Busca avançada

X

Criar um alerta por e-mail


Novos resultados para a sua pesquisa em seu e-mail, semanalmente.

Seu e-mail:

Tamanho do e-mail:



Seu endereço de e-mail não será divulgado.

Refine sua pesquisa

Pesquisa
  • Uma ou mais palavras adicionais
Publicações acadêmicas
Excel (CSV)Alerta por e-mail   RSS
8 resultado(s)
|
Resumo

Este projeto propõe o estudo da presença de Baco em Roma entre o final da República e o Período Augustano, com ênfase na poesia dos autores latinos Catulo, Virgílio, Horácio, Tibulo, Propércio e Ovídio; e busca por loci, temas e motivos análogos em pinturas, esculturas, moedas e mosaicos pertencentes ao período delimitado pela pesquisa. De caráter interdisciplinar, a pesquisa atentará para as figurações desse deus em meios miméticos diversos com a finalidade de realizar uma interpretação mais precisa das imagens nos poemas. (AU)

Resumo

A finalidade da pesquisa é o estudo da construção das personagens heroicas na epopeia Punica, de Sílio Itálico, tendo em vista procedimentos retóricos e poéticos antigos. Alguns aspectos da obra são particularmente importantes para esta questão, como a arquitetura do poema e a emulação de poetas gregos e latinos. O estudo propõe-se, assim, à reflexão sobre a emulação na poesia épica, à tradução de trechos relevantes para a abordagem do tema, bem como contribuir para as discussões sobre o gênero épico e suas variações, visto que a constituição de um anti-herói (Aníbal) como centro da narrativa é incomum na tradição épica latina de matiz bélico mitológico. O cerne de nossa tese é responder à questão, ainda em aberto, sobre quantos e quais são os heróis desta epopeia do período flaviano. No poema, que narra a Segunda Guerra Púnica à maneira épica, o inimigo protagoniza a maior parte, e parece ser construído como êmulo de Hércules e do Eneias virgiliano, sendo que nesta comparação, no entanto, evidenciam-se os vícios do (anti-)herói Aníbal. Mas podemos considerar que a obra possui também heróis: os múltiplos romanos que lutaram contra o estrangeiro e, principalmente, Cipião Africano, que, embora se destaque somente nos últimos livros, reúne qualidades dos generais romanos anteriores, sintetizando virtudes republicanas e a força militar do Império. Cipião Africano aos poucos parece conquistar a imagem heroica da qual carece Aníbal; esta disputa pela posição de herói da epopeia resume em si o conflito que move toda a obra: a luta entre Roma e Cartago pelo domínio do mundo e a glória eterna. Veremos que a construção dos heróis no poema, assentada na emulação da tradição poética grega e latina, tem muito a nos dizer sobre a visão do autor sobre o gênero épico, sobre Roma, do passado e do presente, e sobre os principais aspectos da narrativa. Disponibilizaremos, assim, um dos primeiros estudos sobre a obra de Sílio Itálico em língua portuguesa. (AU)

Resumo

Os objetivos desta pesquisa podem ser divididos em três partes: 1) tradução anotada da Germania, de Públio Cornélio Tácito, do latim para o português; 2) estudo acerca do estabelecimento do gênero da obra em questão, tendo em vista as colocações da crítica moderna; e 3) investigação dos procedimentos descritivos utilizados pelo autor na construção de uma imagem dos povos germânicos, tomando como base os tratados de retórica antiga. (AU)

Resumo

A pesquisa tem por objetivo a reflexão acerca da construção retórica do éthos de Aníbal no Liber de excellentibus ducibus exterarum gentium, obra biográfica de Cornélio Nepos, e nos Ab urbe condita libri, de Tito-Lívio. Ambos os autores, o primeiro, scriptor vitae e o segundo, scriptor historiae, valem-se de procedimentos retóricos para criar, pela palavra, imagines visuais do temível general cartaginês. Dessa maneira, faz-se necessário o estudo da aplicação dos conceitos da ékphrasis, da euidentia e da descriptio, procedimentos retóricos relativos ao ornatus e à elocutio do discurso, capazes de despertar no leitor a phantasia. O desenvolvimento da pesquisa também possibilitará a reflexão acerca da relação entre história e res ficta na Antiguidade, acerca dos limites entre o res explicare e o enarrare vitam, entre o Verossímil e o Verdadeiro na Historigrafia Antiga, e ainda entre verbum e pictura. (AU)

Resumo

Esta pesquisa tem por objetivo o estudo da figuração de Amor/Cupido/Eros na poesia, mais especificamente em obras de Catulo, Propércio, Ovídio, Tibulo, Virgílio e Horácio; e na pintura e escultura romanas entre o final da República e o Período Augustano ; com atenção às preceptivas retóricas e poéticas de adequação ao gênero e de verossímil e, especialmente, aos lugares-comuns empregados pelos artífices para a construção da personagem. O estudo pressupõe a busca na tratadística antiga de conceitos específicos relativos a essas artes mencionados por auctores como Quintiliano, Horácio, Cícero, Aristóteles, Vitrúvio e Plínio, o Velho, para que sirvam como aparato instrumental para a discussão. (AU)

Resumo

O projeto visa ao estudo e à tradução e da obra Eikones, de Filóstrato o Velho. O estudo tratará do tropo retórico da écfrase, cerne da obra em tela, e compreenderá análise da autonomização do tropo, transformado que foi pelo autor em gênero, análise da inter-relação do "novo gênero" com os já existentes, e análise da possibilidade de usar artes miméticas na educação.A tradução pretende manter o caráter fruível dos Eikones, o qual atende à finalidade retórica do deleitar (delectare). Para tanto, serão mantidas todas as figuras de palavras, construção e pensamento possíveis, tendo em vista a clareza (perspicuitas) do texto, cuja medida é a elocução a ser utilizada: mantendo correção inerente ao padrão culto da língua portuguesa, a elocução será retoricamente adequada à ação - um preceptor a falar a seus alunos - e ao caráter de uma criança de 10 anos, condição de uma das personagens centrais da obra. (AU)

Resumo

Sob seu aspecto geral, esta pesquisa tem por objetivo o estudo de conceitos relativos à produção imagética, seja ela verbal ou não-verbal, nos discursos da Antiguidade greco-romana, observando-se as lições de Aristóteles na Poética, de Horácio na Epístola aos Pisões, de Cícero no De Inuentione e no Orator, de Quintiliano nas Institutio Oratoria. Já, sob seu aspecto específico, o estudo trata do Amor, de Eros, e do Cupido em sua representação visual e verbal. A pesquisa, portanto, visa à aferição de homologias discursivas, estabelecidas, de um lado, por pintores e escultores e, de outro, por doutrinadores, poetas e filósofos.Para ilustrar os conceitos que serão discutidos foram selecionados poemas, pinturas e esculturas em que está figurado Eros (Cupido, Amor, Puer). Essas imagens serão observadas sob o ponto de vista de sua elocução que utilizam e dos efeitos de sentido que produzem. Nesse sentido são imperiosas as lições das autoridades e dos autores antigos a respeito desses procedimentos retóricos e poéticos. (AU)

Resumo

Estudo da "ekphrasis", uma figura de amplificação afetiva, e comparação com a "euidentia", definição atribuída pelos latinos a esta figura que se assemelha à "ekphrasis". E análise do uso da figura no canto VIII da "Eneida" e da "aemulatio" praticada por Virgílio por meio do escudo de Enéias, semelhante ao escudo de Aquiles, na "ilíada", canto XVIII. (AU)

8 resultado(s)
|
Exportar 0 registro(s) selecionado(s)
Marcar todos desta pagina | Limpar seleção