Busca avançada

X

Criar um alerta por e-mail


Novos resultados para a sua pesquisa em seu e-mail, semanalmente.

Seu e-mail:

Tamanho do e-mail:



Seu endereço de e-mail não será divulgado.

Refine sua pesquisa

Pesquisa
  • Uma ou mais palavras adicionais
Publicações científicas
Publicações acadêmicas
Excel (CSV)Alerta por e-mail   RSS
21 resultado(s)
|
Resumo

Lamiaceae é uma família botânica com distribuição cosmopolita que inclui cerca de 300 gêneros e 7500 espécies. As plantas dessa família são, geralmente, herbáceas e arbustivas, sendo menos frequente o porte arbóreo. São muito conhecidas por seus constituintes aromáticos, e seus óleos voláteis são objeto de interesse econômico para uso medicinal, cosmético e alimentício. Hyptis Jacq., com cerca de 144 espécies, ocorre nas regiões tropicais e subtropicais, desde a América do Norte ao Caribe e ao Sul até a Argentina. Espécies de Hyptis são conhecidas por serem usadas na medicina popular para o tratamento de diversas doenças, como gripe e constipação (H. fruticosa); doenças respiratórias (H. macrostachys); perturbações estomacais e intestinais (H. martiusii); cólica e doenças hepáticas (H. pectinata); perturbações nasais e auriculares (H. umbrosa); e para combater febre (H. suaveolens). Para o gênero já foi reportada a presença de alcaloides, terpenoides, flavonoides e saponinas. Hyptis lacustris A.St.-Hil ex Benth., Hyptis lappulacea Mart. ex Benth., Hyptis multibracteata Benth. e Hyptis radicans (Pohl) Harley & Pastore, em um estudo preliminar, apresentaram extratos com um alto potencial antioxidante e alta atividade de inibição da transcriptase reversa (anti-HIV). Entretanto, pouco se avançou em relação à constituição química dessas espécies com relação ao isolamento das substâncias responsáveis por essas atividades biológicas. Este projeto propicia a oportunidade de descrição de novas substâncias com potencial farmacológico e traz, ainda, um caráter multidisciplinar, com a interação das áreas de química, biologia e farmacologia. A presente proposta conta com o formal envolvimento de graduandos, mestrandos e doutorandos e tem por objetivo maior consolidar a linha de pesquisa de prospecção de substâncias de origem vegetal pela proponente, recém-contratada pela Universidade de São Paulo. Como objetivos específicos, esta proposta contribuirá para ampliar o conhecimento sobre a composição química de metabólitos secundários desse gênero com relação ao potencial antioxidante, antimicrobiano e anti-HIV de diferentes extratos, frações e sub-frações. Além de fornecer informações químicas sobre espécies pertencentes à seção Peltodon de ocorrência nos biomas cerrado e mata atlântica. (AU)

Resumo

As alterações climáticas e o aquecimento global do planeta continuam a ser tópicos de debate científico e de interesse público. O aumento dos gases de efeito estufa (GEE) na atmosfera tem sido apontado como uma das principais causas das mudanças climáticas, uma vez que aumentam o potencial de aquecimento global. Na pecuária, os GEE de maior importância são o CH4 e o N2O, podendo ocorrer também emissões de CO2 em pequenas escalas. As emissões se dão através da fermentação entérica e a partir de dejetos orgânicos dos ruminantes. Técnicas nutricionais, como o uso de ionóforos, glicerol, tanino, saponinas, óleos essencias (óleos de canola, óleo de alho, linhaça, girasol, etc), lipídios, vacinas, anticorpos policlonais, técnicas de manejo de pastagens e melhoramento genético, têm sido utilizadas como estratégias para manipular a fermentação ruminal e reduzir a emissões dos GEE. Embora algumas estratégias alimentares tenham sido propostas para diminuir as emissões de metano provenientes de ruminantes, poucas têm mostrado uma diminuição persistente, principalmente em ensaios in vivo. Diante deste contexto, o presente projeto visa avaliar o uso de diferentes aditivos e suplementos alimentares na alimentação de ruminantes como estratégia nutricional visando à mitigação de CH4 via fermentação entérica, determinada pela técnica ex-situ (micro-rúmen) de mensuração de metano e pela técnica do gás traçador SF6. Além do CH4, serão mensuradas outras variáveis como AGCC, pH, N-NH3, perda de energia relativa (PER), comportamento ingestivo e contagem total e diferencial de protozoários do conteúdo ruminal. Adicionalmente a este experimento, pretende-se avaliar a produção de CH4, N2O e CO2 nas fezes dos animais por meio de biodigestores já confeccionados para essa finalidade. Seis experimentos e seis sub-experimentos comporão o presente projeto de pesquisa. Para os cinco primeiros experimentos, objetiva-se avaliar o uso desses aditivos e suplementos alimentares pela técnica ex-situ (micro-rúmen). No experimento seis serão estudadas e determinadas as exigências nutricionais, partição da energia consumida e quantificação da emissão de metano entérico pela técnica do gas traçador SF6 em novilhas da raça Holandesa, visando ao estabelecimento de normas e padrões nutricionais para máxima eficiência alimentar e ambiental. Como nos demais experimentos, no sub-experimento seis serão mensurados, nas fezes dos animais, a produção de gases CH4, N2O e CO2 por meio de biodigestores. (AU)

21 resultado(s)
|
Exportar 0 registro(s) selecionado(s)
Marcar todos desta pagina | Limpar seleção