site da FAPESP
 

Refine sua pesquisa

Pesquisa
  • Uma ou mais palavras adicionais
Publicações científicas
Auxílios à Pesquisa
Bolsas
Programas voltados a Temas Específicos
Programas de Pesquisa direcionados à Aplicação
Programas de Infraestrutura de Pesquisa
Área do conhecimento
Situação
Ano de início
Página 11 de 331 resultado(s)
|

Estudo in vitro dos mecanismos de neurotoxicidade do organofosforado triclorfom: estratégias de neuroproteção

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Antonio Cardozo dos Santos
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Toxicologia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Processo:12/16319-3
Vigência: 01 de novembro de 2012 - 31 de julho de 2014
Assunto(s):NeurotoxicidadeInseticidas organofosforadosNeuroblastomaAmiloridaCálcio
Resumo
O praguicida triclorfom (dimethyl 2,2,2-trichloro-1-hydroxyethyl phosphonate) tem sido utilizado em larga escala na produção agrícola e também no controle de vetores transmissores de várias doenças, devido ao seu efeito inibidor da acetilcolinesterase (AChE) nos insetos. No entanto, a toxicidade deste organofosforado (OP) não se limita apenas aos insetos; efeitos irreversíveis podem ser induzidos nos seres humanos, como é o caso da Neuropatia Retardada Induzida por Organofosforados (NRIOP). Devido ao grande número de intoxicações por estes compostos, torna-se necessária a elucidação do mecanismo de degeneração celular irreversível que caracteriza a NRIOP. Sabe-se que após a intoxicação por um OP neuropático ocorre cerca de 70-80% de inibição e envelhecimento de uma esterase conhecida como esterase susceptível à neuropatia (ESNp), o que desencadeia uma série de eventos que levam à degeneração axonal do tipo Walleriana. Esta neuropatia se caracteriza por uma degeneração distal de axônios do sistema nervoso central e periférico, e ocorre 1 a 4 semanas após a exposição. Estudos anteriores associaram a NRIOP a um decréscimo no cálcio extracelular e aumento da atividade de proteases intracelulares cálcio-dependentes (calpaínas), o que sugere que após a inibição da ESNp ocorre influxo celular de cálcio. No entanto, o mecanismo e a sequência de eventos envolvidos no desenvolvimento da NRIOP permanecem indefinidos. Assim, este estudo tem como objetivo avaliar o mecanismo de toxicidade do triclorfom em modelo celular de neuroblastoma humano (SH-SY5Y), com foco nos eventos associados à entrada excessiva de cálcio na célula. Adicionalmente, serão também investigados os efeitos de compostos potencialmente capazes de interferir em algum ponto desta sequência de eventos, tais como o inibidor (III) de calpaínas MDL 28170 e o inibidor de canais de cálcio do tipo T, amilorida, como possíveis estratégias de proteção contra a NRIOP. Tais informações serão úteis no melhor entendimento destes mecanismos de neurotoxicidade dos OPs, bem como no desenvolvimento de futuras abordagens terapêuticas para a NRIOP. (AU)

Avaliação da atividade neural em modelo experimental de enterite necrótica aviária em frangos de corte submetidos ao estresse térmico

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:João Palermo Neto
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Patologia Animal
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:12/17536-8
Vigência: 01 de novembro de 2012 - 31 de julho de 2013
Assunto(s):NeuroimunomodulaçãoFrangos de corte
Resumo
A produção avícola destaca-se no cenário mundial da produção agrícola por sua alta produtividade e grande tecnificação. Para atingir os altos níveis produtivos observados, os animais são mantidos em condições estressantes, o que resulta em maior susceptibilidade a ocorrência de infecções, por exemplo por Clostridium perfringens (bacilo gram positivo, anaeróbio, formador de esporos e constituinte da microbiota intestinal de frangos de corte). Frente a desafios imunológicos e em situações de estresse, observa-se a produção de citocinas como a IL1 e o TNF. Entretanto, estas e outras citocinas, podem atuar no sistema nervoso central produzindo manifestações adversas, tanto na fase aguda como na fase crônica da reação inflamatória, conhecidas genericamente como comportamento doentio.Genes de ativação imediata são uma classe de genes expressos de forma rápida e transitória em diferentes áreas do SNC após um estímulo estressor. As proteínas originadas por sua ativação, como a proteína Fos, são ferramentas importantes utilizadas para mapear a atividade funcional do cérebro, por fazerem parte da resposta celular a estímulos ambientais e alterarem aspectos da fisiologia neuronal. O presente trabalho propõe avaliar a expressão de proteína Fos no encéfalo de frangos de corte expostos a estresse térmico em um modelo experimental de enterite necrótica causada por Clostridium prefringens, dando continuade à linha de pesquisa desenvolvida pelo Grupo de Neuroimunomodulação no Departamento de Patologia (VPT-FMVZ-USP). (AU)

Desenvolvimento de modelo genético-estatístico para a análise da interação genótipo e ambiente em estudos de genética associativa

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Antonio Augusto Franco Garcia
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitotecnia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Processo:12/13272-6
Vigência: 01 de outubro de 2012 - 28 de fevereiro de 2014
Assunto(s):Genética estatísticaGenética quantitativaEstresse hídricoMelhoramento genético vegetalSorgo
Resumo
O estresse hídrico é um dos principais fatores responsáveis pela redução da produção agrícola no mundo, com reflexos significativos na segurança alimentar. A tolerância à seca apresenta controle genético ainda pouco conhecido, porém sendo possível observar resposta diferencial em diferentes acessos de sorgo. A utilização do mapeamento associativo, principalmente aliado ao mapeamento de QTLs em populações estruturadas tem grande potencial na elucidação do controle genético deste caráter pelo estabelecimento de associações estatísticas entre marcadores moleculares de polimorfismo de base única (SNP - Single Nucleotide Polymorphism) e o fenótipo. No entanto, modelos genético-estatísticos visando à incorporação da interação entre genótipo e ambiente nos modelos associativos não foram desenvolvidos, o que restringe o uso prático das informações geradas no melhoramento genético. Dentre as principais vantagens dessa estratégia é a possibilidade de estudo da interação entre SNP e ambientes, permitindo a compreensão detalhada do controle genético, gerando informações valiosas à aplicação destes resultados em programas de seleção assistida por marcadores. Neste contexto, o presente trabalho tem por objetivo estudar o controle genético da tolerância à seca em um painel associativo de sorgo, incluindo, para tanto, o desenvolvimento de modelos adequados para o mapeamento de SNP considerando a interação entre genótipos e ambientes. O painel de sorgo consiste de 377 acessos que inicialmente foram genotipados com 1536 SNP e atualmente estão sendo genotipados por resequenciamento e avaliados para a tolerância à seca em condições de campos em dois ambientes. (AU)

Determinação de parâmetros de tolerância ao cádmio em tomateiro (Solanum lycopersicum L.)

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Ricardo Antunes de Azevedo
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Botânica - Fisiologia Vegetal
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Processo:12/03861-4
Vigência: 01 de setembro de 2012 - 31 de agosto de 2013
Vinculado ao auxílio:09/54676-0 - Estresse oxidativo induzido por metais: novas abordagens, AP.TEM
Assunto(s):CádmioMetais pesadosProdução agrícola
Resumo
O número de pesquisas sobre o efeito do Cádmio (Cd) em plantas cultivadas vem crescendo a cada ano, dada a relevância do impacto deste metal sobre a produção agrícola e também sobre a saúde humana. Atualmente, temos usado a cultivar miniatura de tomateiro cv Micro-Tom (Solanum lycopersicum L. cv MT) como planta modelo para estudos do efeito deste metal no metabolismo relacionado ao estresse oxidativo e outras respostas fisiológicas nas plantas. Contudo, ainda não existem trabalhos sobre o comportamento de diferentes acessos de tomateiro, que incluem cultivares comerciais, landraces e espécies selvagens, quanto à resposta de tolerância ao Cd. Neste projeto, propomos um estudo, cujo objetivo é avaliar e selecionar acessos de tomateiro, genética e morfologicamente contrastantes quanto à tolerância ao Cd. Com isso, será possível agrupar plantas que sejam mais tolerantes e mais sensíveis a este metal, para estudarmos as principais alterações metabólicas e fisiológicas resultantes da interação específica de cada genótipo com o fator estressante. Finalmente, o estudo integrado de tais respostas em diferentes acessos, nos proporcionará um melhor entendimento sobre os mecanismos gerais e específicos do tomateiro, quanto à tolerância ao Cd, estreitando a relação entre teoria e prática das pesquisas geradas até o momento com a cv modelo MT. Além disso, este trabalho deverá nortear outras pesquisas, dando suporte à seleção de parentais para gerar populações experimentais de mapeamento de QTLs, estudos de proteômica, fitorremediação, entre outros. (AU)

Pluviosidade e a produção de soja na vertente sul da bacia do Rio Paranapanema - Paraná - Brasil: estudo de caso dos territórios agrícolas

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Presidente Prudente. Presidente Prudente, SP, Brasil
Pesquisador responsável:João Lima Sant'Anna Neto
Supervisor no Exterior: Vincent Dubreuil
Local de pesquisa: Université Rennes 2, Saint Brieuc (França)
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Geociências - Geografia Física
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Mestrado
Processo:12/05302-2
Vigência: 25 de agosto de 2012 - 24 de fevereiro de 2013
Assunto(s):ClimatologiaChuvaManejo do soloProdução agrícolaSoja
Resumo
Este projeto visa a obtenção da bolsa de Estágio de Pesquisa no Exterior oferecido pela FAPESP (BEPE - Mestrado). Possui como objetivo central a busca por métodos que permitam a correlação entre a precipitação e a produtividade da soja como contribuição ao objetivo central da pesquisa regular em curso no Brasil. Em primeiro lugar, partimos da premissa de que o clima não é apenas uma variável que marca o ritmo habitual do tempo, mas um fenômeno natural produzido pelo Sol-Terra-Atmosfera com grande influência nas atividades humanas, especialmente na agricultura. Com isso, é necessário encontrar novas abordagens para criar séries de dados que permitam a correlação estatística entre a precipitação e a produtividade da soja, sobretudo no que tange a aprendizagem das técnicas de teledetecção para a análise desta relação. Além disso, pretende-se compreende as estratégias cuja França vem aplicando para reduzir os efeitos negativos da chuva sobre os rendimentos agrícolas, com pretensões de se realizar um comparativo junto a nossa área de estudo. (AU)

Potencial energético, extração de nutrientes e fixação de carbono da biomassa de mandioca

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto Agronômico (IAC). Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA). Secretaria de Agricultura e Abastecimento (São Paulo - Estado). Campinas, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Teresa Losada Valle
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitotecnia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Processo:11/20886-8
Vigência: 01 de agosto de 2012 - 31 de janeiro de 2015
Assunto(s):Biomassa
Resumo
A necessidade de redução das emissões de gases de efeito estufa e a demanda mundial por energia limpa vêm fomentando novas discussões sobre outras fontes de energia. Dentre essas, a energia de biomassa é das mais promissoras. Sua utilização, porém está aquém de seu potencial por uma série de limitações científicas, tecnológicas e econômicas há pouco tempo cogitadas. Nesse contexto, outras matérias-primas vegetais vêm sendo analisadas como novas alternativas. Embora no Brasil pouca atenção venha sendo dada para a cultura da mandioca como produtora de energia, expressivos investimentos vêm sendo realizados em países da África e China, com a implantação de usinas produtoras de álcool já em funcionamento. Sua adaptação aos diversos ambientes tropicais coloca-a em evidência em relação a outras culturas, principalmente em solos de baixa fertilidade e regiões com restrições pluviométricas. Os objetivos deste trabalho são: a) avaliar o potencial para a produção de etanol a partir das raízes tuberosas da mandioca, b) quantificar a energia térmica produzida pela biomassa residual (parte aérea e cepas). 3) quantificar a extração de nutrientes pela biomassa e a fixação de carbono; 4) realizar estudo comparativo, sob o ponto de vista técnico e econômico entre mandioca e cana-de-açúcar. Cinco variedades de mandioca serão avaliadas em diferentes densidades populacionais e épocas de colheita (precoce aos 12 meses e tardia aos 22 meses após o plantio). A alteração no acúmulo e partição de assimilados entre a parte aérea e as raízes tuberosas, decorrente das variáveis propostas, pode sugerir novas alternativas de manejo para a produção de energia. A extração de nutrientes e fixação de carbono fornecerão elementos para o manejo ecológico e sustentável das lavouras. Os conhecimentos gerados podem refletir tanto na tecnologia de produção agrícola, como também nos processos industriais otimizando o balanço energético com aproveitamento da biomassa residual. (AU)

Efeito de doses de nitrogênio em cobertura e número de plantas por cova na produção de abóbora (Cucurbita moschata)

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências Agronômicas (FCA). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Antônio Ismael Inácio Cardoso
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitotecnia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:12/04667-7
Vigência: 01 de agosto de 2012 - 31 de julho de 2013
Assunto(s):AdubaçãoDensidade do soloAbóboraProdução agrícola
Resumo
Este trabalho terá como objetivo avaliar a influência das doses de nitrogênio em cobertura e o número de plantas por cova na produção de abóbora. O experimento será conduzido na Fazenda Experimental São Manuel, pertencente à Faculdade de Ciências Agronômicas-Campus de Botucatu-UNESP. Será estudado o híbrido Miriam, em um experimento com dez tratamentos e quatro repetições, no delineamento em blocos ao acaso, sendo avaliadas as seguintes doses: 0; 63; 125; 188 e 240 kg ha-1 de nitrogênio em adubação de cobertura e o número de plantas por cova (1 e 2), caracterizando o esquema fatorial 5x2. Será utilizada a ureia como fonte de nitrogênio. Serão avaliados o número de folhas por planta; produção de massa fresca e seca da parte aérea, diâmetro e comprimento dos frutos; número e peso dos frutos por planta, produção por hectare e teores de macronutrientes nas plantas no final do ciclo. Os dados serão submetidos a análise de variância e, quando necessário, análise de regressão. (AU)

Potencial energético, extração de nutrientes e fixação de carbono da biomassa de mandioca

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto Agronômico (IAC). Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA). Secretaria de Agricultura e Abastecimento (São Paulo - Estado). Campinas, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Teresa Losada Valle
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitotecnia
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:11/20885-1
Vigência: 01 de julho de 2012 - 31 de dezembro de 2014
Assunto(s):Fontes alternativas de energiaEnergia de biomassaMandiocaBiocombustíveisFotossíntese
Resumo
A necessidade de redução das emissões de gases de efeito estufa e a demanda mundial por energia limpa vêm fomentando novas discussões sobre outras fontes de energia. Dentre essas, a energia de biomassa é das mais promissoras. Sua utilização, porém está aquém de seu potencial por uma série de limitações científicas, tecnológicas e econômicas há pouco tempo cogitadas. Nesse contexto, outras matérias-primas vegetais vêm sendo analisadas como novas alternativas. Embora no Brasil pouca atenção venha sendo dada para a cultura da mandioca como produtora de energia, expressivos investimentos vêm sendo realizados em países da África e China, com a implantação de usinas produtoras de álcool já em funcionamento. Sua adaptação aos diversos ambientes tropicais coloca-a em evidência em relação a outras culturas, principalmente em solos de baixa fertilidade e regiões com restrições pluviométricas. Os objetivos deste trabalho são: a) avaliar o potencial para a produção de etanol a partir das raízes tuberosas da mandioca, b) quantificar a energia térmica produzida pela biomassa residual (parte aérea e cepas). 3) quantificar a extração de nutrientes pela biomassa e a fixação de carbono; 4) realizar estudo comparativo, sob o ponto de vista técnico e econômico entre mandioca e cana-de-açúcar. Cinco variedades de mandioca serão avaliadas em diferentes densidades populacionais e épocas de colheita (precoce aos 12 meses e tardia aos 22 meses após o plantio). A alteração no acúmulo e partição de assimilados entre a parte aérea e as raízes tuberosas, decorrente das variáveis propostas, pode sugerir novas alternativas de manejo para a produção de energia. A extração de nutrientes e fixação de carbono fornecerão elementos para o manejo ecológico e sustentável das lavouras. Os conhecimentos gerados podem refletir tanto na tecnologia de produção agrícola, como também nos processos industriais otimizando o balanço energético com aproveitamento da biomassa residual. (AU)

Determinação de fatores de emissão de gases do efeito estufa da fase agrícola da produção de soja no Brasil: bases para elaboração de inventário em nível de propriedade agrícola

Beneficiário:
Pesquisador responsável:Cindy Silva Moreira
Empresa:Delta CO2 Assessoria e Consultoria Técnico Sustentabilidade Ambiental Ltda (DeltaCO2)
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE
Processo:12/50134-0
Vigência: 01 de julho de 2012 - 31 de dezembro de 2014
Assunto(s):Produção agrícolaSojaEfeito estufaFluxo dos gases
Resumo
O mercado europeu definiu pela Diretiva Européia 2009, limites máximos de emissão de gases do efeito estufa (GEE) para pegada de carbono ("carbonfootprint") do biodiesel. As emissões de GEE associadas ao ciclo de vida do bioesel devem ser 35% menores do que aquelas do diesel. O cálculo europeu indica que o biodiesel de soja produzido no Brasil evita apenas 31% das emissões relativas ao diesel e, portanto, são impróprias para a importação. O inventário elaborado pela Delta CO2 evidencia que mais de 60% da pegada de carbono desse biodiesel advêm das atividades agrícolas. Dentre as emissões no campo, mais da metade são oriundas das emissões de N2O produzido durante a decomposição dos resíduos de colheita da soja depositados no solo. Contudo, esses resultados das emissões da fase agrícola foram obtidos a partir de fatores de emissão "default" e que muito provavelmente não refletem as especificidades do cultivo da soja no Brasil. Uma provável causa desse elevado valor obtido pelos europeus, deve estar relacionada a um default de emissão de N2O calculado por vias indiretas ocasionando uma propagação de erros associada a uma elevada incerteza. Esta pesquisa visa viabilizar a importação do biodiesel produzido no Brasil pelo mercado europeu, através da elaboração de um inventário geral das emissões de GEE com dados reais de experimentos de campo e analises em laboratório, gerando assim menor propagação de erros e reduzida incerteza. Para tanto, serão realizadas as seguintes atividades de pesquisa: I) quantificação da mudança dos estoques de C do solo em 20 propriedades, totalizando 11.420 amostras para determinação dos teores de C e 2.400 para densidade; II) quantificação das emissões de N2O devido à decomposição dos resíduos da colheita da soja (60 câmaras no campo, 9.920 determinações); III) inventário de emissões de GEE da etapa agrícola de produção da soja e IV) estratégias de mitigação e monitoramento das emissões de GEE. É nossa expectativa que os resultados globais desta pesquisa sejam publicados em revistas indexadas, aumentando a credibilidade do novo inventário, viabilizando assim a comercialização no exterior do biodiesel produzido no Brasil. Porém, serão divulgados apenas os resultados de duas regiões (SP e MT), mas ressaltando a necessidade que sejam feitos inventários em nível de propriedade rural. Esses inventários poderão ser feitos de 2 formas: I) utilizando as equações derivadas da modelagem matemática feitas Com os resultados desta pesquisa (de propriedade intelectual da Delta CO2) pelo qual o cliente obterá um selo de cor amarela ou II) com dados de emissão de GEE obtidos diretamente na propriedade rural obtendo, por parte da Delta CO2, um certificado selo de cor verde (de melhor qualidade do que o amarelo). Adicionalmente, os recursos advindos do projeto PIPE possibilitarão que a Delta CO2 possa comercializar suas tecnologias de produção de pegada de carbono customizada para associações produtoras, empresas do setor público e privado relacionados a outras commodities, tais como: etanol, suco de laranja, carne de frango, bovina, suína, café entre outras. (AU)

Crítica à economia política do desenvolvimento e do espaço

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Anselmo Alfredo
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Geografia - Geografia Humana
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Livros no Brasil
Processo:12/04732-3
Vigência: 01 de junho de 2012 - 30 de novembro de 2013
Assunto(s):Revolução IndustrialGeografia econômica
Resumo
RESUMO Crítica à Economia Política do Desenvolvimento e do Espaço aborda a compreensão crítica da modernização sob a perspectiva do capitalismo periférico. Nesse sentido, a análise se coloca seguindo o argumento de que a modernização se faz numa divisão entre centro e periferia, que se efetiva sob as determinações modernas da simultaneidade. Isto implica dizer que centro e periferia são polos contraditórios de uma só unidade, ou seja, não se constituem como formas sociais de ser do capital que resguardam um desnível temporal, ao contrário, a formação do centro é imediatamente a formação de sua periferia que, contudo, aparece como atrasada em relação ao centro. Tal simultaneidade, negatividade da distinção temporal, é o espaço enquanto método de análise. Se o tempo é a forma de aparência do espaço, enquanto forma de ser do real e método a adequar-se a esta compreensão temporal da modernização é a forma fetichista de consciência do processo capital. A explanação desta questão metodológica é o que se faz como conteúdo da introdução.A partir daí deriva-se para a forma de pensamento científico que este fetichismo temporal teria constituído na periferia do sistema capitalismo, no que diz respeito à sociologia, à geografia e à economia, especialmente nos anos 30 e 50, pois que constituem o prelúdio da modernização industrial no Brasil. A crítica reconhece a formação de um pensamento que almeja a industrialização e as categorias do capital compondo os termos de uma leitura desenvolvimentista sobre o Brasil e de uma economia política e não uma crítica a esta. Sob a compreensão da simultaneidade, entretanto, observa-se que a periferia é nem mais, nem menos moderna que o centro, mas se constitui numa forma negativa de ser do capital, sendo o negativo e o positivo, a totalidade contraditória do capital. Se a economia e outras ciências esperavam a industrialização brasileira como superação das contradições do capital, não observaram que a sua realidade agrária foi forma de ser da industrialização pois é o tempo social médio mundial, determinado pela industrialização que definia a forma de ser desta como produção agrícola na periferia. Ou seja, negativamente a industrialização na periferia era uma simultaneidade em relação à do centro.Para isso, analisam-se dados da industrialização de São Paulo dos anos 30, composta, tal análise, com dados também originais da economia Norte Americana do pós II Guerra Mundial, de modo que se expressa a assim chamada industrialização de São Paulo resultada da crise de superprodução do capitalismo Norte Americano, de modo que a expectativa de industrialização nacional brasileira, posta sob o tempo, não observava que centro e periferia eram já uma simultaneidade da crise. Isto é o que compõe o segundo momento do livro.Diante desta forma particular de ser da contradição centro periferia, observa-se que a cisão campo cidade no oeste paulista dos anos 50, pós crise do café, é a formação de núcleos urbanos para dinamizar um trabalho familiar no campo. Isto constitui os aspectos simultâneos, em relação ao centro, de uma industrialização mundial que, na periferia, se faz como o que chamo de industrialização negativa. Tais aspectos também são fundados em pesquisa empírica original, sobre o loteamento das antigas fazendas de café no oeste paulista, que se realizou na documentação da Companhia Agrícola de Colonização (CAIC). Tal conteúdo compõe o terceiro e último momento do livro. (AU)
Página 11 de 331 resultado(s)
|
Exportar 0 registro(s) selecionado(s) | Limpar seleção
CDi/FAPESP - Centro de Documentação e Informação da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo

R. Pio XI, 1500 - Alto da Lapa - CEP 05468-901 - São Paulo/SP - Brasil
cdi@fapesp.br - Converse com a FAPESP