Busca avançada
Ano de início
Entree
X

Criar um alerta por e-mail


Novos resultados para a sua pesquisa em seu e-mail, semanalmente.

Seu e-mail:

Tamanho do e-mail:



Seu endereço de e-mail não será divulgado.
Refine sua pesquisa
Pesquisa
  • Uma ou mais palavras adicionais
Publicações científicas
Publicações acadêmicas
  • Auxílios à Pesquisa
  • Bolsas
  • Programas voltados a Temas Específicos
  • Programas de Pesquisa direcionados a Aplicações
  • Programas de Infraestrutura de Pesquisa
  • Área do conhecimento
  • Situação
  • Ano de início
Excel (CSV)Alerta por e-mail   RSS
304 resultado(s)
|
Resumo

Um dos principais mecanismos de coexistência é explicado pela teoria de nicho e uma das abordagens que têm sido empregadas para estudá-la utiliza técnicas que avaliam a estrutura espacial das populações vegetais. Assim, o objetivo do presente estudo é avaliar evidências da diferenciação de nicho como mecanismo de coexistência investigando padrões espaciais de três espécies congenéricas simpátricas em uma Floresta de Restinga em Ubatuba-SP. Em uma parcela de um hectare, todos os indivíduos encontrados pertencentes as três espécies foram marcados, mapeados, classificados em estádios ontogenéticos e tiveram seu diâmetro a altura do solo (DAS) medido. Na Alemanha, analisaremos as relações espaciais entre cada estádio das três espécies e avaliaremos as associações espaciais com a informação quantitativa de DAS associada a cada indivíduo. Se a diferenciação de nicho for um importante mecanismo de coexistência: (1) as espécies irão aumentar o grau de agregação ao longo dos estádios ontogenéticos devido à filtragem ambiental; (2) haverá crescente repulsão espacial entre as espécies ao longo da ontogenia, com completa segregação espacial dos adultos das diferentes espécies devido a filtragem ambiental; (3) não haverá influência da proximidade de indivíduos congenéricos sobre o tamanho dos mesmos devido à ausência de competição. (AU)

Resumo

O treinamento muscular inspiratório (TMI) tem sido estudado como um método não convencional para melhorar o desempenho de atletas, devido sua contribuição para redução da dispneia e da fadiga muscular periférica, os quais são os principais limitantes da prática esportiva. Entretanto, pouco se sabe sobre os efeitos do TMI sobre o controle autonômico cardiovascular, bem como, sobre a sensibilidade barorreflexa (SBR), que são fatores determinantes para a manutenção da homeostase cardiovascular e responsáveis pelo controle da frequência cardíaca e da pressão arterial, tanto em repouso, quanto durante a prática esportiva. O controle autonômico pode ser avaliado de forma indireta, por meio da análise da variabilidade da frequência cardíaca e da pressão arterial (VFC e VPA, respectivamente), os quais sofrem influência da SBR. Alguns estudos identificaram influência do TMI sobre o controle autonômico cardíaco na redução da modulação simpática de repouso, representada na análise espectral da VFC, porém, os mecanismos fisiológicos pelos quais o TMI atua ainda são inconclusivos na literatura. Além disso, não é de nosso conhecimento estudos que avaliaram a VPA e SBR em humanos, o que permitiria elucidar e trazer informações adicionais sobre as respostas relacionadas às adaptações autonômicas vasculares após treinamento. Objetivo geral: Avaliar os efeitos do TMI de diferentes intensidades sobre o controle autonômico cardiovascular de ciclistas recreacionais. Materiais e Métodos: Trinta ciclistas recreacionais do sexo masculino, com idade entre 20 e 40 anos, serão divididos aleatoriamente em três grupos de treinamento: Grupo Sham (GS), Grupo Pressão Crítica [PThC (GPTHC)] e Grupo 60% da PIMÁX (G60). Após a triagem e avaliação clínica, os indivíduos serão submetidos a 11 semanas de TMI, com frequência semanal de 3 sessões e duração de 1 hora cada sessão, com o cálculo da carga de exercício, segundo o grupo que for alocado. A VFC, VPA e SBR, bem como, o teste de força e resistência muscular respiratória e teste cardiopulmonar serão obtidos nos momentos pré e pós intervenção. Será realizada uma análise descritiva dos três grupos avaliados, a normalidade dos dados será avaliada pelo teste de Shapiro-Wilk e a homogeneidade pelo teste de Levene. Para a comparação entre os grupos de treinamento serão utilizando testes paramétricos e do não paramétricos, segundo a distribuição dos dados. O nível de significância será fixado em p<0,05. Resultados Esperados: Espera-se que ao término de 11 semanas de TMI, quando comparado os grupos (PTHC, GS e G60), apresentem respostas autonômicas cardiovasculares distintas, permitindo elucidar qual melhor carga de treinamento que beneficie este sistema. Além disso, os resultados permitirão posteriormente a investigação deste protocolo em pacientes que tenham como característica clínica a disfunção autonômica e/ou disautonomias. (AU)

Resumo

Este projeto propõe um estudo dos conceitos e técnicas básicas de sistemas dinâmicos contínuos e, ademais, suas aplicações à Neurociência. Propõe-se investigar a relação entre eletrofisiologia, dinâmica não-linear e as propriedades computacionais dos neurônios, usando como modelo principal as equações diferenciais de Hodgkin-Huxley. Um neurônio é um sistema dinâmico com parâmetros, isto é, um sistema cujo comportamento é descrito por equações diferenciais em função do tempo. A transição entre o estado de repouso e de impulso nervoso é uma bifurcação, e os diferentes tipos de bifurcação que podem ocorrer podem ser investigados matematicamente, tais como excitabilidade, oscilações e limiares. Desse modo, não são apenas as características eletrofisiológicas que determinam se um neurônio dispara ou não, mas também a sua dinâmica interna. Tais conceitos são importantes na pesquisa em Neurociência Computacional. Sendo assim, a investigação desses modelos sob a ótica matemática se faz importante para entender tais aspectos de atividade neuronal. (AU)

Resumo

Um número crescente de evidências indicam que a facilitação direta entre plantas é uma interação frequente, especialmente em ambientes sob condições ambientais severas. No entanto, a facilitação também pode ocorrer através de mecanismos indiretos que envolvem outros organismos do mesmo nível trófico, um fenômeno muito menos investigado. O objetivo deste projeto é testar a existência de facilitação indireta entre adultos e plântulas mediada por espécies herbáceas em uma comunidade de restinga arbustiva. Para tanto, usaremos como modelo de estudo um par de espécies lenhosas na qual a facilitação direta por sombra foi previamente identificada. Especificamente, testaremos: i) se Guapira opposita tem efeito direto negativo sobre o desempenho de plantas herbáceas; ii) se plantas herbáceas têm efeito direto negativo sobre as plântulas de Ternstroemia brasiliensis e iii) se adultos de G. opposita facilitam indiretamente plântulas de T. brasiliensis através da redução dos efeitos de competição das plantas herbáceas sobre as plântulas. Para testar essas hipóteses utilizaremos uma abordagem observacional que envolve a identificação de padrões de associação espacial, e experimentos em campo que envolvem a manipulação da presença de G. opposita e das espécies herbáceas e o transplante e monitoramento do desempenho de plântulas de T. brasiliensis. Além disso, com a intenção de entender os mecanismos responsáveis pelas interações entre estas espécies, nós também testaremos como a presença destas plantas altera a fertilidade, umidade e temperatura do solo, a intensidade luminosa, assim como a temperatura e a umidade do ar. De maneira geral, os resultados deste projeto serão importantes para entendermos a importância da facilitação em restinga em um cenário de múltiplas interações, condição pouco investigada até o momento. (AU)

Resumo

A Doença de Parkinson (DP) é caracterizada pela morte gradual de neurônios dopaminérgicos mesencefálicos da Substância Negra compacta (SNc). O tratamento sintomático da DP visa aumentar a disponibilidade de dopamina no estriado através do precursor de dopamina L-DOPA. Entretanto, após o período de 5-10 anos de tratamento com a L-DOPA, cerca de 75-80% dos pacientes parkinsonianos desenvolvem complicações motoras que incluem movimentos involuntários anormais denominados Discinesias induzidas pela L-DOPA (LIDs). O estriado é a principal estrutura dos núcleos da base envolvida com o surgimento das LIDs e recebe terminações glutamatérgicas e dopaminérgicas provenientes do córtex e da SNc, respectivamente. Os neurônios espinhosos médios (MSNs) estriatais são divididos de acordo com seus alvos de projeção e formam as vias direta e indireta. Em condições fisiológicas normais, os MSNs da via direta (dMSNs) são responsáveis por facilitar a resposta motora apropriada mediante integração de estímulos glutamatérgicos e dopaminérgicos. Os MSNs da via indireta (iMSNs) desempenham função oposta e estão envolvidos na inibição de programas motores não apropriados. É sugerido que a administração crônica de L-DOPA aumenta excessivamente a atividade dos dMSNs e diminui de maneira anormal a atividade dos iMSNs. Dessa maneira, o desequilíbrio entre a atividade dos neurônios de projeção do estriado seria responsável por causar as LIDs. Entretanto, não existem evidências eletrofisiológicas que corroborem esse modelo. A proposta desse projeto é avançar o conhecimento da neurofisiologia dos dMSNs e iMSNs para então poder compreender o mecanismo de ação de fármacos com potencial terapêutico para o tratamento das LIDs. Especificamente, os inibidores das enzimas óxido nítrico sintase neuronal (nNOS) e fosfodiesterase 10A (PDE10A) são terapias promissoras para as LIDs por sua capacidade de modular as vias de sinalização envolvidas na elaboração da resposta dos MSNs ao córtex motor. A hipótese central desse projeto é que as LIDs ocorrem como consequência do aumento da atividade facilitatória dos dMSNs e redução da atividade inibitória dos iMSNs. Acreditamos que a inibição da enzima nNOS produz atividade antidiscinética por diminuir a atividade exagerada dos dMSNs, enquanto que a atividade antidiscinética obtida com o bloqueio da enzima PDE10A diminui as LIDs por aumentar a atividade dos iMSNs. De maneira geral, acreditamos que a eficácia desses compostos esteja relacionada com o reestabelecimento do equilíbrio da atividade das via de projeção do estriado. Iremos utilizar o modelo pré-clínico da DP induzido pela microinjeção de 6-hidroxidopamina (6-OHDA) no feixe prosencefálico medial de ratos. Utilizaremos testes de comportamento para avaliar a atividade motora dos animais em resposta ao tratamento com a L-DOPA (monoterapia e combinada com os inibidores da nNOS e PDE10A). Realizaremos registros eletrofisiológicos in vivo (animais anestesiados) para avaliar a atividade espontânea dos MSNs e estudar o impacto da estimulação do córtex motor na probabilidade de disparo dos MSNs. O fenótipo dos MSNs registrados será caracterizado utilizando-se técnicas eletrofisiológicas e imunocitoquímicas. Os achados desse estudo irão avançar a compreensão da neurofisiologia estriatal e também auxiliarão na busca de novos alvos terapêuticos para o tratamento das LIDs. Esperamos que os resultados também forneçam alternativas farmacológicas para o tratamento de pacientes parkinsonianos discinéticos. (AU)

Resumo

Síndrome de Down (SD), também conhecida como Trissomia do 21, é uma desordem cromossômicas, causada pela presença de todos ou parte de um extra-cromossomo 21. Esta condição é uma anormalidade cromossômica mais frequente, associada a uma deficiência intelectual. Sua incidência é de aproximadamente de 1/700 neonatos. A desordem genética é atribuída à trissomia (92 a 95% dos casos), ao mosaicismo (2 a 4%) e à translocação do cromossomo 21 (3 a 5%) para outro cromossomo acrocêntrico, frequentemente para o cromossomo 14. Essa translocação pode ocorrer durante a formação de células reprodutivas em um progenitor ou no feto em desenvolvimento. Em relação as características orofaciais, esse indivíduo tem frequentemente expressão facial sindrômica, pálpebras oblíquas craniolateral, língua protrusa, repousando sobre os incisivos inferiores (pseudomacroglossia) e uma alteração sugestiva do fluxo salivar. Outra condição é a hipotonia muscular generalizada, resultando em uma sinergia muscular prejudicada. Estes fatos podem desencadear expressivas complicações clínicas como disfunção mastigatória, desordem na fala e disfagia. Objetivo: O objetivo deste estudo será determinar a capacidade, dentro do dia e entre dias, de variáveis eletromiográficas dos músculos mastigatórios em pacientes com Síndrome de Down. Em adição, avaliar-se-ão a risco de Síndrome de Apneia Obstrutiva do Sono (SAOS) e seu efeito na vida social desses indivíduos, mediante questionários específicos. Métodos: A eletromiografia superficial será realizada sobre os músculos masseter direto e esquerdo (porção superficial), temporal direito e esquerdo (porção anterior) e supra-hioideo em 30 pacientes com Síndrome de Down. As atividades elétricas dos músculos serão avaliadas nas seguintes condições: em repouso, em contração máxima de mordida voluntária (CMV), durante a dinâmica de abertura-fechamento de boca e força mastigatória total. Esses registros eletromiográficos serão realizados em triplicata e em três sessões consecutivas, com um intervalo de no mínimo 7 dias. Os dados obtidos serão analisados usando a amplitude quadrática média da raiz, frequência média, frequência mediana, cruzamento zero e entropia aproximada. Além disso, nós avaliaremos a sonolência, o risco de Síndrome de Apneia Obstrutiva do Sono (SAOS) e a qualidade do sono e de vida desses indivíduos, mediante aplicação e análise de questionários específicos. Os resultados obtidos serão submetidos à análise estatística utilizando o Teste T Pareado ou Teste de Wilcoxon - Signed Rank, de acordo com a análise de distribuição dos dados. (AU)

Resumo

Rios de águas pretas constituem uma importante fração dos ambientes lóticos de Mata Atlântica, porém diversos aspectos relacionados à ictiofauna e sua relação com escalas espaciais como macro e mesohabitats ainda são pouco conhecidos na região Sudeste do Brasil. O presente projeto visa delimitar os principais macro e mesohabitats de alguns rios de águas pretas localizados no Parque Estadual das Restingas de Bertioga - SP, verificando a influência da escala local sobre a estrutura, composição e aspectos funcionais da ictiofauna. Após uma coleta piloto, serão selecionados até 12 rios na época seca, adaptando-se uma classificação de macro e mesohabitats para os mesmos. Os peixes serão amostrados com pesca elétrica em cada um dos macrohabitats (rios) e mesohabitats delimitados, após caracterização de parâmetros morfológicos dos habitats, e físicos e químicos da água. Será também analisado o teor de Carbono Orgânico Total (COT) e dissolvido (COD), uma vez que estes ambientes possuem alto teor de ácidos húmicos, que podem estar relacionados à composição e biomassa das comunidades de peixes. Os dados ambientais e da ictiofauna serão agrupados por macro e mesohabitat para cálculo da abundância, biomassa, riqueza e diversidade de Shannon, bem como abundância de grupos funcionais. Os dados serão analisados por meio de uma análise exploratória, incluindo técnicas de análise multivariada como a Análise de Escalonamento Multidimensional Não Métrico (NMDS) e Análise de Correspondência Canônica para correlacionar as espécies e variáveis ambientais. Os dados de COT e COD serão correlacionados à biomassa e abundância através de técnicas lineares e correlações simples. Os resultados obtidos auxiliarão na compreensão dos padrões de distribuição das espécies nestes ecossistemas, permitindo subsidiar programas de monitoramento de corpos d'água, prever e avaliar os efeitos das pressões antrópicas sobre ecossistemas similares. (AU)

Resumo

A doença de Parkinson é a segunda doença neurodegenerativa mais comum no mundo, e afeta 17/100.000 indivíduos. Os sintomas cardinais são tremor de repouso, bradicinesia, rigidez, freezing da marcha, instabilidade postural e postura em flexão. Atualmente o diagnostico é clinico, e se dá na presença dos primeiros sintomas motores. Esses geralmente tem inicio na quinta década de vida. O freezing da marcha é definido como um fenômeno que impede o indivíduo de efetuar o primeiro passo ou dar sequência à marcha, apesar da intenção de andar, descrito pelos pacientes como uma sensação de "ter os pés grudados no chão. Apresenta um caráter breve e transitório, porém altamente incapacitante. O objetivo do presente estudo é avaliar as alterações de conectividade funcional após a aplicação de um paradigma motor em pacientes com e sem freezing (FOG). Para tanto serão selecionados pacientes com diagnóstico de Doença de Parkinson confirmado segundo critérios do banco de cérebro de Londres. Os indivíduos passarão por um exame neurológico para identificar a presença de FOG e exame de ressonância magnética. Os dados obtidos nas avaliações serão armazenados para posterior análise estatística. (AU)

Resumo

A inteligência humana é comumente entendida como a capacidade de adquirir novos conhecimentos ou habilidades, o que pode ser útil na resolução de problemas cognitivos e na adaptação a novas situações. Este projeto desenvolverá e aplicará novas medidas baseadas na teoria da informação e dos métodos de aprendizado de maquina de última geração para prever a inteligência humana a partir dos resultados da conectividade cerebral. Ele abordará os desafios existentes no que se refere à estimativa da conectividade funcional do cérebro a partir dos dados de fMRI no estado de repouso e a conectividade estrutural do cérebro a partir dos dados do tensor de difussão (DT-MRI), além de parâmetros de rede e resultados morfométricos. Deveram ser usados testes bem estabelecidos da inteligência humana para o estudo de previsão. Tanto a equipe brasileira quanto a iraniana usarão dados internacionais e locais previamente adquiridos, além de coletar dados adicionais. Os pesquisadores especialistas do Irã e do Brasil vão colaborar neste projeto para complementar um ao outro e aumentar seu desempenho. Os resultados do estudo também devem ser benéficos para todos os projetos que lidam com a inteligência humana em sujeitos saudaveis e doentes, bem como o crescimento e o envelhecimento. O projeto também deverá produzir dados que serão disponibilizados posteriormente e gerar módulos de software com os novos desenvolvimentos técnicos. (AU)

Resumo

Objetivo: para estudar as influências biogeográficas sobre a biota xérica na Floresta Atlântica Brasileira (FAB), um hotspot de biodiversidade, nós estudamos um grupo monofilético composto por três espécies de cactos para realizar um estudo filogeográfico: Cereus fernambucensis subsp. fernambucensis, C. fernambucensis subsp. sericifer and C. insularis. Localização: ambientes xéricos ao longo da FAB, incluindo afloramentos rochosos de granito e gnaisse (Inselbergues), matas de restinga e costões rochosos de um arquipélago oceânico (Fernando de Noronha). Métodos: foram usados como marcadores moleculares o gene nuclear fitocromo C (PHYC) e o espaçador interplastidial trnS-trnG. Diferentes analises estatísticas foram realizadas para reconstruir a história filogeográfica do grupo em suas dimensões espacial e temporal. Resultados: nas análises de estruturação foram recuperados quatro grupos populacionais, que correspondem a ramos altamente suportados na filogenia (baseada no método "species tree") e que iniciaram sua diversificação no Pleistoceno médio: distribuição sul de C. fernambucensis subsp. fernambucensis, distribuição norte de C. fernambucensis subsp. fernambucensis juntamente com C. insularis, destruição sul de C. fernambucensis subsp. sericifer, e distribuição norte de C. fernambucensis subsp. sericifer. Reconstruções biogeográficas indicam a região sul como o centro de dispersão do grupo. Principais conclusões: os resultados mostram que a diversidade genética de grupos populacionais foi fortemente moldada pelo evento de colonização inicial desde o sul até o norte da distribuição, seguido por fragmentação. O padrão filogenético encontrado para C. insularis é coerente com um padrão de especiação peripátrica em Fernando de Noronha. As flutuações climáticas e no nível do mar que ocorreram no Pleistoceno, bem como atividades neotectônicas na FAB foram discutidos como possíveis influências abióticas direcionando a diversificação das espécies de cactos estudadas. (AU)

Resumo

AbstratoIntrodução: A doença de Parkinson (DP) é uma doença caracterizada por sintomas motores e não motores, como déficits respiratórios, associada à perda de neurônios dopaminérgicos na parte compacta da substância negra (SNc). No entanto, outros neurónios do tronco cerebral podem também ser degenerados, contribuindo para o aparecimento de anomalias não motoras. Estudo prévio mostrou uma diminuição no número de neurónios que expressam phox2b do núcleo retrotrapezoidal (RTN) e uma redução na frequência respiratória induzida por repouso e hipercapnia. Objetivo: comparar as alterações neuroanatômicas e biomoleculares no RTN e investigar se o déficit funcional respiratório após a indução de um modelo de DP pode ocorrer por alterações biomoleculares ou morte neuronal em células que expressam o fator de transcrição nuclear phox2b dentro do RTN. Métodos: Serão utilizados ratos machos adultos com injecções bilaterais de 6-hidroxi-dopamina (6-OHDA, 24 ¼g / ¼l) ou veículo no corpo estriado. O tronco encefálico será cortado em secções de 8 ¼m e mantido a -80 ° C até à sua utilização. A captura de laser e a catapulta de pressão (LMPC) serão realizadas utilizando o sistema de microdissecção a laser da PALM Technologies (Carl Zeiss MicroImaging GmbH, München, Alemanha). O número total de células capturadas será determinado usando o fator de conversão de 50.000 ¼m2. Após a conclusão da microdissecção, o material capturado será centrifugado num tubo de PCR de 0,2 mL e mantido a -80 ° C até a recuperação da proteína. Para a espectrometria de massa, os péptidos serão separados por HPLC de fase reversa (sistema HPLC Dionex Ultimate 3000 capilares / nano, Dionex, Sunnyvale, CA) e massa analisada com um Thermo Fisher LTQ Orbitrap XL, equipado com fontes de ionização micro / nanospray (Michrom Bioresources Inc., Auburn, CA). A imuno-histoquímica será realizada para a detecção da tirosina-hidroxilase e avaliar a extensão e seletividade da lesão 6-OHDA.Palavras-chave: Doença de Parkinson, PHOX2B, controle respiratório, núcleo retrotrapezoide. (AU)

Resumo

A Hipertensão Arterial Pulmonar (HAP) é uma doença rara e progressiva que afeta a vasculatura pulmonar. A mesma é caracterizada pelo aumento da pressão média da artéria pulmonar (PAPm) a da resistêcia vascular pulmonar (RVP),levando a insuficiência cardíaca direita e ao óbito. Apesar da fisiopatologia das diversas formas de HAP permanecer desconhecida, sabe-se que a disfunção do sistema nervoso autônomo está presente e relaciona-se a severidade da doença. Evidências tem demonstrado a contribuição do quimiorreflexo periférico para a hiperatividade simpática nesta população. Dados recentes do meu estudo de doutorado indicam que o quimiorreflexo periférico também contribui para a disfunção vagal cardíaca na HAP, sugerindo que este reflexo pode ter um importante papel na disfunção autonômica nesta população.Em diferentes formas de hipertensão pulmonar (HP), observa-se o comprometimento da função vascular pulmonar e consequente vasocontrição pulmonar relacionados a um componente neural. Baseado em evidencias que indicam a contribuição do quimiorreflexo na modulação do sistema nervoso autônomo na HP, é possível que, quando estimulado, este reflexo possa também contribuir para a modulação da vasculatura pulmonar nesta população. Assim, este projeto tem como objetivo avaliar a contribuição do quimiorreflexo periférico para um modelo de HP induzido por hipóxia em indivíduos saudáveis. Para isso, 10 indivíduos saudáveis serão submetidos a um protocolo de HP por hipóxia (FiO2 a 12%) sobre 2 situações: inibição do quimiorrreflexo periférico por infusão de diferentes doses de dopamina ou condição de controle por infusão de salina. Durante o respouso, hipóxia e infusões, a PAPm, RVP e outras variáveis cardiopulmonares serão estimadas pela ecocardiografia por doppler. Dados serão expressos como média e desvio padrão. PAP, RVP e demais variáveis serão comparadas entre as sessões pelo teste T ou ANOVA para medidas repetidas. (AU)

Resumo

A técnica de neurofeedback (NFB) tem sido utilizada como tratamento alternativo ou complementar a diversos tipos de distúrbios mentais ou condições neurológicas, como o déficit de atenção e hiperatividade, o controle do vício em drogas, epilepsia e depressão. A ideia do método consiste em um treinamento individual a fim de que a pessoa submetida ao NFB aprenda a modular sua resposta cerebral segundo determinada estratégia. Diversos aspectos do treinamento por NFB, contudo, ainda não são claramente compreendidos, como os substratos neurais responsáveis por causar modificações a nível cerebral. Desta forma, o melhor entendimento da técnica é de importância fundamental tanto do ponto de vista acadêmico, possibilitando que o mecanismo seja elucidado, como do ponto de vista clínico, favorecendo a possibilidade de aplicação a novos tipos de tratamentos. Neste projeto, objetiva-se o estudo da técnica de treinamento por NFB na tentativa de melhor compreender como este método pode induzir mudanças no cérebro de um indivíduo submetido a ele. Para isto, serão recrutados indivíduos sadios que farão parte de um de três grupos: o grupo NFB, que realizará um treinamento de NFB com EEG; o grupo sham-NFB, que realizará um treinamento similar ao NFB, mas com "ruído" ao invés de sinais cerebrais, e um grupo controle, que não realizará nenhum treinamento. Todos os voluntários serão avaliados por meio de exames de ressonância magnética (RM) para avaliar possíveis mudanças causadas no cérebro decorrentes do NFB. Os exames de RM deverão incluir análises estruturais, como a VBM (voxel based morphometry) e a DTI (difusion tensor imaging), e funcionais (baseadas em resting-state fMRI - functional magnetic resonance imaging). Também poderão ser realizadas aquisições conjuntas de EEG-fMRI, a fim de que sejam obtidas informações complementares do cérebro dos usuários submetidos ao treinamento por NFB, já que estas duas modalidades medem sinais de naturezas distintas. Este projeto será desenvolvido no âmbito do CEPID "Instituto Brasileiro de Neurociência e Neurotecnologia" (BRAINN, na sigla em inglês) da FAPESP, no Grupo de Neurofísica do Instituto de Física Gleb Wataghin da UNICAMP. O projeto já foi aprovado pelo Comitê de Ética da UNICAMP, em 25/02/2016 (CAAE 53041616.6.0000.5404). (AU)

Resumo

A recente especiação das formigas cortadeiras resultou herbívoros vorazes, que se tornaram pragas agrícolas amplamente distribuídas nas Américas. Resultou também, ao menos em dois casos, tímidos herbívoros, habitantes restritos de campos ou restingas, que raramente ou nunca foram relatados como pragas. O presente projeto de pesquisa caracterizará as alterações genéticas subjacentes à especiação das cortadeiras, gerando e analisando trasnscriptomas em busca de genes codificadores de proteínas que individualizem 36 populações pertencentes a seis espécies pragas e duas não pragas. Em cada um desses genes, pressões seletivas e funções biológicas serão identificadas, de modo a reconstruir as alterações fenotípicas e funcionais associadas ao processo que resultou grupos irmão de cortadeiras a partir de um ancestral comum, nas seguintes situações: (1) uma espécie praga e outra não; (2) duas espécies pragas; (2) populações de uma mesma espécie. Essas ações identificarão marcadores moleculares de populações, de espécies não pragas e de espécies pragas. Estes últimos marcadores, em particular, poderão se tornar alvos para o controle de cortadeiras pragas. O conjunto de marcadores identificados será mais informativo para estudos filogenéticos do que aqueles atualmente utilizados, proporcionando mais resolução e uma abordagem funcional inédita ao estudo da evolução deste importante grupo de formigas. (AU)

Resumo

A reestenose é uma resposta fibroproliferativa que acontece na parede dos vasos após uma lesão mecânica, geralmente seguido do procedimento de angioplastia, ocasionado por obstrução vascular. O remodelamento do vaso, causado pela angioplastia é proliferação, crescimento e migração das células do músculo liso da camada média para íntima, acompanhado por fibrose, acarretando em hiperplasia da neoíntima e estreitamento o lúmen vascular. Os microRNAs (miRNA) vêm sendo amplamente estudados como biomarcadores, empregados na lesão vascular, abrindo perspectivas terapêutica para o tratamento de doenças. O miRNA-146a tem ganhado destaque nas doenças fibroproliferativa, uma vez que regula genes alvos envolvidos nesse remodelamento. Um modulador de expressão de miRNAs é o treinamento físico (TF), que também vem sendo estudado como terapia não farmacológica para doenças cardiovasculares, no qual induz diversas adaptações.Portanto, para testar nossa hipótese de que o TF aeróbico altera a expressão do miRNA-146a e de seu gene alvo vasorina na artéria carótida de ratos lesionados com cateter balão, utilizaremos real time PCR para analisar expressão gênica e Western Blotting para analise da expressão proteica da artéria carótida lesionada, e assim analisar se um dos mecanismos de reparo desses vasos ocorre por meio da interação entre vasorina e a via TGF-², verificaremos se esses mecanismos contribuem para regressão da hiperplasia da neoíntima após lesão vascular. Para isso utilizaremos um protocolo de TF aeróbico (natação) de moderada intensidade e utilizaremos 4 grupos de ratos Wistar: Lesionado com cateter balão treinado (LT), lesionado (L) e seus respectivos controles. Durante o período experimental será registrado: peso corporal, pressão arterial, frequência cardíaca de repouso e avaliação do esforço físico máximo. Após a eutanásia, serão retiradas as artérias carótida para realização da histologia e avaliar a espessura da média e íntima. Para análise da citrato sintase, será retirado músculo esquelético, para validação do treinamento aeróbio e também serão realizadas análises da expressão do miRNA-146a e seu gene alvo vasorina e via de sinalização fator de transformação do crescimento beta (TGF-²) e sua expressão proteica. (AU)

Resumo

Um dos principais mecanismos de coexistência é explicado pela teoria de nicho e uma das abordagens que têm sido empregadas para estudá-la utiliza técnicas que avaliam a estrutura espacial das populações vegetais. Assim, o objetivo do presente estudo é avaliar evidências da diferenciação de nicho como mecanismo de coexistência investigando padrões espaciais de três espécies congenéricas simpátricas em uma Floresta de Restinga em Ubatuba-SP. Em uma parcela de um hectare, todos os indivíduos encontrados pertencentes as três espécies serão marcados, mapeados, classificados em estádios ontogenéticos e terão seu diâmetro a altura do solo (DAS) medido. Para avaliarmos como as espécies utilizam os recursos, coletaremos dados de variáveis ambientais em subparcelas de 10 x 10 m e dados de atributos funcionais de 30 adultos de cada espécie. Primeiro, analisaremos o padrão espacial de cada estádio ontogenético das três espécies e, posteriormente, as associações entre cada estádio das três espécies. No segundo caso, também analisaremos com a informação quantitativa de DAS associada a cada indivíduo. Por fim, analisaremos a relação entre a densidade de indivíduos e as variáveis ambientais coletadas, e a variação dos atributos funcionais interespecíficos. Se a diferenciação de nicho for um importante mecanismo de coexistência: (1) as espécies irão aumentar o grau de agregação ao longo dos estádios ontogenéticos devido à filtragem ambiental; (2) os adultos estarão associados ao ambiente favorável para cada espécie; (3) as espécies se distribuirão em função da localização dos recursos; (4) não haverá influência da proximidade de indivíduos congenéricos sobre o tamanho dos mesmos devido à ausência de competição; (5) e os atributos funcionais irão diferir entre as espécies. (AU)

Resumo

Introdução: A potência e a eficácia das terapias antirretrovirais (TARV) aumentaram a expectativa de vida dos pacientes infectados pelo HIV. Entretanto, a TARV está associada a efeitos colaterais graves que incluem alterações metabólicas e redistribuição anormal de gordura corporal, denominadas de síndrome da lipodistrofia do HIV (SLHIV). Estudos apontam que a TARV está associada a modificações na biologia do tecido adiposo que afetam o metabolismo sistêmico, sendo um dos fatores importantes no desenvolvimento da SLHIV. O tecido adiposo pode ser dividido entre tecido adiposo branco, que armazena triglicerídeos e possui funções endócrinas; e tecido adiposo marrom, que possui função termogênica e está associado ao aumento do gasto de energia para proteção contra excesso energético. Alguns estudos tem verificado a presença de hipermetabolismo em pessoas vivendo com HIV/aids, com lipodistrofia, porém, os fatores que levam ao aumento do gasto energético nessa população permanecem indefinidos. Objetivo: Avaliar a influencia do tecido adiposo marrom no metabolismo energético de pessoas vivendo com HIV/Aids com lipodistrofia. Metodologia: O estudo será realizado no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto. Serão avaliados 33 indivíduos divididos em três grupos: 1- Soropositivos para HIV em uso de TARV com lipodistrofia; 2- Soropositivos para HIV em uso de TARV sem lipodistrofia e 3- Indivíduos saudáveis (controle). Será avaliado: a quantidade de tecido adiposo marrom por tomografia computadorizada, composição corporal por DEXA, gasto energético de repouso por calorimetria indireta e exames bioquímicos (metabolismo da glicose e lipídico, adipocinas e citocinas). Uma amostra de tecido adiposo da região dorso-cervical será coletada para analises histo-patológicas. Testes estatísticos serão empregados para avaliar as diferenças entre os grupos e as correlações entre as variáveis de interesse. (AU)

Resumo

Introdução: A obesidade se estabeleceu atualmente como um problema de saúde pública e necessita de intervenções que possibilitem seu combate. A instalação do quadro de inflamação sub-clínica crônica bem como alterações epigenéticas estão relacionadas com patologia desta doença multifatorial. Com isso a busca por alimentos capazes de atuar no combate e prevenção dessas doenças se tornou cada vez maior. Nesse sentido, o fruto da palmeira juçara tem se mostrado um alimento com potencial contra a obesidade devido a sua composição rica em antocianinas, ácidos graxos poli-insaturados e fibras alimentares. Objetivo: Analisar o efeito da ingestão da polpa do fruto da Palmeira Juçara (Euterpe edulis Mart.), sobre o estado pró-inflamatório e modificações epigenéticas da obesidade. Métodos: 60 indivíduos com obesidade (IMC 30,0 - 39,9 Kg/m2) de ambos os gêneros com idade entre 31 e 59 anos serão randomizados divididos em 2 grupos em uso ou não (placebo) de suplementação da polpa da fruta por 6 semanas. Será realizado calorimetria indireta (Quark), antropometria, avaliação da ingestão alimentar, perfil de ácidos graxos presentes no soro, marcadores epigenéticos (metilação global do DNA em monócitos; expressão proteica e gênica de proteínas envolvidas nos mecanismos epigenéticos: DNMT1, DNMT3a, DNMT3b e MeCP2; e atividade da enzima HDAC em monócitos); O perfil inflamatório de monócitos da cascata de ativação de TLR4/NFºB, através da expressão gênica das seguintes proteínas associadas à inflamação: TLR4, TLR2, IL-6R, IL-10R±, TNFR1, ADIPOR2, IL-10, IL-6, TNF-±, Ob-R; e expressão proteica das seguintes proteínas: TLR4, TLR2, IL-6R, IL-10R±, TNFR1, ADIPOR2, Ob-R, MyD88, TRAF6, e frações total e fosforilada de IKK ±/², e NF-ºB (subunidades p50 e p65). (AU)

Resumo

Introdução: A síndrome da fragilidade é atualmente descrita como um estado clínico de vulnerabilidade ao estresse e está relacionada a desfechos adversos como hospitalizações, quedas e morte. Essas alterações resultam em disfunções fisiológicas, desencadeando representações clínicas como a perda de massa e força muscular, perda de peso, redução na velocidade da marcha e baixa tolerância ao exercício, com consequente adoção de um padrão de sedentarismo. Nesse sentido, alguns estudos apontam o exercício físico como peça fundamental no tratamento desta síndrome. Sendo assim, o treinamento multicomponente tem ganhado destaque nesta população, uma vez que pode melhorar a capacidade funcional e os componentes físicos, presentando resultados mais significativos nos idosos pré-frágeis. Nesse contexto, torna-se importante avaliar se há alterações no nível de atividade física e padrão de sedentarismo, bem como a resposta ao exercício físico de idosos pré-frágeis após um protocolo de treinamento multicomponente. Objetivo: avaliar os efeitos de um protocolo de treinamento multicomponente no desempenho do teste de caminhada de seis minutos (TC6) e no comportamento sedentário e nível de atividade física de idosos em risco de fragilização. Métodos: Serão avaliados 24 idosos pré-frágeis, e distribuídos de maneira randomizada em dois grupos, Grupo Intervenção (GI): que realizará o protocolo de treinamento multicomponente durante 16 semanas, e Grupo Controle (GC): que não participará das atividades de intervenção. As avaliações serão realizadas em 2 momentos: pré-intervenção e pós-intervenção. Os voluntários realizarão anamnese, eletrocardiograma de repouso, TC6 e utilizarão um acelerômetro triaxial durante sete dias. Serão registrados os valores de distância percorrida e o número de paradas no TC6, bem como as variáveis relativas a nível de atividade física e padrão de sedentarismo: gasto calórico semanal, número de passos e transferências e tempo em repouso e de caminhada. O teste de Shapiro-Wilk será utilizado para verificar a normalidade dos dados. Para as comparações intragrupo e inter grupo, antes e após a intervenção, será utilizado o teste ANOVA duas vias de medidas repetidas. O teste do qui-quadrado será utilizado para variáveis categóricas. (AU)

Resumo

Antecedentes: A hipóxia e altitudes elevadas afetam vários órgãos, o que prejudica importantes funções fisiológicas,Disrupção da barreira intestinal mediada por translocação aumentada de bactérias e níveis aumentados de endotoxina circulante. FisicaExercício pode alterar a concentração de endotoxina na normoxia. O objetivo deste estudo é avaliar os efeitos do exercício moderado sobreDe endotoxina em hipoxia normobarica.Métodos: Nove voluntários saudáveis voluntários exercitados em esteira rolante por 60 minutos a uma intensidade de 50% VO2pico em normoxic ouCondições hipóxicas (4200 m). O sangue foi coletado em repouso, imediatamente após o exercício e 1 hora após o exercício para avaliar o soroEndotoxina.Resultados: Em condições de exercício hipóxico, a saturação de SaO2% foi menor após o exercício em relação aos níveis de repouso (P <0,05) eRetornou ao nível de repouso durante a recuperação na normoxia (P <0,05). A concentração de endotoxina aumentou após o exercício na hipóxia (P <0.05); Permaneceu alta uma hora após o exercício em hipoxia comparada com normoxia (P <0,05) e foi maior após o exercício e recuperaçãoComparado com os níveis de repouso (P <0,05). A FC foi maior durante o exercício em relação basal em ambas as condições (P <0,05) e RPRAumento após 60 minutos em comparação com 20 minutos na hipóxia (P <0,05).Conclusão: Exercício moderado realizado em hipoxia equivalente a 4200 m aumentou a concentração plasmática de endotoxina apósexercício. Uma hora de repouso em condições normoxic foi insuficiente para a recuperação de endotoxinas circulantes. (AU)

Resumo

Estudos de zonas de hibridação natural são essenciais para o entendimento do processo de especiação. O acúmulo gradual de incompatibilidades reprodutivas tende a intensificar as diferenças entre linhagens próximas, e múltiplas barreiras podem atuar em conjunto na manutenção da integridade de espécies ainda em formação. Existem casos em que a coesão de espécies é mantida mesmo na presença de fluxo gênico, e entender como a permeabilidade das barreiras reprodutivas afeta a integridade de espécies, em zonas de hibridação, é uma questão ainda pouco explorada em regiões tropicais. O objetivo deste projeto é investigar como a seleção por habitats distintos pode atuar como uma barreira de isolamento reprodutivo, contribuindo para a manutenção da integridade de Epidendrum fulgens e E. puniceoluteum, duas espécies que formam extensas zonas de hibridação em vegetação de restinga. Serão testadas as hipóteses de que as barreiras de isolamento estão associadas à mecanismos determinísticos associados à seleção por habitats distintos, e que a troca de genes de alto valor adaptativo ocorre na população simpátrica onde as espécies hibridizam. Amostras de populações simpátricas e alopátricas serão comparadas para avaliar o papel da hibridação na transferência de genes entre E. fulgens e E. puniceoluteum. Amostras serão coletadas na zona de hibridação localizada na Ilha do Cardoso - SP, e nas populações alopátricas de Bertioga - SP (E. fulgens) e Paranaguá - PR (E. puniceoluteum). Técnicas de sequenciamento em larga escala serão utilizadas para analisar a intensidade das misturas genéticas entre as espécies parentais, avaliar os níveis de introgressão dos genomas e medir a expressão gênica diferencial entre as espécies e híbridos, através da análise de transcriptomas, a qual pode indicar a presença de seleção divergente ligada a habitats distintos. Os níveis de ploidia dos indivíduos envolvidos em todas as análises serão medidos através de citometria de fluxo. Estas informações serão fundamentais para um melhor entendimento sobre a evolução do isolamento reprodutivo em zonas híbridas de plantas na região Neotropical, bem como dos processos evolutivos que moldaram a elevada biodiversidade observada na região. (AU)

Resumo

O cérebro é um sistema complexo e dinâmico que está sempre se modificando a fim de se adaptar e evoluir. Esta capacidade de mudança constante é conhecida como plasticidade cerebral, ou neuroplasticidade. Embora o fenômeno de neuroplasticidade seja apontado como uma característica chave do cérebro para sua reorganização e desenvolvimento, seu estudo é restrito devido às limitações das modalidades de neuroimagem utilizadas atualmente na clínica, como a eletroencefalografia (EEG) e a ressonância magnética funcional (fMRI). O objetivo deste projeto é utilizar espectroscopia no infravermelho próximo (NIRS) e teoria de grafos para estudar a neuroplasticidade a partir das flutuações hemodinâmicas espontâneas do cérebro durante o estado basal e durante a ativação funcional. NIRS é uma técnica de neuroimagem com potencial de ultrapassar limitações apresentadas por fMRI e EEG devido à sua alta especificidade, alta resolução temporal e portabilidade. Primeiro, procuramos validar e comparar as redes funcionais baseadas em NIRS de forma multimodal através da combinação de NIRS com fMRI e com EEG. Depois, objetivamos avaliar os efeitos da neuroplasticidade com NIRS em dois cenários diferentes: durante a reabilitação de pacientes com Acidente Vascular Cerebral (AVC) e durante o desenvolvimento cerebral de crianças. (AU)

Resumo

A diversidade global vem sendo erodida devido a fatores estressantes, como mudanças climáticas e alteração de habitats. Os efeitos destas alterações globais sobre a estrutura, estabilidade e funcionamento de redes complexas naturais (teias tróficas) ainda são pobremente conhecidos, especialmente nos trópicos. Um projeto amplo e ousado, parcialmente financiado pela FAPESP (Auxílio Regular 2012/51143-3) sob minha coordenação e gerenciado por uma equipe internacional, foi recentemente finalizado com êxito. Este projeto teve o propósito de investigar grandes congruências e contingências entre mudanças climáticas e estrutura de comunidades e funcionamento ecossistêmico por meio de manipulação de pluviosidade em microcosmos naturais (bromélias) ao longo de um grande gradiente biogeográfico na América Latina (da Costa Rica à Argentina; 6 países ao todo). Minha equipe no Brasil já cumpriu as metas e objetivos desse projeto com êxito e, como próximos passos, planeja construir, analisar e reproduzir redes complexas de interações tróficas desta enorme base de dados. Em paralelo, redes tróficas de fauna bromelícola serão construídas a partir de dados coletados em 12 restingas na costa brasileira, com grande amplitude de latitudes (-12,6 a -27,6, aprox. 2.000 km em linha reta) e climas (” de temperatura anual média = 5.3o C). Portanto, o presente projeto combina bases de dados experimentais e observacionais com o propósito de investigar (i) como alterações em regimes pluviométricos previstos para as próximas décadas e (ii) variações climáticas naturais em gradiente latitudinal (componentes bioclimáticos extraídos do WordClim) afetam a estrutura de redes tróficas complexas tropicais em contexto biogeográfico. Este projeto será desenvolvido na Queen Mary University of London (UK), onde receberei grande apoio logístico, teórico e analítico dos Professores Pavel Kratina, Elizabeth Clare e Athen Ma. (AU)

Resumo

A capacidade do indivíduo para identificar as propriedades físicas de um estímulo apresentado dentro de um intervalo de tempo limitado é chamada de tempo de inspeção (TI), este é um simples paradigma de processamento de informações. O interesse em uma tarefa de TI está relacionado com a velocidade perceptual. A medida é diferente de estudos de tempo de reação que estão interessados em o tempo necessário para selecionar uma resposta motora e o tempo necessário para transmitir a resposta motora selecionada para os segmentos do corpo apropriados. Medida de TI pode, portanto, ser considerada uma boa informação sobre a velocidade de processamento. Poucos estudos anteriores examinaram TI na doença de Parkinson, eles indica que os indivíduos com DP têm déficits em um processamento perceptual. Congelamento na DP é uma pausa transitória imprevisível no movimento. É talvez o sintoma motor mais grave em PD e é causada por uma saída motora defeituosa dos gânglios basais. Assim, o objetivo deste estudo é investigar o prejuízo causado pelo freezing de pacientes com doença de Parkinson no tempo de inspeção. Participarão vinte e oito pacientes com DP (quatorze com sintomas de freezing e quatorze sem freezing). A tarefa será realizada em um computador desktop IBM compatível com monitor de 15 in (rodando em uma resolução de 640 × 480pixels). Todos os participantes farão suas respostas com um teclado fixado em uma mesa, sentado a uma distância confortável da tela do computador. Adesivos circulares vermelhas indicam as teclas relevantes no teclado. (AU)

Resumo

O processo de envelhecimento é marcado por diversas mudanças no sistema neuromuscular, que tem papel essencial na função muscular e equilíbrio diminuindo a força explosiva (capacidade de gerar força muscular voluntária em intervalo curto de tempo após situação de baixa intensidade) e consequentemente, afetando a taxa de desenvolvimento de força (TDF). A TDF é extremamente importante para quantificar a função neuromuscular e parece ser um parâmetro significante na população idosa. Por essa razão, a melhor compreensão do papel da TDF no equilíbrio e função muscular pode ser essencial na prevenção de quedas em idosos. A fraqueza dos músculos abdutores e adutores de quadril pode influenciar no aumento do risco de quedas. Existem poucos pesquisadores que estudam com taxa de desenvolvimento de força e atualmente há falta de informação relacionada ao assunto. Por isso, o projeto em questão pode ser importante para melhorar o conhecimento sobre a TDF. Também seria uma excelente oportunidade para analisar os dados obtidos através do projeto desenvolvido no Brasil. Portanto, o objetivo do presente estudo é comparar a TDF dos abdutores e adutores de quadril entre idosos com e sem histórico de quedas e jovens, além de avaliar qual fase da TDF (inicial ou tardia) sofre maior alteração com o envelhecimento. As análises mais complexas serão realizadas no laboratório do Professor e a melhor maneira de fazê-las será definida durante o período de estágio. Os dados que serão analisados no laboratório da instituição estrangeira serão a taxa de desenvolvimento de força dos músculos abdutores e adutores de quadril já coletados no Brasil, obtidos através do equipamento isocinético. A TDF foi obtida através da curva tempo x torque. (AU)

Resumo

Nesse projeto consideramos processos estocásticos não-Markovianos que descrevem a evolução temporal de um sistema enumerável de neurônios tanto a tempo contínuo como a tempo discreto. A evolução do processo pode ser informalmente descrita como segue. Para cada neurônio a taxa (a tempo contínuo) ou probabilidade (a tempo discreto) de disparar depende da evolução temporal de todo o sistema desde o tempo de último disparo deste neurônio. Quando um neurônio dispara, seu potencial de membrana retorna a um estado de repouso. Simultaneamente, neurônios que são influenciados por ele recebem um valor adicional em seu potencial de membrana. Essa volta ao estado de repouso sempre que um neurônio dispara age como um evento de renovação, o que faz com que as cadeias estocásticas com memória de alcance variável sejam boas candidatas para modelar neurônios individuais.O objetivo desse projeto é continuar o estudo e desenvolvimento dessas classes visando a descrição matemática rigorosa da atividade cerebral. Para esse fim, propomos um conjunto de próximos passos a serem estudados sobre as classes apresentadas aqui. (AU)

Resumo

Introdução: A neuropatia autonômica cardiovascular é uma das complicações mais comuns da diabetes mellitus tipo 1 (DM1) apresentando como uma das suas primeiras manifestações subclínicas as alterações na variabilidade da frequência cardíaca (VFC). Assim, torna-se importante a análise da VFC associada ao teste ortostático ativo nessa população. Objetivos: Analisar a resposta da modulação autonômica de crianças com DM1 induzidas pela realização do teste ortostático ativo e estudar nessas crianças a modulação autonômica, por meio de índices de VFC. Métodos: Foram analisados dados de 35 crianças, de ambos os sexos, com idade entre 7 e 15 anos, as quais foram divididas em dois grupos: Diabético (n = 16) e Controle (n = 19). Inicialmente foram coletados: peso, altura, porcentagem de gordura corporal, frequência cardíaca, pressão arterial e glicemia casual. Posteriormente, para análise da modulação autonômica, a frequência cardíaca foi captada batimento a batimento por meio de um cardiofrequencímetro na posição supina por 30 minutos e após 10 minutos em pé durante a realização do teste ortostático ativo. Índices de VFC foram calculados nos domínios do tempo e da frequência. Para análise dos dados utilizou-se a Análise de Covariância para comparação dos grupos e a Anova de medidas repetidas para comparar os efeitos do teste ortostático ativo. Esses dados foram ajustados por idade, sexo, raça, percentual de gordura e glicemia casual, com nível de significância de 5%. Resultados: Os resultados obtidos apontam que as crianças diabéticas em repouso apresentaram redução de SDNN (50,4 vs 75,2), RMSSD (38,7 vs 57,6) e LFms² (693,6 vs 1874,6). Durante a realização do teste ortostático ativo as crianças de ambos os grupos apresentaram uma redução do SDNN, RMSSD e do LFms² em comparação com o repouso, sendo que essa resposta foi menos acentuada no grupo diabético. Conclusão: Conclui-se que independente de idade, sexo, raça, percentual de gordura corporal e glicemia casual, a realização do teste ortostático ativo promoveu em ambos os grupos aumento da modulação simpática e redução da modulação parassimpática, sendo que esta resposta é menos acentuada nas crianças diabéticas e que, essas crianças apresentaram redução de variabilidade global e da atividade parassimpática. (AU)

Resumo

Os mecanismos de contribuição genética para o desenvolvimento da obesidade precisam ser estabelecidos de forma precisa em intervenções para perda de peso, como é o caso da cirurgia bariátrica. Portanto, a análise da expressão gênica por microarray relacionada ao gasto energético e posterior associação com a taxa metabólica de repouso e o metabolismo energético pode elucidar o entendimento de fatores genéticos que contribuem para a obesidade. O objetivo do presente estudo será analisar marcadores moleculares relacionados ao metabolismo energético e associar com medidas de oxidação de substratos e taxa metabólica de repouso em mulheres com obesidade grau III pré e pós cirurgia bariátrica. A amostra será composta por 20 mulheres de população miscigenada, com idade entre 18 e 60 anos, divididas em dois grupos: grupo 1 (G1) 10 mulheres com obesidade grau III candidatas à cirurgia bariátrica em acompanhamento no Ambulatório de Cirurgia Bariátrica do HCFMRP-USP e grupo 2 (G2) grupo controle de 10 mulheres eutróficas. A classificação do estado nutricional será feita pelo Índice de Massa Corporal (IMC) e, posteriormente, serão submetidas à avaliação de composição corporal pelo método de bioimpedância elétrica, da taxa metabólica de repouso (TMR), oxidação de glicose e lipídio por meio da calorimetria indireta, coleta de sangue periférico para análise do perfil genético utilizando a metodologia de microarray por BeadChip e posterior validação pelo método de PCR quantitativo em Tempo Real. Após o período de seis meses as participantes submetidas à cirurgia bariátrica serão reavaliadas e os resultados comparados entre o grupo controle e pré e pós procedimento cirúrgico. Os dados serão analisados pelo software estatístico SPSS versão 17.0 e o nível de significância será estabelicido em p<0,05. (AU)

Resumo

A doença de Parkinson (DP) é uma desordem neurodegenerativa caracterizada como a perda progressiva dos neurônios dopaminérgicos da substância negra compacta (SNc). Os principais sintomas dessa sinucleinopatia podem ser motores e ocasionar acinesia (ou bradicinesia), instabilidade postural, rigidez, lentidão dos movimentos e tremores, além de sintomas não motores, como distúrbios psiquiátricos, no sono, respiratórios e autônomos. Estudos recentes do nosso laboratório mostraram que a indução do modelo de Parkinson induzida pela injeção bilateral de 6-hidroxidopamina (6-OHDA) no Caudado-putâmen (CPu) leva a intensa redução na frequência respiratória basal e disfunção do barorreflexo, além de uma intensa redução de grupamentos neuronais bulbares envolvidos no controle neural cardiorrespiratório, como o núcleo do trato solitário (NTS). Diante desses recentes estudos realizados no nosso laboratório, torna-se importante estudar a possível existência de projeções anatômicas entre a SNc e o NTS, utilizando a injeção de traçadores anterógrado e retrógrado nessas regiões, visto que até o momento não há relatos na literatura que indiquem a comunicação direta entre esses dois núcleos. Após 7-10 dias da injeção, os animais serão sacrificados e perfundidos e terão seus encéfalos removidos para tratamento de imunoistoquímica para revelação dos traçadores e dos neurônios envolvidos. (AU)

Resumo

Além de efeitos locais, envenenamentos por escorpiões podem vir a acarretar efeitos sistêmicos, relacionados principalmente à liberação massiva de neurotransmissores no sistema central e periférico. Essa atividade neurotóxica é atribuída aos peptídeos neurotóxicos, principais componentes desses venenos, que possuem grande especificidade e afinidade com canais iônicos podendo inativar, ativar, bloquear ou alterar o mecanismo de abertura desses canais. Essas toxinas demonstram potencial atividade farmacológica e vem sendo empregadas como ferramentas no estudo da estrutura e fisiologia dos canais iônicos (por sua interação com uma parte única do canal), e de doenças como canalopatias, epilepsia, paralisia facial, doenças musculares, arritmias cardíacas e síndromes da dor, oferecendo estratégias para o desenvolvimento de novos alvos terapêuticos. Tityus bahiensis é o maior causador de acidentes escorpiônicos no estado de São Paulo (segundo maior no Brasil), porém poucos são os estudos envolvendo o veneno bruto ou frações suas isoladas, em especial aqueles voltados ao estudo do sistema nervoso periférico e canais iônicos. O presente projeto tem por objetivo o estudo o veneno bruto e frações isoladas i) na junção neuromuscular usando-se diferentes preparações nervo/músculo esquelético isoladas submetidas a estímulos elétricos direto e indireto/de campo para avaliação da atividade somática, ii) em preparações nervo/músculo liso de canal deferente isolado através estímulo elétrico de campo para avaliação da atividade autônoma, iii) estudo eletrofisiológico para avaliação do potencial de membrana em repouso (dos músculos esquelético e liso), potencial de placa terminal, potencial de placa terminal em miniatura, potencial de ação nervoso e formas de ondas perineurais (correntes de cálcio e potássio), e iv) avaliação da interação com canais de potássio, sódio e cálcio utilizando técnicas de voltage-clamp e patch-clamp. Esse projeto proporcionará uma maior compreensão da participação das neurotoxinas presentes no veneno de T. bahiensis para os fenômenos pré e pós-sinápticos observados nos envenenamentos. Os resultados desse trabalho podem ainda fomentar o estudo/isolamento de novas moléculas com potencial farmacológico que possam vir a ser utilizadas como ferramentas de estudo. (AU)

Resumo

A hipertensão arterial (HA) é uma doença multifatorial caracterizada por níveis elevados e sustentados de pressão arterial (PA) que pode ser dividida em HA primária e secundária. A dexametasona (DEX) é um glicocorticoide sintético, cujo uso crônico pode desencadear HA. O uso de DEX em ratos espontaneamente hipertensos (SHR) pode aumentar o risco de mortalidade pela hipertensão exacerbação. A rarefação da microcirculação está presente tanto na HA primária como na induzida por DEX e está associada com alterações nas vias angiogênicas e apoptóticas. Mais recentemente, os miRNAs vêm ganhando visibilidade e sendo considerados importantes na determinação da gênese da hipertensão espontânea, contudo, seu papel na HA induzida pela DEX em SHR ainda não foi investigado. Inversamente, o treinamento físico (TF) tem sido recomendado como co-adjuvante no tratamento da HA. Assim, o objetivo do presente estudo será investigar se o TF é capaz de atenuar aumento da PA em SHR tratados com DEX e se esse efeito está associado às alterações na expressão dos miRNAs relacionadas a microcirculação. Ratos normotensos (Wistar) e hipertensos (SHR) serão submetidos a 8 semanas de TF em esteira (60% da capacidade máxima, 5 dias por semana, 1 hora por dia) ou mantidos sedentários. Durante 14 dias, após as 8 semanas de TF, os animais serão tratados com DEX (50µg/kg de peso corporal por dia, s.c.) ou salina. A PA e o enrijecimento arterial serão aferidos após o tratamento com DEX. Posteriormente, o músculo tibial anterior e o ventrículo esquerdo serão retirados e processados para avaliação da densidade capilar e da razão capilar fibra, bem como, para a avaliação da produção proteica do VEGF, PI3K, eNOS, Bcl-2 e capase-3-clivada e da expressão gênica dos miRNAs-16,-21,-126,-155,-205,-221 e -222. Os resultados serão apresentados como média ± EPM. ANOVA de dois caminhos com post hoc de Tukey serão realizados para comparação entre os grupos e (p<0,05). (AU)

Resumo

O objetivo do presente estudo será analisar as respostas agudas e crônicas do treinamento combinado sobre inflamação, fatores metabólicos e marcadores séricos, moleculares e de imagem relacionados ao tecido adiposo marrom (TAM) e browning do tecido adiposo branco (TAB) em diabéticos tipo 2 de meia idade. A amostra será composta por indivíduos diabéticos tipo 2, de ambos os sexos, com idade entre 40 e 60 anos e índice de massa corporal (IMC) <35kg/m², distribuídos em grupo controle (GC; n=15) e grupo treinamento combinado (TC; n= 15). Nos momentos pré e pós-período experimental serão realizadas análises funcionais (força muscular, aptidão aeróbia e taxa metabólica de repouso), de composição corporal (Pletismografia), bioquímicas (clínicos básicos, incretinas, inflamatórios e estimulantes de TAM e browning), imagem (Tomografia por Emissão de Pósitrons acoplado a Tomografia Computadorizada (PET-CT)) e moleculares (genes relacionados a morfologia/funcionalidade de células adiposas subcutâneas). As análises séricas de indutores de TAM e browning também serão realizadas logo após a primeira e última sessão de treinamento. O programa de TC será composto pela realização do treinamento de força (~30 min, 1-3 séries de 8 a 12 repetições, 50 a 75% de 1RM, de 1 a 1 min. e 30 seg. de intervalo) seguido de treinamento aeróbio (35 min. em 50-60% do VO2máx) na mesma sessão, realizados 3 vezes semanais, durante 16 semanas. Espera-se que com o programa de TC proposto e as coletas em momentos variados sejam observados aumentos dos indutores séricos de TAM e browning do TAB, associadas à mudanças moleculares de células e melhora em variáveis metabólicas, inflamatórias e de composição corporal. (AU)

Resumo

A Doença de Parkinson (DP) é caracterizada pela degeneração dos neurônios dopaminérgicos da substancia negra compacta (SNc) o qual leva a uma disfunção na via nigroestriatal com redução da liberação de dopamina no estriado. Assim, são observadas alterações motoras e não-motoras, e dentre as alterações não-motoras, encontra-se a denervação simpática noradrenérgica do coração e a falha na atividade do barorreflexo arterial, podendo levar a quadros de hipotensão ortostática. O barorreflexo é um sistema de regulação da pressão arterial no qual mecanoreceptores (ou barorreceptores) localizados estrategicamente no arco da aorta e no seio carotídeo enviam informações de alteração de pressão arterial (quando esta se encontra em valores diferentes do basal) para regiões bulbares que irão alterar a atividade do tônus vagal e simpático visando o aumento da pressão arterial em resposta a uma diminuição desta, ou diminuição da pressão arterial quando esta se encontra aumentada. Visando compreender as alterações não motoras observadas na DP relacionadas ao sistema cardiovascular e o envolvimento de alterações neuroanatômicas que podem contribuir para essas alterações não motoras, neste estudo, iremos utilizar um modelo animal de DP induzido por injeção bilateral de 6hidroxidopamina (6-OHDA) no núcleo Caudado-Putamen (CPu). Após 20 dias da realização da injeção de 6-OHDA ou veículo no CPu, o barorreflexo será testado com a infusão endovenosa de nitroprussiato de sódio ou fenilefrina em diferentes grupos de animais. Ao final do experimento, será realizada análise imunoistoquímica de fatias coronais do encéfalo de animais previamente perfundidos para analisar a expressão da proteína Fos, um marcador de ativação neuronal, nas áreas do encéfalo que controlam a pressão arterial. (AU)

Resumo

A epilepsia é caracterizada pela recorrência de crises epilépticas associadas a diferentes substratos etiológicos, excluindo as crises sintomáticas provocadas por lesões cerebrais agudas, como colisões que causam injúrias momentâneas ao cérebro ou por desarranjos metabólicos, como febres e uso de drogas. As crises epilépticas apresentam semiologia variável a depender da região cortical envolvida, podendo ser localizadas (focais) ou difusas (generalizadas). O subtipo mais comum de epilepsia focal é a Epilepsia de Lobo Temporal Mesial (ELTM). Aspectos diários da vida das pessoas com epilepsia são afetados por comorbidades que prejudicam a cognição e as relações sociais. Embora seja de conhecimento geral que os sintomas da ELTM não são necessariamente focais, pouco se sabe sobre prejuízos cognitivos causados por esse tipo de epilepsia. A disfunção do estado basal ou de "repouso" cerebral (Resting State Network [RSN]), que inclui uma série de redes que estão conectadas funcionalmente, pode ter um papel na gênesis de complicações cognitivas ou psiquiátricas. Esta hipótese, no entanto, continua sendo especulativa e novos estudos clínicos são necessários para acessar a possível correlação entre a gravidade das disfunções cognitivas em pacientes com ELTM e o prejuízo do RSN (Cataldi et al., 2013). A análise de DTI fornece inferências de microestrutura da substância branca de modo não invasivo, através da medição da difusão anisotrópica da água dos tratos. As informações medidas pela DTI podem ser um sinal de alterações funcionais, clínicas e comportamentais. O presente projeto buscará utilizar ressonância magnética funcional (resting state networks) e estrutural (DTI) para analisar possíveis correlações entre estes e o prejuízo de aspectos cognitivos comuns à pacientes com epilepsia de lobo temporal mesial. (AU)

Resumo

A Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA) é uma enfermidade neurodegenerativa rapidamente progressiva, sem tratamento eficaz conhecido e fisiopatologia ainda obscura. O diagnóstico da doença é difícil, sendo geralmente retardado em 10 a 12 meses após o início dos sintomas, e a apresentação clínica é bastante variável, podendo incluir inclusive alterações cognitivas e comportamentais. Com isso, tornou-se necessário o uso de biomarcadores confiáveis para diagnóstico precoce e avaliação do prognóstico individual. Especial interesse tem surgido acerca de marcadores de através de neuroimagem, em especial a Ressonância Magnética (RM), pela capacidade de avaliar alterações in vivo de maneira não invasiva, com alta fidelidade anatômica. Estudos por Ressonância Magnética Funcional (fMRI) envolvendo a atividade cerebral em repouso (resting state) permitiram o estudo redes funcionais motoras sem a necessidade de paradigmas, o que tem especial relevância devido ao contexto de déficit motor exuberante. Especula-se que as alterações funcionais são até mesmo mais precoces do que os achados anatômicos, como atrofia cortical, o que confere à fMRI maior potencial como biomarcador em estágio precoce na ELA. Parâmetros inovadores, a exemplo da amplitude das flutuações de baixas frequências (ALFF, do inglês amplitude of low frequency fluctuations), ALFF fracional (fALFF) e homogeneidade regional (ReHo, do inglês regional homogeneity), ganharam atenção recentemente. Especula-se que esses parâmetros podem estar relacionados com o grau de ativação cerebral. Assim, propomos um estudo longitudinal com o objetivo de investigar a utilidade da fMRI, por meio dos parâmetros de ALFF, fALFF e ReHo, como possíveis biomarcadores clínicos e cognitivos em pacientes com ELA.. (AU)

Resumo

A febre amarela silvestre é uma doença ressurgente nas duas últimas décadas em São Paulo. Nessa ocasião surtos acometeram a população humana e epizootias ocorreram na população de primatas não humanos. Consideramos que face às alterações antrópicas e à disposição atual dos remanescentes da vegetação no Estado de São Paulo, a distribuição das espécies vetoras silvestres de febre amarela é desconhecida. Na Região Metropolitana de São Paulo (RMSP) a população humana seria altamente vulnerável além da possível ocorrência de vetores nos remanescentes florestais. O Parque Estadual da Cantareira situado no norte da RMSP apresenta configuração espacial em que os principais componentes para ocorrência de surtos da febre amarílica: hospedeiros bugios (Allouatta clamitans), a população humana e potenciais espécies vetoras estão em contato inerente. Tal configuração poderia em caso de introdução de um caso humano, amplificar a ocorrência de casos nos hospedeiros. Nosso objetivo é levantar a informação sobre dois dos componentes: identificar as espécies de vetores que se criam nos criadouros específicos (ocos-de-árvore), as espécies arbóreas que formam tais criadouros e identificar as áreas de abrigo dos bugios em espécies arbóreas. Esperamos fornecer ao gestor em saúde, informações que permitam identificar se a RMSP pode ser uma área de risco de ocorrência de surtos e epizootias e realizar ações preventivas. (AU)

Resumo

Introdução: A esquizofrenia é o mais grave transtorno psicótico em que fatores ambientais e genéticos atuam ao longo do neurodesenvolvimento e determinam alterações da conectividade cerebral. Experiências psicóticas (EP) são bastante prevalentes na infância, mas não se conhece a relação entre as EP e as alterações de conectividade cerebral ao longo do neurodesenvolvimento. Objetivo: Investigar como alterações da conectividade entre redes cerebrais se correlacionam com experiências psicóticas na infância e adolescência, assim como o impacto de marcadores genéticos e experiências traumáticas. Métodos: A amostra será composta por 724 crianças (7-14 anos) do High Risk Cohort (Instituto Nacional de Psiquiatria do Desenvolvimento - CNPq/FAPESP), uma das mais importantes coortes mundiais avaliando trajetórias de transtornos mentais. Serão utilizadas a avaliação inicial e o seguimento de três anos que inclui avaliação de EP, exames de imagem estrutural e funcional por ressonância magnética em repouso (rsfMRI) e amostras de sangue para DNA. Em conjunto com pesquisadores de ponta do Institute of Psychiatry, Psychology and Neuroscience (King's College London), serão desenvolvidas metodologias para integração de dados complexos combinando espessura cortical (FreeSurfer), rsfMRI (Análise de Grafo), análise genômica (Illumina HumanCore BeadChip 250k), dados ambientais e psicopatológicos em dois momentos. Justificativa: Este estudo tem uma oportunidade única para estudar os processos de adoecimento nos quadros psicóticos, já que acompanha com exames de RM e avaliação genética em uma amostra comunitária grande de crianças e adolescentes com risco aumentado para desenvolver transtornos psicóticos. Estamos monitorando experiências psicóticas (EP) desde os 7 anos até os 18 anos, de forma a avaliar a relação entre as EP e as alterações de conectividade cerebral ao longo do neurodesenvolvimento. Em colaboração com o Prof. McGuire (Institute of Psychiatry, Psychology and Neuroscience - King's College London), desenvolvemos metodologias de análise de rsfMRI de ponta e produzimos artigos científicos altamente relevantes sobre o desenvolvimento da conectividade cerebral normal e em relação a psicopatologia geral. Neste projeto pretendemos identificar mecanismos biológicos e ambientais que interferem no amadurecimento de redes corticais e sua relação com experiências psicóticas ao longo do desenvolvimento. Para tanto, é necessário enfrentar um grande desafio do nosso campo, a integração metodológica em neurociências (neuroimagem, genética, psicopatologia e variáveis ambientais). O ano de pesquisa num centro de referência como o IoPPN será fundamental para enfrentar este desafio, pois poderei ter dedicação total ao projeto e a oportunidade de trabalhar de perto com alguns dos mais importantes pesquisadores do mundo realizando neurociência integrativa com estas metodologias. Além disto, poderei trazer estas novas metodologias para serem incorporadas no nosso grupo de pesquisa na UNIFESP assim como no Instituto Nacional de Psiquiatria do Desenvolvimento.Resultados esperados: Esperamos que à partir desta abordagem possamos estabelecer medidas que possam ser preditivas de transtornos psiquiátricos e que possam ser utilizados em estratégias reconhecimento precoce e prevenção de quadros psicóticos. (AU)

Resumo

Após uma sessão de treinamento aeróbio (TA) é observada uma marcante resposta metabólica sistêmica. Essas respostas refletem as alterações nos processos fisiológicos e bioquímicos decorrentes do exercício físico e a sua compreensão pode contribuir para estratégias de treinamento mais eficientes, assim como, para o monitoramento da condição física do indivíduo. Neste sentido, a metabolômica, é uma técnica abrangente e utilizada para a mensuração quantitativa da resposta metabólica dinâmica decorrente de um determinado estímulo ou devido a modificações genéticas em sistemas vivos e têm sido amplamente sugerida para a investigação e maior entendimento destas respostas. Entretanto, o comportamento da resposta metabólica ao exercício aeróbio ao longo do tempo, a partir de uma perspectiva abrangente, como a metabolômica, ainda não são conhecidos, o que dificulta a comparação entre os estudos e a escolha do tempo adequado para a coleta de material biológico após o exercício. Portanto, o presente estudo tem como objetivo investigar a resposta metabólica após uma sessão aguda de TA em diferentes intervalos de tempo, por meio de análise metabolômica. Participarão deste estudo, 15 homens saudáveis, recreacionalmente ativos, com idade entre 18 e 30 anos. Os participantes serão submetidos a duas sessões experimentais em um design cross-over: sessão controle (CO) e treinamento aeróbio (TA). As sessões serão realizadas em ordem randomizada e separadas por intervalo de 48 h. Durante a sessão TA os participantes realizarão 40 min em cicloergômetro em intensidade correspondente a 75% do consumo máximo de oxigênio de reserva (VO2R). Na sessão CO os participantes serão mantidos em repouso por 40 min. Serão coletadas amostras de sangue pré (-0 min) e pós 0 min, 15 min, 30 min, 60 min e 180 min decorridos do exercício na sessão TA e decorridos do período de repouso na sessão CO. Após, será obtido o soro sanguíneo de cada amostra para posterior análise através de ressonância magnética nuclear de prótons (RMN 1H) para a quantificação dos metabólitos circulantes. Para a análise dos dados, serão realizados testes estatísticos multivariados como análise por componentes principais (PCA) para identificar o momento no qual haverá maior expressão do metaboloma (conjunto de todos os metabólitos identificáveis) e análises discriminativas por mínimos quadrados parciais (PLS-DA) para identificar quais metabólitos melhor explicam as variações no metaboloma, seguidas por análises estatísticas univariadas para a comparação dos metabólitos entre e intra sessões de TA e CO (P < 0,05). (AU)

Resumo

A teoria de Modelos Mentais pressupõe a existência de estilos de funcionamento cerebral diferente para resolução de problemas. O construto teórico tem dois principais modos de funcionamento; o estilo operacional; caracteriza-se pelo foco na operação e pela busca da precisão, confiabilidade, eficiência, prudência, disciplina e conformidade, demonstra preocupação mais acentuada com a resolução de problemas; e o estratégico caracteriza-se pela baixa aderência a normas, às vezes considerado indisciplinado, é capaz de pensamento tangencial e de uma abordagem inovadora para tarefas e situações problemas. Apesar de estes estilos serem observados no nosso cotidiano e passiveis de classificação por métodos descritivos comportamentais, não existe um correlato biológico para sustentar essa teoria. O objetivo central deste trabalho é o de testar a hipótese de construtos teóricos dos modelos mentais por meio de imagens cerebrais, buscando detectar diferença significativa de padrões de ativação neural e definir um marcador fisiológico correlato para o modelo mental operacional e estratégico. Recrutaremos voluntários e aplicaremos o teste Questionário de Inclinações Pessoais (QIP®) para classificar em tipo preferencial de funcionamento mental segundo constructos teóricos. Os sujeitos serão separados em dois grupos de modelos mentais (operacional vs estratégico) cada qual constituído de 15 pessoas. Os dois grupos serão pareados por idade, sexo e escolaridade. Também serão aplicados testes psicométricos para comparar o desempenho dos grupos. Voluntários serão submetidas ao exame de ressonância magnética funcional (RMf) no equipamento da Philips, Achieva, 3T. Faremos a aquisição de resting-state bem como paradigma de ativação. Usaremos desenho em blocos (on-off) para avaliar a ativação em três estados: tomada de decisão simples (busca visual de objetos em imagens), tomada de decisão complexa (uma jogada de xadrez) e percepção subjetiva (figura de Rorschach). Usaremos SPM12 para análise das imagens de RMf. Esperamos com isso verificar se existe uma correspondência neurobiológica para constructos mentais teóricos. (AU)

Resumo

Rios de águas pretas constituem uma importante fração dos ambientes lóticos de Mata Atlântica, porém diversos aspectos relacionados à ictiofauna e sua relação com escalas espaciais como macro e mesohabitats ainda são pouco conhecidos na Região Sudeste do Brasil. O presente projeto visa delimitar os principais macro e mesohabitats de alguns rios de águas pretas localizados no Parque Estadual das Restingas de Bertioga - SP, verificando a influência da escala local sobre a estrutura, composição e aspectos funcionais da ictiofauna. Após uma coleta piloto, serão selecionados até 12 rios na época seca, adaptando-se uma classificação de macro e mesohabitats para os mesmos. Os peixes serão amostrados com pesca elétrica em cada um dos macrohabitats (rios) e mesohabitats delimitados, após caracterização de parâmetros morfológicos dos habitats, e físicos e químicos da água. Será também analisado o teor de Carbono Orgânico Total (COT) e dissolvido (COD), uma vez que estes ambientes possuem alto teor de ácidos húmicos, que podem estar relacionados à composição e biomassa das comunidades de peixes. Os dados ambientais e da ictiofauna serão agrupados por macro e mesohabitat para cálculo da abundância, biomassa, riqueza e diversidade de Shannon, bem como abundância de grupos funcionais. Os dados serão analisados por meio de uma análise exploratória, incluindo técnicas de análise multivariada como a Análise de Escalonamento Multidimensional Não Métrico (NMDS) e Análise de Correspondência Canônica para correlacionar as espécies e variáveis ambientais. Os dados de COT e COD serão correlacionados à biomassa e abundância através de técnicas lineares e correlações simples. Os resultados obtidos auxiliarão na compreensão dos padrões de distribuição das espécies nestes ecossistemas, permitindo subsidiar programas de monitoramento de corpos d'água, prever e avaliar os efeitos das pressões antrópicas sobre ecossistemas similares. (AU)

Resumo

A epilepsia é uma doença neurológica decorrente de um conjunto de disfunções cerebrais. As epilepsias generalizadas idiopáticas (EGI) são um grupo de síndromes genéticas associadas à idade caracterizadas por perfil clínico típico e padrões anormais no eletroencefalograma (EGG). Os pacientes com EGI geralmente apresentam exame de ressonância magnética (RM) normal, entretanto, alterações estruturais e funcionais vêm sendo descritas em vários estudos. A maioria destes pacientes apresentam uma boa responsividade (60-70%) ás drogas antiepilépticas (DAEs) porém os refratários ainda representam uma parcela significativa. Em geral, não há distinção entre pacientes com crises controladas ou não ao tratamento medicamentoso em estudos com EGI. Ademais, as comorbidades psiquiátricas tais como depressão e ansiedade não foram amplamente exploradas nestes pacientes. Portanto, os objetivos principais deste trabalho são avaliar os pacientes com EGI e verificar possíveis biomarcadores que eventualmente poderão auxiliar num tratamento mais individualizado, levando em conta alterações de humor, ansiedade e as redes funcionais cerebrais. Todos os pacientes serão selecionados no ambulatório de Neurologia do HC/Campinas - Unicamp, de acordo com os critérios de inclusão/exclusão estabelecidos. Três grupos de estudo serão avaliados (respondedores, refratários e controles saudáveis). Estes grupos serão submetidos ao exame de RM funcional do tipo "Resting State" (RS-fMRI) e responderão ao Inventário de Depressão de Beck (BDI) e ao Inventário de Ansiedade de Beck (BAI). Será aplicado "Graph theoretical network analysis" (Análise de network por Teoria de grafos) para realizar a investigação de propriedades topológicas das redes cerebrais. Os dados obtidos serão tabulados, analisados e correlacionados com os dados clínicos. (AU)

Resumo

Rios de águas pretas constituem uma importante fração dos ambientes lóticos de Mata Atlântica, porém diversos aspectos relacionados à ictiofauna e sua relação com escalas espaciais como macro e mesohabitats ainda são pouco conhecidos na Região Sudeste do Brasil. O presente projeto visa delimitar os principais macro e mesohabitats de alguns rios de águas pretas localizados no Parque Estadual das Restingas de Bertioga - SP, verificando a influência da escala local sobre a estrutura, composição e aspectos funcionais da ictiofauna. Após uma coleta piloto, serão selecionados até 12 rios na época seca, adaptando-se uma classificação de macro e mesohabitats para os mesmos. Os peixes serão amostrados com pesca elétrica em cada um dos macrohabitats (rios) e mesohabitats delimitados, após caracterização de parâmetros morfológicos dos habitats, e físicos e químicos da água. Será também analisado o teor de Carbono Orgânico Total (COT) e dissolvido (COD), uma vez que estes ambientes possuem alto teor de ácidos húmicos, que podem estar relacionados à composição e biomassa das comunidades de peixes. Os dados ambientais e da ictiofauna serão agrupados por macro e mesohabitat para cálculo da abundância, biomassa, riqueza e diversidade de Shannon, bem como abundância de grupos funcionais. Os dados serão analisados por meio de uma análise exploratória, incluindo técnicas de análise multivariada como a Análise de Escalonamento Multidimensional Não Métrico (NMDS) e Análise de Correspondência Canônica para correlacionar as espécies e variáveis ambientais. Os dados de COT e COD serão correlacionados à biomassa e abundância através de técnicas lineares e correlações simples. Os resultados obtidos auxiliarão na compreensão dos padrões de distribuição das espécies nestes ecossistemas, permitindo subsidiar programas de monitoramento de corpos d'água, prever e avaliar os efeitos das pressões antrópicas sobre ecossistemas similares. (AU)

Resumo

Atividade respiratória de repouso é gerada a partir da atividade sincronizada de uma complexa rede neuronal respiratória localizada no tronco cerebral, na qual está inserido um oscilador respiratório primário essencial para a ritmicidade respiratória. Tal oscilador está localizado na coluna respiratória ventral e é constituído por neurônios inspiratórios com características de auto-despolarização. Entretanto, estudos recentes sugerem a existência de um segundo oscilador respiratório, o qual parece ter um papel crítico na geração do padrão expiratório ativo, assim como visto em situações hipóxia e hipercapnia. Esse oscilador expiratório localiza-se rostral a coluna respiratória ventral e ventral ao núcleo facial, em uma região denominada de grupo respiratório parafacial (pFRG). Além do seu importante papel na geração do padrão expiratório, os neurônios respiratórios do pFRG parecem também influenciar a geração da atividade simpática vascular, contribuindo no controle acoplado das atividades respiratória e simpática, especialmente em condições de desafios metabólicos. Estudos sugerem que a ativação dos neurônios expiratórios do pFRG dependa de balanço entre mecanismos excitatórios e inibitórios. No presente projeto, verificaremos a contribuição dos mecanismos inibitórios para a geração do padrão de expiração ativa. Inicialmente, exploraremos a hipótese de que os neurônios do complexo Bötzinger (BötC) sejam uma importante fonte inibitória para o controle da geração do padrão de expiração ativa em ratos naïve. Posteriormente, estudaremos o papel dos mecanismos inibitórios e do BötC, na geração da expiração ativa em ratos expostos à 10% O2 por 24 hs - condição que promove o surgimento do padrão de expiração ativa em condições de repouso. Tais possibilidades serão elucidadas utilizando a técnica da preparação coração-tronco cerebral isolados, na qual será realizada o registro de nervos motores respiratórios e simpático, bem como microinjeções de agonistas e antagonistas farmacológicos na superfície ventral do bulbo. (AU (AU)

Resumo

Introdução: A proporção de pessoas com mais de 60 anos de idade está crescendo mais rapidamente que outros grupos etários. Esta condição desafia a sociedade a se adaptar de maneira a maximizar a saúde e capacidade funcional de pessoas idosas, bem como sua participação social e segurança. Quanto ao envelhecimento cerebral, do ponto de vista da estrutura do cérebro, encontramos o declínio do número de sinapses, alterações na substância branca, mudanças vasculares e alterações na conectividade cerebral. Por outro lado, há evidências sobre os efeitos do yoga no organismo e que poderiam ser benéficos no processo do envelhecimento. Objetivos: Comparar a estrutura e funcionamento cerebrais de idosos que praticam regularmente yoga ao menos por 3 anos, duas vezes por semana, com idosos que não praticam. Comparar ainda seu desempenho em testes de agilidade e força motoras. Método: Os participantes devem apresentar no mínimo 60 anos de idade, podendo ser de ambos os sexos, com escolaridade mínima de 1o grau completo, e não apresentar sintomas de demência. Informações de um banco de dados de idosos serão utilizado para compor o grupo de 30 idosos que não praticam yoga (Grupo Controle). 30 idosos praticantes de yoga há pelo menos 3 anos, duas vezes por semana serão recrutados para compor o Grupo Yoga. Eles serão avaliados por meio de questionários sobre seu estado de saúde mental, testes de destreza manual e força e ressonância magnética estrutural e funcional (mesmas avaliações realizadas no Grupo Controle). Os dados obtidos a partir dos questionários e testes de destreza e força serão analisados no programa SPSS 17.0. A análise estrutural de imagens de ressonância magnética será realizada pelo programa Freesurfer e as imagens de resting-state serão realizadas pelo programa FSL. (AU)

Resumo

Dutos submarinos são utilizados nas operações marítimas de perfuração de poços e de produção de petróleo e gás natural. Estes dutos podem estar apoiados no leito marinho com a função de transportar o petróleo de um poço produtor até uma unidade de produção flutuante na superfície do mar (plataforma petrolífera). São denominados de dutos submarinos ou de linhas de escoamento quando apoiados no leito marinho e quando o duto se encontrar suspenso, interligando o fundo do mar à unidade produtora na superfície, são denominados de risers. Estes dutos estão sujeitos à correnteza marítima, ondas e ao movimento induzido pela unidade flutuante à qual estão conectados. Sua interação com a água do mar gera duas componentes de força no duto: a força de arrasto (FD) e a transversal (FL), respectivamente, nas direções de incidência e perpendicular da água em relação ao duto. A força transversal faz o duto oscilar na direção perpendicular à velocidade de incidência do fluido, fenômeno conhecido como Vibração Induzida por Vórtices (VIV), em sincronização com o desprendimento de vórtices. Esta vibração é importante para o projeto de dutos, pois pode acelerar o processo de fadiga do duto, ocasionando falhas. Neste trabalho, será aplicado a Fluidodinâmica Computacional (Computacional Fluid Dynamics - CFD) para solução do escoamento tridimensional ao redor de uma seção de um duto submarino. Consideram-se duas situações: a primeira com a seção do duto estacionária; e segunda com a seção com um movimento forçado induzido na direção transversal ao escoamento incidente. Em ambos os casos, serão simuladas situações com diferentes velocidades de incidência. Coeficientes hidrodinâmicos de arrasto (CD) e de força transversal (CL), assim como o número de Strouhal (St) para o escoamento serão calculados, e comparações e análise dos resultados com a literatura são realizados. (AU)

Investigando a formação e manutenção da água modal subtropical do Atlântico Sul (SAMOWA)

Processo:15/26450-8
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de abril de 2016 - 31 de março de 2018
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Oceanografia - Oceanografia Física
Pesquisador responsável:Olga Tiemi Sato
Beneficiário:
Instituição-sede: Instituto Oceanográfico (IO). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesq. associados:

Marcelo Dottori ; Paulo Henrique Rezende Calil ; Paulo Simionatto Polito

Assunto(s):Atlântico Sul
Resumo

Neste projeto visamos o entendimento dos mecanismos que controlam a presença da água modal subtropical no sudoeste do Atlântico Sul. A característica da água modal é a homogeneidade de parâmetros como a temperatura e salinidade, tanto na vertical quanto ao longo de sua extensão horizontal. Esse tipo particular de água modal subtropical ocupa uma região entre 30S e 40S na borda oeste do giro subtropical, possui uma extensão zonal de 3000 km e em média chega a ter 160 m de espessura vertical. Essa massiva quantidade de água é formada entre os meses de Julho e Outubro como consequência dos processos de interação entre o oceano e a atmosfera. A camada superior é homogeneizada e resfriada, de forma que afunda até uma isopicnal de equilíbrio próxima à região de formação. Esse processo está fortemente ligado à perda de calor do oceano. Entretanto, a variabilidade do volume formado não é diretamente um reflexo das variações do fluxo de calor. Especula--se que outros processos que ocorrem fora da região de formação afetem tanto a quantidade de água modal formada como a destruída. Dentre esses fatores, inclui-se a interação com a Corrente do Brasil e processos turbulentos associados à vórtices de mesoescala e anomalias devido ao vento na forma de transporte de Ekman. Para uma plena compreensão dos processos que levam a formação da água modal é crucial que tenhamos uma descrição precisa do estado do oceano no período antes e depois da formação. Para tanto, a obtenção de perfis sinóticos in situ da camada superior do oceano juntamente com uma amostragem contínua em alta resolução através de um glider em combinação com os campos derivados através de dados de satélites é a estratégia até então sem precedentes planejada para entendermos esses processos no Atlântico Sul. (AU)

Resumo

O objetivo do estudo que será proposto neste projeto será avaliar o efeito da adição de óleo funcional ou monensina sódica sobre o comportamento ingestivo e seletividade de partículas de bovinos Nelore terminados em confinamento. Serão utilizados 96 animais machos não castrados da raça Nelore, com peso vivo médio inicial de 380 kg. Os animais serão divididos aleatoriamente em 24 baias de acordo com os tratamentos: 1) Controle (sem aditivos); 2) Monensina (27 ppm); 3) Óleo Funcional (50 ppm); e 4) Monensina (27 ppm) + Óleo Funcional (50 ppm), caracterizando assim delineamento em blocos casualizados (com o peso vivo inicial como critério), em arranjo fatorial 2 x 2 (adição ou não de Óleo funcional ou Monensina). Cada tratamento contará com 6 repetições (baias; n = 4 por baia). No dia 54 do período experimental todos os animais serão submetidos a uma observação visual para avaliar o comportamento ingestivo, sendo que no dia de avaliação, estes serão observados a cada cinco minutos, durante o período de 24 horas, para então determinar o tempo despendido em ócio, ruminação e alimentação. Serão coletadas amostras da dieta total logo após o fornecimento e das sobras das 24 baias no dia subsequente para avaliar a distribuição das partículas usando a Penn State Particle Separator, a fim de analisar a seleção de partículas, a qual será expressa em forma de índice de preferência. Posteriormente as amostras da dieta e das sobras serão analisadas quimicamente, para enfim se determinar a fibra em detergente neutro (FDN) e a matéria seca (MS), para então avaliar o consumo de FDN e MS, eficiência de ruminação do FDN e MS e eficiência de alimentação do FDN e MS. (AU)

Resumo

A disfunção endotelial caracterizada em doenças cardiovasculares como hipertensão, se deve à redução da vasodilatação dependente do endotélio. O desequilíbrio entre a produção endotelial de fatores relaxantes (EDRFs) como o óxido nítrico (NO), prostaciclina (PGI2) e fatores contráteis (EDCFs) como o tromboxano A2 (TXA2), podem contribuir para a disfunção endotelial geralmente associada à excessiva produção de espécies reativas de oxigênio (EROs). Resultados obtidos em nosso laboratório demonstraram que a resposta contrátil induzida por fenilefrina (PE) sob tensão de repouso de 1,5 g é menor em aortas com endotélio (E+), isoladas de ratos hipertensos renais 2R-1C do que a resposta contrátil induzida pela PE em aortas E+, isoladas de ratos normotensos sham-operados (2R). Isto se deve à produção de peróxido de hidrogênio (H2O2) que ativa a eNOS em 2R-1C E+ por aumentar a fosforilação do resíduo de Ser1177, resíduo ativador da eNOS. Embora a enzima ciclooxigenase (COX) também esteja mais expressa e ativa em aortas de ratos 2R-1C, o efeito do NO prevalece sobre o efeito do prostanóide contrátil TXA2. Aortas de ratos 2R-1C, com endotélio, sob tensão basal de 3,0 g, apresentam aumento na resposta contrátil à PE. Isto não acontece em aortas de ratos 2R. Com base em dados da literatura e em resultados obtidos em nosso laboratório, a hipótese deste trabalho é de que na hipertensão arterial, o aumento da resistência vascular modifica o estiramento vascular radial, o que deve modificar a sinalização celular e determinar a maior produção de EROS e consequentemente modular a atividade das enzimas endoteliais eNOS e COX. Desta forma, este trabalho tem por objetivo avaliar o papel dos níveis de pressão arterial e do estiramento vascular radial para a atividade das enzimas endoteliais eNOS e COX sobre as respostas contráteis em aorta e artéria coronária de ratos 2R e 2R-1C. Avaliaremos o efeito vasodilatador dependente do endotélio vascular estimulado pela acetilcolina e pelo doador de NO associado ao inibidor da COX, indometacina (NCX2121), em artérias aortas e coronárias isoladas de ratos 2R e 2R-1C.Palavras Chave: Disfunção endotelial, estiramento vascular, hipertensão renovascular, vasoconstrição, vasodilatação, óxido nítrico, eNOS, COX (AU)

Resumo

Introdução: O treinamento aeróbio (TA) aumenta o condicionamento físico que está associado com a melhora do controle clínico, da qualidade de vida e redução da ansiedade, depressão e da inflamação pulmonar nos pacientes asmáticos. Porém, pouco é compreendido sobre os benefícios de tipos de treinamento nestes pacientes. Objetivos: Comparar o impacto, a curto e médio prazo, do TA e treinamento intervalado (TI) prazo na melhora da capacidade aeróbia, fatores psicossociais e nível de atividade física em pacientes asmáticos. Será também comparado o efeito dos treinamentos na inflamação pulmonar. Casuística: Serão estudados 50 pacientes com asma persistente moderada ou grave que serão aleatoriamente alocados em um dos 2 grupos: TA e TI. O programa de treinamento físico terá a duração de 24 sessões (3 meses), cada sessão de exercício terá duração de 40 minutos. O TA terá 5 min. de aquecimento, 30 min. de exercício e 5 min. de volta e será iniciado com intensidade entre 60 e 80% da capacidade aeróbia máxima (VO2max). O TI terá 5 min. de aquecimento e serão realizados intervalados de 30 seg. de exercício com o mesmo período de repouso numa intensidade inicial entre 80 e 100% do VO2max. Antes do programa de exercício, os pacientes participarão de programa um educacional. Antes e no final das intervenções, os pacientes serão avaliados quanto à capacidade física (VO2max) no limiar anaeróbio (isotime), controle clínico (ACT, ACQ e diário de sintomas), fatores de saúde relacionados à qualidade de vida (AQLQ) e níveis de ansiedade e depressão (HADS). A inflamação pulmonar será avaliada pela fração de oxido nítrico no ar exalado (FEno; quimioluminescência) e quantificação dos níveis séricos do cortisol (fluorimunoensaio) e das interleucinas (IL)-4, IL-5, IL-6, IL-8, IL-2, IL-12, IL-17, IL-10, IFN-g, TNF-a, TGF-b, quimiocinas MCP-1, RANTES, MIG, IP-10 (CBA). Antes e após 3 meses do final dos programas TA e TI, os pacientes terão avaliado o controle da asma e o nível de atividade física com uso pedômetro quantificado por 7 dias e do questionário de barreiras da atividade física. A normalidade dos dados será feita com o teste Shapiro-Wilk. Os dados contínuos serão analisados com testes paramétricos (ANOVA e Bonferroni) ou não paramétricos (ANOVA e Mann-Whitney), ainda será feito teste para medidas repetidas (Friedman ou Tukey). Para os dados categóricos será aplicado o teste de qui-quadrado. Também será feito análise do tamanho do efeito. O nível de significância para todos os testes será de 5% (p<0,05). (AU)

Resumo

A hipertensão arterial (HA) é uma síndrome multifatorial caracterizada por níveis elevados e sustentados de pressão arterial (PA). O treinamento físico (TF) aeróbio tem sido utilizado como um importante tratamento não farmacológico da HA, uma vez que ele corrige a rarefação microvascular e reduz a PA; entretanto, os mecanismos envolvidos são pouco conhecidos. Uma nova classe de pequenos RNAs, denominados de microRNAs (miRNAs), vem sendo muito estudados por regularem pós-transcricionalmente a expressão de seus genes alvo. Estudos avaliando o papel dos miRNAs na regulação do processo angiogênico tanto na HA quanto induzidos pelo TF são desconhecidos. Com base na análise do perfil de expressão de miRNAs pelo microarray, selecionamos o miRNA-205 para o presente estudo por ser um dos miRNAs mais diferencialmente expressos na HA e por alvejar um amplo número de genes envolvidos com o processo angiogênico; o que o tornaria um potencial alvo terapêutico perante as alterações vasculares na HA. Portanto, nosso objetivo é investigar o papel do miRNA-205 na reduzida capacidade angiogênica mediada pela sinalização de FAK/ integrina de ratos espontaneamente hipertensos (SHR) e verificar o papel terapêutico do TF na correção desses parâmetros. Na primeira etapa do projeto, SHR com 6 meses de idade no início do protocolo e seus respectivos controles Wistar Kyoto (WKY) serão divididos em 4 grupos experimentais (n=7/grupo): SHR, SHR treinado (SHR-T), WKY e WKY treinado (WKY-T). O TF de natação consistirá de 10 semanas de duração, 1x dia/ 5x na semana/ 10 semanas. Serão analisados a PA e a freqüência cardíaca no repouso por plestimografia de cauda, a capacidade de tolerância ao esforço e o VO2 pico pós TF. Após sacrifício, serão feitas análises morfológicas do músculo sóleo como a área de secção transversa, razão capilar por fibra e perfil de tipos de fibra pelo método de histoquímica. Serão realizadas análises da expressão do miRNA-205 e respectivos alvos relacionados com o controle do processo angiogênico e integridade vascular. Na segunda etapa do projeto, será realizada a validação do gene alvo Itga5 para o miRNA-205 por meio do ensaio de luciferase e a análise da expressão protéica de FAK mediada pela sinalização de integrina. Avaliaremos o ganho e a perda de função da célula endotelial (HUVEC) in vitro por meio da transfecção de antagomiR/ miRmimic-205 ou um oligonucleotídeo incompatível com o miRNA estudado como controle (scramble) sobre a proliferação, migração e a formação de tubos como capilar sobre matrigel; e a expressão do miRNA-205 e dos seus genes alvo validados e preditos. Na terceira etapa, avaliaremos a resposta angiogênica em anéis de aorta de WKY e SHR ex vivo por meio da transfecção de antagomiR/ miRmimic-205 e do inibidor de FAK. Assim, testaremos a hipótese da participação do miRNA-205 na regulação do processo angiogênico, o qual poderia ser futuramente utilizado como fonte terapêutica para a HA. (AU)

304 resultado(s)
|
Exportar 0 registro(s) selecionado(s)
Marcar todos desta pagina | Limpar seleção