site da FAPESP
 

Refine sua pesquisa

Pesquisa
  • Uma ou mais palavras adicionais
Publicações científicas
Auxílios à Pesquisa
Bolsas
Programas voltados a Temas Específicos
Programas de Pesquisa direcionados à Aplicação
Programas de Infraestrutura de Pesquisa
Área do conhecimento
Situação
Ano de início
Página 9 de 2.966 resultado(s)
|

Alterações metabólicas mediadas pelo aumento da expressão do gene da ECA influenciam a susceptibilidade cardiovascular

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:José Eduardo Krieger
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Animal
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Processo:08/01351-3
Vigência: 01 de fevereiro de 2008 - 31 de janeiro de 2009
Assunto(s):Biologia molecularTecido adiposo branco
Resumo
Estudos prévios utilizando camundongos com diferentes níveis de expressão do gene da ECA ( 1 a 3 cópias), controles (C) e diabéticos (D), mostraram que sob dieta controle não houve diferença no peso corporal, mas o consumo alimentar foi maior nos animais com 3 cópias. Sob dieta hiperlipídica, a quantidade de ração ingerida foi semelhante, mas os animais com 3 cópias apresentaram menor peso corporal. Observou-se também que camundongos D com 3 cópias do apresentaram maior mortalidade associada a excessiva perda de peso corporal, quando comparados aos D com 1 cópia. Esses dados sugerem que o gene da ECA confere susceptibilidade cardiovascular, que podem estar associadas às alterações metabólicas que envolvem funcionalmente o tecido adiposo (TAB). Assim, pretende-se investigar o efeito da alteração na expressão do gene da ECA sobre a atividade dos adipócitos em situações fisiológicas (dieta controle e hiperlipídica), e indicar possíveis perturbações metabólicas que estariam influenciando a progressão do diabetes e contribuindo para a alta taxa de mortalidade. (AU)

Mecanismos de ação da solução salina hipertônica de NaCl 7,5% na evolução da pancreatite aguda experimental

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Marcel Cerqueira Cesar Machado
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:07/03980-5
Vigência: 01 de novembro de 2007 - 30 de abril de 2009
Assunto(s):Cirurgia experimental
Resumo
Na pancreatite aguda (PA) a ativação inapropriada das enzimas pancreáticas tem papel importante no desencadeamento dos mecanismos inflamatórios responsáveis pelas manifestações locais e sistêmicas da doença. Em trabalho recente (Machado, MCC e cols, Pancreas 2006;32:80-86) mostramos que a administração de solução salina hipertônica na PA experimental atenuou as alterações hemodinâmicas, reduziu as citocinas inflamatórias, as lesões sistêmicas, a infecção e a necrose acinar pancreática. Como conseqüência destes efeitos houve redução significativa na mortalidade nos animais tratados com solução hipertônica NaCl 7,5% quando comparados com os animais tratados com solução salina NaCl 0,9% e com animais que não foram tratados. Entretanto, neste trabalho não foi estudada a ação da solução salina hipertônica na ativação das enzimas pancreáticas, que ocorre numa fase inicial da PA, e na lesão pancreática, o que poderia influenciar na gravidade da lesão pancreática e portanto na intensidade das alterações sistêmicas.O objetivo deste estudo será avaliar se a redução da mortalidade na PA poderia estar relacionada a uma redução da atividade enzimática atenuando as lesões pancreáticas, ou tendo seu efeito primordial na redução da resposta inflamatória sistêmica. (AU)

Solução salina hipertônica na insuficiência cardíaca descompensada

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto do Coração Professor Euryclides de Jesus Zerbini (INCOR). Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Edimar Alcides Bocchi
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:07/04048-7
Vigência: 01 de outubro de 2007 - 31 de março de 2010
Assunto(s):Cardiologia
Resumo
Pacientes com insuficiência cardíaca (IC) descompensada têm alta morbi-mortalidade e aspectos da sua apresentação têm recebido atenção por associação com pior prognóstico, em especial a presença de insuficiência renal, hiponatremia e congestão. A infusão de solução salina hipertônica foi testada em diferentes situações de falência do cardiovascular, como nos choques hemorrágico e séptico, sendo significativas as ontribuições nacionais. Apesar dos efeitos da solução hipertônica em pacientes com inssuficiência cardíaca serem aindas pouco conhecidos. As evidências disponíveis indicam que seja segura e capaz de melhorar parâmetros clínicos e hemodinâmicos, com possível efeito benéfico sobre o prognóstico. Formulamos hipótese de que pacientes com IC descompensada tratados com solução salina hipertônica em associação com diuréticos endovenosos é método seguro e capaz de prevenir a ocorrência de insuficiência renal, além de melhorar parâmetros clínicos, hemodinâmicos, eletrolíticos e prognóstico.Serão selecionados pacientes com IC sistólica internados por descompensação aguda para tratamento duplo-cego com NaCl a 7,5% ou placebo. Além de tratamento padrão, os pacientes incluídos no grupo intervenção receberão solução solução salina a 7,5% com furosemida em veia periférica ao longo de 1 hora, duas vezes ao dia. Os pacientes incluídos no grupo controle receberão infusão de solução salina a 0,9%. Serão monitoradas a função renal, parâmetros hidroeletrolíticos e variáveis clínicas e de prognóstico.Acreditamos que o presente estudo possa contribuir para o aprimoramento de uma modalidade terapêutica desenvolvida em grande parte em âmbito nacional, de baixo custo, grande acessibilidade, fácil administração e monitorização, e com potencial repercussão prognosticas em pacientes com alta morbi-mortalidade. (AU)

Alterações metabólicas mediadas pelo aumento da expressão do gene da ECA influenciam a susceptibilidade cardiovascular

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto do Coração Professor Euryclides de Jesus Zerbini (INCOR). Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:José Eduardo Krieger
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Humana e Médica
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:07/50382-6
Vigência: 01 de agosto de 2007 - 31 de julho de 2009
Assunto(s):MetabolismoTecido adiposo brancoDieta hiperlipídica
Resumo
Estudos prévios utilizando camundongos com diferentes níveis de expressão do gene da ECA (1 a 3 cópias), controles (C) e diabéticos (D), mostraram que sob dieta controle não houve diferença no peso corporal, mas o consumo alimentar foi maior nos animais com 3 cópias. Sob dieta hiperlipídica, a quantidade de ração ingerida foi semelhante, mas os animais com 3 cópias apresentaram menor peso corporal. Observou-se também que camundongos D com 3 cópias do apresentaram maior mortalidade associada a excessiva perda de peso corporal, quando comparados aos D com 1 cópia. Esses dados sugerem que o gene da ECA confere susceptibilidade cardiovascular, que podem estar associadas às alterações metabólicas que envolvem funcionalmente o tecido adiposo (TAB). Assim, pretende-se investigar o efeito da alteração na expressão do gene da ECA sobre a atividade dos adipócitos em situações fisiológicas (dieta controle e hiperlipídica), e indicar possíveis perturbações metabólicas que estariam influenciando a progressão do diabetes e contribuindo para a alta taxa de mortalidade. (AU)

Efeitos da atorvastatina, do fenofibrato e do ácido nicotínico sobre a expressão gênica e secreção de leptina, de adiponectina, de PAI-1 e de MCP-1, em adipócitos da linhagem 3T3-L1

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Marcelo Costa Batista
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:07/51483-0
Vigência: 01 de novembro de 2007 - 31 de outubro de 2008
Assunto(s):AdipocinasNiacinaEstatinas
Resumo
A doenças cardiovasculares representam a primeira causa de mortalidade em todo o mundo, resultando em mais de 17 milhões de óbitos anualmente. A obesidade e a síndrome metabólica, esta última caracterizada por um acúmulo excessivo de tecido adiposo abdominal, são fatores de risco associados a desfechos aterotrombóticos. O tecido adiposo, antes visto como um mero depósito de energia, é considerado hoje um fator de importância irrefutável para o desenvolvimento da doença aterosclerótica, pois as células adiposas são responsáveis pela expressão e secreção de substâncias que atuam diretamente no processo inflamatório das paredes arteriais afetadas pela aterosclerose. Entre tais substâncias destacam-se a Leptina, a Adiponectina e o MCP-1. Adicionalmente, os adipócitos expressam e secretam PAI-1, o mais importante inibidor endógeno da fibrinólise, cuja elevação na concentração plasmática está associada a aumento de risco de desfechos aterotrombóticos, como infarto agudo do miocárdio. Uma vez que o estado pró-Inflamatório e pró-trombótico, característicos da obesidade e da síndrome metabólica, contribuem para elevação e risco de desfechos cardiovasculares, drogas com propriedades de influenciar de maneira positiva na produção de mediadores inflamatórios e pró-trombóticos têm potencial beneficio na redução de mortalidade. Evidências sugerem que certas classes de drogas modificadoras do perfil lipídico (as estatinas, os fibratos e o ácido nicotínico) possuam ações pleiotrópicas. Entre estas ações, os efeitos sobre expressão e secreção de Leptina, Adiponectina, PAI-1 e MCP-1 em adipócitos ainda são pouco elucidados. (AU)

O efeito do aquecimento global no sistema imune de ouriços-do-mar Lytechinus variegatus (Lamarck, 1816),

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:José Roberto Machado Cunha da Silva
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Zoologia - Morfologia dos Grupos Recentes
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:08/08258-9
Vigência: 01 de novembro de 2008 - 31 de outubro de 2009
Assunto(s):LytechinusImunologia celularAquecimento global
Resumo
Enfermidades e mortalidade em massa de ouriços-do-mar vem sendo relatadas em várias partes do mundo e tem sido correlacionadas ao estresse ambiental tais como, poluição e variações térmicas. Recentemente, enfermidades e mortalidade em massa de ouriços-do-mar tropical Lytechinus variegatus (Brasil) foram evidenciadas na cidade de São Sebastião (litoral norte de São Paulo) e documentadas pela nossa equipe de pesquisadores. Neste projeto, estabelecemos um protocolo experimental para avaliar o efeito agudo e crônico da temperatura sobre mecanismos de resistência natural à infecção de ouriços-do-mar Lytechinus variegatus mantidos sob diferentes temperaturas. Este modelo experimental contribui para ampliarmos os conhecimentos sobre o estresse ambiental decorrente de variações térmicas e da influência da temperatura como fator limitante na vida dos animais, assim como o impacto do aquecimento global na sobrevivência destes animais. (AU)

Determinação do escore Apgar (modificado por Born, 1981) e dos níveis de cortilosemia, glicemia e hemogasometria em cordeiros nascidos de partos normais e de cesarianas induzidas por anestesias inalatorias..

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Odontologia (FOA). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araçatuba. Araçatuba, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Francisco Leydson Formiga Feitosa
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Clínica e Cirurgia Animal
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:08/55741-7
Vigência: 01 de abril de 2009 - 31 de março de 2011
Assunto(s):ColostroCordeirosImunoglobulinasMortalidade
Resumo
É sabido que quase a totalidade dos trabalhos científicos desenvolvidos no Brasil e em outros países é realizada com bezerros e potros, como demonstrado na literatura compilada, com pouquíssima atenção para os animais das espécies ovina e caprina. Existem escassos dados com relação às alterações clínicas e dos componentes sangüíneos em cordeiros recém-nascidos oriundos de cesarianas. Sem dúvida, os avanços da biotecnologia (FIV, clonagens) têm trazido grandes benefícios â pecuária nacional, principalmente no que tange à rápida melhoria genética dos rebanhos. Contudo, vários problemas têm sido observados em decorrência dos mesmos, tais como: a) maior intervenção aos trabalhos de parto em virtude da elevada taxa de distocias em fêmeas primíparas, causadas pelo seu pequeno diâmetro pélvico e/ou pelo grande tamanho dos produtos gerados pelas avançadas técnicas de concepção; e b) necessidade de melhor e mais intensiva assistência a recém-nascido, pelo desenvolvimento de inúmeras alterações orgânicas e funcionais (acidoses respiratória e metabólica, falha de transferência de imunidade passiva, hipertensão, arritmias cardíacas, espessamento excessivo do cordão umbilical, etc). Contudo, poucos profissionais conhecem e militam na área de pediatria veterinária, sendo necessárias mais pesquisas que viabilizem informações importantes aos colegas, para que os procedimentos durante o período perinatal tenham sucesso e auxiliem na redução da taxa de mortalidade dos animais recém-nascidos pecuários. (AU)

Avaliação da proteção das alças intestinais fetais utilizando hidrogel (biomaterial) e óxido nítrico no modelo experimental de gastrosquise

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Lourenço Sbragia Neto
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:08/51487-9
Vigência: 01 de junho de 2008 - 31 de maio de 2010
Assunto(s):Biomateriais
Resumo
A Gastrosquise (G) é definida como a herniação das alças intestinais (em geral na parte lateral direita do umbigo) e como conseqüência, o intestino fetal entra em contato com o líquido amniótico e o neonato nasce com as vísceras abdominais expostas. Na fisiopatologia do defeito, o tempo de exposição das alças intestinais ao líquido amniótico é um dos fatores envolvidos no comprometimento das vísceras expostas e contribui para a maior morbidade e mortalidade da doença. O óxido nítrico (NO) tem papel importante na modulação da permeabilidade da mucosa e na motilidade de músculos lisos intestinais e pode ter aplicação biomédica se for incorporado em matrizes que atuem como veículo de liberação do NO. Os hidrogéis, como o N-isopropilacrilamida/ácido acrílico (PNIPAAm-co-AAc), podem ser estas matrizes, pois são de uso terapêutico, atóxicos e bons candidatos à sistemas de entrega de drogas, além de servir como capa para ferimentos e proteger contra à agressão química ou microbiana. Para isso, é necessário que o hidrogel se mantenha aderido à serosa quando aplicado sobre o intestino da G por meio da utilização de adesivos naturais, como o a fibrina. Na literatura há poucos relatos sobre o uso de materiais biossintéticos como protetores da superfície de um órgão ou tecido que tenham habilidade de doador NO e que potencialmente poderiam proteger as alças intestinais da G quando em contato com o líquido amniótico intra-útero. Portanto, a utilização do hidrogel associado ao NO aplicado ao modelo de G experimental em ratas poderia trazer subsídios para a possível aplicação do tratamento pré-natal ou mesmo neonatal gerando produtos de utilização farmacológica comercial e contribuir para diminuir o custo e a morbi-mortalidade da doença. (AU)

Efeito do ácido retinoico e sua interação com a traqueo-oclusão fetal sobre a expressão de receptores de VEGF pulmonar na hérnia diafragmática em ratos

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Lourenço Sbragia Neto
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:08/50347-9
Vigência: 01 de julho de 2008 - 30 de junho de 2010
Assunto(s):Hérnia diafragmática
Resumo
Hérnia diafragmática congênita (HDC) é uma anomalia anatômica que causa grave distúrbio respiratório no período neonatal e ocorre por um defeito no foramen postero-lateral do diafragma pelo qual vísceras abdominais passam para o interior do tórax e por conseqüência acaba impedindo o completo desenvolvimento pulmonar. A incidência da HDC é de aproximadamente 1:2500 nascidos vivos e a mortalidade neonatal é de aproximadamente de 60% atribuída à imaturidade pulmonar estrutural e bioquímica associada à hipoplasia pulmonar que causa hipertensão pulmonar. De especial interesse são as alterações que ocorrem na vasculatura pulmonar desta anomalia congênita. Uma das possibilidades de promover o crescimento pulmonar na HDC e diminuir sua mortalidade é por meio da traqueo-oclusão fetal (TO). Ao realizar-se a TO na fase canalicular do desenvolvimento pulmonar ocorre aumento da angiogênese estimulada pela glicoproteína Vascular Endothelial Growth Factor (VEGF) e seus receptores. O retinol, vitamina A, parece ter um papel central na gênese da doença e no desenvolvimento da vasculature pulmonar, pois sua deficiência pode levar a maior incidência de HDC e também a hipoplasia pulmonar quando houver comprometimento da enzima retinaldesidrogenase 2 (RALDH2), enzima chave necessária para a transformação do refinai em ácido retinóico (AR).O objetivo deste estudo ê verificar no modelo de HDC em feto de rato induzido por Nitrofen o efeito do tratamento materno com ácido retinóico (AR) sobre a freqüência e o tamanho do aparecimento de hérnias e sobre a expressão dos receptores de VEGF no desenvolvimento pulmonar normal e com HDC quando submetidos à traqueo-oclusão fetal (TO). (AU)

Relação entre a presença de ilhas de patogenicidade, capacidades de adesão e invasão em linhagens celulares cultivadas in vitro, formação de biofilme e "quorum sensing", em Linhagens de Escherichia coli...

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Wanderley Dias da Silveira
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:08/56739-6
Vigência: 01 de dezembro de 2008 - 31 de março de 2011
Assunto(s):VirulênciaBiofilmesEscherichia coli
Resumo
A indústria avícola, importante segmento econômico brasileiro, é prejudicada por vários fatores. Entre estes fatores destacam-se os processos infecciosos que acarretam baixo crescimento das aves, mortalidade e condenação de carcaças. Entre os microrganismos causadores de doenças infecciosas destaca-se a bactéria Escherichia coli, responsável por graus variados de morbidade e mortalidade. As linhagens de E. coli associadas à patogenicidade em aves são, coletivamente, denominadas APEC (avian pathogenic Escherichia coli), sendo as doenças que causam denominadas de maneira geral, colibacilose. Nesse trabalho, devido à importância da possível presença de ilhas de patogenicidade (PAIs) no genoma de APECs, diferentes linhagens deverão ser estudadas e testadas quanta à presença de genes relacionados à patogenicidade e genes relacionados à presença de ilhas de patogenicidade (PAIS), quanto à capacidade de adesão e invasão em células, quanto à capacidade de formação de biofilme e quanto à presença de "quorum sensing", antes e depois da deleção das PAls. Estudaremos a presença destes genes, se plasmidiais ou cromossômicos e se os mesmos podem estar relacionados à presença das PAIS. (AU)

Mortalidade embrionária em vacas Nelore (Bos taurus indicus) e estratégias hormonais para a sua redução

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Pecuária Sudeste. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA). Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Brasil). São Carlos, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Rui Machado
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Reprodução Animal
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:06/55199-2
Vigência: 01 de dezembro de 2006 - 30 de novembro de 2008
Assunto(s):Gado NeloreBovinosEmbrião
Resumo
A mortalidade embrionária (ME) causa até 40% de perdas de conceptos em bovinos europeus de climas temperados. A presente proposta visa determinar a freqüência e os períodos de ocorrência da ME e fetal em vacas Nelore (experimento 1 =E1), bem como propor estratégias hormonais para a sua redução (E2). No E1, 240 vacas serão distribuídas em três grupos(n=80 cada): No G1 serão colhidos embriões no 8º dia pós-inseminação (IA), no G2 os conceptos serão obtidos cirurgicamente 16 dia pós-IA e no G3 serão realizados diagnósticos de prenhez aos 28, 42 dia (ultra-som), 60 dias e mensalmente até o parto (palpação). As taxas de ME e fetal serão determinadas retrospectivamente e em relação à taxas de fertilização observada. No E2, 40 vacas serão tratadas com GnRH e/ou hCG após uma ovulação sincronizada objetivando-se melhorar a função luteínica e controlar a dinâmica folicular e retardar a luteólise. Haverá monitoramento diário por rufiões, ultra-sonografia e dosagem de progesterona. (AU)

Prevalência de diabetes mellitus, intolerância a glicose e síndrome metabólica na população urbana de 30 a 79 anos da cidade e São Carlos (São Paulo)

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Ângela Merice de Oliveira Leal
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:06/57542-6
Vigência: 01 de maio de 2007 - 30 de abril de 2009
Assunto(s):Diabetes mellitusHipertensãoObesidadeSíndrome metabólica
Resumo
Diabetes mellitus (DM) é uma síndrome metabólica cujo marco clínico é a hiperglicemia. A forma mais prevalente é o DM tipo 2, presente em 90% dos casos. A intolerância à glicose é uma fase de risco para o DM. A resistência insulínica, um dos principais fatores patogênicos do DM tipo 2, refere-se à resistência às ações da insulina, e associada a outros fatores de risco cardiovascular, como hipertensão, obesidade e dislipidemia, compõe a chamada Síndrome Metabólica (SM). O aumento progressivo da incidência e prevalência da SM, e as complicações associadas ao DM têm incorrido em elevado custo social e econômico. Na cidade de São Carlos (São Paulo), em particular, as doenças cerebrovasculares e o infarto agudo do miocárdio são as duas principais causas de mortalidade e DM a 5ª causa mais freqüente. A identificação dos fatores de risco cardiovascular, em especial, os distúrbios metabólicos, é estratégica na prevenção da morbi-mortalidade por doenças cardiovasculares e os estudos epidemiológicos podem propiciar o melhor planejamento de cuidados e recursos destinados à implantação de projetos e medidas que visem à prevenção e ao diagnóstico precoce. Este projeto tem como objetivo a determinação da prevalência de diabetes mellitus, intolerância à glicose e síndrome metabólica na população urbana de 30 a 79 anos, na cidade de São Carlos. Conforme planejamento amostrai inicial, 1.200 indivíduos deverão ser estudados através de questionário/entrevista, coleta de dados antropométricos e aferição da pressão arterial, e coleta de sangue capilar para determinação da concentração de glicose e lipídios. (AU)

Saúde e meio ambiente: análise espacial e de cluster no Estado de São Paulo

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Nelson da Cruz Gouveia
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Saúde Coletiva - Epidemiologia
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Apoio a Jovens Pesquisadores
Processo:02/06883-7
Vigência: 01 de outubro de 2002 - 31 de dezembro de 2005
Publicação FAPESP sobre o auxílio:http://media.fapesp.br/bv/uploads/pdfs/Investindo...pesquisadores_600_391_391.pdf
Assunto(s):NeoplasiasPoluição ambientalMortalidadeSão Paulo (SP)
Resumo
Considerando a crescente importância dos agravos à saúde decorrentes da exposição a contaminantes ambientais e a contribuição que a análise do componente espacial destas relações pode trazer para a compreensão e prevenção desses agravos, este estudo propõe-se a investigar a associação entre algumas exposições ambientais e diferentes efeitos na saúde da população do estado de São Paulo, através de um desenho ecológico espacial. Composto por 4 subprojetos, o estudo tem como objetivos investigar a existência de associação entre exposição a produtos químicos presentes na água de consumo humano e ter residência próxima a incineradores de resíduos sólidos, e a mortalidade por tipos selecionados de câncer e a ocorrência de alguns desfechos indesejáveis da gravidez; além disso pretende investigar a existência de maior incidência de alguns tipos selecionados de câncer em regiões próximas a depósitos de lixo e investigar a presença de clusters espaciais de malformações congênitas e de tipos selecionados de câncer. O estudo incluirá todos os 645 municípios do estado de São Paulo e utilizará informações provenientes de fontes de dados secundários. As análises incluirão o mapeamento das taxas de eventos e das exposições usando técnicas Baysianas, identificação de 'clusters' pela aplicação da estimação de densidades de Kemel, a estimação de riscos ao redor de uma fonte fixa de poluição pelo teste condicional de Stone de declínio nas taxas conforme distância da fonte, a análise da associação entre as taxas dos desfechos e as diversas exposições, ajustando para variáveis de confusão através de modelos de efeitos aleatórios. Este estudo trará contribuições importantes no dimensionamento dos riscos a que a população esta exposta, além de fornecer subsídios para que se possa elaborar medidas que visem reduzir ou eliminar esses riscos. Contribuirá ainda no desenvolvimento e avaliação de políticas públicas de saúde ambiental. (AU)

Hiperglicemia no infarto agudo do miocárdio: correlações fisiopatológicos e implicações prognósticas

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto do Coração Professor Euryclides de Jesus Zerbini (INCOR). Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:José Carlos Nicolau
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:04/09657-3
Vigência: 01 de maio de 2005 - 30 de abril de 2007
Assunto(s):Infarto do miocárdioHiperglicemiaFisiopatologia
Resumo
A hiperglicemia de estresse é um importante marcador prognóstico no IAM. Porém, não está bem estabelecido se a hiperglicemia tem um papel ativo, por meio da sua ação direta nas alterações metabólicas na fase aguda do IAM, ou se funciona apenas como um marcador de risco, conseqüente à reação endócrino-metabólica ao IAM. Assim o objetivo principal deste estudo é avaliar os mecanismos envolvidos na fisiopatologia da hiperglicemia de estresse durante o IAM. Serão selecionados, prospectivamente, 128 pacientes com IAM. As seguintes variáveis serão avaliadas e correlacionadas com estresse glicêmico: atividade simpática, atividade do eixo hipotálamo-hipófise-adrenal, resistência periférica à insulina, perfil lipidico, atividade das metaloproteinases, atividade do sistema de coagulação, atividade inflamatória e presença de diabete melito prévio. Secundariamente estudar-se-á o papel destes marcadores na evolução clínica dos pacientes (mortalidade global e desfecho composto de mortalidade, reinfarto, isquemia refratária e choque cardiogênico). (AU)

Estudo de proteínas envolvidas no processo de calcificação óssea e extra-ossea em ratos urêmicos paratireoidectomizados, submetidos a dieta rica e pobre em fósforo associada a infusão fixa de..

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Vanda Jorgetti
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:03/14158-3
Vigência: 01 de maio de 2004 - 31 de agosto de 2007
Assunto(s):Insuficiência renal crônicaOsteodistrofia renal
Resumo
A Insuficiência Renal Crônica (IRC) associa-se com elevada morbidade e mortalidade cardiovascular, sendo responsável por cerca de 50% dos óbitos em pacientes sob tratamento dialítico. Outra complicação freqüente presente na IRC é a Osteodistrofia Renal (OR), especialmente o Hiperparatireoidismo secundário (HPTH). Para controlar a OR, preconiza-se que a concentração de fósforo sérico seja menor que 5,5mg/dL, produto cálcio x fósforo menor que 55mg/dL e que os valores de paratormônio (PTH) fiquem entre 2 a 3x o valor normal. Trabalhos recentes têm questionado se esses valores de PTH não seriam deletérios para o aparelho cardiovascular, contribuindo assim, para manter a elevada mortalidade desses pacientes. Este estudo se propõe a avaliar a participação de proteínas envolvidas na calcificação, através de imuno-hitoquímica e biologia molecular (Northem Blot) no tecido ósseo e cardiovascular, com diferentes concentrações de PTH e variações no teor de fósforo da dieta em modelo experimental de uremia em ratos paratireoidectomizados. (AU)

Níveis plasmáticos de interleucina-6, interleucina-10, procalcitonina e Proteína C Reativa em crianças com diagnóstico clínico de sepse e choque séptico

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina (FMB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu, SP, Brasil
Pesquisador responsável:José Roberto Fioretto
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Saúde Materno-infantil
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:04/03776-0
Vigência: 01 de fevereiro de 2005 - 31 de janeiro de 2007
Assunto(s):Choque sépticoPediatriaSepseInterleucinas
Resumo
A sepse e o choque séptico constituem-se em desafio para a medicina intensiva. A incidência tem aumentado e a taxa de mortalidade permanece elevada, variando de 40% a 80%. A definição clínica de sepse vem sendo motivo de controvérsia, pois os critérios adotados em 1991 foram considerados muito amplos e não específicos por levarem em conta apenas dados clínicos. Novas definições publicadas em 2001 incluíram a dosagem de marcadores bioquímicos entre as variáveis para diagnosticar sepse em adultos. Como em pediatria ainda não está estabelecida a utilização de marcadores bioquímicos como critérios diagnósticos de SRIS e sepse, os objetivos deste estudo são: 1) estudar os níveis plasmáticos de IL-6, IL-10, PCR e PCT no plasma e sobrenadante de cultura de células mononucleares de crianças com diagnóstico clínico de sepse e choque séptico; 2) determinar a correlação entre o critério diagnóstico clínico de sepse e as concentrações plasmáticas destes marcadores; 3) investigar a relação entre estes marcadores e a mortalidade. (AU)

Avaliação da hemodiafiltração no período peri-operatório da ovariosalpingohisterectomia, em cadelas com piometra e refratárias ao tratamento conservador da insuficiência renal aguda

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Angelo João Stopiglia
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Clínica e Cirurgia Animal
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:04/03957-5
Vigência: 01 de agosto de 2004 - 31 de julho de 2006
Assunto(s):CãesDiáliseHemodiafiltraçãoLesão renal agudaPiometra
Resumo
A Insuficiência Renal Aguda (IRA) em cães com sepse apresenta grande morbidade e mortalidade. O tratamento conservador da IRA nestes casos não tem se mostrado efetivo em virtude da alta mortalidade. Uma opção nesses casos seria a Hemodiafiltração,utilizada no homem e com resultados satisfatórios. Este estudo utilizará cadelas com piometra e IRA que não responderam ao tratamento conservador da IRA. Para tanto utilizar-se-ão 10 animais da espécie canina, fêmea, de diferentes raças e idades que entrarão no projeto no caso de preencherem os pré-requisitos de inclusão. Serão aplicadas 3 sessões de hemodiafiltração, com intervalos de 24 horas e 2 horas de duração e avaliar-se-ão os seguintes parâmetros: avaliação da hemodinâmica central; oxigenação; ventilação, equilíbrio ácido-básico e eletrólitos; hemograma; perfusão renal; função renal; peso corpóreo; tempo de coagulação ativada e adequação ao tratamento, antes e após cada sessão de hemodiafiltração. (AU)

Avaliação do potencial terapêutico do bloqueio simpático esplâncnico combinado a hiper-hidratação na sepse grave

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Ivan Hong Jun Koh
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Processo:12/20841-7
Vigência: 01 de novembro de 2012 - 31 de outubro de 2014
Assunto(s):Translocação bacterianaMicrocirculaçãoSepseMicrobiota intestinal
Resumo
A complexa manifestação clínica da resposta inflamatória do hospedeiro ao microrganismo na sepse grave abrange alterações dos sistemas neuro-imuno-endócrino no desencadeamento da disfunção hemodinâmica, falência de órgãos e óbito. Neste sentido, a exacerbação da inflamação sistêmica tem sido correlacionada a hipóxia citopática, hipoperfusão esplâncnica, disrrupção da barreira vascular e intestinal, translocação bacteriana, ativação da imunidade intestinal e sistêmica, predomínio adrenérgico sobre parede dos microvasos e macrófagos do baço, e múltiplos outros estímulos conhecidos e desconhecidos. O efeito resultante desencadeia, de forma progressiva, a disfunção microcirculatória de órgãos e estes eventos antecedem às alterações da macrocirculação, mostrando a importância de monitoramento da microcirculação nos processos terapêuticos da sepse. Em experimentos anteriores e em progresso, a fluidoterapia agressiva e precoce determinou melhora de 20% na sobrevida de animais submetidos à sepse semi-letal e de 100% quando associada ao bloqueio da aferência simpática do território esplâncnico, por meio de analgesia epidural. Esta associação também minimizou o sobrecrescimento microbiano de Gram negativos em todo o intestino e a subsequente translocação bacteriana. Considerando que esta combinação terapêutica aplicada na fase precoce de uma sepse grave preveniu a ocorrência de falência de órgãos e subsequente mortalidade, decidimos testar o seu potencial terapêutico mesmo em fase tardia de uma sepse grave, onde as disfunções vásculo-teciduais já estão instaladas em maior proporção como no choque séptico. Desta forma, ao modular a cinética temporal da disfunção micro-hemodinâmica que ocorre proporcional à gravidade da sepe, espera-se minimizar o processo de exacerbação da resposta inflamatória e subsequente falência de órgãos, reduzindo a elevada mortalidade da sepse. (AU)

Ecologia populacional de invertebrados bentônicos na Baía do Araçá, litoral norte do Estado de São Paulo

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto Oceanográfico (IO). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Alexander Turra
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Oceanografia - Oceanografia Biológica
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Processo:13/07576-5
Vigência: 01 de agosto de 2013 - 29 de fevereiro de 2016
Assunto(s):Impactos ambientaisEcologia de populações
Resumo
Estudos ecológicos podem subsidiar o entendimento de possíveis diferenças inter-populacionais quanto a abundância, dieta alimentar, estrutura de tamanho, crescimento, mortalidade e reprodução decorrentes de diferentes características físicas da praia. Concomitantemente, o monitoramento desses aspectos ecológicos pode elucidar como as populações são afetadas pela ação antrópica, que se apresenta intensa e diversificada nesse ambiente, além de fornecer subsídios para a elaboração de planos de manejo e conservação. Nesse cenário, esse projeto visa realizar um amplo estudo sobre a ecologia de algumas espécies de invertebrados bentônicos na baía do Araçá, localizada no canal de São Sebastião (Litoral Norte do Estado de São Paulo). As espécies alvos, possivelmente crustáceos e moluscos, serão determinadas de acordo com suas abundâncias na área de estudo. A distribuição espacial das espécies será analisada considerando a influência de fatores ambientais e bióticos. Análises e comparações da dieta alimentar, da alometria e da reprodução também serão realizadas, assim como serão estimados parâmetros da dinâmica populacional como crescimento, mortalidade e a expectativa de vida. A produção e a taxa de renovação das populações serão estimadas fornecendo uma base quantitativa para entender a importância das espécies no fluxo de energia das praias componentes da baía do Araçá. Por fim, experimentos serão planejados para avaliar a influência dos fatores ambientas na ecologia dos diferentes organismos e mesmo na estruturação da comunidade. (AU)

Implantação de Registro de Trauma (RT) como ferramenta para identificação de problemas e melhora da qualidade no atendimento a traumatizados

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Hospital Central. Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo (ISCMSP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:José Gustavo Parreira
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Processo:14/22738-4
Vigência: 01 de dezembro de 2014 - 30 de novembro de 2015
Convênio/Acordo de cooperação com a FAPESP: CNPq - PPSUS
Assunto(s):Causas externasControle da qualidadeAcidentes por quedas
Resumo
Estima-se que, no mundo, cinco milhões de pessoas morrem anualmente em decorrência do trauma. Para cada morte, há dúzias de hospitalizações, centenas de avaliações em serviços de emergência e milhares de avaliações médicas. O controle de qualidade no atendimento ao traumatizado se tornou um ponto fundamental para diminuição da mortalidade, da morbidade, dos custos e até para reconhecimento de medidas com objetivo de prevenção. Dentre as medidas propostas para melhora da qualidade está o desenvolvimento de um Registro de Trauma, que poderia ser descrito como um banco de dados alimentado com informações coletadas "em tempo real" do atendimento ao traumatizado. A gravidade fisiológica e a anatômica do trauma podem ser estratificadas por escores (índices de trauma), bem como a probabilidade de sobrevivência. Os resultados e mortalidade observados podem ser comparados com os estimados pelos índices de trauma para a avaliação da qualidade. Contudo, no Brasil, não dispomos de um Registro de Trauma. Há alguns problemas previsíveis para a implantação do Registro de Trauma em hospitais brasileiros. Não há verba direcionada para este fim e questiona-se a real utilidade desta ferramenta em um sistema como o nosso, pois há outras prioridades de investimento. Desta forma, propomos este estudo, no qual será realizada a implantação de um Registro de Trauma no Pronto Socorro Central do Hospital Central da Santa Casa de São Paulo. O projeto será desenvolvido em sete fases em um período de dois anos, avaliando a busca de recursos, a preparação e treinamento da equipe, a coleta de dados, a avaliação dos resultados encontrados, a proposta de medidas para a melhoria de qualidade e a reavaliação do processo. Acreditamos que, com os resultados encontrados, haja dados para propor a implantação definitiva do Registro de Trauma e de outras ferramentas para a melhora de atendimento ao traumatizado não apenas no nosso Hospital mas em todo o país. (AU)

Implantação de Registro de Trauma (RT) com ferramenta para identificação de problemas e melhora da qualidade no atendimento a traumatizados

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Hospital Central. Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo (ISCMSP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:José Gustavo Parreira
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Processo:14/22728-9
Vigência: 01 de dezembro de 2014 - 30 de novembro de 2015
Convênio/Acordo de cooperação com a FAPESP: CNPq - PPSUS
Assunto(s):Causas externasControle da qualidadeAcidentes por quedas
Resumo
Estima-se que, no mundo, cinco milhões de pessoas morrem anualmente em decorrência do trauma. Para cada morte, há dúzias de hospitalizações, centenas de avaliações em serviços de emergência e milhares de avaliações médicas. O controle de qualidade no atendimento ao traumatizado se tornou um ponto fundamental para diminuição da mortalidade, da morbidade, dos custos e até para reconhecimento de medidas com objetivo de prevenção. Dentre as medidas propostas para melhora da qualidade está o desenvolvimento de um Registro de Trauma, que poderia ser descrito como um banco de dados alimentado com informações coletadas "em tempo real" do atendimento ao traumatizado. A gravidade fisiológica e a anatômica do trauma podem ser estratificadas por escores (índices de trauma), bem como a probabilidade de sobrevivência. Os resultados e mortalidade observados podem ser comparados com os estimados pelos índices de trauma para a avaliação da qualidade. Contudo, no Brasil, não dispomos de um Registro de Trauma. Há alguns problemas previsíveis para a implantação do Registro de Trauma em hospitais brasileiros. Não há verba direcionada para este fim e quetiona-se a real utilidade desta ferramenta em um sistema como o nosso, pois há outras prioridades de investimento. Desta forma, propomos este estudo, no qual será realizada a implantação de um Registro de Trauma no Pronto Socorro Central do Hospital Central da Santa Casa de São Paulo. O projeto será desenvolvido em sete fases em um périodo de dois anos, avaliando a busca de recursos, a preparação e treinamento da equipe, a coleta de dados, a avaliação dos resultados encontrados, a proposta de medidas para a melhora de qualidade e a reavaliação do processo. Acreditamos que, com os resultados encontrados, haja dados para propor a implantação definitiva do Registro de Trauma e de outras ferramentas para a melhora de atendimento ao traumatizado não apenas no nosso Hospital mas em todo o país. (AU)

Implantação de Registro de Trauma (RT) como ferramenta para identificação de problemas e melhora da qualidade no atendimento a traumatizados

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Hospital Central. Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo (ISCMSP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:José Gustavo Parreira
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Processo:14/22645-6
Vigência: 01 de dezembro de 2014 - 30 de novembro de 2015
Convênio/Acordo de cooperação com a FAPESP: CNPq - PPSUS
Assunto(s):Causas externasControle da qualidadeAcidentes por quedas
Resumo
Estima-se que, no mundo, cinco milhões de pessoas morrem anualmente em decorrência do trauma. Para cada morte, há dúzias de hospitalizações, centenas de avaliações em serviços de emergência e milhares de avaliações médicas. O controle de qualidade no atendimento ao traumatizado se tornou um ponto fundamental para diminuição da mortalidade, da morbidade, dos custos e até para reconhecimento de medidas com objetivo de prevenção. Dentre as medidas propostas para melhora da qualidade está o desenvolvimento de um Registro de Trauma, que poderia ser descrito como um banco de dados alimentado com informações coletadas "em tempo real" do atendimento ao traumatizado. A gravidade fisiológica e a anatômica do trauma podem ser estratificadas por escores (índices de trauma), bem como a probabilidade de sobrevivência. Os resultados e mortalidade observados podem ser comparados com os estimados pelos índices de trauma para a avaliação da qualidade. Contudo, no Brasil, não dispomos de um Registro de Trauma. Há alguns problemas previsíveis para a implantação do Registro de Trauma em hospitais brasileiros. Não há verba direcionada para este fim e questiona-se a real utilidade desta ferramenta em um sistema como o nosso, pois há outras prioridades de investimento. Desta forma, propomos este estudo, no qual será realizada a implantação de um Registro de Trauma no Pronto Socorro Central do Hospital Central da Santa Casa de São Paulo. O projeto será desenvolvido em sete fases em um período de dois anos, avaliando a busca de recursos, a preparação e treinamento da equipe, a coleta de dados, a avaliação dos resultados encontrados, a proposta de medidas para a melhoria de qualidade e a reavaliação do processo. Acreditamos que, com os resultados encontrados, haja dados para propor a implantação definitiva do Registro de Trauma e de outras ferramentas para a melhora de atendimento ao traumatizado não apenas no nosso Hospital mas em todo o país. (AU)

Implantação de Registro de Trauma (RT) como ferramenta para identificação de problemas e melhora da qualidade no atendimento a traumatizados

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Hospital Central. Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo (ISCMSP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:José Gustavo Parreira
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Processo:14/22653-9
Vigência: 01 de dezembro de 2014 - 30 de novembro de 2015
Convênio/Acordo de cooperação com a FAPESP: CNPq - PPSUS
Assunto(s):Causas externasControle da qualidadeAcidentes por quedas
Resumo
Estima-se que, no mundo, cinco milhões de pessoas morrem anualmente em decorrência do trauma. Para cada morte, há dúzias de hospitalizações, centenas de avaliações em serviços de emergência e milhares de avaliações médicas. O controle de qualidade no atendimento ao traumatizado se tornou um ponto fundamental para diminuição da mortalidade, da morbidade, dos custos e até para reconhecimento de medidas com objetivo de prevenção. Dentre as medidas propostas para melhora da qualidade está o desenvolvimento de um Registro de Trauma, que poderia ser descrito como um banco de dados alimentado com informações coletadas "em tempo real" do atendimento ao traumatizado. A gravidade fisiológica e a anatômica do trauma podem ser estratificadas por escores (índices de trauma), bem como a probabilidade de sobrevivência. Os resultados e mortalidade observados podem ser comparados com os estimados pelos índices de trauma para a avaliação da qualidade. Contudo, no Brasil, não dispomos de um Registro de Trauma. Há alguns problemas previsíveis para a implantação do Registro de Trauma em hospitais brasileiros. Não há verba direcionada para este fim e questiona-se a real utilidade desta ferramenta em um sistema como o nosso, pois há outras prioridades de investimento. Desta forma, propomos este estudo, no qual será realizada a implantação de um Registro de Trauma no Pronto Socorro Central do Hospital Central da Santa Casa de São Paulo. O projeto será desenvolvido em sete fases em um período de dois anos, avaliando a busca de recursos, a preparação e treinamento da equipe, a coleta de dados, a avaliação dos resultados encontrados, a proposta de medidas para a melhoria de qualidade e a reavaliação do processo. Acreditamos que, com os resultados encontrados, haja dados para propor a implantação definitiva do Registro de Trauma e de outras ferramentas para a melhora de atendimento ao traumatizado não apenas no nosso Hospital mas em todo o país. (AU)

Implantação de Registro de Trauma (RT) como ferramenta para identificação de problemas e melhora da qualidade no atendimento a traumatizados

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Hospital Central. Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo (ISCMSP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:José Gustavo Parreira
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Processo:14/22638-0
Vigência: 01 de dezembro de 2014 - 30 de novembro de 2015
Convênio/Acordo de cooperação com a FAPESP: CNPq - PPSUS
Assunto(s):Causas externasControle da qualidadeAcidentes por quedas
Resumo
Estima-se que, no mundo, cinco milhões de pessoas morrem anualmente em decorrência do trauma. Para cada morte, há dúzias de hospitalizações, centenas de avaliações em serviços de emergência e milhares de avaliações médicas. O controle de qualidade no atendimento ao traumatizado se tornou um ponto fundamental para diminuição da mortalidade, da morbidade, dos custos e até para reconhecimento de medidas com objetivo de prevenção. Dentre as medidas propostas para melhora da qualidade está o desenvolvimento de um Registro de Trauma, que poderia ser descrito como um banco de dados alimentado com informações coletadas "em tempo real" do atendimento ao traumatizado. A gravidade fisiológica e a anatômica do trauma podem ser estratificadas por escores (índices de trauma), bem como a probabilidade de sobrevivência. Os resultados e mortalidade observados podem ser comparados com os estimados pelos índices de trauma para a avaliação da qualidade. Contudo, no Brasil, não dispomos de um Registro de Trauma. Há alguns problemas previsíveis para a implantação do Registro de Trauma em hospitais brasileiros. Não há verba direcionada para este fim e questiona-se a real utilidade desta ferramenta em um sistema como o nosso, pois há outras prioridades de investimento. Desta forma, propomos este estudo, no qual será realizada a implantação de um Registro de Trauma no Pronto Socorro Central do Hospital Central da Santa Casa de São Paulo. O projeto será desenvolvido em sete fases em um período de dois anos, avaliando a busca de recursos, a preparação e treinamento da equipe, a coleta de dados, a avaliação dos resultados encontrados, a proposta de medidas para a melhoria de qualidade e a reavaliação do processo. Acreditamos que, com os resultados encontrados, haja dados para propor a implantação definitiva do Registro de Trauma e de outras ferramentas para a melhora de atendimento ao traumatizado não apenas no nosso Hospital mas em todo o país. (AU)

Implantação de Registro de Trauma (RT) como ferramenta para identificação de problemas e melhora da qualidade no atendimento a traumatizados

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Hospital Central. Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo (ISCMSP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:José Gustavo Parreira
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Processo:14/22655-1
Vigência: 01 de dezembro de 2014 - 30 de novembro de 2015
Convênio/Acordo de cooperação com a FAPESP: CNPq - PPSUS
Assunto(s):Causas externasControle da qualidadeAcidentes por quedas
Resumo
Estima-se que, no mundo, cinco milhões de pessoas morrem anualmente em decorrência do trauma. Para cada morte, há dúzias de hospitalizações, centenas de avaliações em serviços de emergência e milhares de avaliações médicas. O controle de qualidade no atendimento ao traumatizado se tornou um ponto fundamental para diminuição da mortalidade, da morbidade, dos custos e até para reconhecimento de medidas com objetivo de prevenção. Dentre as medidas propostas para melhora da qualidade está o desenvolvimento de um Registro de Trauma, que poderia ser descrito como um banco de dados alimentado com informações coletadas "em tempo real" do atendimento ao traumatizado. A gravidade fisiológica e a anatômica do trauma podem ser estratificadas por escores (índices de trauma), bem como a probabilidade de sobrevivência. Os resultados e mortalidade observados podem ser comparados com os estimados pelos índices de trauma para a avaliação da qualidade. Contudo, no Brasil, não dispomos de um Registro de Trauma. Há alguns problemas previsíveis para a implantação do Registro de Trauma em hospitais brasileiros. Não há verba direcionada para este fim e questiona-se a real utilidade desta ferramenta em um sistema como o nosso, pois há outras prioridades de investimento. Desta forma, propomos este estudo, no qual será realizada a implantação de um Registro de Trauma no Pronto Socorro Central do Hospital Central da Santa Casa de São Paulo. O projeto será desenvolvido em sete fases em um período de dois anos, avaliando a busca de recursos, a preparação e treinamento da equipe, a coleta de dados, a avaliação dos resultados encontrados, a proposta de medidas para a melhoria de qualidade e a reavaliação do processo. Acreditamos que, com os resultados encontrados, haja dados para propor a implantação definitiva do Registro de Trauma e de outras ferramentas para a melhora de atendimento ao traumatizado não apenas no nosso Hospital mas em todo o país. (AU)

Implantação de Registro de Trauma (RT) como ferramenta para identificação de problemas e melhora da qualidade no atendimento a traumatizados

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Hospital Central. Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo (ISCMSP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:José Gustavo Parreira
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Processo:14/22657-4
Vigência: 01 de dezembro de 2014 - 30 de novembro de 2015
Convênio/Acordo de cooperação com a FAPESP: CNPq - PPSUS
Assunto(s):Causas externasControle da qualidadeAcidentes por quedas
Resumo
Estima-se que, no mundo, cinco milhões de pessoas morrem anualmente em decorrência do trauma. Para cada morte, há dúzias de hospitalizações, centenas de avaliações em serviços de emergência e milhares de avaliações médicas. O controle de qualidade no atendimento ao traumatizado se tornou um ponto fundamental para diminuição da mortalidade, da morbidade, dos custos e até para reconhecimento de medidas com objetivo de prevenção. Dentre as medidas propostas para melhora da qualidade está o desenvolvimento de um Registro de Trauma, que poderia ser descrito como um banco de dados alimentado com informações coletadas "em tempo real" do atendimento ao traumatizado. A gravidade fisiológica e a anatômica do trauma podem ser estratificadas por escores (índices de trauma), bem como a probabilidade de sobrevivência. Os resultados e mortalidade observados podem ser comparados com os estimados pelos índices de trauma para a avaliação da qualidade. Contudo, no Brasil, não dispomos de um Registro de Trauma. Há alguns problemas previsíveis para a implantação do Registro de Trauma em hospitais brasileiros. Não há verba direcionada para este fim e questiona-se a real utilidade desta ferramenta em um sistema como o nosso, pois há outras prioridades de investimento. Desta forma, propomos este estudo, no qual será realizada a implantação de um Registro de Trauma no Pronto Socorro Central do Hospital Central da Santa Casa de São Paulo. O projeto será desenvolvido em sete fases em um período de dois anos, avaliando a busca de recursos, a preparação e treinamento da equipe, a coleta de dados, a avaliação dos resultados encontrados, a proposta de medidas para a melhoria de qualidade e a reavaliação do processo. Acreditamos que, com os resultados encontrados, haja dados para propor a implantação definitiva do Registro de Trauma e de outras ferramentas para a melhora de atendimento ao traumatizado não apenas no nosso Hospital mas em todo o país. (AU)

Implantação de Registro de Trauma (RT) como ferramenta para identificação de problemas e melhora da qualidade no atendimento a traumatizados

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Hospital Central. Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo (ISCMSP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:José Gustavo Parreira
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Processo:14/22651-6
Vigência: 01 de dezembro de 2014 - 30 de novembro de 2015
Convênio/Acordo de cooperação com a FAPESP: CNPq - PPSUS
Assunto(s):Causas externasControle da qualidadeAcidentes por quedas
Resumo
Estima-se que, no mundo, cinco milhões de pessoas morrem anualmente em decorrência do trauma. Para cada morte, há dúzias de hospitalizações, centenas de avaliações em serviços de emergência e milhares de avaliações médicas. O controle de qualidade no atendimento ao traumatizado se tornou um ponto fundamental para diminuição da mortalidade, da morbidade, dos custos e até para reconhecimento de medidas com objetivo de prevenção. Dentre as medidas propostas para melhora da qualidade está o desenvolvimento de um Registro de Trauma, que poderia ser descrito como um banco de dados alimentado com informações coletadas "em tempo real" do atendimento ao traumatizado. A gravidade fisiológica e a anatômica do trauma podem ser estratificadas por escores (índices de trauma), bem como a probabilidade de sobrevivência. Os resultados e mortalidade observados podem ser comparados com os estimados pelos índices de trauma para a avaliação da qualidade. Contudo, no Brasil, não dispomos de um Registro de Trauma. Há alguns problemas previsíveis para a implantação do Registro de Trauma em hospitais brasileiros. Não há verba direcionada para este fim e questiona-se a real utilidade desta ferramenta em um sistema como o nosso, pois há outras prioridades de investimento. Desta forma, propomos este estudo, no qual será realizada a implantação de um Registro de Trauma no Pronto Socorro Central do Hospital Central da Santa Casa de São Paulo. O projeto será desenvolvido em sete fases em um período de dois anos, avaliando a busca de recursos, a preparação e treinamento da equipe, a coleta de dados, a avaliação dos resultados encontrados, a proposta de medidas para a melhoria de qualidade e a reavaliação do processo. Acreditamos que, com os resultados encontrados, haja dados para propor a implantação definitiva do Registro de Trauma e de outras ferramentas para a melhora de atendimento ao traumatizado não apenas no nosso Hospital mas em todo o país. (AU)

Implantação de Registro de Trauma (RT) como ferramenta para identificação de problemas e melhora da qualidade no atendimento a traumatizados

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Hospital Central. Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo (ISCMSP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:José Gustavo Parreira
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Processo:14/22647-9
Vigência: 01 de dezembro de 2014 - 30 de novembro de 2015
Convênio/Acordo de cooperação com a FAPESP: CNPq - PPSUS
Assunto(s):Causas externasControle da qualidadeAcidentes por quedas
Resumo
Estima-se que, no mundo, cinco milhões de pessoas morrem anualmente em decorrência do trauma. Para cada morte, há dúzias de hospitalizações, centenas de avaliações em serviços de emergência e milhares de avaliações médicas. O controle de qualidade no atendimento ao traumatizado se tornou um ponto fundamental para diminuição da mortalidade, da morbidade, dos custos e até para reconhecimento de medidas com objetivo de prevenção. Dentre as medidas propostas para melhora da qualidade está o desenvolvimento de um Registro de Trauma, que poderia ser descrito como um banco de dados alimentado com informações coletadas "em tempo real" do atendimento ao traumatizado. A gravidade fisiológica e a anatômica do trauma podem ser estratificadas por escores (índices de trauma), bem como a probabilidade de sobrevivência. Os resultados e mortalidade observados podem ser comparados com os estimados pelos índices de trauma para a avaliação da qualidade. Contudo, no Brasil, não dispomos de um Registro de Trauma. Há alguns problemas previsíveis para a implantação do Registro de Trauma em hospitais brasileiros. Não há verba direcionada para este fim e questiona-se a real utilidade desta ferramenta em um sistema como o nosso, pois há outras prioridades de investimento. Desta forma, propomos este estudo, no qual será realizada a implantação de um Registro de Trauma no Pronto Socorro Central do Hospital Central da Santa Casa de São Paulo. O projeto será desenvolvido em sete fases em um período de dois anos, avaliando a busca de recursos, a preparação e treinamento da equipe, a coleta de dados, a avaliação dos resultados encontrados, a proposta de medidas para a melhoria de qualidade e a reavaliação do processo. Acreditamos que, com os resultados encontrados, haja dados para propor a implantação definitiva do Registro de Trauma e de outras ferramentas para a melhora de atendimento ao traumatizado não apenas no nosso Hospital mas em todo o país. (AU)

Implantação de Registro de Trauma (RT) como ferramenta para identificação de problemas e melhora da qualidade no atendimento a traumatizados

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Hospital Central. Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo (ISCMSP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:José Gustavo Parreira
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Processo:14/22745-0
Vigência: 01 de dezembro de 2014 - 30 de novembro de 2015
Convênio/Acordo de cooperação com a FAPESP: CNPq - PPSUS
Assunto(s):Causas externasControle da qualidadeAcidentes por quedas
Resumo
Estima-se que, no mundo, cinco milhões de pessoas morrem anualmente em decorrência do trauma. Para cada morte, há dúzias de hospitalizações, centenas de avaliações em serviços de emergência e milhares de avaliações médicas. O controle de qualidade no atendimento ao traumatizado se tornou um ponto fundamental para diminuição da mortalidade, da morbidade, dos custos e até para reconhecimento de medidas com objetivo de prevenção. Dentre as medidas propostas para melhora da qualidade está o desenvolvimento de um Registro de Trauma, que poderia ser descrito como um banco de dados alimentado com informações coletadas "em tempo real" do atendimento ao traumatizado. A gravidade fisiológica e a anatômica do trauma podem ser estratificadas por escores (índices de trauma), bem como a probabilidade de sobrevivência. Os resultados e mortalidade observados podem ser comparados com os estimados pelos índices de trauma para a avaliação da qualidade. Contudo, no Brasil, não dispomos de um Registro de Trauma. Há alguns problemas previsíveis para a implantação do Registro de Trauma em hospitais brasileiros. Não há verba direcionada para este fim e questiona-se a real utilidade desta ferramenta em um sistema como o nosso, pois há outras prioridades de investimento. Desta forma, propomos este estudo, no qual será realizada a implantação de um Registro de Trauma no Pronto Socorro Central do Hospital Central da Santa Casa de São Paulo. O projeto será desenvolvido em sete fases em um período de dois anos, avaliando a busca de recursos, a preparação e treinamento da equipe, a coleta de dados, a avaliação dos resultados encontrados, a proposta de medidas para a melhoria de qualidade e a reavaliação do processo. Acreditamos que, com os resultados encontrados, haja dados para propor a implantação definitiva do Registro de Trauma e de outras ferramentas para a melhora de atendimento ao traumatizado não apenas no nosso Hospital mas em todo o país. (AU)

Aplicabilidade de métodos de rastreamento nutricional no paciente hospitalizado

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Dan Linetzky Waitzberg
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Nutrição
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:07/58049-4
Vigência: 01 de março de 2008 - 28 de fevereiro de 2010
Assunto(s):MorbidadeMortalidade
Resumo
A desnutrição hospitalar está associada à maiores taxas de morbi-mortalidade. A detecção prévia da desnutrição, obtida através de ferramenta ou método de rastreamento do risco nutricional, previne o desenvolvimento, a instalação e a piora da desnutrição. Embora existam diferentes ferramentas de rastreamento do risco nutricional, ainda não há disponível em nosso meio um método padronizado especificamente para aplicação em pacientes de hospitais públicos brasileiros. O presente plano de pesquisa consiste em estudo prospectivo que propõe comparar quatro métodos de rastreamento nutricional a fim de detectar o mais indicado para identificar o risco nutricional de pacientes hospitalizados pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Após a assinatura do termo de consentimento livre e esclarecido para a participação no protocolo de pesquisa, previamente aprovado pela CAPPesq sob o número 1317/06, 705 pacientes adultos admitidos em até 48 horas no Instituto Central do Hospital das Clínicas (ICHC) da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP) serão submetidos ao questionário composto de quatro métodos de rastreamento nutricional previamente validados e amplamente utilizados na Europa e Estados Unidos, a fim de estabelecer a eficiência de cada um para identificar risco nutricional no paciente brasileiro. Os pacientes serão acompanhados até a alta hospitalar ou óbito para avaliar as complicações e tempo de internação hospitalar. O melhor método de rastreamento nutricional será aquele capaz de predizer risco nutricional associado a maior incidência de complicações e tempo de internação hospitalar prolongado. (AU)
Página 9 de 2.966 resultado(s)
|
Exportar 0 registro(s) selecionado(s) | Limpar seleção
CDi/FAPESP - Centro de Documentação e Informação da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo

R. Pio XI, 1500 - Alto da Lapa - CEP 05468-901 - São Paulo/SP - Brasil
cdi@fapesp.br - Converse com a FAPESP