Busca avançada

X

Criar um alerta por e-mail


Novos resultados para a sua pesquisa em seu e-mail, semanalmente.

Seu e-mail:

Tamanho do e-mail:



Seu endereço de e-mail não será divulgado.

Refine sua pesquisa

Pesquisa
  • Uma ou mais palavras adicionais
Publicações científicas
Excel (CSV)Alerta por e-mail   RSS
4 resultado(s)
|
Resumo

O estudo da variação em comunidades biológicas - diversidade beta - é fundamental para o entendimento da homogeneização biológica. Apesar de esforços crescentes, padrões e processos relacionados a diversidade beta ainda são pouco compreendidos em muitos ecossistemas. O entendimento da variação biológica não pode ser alcançado ignorando o efeitos de distúrbios antrópicos. Enquanto muitos estudos têm considerado o efeito de alterações antrópicas sobre comunidades na escala local, poucos estudos examinaram diretamente como alterações antrópicos afetam a biodiversidade na escala da paisagem. Por exemplo, muitos estudos cujo objetivo era estudar os efeitos da fragmentação, um processo na escala de paisagem, analisam fatores locais associados a fragmentação. Neste projeto, nós iremos investigar os efeitos de distúrbios na escala de paisagem na diversidade beta de macroinvertebrados e diatomáceas de riachos no Brasil e Finlândia através de grandes levantamentos e abordagens estatísticas modernas. Essa comparação tropical-boreal é uma novidade na área de ecologia de riachos, já que poucos estudos consideram comparações entre regiões no entendimento da diversidade beta. A comparação tropical-boreal é fundamental, pois a primeira possui estações climáticas menos variáveis enquanto a segunda possui ecossistemas sob clima altamente variável. Essa sazonalidade marcada pode determinar diferenças profundas na variação da diversidade. Nosso projeto, portanto, deve ser fundamental para a ecologia básica e aplicada, com os estudos fornecendo suporte para o entendimento da estruturação de comunidades biológicas e da homogeneização da biodiversidade frente aos impactos antrópicos. Além deste fenômenos na escala de comunidades, nós também examinaremos quais fatores naturais e antrópicos afetam a distribuição de espécies, isoladamente, através de modelagem de distribuição potencial. O projeto está fortemente ligado as áreas de expertise dos investigadores principais e das equipes de pesquisa. O líder da equipe Brasileira, Dr. Tadeu Siqueira, é especialista em ecologia de riachos, incluindo ecologia espacial e avaliação ambiental de ecossistemas aquáticos. Do lado Finlandês, o Dr. Jani Heino tem experiência em ecologia de comunidades, mudanças globais e modelagem de padrões de comunidades de organismos aquáticos; o Dr. Janne Soininen tem publicado estudos sobre diversidade beta de diatomáces e recentemente tem focado na modelagem de distribuição potencial. Os pesquisadores associados complementam a expertise dos pesquisadores principais. (AU)

Resumo

O carcinoma de células escamosas oral (CCEO) é o décimo primeiro tumor sólido mais comum no mundo, representando cerca de 4% de todas as neoplasias malignas. Apesar dos avanços nas opções terapêuticas e no conhecimento científico sobre este tumor, o prognóstico de pacientes com CCEO permaneceu praticamente inalterado ao longo das últimas décadas, com uma taxa de sobrevida de 5 anos de aproximadamente 50%. Esta taxa de sobrevida é inaceitável e atribuída principalmente ao diagnóstico tardio, a resposta inadequada ao tratamento quimio e radioterápico e a falta de biomarcadores para o diagnóstico precoce e acompanhamento pós-terapêutico dos pacientes. Assi0m, elucidar os mecanismos celulares e moleculares envolvidos com a patogênese do CCEOs é mandatória para o desenvolvimento de abordagens terapêuticas inovadoras e individualizadas, o que deverá proporcionar um impacto importante na sobrevida dos pacientes. Nos últimos anos grande atenção tem sido dada os mecanismos associados com o processo de invasão das células tumorais e como o estroma tumoral circundante influencia este evento. Nós demonstramos que tanto moléculas produzidas pelas células tumorais como produzidas pelos fibroblastos associados ao tumor (CAF do inglês carcinoma-associated fibroblast) são capazes de promover a invasão tumoral. Em adição, nós revelamos que a combinação de dois parâmetros histológicos associados com a invasão das células tumorais - brotamento (B do inglês budding) e profundidade da invasão (D do inglês depth of invasion) - em um sistema de graduação histopatológica (BD score) são significantemente correlacionados com um prognóstico desfavorável para os pacientes com CCEO. O período da visita da Professor Tuula Salo associado a esta proposta vai permitir um refinamento das estratégias experimentais para uma melhor compreensão dos mecanismos biológicos associado com a invasão tumoral e a disseminação da doença (metástase), bem como terminar alguns manuscritos gerados de colaborações anteriores. (AU)

4 resultado(s)
|
Exportar 0 registro(s) selecionado(s)
Marcar todos desta pagina | Limpar seleção