site da FAPESP
 

Refine sua pesquisa

Pesquisa
  • Uma ou mais palavras adicionais
Publicações científicas
Auxílios à Pesquisa
Bolsas
Programas voltados a Temas Específicos
Programas de Pesquisa direcionados à Aplicação
Programas de Infraestrutura de Pesquisa
Área do conhecimento
Situação
Ano de início
Página 9 de 2.706 resultado(s)
|

Avaliação farmacogenética e metabolômica para fármacos anti-hipertensivos

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto do Coração Professor Euryclides de Jesus Zerbini (INCOR). Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Paulo Caleb Júnior de Lima Santos
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Processo:14/10984-0
Vigência: 01 de julho de 2014 - 30 de junho de 2015
Assunto(s):FarmacogenéticaCardiologia
Resumo
As doenças cardiovasculares continuam sendo as principais causas de morte no mundo e a aplicação farmacológica é uma das bases do tratamento, que nas últimas décadas foi uma das grandes responsáveis pelas reduções na morbidade e mortalidade. Neste projeto, além do estudo farmacogenético em uma instituição com tradição, será abordado o novíssimo campo de pesquisa chamado farmacometabolômica. Assim, os objetivos do TT são: executar e participar das análises pela tecnologia Openarray e pela análise metabolômica. Identificar polimorfismos ou alterações metabolômicas associados à efetividade no tratamento da hipertensão, aos efeitos adversos medicamentosos ou à resistência ao tratamento em pacientes tratados com anti-hipertensivos. Serão avaliados 1500 pacientes com hipertensão arterial, os quais foram acompanhados por um período de 24 semanas. Nosso desenho de estudo apresenta poder estatístico pelo número de pacientes envolvidos e considerável número de marcadores genéticos e metaboloma testados. Assim, a possibilidade do tratamento personalizado e da identificação de hipertensos resistentes resultaria, no cenário clínico e epidemiológico, na redução de complicações decorrentes da hipertensão e da mortalidade cardiovascular. Além disso, a abordagem do recente campo de pesquisa chamado farmacometabolômica é um aspecto bastante relevante, pois seus resultados poderão esclarecer mecanismos para variações às respostas ao tratamento, ou ainda, entender como as alterações genéticas influenciam nas respostas. (AU)

O co-ativador de transcrição gênica PGC-1 em modelo experimental de sepse

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Heraldo Possolo de Souza
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:10/10552-2
Vigência: 01 de agosto de 2010 - 31 de julho de 2011
Assunto(s):MortalidadePulmão
Resumo
A incidência de sepse e choque séptico vem aumentando nas últimas décadas. O tratamento do choque séptico se baseia em três vertentes principais: (1) erradicação da infecção com antimicrobianos e/ou drenagem cirúrgica; (2) monitoramento e correção, em UTI, de alterações fisiológicas como ritmo cardíaco, pressão arterial, fornecimento de oxigênio e desarranjos metabólicos; (3) inibição ou modulação dos mediadores tóxicos da sepse. Contudo, todos esses esforços terapêuticos se mostram relativamente ineficazes, tendo em vista as altas taxas de letalidade associadas à sepse. Algumas das alterações mais relevantes nos quadros sépticos incluem distúrbios no metabolismo energético, cujo controle vem sendo, recentemente, relacionado a alguns grupos de coativadores transcricionais, como o PGC-1.Em estudos prévios de nosso laboratório, demonstramos que ocorre aumento da expressão de PGC-1 durante a resposta à inoculação de bactérias na cavidade peritoneal. No entanto, esses estudos iniciais não exploraram a existência de uma relação causal entre esses dois fenômenos. Assim, nossa hipótese é que o aumento da expressão de PGC-1 seja necessária para uma adequada resposta inflamatória à agressão bacteriana e que na sua ausência, essa resposta é deficiente. Para tanto, iremos determinar a relação entre a expressão de PGC-1 e o desenvolvimento da resposta inflamatória em um modelo experimental de sepse. Serão avaliadas a mortalidade e a resposta inflamatória em camundongos submetidos à punção e ligadura cecal onde a expressão de PGC-1 será diminuído através do uso de antissenso específico. (AU)

Avaliação da viabilidade neonatal e prognóstico de sobrevivência em filhotes de cães nascidos de cesariana

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Maria Lucia Gomes Lourenço
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Clínica e Cirurgia Animal
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Processo:12/10689-3
Vigência: 01 de julho de 2012 - 31 de maio de 2013
Assunto(s):CãesNeonatologiaNeonatologia veterinária
Resumo
Alta mortalidade neonatal em cães é reportada tanto nos partos eutócicos como nas distocias. A avaliação da viabilidade do cão recém-nascido e a detecção precoce do sofrimento fetal contribuem para a redução da mortalidade ao nascimento na espécie canina. Os achados clínicos e os resultados dos exames laboratoriais no momento do nascimento refletem os eventos fisiológicos mais recentes da transição fetal-neonatal, além de possibilitarem à identificação dos recém-nascidos que necessitam de intervenção médica rápida. Baseado nisso, as alterações desses parâmetros, clínicos e laboratoriais, ao nascimento, bem como nas horas seguintes ao parto podem ser utilizados para estabelecer a probabilidade do risco do óbito neonatal. O presente projeto tem como objetivos: 1) avaliar a viabilidade neonatal em cães recém-nascidos (escore de Apgar modificado, hemogasometria, glicemia, lactato e peso corporal) oriundos de eutocia (Grupo 1 - três cadelas em eutocia) e de cesariana (Grupo 2 - sete cadelas submetidas à cesariana), ao nascimento e uma hora após; 2) estabelecer o prognóstico de sobrevivência dos filhotes nascidos por eutocia e por cesariana em curto prazo (até duas horas; acima de duas horas; até 24 horas após o parto). (AU)

Avaliação do potencial terapêutico do bloqueio simpático esplâncnico combinado a hiper-hidratação na sepse grave

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Ivan Hong Jun Koh
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Processo:12/20841-7
Vigência: 01 de novembro de 2012 - 31 de outubro de 2014
Assunto(s):Microbiota intestinalMicrocirculaçãoSepseTranslocação bacteriana
Resumo
A complexa manifestação clínica da resposta inflamatória do hospedeiro ao microrganismo na sepse grave abrange alterações dos sistemas neuro-imuno-endócrino no desencadeamento da disfunção hemodinâmica, falência de órgãos e óbito. Neste sentido, a exacerbação da inflamação sistêmica tem sido correlacionada a hipóxia citopática, hipoperfusão esplâncnica, disrrupção da barreira vascular e intestinal, translocação bacteriana, ativação da imunidade intestinal e sistêmica, predomínio adrenérgico sobre parede dos microvasos e macrófagos do baço, e múltiplos outros estímulos conhecidos e desconhecidos. O efeito resultante desencadeia, de forma progressiva, a disfunção microcirculatória de órgãos e estes eventos antecedem às alterações da macrocirculação, mostrando a importância de monitoramento da microcirculação nos processos terapêuticos da sepse. Em experimentos anteriores e em progresso, a fluidoterapia agressiva e precoce determinou melhora de 20% na sobrevida de animais submetidos à sepse semi-letal e de 100% quando associada ao bloqueio da aferência simpática do território esplâncnico, por meio de analgesia epidural. Esta associação também minimizou o sobrecrescimento microbiano de Gram negativos em todo o intestino e a subsequente translocação bacteriana. Considerando que esta combinação terapêutica aplicada na fase precoce de uma sepse grave preveniu a ocorrência de falência de órgãos e subsequente mortalidade, decidimos testar o seu potencial terapêutico mesmo em fase tardia de uma sepse grave, onde as disfunções vásculo-teciduais já estão instaladas em maior proporção como no choque séptico. Desta forma, ao modular a cinética temporal da disfunção micro-hemodinâmica que ocorre proporcional à gravidade da sepe, espera-se minimizar o processo de exacerbação da resposta inflamatória e subsequente falência de órgãos, reduzindo a elevada mortalidade da sepse. (AU)

Estratificação de risco cirúrgico como instrumento de inovação em programas de cirurgia cardíaca no Sistema Único de Saúde do Estado de São Paulo

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto do Coração Professor Euryclides de Jesus Zerbini (INCOR). Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Luiz Augusto Ferreira Lisboa
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Processo:13/23237-6
Vigência: 01 de dezembro de 2013 - 31 de julho de 2015
Convênio/Acordo de cooperação com a FAPESP: CNPq - PPSUS
Assunto(s):Procedimentos cirúrgicos cardiovascularesCirurgia torácicaDoenças cardiovascularesMortalidade hospitalar
Resumo
Doenças cardiovasculares representam a maior carga de morbimortalidade para o sistema de saúde e a cirurgia cardíaca desempenha importante impacto na sua resolutividade. O agrupamento das informações demográficas e clínicas relevantes dos pacientes acometidos, no nível de estratos específicos e em correlação com os conjuntos de recursos requeridos, representa a possibilidade de adaptar, aprimorar e inovar nos programas assistenciais. Este projeto tem por objetivo remodelar o escore de risco "InsCor" para formulação do SP-SCORE (São Paulo System for Cardiac Operative Risk Evaluation), visando refletir melhor a complexidade da assistência cirúrgica cardíaca. Os hospitais participantes integram os Núcleos de Avaliação de Tecnologias da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo (NATSs/SES-SP). Para a elaboração do SP-SCORE, serão utilizadas as 10 variáveis do modelo InsCor e 8 outras com suposta influência no Brasil. Os desfechos primários consistem na morbidade e na mortalidade hospitalar. A técnica de bootstrap junto a procedimentos de seleção automatizada de variáveis "stepwise" será utilizada para desenvolver um modelo parcimonioso por meio da regressão logística múltipla. Este projeto visa subsidiar a sustentabilidade e o financiamento do SUS-SP para as Redes Regionalizadas de Atenção à Saúde (RRAS) de cirurgias de coronária e/ou valva, promovendo alocação equitativa, incremento do acesso e efetividade, bem como caracterizar a magnitude dos recursos disponíveis e seu impacto. (AU)

Estratificação de risco cirúrgico como instrumento de inovação em programas de cirurgia cardíaca no Sistema Único de Saúde do Estado de São Paulo

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto do Coração Professor Euryclides de Jesus Zerbini (INCOR). Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Luiz Augusto Ferreira Lisboa
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Processo:13/23193-9
Vigência: 01 de dezembro de 2013 - 31 de julho de 2015
Convênio/Acordo de cooperação com a FAPESP: CNPq - PPSUS
Assunto(s):Procedimentos cirúrgicos cardiovascularesCirurgia torácicaDoenças cardiovascularesMortalidade hospitalar
Resumo
Doenças cardiovasculares representam a maior carga de morbimortalidade para o sistema de saúde e a cirurgia cardíaca desempenha importante impacto na sua resolutividade. O agrupamento das informações demográficas e clínicas relevantes dos pacientes acometidos, no nível de estratos específicos e em correlação com os conjuntos de recursos requeridos, representa a possibilidade de adaptar, aprimorar e inovar nos programas assistenciais. Este projeto tem por objetivo remodelar o escore de risco "InsCor" para formulação do SP-SCORE (São Paulo System for Cardiac Operative Risk Evaluation), visando refletir melhor a complexidade da assistência cirúrgica cardíaca. Os hospitais participantes integram os Núcleos de Avaliação de Tecnologias da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo (NATSs/SES-SP). Para a elaboração do SP-SCORE, serão utilizadas as 10 variáveis do modelo InsCor e 8 outras com suposta influência no Brasil. Os desfechos primários consistem na morbidade e na mortalidade hospitalar. A técnica de bootstrap junto a procedimentos de seleção automatizada de variáveis "stepwise" será utilizada para desenvolver um modelo parcimonioso por meio da regressão logística múltipla. Este projeto visa subsidiar a sustentabilidade e o financiamento do SUS-SP para as Redes Regionalizadas de Atenção à Saúde (RRAS) de cirurgias de coronária e/ou valva, promovendo alocação equitativa, incremento do acesso e efetividade, bem como caracterizar a magnitude dos recursos disponíveis e seu impacto. (AU)

Estratificação de risco cirúrgico como instrumento de inovação em programas de cirurgia cardíaca no Sistema Único de Saúde do Estado de São Paulo

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto do Coração Professor Euryclides de Jesus Zerbini (INCOR). Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Luiz Augusto Ferreira Lisboa
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Processo:13/23186-2
Vigência: 01 de dezembro de 2013 - 31 de julho de 2015
Convênio/Acordo de cooperação com a FAPESP: CNPq - PPSUS
Assunto(s):Procedimentos cirúrgicos cardiovascularesCirurgia torácicaDoenças cardiovascularesMortalidade hospitalar
Resumo
Doenças cardiovasculares representam a maior carga de morbimortalidade para o sistema de saúde e a cirurgia cardíaca desempenha importante impacto na sua resolutividade. O agrupamento das informações demográficas e clínicas relevantes dos pacientes acometidos, no nível de estratos específicos e em correlação com os conjuntos de recursos requeridos, representa a possibilidade de adaptar, aprimorar e inovar nos programas assistenciais. Este projeto tem por objetivo remodelar o escore de risco "InsCor" para formulação do SP-SCORE (São Paulo System for Cardiac Operative Risk Evaluation), visando refletir melhor a complexidade da assistência cirúrgica cardíaca. Os hospitais participantes integram os Núcleos de Avaliação de Tecnologias da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo (NATSs/SES-SP). Para a elaboração do SP-SCORE, serão utilizadas as 10 variáveis do modelo InsCor e 8 outras com suposta influência no Brasil. Os desfechos primários consistem na morbidade e na mortalidade hospitalar. A técnica de bootstrap junto a procedimentos de seleção automatizada de variáveis "stepwise" será utilizada para desenvolver um modelo parcimonioso por meio da regressão logística múltipla. Este projeto visa subsidiar a sustentabilidade e o financiamento do SUS-SP para as Redes Regionalizadas de Atenção à Saúde (RRAS) de cirurgias de coronária e/ou valva, promovendo alocação equitativa, incremento do acesso e efetividade, bem como caracterizar a magnitude dos recursos disponíveis e seu impacto. (AU)

Doenças gênicas e anomalias congênitas com repercussões graves sobre o sistema imunológico: um modelo de triagem neonatal por meio de desenvolvimento e validação de testes diagnósticos e estudo epidemiológico

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Antonio Condino Neto
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Humana e Médica
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Processo:11/50436-4
Vigência: 01 de setembro de 2011 - 07 de janeiro de 2015
Assunto(s):Triagem neonatal
Resumo
As imunodeficiências primárias são doenças causadas por alterações gênicas que resultam em elevada susceptibilidade a infecções graves e recorrentes de início precoce e elevada morbidade e mortalidade. Este projeto tem por objetivo contribuir para o avanço no diagnóstico e implementação de testes de triagem neonatal para as imunodeficiências primárias: Síndrome de Di George, que se estima ser a síndrome genética de deleção mais prevalente (1:3000 nascidos vivos) e as Imunodeficiências Combinadas Graves (SCID), que constituem um grupo de doenças com diferentes defeitos genéticos identificados, que evoluem para o óbito precoce se não forem diagnosticadas e tratadas a tempo. A metodologia a ser abordada é rápida e possui custo abaixo dos testes hoje disponíveis. Contando com recursos já aprovados para o projeto de pesquisa científica e tecnológica em Genética Clínica CNPq 401895/2010-6, implantaremos técnicas de detecção molecular para triagem neonatal de SCID e Síndrome de Di George possibilitando que os pacientes sejam contabilizados e tratados corretamente, diminuindo, portanto, a morbidade e mortalidade. Futuramente, estes pacientes poderão ter tratamento e suporte adequados, e suas famílias aconselhamento genético apropriado; tudo isso, no âmbito do sistema público de saúde, uma vez que desenvolveremos nosso projeto em serviço credenciado no Sistema Único de Saúde (SUS). (AU)

Estratificação de risco cirúrgico como instrumento de inovação em programas de cirurgia cardíaca no Sistema Único de Saúde do Estado de São Paulo

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto do Coração Professor Euryclides de Jesus Zerbini (INCOR). Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Luiz Augusto Ferreira Lisboa
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Processo:13/23321-7
Vigência: 01 de janeiro de 2014 - 31 de agosto de 2015
Convênio/Acordo de cooperação com a FAPESP: CNPq - PPSUS
Assunto(s):Procedimentos cirúrgicos cardiovascularesCirurgia torácicaDoenças cardiovascularesMortalidade hospitalar
Resumo
Doenças cardiovasculares representam a maior carga de morbimortalidade para o sistema de saúde e a cirurgia cardíaca desempenha importante impacto na sua resolutividade. O agrupamento das informações demográficas e clínicas relevantes dos pacientes acometidos, no nível de estratos específicos e em correlação com os conjuntos de recursos requeridos, representa a possibilidade de adaptar, aprimorar e inovar nos programas assistenciais. Este projeto tem por objetivo remodelar o escore de risco "InsCor" para formulação do SP-SCORE (São Paulo System for Cardiac Operative Risk Evaluation), visando refletir melhor a complexidade da assistência cirúrgica cardíaca. Os hospitais participantes integram os Núcleos de Avaliação de Tecnologias da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo (NATSs/SES-SP). Para a elaboração do SP-SCORE, serão utilizadas as 10 variáveis do modelo InsCor e 8 outras com suposta influência no Brasil. Os desfechos primários consistem na morbidade e na mortalidade hospitalar. A técnica de bootstrap junto a procedimentos de seleção automatizada de variáveis "stepwise" será utilizada para desenvolver um modelo parcimonioso por meio da regressão logística múltipla. Este projeto visa subsidiar a sustentabilidade e o financiamento do SUS-SP para as Redes Regionalizadas de Atenção à Saúde (RRAS) de cirurgias de coronária e/ou valva, promovendo alocação equitativa, incremento do acesso e efetividade, bem como caracterizar a magnitude dos recursos disponíveis e seu impacto. (AU)

Implantação de Registro de Trauma (RT) como ferramenta para identificação de problemas e melhora da qualidade no atendimento a traumatizados

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Hospital Central. Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo (ISCMSP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:José Gustavo Parreira
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Processo:14/22739-0
Vigência: 01 de dezembro de 2014 - 30 de novembro de 2015
Assunto(s):ViolênciaCausas externasControle da qualidade
Resumo
Estima-se que, no mundo, cinco milhões de pessoas morrem anualmente em decorrência do trauma. Para cada morte, há dúzias de hospitalizações, centenas de avaliações em serviços de emergência e milhares de avaliações médicas. O controle de qualidade no atendimento ao traumatizado se tornou um ponto fundamental para diminuição da mortalidade, da morbidade, dos custos e até para reconhecimento de medidas com objetivo de prevenção. Dentre as medidas propostas para melhora da qualidade está o desenvolvimento de um Registro de Trauma, que poderia ser descrito como um banco de dados alimentado com informações coletadas "em tempo real" do atendimento ao traumatizado. A gravidade fisiológica e a anatômica do trauma podem ser estratificadas por escores (índices de trauma), bem como a probabilidade de sobrevivência. Os resultados e mortalidade observados podem ser comparados com os estimados pelos índices de trauma para a avaliação da qualidade. Contudo, no Brasil, não dispomos de um Registro de Trauma. Há alguns problemas previsíveis para a implantação do Registro de Trauma em hospitais brasileiros. Não há verba direcionada para este fim e quetiona-se a real utilidade desta ferramenta em um sistema como o nosso, pois há outras prioridades de investimento. Desta forma, propomos este estudo, no qual será realizada a implantação de um Registro de Trauma no Pronto Socorro Central do Hospital Central da Santa Casa de São Paulo. O projeto será desenvolvido em sete fases em um périodo de dois anos, avaliando a busca de recursos, a preparação e treinamento da equipe, a coleta de dados, a avaliação dos resultados encontrados, a proposta de medidas para a melhora de qualidade e a reavaliação do processo. Acreditamos que, com os resultados encontrados, haja dados para propor a implantação definitiva do Registro de Trauma e de outras ferramentas para a melhora de atendimento ao traumatizado não apenas no nosso Hospital mas em todo o país. (AU)

Implantação de Registro de Trauma (RT) como ferramenta para identificação de problemas e melhora da qualidade no atendimento a traumatizados

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Hospital Central. Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo (ISCMSP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:José Gustavo Parreira
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Processo:14/22738-4
Vigência: 01 de dezembro de 2014 - 30 de novembro de 2015
Assunto(s):ViolênciaCausas externasControle da qualidade
Resumo
Estima-se que, no mundo, cinco milhões de pessoas morrem anualmente em decorrência do trauma. Para cada morte, há dúzias de hospitalizações, centenas de avaliações em serviços de emergência e milhares de avaliações médicas. O controle de qualidade no atendimento ao traumatizado se tornou um ponto fundamental para diminuição da mortalidade, da morbidade, dos custos e até para reconhecimento de medidas com objetivo de prevenção. Dentre as medidas propostas para melhora da qualidade está o desenvolvimento de um Registro de Trauma, que poderia ser descrito como um banco de dados alimentado com informações coletadas "em tempo real" do atendimento ao traumatizado. A gravidade fisiológica e a anatômica do trauma podem ser estratificadas por escores (índices de trauma), bem como a probabilidade de sobrevivência. Os resultados e mortalidade observados podem ser comparados com os estimados pelos índices de trauma para a avaliação da qualidade. Contudo, no Brasil, não dispomos de um Registro de Trauma. Há alguns problemas previsíveis para a implantação do Registro de Trauma em hospitais brasileiros. Não há verba direcionada para este fim e quetiona-se a real utilidade desta ferramenta em um sistema como o nosso, pois há outras prioridades de investimento. Desta forma, propomos este estudo, no qual será realizada a implantação de um Registro de Trauma no Pronto Socorro Central do Hospital Central da Santa Casa de São Paulo. O projeto será desenvolvido em sete fases em um périodo de dois anos, avaliando a busca de recursos, a preparação e treinamento da equipe, a coleta de dados, a avaliação dos resultados encontrados, a proposta de medidas para a melhora de qualidade e a reavaliação do processo. Acreditamos que, com os resultados encontrados, haja dados para propor a implantação definitiva do Registro de Trauma e de outras ferramentas para a melhora de atendimento ao traumatizado não apenas no nosso Hospital mas em todo o país. (AU)

Implantação de Registro de Trauma (RT) com ferramenta para identificação de problemas e melhora da qualidade no atendimento a traumatizados

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Hospital Central. Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo (ISCMSP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:José Gustavo Parreira
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Processo:14/22728-9
Vigência: 01 de dezembro de 2014 - 30 de novembro de 2015
Assunto(s):ViolênciaCausas externasControle da qualidade
Resumo
Estima-se que, no mundo, cinco milhões de pessoas morrem anualmente em decorrência do trauma. Para cada morte, há dúzias de hospitalizações, centenas de avaliações em serviços de emergência e milhares de avaliações médicas. O controle de qualidade no atendimento ao traumatizado se tornou um ponto fundamental para diminuição da mortalidade, da morbidade, dos custos e até para reconhecimento de medidas com objetivo de prevenção. Dentre as medidas propostas para melhora da qualidade está o desenvolvimento de um Registro de Trauma, que poderia ser descrito como um banco de dados alimentado com informações coletadas "em tempo real" do atendimento ao traumatizado. A gravidade fisiológica e a anatômica do trauma podem ser estratificadas por escores (índices de trauma), bem como a probabilidade de sobrevivência. Os resultados e mortalidade observados podem ser comparados com os estimados pelos índices de trauma para a avaliação da qualidade. Contudo, no Brasil, não dispomos de um Registro de Trauma. Há alguns problemas previsíveis para a implantação do Registro de Trauma em hospitais brasileiros. Não há verba direcionada para este fim e quetiona-se a real utilidade desta ferramenta em um sistema como o nosso, pois há outras prioridades de investimento. Desta forma, propomos este estudo, no qual será realizada a implantação de um Registro de Trauma no Pronto Socorro Central do Hospital Central da Santa Casa de São Paulo. O projeto será desenvolvido em sete fases em um périodo de dois anos, avaliando a busca de recursos, a preparação e treinamento da equipe, a coleta de dados, a avaliação dos resultados encontrados, a proposta de medidas para a melhora de qualidade e a reavaliação do processo. Acreditamos que, com os resultados encontrados, haja dados para propor a implantação definitiva do Registro de Trauma e de outras ferramentas para a melhora de atendimento ao traumatizado não apenas no nosso Hospital mas em todo o país. (AU)

Implantação de Registro de Trauma (RT) como ferramenta para identificação de problemas e melhora da qualidade no atendimento a traumatizados

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Hospital Central. Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo (ISCMSP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:José Gustavo Parreira
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Processo:14/22645-6
Vigência: 01 de dezembro de 2014 - 30 de novembro de 2015
Assunto(s):ViolênciaCausas externasControle da qualidade
Resumo
Estima-se que, no mundo, cinco milhões de pessoas morrem anualmente em decorrência do trauma. Para cada morte, há dúzias de hospitalizações, centenas de avaliações em serviços de emergência e milhares de avaliações médicas. O controle de qualidade no atendimento ao traumatizado se tornou um ponto fundamental para diminuição da mortalidade, da morbidade, dos custos e até para reconhecimento de medidas com objetivo de prevenção. Dentre as medidas propostas para melhora da qualidade está o desenvolvimento de um Registro de Trauma, que poderia ser descrito como um banco de dados alimentado com informações coletadas "em tempo real" do atendimento ao traumatizado. A gravidade fisiológica e a anatômica do trauma podem ser estratificadas por escores (índices de trauma), bem como a probabilidade de sobrevivência. Os resultados e mortalidade observados podem ser comparados com os estimados pelos índices de trauma para a avaliação da qualidade. Contudo, no Brasil, não dispomos de um Registro de Trauma. Há alguns problemas previsíveis para a implantação do Registro de Trauma em hospitais brasileiros. Não há verba direcionada para este fim e quetiona-se a real utilidade desta ferramenta em um sistema como o nosso, pois há outras prioridades de investimento. Desta forma, propomos este estudo, no qual será realizada a implantação de um Registro de Trauma no Pronto Socorro Central do Hospital Central da Santa Casa de São Paulo. O projeto será desenvolvido em sete fases em um périodo de dois anos, avaliando a busca de recursos, a preparação e treinamento da equipe, a coleta de dados, a avaliação dos resultados encontrados, a proposta de medidas para a melhora de qualidade e a reavaliação do processo. Acreditamos que, com os resultados encontrados, haja dados para propor a implantação definitiva do Registro de Trauma e de outras ferramentas para a melhora de atendimento ao traumatizado não apenas no nosso Hospital mas em todo o país. (AU)

Implantação de Registro de Trauma (RT) como ferramenta para identificação de problemas e melhora da qualidade no atendimento a traumatizados

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Hospital Central. Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo (ISCMSP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:José Gustavo Parreira
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Processo:14/22653-9
Vigência: 01 de dezembro de 2014 - 30 de novembro de 2015
Assunto(s):ViolênciaCausas externasControle da qualidade
Resumo
Estima-se que, no mundo, cinco milhões de pessoas morrem anualmente em decorrência do trauma. Para cada morte, há dúzias de hospitalizações, centenas de avaliações em serviços de emergência e milhares de avaliações médicas. O controle de qualidade no atendimento ao traumatizado se tornou um ponto fundamental para diminuição da mortalidade, da morbidade, dos custos e até para reconhecimento de medidas com objetivo de prevenção. Dentre as medidas propostas para melhora da qualidade está o desenvolvimento de um Registro de Trauma, que poderia ser descrito como um banco de dados alimentado com informações coletadas "em tempo real" do atendimento ao traumatizado. A gravidade fisiológica e a anatômica do trauma podem ser estratificadas por escores (índices de trauma), bem como a probabilidade de sobrevivência. Os resultados e mortalidade observados podem ser comparados com os estimados pelos índices de trauma para a avaliação da qualidade. Contudo, no Brasil, não dispomos de um Registro de Trauma. Há alguns problemas previsíveis para a implantação do Registro de Trauma em hospitais brasileiros. Não há verba direcionada para este fim e quetiona-se a real utilidade desta ferramenta em um sistema como o nosso, pois há outras prioridades de investimento. Desta forma, propomos este estudo, no qual será realizada a implantação de um Registro de Trauma no Pronto Socorro Central do Hospital Central da Santa Casa de São Paulo. O projeto será desenvolvido em sete fases em um périodo de dois anos, avaliando a busca de recursos, a preparação e treinamento da equipe, a coleta de dados, a avaliação dos resultados encontrados, a proposta de medidas para a melhora de qualidade e a reavaliação do processo. Acreditamos que, com os resultados encontrados, haja dados para propor a implantação definitiva do Registro de Trauma e de outras ferramentas para a melhora de atendimento ao traumatizado não apenas no nosso Hospital mas em todo o país. (AU)

Implantação de Registro de Trauma (RT) como ferramenta para identificação de problemas e melhora da qualidade no atendimento a traumatizados

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Hospital Central. Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo (ISCMSP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:José Gustavo Parreira
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Processo:14/22731-0
Vigência: 01 de dezembro de 2014 - 30 de novembro de 2015
Assunto(s):ViolênciaCausas externasControle da qualidade
Resumo
Estima-se que, no mundo, cinco milhões de pessoas morrem anualmente em decorrência do trauma. Para cada morte, há dúzias de hospitalizações, centenas de avaliações em serviços de emergência e milhares de avaliações médicas. O controle de qualidade no atendimento ao traumatizado se tornou um ponto fundamental para diminuição da mortalidade, da morbidade, dos custos e até para reconhecimento de medidas com objetivo de prevenção. Dentre as medidas propostas para melhora da qualidade está o desenvolvimento de um Registro de Trauma, que poderia ser descrito como um banco de dados alimentado com informações coletadas "em tempo real" do atendimento ao traumatizado. A gravidade fisiológica e a anatômica do trauma podem ser estratificadas por escores (índices de trauma), bem como a probabilidade de sobrevivência. Os resultados e mortalidade observados podem ser comparados com os estimados pelos índices de trauma para a avaliação da qualidade. Contudo, no Brasil, não dispomos de um Registro de Trauma. Há alguns problemas previsíveis para a implantação do Registro de Trauma em hospitais brasileiros. Não há verba direcionada para este fim e quetiona-se a real utilidade desta ferramenta em um sistema como o nosso, pois há outras prioridades de investimento. Desta forma, propomos este estudo, no qual será realizada a implantação de um Registro de Trauma no Pronto Socorro Central do Hospital Central da Santa Casa de São Paulo. O projeto será desenvolvido em sete fases em um périodo de dois anos, avaliando a busca de recursos, a preparação e treinamento da equipe, a coleta de dados, a avaliação dos resultados encontrados, a proposta de medidas para a melhora de qualidade e a reavaliação do processo. Acreditamos que, com os resultados encontrados, haja dados para propor a implantação definitiva do Registro de Trauma e de outras ferramentas para a melhora de atendimento ao traumatizado não apenas no nosso Hospital mas em todo o país. (AU)

Implantação de Registro de Trauma (RT) como ferramenta para identificação de problemas e melhora da qualidade no atendimento a traumatizados

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Hospital Central. Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo (ISCMSP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:José Gustavo Parreira
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Processo:14/22638-0
Vigência: 01 de dezembro de 2014 - 30 de novembro de 2015
Assunto(s):ViolênciaCausas externasControle da qualidade
Resumo
Estima-se que, no mundo, cinco milhões de pessoas morrem anualmente em decorrência do trauma. Para cada morte, há dúzias de hospitalizações, centenas de avaliações em serviços de emergência e milhares de avaliações médicas. O controle de qualidade no atendimento ao traumatizado se tornou um ponto fundamental para diminuição da mortalidade, da morbidade, dos custos e até para reconhecimento de medidas com objetivo de prevenção. Dentre as medidas propostas para melhora da qualidade está o desenvolvimento de um Registro de Trauma, que poderia ser descrito como um banco de dados alimentado com informações coletadas "em tempo real" do atendimento ao traumatizado. A gravidade fisiológica e a anatômica do trauma podem ser estratificadas por escores (índices de trauma), bem como a probabilidade de sobrevivência. Os resultados e mortalidade observados podem ser comparados com os estimados pelos índices de trauma para a avaliação da qualidade. Contudo, no Brasil, não dispomos de um Registro de Trauma. Há alguns problemas previsíveis para a implantação do Registro de Trauma em hospitais brasileiros. Não há verba direcionada para este fim e quetiona-se a real utilidade desta ferramenta em um sistema como o nosso, pois há outras prioridades de investimento. Desta forma, propomos este estudo, no qual será realizada a implantação de um Registro de Trauma no Pronto Socorro Central do Hospital Central da Santa Casa de São Paulo. O projeto será desenvolvido em sete fases em um périodo de dois anos, avaliando a busca de recursos, a preparação e treinamento da equipe, a coleta de dados, a avaliação dos resultados encontrados, a proposta de medidas para a melhora de qualidade e a reavaliação do processo. Acreditamos que, com os resultados encontrados, haja dados para propor a implantação definitiva do Registro de Trauma e de outras ferramentas para a melhora de atendimento ao traumatizado não apenas no nosso Hospital mas em todo o país. (AU)

Implantação de Registro de Trauma (RT) como ferramenta para identificação de problemas e melhora da qualidade no atendimento a traumatizados

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Hospital Central. Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo (ISCMSP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:José Gustavo Parreira
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Processo:14/22655-1
Vigência: 01 de dezembro de 2014 - 30 de novembro de 2015
Assunto(s):ViolênciaCausas externasControle da qualidade
Resumo
Estima-se que, no mundo, cinco milhões de pessoas morrem anualmente em decorrência do trauma. Para cada morte, há dúzias de hospitalizações, centenas de avaliações em serviços de emergência e milhares de avaliações médicas. O controle de qualidade no atendimento ao traumatizado se tornou um ponto fundamental para diminuição da mortalidade, da morbidade, dos custos e até para reconhecimento de medidas com objetivo de prevenção. Dentre as medidas propostas para melhora da qualidade está o desenvolvimento de um Registro de Trauma, que poderia ser descrito como um banco de dados alimentado com informações coletadas "em tempo real" do atendimento ao traumatizado. A gravidade fisiológica e a anatômica do trauma podem ser estratificadas por escores (índices de trauma), bem como a probabilidade de sobrevivência. Os resultados e mortalidade observados podem ser comparados com os estimados pelos índices de trauma para a avaliação da qualidade. Contudo, no Brasil, não dispomos de um Registro de Trauma. Há alguns problemas previsíveis para a implantação do Registro de Trauma em hospitais brasileiros. Não há verba direcionada para este fim e quetiona-se a real utilidade desta ferramenta em um sistema como o nosso, pois há outras prioridades de investimento. Desta forma, propomos este estudo, no qual será realizada a implantação de um Registro de Trauma no Pronto Socorro Central do Hospital Central da Santa Casa de São Paulo. O projeto será desenvolvido em sete fases em um périodo de dois anos, avaliando a busca de recursos, a preparação e treinamento da equipe, a coleta de dados, a avaliação dos resultados encontrados, a proposta de medidas para a melhora de qualidade e a reavaliação do processo. Acreditamos que, com os resultados encontrados, haja dados para propor a implantação definitiva do Registro de Trauma e de outras ferramentas para a melhora de atendimento ao traumatizado não apenas no nosso Hospital mas em todo o país. (AU)

Implantação de Registro de Trauma (RT) como ferramenta para identificação de problemas e melhora da qualidade no atendimento a traumatizados

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Hospital Central. Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo (ISCMSP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:José Gustavo Parreira
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Processo:14/22657-4
Vigência: 01 de dezembro de 2014 - 30 de novembro de 2015
Assunto(s):ViolênciaCausas externasControle da qualidade
Resumo
Estima-se que, no mundo, cinco milhões de pessoas morrem anualmente em decorrência do trauma. Para cada morte, há dúzias de hospitalizações, centenas de avaliações em serviços de emergência e milhares de avaliações médicas. O controle de qualidade no atendimento ao traumatizado se tornou um ponto fundamental para diminuição da mortalidade, da morbidade, dos custos e até para reconhecimento de medidas com objetivo de prevenção. Dentre as medidas propostas para melhora da qualidade está o desenvolvimento de um Registro de Trauma, que poderia ser descrito como um banco de dados alimentado com informações coletadas "em tempo real" do atendimento ao traumatizado. A gravidade fisiológica e a anatômica do trauma podem ser estratificadas por escores (índices de trauma), bem como a probabilidade de sobrevivência. Os resultados e mortalidade observados podem ser comparados com os estimados pelos índices de trauma para a avaliação da qualidade. Contudo, no Brasil, não dispomos de um Registro de Trauma. Há alguns problemas previsíveis para a implantação do Registro de Trauma em hospitais brasileiros. Não há verba direcionada para este fim e quetiona-se a real utilidade desta ferramenta em um sistema como o nosso, pois há outras prioridades de investimento. Desta forma, propomos este estudo, no qual será realizada a implantação de um Registro de Trauma no Pronto Socorro Central do Hospital Central da Santa Casa de São Paulo. O projeto será desenvolvido em sete fases em um périodo de dois anos, avaliando a busca de recursos, a preparação e treinamento da equipe, a coleta de dados, a avaliação dos resultados encontrados, a proposta de medidas para a melhora de qualidade e a reavaliação do processo. Acreditamos que, com os resultados encontrados, haja dados para propor a implantação definitiva do Registro de Trauma e de outras ferramentas para a melhora de atendimento ao traumatizado não apenas no nosso Hospital mas em todo o país. (AU)

Implantação de Registro de Trauma (RT) como ferramenta para identificação de problemas e melhora da qualidade no atendimento a traumatizados

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Hospital Central. Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo (ISCMSP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:José Gustavo Parreira
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Processo:14/22651-6
Vigência: 01 de dezembro de 2014 - 30 de novembro de 2015
Assunto(s):ViolênciaCausas externasControle da qualidade
Resumo
Estima-se que, no mundo, cinco milhões de pessoas morrem anualmente em decorrência do trauma. Para cada morte, há dúzias de hospitalizações, centenas de avaliações em serviços de emergência e milhares de avaliações médicas. O controle de qualidade no atendimento ao traumatizado se tornou um ponto fundamental para diminuição da mortalidade, da morbidade, dos custos e até para reconhecimento de medidas com objetivo de prevenção. Dentre as medidas propostas para melhora da qualidade está o desenvolvimento de um Registro de Trauma, que poderia ser descrito como um banco de dados alimentado com informações coletadas "em tempo real" do atendimento ao traumatizado. A gravidade fisiológica e a anatômica do trauma podem ser estratificadas por escores (índices de trauma), bem como a probabilidade de sobrevivência. Os resultados e mortalidade observados podem ser comparados com os estimados pelos índices de trauma para a avaliação da qualidade. Contudo, no Brasil, não dispomos de um Registro de Trauma. Há alguns problemas previsíveis para a implantação do Registro de Trauma em hospitais brasileiros. Não há verba direcionada para este fim e quetiona-se a real utilidade desta ferramenta em um sistema como o nosso, pois há outras prioridades de investimento. Desta forma, propomos este estudo, no qual será realizada a implantação de um Registro de Trauma no Pronto Socorro Central do Hospital Central da Santa Casa de São Paulo. O projeto será desenvolvido em sete fases em um périodo de dois anos, avaliando a busca de recursos, a preparação e treinamento da equipe, a coleta de dados, a avaliação dos resultados encontrados, a proposta de medidas para a melhora de qualidade e a reavaliação do processo. Acreditamos que, com os resultados encontrados, haja dados para propor a implantação definitiva do Registro de Trauma e de outras ferramentas para a melhora de atendimento ao traumatizado não apenas no nosso Hospital mas em todo o país. (AU)

Análise do perfil protéico e lipídico de embriões pré-implantacionais bovinos obtidos por fecundação in vitro, transferência de embriões e por transferência nuclear de células somáticas pela técnica de espectrometria de massas

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Roseli Fernandes Gonçalves
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Reprodução Animal
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Processo:14/13890-7
Vigência: 01 de agosto de 2014 - 31 de agosto de 2015
Assunto(s):Transferência de embriões
Resumo
Embora atualmente a pecuária nacional tenha atingido um alto nível tecnológico, alguns fatores prejudicam o desempenho reprodutivo dos animais. Com isso, diminui a produtividade, lucratividade e conseqüentemente a competitividade da pecuária. A maior limitação para a eficiência reprodutiva dentre os mamíferos é a mortalidade embrionária, estimada entre 25-60%. A qualidade e a sobrevivência dos embriões produzidos in vitro, assim como por transferência nuclear de células somáticas são inferiores às dos embriões gerados in vivo. Pouco se sabe das alterações na expressão gênica e perfil protéico e lipídico que ocorrem em embriões pré-implantacionais bovinos obtidos por fecundação in vitro e por transferência nuclear de células somáticas quando comparados aos obtidos por transferência de embriões. O presente projeto propõe investigar o papel das proteínas e lipídios na mortalidade embrionária, bem como o efeito de diferentes biotecnologias do embrião sobre esse processo, tendo como objetivos: 1) caracterizar diferenças no perfil protéico global de embriões pré-implantacionais de bovinos Bos taurus e Bos indicus oriundos de fecundação in vitro, transferência de embriões e por transferência nuclear de células somáticas e sistematizar as informações obtidas de forma a se escolherem proteínas candidatas para a realização de análises mais profundas; 2) caracterizar a composição de ácidos graxos dos embriões pré-implantacionais; 3) identificar possíveis biomarcadores relacionados com a perda embrionária. (AU)

Esperança de vida livre de incapacidade em áreas cobertas pelo Programa Saúde da Família em Sorocaba

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Centro de Ciências Médicas e Biológicas de Sorocaba (CCMB). Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Sorocaba, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Reinaldo José Gianini
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:05/54354-1
Vigência: 01 de outubro de 2005 - 30 de setembro de 2006
Assunto(s):EquidadeEsperança de vidaMorbidadeMortalidade
Resumo
A Esperança de Vida como indicador isolado vem perdendo relevância na política de saúde, pois este indicador não leva em conta o aumento de doenças não-letais e crônico-degenerativas entre as pessoas que tiveram suas mortes evitadas. Esperança de Saúde (Health Expectancy) é relativamente um novo indicador que une tanto os números de mortalidade quanto de morbidade, além de mostrar uma melhor visão do estado de saúde de uma população. Um dos indicadores da esperança de saúde é a Esperança de Vida Livre de Incapacidades (DFLE - Disability-free Life Expectancy) - que mostra o tempo esperado de tempo de vida sem limitações ou incapacidades (deficiências), ou seja, a média de anos vividos sem limitações por uma pessoa. O DFLE é obtido pelo método de Sullivan, através de dados censitáries ou inquéritos realizados junto à população. Entretanto, existe a possibilidade de estimar o DFLE a partir de dados rotineiramente coletados pelo Programa Saúde de Família (PSF) onde este se encontra implantado. No município de Sorocaba o PSF está implantado nas áreas do Aparecidinha, Habiteto, Vila Sabiá e Vitória Régia. Vislumbra-se, portanto, uma excelente oportunidade de realizar uma estimativa do DFLE nestas áreas. Além disso, pode-se compará-lo com a Esperança de Vida e analisar suas possíveis diferenças segundo sexo e condições sócio-econômicas. (AU)

Manejo alternativo de Zabrotes subfasciatus (bohemann, 1833) (Coleoptera: Bruchidae) em feijão armazenado com espécies botânicas aplicadas em diferentes formulações

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências Agronômicas (FCA). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Edson Luiz Lopes Baldin
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitossanidade
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:09/52008-0
Vigência: 01 de setembro de 2009 - 31 de agosto de 2010
Assunto(s):Mortalidade
Resumo
A espécie Zabrotes subfasciatus Bohemann, 1833 (Coleoptera: Bruchidae), conhecida vulgarmente como caruncho-de-feijão, é apontada como uma das pragas mais prejudiciais durante o armazenamento de grãos dessa leguminosa. Estes insetos prejudicam ou, até mesmo, inviabilizam o comércio dos produtos, pelo fato de completarem seu ciclo reprodutivo nos armazéns, promovendo grandes infestações sobre os grãos e causando danos diretos e indiretos. Seu controle normalmente é feito através de métodos químicos convencionais. Contudo, esta prática pode prejudicar o ambiente e principalmente a saúde humana, devido à elevada toxicidade destes produtos, quando utilizados de forma inadequada. Torna-se, portanto, necessário o incentivo à pesquisa por métodos alternativos de controle desse inseto, como por exemplo, a utilização de materiais de origem vegetal, em diferentes formulações, cujas pesquisas têm sido bastante promissoras. Assim, o projeto terá por objetivo avaliar a bioatividade das espécies vegetais Azadirachta indica A. Juss., Pfaffia glomerata (Spreng.) Pedersen., Toona ciliata M. Roem., Ruta graveolens L:, Mentha pulegium L.( Chenopodium ambrosioides L., Trichilia catigua A. Juss., Piper aduncum L. e Piper tuberculatum Jacq., aplicadas em duas formulações (pós misturados aos grãos e sachês contendo pós) sobre o caruncho Z. subfasciatus, em condições de laboratório (T = 25 2º C; U.R.= 70 5% e fotofase = 12h). Serão efetuados testes de repelência e mortalidade, além do acompanhamento de diversos parâmetros biológicos do inseto, visando determinar a espécie vegetal mais efetiva dentro de cada formulação avaliada. (AU)

Efeitos da poluição do ar de São Paulo sobre o epitélio ciliado da rã - Subprojeto 2: efeitos do material particulado (PM10) sobre o batimento ciliar

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Paulo Hilário Nascimento Saldiva
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:96/12518-7
Vigência: 01 de abril de 1997 - 31 de março de 1999
Assunto(s):Fisiologia respiratória e circulatóriaDoenças respiratóriasDepuração mucociliarMaterial particuladoPoluição atmosféricaMortalidade
Resumo
Diversos estudos epidemiológicos têm mostrado grande associação entre poluição atmosférica e doenças respiratórias, tanto em termos de mortalidade, quanto de morbidade. Assim, o presente projeto visa dar plausibilidade biológica a estes dados epidemiológicos através de 4 subprojetos. Subprojeto 2: Este subprojeto pretende verificar em que medida a frequência de batimento ciliar (que remove partículas que entram no aparelho respiratório) é prejudicada frente a concentração crescentes de material particulado da poluição (PM10). (AU)

Efeitos da poluição do ar de São Paulo sobre o epitélio ciliado da rã - Subprojeto 3: efeitos do pH e potencial oxidante do PM10 na velociadade de transporte mucociliar

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Paulo Hilário Nascimento Saldiva
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:96/12516-4
Vigência: 01 de julho de 1997 - 30 de junho de 1999
Assunto(s):Fisiologia respiratória e circulatóriaDoenças respiratóriasDepuração mucociliarMaterial particuladoPoluição atmosféricaMortalidade
Resumo
Diversos estudos epidemiológicos têm mostrado grande associação entre poluição atmosférica e doenças respiratórias, tanto em termos de mortalidade, quanto de morbidade. Assim, o presente projeto visa dar plausibilidade biológica a estes dados epidemiológicos através de 4 subprojetos. Este subprojeto (3) visa determinar as alterações de velocidade de transporte mucociliar sob o efeito oxidante e pH do PM10 (material particulado) e após a sua neutralização. (AU)

Avaliação da produtividade de fêmeas Nelore sexualmente precoces nas diferentes fases da vida

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias (FCAV). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Jaboticabal. Jaboticabal, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Lucia Galvão de Albuquerque
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Zootecnia - Genética e Melhoramento dos Animais Domésticos
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:07/55966-6
Vigência: 01 de novembro de 2007 - 31 de outubro de 2008
Resumo
O objetivo do projeto é verificar a existência de diferenças no decorrer da vida produtiva entre as fêmeas sexualmente precoces e não precoces por meio das taxas de mortalidade neo e pós-natal, pesos e alturas em diferentes idades e habilidade de permanência no rebanho. Os dados são provenientes de fêmeas pertencentes a Agropecuária Jacarezinho Ltda., fazenda localizada em Valparaiso, São Paulo, que utiliza como critério de seleção características de crescimento, precocidade sexual e de terminação. As análises para pesos e altura do posterior serão conduzidas utilizando-se a metodologia REML, utilizando programas computacionais disponíveis gratuitamente. Sendo utilizado o efeito de ser ou não precoce sexualmente em conjunto com o procedimento de contrastes dentro do programa. Desta forma, pode ser verificado a existência do efeito significativo ou não desta variável sobre os pesos e a altura do posterior, com obtenção do erro da estimativa, pelo Teste T. A análise estatística da taxa de mortalidade será realizada no programa SAS, utilizando o procedimento GLM, com o intuito de verificar o efeito classificatório da fêmea ser ou não sexualmente precoce (concebeu na estação de monta antecipada). Para o estudo da produtividade da fêmea em termos de vida útil (habilidade de permanência), a análise estatística será realizada no programa SAS, utilizando o procedimento CATMOD, que analisa características categóricas por meio de regressão múltipla e distribuição não normal. (AU)

Efeitos da injeção de solução bicarbonatada de ácido acetil salicílico em mucosa colorretal de ratos e coelhos, com vistas a aplicação no preparo pré opreatorio do cólon

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina (FMB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Rogério Saad Hossne
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:06/52337-5
Vigência: 01 de julho de 2006 - 30 de junho de 2007
Assunto(s):Ácido acetilsalicílicoRecidiva
Resumo
O número de indivíduos afetados pelo câncer tem aumentado a cada ano; atualmente as neoplasias são a segunda causa de morte na população adulta. Dentre as principais neoplasias destaca-se o câncer colorretal pela sua alta incidência e mortalidade. Um dos fatores responsáveis pela mortalidade e recidiva local dos tumores colorretais é o implante de células tumorais livres no momento da realização da anastomose. Neste sentido diversos autores já demostraram a presença destas células tumorais livres na luz colônica como sendo responsáveis por este implante. Estes autores tem estudado medidas profiláticas visando a evitar este implante; dentre elas destaca-se a lavagem intestinal com diversas soluções como a fisiológica, de iodo e daquim. A solução bicarbonatada de ácido acetil salicilico já foi estudada por nós em trabalhos anteriores (mestrado e doutorado) quando pudemos comprovar o seu efeito anti tumoral e citolitico; desta forma, como está solução tem este efeito destruidor sobre células tumorais, achamos oportuno saber se esta solução poderia ser usada no preparo intestinal nas cirurgias oncológicas colorretal, para isso objetivamos estudar no presente trabalho os seus efeito sobre a mucosa colonica normal em animais de experimentação, e a partir destes resultado embasar eventual aplicação clínica em seres humanos. (AU)

Efeitos da poluição do ar de São Paulo sobre o epitélio ciliado da rã - Subprojeto 1: estudo da influência do material particulado (PM10) no transporte mucociliar e na diferença de potencial transepitelial

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Paulo Hilário Nascimento Saldiva
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:96/12519-3
Vigência: 01 de abril de 1997 - 31 de março de 1999
Assunto(s):Fisiologia respiratória e circulatóriaDoenças respiratóriasDepuração mucociliarMortalidadeMaterial particuladoPoluição atmosférica
Resumo
Diversos estudos epidemiológicos têm mostrado grande associação entre a poluição atmosférica e doenças respiratórias, tanto em termos de morbidade, quanto de mortalidade. Assim, o presente projeto visa dar plausibilidade biológica a estes dados epidemiológicos através de 4 subprojetos: O primeiro subprojeto estudará a influência do material particulado atmosférico na velocidade de transporte mucociliar e diferença de potencial transepitelial do epitélio ciliado, usando a preparação isolada do palato de rã, que apresenta um epitélio muito semelhante ao da árvore respiratória humana. (AU)

Análise espacial dos óbitos neonatais com foco no parto prematuro, Taubaté, SP

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto Básico de Biociências (IBB). Universidade de Taubaté (UNITAU). Taubaté, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Luiz Fernando Costa Nascimento
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Saúde Coletiva - Epidemiologia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:08/11305-9
Vigência: 01 de abril de 2009 - 31 de março de 2010
Assunto(s):GeoprocessamentoMortalidade neonatalSaúde materno-infantil
Resumo
O presente projeto tem por objetivo identificar padrões espaciais para a mortalidade neonatal e para partos prematuros na cidade de Taubaté, SP, nos anos de 2003 e 2004. A análise espacial vem se mostrando como ferramenta útil para identificação de padrões em setores da Saúde Pública. Recentemente, a revista Cadernos de Saúde Pública destinou um volume exclusivo neste assunto (ano 2001, volume 17, número 5. Espera-se identificar área com maior concentração de óbitos e área de partos prematuros. A análise espacial usará técnicas de área e de pontos. Este projeto se justifica pela inexistência de estudos abordando este tema no Estado de São Paulo em geral e no Vale do Paraíba em particular. Os resultados poderão orientar medidas de intervenção por parte dos Serviços de Saúde local e estadual. (AU)

Implantação de Registro de Trauma (RT) como ferramenta para identificação de problemas e melhora da qualidade no atendimento a traumatizados

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Hospital Central. Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo (ISCMSP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:José Gustavo Parreira
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Processo:14/05127-1
Vigência: 01 de maio de 2014 - 30 de abril de 2015
Convênio/Acordo de cooperação com a FAPESP: CNPq - PPSUS
Assunto(s):ViolênciaCausas externasControle da qualidade
Resumo
Estima-se que, no mundo, cinco milhões de pessoas morrem anualmente em decorrência do trauma. Para cada morte, há dúzias de hospitalizações, centenas de avaliações em serviços de emergência e milhares de avaliações médicas. O controle de qualidade no atendimento ao traumatizado se tornou um ponto fundamental para diminuição da mortalidade, da morbidade, dos custos e até para reconhecimento de medidas com objetivo de prevenção. Dentre as medidas propostas para melhora da qualidade está o desenvolvimento de um Registro de Trauma, que poderia ser descrito como um banco de dados alimentado com informações coletadas "em tempo real" do atendimento ao traumatizado. A gravidade fisiológica e a anatômica do trauma podem ser estratificadas por escores (índices de trauma), bem como a probabilidade de sobrevivência. Os resultados e mortalidade observados podem ser comparados com os estimados pelos índices de trauma para a avaliação da qualidade. Contudo, no Brasil, não dispomos de um Registro de Trauma. Há alguns problemas previsíveis para a implantação do Registro de Trauma em hospitais brasileiros. Não há verba direcionada para este fim e questiona-se a real utilidade desta ferramenta em um sistema como o nosso, pois há outras prioridades de investimento. Desta forma, propomos este estudo, no qual será realizada a implantação de um Registro de Trauma no Pronto Socorro Central do Hospital Central da Santa Casa de São Paulo. O projeto será desenvolvido em sete fases em um período de dois anos, avaliando a busca de recursos, a preparação e treinamento da equipe, a coleta de dados, a avaliação dos resultados encontrados, a proposta de medidas para a melhoria de qualidade e a reavaliação do processo. Acreditamos que, com os resultados encontrados, haja dados para propor a implantação definitiva do Registro de Trauma e de outras ferramentas para a melhora de atendimento ao traumatizado não apenas no nosso Hospital mas em todo o país. (AU)

Implantação de Registro de Trauma (RT) como ferramenta para identificação de problemas e melhora da qualidade no atendimento a traumatizados

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Hospital Central. Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo (ISCMSP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:José Gustavo Parreira
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Processo:14/05122-0
Vigência: 01 de maio de 2014 - 30 de abril de 2015
Convênio/Acordo de cooperação com a FAPESP: CNPq - PPSUS
Assunto(s):ViolênciaCausas externasControle da qualidade
Resumo
Estima-se que, no mundo, cinco milhões de pessoas morrem anualmente em decorrência do trauma. Para cada morte, há dúzias de hospitalizações, centenas de avaliações em serviços de emergência e milhares de avaliações médicas. O controle de qualidade no atendimento ao traumatizado se tornou um ponto fundamental para diminuição da mortalidade, da morbidade, dos custos e até para reconhecimento de medidas com objetivo de prevenção. Dentre as medidas propostas para melhora da qualidade está o desenvolvimento de um Registro de Trauma, que poderia ser descrito como um banco de dados alimentado com informações coletadas "em tempo real" do atendimento ao traumatizado. A gravidade fisiológica e a anatômica do trauma podem ser estratificadas por escores (índices de trauma), bem como a probabilidade de sobrevivência. Os resultados e mortalidade observados podem ser comparados com os estimados pelos índices de trauma para a avaliação da qualidade. Contudo, no Brasil, não dispomos de um Registro de Trauma. Há alguns problemas previsíveis para a implantação do Registro de Trauma em hospitais brasileiros. Não há verba direcionada para este fim e questiona-se a real utilidade desta ferramenta em um sistema como o nosso, pois há outras prioridades de investimento. Desta forma, propomos este estudo, no qual será realizada a implantação de um Registro de Trauma no Pronto Socorro Central do Hospital Central da Santa Casa de São Paulo. O projeto será desenvolvido em sete fases em um período de dois anos, avaliando a busca de recursos, a preparação e treinamento da equipe, a coleta de dados, a avaliação dos resultados encontrados, a proposta de medidas para a melhoria de qualidade e a reavaliação do processo. Acreditamos que, com os resultados encontrados, haja dados para propor a implantação definitiva do Registro de Trauma e de outras ferramentas para a melhora de atendimento ao traumatizado não apenas no nosso Hospital mas em todo o país. (AU)
Página 9 de 2.706 resultado(s)
|
Exportar 0 registro(s) selecionado(s) | Limpar seleção
CDi/FAPESP - Centro de Documentação e Informação da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo

R. Pio XI, 1500 - Alto da Lapa - CEP 05468-901 - São Paulo/SP - Brasil
cdi@fapesp.br - Converse com a FAPESP