Busca avançada

X

Criar um alerta por e-mail


Novos resultados para a sua pesquisa em seu e-mail, semanalmente.

Seu e-mail:

Tamanho do e-mail:



Seu endereço de e-mail não será divulgado.

Refine sua pesquisa

Pesquisa
  • Uma ou mais palavras adicionais
Publicações científicas
Publicações acadêmicas
Excel (CSV)Alerta por e-mail   RSS
18 resultado(s)
|
Resumo

O interesse acadêmico e programático sobre o tema do transporte ativo vem crescendo mundialmente, dada sua estreita relação com problemas de saúde pública da atualidade e seu potencial de contribuir positivamente em áreas cruciais, como transporte, saúde e meio ambiente. Entretanto, a maior parte das evidências sobre o tema tem sido desenvolvida em países de renda alta, que apresentam uma realidade distinta da observada nas metrópoles brasileiras. Uma possível forma de superar esta carência seria buscar fontes adicionais de informação para o estudo do transporte ativo no Brasil, por meio do uso dos dados de pesquisas Origem e Destino, tradicionalmente desenvolvidas pelo setor de transportes. Sendo assim, o propósito do nosso estudo será ampliar a investigação sobre o transporte ativo no Brasil por meio do uso de pesquisas Origem e Destino, buscando compreender a validade do uso destas informações para a pesquisa sobre o tema. Para tanto, realizaremos um estudo para avaliar a validade concorrente da estimativa do tempo de transporte ativo (a pé e de bicicleta) por pessoa obtida a partir do questionário da Pesquisa Origem e Destino da Região Metropolitana de São Paulo de 2007, tendo como método de referência a combinação da acelerometria com o sistema de posicionamento global. O projeto terá duração de aproximadamente 18 meses, sendo 10 a 12 meses de preparação e coleta e 6 a 8 meses para a análise dos dados, divulgação dos resultados e realização da oficina de uso de pesquisas de transporte no estudo do transporte ativo. (AU)

Resumo

As pesquisas sobre transporte ativo vêm crescendo mundialmente, dada sua estreita relação com problemas de saúde pública da atualidade e seu potencial de contribuir positivamente em áreas cruciais, como transporte, saúde e meio ambiente. Sendo assim, o propósito do nosso estudo será ampliar a investigação sobre o transporte ativo no Brasil por meio do uso de pesquisas Origem e Destino, buscando compreender a validade do uso destas informações para a pesquisa sobre o tema. Para tanto, realizaremos um estudo para avaliar a validade concorrente da estimativa do tempo de transporte ativo (a pé e de bicicleta) por pessoa obtida a partir do questionário da Pesquisa Origem e Destino da Região Metropolitana de São Paulo de 2007, tendo como método de referência a combinação da acelerometria com o sistema de posicionamento global. O projeto terá duração de aproximadamente 18 meses, sendo 10 a 12 meses de preparação e coleta e 6 a 8 meses para a análise dos dados, divulgação dos resultados e realização da oficina de uso de pesquisas de transporte no estudo do transporte ativo. (AU)

Resumo

As pesquisas sobre transporte ativo vêm crescendo mundialmente, dada sua estreita relação com problemas de saúde pública da atualidade e seu potencial de contribuir positivamente em áreas cruciais, como transporte, saúde e meio ambiente. Sendo assim, o propósito de nosso estudo será ampliar a investigação por meio do uso de pesquisas Origem e Destino, buscando compreender a validade do uso destas informações para a pesquisa sobre o tema. Para tanto, realizaremos um estudo para avaliar a validade concorrente da estimativa do tempo de transporte ativo (a pé de bicicleta) por pessoa obtida a partir do questionário da Pesquisa Origem e Destino da Região Metropolitana de São Paulo de 2007, tendo como método de referência a combinação da acelerometria com o posicionamento de referência global. O projeto terá duração de aproximadamente 18 meses, sendo de 10 a 12 meses de preparação e coleta e de 6 a 8 meses para a análise dos dados, divulgação dos resultados e realização da oficina de uso de pesquisas de transporte no estudo do transporte ativo. (AU)

Resumo

As pesquisas sobre transporte ativo vêm crescendo mundialmente, dada sua estreitarelação com problemas de saúde pública da atualidade e seu potencial de contribuirpositivamente em áreas cruciais, como transporte, saúde e meio ambiente. Sendo assim,o propósito do nosso estudo será ampliar a investigação sobre o transporte ativo noBrasil por meio do uso de pesquisas Origem e Destino, buscando compreender avalidade do uso destas informações para a pesquisa sobre o tema. Para tanto,realizaremos um estudo para avaliar a validade concorrente da estimativa do tempo detransporte ativo (a pé e de bicicleta) por pessoa obtida a partir do questionário daPesquisa Origem e Destino da Região Metropolitana de São Paulo de 2007, tendo comométodo de referência a combinação da acelerometria com o sistema de posicionamentoglobal. O projeto terá duração de aproximadamente 18 meses, sendo 10 a 12 meses depreparação e coleta e 6 a 8 meses para a análise dos dados, divulgação dos resultados erealização da oficina de uso de pesquisas de transporte no estudo do transporte ativo.Vigência: 01/07/2015 a 30/06/2017. (AU)

Resumo

As pesquisas sobre transporte ativo vêm crescendo mundialmente, dada sua estreita relação com problemas de saúde pública da atualidade e seu potencial de contribuir positivamente em áreas cruciais, como transporte, saúde e meio ambiente. Sendo assim, o propósito do nosso estudo será ampliar a investigação sobre o transporte ativo no Brasil por meio do uso de pesquisas Origem e Destino, buscando compreender a validade do uso destas informações para a pesquisa sobre o tema. Para tanto, realizaremos um estudo para avaliar a validade concorrente da estimativa do tempo de transporte ativo (a pé e de bicicleta) por pessoa obtida a partir do questionário da Pesquisa Origem e Destino da Região Metropolitana de São Paulo de 2007, tendo como método de referência a combinação da acelerometria com o sistema de posicionamento global. O projeto terá duração de aproximadamente 18 meses, sendo 10 a 12 meses de preparação e coleta e 6 a 8 meses para a análise dos dados, divulgação dos resultados e realização da oficina de uso de pesquisas de transporte no estudo do transporte ativo. (AU)

Resumo

Resumo: Este projeto objetiva estudar o consumo de alimentos ultraprocessados e estimar o seu efeito global sobre o teor de açúcar livre da alimentação a partir de dados de países em diferentes estágios de desenvolvimento. O estudo, coordenado pelo NUPENS/USP, conta com equipes de investigadores em sete países e envolve a análise de dados de consumo alimentar individual coletados em inquéritos nacionais realizados no Brasil (n=34.003 indivíduos com 10 ou mais anos de idade), Colômbia (n=37.211, 0 a 64 anos), Chile (n=4.920, e 2 anos), Estados Unidos (n=19.903, todas as idades), Canadá (n=35.107, todas as idades), Reino Unido (n=6.828, todas as idades) e Austrália (n=12.153, e 2 anos). Serão classificados como alimentos ultraprocessados itens de consumo que correspondam a formulações industriais de substâncias extraídas de alimentos ou sintetizadas com base em substratos de alimentos ou outras fontes orgânicas, com pouco ou nenhum alimento inteiro - conceito desenvolvido no NUPENS/USP e crescentemente utilizado na literatura científica internacional, na elaboração de guias nacionais de alimentação e em propostas de políticas regulatórias. Em cada país, avaliar-se-á a associação entre o consumo de alimentos ultraprocessados (% do total energia) e o teor de açúcares livres na dieta e o percentual de dietas com consumo de açúcar livre acima do recomendado. Os resultados dos sete países serão agregados para obtenção de estimativas de efeito resumo (pooling). (AU)

Resumo

Objetivo - Estudar a influência das habilidades culinárias dos pais na qualidade da alimentação consumida em casa por crianças em idade escolar. Método - Estudo observacional transversal (T1), seguido de estudo experimental, prospectivo, randomizado e controlado, envolvendo intervenção educativa para aperfeiçoar as habilidades culinárias dos pais. A população de estudo corresponde a pares de crianças-pais de nove escolas de atendimento integral de uma rede de ensino em São Paulo. O tamanho da amostra foi estabelecido com base no número mínimo de crianças necessário para avaliar o impacto da intervenção: 240 no grupo intervenção e 240 no grupo controle. Para T1 serão sorteadas cinco ou seis turmas do ensino fundamental por escola (n total inicial de aproximadamente 1600 crianças). As entrevistas serão realizadas por telefone, por equipe de entrevistadores treinados, antes da intervenção (T1), logo após a intervenção (T2) e seis meses após a intervenção (T3). Serão coletadas informações sobre consumo alimentar da criança, pela aplicação de recordatório alimentar relativo ao jantar do dia anterior à entrevista; habilidades culinárias dos pais, características demográficas e socioeconômicas, frequência e características das refeições preparadas em casa e aprendizado de habilidades culinárias, por instrumento desenvolvido para esta pesquisa. As habilidades culinárias dos pais serão descritas por meio de escores. A qualidade da alimentação da criança será avaliada pelo total de calorias ingeridas e sua distribuição segundo grupos e subgrupos de alimentos, densidade energética da refeição e teor de nutrientes. A associação entre as habilidades culinárias dos pais e a qualidade da alimentação da criança será analisada por meio de análises de regressão linear múltipla com e sem ajustes para fatores de confundimento. O impacto da intervenção sobre as habilidades culinárias dos pais e sobre a qualidade da alimentação da criança será avaliado por comparações entre os grupos intervenção e controle nos momentos T1, T2 e T3. (AU)

Resumo

A participação de produtos prontos para o consumo na dieta tem sido associada com o aumento do risco de excesso de peso e de obesidade. O objetivo principal desta pesquisa é documentar o consumo desses produtos e sua associação com excesso de peso e obesidade na Colômbia. A fonte de dados para esta pesquisa será a Pesquisa Nacional de Nutrição realizada na Colômbia do ano de 2005. O padrão de consumo alimentar da população será descrito com base nos dados colhidos por um inquérito recordatório de 24 horas aplicado a uma amostra probabilística de 39.413 homens e mulheres com idade entre 2 e 64 anos. Os itens de consumo informados nos inquéritos serão classificados em três grupos que levam em conta a natureza, extensão e finalidade do processamento industrial a que foram submetidos: alimentos in natura ou minimamente processados, ingredientes culinários processados e produtos prontos para consumo processados ou ultra-processados (Monteiro et al. 2012). O indicador central que decorre desta classificação é a porcentagem da energia total ingerida que provém de produtos prontos para consumo (em oposição àquela que provém de alimentos e preparações à base de alimentos e ingredientes culinários). Também será estimada a fração de produtos prontos para o consumo ingerida na forma de lanches ou como refeições principais, e se eles foram consumidos concomitantemente ou não com alimentos in natura ou minimamente processados. A associação entre a ingestão de produtos prontos para consumo e a ocorrência de excesso de peso ou obesidade será estudada por análises de regressão ajustadas para idade, sexo, renda, escolaridade, área de residência (rural ou urbana), região geográfica de residência, calorias adicionais (derivadas de itens não classificados como produtos prontos para consumo) e atividade física. A ingestão de produtos prontos para consumo será estudada como variável contínua e classificada segundo quintos da sua distribuição crescente na população. O excesso de peso e a obesidade serão caracterizados com base no valor do Índice de Massa Corporal (IMC) calculado a partir da mensuração direta do peso e altura dos indivíduos estudados. No caso de adultos o excesso de peso e a obesidade serão diagnosticados quando o IMC exceder 25 kg/m2 ou 30 kg/m2, respectivamente. No caso de crianças, serão utilizados valores do IMC para idade e sexo correspondentes a + 1 e + 2 escores da distribuição de referência estabelecida pela Organização Mundial de Saúde. A proposta de pós-doutorado envolverá a participação do bolsista em outras atividades e projetos do NUPENS/USP, incluindo um estudo internacional comparativo sobre consumo de produtos alimentícios prontos para consumo em países de renda alta, média e baixa, em execução com a colaboração da FAO (Food and Agriculture Organization). (AU)

Resumo

Este projeto objetiva estudar o consumo de produtos alimentícios ultraprocessados no Brasil e sua influência sobre a qualidade da dieta e o estado nutricional da população. O estudo envolverá a análise de dados da Pesquisa de Orçamentos Familiares 2008-2009, em particular dados sobre consumo individual de alimentos e dados antropométricos. Dados de peso e altura foram obtidos por mensuração direta dos moradores dos domicílios estudados enquanto dados sobre consumo alimentar foram obtidos por meio de dois registros alimentares de 24 horas aplicados aos moradores com 10 anos ou mais de idade (n=34.003) em uma subamostra de 24,3% dos domicílios. Produtos alimentícios (alimentos, bebidas e preparações) manufaturados industrialmente a partir de substâncias extraídas ou derivadas de alimentos integrais, como óleos e gorduras (hidrogenados ou não), açúcar e xaropes, farinhas e féculas, e extratos de carnes serão classificados como produtos ultraprocessados. O padrão de consumo desses produtos será caracterizado levando-se em conta sua contribuição para o consumo total de energia, a fração consumida dentro ou fora do domicílio, a fração consumida como refeições principais ou lanches e a concomitância ou não com o consumo de alimentos in natura ou minimamente processados. Serão estudadas a distribuição demográfica e socioeconômica do consumo de produtos ultraprocessados e a influência sobre este consumo da renda familiar e da escolaridade do indivíduo. Finalmente, serão realizadas análises para verificar a influência do consumo de ultraprocessados sobre a qualidade geral da dieta e sobre a ocorrência de obesidade. (AU)

Resumo

O estudo e a promoção do deslocamento ativo vêm crescendo mundialmente, dada sua estreita relação com problemas de saúde pública da atualidade, como a obesidade e o aquecimento global, e seu potencial de contribuir positivamente em áreas cruciais, como transporte, saúde e meio ambiente. Diante disto, o objetivo do nosso estudo será investigar a freqüência, distribuição e variação temporal do deslocamento ativo no Brasil bem como os efeitos dessa prática sobre condições de saúde da população.A pesquisa envolverá, inicialmente, o estudo da relação entre deslocamento ativo e condições de saúde dos indivíduos, por meio de revisão sistemática de estudos sobre o efeito da prática do deslocamento ativo no excesso de peso em adultos, tendo em vista a epidemia de obesidade que acomete a população mundial. Acessaremos quatro bases de dados: PubMed, Web of Knowledge, CAB Abstracts e LILACS. Serão incluídos estudos originais, de qualquer delineamento, que apresentarem resultados referentes à associação entre prática de deslocamento ativo e excesso de peso, publicados nos idiomas inglês, português ou espanhol. Quando possível, seus resultados serão combinados e uma estimativa da associação entre prática de deslocamento ativo e excesso de peso será obtida. Para tanto, proceder-se-á à análise de heterogeneidade dos estudos, por meio da estatística I2. Caso haja heterogeneidade, investigaremos suas causas por meio da análise estratificada dos estudos segundo aspectos do delineamento e de possível viés de publicação, empregando-se análise gráfica (funnel plot) e teste de Egger. Em seguida, avançaremos na investigação da frequência e distribuição do deslocamento no Brasil, com base no que existe até o momento na literatura, tendo como fonte de dados o Suplemento de Saúde da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios 2008. Ampliaremos os indicadores do deslocamento ativo, considerando, também, deslocamentos ativos para o trabalho que não alcançaram a duração mínima diária de 30 minutos, e incluiremos novas variáveis de estratificação, como o local da residência e as unidades federativas da nação.O próximo passo do estudo será investigar o padrão dos deslocamentos na Região Metropolitana de São Paulo (RMSP) e a relação entre o deslocamento ativo e os demais modos de transporte. Para tanto, utilizaremos como fontes de dados as Pesquisas Origem e Destino (ODs) de 1997 e 2007. As ODs buscam caracterizar a dinâmica dos deslocamentos diários feitos em determinada região com o objetivo de planejar a expansão ou reestruturação da rede de transportes. Com sua realização, obtêm-se dados sobre o modo dos deslocamentos, a distância percorrida e o tempo gasto em cada deslocamento, sua origem e destino, e o propósito da viagem. Em ODs, a viagem é definida como todo o percurso entre a origem e o destino, que pode ser feita por diversos modos de transporte. Uma vez que nosso interesse central está nos modos ativos de deslocamento, consideraremos cada trecho como uma viagem diferente. Feito o desmembramento das viagens realizadas pelos indivíduos adultos, exploraremos os dados sobre os deslocamentos na RMSP por meio de duas estratégias distintas: primeiramente, considerando a viagem como unidade de estudo, enquanto, na segunda, o indivíduo. Serão avaliadas a freqüência, distribuição e variação temporal dos indicadores e condições de saúde entre os anos de 1997 e 2007.A última etapa do projeto buscará identificar o efeito independente da prática de deslocamento ativo para o trabalho sobre o excesso de peso em população brasileira adulta, a partir dos dados do Sistema de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico, de 2006 a 2010, considerando variáveis sociodemográficas, demais domínios de atividade física, sedentarismo, condições de saúde como tabagismo e consumo abusivo de álcool, e variáveis de consumo alimentar. (AU)

18 resultado(s)
|
Exportar 0 registro(s) selecionado(s)
Marcar todos desta pagina | Limpar seleção