site da FAPESP
 

Refine sua pesquisa

Pesquisa
  • Uma ou mais palavras adicionais
Publicações científicas
Auxílios à Pesquisa
Bolsas
Programas voltados a Temas Específicos
Programas de Pesquisa direcionados à Aplicação
Programas de Infraestrutura de Pesquisa
Área do conhecimento
Situação
Ano de início
Página 9 de 2.794 resultado(s)
|

Avaliação das alterações histológicas ósseas e cardiovasculares em ratos urêmicos tireoparatireoidectomizados submetidos a dieta rica e pobre em fósforo associada a infusão de paratormônio

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Vanda Jorgetti
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:01/01789-0
Vigência: 01 de agosto de 2001 - 31 de julho de 2004
Assunto(s):Insuficiência renal crônicaOsteodistrofia renal
Resumo
O estudo das alterações do Hormônio da Paratireóide(PTH) nos portadores de Insuficiência Renal Crônica(IRC) centra-se nas alterações ósseas determinadas pelo Hiperparatireoidismo Secundário(HPTH). Para controlar a Osteodistrofia Renal (OR), preconiza-se a manutenção de fósforo (P) sérico < 5,5 mg/dl, produto CaxP < 55mg2/dl2 e valores de PTH entre 2 a 3 X o valor normal. Sabe-se que excesso de mortalidade por Doença Cardiovascular (DCV) também acomete a população de portadores de IRC. Explicando parte disto, temos os distúrbios metabólicos do HPTH e dos íons Ca e P. Existe demonstração de que P e produto Cax P elevados determinam maior mortalidade na IRC. O PTH também é responsabilizado por alterações cardiovasculares vistas na IRC. Conjectura-se, que valores de P, Ca e PTH aceitáveis para OR, talvez não sejam adequados para prevenir ou reverter a DCV da IRC. Este estudo propõe correlacionar achados histológicos com diferentes taxas de infusão de PTH e dieta rica e pobre em P em ratos com IRC. (AU)

Avaliação da atividade física da população urbana de 30 a 79 anos da cidade de São Carlos (São Paulo)

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Ângela Merice de Oliveira Leal
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:07/55914-6
Vigência: 01 de fevereiro de 2008 - 31 de janeiro de 2009
Assunto(s):Atividade físicaPopulação
Resumo
O sedentarismo está associado a diversas doenças como obesidade, síndrome metabólica, diabetes mellitus (DM) e doenças cardiovasculares. O aumento progressivo da incidência e prevalência dessas doenças tem incorrido em elevado custo social e econômico e a atividade física e o exercício têm sido prescritos como potentes medidas terapêuticas e preventivas e estimulados em larga escala. Na cidade de São Carlos (São Paulo), em particular, as doenças cerebrovasculares e o infarto agudo do miocárdio são as duas principais causas de mortalidade e DM é a 5ª causa mais freqüente. A identificação da magnitude de fatores de risco é estratégica na prevenção da morbi-mortalidade por doenças cardiovasculares e nesse sentido, os estudos epidemiológicos são um instrumento potente, cujos resultados podem propiciar o melhor planejamento de cuidados e recursos destinados à implantação de projetos e medidas que visem à prevenção dessas doenças e à promoção de saúde. Este projeto tem como objetivo a avaliação de atividade física da população urbana de 30 a 79 anos, na cidade de São Carlos (São Paulo) através de questionário individual. (AU)

Esperança de vida livre de incapacidade em áreas cobertas pelo Programa Saúde da Família em Sorocaba

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Centro de Ciências Médicas e Biológicas de Sorocaba (CCMB). Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Sorocaba, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Reinaldo José Gianini
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:05/54354-1
Vigência: 01 de outubro de 2005 - 30 de setembro de 2006
Assunto(s):EquidadeEsperança de vidaMorbidadeMortalidade
Resumo
A Esperança de Vida como indicador isolado vem perdendo relevância na política de saúde, pois este indicador não leva em conta o aumento de doenças não-letais e crônico-degenerativas entre as pessoas que tiveram suas mortes evitadas. Esperança de Saúde (Health Expectancy) é relativamente um novo indicador que une tanto os números de mortalidade quanto de morbidade, além de mostrar uma melhor visão do estado de saúde de uma população. Um dos indicadores da esperança de saúde é a Esperança de Vida Livre de Incapacidades (DFLE - Disability-free Life Expectancy) - que mostra o tempo esperado de tempo de vida sem limitações ou incapacidades (deficiências), ou seja, a média de anos vividos sem limitações por uma pessoa. O DFLE é obtido pelo método de Sullivan, através de dados censitáries ou inquéritos realizados junto à população. Entretanto, existe a possibilidade de estimar o DFLE a partir de dados rotineiramente coletados pelo Programa Saúde de Família (PSF) onde este se encontra implantado. No município de Sorocaba o PSF está implantado nas áreas do Aparecidinha, Habiteto, Vila Sabiá e Vitória Régia. Vislumbra-se, portanto, uma excelente oportunidade de realizar uma estimativa do DFLE nestas áreas. Além disso, pode-se compará-lo com a Esperança de Vida e analisar suas possíveis diferenças segundo sexo e condições sócio-econômicas. (AU)

O co-ativador de transcrição gênica PGC-1 em modelo experimental de sepse

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Heraldo Possolo de Souza
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:10/10552-2
Vigência: 01 de agosto de 2010 - 31 de julho de 2011
Assunto(s):MortalidadePulmão
Resumo
A incidência de sepse e choque séptico vem aumentando nas últimas décadas. O tratamento do choque séptico se baseia em três vertentes principais: (1) erradicação da infecção com antimicrobianos e/ou drenagem cirúrgica; (2) monitoramento e correção, em UTI, de alterações fisiológicas como ritmo cardíaco, pressão arterial, fornecimento de oxigênio e desarranjos metabólicos; (3) inibição ou modulação dos mediadores tóxicos da sepse. Contudo, todos esses esforços terapêuticos se mostram relativamente ineficazes, tendo em vista as altas taxas de letalidade associadas à sepse. Algumas das alterações mais relevantes nos quadros sépticos incluem distúrbios no metabolismo energético, cujo controle vem sendo, recentemente, relacionado a alguns grupos de coativadores transcricionais, como o PGC-1.Em estudos prévios de nosso laboratório, demonstramos que ocorre aumento da expressão de PGC-1 durante a resposta à inoculação de bactérias na cavidade peritoneal. No entanto, esses estudos iniciais não exploraram a existência de uma relação causal entre esses dois fenômenos. Assim, nossa hipótese é que o aumento da expressão de PGC-1 seja necessária para uma adequada resposta inflamatória à agressão bacteriana e que na sua ausência, essa resposta é deficiente. Para tanto, iremos determinar a relação entre a expressão de PGC-1 e o desenvolvimento da resposta inflamatória em um modelo experimental de sepse. Serão avaliadas a mortalidade e a resposta inflamatória em camundongos submetidos à punção e ligadura cecal onde a expressão de PGC-1 será diminuído através do uso de antissenso específico. (AU)

Efeitos da poluição do ar de São Paulo sobre o epitélio ciliado da rã - Subprojeto 2: efeitos do material particulado (PM10) sobre o batimento ciliar

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Paulo Hilário Nascimento Saldiva
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:96/12518-7
Vigência: 01 de abril de 1997 - 31 de março de 1999
Assunto(s):Fisiologia respiratória e circulatóriaDoenças respiratóriasDepuração mucociliarMaterial particuladoPoluição atmosféricaMortalidade
Resumo
Diversos estudos epidemiológicos têm mostrado grande associação entre poluição atmosférica e doenças respiratórias, tanto em termos de mortalidade, quanto de morbidade. Assim, o presente projeto visa dar plausibilidade biológica a estes dados epidemiológicos através de 4 subprojetos. Subprojeto 2: Este subprojeto pretende verificar em que medida a frequência de batimento ciliar (que remove partículas que entram no aparelho respiratório) é prejudicada frente a concentração crescentes de material particulado da poluição (PM10). (AU)

Efeitos da poluição do ar de São Paulo sobre o epitélio ciliado da rã - Subprojeto 3: efeitos do pH e potencial oxidante do PM10 na velociadade de transporte mucociliar

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Paulo Hilário Nascimento Saldiva
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:96/12516-4
Vigência: 01 de julho de 1997 - 30 de junho de 1999
Assunto(s):Fisiologia respiratória e circulatóriaDoenças respiratóriasDepuração mucociliarMaterial particuladoPoluição atmosféricaMortalidade
Resumo
Diversos estudos epidemiológicos têm mostrado grande associação entre poluição atmosférica e doenças respiratórias, tanto em termos de mortalidade, quanto de morbidade. Assim, o presente projeto visa dar plausibilidade biológica a estes dados epidemiológicos através de 4 subprojetos. Este subprojeto (3) visa determinar as alterações de velocidade de transporte mucociliar sob o efeito oxidante e pH do PM10 (material particulado) e após a sua neutralização. (AU)

Efeitos da poluição do ar de São Paulo sobre o epitélio ciliado da rã - Subprojeto 1: estudo da influência do material particulado (PM10) no transporte mucociliar e na diferença de potencial transepitelial

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Paulo Hilário Nascimento Saldiva
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:96/12519-3
Vigência: 01 de abril de 1997 - 31 de março de 1999
Assunto(s):Fisiologia respiratória e circulatóriaDoenças respiratóriasDepuração mucociliarMortalidadeMaterial particuladoPoluição atmosférica
Resumo
Diversos estudos epidemiológicos têm mostrado grande associação entre a poluição atmosférica e doenças respiratórias, tanto em termos de morbidade, quanto de mortalidade. Assim, o presente projeto visa dar plausibilidade biológica a estes dados epidemiológicos através de 4 subprojetos: O primeiro subprojeto estudará a influência do material particulado atmosférico na velocidade de transporte mucociliar e diferença de potencial transepitelial do epitélio ciliado, usando a preparação isolada do palato de rã, que apresenta um epitélio muito semelhante ao da árvore respiratória humana. (AU)

Efeitos da injeção de solução bicarbonatada de ácido acetil salicílico em mucosa colorretal de ratos e coelhos, com vistas a aplicação no preparo pré opreatorio do cólon

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina (FMB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Rogério Saad Hossne
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:06/52337-5
Vigência: 01 de julho de 2006 - 30 de junho de 2007
Assunto(s):Ácido acetilsalicílicoRecidiva
Resumo
O número de indivíduos afetados pelo câncer tem aumentado a cada ano; atualmente as neoplasias são a segunda causa de morte na população adulta. Dentre as principais neoplasias destaca-se o câncer colorretal pela sua alta incidência e mortalidade. Um dos fatores responsáveis pela mortalidade e recidiva local dos tumores colorretais é o implante de células tumorais livres no momento da realização da anastomose. Neste sentido diversos autores já demostraram a presença destas células tumorais livres na luz colônica como sendo responsáveis por este implante. Estes autores tem estudado medidas profiláticas visando a evitar este implante; dentre elas destaca-se a lavagem intestinal com diversas soluções como a fisiológica, de iodo e daquim. A solução bicarbonatada de ácido acetil salicilico já foi estudada por nós em trabalhos anteriores (mestrado e doutorado) quando pudemos comprovar o seu efeito anti tumoral e citolitico; desta forma, como está solução tem este efeito destruidor sobre células tumorais, achamos oportuno saber se esta solução poderia ser usada no preparo intestinal nas cirurgias oncológicas colorretal, para isso objetivamos estudar no presente trabalho os seus efeito sobre a mucosa colonica normal em animais de experimentação, e a partir destes resultado embasar eventual aplicação clínica em seres humanos. (AU)

Transtornos psiquiátricos e comorbidades associadas em pacientes internados no Hospital das Clínicas da Universidade Estadual de Campinas

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Neury José Botega
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Psiquiatria
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:08/57219-6
Vigência: 01 de janeiro de 2009 - 31 de dezembro de 2009
Assunto(s):Transtornos relacionados ao uso de substânciasDepressãoTranstornos mentais
Resumo
Os transtornos psiquiátricos mais predominantes no hospital geral são a depressão, a ansiedade, os estados confussionais, o abuso de álcool, o tabagismo e o risco de suicídio. A depressão leva a prejuízos nas esferas pessoal e familiar, é o transtorno psiquiátrico mais comum em idosos e aumenta o tempo de internação no hospital. O abuso de álcool é um dos principais problemas de nossa sociedade e é responsável por mais de 90% das internações hospitalares por dependência. O tabagismo é a principal causa evitável de mortalidade e morbidade no mundo e se relaciona a diversas patologias, como câncer e doenças cardiovasculares e respiratórias. Nos últimos 45 anos, a mortalidade por suicídio aumentou 60% e o risco de suicídio é maior nos pacientes com doença física em relação à população geral. Entretanto, há uma escassez de estudos que associem distúrbios psiquiátricos, faixas etárias, sexo e comorbidades em pacientes de hospitais gerais no Brasil. O objetivo deste estudo comparativo será determinar as faixas etárias e as comorbidades mais prevalentes por sexo entre pacientes de diferentes enfermarias do Hospital de Clínicas da UNICAMP detectados com um ou mais desses transtornos psiquiátricos. O presente trabalho utilizará dados de um estudo maior, apoiado pela FAPESP (processo nº 06/61885), denominado Estudos de Intervenção Breve Oportuna - EIBO, o qual promove um pleno rastreamento de pacientes adultos internados no hospital supracitado. (AU)

Existem diferenças entre os gêneros com relação à hora de admissão, à gravidade da doença e ao tratamento na Unidade de Emergência para síndromes coronárias agudas?

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Antonio de Padua Mansur
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:06/52367-1
Vigência: 01 de dezembro de 2006 - 30 de novembro de 2007
Assunto(s):AteroscleroseSíndrome coronariana agudaFatores de risco
Resumo
Introdução: estudos mostram controvérsias em relação à hora de admissão à unidade clínica de emergência em mulheres e homens com síndromes coronárias agudas (SCA) e também em relação ao tratamento usado. Sabe-se que as mulheres são tratadas mais tarde e inadequadamente, o que explica maior mortalidade por infarto agudo do miocárdio no sexo feminino. O objetivo desse estudo é analisar a diferença entre homens e mulheres com relação à hora de admissão na unidade de emergência e ao tratamento utilizado, em uma população de pacientes admitidos ao Instituto do Coração em São Paulo, com SCA. Métodos: nós analisaremos a hora de admissão, características clínicas, achados laboratoriais e angiográficos e mortalidade intra-hospitalar em 1000 pacientes com SCA admitidos numa unidade de emergência a partir de janeiro de 2004. A hora de admissão será categorizada em quatro períodos diários, cada um de seis horas. Serão analisados os fatores de risco tradicionais para doença coronariana. A gravidade da aterosclerose será baseada no número de coronárias acometidas com mais de 50% de redução da luz, evidenciada pela angiografia. O tratamento utilizado será classificado em clínico, angioplastia com colocação de stent e cirurgia de revascularização miocárdica. Serão realizadas análises estatísticas uni e multi variadas. (AU)

Avaliação da osteoporose, calcificação vascular e polimorfismo do gene da osteoprotegerina em uma população de indivíduos com 65 anos ou mais

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Rosa Maria Rodrigues Pereira
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:08/50084-8
Vigência: 01 de abril de 2008 - 31 de março de 2010
Assunto(s):Calcificação vascularOsteoporoseOsteoprotegerinaPolimorfismo
Resumo
Durante muito tempo a osteoporose e a aterosclerose foram consideradas doenças distintas, cuja característica comum era o aumento da incidência com a idade. Atualmente há evidências crescentes da correlação entre doença cardiovascular e osteoporose, independente da idade. Alguns trabalhos mostram uma relação direta e individual dessas duas patologias e um aumento nas taxas de mortalidade. A osteoporose e a aterosclerose são doenças crônico-degenerativas com alta incidência na população geral, sendo considerados os dois maiores problemas em saúde pública. Após a descoberta da molécula de osteoprotegerina (OPG), proteína pertencente à família de receptores do fator de necrose tumoral (TNF), a associação entre osteoporose e calcificação vascular ficou cada vez mais evidente. A osteoprotegerina é uma citocina solúvel produzida por células estromais da medula óssea, osteoblastos, células do sistema imunológico, células musculares lisas dos vasos e endotélio. Camundongos knockout para o gene da OPG apresentam osteoporose e calcificação da parede vascular da aorta e das artérias renais. Essas alterações podem regredir com a restauração transgênica da osteoprotegerina, enquanto a administração intravenosa de OPG reverte apenas o fenótipo osteoporótico. Estudo recente realizado em mulheres com osteoporose mostrou uma correlação significativa entre níveis séricos aumentados de OPG, diabetes mellitus, acidente vascular cerebral e mortalidade por doença cardiovascular. Alguns estudos têm mostrado que polimorfismos no gene da osteoprotegerina estão associados com baixa densidade mineral óssea, fraturas osteoporóticas e calcificação vascular. O objetivo deste projeto é estudar a presença dos polimorfismos do gene da osteoprotegerina e sua correlação com osteoporose e calcificação vascular em indivíduos com 65 anos ou mais, provenientes de uma região do Butantã. (AU)

Prevalência de osteoporose, fraturas vertebrais e não vertebrais em população de indivíduos com 65 anos ou mais na área do Butantã

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Rosa Maria Rodrigues Pereira
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:07/50518-5
Vigência: 01 de maio de 2007 - 30 de abril de 2008
Assunto(s):EpidemiologiaIdososOsteoporose
Resumo
Com o crescimento da população de idosos, o número de doenças crônicas degenerativas aumentará muito nas próximas décadas, bem como, as seqüelas e despesas de tratamentos ambulatoriais, intra-hospitalares e seguros sociais. Entre estas doenças, a osteoporose destaca-se devido a sua elevada prevalência, bem como pela presença das fraturas traumáticas, responsáveis pela morbidade e mortalidade associada a esta síndrome. Metade de todas as mulheres após a menopausa irá ter fratura relacionada à osteoporose durante suas vidas, incluindo um quarto que irão desenvolver deformidade vertebral. As fraturas estão associadas com alta taxa de mortalidade e perda da independência. Poucos são os estudos que avaliaram a prevalência de osteoporose e fraturas vertebrais secundárias a esta patologia no Brasil e na população acima de 64 anos estes estudos são ainda mais escassos. O objetivo principal deste estudo é estimar a prevalência de osteoporose, fraturas vertebrais em uma população de idosos residentes na área do Butantã. Para isto iremos analisar a massa óssea e as fraturas vertebrais (VFA) pela densitometria óssea. Os objetivos secundários são correlacionar os valores de vitamina D e PTH com a prevalência de OP e fraturas vertebrais. (AU)

Avaliação da produtividade de fêmeas Nelore sexualmente precoces nas diferentes fases da vida

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias (FCAV). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Jaboticabal. Jaboticabal, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Lucia Galvão de Albuquerque
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Zootecnia - Genética e Melhoramento dos Animais Domésticos
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:07/55966-6
Vigência: 01 de novembro de 2007 - 31 de outubro de 2008
Resumo
O objetivo do projeto é verificar a existência de diferenças no decorrer da vida produtiva entre as fêmeas sexualmente precoces e não precoces por meio das taxas de mortalidade neo e pós-natal, pesos e alturas em diferentes idades e habilidade de permanência no rebanho. Os dados são provenientes de fêmeas pertencentes a Agropecuária Jacarezinho Ltda., fazenda localizada em Valparaiso, São Paulo, que utiliza como critério de seleção características de crescimento, precocidade sexual e de terminação. As análises para pesos e altura do posterior serão conduzidas utilizando-se a metodologia REML, utilizando programas computacionais disponíveis gratuitamente. Sendo utilizado o efeito de ser ou não precoce sexualmente em conjunto com o procedimento de contrastes dentro do programa. Desta forma, pode ser verificado a existência do efeito significativo ou não desta variável sobre os pesos e a altura do posterior, com obtenção do erro da estimativa, pelo Teste T. A análise estatística da taxa de mortalidade será realizada no programa SAS, utilizando o procedimento GLM, com o intuito de verificar o efeito classificatório da fêmea ser ou não sexualmente precoce (concebeu na estação de monta antecipada). Para o estudo da produtividade da fêmea em termos de vida útil (habilidade de permanência), a análise estatística será realizada no programa SAS, utilizando o procedimento CATMOD, que analisa características categóricas por meio de regressão múltipla e distribuição não normal. (AU)

Manejo alternativo de Zabrotes subfasciatus (bohemann, 1833) (Coleoptera: Bruchidae) em feijão armazenado com espécies botânicas aplicadas em diferentes formulações

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências Agronômicas (FCA). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Edson Luiz Lopes Baldin
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitossanidade
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:09/52008-0
Vigência: 01 de setembro de 2009 - 31 de agosto de 2010
Assunto(s):Mortalidade
Resumo
A espécie Zabrotes subfasciatus Bohemann, 1833 (Coleoptera: Bruchidae), conhecida vulgarmente como caruncho-de-feijão, é apontada como uma das pragas mais prejudiciais durante o armazenamento de grãos dessa leguminosa. Estes insetos prejudicam ou, até mesmo, inviabilizam o comércio dos produtos, pelo fato de completarem seu ciclo reprodutivo nos armazéns, promovendo grandes infestações sobre os grãos e causando danos diretos e indiretos. Seu controle normalmente é feito através de métodos químicos convencionais. Contudo, esta prática pode prejudicar o ambiente e principalmente a saúde humana, devido à elevada toxicidade destes produtos, quando utilizados de forma inadequada. Torna-se, portanto, necessário o incentivo à pesquisa por métodos alternativos de controle desse inseto, como por exemplo, a utilização de materiais de origem vegetal, em diferentes formulações, cujas pesquisas têm sido bastante promissoras. Assim, o projeto terá por objetivo avaliar a bioatividade das espécies vegetais Azadirachta indica A. Juss., Pfaffia glomerata (Spreng.) Pedersen., Toona ciliata M. Roem., Ruta graveolens L:, Mentha pulegium L.( Chenopodium ambrosioides L., Trichilia catigua A. Juss., Piper aduncum L. e Piper tuberculatum Jacq., aplicadas em duas formulações (pós misturados aos grãos e sachês contendo pós) sobre o caruncho Z. subfasciatus, em condições de laboratório (T = 25 2º C; U.R.= 70 5% e fotofase = 12h). Serão efetuados testes de repelência e mortalidade, além do acompanhamento de diversos parâmetros biológicos do inseto, visando determinar a espécie vegetal mais efetiva dentro de cada formulação avaliada. (AU)

Desigualdades sociais na saúde da população idosa na Região Metropolitana de Campinas

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Núcleo de Estudos da População (NEPO). Coordenadoria de Centros e Núcleos Disciplinares (COCEN). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Tirza Aidar
Área do conhecimento:Ciências Sociais Aplicadas - Demografia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Processo:10/14740-8
Vigência: 01 de março de 2011 - 31 de agosto de 2012
Assunto(s):Mortalidade
Resumo
O cenário demográfico brasileiro atual está caracterizado pela transição da estrutura etária, com a diminuição da participação dos menores de 10 anos e aumento da participação dos idosos. Novos desafios devem ser enfrentados, principalmente nos setores ligados à saúde, pois os padrões de morbidade e mortalidade da população dependem fortemente se sua estrutura etária, além, é claro, de fatores históricos, culturais, políticos e socioeconômicos. A pesquisa objetiva estudar as condições de saúde de adultos e idosos e associações com fatores e desigualdades sociais, considerando a dinâmica demográfica e transição epidemiológica num contexto de concentração urbana e desenvolvimento tecnológico. A proposta é parte de projeto intitulado "Saúde e Desigualdades na Região Metropolitana de Campinas (RMC)", coordenado por Tirza Aidar, com apoio do CNPq. Análises já desenvolvidas indicam que, apesar do alto grau de desenvolvimento regional, os diferenciais intra-urbanos e intermunicipais das condições de saúde da população residente na RMC permanecem, sendo maiores para a população com mais de 45 anos que para as crianças. Além de levantamento bibliográfico sobre saúde dos idosos e prevalência de doenças crônico-degenerativas, serão analisadas informações sobre causas de morte das Declarações de Óbitos (DO), georeferenciadas segundo endereço de residência; dados populacionais levantados pelos Censos Demográficos de 2000 e 2010 (IBGE); e indicadores sobre vulnerabilidade social construídos em projetos desenvolvidos no NEPO/Unicamp. (AU)

Comparação da modulação autonômica cardíaca entre indivíduos sedentários e tenistas

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Universidade Nove de Julho (UNINOVE). Campus Memorial. São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Kátia De Angelis
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Educação Física
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:10/20490-4
Vigência: 01 de fevereiro de 2011 - 31 de dezembro de 2011
Assunto(s):SedentarismoTenistasFisiologia cardiovascular
Resumo
O exercício físico regular tem sido recomendado como uma importante abordagem na prevenção e no tratamento de doenças. Alguns estudos sugerem que o tênis, uma esporte praticado mundialmente, traz benefícios nos perfis antropométrico e metabólico de seus praticantes, reduzindo o risco de mortalidade de forma mais significante que outras modalidades esportivas. Considerando que alterações na regulação autonômica cardiovascular têm sido evidenciadas como fator comum no desenvolvimento de disfunções cardio-metabólicas, o objetivo do presente projeto será avaliar e comparar parâmetros hemodinâmicos e a modulação autonômica cardiovascular entre ex-atletas de tênis que ainda praticam essa modalidade, adultos que praticam tênis recreativo e adultos classificados como sedentários. Para tanto, 36 homens com idade entre 25 e 45 anos serão divididos em 3 grupos: sedentário; praticante de tênis recreativo e ex-atleta de tênis ainda praticantes da modalidade. A análise da variabilidade da freqüência cardíaca será utilizada para quantificar a modulação autonômica cardíaca em repouso. Serão realizados também a aferição de pressão arterial pelo método ascultatório, a medida da circunferência da cintura e o cálculo do índice de massa corporal. Os resultados serão comparados pela análise de variância seguido do post hoc de Student Newman Keuls. O nível de significância adotado será de p<0,05. Os resultados do presente estudo podem colaborar no entendimento dos mecanismos fisiológicos associados à redução de fatores ligados à morbi-mortalidade em tenistas, bem como na compreensão dos riscos e/ou benefícios na fase adulta desta modalidade esportiva quando praticada competitivamente durante a adolescência. (AU)

Avaliação da exposição aguda as partículas urbanas concentradas e da exaustão de motores diesel e biodiesel sobre o perfil inflamatório pulmonar e sistêmico de camundongos

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Paulo Hilário Nascimento Saldiva
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Processo:10/50841-3
Vigência: 01 de setembro de 2010 - 30 de junho de 2014
Assunto(s):BiodieselInflamação
Resumo
A atmosfera de um centro urbano é um complexo sistema constituído por gases e partículas poluentes, emitidos por fontes móveis e fixas que excedem as concentrações naturais da atmosfera. A região metropolitana de São Paulo apresentou nas últimas décadas um grande desenvolvimento industrial e comercial o que resultou num acentuado crescimento da população, levando a um colapso do sistema de transporte que não acompanhou o crescimento da cidade. Enfrenta hoje uma das maiores frotas de veículos por habitante do mundo, como conseqüência, esses veículos liberam na atmosfera materiais gasosos e particulados que afetam diretamente a saúde das pessoas. Vários estudos têm demonstrado que a poluição do ar constitui uma ameaça grave a saúde pública e a análise das emissões dos combustíveis são de crucial importância para o entendimento da patogênese da morbidade e mortalidade cardiopulmonar ocasionada por ela bem como gerar discussões no âmbito político para a elaboração de políticas de saúde pública. A possibilidade da ampliação da mistura diesel/biodiesel, em diferentes proporções indica claramente a necessidade de estudos sobre as modificações das emissões mediante as reações fotoquímicas (formação do aerossol secundário), bem como sua toxicidade, uma vez que o mecanismo fisiopatológico sobre a morbidade e mortalidade por doenças cardiopulmonares não está totalmente estabelecido. Diante desse panorama, este trabalho tem como objetivo avaliar a toxicidade no sistema cardiopulmonar do aerossol primário e secundário proveniente da queima do combustível diesel metropolitano e biodiesel. (AU)

Efeito da herbivoria e distância de co-específicos na regeneração de duas espécies (Calophyllum brasiliense e Tapirira gulanensis) de restinga alta da Ilha do Cardoso, Cananéia-SP

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Alexandre Adalardo de Oliveira
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia - Ecologia de Ecossistemas
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Processo:05/57633-9
Vigência: 01 de março de 2006 - 29 de fevereiro de 2008
Resumo
Efeitos dependentes da densidade têm sido apontados como fatores importantes na manutenção da alta alfa-diversidade de florestas tropicais, pois diminuem o recrutamento de plântulas próximo a adultos coespecíficos, levando a uma distribuição menos agregada dessas espécies. A maioria dos trabalhos que testam a hipótese Janzen-Connell, prioriza a investigação da mortalidade apenas relacionada à patogenia e, principalmente, em sementes. A importância desses efeitos, ainda, é uma incógnita para árvores individuais e sua influência na coexistência e distribuição espacial de plantas permanece pouco explorada e controversa. Este trabalho propõe uma avaliação experimental da hipótese Janzen-Connell para duas espécies comuns da Floresta de restinga alta no Parque Estadual da Ilha do Cardoso: Calophyllum brasiliense e Tapirira guianensis. A partir do controle de algumas variáveis, como densidade coespecífica e fatores edáficos, pretende-se avaliar a mortalidade e o desenvolvimento das plântulas a diferentes distâncias do adulto coespecifico e a correlação entre as taxas de herbivoria e esses dois aspectos. Para analisar a sobrevivência, o desenvolvimento e a herbivoria relativos a essas espécies, serão escolhidos 10 indivíduos de cada espécie, sob cujas copas serão estruturadas parcelas com e sem isolamento contra herbivoria, nas quais serão introduzidas plântulas com tamanho, idade e densidade pré-estabelecidos. Conhecer os processos relacionados à regeneração das plantas, principalmente nos primeiros estágios de... (AU)

Caracterização molecular e antigênica de amostras de coronavírus de perus (TCoV) detectadas no Brasil: análise das regiões 3UTR e sequenciamento do gene da proteína S

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:José Antonio Jerez
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Medicina Veterinária Preventiva
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Processo:07/55932-4
Vigência: 01 de novembro de 2007 - 31 de maio de 2009
Assunto(s):CoronavirusPerus (aves)Proteína S
Resumo
A infecção por coronavírus dos perus (TCoV) era desconhecida no Brasil, até a sua primeira detecção em 2007. O TCoV, além de ocasionar uma enterite aguda e altamente contagiosa e com impacto econômico, pode, também, estar associado à etiologia da síndrome da enterite e mortalidade dos perus (PEMS), caracterizada por alta mortalidade, severo atraso no crescimento e imunodisfunção, como resultado da atrofia de órgãos linfóides, tais como o timo, a bursa de Fabricius e o baço, acarretando, como consequência, a redução na resposta imune. O diagnóstico laboratorial do TCoV é fundamental para a prevenção da infecção e medidas de biossegurança, principalmente no aspecto de comercialização internacional, uma vez que o Brasil já se consolidou como o segundo produtor mundial de perus. Diante da escassez de informações acerca do TCoV em nosso país, decidimos empreender a presente investigação científica, voltada à caracterização molecular e antigênica de amostras de TCoV provenientes de perus com suspeita de PEMS. Serão padronizadas e avaliadas metodologias de RT-PCR para a amplificação da região 3'UTR e o sequenciamento do gene da proteína S, visando à comparação e análise filogenética das amostras detectadas. Além disso, serão analisados os efeitos da apoptose celular, através da localização de antígenos virais pela técnicas de imunohistoquímica e TÚNEL, em embriões de perus experimentalmente inoculados com as amostras de campo. (AU)

Papel do estresse oxidativo e do controle autonômico da circulação na resistência do miocárdio a injúria isquêmica no diabete experimental

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto do Coração Professor Euryclides de Jesus Zerbini (INCOR). Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Maria Claudia Costa Irigoyen
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Processo:07/52419-4
Vigência: 01 de setembro de 2007 - 31 de agosto de 2009
Assunto(s):Estresse oxidativoInfarto do miocárdioResposta inflamatória
Resumo
Recentemente, foi testada em nosso laboratório, a hipótese de que o coração diabético seria mais resistente à injúria isquêmica. Os resultados mostraram que dentre os grupos infartados, os diabéticos apresentaram mortalidade menor, em 15 e 30 dias, indicando que o estado diabético realmente pode estar associado a uma cardioproteção, nesse período de tempo. Não se conhece, entretanto, quais mecanismos poderiam estar envolvidos nessa cardioproteção e que poderiam fazer desse período uma janela de oportunidade para intervenções capazes de mudar a evolução natural da doença, pois como vimos, a mortalidade se equivale aos 90 dias de IM em diabéticos e não diabéticos. Sabidamente existe aumento do estresse oxidativo em animais dibéticos, que provoca respostas de ajuste dos sistemas antioxidantes dependendo do tempo e da gravidade da doença. Não seria surpreendente, portanto, que a resposta do coração diabético à isquemia provocada pela oclusão coronariana, fosse diferente, levando a respostas inflamatórias e lesões diversas, quando comparados a animais não diabéticos, o que poderia também repercutir no controle autonômico da circulação. Dessa forma, e considerando a vantagem do uso de um modelo experimental em que controlamos o tempo de diabetes e de IM, nesse trabalho testaremos a hipótese de que a cardioproteção do diabético à injúria isquêmica está associada a diferenças no estresse oxidativo e nitrosativo cardíaco, na resposta inflamatória e na modulação autonômica da PA e da FC. (AU)

Prevalência de diabetes mellitus, tolerância a glicose diminuída e síndrome metabólica na população urbana de 30 a 79 anos da cidade de São Carlos (SP)

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Ângela Merice de Oliveira Leal
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Processo:07/53597-3
Vigência: 01 de março de 2008 - 28 de fevereiro de 2009
Assunto(s):Diabetes mellitusEpidemiologiaSíndrome x metabólica
Resumo
A resistência insulínica, um dos principais fatores patogênicos do DM tipo 2, refere-se à resistência às ações da insulina, e associada a outros fatores de risco cardiovascular, como hipertensão, obesidade e dislipidemia, compõe a chamada Síndrome Metabólica (SM). O aumento progressivo da incidência e prevalência da SM, e as complicações associadas ao DM têm incorrido em elevado custo social e econômico. Na cidade de São Carlos (São Paulo), em particular, as doenças cerebrovasculares e o infarto agudo do miocárdio são as duas principais causas de mortalidade e DM a 5ª causa mais freqüente. A identificação dos fatores de risco cardiovascular, em especial, os distúrbios metabólicos, é estratégica na prevenção da morbi-mortalidade por doenças cardiovasculares e os estudos epidemiológicos podem propiciar o melhor planejamento de cuidados e recursos destinados à implantação de projetos e medidas que visem à prevenção e ao diagnóstico precoce. Este projeto tem como objetivo a determinação da prevalência de diabetes mellitus, tolerância à glicose diminuída e síndrome metabólica na população urbana de 30 a 79 anos, na cidade de São Carlos. (AU)

Contribuição da via de sinalização Akt/mTOR na atrofia muscular desencadeada pela insuficiência cardíaca por excesso de catecolaminas: influência do treinamento físico aeróbico

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Escola de Educação Física e Esporte (EEFE). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Edilamar Menezes de Oliveira
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia do Esforço
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Processo:08/50777-3
Vigência: 01 de julho de 2008 - 30 de abril de 2013
Assunto(s):Atrofia muscularInsuficiência cardíacaTreinamento físico
Resumo
A IC é a via final comum da maioria das cardiomiopatias e outras doenças do aparelho circulatório. Representa um importante problema de saúde pública, considerando-se a prevalência crescente e a morbi-mortalidade associada. Em quadros mais avançados de IC, além do comprometimento funcional desses indivíduos, a excessiva perda de massa muscular pode culminar em caquexia, a qual contribui para o mau prognóstico desses indivíduos e para o aumento da mortalidade. O quadro de caquexia ocorre pelo desequilíbrio entre as vias de síntese e degradação protéica. Vale ressaltar a importância de vias intracelulares envolvidas na regulação da síntese protéica, como a via das cinases AKT e mTOR (mammalian target of rapamycin) e fatores de crescimento (insulina, IGF1 e MGF) que promovem ganho de massa muscular quando ativados, e em doenças sistêmicas como o câncer e AIDS, encontram-se drasticamente reduzidos e associados à atrofia muscular. Em contrapartida, pouco se sabe sobre a contribuição dos diferentes componentes da via de sinalização IGF1/AKT/mTOR na atrofia muscular associada à IC. Portanto, será objetivo do presente projeto de pesquisa avaliar a contribuição da via de sinalização IGF-1/AKT/mTOR, na atrofia muscular desencadeada pela IC em modelo genético de cardiomiopatia induzida por hiperatividade simpática, e o efeito de diferentes terapias como, o treinamento físico aeróbio (sobrecarga mecânica) e a sobrecarga de leucina (estimuladores dessa via), sobre estas variáveis. (AU)

Implantação de Registro de Trauma (RT) como ferramenta para identificação de problemas e melhora da qualidade no atendimento a traumatizados

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Hospital Central. Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo (ISCMSP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:José Gustavo Parreira
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Processo:14/05127-1
Vigência: 01 de maio de 2014 - 30 de abril de 2015
Convênio/Acordo de cooperação com a FAPESP: CNPq - PPSUS
Assunto(s):ViolênciaCausas externasControle da qualidade
Resumo
Estima-se que, no mundo, cinco milhões de pessoas morrem anualmente em decorrência do trauma. Para cada morte, há dúzias de hospitalizações, centenas de avaliações em serviços de emergência e milhares de avaliações médicas. O controle de qualidade no atendimento ao traumatizado se tornou um ponto fundamental para diminuição da mortalidade, da morbidade, dos custos e até para reconhecimento de medidas com objetivo de prevenção. Dentre as medidas propostas para melhora da qualidade está o desenvolvimento de um Registro de Trauma, que poderia ser descrito como um banco de dados alimentado com informações coletadas "em tempo real" do atendimento ao traumatizado. A gravidade fisiológica e a anatômica do trauma podem ser estratificadas por escores (índices de trauma), bem como a probabilidade de sobrevivência. Os resultados e mortalidade observados podem ser comparados com os estimados pelos índices de trauma para a avaliação da qualidade. Contudo, no Brasil, não dispomos de um Registro de Trauma. Há alguns problemas previsíveis para a implantação do Registro de Trauma em hospitais brasileiros. Não há verba direcionada para este fim e questiona-se a real utilidade desta ferramenta em um sistema como o nosso, pois há outras prioridades de investimento. Desta forma, propomos este estudo, no qual será realizada a implantação de um Registro de Trauma no Pronto Socorro Central do Hospital Central da Santa Casa de São Paulo. O projeto será desenvolvido em sete fases em um período de dois anos, avaliando a busca de recursos, a preparação e treinamento da equipe, a coleta de dados, a avaliação dos resultados encontrados, a proposta de medidas para a melhoria de qualidade e a reavaliação do processo. Acreditamos que, com os resultados encontrados, haja dados para propor a implantação definitiva do Registro de Trauma e de outras ferramentas para a melhora de atendimento ao traumatizado não apenas no nosso Hospital mas em todo o país. (AU)

Implantação de Registro de Trauma (RT) como ferramenta para identificação de problemas e melhora da qualidade no atendimento a traumatizados

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Hospital Central. Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo (ISCMSP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:José Gustavo Parreira
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Processo:14/05122-0
Vigência: 01 de maio de 2014 - 30 de abril de 2015
Convênio/Acordo de cooperação com a FAPESP: CNPq - PPSUS
Assunto(s):ViolênciaCausas externasControle da qualidade
Resumo
Estima-se que, no mundo, cinco milhões de pessoas morrem anualmente em decorrência do trauma. Para cada morte, há dúzias de hospitalizações, centenas de avaliações em serviços de emergência e milhares de avaliações médicas. O controle de qualidade no atendimento ao traumatizado se tornou um ponto fundamental para diminuição da mortalidade, da morbidade, dos custos e até para reconhecimento de medidas com objetivo de prevenção. Dentre as medidas propostas para melhora da qualidade está o desenvolvimento de um Registro de Trauma, que poderia ser descrito como um banco de dados alimentado com informações coletadas "em tempo real" do atendimento ao traumatizado. A gravidade fisiológica e a anatômica do trauma podem ser estratificadas por escores (índices de trauma), bem como a probabilidade de sobrevivência. Os resultados e mortalidade observados podem ser comparados com os estimados pelos índices de trauma para a avaliação da qualidade. Contudo, no Brasil, não dispomos de um Registro de Trauma. Há alguns problemas previsíveis para a implantação do Registro de Trauma em hospitais brasileiros. Não há verba direcionada para este fim e questiona-se a real utilidade desta ferramenta em um sistema como o nosso, pois há outras prioridades de investimento. Desta forma, propomos este estudo, no qual será realizada a implantação de um Registro de Trauma no Pronto Socorro Central do Hospital Central da Santa Casa de São Paulo. O projeto será desenvolvido em sete fases em um período de dois anos, avaliando a busca de recursos, a preparação e treinamento da equipe, a coleta de dados, a avaliação dos resultados encontrados, a proposta de medidas para a melhoria de qualidade e a reavaliação do processo. Acreditamos que, com os resultados encontrados, haja dados para propor a implantação definitiva do Registro de Trauma e de outras ferramentas para a melhora de atendimento ao traumatizado não apenas no nosso Hospital mas em todo o país. (AU)

Implantação de Registro de Trauma (RT) como ferramenta para identificação de problemas e melhora da qualidade no atendimento a traumatizados

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Hospital Central. Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo (ISCMSP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:José Gustavo Parreira
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Processo:14/05123-6
Vigência: 01 de maio de 2014 - 30 de abril de 2015
Convênio/Acordo de cooperação com a FAPESP: CNPq - PPSUS
Assunto(s):ViolênciaCausas externasControle da qualidade
Resumo
Estima-se que, no mundo, cinco milhões de pessoas morrem anualmente em decorrência do trauma. Para cada morte, há dúzias de hospitalizações, centenas de avaliações em serviços de emergência e milhares de avaliações médicas. O controle de qualidade no atendimento ao traumatizado se tornou um ponto fundamental para diminuição da mortalidade, da morbidade, dos custos e até para reconhecimento de medidas com objetivo de prevenção. Dentre as medidas propostas para melhora da qualidade está o desenvolvimento de um Registro de Trauma, que poderia ser descrito como um banco de dados alimentado com informações coletadas "em tempo real" do atendimento ao traumatizado. A gravidade fisiológica e a anatômica do trauma podem ser estratificadas por escores (índices de trauma), bem como a probabilidade de sobrevivência. Os resultados e mortalidade observados podem ser comparados com os estimados pelos índices de trauma para a avaliação da qualidade. Contudo, no Brasil, não dispomos de um Registro de Trauma. Há alguns problemas previsíveis para a implantação do Registro de Trauma em hospitais brasileiros. Não há verba direcionada para este fim e questiona-se a real utilidade desta ferramenta em um sistema como o nosso, pois há outras prioridades de investimento. Desta forma, propomos este estudo, no qual será realizada a implantação de um Registro de Trauma no Pronto Socorro Central do Hospital Central da Santa Casa de São Paulo. O projeto será desenvolvido em sete fases em um período de dois anos, avaliando a busca de recursos, a preparação e treinamento da equipe, a coleta de dados, a avaliação dos resultados encontrados, a proposta de medidas para a melhoria de qualidade e a reavaliação do processo. Acreditamos que, com os resultados encontrados, haja dados para propor a implantação definitiva do Registro de Trauma e de outras ferramentas para a melhora de atendimento ao traumatizado não apenas no nosso Hospital mas em todo o país. (AU)

Implantação de Registro de Trauma (RT) como ferramenta para identificação de problemas e melhora da qualidade no atendimento a traumatizados

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Hospital Central. Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo (ISCMSP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:José Gustavo Parreira
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Processo:14/05124-2
Vigência: 01 de maio de 2014 - 31 de dezembro de 2014
Convênio/Acordo de cooperação com a FAPESP: CNPq - PPSUS
Assunto(s):ViolênciaCausas externasControle da qualidade
Resumo
Estima-se que, no mundo, cinco milhões de pessoas morrem anualmente em decorrência do trauma. Para cada morte, há dúzias de hospitalizações, centenas de avaliações em serviços de emergência e milhares de avaliações médicas. O controle de qualidade no atendimento ao traumatizado se tornou um ponto fundamental para diminuição da mortalidade, da morbidade, dos custos e até para reconhecimento de medidas com objetivo de prevenção. Dentre as medidas propostas para melhora da qualidade está o desenvolvimento de um Registro de Trauma, que poderia ser descrito como um banco de dados alimentado com informações coletadas "em tempo real" do atendimento ao traumatizado. A gravidade fisiológica e a anatômica do trauma podem ser estratificadas por escores (índices de trauma), bem como a probabilidade de sobrevivência. Os resultados e mortalidade observados podem ser comparados com os estimados pelos índices de trauma para a avaliação da qualidade. Contudo, no Brasil, não dispomos de um Registro de Trauma. Há alguns problemas previsíveis para a implantação do Registro de Trauma em hospitais brasileiros. Não há verba direcionada para este fim e questiona-se a real utilidade desta ferramenta em um sistema como o nosso, pois há outras prioridades de investimento. Desta forma, propomos este estudo, no qual será realizada a implantação de um Registro de Trauma no Pronto Socorro Central do Hospital Central da Santa Casa de São Paulo. O projeto será desenvolvido em sete fases em um período de dois anos, avaliando a busca de recursos, a preparação e treinamento da equipe, a coleta de dados, a avaliação dos resultados encontrados, a proposta de medidas para a melhoria de qualidade e a reavaliação do processo. Acreditamos que, com os resultados encontrados, haja dados para propor a implantação definitiva do Registro de Trauma e de outras ferramentas para a melhora de atendimento ao traumatizado não apenas no nosso Hospital mas em todo o país. (AU)

Implantação de Registro de Trauma (RT) como ferramenta para identificação de problemas e melhora da qualidade no atendimento a traumatizados

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Hospital Central. Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo (ISCMSP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:José Gustavo Parreira
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Processo:14/06072-6
Vigência: 01 de maio de 2014 - 30 de abril de 2015
Convênio/Acordo de cooperação com a FAPESP: CNPq - PPSUS
Assunto(s):ViolênciaCausas externasControle da qualidade
Resumo
Estima-se que, no mundo, cinco milhões de pessoas morrem anualmente em decorrência do trauma. Para cada morte, há dúzias de hospitalizações, centenas de avaliações em serviços de emergência e milhares de avaliações médicas. O controle de qualidade no atendimento ao traumatizado se tornou um ponto fundamental para diminuição da mortalidade, da morbidade, dos custos e até para reconhecimento de medidas com objetivo de prevenção. Dentre as medidas propostas para melhora da qualidade está o desenvolvimento de um Registro de Trauma, que poderia ser descrito como um banco de dados alimentado com informações coletadas "em tempo real" do atendimento ao traumatizado. A gravidade fisiológica e a anatômica do trauma podem ser estratificadas por escores (índices de trauma), bem como a probabilidade de sobrevivência. Os resultados e mortalidade observados podem ser comparados com os estimados pelos índices de trauma para a avaliação da qualidade. Contudo, no Brasil, não dispomos de um Registro de Trauma. Há alguns problemas previsíveis para a implantação do Registro de Trauma em hospitais brasileiros. Não há verba direcionada para este fim e questiona-se a real utilidade desta ferramenta em um sistema como o nosso, pois há outras prioridades de investimento. Desta forma, propomos este estudo, no qual será realizada a implantação de um Registro de Trauma no Pronto Socorro Central do Hospital Central da Santa Casa de São Paulo. O projeto será desenvolvido em sete fases em um período de dois anos, avaliando a busca de recursos, a preparação e treinamento da equipe, a coleta de dados, a avaliação dos resultados encontrados, a proposta de medidas para a melhoria de qualidade e a reavaliação do processo. Acreditamos que, com os resultados encontrados, haja dados para propor a implantação definitiva do Registro de Trauma e de outras ferramentas para a melhora de atendimento ao traumatizado não apenas no nosso Hospital mas em todo o país. (AU)

Implantação de Registro de Trauma (RT) como ferramenta para identificação de problemas e melhora da qualidade no atendimento a traumatizados

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Hospital Central. Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo (ISCMSP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:José Gustavo Parreira
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Processo:14/07273-5
Vigência: 01 de maio de 2014 - 30 de abril de 2015
Convênio/Acordo de cooperação com a FAPESP: CNPq - PPSUS
Assunto(s):ViolênciaCausas externasControle da qualidade
Resumo
Estima-se que, no mundo, cinco milhões de pessoas morrem anualmente em decorrência do trauma. Para cada morte, há dúzias de hospitalizações, centenas de avaliações em serviços de emergência e milhares de avaliações médicas. O controle de qualidade no atendimento ao traumatizado se tornou um ponto fundamental para diminuição da mortalidade, da morbidade, dos custos e até para reconhecimento de medidas com objetivo de prevenção. Dentre as medidas propostas para melhora da qualidade está o desenvolvimento de um Registro de Trauma, que poderia ser descrito como um banco de dados alimentado com informações coletadas "em tempo real" do atendimento ao traumatizado. A gravidade fisiológica e a anatômica do trauma podem ser estratificadas por escores (índices de trauma), bem como a probabilidade de sobrevivência. Os resultados e mortalidade observados podem ser comparados com os estimados pelos índices de trauma para a avaliação da qualidade. Contudo, no Brasil, não dispomos de um Registro de Trauma. Há alguns problemas previsíveis para a implantação do Registro de Trauma em hospitais brasileiros. Não há verba direcionada para este fim e questiona-se a real utilidade desta ferramenta em um sistema como o nosso, pois há outras prioridades de investimento. Desta forma, propomos este estudo, no qual será realizada a implantação de um Registro de Trauma no Pronto Socorro Central do Hospital Central da Santa Casa de São Paulo. O projeto será desenvolvido em sete fases em um período de dois anos, avaliando a busca de recursos, a preparação e treinamento da equipe, a coleta de dados, a avaliação dos resultados encontrados, a proposta de medidas para a melhoria de qualidade e a reavaliação do processo. Acreditamos que, com os resultados encontrados, haja dados para propor a implantação definitiva do Registro de Trauma e de outras ferramentas para a melhora de atendimento ao traumatizado não apenas no nosso Hospital mas em todo o país. (AU)

Estudo do remodelamento pulmonar na endotoxemia induzida por lipopolissacarídeo

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Francisco Garcia Soriano
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:07/07375-9
Vigência: 01 de maio de 2008 - 31 de dezembro de 2008
Assunto(s):FibroseColágenoPulmãoSepseTerapia intensiva
Resumo
Os gastos no Brasil com pacientes de UTI no ano de 2003 somaram R$ 17,34 bilhões, o que representa aproximadamente entre 30 a 35% dos gastos globais com a área de saúde. No Brasil dados do estudo BASES mostraram que sepse é a principal geradora de custos nos setores público e privado (1). As bactérias Gram-positivas e Gram-negativas são as responsáveis pela maioria dos casos da sepse (36% e 35%, respectivamente) (2). A sepse grave e o choque séptico estão associados a taxas de mortalidade de 40 a 60%. A mortalidade não tem se modificado nas últimas duas décadas apesar do desenvolvimento de novos antibióticos e aprimoramento de medidas de tratamento intensivo (3).O pulmão esta entre os primeiros órgãos a serem atingidos durante a sepse. A falência respiratória está entre as mais freqüentes complicações da sepse severa, ocorrendo em quase 85% dos casos (26-31). A sepse causa uma lesão do endotélio vascular pulmonar, acarretando um desequilíbrio entre a ventilação e a perfusão pulmonar.(32) Cerca de 40% dos pacientes com sepse desenvolvem a SARA a qual é caracterizada principalmente pela alteração da função respiratória, surgimento de edema intersticial pulmonar e deposição de fibronectina e colágeno nos pulmões. A caracterização da deposição de colágeno e a possível relação com a diminuição da capacidade respiratória em pacientes com sepse é fundamental para o entendimento dos mecanismos fisiopatológicos envolvidos nessa doença. (AU)

Análise espacial dos óbitos neonatais com foco no parto prematuro, Taubaté, SP

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto Básico de Biociências (IBB). Universidade de Taubaté (UNITAU). Taubaté, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Luiz Fernando Costa Nascimento
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Saúde Coletiva - Epidemiologia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:08/11305-9
Vigência: 01 de abril de 2009 - 31 de março de 2010
Assunto(s):GeoprocessamentoMortalidade neonatalSaúde materno-infantil
Resumo
O presente projeto tem por objetivo identificar padrões espaciais para a mortalidade neonatal e para partos prematuros na cidade de Taubaté, SP, nos anos de 2003 e 2004. A análise espacial vem se mostrando como ferramenta útil para identificação de padrões em setores da Saúde Pública. Recentemente, a revista Cadernos de Saúde Pública destinou um volume exclusivo neste assunto (ano 2001, volume 17, número 5. Espera-se identificar área com maior concentração de óbitos e área de partos prematuros. A análise espacial usará técnicas de área e de pontos. Este projeto se justifica pela inexistência de estudos abordando este tema no Estado de São Paulo em geral e no Vale do Paraíba em particular. Os resultados poderão orientar medidas de intervenção por parte dos Serviços de Saúde local e estadual. (AU)
Página 9 de 2.794 resultado(s)
|
Exportar 0 registro(s) selecionado(s) | Limpar seleção
CDi/FAPESP - Centro de Documentação e Informação da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo

R. Pio XI, 1500 - Alto da Lapa - CEP 05468-901 - São Paulo/SP - Brasil
cdi@fapesp.br - Converse com a FAPESP