site da FAPESP
 

Refine sua pesquisa

Pesquisa
  • Uma ou mais palavras adicionais
Publicações científicas
Auxílios à Pesquisa
Bolsas
Programas voltados a Temas Específicos
Programas de Pesquisa direcionados à Aplicação
Programas de Infraestrutura de Pesquisa
Área do conhecimento
Situação
Ano de início
304 resultado(s)
|

Modelagem física em centrífuga de fundações para torres eólicas

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Escola Politécnica (EP). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Marcos Massao Futai
Anfitrião: Stuart Kenneth Haigh
Supervisor no exterior: Stuart Kenneth Haigh
Local de pesquisa: University of Cambridge (Inglaterra)
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Civil - Geotécnica
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Pesquisa
Processo:15/10223-2
Vigência: 14 de setembro de 2015 - 13 de setembro de 2016
Assunto(s):GeotecniaAerogeradorEnergia eólica
Resumo
Atualmente a produção brasileira de energia elétrica depende das hidroelétricas. Quando ocorre seca, são acionadas as termoelétricas, que além de caras, contribuem para poluição atmosférica. É preciso diversificar as fontes de energia e por isso, o uso da energia de origem eólica é fundamental para a matriz energética brasileira. O uso de energia eólica com os modernos aerogeradores é recente no Brasil. Pouco se sabe sobre o desempenho a longo prazo. Devido a elevada altura, que pode ultrapassar 100m, seu peso próprio não é o carregamento mais importante. É preciso considerar o carregamento decorrente do vento. As fundações serão solicitadas por um carregamento vertical, outro horizontal e mais o momento fletor. Sendo que o carregamento é cíclico. Pouco se sabe sobre os efeitos do carregamento cíclico em fundações assentes nos solos brasileiros e por isso, normalmente não levam em conta os carregamentos cíclicos nos projetos. As pesquisas internacionais demonstraram que carregamentos cíclicos em areia causam degradação do atrito lateral e redução de rigidez das estacas assentes em areias. Essa perda de resistência e aumento de deformabilidade pode gerar acúmulo de deformações irreversíveis que podem causar ruptura a longo prazo. A pesquisa que se pretende realizar na Universidade de Cambridge trata de uso de modelos físicos em centrífuga aplicados a fundações de torres eólicas. As centrífugas permitem que sejam ensaiados modelos aumentados N vezes a gravidade. Assim, modelos em escala 1:100 podem ser ensaiados em dimensões reais quando acelerados 100 vezes a gravidade da Terra. O objetivo do projeto será realizar ensaios que contemplem a interação solo-fundação-torre sobre carregamentos cíclicos combinados. Ao final da pesquisa pretende-se dar uma contribuição acadêmica através de resultados de ensaios pioneiros, além de fornecer subsídios para melhoria da prática da engenharia de fundações aplicadas a torres eólicas. Reduzindo assim, o empirismo que muitas vezes ocorre na prática na referida área. (AU)

Determinação das concentrações de metais traço provenientes de deposições atmosféricas em hortas urbanas comunitárias na Cidade de São Paulo

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Thais Mauad
Área do conhecimento:Interdisciplinar
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado Direto
Processo:14/19201-9
Vigência: 01 de dezembro de 2014 - 28 de fevereiro de 2018
Assunto(s):Poluição atmosféricaMonitoramento biológicoSaúde pública
Resumo
Múltiplos benefícios ambientais, urbanísticos, sociais e de saúde pública são propiciados pela horticultura comunitária nos centros urbanos. Em contrapartida, poucos estudos investigaram a contaminação dos alimentos produzidos pela absorção de metais traço provenientes de deposições atmosféricas decorrentes da intensa utilização de veículos. O presente estudo visa quantificar a concentração de metais absorvidos nas espécies Brassica oleracea L (couve) e Spinacia oleracea (espinafre) cultivadas em onze hortas urbanas comunitárias distribuídas em diferentes regiões da cidade de São Paulo, utilizando como métodos analíticos a NAA e ICP-MS, bem como a influência de características do ambiente urbano adjacente às plantações. O mapeamento dos dados obtidos será realizado utilizando modelagem geoestatística. (AU)

Comparação entre coletores ativo e passivo na determinação da toxicidade equivalente da atmosfera em relação a dioxinas, furanos e bifenilas policloradas toxicologicamente similares às dioxinas

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Saúde Pública (FSP). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:João Vicente de Assunção
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Sanitária - Saneamento Ambiental
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:14/00745-9
Vigência: 01 de novembro de 2014 - 31 de outubro de 2016
Assunto(s):FuranosPoluição atmosféricaDioxinasPoluição do ar
Resumo
Introdução: Dioxinas, furanos e bifenilas policloradas são poluentes com grande potencial de impacto na saúde humana, incluindo aumento na incidência de câncer, efeitos ao neurodesenvolvimento, lesões dérmicas e alterações hormonais. A atmosfera urbana foi recentemente declarada de risco carcinogênico pela OMS,mostrando a importância de sua caracterização. O monitoramento com métodos de coleta ativa é de custo elevado, sendo pouco disponíveis as comparações com métodos passivos que validem a substituição. Objetivos: Verificar a equivalência de resultados de concentrações de dioxinas, furanos e dl-PCB, obtidas com técnicas de coleta ativa e passiva; verificar possibilidade de uso do método passivo para monitoramento de médio prazo; caracterizar a toxicidade equivalente das atmosferas estudadas. Método: Coletas ativas de até 7 dias pelo Método TO-09 da US.EPA, e por tempo de exposição máximo de 2 meses pelo método UNEP, para coletas passivas, em ambientes urbano, industrial e de background, durante 1 ano, com especiação e quantificação das 17 dioxinas e furanos mais tóxicos e dos 12 dl-PCB, por HRGC/HRMS; cálculo de toxicidade com base nos fatores de equivalência toxicológica da OMS de 2005. Resultados esperados: Caracterização da toxicidade equivalente da atmosfera em relação a dioxinas, furanos e dl-PCB em três locais: background, de baixas concentrações de poluentes, industrial com concentrações mais elevadas que o background e comparação desses resultados com aqueles encontrados em área urbana da cidade de São Paulo. Análise dos dois métodos de coleta e da aplicabilidade do método passivo para monitoramento desses compostos. Terá como benefício complementar o aumento do conhecimento sobre a concentração desses compostos nessasatmosferas. (AU)

Avaliação da expressão de aminopeptidase a em pulmão de camundongos expostos a material particulado 2,5

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Chin Jia Lin
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Anatomia Patológica e Patologia Clínica
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:14/13220-1
Vigência: 01 de outubro de 2014 - 30 de setembro de 2015
Assunto(s):Poluição
Resumo
Nas últimas décadas a geração de poluentes pelo homem aumentou de forma exponencial, tornando a poluição do ar um dos maiores fatores de risco à saúde na atualidade. Há sólidas evidências epidemiológicas associando a poluição do ar com efeitos deletérios sobre sistema cardiovascular, no entanto, os mecanismos fisiopatológicos associados a esses efeitos não estão totalmente esclarecidos, dessa forma, o conhecimento dos motivos pelos quais essa associação ocorre no organismo humano é de vital importância. Em experimentos de microarray, nosso grupo detectou diminuição da expressão de Enpep no endotélio pulmonar de camundongos expostos a material particulado 2,5 (MP2,5) (componentes da poluição atmosférica cujo diâmetro aerodinâmico é menor do que 2,5mm). Este gene codifica a Aminopeptidase A que é responsável por converter Angiotensina II (ANG-II) em Angiotensina III no sistema Renina-Angiotensina-Aldosterona (SRAA), sugerindo que este tem relação com os efeitos cardiovasculares desencadeados por uma exposição aguda à poluição. O presente estudo visa explorar em maior profundidade o achado de microarray com a utilização da técnica de PCR em tempo real. Os resultados desse projeto permitirão que se confirme o papel desse gene na fisiopatologia das complicações cardiovasculares consequentes da exposição a material particulado. (AU)

Análise da reação inflamatória nasal e sistêmica em cortadores de cana-de-açúcar submetidos à intensa atividade física e exposição a poluição atmosférica

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Presidente Prudente. Presidente Prudente, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Dionei Ramos
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Processo:14/08029-0
Vigência: 01 de setembro de 2014 - 31 de julho de 2015
Assunto(s):Cana-de-açúcarEsforço físicoInflamaçãoPoluição do arTrabalhador rural
Resumo
INTRODUÇÃO: A colheita da cana-de-açúcar precedida por sua queima expõe os trabalhadores a altas concentrações de poluentes que somados aos efeitos do trabalho físico extenuante podem acarretar aumento na liberação de mediadores inflamatórios tanto nasal como sistêmico. Contudo, as consequências da exposição à poluição da queima de biomassa somadas as condições peculiares de trabalho na inflamação nasal e sistêmica ainda são pouco estudadas em cortadores de cana. OBJETIVOS: Avaliar os impactos do estresse físico e poluição atmosférica somada as condições da jornada de trabalho sobre os marcadores inflamatórios nasais e sistêmicos de cortadores de cana-de-açúcar do Oeste do Estado de São Paulo. MÉTODOS: serão avaliados cortadores de cana-de-açúcar, do gênero masculino, com idade entre 18 e 45 anos, tabagistas e não tabagistas. As avaliações serão realizadas no campo de plantação de cana-de-açúcar, onde os voluntários serão previamente entrevistados por meio de questionários. Além de avaliações dos sinais vitais, monóxido de carbono no ar exalado (COex), coleta de lavado nasal (LN) e coleta de sangue, nos seguintes momento: (a)período entressafra; (b)período safra. Todas as avaliações serão realizadas no período da manhã entre sete e nove horas. ANÁLISE ESTATÍSTICA: A normalidade dos dados será avaliada por meio do teste de shapiro-wilk. Para análise intergrupos será utilizado o teste t não pareado ou teste de Mann-Whitney e para análise intragrupos, será utilizado ANOVA para medidas repetidas seguida de teste de Tukey ou Friedman seguido do teste de Dunn de acordo com a normalidade dos dados. Correlações serão avaliadas por meio dos coeficientes de Pearson ou Spearman. O nível de significância utilizado será de p<0.05. (AU)

O reparo por excisão de nucleotídeo está envolvido no mecanismo de ação dos poluentes atmosféricos urbano?

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Paulo Hilário Nascimento Saldiva
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Anatomia Patológica e Patologia Clínica
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Processo:14/02297-3
Vigência: 01 de setembro de 2014 - 31 de agosto de 2016
Convênio/Acordo de cooperação com a FAPESP: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Assunto(s):Neoplasias pulmonaresPoluição atmosférica
Resumo
A poluição atmosférica é um fator de risco ambiental, principalmente nos grandes centros urbanos e está, atualmente, associada com a mortalidade por câncer de pulmão. Neste contexto, destaca-se a região metropolitana de São Paulo, que concentra importantes complexos industriais e, com sete milhões de veículos, possui uma das maiores frotas de veículos do planeta. Pesquisas mostram que a exposição aos poluentes atmosféricos é capaz de causar diversos efeitos à saúde, tais como: aumento da resposta pró-inflamatória, estresse oxidativo entre outros. Tais efeitos por sua vez induzem outras diversas respostas celulares, como por exemplo, a formação de danos no DNA pode desencadear um evento mutagênico se não for eficientemente removida por vias de reparo de DNA. Recentemente, estudos mostram que a via de reparo por excisão de nucleotídeos está envolvida no reparo de lesões causadas por agentes ambientais. Até o momento, poucos trabalhos com resultados que mostram o mecanismo de ação de poluentes atmosféricos urbano e esta via de reparo foram desenvolvidos. Portanto, o presente trabalho propõe o estudo da ação do material particulado (MP), proveniente da região metropolitana de São Paulo, na indução e reparo de danos ao DNA e, se estes danos podem levar a formação de neoplasias, principalmente no pulmão. Para esse estudo serão empregados camundongos deficiente para essa via de reparo, KO para o gene XPA. Os resultados desta pesquisa deverão subsidiar o conhecimento dos mecanismos de ação dos poluentes associados com o câncer de pulmão. Este estudo também proverá a quantificação de nanopartículas e a caracterização química dos poluentes atmosféricos da região metropolitana de São Paulo. (AU)

26th annual international Society for environmental Epidemiology conference - from local to global: Advancing Science for policy in environmental health

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Maria Lucia Bueno Garcia
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Reunião - Exterior
Processo:14/10167-2
Vigência: 24 de agosto de 2014 - 28 de agosto de 2014
Assunto(s):Poluição atmosféricaMaterial particuladoPressão sanguínea

BTEX na atmosfera da Região Metropolitana de São Paulo

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas (IAG). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Maria de Fátima Andrade
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Geociências - Meteorologia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:14/14048-8
Vigência: 01 de agosto de 2014 - 31 de outubro de 2014
Convênio/Acordo de cooperação com a FAPESP: CNPq - Temáticos - Pronex
Assunto(s):Compostos orgânicos voláteisPoluição do arHidrocarbonetosPoluição atmosférica
Resumo
Os compostos orgânicos voláteis (COVs) são uma importante classe de poluentes encontrados na atmosfera, principalmente, em centros urbanos e zonas industriais. Na presença de luz solar e óxidos de nitrogênio contribuem para a formação de poluentes secundários como ozônio troposférico, outros oxidantes atmosféricos e aerossóis, com a consequente formação do smog fotoquímico e material particulado secundário (Atkinson, 2000). O estudo dos COVs tem ganhado interesse ao longo do tempo devido a seu impacto na qualidade do ar assim como os impactos na saúde humana. Dentre os COVs as espécies BTEX (benzeno, tolueno, etilbenzeno e m,p,o-xileno) tem tido especial atenção, principalmente o benzeno devido a sua característica de ser carcinogênico (IARC, 2012). Estas espécies são importantes contribuintes na poluição do ar das megacidades, os quais são frequentemente emitidos por fontes industriais, evaporação de combustíveis e emissões veiculares. (Lan & Minh, 2013; Liu et al., 2013; Nelson & Quigley, 1983; Zhang et al., 2012). Os BTEX serão analisados na região metropolitana de São Paulo em amostragens contínuas horárias, com o objetivo de avaliarem-se as evoluções temporais em ciclos diários e as razões de emissão entre os diferentes compostos. As amostragens e quantificação serão efetuadas com analisador específico para precursores de ozônio, equipamento Perkin Elmer, modelo Clarus 500. A meta do projeto é a contribuição na formação multidisciplinar da aluna de iniciação científica e seu conhecimento na química da atmosfera. (AU)

Estudo da composição de compostos orgânicos voláteis leves: impacto da contribuição veicular na poluição atmosférica da Região Metropolitana de São Paulo

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas (IAG). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Maria de Fátima Andrade
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Geociências - Meteorologia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:14/15981-0
Vigência: 01 de agosto de 2014 - 30 de novembro de 2015
Convênio/Acordo de cooperação com a FAPESP: CNPq - Temáticos - Pronex
Assunto(s):Compostos orgânicos voláteisPoluição atmosféricaRegião metropolitanaHidrocarbonetosQualidade do ar
Resumo
A Região Metropolitana de São Paulo (RMSP), megacidade localizada no sudeste do Brasil com população de aproximadamente 20 milhões de habitantes em uma área de 8.511 km2, é uma das maiores megacidades do mundo, contendo a cidade de São Paulo e mais 38 municípios. Na RMSP, existem aproximadamente 6,7 milhões de veículos de passageiros e comerciais sendo 85% veículos leves (VLs), 3% veículos pesados (VPs, os quais rodam com 95% diesel + 5% biodiesel) e 12 % motocicletas. Aproximadamente 55% dos VLs utilizam uma mistura de 78% (v/v) gasolina e 22% etanol (gasool), 4% utilizam etanol hidratado (95% etanol + 5% água), 38% são veículos flex, os quais são capazes de rodar tanto com gasool quanto etanol, e 2% utilizam diesel (5% bidiesel) (CETESB, 2013). De acordo com a CETESB - Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (CETESB, 2012), os veículos são responsáveis por emitir (na atmosfera) 97% de todo monóxido de carbono (CO), 85% dos hidrocarbonetos (HC), 82% dos óxidos de nitrogênio (NOx), 36% do dióxido de enxofre (SO2), e 36% de todo material particulado inalável (PM10). Estes dados indicam que a principal fonte de poluição do ar na RMSP é a emissão veicular. Neste estudo o acompanhamento da qualidade do ar será realizado pelo monitoramento de poluentes como: ozônio, óxidos de nitrogênio, hidrocarbonetos leves - etano, etileno, propano, propileno, isso-butano, n-butano, acetileno, trans-2-buteno, 1-buteno, cis-2-buteno, cilcopentano, isopentano, n-pentano, tran-2-penteno, 1-penteno, cis-2-penteno, 2,4-dimetilpentano e 2,3-dimetilbutano. As correlações estatísticas entre essas espécies serão realizadas com intuito de auxiliar a identificação das fontes de emissão. Uma boa correlação com as espécies acetileno e etileno são frequentemente utilizados como traçadores de emissão veicular, uma vez que essas espécies são emitidas predominantemente por veículos, especialmente os que possuem sistema catalisador de exaustão, enquanto que n-butano, trans-2-buteno, n-pentano são utilizados como traçadores de emissão evaporativa da gasolina. (Araizaga et al., 2013; Guo et al., 2012). A sazonalidade das concentrações dos poluentes será avaliada dentro do prazo deste projeto (inverno, primavera e verão), e correlacionada com dados meteorológicos como velocidade, direção do vento e precipitação de chuvas para interpretar o transporte e dispersão dos poluentes. (AU)

Efeitos da poluição atmosférica e fatores meteorológicos nas doenças cardiovasculares na cidade de Presidente Prudente/SP

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Presidente Prudente. Presidente Prudente, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Dionei Ramos
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:14/10581-3
Vigência: 01 de julho de 2014 - 30 de junho de 2015
Assunto(s):Poluição atmosféricaFisioterapiaDoenças cardiovasculares
Resumo
Introdução: A poluição atmosférica está associada com o aumento crescente da morbimortalidade de indivíduos expostos em grandes centros urbanos. Entretanto, cidades do interior de São Paulo, como Presidente Prudente, vem apresentando um aumento da frota e do fluxo de veículos automotores, além de possuir usinas sucroalcooleiras adjacentes como importantes fontes de emissão de poluentes, o que pode levar a um aumento da concentração de poluentes atmosféricos e do número de internações hospitalares. Contudo, ainda existem poucos estudos na literatura que avaliem a relação entre poluição atmosférica e internações hospitalares por doenças cardiovasculares em cidades interioranas. Objetivos: Investigar os efeitos da poluição atmosférica e dos fatores meteorológicos nas internações por doenças cardiovasculares. Métodos: Dados diários de internações hospitalares de adultos, com idade entre 45 e 79 anos, residentes da cidade de Presidente Prudente/SP, serão adquiridos através do banco de dados do SUS (DATA-SUS), relacionados às doenças cardiovasculares (CID10 - I00 a I99). Os níveis médios diários dos poluentes atmosféricos (MP10, NO2) e os dados de temperatura (T) e umidade relativa do ar (UR) serão obtidos junto a CETESB (Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental), onde dispõe de uma estação fixa na cidade de Presidente Prudente/SP. Análise estatística: As doenças cardiovasculares serão consideradas variáveis dependentes e, como variáveis independentes, serão analisadas os níveis médios diários dos poluentes atmosféricos. Será utilizado o modelo de regressão aditivo generalizado (GAM) para verificar a relação existente entre as doenças cardiovasculares, poluição do ar e variáveis climáticas. Por último, será calculado o aumento no número de internações para a diferença interquartil dos poluentes significativos no modelo de regressão. (AU)
304 resultado(s)
|
Exportar 0 registro(s) selecionado(s) | Limpar seleção
CDi/FAPESP - Centro de Documentação e Informação da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo

R. Pio XI, 1500 - Alto da Lapa - CEP 05468-901 - São Paulo/SP - Brasil
cdi@fapesp.br - Converse com a FAPESP