site da FAPESP
 

Refine sua pesquisa

Pesquisa
  • Uma ou mais palavras adicionais
Publicações científicas
Auxílios à Pesquisa
Bolsas
Programas de Infraestrutura de Pesquisa
Área do conhecimento
Situação
Ano de início
Página 3 de 86 resultado(s)
|

Efeito do emprego da toxina botulínica associado à orientação dietética no tratamento pré-operatório do superobeso

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Eduardo Guimarães Hourneaux de Moura
Pesquisadores associados:Mariana Souza Varella Frazão
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:12/14165-9
Vigência: 01 de fevereiro de 2013 - 31 de janeiro de 2015
Assunto(s):Clínica médicaGastroenterologiaObesidadeCuidados pré-operatóriosApoio nutricionalToxinas botulínicas
Resumo
Obesidade é uma condição na qual o peso de uma pessoa é superior àquele compatível com a manutenção da saúde e do bem-estar. A prevalência tem crescido nos países do ocidente na última década, alcançando proporções epidêmicas. Estima-se que 97 milhões de adultos nos Estados Unidos estejam acima do peso ou obesos, apresentando Índice de Massa Corpórea (IMC) superior a 252. No Brasil estima-se que 40% (70.000.000) da população esteja acima do peso ideal, sendo a obesidade responsável por cerca de 80.000 mortes ao ano com um aumento detectado de 240% em 10 anos só na obesidade infantil. Essa afecção gera aumento da morbimortalidade, a ponto de, na sua forma mais grave, ser nomeada de obesidade mórbida. Os custos anuais de seu tratamento atingem a casa das dezenas de bilhões de dólares. A obesidade tem sido tradicionalmente tratada por programas que envolvem dietas, exercícios, orientações comportamentais e psicológicas, além da utilização de drogas para diminuição do apetite. Essa abordagem porém, apesar de conseguir reduzir o peso, não consegue manter os resultados a longo prazo2- 8.Um dos métodos objetivos para medir a obesidade é o IMC, que classifica o peso relacionando-o com a altura do paciente. Atualmente, sobrepeso é definido como um IMC de 25 a 29,9 kg/m² e obesidade é considerada como sendo um IMC de 30 kg/m² ou mais9. Obesidade extrema ou mórbida é geralmente definida como um IMC igual ou maior que 40 kg/m². Superobesidade é definida pelo IMC de 50 kg/m² ou mais e é uma categoria em crescimento. Uma grande preocupação para o paciente obeso é o aumento substancial das complicações associadas à obesidade, doença multifatorial, que eleva os riscos de morbidade e mortalidade, visto que algumas desordens como diabetes mellitus tipo 2, hipertensão arterial sistêmica, doença cardiovascular, cerebrovascular, osteoartrite, distúrbios hepatobiliares e apnéia do sono são frequentes nestes pacientes.A doença tem sido associada ao aumento da mortalidade em geral e tida como responsável direta pela morte de 300.000 pessoas por ano. O tratamento cirúrgico é o método mais efetivo na maioria dos pacientes, principalmente nos obesos mórbidos, entretanto apresenta taxas de complicações de 5 a 8% e mortalidade de aproximadamente 1%. De fato, apesar dos riscos, a cirurgia para perda de peso tem menor incidência de mortalidade que a obesidade não tratada ao longo do tempo. A razão para esta perda de 10% do excesso de peso é que, mesmo uma modesta redução poderá diminuir significativamente os riscos de doenças relacionadas à obesidade, como disfunções pulmonares, diabetes, hipertensão e outros riscos fisiológicos associados às comorbidades. Além de melhorar o estado de saúde geral do paciente previamente à cirurgia bariátrica, a perda de peso pré-operatória vai atestar a disposição do paciente em perder peso, reduzir riscos de complicações perioperatórias, acostumá-lo a um estilo de vida com restrição alimentar e possivelmente aumentar a redução de peso total. Esses fatores em conjunto podem aumentar a probabilidade de sucesso na redução de peso em longo prazo. (AU)

Suplementação de micronutrientes e cirurgia da obesidade como moduladores da homeostase do ferro

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Maria Rita Marques de Oliveira
Pesquisadores associados:Rozangela Verlengia; Celso Vieira de Souza Leite; Renata Maria Galvao de Campos Cintra; Daisy Maria Favero Salvadori
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Nutrição
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:12/18719-9
Vigência: 01 de fevereiro de 2013 - 31 de janeiro de 2015
Assunto(s):Obesidade mórbidaSuplementação alimentarCirurgia bariátricaHomeostaseMetabolismoFerro na dieta
Resumo
A cirurgia bariátrica é o tratamento de maior sucesso na obesidade, mas pode levar a deficiências nutricionais específicas, como a de ferro, principalmente em mulheres em idade fértil, que para manter a eritropoiese adequada tem sua necessidade aumentada. Por outro lado, após a cirurgia há melhora da inflamação e da homeostase do ferro, o que levanta questão sobre a suplementação alimentar frente às atuais demandas nutricionais. Diante disso, o objetivo do presente estudo será analisar o efeito da suplementação em micronutrientes e da cirurgia de derivação gástrica em Y de Roux sobre a homeostase do ferro e a inflamação em mulheres obesas. Será um estudo prospectivo de intervenção com 40 mulheres obesas mórbidas, com acompanhamento e suplementação de vitaminas e minerais 40 dias antes da cirurgia e 6 meses após a cirurgia. Serão avaliados indicadores antropométricos, marcadores inflamatórios e metabólicos, expressão de genes relacionados ao metabolismo do ferro e consumo alimentar. O conhecimento gerado, além de elucidar aspectos do metabolismo do ferro nas condições de inflamação e depleção do mineral, poderá colaborar no estabelecimento de estratégias para monitoramento dos resultados da cirurgia. (AU)

Alterações na expressão gênica do tecido gástrico e intestinal de portadores de Diabetes melito tipo 2 submetidos à gastroplastia redutora a Y-Roux

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Dan Linetzky Waitzberg
Pesquisadores associados:Karina Al Assal; Natasha Mendonça Machado; Viviane Lyrio do Valle de Pardo Blois; Priscila Campos Sala; Lívia Samara dos Reis Rodrigues; Cesar Isaac; Angela Flavia Logullo Waitzberg; Rui Curi; Marcus Castro Ferreira; Paulo Sakai; Rogério Kuga; Camila de Siqueira Cardinelli; Wilson Cintra Junior; Robson Kiyoshi Ishida; Flair José Carrilho
Pesquisadores principais:

Maria Lucia Cardillo Corrêa Giannella ; Daniel Giannella Neto ; Ismael Dale Cotrim Guerreiro da Silva ; Marco Aurelio Santo ; Eduardo Guimarães Hourneaux de Moura

Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Nutrição - Bioquímica da Nutrição
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Temático
Processo:11/09612-3
Vigência: 01 de janeiro de 2013 - 31 de dezembro de 2016
Assunto(s):MetabolômicaExpressão gênicaDiabetes mellitusGastroplastiaObesidade mórbida
Resumo
Obesos graves, portadores de diabetes melito tipo 2 (DM2) submetidos à Gastroplastia Redutora a Y-Roux (GRYR), apresentam controle da glicemia pós operatória já na alta hospitalar, antes de ocorrer perda de peso significativa e muitas vezes dispensando medicamentos hipoglicemiantes. Experimentalmente, as alterações anatômicas induzidas pela GRYR alteram a expressão de genes gástricos e intestinais relacionados ao controle glicêmico e determinantes na resolução do DM2. No entanto, não há nenhum estudo clínico que comprove essa observação em humanos. Nós estudaremos 20 pacientes obesos graves portadores de DM2 e candidatos à gastroplastia redutora a Y-Roux. Antes e após 3 meses da GRYR, serão coletas biópsias endoscópicas do corpo gástrico, fundo gástrico, duodeno, jejuno e íleo por enteroscopia de duplo balão, para o estudo de alterações da expressão de mRNA tecidual, por técnica de microarray. Genes expressos e alterados serão validados por RT-qPCR e sua expressão protéica por espectrometria de massa. Concentrações plasmáticas de glicose, incretinas, insulina, peptídeo C e hemoglobina glicada também serão avaliadas antes e depois da operação. Vias metabólicas que envolvam genes alterados após gastroplastia redutora a Y-Roux serão identificadas e propostas como potencial alvo terapêutico para DM2. A composição da microbiota em obesos e diabéticos atualmente é reconhecida como importante fator no controle da glicemia. Nesse sentido, paralelamente, avaliaremos as variações pré e pós-operatórias da composição da microbiota fecal em nossos pacientes. (AU)

Avaliação de marcador biológico salivar para o padrão ósseo alveolar em pacientes obesas mórbidas

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Odontologia de Bauru (FOB). Universidade de São Paulo (USP). Bauru, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Silvia Helena de Carvalho Sales Peres
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Odontologia Social e Preventiva
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Processo:12/13659-8
Vigência: 01 de novembro de 2012 - 28 de fevereiro de 2014
Assunto(s):Radiografia dentáriaLeptinaProcesso alveolarSalivaOdontologia preventivaObesidade mórbida
Resumo
O presente estudo tem como objetivo verificar o padrão ósseo alveolar por meio de índices radiomorfométricos da panorâmica e medidas realizadas em radiografias periapicais, além da análise da leptina como biomarcador em pacientes obesas mórbidas. A amostra será constituída por 60 mulheres na faixa etária de 20 a 35 anos, sendo divididas em 2 grupos: Grupo Experimental (GE- Obesas de Grau III, IMC >40Kg/m2) e grupo controle (GC- Eutróficas, IMC 18,5 e 24,99Kg/m2). A condição periodontal destas pacientes será avaliada por meio de índice de placa de Turesky, profundidade de sondagem, índice de sangramento gengival e nível de inserção clínica. O padrão ósseo será avaliado por meio de análise radiográfica: 2 periapicais da região posterior inferior (direita e esquerda), sendo avaliado o padrão trabecular e a distância da junção cemento-esmalte à crista óssea; análise da radiografia panorâmica através dos índices radiomorfométricos; e análise do marcador biológico leptina. Serão coletadas as amostras de saliva não estimulada para a determinação da concentração de leptina, as quais serão analisadas pelo teste de ELISA. Será aplicado o questionário OHIP-14 sobre o impacto das condições bucais na qualidade de vida. Teste "t" de Student e o Qui-quadrado serão adotados para comparação entre grupos. Estudos prévios realizados por este grupo de pesquisa identificaram que a doença periodontal tem piorado após a cirurgia bariátrica (Processos Fapesp 2008/05798-2 e 2008/00240-3). Portanto, verificar o padrão ósseo alveolar em obesas mórbidas torna-se relevante, para minimizar os efeitos colaterais no pós cirurgia bariátrica. Neste estudo iremos avaliar o padrão ósseo adotando-se como marcador biológico a leptina. (AU)

Sintomas depressivos entre pacientes obesos candidatos à cirurgia bariátrica

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Wang Yuan Pang
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Psiquiatria
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:12/18325-0
Vigência: 01 de novembro de 2012 - 31 de outubro de 2014
Assunto(s):PsicologiaObesidade
Resumo
A obesidade é considerada atualmente um problema de saúde pública com proporções epidêmicas. Indivíduos obesos sofrem com desvantagens sociais decorrentes do preconceito que permeia este problema de saúde. Os quadros depressivos estão frequentemente associados à obesidade mórbida, embora as suas relações não estejam totalmente esclarecidas.A presente pesquisa é um estudo transversal com pacientes obesos mórbidos que aguardam a Cirurgia Bariátrica no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de São Paulo (HC-FMUSP). A amostra pretendida de 400 sujeitos será recrutada consecutivamente da lista de espera do Ambulatório de Cirurgia Bariátrica. Os participantes da pesquisa serão entrevistados pela Escala de Avaliação de Depressão de Montgomery-Åsberg (MADRS) após a mensuração antropométrica de peso e altura para calcular o índice de Massa Corpórea (IMC). Os dados de sintomas depressivos serão analisados de forma descritiva e multivariada. As pontuações de sintomas depressivos e IMC serão calculadas por meio de análise de correlação. (AU)

Capacidade cardiorrespiratória, perfil inflamatório e modulação autonômica da frequência cardíaca em pacientes submetidos à cirurgia bariátrica

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Universidade Nove de Julho (UNINOVE). Campus Memorial. São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Dirceu Costa
Pesquisadores associados:Rodolfo de Paula Vieira
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:12/12206-0
Vigência: 01 de setembro de 2012 - 31 de agosto de 2014
Assunto(s):Obesidade mórbidaCirurgia bariátricaInflamaçãoPerda de peso
Resumo
O tecido adiposo é um órgão endócrino e secretor com alta atividade metabólica, que libera vários fatores denominados adipocinas. A obesidade promove um desequilíbrio na produção destas substâncias que por conseqüência altera a função cardiorrespiratória, função pulmonar e controle nervoso autonômico. Atualmente, tem sido sugerido que a alteração da perfil inflamatório presente nos obesos promovam alterações cardiorrespiratórias, devendo ser considerado um fator importante nesta população. Sendo assim, o objetivo deste estudo é analisar o perfil inflamatório e a capacidade cardiopulmonar de sujeitos obesos após a perda de peso induzida pela cirurgia bariátrica. Serão avaliados 30 obesos mórbidos (IMC>40 kg/m2), de ambos os gêneros, antes e após seis meses de cirurgia bariátrica. Para dosagem do perfil inflamatório serão avaliados biomarcadores inflamatórios: leptina, adiponectina, fator de necrose tumoral (TNF), interleucina 6 (IL 6) , interleucina 8, interleucina-1- ²eta. A avaliação da capacidade cardiorrespiratória será realizada pelos testes: ergoespirométrico, espirometria, controle nervoso autonômico pela variabilidade da freqüência cardíaca, teste de caminhada de seis minutos e manovacuômetria. A escolha dos testes estatísticos dependerá dos tipos de distribuições encontradas e da homogeneidade ou não das respectivas variâncias. (AU)

Estudo dos mecanismos celulares de controle da intolerância à glicose e do DM2 após cirurgia bariátrica: o papel do eixo CD38/SIRT1/NaD

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Wilson Salgado Junior
Anfitrião: Eduardo Nunes Chini
Local de pesquisa: Mayo Clinic, Minnesota (Estados Unidos)
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Pesquisa
Processo:11/22598-0
Vigência: 21 de julho de 2012 - 26 de janeiro de 2013
Assunto(s):Cirurgia bariátricaObesidade mórbidaSirtuínasNAD
Resumo
Diante da grande epidemia de obesidade que acomete o mundo moderno, é crescente a preocupação com a alta incidência de doenças associadas à obesidade, dentre elas o diabete melito tipo 2 (DM2). As pesquisas têm caminhado para buscar as causas de tais doenças. Muito mais que isto, esforços têm sido empreendidos para se identificar possíveis vias finais comuns, a nível celular, que possam ser alvo de terapias mais efetivas para lidar com aquelas doenças. Neste contexto surgiram relatos consistentes do papel de proteínas responsáveis pela sinalização celular na gênese ou na proteção contra o surgimento de obesidade e distúrbios metabólicos. Trata-se do eixo das "sirtuinas" (SIRT1) / Dinucleotídeo nicotinamida-adenina (NAD) e da ação da proteína CD38.A cirurgia bariátrica é considerada uma das alternativas ao tratamento da síndrome metabólica nos obesos. Em vista de apresentar resultados mais efetivos e duradouros do que o tratamento clínico para perda de peso, vem apresentando crescimento em sua indicação. Os mecanismos responsáveis tanto pelo controle do peso quanto da glicemia, após cirurgia, são motivos de intensa pesquisa. Este trabalho visa avaliar o efeito da cirurgia bariátrica no controle da glicemia, em modelo animal com ratos portadores de DM2 (Goto-Kakizaki), focando nos mecanismos de sinalização celular descritos acima. Trata-se de trabalho original no qual a aplicação poderá se dar no desenvolvimento de novas terapias, tanto clínicas, quanto cirúrgicas para a síndrome metabólica. (AU)

Efeito da leptina na atividade quimiossensível do núcleo retrotrapezóide (RTN)

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Odontologia (FOAr). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Eduardo Colombari
Supervisor no Exterior: Daniel Kent Mulkey
Local de pesquisa: University of Connecticut (UCONN) (Estados Unidos)
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia Geral
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Processo:12/04813-3
Vigência: 12 de julho de 2012 - 11 de outubro de 2012
Assunto(s):LeptinaObesidade
Resumo
A deficiência de leptina é um dos principais fatores para o desenvolvimento da obesidade e distúrbios respiratórios. Camundongos transgênicos deficientes em leptina (ob/ob) são obesos e tem uma menor resposta ventilatória quando estimulados com CO2 no ar inspirado (hipercapnia). O desafio é compreender se os problemas respiratório presentes na deficiência de leptina (e.g. ob/ob mice) ocorrem devido a ausência da ação da leptina no SNC ou por causa da obesidade mórbida que se desenvolve secundariamente a hiperfagia e ao reduzido gasto energético. Resultados dos nossos estudos sugerem que a deficiência central de leptina, mais do que a obesidade é a principal causa dos distúrbios respiratórios quimiossensíveis. Em adição, nós demonstramos que a reposição ICV de leptina em camundongos ob/ob foi capaz de aumentar a resposta ventilatória ao CO2 independente do peso corporal. Além disso, dados preliminares apresentados neste projeto sugerem que a leptina tem um importante papel estimulador na resposta quimiossensível via ação na região ventral do bulbo (núcleos RVLM e RTN). Contudo, o mecanismo celular e molecular envolvido na ação da leptina sobre o controle respiratório não são conhecidos. Nós hipotetizamos que a leptina tem uma ação excitatória nos neurônios sensíveis ao CO2/H+ no RTN. Com isso, o objetivo desse estudo é caracterizar o efeito da leptina em neurônios do RTN de camundongos selvagens e deficientes em leptina (ob/ob). Dessa forma, será analisado o efeito agudo da leptina na atividade dos neurônios quimiossensíveis do RTN pela técnica de eletrofisiologia que é realizada com rotina no laboratório do Dr. Mulkey (colaborador). Também será avaliada a participação das células gliais (astrócitos) na ativação da resposta quimiossensível pela leptina. Após o registro da atividade celular será investigada a presença de receptores de leptina nas células neuronais e nos astrócitos do RTN pelo método de imunohistoquímica. Caso a leptina não tenha efeito agudo na atividade dos neurônios quimiossensíveis do RTN, será realizado um protocolo alternativo de tratamento com leptina por 3 dias em animais com implante de cânula guia no RTN. Nesse protocolo será mensurada a resposta ventilatória ao CO2 pelo método de pletismografia (como nos dados preliminares) seguido da análise da atividade neuronal pela eletrofisiologia do RTN. (AU)

Desenvolvimento e aplicação de estudos metabolômicos por RMN na investigação do perfil metabólico de pacientes obesos submetidos a cirurgia bariátrica

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Química (IQ). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Anita Jocelyne Marsaioli
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Orgânica
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Processo:12/09318-0
Vigência: 01 de julho de 2012 - 30 de junho de 2014
Assunto(s):QuimiometriaPerfil metabólicoRessonância magnética nuclear
Resumo
Metabolômica consiste no estudo de organismos ou sistemas biológicos através do seu metaboloma (conjunto de metabólitos de um organismo) empregando uma combinação de metodologias analíticas de alto desempenho e análise estatística multivariada. A metabolômica tem emergido rapidamente como uma nova plataforma de investigação de sistemas biológicos, maximizando a recuperação de informações biológicas e complementando informações obtidas por outras abordagens "ômicas" (genômica, transcriptômica e proteômica). Atualmente, estudos metabolômicos têm sido empregados na clínica para diagnósticos e/ou na busca de novos biomarcadores.Apesar dos inúmeros artigos publicados sobre o tema nos últimos anos, ainda não há consenso sobre o protocolo experimental ideal para estudos metabolômicos realizados por RMN. Há um tênue consenso que um mínimo de preparação da amostra é desejável, embora protocolos de extração e remoção de proteínas frequentemente sejam empregados na obtenção dos espectros. Uma característica comum às pesquisas de desenvolvimento de metodologias metabolômicas utilizando RMN é que as mesmas têm perseguido a otimização dos espectros obtidos. Porém, devido à frequente utilização de métodos quimiométricos na interpretação dos resultados obtidos por RMN, nós propomos neste projeto a otimização do protocolo de preparação da amostra e dos parâmetros de obtenção e processamento dos espectros de forma a obter os "melhores modelos quimiométricos" no caso concreto.Em seguida, estudos metabolômicos por RMN serão empregados na avaliação das alterações do perfil metabólico decorrentes do tratamento cirúrgico da obesidade. Obesidade é uma enfermidade caracterizada pelo acúmulo excessivo de gordura corporal, a qual tem sido associada comorbidades como diabetes e doenças coronarianas entre outras. O tratamento cirúrgico da obesidade é atualmente indicado a pacientes com obesidade mórbida (IMC > 40 Kg/m²) e nos casos de obesidade moderada (IMC > 35 Kg/m²) com comorbidades associadas. Este projeto visa investigar alterações no metaboloma de indivíduos obesos submetidos aos procedimentos de Bypass Gástrico com reconstrução em Y de Roux e Derivação Bilio-Pancreática.Por fim, pretendemos ainda comprovar a eficiência de métodos quimiométricos na seleção de íons em espectros de massas para a quantificação de compostos por CG-EM por monitoramento de íons selecionados. A metodologia será empregada na seleção de íons para quantificação de outras classes de compostos de importância biológica, como hidrocarbonetos e ácidos graxos substituídos. (AU)

Polimorfismos genéticos como moduladores do consumo alimentar, peso corporal e comorbidezes ante e após um ano da cirurgia bariátrica

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Maria Rita Marques de Oliveira
Pesquisadores associados:Rozangela Verlengia; Celso Vieira de Souza Leite; Daisy Maria Favero Salvadori
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Nutrição - Análise Nutricional de População
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:12/03924-6
Vigência: 01 de junho de 2012 - 31 de maio de 2014
Assunto(s):Obesidade mórbidaConsumo de alimentosPolimorfismo de um único nucleotídeoCirurgia bariátrica
Resumo
Há evidências que suportam a predisposição ou susceptibilidade genética para a obesidade, sobre a qual atuam fatores ambientais relacionados ao estilo de vida, o que torna complexo e desafiador o controle da doença. Na obesidade grave, a cirurgia promove perda de peso e controle de comorbidades, mas os resultados desse procedimento divergem de paciente para paciente e pouco se sabe sobre a modulação genética desses resultados em interação com o consumo alimentar. Diante disto, o objetivo do presente estudo será avaliar o efeito de polimorfismos de nucleotídeo único (UCP2, UCP3, LPL, LIPC, APO A-1, APO E-2, APO E-4, LEPR, GHRL, GHSR, 5HT2C, LEP, FTO) sobre os resultados da cirurgia bariátrica quanto consumo de alimentos e nutrientes, peso corporal e comorbidezes em mulheres obesas antes e após 12 meses da derivação gástrica em Y de Roux (DGYR). Será um estudo prospectivo com 300 mulheres. O estudo faz parte de um projeto maior, para o qual já se realizou a extração do DNA da população e a genotipagem de três dos genes selecionados. O conhecimento gerado poderá ter aplicação direta para o estabelecimento de estratégias para indicação e monitoramento dos resultados da cirurgia. Esses resultados são de especial interesse para o Brasil, já que ainda não há no país informações suficientes sobre os efeitos da cirurgia bariátrica, um procedimento coberto pelo sistema público de saúde. (AU)
Página 3 de 86 resultado(s)
|
Exportar 0 registro(s) selecionado(s) | Limpar seleção
CDi/FAPESP - Centro de Documentação e Informação da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo

R. Pio XI, 1500 - Alto da Lapa - CEP 05468-901 - São Paulo/SP - Brasil
cdi@fapesp.br - Converse com a FAPESP