site da FAPESP
 

Refine sua pesquisa

Pesquisa
  • Uma ou mais palavras adicionais
Publicações científicas
Auxílios à Pesquisa
Bolsas
Programas voltados a Temas Específicos
Programas de Infraestrutura de Pesquisa
Área do conhecimento
Situação
Ano de início
16 resultado(s)
|

Potencial químico e farmacológico de extratos de Hyptis Jacq. (Lamiaceae)

Beneficiário:
Instituição: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Cláudia Maria Furlan
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Botânica - Botânica Aplicada
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:13/24841-4
Vigência: 01 de setembro de 2014 - 31 de agosto de 2016
Assunto(s):LamiaceaeHyptisPlantas medicinaisAntioxidantesFlavonoidesIridoidesAnti-HIVAnti-infecciosos
Resumo
Lamiaceae é uma família botânica com distribuição cosmopolita que inclui cerca de 300 gêneros e 7500 espécies. As plantas dessa família são, geralmente, herbáceas e arbustivas, sendo menos frequente o porte arbóreo. São muito conhecidas por seus constituintes aromáticos, e seus óleos voláteis são objeto de interesse econômico para uso medicinal, cosmético e alimentício. Hyptis Jacq., com cerca de 144 espécies, ocorre nas regiões tropicais e subtropicais, desde a América do Norte ao Caribe e ao Sul até a Argentina. Espécies de Hyptis são conhecidas por serem usadas na medicina popular para o tratamento de diversas doenças, como gripe e constipação (H. fruticosa); doenças respiratórias (H. macrostachys); perturbações estomacais e intestinais (H. martiusii); cólica e doenças hepáticas (H. pectinata); perturbações nasais e auriculares (H. umbrosa); e para combater febre (H. suaveolens). Para o gênero já foi reportada a presença de alcaloides, terpenoides, flavonoides e saponinas. Hyptis lacustris A.St.-Hil ex Benth., Hyptis lappulacea Mart. ex Benth., Hyptis multibracteata Benth. e Hyptis radicans (Pohl) Harley & Pastore, em um estudo preliminar, apresentaram extratos com um alto potencial antioxidante e alta atividade de inibição da transcriptase reversa (anti-HIV). Entretanto, pouco se avançou em relação à constituição química dessas espécies com relação ao isolamento das substâncias responsáveis por essas atividades biológicas. Este projeto propicia a oportunidade de descrição de novas substâncias com potencial farmacológico e traz, ainda, um caráter multidisciplinar, com a interação das áreas de química, biologia e farmacologia. A presente proposta conta com o formal envolvimento de graduandos, mestrandos e doutorandos e tem por objetivo maior consolidar a linha de pesquisa de prospecção de substâncias de origem vegetal pela proponente, recém-contratada pela Universidade de São Paulo. Como objetivos específicos, esta proposta contribuirá para ampliar o conhecimento sobre a composição química de metabólitos secundários desse gênero com relação ao potencial antioxidante, antimicrobiano e anti-HIV de diferentes extratos, frações e sub-frações. Além de fornecer informações químicas sobre espécies pertencentes à seção Peltodon de ocorrência nos biomas cerrado e mata atlântica. (AU)

Estratégias de mitigação das emissões de metano entérico e dos dejetos em bovinos alimentados com diferentes dietas alimentares

Beneficiário:
Instituição: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Paulo Henrique Mazza Rodrigues
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Zootecnia - Nutrição e Alimentação Animal
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:13/18918-4
Vigência: 01 de maio de 2014 - 30 de abril de 2016
Assunto(s):BovinosAditivos alimentares para animalEmissão de gasesGases do efeito estufaMetanoBiodigestoresAquecimento global
Resumo
As alterações climáticas e o aquecimento global do planeta continuam a ser tópicos de debate científico e de interesse público. O aumento dos gases de efeito estufa (GEE) na atmosfera tem sido apontado como uma das principais causas das mudanças climáticas, uma vez que aumentam o potencial de aquecimento global. Na pecuária, os GEE de maior importância são o CH4 e o N2O, podendo ocorrer também emissões de CO2 em pequenas escalas. As emissões se dão através da fermentação entérica e a partir de dejetos orgânicos dos ruminantes. Técnicas nutricionais, como o uso de ionóforos, glicerol, tanino, saponinas, óleos essencias (óleos de canola, óleo de alho, linhaça, girasol, etc), lipídios, vacinas, anticorpos policlonais, técnicas de manejo de pastagens e melhoramento genético, têm sido utilizadas como estratégias para manipular a fermentação ruminal e reduzir a emissões dos GEE. Embora algumas estratégias alimentares tenham sido propostas para diminuir as emissões de metano provenientes de ruminantes, poucas têm mostrado uma diminuição persistente, principalmente em ensaios in vivo. Diante deste contexto, o presente projeto visa avaliar o uso de diferentes aditivos e suplementos alimentares na alimentação de ruminantes como estratégia nutricional visando à mitigação de CH4 via fermentação entérica, determinada pela técnica ex-situ (micro-rúmen) de mensuração de metano e pela técnica do gás traçador SF6. Além do CH4, serão mensuradas outras variáveis como AGCC, pH, N-NH3, perda de energia relativa (PER), comportamento ingestivo e contagem total e diferencial de protozoários do conteúdo ruminal. Adicionalmente a este experimento, pretende-se avaliar a produção de CH4, N2O e CO2 nas fezes dos animais por meio de biodigestores já confeccionados para essa finalidade. Seis experimentos e seis sub-experimentos comporão o presente projeto de pesquisa. Para os cinco primeiros experimentos, objetiva-se avaliar o uso desses aditivos e suplementos alimentares pela técnica ex-situ (micro-rúmen). No experimento seis serão estudadas e determinadas as exigências nutricionais, partição da energia consumida e quantificação da emissão de metano entérico pela técnica do gas traçador SF6 em novilhas da raça Holandesa, visando ao estabelecimento de normas e padrões nutricionais para máxima eficiência alimentar e ambiental. Como nos demais experimentos, no sub-experimento seis serão mensurados, nas fezes dos animais, a produção de gases CH4, N2O e CO2 por meio de biodigestores. (AU)

Avaliação dos possíveis efeitos da administração de Paullinia cupana Mart var. sorbilis, guaraná, sobre o sistema imune de camundongos

Beneficiário:
Instituição: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Silvana Lima Gorniak
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Patologia Animal
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Processo:09/12117-4
Vigência: 01 de março de 2010 - 29 de fevereiro de 2012
Assunto(s):GuaranáPaullinia cupanaSistema imuneToxicologia
Resumo
Paullinia cupana Mart var. sorbilis, popularmente conhecida como guaraná, é um arbusto originário do Brasil, mais especificamente da região Amazônica e pertence a família Sapindaceae. Quanto aos seus constituintes químicos, cada parte da planta contém diferenças, sendo que no extrato das sementes do guaraná existem xantinas como a cafeína, teobromina e teofilina, além de taninos, saponinas, catequinas, epicatequinas, proantrocianidóis, entre outros. Já em relação às suas indicações, foi demonstrado que o guaraná além de agir como estimulante para o SNC, agente microbicida e gastroprotetor, apresenta também ação quimiopreventiva e antitumoral através da redução da proliferação de células cancerosas. Neste sentido, sabe-se que no organismo uma das principais defesas para impedir o desenvolvimento de cânceres é o sistema imune e dentro deste podem-se citar as células natural killer (imunidade inata) e os linfócitos T citotóxicos (imunidade adquirida), que exercem papel fundamental na imunovigilância ao câncer Desta forma, conhecendo-se as ações do guaraná sobre diferentes sistemas do organismo e também sobre as células cancerosas e sabendo-se da importância do sistema imune não só no combate ao câncer, mas também no controle de infecções, é de grande relevância analisar como esta planta, bem como seus princípios ativos, atua sobre as células deste sistema de forma a descobrir se há ou não imunoestimulação. (AU)

Valor nutricional e propriedades funcionais de espécies espontâneas encontradas no Brasil

Beneficiário:
Instituição: Faculdade de Saúde Pública (FSP). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Deborah Helena Markowicz Bastos
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos - Ciência de Alimentos
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Processo:10/01586-0
Vigência: 01 de março de 2010 - 30 de junho de 2011
Assunto(s):Alimentos funcionaisAntioxidantesDieta
Resumo
A dieta adequada maximiza a saúde e a longevidade, previne deficiência de nutrientes, reduz o risco de doenças crônicas relacionadas à alimentação e deve ser composta de alimentos que estejam disponíveis, sejam seguros e sensorialmente agradáveis. Do ponto de vista de saúde pública, é importante identificar a combinação de alimentos de origem vegetal e animal que possam prevenir a deficiência nutricional e as doenças crônicas. È fato que a diversificação do alimento na dieta contribui positivamente para o estado de saúde do ser humano e, portanto, no campo da nutrição humana, a biodiversidade é estratégica para a segurança alimentar. No entanto, o cenário atual indica que a alimentação no mundo globalizado se restringe a um número reduzido de espécies vegetal e animal.. Algumas espécies espontâneas podem ser boas fontes de nutrientes e de compostos bioativos e a falta de conhecimento desfavorece sua inclusão na dieta. Este projeto visa: a) determinar a composição centesimal e de ácidos graxos, b) avaliar algumas propriedades funcionais (atividade antioxidante, antiglicação e inibição da lipase pancreática) e c) avaliar a aceitação de alimentos de origem vegetal, os quais se encaixam na descrição de plantas espontâneas. Pretende-se avaliar os seguintes alimentos/espécies: mandacaru (Cereus jamacaru), figo-da-índia (Opuntia ficus-indica), uva-do-japão (Hovenia dulcis), jambú ou agrião-do-pará (Spilanthes sp), serralha (Sonchus oleraceus L.), serralinha (Emilia Sonchifolia L.), dente-de-Leão (Taraxacum officinalis Weber), o picão-preto (Bidens pilosa L.), o jenipapo (Genipa americana), juazeiro (Ziziphus joazeiro) e a carambola (Averrhoa carambola). O teor de fenólicos totais será avaliado pelo método de Folin Ciocalteau e o perfil de fenólicos ("fingerprint") por ESI-MS. A determinação de saponinas e sapogeninas por HPLC. A atividade antioxidante será avaliada pela capacidade de captação do radical livre DPPH; a atividade antiglicação será realizada em sistemas modelos contendo albumina ou histonas e metilglioxal, e a capacidade de inibição da lipase pancreática será feita pela adição dos extratos em meio contendo azeite de oliva e lipase pancreática humana. A composição centesimal (proteína, cinzas, lipídeos totais, fibras) será avaliada pelos métodos oficiais de análise e o perfil de ácidos graxos será avaliado por cromatografia gasosa de alta eficiência acoplada à espectrometria de massas. Será avaliada a aceitação desses alimentos, preparados na forma como são tradicionalmente consumidos, empregando-se escala hedônica. Será utilizado teste estatístico adequado ao comportamento dos dados a fim de determinar diferenças significativas entre as espécies, para as variáveis estudadas. Os dados obtidos permitirão conhecer melhor o potencial de espécies espontâneas que são consumidos por populações isoladas, visando propiciar o acesso da população a alimentos de origem vegetal de qualidade. (AU)

Avaliação sazonal da atividade antiviral de extratos de folhas de Drimys brasiliensis Miers contra herpesvírus animal

Beneficiário:
Instituição: Instituto Biológico (IB). Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA). Secretaria de Agricultura e Abastecimento (São Paulo - Estado). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Isabela Cristina Simoni
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia - Biologia e Fisiologia dos Microorganismos
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:09/01445-0
Vigência: 01 de maio de 2009 - 30 de novembro de 2010
Assunto(s):BioensaioCitotoxicidadeDrimysLinhagem celular
Resumo
Infecções causadas por vírus constituem um problema muito importante de saúde tanto humana como animal. Doenças virais ainda levam a muitas mortes em rebanhos bovinos, suínos, como também, em equinos. O estudo de espécies de plantas que apresentem atividade antiviral contra herpesvírus é de suma importância aliado ao grande interesse do aproveitamento dos recursos naturais brasileiros presentes, por exemplo, no cerrado ou na mata atlântica. As chances de se encontrar compostos antivirais aumenta em plantas que já apresentam alguma atividade biológica. Muitas substâncias como os alcaloides, proteínas, saponinas, flavonóides, óleos essenciais, já foram encontradas em extratos de plantas com potencial antiviral. Dentre essas espécies extratos de Drimys brasiliensis apresentam atividades antifúngica, antinociceptiva, antibacteriana e antioxidante. Recentemente foi também verificada a atividade antiviral desta espécie contra herpesvírus animal. A distribuição geográfica, bem como época de coleta pode interferir na quantidade e, às vezes, até mesmo a natureza dos constituintes ativos variando durante o ano nas diferentes estações. A finalidade deste projeto é pesquisar a atividade antiviral em linhagens celulares sobre herpesvírus animais de extratos de Drimys brasiliensis coletados em diferentes épocas do ano. (AU)

Inibição da formação de produtos intermediários da reação de Maillard e de produtos finais de glicação por frações de compostos bioativos da erva mate (Ilex paraguariensis)

Beneficiário:
Instituição: Faculdade de Saúde Pública (FSP). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Deborah Helena Markowicz Bastos
Anfitrião: Alejandro Gugliucci
Local de pesquisa: Touro University (TUC) (Estados Unidos)
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos - Ciência de Alimentos
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Pesquisa
Processo:08/00409-8
Vigência: 01 de agosto de 2008 - 31 de dezembro de 2008
Assunto(s):Ilex paraguariensisErva-mate
Resumo
O "paradoxo carbonila" envolve o papel de compostos carbonílicos em sistemas biológicos e nos alimentos pois, ao mesmo tempo em que compostos carbonílicos são necessários para o desenvolvimento de sabor e cor em alimentos e que participam de importantes reações em sistemas biológicos, eles podem originar compostos tóxicos em alimentos e sistemas biológicos. Há uma inter-relação entre as reações oxidativas e as que envolvem compostos carbonílicos, e ambas contribuem para danos a açúcares, proteínas, lipídeos, vitaminas e DNA em alimentos e sistemas biológicos. Esforços para contrapor danos causados por estas espécies ganham espaço como uma base para novas estratégias terapêutica. Estratégias que minimizem os efeitos indesejáveis da reação de Maillard em alimentos podem ser também necessárias. Estudos demonstraram que o extrato aquoso da erva-mate verde é capaz de atuar como agente anti-glicação. Os objetivos deste projeto são: avaliar a ação anti-glicação de frações isoladas de compostos bioativos de erva-mate (saponinas, compostos fenólicos, melanoidinas) in vitro em diferentes sistemas-modelo. As frações de saponinas, compostos fenólicos e malanoidinas serão obtidas a partir da erva-mate verde e da erva-mate torrada (chá-mate), as quais serão separadas e analisadas por cromatografia liquida de alta eficiência (HPLC). A avaliação da atividade anti-glicação será feita a partir de diversos sistemas modelo por meio da reação entre compostos carbonílicos (frutose, metilglixal, glioxal) e proteínas ou aminoácidos. Os produtos de glicação serão avaliados por fluorescência e danos à estrutura proteica serão avaliados por eletroforese. A formação de carboximetillisina, produto intermediário da reação de Maillard em alimentos será acompanhada por HPLC. (AU)

Chá mate (Ilex paraguariensis): compostos bioativos e relação com atividade biológica

Beneficiário:
Instituição: Faculdade de Saúde Pública (FSP). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Deborah Helena Markowicz Bastos
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Nutrição
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Processo:07/06856-3
Vigência: 01 de março de 2008 - 30 de setembro de 2009
Assunto(s):Compostos bioativosCompostos fenólicosIlex paraguariensisAntioxidantesCiência de alimentos
Resumo
A erva mate (Ilex paraguariensis) é produzida no Brasil, Paraguai e Argentina e as bebidas dela derivadas são consumidas em toda a América Latina sob a forma de chá mate, tererê e chimarrão. O chá mate é preparado com a infusão da erva-mate tostada, já o chimarrão e o tererê, com água quente e fria, respectivamente, adicionada à erva-mate seca e cancheada. Há evidências do potencial protetor à saúde por meio do consumo de bebidas a base de erva-mate, como por exemplo o efeito antioxidante, anti-diabetes e vasodilatador. Os efeitos benéficos à saúde são atribuídos aos compostos bioativos como as saponinas, os compostos fenólicos e as metilxantinas da erva mate. Entretanto são raros os estudos que pesquisaram a atividade biológica dos compostos bioativos isolados do chá mate. A determinação do teor de compostos bioativos de alimentos comumente consumidos no Brasil, como o chá mate, poderá contribuir para o estabelecimento de níveis de ingestão destes compostos pela população. Esse trabalho irá isolar e quantificar os compostos bioativos do chá mate: compostos fenólicos, saponinas, e melaninas. Estas frações serão analisadas quanto à atividade antioxidante por dois diferentes métodos (captação do radical DPPH e peroxidação em sistema contendo β-caroteno/ácido linoléico) e analisadas quanto à capacidade de formar complexos com ácidos biliares. (AU)

Avaliação da ação quimiopreventiva do guaraná (Paullinia cupana Mart. var. Sorbilis) em camundongos com deficiência na expressão da Cx43 submetidos à carcinogênese pulmonar induzida por carcinógeno do tabaco, NNK

Beneficiário:
Instituição: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Maria Lucia Zaidan Dagli
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Patologia Animal
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado Direto
Processo:05/54194-4
Vigência: 01 de março de 2006 - 31 de outubro de 2008
Assunto(s):GuaranáCarcinogênese animalPulmãoTabaco
Resumo
Diversos estudos demonstram que compostos polifenólicos como os taninos e as catequinas apresentam ação específica contra o processo da carcinogênese pulmonar. Acredita-se que as conexinas atuem como agentes supressores de tumor, sendo que a cx43 é de longe a mais presente em pneumócitos do tipo II. O guaraná (Paullinia cupana Mart. Var. sorbilis) pertence à família Sapindaceae e apresenta em sua composição os radicais metil-xantínicos (cafeína, teobromina e teofilina), ocorrendo também taninos, saponinas, catequinas, epicatequinas, proantrocianidóis, dando-se ênfase à alta concentração de taninos (16,0%) e à cafeína variando entre 2.5 e 5.0%. Em estudos anteriores o guaraná apresentou efeito quimiopreventivo já que protegeu as fitas de DNA da ação tóxica da dietilnitrosamina (DEN) nas mesmas doses aqui propostas (p<0.05). Em experimento de hepatocarcinogênese, o guaraná reduziu a incidência.e multiplicidade (p<0.05) de lesões macroscópicas, de forma dose dependente. Diminuiu também o número de lesões preneoplásicas na dose de 2.0mg/g peso vivo (p<0.05). Neste trabalho estudaremos a ação do guaraná em animais wild type e heterozigotos para o gene que codifica a Cx43 em experimento de carcinogênese pulmonar induzida pelo NNK, um potente carcinógeno presente no tabaco. As lesões existentes serão quantificadas e classificadas, quantificaremos a expressão do RNAm para a cx43, quantificando também cx43 e classificaremos quanto a presença e localização delas nas lesões e tecido normal. (AU)

Efeito hipocolesterolemizante do feijão caupi (Vigna unguiculata (l.) Walp) em hamsters (Mesocricetus auratus)

Beneficiário:
Instituição: Faculdade de Saúde Pública (FSP). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:José Alfredo Gomes Arêas
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos - Ciência de Alimentos
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Processo:05/52081-8
Vigência: 01 de março de 2006 - 31 de março de 2007
Assunto(s):Alimentos funcionaisAteroscleroseColesterol
Resumo
A hipocolesterolemia é um dos principais fatores de risco para doenças arteriais coronarianas, que são as principais causas de morte nos países industrializados. A reversão deste quadro pode ser obtida através de medicamentos ou pela dieta. Diferentes componentes alimentares como proteínas vegetais, aminoácidos, saponinas, isoflavonas, fibras solúveis e fatores bioativos oriundos de vegetais têm sido relacionados a um efeito hipocalesterolemizante. O feijão caupi (Vigna unguiculata (L) Walp) é uma leguminosa tropical, de baixo custo de produção, com ampla adaptação, sendo cultivada em maior ou menor escala em todas as regiões do Brasil. Destaca-se pelo seu alto valor nutritivo e constitui-se fonte protéica primária das camadas menos favorecidas. Algumas leguminosas apresentam propriedades antilipêmicas, efeito este associado a um grande número de componentes da semente. Este projeto tem como objetivo investigar os possíveis efeitos hipocolesterolemizante do feijão caupi (Vigna unguiculata (L.) Walp) com casca e sem casca, nos níveis plasmáticos de colesterol de hamsters hipercolesterolemizados através da dieta. (AU)

Avaliação da ação quimiopreventiva do guaraná (Paullinia cupana Mart var.sorbilis) em camundongos com deficiência na expressão da Cx43 submetidos a carcinogênese pulmonar induzida por carcinógeno..

Beneficiário:
Instituição: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Maria Lucia Zaidan Dagli
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Patologia Animal
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:04/07815-0
Vigência: 01 de outubro de 2004 - 30 de abril de 2007
Assunto(s):Transformação celular neoplásicaConexinasGuaranáPaullinia cupanaPulmãoQuimioprevenção
Resumo
Diversos estudos demonstram que compostos polifenólicos como os taninos e as catequinas apresentam ação especifica contra o processo da carcinogênese pulmonar. Acredita-se que as conexinas atuem como agentes supressores de tumor, sendo que a cx43 é de longe a mais presente em pneumócitos do tipo II. O guaraná (Paullinia cupana Mart. Var. sorbilis) pertence a família Sapindaceae e apresenta em sua composição os radicais metil-xantinicos (cafeína, teobromina e teofilina), ocorrendo também taninos, saponinas, catequinas, epicatequinas, proantrocianidóis, dando-se ênfase à alta concentração de taninos (16,0%) e à cafeína variando entre 2.5 e 5.0%. Em estudos anteriores o guaraná apresentou efeito quimiopreventivo já que protegeu as fitas de DNA da ação tóxica da dietilnitrosamina (DEN) nas mesmas doses aqui propostas (p<0.05). Em experimento de hepatocarcinogenese, o guaraná reduziu a incidência.e multiplicidade (p<0.05) de lesões macroscópicas, de forma dose dependente. Diminuiu também o número de lesões preneoplásicas na dose de 2.0mg/g peso vivo (p<0.05). Neste trabalho estudaremos a ação do guaraná em animais wild type e heterozigotos para o gene que codifica a Cx43 em experimento de carcinogênese pulmonar induzida pelo NNK, um potente carcinógeno presente no tabaco. As lesões existentes serão quantificadas e classificadas, quantificaremos a. expressão do RNAm para a cx43, quantificando também cx43 e classificaremos quanto a presença e localização delas nas lesões e tecido normal. (AU)
16 resultado(s)
|
Exportar 0 registro(s) selecionado(s) | Limpar seleção
CDi/FAPESP - Centro de Documentação e Informação da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo

R. Pio XI, 1500 - Alto da Lapa - CEP 05468-901 - São Paulo/SP - Brasil
cdi@fapesp.br - Converse com a FAPESP