Busca avançada

X

Criar um alerta por e-mail


Novos resultados para a sua pesquisa em seu e-mail, semanalmente.

Seu e-mail:

Tamanho do e-mail:



Seu endereço de e-mail não será divulgado.

Refine sua pesquisa

Pesquisa
  • Uma ou mais palavras adicionais
Publicações acadêmicas
  • Auxílios à Pesquisa
  • Bolsas
  • Área do conhecimento
  • Situação
  • Ano de início
Excel (CSV)Alerta por e-mail   RSS
12 resultado(s)
|
Resumo

Muitos microrganismos decompositores de materiais lignocelulósicos vêm sendo utilizados como produtores de enzimas em processos fermentativos nos quais são utilizados substratos de baixo valor comercial como resíduos agrícolas e agroindustriais. Grande parte desses resíduos fica disponível no campo tornando-se, muitas vezes, um poluente ambiental sendo apenas uma pequena parte utilizada na alimentação de animais de produção. Embora a celulose e a hemicelulose, presentes nos mesmos, sejam adequadas para a alimentação de bovinos, sua disponibilização depende da remoção da lignina “indigesta”. O uso direto de resíduos agrícolas na alimentação dos animais não tem promovido o rendimento esperado apesar do potencial nutricional e energético dos mesmos. Em função disso, propõe-se o tratamento desses materiais com ligninases (livres de celulases), xilanases e pectinases de modo a promover uma “digestão parcial prévia” transformando o substrato lignocelulósico em alimento com melhor digestibilidade e com alta qualidade para ruminantes. O presente projeto propõe: 1) a obtenção de preparado enzimático termoestável, com alta atividade de ligninases (manganês peroxidase, lignina peroxidase e lacase), xilanase, amilase e pectinase e com baixo teor de endogluccanase (CMCase), a partir do cultivo de fungos filamentosos termofílicos por fermentação em estado sólido, visando a adição em dietas de ruminantes; 2) uso de resíduos agrícolas e agroindustriais como meio de cultivo para os fungos na fermentação sólida; 3) avaliação do material sólido fermentado como um possível segundo ingrediente nutricional para ração, visando o enriquecimento proteico da ração. (AU)

Resumo

Em atenção ao desenvolvimento de novas tecnologias é que neste trabalho propõe-se que sejam recuperadas as enzimas α e b-amilases produzidas a partir das sementes de milho (Zea mays) em sistemas de adsorção em leito expandido. Estas enzimas seriam mais uma opção aos vários processos na hidrólise do amido, principalmente pelas indústrias de álcool na produção de cerveja, em substituição sob a forma de malte de cevada (cereal este, não produzido no país) e, como em nosso país este o cultivo do milho é bastante difundido, logo teríamos um produto de baixo custo e com ótimo grau de pureza proporcionado pela recuperação em leito expandido. (AU)

12 resultado(s)
|
Exportar 0 registro(s) selecionado(s)
Marcar todos desta pagina | Limpar seleção