site da FAPESP
 

Refine sua pesquisa

Pesquisa
  • Uma ou mais palavras adicionais
Publicações científicas
Auxílios à Pesquisa
Bolsas
Programas voltados a Temas Específicos
Programas de Pesquisa direcionados a Aplicações
Programas de Infraestrutura de Pesquisa
Área do conhecimento
Situação
Ano de início
216 resultado(s)
|

Evolução dos sinais acústicos e visuais nos thamnofilídeos da tribo Formicivorini (Aves: Passeriformes)

Processo:16/08814-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência: 01 de outubro de 2016 - 30 de abril de 2018
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Zoologia - Morfologia dos Grupos Recentes
Pesquisador responsável:Luís Fábio Silveira
Beneficiário:
Instituição-sede: Museu de Zoologia (MZ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Assunto(s):Evolução animalAdaptação animalComunicação animalAves
Resumo
A comunicação animal transmite informações utilizando diferentes tipos de sinais sensoriais (e.g., visuais, sonoros e olfativos). Esses sinais possuem diversos propósitos como atrair e cortejar potenciais pares, defender territórios, manter um grupo unido, e minimizar a predação. Em aves, os dois tipos de sinais sensoriais mais utilizados são os sinais acústicos e os visuais. De acordo com a hipótese do "Sensory drive", os sinais sensoriais sofrem uma pressão seletiva causada pelas variações nas condições físicas dos habitats. Além disso, esses sinais são pressionados pelas limitações energéticas na sua produção, predação, parasitismo e forças conflitantes entre seleção natural e sexual; tornando o investimento em mais de um tipo de sinal sensorial muito custoso para o organismo. Devido a esse alto custo, a Hipótese de Transferência (ou de "Trade-off") propõe a existência de um balanço evolutivo ("trade-off") entre os diferentes sinais sensoriais nos organismos. Os poucos estudos que testaram a Hipótese de Transferência em aves apresentaram resultados divergentes. Sendo assim, esse projeto propõe um estudo dos sinais acústicos e visuais nos thamnofilídeos do diverso clado da Tribo Formicivorini, a fim de avaliar a existência de um balanço evolutivo entre os dois tipos de sinais sensoriais (Hipótese de Transferência), que pode estar sendo influenciado pelas condições ambientais (Hipótese de "Sensory drive"), e também pelo comportamento de forrageio. A Tribo Formicivorini é um grupo adequado para esse tipo de estudo, pois apresenta uma grande diversidade de habitats de forrageio, variação no comportamento, na estrutura do canto, na plumagem e no dimorfismo sexual. (AU)

O papel da heterocromatina facultativa na regulação da expressão gênica em neurônios olfatórios

Processo:16/07782-2
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de setembro de 2016 - 31 de agosto de 2018
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Biologia Molecular
Pesquisador responsável:Lucia Maria Armelin Correa
Beneficiário:
Instituição-sede: Instituto de Ciências Ambientais, Químicas e Farmacêuticas (ICAQF). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus Diadema. Diadema, SP, Brasil
Pesq. associados:

Bettina Malnic

Assunto(s):Complexo repressor polycomb 2Heterocromatina
Resumo
Os receptores olfatórios (ORs) são expressos pelos neurônios sensoriais olfatórios (OSNs) e são responsáveis pela detecção precisa de diferentes odorantes no meio ambiente, o que é crucial para a sobrevivência dos animais. Os ORs são membros de uma das maiores famílias gênicas de mamíferos, codificados por centenas de alelos, e apresentam expressão monogênica e monolalélica em OSNs. A expressão desses receptores não ocorre ao acaso no epitélio olfatório (OE), e respeita um padrão de zonas estabelecido já no desenvolvimento embrionário. Pouco se sabe sobre mecanismos regulatórios envolvidos no padrão de expressão de genes ORs. Os OSNs apresentam uma arquitetura nuclear peculiar na qual a heterocromatina facultativa, rica em H3K27me3, se concentra, frequentemente, ao redor de um bloco central de heterocromatina constitutiva. Os dois alelos de cada gene OR parecem estar segregados nestes dois diferentes compartimentos de heterocromatina, formando clusters, e esta arquitetura nuclear é responsável pela repressão de centenas de genes ORs no núcleo de cada OSN. Esse silenciamento diferencial por heterocromatina facultativa ou constitutiva poderia estar relacionado com a expressão dos ORs em diferentes zonas do OE. Pouco se sabe sobre o papel da heterocromatina facultativa na regulação da expressão gênica em OSNs. A formação de um bloco de heterocromatina facultativa também ocorre na inativação do cromossomo X, e transposons LINE-1 participam da formação desse bloco em células tronco murinas. Nessas células a transcrição de alguns desses elementos é importante durante este processo de silenciamento, realizado pelo Complexo Repressor Polycomb 2 (PRC2). Os loci de genes OR são ricos em transposons do tipo LINE-1. Nossa hipótese é que LINE-1 vizinhos a genes OR participam da organização desses loci no núcleo de OSNs e da formação do domínio de heterocromatina facultativa, o que resultaria no silenciamento desses genes. Para entender o papel da heterocromatina facultativa na expressão gênica em OSNs esse trabalho visa: (1) descrever a distribuição de H3K27me3 e de proteínas de PRC2 no núcleo de OSNs ao longo do desenvolvimento do OE; (2) investigar a interação de genes OR com H3K27me3 em OSNs maduros de diferentes zonas do OE; (3) descrever a distribuição de LINE-1 no núcleo de OSNs e; (4) investigar a transcrição desses transposons por células do OE. Os resultados desse projeto serão importantes para elucidar a participação da heterocromatina facultativa na repressão de genes OR em diferentes zonas do OE e, a participação de transposons na organização da heterocromatina no núcleo em OSNs. (AU)

Uso de mirídeos predadores no controle biológico de pragas

Processo:16/12771-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência: 01 de setembro de 2016 - 31 de agosto de 2018
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitossanidade
Pesquisador responsável:José Maurício Simões Bento
Beneficiário:
Instituição-sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba, SP, Brasil
Assunto(s):Entomologia agrícolaControle biológico
Resumo
O Brasil tem se destacado em todo o mundo, pelos inúmeros casos de sucesso com o uso do controle biológico para o manejo de pragas, nas mais diversas culturas de importância econômica. Contudo, no caso dos insetos benéficos, estes resultados foram obtidos quase que exclusivamente com o uso de parasitoides. Os predadores, embora igualmente possuam elevado potencial para o controle biológico e enorme diversidade no Brasil, tem merecido pouca atenção. Levando-se em conta esta perspectiva, este projeto visa estudar três mirídeos predadores recentemente encontrados no Brasil: Campyloneuropsis infumatus (Carvalho), Engytatus varians (Distant) e Macrolophus basicornis (Stal). Para tanto, estes predadores generalistas serão avaliados quanto: (i) A capacidade predatória das três espécies de mirídeos ao ácaro rajado, Tetranichus urticae Koch, bem como sua preferência alimentar entre diferentes estágios deste ácaro, e a preferência destes predadores entre T. urticae e a mosca branca Bemisia tabaci Gennadius; (ii) investigar os mecanismos de defesa do tomateiro induzido pela herbivoria das duas pragas (T. urticae e B. tabaci); e (iii) avaliar a capacidade de busca e orientação dos predadores mirídeos pelas presas. Os métodos empregados para o estudo incluem testes de predação e preferência alimentar, olfatometria, ensaios comportamentais, medição dos fitohormônios, coleta e análise dos voláteis de plantas de tomate. O projeto revelará os mecanismos adaptativos da planta frente as interações mais próximas ao que ocorre em campo, além de avaliar novos agentes para o controle biológico de pragas. (AU)

Avaliação preliminar dos óleos essenciais de Petroselinum crispum e Daucus carota (Apiaeceae) como repelentes contra o mosquito Aedes Aegypti

Processo:16/12748-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência: 01 de agosto de 2016 - 30 de junho de 2017
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Orgânica
Pesquisador responsável:Wagner Vilegas
Beneficiário:
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB-CLP). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus Experimental do Litoral Paulista. São Vicente, SP, Brasil
Assunto(s):FitoquímicaAedes aegyptiÓleos essenciais
Resumo
Os vírus Zika, da Dengue e Chikungunya são transmitidos principalmente pelo mosquito da espécie Aedes aegypti. Essas doenças tem gerado grandes preocupações nas instituições públicas de saúde por atingirem uma grande parcela da população brasileira. Além disso, o mosquito A. aegypti ocupa uma vasta região no globo, principalmente no continente Sul-Americano. Portanto, iniciativas que visam controlar a incidência de picadas do mosquito com matérias-primas economicamente viáveis e fáceis de encontrar são essenciais no momento atual. Pensando nisso, o presente projeto pretende testar a ação repelente dos óleos essenciais das folhas, raízes e sementes da cenoura (Daucus carota) e salsinha (Petroselinum crispum), usando, primeiramente o olfatômetro, seguido do teste arm in a cage, com a intenção de trazer novos produtos de origem natural viáveis para a produção repelentes seguros contra o mosquito. Antes dos ensaios biológicos serão traçados os perfis químicos dos óleos essenciais através da técnica de cromatografia gasosa acoplada à espectrometria de massas. (AU)

A rede FAPESP-Keele fase 2: utilizando uma plataforma CRISPR-Cas9 para a geração de mosquitos mutantes para o olfato e imunidade

Processo:16/13790-8
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisador Visitante - Internacional
Vigência: 19 de julho de 2016 - 11 de setembro de 2016
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Parasitologia - Entomologia e Malacologia de Parasitos e Vetores
Pesquisador responsável:Jayme Augusto de Souza-Neto
Beneficiário:
Pesquisador visitante: Julien Pelletier
Instituição do pesquisador visitante: Keele University (Inglaterra)
Instituição-sede: Instituto de Biotecnologia (IBTEC). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu, SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/11343-6 - Caracterização dos mecanismos de ação anti-dengue mediados pela microbiota intestinal de populações naturais do mosquito Aedes aegypti, AP.JP
Assunto(s):MutagêneseAedesDengueCRISPR-Cas9Sistema imune
Resumo
Aedes aegypti e Aedes albopictus são ambos vetores da dengue encontrados no Brasil, contudo exibindoecologias completamente diferentes: Ae. aegypti é um mosquito essencialmente urbano, estritamenteantropofílico e com alta capacidade de transmissão de dengue. Por outro lado, Ae. albopictus pode serencontrada em ambientes urbanos e rurais, não se restringe a hospedeiros humanos e tem menor capacidadede transmissão de dengue, além de ser considerada uma espécie invasora que se espalha em diferentes áreas.Estudos recentes têm demonstrado que o vírus da dengue induz a transcrição de ambos os genes do sistemaimunológico e olfação no mosquito Ae. aegypti, sugerindo forte interacção entre estes dois processosfisiológicos. Uma melhor compreensão das proteínas que são importantes em comportamentos olfativos eresposta imunidade gerará informações fundamentais para o entendimento aprofundado da biologia destesvetores, com potencial para o desenvolvimento de novas estratégias para controlar a dengue no Brasil. Esta bolsa faz parte da segunda visita programa do Prof. Julien Pelletier ao Brasil, no âmbito do acordo de cooperação FAPESP-Keele. (AU)

Estudo da sensibilidade olfatória como possível biomarcador de Doença de Alzheimer experimental em animais da cepa Wistar Audiogenic Rat (WAR)

Processo:15/19143-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência: 01 de julho de 2016 - 30 de junho de 2017
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Pesquisador responsável:Norberto Garcia Cairasco
Beneficiário:
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Assunto(s):Doença de AlzheimerNeurologiaPercepção olfatóriaMemória (psicologia)Modelos animais de doençasMarcador molecularPeptídeos beta-amiloides
Resumo
A sensibilidade olfatória tem se mostrado relevante na pesquisa de doenças neurodegenerativas tais como a doença de Alzheimer, a qual é caracterizada principalmente pela perda substancial de memória. Recentes estudos têm demonstrado que a perda olfatória possa ser utilizada como biomarcador, com validade preditiva, durante o desenvolvimento de tais doenças. Nesse contexto esse projeto busca associar sensibilidade olfatória e doença de Alzheimer. Para tanto será interessante verificar a sensibilidade olfatória da cepa Wistar Audiogenic Rat (WAR) e dos seus controles, a cepa Wistar, em 3 diferentes idades: 2 meses (jovem), 6 meses (adulto) e 1 ano (idoso). Além de, avaliar se existe associação entre perda olfatória precoce e perda de memória, e finalmente detectar possíveis alterações na expressão de marcadores moleculares da doença de Alzheimer em animais da cepa WAR. Para testar tal hipótese serão utilizados três grupos experimentais de cada cepa (n=15 animais/faixa etária), que serão testados para sensibilidade olfatória, a partir do teste do bloco (block test) e do teste do alimento enterrado (buried food test). Para verificação de memória, será utilizado o Labirinto Aquático de Morris. Subsequentemente os cérebros dos WARs serão analisados bioquimicamente para se verificar os níveis das proteínas beta-amilóide e tau fosforilada (fosfo-Tau) no Cerebelo, Córtex Frontal e Hipocampo. Com o propósito de demonstrar a viabilidade desse protocolo experimental, testes preliminares foram realizados com um grupo de 11 WARs, sendo 5 adultos e 6 idosos. Os resultados obtidos a partir do buried food test, revelaram um déficit olfatório aumentado nos animais adultos em relação aos mais velhos. Esses dados estão em acordo com os obtidos anteriormente em nosso Laboratório que mostraram maior quantidade de agregados de beta-amilóide nos animais adultos. Baseando-se nesses primeiros dados, esse presente estudo parece demonstrar que a perda olfatória pode ser associada como marcador bioquímico da doença de Alzheimer, e sugerem fortemente que esse déficit sensorial pode ser utilizado como uma característica preditiva precoce dessa doença. (AU)

Análise do transcritoma associado a lincRNAs no sistema olfativo acessório

Processo:16/05379-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência: 01 de junho de 2016 - 28 de fevereiro de 2018
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Biologia Molecular
Pesquisador responsável:Fabio Papes
Beneficiário:
Instituição-sede: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Assunto(s):TranscriptomaRNA-seqÓrgão vomeronasal
Resumo
O sistema olfativo é um sistema sensorial responsável pela detecção de informações químicas do ambiente, podendo levar à sensação de um odor ou a comportamentos instintivos. Para desempenhar essas funções, tal sistema é composto pelo sistema olfativo principal e pelo órgão vomeronasal, encontrados na cavidade nasal. Recentemente, foi descoberta uma enorme variedade de longos RNA não codificadores (lncRNAs) em diferentes tecidos, que parecem desempenhar funções no controle de várias etapas do processo de expressão gênica. Dadas as características únicas de expressão de genes de receptores nos neurônios olfativos do órgão vomeronasal, levantamos a hipótese do envolvimento de lncRNAs nesses processos. O presente projeto de Mestrado tem como objetivo a identificação de um tipo específico de lncRNAs, os lincRNAs, expressos no órgão vomeronasal, bem como uma análise inicial de suas possíveis funções na fisiologia dos tecidos olfativos. (AU)

Mecanismos subjacentes ao efeito da experiência social sobre os níveis hormonais, sinalização sensorial e comportamento

Processo:15/50371-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de maio de 2016 - 30 de abril de 2018
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Biologia Molecular
Convênio/Acordo de cooperação com a FAPESP:Instituto de Pesquisa Scripps
Pesquisador responsável:Fabio Papes
Beneficiário:
Pesquisador responsável no exterior: Lisa Stowers
Instituição no exterior: Scripps Research Institute, San Diego. (Estados Unidos)
Instituição-sede: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Assunto(s):Infanticídio
Resumo
Perceber e interpretar os contextos e informações sociais é fundamental para a geração de comportamentos apropriados. Sabe-se que experiências sociais prévias modificam a interpretação de informações sensoriais do ambiente e subsequentemente alteram o comportamento, seja pela influência da memória, seja pela ação de hormônios capazes de modular vias neurais específicas. A percepção sensorial e a geração de comportamentos em resposta à experiência social não ocorrem normalmente em pacientes autistas ou sofrendo de esquizofrenia, mas ainda existe pouca compreensão mecanística das disfunções neurais por trás deste fenômeno. Neste projeto, propomos identificar como os mecanismos moleculares que transformam informações sensoriais em comportamento são alterados pela experiência. Especificamente, estudaremos diferenças na responsividade sensorial e no processamento neural entre camundongos machos virgens, que cometem infanticídio de filhotes, e machos que exibem comportamento parental de cuidado da prole após a formação de laços sociais com fêmeas. Nossos dados preliminares mostram que este fenômeno ocorre não em circuitos cerebrais, mas pela ação direta de hormônios neuropeptídicos sobre os neurônios sensoriais olfativos. Estes sinais silenciam a detecção de informações sensoriais dos filhotes que induzem o comportamento infanticida e, desta forma, permitem a expressão de comportamentos parentais. Tal mecanismo redefine o propósito funcional dos neurônios sensoriais, de simples sensores externos para cruciais processadores integrativos de estímulos externos e internos. Nossos resultados permitirão estudos futuros da função e disfunção de experiência prévia sobre a geração de comportamentos. O estudo dos mecanismos neurais por trás de comportamentos é uma questão de biologia de sistemas de difícil investigação por um único grupo de pesquisa. O estudo desta área negligenciada pela expertise e enfoque únicos de ambos os grupos colaboradores garantirá o sucesso do projeto. (AU)

Estudo da modulação hormonal de comportamentos instintivos mediados pela olfação

Processo:16/03641-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência: 01 de maio de 2016 - 31 de dezembro de 2016
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Biologia Molecular
Pesquisador responsável:Fabio Papes
Beneficiário:
Instituição-sede: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Assunto(s):NeurociênciasÓrgão vomeronasal
Resumo
Para a maioria dos animais, o Sistema Olfativo é o mais importante sistema sensorial, dotando-os da capacidade de avaliar alimentos, toxinas, potenciais parceiros sexuais e até mesmo predadores no ambiente. Este sistema sensorial desencadeia comportamentos inatos, através da detecção de feromônios e cairomônios. Diversos hormônios são capazes de modular alguns comportamentos instintivos mediados pela olfação, como por exemplo o cuidado parental. No entanto, o mecanismo por trás da ação hormonal sobre tais comportamentos ainda não está esclarecido. Nossos dados preliminares apontam para uma ação direta de certos hormônios sobre a capacidade de detectar odores e consequentemente desencadear comportamentos instintivos. Nosso grupo descobriu a expressão de um receptor do hormônio neuropeptídico vasopressina nos neurônios olfativos do órgão vomeronasal de camundongos. Partindo dessa descoberta, este projeto de Iniciação Científica tem por objetivo contribuir para a elucidação do mecanismo de atuação desse hormônio sobre a olfação. Inicialmente, outros possíveis genes de receptores de vasopressina, além de receptores do hormônio peptídico ocitocina, serão identificados por análise bioinformática, seguido da análise espacial de sua expressão nos órgãos olfativos de camundongos. Genes de receptores candidatos serão futuramente validados do ponto de vista funcional no seu papel sobre a ação dos hormônios correspondentes na detecção de odores e geração de comportamentos instintivos. (AU)

Detection of PUP odors by non-canonical adult vomeronasal neurons expressing an odorant receptor gene is influenced by sex and parenting status

Processo:16/03349-2
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Artigo
Vigência: 01 de abril de 2016 - 30 de setembro de 2016
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Biologia Molecular
Pesquisador responsável:Fabio Papes
Beneficiário:
Instituição-sede: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Assunto(s):OdoresFeromôniosÓrgão vomeronasal
Resumo
Background: O olfato é um sentido fundamental através do qual a maioria dos animais percebem o mundo externo. O sistema olfativo detecta odores através de órgãos sensoriais especializados, tais como o epitélio olfativo principal e o órgão vomeronasal. Neurônios sensoriais nestes órgãos utilizam receptores GPCR para detectar estímulos quimiossensoriais. Os receptores de odorantes da família OR são expressos em neurônios sensoriais do epitélio olfativo principal, enquanto é reconhecido que o órgão vomeronasal adulto expressa outros tipos de receptores.Resultados: Descrevemos neste artigo o gene Olfr692, um membro da família gênica OR identificado por sequenciamento de RNA de próxima geração, que é altamente regulado e não-canonicamente expresso no órgão vomeronasal. Mostramos que os neurônios que expressam este gene são ativados por odores de filhotes. Surpreendentemente, a atividade em células Olfr692-positivas é sexualmente dimórfica, sendo muito baixa em fêmeas. Nossos resultados mostram também que os odores juvenis activam um grande número de neurônios vomeronasais Olfr692-positivos em machos virgens, uma situação em que comportamento infanticida é exibido. Em contraste, a atividade diminui substancialmente nos machos parentais (pais), onde o comportamento agressivo infanticida não é freqüentemente observado.Conclusões: Os resultados descrevem pela primeira vez uma população neuronal sensorial com uma identidade molecular específica que está envolvida na detecção de odores de filhotes. Além disso, é um dos primeiros relatos de um grupo de neurônios sensoriais cuja atividade apresenta dimorfismo sexual e depende da condição social. Nossos dados sugerem que a população Olfr692-positiva está envolvida na mediação de comportamentos orientados a filhotes em mamíferos. (AU)
216 resultado(s)
|
Exportar 0 registro(s) selecionado(s) | Limpar seleção
CDi/FAPESP - Centro de Documentação e Informação da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo

R. Pio XI, 1500 - Alto da Lapa - CEP 05468-901 - São Paulo/SP - Brasil
cdi@fapesp.br - Converse com a FAPESP