Busca avançada
X

Criar um alerta por e-mail


Novos resultados para a sua pesquisa em seu e-mail, semanalmente.

Seu e-mail:

Tamanho do e-mail:



Seu endereço de e-mail não será divulgado.
Refine sua pesquisa
Pesquisa
  • Uma ou mais palavras adicionais
Publicações científicas
Publicações acadêmicas
  • Auxílios à Pesquisa
  • Bolsas
  • Programas voltados a Temas Específicos
  • Programas de Pesquisa direcionados a Aplicações
  • Programas de Infraestrutura de Pesquisa
  • Área do conhecimento
  • Situação
  • Ano de início
Excel (CSV)Alerta por e-mail   RSS
353 resultado(s)
|
Resumo

O pesquisador possui uma grande experiência na área técnica/experimental em LIDAR, além de ter sido um dos responsáveis pela criação do projeto. Acreditamos que sua contribuição é, dessa forma, essencial para o sucesso da montagem do novo sistema. Além disso, sua vasta experiência em pesquisas relacionadas com sistemas LIDAR de multi-comprimentos de onda ajudará na criação de uma metodologia de calibração e análise para estimar concentração de poluentes atmosféricos baseado em técnicas de inversão. (AU)

Voláteis de plantas em remanescentes da Mata Atlântica sob influência antrópica

Processo:16/25109-3
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de novembro de 2017 - 31 de outubro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Botânica - Botânica Aplicada
Pesquisador responsável:Silvia Ribeiro de Souza
Beneficiário:
Instituição-sede: Instituto de Botânica. Secretaria do Meio Ambiente (São Paulo - Estado). São Paulo, SP, Brasil
Pesq. associados:

Adalgiza Fornaro ; Eduardo Pereira Cabral Gomes ; José Oscar William Vega Bustillos ; Marcos Pereira Marinho Aidar ; Regina Maria de Moraes

Assunto(s):FabaceaeEuphorbiaceaeEcologia
Resumo

O processo de crescimento urbano desordenado e caótico da Região Metropolitana de São Paulo (RMSP) tem levado gradual supressão da vegetação, restando poucos remanescentes florestais. Essas florestas urbanas apresentam grande importância na manutenção da qualidade do meio ambiente e, por isso, seria esperado que o impacto antrópico fosse cada vez mais reduzido. Contrariamente, tem se observado que esses remanescentes são constantemente afetados por vários agentes abióticos causadores de degradação da vegetação, incluindo a poluição atmosférica. Dentre os poluentes mais fitotóxico, destaca-se o ozônio (O3) que se apresenta em concentrações de risco aos ecossistemas vegetais. Ele pode induzir a produção de compostos do metabolismo secundário, dos quais muitos são orgânicos voláteis de plantas, que tem um papel fundamental nas funções químicas e biológicas do meio ambiente. Esses compostos voláteis são sinalizadores nas interações planta e inseto, agem nas defesa químicas das plantas e participam ativamente da química atmosférica. Para um melhor entendimento do papel dos voláteis de planta na atmosfera é fundamental identificá-los e quantificá-los nas regiões de interesse. Nesse sentido, propõe-se aqui caracterizar as emissões e a distribuição dos voláteis de plantas presentes nos remanescentes florestais da RMSP com vista à subsídiar modelos de ozônio os quais são essenciais para implementação de políticas públicas adequadas à melhoria da qualidade do ar. (AU)

Resumo

A exposição à poluição atmosférica está envolvida com várias doenças cardiovasculares, como demonstrado em estudos clínicos e experimentais. O remodelamento cardíaco é caracterizado por um conjunto de mudanças moleculares e celulares que resultam na alteração da morfologia do coração decorrente de agressões sofridas, com papel crítico no desenvolvimento de patologias do sistema cardiovascular. Estudos experimentais já evidenciaram que a exposição ao material particulado presente na poluição atmosférica resulta no remodelamento cardíaco, ou seja, hipertrofia e fibrose do tecido cardíaco. Os estudos clínicos ainda são escassos, o que torna relevante uma abordagem patológica da avaliação da associação entre os efeitos da exposição crônica à poluição, como o depósito de pigmentos de antracose, e o remodelamento cardíaco em indivíduos expostos à poluição urbana. (AU)

Resumo

A exposição à poluição atmosférica está associada a efeitos negativos no sistema cardiovascular como a disfunção vascular, hipertensão arterial e progressão da aterosclerose. No entanto, os mecanismos pelos quais a inalação de partículas da poluição do ar influencia o sistema cardiovascular ainda não foram totalmente elucidados. Estudos em modelos animais e em humanos demonstraram que partículas ultrafinas são capazes de translocar dos pulmões para a circulação sistêmica e acumular em locais de inflamação vascular. Considerando isso, o presente estudo tem como objetivo identificar se a exposição crônica à poluição, estimada pela quantificação de partículas pretas retidas no pulmão (antracose), está associada à possível presença de deposição de partículas enegrecidas na microcirculação da parede da aorta. Esta abordagem histopatológica com material proveniente de indivíduos que residiram em São Paulo poderá ainda fornecer informações que contribuam com a descrição da influência destas partículas inaladas com o processo inflamatório vascular observado na aterosclerose. (AU)

III Simpósio Internacional de imunologia no esporte

Processo:17/07648-7
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Organização de Reunião Científica
Vigência: 21 de agosto de 2017 - 23 de agosto de 2017
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Educação Física
Pesquisador responsável:Rodolfo de Paula Vieira
Beneficiário:
Instituição-sede: ASSOC BRASILEIRA IMUNOLOGIA EXERCICIO/ABIE
Assunto(s):ImunologiaTreinamento físicoFisiologia do exercício
Resumo

21/08/2017Fundamentos genéticos aplicado à imunologia do exercício físicoFundamentos de imunologia aplicada à imunologia do exercício físicoFundamentos neuro-imunes do exercício físicoBenefícios do treinamento físico na modulação da resposta vascular: papel do estresse oxidativo e da inflamaçãoPhysical exercise as stressor stimulus: friend or foeBenefícios do treinamento físico na modulação cardiovascular em portadores de insuficiência cardíacaComo deve ser o treinamento físico de pacientes com lúpus eritematoso? Benefícios sobre a saúde, qualidade de vida e resposta imuneBenefícios do treinamento físico nos marcadores inflamatórios e de risco cardiovascular em adultos obesosTreinamento físico, diabetes e inflamação: o que devemos saberPapel da inflamação na hipertrofia muscularTerapia com laser de baixa potência: efeitos sobre o processo inflamatório e sobre a recuperação muscularCaquexia muscular, exercício físico e resposta imune22/08/17Successful program in health aging: what to do and what not to doA importância de programas de exercícios físicos para idososBenefícios do exercício físico sobre a resposta imune de idososTreinamento físico e poluição atmosférica: estado da arteProbióticos: Lactobacillus casei Shirota e saúdeTreinamento físico e câncer: o que o sistema imune pode nos ensinarEfeitos do treinamento físico na função e metabolismo de neutrófilosExercício físico, metabolismo e resposta imuneSuplementação proteica e performanceCan Nutrition Supplements Affect Exercise-induced Immunodepression23/08/17Exploring the role of exercise rehabilitation in regenerating skeletal muscle in COPDEfeitos do treinamento físico no controle da inflamação pulmonar e sistêmica em asmáticos obesosBenefícios do treinamento físico na disfunção miocárdica: envolvimento da resposta anti-inflamatória induzida pelo treinamentoTransferência de lipides a HDL em indivíduos diabéticos, com doenças cardiovasculares e em pratican (AU)

Resumo

Reconhece-se cada vez mais que as estratégias para reduzir as emissões de gases com efeito de estufa (GEE) afetarão também numerosos fatores relacionados com a saúde pública. De todos os co-benefícios resultantes da mitigação de GEE, a redução da poluição do ar é de particular interesse, pois está relacionada com o aumento da taxa de mortalidade por causas cardiovasculares e respiratórias. Dentro desta abordagem, os transportes representam uma fonte importante de poluição do ar em áreas urbanas. Em São Paulo, a área de estudo deste projeto, o trânsito é a principal fonte de material particulado. A quantificação econômica decorrente da melhoria da saúde e consequente diminuição dos custos dos tratamentos médicos é fundamental para a formulação de políticas públicas.Baseando-se numa cooperação interdisciplinar nos domínios da poluição atmosférica (exposição às partículas), epidemiologia (impactos em saúde) e economia (determinação dos custos diretos e indiretos), este projeto visa quantificar economicamente os impactos em saúde (morbidade e mortalidade) provocados por diferentes cenários de emissão veicular por transporte de passageiros na cidade de São Paulo, bem como quantificar, nos mesmos cenários, a emissão de GEE. Para tal, adota como poluente de referência o PM2.5 e as principais doenças associadas à exposição a estas partículas. Os diferentes cenários de emissão veicular são obtidos através de modelagem com escala temporal entre 2010 e 2050, adotando-se como parâmetros variáveis as mudanças comportamentais nos condutores e mudanças na participação de mercado de cada tipo de combustível. Espera-se que os resultados sirvam de referência para o planejamento de políticas públicas que visam reduzir a poluição devida ao transporte de passageiros na cidade de São Paulo. (AU)

Resumo

A poluição do ar é resultado de complexas interações que envolvem emissões de poluentes atmosféricos e que sabidamente causam consequências negativas para a saúde humana. De acordo com alguns estudos, a exposição à poluição, durante a gestação, pode afetar o peso ao nascimento, contudo, não há ainda conhecimento sedimentado sobre as janelas críticas de exposição à poluição durante a gestação. Visando investigar, mais profundamente, o impacto da poluição na gestação e no feto, o objetivo deste projeto é avaliar a influência da exposição à poluição durante a gestação nos desfechos do parto e no crescimento do polo cefálico. Um estudo prospectivo com 386 gestantes, intitulado ProcriAR, está sendo realizado na cidade de São Paulo. Os poluentes dióxido de nitrogênio (NO2) e ozônio (O3) são medidos durante cada trimestre da gestação por meio da utilização de amostradores passivos individuais (APIs). Simultaneamente, será realizada a análise dos poluentes monóxido de carbono (CO), NO2 e material particulado menor que 10 (MP10), medidos pela estação fixa de monitoramento Taboão da Serra da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (CETESB), que é a mais próxima do região onde residem as gestantes. Desta forma, o presente projeto propõe: avaliar quais são as janelas críticas de exposição à poluição na gestação e os efeitos causados por esta nos desfechos do parto. A partir disso, ter resultados consistentes para poder influenciar o surgimento tanto de políticas públicas quanto privadas mais efetivas do controle da poluição atmosférica. (AU)

Resumo

A poluição tem se mostrado atualmente um grande problema para os moradores das grandes cidades, vários índices, como os da CETESB de São Paulo e a OMS, demonstram que a qualidade do ar tem diminuído drasticamente a qualidade de vida de milhões de pessoas sujeitas a tal situação e que um dos vetores que muito tem contribuído para emissão destes poluente tóxicos são os veículos automotores, principalmente aqueles movidos a diesel, capazes de emitir um número muito maior de poluentes. Acredita-se que os compostos orgânicos presentes na poluição do ar desempenham importantes papéis como disruptores endócrinos, interferindo no funcionamento normal do sistema endócrino imitando e/ou antagonizando hormônios, via interação com receptores para os hormônios esteróides. Verifica-se assim que estudos dos receptores ER e AhR e suas interconexões recíprocas elucidarão os efeitos nocivos dos poluentes atmosféricos, bem como esclarecerá também como funciona suas vias de transdução de sinal dentro das células e suas implicações. Frente a estes dados o presente projeto visa estudar o comportamento dos receptores de estrógeno e aril hidrocarbono, ocorridas nas células epiteliais das vias respiratórias de humanos, expostas a concentrações crescentes de estrogêno e testosterona e ao material particulado do diesel (DEP). (AU)

Resumo

A Poluição atmosférica é determinada por fontes fixas e móveis, sendo essa última caracterizada como a principal fonte poluente. Os veículos automotores, são fontes móveis poluentes, e o estado de São Paulo detém 40% da frota automotiva do país. Dentre os principais poluentes relacionados ao processo de combustão, estão as partículas inaláveis Finas (MP2,5) e Partículas Inaláveis (MP10). O material particulado é uma mistura complexa de sólidos com diâmetro reduzido, cujos componentes apresentam características físicas e químicas diversas. O biomonitoramento ocorre quando se utiliza de organismos vivos para a obtenção de informações sobre características presentes na biosfera. A técnica de biomonitoramento utilizando cascas de árvores permite criar uma distribuição espacial dos poluentes. As espécies escolhidas para o desenvolvimento do projeto foram a Tipuana tipu e Poincianella pluviosa (former Caesalpinia pluviosa) por apresentarem ampla distribuição na Região Metropolitana de São Paulo. O objetivo deste trabalho é verificar se as áreas verdes exercem função de filtro de poluentes atmosféricos de origem veicular e se existe relação entre o tipo de vegetação e a quantidade de elementos químicos encontrados na casca de árvores. (AU)

Resumo

Os elementos químicos, especialmente os metais, causam efeitos genotóxicos, indução de neoplasia, danos nos sistemas imunes e neurológicos. Os principais poluentes relacionados ao processo de combustão são: Partículas Inaláveis Finas (MP2,5); Partículas Inaláveis grossas (MP10); Partículas Totais em Suspensão (PTS); Dióxido de Enxofre (SO2); Dióxido de Nitrogênio (NO2); Monóxido de Carbono (CO); Ozônio (O3). O material particulado é definido como uma mistura complexa de sólidos com diâmetro reduzido, cujos componentes apresentam características físicas e químicas diversas. O MP está relacionado com diversos problemas do trato respiratório e cardiovascular. O biomonitoramento ocorre quando se utiliza de organismos vivos para a obtenção de informações sobre características presentes na biosfera. A técnica de biomonitoramento utilizando cascas de árvores permite obter uma distribuição espacial dos poluentes. As espécies escolhidas para o projeto são Poincianella Pluviosa (former Caesalpinia pluviosa), Tipuana tipu, por apresentarem ampla distribuição na área e ter apresentado viabilidade para estudos de biomonitoramento. A análise química ocorrerá pela análise utilizando o EDXRF, podendo assim, determinar concentrações dos elementos químicos de acordo com o comprimento de onda detectado. A calibração será feita pelo método de calibração dos parâmetros fundamentais (PF). O objetivo deste trabalho é descrever a associação das concentrações dos elementos químicos na casca de árvores com as concentrações de material particulado medido em estações de monitoramento da CETESB e determinar o período o qual os elementos absorvidos pelas cascas de árvores são representativos. (AU)

353 resultado(s)
|
Exportar 0 registro(s) selecionado(s)
Marcar todos desta pagina | Limpar seleção