site da FAPESP
 

Refine sua pesquisa

Pesquisa
  • Uma ou mais palavras adicionais
Publicações científicas
Auxílios à Pesquisa
Bolsas
Programas voltados a Temas Específicos
Programas de Pesquisa direcionados à Aplicação
Programas de Infraestrutura de Pesquisa
Área do conhecimento
Situação
Ano de início
238 resultado(s)
|

Estimulação cerebral não invasiva, exercício físico e sistema de recompensa

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Li Li Min
Supervisor no exterior: Shinsuke Shimojo
Local de pesquisa: California Institute of Technology (Estados Unidos)
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Radiologia Médica
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Processo:14/10134-7
Vigência: 24 de março de 2015 - 31 de julho de 2015
Assunto(s):RecompensaDopaminaExercício físicoNeuroimagemNeuromodulaçãoNeurologia
Resumo
A história da ciência do exercício ao longo da segunda metade do século XX, está cheia de triunfos espetaculares, mas também alguns fracassos épicos. Os sucessos consistem em descobrir uma riqueza de evidências científicas que sustentam os efeitos benéficos da atividade física sobre a saúde e elevar a consciência não só da comunidade médica, mas também do público em geral. O fracasso é pela incapacidade de aumentar as taxas de participação de atividade física, que permanecem extremamente baixa na maioria dos países industrializados. Os pesquisadores se concentraram no possível papel desempenhado pelas diretrizes exercício de prescrição e recomendações de atividade física nestas falhas e estendeu por considerar o prazer como critério fundamental quando o exercício é prescrito ou é recomendado a atividade física. Uma literatura emergente agora sugere que o prazer experimentado durante a realização do exercício físico prediz a participação posterior em programas de atividade física. Portanto, garantir que a atividade de exercício físico não seja apenas eficaz e segura mas também prazerosa, pode aumentar as chances de que esses comportamentos se tornem hábitos ao longo da vida. A ocorrência de prazer é codificado por atividade neural em diferentes regiões cerebrais que envolvem o sistema dopamingérgico (DA) que é essencial para o sistema de recompensa. A DA é um neurotransmissor sintetizado por neurônios mesencefálicos na substantia nigra (SN) e a área tegmental ventral (VTA). Dado que os neurônios SN / VTA estão localizados em regiões profundas do cérebro, as principais estragégias para modular tem sido por intervenções farmacológicas ou implantação de estimuladores cerebrais profundos. Nas últimas décadas, a estimulação cerebral não-invasiva tem sido cada vez mais utilizado por médicos e neurocientistas com intuito de modular o cérebro. Estimulação transcraniana por corrente contínua (ETCC) é considerada uma técnica de neuromodulação que induz alterações de excitabilidade no potencial de repouso da membrana. Embora ETCC estimula a área cortical diretamente abaixo do eletrodo, ele também pode modular estruturas subcorticais. Recentemente, pesquisadores da Caltech mostraram que a ETCC pode ser utilizada para induzir alterações de atividade neural no mesencéfalo distal (SN e VTA) que afeta diretamente o comportamento. Estes resultados nos inspirou para testar se tais aumento nas funções dopaminérgicas do mesencéfalo, em resposta a ETCC anódica do córtex frontal, pode aumentar o prazer experimentado durante o exercício físico. Nossa hipótese é de que a ETCC resultaria na ativação remota do mesencéfalo ventral medida pelo fMRI, e que essa ativação remota se manifestaria comportamentalmente com aumentos na sensação de prazer dos participantes durante físico exercício. (AU)

Desenvolvimento de técnicas de simulação para interação dinâmica solo-estrutura aplicadas à modelagem da resposta de fundações de instalações para Nano-ciência e laboratórios de luz síncrotron, fase 2

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Engenharia Mecânica (FEM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Euclides de Mesquita Neto
Supervisor no exterior: Nimal Rajapakse
Local de pesquisa: Simon Fraser University (Canadá)
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Mecânica - Mecânica dos Sólidos
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Processo:15/00209-2
Vigência: 01 de março de 2015 - 31 de agosto de 2015
Assunto(s):Interação solo-estrutura
Resumo
O presente projeto de pós-doutorado em andamento envolve o desenvolvimento de uma série de modelos numéricos para descrever a resposta dinâmica de fundações interagindo com o solo. O trabalho é motivado pela necessidade e modelar e entender o comportamento dinâmico de fundações como as que estão sendo consideradas para a construção da nova fonte brasileira de luz síncrotron, o Projeto Sirius. Os limites de amplitude de vibração exigidos para o funcionamento adequado dos anéis de luz síncrotron são muito estreitos, e uma compreensão adequada do comportamento dinâmico de sua fundação é fundamental para o sucesso do projeto. Em particular, o presente projeto BEPE trata da formulação de modelos de estacas e grandes grupos de estacas. Esta é uma componente fundamental do projeto de pesquisa, uma vez que os projetos mais bem-sucedidos de fundações para a instalação de laboratórios de luz síncrotron são baseados em fundações rasas apoiadas em grandes grupos de estacas. Inicialmente, o autor formulará um modelo simplificado 1D para representar as propriedades de propagação de onda de uma estaca como se ela fosse uma linha dentro do solo. Um levantamento das condições em que essa hipótese é razoável precisa ser feito. Neste estágio, a experiência do Prof. Rajapakse, o supervisor no exterior, será crucial para evitar que qualquer característica relevante do problema seja negligenciada. Ele poderá formular os testes adequados a serem conduzidos para verificar a precisão do novo modelo 1D. Em seguida, o trabalho progredirá para o estudo de duas estacas interagindo entre si. Este modelo poderá ser comparado com outras fontes da literatura para os casos-limite de estacas longas, estacas rígidas, ou estacas sob carga estática. O caso geral de estacas longas ou curtas, rígidas ou flexíveis, e que levam em conta os efeitos de inércia na interação entre solo e estaca atualmente somente podem ser obtidos com o modelo proposto na literatura pelo Prof. Rajapakse. Atualmente não é completamente entendido quais desses efeitos são relevantes ou não na interação entre duas estacas. Esse estudo permitirá ao autor entender os parâmetros mais importantes que governam o problema de interação entre duas estacas e fornecerá idéias essenciais para o próximo passo. Finalmente, a próxima extensão do modelo será o estudo de grupos de estacas. Este modelo considerará as propriedades de propagação de onda e absorção de energia de cada estaca agindo individualmente ou em um grupo. O modelo considerará o meio circundante como sendo estratificado e transversalmente isotrópico, para uma representação realística do solo. Diferentemente de um modelo de Elementos Finitos, esse modelo será capaz de satisfazer a condição de radiação de Sommerfeld para meios ilimitados. Diferentemente de um modelo por Elementos de Contorno, este modelo será computacionalmente eficiente. (AU)

Avaliação do padrão de ativação motora de pacientes com neuronopatias sensitivas utilizando fMRI e conectividade efetiva

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Marcondes Cavalcante Franca Junior
Área do conhecimento:Interdisciplinar
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado Direto
Processo:14/15918-6
Vigência: 01 de março de 2015 - 31 de julho de 2016
Assunto(s):Ressonância magnéticaNeurociências
Resumo
As neuronopatias sensitivas (NS) constituem um subgrupo de doenças do sistema nervoso periférico cuja característica mais marcante é a degeneração primária dos gânglios da raiz dorsal (GRD). Pacientes portadores dessas neuronopatias possuem um déficit de sensibilidade em muitos pontos do corpo, o que leva à perda da coordenação plena dos movimentos, embora suas áreas cerebrais motoras permaneçam intactas. Portanto, surge como questionamento o motivo pelo qual o déficit sensorial multifocal nestes pacientes afeta desta forma o sistema motor. A técnica de ressonância magnética é empregada como uma das ferramentas na avaliação deste tipo de pacientes para se averiguar o nível de dano aos GRD, mas até onde sabemos, poucos estudos têm utilizado a técnica de produção de imagens com ressonância magnética funcional (fMRI) no estudo dessas neuronopatias. Esta técnica permite mapear estatisticamente sítios de ativação cerebral quando o indivíduo sob análise é requisitado a realizar uma determinada tarefa física ou mental, o que possibilita relacionar áreas ou redes neurais a funções cerebrais específicas. Paralelamente, outras técnicas de MRI mais recentes também serão utilizadas na investigação: (I) a determinação de padrões de organização cerebral na ausência de tarefas ou estímulos (o que é conhecido como estado de repouso do cérebro); (II) a avaliação do fluxo (ou difusão) de água tanto no cérebro quanto na medula, uma vez que alterações neste fluxo podem ser reflexos de alteração na integridade de fibras nervosas (técnica conhecida como diffusion weighted imaging - DTI); (III) avaliação do tamanho e da forma de estruturas cerebrais a partir de imagens com alta resolução espacial (técnica conhecida como Voxel-Based Morphometry - VBM); e avaliação da conexão entre áreas de modelos de redes cerebrais estabelecidos a priori, e como essas áreas se influenciam dentro dessas redes (técnica conhecida como Dynamic Causal Modelling - DCM). Assim, o objetivo principal deste projeto é utilizar diversas técnicas de MRI para avaliar áreas cerebrais relacionadas aos sistemas motor e sensorial de pacientes acometidos por neuronopatias sensitivas, e possivelmente evidenciar pontos afetados tanto estrutural quanto funcionalmente. Implicações terapêuticas podem vir dos resultados obtidos, uma vez que o melhor entendimento do mecanismo da doença permite uma estruturação mais adequada das terapias aplicadas. Não obstante, tentaremos ainda determinar biomarcadores e investigaremos maneiras de se facilitar o diagnóstico precoce. (AU)

Estrutura e dinâmica de dados de espectroscopia no infravermelho próximo durante o estado basal com redes complexas

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Física Gleb Wataghin (IFGW). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Rickson Coelho Mesquita
Área do conhecimento:Interdisciplinar
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:15/00576-5
Vigência: 01 de março de 2015 - 29 de fevereiro de 2016
Assunto(s):Sistemas complexos
Resumo
O cérebro humano é organizado como um sistema altamente complexo no qual regiões podem ser representadas como redes interconectadas estruturalmente e sincronizadas funcionalmente. Como resultado, a teoria de redes complexas tem sido empregada em imagens por Ressonância Magnética funcional (fMRI) para investigar a função cerebral durante o estado de repouso. Além de fMRI, a Espectroscopia no Infravermelho próximo (NIRS) é outra técnica de neuroimagem que se destaca por sua portabilidade, baixo custo e alta resolução temporal. NIRS se beneficia de uma "janela óptica" - na qual a luz no infravermelho próximo é menos absorvida - para estimar a informação da fisiologia do cérebro humano. Embora há estudos de conectividade funcional com NIRS, uma abordagem complexa nunca foi empregada para o entendimento das características fundamentais da atividade cerebral espontânea em dados de NIRS. Assim, este projeto tem como objetivo investigar a conectividade cerebral durante o estado de repouso com experimentos de NIRS e uma abordagem promissora fundamentada em física estatística. (AU)

Relação entre variabilidade da frequência cardíaca e comportamento não-verbal na depressão com base na teoria Polivagal

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Hospital Universitário (HU). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Andre Russowsky Brunoni
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Psiquiatria
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:14/20799-6
Vigência: 01 de fevereiro de 2015 - 31 de janeiro de 2016
Assunto(s):Comunicação não-verbalDepressão
Resumo
O transtorno depressivo maior (TDM) é um transtorno psiquiátrico caracterizado pelo humor deprimido e anedonia. Outros sintomas podem incluir alterações de sono, apetite e libido; ideação negativa e pensamentos suicidas. Além disso, trata-se de um transtorno com alta recorrência, morbidade e mortalidade. Embora tenha aumentado, nas últimas décadas, o número de estudos sobre a depressão, o mecanismo fisiopatológico da doença é ainda incerto, corroborando o prosseguimento de investigações focadas em mecanismos envolvidos no TDM, meios diagnósticos e de tratamento. Uma das possíveis linhas de investigação envolve a análise dos chamados marcadores da depressão, que são parâmetros indicadores da presença e gravidade de uma doença ou transtorno. Dentre esses parâmetros estão a variabilidade da frequência cardíaca (VFC) e o comportamento não-verbal, ambos alterados em pacientes com TDM: estes apresentam redução da VFC e na capacidade de codificação comportamental não-verbal (redução de expressividade emocional). Ambas alterações podem, de acordo com a Teoria Polivagal, estarem correlacionadas e encontrarem-se associadas à disfunção da atividade do nervo vago. Esta teoria enfatiza o aspecto da condução bidirecional (aferente-eferente) do nervo vago e seu papel tanto na regulação do estado visceral quanto na emoção. Neste contexto, a presente pesquisa tem como objetivo verificar se há correlação entre VFC e comportamento expressivo não-verbal em pacientes deprimidos, utilizando o embasamento proposto pela Teoria Polivagal. Recrutaremos 40 pacientes entre 18 a 75 anos com depressão unipolar que não estão em uso de antidepressivos ou outros psicofármacos. A VFC será mensurada com o sujeito deitado e em repouso, por um período de 15 minutos, utilizando o software WindowsECG® para registro do eletrocardiograma e o software Kubios® para análise da VFC, que será mensurada através da análise espectral (ou banda de variação) e temporal da frequência cardíaca. O comportamento não-verbal será aferido através de entrevistas semi-estruturadas filmadas e posteriormente avaliadas por juízes treinados e mascarados, utilizando um etograma padronizado, desenvolvido para a avaliação do comportamento filmado em entrevistas, que leva em conta aspectos de sentimentos positivos/interação social e de sentimentos negativos/de isolamento. Na análise estatística, utilizaremos correlações para analisar a correlação entre VFC e comunicação não-verbal, bem como correlações parciais para avaliar a gravidade de depressão nesta possível associação. Este projeto de Iniciação Científica envolve a mesma equipe de pesquisadores e população de pacientes de outras pesquisas que já obtém auxílio FAPESP: um "Jovens Pesquisadores" (2012-20911/5, beneficiário: Prof. Dr. André Russowsky Brunoni) e uma bolsa de pós-doutorado (11/51732-6, beneficiário: Prof. Dra. Juliana T Fiquer / Supervisora: Prof. Dra.Clarice Gorenstein). (AU)

Influência da perda de peso na composição corporal, gasto energético e mudanças de oxidação de carboidratos e lipídeos de mulheres obesas submetidas à cirurgia bariátrica

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Carla Barbosa Nonino
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Nutrição
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:14/11455-1
Vigência: 01 de fevereiro de 2015 - 31 de janeiro de 2016
Assunto(s):Calorimetria indiretaCirurgia bariátricaMetabolismo energéticoObesidade
Resumo
A obesidade hoje é tida como uma epidemia mundial e afeta todos os grupos de renda no Brasil. A cirurgia bariátrica consiste em uma alternativa terapêutica para o tratamento da obesidade, podendo resultar em melhora ou resolução de desordens metabólicas, melhoria da saúde psicológica e, consequentemente, da qualidade de vida desses indivíduos. A eficácia da cirurgia bariátrica é amplamente discutida, sendo a perda de peso o benefício citado como mais relevante. Porém, a perda de peso ponderal está ligada a uma perda da massa muscular esquelética em conjunto com tecido adiposo, contribuindo para diminuir a taxa metabólica de repouso e gerando a possibilidade de reganho de peso no período pós-cirúrgico em pacientes. Além disso, a cirurgia bariátrica ao diminuir o peso corporal dos indivíduos poderia influenciar na oxidação de macronutrientes, e dificultar a manutenção da perda de peso. Assim, este estudo tem como objetivo é verificar se há mudanças na taxa metabólica de repouso e na oxidação de macronutrientes a longo prazo em indivíduos que se submetem a cirurgia bariátrica. (AU)

Efeitos do tratamento agudo e de curta duração com dexametasona: papel do sistema renina angiotensina e do sistema nervoso autônomo

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências (FC). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Bauru. Bauru, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Sandra Lia do Amaral Cardoso
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Educação Física
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:14/23050-6
Vigência: 01 de fevereiro de 2015 - 31 de dezembro de 2015
Assunto(s):GlucocorticoidesPressão sanguíneaSistema renina-angiotensinaFisiologia
Resumo
A dexametasona (DEX) é um glicocorticoide sintético amplamente comercializado pela indústria farmacêutica em função do seu potente efeito anti-inflamatório e antialérgico. Contudo, quando administrada por um período crônico, possui diversos efeitos colaterais, tais como redução da massa corporal, atrofia muscular, hiperglicemia seguida de hiperinsulinemia, aumento da pressão arterial (PA) e outros. Dentre os mecanismos responsáveis pelo aumento de PA pode-se citar diminuição do óxido nítrico, aumento da atividade do sistema renina angiotensina (SRA), aumento da atividade nervosa simpática e aumento do estresse oxidativo. Tendo em vista que os períodos de tratamentos clínicos com DEX são curtos, faz-se importante investigar os possíveis mecanismos responsáveis pelo controle da pressão arterial após o tratamento agudo e de curta duração com a DEX. Assim, o objetivo deste presente trabalho será analisar os efeitos do tratamento de curta duração com DEX sobre o sistema renina-angiotensina e o balanço autonômico para o coração. Para isso serão utilizados 80 ratos, que serão divididos em quatros grupos: 1/ grupo controle, tratado com salina por um dia (C1, n=20); 2/ grupo DEX, tratado com dexametasona por um dia (D1, 1mg/kg, i.p. n=20); 3/ grupo controle tratado com salina durante cinco dias (C5, n=20) e 4/ grupo DEX tratado com dexametasona por 5 dias (D5, 1mg/kg, i.p., n=20) . Os animais serão pesados durante todo o tratamento e ao final serão submetidos a uma cirurgia de cateterização da artéria carótida para aferição da pressão arterial (PA) e frequência cardíaca (FC). Após 24 horas, serão aferidas PA e FC de repouso e estes registros serão utilizados para caracterização da atividade simpática, parassimpática e balanço autonômico do coração por meio da técnica de análise espectral. O ventrículo esquerdo (VE) e o músculo tibial anterior (TA) serão removidos para quantificação da expressão gênica por PCR em tempo real (RT-PCR) e quantificação da produção proteica (Western Blotting) dos componentes do SRA. Os dados serão apresentados como média±erro padrão da média. Análise de variância de dois caminhos (ANOVA) será utilizada para comparar os grupos. Tuckey post-hoc será utilizado quando necessário (±<0,05). (AU)

Análise de gráficos corticais e a desconecção encefálica na esclerose múltipla

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Claudia da Costa Leite
Supervisor no exterior: Frederik Barkhof
Local de pesquisa: University Amsterdam (VU) (Holanda)
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Radiologia Médica
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Processo:14/23299-4
Vigência: 16 de janeiro de 2015 - 15 de janeiro de 2016
Assunto(s):ConectomaEsclerose múltiplaImagem por ressonância magnéticaNeuroimagem funcional
Resumo
Os processos degenerativos são considerados determinantes na progressão do déficit neurológico na esclerose múltipla (EM). Essas alterações patológicas demonstram correlações mais fortes com a atrofia e desorganização de conexões cerebrais do que com o acúmulo de lesões desmielinizantes macroscópicas no tecido encefálico. Pela complexidade do sistema nervoso central (SNC) os padrões de conectividade anatômica e funcional, bem como a quantificação de atrofia e modificações sutis na sua organização estrutural, não são facilmente acessados pelas imagens de ressonância magnética (IRM) convencionais. Adicionalmente, a utilização da disfunção neurológica pela escala clínica mais tradicional na EM, a Expanded Disability Status Scale (EDSS) é também limitada na abordagem do espectro completo dos déficits funcionais na EM, havendo necessidade de uma abordagem mais ampla, incluindo testes cognitivos. Recentemente, técnicas avançadas de neuroimagem têm sido desenvolvidas para a reconstrução das conexões cerebrais e na aplicação em estudos de redes neurais, normais e patológicas, na tentativa de descrever o conectoma humano. As imagens funcionais em estado de repouso demonstram áreas de ativação cortical sincronizadas que são tomadas por pertencer a redes neurais específicas. Da mesma maneira, existem evidências de que áreas cerebrais com covariações semelhantes em características anatômicas detalhadas, como espessura, curvatura e volume, demonstram alta probabilidade de ser conectadas entre si. Esses modelos têm sido estudados isoladamente e não há conhecimento se os resultados obtidos pelas diferentes técnicas possuem significado semelhantes numa mesma população. Pela análise de imagens por tensores de difusão (Diffusion Tensor Imaging -DTI), é possível caracterizar a microestrutura de tratos de substância branca associados aos nodos corticais das redes neurais funcionais e anatômicas, estabelecendo um mapa global de conectividade entre os principais compartimentos cerebrais.O objetivo deste projeto é realizar uma análise multiparamétrica da conectividade cortical e da substância branca na EM, combinando modelos de conectividade funcional e anatômica, através de análises gráficas de imagens de ressonância magnética funcional em estado de repouso, gráficos corticais obtidos de imagens estruturais de alta resolução e da tractografia por DTI, correlacionando-os com análise clínica e cognitiva detalhada. Com esse tipo de análise, visamos elucidar mecanismos fisiopatológicos cruciais envolvidos na progressão do déficit neurológico na EM e fornecer dados inovadores na pesquisa do conectoma humano. (AU)

Análise de modificações cerebrais por ressonância magnética após dor crônica em roedores

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Marucia Chacur
Supervisor no exterior: David A. Seminowicz
Local de pesquisa: University of Maryland, Baltimore (Estados Unidos)
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Anatomia
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado Direto
Processo:14/20983-1
Vigência: 15 de janeiro de 2015 - 14 de dezembro de 2015
Assunto(s):DorNeuroanatomiaRatosRessonância magnética
Resumo
A análise por ressonância magnética (MRI) chamada "pain matrix", ou seja, as áreas do cérebro relacionadas à dor têm atraído grande interesse da comunidade científica, uma vez que o número de modelos animais e a facilitação de dados preditivos para agentes terapêuticos proporcionam um vasto conhecimento da função do sistema nervoso central nesta técnica. Diversos métodos de ressonância magnética têm sido desenvolvidos para estudar mudanças estruturais e funcionais no cérebro, em roedores, a ressonância magnética funcional revelou áreas cerebrais relacionadas ao processamento nociceptivo agudo, conectividade funcional em repouso tem sido amplamente utilizada para mapear as propriedades topológicas de redes cerebrais e a morfometria foi aplicada aos dados de ressonância magnética para examinar as diferenças de volume da substância cinzenta cerebral. A fim de elucidar os mecanismos cerebrais envolvidos no processamento da dor, nosso objetivo principal é avaliar as alterações cerebrais pela ressonância magnética em modelo de dor crônica em roedores, e os objetivos específicos são a análise de conectividade, atividade relacionada à dor e morfometria. Nossa hipótese é que as mudanças serão observadas em áreas que pertencem à matriz da dor (tálamo, córtex somatossensorial, córtex insular, córtex cingulado, córtex pré-motor, córtex motor primário, área motora suplementar, córtex pré-frontal, córtex parietal posterior, amígdala e mesencéfalo) nos diferentes grupos experimentais, como observado em humanos com dor crônica em comparação com indivíduos controle. No entanto, ainda é controverso quais áreas são exatamente parte desta matriz e o processo de plasticidade após a dor crônica. (AU)

Análise da conectividade funcional em espectroscopia no infravermelho próximo com teoria de grafos

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Física Gleb Wataghin (IFGW). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Rickson Coelho Mesquita
Área do conhecimento:Interdisciplinar
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:14/23873-2
Vigência: 01 de dezembro de 2014 - 30 de novembro de 2015
Assunto(s):NeuroimagemNeurociências
Resumo
Técnicas modernas de neuroimagem tem explorado com sucesso a conectividade funcional entre diferentes regiões cerebrais. A análise de redes cerebrais é geralmente feita a partir de ferramentas derivadas de correlações ou componentes independentes. Recentemente, teoria de grafos e sistemas complexos tem sido usados na tentativa de compreender melhor as características da dinâmica das redes cerebrais. A maioria deste desenvolvimento tem sido realizado com imagens por ressonância magnética funcional, com poucos estudos visando a análise de redes cerebrais em dados de espectroscopia no infravermelho próximo (NIRS). O objetivo deste projeto é usar ferramentas de teoria de grafos para estudar e analisar os padrões de conectividade funcional em dados de NIRS, tanto durante o estado basal quanto em situações de ativação funcional. (AU)

Efeitos do treinamento físico na hipertensão e no estresse oxidativo em ratos tratados com dexametasona

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências (FC). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Bauru. Bauru, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Sandra Lia do Amaral Cardoso
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Educação Física
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Processo:14/18177-7
Vigência: 01 de novembro de 2014 - 29 de fevereiro de 2016
Convênio/Acordo de cooperação com a FAPESP: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Assunto(s):GlucocorticoidesEspécies de oxigênio reativasPressão sanguíneaFisiologia do exercício
Resumo
A dexametasona (DEX) é amplamente utilizada no uso clínico por conta do seu potente efeito antialérgico e anti-inflamatório, contudo o seu uso crônico pode provocar diversos efeitos deletérios. Tem sido demonstrado que o tratamento com DEX contribui para o desenvolvimento de hipertensão arterial (HA), contudo os mecanismos responsáveis por esse efeito ainda não são totalmente compreendidos. Estudos sugerem que um possível mecanismo responsável por essa hipertensão possa ser um desequilíbrio entre produção e remoção de espécies reativas de oxigênio (EROS). Inversamente, o treinamento físico aeróbio tem sido recomendado como co-adjuvante no tratamento da HA, além de se mostrado benéfico na redução do estresse oxidativo. Assim, o objetivo do presente estudo será investigar se a hipertensão induzida pela DEX está associada com o desequilíbrio entre a produção de EROS, principalmente pelo complexo enzimático NADPH oxidase, e a sua remoção pelas enzimas antioxidantes. Além disso, avaliar se a diminuição da pressão arterial (PA) induzida pelo treinamento físico está associada a um melhor balanço entre estes parâmetros. Ratos Wistar machos (200g) serão submetidos a um período de treinamento físico (TF) aeróbio na esteira (60% da capacidade máxima por 74 dias, 5 dias por semana, 1 hora por dia) ou mantidos sedentários. Durante os últimos 14 dias os animais serão tratados com DEX (50¼g/kg de peso corporal por dia, s.c.) ou salina. O peso corporal será avaliado semanalmente durante o TF e diariamente durante o tratamento. A pressão arterial de repouso será aferida por meio de cateterização da artéria carótida após o tratamento com DEX. Posteriormente, após eutanásia, os músculos sóleo e tibial anterior serão retirados e processados para avaliação da expressão gênica e produção protéica das subunidades gp91phox, p47phox do complexo enzimático NADPH oxidase e das enzimas antioxidantes SOD-1, SOD-2 e CAT. Além disso, parte dos músculos será processada histologicamente para avaliação da formação total de EROS, pelos produtos da oxidação da dihidroetidina e da razão parede-luz das arteríolas, que será correlacionada com os valores de PA. Os resultados serão apresentados como média + erro padrão da média. ANOVA de dois caminhos será realizada para comparação entre os grupos e quando necessário será usado o post hoc de Tukey (p<0,05). (AU)

Estudo da relação entre alterações de ressonância magnética funcional e estrutural e distúrbios de memória e sintomas depressivos em pacientes com epilepsia de lobo temporal mesial

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Fernando Cendes
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Processo:14/16559-0
Vigência: 01 de novembro de 2014 - 31 de julho de 2016
Convênio/Acordo de cooperação com a FAPESP: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Assunto(s):EpilepsiaNeurociências
Resumo
A epilepsia é caracterizada recorrência de crises epilépticas associadas a diferentes substratos etiológicos, excluindo as crises sintomáticas provocadas por lesões cerebrais agudas, como colisões que causam injúrias momentâneas ao cérebro ou por desarranjos metabólicos, como febres e uso de drogas. As crises epilépticas apresentam semiologia variável a depender da região cortical envolvida, podendo ser localizadas (focais) ou difusas (generalizadas). O subtipo mais comum de epilepsia focal é a Epilepsia de Lobo Temporal Mesial (ELTM). Aspectos diários da vida das pessoas com epilepsia são afetados por comorbidades que prejudicam a cognição e as relações sociais.Embora seja de conhecimento geral que os sintomas da ELTM não são necessariamente focais, pouco se sabe sobre prejuízos psiquiátricos causados por esse tipo de epilepsia. A disfunção do estado basal ou de "repouso" cerebral (Resting State Network [RSN]), que inclui uma série de redes que estão conectadas funcionalmente, pode ter um papel na gênesis de complicações cognitivas ou psiquiátricas. Esta hipótese, no entanto, continua sendo especulativa e novos estudos clínicos são necessários para acessar a possível correlação entre a gravidade das disfunções cognitivas e sintomas depressivos em pacientes com ELTM e o prejuízo do RSN (Cataldi et al., 2013).O presente projeto buscará utilizar ressonância magnética funcional e estrutural para analisar possíveis correlações entre o RSN e, mais especificamente o Default mode Network e o prejuízo de aspectos cognitivos, como a memória episódica, através de subtestes do WMS-R e Rey Auditory Verbal Learning Test e a ocorrência de depressão, bem como investigar o papel do uso de drogas antiepiléticas e a frequência das crises como fatores agravantes para distúrbios cognitivos em pacientes com ELTM. (AU)

Determinação do coeficiente de cultura (KC) de plantas forrageiras tropicais em cultivo solteiro e em condições de sobressemeadura com forrageiras de clima temperado

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Fernando Campos Mendonça
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Agrometeorologia
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:12/23002-6
Vigência: 01 de novembro de 2014 - 31 de outubro de 2016
Assunto(s):ForragiculturaPlantas forrageirasManejo e tratos culturaisBalanço hídricoEvapotranspiraçãoIrrigação
Resumo
Para contribuir com o conhecimento sobre o consumo hídrico de espécies forrageiras tropicais e temperadas, bem como sua sucessão em manejo correto da irrigação, este trabalho visa determinar a evapotranspiração de espécies forrageiras tropicais em cultivo solteiro e em sobressemeadura, e sua relação com a evapotranspiração de referência. Será estudado o consumo hídrico das forrageiras Panicum maximum cv. Mombaça, e Cynodon spp. cv. Tifton 85 em cultivo solteiro, e o consumo destas em sobressemeadura com aveia (Avena strigosa Scherb) e azevém (Lolium multiflorum Lam.). A evapotranspiração das forrageiras será obtida por meio de lisímetros de pesagem. A evapotranspiração de referência será obtida pelo método de Penman-Monteith, com medição em estação meteorológica automática situada em área próxima à área experimental. A partir dos valores encontrados será obtida a relação entre a evapotranspiração da cultura e a evapotranspiração de referência, visando determinar os coeficientes de cultura das forrageiras nos sistemas de cultivo estudados. O coeficiente de cultura será relacionado ao desenvolvimento das plantas, expresso principalmente pelo índice de área foliar ao longo dos ciclos de rebrota, de acordo com o número de dias após o corte (período de descanso). Além disso, será estudada a relação entre o coeficiente de cultura e variáveis que consideram a energia do meio, como o acúmulo de graus-dia (GD) e as unidades fototérmicas (UF). (AU)

Uso da conectividade funcional (fcMRI) na avaliação da ativação das áreas neurais da deglutição em adultos saudáveis e pacientes pós acidente vascular encefálico (AVE)

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Lucia Figueiredo Mourão
Anfitrião: Georgia A. Malandraki
Local de pesquisa: Columbia University in the City of New York (Estados Unidos)
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fonoaudiologia
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Pesquisa
Processo:13/26715-6
Vigência: 01 de setembro de 2014 - 31 de agosto de 2015
Assunto(s):DeglutiçãoAcidente vascular cerebralDisfagia
Resumo
Conectividade funcional no estado de repouso (resting-state) pela ressonância magnética (RM) é relativamente nova e um importante método de avaliação da interação entre regiões que ocorrem enquanto a sujeito não realiza uma tarefa especifica. Deglutição é uma atividade sensório-motora complexa. Estudos de imagem da deglutição têm indicado que múltiplas áreas estão envolvidas no controle neural da deglutição em adultos saudáveis, são poucos os estudos que analisam a conectividade entre as áreas neurais ativadas na deglutição. A lesão cerebral, como consequência do acidente vascular encefálico (AVE), pode resultar na alteração da deglutição. Em estudos da ativação neural por meio da ressonância magnética funcional (fMRI) in pacientes pós-AVE com lesões hemisféricas unilaterais, a ativação foi predominantemente em áreas corticais da deglutição do hemisfério intacto. Estudos observam disfunção das conexões das áreas neurais ativadas em pacientes disfágicos após o AVE. O objetivo do presente estudo é identificar a conectividade funcional das áreas da deglutição em adultos saudáveis e em pacientes disfágicos pós-AVE, por meio da fMRI. Método: 10 pacientes pós-AVE crônico (Grupo experimental - GE) e 10 adultos saudáveis (Grupo controle - GC) destros serão recrutados. Todos os participantes serão avaliados pelo exame sensório-motor oral, mini mental, escala de depressão baseada no Escore da Escala de Isquemia de Haschinski e pela avaliação videoendoscópica da deglutição (VED). Todos os pacientes deverão estar sem uso de cafeína e álcool por 12 horas antes da realização do experimento. No GE, todos os participantes deverão ter diagnóstico de AVE isquêmico, lesão cerebral unilateral pela RM e disfagia, diagnosticada pela VED. Os pacientes devem ter AVE com tempo superior a seis meses e nível de afasia leve o suficiente para que o paciente compreenda as instruções do experimento. Os critérios de inclusão do GC incluem: ausência de história de alterações de fala, linguagem e deglutição e ausência de diagnóstico de doença neurológica. O GC deverá ter idade e sexo pareado com o GE. Durante o experimento de resting-state fMRI, os participantes receberão a seguinte instrução: "relaxe, permaneça quieto, feche os olhos e não adormeça". O experimento terá cerca de 30 minutos. A conectividade funcional será extraída da atividade espontânea do cérebro em repouso. Durante o estado de repouso, alta coerência temporal de baixa frequência (<0,08 Hz), flutuações (LFFS) em séries temporais fMRI serão observadas entre as regiões cerebrais funcionalmente e espacialmente relacionados às redes neurais da deglutição. A análise da conectividade baseada em semente será executada com seis a oito milímetros de raio nas áreas de rede de deglutição conhecidos, tais como motor primário e secundário e córtex sensorial, ínsula anterior e posterior, opérculo frontal e giro cingulado anterior. Todos os participantes serão familiarizados com os procedimentos experimentais antes de iniciar o estudo. (AU)

Fanerófitas alimentadas por formigas? uma possível estratégia ante a escassez de nutrientes em uma floresta tropical

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Gustavo Quevedo Romero
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia - Ecologia de Ecossistemas
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:14/14345-2
Vigência: 01 de setembro de 2014 - 30 de junho de 2015
Assunto(s):Isótopos estáveis
Resumo
Muitas florestas tropicais encontram-se em um paradigma no qual sua vegetação exuberante contrasta com seus solos ácidos e distróficos, sendo a ciclagem de nutrientes e as estratégias adotadas pelos organismos, diante de tais limitações, fundamentais na estabilidade desses ecossistemas. A mirmecotrofia, por exemplo, associação em que formigas provisionam suas plantas hospedeiras com nutrientes, tem sido reconhecida como uma importante estratégia de aquisição de nutrientes em resposta aos solos lateríticos e oligotróficos desses ambientes, onde o nitrogênio apresenta-se como um dos principais limitantes. Além disso, estando esses dois táxons entre os mais abundantes e diversos em ecossistemas tropicais arbóreos, suas interações apresentam grandes impactos sobre as redes tróficas e a estruturação dessas comunidades. No domínio Atlântico, embora não se tenha registros desse fenômeno, observações de campo, em um ambiente de Mata de Restinga, têm fornecido evidências de um possível caso de mirmecotrofia. O arbusto Ouratea verticillata (Vell.) Engl. (Ochnaceae), em virtude de sua filotaxia alterna espiralada, acumula detritos sobre suas folhas, de modo que frequentemente são encontrados ninhos de formigas em suas regiões nodais e internodais. Nessas regiões, raízes adventícias, oriundas do próprio caule da planta, entremeiam-se ao formigueiro, o qual aparenta ser composto sobretudo por um material húmico, possivelmente depositado pelas formigas ali existentes. Este estudo, pelo emprego de métodos de análise isotópica com 15N, tem por objetivo compreender as interações presentes nesse sistema, avaliando a contribuição desses artrópodes na nutrição de suas plantas hospedeiras. (AU)

Mecanismos neurais de geração do padrão respiratório e do acoplamento simpático-respiratório em condições de hipóxia

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Odontologia (FOAr). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Daniel Breseghello Zoccal
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Apoio a Jovens Pesquisadores
Processo:13/17251-6
Vigência: 01 de setembro de 2014 - 31 de agosto de 2018
Assunto(s):Sinais e sintomas respiratóriosAnóxiaTronco cerebral
Resumo
Atividade respiratória de repouso é gerada a partir da atividade sincronizada de uma complexa rede neuronal respiratória localizada no tronco cerebral, na qual está inserido um oscilador respiratório primário essencial para a ritmicidade respiratória. Tal oscilador está localizado na coluna respiratória ventral e é constituído por neurônios inspiratórios com características de auto-despolarização. Entretanto, estudos recentes sugerem a existência de um segundo oscilador respiratório, o qual parece terum papel crítico na geração do padrão expiratório ativo, assim como visto em situações hipóxia e hipercapnia.Esse oscilador expiratório estaria localizado rostral a coluna respiratória ventral e ventral ao núcleo facial, em uma região denominada de grupo respiratório parafacial (pFRG). Além do seu importante papel na geração do padrão expiratório, os neurônios respiratórios do pFRG parecem também influenciar a geração da atividade simpática vascular, contribuindo para o aumento da excitação sobre os neurônios geradores da atividade simpática em situações de hipercapnia. Portanto, sugere-se que os neurônios respiratórios do pFRG contribuem de forma importante no controle acoplado das atividades respiratória e simpática, especialmente em condições de desafios metabólicos. Contudo, importantes aspectos do papel dos neurônios do pFRG ainda necessitam de verificação experimental: i) as características funcionais dos neurônios respiratórios do pFRG; ii) as condições sinápticas necessárias para a sua ativação (balanço excitação vs inibição); iii) de que forma os neurônios do pFRG interagem com outros neurônios respiratórios, de modo a gerar o padrão expiratório ativo; e iv) como os neurônios do pFRG modulam a atividade dos neurônios geradores da atividade simpática, contribuindo para o aumento da atividade simpática vascular. A verificação experimental de tais aspectos será importante para elucidar os mecanismos neurais de geração do padrão expiratório ativo e sua interação com o sistema nervoso simpático; assim como poderá também auxiliar na compreensão no desenvolvimento de adaptações cardiorrespiratórias induzidas pela exposição à hipóxia crônica - condição comumente observada em situações fisiopatológicas. Portanto, por meio de técnicas eletrofisiológicas (registros de nervos e atividade neuronal); técnicas de imuno-histoquímica; e utilizando o modelo experimental de ratos expostos à hipóxia crônica (10% O2, por 24 h); no presente projeto propomos verificar, de forma inédita, os mecanismos neurais responsáveis pela geração do padrão expiratório ativo e pelo seu acoplamento com a atividade simpática, bem como a implicação desses mecanismos nas alterações simpáticas e respiratórias induzidas pela exposição à hipóxia crônica. (AU)

Reversal of metabolic adaptations induced by physical training after two Weeks of physical detraining

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Fabiana de Sant'Anna Evangelista
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Educação Física
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Artigo
Processo:14/16292-3
Vigência: 01 de setembro de 2014 - 28 de fevereiro de 2015
Resumo
O presente estudo avaliou o efeito de duas semanas de destreinamento físico (DF) sobre os componentes do balanço energético, metabolismo do tecido adiposo branco (TAB), peso corporal (PC) e adiposidade. Camundongos machos C57BL/6J foram separados em grupos sedentário (S, n = 20) e treinado (T, n = 18). O treinamento físico (TF) consistiu em 2 sessões de natação por 1,5 h diariamente, 5 vezes/semana durante 4 semanas. Após o TF, parte dos animais S (S4, n = 10) e T (T4, n = 8) foi sacrificada, e a outra parte foi mantida sedentária (S6, n = 10) ou destreinada por 2 semanas (D, n = 10). Após o TF, o grupo T apresentou menor PC comparado com S, mas o DF reverteu essa resposta. Os ganhos de PC foram 4 %, 3 % e 6,3 % nos grupos S, S6 e D, respectivamente, entretanto o grupo T reduziu o PC em 2,3 %. Os grupos T4 e D apresentaram menores depósitos de gordura visceral e maiores pesos de coração e ventrículo esquerdo comparados com os grupos S4 e S6. A ingestão alimentar, o consumo de oxigênio de repouso e a perda de PC induzida por jejum foram maiores no grupo T4 comparado com S4, os quais foram revertidos pelo DF. A concentração sérica de insulina, a atividade da enzima FAS e a pressão arterial média não diferiram entre os grupos, porém a concentração de leptina e a frequência cardíaca de repouso foram reduzidas nos grupos T4 e D comparadas com S4 e S6. O grupo T4 aumentou a atividade lipolítica estimulada por isoproterenol e a atividade da enzima citrato sintase, as quais foram revertidas pelo DF. Em conclusão, o DF reverteu os componentes do balanço energético através da redução da ingestão alimentar e do metabolismo de repouso, e prejudicou a atividade lipolítica do TAB, mas não a atividade lipogênica. Essas alterações resultaram em remodelamento do PC, mas não da adiposidade. (AU)

Hipertensão pulmonar induzida ao teste de exercício cardiopulmonar invasivo em pacientes com doenças pulmonares intersticiais fibrosantes

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Rudolf Krawczenko Feitoza de Oliveira
Anfitrião: Aaron Bradley Waxman
Local de pesquisa: Brigham and Women's Hospital (BWH) (Estados Unidos)
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Pesquisa
Processo:14/12212-5
Vigência: 05 de agosto de 2014 - 04 de agosto de 2015
Assunto(s):DispneiaHipertensão pulmonarPneumologia
Resumo
Introdução: A presença de hipertensão pulmonar (HP) nas diferentes formas de doenças pulmonares intersticiais (DPIs) associa-se a um pior prognóstico, independente do estágio da DPI. Elevações discretas da pressão de artéria pulmonar (PAPm) ao repouso representam preditores de mortalidade nas DPIs, e indicam um subgrupo de pacientes sob maior risco para desenvolvimento de HP. O teste de exercício cardiopulmonar (TECP) invasivo unifica a avaliação funcional realizada pelo TECP incremental, e a avaliação hemodinâmica realizada pelo cateterismo cardíaco direito, representando uma das ferramentas mais completas para a detecção da HP em estágios precoces e elucidação da dispneia de etiologia indefinida. Objetivos: avaliar a frequência de HP ao TECP invasivo em pacientes com DPI fibrosante e dispneia desproporcional à doença restritiva de base; descrever os componentes hemodinâmico, metabólico, ventilatório e cardiovascular relacionados à HP induzida ao esforço nesta população. Métodos: estudo prospectivo transversal unicêntrico. Trinta pacientes consecutivos com DPI fibrosante e dispneia desproporcional à doença restritiva de base (índice de dispneia basal <9 pontos e distúrbio ventilatório restritivo leve com capacidade vital forçada > 70% do previsto), e com pressão sistólica da artéria pulmonar <50 mmHg ao ecocardiograma de repouso, realizarão o TECP invasivo limitado por sintomas. Justificativa: O TECP invasivo é capaz de diferenciar a HP pré-capilar da pós-capilar, e identificar corretamente a alteração fisiológica relacionada à limitação ao exercício, diferenciando a limitação decorrente da vasculopatia pulmonar, da limitação ventilatória relacionada à DPI. Este procedimento ainda não foi adequadamente estudado em pacientes com DPIs e, desta forma, estudos envolvendo sua aplicação nesta população serão esclarecedores do ponto de vista fisiopatológico, e poderão contribuir na identificação de subgrupos de pacientes com benefício em potencial para intervenção precoce relacionada à HP, e na identificação de pacientes candidatos à priorização na fila para transplante pulmonar. (AU)

Explorando o mecanismo para as mudanças na concentração do hormônio paratireóideo (PTH) durante e após o exercício aeróbio

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Bruno Gualano
Supervisor no exterior: Craig Sale
Local de pesquisa: Nottingham Trent University (Reino Unido)
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia do Esforço
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Iniciação Científica
Processo:14/12305-3
Vigência: 01 de agosto de 2014 - 30 de novembro de 2014
Resumo
Diversos estudos têm mostrado que as concentrações do hormônio paratireóideo (PTH) no sangue humano aumentam durante o exercício aeróbio, como corrida e ciclismo, mas isto ocorre somente quando a intensidade do exercício é elevada. Vários desses estudos também têm demonstrado que as concentrações de PTH são reduzidas após o exercício, mas o mecanismo que causa essas mudanças ainda é desconhecido.Em seres humanos em repouso, um decréscimo na concentração plasmática de cálcio (Ca) pode aumentar a concentração de PTH. Durante o exercício as concentrações de Ca aumentam, mas, após o exercício, a mudança nestas concentrações parecem ir na direção oposta e possuir uma magnitude oposta às mudanças de PTH. Aumentos em fosfato (PO4) também podem aumentar as concentrações de PTH, e durante o exercício a concentração plasmática de PO4 é aumentada, embora não se saiba se este aumento ocorre antes ou após as mudanças nas concentrações de PTH. Logo após o exercício, a diminuição em PO4 parece ocorrer ao mesmo tempo em que a de PTH, o que sugere que o PO4 pode estar envolvido, novamente, na regulação de PTH com o exercício. Scott et al. (In press) mostrou que, em comparação com um controle em repouso, as concentrações de PTH estavam reduzidas após uma corrida aguda, sugerindo um verdadeiro efeito do exercício sobre as concentrações de PTH pós-exercício. As baixas concentrações de PTH não foram totalmente explicadas pelo aumento do cálcio ajustado pela albumina (ACa), mas pode estar relacionada com a diminuição das concentrações de PO4, ou com uma combinação de ambos (Scott et al. In press).A falta de informações sobre o tempo em que as mudanças das concentrações de PTH, Ca e PO4 ocorrem, atualmente, limita a nossa compreensão deste mecanismo, de modo que medições regulares durante o exercício e recuperação fazem-se necessárias para ajudar a responder a esta questão. (AU)

Análise de gráficos corticais e a desconexão encefálica na esclerose múltipla

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Claudia da Costa Leite
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Radiologia Médica
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Processo:14/02010-6
Vigência: 01 de agosto de 2014 - 15 de janeiro de 2015
Assunto(s):ConectomaEsclerose múltiplaImagem por ressonância magnéticaRedes neurais
Resumo
Os processos degenerativos são considerados determinantes na progressão do déficit neurológico na esclerose múltipla (EM). Essas alterações patológicas demonstram correlações mais fortes com a atrofia e desorganização de conexões cerebrais do que com o acúmulo de lesões desmielinizantes macroscópicas no tecido encefálico. Pela complexidade do sistema nervoso central (SNC) os padrões de conectividade anatômica e funcional, bem como a quantificação de atrofia e modificações sutis na sua organização estrutural, não são facilmente acessados pelas imagens de ressonância magnética (IRM) convencionais. Adicionalmente, a utilização da disfunção neurológica pela escala clínica mais tradicional na EM, a Expanded Disability Status Scale (EDSS) é também limitada na abordagem do espectro completo dos déficits funcionais na EM, havendo necessidade de uma abordagem mais ampla, incluindo testes cognitivos. Recentemente, técnicas avançadas de neuroimagem têm sido desenvolvidas para a reconstrução das conexões cerebrais e na aplicação em estudos de redes neurais, normais e patológicas, na tentativa de descrever o conectoma humano. As imagens funcionais em estado de repouso demonstram áreas de ativação cortical sincronizadas que são tomadas por pertencer a redes neurais específicas. Da mesma maneira, existem evidências de que áreas cerebrais com covariações semelhantes em características anatômicas detalhadas, como espessura, curvatura e volume, demonstram alta probabilidade de ser conectadas entre si. Esses modelos têm sido estudados isoladamente e não há conhecimento se os resultados obtidos pelas diferentes técnicas possuem significado semelhantes numa mesma população. Pela análise de imagens por tensores de difusão (Diffusion Tensor Imaging -DTI), é possível caracterizar a microestrutura de tratos de substância branca associados aos nodos corticais das redes neurais funcionais e anatômicas, estabelecendo um mapa global de conectividade entre os principais compartimentos cerebrais.O objetivo deste projeto é realizar uma análise multiparamétrica da conectividade cortical e da substância branca na EM, combinando modelos de conectividade funcional e anatômica, através de análises gráficas de imagens de ressonância magnética funcional em estado de repouso, gráficos corticais obtidos de imagens estruturais de alta resolução e da tractografia por DTI, correlacionando-os com análise clínica e cognitiva detalhada. Com esse tipo de análise, visamos elucidar mecanismos fisiopatológicos cruciais envolvidos na progressão do déficit neurológico na EM e fornecer dados inovadores na pesquisa do conectoma humano. (AU)

Efeito da temperatura, hipóxia e hipercarbia sobre a ventilação e o consumo de O2, em duas populações de lagarto da espécie Tropidurus torquatus

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias (FCAV). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Jaboticabal. Jaboticabal, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Luciane Helena Gargaglioni Batalhão
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia Comparada
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Processo:13/20421-0
Vigência: 01 de julho de 2014 - 28 de fevereiro de 2015
Convênio/Acordo de cooperação com a FAPESP: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Assunto(s):AnóxiaMetabolismo
Resumo
Muitos estudos têm demonstrado a influência do ambiente sobre a ecologia e a fisiologia de um organismo e que variações ambientais podem promover adaptações comportamentais e fisiológicas de um indivíduo, traçando assim sua história de vida. A temperatura ambiente, em particular, é um fator que tem ampla influência nos processos fisiológicos, podendo ocasionar mudanças nos padrões respiratórios de algumas espécies, sendo que condições hipóxicas e hipercárbicas também podem interferir em tais respostas ventilatórias. Dentre os animais, os lagartos são tidos como organismos modelo para diversos estudos, pois são animais fáceis de observar, capturar e manusear. A espécie Tropidurus torquatus, integrante da família Tropiduridae, representa a maior distribuição do gênero Tropidurus e, no Brasil, tal espécie habita restingas, áreas abertas no interior do país e também áreas costeiras, além de algumas ilhas litorâneas. Sendo uma espécie de ampla ocorrência, acreditamos que as diversas populações de T. torquatus, submetidas a condições climáticas e geográficas bastante diferentes, apresentem respostas ventilatórias também muito distintas, compreendendo assim, um modelo muito interessante para o entendimento de padrões fisiológicos. Sendo assim, pretende-se com este trabalho avaliar populações distintas da espécie Tropidurus torquatus, coletadas na região Sul (bioma Campo) e Nordeste (bioma restinga) do Brasil, no que diz respeito á suas respostas ventilatórias e consumo de O2, diante diferentes temperaturas e frente á situações de hipóxia (5% O2) e hipercarbia (5% de CO2). Para tal, a ventilação será medida por pneumotacografia e será verificado se há diferenças entre as populações e entre os diferentes tratamentos. (AU)

Nasofibroscopia da deglutição nos indivíduos com Doença de Parkinson

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Filosofia e Ciências (FFC). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Marília. Marília, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Suely Mayumi Motonaga Onofri
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fonoaudiologia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:14/05332-4
Vigência: 01 de julho de 2014 - 30 de junho de 2015
Assunto(s):Doença de parkinsonTranstornos de deglutição
Resumo
A Doença de Parkinson (DP) é considerada uma das doenças neurodegenerativas mais comuns, com acometimento principalmente de pessoas idosas. Suas principais manifestações clínicas são tremor de repouso, bradicinesia, diminuição da força muscular, rigidez com roda denteada e anormalidades posturais e de marcha, além de distúrbios na voz, fala e na deglutição. As alterações na deglutição comprometem a hidratação e a nutrição, e possivelmente maior ocorrência de pneumonias aspirativas. Este trabalho tem por objetivo verificar a deglutição, da fase faríngea, por meio da nasofibroscopia nos indivíduos com doença de Parkinson. Participarão desta pesquisa 20 indivíduos adultos, de ambos os gêneros, que apresentam diagnóstico médico de DP, a primeira parte consta de uma entrevista clínica com o preenchimento de um questionário próprio e na segunda parte, os participantes serão submetidos à avaliação nasofibroscópica da deglutição, por um mesmo médico otorrinolaringologista, utilizando nasofibroscópio da marca Pentax®, acoplado ao sistema de microcâmera e utilizará o software de captura de imagem Zscan 6,0. Os resultados obtidos serão descritos e categorizados. (AU)

Análise da expressão de genes relacionados ao gasto energético e metabolismo de lipídios de indivíduos com obesidade grau III antes e após intervenções para perda de peso

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Carla Barbosa Nonino
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:13/08916-4
Vigência: 01 de julho de 2014 - 30 de junho de 2016
Assunto(s):Obesidade mórbidaMetabolismo energéticoMetabolismo dos lipídeosExpressão gênicaTecido adiposoSuplementação alimentarChá verde
Resumo
A obesidade é considerada uma doença epidêmica, representada pelo acúmulo excessivo de tecido adiposo e está relacionada a diversas causas ambientais e genéticas. Estudos indicam que o balanço energético, determinado pela energia ingerida e pela energia gasta, parece depender 40% da herança genética. O objetivo do presente estudo é verificar a expressão dos genes ADBR3, UCPs, PLIN, PPAR”2, relacionados à obesidade, gasto energético e metabolismo lipídico em tecido adiposo subcutâneo abdominal e associar com variáveis antropométricas, da taxa metabólica de repouso, alimentares e bioquímicas em indivíduos obesos grau III antes e após três diferentes intervenções para perda de peso. Serão selecionadas para o estudo 40 mulheres com obesidade grau III de população miscigenada e idade entre 18 e 60 anos as quais serão randomizadas em quatro grupos: Grupo 1 - Suplementação com Chá Verde, Grupo 2 - Intervenção Dietética, Grupo 3 - Cirurgia Bariátrica e Grupo 4 - Controle. As pacientes serão submetidas à avaliação nutricional, análise da composição corporal, taxa metabólica de repouso, análise da ingestão alimentar, questionário sócio-demográfico e coleta de material biológico (sangue periférico e/ou tecido adiposo subcutâneo) por profissional especializado, para análise genética e bioquímica. Após 8 semanas para G1 e G2 e seis meses para G3 todos os procedimentos serão realizados novamente. Para análise estatística será utilizada à estatística descritiva com os valores apresentados em média e desvio padrão. Será utilizado o teste t, Fisher ou Qui-quadrado. Será admitido nível de significância para P<0,05, sendo todas as análises realizadas no software Statistical Package for Social Science (SPSS versão 17.0 [Inc. Chicago. IL]). (AU)

Efeitos do aquecimento global na estrutura trófica e no funcionamento ecossistêmico em bromélias-tanque

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Gustavo Quevedo Romero
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia - Ecologia Teórica
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Processo:14/04603-4
Vigência: 01 de junho de 2014 - 31 de julho de 2015
Assunto(s):BiodiversidadeAquecimento global
Resumo
Mesmo que estudos sobre o efeito de mudanças climáticas na biodiversidade tenham aumentado nos últimos 10 anos, poucos estudos até o momento investigaram empiricamente o efeito do aquecimento global na estrutura trófica e ecossistêmica de ambientes aquáticos, principalmente se tratando de ambientes neotropicais. Neste estudo investigaremos o efeito do aquecimento global (previsto dentro do cenário de mudanças climáticas para o Brasil nos próximos 100 anos) combinado com o efeito da diversidade de predadores sobre a estrutura da comunidade (riqueza e composição de espécies e grupos funcionais) e o funcionamento dos ecossistemas aquáticos (produtividade, decomposição e ciclagem de nutrientes) de fitotelmatas de bromélias-tanque. O sistema de aquecimento será composto por sistemas de aquecedores e termostatos com controle de temperatura e monitoramento digital. O aquecimento será composto por três níveis de temperatura: i) valor médio previsto para 2040 (aumento em 2º C), ii) 2100 (aumento em 4º C) e iii) controle (temperatura ambiente atual). A predação possuirá três níveis combinados ortogonalmente com os tratamentos de aquecimento: 1) alta diversidade (três espécies de predadores), 2) baixa diversidade (uma única espécie de predador) e 3) ausência de predador (controle). Dessa maneira cada bloco será composto de nove tratamentos aleatoriamente distribuídos, e o experimento composto de cinco blocos. O estudo será realizado na restinga do Parque Estadual da Serra do Mar, Núcleo Picinguaba, Ubatuba - SP. As principais questões são: i) como o aumento da temperatura afeta a estrutura e composição trófica da comunidade (e.g., abundância dentro de grupos funcionais, razão predador-presa)? ii) o aumento de temperatura afeta a produtividade, taxa de decomposição de detritos e fluxo de nitrogênio em fitotelmatas? iii) O aquecimento diminui o tamanho médio dos organismos aquáticos alterando a estrutura trófica (e.g., razão predador-presa) e respostas ecossistêmicas? iv) O efeito do aumento de temperatura na estrutura trófica e funcionamento ecossistêmico são amenizados na presença de predadores? v) Comunidades com maior diversidade de predadores de topo são menos afetadas por mudanças climáticas? Espera-se, por exemplo, que o aumento de temperatura provoque modificações na estrutura trófica e no funcionamento ecossistêmico aquático bromelícola, afetando primariamente organismos de níveis tróficos superiores. Dessa maneira, ocorreria uma alteração na dinâmica de redes tróficas controlada por relações tipo top-down, podendo aumentar o efeito de detritívoros. Entretanto, em situações com maior diversidade de predadores pode ocorrer um menor impacto da temperatura e maior remoção de presas. Consequentemente, é provável que haja maior efeito em cascata decrescendo as taxas de decomposição e ciclagem de nutrientes. (AU)

Análise da expressão de genes relacionados ao gasto energético e metabolismo de lipídios de indivíduos com obesidade grau III antes e após a suplementação com chá verde

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Carla Barbosa Nonino
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Processo:14/00669-0
Vigência: 01 de junho de 2014 - 31 de maio de 2016
Convênio/Acordo de cooperação com a FAPESP: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Assunto(s):Chá verdeExpressão gênicaObesidadeNutrição humana
Resumo
A obesidade é considerada uma doença epidêmica, representada pelo acúmulo excessivo de tecido adiposo e está relacionada a diversas causas ambientais e genéticas. Estudos indicam que o balanço energético, determinado pela energia ingerida e despendida, parece depender 40% da herança genética. O objetivo do presente estudo é verificar a expressão dos genes ADBR3, UCPs, PLIN1, PPAR”2, relacionados à obesidade, gasto energético e metabolismo lipídico em tecido adiposo subcutâneo abdominal e associar com variáveis antropométricas, alimentares e bioquímicas e taxa metabólica de repouso, em indivíduos obesos grau III antes e após a suplementação com extrato de chá verde (Camellia simensi). A amostra será composta por 20 indivíduos divididos em dois grupos: grupo controle com 10 mulheres eutróficas e grupo intervenção composto por 10 mulheres com obesidade grau III, ambos com idade entre 18 e 60 anos. Os pacientes serão submetidos à avaliação antropométrica (peso, estatura e índice de massa corporal) e de composição corporal (método de bioimpedância elétrica); da taxa metabólica de repouso (exame de calorimetria indireta); à avaliação do consumo alimentar (recordatório 24 horas); à avaliação bioquímicas (glicemia, lipidograma, hemograma, minerais, proteínas totais, albumina e biomarcadores hepáticos) e análise da expressão dos genes pelo método de PCR quantitativo em Tempo Real. Após o período de 8 semanas de suplementação com o chá verde o grupo intervenção será reavaliado e os resultados comparados com o grupo controle. (AU)

Análise de expressão e caracterização funcional de canais para prótons sensíveis à voltagem em modelo animal de diabetes mellitus tipo 1

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Manoel de Arcisio Miranda Filho
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Processo:13/26005-9
Vigência: 01 de junho de 2014 - 31 de janeiro de 2016
Convênio/Acordo de cooperação com a FAPESP: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Assunto(s):Diabetes mellitus tipo 1Estresse oxidativoNADPH oxidaseMicroglia
Resumo
O Diabetes Mellitus é uma doença que afeta uma parcela significante da população mundial; apesar de grandes investimentos serem anualmente destinados às áreas de pesquisa e tratamento, estima-se ainda que o número de pessoas com diabetes chegue a 366 milhões até 2030. As estimativas indicam que o Brasil terá cerca de 11 milhões de diabéticos até 2030. O diabetes tipo 1 resulta de uma destruição autoimune das células beta pancreáticas que determina a condição clínica de hiperglicemia associada à hipoinsulinemia. Os estágios avançados da doença estão associados a complicações metabólicas que resultam em disfunção e perda da massa celular. No sistema nervoso, com o diabetes, há uma perda progressiva das funções cerebrais com alterações nos mecanismos celulares de aprendizado e memória. Estas alterações estão intimamente relacionadas com modificações no padrão bioelétrico das células do sistema nervoso com comprometimentos nos desvios do potencial de repouso destas células; a saber, potenciais de ação para os neurônios e potenciais eletrotônicos para as células da glia. O presente projeto de pesquisa propõe avaliar e integrar as alterações dos padrões metabólicos e de correntes de prótons determinadas pelo diabetes mellitus do tipo 1 na micróglia. (AU)

Conectividade funcional do Default Mode Network em pacientes com sintomas de ansiedade e/ou depressão pós-AVC

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Li Li Min
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Processo:13/23183-3
Vigência: 01 de abril de 2014 - 29 de fevereiro de 2016
Resumo
Prejuízos emocionais e cognitivos são comuns após um acidente vascular cerebral (AVC), doença que lidera as causas de óbitos no Brasil. Depressão e ansiedade são distúrbios psicológicos com alta incidência após o evento e têm um impacto negativo na reintegração social, qualidade de vida e recuperação do paciente, podendo inclusive exacerbar as incapacidades relacionadas ao AVC. Apesar do interesse crescente no quadro, há estudos divergentes sobre a prevalência de sintomas depressivos e ansiosos com o passar das fases (aguda, subaguda e crônica), além de não haver uma região lesionada específica que justifique o aparecimento desses sintomas. Pode-se sugerir, portanto, que as causas vão além de lesões estruturais, mas que há alterações na conectividade funcional do cérebro. A rede neuronal que mais vem sendo associada ao quadro é a Default Mode Network (DMN). Através de Ressonância Magnética funcional (RMf), em resting state, é possível acessar o funcionamento cerebral de modo não invasivo e ter acesso ao funcionamento desta rede. A recuperação após o AVC parece depender da reorganização desta rede. Além disso, disfunções prévias no DMN parecem estar relacionadas a sintomas depressivos e ansiosos posteriores. Ao nosso conhecimento, ainda não existem estudos que investiguem a conectividade funcional do DMN de pacientes pós-AVC no primeiro mês e no sexto mês, a fim de entender se mudanças nesta rede são capazes de influenciar sintomas depressivos e ansiosos e se a reorganização da rede pode acarretar mudanças nestes sintomas, através de avaliação neuropsicológica. (AU)

Avifauna associada à Baía do Araçá (Sudeste do Brasil: composição, abundância, uso de habitat e relações tróficas

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Museu de Zoologia (MZ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Luís Fábio Silveira
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Processo:14/00194-2
Vigência: 01 de abril de 2014 - 31 de março de 2016
Assunto(s):DietaIsótopos estáveis
Resumo
Estuários são importantes locais de alimentação, pouso e reprodução para bandos mistos de aves marinhas costeiras e limícolas residentes, bem como para espécies migrantes do Hemisfério Norte, como os maçaricos, batuíras, gaivotas e andorinhas-do-mar. O estado de São Paulo apresenta cerca de 600 km de litoral, com importantes áreas estuarinas; no entanto ainda há poucas informações quali-quantitativas da avifauna costeiro-marinha, especialmente em áreas sob intensa pressão antrópica, como a baía do Araçá, em São Sebastião. No âmbito do projeto temático BIOTA-FAPESP/Baía do Araçá, a presente proposta visa preencher essa lacuna de conhecimento, que se torna ainda mais relevante visto a eminência da expansão do Porto de São Sebastião, que ameaça diretamente a existência da Baía do Araçá. Neste projeto testaremos a hipótese de que os regimes de marés, sazonalidade e índices pluviométricos influenciam a riqueza, abundância, distribuição e uso do habitat das aves residentes e migratórias na Baía do Araçá. Também testaremos a hipótese de segregação de nicho trófico entre as aves mais abundantes no local, utilizando as suas diferenças morfológicas e através da análise de isótopos estáveis (AIE). Desta forma, os objetivos desta proposta são: I. Avaliar a riqueza e abundância sazonal das espécies de aves através de censos realizados mensalmente ao longo de um ano; II. Estimar a biomassa total das aves que utilizam esta área, através de censos e estimativas de massa com base em espécimes de Museu e eventuais coletas de material; III. Registrar o uso do habitat e a distribuição espacial das aves dentro da baía; IV. Analisar a sobreposição de nicho trófico entre as espécies mais abundantes de aves com base em suas características morfológicas; e V. Investigar as relações tróficas das aves com as presas em potencial e, os principais organismos encontrados na área de estudo através da AIE de carbono e nitrogênio. Além disso, de forma a contribuir para divulgar os resultados desta pesquisa, pretende-se: VI. Elaborar um livro/guia sobre as aves do Araçá juntamente com os principais organismos encontrados no local, como ferramenta de educação ambiental para alunos de escolas e comunidades da região. Estudos sobre a avifauna poderão, ainda, subsidiar medidas mitigadoras para futuros impactos da ampliação do porto adjacente à baia sobre as populações das aves daquele local, bem como contribuir para a conservação da biodiversidade e modelagem ecossistêmica. (AU)

Recycling of the high valence states of heme proteins by Cysteine Residues of thimet-oligopeptidase

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Centro de Ciências Naturais e Humanas (CCNH). Universidade Federal do ABC (UFABC). Santo André, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Iseli Lourenço Nantes
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Biofísica - Radiologia e Fotobiologia
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Artigo
Processo:14/02884-6
Vigência: 01 de abril de 2014 - 30 de setembro de 2014
Assunto(s):MioglobinaSubstâncias redutoresRadicais livresPeroxidases
Resumo
A enzima peptidolítica THIMET-oligopeptidase (TOP) é capaz de agir como agente redutor no ciclo de peroxidase da mioglobina(Mb) e da peroxidase de raiz forte (HRP). A reciclagem dos estados de alta valência das peroxidases aos respectivos estados não ativados promovidos pela TOP foi acompanhado por significante diminuição do conteúdo de tiol da enzima peptidolitica. Análise de EPR (do Inglês, electron paramagnetic resonance) com uso de DBNBS como captador de spin revelou que a TOP também preveniu a formação do radical triptofanil na Mb ativada por H2O2. A oxidação dos grupos tióis da TOP pelas peroxidases não promoveu a oligomerização inativadora observada na oxidação promovida pelo envelhecimento da enzima. Esses achados são discutidos em relação a uma possivel ocorrência dessas reações em células. (AU)

Estudo de fatores que influenciam o balanço energético de mulheres obesas e com sobrepeso em diferentes países

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Vivian Marques Miguel Suen
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Nutrição
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Processo:13/14489-1
Vigência: 01 de março de 2014 - 29 de fevereiro de 2016
Assunto(s):Comportamento alimentarObesidade
Resumo
A epidemia da obesidade, maior crise de saúde pública no mundo atualmente, tem impacto negativo na saúde como aumento das taxas de doenças crônicas, incluindo diabetes e doença cardiovascular, e comprometimento do desempenho cognitivo. Desta maneira, o presente projeto, parte de um estudo piloto multicêntrico, tem como objetivo principal identificar e comparar os fatores que influenciam o balanço energético de mulheres obesas e com sobrepeso em diferentes países (Brasil, China, Estados Unidos, Finlândia e Índia). Serão selecionadas 50 mulheres com idade entre 30 e 50 anos, sendo 25 com sobrepeso (índice de massa corporal - IMC de 25 a 29,9 kg/m²) e 25 com obesidade (IMC de 30 a 35 kg/m²). O estudo transversal terá duração de 14 dias, sendo que no dia 1 as participantes serão submetidas a avaliações para determinação de gasto energético de repouso (por meio de calorimetria indireta), de atividade física (com uso de acelerômetro), da ingestão alimentar (registro alimentar de 3 dias, a partir do primeiro dia; e questionários de frequência alimentar e sobre estoque de alimentos) e das condições de saúde (perfil lipídico e glicose no sangue, e antropometria: peso corporal, estatura e circunferências - cintura e quadril), além de outros questionários abordando fatores comportamentais, sociológicos, de estilo de vida e das condições de saúde, e avaliação da imagem corporal das participantes por meio de um software. Ainda no primeiro dia, 20 participantes (10 com sobrepeso e 10 com obesidade), que farão o teste da água duplamente marcada para a medida do gasto energético total, receberão uma dose desta água, e amostras de urina serão coletadas antes e 3, 4 e 5 horas após a ingestão. No dia 7 do estudo uma amostra de urina será coletada das 20 participantes envolvidas no método da água duplamente marcada, e o peso corporal será avaliado de todas as participantes. O acelerômetro será retirado das 30 participantes não envolvidas no método da água duplamente marcada no dia 7 do estudo. No dia 14, último dia, novamente uma amostra da urina das 20 participantes será coletada e o acelerômetro será retirado, além da avaliação do peso corporal de todas as 50 voluntárias. Os resultados deste estudo poderão auxiliar no melhor entendimento dos fatores envolvidos no balanço energético e que contribuem para o aumento da obesidade e de comorbidades no mundo, possibilitando o desenvolvimento de estratégias terapêuticas mais efetivas. (AU)

Integração entre o bulbo ventrolateral rostral e o núcleo paraventricular do hipotálamo durante a ativação dos quimiorreceptores arteriais: possível envolvimento dos mecanismos catecolaminérgicos

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Thiago dos Santos Moreira
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Processo:13/00401-5
Vigência: 01 de março de 2014 - 30 de setembro de 2015
Resumo
Em resposta a uma redução na pressão parcial de O2 (PaO2), os quimiorreceptores periféricos detectam essas alterações e enviam informações características para o sistema nervoso central (SNC) a fim de promover toda uma mobilização encefálica na tentativa de corrigir a alteração na homeostasia. Dessa maneira, o quimiorreflexo periférico consiste um dos principais elementos mantenedores da homeostase cardiorrespiratória.As informações provenientes dos receptores periféricos podem ser distribuídas para diversas áreas do SNC, dentre as quais se destacam as áreas localizadas na região ventrolateral do bulbo que controlam o tônus simpático no sistema cardiovascular, bem como as áreas bulbares responsáveis pelo controle respiratório. Em condições de repouso, os neurônios pré-simpáticos do bulbo ventrolateral são a fonte primária da atividade simpática eferente, 70% destes neurônios sintetizam adrenalina e pertencem por definição, ao grupamento C1. Essas projeções catecolaminérgicas podem promover a ativação de neurônios hipotalâmicos, em especial do núcleo paraventricular do hipotálamo (PVN). Os neurônios parvocelulares do PVN estão envolvidos no controle cardiovascular através da inervação de outras estruturas encefálicas envolvidas no controle da atividade simpática, incluindo o NTS, o próprio grupamento catecolaminérgico C1 e a medula espinhal. Estudos na literatura revelam que situações aversivas são capazes de promover a produção de vasopressina, ocitocina e fator liberador da corticotrofina (CRF). A partir destas evidências, torna-se importante avaliarmos se a ativação do quimiorreflexo periférico (outro importante estímulo aversivo) ativaria os neurônios catecolaminérgicos localizados no bulbo ventrolateral que por sua vez influenciaria o controle da atividade dos neurônios localizados no PVN.Ademais, existem indícios na literatura do envolvimento de um processo inflamatório frente a uma hipóxia crônica intermitente. A nossa hipótese é que a hipóxia mantida (3 horas) estaria promovendo a liberação de fatores pró-inflamatórios como as interleucinas (IL-1b e IL-6) e fator de necrose tumoral (TNF-a) que seriam essenciais para promover a ativação da via encefálica C1-PVN.Os experimentos elaborados neste projeto procuram testar essas hipóteses e serão realizados por meio de técnicas anatômica, optogenética e de biologia molecular. (AU)

Estudos taxonômicos, filogenéticos, genômicos e ecobiogeográficos no Clado clusioide, com ênfase nos gêneros Caraipa, Haploclathra, Kielmeyera e Clusia

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Maria do Carmo Estanislau do Amaral
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Botânica - Taxonomia Vegetal
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:12/51781-0
Vigência: 01 de março de 2014 - 29 de fevereiro de 2016
Assunto(s):Botânica (classificação)CalophyllaceaeFilogeniaGenética molecular vegetalCerradoAmazônia
Resumo
As Calophyllaceae (=Kielmeyeroideae em Clusiaceae s.l.) são compostas por 13 gêneros e cerca de 460 espécies neo- e paleotropicais. A maior parte (12 gêneros) forma a tribo Calophylleae. Dentro dessa tribo há um ciado formado pelos gêneros (Kielmeyera (Caraipa + Haploclathra)) fortemente sustentado como monofilético. Juntos os gêneros compreendem cerca de 80 spp. Kielmeyera, com cerca de 47 spp., têm distribuição essencialmente brasileira e ocorre em formações ecológicas muito diversas, desde zonas secas de campos e cerrados até matas mais úmidas e restingas e dunas do litoral atlântico. A delimitação de várias espécies de Kielmeyera ainda é confusa, em parte porque certas espécies mostram poucas diferenças das espécies mais próximas, havendo, pelo menos, três complexos de espécies neste gênero que precisam de mais estudos. Os gêneros Caraipa e Haploclathra, com cerca de 30 e 4 spp. respectivamente, são grupos irmãos, porém a monofilia de cada um ainda deve ser melhor investigada. Os dois gêneros têm sua distribuição principalmente na Amazônia e ao norte da Amazônia, onde ocorrem em florestas de terra firme, igapós e savanas. Diferentemente de Haploclathra, Caraipa e Kielmeyera necessitam de uma nova revisão taxonômica, pois as existentes são incompletas e as chaves de pouca utilidade. O presente trabalho tem por objetivo apresentar uma sinopse taxonômica dos gêneros e avaliar as relações filogenéticas entre as espécies através da abordagem clássica - com 5 regiões gênicas: matK, ndhF, rbcL, Emb e ITS - e do sequenciamento de nova geração - RAD-Seq (metodologia). Espera-se obter a resolução dos complexos de espécies com a abordagem genômica. (AU)

Conectividade metabólica cerebral usando espectroscopia de ressonância magnética de hidrogênio

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Carlos Ernesto Garrido Salmon
Anfitrião: Peter Gordon Morris
Local de pesquisa: University of Nottingham (Inglaterra)
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Biomédica - Engenharia Médica
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Pesquisa
Processo:13/19340-6
Vigência: 23 de fevereiro de 2014 - 22 de fevereiro de 2015
Assunto(s):Processamento de sinais biomédicosEspectroscopia de ressonância magnética
Resumo
Hoje em dia, a conectividade de várias regiões do cérebro é amplamente reconhecida e estudada. Esta conectividade cerebral pode ser funcional ou estrutural, dependendo das técnicas envolvidas, e desempenha um papel crucial na determinação das propriedades funcionais dos sistemas neuronais. O intervalo destas conectividades medidas no domínio frequência é de aproximadamente 0,01-0,08 Hz. A Espectroscopia de Ressonância Magnética (MRS) é uma ferramenta poderosa para estudos bioquímicos in vivo de vários metabólitos. In vivo, foram detectadas variações metabólicas numa região específica do cérebro com a MRS durante tarefas visuais. Estudos de PET com glicose sugerem correlações metabólicas temporais entre as áreas cerebrais remotas, porém estes achados são restritos ao metabolismo energético pela via glicolitica. Para adquirir dados de espectroscopia de diversas áreas cerebrais é necessário tempo, o que compromete os estudos de conectividade metabólica não reportados até o momento. O objetivo deste projeto é detectar e quantificar qualquer conectividade metabólica em estado de repouso e tarefas envolvendo áreas primárias (visual ou motora). Para aumentar a resolução temporal dos espectros será utilizado o sinal de ressonância magnética de vários elementos receptores de forma independente. (AU)

Estudo de fatores que influenciam o balanço energético de mulheres obesas e com sobrepeso em diferentes países

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Vivian Marques Miguel Suen
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Nutrição
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:13/18520-0
Vigência: 01 de fevereiro de 2014 - 31 de janeiro de 2016
Assunto(s):Comportamento alimentarObesidadeSobrepesoPerda de pesoMulheres
Resumo
A epidemia da obesidade, maior crise de saúde pública no mundo atualmente, tem impacto negativo na saúde como aumento das taxas de doenças crônicas, incluindo diabetes e doença cardiovascular, e comprometimento do desempenho cognitivo. Desta maneira, o presente projeto, parte de um estudo piloto multicêntrico, tem como objetivo principal identificar e comparar os fatores que influenciam o balanço energético de mulheres obesas e com sobrepeso em diferentes países (Brasil, China, Estados Unidos, Finlândia e Índia). Serão selecionadas 50 mulheres com idade entre 30 e 50 anos, sendo 25 com sobrepeso (índice de massa corporal - IMC de 25 a 29,9 kg/m²) e 25 com obesidade (IMC de 30 a 35 kg/m²). O estudo transversal terá duração de 14 dias, sendo que no dia 1 as participantes serão submetidas a avaliações para determinação de gasto energético de repouso (por meio de calorimetria indireta), de atividade física (com uso de acelerômetro), da ingestão alimentar (registro alimentar de 3 dias, a partir do primeiro dia; e questionários de frequência alimentar e sobre estoque de alimentos) e das condições de saúde (perfil lipídico e glicose no sangue, e antropometria: peso corporal, estatura e circunferências - cintura e quadril), além de outros questionários abordando fatores comportamentais, sociológicos, de estilo de vida e das condições de saúde, e avaliação da imagem corporal das participantes por meio de um software. Ainda no primeiro dia, 20 participantes (10 com sobrepeso e 10 com obesidade), que farão o teste da água duplamente marcada para a medida do gasto energético total, receberão uma dose desta água, e amostras de urina serão coletadas antes e 3, 4 e 5 horas após a ingestão. No dia 7 do estudo uma amostra de urina será coletada das 20 participantes envolvidas no método da água duplamente marcada, e o peso corporal será avaliado de todas as participantes. O acelerômetro será retirado das 30 participantes não envolvidas no método da água duplamente marcada no dia 7 do estudo. No dia 14, último dia, novamente uma amostra da urina das 20 participantes será coletada e o acelerômetro será retirado, além da avaliação do peso corporal de todas as 50 voluntárias. Os resultados deste estudo poderão auxiliar no melhor entendimento dos fatores envolvidos no balanço energético e que contribuem para o aumento da obesidade e de comorbidades no mundo, possibilitando o desenvolvimento de estratégias terapêuticas mais efetivas. (AU)

Efeito do treinamento físico em pacientes com insuficiência cardíaca e fibrilação atrial permanente

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto do Coração Professor Euryclides de Jesus Zerbini (INCOR). Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Guilherme Veiga Guimarães
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia do Esforço
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:13/17031-6
Vigência: 01 de fevereiro de 2014 - 31 de janeiro de 2016
Assunto(s):Fisiologia do exercícioTreinamento físicoFibrilação atrialInsuficiência cardíacaTestes de função cardíaca
Resumo
Introdução: O efeito positivo do treinamento físico em pacientes com insuficiência cardíaca (IC) tem sido cada vez mais estabelecido. Entretanto, a presença da fibrilação atrial (FA), principalmente em sua forma permanente, torna o quadro clínico desses pacientes mais comprometido. Dessa maneira, a literatura não tem demonstrado estudos envolvendo a indicação da terapêutica com o exercício físico quando a FA está associada a IC. Objetivo: Avaliar o efeito do treinamento físico sobre a capacidade funcional, oxigenação cerebral, aspectos autonômico, aspectos vasculares, função cardíaca, marcadores plasmáticos, qualidade de vida e função cognitiva em pacientes com IC e FA. Metodologia: Serão estudados 22 indivíduos de ambos os gêneros, com idade de 30 a 65 anos com IC (NYHA II-III) e FA permanente com fração de ejeção ventricular esquerda d40%. Os pacientes serão randomizados em dois grupos: grupo 1 (n=11) insuficiência cardíaca em fibrilação atrial - treinamento físico (ICFAt) e grupo 2 (n=11) insuficiência cardíaca em fibrilação atrial - sedentário (ICFAs). Um grupo de 11 indivíduos saudáveis (grupo 3) será utilizado para controle. Em todos os pacientes será medido a oxigenação e fluxo sanguíneo cerebral, atividade nervosa simpática muscular, fluxo sanguíneo muscular, função endotelial, velocidade de onda de pulso, frequência cardíaca e pressão arterial de repouso, variáveis cardiorrespiratórias, estrutura e função cardíaca, níveis de ANP e BNP, marcadores plasmáticos inflamatórios, angiotensina, qualidade de vida e função cognitiva. O grupo 1 realizará o protocolo de treinamento físico supervisionado com duração de 12 semanas. Já o grupo 2 e 3 serão orientados a não participarem de qualquer programa regular de condicionamento físico. Todos os participantes da pesquisa serão reavaliados após o período de 12 semanas. (AU)

Avaliação do gasto energético de repouso e identificação de fatores de risco para hiper e hipometabolismo em pacientes com lesão renal aguda submetidos a diferentes tipos de diálise

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina (FMB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Daniela Ponce
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Processo:13/00315-1
Vigência: 01 de janeiro de 2014 - 31 de julho de 2016
Assunto(s):Metabolismo energéticoDiáliseLesão renal agudaNutrição humana
Resumo
A determinação do gasto energético de repouso (GER) é importante para ajustar a oferta nutricional dos indivíduos, principalmente pacientes críticos, pois permite o planejamento de uma nutrição adequada para assegurar que suas necessidades energéticas sejam satisfeitas e evitar as complicações associadas à hiper ou subalimentação. O GER é influenciado por vários fatores, como sexo, idade, peso, estatura, etnia, composição corporal e em pacientes críticos, somados a esses fatores, existem a influência da doença e os efeitos do tratamento. A Lesão Renal Aguda (LRA) é um distúrbio complexo que ocorre em uma variedade de situações, com manifestações clínicas que podem variar de mínimas elevações na creatinina sérica até insuficiência renal com necessidade de diálise. Quando a LRA é monofatorial e não complicada parece não alterar o GER, apesar de o rim ser responsável por aproximadamente 10% do GER. Tão importante quanto à própria LRA no prognóstico destes pacientes são as comorbidades, o estado nutricional pregresso, as complicações como infecção, inflamação e suporte ventilatório, os quais alteram o GE desses pacientes. Até o presente momento, não há estudos que avaliaram o GER de pacientes com LRA em terapia renal substitutiva. A determinação do GER nesses pacientes, assim como a identificação de fatores que influenciam o seu metabolismo são importantes para guiar a prescrição da terapia nutricional, evitando subnutrição e hiperalimentação, condições que aumentam a morbi-mortalidade de pacientes críticos. Os objetivos do presente estudo são determinar o GER de pacientes com LRA tratados por diferentes tipos de diálise e identificar os fatores associados ao hiper e hipometabolismo nessa população. Este será um estudo tipo coorte prospectivo que avaliará pacientes maiores de 18 anos, internados no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu e acompanhados pelo Grupo da LRA da Disciplina de Nefrologia do Departamento de Clínica Médica, durante 24 meses consecutivos. Serão incluídos pacientes com diagnóstico de LRA de acordo com os critérios do AKIN, com quadro clínico sugestivo de Necrose Tubular Aguda (NTA), necessidade de terapia renal substitutiva (AKIN estágio 3), que estiverem recebendo dieta via enteral ou parenteral, submetidos à avaliação nutricional e com acompanhamento nefrológico de pelo menos 2 dias, após iniciar a terapia dialítica. Todos os pacientes incluídos no estudo serão acompanhados por meio de um protocolo clínico composto por dados gerais, nutricionais, avaliação do GER, exames bioquímicos e avaliação de quadro infeccioso. O GER será estimado pela equação de Harris-Benedict e determinado por meio da calorimetria indireta(CI), antes do início da terapia dialítica e diariamente durante todo o acompanhamento, sendo realizada uma vez ao dia quando indicados métodos contínuos de suporte renal agudo e duas vezes ao dia quando indicados métodos intermitentes (durante e após a terapia dialítica). A CI será realizada pelo aparelho QUARK RMR da COSMED, conforme instruções do fabricante. O GER obtido pela CI será classificado como normal, baixo ou aumentado, de acordo com o GER estimado. Estima-se que serão avaliados, até o final do estudo, cerca de 120 pacientes submetidos a 480 sessões de diálise. O acompanhamento será encerrado no momento da suspensão da diálise por recuperação da função renal ou óbito do paciente. (AU)

Desenvolvimento de técnicas de simulação para interação dinâmica solo-estrutura aplicadas à modelagem da resposta de fundações de instalações para Nano-ciência e laboratórios de luz síncrotron

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Engenharia Mecânica (FEM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Euclides de Mesquita Neto
Supervisor no exterior: Nimal Rajapakse
Local de pesquisa: Simon Fraser University (Canadá)
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Mecânica - Mecânica dos Sólidos
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Processo:13/23085-1
Vigência: 01 de janeiro de 2014 - 30 de junho de 2014
Assunto(s):Interação solo-estrutura
Resumo
O presente plano de pesquisa de pós-doutorado em andamento envolve o desenvolvimento de uma série de modelos numéricos para descrever a resposta dinâmica de fundações circulares ou anulares interagindo com o solo. O plano de pesquisa é motivado pela necessidade e modelar e entender o comportamento dinâmico de fundações anulares como as que estão sendo consideradas para a construção da nova fonte brasileira de luz síncrotron, o Projeto Sirius. Os limites de amplitude de vibração exigidos para o funcionamento adequado dos anéis de luz síncrotron são muito estreitos, e uma compreensão adequada do comportamento dinâmico de sua fundação é fundamental para o sucesso do projeto. Em especial, a parte deste trabalho de pós-doutorado correspondente a este estágio BEPE tratará do estudo da vibração de grandes grupos de estacas e da vibração de fundações flexíveis apoiadas em grupos de estacas. Este é um componente fundamental deste trabalho de pesquisa, uma vez que atualmente os projetos predominantes de fundações para a instalação de laboratórios de luz síncrotron são baseados em fundações rasas apoiadas em grupos muito grandes de estacas. De acordo com a literatura, soluções analíticas para este problema não existem nem mesmo para o caso estático. Modelos numéricos atuais da vibração de grupos de estacas interagindo com o solo frequentemente resultam em problemas de custo computacional. Os modelos a serem desenvolvidos neste trabalho de pesquisa compreendem resultados originais e representam uma contribuição importante para o estudo da dinâmica de fundações. (AU)

Caracterização do remodelamento cardíaco induzido pelo treinamento físico aeróbio de corrida e natação em ratos

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Universidade Nove de Julho (UNINOVE). Campus Memorial. São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Andrey Jorge Serra
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:13/20011-7
Vigência: 01 de janeiro de 2014 - 31 de julho de 2014
Assunto(s):CorridasNataçãoExercício físicoFisiologia cardiovascular
Resumo
Durante o exercício, o coração é permanentemente exigido para que a ejeção ventricular mantenha adequado aporte sanguíneo ao músculo em atividade. Desperta interesse o fato de períodos prolongados de treinamento físico resultarem em remodelação do coração que, é marcada por alteração na morfologia e função ventricular. Esta adaptação cardíaca ao exercício é alvo de intensa investigação e algo que desperta interesse reside na possibilidade da resposta adaptativa ser singular ao tipo de treinamento físico preconizado. Evidências pontuam que exercícios anaeróbios, sobretudo de força muscular máxima, induzem aumento da espessura de parede do ventrículo esquerdo em sintonia com redução do raio da cavidade. Porém, exercícios aeróbios constituem estímulo para aumento do raio da cavidade ventricular com manutenção ou alteração discreta da morfologia parietal. Estas informações seduzem a acreditar que o remodelamento cardíaco despertado pelo exercício é um fenômeno completamente compreendido, singular a demanda metabólico específica. Todavia, há certas questões que semeiam inquietação, particularmente, aquelas indicativas de que diferentes tipos de exercícios aeróbios podem também desencadear remodelação cardíaca distinta. Assim, neste estudo o objetivo é caracterizar o remodelamento cardíaco em ratos treinados em natação e corrida com intensidade e volume de treinamento similar. Nesta perspectiva, as seguintes variáveis serão investigadas: (1) frequência cardíaca de repouso com o animal em vigília; (2) morfologia e função do ventrículo esquerdo; (3) contratilidade miocárdica in vitro; (4) resistência aeróbia em esteira e piscina; (5) massa miocárdica, volume nuclear e diâmetro transverso dos cardiomiócitos. (AU)

Influência do grau de dependência nicotínica e da intensidade do consumo tabagístico na variabilidade da frequência cardíaca

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Presidente Prudente. Presidente Prudente, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Ercy Mara Cipulo Ramos
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:13/21430-3
Vigência: 01 de janeiro de 2014 - 31 de dezembro de 2014
Assunto(s):Frequência cardíacaSistema nervoso autônomoHábito de fumar
Resumo
Introdução: O tabagismo é considerado um problema de saúde pública, e constitui a principal causa de morte evitável no mundo. Sabe-se que a ação da nicotina produz modificações no sistema nervoso autônomo e reduz a variabilidade da frequência cardíaca (VFC), o que predispõe o tabagista a um maior risco de morbimortalidade por eventos cardiovasculares. Contudo, ainda são escassos os estudos que avaliaram esse comprometimento na VFC em diferentes intensidades do consumo tabagístico, e não foram encontrados estudos, sobre a influência do grau de dependência à nicotina neste comprometimento. Objetivos: Avaliar a influência do grau de dependência nicotínica e da intensidade do consumo tabagístico na modulação autonômica cardíaca avaliada por meio de índices de VFC. Métodos: Tabagistas com função pulmonar normal verificada pela espirometria serão divididos de acordo com a intensidade do consumo tabagístico e com o grau de dependência nicotínica. Os índices de VFC serão avaliados em condição de repouso, por meio do cardiofrequencímetro Polar S810i em métodos lineares, no domínio do tempo (DT) e no domínio da frequência (DF) e pelo plot de Poincaré. Análise estatística: A normalidade na distribuição dos dados será avaliada por meio do teste de Shapiro-Wilk e a descrição dos resultados será realizada como média ± desvio padrão, com exceção de variáveis com distribuição não normal, que serão descritas como mediana (intervalo interquartílico 25-75). Para análise entre os grupos será utilizado o teste t não pareado ou teste de Mann-Whitney dependendo da normalidade dos dados, e para a análise entre 3 grupos será utilizado o teste One-way ANOVA seguido pelo teste de Tukey, ou Kruskal-Wallis seguido pelo este de Dunn, também dependendo da normalidade dos dados. O nível de significância utilizado será de p<0,05. (AU)

Comparação do gasto energético de pacientes portadores de síndrome metabólica obtidos pelos métodos de calorimetria indireta e pelas fórmulas Harris & Benedict (1909), FAO/OMS (1985), DRI'S (2002) e Horie e col. (2011)

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Rosa Ferreira dos Santos
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Nutrição - Análise Nutricional de População
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:13/01074-8
Vigência: 01 de dezembro de 2013 - 30 de novembro de 2014
Assunto(s):Síndrome X metabólicaCalorimetria indiretaMetabolismo basal
Resumo
A Síndrome Metabólica (SM) é um transtorno complexo representado por um conjunto de fatores de risco cardiovascular relacionados à deposição central de gordura e à resistência à insulina. O aconselhamento dietético e alterações no estilo de vida são considerados terapias de primeira escolha para o tratamento dos pacientes. Para a intervenção dietética, deve-se estimar a Taxa Metabólica Basal e Total do paciente. São conhecidas, entretanto, divergências de resultados entre as fórmulas atualmente disponíveis na literatura. Dessa forma, o objetivo deste trabalho é a comparação dos resultados da estimativa da Taxa Metabólica de Repouso obtida pelas fórmulas de Harris & Benedict (1919), FAO/OMS (1985), DRI´s (2001) e Horie e col (2011) com os resultados da calorimetria indireta, considerada padrão ouro, a fim de conhecer qual delas refere melhor o resultado do gasto energético de pacientes portadores de SM, sendo fundamental a estimativa correta das necessidades para planejamento de perda de peso adequado. (AU)

Recuperação da frequência cardíaca pós-exercício: mecanismos reguladores

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Escola de Educação Física e Esporte (EEFE). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Cláudia Lúcia de Moraes Forjaz
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Educação Física
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Processo:13/05519-4
Vigência: 01 de dezembro de 2013 - 31 de maio de 2016
Assunto(s):Exercício físicoHipertensãoFisiologia do exercício
Resumo
A recuperação da frequência cardíaca (RecFC) após o exercício permite avaliar a integridade autonômica cardíaca frente a um estresse fisiológico. Estudos têm demonstrado que valores reduzidos de RecFC estão associados a maior mortalidade. A hipertensão arterial sistêmica é uma doença de alta prevalência e com prognóstico cardiovascular desfavorável. Estudos têm demonstrado menor RecFC em hipertensos que em normotensos. Este prejuízo autonômico deve refletir uma menor eficiência dos mecanismos de regulação da modulação autonômica cardiovascular: comando central, mecanorreflexo, metaborreflexo e termorregulação. No entanto, o papel e a deficiência destes mecanismos na redução da RecFC desta população não estão claros. O objetivo do estudo, portanto, será investigar o papel dos mecanismos de controle autonômico cardiovascular na RecFC em hipertensos. 25 hipertensos e 25 normotensos participarão de 5 sessões experimentais, realizadas em ordem aleatória. Durante as sessões, serão feitas medidas em repouso, durante o exercício (cicloergômetro, 30 min, 70% da carga máxima) e no período de recuperação. Esta recuperação será realizada de forma diferente em cada sessão: a) recuperação passiva - ausência de movimento; b) recuperação ativa - manutenção do movimento pelo próprio voluntário com intensidade inferior; c) recuperação assistida - manutenção do movimento por uma força externa em carga inferior; d) recuperação passiva com oclusão circulatória e e) recuperação passiva com resfriamento por ventilação. Em todas as sessões, o sinal eletrocardiográfico, respiratório, de pressão arterial fotopletismográfica e de temperatura intestinal serão continuamente registrados e a concentração de lactato sanguíneo será medidas em momentos específicos. A comparação das sessões duas a duas permitirá a avaliação do papel dos diferentes mecanismos de controle da regulação autonômica cardiovascular: comando central (b vs. c), mecanorreflexo (a vs. c), metaborreflexo (a vs. d) e termorregulação (a vs. e). Os dados serão analisados pela ANOVA de 2 fatores para amostras repetidas, tendo como fatores principais o grupo e a sessão. (AU)

Composição florística, estrutura e dinâmica do funcionamento da Floresta Ombrófila Densa Atlântica dos núcleos Caraguatatuba, Cunha, Picinguaba e Santa Virgínia, do Parque estadual da Serra do Mar (PelD)

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Carlos Alfredo Joly
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Programa BIOTA - Regular
Processo:12/51509-8
Vigência: 01 de dezembro de 2013 - 31 de maio de 2017
Assunto(s):FlorísticaFlorestasEmissão de gasesDeposição atmosféricaNitrogênioDióxido de carbonoMudança climática
Resumo
Composição florística, estrutura e dinâmica do funcionamento da Floresta Ombrófila Densa Atlântica dos Núcleos Caraguatatuba, Cunha, Picinguaba e Santa Virginia, do Parque Estadual da Serra do Mar, São Paulo, Brasil. Nome do Sítio PELD: Gradiente Funcional da Floresta Ombrófila Densa Atlântica SIGLA DO SÍTIO (quatro letras no máximo): FGAF (Functional Gradient of Atlantic Forest) O projeto de criar o sitio PELD – Gradiente Funcional da Floresta Ombrófila Densa Atlântica, abrangendo áreas de Mata Atlântica dos Núcleos Caraguatatuba, Cunha, Picinguaba e Santa Virginia do Parque Estadual da Serra do Mar, visa consolidar a infra-estrutura e as linhas de pesquisa implantadas na região através dos Programas BIOTA e Mudanças Climáticas da FAPESP. O objetivo é responder às seguintes perguntas: a) na transição da região tropical para a região subtropical a topografia e a face de exposição da vertente são componentes mais importantes do que a altitude na composição florística do estrato arbóreo da Floresta Ombrófila Densa Atlântica? b) a Floresta Ombrófila Densa Atlântica é um sumidouro ou uma fonte de emissão de CO2? c) De que forma varia o tempo de residência do carbono na vegetação e no solo ao longo de um gradiente altitudinal de FODA, e como este parâmetro é afetado pelas mudanças climáticas globais? d) a deposição de compostos nitrogenados oriundos da Unidade de Tratamento de Gás implantada pela PETROBRAS em Caraguatatuba, afeta de forma diferenciada o crescimento de espécies arbóreas, de forma a médio e longo prazo alterar a composição florística da Floresta Ombrófila Densa Atlântica na área de influência da UTGCA? E) Dados de dinâmica populacional, tais como de taxas de crescimento anuais e fenologfa, em diferentes altitudes na FOD Atlântica, permitiriam determinar formas de manejo do fruto do Euterpe edulis Mart. (Arecaceae), como forma de aumentar a renda de populações no entorno de Unidades de Conservação? O sitio de pesquisa está localizado em 4 Núcleos do Parque Estadual da Serra do Mar? Caraguatatuba, Cunha, Picinguaba e Santa Virginia. A vertente Picinguaba-Santa Virgínia-Cunha se justifica pela necessidade de cobrirmos todas as fitofisionomias que compõem a Floresta Ombrófila Densa Atlântica: Floresta de Restinga (Picinguaba)? Floresta Ombrófila Densa das Terras Baixas (Picinguaba)? Floresta Ombrófila Densa Submontana (Picinguaba)? Floresta Ombrófila Densa Montana (Santa Virgínia) e Floresta Ombrófila Densa Alto Montana (Cunha). A inclusão das áreas no Núcleo Caraguatatuba se justifica peio objetivo de monitorar, a médio e longo prazo, os possíveis impactos da UTGCA na Floresta Ombrófila Densa Atlântica. Considerando que o projeto se desenvolverá sobre uma base de conhecimento acumulada nos últimos 10 anos, nos próximos 4 anos será possível alcançarmos os seguintes objetivos: a) na questão relacionada à biodiversidade, estrutura e dinâmica do componente arbóreo da Floresta Ombrófila Densa Arbórea será possível determinar quais os principais fatores abióticos que determinam o limite de ocorrência das espécies. Desta forma será possível rever a classificação de Veloso et al (1991), adaptando-a para um recorte regional; b) na questão relacionada ao papel de FODA como sumidouro ou fonte de emissão de CO2, teremos uma série temporal de 5 anos contínuos de medição, o suficiente para determinação de tendências valores do balanço líquido; c) na questão relacionada ao tempo de residência do carbono na vegetação e solo teremos uma linha de base estabelecida de forma a médio prazo podermos determinar as tendências e os valores, complementando o item acima; d) na questão relacionada ao impacto da deposição de compostos oriundos da Unidade de Tratamento de Gás implantada pela PETROBRAS em Caraguatatuba, além da linha de base já poderemos indicar tendências; e) Na questão relacionada ao manejo do fruto de Euterpe edulis Mart. (Arecaceae), integrando nossos dados aos já existentes e/ou que estão sendo gerados por outros projetos na região, estaremos em condições de determinar cotas de coleta de frutos em cada fitofisionomia da FODA. METODOLOGIA 1) Parcelas Permanentes & Florística e Fitossociologia No estudo do componente florístico fitossociológico serão utilizadas as 18 Parcelas Permanentes já instaladas na região, prevendo-se a instalação de xx novas parcelas para inclusão de parcelas nas cotas 1.200 e 1.500 m bem como de parcelas onde a floresta está em regeneração e o histórico de perturbação seja conhecido. A implantação das Parcelas Permanentes, plaqueamento, mapeamento e medição de indivíduos com DAP ≥ 4,8 cm, segue o protocolo RAINFOR adaptado por Joly et al (2012). 2) Balanço do CO2 A Torre Micrometeorológica de Fluxo, que estuda as interações floresta-atmosfera no que tange a trocas de CO2 e água, foi implantada no Núcleo Santa Virgínia/PESM entre 2007 e 2008, pelo Projeto Temático BIOTA Gradiente Funcional. O sítio experimental está estabelecido na microbacia do Ribeirão Casa de Pedra (RCP), com área de ~2,5 km2, altitude de 900 a 1000 m, definida entre 23º17' a 23º24'S, e 4Sº03' a 45º11' W. 3) Tempo de Residência do carbono Medições da dinâmica de madeira em parcelas permanentes serão usadas para estimar o tempo de residência de C no compartimento chamado de Madeira Morta, ou ?coarse wood debris - CWD?. Amostragem de tronco e raízes das árvores serão utilizadas para análise radiocarbônica da celulose. A quantificação da produção anual de raízes finas será feita através de coletores com diâmetro de 14cm e profundidade de 30cm. O conteúdo de radiocarbono na serapilheira, nas raízes mortas e na matéria orgânica do solo será usado para determinar o tempo de residência do carbono nestes compartimentos do ecossistema. Finalmente, o teor de 14C no CO2 respirado da superfície do solo e em incubações será usado para estimar a idade média de carbono respirado do ecossistema. 4? Impactos da deposição de compostos nitrogenados da UTGCA Serão utilizados amostradores passivos para deposição de N via NO2, HNO3, NH4, e mostradores ativos (aerossóis) para NO3- e NH4+. Alterações no solo serão monitoradas com coletas e análises químicas sistemáticas a cada 6 meses. Serão selecionadas espécies arbóreas que ocorram tanto nas proximidades da UTGCA (Núcleo Caraguatatuba) como fora de sua área de influência (Núcleo Picinguaba) para o acompanhamento de possíveis alterações no metabolismo do nitrogênio. O Crescimento de indivíduos destas espécies nas duas áreas, controle e sob impacto da UTGCA, será acompanhado com bandas dendrométricas para o monitoramento de possíveis alterações nas taxas de crescimento. Através de equações o incremento no diâmetro poderá ser transformado em carbono, e a comparação entre as áreas permitirá determinar se o incremento de nitrogênio no solo, por deposição dos compostos emitidos pela UTGCA, altera a taxa de fixação de carbono. 5? Manejo sustentável do fruto de Euterpe edulis Mart. (Arecaeae) Atualmente o principal Produto Florestal Não Madeireiro da Floresta Ombrófila Densa Atlântica é o palmito da palmeira juçara (Euterpe edulis Mart.), cuja extração provoca a morte da palmeira e causa sérias alterações ambientais. No entanto, esta palmeira oferece outro recurso econômico de grande valor e de menor impacto ambiental, que é a polpa do fruto, similar em aparência e valor nutricional ao açaí extraído da espécie amazônica, o Euterpe oleracea Mart. O Plano de Manejo do Núcleo Picinguaba do PESM define áreas com possibilidade de usos especiais, denominadas Zonas Histórico-Culturais Antropológicas (ZHCA), devido à presença das comunidades tradicionais. A exploração do fruto de juçara já vem acontecendo em ZHCA no entorno do Núcleo Picinguaba, em áreas de florestas de terras baixas e submontana desde 2005 e em Zonas de Amortecimento no entorno do Núcleo Santa Virginia. O objetivo deste subprojeto é gerar, através de censos anuais e estudos fenológicos um conjunto de dados sólidos que permitam a determinação de cotas de extração de frutos que contribuam com a renda das populações tradicionais, sem afetar a regeneração e manutenção da população da espécie. (AU)

Análise de expressão gênica em mulheres obesas grau III antes e após intervenção dietética

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Vivian Marques Miguel Suen
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Nutrição
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Processo:13/07179-6
Vigência: 01 de novembro de 2013 - 31 de outubro de 2015
Assunto(s):Expressão gênicaObesidadeNutrigenômica
Resumo
A obesidade é uma doença caracterizada pelo acúmulo excessivo de tecido adiposo corporal, com origem multifatorial, tais como ambientais, comportamentais e genéticos. Vários estudos mostram que mais de 600 genes têm a capacidade de influenciar no peso corporal e regulação do metabolismo energético, ou seja, estão associados positivamente à obesidade humana. O objetivo do presente estudo é verificar a expressão dos genes ADBR3, UCPs, PLIN, PPARG2 em tecido adiposo subcutâneo abdominal de mulheres obesas grau III, antes e após intervenção nutricional para perda de peso. A amostra será composta por dois grupos: Grupo 1 (Grupo Intervenção - G1) será composto de 10 mulheres com obesidade grau III de população miscigenada, com idade entre 18 e 60 anos, candidatas a hospitalização para realização de intervenção dietética e Grupo 2 (Grupo Controle - G2), será composto por 10 mulheres eutróficas provenientes do Hospital Estadual que por indicação médica realizarão procedimento cirúrgico de hérnia umbilical (incisional ou epigástrica) ou colelitíase sem colecistite aguda.A classificação do estado nutricional será feita pelo Índice de Massa Corporal (IMC) e, posteriormente, os indivíduos serão submetidos à avaliação de composição corporal pelo método de bioimpedância elética, da taxa metabólica de repouso (TMR), por meio da calorimetria indireta e análise da expressão dos genes por meio da análise de PCR quantitativo em tempo real. Após as 8 semanas de intervenção dietética do G1, as participantes serão reavaliadas e os resultados comparados entre pré e pós intervenção e com o dados do G2. (AU)

Perfil das instalações em sistema intensivo para equinos

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Pró-Reitoria Acadêmica. Centro Universitário de Rio Preto (UNIRP). Sociedade Riopretense de Ensino e Educação. São José do Rio Preto, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Rodolfo Marques de Brito
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:13/14781-4
Vigência: 01 de outubro de 2013 - 30 de setembro de 2014
Assunto(s):Equinocultura
Resumo
A trajetória da interação homem-cavalo iniciou-se com a relação de troca estabelecida pelos povos nômades. Adiante, estreitou-se e o equino cumpriu função como meio de transporte, tração e status social. No mundo contemporâneo tem desempenhado atividades de esporte, terapia, lazer e agropecuária. A criação de equinos ocorre em dois sistemas produtivos, o extensivo (campo) e o intensivo (semi-estabulado/estabulado). Estes até o início do século XIX baseavam-se nos modelos estruturais internacionais de instalação e mantimentos, os quais se destinavam à climas temperados, diferentes do cenário nacional. Então foi criado o Sistema Brasileiro de Produção de Equinos, cujas instalações deveriam ser simples, sem embelezamentos e de baixo custo, visando maior conforto, higiene e facilidade no manejo com os animais. Apesar de tudo, existe reduzida quantidade de estudos com enfoques em instalações de sistema intensivo para equinos. Entretanto, quando bem calculadas, as instalações prestam conforto físico e psicológico, boa sanidade, condições adequadas de nutrição, descanso e bem-estar ideais para a melhor performance do animal seja qual for sua atividade. Com isso, a proposta de estudo pretende caracterizar o perfil das instalações de sistema intensivo para equinos em criatórios da região de São José do Rio Preto, Catanduva e Barretos no estado de São Paulo, por meio de observação (individual, sistemática e participante) e de formulário. Objetiva-se estabelecer um perfil da situação atual, construindo um banco de dados com as informações coletadas, somadas a revisão bibliográfica. (AU)

Effects of pectoralis minor stretching on resting muscle length and scapular kinematics during elevation of the arm in asymptomatics subjects and people with shoulder pain

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Paula Rezende Camargo
Pesquisador responsável no exterior: John David Borstad
Instituição no exterior: Ohio State University. (Estados Unidos)
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:13/50363-2
Vigência: 01 de outubro de 2013 - 30 de setembro de 2014
Convênio/Acordo de cooperação com a FAPESP: Ohio State University
Assunto(s):Reabilitação (terapêutica médica)Músculos peitoraisEscápulaAlongamento
Resumo
Existem evidências de que o encurtamento do músculo peitoral menor é um importante fator de alteração biomecânica e pode influenciar a cinemática da escápula. O alongamento de tal músculo é uma das técnicas mais utilizadas na prática clínica na tentativa de diminuição da dor e melhora da função em indivíduos com dores no ombro. No entanto, essa técnica não é a única utilizada em um protocolo de reabilitação. Há falta de estudos que avaliem a real eficácia de um programa de alongamento para o músculo peitoral menor no seu comprimento de repouso e cinemática escapular. Sendo assim, o objetivo deste estudo será verificar os efeitos de um protocolo de alongamento para o músculo peitoral menor no seu comprimento de repouso e na cinemática 3D da escápula durante a flexão do braço em sujeitos assintomáticos e portadores da síndrome do impacto com o músculo peitoral menor encurtado. Serão recrutados 50 indivíduos (25 sintomáticos e 25 assintomáticos para dor no ombro). Todos passarão por 2 avaliações iniciais, com período de uma semana entre as mesmas. Em cada dia, dois questionários (DASH e SPADI) para avaliação de dor e função do ombro serão aplicados. O comprimento de repouso do peitoral menor e a cinemática da escápula durante flexão do braço serão registrados por meio de um sistema de rastreamento eletromagnético. Inicialmente, será registrado o comprimento de repouso do peitoral menor, e na sequência, 3 repetições de elevação do braço no plano sagital serão realizadas... (AU)

Avaliação dos efeitos de diferentes alturas de mesa na postura, desconforto e descarga de peso de membros superiores sobre a mesa durante uso de notebook

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Cristiane Shinohara Moriguchi de Castro
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:13/16891-1
Vigência: 01 de outubro de 2013 - 30 de setembro de 2014
Assunto(s):Fatores de riscoErgonomiaEstudantesPrevenção primária
Resumo
A utilização de computadores portáteis, os notebooks, tem aumentado consideravelmente entre os estudantes universitários, e, em geral, este uso é prolongado e em condições ergonômicas desfavoráveis, o que pode levar ao surgimento de sintomas musculoesqueléticos. O apoio dos membros superiores sobre a mesa a fim de descarregar parte de seu peso é uma das recomendações presentes em guias para prevenção de desordens musculoesqueléticas em usuários de notebook. No entanto, os guias, em geral, descrevem as recomendações ergonômicas por tópicos, não evidenciando se uma inadequação do posto de trabalho pode comprometer outras. Assim, não fica claro que a proposta de intervenção ergonômica para redução da sobrecarga por meio da descarga de peso dos membros superiores sobre a mesa sem considerar a adequação da altura da mesa pode alterar os resultados esperados desta intervenção. Além disto, a descarga de peso dos membros superiores sobre a mesa é uma variável pouco explorada nos estudos disponíveis na literatura que avaliam a sobrecarga em trabalho sedentário. Portanto, o objetivo do presente projeto é avaliar a descarga de peso dos membros superiores na mesa, a postura da coluna cervical (flexão/extensão) e ombros (elevação dos membros superiores) e a intensidade de desconforto durante atividades de digitação em notebook em diferentes alturas de mesa: altura ideal determinada de acordo com guias de recomendações e mesa com altura superior às recomendações. Para tal, serão avaliados 24 estudantes de graduação (12 do gênero feminino e 12 do gênero masculino) saudáveis que façam uso de notebook (o tamanho amostral foi determinado por meio de cálculo amostral com base em dados de estudo piloto). Os participantes serão avaliados quanto às características antropométricas na postura sentada, o que permitirá a adequação da cadeira e mesa a cada participante. Os participantes realizarão tarefas de digitação simples em Microsoft Word durante 8 minutos em notebook nas duas situações acima descritas. A ordem das tarefas será aleatorizada. As variáveis dependentes serão: flexão/extensão cervical, elevação de membros superiores avaliados por inclinometria; descarga de peso sobre a mesa avaliada por plataforma instrumentada com células de carga e nível de desconforto avaliado pela Escala CR10 de Borg (Borg, 1998). O dados serão processados em ambiente MatLab (versão 7.01, MathWorks Inc, Natick, USA). Os dados cinemáticos e os dados registrados pelas plataformas de força serão filtrados por filtro Butterworth de 2° ordem, com freqüência de corte determinadas por análise residual. Posteriormente, os dados serão reduzidos por meio do método amplitude probability distribution function (APDF), para estimar os percentis 10, 50 e 90 das posturas de flexo-extensão da cervical e elevação dos membros superiores e da descarga de peso sobre a mesa. Os valores da descarga de peso serão fornecidos em relação ao peso dos membros superiores (porcentagem) registrado pelas plataformas com o sujeito sentado e braços repousando relaxadamente sobre a plataforma instrumentada. As variáveis dependentes (postura, descarga de peso e desconforto) serão testadas quanto à normalidade da distribuição pelo teste de Shapiro Wilk. Caso os dados apresentem distribuição normal, o teste T de Student para medidas repetidas será utilizado para comparar as duas situações (mesa em altura adequada e mesa alta). Com base nestes resultados, será possível verificar quantitativamente o efeito de modificações na altura da mesa na descarga de peso dos membros superiores, na postura, e no nível de desconforto, o que chamará a atenção para a dependência entre as diferentes intervenções ergonômicas para obtenção de resultados eficazes. Desta forma, os resultados do presente estudo fornecerão evidências para guias práticos sobre prevenção de desordens musculoesqueléticas em usuários de notebook. (AU)

Isolamento e identificação de metabólitos secundários foliares de Plantago catharinea (Plantaginaceae)

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus Experimental do Litoral Paulista. São Vicente, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Maria Bernadete Gonçalves Martins
Supervisor no exterior: Sonia Piacente
Local de pesquisa: Università degli Studi di Salerno (Itália)
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Botânica - Botânica Aplicada
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Iniciação Científica
Processo:13/07681-3
Vigência: 10 de setembro de 2013 - 09 de janeiro de 2014
Assunto(s):FitoquímicaPlantas (identificação)PlantagoRessonância magnética
Resumo
As espécies vegetais contendo substâncias bioativas são, cada vez mais, objeto de pesquisas, levando a buscas alternativas para tratamentos terapêuticos ou revelando substâncias que posteriormente possam ser exploradas, com o intuito de produzir fármacos. Sendo assim, estudos fitoquímicos de análise são de grande importância, em razão ao vasto número de metabólitos secundários que podem ser encontrados. Plantago catharinea (Plantaginaceae) é advinda dos ecossistemas de restinga, mais especificamente das zonas de praias e dunas. Plantas litorâneas possuem alto potencial farmacêutico, pois estão inseridas em um ambiente com carência de nutrientes, devido ao solo salino e instável, além disso, estão expostas a altas temperaturas do ar e do solo que geram estresses, interferindo na produção de metabólitos especiais como terpenoides, flavonoides e alcaloides. Estas condicionantes tornam as plantas de restinga potenciais fontes de substâncias para a produção de fármacos. Plantago catharinea é conhecida pelo nome popular de tanchagem e possui morfologia semelhante às espécies Plantago tomentosa e Plantago australis, que também são usadas na medicina popular, e conhecidas pelo mesmo nome popular. Apesar de P. catharinea ser utilizada como medicinal, pouco se sabe sobre sua composição química, bem como sua atividade farmacológica, que comprove sua eficácia. Tendo em vista o intenso uso como medicinal das espécies de "tanchagem" no Brasil (P. major, P. australis, P. lanceolata, P. ovata), propõe-se o estudo fitoquímico de P. catharinea, já que pode ser potencial fonte de metabólitos ativos biologicamente, além de ser uma espécie rara e ameaçada de extinção. Para isso, o estudo será dividido em duas etapas, (I) etapa farmacognóstica - secagem, moagem e padronização do material vegetal e (II) etapa química - extração, triagem cromatográfica, isolamento e identificação de metabólitos. Neste âmbito, os resultados obtidos com estes experimentos, irão contribuir para o entendimento da composição química da espécie, além de facilitar os estudos com as outras do mesmo gênero, que estão sendo estudadas em paralelo no projeto de pesquisa vinculado (proc#2011/23113-0: Estruturas secretoras de Plantago: Morfologia estrutural e química - um estudo foliar comparado). (AU)

Análise de ressonância magnética funcional em estado de repouso de pacientes com doença de Parkinson e impulsividade

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Fernando Cendes
Supervisor no exterior: Alain Dagher
Local de pesquisa: McGill University (Canadá)
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Processo:13/03358-3
Vigência: 02 de setembro de 2013 - 01 de março de 2014
Assunto(s):Ressonância magnéticaDoença de Parkinson
Resumo
A doença de Parkinson é a segunda doença neurodegenerativa mais comum, e estima-se que acometa 17/100.000 indivíduos. Seus principais sintomas são rigidez, tremor de repouso, bradicinesia, postura em flexão de tronco, pescoço e membros, freezing e instabilidade postural. Atualmente, o diagnóstico da DP se dá quando aparecem os primeiros sintomas motores. Estes usualmente tem início na quinta década de vida. Recentemente diversos sintomas não-motores tem sido identificados nestes pacientes. Estes podem fazer parte da história natural da doença ou secundários a medicação. Dentre os transtornos mais importantes, estão aqueles relacionados a impulsividade como compras compulsivas, jogo/apostas compulsivas e hipersexualidade. O objetivo do presente estudo é avaliar alterações cerebrais relativas à impulsividade existentes nos pacientes com doença de Parkinson através de ressonância magnética funcional em estado de repouso. Para tanto serão selecionados pacientes com diagnóstico de Doença de Parkinson confirmado segundo critérios do banco de cérebro de Londres. Os indivíduos passarão por um exame neurológico e exame de ressonância magnética. Os dados obtidos nas avaliações serão armazenados para posterior análise estatística. (AU)

Taxonomia, sistemática e filogenia de Cnemidophorus (Squamata: Teiidae)

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Miguel Trefaut Urbano Rodrigues
Supervisor no exterior: Gregory B. Pauly
Local de pesquisa: Natural History Museum of Los Angeles County (Estados Unidos)
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Zoologia - Taxonomia dos Grupos Recentes
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Processo:13/12653-9
Vigência: 01 de setembro de 2013 - 28 de fevereiro de 2014
Assunto(s):FilogeniaMorfologia animalLagartos
Resumo
Até recentemente o gênero Cnemidophorus reunia um conjunto de espécies com ampla distribuição, ocorrendo desde a América Central, incluindo as Antilhas, até a Argentina. Estas espécies ocorrem nas áreas abertas da Amazônia, na Caatinga, no Cerrado, campos rupestres, restinga e inúmeras outras áreas transacionais entre biomas. Nestas áreas a riqueza de espécies e a abundância relativa de indivíduos são muito elevadas, tornando-os um dos componentes mais conspícuos das paisagens abertas da América do Sul cisandina. Recentemente o gênero foi separado em quatro gêneros monofiléticos: (1) Contomastix; (2) Aurivela; (3) Ameivula; e (4) Cnemidophorus, composto por espécies distribuídas da Amazônia para o norte, incluindo as ilhas do Caribe. Assim como Ameivula, este complexo apresenta muita variação morfológica e ontogenética, principalmente nos padrões de coloração, sugerindo que há várias espécies envolvidas sob o nome de Cnemidophorus lemniscatus. Dando sequência a meu trabalho de pós-doutorando, este estágio no exterior visa investigar o status taxonômico das populações de Cnemidophorus lemniscatus centro-americanas, das ilhas do Caribe e do norte da America do Sul. Os novos caracteres morfológicos obtidos (lepidose, esqueleto, hemipenis, coloração e morfometría), somar-se-ão aos obtidos no curso de meu pós-doutorado (tanto morfológicos como moleculares) para realizar uma análise filogenética robusta de todo o gênero. A coleção de lagartos da família Teiidae depositada no Natural History Museum of Los Angeles County é uma das mais diversas e completas do mundo, o que garanta o desenvolvimento do projeto. (AU)

Doença de Parkinson: possível envolvimento de receptores de cininas, purinas e de potencial transiente

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Luiz Roberto Giorgetti de Britto
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia Geral
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Processo:13/06044-0
Vigência: 01 de agosto de 2013 - 29 de fevereiro de 2016
Assunto(s):Doença de parkinson
Resumo
A Doença de Parkinson (DP) é uma doença neurodegenerativa que envolve a perda de neurônios na região nigro-estriatal, provocando efeitos como bradicinesia, acinesia, tremores de repouso, rigidez muscular, alterações da marcha e instabilidade postural, além de deficiências cognitivas mais tardias. Um modelo animal muito usado para estudar a DP é o modelo que induz a doença com a administração direta de 6-OH-dopamina (6-OHDA) no feixe prosencefálico medial ou no estriado, sendo esta droga responsável pela destruição de neurônios dopaminérgicos de forma seletiva. Há evidências de que alguns sistemas de comunicação celular podem modular o desenvolvimento da DP. Por exemplo, as cininas, que agem em receptores B1 e B2, que podem estar envolvidos com neuroproteção. Outro tipo de receptor que, pode estar envolvido na DP é o receptor purinérgico ativados por adenosina ou ATP (Receptor P1 e P2). Outros receptores que têm sido relacionados com neurodegeneração são os canais de potencial transiente (TRPs), que envolvem dezenas de tipos, como: TRPV, TRPM, TRPC, TRPML e TRPP. Levando em consideração os efeitos destes receptores em células do sistema nervoso, este trabalho tem como objetivo avaliar a expressão e o envolvimento deles na DP induzida por 6-OHDA em camundongos normais e nocautes para B1 e/ou B2. Além disso, agonistas/ antagonistas de receptores P1 e P2 e TRPs serão também usados para avaliar a questão. Na expectativa de que estes receptores estão envolvidos na DP, com ação protetora da doença. Para isso será utilizado técnicas como: imuno-histoquímica, western blot e PCR em tempo real. (AU)
238 resultado(s)
|
Exportar 0 registro(s) selecionado(s) | Limpar seleção
CDi/FAPESP - Centro de Documentação e Informação da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo

R. Pio XI, 1500 - Alto da Lapa - CEP 05468-901 - São Paulo/SP - Brasil
cdi@fapesp.br - Converse com a FAPESP