Busca avançada
X

Criar um alerta por e-mail


Novos resultados para a sua pesquisa em seu e-mail, semanalmente.

Seu e-mail:

Tamanho do e-mail:



Seu endereço de e-mail não será divulgado.
Refine sua pesquisa
Pesquisa
  • Uma ou mais palavras adicionais
Publicações científicas
Excel (CSV)Alerta por e-mail   RSS
1 resultado(s)
|
Resumo

A circulação meridional do Atlântico (AMOC) desempenha um papel fundamental na oceanografia e no clima do Atlântico e dos continentes vizinhos. Resultados de modelos globais acoplados oceano-atmosfera indicam uma desintensificação da AMOC para as próximas décadas. Portanto, a compreensão aprofundada da resposta da porção oeste do Atlântico às mudanças na AMOC em diversas escalas temporais é uma questão de suma importância. Neste projeto propõe-se reconstituir mudanças na estratificação da porção superior da coluna de água além da geometria das massas de águas profundas da porção oeste do Atlântico desde o Estágio Isotópico Marinho 3 para verificar a resposta da porção oeste do Atlântico às mudanças na AMOC nas escalas de tempo milenar a sazonal. Para atingir este objetivo serão efetuadas análises de isótopos de oxigênio e carbono além de razões Mg/Ca em foraminíferos planctônicos e bentônicos de 18 testemunhos sedimentares provenientes da porção oeste do Atlântico tropical e subtropical. Os testemunhos sedimentares terão modelos de idades baseados em datações 14C AMS obtidas em amostras monoespecíficas de foraminíferos. Adicionalmente, a variabilidade na precipitação continental será detalhada por meio de análises geoquímicas em amostras de sedimento total. Com este projeto espera-se: (i) contribuir de maneira significativa para o debate dos possíveis impactos que mudanças futuras na AMOC possam ter sobre a porção oeste do Atlântico; (ii) estabelecer um grupo de pesquisas do mais alto nível em paleoceanografia/paleoclimatologia na Escola de Artes, Ciências e Humanidades, USP; e (iii) montar nesta mesma instituição um laboratório de ponta especializado em análises de isótopos estáveis de oxigênio e carbono em diminutas amostras de carbonatos (i.e., ca. 10 microg). (AU)

1 resultado(s)
|
Exportar 0 registro(s) selecionado(s)
Marcar todos desta pagina | Limpar seleção