Busca avançada
Ano de início
Entree
X

Criar um alerta por e-mail


Novos resultados para a sua pesquisa em seu e-mail, semanalmente.

Seu e-mail:

Tamanho do e-mail:



Seu endereço de e-mail não será divulgado.
Refine sua pesquisa
Pesquisa
  • Uma ou mais palavras adicionais
Publicações científicas
Publicações acadêmicas
Excel (CSV)Alerta por e-mail   RSS
47 resultado(s)
|
Resumo

"A explosão do cibermundo" deriva de pesquisa coletiva desenvolvida pelo CENCIB - Centro Interdisciplinar de Pesquisas em Comunicação e Cibercultura , do Programa de Estudos Pós-Graduados em Comunicação e Semiótica da PUC-SP (CENCIB/PEPGCOS/PUC-SP), no biênio 2013-2015, com apoio do CNPq.A obra materializa investigação sistemática e aprofundada sobre as relações atuais entre comunicação, velocidade e apropriação sociocultural e política de tecnologias e redes em tempo real. Reunindo estudiosos do campo interdisciplinar da cibercultura -- entre pesquisadores e pós-graduandos --, a obra almeja, por cada capítulo, compreender as transformações e repercussões multilaterais socialmente operadas pelo fenômeno da velocidade tecnológica, conforme ele se configura em razão das múltiplas formas de utilização cotidianas de "media" e redes, em diferentes âmbitos de expressão, contextos de atuação e/ou experiências de vida. Em palavras complementares e reescalonadas, os capítulos visam compreender, em conjunto, as consequências macroestruturais da emergência histórica da "sociodromocracia intermediática contemporânea", articulada por aparatos de massa e interativos, sobretudo móveis; e, no miúdo, as mudanças sociais operadas pela velocidade como vórtice descentrado e invisível de articulação imanente de todos os campos de atuação humana.A preocupação das autorias, nas discussões (presenciais e remotas) realizadas sobre cada capítulo, girou em torno de alterações no domínio da política, no espaço urbano, na vida cotidiana ("online" e "off-line"), no campo racional e imaginário da subjetividade e da identidade, nos sentidos percepcionais e na gestualidade, na relação com as atividades, com o tempo e com a morte etc. -- e, sob tal foco prioritário, sobrelevaram-se quais mudanças, por quais razões, quando, como e com quais consequências --, a partir do momento em que a aceleração se converteu, nesses domínios, no vórtice assinalado, socialmente majoritário e predominante. À obra importa, assim, o que permanece e se reforça e o que é superado e excluído -- o que se modifica, com quais rearranjamentos, com quais práticas e aberturas de possibilidade, com quais desestímulos e substituições --, quando a "empiria" processual da velocidade passa a dar intensa e impessoalmente as cartas.Esse enfoque se subordina a dois nortes teórico-cognitivos, tonificados, como objetivos, desde a concepção da obra. O primeiro foi o de oferecer aos leitores um panorama interpretativo detalhado sobre as transformações pelas quais a vida humana vem passando na atual configuração social-histórica e tecnológica. O segundo parâmetro foi o de contribuir para renovar o fôlego da categoria da crítica social no âmbito de estudos da cibercultura, com base no exercício de tensionamento teórico, em revisão bibliográfica extensiva e na escultura de conceitos nucleares sobre a "condição dromocrática atual".Com temática situada na berlinda teórica e epistemológica de atuação do CENCIB/PUC-SP -- Grupo de Pesquisa certificado pela PUC-SP, cadastrado na plataforma do CNPq e responsável pelo norteamento flexível (em matéria metodológica e teórico-conceitual) deste empreendimento bibliográfico, bem como por todas as atividades atinentes à sua realização --, a obra toma como forte pressuposto o fato de a velocidade ser, a um só tempo, "empiria" processual (que, como tal, é "problema") e "episteme" privilegiada (que, como tal, é horizonte de visão), vale dizer, fenomenologia idiossincrática, objetiva e nua do mundo e, simultaneamente, categoria fundamental e complexa de reflexão tensional sobre processos e tendências contemporâneos -- trecho autônomo e exponencial de uma sociodromologia originária e ricamente desencadeada por Paul Virilio e que a obra procurou desdobrar de modo inteiramente livre, com resultados verticalizados e diversificados, para além da fonte inspiradora. (AU)

Resumo

PROGRAMAÇÃO PREVISTARECEPÇÃO E CREDENCIAMENTO E ABERTURA OFICIAL JUNHO 2017Dia Faculdade Cásper LíberoAbertura oficial Prêmio COMPÓS / Dissertações e Teses 2017Conferência com o convidado internacional REUNIÃO DOS GRUPOS DE TRABALHO (1)Dia 07 Reuniões dos 17 GTs Horário: 9h-18hGT1 - COMUNICAÇÃO E CIBERCULTURA Coord.: Profa. Dra. Fátima Cristina Regis Martins de Oliveira (UERJ)GT2- COMUNICAÇÃO E CIDADANIACoord.: Prof. Dr. Mohammed Elhajji (UFRJ)GT3 - COMUNICAÇÃO E CULTURA Coord.: Prof. Dr. Maurício Ribeiro da Silva (UNIP)GT4- COMUNICAÇÃO E EXPERIÊNCIA ESTÉTICACoord.: Prof. Dr. Jorge Luiz Cunha Cardoso Filho (UFRB E POSCOM/UFBA)GT5 - COMUNICAÇÃO E POLÍTICACoord.: Profa. Dra. Danila Gentil Rodriguez Cal (UFPA/UNAMA)GT6- COMUNICAÇÃO E SOCIABILIDADECoord.: Prof. Dr. Bruno Roberto Campanella (UFF)GT7 - MEMÓRIA NAS MÍDIASCoord.: Profa. Dra. Barbara Heller (UNIP)GT8 - CULTURA DAS MÍDIASCoord.: Prof. Dr. Marcio Serelle (PUC MINAS) GT9 - EPISTEMOLOGIA DA COMUNICAÇÃOCoord.: Prof. Dr. Carlos Alberto de Carvalho (UFMG)GT10 - ESTUDOS DE JORNALISMOCoord.: Profa. Dra. Beatriz Becker (UFRJ)GT11 - ESTUDOS DE CINEMA, FOTOGRAFIA E AUDIOVISUALCoord.: Profa. Dra. Ângela Freire Prysthon (UFPE)GT12 - ESTUDOS DE TELEVISÃO Coord.: Profa. Dra. Gabriela Borges (UFJF)GT13 - IMAGEM E IMAGINÁRIOS MIDIÁTICOS Coord.: Profa. Denize Correa Araujo (UFPR)GT14- PRÁTICAS INTERACIONAIS E LINGUAGENS NA COMUNICAÇÃO Coord.: Profa. Dra. Isaltina Maria de Azevedo Mello Gomes (UFPE)GT15-RECEPÇÃO: PROCESSOS DE INTERPRETAÇÃO, USO E CONSUMO MIDIÁTICOS Coord.: Profa. Dra. Roseli Figaro (USP)GT16 - ESTUDOS DE SOM E MÚSICA Coord.: Prof. Dr. Micael Maiolino Herschmann (UFRJ)GT17 - CONSUMOS E PROCESSOS DE COMUNICAÇÃO Coord.: Profa. Dra. Claudia Pereira (PUC-RIO)LANÇAMENTO DE LIVROS E AUTÓGRAFOSDia 07 de junho REUNIÃO DOS GRUPOS DE TRABALHO (2)Dia 08 Atividades: Reuniões dos 17 GTs Dia 9: Reunião COMPOS (AU)

Resumo

A Sexta Reunião de Antropologia da Ciência e da Tecnologia (VI ReACT) ocorrerá na cidade de São Paulo, em maio de 2017, no IEB da Universidade de São Paulo. Resumo do programa:Conferencistas internacionais (16 a 19/05, períodos da noite):- Cristián Simonetti (PUC-Chile)- Karen Barad (UC Santa Cruz)- Marisol de la Cadeña (UC Davis)- Starhawk- Stefan Helmreich (MIT)- Virginia Garcia Acosta (CIESAS-México)Conferencistas nacionais (mesas: 17/05, manhã e tarde; 18 e 19/05, tarde):- Ailton Krenak- Brisa Catão Totti (UFMG)- Clara Flaksman (Museu Nacional)- Eduardo Vianna Vargas (UFMG)- Felipe Sussekind Viveiros de Castro (PUC-RJ)- Guilherme Sá (UFRJ)- Igor Alexandre Badolato Scaramuzzi (USP)- Jean Tible (USP)- Joana Cabral de Oliveira (UNICAMP)- Laymert Garcia dos Santos (UNICAMP)- Marina Vanzolini Figueiredo (USP)- Mauro William Barbosa de Almeida (UNICAMP)- Pedro de Niemeyer Cesarino (USP)- Pedro Peixoto Ferreira (UNICAMP)- Renato Sztutman (USP)- Renzo Taddei (UNIFESP)- Stelio Marras (USP)Mesas: - Mesa 1 Atmosferas cruzadas- Mesa 2 Vida multispécie- Mesa 3 Desantropologias- Mesa 4 Feitiçarias contrapolíticas, contrafeitiçarias políticasSeminários temáticos (18 e 19/05, período da manhã): total de 24 seminários, com temas variados, como: infaestruturas, paisagens mais-que-humanas, habilidades perceptivas e técnicas em coevolução, antropologia das sementes, práticas alimentares, intervenções biotecnológicas sobre o corpo, gênero e sexualidade, conservação da biodiversidade, controvérsias e cartografias micropolíticas, mapas indígenas, memória, propriedade e arquivos, mudanças climáticas, parentesco e tecnologias computacionais, cibercultura, práticas psi, enfermidades vetoriais, religião e tecnologia, ritual, usos de substâncias e saúde, animais não-humanos.Performances artísticas:- Companhia 8 Nova Dança- Marina Guzzo (AU)

Resumo

O projeto visa equacionar o problema científico e político presente nas práticas conhecidas como DIYbio, ou do it yourself Biology. A temática no qual este projeto se insere é a de uma vertente da antropologia da ciência que se tornou possível por meio dos estudos acerca de reabilitação de lesionados medulares e de utilizadores de próteses mecânicas e robóticas, de onde uma teoria acerca de organismos cibernéticos se construiu. O tema é a teoria e prática da ciência cibernética em relação ao objeto DIYbio e não os lesionados em si, a partir de onde tenciono desenvolver uma investigação acerca do problema que está colocado nesta prática científica que parece questionar o lugar relativamente considerado como necessário para se realizar 'ciência' e sua aplicação cibernética no corpo humano, ou seja, a tríade dada entre o Estado, Capital e a Universidade por meio do estudo do objeto DIYbio. Esta investigação será feita através de um trabalho de campo antropológico em laboratórios, eventos, revisão de literatura e por meio do monitoramento de processos DIYbio no Brasil e no Japão. (AU)

Resumo

QUINTA-FEIRA 08/12/2016: 8h30 - Credenciamento 09h-9h30 - Solenidade de abertura09h30-11h - Mesa conferência 1: MONOPÓLIOS TRANSMIDIÁTICOS, CONVERGÊNCIAS TECNOLÓGICAS E DIREITO À INFORMAÇÃO: ACENOS E AMEAÇAS À DEMOCRACIA NA COMUNICAÇÃO E NA CULTURAOthon Jambeiro (UFBA)*Sebastião Squirra (UMESP)Sergio Amadeu (UFABC)11h-11h30 - Coffee Break11h30-13h - Mesa de conferência 2: MÍDIAS INTERATIVAS, BIOPOLÍTICAS DIGITAIS E CONSTITUIÇÃO DO COMUM: NOVAS FORMAS DE CONTESTAÇÃO POLÍTICA, SOCIAL E CULTURALIvana Bentes (UFRJ)Giuseppe Cocco (UFRJ)*Theophilos Rifiotis (UFSC)13h-14h - Almoço de recepção14h-15h30 - Mesa de conferência 3: DIREITOS AUTORAIS | PATENTES E CONTRAPATENTES | LÓGICA WIKI | CREATIVE COMMONS: RECONFIGURAÇÕES DA LIBERDADE DE CRIAÇÃO E EXPRESSÃOSueli Ferreira (USP)Sergio Bairon (USP)Marcus Bastos (PUC-SP)15h30-17h - Painéis Temáticos / Mesas Coordenadas17h-17h30 - Coffee Break17h30-19h - Mesa de conferência 4: O DIGITAL E O PÓS-DIGITAL: DILEMAS E HORIZONTES DA INTERNET E DOS DIREITOS CIVIS NO BRASIL E NO MUNDOLucia Santaella (PUC-SP)Mais 2 pesquisadores(as) [em definição]19h-21h - Cerimônia de Comemoração: 10 anos da ABCiberSEXTA-FEIRA 09/12/2016:08h30 - Credenciamento09h30-11h - Painéis Temáticos / Mesas Coordenadas10h-13h - Reunião do Conselho da ABCiber11h-11h30 - Coffee Break11h30-13h - Painéis Temáticos / Mesas Coordenadas13h-14h - Almoço14h-17h - Assembleia Geral de Associados17h-17h30 - Coffee Break17h30-19h - Painéis Temáticos / Mesas Coordenadas19h-20h30 - Mesa de conferência 5: COMUNICAÇÃO, EDUCAÇÃO E ARTE NA CIBERCULTURA: VETORES PARA A DEMOCRACIA E PARA A LIBERDADEGilberto Prado (USP)Nelson Pretto (UFBA)*Terceiro(a) pesquisador(a) [em definição]20h30-22h - Lançamento de livrosSÁBADO 10/12/2016:9h-12h - Reunião Científica12h-14h - Almoço14h-17h - Reunião Científica17h-18h - Sistematização dos Resultados e Encerramento19h-22h - Atividade Cultural* Em confirmação (AU)

Resumo

O SIED:EnPED:2016 será realizado em duas etapas (virtual e presencial): :: ETAPA VIRTUAL (8 a 25 set 2016) ... Dia 8: Boas vindas e recepção dos participantes / Abertura: webconferência ... DIAS SEGUINTES: Apresentação de trabalhos e palestras em ambiente virtual, em horários livres, com discussões e interações entre especialista e participantes, com apoio de moderadores de sala. Oferta de webconferências pré-agendadas seguidas. :: ETAPA PRESENCIAL (26 e 27 set 2016 - Teatro Florestan Fernandes) ... Dia 26 set (Manhã) - Recepção dos participantes - Montagem dos Pôsteres do dia / Abertura do Evento e Conferência (Modelos pedagógicos em Educação a Distância no contexto das tecnologias digitais - J.A. Moreira) / Mesa-Redonda 1 (Mídias, Cibercultura e Educação - M.L. Belloni; M.T. Carmo; M.E. Almeida)... Dia 26 set (Tarde) - Mesa-Redonda 2 (Dilemas da Educação a Distância: contexto atual e prospecções - G.A. Albuquerque; F. Fidalgo; G.M. Ferreira) / Apresentação de Trabalhos em Pôster (Sessão 1) / Mesa-Redonda 3 (Convergência, Educação e Tecnologias - B. Sorj; R. Contreras-Espinosa; J. Mattar) / Apresentação cultural e Lançamento de livros.Dia 27 set (Manhã) - Montagem dos Pôsteres do dia / Apresentação de Trabalhos em Comunicação Oral (Sessão 2) / Apresentação de Trabalhos em Pôster (Sessão 3) / Mesa-Redonda 4 (Formação, flexibilidade e cultura digital - M.L. Santaella; E.M. Quartiero; W. Valbuena) / Apresentação de Trabalhos em Comunicação Oral (Sessão 4) / Mesa de encerramento (Gestão e Inovação em Educação a Distância: desafios postos e porvir - E. Arruda; V.M. Kenski) / Sorteio de brindes/livros e Encerramento do SIED:EnPED:2016.:: PROGRAMAÇÃO PARALELA: Realização de atividades em workshops e oficinas com participação de alguns palestrantes, destinadas aos participantes do evento e estendida aos estudantes dos Programas de Pós-Graduação em Educação e em Ciência, Tecnologia e Sociedade da UFSCar e membros do Grupo Horizonte-UFSCar. (AU)

Resumo

A apropriação de informações pessoais por corporações com fins de marketing é alvo de constante debate, cujos principais eixos encontram-se na intersecção entre ética, comunicação e consumo. Haja vista as ferramentas de monitoramento disponíveis no ambiente digital, amplamente utilizadas no desenho e implementação de planos mercadológicos, este trabalho propõe investigar algumas das principais implicações e desafios éticos relacionados com os limites morais - e por vezes legais - que os profissionais de marketing encontram para a construção de campanhas de comunicação e marketing. Tal estudo se mostra fértil por problematizar alguns aspectos que se encontram em recentes iniciativas legislativas para a regulamentação da proteção de dados pessoais no Brasil. A partir de entrevistas em profundidade com profissionais de marketing brasileiros, será analisada a fundamentação moral dos discursos desses atores. No tocante ao referencial teórico, trabalharemos com autores cujos estudos abrangem a vigilância, privacidade e a cibercultura - tais como Fernanda Bruno, André Lemos, Sérgio Amadeu da Silveira e Eugênio Trivinho -, do campo da filosofia moral - destacam-se Hannah Arendt, Adela Cortina, Marilena Chauí e Renato Janine Ribeiro - e, por fim, autores que problematizam questões atinentes aos estudos do discurso em comunicação e/ou o consumo - Maria Aparecida Baccega, Everardo Rocha, Adilson Citelli e Luiz Peres-Neto. (AU)

Resumo

O livro discute o status epistemológico do Jornalismo na contemporaneidade. Isso é feito desde as noções basilares da autonomia, da neutralidade e da imparcialidade. A autonomia é aqui reafirmada diante das imposições deontológicas e outras imposições normativas externas aos valores jornalísticos. A neutralidade é reformulada, substituindo o seu entendimento como uma postura objetiva de ausência de valores por uma busca consciente da maior variedade possível de perspectivas válidas de valor. E a imparcialidade resulta em uma discussão sobre as especificidades da prática jornalística vis-à-vis valores culturais e sociais mais amplos, especialmente aqueles fomentados por práticas comunicacionais que ocorrem em ambientes virtualizados pelo código digital. Considerando tanto as contingências materiais quanto as cognitivas para o Jornalismo efetivar a condução discursiva de diferentes horizontes interpretativos de uma sociedade globalizada, é então realizada uma revisão de valores e virtudes intrínsecas à sua prática. Com isso, busca-se redescrever (redescription) o Jornalismo como uma ação comunicativa virtuosa, realizada por mediadores epistemologicamente qualificados e responsáveis, que visa o endossamento democrático e a afirmação da solidariedade nas relações humanas. (AU)

Resumo

A condição glocal é o resultado de pesquisa coletiva interdisciplinar desenvolvida pelo CENCIB - Centro Interdisciplinar de Pesquisas em Comunicação e Cibercultura da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Seu espectro cognitivo abrange as áreas de comunicação, filosofia, sociologia, psicanálise, economia, ecologia e administração.Inspirada na pesquisa individual desenvolvida com apoio do CNPq (Bolsa de Produtividade) e que culminou na publicação de Glocal: visibilidade mediática, imaginário bunker e existência em tempo real (cf. TRIVINHO, 2012), a coletânea foi lastreada em (e nutrida por) três eventos científicos realizados na PUC-SP, ao longo de dois anos de trabalho. Sob esse esforço conjugado, os capítulos compendiam as repercussões tecnoculturais, sociopolíticas e econômico-financeiras do processo de glocalização em todas as escalas (regional, nacional e transnacional).Entre os paradigmas teóricos das argumentações estão o neomarxismo, o neo-heideggerianismo, a psicanálise freudiana e lacaniana, o pós-estruturalismo, o pós-modernismo, as teorias do discurso e do imaginário, a sociodromologia fenomenológica e a crítica teórica do glocal, da visibilidade mediática e da cibercultura.Os capítulos da obra abrangem ora o glocal stricto sensu, ora o seu sentido lato. Grosso modo, a primeira modalidade implica necessariamente, em sua dinâmica interna, utilização de tecnologias de comunicação e informação em tempo real; a segunda modalidade as dispensa, realizando-se, pois, em contextos presenciais de interação independentemente da mediação por redes (de massa, digitais e/ou híbridas) -- quando, por exemplo, são verbalmente abordados, nesses redutos locais, pelos presentes, temas nacionais ou internacionais palpitantes, que circulam no período por força reiterativa do noticiário; ou quando paradigmas, valores e/ou modelos de referência globais são, por tais contextos intersubjetivos (na esfera do trabalho ou do tempo livre e de lazer), misturados ou amalgamados, de alguma forma, com os das culturas locais). Neste caso -- o do glocal lato sensu --, pressupõe-se, ainda assim, como necessária (embora como ambiência cultural difusa) a existência do fenômeno da comunicação planetária.O conceito de cibercultura nutre as preocupações das autorias em relação à definição doravante mais apropriada para a fase atual do social-histórico. A quase totalidade dos textos compreende a cibercultura como designação categorial da época, atinente à fase digital e interativa do desenvolvimento do capitalismo (desde o final da década de 1960, portanto), mormente a partir do surgimento do estirão hipermediático da Internet e, depois, da World Wide Web, que, no início dos anos 90, passou a "deglutir" aquela e a pretensamente representá-la. Não obstante, as explanações capitulares abarcam o cinturão sociomediático inteiro, mediante arco reflexivo incidente desde os media de massa até os interativos.Esse diapasão teórico multilateral elucida as reconfigurações -- não raro radicais -- da técnica, da comunicação e da visibilidade (de signos, de fatos, do sujeito etc.), do espaço e do tempo (em que se insere a relação entre global e local), da produção, acumulação e reprodução capitalista, das crises econômicas e do consumo, da gestão empresarial e de imagem, do imaginário e da subjetividade, da relação entre humano e máquina/tela/rede (inclusa a interação com a alteridade, seja humana, artificial ou híbrida), dos hábitos e performances cotidianos, dos movimentos sociais e da guerra, entre outras dimensões, campos ou aspectos sociais igualmente importantes. (AU)

Resumo

SEMINÁRIO INTERNACIONAL COMPÓS (09/06/2015)Professor: Beatriz Sarlo (a confirmar)Horário: 14h-18hABERTURA OFICIAL (09/06/2015)Abertura oficial do XXIV Encontro Anual da CompósEntrega do Prêmio COMPÓS de Dissertações e Teses Eduardo Peñuela Canizal 2015Horário: 19h30REUNIÃO DOS GRUPOS DE TRABALHO (1) (10 e 11/06/2015)Horário: 9h-18hAtividades: Reuniões dos 17 GTsGT1 - COMUNICAÇÃO E CIBERCULTURACoord.: Profa. Dra. Fernanda Bruno (UFRJ) GT2- COMUNICAÇÃO E SOCIABILIDADECoord.: Prof. Dr. José Luiz Aidar (PUC/SP) GT3 - ESTUDOS DE JORNALISMOCoord.: Profa. Dra. Carlos Franciscato (UFS)GT4 - COMUNICAÇÃO E CIDADANIACoord.: Profa. Dra. Raquel Paiva (UFRJ)GT5 - IMAGEM E IMAGINÁRIOS MIDIÁTICOSCoord.: Profa. Dra. Ana Tais Barros (UFRGS) GT6 - ESTUDOS DE SOM E MÚSICA Coord.: Profa. Dra. Simone Pereira de Sá (UFF)GT 7 - COMUNICAÇÃO E CULTURACoord.: Profa. Dra. Norval Baitello Júnior (PUC/SP)GT8 - CULTURA DAS MÍDIASCoord.: Prof. Dr. Maurício Bragança (UFF)GT9 - ESTUDOS DE CINEMA, FOTOGRAFIA E AUDIOVISUALCoord.: Profa. Dra. Mariana Baltar (UFF) GT10 - COMUNICAÇÃO E EXPERIÊNCIA ESTÉTICA Coord.: Prof. Dr. Denílson Lopes (UFRJ)GT11 - PRÁTICAS INTERACIONAIS E LINGUAGENS NA COMUNICAÇÃOCoord.: Prof. Dr. Kleber Mendonça (UFF)GT12 - CONSUMOS E PROCESSOS DE COMUNICAÇÃO Coord.: Profa. Dra. Tânia Hoff (ESPM)GT13 - COMUNICAÇÃO E POLÍTICACoord.: Prof. Dr. Francisco Jamil (UFC)GT14 - EPISTEMOLOGIAS DA COMUNICAÇÃOCoord.: Prof. Dr. Luis Martino (Casper Líbero) GT15 - RECEPÇÃO: PROCESSOS DE INTERPRETAÇÃO, USO E CONSUMO MIDIÁTICOS Coord.: Profa. Dra. Jiani Bonin (UNISINOS) GT16 - ESTUDOS DE TELEVISÃOCoord.: Prof. Dr. Maria Immacolata Lopes (USP)GT17 - MEMÓRIA NAS MÍDIAS Coord.: Prof. Dr. Herom Vargas (UMSC)LANÇAMENTO DE LIVROS E AUTÓGRAFOS (10/06/2015)Horário: 18hREUNIÃO DOS COORDENADORES DE GT (12/06/2015)Horário: 9h-12hREUNIÃO DO CONSELHO DA COMPÓS (12/06/2015)Horário: 14h-17h30 (AU)

47 resultado(s)
|
Exportar 0 registro(s) selecionado(s)
Marcar todos desta pagina | Limpar seleção