoras corticais do feto. Além disso, foi observada a falta de exacerbação de citocinas em casos de Zika. Neste contexto, o presente estudo tem como objetivo compreender a infecção do ZIKV em linhagens celulares distintas e identificar e comparar as cinéticas de infecção dos isolados: asiático e africano. Por fim, fornecer novas perspectivas da biologia básica deste vírus. (AU)

Identificação de Flavivirus e Alphavirus em mosquitos (Diptera: Culicidae) coletados em áreas verdes da cidade de São Paulo

Processo:16/18204-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência: 01 de março de 2017 - 28 de fevereiro de 2018
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Saúde Coletiva - Saúde Pública
Pesquisador responsável:Licia Natal Fernandes
Beneficiário:
Instituição-sede: Instituto de Medicina Tropical de São Paulo (IMT). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Assunto(s):AlphavirusFlavivirusReação em cadeia por polimerase (PCR)ArbovirusMosquitosInsetos vetoresParquesÁreas verdesSão Paulo (SP)
Resumo
A cidade de São Paulo possui mais de onze milhões de habitantes e está inserida em uma área maior, altamente urbanizada, conhecida como a grande São Paulo, na qual os parques municipais representam importante parcela das áreas verdes e reúnem as condições necessárias para a transmissão de arbovírus: possuem vertebrados que podem atuar como hospedeiros reservatórios para tais vírus, espécies de mosquitos conhecidas como vetoras e o ser humano também frequenta estes locais para atividades esportivas e de lazer. Em estudos preliminares realizados em parques municipais de São Paulo, a vigilância de Flavivirus foi recomendada nestas áreas. Além disso, ainda não há informações sobre a circulação de Alphavirus nestas localidades e há diversos parques que não foram incluídos em estudos anteriores, como os Parques Burle Marx e Previdência. Assim, o objetivo do presente trabalho será identificar a presença de Flavivirus e Alphavirus em mosquitos (Diptera: Culicidae) previamente coletados nos Parques Burle Marx e Previdência. Em cada parque ocorreram coletas mensais pelo período de agosto/2012 a julho/2013. As armadilhas utilizadas foram: aspirador, Shannon e CDC-CO2. Os mosquitos foram transportados para o laboratório em gelo seco, identificados em mesa fria e agrupados em "pools" de até 10 fêmeas não ingurgitadas, segundo espécie, data e local de coleta. No total, foram coletados 2.142 mosquitos (314 "pools"), que se encontram armazenados em freezer -80°C e serão, no presente trabalho, submetidos à extração de ácidos nucleicos e transcrição reversa. Após isto, as amostras serão submetidas à detecção de Flavivirus a Alphavirus por meio de reação em cadeia da polimerase (PCR). As amostras positivas serão encaminhadas para sequenciamento e análises filogenéticas. Dessa forma, pretende-se contribuir com o conhecimento sobre existência, distribuição e frequência de Flavivirus e Alphavirus em mosquitos na cidade de São Paulo e levantar dados epidemiológicos que ajudem a prevenir a transmissão de arbovírus ao homem. (AU)

Relevo de superfícies de energia de macromoléculas biológicas com aplicações em biotecnologia e em biomedicina

Processo:16/19766-1
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de março de 2017 - 28 de fevereiro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Física
Pesquisador responsável:Vitor Barbanti Pereira Leite
Beneficiário:
Instituição-sede: Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas (IBILCE). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de São José do Rio Preto. São José do Rio Preto, SP, Brasil
Assunto(s):Simulação de dinâmica molecularInferência estatística
Resumo
A compreensão das relações entre estrutura, energética e dinâmica funcional em proteínas é um dos maiores desafios em biofísica molecular.A abordagem de 'energy landscape' tem contribuído significativamente para o entendimento de sistemas moleculares complexos, tais como o problema do enovelamento de proteína, em que modelos minimalistas/simplificados têm desempenhado um papel fundamental.Utilizando modelos computacionais simplificados (coarse-grained models) e abordagens de física estatística, os problemas abordados neste projeto podem ser divididos em três grupos: (1) Enovelamento de proteínas, com foco em questões fundamentais da área. Os tópicos tratados serão: a compreensão do coeficiente de difusão na representação do enovelamento, estudo dos efeitos de frustração e interações não-nativas no processo de enovelamento, e a visualização do funil de enovelamento. Estas metologias serão aplicadas no estudos de transições conformacionais associados a funções protéicas. (2) Abordagens estatísticas em bioinformática e em processamento de informação, que complementam as abordagens mecanísticas computacionais.(3) Todo o ferramental desenvolvido será integrado e aplicado em problemas de biotecnologia e biomedicina. A aplicação tecnológica será no estudo de enzimas envolvidas na geração de bioetanol em uma colaboração teórico-experimental. Utilizaremos modelos 'coarse-grained' no estudo da termoestabilidade de enzimas, focando na otimização 'in silico' da estabilidade de enzimas e propondo mutações sítio dirigidas que serão testadas experimentalmente. A aplicação imediata, já em desenvolvimento, visa a avaliação e otimização de coquetéis enzimáticos utilizados na produção de bioetanol de segunda geração. Em biomedicina, o conjunto destas técnicas tem aplicações em vários sistemas biológicos. Investigaremos questões associadas às proteínas do vírus Zika, ao receptor de estrogênio e prospecção de vacinas. (AU)

: desenvolvimento do procedimento de microscopia de fluorescência para identificação das proteínas virais nas membranas das células S2

Processo:17/02386-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência: 01 de março de 2017 - 31 de outubro de 2017
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia - Microbiologia Aplicada
Pesquisador responsável:Renato Mancini Astray
Beneficiário:
Instituição-sede: Instituto Butantan. Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo, SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:15/11327-6 - Expressão de proteínas estruturais de Alphavirus em células S2 (D. melanogaster) para estudos de imunização e diagnóstico, AP.R
Assunto(s):Imunofluorescência
Resumo
Após o desenvolvimento básico das células S2 expressando estavelmente as proteínas E3E2 do vírus Mayaro (MAYV), finalizado na primeira etapa do estágio de treinamento técnico, é necessário realizar estudos mais prolongados de sua adequação ao diagnóstico de infecção viral em amostras de pacientes. Dessa maneira, serão captados e testados soros de pacientes de diferentes arboviroses circulantes, incluindo dengue, zika, chikungunya e mayaro, de maneira a verificar a especificidade e sensibilidade do método. Para isso será realizada uma nova etapa de desenvolvimento tecnológico em vista de preparar as lâminas para a análise de fluorescência, conservando-as ou não sob refrigeração. Isso será necessário pois pretendemos ralizar parcerias com laboratórios diversos, fornecendo o material e a descrição do procedimento, de maneira a avaliar, por outros laboratórios, a utilização do método desenvolvido no Instituto Butantan. Algumas amostras de soro humano já estão disponíveis no Instituto Butantan e poderão ser utilizadas para esse fim, sendo constituídas de pacientes diagnosticados para Chikungunya, Zika e Mayaro. Buscaremos a constituição de um número elevado de análises para validar a hipótese de que o método poderia realmente ser utilizado na clínica. (AU)

Avaliação visual em bebês recém-nascidos infectados intra-útero pelo Zika vírus

Processo:16/21573-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência: 01 de março de 2017 - 28 de fevereiro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia - Psicologia Fisiológica
Convênio/Acordo:Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Marcelo Fernandes da Costa
Beneficiário:
Instituição-sede: Instituto de Psicologia (IP). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:14/26818-2 - Desenvolvimento e implantação de métodos de avaliação visual: aplicações clínicas e em modelos animais, AP.TEM
Assunto(s):Vírus ZikaBebês
Resumo
Neste trabalho de pesquisa pretendesse avaliar a função de sensibilidade ao contraste em bebês cujas mães apresentaram Zika vírus na gestação. O estudo será desenvolvido em aproximadamente 60 crianças com faixa etária de 3 a 18 meses, a metade destas crianças formará parte do grupo de controle. A função de sensibilidade ao contraste será avaliada por meio do Programa de Psicofísica Psykinematix (KyberVision v.1.4.3) . Espera-se encontrar uma alteração na curva que descreve a sensibilidade ao contraste nos bebês expostos ao Zika vírus na gestação. Vale destacar que até o momento este tipo de análise não se encontra reportado na literatura. (AU)

Relação entre a infecção gestacional por Zika vírus (ZIKV) e alterações na acuidade visual e percepção de cores em infantes até três anos de idade

Processo:16/14793-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência: 01 de março de 2017 - 28 de fevereiro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia - Psicologia Experimental
Convênio/Acordo:Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Dora Selma Fix Ventura
Beneficiário:
Instituição-sede: Instituto de Psicologia (IP). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:14/26818-2 - Desenvolvimento e implantação de métodos de avaliação visual: aplicações clínicas e em modelos animais, AP.TEM
Assunto(s):Percepção de corRetinaVírus ZikaAcuidade visualMicrocefalia
Resumo
O vírus Zika (ZIKV) é um flavivirus, assim como o vírus da dengue, e, assim como esse, também é transmitido pelos mosquitos do gênero Aedes, especialmente o Aedes aegypti. Até 2007 não havia registro de casos de Zika fora do continente africano, nesse ano noticiou-se infecções na Ilha Yap, na micronésia. Entre o fim de 2014 e o início de 2015 foram registrados os primeiros casos no Brasil e em fevereiro de 2016, o vírus já se espalhara por 22 estados da federação, com a recente confirmação de que pode causar microcefalia. Já houve registros de danos oftalmológicos causados pelo ZIKV como anomalias no fundo do olho e no disco óptico. Há também estudos que mostram que o vírus da dengue, parente próximo do ZIKV pode causar maculopatia. Dessa forma, o presente estudo se propõe a avaliar as possíveis alterações na acuidade visual e na percepção de cores em crianças de aproximadamente três meses a três anos de idade, cujas mães foram infectadas pelo ZIKV, utilizando, respectivamente, o Teste de Cartões de Acuidade Visual de Teller e o CCT Kids. (AU)

Nanopartículas de sílica funcionalizadas:uma estratégia para a inativação do vírus Zika

Processo:16/21598-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência: 01 de março de 2017 - 28 de fevereiro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Físico-química
Convênio/Acordo:Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Mateus Borba Cardoso
Beneficiário:
Instituição-sede: Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM). Associação Brasileira de Tecnologia de Luz Síncrotron (ABTLuS). Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (Brasil). Campinas, SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:15/25406-5 - Organizando a matéria: colóides formados por associação de surfactantes, polímeros e nanopartículas, AP.TEM
Assunto(s):NanopartículasVírus ZikaVírus
Resumo
O vírus Zika foi declarado pela Organização Mundial da Saúde um caso de emergência internacional em saúde pública em 2016. A infecção pelo vírus tem sido associada à microcefalia, com milhares de casos reportados apenas no Brasil. Entretanto, estratégias de inativação viral que possam alavancar o tratamento de infecções e o combate a epidemias associadas ao Zika ainda são escassas. Nesse contexto, propõe-se o desenvolvimento de nanopartículas de sílica porosas (SiO2NPs) como sistemas que promovam a inativação viral, tanto pelo seu envoltório polimérico superficial quanto pelo fármaco encapsulado, ambos com comprovada ação anti-viral. Dessa forma, poliânions, que são capazes de interferir na ligação entre vírus e células alvo, serão polimerizados à superfície das SiO2NPs por polimerização radicalar controlada do tipo RAFT. A polimerização subsequente de cadeias poliméricas biocompatíveis e biodegradáveis será utilizada como estratégia de aumento de tempo de trânsito das partículas, evitando-se a precoce inativação dos grupamentos aniônicos em aplicações intravenosas. Além disso, a partir da conjugação de grupamentos zwitteriônicos a essas cadeias poliméricas, a adsorção não-específica de proteínas presentes no plasma sanguíneo (efeito corona), e consequentes respostas imunológicas ou efeitos colaterais indesejáveis, serão evitados. Os sistemas carreadores de fármacos complexos serão então desenvolvidos durante o presente projeto de pesquisa, conjugando-se funcionalidades poliméricas à superfície das SiO2NPs. Suas propriedades estruturais e morfológicas, além de sua atividade biológica, ação anti-viral e ação preventiva ao efeito corona, serão avaliadas. Assim, considerando-se o crescente número de casos e a inexistência de tratamento clínico específico, o desenvolvimento de SiO2NPs carreadas com fármaco com recobrimentos poliméricos com ação anti-viral consistirá em uma potencial alternativa à inativação do vírus Zika. (AU)
554 resultado(s)
|
Exportar 0 registro(s) selecionado(s) | Limpar seleção
CDi/FAPESP - Centro de Documentação e Informação da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo

R. Pio XI, 1500 - Alto da Lapa - CEP 05468-901 - São Paulo/SP - Brasil
cdi@fapesp.br - Converse com a FAPESP