site da FAPESP
 

Refine sua pesquisa

Pesquisa
  • Uma ou mais palavras adicionais
Publicações científicas
Auxílios à Pesquisa
Bolsas
Programas voltados a Temas Específicos
Programas de Infraestrutura de Pesquisa
Área do conhecimento
Situação
Ano de início
484 resultado(s)
|

Dinâmica mitocondrial e transporte de Ca2+: implicações bioenergéticas

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Química (IQ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Alicia Juliana Kowaltowski
Anfitrião: Orian Shirihai
Local de pesquisa: University of California, Los Angeles (UCLA) (Estados Unidos)
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Metabolismo e Bioenergética
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Pesquisa
Processo:16/06186-7
Vigência: 05 de dezembro de 2016 - 19 de fevereiro de 2017
Vinculado ao auxílio:13/07937-8 - Redoxoma, AP.CEPID
Assunto(s):Transporte de cálcioDinâmica mitocondrialMetabolismo energético
Resumo
Há várias evidências na literatura de que há uma ligação entre estado nutricional, morfologia e dinâmica mitocondriais, sinalização por cálcio e eficiência bioenergética. Um ponto específico e central não investigado ainda é se mudanças de morfologia mitocondrial podem por si só alterar a captação mitocondrial de cálcio. Esse projeto visa estudar efeitos da morfologia mitocondrial no transporte de cálcio por essa organela. (AU)

Screening sistematizado de transcritos e alterações moleculares e morfofuncionais induzidas por disfunções metabólicas em neurônios responsivos à leptina no hipocampo

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Beatriz de Carvalho Borges Del Grande
Pesquisadores associados: Wilson Araújo da Silva Junior; Lucila Leico Kagohara Elias;
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia Geral
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Apoio a Jovens Pesquisadores
Processo:14/24113-1
Vigência: 01 de setembro de 2016 - 31 de agosto de 2020
Assunto(s):NeuroendocrinologiaIngestão de alimentosMetabolismo energéticoHipocampoLeptinaObesidade
Resumo
A compreensão dos sistemas neurais que controlam a ingestão de alimento e o gasto energético torna-se fundamental diante da crescente prevalência da obesidade nas sociedades modernas. A leptina é um hormônio regulador do balanço energético por meio de ação no receptor LepRb em núcleos hipotalâmicos. O LepRb também é expresso no hipocampo, estrutura central envolvida com o processamento do aprendizado e memória, recentemente relacionada com o controle da ingestão de alimento. No hipocampo, a leptina promove a formação de espinhos dendríticos em neurônios CA1 e CA3, estimula a transmissão sináptica e modula a cognição e a memória relacionada a ingestão. A administração de leptina no hipocampo suprime a ingestão de alimento e a expressão de comportamentos apetitivos aprendidos. Entretanto, os mecanismos de ação da leptina no hipocampo e seu controle do balanço energético ainda não foram definidos. Nossa proposta tem por objetivo: (1) identificar mudanças nos níveis dos transcritos nos neurônios LepRb do hipocampo, por meio de RNA Seq, induzidas por alterações metabólicas (por exemplo, obesidade induzida por dieta); (2) avaliar a necessidade ou a suficiência da ação da leptina nos neurônios do hipocampo para o controle da ingestão de alimento, peso corporal e ansiedade, por meio de re-expressão condicional do LepRb em camundongos Lepr null (utilizando o sistema Cre-LoxP e vetores virais de adeno virus associado); (3) definir os inputs monosinápticos diretos nos neurônios LepRb do hipocampo por meio do sistema Cre-dependent helper virus; e finalmente, (4) avaliar o papel da ativação aguda dos neurônios LepRb do hipocampo sobre a ingestão de alimento e comportamento apetitivo por meio da tecnologia DREADD (Designed Receptors Exclusively Activated by Designed Drugs). Nosso estudo proporcionará a geração de novos conhecimentos sobre as ações da leptina no hipocampo e sua relevância fisiológica em disfunções metabólicas altamente prevalentes em nossa sociedade. Esta proposta representa uma oportunidade excepcional de fomentar e estabelecer novos grupos e campos de pesquisa especializada na instituição sede, de fundamental importância para a saúde humana. Também serão introduzidas metodologias inovadoras para os estudos moleculares, funcionais e de tracejamento neuronal, que permitirão futuras aplicações em diferentes áreas de pesquisa já estabelecidas em nossa instituição. (AU)

Metabolismo energético, composição corporal e consumo alimentar na cirurgia bariátrica

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Maria Rita Marques de Oliveira
Supervisor no Exterior: Dale A. Schoeller
Local de pesquisa: University of Wisconsin-Madison (UW) (Estados Unidos)
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Nutrição
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Processo:16/02306-8
Vigência: 15 de agosto de 2016 - 14 de fevereiro de 2017
Assunto(s):Composição corporalObesidadeCirurgia bariátricaIsótopos estáveisMetabolismo energético
Resumo
A cirurgia para a obesidade é hoje o procedimento de escolha para casos graves do problema, por resultar em maiores e mais duradoras perdas de peso corporal e no efetivo controle das doenças crônicas associadas às disfunções metabólicas da adiposidade corporal, um grave e frequente problema de saúde global. No entanto, os resultados da cirurgia não são os mesmos para todos os obesos, o que pode estar relacionado a processos metabólicos adaptativos, com prováveis implicações genéticas. Em estudos anteriores, nós não encontramos diferenças na taxa metabólica em repouso e no consumo de alimentos entre mulheres com diferentes resultados da cirurgia sobre o ganho de peso. Neste projeto, buscando elucidar outras hipóteses e considerando o cenário técnico e científico favorável, o objetivo será avaliar a resposta do peso corporal à cirurgia bariátrica sob a influência de fatores associados ao metabolismo energético, à composição corporal e ao consumo alimentar, 6 e 12 meses após o procedimento. Será um ensaio clínico autocontrolado, envolvendo 20 mulheres com IMC entre 40 e 50 kg/m2. O gasto energético total e a composição corporal serão avaliados pela água duplamente marcada. O consumo alimentar e o nível de atividade física serão avaliados por meio de registros de três dias não consecutivos. Como resultado, se espera obter respostas a hipóteses levantadas em estudos anteriores, assim, beneficiando decisões referentes ao tratamento e ao cuidado pós-cirúrgico. (AU)

Sinalização parácrina mediada por microvesículas e proteínas entre células ósseas e endoteliais durante o desenvolvimento e regeneração do tecido ósseo

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Willian Fernando Zambuzzi
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Química de Macromoléculas
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Processo:16/08857-6
Vigência: 01 de agosto de 2016 - 31 de julho de 2018
Vinculado ao auxílio:14/22689-3 - Sinalização parácrina mediada por microvesículas e proteínas entre células ósseas e endoteliais durante o desenvolvimento e regeneração do tecido ósseo, AP.JP
Assunto(s):Células endoteliaisOsteoblastoFraturasOsso e ossos
Resumo
O sistema esquelético de mamíferos abriga um conjunto de células que, de maneira hierárquica, sustentam a formação óssea ao longo da vida. Neste contexto, sabemos que a osteogênese é indispensável para a renovação do osso, bem como a consolidação de fratura através de mecanismos regenerativos; sabemos que estes processos frequentemente diminuem com o progresso da idade, levando à perda de massa óssea e ao aumento da incidência de fraturas. Atualmente, defeitos ósseos constituem um problema de saúde pública, quando a expectativa de vida da população tem aumentado significantemente. Reconstruir o tecido perdido é um dos grandes desafios de cirurgiões na área, muitas vezes necessitando da aplicação de um biomaterial que permita reparo funcional do tecido perdido. A despeito de sua importância médica, social e econômica, poucos avanços têm sido alcançados quanto às metodologias de bioanálise capazes de ranquear novas terapias. Atualmente, sabemos que o desenvolvimento e regeneração do osso é um evento complexo e orquestrado por mecanismos parácrinos de sinalização intercelulares mostrando que a osteogênese está acoplada à angiogênese graças aos elegantes trabalhos liderados pelo Prof. R. H. Adams, do Max Planck Institute for Molecular Biomedicine, publicados recentemente na Nature. Estes trabalhos justificam nosso interesse em estudar o crosstalk entre as linhagens osteogênicas e endoteliais, ressaltando a importância em se conhecer o repertório de moléculas secretadas ora pelos osteoblastos, ora pelas células endoteliais, e regentes (em conjunto) desses efeitos parácrinos durante a remodelação óssea. Neste contexto, o projeto em tela irá atacar: 1. A inter-relação entre células ósseas e endoteliais - avaliando proteínas secretadas e vesículas extracelulares neste contexto; 2. Caracterização de um tecido equivalente funcional de vaso sanguíneo e seu impacto em osteoblastos e osteoclastos; 3. Verificar, através dos biomarcadores listados nos objetivos anteriores, sua conservação durante o desenvolvimento embrionário intramembranoso e endocondral; 4. O mapeamento angiogênico acoplada à osteogênese durante a regeneração tecidual do osso alveolar. Neste projeto, celebramos a participação de pesquisadores de reconhecido saber da literatura mundial na área, tais como: Prof. Anna Teti (Itália, expert em metabolismo energético de células ósseas e características moleculares que determinam o fenótipo de osteoblastos, osteoclastos e osteócitos), Prof. Hans van Leeuwen (Holanda, expert em análise de microvesículas extracelulares) e Prof. Suvro Chartjee (Índia, expert em células endoteliais, Shear-Stress e NO signaling). Esta assembleia de pesquisadores internacionais é fruto do INTERBONE, onde o Prof. Willian Zambuzzi (proponente deste projeto) integra como pesquisador principal, desde 2011. Assim, dentre os resultados esperados para este projeto, destacamos: 1. Implantação no Instituto de Biociências - UNESP, linha de pesquisa em tecidos mineralizados, com equipamentos multiusuários, capazes de atender a essa comunidade; 2. Integração multidisciplinar, alavancando o impacto de nossas publicações; 3. Manutenção de parcerias nacionais e internacionais, contribuindo para intercâmbios e formação de nossos alunos de graduação e pós-graduação; 4. Contribuição com resultados que poderão ser explorados no âmbito de pesquisas aplicadas. (AU)

Interação intravesical de Salmonella enterica Typhimurium e P-MAPA em câncer de bexiga não músculo invasivo (CNMI)

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Patrick Vianna Garcia
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:16/07393-6
Vigência: 01 de agosto de 2016 - 31 de julho de 2017
Assunto(s):Urologia
Resumo
Devido à alta ocorrência de câncer de bexiga urinária não músculo invasivo (CBNMI), ascende o interesse no desenvolvimento de novas modalidades terapêuticas antitumorais baseadas no uso de bactérias vivas atenuadas e seus produtos purificados, destacando-se a Salmonella enterica typhimurium, que tem sido avaliada por apresentar um excelente perfil de segurança, uma grande propensão à alocação em tumores e uma marcante capacidade de sintetizar citosinas funcionais. Outra vertente é o estudo de novas modalidades terapêuticas capazes de modular o sistema imune através das vias de sinalização dos receptores toll-like (TLRs). Assim, compostos que são capazes de agir como agonistas dos TLRs representam candidatos promissores a medicamentos contra o câncer, neste cenário, o imunomodulador P-MAPA, possui grande versatilidade e mínima citoxicidade reveladas através de estudos in vivo e in vitro, abrindo nova perspectiva para o combate de alguns tipos de cânceres, incluindo CBNMI. Assim, a proposta é verificar se a Salmonella enterica typhimurium pode efetivamente residir em tumores de bexiga urinária in vivo e coabitar com a microbiota vesical criando oportunidades para estimulação direta das respostas inflamatórias e alteração do metabolismo energético em associação ao imunomodulador P-MAPA oferecendo uma opção terapêutica com menores efeitos colaterais, melhor reparo tecidual e menores chances de recidiva. (AU)

Avaliação das alterações a longo prazo de mulheres submetidas a corticoterapia na gestação e suas possíveis repercussões metabólicas futuras

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Centro de Atenção Integral à Saúde da Mulher (CAISM). Hospital da Mulher Professor Doutor José Aristodemo Pinotti. Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Adriana Gomes Luz
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Saúde Materno-infantil
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:16/10049-5
Vigência: 01 de agosto de 2016 - 31 de julho de 2017
Assunto(s):GravidezObstetríciaMicroRNAs
Resumo
A corticoterapia na gestação tem sido utilizada há aproximadamente três décadas e tem demonstrado relativo sucesso na diminuição tanto da mortalidade de recém-nascidos pré-termos, com menos de 34 semanas, quanto na incidência da síndrome do desconforto respiratório.Apesar destes reconhecidos benefícios imediatos que advêm da corticoterapia,já foi relatado que, depois de um acompanhamento de 30 anos, pessoas que nasceram de mães que receberam betametasona como corticoterapia na gestação, desenvolvem mais resistência à insulina no futuro. Existem evidencias de que alterações no metabolismo energético e de gorduras possa estar mediado por miRNA. Objetivo: avaliar as mulheres que utilizaram ou não corticoide durante a gestação e correlacionar os resultados com possíveis alterações no metabolismo de açucares e gordura e suas repercussões futuras.Sujeitos e Métodos: Para o estudo serão selecionadas mulheres que realizaram acompanhamento ultrassonográfico no CAISM durante a gestação em outro estudo (Estudo do crescimento fetal da OMS) e que não apresentavam nenhuma doença previa e que fizeram (15 mulheres) ou não (30 mulheres) uso de corticoide na gestação, totalizando 45 mulheres. Depois de identificadas, as mulheres serão abordadas e convidadas a participar através de um contato telefônico, quando deverão agendar uma visita ao serviço.Nesse contato a mulher receberá informações adicionais, deverá assinar o termo de consentimento informado e será então feita coleta de sangue destas mulheres para realizar um teste de tolerância à glicose (GTT), perfil lipídico, dosagem de insulina e para extração dos microRNA. Análise de dados: A análise dos dados será feita por sub-grupos: mulheres que foram tratadas (Grupo Tratadas) e não tratadas com corticoide na gestação (Grupo controle) A análise inicial consistirá na comparação da média (±EPM) dos valores relativos à glicemia de jejum, área sob a curva no GTT, LDL, TG, insulina de jejum e valores do índice HOMA-IR dos grupos de mulheres que receberam e não receberam corticoterapia durante a gestação. Para análise destas comparações era usado teste t de Student não pareado e o nível de significância adotado será de p<0.05. (AU)

Caracterização da expressão do GLUT1 e da CAIX em tumores de sítio primário desconhecido

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Hospital do Câncer de Barretos. Fundação Pio XII (FP). Barretos, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Céline Marques Pinheiro
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Metabolismo e Bioenergética
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:16/08674-9
Vigência: 01 de agosto de 2016 - 31 de julho de 2017
Assunto(s):Neoplasias primárias desconhecidasMetabolismo energéticoMicroambiente tumoralImuno-histoquímica
Resumo
O câncer de sítio primário oculto (CUPs) é um grupo heterogêneo de canceres, caracterizado por sua principal sintomatologia clínica que consiste em metástase sem um tumor primário identificável. Certos marcadores prognósticos podem contribuir para o tratamento de pacientes que não respondam bem aos tratamentos convencionais uma vez que podem ser potenciais alvos terapêuticos no desenvolvimento de novas terapias. Neste contexto, as proteínas relacionadas com o metabolismo energético do tumor surgem como proteínas promissoras. Desta maneira, mostra-se a extrema importância do conhecimento do perfil metabólico dessas células na busca de utilizar essas proteínas como marcadores tumorais e/ou alvos terapêuticos. Assim, o objetivo deste projeto é avaliar a expressão de moléculas associadas ao microambiente metabólico de tumores primários desconhecidos e suas possíveis associações com características clínico patológicas e desfechos clínicos em pacientes com este tipo de tumor. Para tal, a expressão de GLUT1 e CAIX será avaliada por imunohistoquímica, em uma série de cerca de 150 CUPs organizados em TMAs. Os dados de expressão serão associados aos dados clínicos e patológicos dos pacientes. Com este projeto, espera-se contribuir para a caracterização do perfil metabólico destes tumores, contribuindo para a compreensão da biologia deste tumores, assim como antecipar possíveis alvos terapêuticos. (AU)

Caracterização do proteoma mitocondrial e perfil bioquímico oxidativo de células neurais derivadas de iPSCs de pacientes com esquizofrenia

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Daniel Martins-de-Souza
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Química de Macromoléculas
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Processo:16/04912-2
Vigência: 01 de agosto de 2016 - 31 de janeiro de 2018
Vinculado ao auxílio:13/08711-3 - Desenvolvimento de um teste preditivo para medicação bem sucedida e compreensão das bases moleculares da esquizofrenia através da proteômica, AP.JP
Assunto(s):EsquizofreniaProteômica
Resumo
A esquizofrenia é um distúrbio mental grave e incurável que afeta 1% da população mundial, caracterizado pela combinação de genes que conferem vulnerabilidade e de injúrias ambientais, tais como exposição à infecções, toxinas, traumas e estresse durante a gestação ou infância. Estudos de proteoma, que investigam as proteínas e seus níveis de expressão em células, tecidos e organismos, tem proporcionado perspectivas e novas hipóteses sobre as bases moleculares da fisiopatologia da doença. Estudos sugerem que disfunções no metabolismo energético, em conjunto com estresse oxidativo e disfunção mitocondrial durante o neurodesenvolvimento, podem explicar algumas das características encontradas na doença, tal como deficiência de conectividade e sincronização neural. O presente projeto visa estudar os perfis bioquímicos mitocondriais, através de técnicas proteômicas de última geração, de células precursoras de neurônio (NPCs) e neurônios, derivados de células tronco de pluripotência induzida (iPSC) de pacientes com esquizofrenia, comparando-as com células de indivíduos não afetados. Assim, visamos elucidar as alterações que ocorrem durante o desenvolvimento neuronal e também no neurônio maduro, que poderiam estar relacionadas aos distúrbios da esquizofrenia. Também será avaliada a produção de espécies reativas de oxigênio (EROs) e a quantificação das defesas antioxidantes da célula. O presente estudo contribuirá para o entendimento dos mecanismos moleculares envolvidos na patofisiologia da esquizofrenia, através da integração das vias bioquímicas e identificação de moléculas-chave para essa doença. Ademais, tais moléculas poderão ser estudadas separadamente, apontando novos alvos terapêuticos e diagnósticos. (AU)

Sinalização parácrina mediada por microvesículas e proteínas entre células ósseas e endoteliais durante o desenvolvimento e regeneração do tecido ósseo

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Willian Fernando Zambuzzi
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Química de Macromoléculas
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado Direto
Processo:16/08888-9
Vigência: 01 de agosto de 2016 - 31 de julho de 2019
Vinculado ao auxílio:14/22689-3 - Sinalização parácrina mediada por microvesículas e proteínas entre células ósseas e endoteliais durante o desenvolvimento e regeneração do tecido ósseo, AP.JP
Assunto(s):Células endoteliaisRemodelação ósseaAngiogênese
Resumo
O sistema esquelético de mamíferos abriga um conjunto de células que, de maneira hierárquica, sustentam a formação óssea ao longo da vida. Neste contexto, sabemos que a osteogênese é indispensável para a renovação do osso, bem como a consolidação de fratura através de mecanismos regenerativos; sabemos que estes processos frequentemente diminuem com o progresso da idade, levando à perda de massa óssea e ao aumento da incidência de fraturas. Atualmente, defeitos ósseos constituem um problema de saúde pública, quando a expectativa de vida da população tem aumentado significantemente. Reconstruir o tecido perdido é um dos grandes desafios de cirurgiões na área, muitas vezes necessitando da aplicação de um biomaterial que permita reparo funcional do tecido perdido. A despeito de sua importância médica, social e econômica, poucos avanços têm sido alcançados quanto às metodologias de bioanálise capazes de ranquear novas terapias. Atualmente, sabemos que o desenvolvimento e regeneração do osso é um evento complexo e orquestrado por mecanismos parácrinos de sinalização intercelulares mostrando que a osteogênese está acoplada à angiogênese graças aos elegantes trabalhos liderados pelo Prof. R. H. Adams, do Max Planck Institute for Molecular Biomedicine, publicados recentemente na Nature. Estes trabalhos justificam nosso interesse em estudar o crosstalk entre as linhagens osteogênicas e endoteliais, ressaltando a importância em se conhecer o repertório de moléculas secretadas ora pelos osteoblastos, ora pelas células endoteliais, e regentes (em conjunto) desses efeitos parácrinos durante a remodelação óssea. Neste contexto, o projeto em tela irá atacar: 1) a inter-relação entre células ósseas e endoteliais - avaliando proteínas secretadas e vesículas extracelulares neste contexto; 2) caracterização de um tecido equivalente funcional de vaso sanguíneo e seu impacto em osteoblastos e osteoclastos; 3) verificar, através dos biomarcadores listados nos objetivos anteriores, sua conservação durante o desenvolvimento embrionário intramembranoso e endocondral; 4) o mapeamento angiogênico acoplada à osteogênese durante a regeneração tecidual do osso alveolar. Neste projeto, celebramos a participação de pesquisadores de reconhecido saber da literatura mundial na área, tais como: Prof. Anna Teti (Itália, expert em metabolismo energético de células ósseas e características moleculares que determinam o fenótipo de osteoblastos, osteoclastos e osteócitos), Prof. Hans van Leeuwen (Holanda, expert em análise de microvesículas extracelulares) e Prof. Suvro Chartjee (Índia, expert em células endoteliais, Shear-Stress e NO signaling). Esta assembleia de pesquisadores internacionais é fruto do INTERBONE, onde o Prof. Willian Zambuzzi (proponente deste projeto) integra como pesquisador principal, desde 2011. Assim, dentre os resultados esperados para este projeto, destacamos: 1) implantação no Instituto de Biociências - UNESP, linha de pesquisa em tecidos mineralizados, com equipamentos multiusuários, capazes de atender a essa comunidade; 2) integração multidisciplinar, alavancando o impacto de nossas publicações; 3) manutenção de parcerias nacionais e internacionais, contribuindo para intercâmbios e formação de nossos alunos de graduação e pós-graduação; 4) contribuição com resultados que poderão ser explorados no âmbito de pesquisas aplicadas. (AU)

Sensibilidade ao 3-bromopiruvato e sua relação com a expressão do transportador de monocarboxilato 1 (MCT1), em culturas primárias de melanoma

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Hospital do Câncer de Barretos. Fundação Pio XII (FP). Barretos, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Céline Marques Pinheiro
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Metabolismo e Bioenergética
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:16/13021-4
Vigência: 01 de agosto de 2016 - 31 de julho de 2017
Vinculado ao auxílio:15/25351-6 - O MCT1 como alvo terapêutico e mediador de resposta no tratamento de melanomas, AP.JP
Assunto(s):MelanomaNeoplasias
Resumo
No contexto da reprogramação metabólica das células tumorais (efeito de Warburg), várias proteínas apresentam a sua expressão aumentada, incluindo os transportadores de monocarboxilatos (MCTs). Recentemente, o MCT1 foi identificado como o principal determinante para a sensibilidade ao 3-bromopiruvato (3-BP), um dos mais promissores inibidores do metabolismo glicolítico. O melanoma é a forma mais agressiva de câncer de pele e estudos demonstram que mutações no gene BRAF estão associadas a um aumento no risco de mortalidade em pacientes com melanomas. Importante, mutações em BRAF induzem o efeito de Warburg, sendo que esta reprogramação do metabolismo energético tem sido apontada como uma possível estratégia para o tratamento de melanomas. Neste projeto de IC, pretende-se avaliar o papel do MCT1 como mediador da resposta ao tratamento com 3-BP como agente antineoplásico para o tratamento de melanomas. Para tal, a sensibilidade de culturas primárias de melanoma ao 3-BP será avaliada e associada ao perfil metabólico das células, em especial à expressão de MCT1. O perfil metabólico das culturas primárias será também associado a mutações comuns em melanomas. (AU)
484 resultado(s)
|
Exportar 0 registro(s) selecionado(s) | Limpar seleção
CDi/FAPESP - Centro de Documentação e Informação da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo

R. Pio XI, 1500 - Alto da Lapa - CEP 05468-901 - São Paulo/SP - Brasil
cdi@fapesp.br - Converse com a FAPESP