site da FAPESP
 

Refine sua pesquisa

Pesquisa
  • Uma ou mais palavras adicionais
Publicações científicas
Auxílios à Pesquisa
Bolsas
Programas voltados a Temas Específicos
Programas de Infraestrutura de Pesquisa
Área do conhecimento
Situação
Ano de início
410 resultado(s)
|

Gasto energético na marcha de pacientes com Distrofia Muscular de Duchenne

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Ana Cláudia Mattiello-Sverzut
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:15/02488-6
Vigência: 01 de maio de 2015 - 30 de abril de 2016
Assunto(s):Distrofia muscular de duchenneMetabolismo energéticoMarcha
Resumo
A Distrofia Muscular de Duchenne (DMD) é uma miopatia caracterizada por fraqueza muscular progressiva que acarreta a perda da capacidade de marcha por volta dos 9 anos de idade. A dependência da cadeira de rodas acentua o declínio funcional e prejudica a capacidade cardiorrespiratória. Assim, o tratamento destes pacientes objetiva manter/minimizar a perda de força muscular e prolongar o tempo de deambulação. Ferramentas como a escala Medida da Função Motora (MFM) e o Índice do Gasto Energético (IGE) proposto por Rose et al. (1991), podem auxiliar a elucidar a progressão da doença e os benefícios adquiridos com o tratamento, contribuindo com a eleição das melhores intervenções terapêuticas. Os resultados de um estudo piloto realizado por este grupo de pesquisa indicou que pode existir uma correlação inversa entre o escore da dimensão 1 (D1) da MFM e o IGE. Assim, este estudo objetiva avaliar o IGE na marcha de pacientes com DMD pelo modelo proposto por Rose et al. (1991) a fim de estimar a correlação entre gasto energético (GE) de marcha e a funcionalidade destes pacientes. E ainda, compará-lo com os valores normativos propostos por Rose et al. (1991). Este estudo contará com uma amostra de conveniência de no máximo 18 pacientes, os quais serão submetidos à avaliação da massa corporal, altura, comprimento real e aparente dos membros inferiores, composição corporal pela bioimpedância elétrica, funcionalidade pela escala MFM e o GE de marcha pelo IGE. Será realizada a análise descritiva dos dados obtidos, e mensurada a correlação entre o IGE e os escores total e da D1 da MFM, pelo teste de correlação de Sperman e modelos de regressão. (AU)

Geração e manutenção de camundongos com deleção específica de STAT3 ou ERK2 em neurônios SF1 do VMH

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Lucila Leico Kagohara Elias
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Processo:15/05938-2
Vigência: 01 de maio de 2015 - 30 de novembro de 2016
Assunto(s):HipotálamoEndocrinologia
Resumo
A ingestão alimentar e o peso corporal são controlados por diversos fatores cuja integraçãocontribui para a homeostase energética. O hipotálamo é um importante centro deconvergência e integração dos sinais relacionados ao estado energético, ele contém váriosnúcleos envolvidos no controle da ingestão alimentar, incluindo o núcleo arqueado (ARC), onúcleo hipotalâmico ventromedial (VMH), a área hipotalâmica lateral (LHA), o núcleoparaventricular (PVN) e o núcleo dorsomedial (DMH). O VMH é um sítio importante deregulação do peso corporal e homeostase energética. Um dos genes expressos no VMH é ofator esteroidogênico 1 (SF1) que participa da homeostase energética principalmente pormodular o gasto energético. Alguns trabalhos sugerem que a sinalização da leptina no VMHdesempenha um papel importante na mediação do tônus simpático do VMH para tecidosperiféricos. A leptina é um hormônio derivado de adipócitos que age no sistema nervosocentral inibindo a ingestão alimentar e aumentando o gasto energético. Os receptores deleptina no hipotálamo são conhecidos por sinalizarem via mecanismos distintos, incluindo otransdutor de sinal e ativador de transcrição-3 (STAT3) e quinase regulada por sinalizaçãoextracelular (ERK). A STAT3 tem um papel crucial no controle da ingestão alimentar e dogasto energético. A via SHP-2/ERK também é importante para mediar os efeitos da leptina.Os hormônios gonadais também participam na regulação da ingestão alimentar e do pesocorporal. O estradiol (E2) exerce suas ações no balanço energético por meio da ativação devias de sinalização, como as vias da PI3K, ERK e STAT3. Sabe-se que os neurônios do VMHexpressam altos níveis de Er±, sendo esta região considerada um locus crítico da ação doestradiol na regulação do balanço energético, assim como da ação da leptina. Porém poucoé conhecido sobre as vias de sinalização ativadas por esses hormônios nos neurônios doVMH para exercer suas ações no controle energético. Assim, o presente trabalho buscainvestigar a importância da via de sinalização da STAT3 e da ERK em neurônios SF-1 do VMH,no metabolismo energético, mediados pelos hormônios leptina e estradiol. Para atingiresses objetivos, serão utilizados camundongos com deleção específica de STAT3 ou ERK2em neurônios SF1 do VMH. Para tal finalidade será utilizado o sistema cre/lox, por meio decruzamentos de camundongos STAT3flox/flox com SF1-cre(cre/+) para obtenção de animais SF1-cre(cre/+);STAT3flox/flox (animais de estudo) e STAT3flox/flox (animais controles) ou camundongosERKflox/flox com SF1-cre(cre/+) para obtenção de animais SF1-cre(cre/+);ERKflox/flox (animais deestudo) e ERKflox/flox (animais controles). (AU)

Effects of extreme seasonality on metabolism and immunity of amphibians in a tropical semi-arid zone

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Fernando Ribeiro Gomes
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia Comparada
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:14/50643-8
Vigência: 01 de abril de 2015 - 31 de março de 2017
Assunto(s):Fisiologia animalAnfíbiosMetabolismo animalRegulação metabólicaZonas semi-áridasSazonalidadeTemperatura alta
Resumo
Neste estudo, determinaremos os efeitos da sazonalidade e de temperaturas elevadas na regulação metabólica, reprodução e imunocompetência de três espécies de anfíbios (Pleurodema diplolister, Rhinella granulosa e R. jimi) na região semi-árida da Caatinga. Testaremos as seguintes hipóteses: 1) temperatura elevada e baixa umidade durante a estação seca afetam negativamente o metabolismo energético e a imunocompetência de anfíbios; 2) padrões sazonais de regulação metabólica e imunomodulação são mais pronunciados na espécie estivadora P. diplolister, quando comparados aos de R. granulosa e R. jimi, que não estivam durante a seca. Coletaremos machos em três períodos: A) estação seca; B) durante as chuvas, durante a atividade vocal; e C) no intervalo entre chuvas, quando os animais permanecem forrageando dentro do período reprodutivo; para analisarmos parâmetros-chave da regulação metabólica, níveis plasmáticos de andrógenos e glicocorticoides, e imunocompetência. Este estudo, associado aos resultados prévios dos pesquisadores brasileiros neste mesmo sistema, servirão como base para uma proposta conjunta ao programa IOS-IEP da National Science Foundation a ser submetida em janeiro de 2016, além de projetos em colaboração na FAPESP. (AU)

O papel do metabolismo da glicose na cardiomiopatia induzida pela exposição à fumaça de cigarros

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina (FMB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Paula Schmidt Azevedo Gaiolla
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:14/24197-0
Vigência: 01 de abril de 2015 - 31 de março de 2017
Assunto(s):FumoTabagismoFatores de riscoDoenças cardiovascularesInsuficiência cardíacaMetabolismo energéticoGlicose
Resumo
A exposição à fumaça de cigarros (EFC) não só aumenta o risco para doenças cardiovasculares, como também, lesa diretamente o miocárdio. Estudos experimentais e clínicos mostram que EFC está associada com hipertrofia e disfunção miocárdica, independentemente de fatores vasculares. Pouco se sabe sobre os mecanismos envolvidos com a lesão miocárdica induzida pela EFC. Dentre estes mecanismos estão as alterações no metabolismo energético. Em um coração normal, 60 a 90% do ATP são provenientes da oxidação de ácidos graxos (AG). Em condições patológicas, existem alterações na utilização dos substratos, na biogênese mitocondrial e por fim na produção de ATP, que podem comprometer a morfologia e função cardíaca. Estudos mostram que o tabagismo pode levar a resistência insulínica, que por sua vez pode comprometer a bioenergética cardíaca. Entretanto, não é sabido se há comprometimento do metabolismo energético cardíaco associado à resistência insulínica induzida pela EFC. Sendo assim, os objetivos do trabalho são avaliar a resistência insulínica e vias do metabolismo da glicose no coração de ratos submetidos à EFC e sua associação com variáveis morfofuncionais cardíacas. Serão utilizados 20 animais alocados em 2 grupos: grupo de animais expostos á fumaça de cigarros (EFC), e grupo animais não expostos á fumaça de cigarros (C). Após 2 meses os animais serão submetidos a: a) estudo bioquímico para avaliação de resistência insulínica e exposição ao cigarro, b) estudo ecocardiográfico para avaliação morfofuncional; c) aferição da pressão arterial caudal; d) estudo histológico utilizando imunofluorescência para avaliação de hipertrofia, angiogenese e translocação de GLUt-4; e) Western Blot para avaliação da expressão de proteínas envolvidas com resistência insulínica e metabolismo da glicose f) avaliação espectrofotométrica para avaliação da atividade de enzimas do metabolismo energético e da quantidade de glicogênio cardíaco. (AU)

Mecanismos e efeitos do imunomodulador P-MAPA no tratamento dos cânceres de próstata e não-músculo invasivo da bexiga urinária: interfaces entre metabolismo energético, balanço oxidativo, angiogênese e via de sinalização dos receptores toll-like

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Wagner José Fávaro
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:14/12047-4
Vigência: 01 de abril de 2015 - 31 de março de 2017
Assunto(s):UrologiaImunoterapiaImunomodulaçãoNeoplasias da próstataEstresse oxidativoMetabolismo energéticoAngiogêneseReceptores toll like
Resumo
O entendimento de como as células neoplásicas são capazes de assegurar um balanço energético positivo e associá-lo a processos anabólicos é vital para o desenvolvimento de terapias eficazes no combate ao câncer. As células neoplásicas enfrentam dois grandes desafios: atender as demandas bioenergéticas e biossintéticas do crescimento e proliferação celulares aumentados, e empreender estratégias de adaptação metabólica para sobreviver a flutuações ambientais de disponibilidade de nutrientes e oxigênio quando o crescimento tumoral ultrapassa a capacidade de abastecimento da vascularização existente. Ainda, o consumo de oxigênio pelas células tumorais pode estar relacionado diretamente com a geração de espécies reativas de oxigênio (EROs), uma vez que essas são produzidos normalmente em doses baixas durante o processo de respiração celular. Esses fatos tornam o estudo da associação dos cânceres de próstata (CaP) e bexiga urinária não-músculo invasivo (CBNMI) com as EROs, angiogênese e metabolismo energético de especial relevância e capazes de gerar importante avanços para o entendimento destes tumores, principalmente quando relacionam-se e comparam-se esses eventos com as condições basais e normais de uma célula. Outro ponto relevante é o estudo da interação das diferentes modalidades terapêuticas com a modulação do sistema imune através das vias de sinalização dos receptores toll-like (TLRs) 2 e 4. Assim, compostos que são capazes de agir como agonistas dos TLRs podem representar candidatos promissores a serem desenvolvidos como medicamentos contra o câncer. Diante desse cenário destaca-se o imunomodulador P-MAPA, que por sua grande versatilidade e mínima citotoxicidade, reveladas através de estudos in vivo e in vitro, abre uma nova perspectiva para o combate de alguns tipos de cânceres, incluindo os CaP e CBNMI. Os estudos do nosso grupo (Laboratório de Carcinogênese Urogenital e Imunoterapia/UNICAMP) demonstraram que no tratamento in vivo dos CBNMI e CaP com P-MAPA houve regressão significativa do tumor, indicando um importante efeito antitumoral deste imunomodulador. A natureza multifacetada do processo de angiogênese em neoplasias malignas sugere que a combinação de fármacos antiangiogênicos com agentes que modulem o sistema imune, o metabolismo energético celular, bem como as espécies pró e antioxidantes pode ser mais eficaz do que as terapias envolvendo apenas um único agente. Portanto, a associação entre o imunomodulador P-MAPA e o bloqueador da angiogênese TNP-470 nos casos de CaP e CBNMI pode ser considerada uma promissora combinação terapêutica. Assim, os objetivos deste projeto serão caracterizar e comparar os efeitos imunológicos, histopatológicos, moleculares e bioquímicos da terapia antiangiogênica (TNP-470) associada à imunoterapia com P-MAPA no tratamento dos CaP e CBNMI induzidos quimicamente em modelos animais (ratos), bem como estabelecer possíveis mecanismos de ação dessas terapias envolvendo o metabolismo energético celular, o balanço oxidativo, a angiogênese e as vias de sinalização dos TLRs. Além disso, pretende-se verificar a ocorrência de mecanismos comuns na carcinogênese da próstata e bexiga urinária. (AU)

A influência da via TOR (Target of Rapamycin) no metabolismo de amido em Arabidopsis thaliana

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM). Associação Brasileira de Tecnologia de Luz Síncrotron (ABTLuS). Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (Brasil). Campinas, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Camila Caldana
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Botânica - Fisiologia Vegetal
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:15/04658-6
Vigência: 01 de abril de 2015 - 31 de dezembro de 2015
Assunto(s):AmidoMetabolismo energético
Resumo
O crescimento e o desenvolvimento vegetal são mantidos por uma complexa rede controlada tanto por fatores ambientais (como luz e disponibilidade de nutrientes) quanto por diversas vias de sinalização que interagem entre si. Uma dessas vias de sinalização, bastante conservada em eucariotos, é a quinase "Target Of Rapamycin" (TOR). Diversas linhas de evidência apontam que TOR exerce um papel fundamental no balanço de C e nitrogênio e atua como regulador essencial do metabolismo central energético e de C, controlando tanto metabolismo central e biossíntese para energia e produção de biomassa. Uma das formas mais abundantes de reserva de C é o amido e seu conteúdo é negativamente correlacionado com o crescimento. Linhas transgênicas com redução na expressão de TOR acumulam quantidades significativas de amido. Além disso, plântulas de Arabidopsis tratadas com o inibidor específico da atividade quinase de TOR, o AZD-8055, resultam em um maior acumulo de amido já durante as primeiras 12 horas, quando comparadas com o controle. Ainda não se sabe se a causa do acumulo de amido pela supressão da atividade de TOR se deve a maior síntese ou menor taxa de degradação de amido. Além disso, em levedura, já foi demonstrado que os pools da forma análoga ao amido, o glicogênio, também é acumulado em situações de inativação da atividade quinase TOR, devido a uma redução direta da fosforilação da glicogênio sintase quinase (GSK3). Em plantas, não se sabe ainda o como TOR atua no metabolismo de amido. Desta forma, este trabalho tem como objetivo investigar qual o mecanismo de regulação de metabolismo de amido modulado por TOR usando uma série de mutantes associados com a via de síntese e degradação de amido e inibição da atividade de TOR por AZD8055. É esperado que a compreensão e manipulação do acúmulo C em diferentes pools mediado por TOR possa oferecer uma inovação tecnológica para conversão de produtos fotossintéticos em biocombustíveis. (AU)

Estudo da regulação da poliadenilação alternativa dos precursores do RNA mensageiro pelo metabolismo energético e envelhecimento em Saccharomyces cerevisiae

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Mario Henrique de Barros
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Metabolismo e Bioenergética
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Processo:14/26774-5
Vigência: 01 de abril de 2015 - 31 de março de 2017
Convênio/Acordo de cooperação com a FAPESP: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Assunto(s):EnvelhecimentoMetabolismo energéticoSaccharomyces cerevisiaeRna mensageiroPoliadenilação
Resumo
Em eucariotos, a RNA polimerase II é responsável pela transcrição dos precursores do RNA mensageiro, os quais são submetidos a um extensivo processamento em suas extremidades 5' e 3' cujo resultado final é a sua maturação. Exceção feita aos transcritos dos genes de histonas, os precursores dos demais RNA mensageiros eucarióticos apresentam clivagem endonucleolítica e adição de uma cauda de poliadenina à sua extremidade 3'. De forma notável, a clivagem/poliadenilação pode ocorrer em diferentes sítios de um dado precursor do RNA mensageiro, havendo, desta forma, a possibilidade da formação de RNAs mensageiros que possuem extremidades 5' em comum, mas que definitivamente diferem em suas extremidades 3'; à este fenômeno dá-se o nome de poliadenilação alternativa. Uma vez que, em determinados precursores, os sítios de clivagem/poliadenilação podem ser ainda localizados dentro da sua sequência codificante, a poliadenilação alternativa é também capaz de dar origem a RNAs mensageiros desprovidos de códons de terminação. Embora seja sabido que o processo de poliadenilação alternativa possui a sua regulação promovida pelo metabolismo energético e por determinadas condições de estresse, os mecanismos moleculares pelos quais a maquinaria de clivagem/poliadenilação é seletivamente dirigida a apenas um dentre os diversos sítios potencialmente disponíveis para a execução de sua atividade em determinadas condições metabólicas ainda hoje não são completamente entendidos. Além disso, o impacto da formação de RNA mensageiro desprovido de códon de terminação pela poliadenilação alternativa na manutenção dos processos de controle de qualidade de síntese de proteína ao longo do envelhecimento de S. cerevisiae também não é conhecido. Desta forma, este projeto pretende contribuir para o entendimento de como a modulação da poliadenilação alternativa (i) é conduzida durante a história metabólica de S. cerevisiae; (ii) qual é a sua correlação com o metabolismo das proteínas defeituosas sintetizadas a partir da RNA mensageiros desprovidos de códons de terminação; e (iii) qual é a sua influência na determinação do tempo de vida desse organismo. (AU)

Aspectos fisiológicos e genéticos interrelacionados à ação da Vitamina D no contexto da obesidade osteosarcopênica: inquérito de saúde de base populacional no Município de São Paulo - ISA capital

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Saúde Pública (FSP). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Lígia Araújo Martini
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Nutrição - Análise Nutricional de População
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Processo:14/26787-0
Vigência: 01 de abril de 2015 - 31 de março de 2018
Convênio/Acordo de cooperação com a FAPESP: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Assunto(s):SarcopeniaMetabolismo energéticoObesidadeOsteoporoseVitamina d
Resumo
Introdução: a obesidade osteosarcopênica é caracterizada pela presença simultânea do excesso de adiposidade corporal, da reduzida quantidade e qualidade muscular e de uma menor massa óssea (osteopenia ou osteoporose), e é associada a um aumento no estado inflamatório geral, maior resistência à insulina, menor prática de exercícios físicos e consequente menor gasto energético, culminando em um ciclo vicioso e sinergicamente deletério, com impacto sobre a funcionalidade e mortalidade do indivíduo. A vitamina D apresenta papel bem estabelecido em relação à saúde óssea, entretanto estudos tem apontado para benefícios extra esqueléticos, uma vez que apresenta receptores em quase todos os tecidos do organismo, além de apresentar propriedades anti-inflamatórias. Dessa forma, a vitamina D emerge como um possível fator chave envolvido na obesidade osteosarcopênica, com a hipótese de uma influência de âmbito genético. Objetivo: Investigar os possíveis mecanismos fisiológicos e genéticos interrelacionados à ação da vitamina D na obesidade osteosarcopênica em amostra de base populacional de adultos e idosos residentes do município de São Paulo. Metodologia: serão incluídos adultos e idosos, de ambos os sexos, participantes do inquérito ISA - Capital 2013 (estudo transversal por meio de inquérito domiciliar de base populacional), aleatoriamente selecionados para coleta de sangue, com amostragem estimada em 600 indivíduos (300 adultos e 300 idosos). O estudo será dividido em 4 fases, sendo as duas primeiras de responsabilidade do inquérito ISA-Capital 2013, e as duas últimas serão conduzidas durante o presente projeto de pesquisa: 1) Aplicação de questionários comtemplando: sexo, idade, cor da pele auto referida, exposição solar, estado socioeconômico, peso e estatura referidos, história clínica e ingestão alimentar (recordatório alimentar de 24 horas); 2) Aplicação de segundo R24h e coleta de sangue; 3) Mensuração do peso e da estatura; realização do exame de densitometria - DXA (avaliação óssea e da composição corporal), realização do teste de preensão manual (dinamometria) e do teste de velocidade de marcha; 4) 51 idosos que apresentaram diagnóstico de obesidade, sarcopenia, obesidade sarcopênica ou obesidade osteosarcopênica serão aleatoriamente selecionados para ter seu gasto energético avaliado pela técnica de água duplamente marcada. A avaliação da vitamina D sérica será realizada por meio da análise do sangue coletado, composterior avaliação da genotipagem do gene receptor de vitamina D, da proteína ligante de vitamina D e do precursor de vitamina D cutânea. A distribuição das variáveis será avaliada para posterior análise descritiva. Será aplicado teste de correlação entre a vitamina D sérica e as variáveis de diagnóstico. Será utilizado o programa computacional SPSS 20.0 (SPSS Inc, Chicago IL, USA) e o nível de significância adotado será de 5%. (AU)

Identificação de microRNAs como potenciais alvos de diagnóstico e terapêutico do diabetes mellitus tipo 2

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde. Universidade Cruzeiro do Sul (UNICSUL). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Sandro Massao Hirabara
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia Geral
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Processo:14/21447-6
Vigência: 01 de abril de 2015 - 31 de março de 2017
Assunto(s):ExossomosGlicemiaObesidadeResistência à insulina
Resumo
Os microRNAs (miRNAs) estão envolvidos no controle do metabolismo energético e, dessa forma, têm sido propostos como potenciais moduladores do desenvolvimento de doenças crônicas, como a obesidade, o diabetes mellitus tipo 2 (DMT2) e síndrome metabólica. A identificação de miRNAs associados ao desenvolvimento do DMT2 é fundamental para a compreensão da etiologia e tratamento dessa síndrome. Esse projeto tem como objetivo caracterizar o perfil de expressão de miRNAs exossomais plasmáticos de indivíduos com DMT2 e identificar os órgãos/tecidos de origem dessas microvesículas de membrana. Participarão do estudo indivíduos: a) saudáveis (glicemia e sensibilidade à insulina normais), b) intolerantes à glicose e resistentes à insulina e c) diabéticos tipo 2 recém-diagnosticados. O tamanho amostral será calculado com base nos resultados iniciais, considerando poder alfa de 0,05 e alterações de, ao menos, duas vezes na expressão dos miRNAs. O perfil de expressão de miRNAs exossomais será avaliado por PCR micro-array e a validação quantitativa será realizada por PCR real time. A caracterização de proteínas exossomais será feita por análise proteômica em espectrometria de massa. Assim, esse projeto visa a investigar os miRNAs exossomais para que possam ser validados como biomarcadores da evolução do DMT2. A identificação da origem dos exossomos associada aos miRNAs alterados pela doença, elucidará a participação dos órgãos insulino-sensíveis no desenvolvimento do DMT2 e otimizará os prognósticos, diagnósticos e a terapêutica com alvo tecido-específico. (AU)

Experimental biology 2015

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Denise Rangel da Silva Sartori
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Reunião - Exterior
Processo:15/02387-5
Vigência: 29 de março de 2015 - 01 de abril de 2015
Assunto(s):Metabolismo energéticoDesenvolvimento fetal
410 resultado(s)
|
Exportar 0 registro(s) selecionado(s) | Limpar seleção
CDi/FAPESP - Centro de Documentação e Informação da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo

R. Pio XI, 1500 - Alto da Lapa - CEP 05468-901 - São Paulo/SP - Brasil
cdi@fapesp.br - Converse com a FAPESP