site da FAPESP
 

Refine sua pesquisa

Pesquisa
  • Uma ou mais palavras adicionais
322 resultado(s)
|

Investigação dos efeitos da taurina sobre ilhotas pancreáticas superexpressando a glicoquinase

Beneficiário:Renato Chaves Souto Branco
Instituição: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Everardo Magalhães Carneiro
Local de pesquisa: University of Copenhagen (Dinamarca)
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Metabolismo e Bioenergética
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Processo:13/25071-8
Vigência: 01 de abril de 2014 - 31 de março de 2015
Resumo
A glicose é o principal secretagogo para a secreção da insulina. Obesidade e Diabetes Mellitus Tipo 2 estão relacionados ao desbalanço no metabolismo energético, desencadeando disfunções na célula beta pancreática. A enzima glicolítica glicoquinase (GK) é um regulador chave para a secreção de insulina estimulada por glicose, sendo fundamental para manter os níveis plasmáticos de glicose dentro da normalidade. Avaliações morfométricas detalhadas de tecido pancreático de pacientes com mutações naturais ativadoras da GK, revelaram um significativo aumento e melhor desenvolvimento de ilhotas pancreáticas associado a um aumento na taxa de proliferação de células beta e intensificada taxa metabólica. Independente dessas mutações, o fluxo glicolítico pode ser aumentado por intervensões nutricionais como a suplementação com aminoácidos. A Taurina (TAU) é um aminoácido envolvido na regulação da fisiologia de célula beta. Observaram que a suplementação com TAU induz aumento na expressão genica da GK e do PDX-1, o que pode contribuir para a maior capacidade secretória observada em ilhotas pancreáticas. Nós hipotetizamos que intervensões que foquem o aumento na expressão da GK em ilhotas de camundongos tipo selvagem poderia levar ao aumento na proliferação e na capacidade metabólica de células beta desencadeando efeitos protetivos em situações de desbalanço na homeostase energética associado a disfunção de ilhotas pancreáticas. Alem disso, essa abordagem pode nos trazer informações relevantes sobre a correlação entre a ativação da Gk e proliferação de células secretoras de insulina de camundongos sob efeitos da suplementação de aminoácidos como a TAU. (AU)

Aquisição do sistema de monitoramento integral de animais de laboratório

Beneficiário:Jose Donato Junior
Instituição: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Jose Donato Junior
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Programa Equipamentos Multiusuários
Processo:14/50140-6
Vigência: 01 de março de 2014 - 29 de fevereiro de 2016
Assunto(s):HipotálamoLeptinaNeurofisiologiaObesidadeSinalização celularMetabolismo energético

Investigação da repercussão metabólica na prole adulta gerada a partir de mães expostas a luz constante durante a gestação e/ou lactação

Beneficiário:Danilo da Silva Ferreira
Instituição: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Gabriel Forato Anhê
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Processo:13/22299-8
Vigência: 01 de março de 2014 - 28 de fevereiro de 2017
Assunto(s):Fisiologia endocrinaInsulinaLactaçãoMetabolismo energéticoGravidezMelatonina
Resumo
Uma série de estudos recentes tem demonstrado que o Diabetes Mellitus Tipo 2 (DMT2) acompanhado de resistência periférica à insulina tem um caráter de programação dependente das condições metabólicas maternas durante o período gestacional e de lactação. Neste sentido, tem sido amplamente reportado que a subnutrição, a obesidade e a resistência à insulina durante a gestação e lactação são fatores importantes para a predisposição da prole adulta a uma maior incidência de DMT2. Relatos recentes demonstram que a alteração do ritmo claro escuro durante o período gestacional também programa, por um mecanismo ainda não esclarecido, resistência à insulina na prole de ratos. É sabido que alterações ou na duração ou na ritmicidade das fases claras e escuras do ciclo claro/escuro alteram o ritmo de secreções endócrinas sendo que a produção de melatonina pela glândula pineal é particularmente sensível a modificações ambientais de tal natureza. Recentemente, nosso grupo demonstrou que a ausência de melatonina durante a gestação e lactação gera intolerância à glicose na prole adulta por dois mecanismos, resistência hepática à ação da insulina e diminuição na secreção de insulina pelas ilhotas pancreáticas. Deste modo, o presente projeto pretende avaliar se a prole oriunda de mães expostas à luz constante durante a gestação e/ou a lactação manifesta intolerância à glicose na vida adulta. Também pretendemos investigar se esta programação decorre de um prejuízo na produção materna de melatonina. Os parâmetros investigados na prole de ratos machos serão a tolerância à glicose, produção de glicose, sensibilidade à insulina e a sinalização intracelular da insulina em tecidos chave para a manutenção da homeostasia glicêmica (AU)

Dislipidemias genéticas: metabolismo energético, adiposidade e aterosclerose

Beneficiário:Luara Nicolai Piardi
Instituição: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Helena Coutinho Franco de Oliveira
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Processo:14/02340-6
Vigência: 01 de março de 2014 - 30 de novembro de 2014
Assunto(s):AdiposidadeMetabolismo energéticoObesidade
Resumo
Nos últimos 5 anos estivemos envolvidos na investigação de dislipidemias genéticas como fatores desencadeantes de alterações da homeostase energética (corporal e celular) que repercutem na suscetibilidade à obesidade, síndrome metabólica e aterosclerose. Tais achados são totalmente originais, uma vez que as dislipidemias são geralmente consideradas conseqüências (e não causas) de distúrbios metabólicos. Além disso, tais resultados evidenciam mecanismos específicos que podem ser potenciais alvos de intervenção. Para tais estudos, utilizamos camundongos geneticamente modificados que apresentam os fenótipos de dislipidemias muito freqüentes na população humana. Temos sido bem sucedidos em publicar nossos resultados em revistas científicas com política editorial rígida. No entanto, o desenvolvimento dos projetos de alunos de pós-graduação e com colaboradores tem sido limitado pela inconstância das condições de criação e manutenção destas colônias de transgênicos e falta de pessoal treinado. Além disso, uma série de procedimentos experimentais laboriosos e de relativa complexidade é necessária para atingir a maior parte dos objetivos da presente proposta. Assim, profissionais de nível superior, com formação em Biologia (ou áreas afins) poderão aprender a gerenciar nosso biotério, bem como executar tarefas de média e alta complexidade, as quais trarão bom impacto na qualidade e quantidade de nossa produção científica, bem como na formação do próprio profissional. (AU)

Conectividade metabólica cerebral usando espectroscopia de ressonância magnética de hidrogênio

Beneficiário:Carlos Ernesto Garrido Salmon
Instituição: Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Carlos Ernesto Garrido Salmon
Anfitrião: Peter Gordon Morris
Local de pesquisa: The University Of Nottingham (Inglaterra)
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Biomédica - Engenharia Médica
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Pesquisa
Processo:13/19340-6
Vigência: 23 de fevereiro de 2014 - 22 de fevereiro de 2015
Assunto(s):Processamento de sinais biomédicosEspectroscopia de ressonância magnética
Resumo
Hoje em dia, a conectividade de várias regiões do cérebro é amplamente reconhecida e estudada. Esta conectividade cerebral pode ser funcional ou estrutural, dependendo das técnicas envolvidas, e desempenha um papel crucial na determinação das propriedades funcionais dos sistemas neuronais. O intervalo destas conectividades medidas no domínio frequência é de aproximadamente 0,01-0,08 Hz. A Espectroscopia de Ressonância Magnética (MRS) é uma ferramenta poderosa para estudos bioquímicos in vivo de vários metabólitos. In vivo, foram detectadas variações metabólicas numa região específica do cérebro com a MRS durante tarefas visuais. Estudos de PET com glicose sugerem correlações metabólicas temporais entre as áreas cerebrais remotas, porém estes achados são restritos ao metabolismo energético pela via glicolitica. Para adquirir dados de espectroscopia de diversas áreas cerebrais é necessário tempo, o que compromete os estudos de conectividade metabólica não reportados até o momento. O objetivo deste projeto é detectar e quantificar qualquer conectividade metabólica em estado de repouso e tarefas envolvendo áreas primárias (visual ou motora). Para aumentar a resolução temporal dos espectros será utilizado o sinal de ressonância magnética de vários elementos receptores de forma independente. (AU)

Avaliação da resposta imuno-metabólica em células sanguíneas em indivíduos obesos: papel do exercício físico e do PPAR-gama

Beneficiário:Fábio Santos de Lira
Instituição: Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Presidente Prudente. Presidente Prudente, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Fábio Santos de Lira
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Metabolismo e Bioenergética
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:13/25310-2
Vigência: 01 de fevereiro de 2014 - 31 de janeiro de 2016
Assunto(s):Metabolismo energéticoObesidadeCélulas sanguíneasFenótiposPPAR gamaTranscrição gênicaResposta imuneResposta inflamatóriaTreinamento físico
Resumo
Estudos prévios mostraram que o estilo de vida sedentário está associado com o desenvolvimento de dislipidemia, inflamação crônica de baixo grau e a obesidade. Baseado na literatura existente, e em estudos prévios do nosso grupo, levantamos a hipótese que alterações imuno-metabólicas, sistêmica e tecidual, favorecem a instalação e progressão de diversas doenças e estão diretamente envolvidas com o estado de treinamento físico. Adicionalmente, sugerimos a participação de fatores de transcrição gênica coordenando essas alterações, tais como os receptores ativados por proliferador de peroxissomo gama (PPAR-³). Diante desses fatos o objetivo do presente projeto é examinar a resposta imuno-metabólica de indivíduos em diferentes condições de treinamento físico, buscando evidenciar a resposta dos participantes do projeto a diferentes programas de exercícios físicos. Para testar nossa hipótese, inicialmente, serão recrutados 45 sujeitos, homens, com idade entre 18 a 30 anos, obesos (IMC e 30 kg/m2). O grupo será formado por três subdivisões, a ser: 1) Sedentários (não se envolverão com nenhum tipo de treinamento físico), 2) Treinamento físico moderado (realizarão treinamento aeróbio a 50% da potência aeróbia máxima durante 30 minutos), 3) Treinamento físico de alta intensidade (realizarão treinamento aeróbio a 100% da potência aeróbia máxima, de forma intermitente, 1 minuto de exercício por 1 minuto de descanso). O treinamento físico de ambos os grupos serão realizados em cicloergometro, 3 vezes por semana, durante 16 semanas. Serão realizadas coletas de sangue em repouso e imediatamente após sessão aguda de exercício físico em 5 momentos, 1) Pré-treinamento, 2) após 4 semanas de treinamento, 3) após 8 semanas de treinamento, 4) após 12 semanas de treinamento, 5) após 16 semanas de treinamento. Avaliaremos o perfil metabólico, inflamatório, assim como o fenótipo (pró ou anti-inflamatórias) das células sanguíneas e a expressão gênica e ativação do fator de transcrição gênica PPAR-³. Experimentos com cultura de monócitos (in vitro) e com modelo animal (noucates PPAR-³) proporcionará melhor entendimento da participação do PPAR-³ na regulação imuno-metabólica. O presente projeto objetiva encontrar uma melhor compreensão dos mecanismos envolvidos na ação do exercício físico, verificando o impacto direto na elucidação das questões relacionadas à dislipidemia, bem como, no desenvolvimento de novas terapias que têm como alvo vias intracelulares subjacentes no processo inflamatório. (AU)

Análise do transcriptoma dos núcleos paraventricular e arqueado no modelo de obesidade neonatal

Beneficiário:André de Souza Mecawi
Instituição: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Pesquisador responsável:José Antunes Rodrigues
Local de pesquisa: University of Bristol (Reino Unido)
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Processo:13/23057-8
Vigência: 01 de fevereiro de 2014 - 31 de julho de 2014
Assunto(s):HipotálamoTranscriptomaNeuroendocrinologiaObesidade
Resumo
A obesidade é uma desordem multissistêmica caracterizada pelo aumento da porcentagem de tecido adiposo branco e geralmente associada à resistência periférica e central a leptina e insulina. Esses hormônios agem no cérebro, especialmente nos núcleos paraventricular (PVN) e arqueado (ARH) do hipotálamo, regulando o metabolismo energético e o tônus simpático (incluindo alterações de pressão arterial). Assim, ambos PVN e ARH são áreas cruciais para o controle neuroendócrino integrado do balanço energético e cardiovascular. Deste modo, esses núcleos hipotalâmicos são alvos centrais para o estudo do desenvolvimento da obesidade e alterações autonômicas e cardiovasculares associadas. O excesso de alimentação (pela redução do tamanho da ninhada) e a desnutrição (pelo aumento do tamanho da ninhada) no período neonatal são importantes modelos para a indução da obesidade na vida adulta, e têm sido muito explorados com o objetivo de entender as origens epigenéticas da programação da obesidade na vida adulta. Neste modelo, os animais submetidos à redução da ninhada mostram um alto nível plasmático de insulina e leptina, resistência hipotalâmica a esses hormônios, aumento da atividade simpática e hipertensão na vida adulta. Assim, o objetivo deste trabalho é caracterizar as alterações da expressão gênica global pela técnica do sequenciamento do RNA dos núcleos PVN e ARH de animais obesos devido ao excesso de alimentação ou desnutrição neonatal. Assim, nós esperamos que essa técnica nos permita construir um banco de dados relativo à expressão gênica no PVN e ARH de animais obesos, do qual novos alvos moleculares poderão ser cuidadosamente escolhidos para o estudo do desenvolvimento da obesidade e alterações autonômicas e cardiovasculares associadas. (AU)

Toxicidade cardíaca induzida pela exposição à fumaça de cigarros: o papel do metabolismo da glicose

Beneficiário:Vanessa de Cassia Martins Pires Ferreira
Instituição: Faculdade de Medicina (FMB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Paula Schmidt Azevedo Gaiolla
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:13/18385-6
Vigência: 01 de janeiro de 2014 - 31 de dezembro de 2014
Assunto(s):Insuficiência cardíaca
Resumo
A Organização Mundial da Saúde estima que um terço da população mundial seja de fumantes e que o tabagismo seja a principal causa de morte evitável no mundo. Sabe-se que o tabagismo aumenta o risco de óbito por doenças cardiovasculares, mas pouco se sabe sobre os efeitos da fumaça do cigarro diretamente ao miocárdio.Em um coração normal, 60 a 90% do ATP são provenientes da oxidação de ácidos graxos (AG). Em condições patológicas, existe a redução na oxidação de AG e aumento na utilização de glicose. Isso ocorre em estágios iniciais de remodelação cardíaca, como forma de proteger o coração. Em estágios tardios, os AG que não foram oxidados se acumulam sob forma de triglicérides, levando a lipotoxicidade. Neste momento é possível que o metabolismo da glicose também esteja comprometido, prejudicando a função cardíaca. Sendo assim, é possível que um dos mecanismos envolvidos na remodelação induzida pela exposição à fumaça de cigarros seja por alterações no metabolismo energético, mais precisamente no metabolismo de ácidos graxos e glicose.Os objetivos do trabalho são: 1) avaliar a remodelação cardíaca por meio de variáveis ecocardiográficas morfológicas e funcionais e por variáveis histológicas; 2) avaliar as vias de utilização da glicose por meio de variáveis como proteína quinase B (Akt-1), proteína kinase ativada por adenosina monofosfato (AMPK), transportador de glicose -4 (GLUT-4), oxido nítrico sintase endotelial (eNOS), fosfofrutoquiase e piruvato desidrogenase. Serão utilizados 20 animais alocados em 2 grupos: grupo de animais expostos á fumaça de cigarros (EFC), e grupo animais não expostos á fumaça de cigarros (C). Após 2 meses os animais serão submetidos a: a) estudo ecocardiográfico; b) aferição da pressão arterial caudal; c) estudo histológico utilizando imunofluorescência; e) Western Blot para estudo de Akt-1, AMPK, GLUt-4, eNOS, d) avaliação espectrofotométrica para avaliação de fosfofrutoquiase, piruvato desidrogenase e ATP sintase. (AU)

Avaliação do gasto energético de repouso e identificação de fatores de risco para hiper e hipometabolismo em pacientes com lesão renal aguda submetidos a diferentes tipos de diálise

Beneficiário:Cassiana Regina de Góes
Instituição: Faculdade de Medicina (FMB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Daniela Ponce
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Processo:13/00315-1
Vigência: 01 de janeiro de 2014 - 31 de julho de 2016
Assunto(s):Metabolismo energéticoDiáliseLesão renal agudaNutrição humana
Resumo
A determinação do gasto energético de repouso (GER) é importante para ajustar a oferta nutricional dos indivíduos, principalmente pacientes críticos, pois permite o planejamento de uma nutrição adequada para assegurar que suas necessidades energéticas sejam satisfeitas e evitar as complicações associadas à hiper ou subalimentação. O GER é influenciado por vários fatores, como sexo, idade, peso, estatura, etnia, composição corporal e em pacientes críticos, somados a esses fatores, existem a influência da doença e os efeitos do tratamento. A Lesão Renal Aguda (LRA) é um distúrbio complexo que ocorre em uma variedade de situações, com manifestações clínicas que podem variar de mínimas elevações na creatinina sérica até insuficiência renal com necessidade de diálise. Quando a LRA é monofatorial e não complicada parece não alterar o GER, apesar de o rim ser responsável por aproximadamente 10% do GER. Tão importante quanto à própria LRA no prognóstico destes pacientes são as comorbidades, o estado nutricional pregresso, as complicações como infecção, inflamação e suporte ventilatório, os quais alteram o GE desses pacientes. Até o presente momento, não há estudos que avaliaram o GER de pacientes com LRA em terapia renal substitutiva. A determinação do GER nesses pacientes, assim como a identificação de fatores que influenciam o seu metabolismo são importantes para guiar a prescrição da terapia nutricional, evitando subnutrição e hiperalimentação, condições que aumentam a morbi-mortalidade de pacientes críticos. Os objetivos do presente estudo são determinar o GER de pacientes com LRA tratados por diferentes tipos de diálise e identificar os fatores associados ao hiper e hipometabolismo nessa população. Este será um estudo tipo coorte prospectivo que avaliará pacientes maiores de 18 anos, internados no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu e acompanhados pelo Grupo da LRA da Disciplina de Nefrologia do Departamento de Clínica Médica, durante 24 meses consecutivos. Serão incluídos pacientes com diagnóstico de LRA de acordo com os critérios do AKIN, com quadro clínico sugestivo de Necrose Tubular Aguda (NTA), necessidade de terapia renal substitutiva (AKIN estágio 3), que estiverem recebendo dieta via enteral ou parenteral, submetidos à avaliação nutricional e com acompanhamento nefrológico de pelo menos 2 dias, após iniciar a terapia dialítica. Todos os pacientes incluídos no estudo serão acompanhados por meio de um protocolo clínico composto por dados gerais, nutricionais, avaliação do GER, exames bioquímicos e avaliação de quadro infeccioso. O GER será estimado pela equação de Harris-Benedict e determinado por meio da calorimetria indireta(CI), antes do início da terapia dialítica e diariamente durante todo o acompanhamento, sendo realizada uma vez ao dia quando indicados métodos contínuos de suporte renal agudo e duas vezes ao dia quando indicados métodos intermitentes (durante e após a terapia dialítica). A CI será realizada pelo aparelho QUARK RMR da COSMED, conforme instruções do fabricante. O GER obtido pela CI será classificado como normal, baixo ou aumentado, de acordo com o GER estimado. Estima-se que serão avaliados, até o final do estudo, cerca de 120 pacientes submetidos a 480 sessões de diálise. O acompanhamento será encerrado no momento da suspensão da diálise por recuperação da função renal ou óbito do paciente. (AU)

Efeitos da exenatida sobre o metabolismo energético, receptores muscarínicos, fertilidade e dinâmica óssea em ratos obesos e diabéticos

Beneficiário:Rafaela Fadoni Alponti Vendrame
Instituição: Instituto Butantan. Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Paulo Flávio Silveira
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia Comparada
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Processo:13/13963-1
Vigência: 01 de janeiro de 2014 - 31 de dezembro de 2015
Assunto(s):HipocampoSíndrome X metabólicaReceptores muscarínicos
Resumo
Problemática do estudo: Dentre os recursos farmacológicos mais recentes para o diabetes melito (DM) tipo 2 está a exenatida, desenvolvida a partir de peptídeo isolado do veneno do monstro de Gila (Heloderma suspectum), a qual apresenta ação agonista do receptor do hormônio peptídico glucagon-símile tipo 1 e é resistente à hidrólise pela dipeptidil-peptidase IV. Há evidências de que este fármaco também seja eficaz na redução da ingestão de alimento e da massa corporal e na melhora da performance de aprendizado e memória. Todavia, não estão completamente caracterizadas suas ações diferenciais sobre os perfis metabólico, ósseo e de fertilidade e não há dados de sua influência sobre receptores muscarínicos no DM e na obesidade. Objetivos Gerais: Avaliar as alterações no metabolismo energético, ósseo e na fertilidade, nos mecanismos pós-sinápticos dos receptores muscarínicos hipocampais, na morfometria e, principalmente, caracterizar os efeitos da exenatida sobre estas alterações na obesidade hipotalâmica, obesidade dietética e no DM. Justificativa/Relevância: Ampliar o conhecimento fisiopatológico sobre modelos de obesidade e DM e sobre a farmacologia e fisiologia comparativa de compostos oriundos de venenos animais. Além disso, o projeto pode contribuir para a descoberta de novos mecanismos envolvidos na etiologia da obesidade e para a prevenção e tratamento do DM, obesidade e comorbidades como infertilidade, danos ósseos e processos neurodegenerativos. Métodos: Administração neonatal de glutamato monossódico e de estreptozotocina, e oferta de dieta hipercalórica a adultos jovens, respectivamente para indução de obesidade hipotalâmica, DM e obesidade dietética em ratos. Estes animais serão avaliados comparativamente quanto a afinidade, densidade e subtipos de receptores muscarínicos no hipocampo, capacidade de secreção de insulina e glucagon e viabilidade de ilhotas de Langerhans isoladas, ingestão de alimento e água, temperatura corporal, atividade locomotora, comprimento naso-anal, massa corporal e adiposidade, bem como hematócrito e hemoglobina glicada no sangue, e osmolalidade, triglicérides, colesterol (total, HDL, LDL e VLDL), glicose, testosterona, hormônio folículo estimulante, hormônio luteinizante, osteocalcina, carboxitelopeptídeo de ligação cruzada do colágeno tipo I, propeptídeo aminoterminal do procolágeno total tipo 1 e proteína total no plasma, e quanto aos efeitos da exenatida sobre todos estes parâmetros, em relação a animais sadios não tratados com exenatida. (AU)
322 resultado(s)
|
Exportar 0 registro(s) selecionado(s) | Limpar seleção
CDi/FAPESP - Centro de Documentação e Informação da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo

R. Pio XI, 1500 - Alto da Lapa - CEP 05468-901 - São Paulo/SP - Brasil
cdi@fapesp.br - Converse com a FAPESP