site da FAPESP
 

Refine sua pesquisa

Pesquisa
  • Uma ou mais palavras adicionais
Publicações científicas
Auxílios à Pesquisa
Bolsas
Programas voltados a Temas Específicos
Programas de Pesquisa direcionados a Aplicações
Programas de Infraestrutura de Pesquisa
Área do conhecimento
Situação
Ano de início
341 resultado(s)
|

Nanomateriais baseados em heterostruturas: síntese e suas propriedades de detecção de gás

Processo:16/23474-6
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Vigência: 01 de maio de 2017 - 30 de abril de 2018
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Física - Física da Matéria Condensada
Pesquisador responsável:Osvaldo Novais de Oliveira Junior
Beneficiário:
Supervisor no Exterior: Liwei Lin
Instituição-sede: Instituto de Física de São Carlos (IFSC). Universidade de São Paulo (USP). São Carlos, SP, Brasil
Local de pesquisa: University of California, Berkeley (UC Berkeley) (Estados Unidos)
Resumo
A detecção de gases nocivos é um requisito importante para o controle da poluição atmosférica e ambiental, e as emissões dos veículos. Tal detecção tem sido feita principalmente com sensores de gás de óxidos metálicos nanoestruturados, cuja temperatura de operação otimizada é alta (200 ~ 350oC). Uma outra desvantagem destes sensores de gás é a falta de seletividade. A concepção e fabrico de sensores de gás com alta sensibilidade, seletivos e operando em temperatura ambiente tem sido pesquisada, inclusive com heteroestruturas de ZnO-NiO. Neste projeto, propomos a fabricação de heteroestruturas semelhantes através de síntese de química verde. Além de caracterizar esses nanomateriais com difração de raios X, microscopia eletrônica de varredura e espectroscopia de fotoelétrons de raios X (XPS), realizaremos medições de sensores de gás usando gases oxidantes e redutores (H2S, NH3, CO, Cl2 e NO2). A fabricação de dispositivos basear-se-á em sistemas microeletromecânicos (MEMS), aproveitando ao máximo os conhecimentos do grupo do Prof. Liwei Lin, Universidade da Califórnia, Berkeley, EUA.Palavras-chave: Nanomaterial, ZnO-NiO, Heteroestruturas, Desempenho de sensores de gás. (AU)

Modelo espaço-temporal para a predição da concentração de material particulado fino (MP2.5) na Região Metropolitana de São Paulo

Processo:16/09411-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência: 01 de março de 2017 - 30 de abril de 2019
Área do conhecimento:Interdisciplinar
Pesquisador responsável:Paulo Hilário Nascimento Saldiva
Beneficiário:
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/21728-2 - Uso de modernas técnicas de autópsia na investigação de doenças humanas (MODAU), AP.TEM
Assunto(s):Exposição ambientalPoluição atmosférica
Resumo
Os padrões espaço-temporais da concentração de material particulado atmosférico (MP) são conhecidos por ser um importante fator para prever alguns desfechos de saúde de habitantes em uma área urbana. Em geral, o número de estações de monitoramento de MP numa determinada região é menos do que o que é necessário para alcançar a resolução adequada. Os modelos estatísticos para dados como Aerosol Optical Depth (AOD) e variáveis de uso da terra são usados para preencher a lacuna. Nosso objetivo é desenvolver modelos que permitam a estimativa da concentração de MP a uma resolução desejável e usar os resultados para avaliar o impacto sobre os desfechos de saúde das pessoas que vivem na área metropolitana de São Paulo, Brasil. Temos a intenção de colaborar com os investigadores da Escola de Saúde Pública de Harvard de que têm experiência em modelagem de dados do tipo AOD em alta resolução. (AU)

Poluição do ar e dermatite atópica

Processo:16/19963-1
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de março de 2017 - 28 de fevereiro de 2019
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia
Pesquisador responsável:Silvia Berlanga de Moraes Barros
Beneficiário:
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Assunto(s):Dermatite atópicaToxicologia
Resumo
A poluição ambiental é uma das grandes preocupações em nível mundial, especificamente, a poluição atmosférica por material particulado (MP) que tem sido associada ao desenvolvimento de inúmeras afecções, dentre elas a Dermatite Atópica (DA). A DA é caracterizada por inflamação crônica da pele, consequentemente comprometendo a qualidade de vida dos pacientes. Quando exposta a MP a pele sofre alterações estruturais e funcionais da barreira epidérmica nos locais de contato ou por vias indiretas, mecanismo responsável em parte pela fisiopatologia desta doença. Embora os mecanismos da DA sejam bastante estudados, a literatura científica carece de informações sobre os mecanismos de desenvolvimento de DA pela exposição ao MP. Além disto, nada se sabe sobre a ação do MP na exacerbação da DA induzida por outros agentes causais. A exposição a MP tem sido associada a doenças cardíacas e pulmonares incluindo o câncer de pulmão. As substâncias presentes no MP são sabidamente genotóxicas tendo o IARC classificado o MP como carcinogênico para o homem. Entretanto, pouco se sabe sobre as possiveis alterações genotóxicas que o MP possa induzir sobre a pele. O desenvolvimento de modelos in vitro que reproduzam de um lado a epiderme normal e de outro a DA são de grande valia para estudar processos fisiopatológicos da pele e em particular aqueles associados a alterações da epiderme. Estes modelos tem a vantagem de ao reconstruir a epiderme humana a partir de células primárias, possibilitar um estudo mais dirigido à patologia humana do que aqueles desenvolvidos com o emprego de modelos animais ou de culturas celulares em monocamadas. O objetivo do presente trabalho é o de avaliar a participação do material particulado do ar no desenvolvimento e modulação da dermatite atópica em modelos de epiderme humana reconstruída (RHE, reconstructed human epiderm), a fim de investigar as alterações moleculares e morfológicas causadas pela exposição da pele a estes xenobióticos. Em paralelo serão avaliadas as alterações genotóxicas da epiderme exposta ao MP. Para abordar estes problemas RHE normal e DA induzida serão produzidas no laboratório a partir de protocolos já estabelecidos. Serão realizadas avaliações histológicas e imunohistoquímicas, expressão dos genes de interesse associados a DA por RT-qPCR e validação por western blotting e observação de micronúcelo como método de estudo de genotoxicidade. Os resultados devem contribuir não apenas ao conhecimento da participação do MP no desenvolvimento e modulação da DA, mas igualmente na identificação de marcadores visando a busca de terapias mais eficazes para esta doença. (AU)

Caracterização da poluição atmosférica em Bauru e região e contaminação ambiental por metais

Processo:15/22864-2
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de março de 2017 - 28 de fevereiro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Geociências - Meteorologia
Pesquisador responsável:Marina Piacenti da Silva
Beneficiário:
Instituição-sede: Faculdade de Ciências (FC). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Bauru. Bauru, SP, Brasil
Assunto(s):MetaisPoluição atmosféricaPoluiçãoMaterial particuladoPoluição ambiental
Resumo
O estudo da composição elementar do ar atmosférico próximo da superfície por métodos analíticos tem aumentado nos últimos anos, devido principalmente ao aumento da emissão de poluentes e a influência dessa poluição no meio ambiente e na saúde da população. Elementos-traço como alumínio, chumbo, mercúrio, entre outros, representam uma fração importante da poluição atmosférica, sendo suas fontes de emissão altamente caracterizadas pela ação antropogênica. Este projeto tem como objetivo avaliar e caracterizar o material particulado presente na atmosfera, bem como quantificar metais presentes em diferentes amostras, avaliando suas fontes de emissão e seu impacto no ambiente. Serão avaliados diversos tipos de amostras incluindo material particulado atmosférico, águas residuais e tratadas, água da chuva e amostras biológicas (plantas). A espectroscopia de absorção atômica por plasma indutivamente acoplado (ICP-OES) será utilizada como principal método de análise para a determinação qualitativa e quantitativa de elementos em uma ampla variedade de amostras, através de procedimentos simples e rápidos de análise. Como os elementos-traço presentes no ar e meio ambiente em geral, bem como suas fontes de emissão têm peculiaridades regionais, torna-se evidente a necessidade da pesquisa na região de Bauru. (AU)

Avaliação dos efeitos da exposição à poluição atmosférica sobre o desenvolvimento do sistema nervoso central por métodos estereológicos

Processo:16/22891-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência: 01 de fevereiro de 2017 - 31 de dezembro de 2017
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Anatomia Patológica e Patologia Clínica
Pesquisador responsável:Mariana Matera Veras
Beneficiário:
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Assunto(s):Sistema nervoso centralPoluição atmosféricaMaterial particuladoEmbriogênese
Resumo
Estudos recentes vêm demonstrando que a exposição à poluição atmosférica pode prejudicar a saúde dos indivíduos em diversos sistemas fisiológicos e também sobre o desenvolvimento durante o período gestacional. Há trabalhos que relacionam a poluição com alterações sobre o sistema nervoso central (SNC), porém pouco se sabe sobre os efeitos de poluentes, como o material particulado fino (MP2,5), durante o desenvolvimento desse sistema nos períodos pré e pós natal. Sendo assim, o objetivo desse projeto é avaliar os efeitos do MP2,5 da poluição da cidade de São Paulo sobre o desenvolvimento do SNC de camundongos por métodos estereológicos. Os animais foram expostos à poluição por meio de um concentrador de partículas durante os períodos de desenvolvimento do SNC (fases pré e pós natal) e as consequências desse tratamento serão avaliadas por estereologia, com a aferição do volume cerebral, contagem de neurônios e medição da espessura do córtex. Os resultados deste projeto poderão auxiliar na identificação das possíveis alterações na morfologia do tecido em decorrência da poluição, as quais podem estar relacionadas a desordens patológicas do sistema nervoso que acometem a população diariamente exposta aos poluentes. (AU)

Efeito de compostos orgânicos e metais do material particulado da exaustão do diesel sobre a citotoxicidade de cultura de células do epitélio de vias aéreas respiratórias humanas

Processo:16/20149-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência: 01 de fevereiro de 2017 - 31 de janeiro de 2018
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Toxicologia
Pesquisador responsável:Mariangela Macchione
Beneficiário:
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Assunto(s):CitotoxicidadeMetaisCompostos orgânicosEstresse oxidativoÓleo dieselPoluição atmosférica
Resumo
Os veículos movidos a diesel contribuem significativamente para o aumento da poluição atmosférica, pois apresentam uma grande porcentagem das emissões de material particulado. O DEP (material particulado da exaustão do diesel), como um dos componentes do material particulado da poluição atmosférica, pode por diversos processos causar prejuízos as vias aéreas respiratórias, podendo induzir o estresse oxidativo da célula, causando como consequências eventos celulares, a perturbação da função mitocondrial e outros danos, que podem até mesmo levar a célula a apoptose. A proposta desse projeto é, portanto, estudar a influência do DEP na citotoxicidade das células das vias áreas respiratórias e como isso afeta o metabolismo das mitocôndrias. Esse estudo será realizado com DEP provenientes da exaustão de diesel em ônibus escolares coletados e analisados por técnicas para determinar as concentrações de material orgânico e inorgânico, seguindo da análise da toxicidade em células BEAS-2B e através da produção do indicador de integridade mitocondrial. (AU)

Efeito da sazonalidade, poluição atmosférica e geoquímica do solo na produção de metabólitos secundários em folhas de Eugenia uniflora

Processo:16/05369-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de fevereiro de 2017 - 31 de janeiro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Orgânica
Pesquisador responsável:Miriam Sannomiya
Beneficiário:
Instituição-sede: Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesq. associados:

Fabiana Curtopassi Pioker ; Rosely Aparecida Liguori Imbernon

Assunto(s):Química de produtos naturais
Resumo
Os avanços tecnológicos e industriais afetaram significativamente a vida e o comportamento da população mundial. Proporcionou uma melhor qualidade de vida, principalmente o acesso para a obtenção dos alimentos, o números de empregos, desenvolvimento de diferentes meios de transporte, minimizando as grandes distâncias entre os locais, o que viabilizou a economia mundial. Por outro lado, nos últimos tempos a sociedade se depara com vários aspectos negativos, dentre eles, os elevados níveis de poluição atmosférica. Sabe-se que a presença de poluentes atmosféricos pode resultar em sensíveis modificações na morfologia, fisiologia, bioquímica ou no crescimento das plantas. A variação da concentração de metabólitos secundários em plantas pode estar relacionada com o ritmo circardiano, umidade, composição do ar atmosférico, presença de patógenos ou herbívoros, altitude, radiação ultravioleta e visível, índice pluviométrico, temperatura, idade da planta, disponibilidade de nutrientes e poluição ambiental.Eugenia uniflora L., popularmente conhecida como "pitanga", refere-se a uma espécie extremamente adaptada a ambientes urbanos e altamente contaminados por poluentes aéreos e estudos mostram que indivíduos ocorrentes em centros urbanos e rurais respondem diferentemente aos efeitos da poluição com relação à suas características anatômicas, mostrando que esta se trata de uma espécie bioindicadora da qualidade do ar. Neste sentindo, um estudo comparativo do teor dos flavonoides em extratos polares e dos óleos essenciais das folhas de espécimenes de E. uniflora ocorrentes em na região metropolitana de São Paulo e outras em regiões rurais do município de Mogi das Cruzes -SP, em diferentes épocas do ano, associados ao teor de metais pesados nas folhas, qualidade do solo em que estas ocorrem e bem como a presença de poluentes atmosféricos, pode permitir uma melhor compreensão da contribuição de cada uma destas variáveis na produção dos metabólitos secundários. (AU)

Monitoramento da qualidade do ar no continuum cantareira-mantiqueira utilizando abelhas e amostragem passiva

Processo:16/14737-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência: 01 de dezembro de 2016 - 30 de novembro de 2017
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia - Análise Toxicológica
Pesquisador responsável:Maria Fernanda Hornos Carneiro
Beneficiário:
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Assunto(s):Poluição atmosféricaOzônioToxicologia ambientalMonitoramento biológicoIndicadores biológicosDióxido de nitrogênioSerra da Mantiqueira
Resumo
A região entre as Serras da Cantareira e Mantiqueira, área de grande importância na conservação da Mata Atlântica no Estado de São Paulo, está localizada próxima à grande São Paulo, que sabidamente tem concentrações altas de poluentes atmosféricos. Tal proximidade e as condições climáticas podem estar influenciando a qualidade do ar do Contínuo Cantareira-Mantiqueira, causando impactos à fauna e à flora. O estudo com bioindicadores é um método barato, simples e que traz respostas sobre o risco de exposição. Esse projeto tem como objetivo avaliar a viabilidade de se utilizar abelhas Jataí (Tetragonisca angustula) como bioindicadores da qualidade do ar em 10 pontos de monitoramento situados ao longo do Contínuo Cantareira-Mantiqueira, através da determinação da concentração de metais e elementos químicos (como o chumbo, por exemplo) nos tecidos. Além disso, o projeto também propõe avaliar a concentração de dióxido de nitrogênio e ozônio por amostragem passiva. Este estudo será relevante para o conhecimento do risco inerente à qualidade do ar da região, seu impacto e relação com aspectos ecológicos de paisagem no contínuo Cantareira-Mantiqueira. (AU)

Influência da poluição do ar no remodelamento miocárdico na Doença de Chagas experimental

Processo:14/23941-8
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de dezembro de 2016 - 30 de novembro de 2018
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Felix José Alvarez Ramires
Beneficiário:
Instituição-sede: Instituto do Coração Professor Euryclides de Jesus Zerbini (INCOR). Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo, SP, Brasil
Pesq. associados:

Fernanda Gallinaro Pessoa ; Keila Cardoso Barbosa

Assunto(s):Doença de ChagasPoluição do ar
Resumo
A doença de Chagas é uma das principais causas de miocardiopatia e insuficiência cardíaca no Brasil, ocasionando disfunção miocárdica que é caracterizada por fibrose e a qual, está diretamente relacionada a uma complexa cascata de vias que se interrelacionam, como a inflamação, estresse oxidativo e apoptose. Da mesma forma, a poluição atmosférica leva a uma intensa ativação dessas vias citadas, amplificando e intensificando as respostas do organismo frente a essa agressão. Portanto, sendo a doença de Chagas uma doença que promove a ativação de uma complexa cadeia de eventos com intensa inflamação, estresse oxidativo, apoptose, e intensa fibrose intersticial miocárdica; e sendo a poluição um fator importante no estímulo destas mesmas cascatas de eventos, nossa hipótese é que a poluição poderia amplificar os efeitos causados por essas vias estimulando o estresse oxidativo e a inflamação e levando a maior perda de miócitos com consequente aumento da fibrose miocárdica. Serão utilizados 100 Hamsters Sirius fêmeas, divididos em 4 grupos (CT, CT+Poluição, infectado e Infectado + Poluição). Os animais serão expostos a poluição por inalação de material particulado, produzido após a queima do combustível diesel. A fração do volume de colágeno intersticial do ventrículo esquerdo (FVCI-VE) e do ventrículo direito (FVCI-VD) será determinada em cortes histológicos, corados com picrosirus red utilizando-se o programa QWIN Image Processing and Analysis Software (Leica Microsystems Cambridge Ltd.). A análise anatômica e funcional será realizada por ecocardiograma. A avaliação da inflamação será feita por experessão gênica, utilizando a técnica de RT-PCR em tempo real. O estresse oxidativo por ELISA e também RT-PCR em tempo real, bem como a apoptose que será analisada por dois métodos TUNEL e RT-PCR em tempo real. (AU)

Poluição atmosférica e DPOC: mediação por mecanismos epigenéticos na coorte de estudo LifeLines

Processo:16/13384-0
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Pesquisa
Vigência: 01 de outubro de 2016 - 30 de setembro de 2017
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Pesquisador responsável:Ana Julia de Faria Coimbra Lichtenfels
Beneficiário:
Anfitrião: Marike Boezen
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Local de pesquisa: University Medical Center Groningen (UMCG) (Holanda)
Assunto(s):Epidemiologia
Resumo
A doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) é caracterizada por uma progressiva obstrução das vias aéreas e declínio da função pulmonar. Investigação sobre a sua origem tem sido realizada quase que exclusivamente sobre o hábito de fumar, e consequentemente, os estudos sobre a genética da DPOC têm sido focados principalmente em fumantes. Embora o tabagismo seja considerado o principal fator de risco para o desenvolvimento da DPOC, outros fatores ambientais incluindo a poluição atmosférica, podem também contribuir para a etiologia da DPOC. A poluição atmosférica é uma grande preocupação em termos de saúde pública. Exposição de curto e longo prazo à poluição tem sido consistentemente associada a um maior risco de exacerbações de doenças do aparelho respiratório bem como ao declínio da função pulmonar, mesmo em níveis de poluentes abaixo das atuais diretrizes de qualidade do ar. Embora haja clara evidência sobre o papel da genética sobre o desenvolvimento da DPOC, dados inconsistentes de estudos de coorte de base populacional sugerem que, além de específicas variantes genéticas, interações gene-ambiente podem também desempenhar um papel sobre o desenvolvimento da DPOC. Mecanismos epigenéticos incluindo a metilação do DNA, são agora reconhecidos como um importante elo entre exposições ambientais e doenças. Associação entre exposição à poluição atmosférica e de-regulação do perfil de metilação global do DNA e de genes candidatos têm sido previamente descrito, e dentre os principais CpGs identificados, destacam-se estes mapiando genes associados a vias inflamatórias, metabolismo de detoxicação e câncer de pulmão. No entanto até o presente momento, nenhum estudo examinando o potencial efeito de mediação da metilação na associação entre poluição atmosférica e risco para o desenvolvimento da DPOC tem sido descrito na literatura. A rápida expansão das tecnologias designadas "omics", incluindo os estudos de associação ampla do epigenoma (EWAS), tem sido útil na avaliação da metilação do DNA em nível do genoma. Portanto, estudar a associação entre poluição atmosférica, metilação do DNA e DPOC/função pulmonar na coorte de estudo LifeLines pode fornecer "insights" sobre os individuais "loci" epigenéticos associados com a DPOC. (AU)
341 resultado(s)
|
Exportar 0 registro(s) selecionado(s) | Limpar seleção
CDi/FAPESP - Centro de Documentação e Informação da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo

R. Pio XI, 1500 - Alto da Lapa - CEP 05468-901 - São Paulo/SP - Brasil
cdi@fapesp.br - Converse com a FAPESP