site da FAPESP
 

Refine sua pesquisa

Pesquisa
  • Uma ou mais palavras adicionais
Publicações científicas
Bolsas
Programas de Infraestrutura de Pesquisa
Área do conhecimento
Situação
Ano de início
25 resultado(s)
|

Relações filogenéticas de Trichomycteridae inferidas de elementos ultraconservados (UCEs): uma perspectiva filogenômica da evolução de bagres lápis

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Claudio de Oliveira
Supervisor no Exterior: Michael Alfaro
Local de pesquisa: University of California, Los Angeles (UCLA) (Estados Unidos)
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Animal
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Processo:15/13382-4
Vigência: 15 de novembro de 2015 - 14 de novembro de 2016
Assunto(s):GenômicaEvolução animalMarcador molecular
Resumo
Trichomycteridae é um dos grupos mais diversos, com aproximadamente 283 espécies válidas. Seus membros são distribuídos por drenagem da América Central e do Sul, desde Costa Rica até a Patagônia (sul da Argentina e Chile), em ambos lados da Cordilheira dos Andes e nos rios costeiros. Os membros desta família estão atualmente agrupados em oito subfamílias as quais apresentam uma grande variedade de modos de alimentação e habitat, sendo uma das adaptações mais impressionantes nesta família o seu hábito parasitária representados por membros das subfamílias Vandelliinae e Stegophilinae. A grande diversidade de tricomicterídeos e a necessidade de uma forte hipótese filogenética é material interessante para o estudo de diferentes questões evolutivas como: Por que alguns grupos têm essa grande riqueza de espécies (por exemplo Trichomycterinae com 203 espécies), enquanto que outros clados têm baixa diversidade (por exemplo, com Trichogeninae duas espécies e Tridentinae com apenas sete espécies)? Como o parasitismo surgir nas tricomicterídeos e se este foi um processo de reversão ao longo de sua história evolutiva? Como o tamanho do corpo e diferentes adaptações morfológicas modelaram a evolução desses grupos? Portanto, no presente estudo propomos combinar os recursos genéticos e intelectuais dos pesquisadores nos EUA, Brasil e Colômbia para reconstruir a filogenia de Trichomycteridae, usando a maioria das espécies e estudar os processos de diversificação, relacionando a distribuição e habitats das espécies à luz dos processos históricos que modelaram a evolução da paisagem. (AU)

Efeito do tratamento anti-helmíntico no desenvolvimento ponderal de bovinos Nelore, Simental e produto de cruzamento entre as duas raças

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Alessandro Francisco Talamini do Amarante
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Processo:14/02961-0
Vigência: 01 de janeiro de 2015 - 04 de setembro de 2015
Convênio/Acordo de cooperação com a FAPESP: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Assunto(s):Vermicidas
Resumo
Este estudo será realizado com o objetivo de avaliar fatores relacionados ao uso de anti-helmínticos em bovinos das raças Nelore, Simental e o produto do cruzamento entre as duas raças, quantificando o ganho em peso, de bovinos naturalmente parasitados, após a administração de anti-helmíntico com elevada eficácia, com baixa eficácia e sem tratamento, a fim de estimar os prejuízos causados pelo parasitismo e pela utilização de um produto com eficácia reduzida. Serão avaliadas de 40 a 70 animais, por propriedade, em quatro fazendas. Os bovinos avaliados terão idade inicial média de 90 dias, mantidos na mesma pastagem, divididas em três lotes sendo: G1- tratados a cada 28 dias com anti-helmíntico com baixa eficácia (ivermectina), G2 - tratados a cada 28 dias com anti-helmíntico eficaz (sulfóxido de albendazol ou fosfato de levamisol) e G3 - grupo controle, sem tratamento. A cada 28 dias serão realizadas pesagens e coleta de fezes para exames coproparasitológicos. Na coleta inicial e a cada quatro meses será coletado sangue total para quantificação de eosinófilos, volume globular, proteína plasmática total e determinação de IgG plasmática anti-H. placei. (AU)

Interação parasito hospedeiro e os efeitos recíprocos potencial sobre o ecossistema

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Reinaldo José da Silva
Supervisor no Exterior: Rolf Alexander Prade
Local de pesquisa: University of California, Santa Barbara (UC Santa Barbara) (Estados Unidos)
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Parasitologia - Helmintologia de Parasitos
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Processo:14/14298-4
Vigência: 20 de novembro de 2014 - 19 de novembro de 2015
Assunto(s):Ecossistemas aquáticos
Resumo
Nas últimas décadas os ambientes aquáticos tem sofrido diversos impactos antropogênicos. Por essas razões encontrar a ferramenta apropriada para avaliar esses impactos é um desafio. Parasitos podem influenciar indivíduos, populações e comunidades. Por outro lado, o ecossistema pode influenciar a interação parasito-hospedeiro. Parasitos de peixes são bons modelos para compreender e podem ser indicadores úteis da saúde do hospedeiro e ecossistemas aquáticos. Estressores aquáticos podem deixar os hospedeiros mais susceptíveis ao parasitismo ou diminuir-lo pela redução das formas infectantes e hospedeiros intermediários. Este projeto propõe utilizar parasitos de peixes para avaliar a integridade do reservatório de Jurumirim, Alto rio Parananapanema, São Paulo, Brasil. Portanto, o presente estudo disponibilizará resultados que predizem impactos economicos, social e ecológicos. (AU)

Análise das relações filogenéticas e padrões de diversificação de Trichomycteridae (Teleostei, Siluriformes) utilizando sequências de DNA

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Claudio de Oliveira
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Animal
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Processo:14/06853-8
Vigência: 01 de julho de 2014 - 14 de novembro de 2015
Convênio/Acordo de cooperação com a FAPESP: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Assunto(s):BiodiversidadeFilogeniaGenômicaSiluriformesEvolução animal
Resumo
Trichomycteridae é uma das famílias com maior número de espécies dentro da superfamília Loricarioidea, e seus membros são amplamente distribuídos pelas drenagens neotropicais da América do Sul e Central, habitando os mais variados ecossistemas e com diferentes estratégias de vida, dentre elas o parasitismo. As relações filogenéticas entre os membros desse grupo, e dele com outras famílias têm sido objeto de vários estudos. As hipóteses de relacionamento propostas na literatura são suportadas principalmente por caracteres morfológicos, e não há hipóteses de relacionamento incluindo uma porcentagem significativa de espécies de Trichomycteridae, usando caracteres moleculares, assim como, usando uma grande quantidade de genes. Além disso, os principais estudos desenvolvidos até o momento focam na subfamília Trichomycterinae, e as relações dos membros das demais subfamílias permanecem pouco estudadas. O presente estudo se insere em um amplo projeto que está sendo desenvolvido no Laboratório de Biologia e Genética de Peixes (LBP) e tem por objetivo principal o estudo da diversificação e os processos evolutivos responsáveis pela grande diversidade de espécies da superfamília Loricarioidea. Neste projeto, pretende-se testar as hipóteses de monofilia da família Trichomycteridae, assim como de suas subfamílias, e estudar o padrão de relacionamento entre os membros desses grupos. Para isso pretendemos utilizar uma grande quantidade de espécies, representando todos os gêneros de Trichomycteridae, e usaremos os métodos tradicionais de análises filogenéticas moleculares, com o sequenciamento de genes mitocondriais e nucleares que já estão sendo utilizados para estudos de padrão de relacionamento dentro de Siluriformes. Pretende-se também realizar uma análise adicional com metodologias de sequenciamento de segunda geração de UCE (Ultra Conserved Elements) que será desenvolvida em parcerias internacionais. Com base nas filogenias obtidas, pretende-se identificar padrões de diversificação e origem do grupo, procurando assim contribuir no entendimento dos processos macroevolutivos que modelaram a diversidade de peixes neotropicais como um todo. (AU)

Helmintos associados a três espécies de Hypsiboas (Anura; Hylidae) do município de ipaussú, São Paulo, Brasil

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Reinaldo José da Silva
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Parasitologia - Helmintologia de Parasitos
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:13/13077-1
Vigência: 01 de outubro de 2013 - 30 de setembro de 2014
Assunto(s):HelminthesParasitosAnfíbiosTaxonomia animal
Resumo
As comunidades de helmintos associados a anfíbios são geralmente caracterizadas pela baixa riqueza de espécies, mas novos estudos têm demonstrado, no entanto, que pouco se sabe sobre essa diversidade oculta associada a esse grupo, principalmente na região neotropical, onde a diversidade de organismos é elevada. Fatores como a especificidade do parasita ao hospedeiro, características do hábitat e da comunidade local de hospedeiros podem afetar a composição e estrutura das comunidades componentes de helmintos. Além disso, a fauna de helmintos associada às diversas espécies de hospedeiros vem sendo estudada como um indicador de qualidade ambiental. O objetivo deste projeto é caracterizar a composição e estrutura, através dos descritores ecológicos do parasitismo (prevalência, intensidade média de infecção e abundância média) da helmintofauna associada a três espécies de anfíbios (Hypsiboas faber, Hypsiboas albopunctatus e Hypsiboas prasinus) em uma região de Floresta Estacional Semidecidual no município de Ipaussu na porção Sudoeste do Estado de São Paulo. (AU)

"avaliação da eficácia, custo e toxicidade do tratamento de endoparasitoses em equinos utilizando ivermectina via oral em diferentes apresentações"

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu, SP, Brasil
Pesquisador responsável:José Nicolau Prospero Puoli Filho
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:12/21596-6
Vigência: 01 de fevereiro de 2013 - 31 de janeiro de 2014
Assunto(s):IvermectinaEquinos
Resumo
O parasitismo é responsável por perdas econômicas significativas dentro da equideocultura, em animais de trabalho, corrida, salto e reprodução, causando enfermidades de importância clínica e sanitária. Frente a isto, o presente trabalho tem como objetivo principal avaliar comparativamente a eficácia e o custo-benefício das ivermectinas injetável para bovinos e gel pasta para equinos, ambos por via oral, em equinos naturalmente endoparasitados. Serão utilizados 30 equinos sem raça definida, pesos e idades variadas, distribuídos em três grupos. No grupo 1 (controle), os animais receberão via oral 10mL de solução fisiológica de NaCl a 0,9%. O grupo 2 receberá ivermectina via oral, em gel pasta, na dose de 0,2 mg/kg (grupo ivermectina oral) e os animais do grupo 3 receberão ivermectina injetável 1% bovina, porém administrada por via oral, na dose de 0,5 mg/kg. Antes e após o tratamento (0, 1, 7, 30 e 60 dias) serão realizadas colheitas de fezes e sangue, para avaliação do efeito e toxicidade do tratamento. O desenvolvimento da pesquisa visa aprimorar o tratamento de endoparasitoses em equinos, levando-se em conto o melhor custo-beneficio para o tratamento. (AU)

Estudo bioquímico de plantas de milho tratadas com herbicidas e das relações com o desenvolvimento e controle biológico de Spodoptera frugiperda (Lepidoptera: Noctuidae)

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Fernando Broetto
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitossanidade
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Processo:12/00491-1
Vigência: 01 de outubro de 2012 - 31 de agosto de 2013
Assunto(s):Atividade enzimáticaControle biológico
Resumo
Herbicidas químicos podem causar alterações fisiológicas nas plantas cultivadas, influenciando de forma qualitativa e quantitativa o valor nutricional das plantas e a produção de compostos de defesa. Dessa forma, podem interferir na dinâmica populacional, tanto dos insetos-praga como dos inimigos naturais, afetando, inclusive, o controle biológico natural. Nesse sentido, lagartas neonatas de Spodoptera frugiperda serão criadas em folhas de milho tratadas com os herbicidas atrazina e nicossulfuron, e avaliadas quanto ao desenvolvimento, tanto da fase jovem quanto reprodutiva. Pupas de S. frugiperda cujas lagartas se alimentaram de plantas tratadas com herbicidas serão expostas ao parasitóide de pupas Trichospilus diatraeae em laboratório para avaliação da influência dos herbicidas no desenvolvimento e taxa de parasitismo do inseto. Em campo, plantas de milho serão tratadas com os mesmos herbicidas para a avaliação da flutuação populacional de S. frugiperda e de seus inimigos naturais. Em todos os ensaios (laboratório e campo) serão coletadas folhas de milho para determinação dos teores de proteínas, açucares solúveis, lipídios e fenóis totais, além da atividade das enzimas fenilalanina amônia-liase, catalase e superóxido dismutase. Eventuais alterações bioquímicas nas plantas de milho, no desenvolvimento e dinâmica populacional de S. frugiperda, ou no parasitismo, tanto em laboratório quanto em campo poderão ser correlacionados. Espera-se que as alterações, tanto nos teores nutricionais quanto dos compostos secundários das plantas, possam explicar ou indicar quais mecanismos estejam envolvidos nesta relação ou quais deles devam ser estudados mais aprofundadamente. (AU)

Leishmaniose visceral canina: estudo imaginológico abdominal e do esqueleto apendicular em cães naturalmente infectados

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Maria Jaqueline Mamprim
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Clínica e Cirurgia Animal
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Processo:12/01526-3
Vigência: 01 de setembro de 2012 - 30 de novembro de 2013
Assunto(s):Tomografia computadorizadaDiagnóstico por imagemZoonosesUltrassonografiaCães
Resumo
A leishmaniose é uma doença cosmopolita, de potencial zoonótico, que afeta os seres humanos e uma variedade de animais domésticos e selvagens, com diferentes apresentações clínicas. Causada por um protozoário do gênero Leishmania spp., e tem no Brasil como agente etiológico a Leishmania (Leishmania) chagasi. Na federação brasileira, a importância da leishmaniose visceral, reside na sua elevada incidência e ampla distribuição geográfica. O que torna no ambiente doméstico, os cães importantes hospedeiros e fontes de infecções para os vetores pela alta infectividade. Caninos infectados são epidemiologicamente considerados mais importantes que a doença em humanos por razões diversas: alta prevalência, ocorrência enzoótica primária e grande contigente de parasitismo em pele. O diagnóstico clínico ainda é um desafio para os profissinais de saúde, devido à grande variedade de sinais e sintomas, bem como a alta porcentagem de animais assintomáticos. Contudo, os animais acometidos geralmente desenvolvem uma enfermidade sistêmica crônica, podendo apresentar quadro clínico inespecífico e variado. A análise imaginológica associada (ultrassonografia, radiográfia digital e tomografia computadorizada) de cães com leishmaniose visceral auxilia na investigação da doença, no entanto, os relatos são escassos na literatura e muitas vezes controversos. Diante da importância da leishmaniose visceral em saúde pública e pelo fato da doença ter se tornado emergente no estado de São Paulo, o presente projeto tem como objetivo avaliar, a contribuição de diferentes meios de diagnóstico por imagem, de cães naturalmente acometidos por leishmaniose visceral. A análise radiográfica digital e tomográfica do esqueleto apendicular será comparativa e representa a continuidade da linha de pesquisa desenvolvido no mestrado do Bolsista, de forma a pesquisar a detecção de lesões da doença de forma precoce. Relatar as possíveis alterações ultrassonográficas abdominais encontradas nesses animais como forma de contribuição diagnóstica, pois não se encontra até o momento citações na literatura Veterinária. O estudo pretende fornecer subsídios para o diagnóstico da enfermidade para clínicos veterinários que atuam em áreas endêmicas para a doença em cães e humanos. Para tanto, serão utilizados 50 cães, naturalmente infectados, com diagnóstico sorológico ou parasitológico positivo para Leishmania spp., encaminhados ao Hospital Veterinário da Universidade Paulista, do município de Bauru, São Paulo, durante o período entre março de 2012 a março de 2013. (AU)

Monogenéticos parasitos de Schizodon intermedius Garavello & Britski, 1990 (Characiformes: Anostomidae) provenientes do Rio do Peixe, médio Rio Tietê, SP, Brasil

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Vanessa Doro Abdallah Kozlowiski
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Parasitologia - Helmintologia de Parasitos
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:11/11659-8
Vigência: 01 de outubro de 2011 - 30 de setembro de 2012
Assunto(s):BiodiversidadeTaxonomia animalParasitismo
Resumo
O Brasil está entre os países que apresentam a chamada megadiversidade, possuindo uma grande quantidade de espécies animais e vegetais do planeta. Atualmente a biodiversidade dos ecossistemas marinhos e dulcícolas tem sido ameaçada, principalmente por problemas ambientais, resultantes da degradação dos ecossistemas, um exemplo é o trecho do médio rio Tietê, onde a represa de Barra Bonita (SP) concentra praticamente toda a carga de efluentes orgânicos oriundos da região metropolitana de São Paulo, induzindo a eutrofização com a perda da qualidade da água. Nesta bacia hidrográfica localiza-se o rio do Peixe, um dos tributários da represa de Barra Bonita cujas nascentes estão nas encostas da Cuesta de Botucatu, apresentando num gradiente altitudinal, um bom estado de conservação ambiental e qualidade de águas, com uma rica biodiversidade de peixes associada à presença de inúmeras lagoas marginais. Entretanto, na região de sua desembocadura (transição rio/represa de Barra Bonita), constata-se uma drástica mudança das condições limnológicas devido à influência da hiper-eutrófica represa. Nos últimos anos, os parasitos têm sido reconhecidos como importantes componentes da biodiversidade global. Determinar o papel integral dos parasitos nos ecossistemas naturais, identificar os pontos de acesso de alta diversidade parasitária, assim como áreas de baixa diversidade é crucial para o completo conhecimento do funcionamento da biosfera. Desta forma, os objetivos deste projeto serão diagnosticar qualitativamente equantitativamente os monogenéticos parasitos de Schizodon intermedius Garavello &Britski, 1990 coletados no rio do Peixe e avaliar se alguns fatores bióticos (comprimento e sexo) do hospedeiro estão influenciando o parasitismo por monogenéticos. (AU)

Efeitos tipo bottom-up e top-down em um sistema tri-trofico formado por Ricinus communis l. (Euphorbiaceae), Spodoptera frugiperda (Lepidoptera: Noctuidae) e seus inimigos naturais

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Marcelo Nogueira Rossi
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia - Ecologia Aplicada
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Processo:09/50937-3
Vigência: 01 de outubro de 2009 - 31 de maio de 2012
Assunto(s):ParasitoidesAnimais herbívorosMamona
Resumo
Efeitos tipo bottom-up e top-down têm sido estudados para um melhor entendimento da dinâmica de interações tróficas. Sistemas que possibilitam manipulação surgem como uma boa alternativa para a investigação destas questões. Este projeto tem como objetivo estudar os efeitos tipo bottom-up e top-down em um sistema tri-trófico, formado por Ricinus communis, Spodoptera frugiperda e inimigos naturais. Será investigado se a qualidade da planta afeta o desempenho dos insetos herbívoros e seus inimigos naturais, interferindo nas forças de interações tróficas. Também será verificado se o consumo foliar interfere na produção de óleos e néctar em nectários extraflorais, dependendo da qualidade da planta. O peso das pupas e o número de ovos de S. frugiperda serão comparados entre dieta com extrato de folhas de plantas fertilizadas e não fertilizadas, bem como o peso seco, o número de ovos e o tamanho corporal do predador Podisus nigrispinus. A produção de néctar será comparada entre plantas fertilizadas e não fertilizadas, com presença e ausência de herbivoria. O mesmo design experimental será aplicado para comparar a produção de óleo entre plantas. A força da interação predador-presa será avaliada pela comparação dos padrões de resposta funcional e numérica apresentados pelos predadores alimentados com lagartas provenientes de dieta com extrato de folhas de plantas fertilizadas e não fertilizadas. Por fim, será comparada a taxa de parasitismo em ovos de S. frugiperda alimentadas em dieta com extrato de folhas de plantas fertilizadas e não fertilizadas, bem como o tamanho corporal dos parasitóides de cada espécie, provenientes dos dois grupos de ovos. (AU)

Correlações comportamentias, fisiológicas e morfológicas da carga parasitária em Rhinella icterica (Anura: Bufonidae)

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Fernando Ribeiro Gomes
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia Comparada
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Processo:09/03933-2
Vigência: 01 de setembro de 2009 - 30 de junho de 2011
Vinculado ao auxílio:06/54699-1 - Fragmentação das florestas, distribuição geográfica e evolução fisiológica em anuros neotropicais, AP.JP
Assunto(s):AnuraMetabolismo energéticoParasitismoMorfologia animal
Resumo
A infestação parasitária pode afetar diversos aspectos da história de vida dos vertebrados. Em anfíbios anuros, um grande número de parasitas é encontrado em diversos órgãos, incluindo pulmões e trato gastro-intestinal. A presença de grandes nematódeos pulmonares nestes animais deve interferir no processo de troca de oxigênio na barreira de difusão ao destruir as membranas pulmonares, além de alterar a mecânica de ventilação e causar obstrução de vasos, prejudicando o desempenho locomotor principalmente durante momentos de alta demanda aeróbia. Embora a presença de parasitas no trato gastro-intestinal não deva afetar o exercício aeróbio diretamente, o nível de infestação parasitária deve afetar o balanço energético do hospedeiro e, conseqüentemente seu desempenho aeróbio a longo prazo. Dentre os anfíbios anuros, os Bufonídeos são particularmente caracterizados por uma locomoção aerobiamente sustentada, sendo então um grupo interessante para a investigação dos possíveis efeitos da infestação parasitária sobre o desempenho aeróbio. O objetivo deste projeto é compreender como a carga parasitária encontra-se associada a variações de características comportamentais, morfológicas e fisiológicas em Rhinella icterica. Dentre as variáveis a serem medidas encontram-se as taxas de vocalização e locomoção em campo, taxa metabólica em repouso, desempenho locomotor aerobiamente sustentado, concentração de hemoglobina, carga parasitária, massa de diferentes órgãos, dentre outras. Através desta abordagem integrativa, pretende-se investigar o impacto da carga parasitária sobre diferentes aspectos da biologia destes animais, em diferentes níveis da organização hierárquica do fenótipo. (AU)

Papel das estruturas glandulares de Croton glandulosus l. (Euphorbiaceae) na interação tritrófica: planta, predadores de sementes pré-dispersão e respectivos parasitóides - uma proposta de estudo interdisciplinar, produção de material didático e divulgaçã

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Silvia Rodrigues Machado
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Botânica - Morfologia Vegetal
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Processo:08/10891-1
Vigência: 01 de dezembro de 2008 - 30 de novembro de 2009
Vinculado ao auxílio:08/52134-2 - Papel das estruturas glandulares de Croton glandulosus (Euphorbiaceae) na interação tritrofica: plantas, predadoras de sementes pre-dispersao e respectivos parasitóides - uma proposta.., AP.R
Assunto(s):Animais herbívorosSecreçãoCroton
Resumo
Título do projeto: Predação de sementes de Croton glandulosus: um processo de aprendizagem?Resumo: Dados preliminares apontam para a existência de predação preferencial de sementes em frutos tardios de C. glandulosus, que corresponde à menor quantidade de recursos disponível para a prole. Por meio de teste em campo, pretende-se testar esta hipótese e verificar se este padrão se altera diante da presença/ausência de néctar que condiciona a presença de visitantes, inclusive inimigos naturais dos predadores. Neste projeto, serão montados experimentos com coletas de dados sobre predação de sementes, entomofauna visitante e produção de néctar para compreender o padrão de predação. Plano de trabalho: Acompanhar a dinâmica da produção de néctar a partir de coletas regulares no campo; observar o comportamento e coletar, para identificação, a entomofauna visitante; acompanhar o desenvolvimento dos frutos e liberação de sementes, com respectivos registros de predação e parasitismo em campo e laboratório. No período dos experimentos as idas a campo serão diárias. (AU)

Relação entre parasitismo por helmintos e comportamento vocal de Hypsiboas prasinus (Burmeister, 1856) (Anura, Hylidae)

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Reinaldo José da Silva
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Parasitologia - Helmintologia de Parasitos
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:08/51037-3
Vigência: 01 de junho de 2008 - 30 de novembro de 2009
Assunto(s):TrematodaNematoda
Resumo
Propõe-se como objetivo deste projeto, avaliar a relação entre parasitismo por helmintos e comportamento vocal de Hypsiboas prasinus procedentes da Serra do Japi, Jundiaí, Interior de São Paulo. Serão incluídos no projeto animais capturados no local de estudo, após observação do comportamento de vocalização. Machos em vocalização serão localizados e observados durante 30 minutos para quantificar o comportamento vocal. A intensidade do som produzido será medida com decibelimetro, posicionado sempre a partir da parte frontal do Indivíduo observado, a um metro de distância. Também tomar-se-á nota do substrato utilizado na vocalização, altura em relação ao solo e distância da água. Para cada indivíduo será obtida a média estimada do índice de vocalização (número de chamados por hora). Os indivíduos serão capturados e transportados para o Laboratório de Parasitologia de Animais Silvestres do Departamento de Parasitologia do Instituto de Biociências, Unesp, Campus de Botucatu, onde serão realizadas as necropsias para exame de presença de trematódeos, nematódeos, cestódeos e outros helmintos que serão processados laboratorialmente seguindo as metodologias clássicas de parasitologia. Será elaborada uma correlação entre o índice de vocalizações e a intensidade parasitária, de acordo com bibliografia específica. Além disso, serão identificadas e foto documentadas todas as espécies de helmintos, sendo mantidos posteriormente na coleção helmintológica do Departamento de Parasitologia. (AU)

Epidemiologia das infestações por Oestrus ovis em ovinos criados em Botucatu e influência da raça ovina no parasitismo

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Alessandro Francisco Talamini do Amarante
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Medicina Veterinária Preventiva
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Processo:07/58244-1
Vigência: 01 de janeiro de 2008 - 31 de dezembro de 2011
Resumo
Devido ao aumento da população ovina no Estado de São Paulo e devido ao registro cada vez mais freqüente de ovinos com sintomatologia clínica de oestrose, realizar-se-á este trabalho que terá por objetivos avaliar a variação sazonal das infestações por Oestrus ovis em ovinos, bem como avaliar a influência da raça ovina no parasitismo e a interação entre a oestrose e as nematodioses em animais expostos, respectivamente, a infestações e infecções naturais pelos referidos parasitas. Para isso, serão realizados dois experimentos: no Experimento I, mensalmente, de março de 2008 a fevereiro de 2011, dois ovinos livres de infecção serão mantidos em pastagem por 28 dias junto com um rebanho ovino, e logo após esse período os animais serão abatidos para recuperação dos diferentes instares das larvas de O. ovis, os quais serão quantificados. No Experimento II. será avaliada comparativamente a resistência de cordeiros de duas raças ovinas (He de France e Santa Inês) contra infestações naturais por O. ovis, bem como será determinada a associação entre a ocorrência deste parasita com as infecções naturais por nematódeos gastrintestinais. Para isso, exames parasitológicos, coproparasitológicos, histológicos e imunológicos serão realizados. Todas as análises estatísticas serão realizadas com a utilização do programa MiniTab, versão 11. No Experimento I, será realizada análise estatística descritiva dos dados. No Experimento II, a comparação entre as raças será feita por análise de variância com os dados transformados (log (x+1)). A associação da infestação por O. ovis e a carga helmíntica será realizada através da correlação de Spearman. (AU)

Efeito do parasitismo por Cotesia flavipes (Hymenoptera, Braconidae) nos ovários de larvas de Diatraea saccharalis (Lepidoptera, Crambidae) estudo citoquímico e ultraestrutural

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Daniela Carvalho dos Santos
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:07/53961-7
Vigência: 01 de agosto de 2007 - 31 de janeiro de 2009
Assunto(s):OvárioCitoquímicaMorte celularParasitismo
Resumo
Apesar do uso bem sucedido do endoparasitóide larval Cotesia flavipes, para o controle biológico de Diatraea saccharalis, inseto praga que afeta o cultivo e aproveitamento industrial da cana-de-açúcar, pouco se sabe acerca dos mecanismos dessa interação hospedeiro-parasitóide que garantem o seu sucesso. A eficiência dos processos de regulação empregados para assegurar o parasitismo desperta o interesse de dentistas a décadas, que buscam identificar os mecanismos de regulação como alternativas para o aprimoramento de medidas de controle de insetos. Nesse sentido, vários são os estudos que concentram esforços para a identificação de vias metabólicas e celulares ligadas à inibição do sistema imunológico do hospedeiro. Porém, poucos são os trabalhos destinados a verificar o efeito do parasitismo em órgãos reprodutores do hospedeiro, apesar do efeito nocivo que o parasitóide causa na atividade desses órgãos em alguns insetos. Desta forma, a compreensão das alterações histopatológicas dos ovários de insetos parasitados, são fundamentais na busca de processos metabólicos que levem ao desenvolvimento de novas estratégias no combate aos insetos-praga. Assim, esse trabalho tem por objetivos identificar e caracterizar as alterações morfo-funcionais das células do germário, com ênfase para o processo de morte celular programada, de larvas de D. saccharalis no parasitismo inicial (três dias) e tardio (nove dias), através da microscopia de luz (citoquímica) e microscopia eletrônica de transmissão. (AU)

Diversidade de bruquídeos e dinâmica espacial em populações de Acanthoscelides schranckiae e seus parasitóides

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Marcelo Nogueira Rossi
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia - Ecologia Aplicada
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Processo:06/58173-4
Vigência: 01 de março de 2007 - 31 de agosto de 2008
Vinculado ao auxílio:04/06737-6 - Dinâmica espacial e temporal em populações de bruquídeos (Coleoptera: Bruchidae) predadores de sementes de Mimosa bimucronata (DC) Kuntze (Mimosaceae) e seus parasitóides, AP.JP
Assunto(s):Biodiversidade
Resumo
O presente estudo tem como objetivo determinar o padrão de distribuição de Acanthoscelides schrankiae, bem como o padrão espacial do parasitismo, em diferentes escalas espaciais. Este estudo também visa investigar a diversidade de bruquídeos e de suas plantas hospedeiras em um fragmento de floresta estacional semidecidual. O padrão de distribuição espacial de A. schrankiae, bem como o padrão espacial do parasitismo, serão analisados em diferentes escalas espaciais. Para o estudo da distribuição espacial, será observado se a distribuição é agregada, seguindo a Binomial Negativa, ou ao acaso, seguindo a distribuição de Poisson, nas diferentes escalas espaciais de investigação. Para a determinação do padrão espacial do parasitismo, será investigado se os parasitóides respondem diretamente, inversamente ou independente da densidade hospedeira nas diferentes escalas espaciais. No último ano do projeto, será investigada a diversidade de bruquídeos e de suas plantas hospedeiras em um fragmento denominado "Mata da Bica". Coletas mensais de frutos de plantas hospedeiras de bruquídeos serão feitas durante um ano, tanto na borda como no interior do fragmento, fazendo-se o acompanhamento da fenologia reprodutiva das plantas. Comparações da diversidade de bruquídeos serão feitas entre as diferentes espécies de plantas e entre a borda e o interior do fragmento. Por fim, as similaridades das espécies de bruquídeos serão investigadas entre as diferentes espécies de plantas. (AU)

Diversidade de aranhas em Mimosa bimucronata (DC), Kuntze (Fabaceae: Mimosoideae): efeito da arquitetura da planta e implicações da predação em interações tri-troficas

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Marcelo Nogueira Rossi
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia - Ecologia Aplicada
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:07/50156-6
Vigência: 01 de março de 2007 - 31 de agosto de 2008
Vinculado ao auxílio:04/06737-6 - Dinâmica espacial e temporal em populações de bruquídeos (Coleoptera: Bruchidae) predadores de sementes de Mimosa bimucronata (DC) Kuntze (Mimosaceae) e seus parasitóides, AP.JP
Assunto(s):BiodiversidadeParasitoidesAranhasPredação intraguilda
Resumo
O presente estudo tem como objetivo determinar a diversidade, a abundância e a composição de espécies de aranhas nas diferentes fenofases de Mimosa bimucronata. Este estudo também visa investigar se os níveis de Infestação de Acanthoscelides schrankiae são reduzidos ou intensificados (alta taxa de predação intraguilda) devido à presença de aranhas. Indivíduos de M. bimucronata serão marcados ao acaso em duas áreas de estudo. Tanto a fenologia reprodutiva como a vegetativa, serão avaliadas mensalmente. Nas mesmas plantas, coletas mensais de aranhas serão feitas em quatro ramos por planta, tanto em ramos vegetativos como reprodutivos. As coletas e a avaliação da fenologia serão feitas durante 12 meses. Para a avaliação da predação de A. schrankiae por aranhas e da predação intraguilda, agregados de frutos com e sem a presença de teias de aranhas serão coletados. Será contado o número de frutos e orifícios deixados por bruquídeos e parasitófdes em cada agregado, calculando-se as taxas de infestação dos frutos e de parasitismo. Caso sejam constatadas maiores taxas de parasitismo e infestação de A. schrankiae em agregados sem a presença de teias, a predação por aranhas será significativa, tendo, juntamente com os parasitóides, efeito aditivo sobre as populações dos bruquídeos. No entanto, caso a predação por aranhas seja mais intensa sobre os parasitóides (efeito antagonista da predação intraguilda) maiores taxas de Infestação de A. schrankiae poderão ocorrer em frutos com a presença de teias de aranhas. (AU)

Implicações paleoecológicas e evolutivas de traços de predação/parasitismo em braquiópodes (Rhynchonelliformea, Bouchardioidea) do Cenozóico da Argentina e Uruguai

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Marcello Guimarães Simões
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Geociências - Geologia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:06/04425-2
Vigência: 01 de fevereiro de 2007 - 31 de dezembro de 2007
Assunto(s):NeogenoPaleontologia de invertebradosCenozoicoArgentinaUruguai
Resumo
O presente projeto de pesquisa, relacionado aos projetos FAPESP (00/12659, 02/13552-7, 06/00217-6) e CNPq (300448/03-1, 557333/2005-9), trata do estudo de marcas de predação/parasitismo em conchas de braquiópodes do Paleogeno da Patagônia, Argentina e do Neogeno do Uruguai. O material pertencente a duas coleções científicas (IG/USP, Brasil e Instituto Nacional de Geologia y Paleontologia, Facultad de Ciências, Uruguai), já disponível no Laboratório de Paleozoologia (IBB/UNESP), servirá de base para a pesquisa proposta. O projeto de IC tem como objetivos específicos: a- identificação e descrição morfológica de traços de predação/parasitismo (drill holes e etching traces) em conchas de Bouchardia transplatina, Formação Camacho (Mioceno Superior), Uruguai e Bouchardia zitteli, da Formação San Julián (Oligoceno Superior), Argentina; b- determinação da estereotipia dos traços, quanto a preferência de perfuração por região da concha e valva (dorsal ou ventral); c- estabelecimento da freqüência de perfuração nas conchas estudadas e, d- identificação (se possível) dos organismos produtores dos traços, com intuito de entendera história de interação ecológica entre os táxons. O cumprimento desse projeto auxiliará na obtenção de dados paleoecológicos relevantes, preenchendo uma importante lacuna no conhecimento da história natural dos braquiópodes Rhynchonelliformea, especialmente nas regiões subtropicais e temperadas ao longo do Cenozóico. O projeto deve constituir o embrião de futura dissertação de mestrado. (AU)

Padrão espacial do parasitismo e distribuição espacial de Acanthoscelides schrankiae (Coleoptera: Bruchidae) em Mimosa bimucronata (DC) Kuntze (Mimosaceae)

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Marcelo Nogueira Rossi
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia - Ecologia Aplicada
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:05/59605-2
Vigência: 01 de julho de 2006 - 31 de dezembro de 2006
Vinculado ao auxílio:04/06737-6 - Dinâmica espacial e temporal em populações de bruquídeos (Coleoptera: Bruchidae) predadores de sementes de Mimosa bimucronata (DC) Kuntze (Mimosaceae) e seus parasitóides, AP.JP
Assunto(s):Animais herbívorosParasitismo
Resumo
No presente estudo o padrão de distribuição de Acanthoscelides schrankiae, bem como os padrões de agregação espacial de seus parasitóides, serão determinados em diferentes escalas espaciais. A emergência de A, schrankiae provenientes de frutos localizados no solo também será quantificada. Será realizada uma única coleta de frutos maduros, onde os frutos serão individualizados no laboratório, identificando-se o ramo e a planta de origem. A emergência dos bruquídeos e dos parasitóides será observada e quantificada diariamente. Os dados do padrão espacial do parasitismo serão analisados em três escalas espaciais: (1) frutos; (2) ramos; e (3) plantas. Já os dados de distribuição de A. schrankiae serão analisados em duas escalas espaciais: (1) ramos; e (2) plantas. Todos os frutos coletados no solo serão levados ao laboratório, onde cada fruto será individualizado, acompanhando-se a emergência de bruquídeos e parasitóides. Para o estudo da distribuição espacial de A. schrankiae, será observado se a distribuição é agregada (Binomial Negativa) ou ao acaso, seguindo a distribuição de Poisson, nas diferentes escalas espaciais de investigação. Para a determinação do padrão espacial do parasitismo, análises de regressão serão processadas entre o número de bruquídeos parasitados e o número total de bruquídeos. Este procedimento será feito separadamente para cada espécie de parasitóide e para cada escala espacial. Por fim, as taxas de predação e parasitismo ocorrentes em frutos caídos e em frutos localizados na planta, serão comparadas. (AU)

Caracterização da transição micélio-levedura em Paracoccidioides Brasiliensis e sua relação com a expressão do gene do choque térmico 70 (HSP70)

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Eduardo Bagagli
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Molecular e de Microorganismos
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Processo:04/12949-6
Vigência: 01 de agosto de 2005 - 28 de fevereiro de 2007
Assunto(s):Paracoccidioides brasiliensisVirulência
Resumo
Pretende-se caracterizar os padrões de transição micélio-levedura, em diferentes isolados do fungo termodimórfico Paracocddioides brasiliensis, e sua possível associação com proteínas de choque térmico (HSP70). Resultados preliminares apontam para a ocorrência de significativa variação fenotípica em relação à transição levedura-micélio em função da diminuição da temperatura. As HSP são chaperonas que desempenham importantes funções celulares durante estresses térmicos e químicos, além de apresentarem importante papel imunológico, sendo importantes alvos para produção de vacinas gênicas como para o Mycobacterium tuberculosis e mesmo para o fungo Histoplasma capsulatum, filogeneticamente próximo ao P. brasiliensis. A expressão do gene HSP70 será avaliada por RT-PCR semi-quantitativo dos isolados a 36ºC (fase leveduriforme) e pelo processamento diferencial do RNA mensageiro por RT-PCR, em diferentes períodos da transição M-L Por ser um gene de importante expressão na condição de parasitismo, este estudo poderá elucidar as possíveis relações entre a expressão das HSPs, em especial a HSP70, com diferentes perfis de virulência dos isolados quando inoculados em hamsters (dado já obtido em nosso laboratório), e com a maior ou menor tolerância a temperaturas elevadas. (AU)
25 resultado(s)
|
Exportar 0 registro(s) selecionado(s) | Limpar seleção
CDi/FAPESP - Centro de Documentação e Informação da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo

R. Pio XI, 1500 - Alto da Lapa - CEP 05468-901 - São Paulo/SP - Brasil
cdi@fapesp.br - Converse com a FAPESP