site da FAPESP
 

Refine sua pesquisa

Pesquisa
  • Uma ou mais palavras adicionais
Publicações científicas
Auxílios à Pesquisa
Bolsas
Programas voltados a Temas Específicos
Programas de Pesquisa direcionados à Aplicação
Programas de Infraestrutura de Pesquisa
Área do conhecimento
Situação
Ano de início
Página 11 de 286 resultado(s)
|

Estudo químico e espectroscópico da dinâmica da vermicompostagem de resíduos agroindustriais para manejo sustentável em agricultura orgânica

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Química de São Carlos (IQSC). Universidade de São Paulo (USP). São Carlos, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Maria Olimpia de Oliveira Rezende
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Analítica
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Processo:11/13294-7
Vigência: 01 de outubro de 2011 - 30 de setembro de 2015
Assunto(s):SustentabilidadeVermicompostagem
Resumo
O uso de alguns resíduos já é contemplado na legislação, como é o caso do lodo de esgoto tratado. No entanto, são, ainda, raros os estudos que avaliam o solo após a adição dos resíduos. Para que se tenha segurança agronômica quando da utilização de resíduos é necessário que se conheçam os mecanismos de incorporação, mineralização e liberação de nutrientes, ou seja, a dinâmica da matéria orgânica no solo. Neste projeto serão utilizados os resíduos agroindustriais bagaço de laranja e torta de filtro misturados a esterco bovino. Para avaliação das propriedades fertilizantes desses resíduos após estabilização será estudado o sistema solo-planta. Para tanto o crescimento de Ocimum basilicum L. será acompanhado em solo arenoso. Há necessidade de se estabelecer uma norma regulamentar específica para as condições de clima e solos do Brasil, visando a garantir que o uso dos resíduos orgânicos seja realmente benéfico e ambientalmente seguro, pois o uso de resíduos orgânicos nos solos com fim de produção agrícola de forma não criteriosa pode acarretar prejuízos ao sistema solo-planta-atmosfera. Com os resultados obtidos ao longo do desenvolvimento deste projeto, espera-se fornecer subsídios para as legislações de fertilizantes orgânicos, acerca da normatização do uso agrícola de resíduos agroindustriais, nas condições de solo e clima do Brasil. Em adição, avaliar a influência dos vermicompostos na planta cultivada (Ocimum basilicum L.) quanto ao crescimento, teor de macro e micronutrientes no tecido vegetal e produção de óleo essencial, ou seja, estudar o sistema solo-planta após adição dos resíduos estabilizados. (AU)

Capitalismo cognitivo e a dinâmica da pequena produção agrícola "alternativa" no contexto "local" de Araraquara - o caso do SAI - Sistema Agroindustrial Integrado do SEBRAE/SP

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências e Letras (FCL). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Ricardo Luiz Sapia de Campos
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Sociologia - Sociologia Rural
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Processo:11/18825-0
Vigência: 01 de outubro de 2011 - 30 de setembro de 2012
Assunto(s):Agricultura alternativaDesenvolvimento regionalSociologia do conhecimento
Resumo
Plano de Atividades para Bolsa de TT - Treinamento TécnicoOs bolsistas acompanharam todas as fases de desenvolvimento do projeto de pesquisa, participando ativamente no grupo de estudos e discussões ainda que responsáveis e com a incumbência da realização de entrevistas, e preparação destas, bem como eventuais transcrições etc., e principalmente na aplicação de questionários de pesquisa.Os objetivos e resultados esperados com o desenvolvimento do trabalho dos bolsistas visam por um lado à produção de material, banco de dados, informações e indicadores de produção. Todo resultado deverá ser produzido tendo em vista o levantamento estatístico e as informações em geral que servirão à realização do projeto maior em que estarão envolvidos os vários pesquisadores de diferentes níveis e formação. Deve também, contribuir com a formação técnica e acadêmica dos bolsistas. Proporemos primeiramente trabalho a ser realizado dentro do grupo de estudo, quando passaremos a orientar os bolsistas (também aqueles de IC) para o mapeamento do "território" (local - campo) a ser investigado. Esta primeira imersão "prática" por parte dos bolsistas visa facilitar ou provocar o rápido conhecimento do local (meio social) com o qual trabalharão.Após este primeiro contato, e concomitante as discussões propostas no interior do grupo de estudo, elaboraremos (com a participação dos bolsistas) questionário a ser aplicado, e que contemplará questões fechadas e abertas.Portanto, em termos de planejamento do trabalho a ser realizado pelos bolsistas pode-se considerar três períodos: um primeiro deles mais voltado para a preparação dos pesquisadores e do questionário; um segundo período da aplicação dos questionários e coleta de material e informações; e um terceiro e último período de finalização dos resultados obtidos para o projeto maior, e que também os bolsistas considerados individualmente apresentaram seus relatórios, que demonstraram os resultados que seguramente avaliaram os seus trabalhos.As bolsas são importantes e imprescindíveis uma vez que o projeto exige um amplo e completo levantamento de dados extraídos principalmente por meio da aplicação de questionário, que demandará trabalho que é técnico - aplicação dos questionários - e ao mesmo tempo acadêmico exigindo envolvimento interpretativo de dados e informações. (AU)

A fronteira agrícola centro-norte brasileira: regionalizacao,mobilidade de trabalho, modernização, propriedade da terra e processo de urbanização

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Geociências (IG). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Vicente Eudes Lemos Alves
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Geografia
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:11/50606-7
Vigência: 01 de setembro de 2011 - 31 de agosto de 2013
Assunto(s):UrbanizaçãoFronteira agrícolaMigração humanaRegionalizaçãoModernização da agricultura
Resumo
Propõe-se com o presente projeto de pesquisa investigar a dinâmica territorial na hinterlândia brasileira, especialmente a fronteira agrícola do centro-norte do país. Esta região em formação vem adquirindo, nas últimas décadas, uma nova dinâmica sócio-espacial que se origina do crescimento da produção agrícola moderna, mas também da instalação de indústrias, de comércio e de serviços variados. As mudanças indicam que tanto as áreas rurais quanto as urbanas assumem novos conteúdos espaciais, econômicos e demográficos, que resultam da presença de agricultores modernos e de empresas hegemônicas, assim como, de uma legião de trabalhadores empobrecidos em busca de uma ocupação. Além disso, nos últimos anos vem se verificando a presença de agentes estrangeiros (dentre eles representantes de Estados nacionais) interessados na aquisição de terras para produção agrícola. Estes fatores atribuem à fronteira agrícola do centro-norte brasileiro uma significativa diversidade trazendo novos desafios para análise de sua geografia. O fato da ocupação do país ter ocorrido do litoral para o interior, e de tal processo ainda não ter se completado na sua totalidade, produziu arranjos espaciais distintos, uns mais consolidados e outros ainda em formação. Interessa-nos especialmente esses últimos, que apresentam grande dinamismo de transformações espaciais. Propõe-se, dessa forma, estudar a formação e a organização atual da fronteira agrícola brasileira, correspondendo especialmente à extensão territorial de cobertura de cerrados dos estados da Bahia, Maranhão, Piauí e Tocantins. Temos como hipótese principal que este novo espaço de interesse do capital, recentemente denominado por Júlia Adão Bernardes (2009) de BAMAPITO, poderá se configurar numa nova regionalização do território brasileiro. (AU)

Potecial anti-fitopatogenico de diterpenos de plantas

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Suraia Said
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitossanidade
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:11/08684-0
Vigência: 01 de setembro de 2011 - 31 de agosto de 2013
Assunto(s):FitopatógenosControle de pragasDiterpenos
Resumo
A produção agrícola mundial apresenta problemas fitossanitários, causados por fitopatógenos incluindo fungos. A utilização de produtos químicos controla as doenças causadas por estes microrganismos, mas comprometem o meio ambiente. O objetivo geral do presente projeto é testar diferentes diterpenos vegetais, para determinar se eles inibem ou impedem o crescimento de alguns fungos, que infectam e prejudicam vários produtos agrícolas de interesse assim como determinar o mecanismo de ação deles nos fungos. Objetivos específicos: 1) Selecionar os diterpenos, já isolados e identificados e outros que estão sendo isolados, que apresentarem atividade contra vários fungos fitopatógenos tais como: Fusarium oxysporum (tomate, pimenta-do-reino), Fusarium verticillioides (milho), Alternaria alternata (tomate), Botrytis cinerea (uva, morango, tomate, soja etc), Colletotrichum gloeosporioides (causador da antracnose em várias frutas). 2) Identificar outros diterpenos de outras plantas e investigar seu potencial anti-fitopatogênico 3) Determinar os mecanismos de ação dos compostos, que apresentarem atividade anti-fitopatogênica, através da análise morfológicas de suas hifas, da inibição da germinação e da divisão nuclear ou ainda por alterações em suas membranas que modificam o gradiente de íons como cálcio. (AU)

Material particulado em suspensão em rios de primeira ordem que drenam agroecossistemas com cana-de-açúcar

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Centro de Energia Nuclear na Agricultura (CENA). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Luiz Antonio Martinelli
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia - Ecologia de Ecossistemas
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:11/09363-3
Vigência: 01 de setembro de 2011 - 31 de agosto de 2012
Assunto(s):CarbonoMaterial particulado
Resumo
No atual cenário mundial de busca por fontes alternativas de energia renovável, insere-se o etanol, produzido a partir da cana-de-açúcar. O Brasil é um dos maiores produtores de etanol, com perspectiva de expansão das áreas de cultivo de cana-de-açúcar. Desta forma, torna-se imprescindível a minimização dos impactos ambientais decorrentes da produção agrícola. A erosão do solo é um dos principais impactos ambientais causados pela produção agrícola e pode ser avaliada a partir de análises do material particulado em suspensão nos corpos hídricos, o qual, por sua vez é influenciado por fatores como o uso da terra, topografia e precipitação. Dentro deste contexto, o presente trabalho tem como objetivo avaliar o impacto da erosão mecânica dos solos agrícolas em rios de primeira ordem que drenam agroecossistemas com cana-de-açúcar, correlacionando-o com as práticas agrícolas e o papel exercido pela vegetação ripária. Para tanto, será realizado um estudo do transporte e da composição isotópica do carbono (d13C) do material particulado em suspensão nos rios. Foram selecionadas quatro microbacias com predomínio de cobertura de cana-de-açúcar, considerando-se ainda a presença/ausência das áreas de preservação permanente (APP) como também diferenças entre áreas com cobertura de cana-de-açúcar atualmente cultivadas e áreas de cultivo abandonado. Serão coletadas amostras mensais no decorrer de um ano, analisando-se a concentração do material particulado em suspensão, com a distinção da fração grossa e a fração fina. Também serão analisados os teores de C total e d13C, utilizando-se um analisador elementar (Carlo Erba modelo EA 1110), acoplado a espectrometria de massa. (AU)

Pesquisa e desenvolvimento em produção de álcool e mudanças climáticas globais

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Geociências (IG). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Pesquisador responsável:André Tosi Furtado
Área do conhecimento:Interdisciplinar
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Processo:11/12583-5
Vigência: 01 de setembro de 2011 - 30 de novembro de 2014
Convênio/Acordo de cooperação com a FAPESP: CNPq - Temáticos - Pronex
Assunto(s):EtanolÁlcoolMudança climáticaInovações tecnológicas
Resumo
O dinamismo do sistema setorial de inovação constituído em torno da agroindústria do açúcar e álcool será decisivo para garantir as metas de expansão da produção de etanol dentro de um contexto de adaptação às mudanças climáticas. Entre os grandes desafios colocados para esse sistema de inovação está a questão do deslocamento da cultura da cana para as regiões Centro e Norte do País. A adaptação da agricultura às novas condições climáticas será vital para que o Brasil possa manter sua posição atual de grande produtor e exportador de produtos agrícolas e, no caso específico do etanol, atender às demandas projetadas para o futuro. Políticas deverão ser empreendidas desde logo para garantir os resultados almejados em termos de produtividade. Os custos dessas ações terão que ser cotejados com os possíveis benefícios advindos dessas políticas. Segundo o IPCC, estimativas consistentes de custos e benefícios de medidas adaptativas ainda são pouco conhecidas e são fundamentais neste Projeto. Entre as medidas adaptativas contempladas cita-se: i) Adequação das datas de plantio e das variedades vegetais; ii) Realocação espacial das culturas; iii) Melhora do manejo agrícola; e iv) Prevenção da erosão por meio da silvicultura. O objetivo principal, nesse caso, é avaliar como a tecnologia e a inovação podem contribuir para a adaptação da agricultura brasileira ao novo contexto climático que se afigura no atual século. Os objetivos associados são os seguintes: i) Estimar quais os possíveis custos e benefícios da mudança tecnológica para reduzir os impactos negativos dos cenários do IPCC na produção agrícola brasileira de culturas selecionadas; ii) Elaborar políticas de ciência, tecnologia e inovação que sustentarão essas mudanças tecnológicas. O Projeto deve contribuir para o maior conhecimento de como a variável tecnológica pode influir na definição dos impactos produtivos e socioeconômicos das mudanças climáticas no desempenho da agricultura brasileira. A tecnologia pode piorar ou melhorar o impacto das mudanças climáticas sobre a sociedade e a economia. Esses conhecimentos serão úteis para a construção de cenários para a agricultura. (AU)

Nanopartículas poliméricas como sistema de liberação de herbicidas: preparo, caracterização, interação com substâncias húmicas e avaliação da atividade biológica

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus Experimental de Sorocaba. Sorocaba, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Leonardo Fernandes Fraceto
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Química de Macromoléculas
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Processo:11/01872-6
Vigência: 01 de agosto de 2011 - 31 de julho de 2014
Assunto(s):PesticidasQuímica ambientalSubstâncias húmicas
Resumo
Os sistemas de produção agrícola empregam grandes quantidades de agrotóxicos, visando aumentar a quantidade e a qualidade dos produtos agrícolas. O Brasil tornou-se um dos maiores consumidores desses defensivos no mundo e, embora possuam uma função importante na produtividade agrícola, os agroquímicos estão presentes em quantidades alarmantes em corpos hídricos superficiais e subterrâneos. Embora possuam uma importante função na produtividade agrícola através de minimização da atuação de pragas, alguns agroquímicos podem gerar sérios impactos ambientais. Neste contexto, diversos mecanismos estão sendo estudados a fim de minimizar estes danos, como exemplo, o desenvolvimento de sistemas de liberação modificado, utilizando polímeros biodegradáveis, no qual permite um aumento no desempenho/eficiência do produto. Porém estudos indicam que as substâncias húmicas presentes no solo podem interagir com herbicidas e conseguem mudar o destino destas substâncias no ambiente. Portanto, o presente projeto visa o desenvolvimento de novos sistemas de liberação modificada para dois herbicidas mundialmente utilizados, a atrazina e o paraquat visando a minimização de impactos causados por estes no ambiente, aumentando da eficiência herbicida e levando a diminuição de processos de degradação físico-químicos. No presente projeto, além do desenvolvimento de novas formulações para liberação de herbicidas, pretende-se estudar também a interação destes compostos com a matéria orgânica (MO) presente no solo (na forma de substâncias húmicas), a fim de verificar a influência da MO no mecanismo de liberação dos herbicidas e atividade herbicida. A importância deste projeto reside na dimensão que o mercado de herbicidas representa na economia Brasileira e no mundo. O mercado brasileiro é um dos maiores do mundo, representando 16% do consumo mundial com mais de 100 empresas aptas a registrar produtos na área de agroquímicos. Desta forma, a área de agroquímicos apresenta um grande campo de pesquisas e desenvolvimento de novas tecnologias que possam ser menos impactantes ao ambiente e por consequência à sociedade. (AU)

Desenvolvimento de polímeros molecularmente impressos e seu uso para o preparo de amostras e análise de triazinas e sulfoniluréias em milho utilizando cromatografia líquida de alta eficiência (HPLC)

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Química de São Carlos (IQSC). Universidade de São Paulo (USP). São Carlos, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Fernando Mauro Lanças
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Analítica
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Processo:11/09898-4
Vigência: 01 de agosto de 2011 - 31 de julho de 2015
Assunto(s):HerbicidasCromatografia líquida
Resumo
O milho é um produto agrícola relevante para o Brasil, em função de sua grande produção e ampla utilização. A partir da metade do século XX, ocorreram desenvolvimentos na produtividade e na qualidade do milho. Devido ao crescente desenvolvimento na produção agrícola, aumentou-se a aplicação de herbicidas nas lavouras, dentre eles as triazinas e as sulfoniluréias, que podem causar sérios riscos à saúde humana e ao meio ambiente. A técnica mais utilizada para a separação e análise desses compostos é a cromatografia líquida de alta eficiência (HPLC). Todavia, antes da etapa analítica é indispensável o preparo das amostras. A busca por técnicas simples, de baixo custo e menores riscos de contaminações ambientais e ocupacionais por solventes, tem grande predominância na área da química analítica. Dentre elas podemos destacar a extração por sorção em barra de agitação (SBSE) e a microextração em dispositivos preenchidos com sorvente (MEPS), que proporcionam aos métodos uma maior sensibilidade. Outro aspecto desejado no preparo de amostras é a obtenção de uma maior seletividade quanto ao sorvente utilizado, quando comparado àqueles convencionais como, por exemplo, sílica modificada (ex. C18), resinas Amberlite XAD, entre outros. Nesse âmbito, merece destaque o conceito de tecnologia de impressão química, em especial os polímeros impressos com moléculas (MIP, do inglês Molecularly Imprinted Polymers). Dessa forma, esse projeto tem como objetivo principal o desenvolvimento de polímeros, dispositivos e estratégias modernas de preparo de amostras com base em MIP seletivos aos herbicidas triazínicos e sulfoniluréias, e posterior análise por HPLC, com aplicação inicial em amostras de milho. (AU)

Parcelamento do nitrogênio no feijoeiro em sucessão a milho e braquiária no plantio direto

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias (FCAV). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Jaboticabal. Jaboticabal, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Leandro Borges Lemos
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitotecnia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Processo:11/07840-9
Vigência: 01 de agosto de 2011 - 31 de julho de 2014
Assunto(s):Adubação nitrogenadaBrachiariaPhaseolus vulgaris
Resumo
No Brasil o feijão é cultivado numa grande diversidade de agroecosistemas e dentre as tecnologias empregadas no processo produtivo a adubação nitrogenada é a que mais desperta atenção das pesquisas atuais. O objetivo geral é avaliar os efeitos da adubação nitrogenada no feijoeiro em sucessão ao milho e braquiária no plantio direto. O delineamento experimental utilizado será blocos casualizados no esquema de parcelas subdivididas, com 4 repetições. As parcelas serão representadas por 3 sistemas de produção agrícolas, com as culturas de milho (solteiro), milho consorciado com braquiária e braquiária (solteira), todos em sucessão com o feijoeiro. As subparcelas serão formadas por dez parcelamentos da adubação nitrogenada, na dose 90 kg ha-1 em cobertura (ureia), fornecida uma única vez e em três estádios fenológicos da cultura do feijoeiro (V3 - presença do primeiro trifólio, V4 - presença do terceiro trifólio e R5 - pré-florescimento). No feijoeiro será avaliado o teor de nitrogênio foliar, massa seca da parte aérea, componentes da produção, produtividade de grãos, eficiência agronômica, bem como as características nutricionais e tecnológicas dos grãos. Na cultura do milho serão avaliadas características agronômicas e nutricionais. No milho (solteiro e consorciado com braquiária) e na braquiária será avaliado a cobertura do solo, produção média de massa seca, além do teor e acúmulo de nitrogênio na parte aérea. Os dados serão submetidos ao teste F utilizando-se a análise de variância. As médias serão comparadas pelo teste de agrupamento de Scott & Knott. A capacidade de hidratação dos grãos de feijão será estudada por meio de regressão polinomial. (AU)

Caracterização de leveduras isoladas de áreas agrícolas como promotoras de crescimento vegetal e na interação com fungos micorrízicos e rizobactérias

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Centro de Ciências Agrárias (CCA). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). Araras, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Márcia Maria Rosa Magri
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia - Biologia e Fisiologia dos Microorganismos
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:11/02322-0
Vigência: 01 de julho de 2011 - 31 de dezembro de 2013
Assunto(s):Microbiologia do soloEcossistemas agrícolasLevedurasCrescimento vegetal
Resumo
O solo é um ecossistema extremamente complexo e com alta biodiversidade microbiana, ainda bastante desconhecida. Estudos sobre a função dos micro-organismos presentes no solo indicam a presença de espécies benéficas para o desenvolvimento vegetal, grupo conhecido como micro-organismos promotores de crescimento vegetal. Dentre esses podemos destacar as rizobactérias e os fungos micorrízicos. As leveduras também habitam o solo, porém em número inferior às bactérias e fungos filamentosos; devido a este fato, pouco é conhecido sobre sua função neste ecossistema. Resultados preliminares com leveduras epífitas e rizosféricas de cana de açúcar e milho, indicaram que algumas linhagens são capazes de produzir ácido indol acético (AIA), um tipo de auxina capaz de promover o crescimento vegetal, além de solubilizarem fosfato in vitro. Considerando estes aspectos, o projeto tem como finalidade a avaliação do potencial das leveduras como promotoras de crescimento vegetal através da produção de AIA e solubilização de minerais, além da análise de possíveis interações entre essas linhagens e fungos micorrízicos e rizobactérias. O projeto prevê a realização de experimentos in vitro e in vivo para a avaliação global do potencial dos micro-organismos, com a análise de sua competência, permanência no solo e colonização de raízes. Com a realização deste trabalho espera-se contribuir para o conhecimento das leveduras e suas funções no solo, com o objetivo de desenvolver tecnologias para a aplicação em agroecossistemas visando uma produção agrícola mais sustentável. (AU)
Página 11 de 286 resultado(s)
|
Exportar 0 registro(s) selecionado(s) | Limpar seleção
CDi/FAPESP - Centro de Documentação e Informação da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo

R. Pio XI, 1500 - Alto da Lapa - CEP 05468-901 - São Paulo/SP - Brasil
cdi@fapesp.br - Converse com a FAPESP