site da FAPESP
 

Refine sua pesquisa

Pesquisa
  • Uma ou mais palavras adicionais
Publicações científicas
Auxílios à Pesquisa
Bolsas
Programas de Infraestrutura de Pesquisa
Área do conhecimento
Situação
Ano de início
34 resultado(s)
|

Investigação do impacto do infarto do miocárdio sobre o efeito da lipoproteína de alta densidade na produção endotelial de óxido nítrico e endotelina-1

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Andrei Carvalho Sposito
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Processo:14/26136-9
Vigência: 01 de maio de 2015 - 28 de fevereiro de 2018
Convênio/Acordo de cooperação com a FAPESP: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Assunto(s):Endotelina-1MetabolômicaDisfunção endotelialInfarto do miocárdioCardiologia
Resumo
No infarto do miocárdio (IM), a intensidade da disfunção endotelial (DE) representa importante determinante da morbimortalidade. Apesar de a DE no pós-IM se relacionar com atividade inflamatória (AI), pouco se sabe sobre outros potenciais definidores. Assim, a ação da lipoproteína de alta densidade (HDL) no IM pode representar um dos atores nesse contexto. Em indivíduos saudáveis, a HDL está inversamente associada com eventos cardiovasculares, principalmente ao desempenhar papel protetor do endotélio. Porém, em condições em que sobrevém alta AI, como no IM, a HDL perde suas propriedades antiaterogênicas, podendo induzir a DE. Nosso grupo de pesquisa mostrou que a AI sistêmica está aumentada no quinto dia após o IM em relação a admissão, assim como a oxidação da HDL. Ainda não está claro o efeito funcional da HDL na fase aguda do IM sobre a DE, principalmente as vias de sinalização celular ativadas ou inibidas e sua influência na biodisponibilidade de componentes necessários para a produção de NO. O objetivo desse projeto será avaliar o efeito da HDL obtido no primeiro e quinto dia após o IM sobre a produção endotelial de óxido nítrico (NO) e endotelina-1 (ET-1). Também investigar as principais vias de sinalização celular ativadas nesse processo, e mensurar o substrato, cofatores e coenzimas da NO sintase endotelial (eNOS) responsável pela produção de NO. No estudo serão incluídos 25 pacientes infartados e 25 indivíduos sem doença manifesta. A HDL será isolada por ultracentrifugação e cultivada com células endoteliais arteriais coronarianas humanas (HCAEC). Utilizaremos testes: (i) Immunoblotting para verificar as vias de sinalização celular; (ii) ELISA para quantificar ET-1, marcadores inflamatórios e de estresse oxidativo; (iii) Quimioluminescência para dosar o NO; e (iv) ELISA e Metabolômica por Ressonância Nuclear Magnética para quantificar o substrato, cofatores e coenzimas para a síntese de NO. (AU)

HDL size is more accurate than HDL cholesterol to predict carotid subclinical Atherosclerosis in individuals classified as low cardiovascular risk

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Andrei Carvalho Sposito
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Artigo
Processo:14/24973-0
Vigência: 01 de março de 2015 - 31 de agosto de 2015
Assunto(s):HDL-ColesterolCardiologia
Resumo
Introdução: Pacientes classificados erroneamente como baixo risco cardiovascular (BRC) continua a ser uma das principais preocupações e desafios dos marcadores de risco tradicionais. Devido a sua associação com a capacidade aceptora de colesterol, o tamanho da lipoproteína de alta densidade (HDL) tem sido apontado como um potencial marcador de risco. Por isso, nós investigamos se o tamanho da HDL melhora o valor preditivo da HDL-colesterol na identificação da carga aterosclerótica da carótida em indivíduos classificados em BRC. Métodos e Resultados: 284 pacientes (40-75 anos) classificados como BRC pelas diretrizes atuais foram selecionados nos centros de atenção primária das cidades de Campinas e Americana, SP, Brasil. Lipoproteínas contendo apo-B foram precipitadas por polietilenoglicol e o tamanho da HDL foi medido por técnica de espalhamento dinâmico de luz. Os participantes foram classificados em tercis de tamanho de HDL. A espessura intima-medial da carótida (EIMc) <0,90mm foi determinada por ultrassonografia e modelos de regressão ordinal multivariada foram utilizadas para avaliar a associação entre EIMc e tamanho de HDL e parâmetros lipídicos. HDL-colesterol não associou-se com EIMc. Em contraste, o tamanho de HDL >8,22nm foi independentemente associado com baixa EIMc (odds ratio 0,23; IC 95% 0,07-0,74, p=0,013). Conclusão: O tamanho da partícula de HDL constitui um melhor preditor de aterosclerose carotídea subclínica do que as medidas tradicionais de HDL-colesterol em indivíduos classificados como BRC. (AU)

Estudo prospectivo e das comorbidades associadas de cães obesos atendidos no serviço de clínica médica de pequenos animais da FMVZ- Unesp, Botucatu

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Alessandra Melchert
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Clínica e Cirurgia Animal
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:13/22898-9
Vigência: 01 de março de 2014 - 28 de fevereiro de 2015
Assunto(s):CãesObesidadeSíndrome x metabólicaEndocrinologia
Resumo
A obesidade é uma patologia que apresenta ocorrência frequente em cães. Além de estar associada a diversas comorbidades e reduzir a qualidade de vida, diminui a expectativa de vida desses animais. Deste modo, este estudo terá como objetivo avaliar e correlacionar o exame físico, a graduação do escore corporal por meio de medidas morfométricas, com o ritmo cardíaco, as alterações laboratoriais, as comorbidades presentes, o perfil de alimentação e nível de atividade física de cães obesos, atendidos na rotina do serviço de Clínica Médica de Pequenos Animais da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia - FMVZ, Unesp, Botucatu, SP. Serão estudados cães portadores de aparente obesidade, atendidos no referido serviço, no período entre Janeiro de 2014 e Dezembro de 2014. Serão avaliados: o exame físico (pressão arterial sistólica e exame físico geral); o peso corporal; as medidas morfométricas para graduação do escore corporal (índice de massa corporal- IMC e índice de composição corporal- ICC); a eletrocardiografia de alta resolução, para determinar o ritmo cardíaco; parâmetros laboratoriais como perfil lipídico (colesterol total, lipoproteínas de alta densidade- HDL, lipoproteínas de baixa densidade- LDL e triglicérides); função renal (ureia e creatinina séricas); e perfil hepático (glicose sérica, enzimas aspartato aminotransferase- AST, alanina aminotransferase-ALT, fosfatase alcalina- FA e gamaglutamil transpeptidase- GGT). Serão determinados, junto ao condutor do animal, a doença de base do cão (motivo de procura pelo atendimento médico), os hábitos alimentares e o nível e frequência de atividade física exercida pelo animal. (AU)

Inclusão de óleo essencial em dieta para equinos

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Alexandre Augusto de Oliveira Gobesso
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Zootecnia - Nutrição e Alimentação Animal
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:13/12767-4
Vigência: 01 de fevereiro de 2014 - 31 de janeiro de 2015
Assunto(s):AlimentaçãoLeveduras
Resumo
O concentrado em substituição à parte da forragem na alimentação, principalmente por grãos de cereais ricos em amido, a fim de suprir as necessidades energéticas do animal, pode exceder a capacidade digestiva do intestino delgado e atingir o ceco e cólon, acarretando em mudanças na microbiota e causando distúrbios gastrointestinais. O objetivo desse estudo será, avaliar o efeito da suplementação com óleo essencial carvacrolcom ou sem a inclusão de levedura (sacharomices cerevisae) sobre a digestibilidade aparente dos nutrientes da dieta, resposta glicêmica e insulinêmica pós-prandial, pH fecal, perfil plasmático de triglicerídeos, colesterol total, frações de colesterol ligado à lipoproteína de alta densidade (HDL-C), colesterol ligado à lipoproteína de baixa densidade (LDL-C) e colesterol ligado à lipoproteína de muito baixa densidade (VLDL-C). Serão utilizados oito animais da raça Mini-horse, machos, castrados, com idade aproximada 42 meses, peso aproximado de 135 kg, desafiados com dieta contendo alta proporção de concentrado: volumoso, constituída de 60% concentrado comercial peletizado e 40% de feno de gramínea, cuja variação será a inclusão de um produto contendo 7% de carvacrol. No primeiro experimento, os tratamentos serão: controle, 100, 200 e 300 ppm de óleo essencial carvacrol. No segundo experimento, os tratamentos serão: controle, inclusão da quantidade de óleo essencial indicado pelos resultados do primeiro experimento, inclusão de levedura e inclusão de levedura e óleo essencial, com objetivo de avaliar se existe efeito somatório da inclusão dos dois ativos. O delineamento experimental utilizado será em quadrado latino duplo 4x4 com medidas repetidas no tempo e os dados obtidos foram submetidos à análise de variância com nível de significância de 5%. (AU)

Avaliação da perda dentária em pacientes obesos mórbidos: influência da síndrome metabólica no edentulismo

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Odontologia de Bauru (FOB). Universidade de São Paulo (USP). Bauru, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Silvia Helena de Carvalho Sales Peres
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Odontologia Social e Preventiva
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:13/19691-3
Vigência: 01 de janeiro de 2014 - 31 de dezembro de 2014
Assunto(s):Obesidade mórbidaPerda de denteSíndrome x metabólicaOdontologia em saúde coletiva
Resumo
O progresso social levou a uma melhoria nos transportes, alimentação prontamente disponível e novos dispositivos, que permitiram a população maior agilidade. Entretanto, proporcionou consumo de uma dieta mais calórica e menor gasto de energia. Este desequilíbrio entre ingestão e gasto energético tem levado ao aumento na prevalência da obesidade e, como consequência, o desenvolvimento da síndrome metabólica (SM). Síndrome Metabólica (SM) consiste no envolvimento de pelo menos 3 das 5 características: I. obesidade abdominal; II. Níveis de Triglicerídeos elevados; III. Os níveis de colesterol de lipoproteína de alta densidade (HDL-C) reduzido; IV. Hipertensão; V. Glicemia em Jejum alterada. O IBGE divulgou dados sobre a prevalência de excesso de peso e obesidade na população brasileira, sendo que entre os homens a prevalência foi de 50,1% 12,4% para sobrepesos e obesidade, respectivamente. Já entre as mulheres, a proporção de excesso de peso foi de 48% e de obesidade 16,9%. Mais da metade da população possui perdas dentárias que indiquem uso de prótese dentária, seja prótese total ou parcial. Desta forma, o objetivo deste trabalho é avaliar os pacientes com características clínicas de síndrome metabólica (SM) na fase pré cirurgia barátrica e sua correlação com perdas de elementos dentários. A amostra será constituida por 60 pacientes atendidos no ambulatório de Cirurgia Bariátrica do Hospital Amaral Carvalho e que estejam em tratamento clínico, na fase pré cirurgia bariátrica. Os dados gerais serão coletados dos prontuarios e os exame bucal será realizado durante o atendimento clínico. Serão anotadas a presença e ausência de elementos dentários e a necessidade de próteses. Os dados serão coletados através de uma ficha devidamente confeccionada para a pesquisa, onde o anotador irá transcrever dados dos prontuários referente ao universo da pesquisa. Os dados coletados e anotados serão organizados com dupla entrada, em arquivos do programa Excel for Mac 2011. A apresentação dos resultados será constituída de uma parte descritiva, sob a forma de tabelas e gráficos, na qual os dados (variáveis) serão apresentados na forma de média e desvio- padrão. Na análise estatística será inicialmente aplicado o teste de normalidade e homogeneidade dos dados, sendo então empregado o teste estatístico apropriado. (AU)

There is no relationship between paraoxonase serum level activity in women with endometriosis and the stage of the disease: an observational study

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina do ABC (FMABC). Organização Social de Saúde. Fundação do ABC. Santo André, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Bianca Alves Vieira Bianco
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Artigo
Processo:13/12427-9
Vigência: 01 de agosto de 2013 - 31 de janeiro de 2014
Assunto(s):EndometrioseEstresse oxidativoInfertilidade feminina
Resumo
Introdução: A endometriose é uma doença crônica, cuja fisiopatologia é desconhecida, mas há evidências sugerindo uma ligação com o estresse oxidativo. Paraoxonase é uma enzima que circula no soro associado a lipoproteínas de alta densidade (HDL). Atua protegendo HDL e LDL da peroxidação lipídica. Nosso objetivo foi comparar os níveis séricos de atividade PON-1 em mulheres com endometriose em diferentes estágios da doença (mínima/leve e moderada /grave).Métodos: 80 mulheres inférteis com endometriose diagnosticada por laparoscopia/laparotomia com confirmação histológica da doença foram divididos de acordo com a Sociedade Americana de Medicina Reprodutiva, em classificação mínima/leve (n=33) e moderada/grave (n=47). Atividade paraoxonase e atividade arilesterase foram medidos por espectrofotometria. Índice de massa corporal e os níveis de glicose em jejum também foram determinados.Resultados: A atividade da paraoxonase foram 191,29 ± 22,41 U/l em mulheres com endometriose mínima/leve e 224,85 ± 21,50 U/l em mulheres com doença moderada/grave (p=0,274). Considerando o nível arilesterase, os resultados mostraram 89,82 ± 4,61 U/l em mulheres com endometriose mínima/leve e 90,78 ± 3,43 U/l na doença moderada/grave (p=0,888).Conclusões: A evidência de atividade paraoxonase menor em mulheres com endometriose não foi encontrado neste estudo. Além disso, nenhuma diferença foi encontrada considerando endometriose mínima/leve ou moderada/grave. (AU)

Inclusão de óleo essencial em dieta para equinos

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Alexandre Augusto de Oliveira Gobesso
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:13/02271-1
Vigência: 01 de maio de 2013 - 30 de abril de 2014
Assunto(s):AlimentaçãoLeveduras
Resumo
O concentrado em substituição à parte da forragem na alimentação, principalmente por grãos de cereais ricos em amido, a fim de suprir as necessidades energéticas do animal, pode exceder a capacidade digestiva do intestino delgado e atingir o ceco e cólon, acarretando em mudanças na microbiota e causando distúrbios gastrointestinais. O objetivo desse estudo será, avaliar o efeito da suplementação com óleo essencial carvacrolcom ou sem a inclusão de levedura (sacharomices cerevisae) sobre a digestibilidade aparente dos nutrientes da dieta, resposta glicêmica e insulinêmica pós-prandial, pH fecal, perfil plasmático de triglicerídeos, colesterol total, frações de colesterol ligado à lipoproteína de alta densidade (HDL-C), colesterol ligado à lipoproteína de baixa densidade (LDL-C) e colesterol ligado à lipoproteína de muito baixa densidade (VLDL-C). Serão utilizados oito animais da raça Mini-horse, machos, castrados, com idade aproximada 42 meses, peso aproximado de 135 kg, desafiados com dieta contendo alta proporção de concentrado: volumoso, constituída de 60% concentrado comercial peletizado e 40% de feno de gramínea, cuja variação será a inclusão de um produto contendo 7% de carvacrol. No primeiro experimento, os tratamentos serão: controle, 100, 200 e 300 ppm de óleo essencial carvacrol. No segundo experimento, os tratamentos serão: controle, inclusão da quantidade de óleo essencial indicado pelos resultados do primeiro experimento, inclusão de levedura e inclusão de levedura e óleo essencial, com objetivo de avaliar se existe efeito somatório da inclusão dos dois ativos. O delineamento experimental utilizado será em quadrado latino duplo 4x4 com medidas repetidas no tempo e os dados obtidos foram submetidos à análise de variância com nível de significância de 5%. (AU)

Inclusão de óleo essencial na dieta para equinos

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Alexandre Augusto de Oliveira Gobesso
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:12/04161-6
Vigência: 01 de fevereiro de 2013 - 31 de janeiro de 2015
Assunto(s):Nutrição animalSuplementos alimentares para animaisÓleos essenciaisDigestibilidadeFermentaçãoEquinos
Resumo
O concentrado em substituição à parte da forragem na alimentação, principalmente por grãos de cereais ricos em amido, a fim de suprir as necessidades energéticas do animal, pode exceder a capacidade digestiva do intestino delgado e atingir o ceco e cólon, acarretando em mudanças na microbiota e causando distúrbios gastrointestinais. O objetivo desse estudo será, avaliar o efeito da suplementação com óleo essencial carvacrol com ou sem a inclusão de levedura (Saccharomices cerevisae) sobre a digestibilidade aparente dos nutrientes da dieta, resposta glicêmica e insulinêmica pós-prandial, pH fecal, perfil plasmático de triglicerídeos, colesterol total, frações de colesterol ligado à lipoproteína de alta densidade (HDL-C), colesterol ligado à lipoproteína de baixa densidade (LDL-C) e colesterol ligado à lipoproteína de muito baixa densidade (VLDL-C) e população microbiana intestinal. Serão utilizados oito animais da raça Mini-horse, machos, castrados, com idade aproximada 42 meses, peso aproximado de 135 kg, desafiados com dieta contendo alta proporção de concentrado: volumoso, constituída de 60% concentrado comercial peletizado e 40% de feno de gramínea, cuja variação será a inclusão de um produto contendo 7% de carvacrol. No primeiro experimento, os tratamentos serão: controle, 100, 200 e 300 ppm de óleo essencial carvacrol. No segundo experimento, os tratamentos serão: controle, inclusão da quantidade de óleo essencial indicado pelos resultados do primeiro experimento, inclusão de levedura e inclusão de levedura e óleo essencial, com objetivo de avaliar se existe efeito somatório da inclusão dos dois ativos. O delineamento experimental utilizado será em quadrado latino duplo 4x4 com medidas repetidas no tempo e os dados obtidos foram submetidos à análise de variância com nível de significância de 5%. (AU)

Análise global do perfil de expressão gênica em macrófagos humanos infectados por Leishmania infantum chagasi na presença de diferentes frações lipoprotéicas e o potencial de drogas hipolipemiantes no tratamento da leishmaniose visceral humana

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Paulo Eduardo Martins Ribolla
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Parasitologia - Protozoologia de Parasitos
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:12/18347-4
Vigência: 01 de dezembro de 2012 - 31 de maio de 2015
Assunto(s):Leishmaniose visceralLeishmania infantumMetabolismo dos lipídeosMacrófagosSequenciamento de nucleotídeos em larga escalaPerfilação da expressão gênica
Resumo
No Brasil a Leishmaniose visceral (LV) é causada pelo protozoário Leishmania infantum chagasi, parasita intracelular obrigatório de macrófagos, e transmitida pelo flebotomíneo Lutzomyia longipalpis; os principais reservatórios que participam do ciclo zoonótico são canídeos selvagens e cães domésticos. Interessantemente, desordens lipídicas têm sido relatadas em pacientes humanos e até mesmo em cães domésticos com LV ativa. O perfil lipídico na maioria dos casos é caracterizado por altos níveis de triglicérides (TG) e de lipoproteínas de densidade muito baixa (VLDL); por outro lado, são relatados baixos níveis de colesterol total (TC) , baixos níveis de lipoproteínas de baixa densidade (LDL) e baixos níveis de lipoproteínas de alta densidade (HDL). Uma provável explicação para esses achados seria a maior dependência de lipídeos e proteínas como fonte de energia das formas amastigotas do parasita dentro dos macrófagos infectados e que a presença de colesterol é importante para a infecção dos macrófagos pelo parasita. Uma vez que a relação dos níveis lipídicos séricos com a infecção por L. infantum chagasi tem sido demonstrada por vários estudos de maneira independente, um estudo global do perfil de expressão gênica da célula hospedeira infectada, bem como a de seu parasita, na presença de diferentes frações lipídicas (VLDL, LDL e HDL), pode representar um avanço importante na identificação de genes chave nessa complexa interação parasita-hospedeiro. Nesse contexto, drogas que modulem os níveis lipídicos podem ser usadas como adjuvantes no tratamento da LV. Uma abordagem interessante é o estudo de fibratos que são fármacos hipolipemiantes que reduzem os níveis de triglicérides e colesterol, por ligação a PPARs. De posse dessas informações, o presente projeto objetiva a realização de uma análise global do perfil de expressão gênica, por RNA-Seq, tanto do parasita quanto da célula hospedeira, em cultura de macrófagos humanos infectados por L. infantum chagasi, na presença de diferentes frações de lipoproteicas. Além disso, um objetivo secundário é um estudo in vitro de interação parasita-macrófago em macrófagos humanos incubados com promastigotas de L. infantum chagasi na presença de agonistas sintéticos do PPAR±, com o intuito de avaliar o efeito desses agonistas na carga parasitária dos macrófagos infectados (AU)

Efeito das lipoproteínas plasmáticas em células de linhagem monocítica humana (THP-1) infectadas com Leishmania (Leishmania) chagasi

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Medicina Tropical de São Paulo (IMT). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Hiro Goto
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Aplicada
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:12/14303-2
Vigência: 01 de setembro de 2012 - 31 de dezembro de 2013
Assunto(s):LipoproteínasImunoparasitologia
Resumo
A leishmaniose visceral (LV) é uma doença parasitária, causa de grande morbidade e mortalidade no mundo. Nas Américas é causada pelo protozoário Leishmania (Leishmania) chagasi que acomete particularmente células do sistema fagocítico mononuclear. Na infecção ativa, tanto no homem com em modelos animais, ocorrem alterações bioquímicas como redução nos níveis de lipoproteínas de alta densidade ("high density lipoprotein" = HDL) e aumento nos níveis de colesterol total e triglicérides. Assim, alguns estudos demonstram que a progressão da doença pode estar relacionada com as alterações lipídicas e/ou enzimáticas que atuam na sua regulação, como a lipoproteína lipase. Os macrófagos são as células hospedeiras das leishmânias, sendo essenciais para o estabelecimento da infecção e que apresentam receptores para lipoproteínas naturais e/ou modificadas, sendo possíveis alvos para atividades imunomodulatórias exercidas por várias frações de lipoproteínas quais sejam as lipoproteinas de muita baixa densidade ("very low density lipoprotein" = VLDL), de baixa densidade ("low density lipoprotein" = LDL) e HDL . Uma vez que o papel das lipoproteínas na infecção por LV ainda não foi determinado, propomos neste estudo, avaliar o efeito das diferentes frações de lipoproteínas no parasitismo de macrófagos. Como o nosso interesse está voltado aos pacientes, estudaremos essa interação em células de linhagem monocítica humana (THP-1) que serão infectadas com Leishmania chagasi. (AU)
34 resultado(s)
|
Exportar 0 registro(s) selecionado(s) | Limpar seleção
CDi/FAPESP - Centro de Documentação e Informação da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo

R. Pio XI, 1500 - Alto da Lapa - CEP 05468-901 - São Paulo/SP - Brasil
cdi@fapesp.br - Converse com a FAPESP