site da FAPESP
 

Refine sua pesquisa

Pesquisa
  • Uma ou mais palavras adicionais
Publicações científicas
Auxílios à Pesquisa
Bolsas
Programas voltados a Temas Específicos
Programas de Infraestrutura de Pesquisa
Área do conhecimento
Situação
Ano de início
201 resultado(s)
|

Análise funcional e estrutural de transportador ABC de glutamina em Mycobacterium tuberculosis

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Andrea Balan
Local de pesquisa: Diamond Light Source (Inglaterra)
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Química de Macromoléculas
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Processo:14/19570-4
Vigência: 12 de janeiro de 2015 - 11 de abril de 2015
Assunto(s):Mycobacterium tuberculosisGlutamina
Resumo
As proteínas da membrana correspondem a 25% a 30% de todas as sequências transcritas dos genomas conhecidos e executam uma variedade de funções essenciais no metabolismo celular. Um progresso substancial foi feito na luta para a expressão, purificação e determinação das estruturas cristalinas de proteínas de membrana. Além disso, eles representam 50% dos alvos da indústria farmacêutica. Em M. tuberculosis, o agente causador da tuberculose, os tranportadores da família de cassete de ligação a ATP (ABC) de proteínas de membrana está envolvida no transporte de drogas e de resistência que permite o desenvolvimento de resistência a múltiplas drogas (MDR) e fármaco-resistente (cepas XDR). Portanto, o entendimento de mecanismos de efluxo é cada vez mais importante na área de descoberta de medicamentos da tuberculose. No projeto principal pretendemos produzir vários transportadores ABC de M. tuberculosis para estudos funcionais e estruturais. Após uma série de experimentos envolvendo ensaios de clonagem, expressão e purificação de proteínas que formam os complexos, selecionamos três transportadores para a caracterização detalhada. Os genes Rv2563 e Rv2564 codificam uma permease e uma ATPase do transportador de glutamina, aminoácido que é essencial na via do nitrogênio. O Rv2563 foi previamente expressa e cristalizado em ausência da ATPase e cristais difractaram a 7 Å de resolução. No entanto, a fim de obter os esforços dos transportadores completos foram feitos para expressar e purificar a ATPase e o complexo juntos. No momento em que o complexo foi produzido e a análise preliminar revelou que este é estável com em detergente DDM. Nesse sentido, os objetivos desta proposta são expressar e purificar o complexo em larga escala para ensaios de cristalização e experimentos de difração usando a linha de luz microfocus do Diamond Light Source. Além disso, iremos expressar e tentar obter dados estruturais do domínio periplasmático da permease, que será importante para o futuro faseamento e determinação da estrutura de cristal do complexo completo. Estes experimentos serão realizados no Laboratório de proteína de membrana no Diamond Light Source sob a supervisão de nosso colaborador Dr. Isabel de Moraes. (AU)

A mitocôndria como elemento central na resposta a estresses em plantas

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Centro de Biologia Molecular e Engenharia Genética (CBMEG). Coordenadoria de Centros e Núcleos Disciplinares (COCEN). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Paulo Arruda
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Vegetal
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Processo:14/17634-5
Vigência: 01 de novembro de 2014 - 31 de outubro de 2016
Assunto(s):Metabolismo energéticoZea maysFatores de transcriçãoRegulação da expressão gênica
Resumo
A mitocondria desempenha papel central na respiração aeróbica e no metabolismo energetico em organismos complexos. O metabolismo energético mitocondrial por sua vez é a principal fonte de espécies reativas de oxigênio (ROS). Para lidar com a expressiva geração de ROS e suas consequencias nocivas para o metabolismo celular como um todo, a mitocôndria controla um potente aparato antioxidante com reflexos na propria mitocondria, no citoplasma e nas outras organelas celulares. Apesar de durante o processo evolutivo as mitocôndrias terem mantido seu próprio genoma, a maior parte das proteinas mitocondriais são codificadas pelo genoma nuclear, enquanto que o genoma mitocondrial codifica um pequeno numero de proteínas, incluindo parte daquelas envolvidas nos complexos da cadeia de transporte de eletrons (CTE). Assim, alterações no metabolismo mitocondrial ditadas pelos processos de diferenciação e desenvolvimento ou adaptação a condições ambientais adversas, requerem uma estreita comunicação entre a mitocôndria, o núcleo, e outros compartimentos celulares. Em plantas, os elementos regulatórios envolvidos nesse processo ainda são pouco conhecidos. Recentemente demonstramos que a superexpressão da proteína desacopladora mitocondrial 1 (UCP1) em plantas de tabaco (Nicotiana tabacum) induz o processo de biogênese mitocondrial, altera a morfologia mitocondrial e amplifica uma extensa resposta anti-estresses. Com isso as plantas superexpressando UCP1 apresentam significativa melhora na performnce biológica sob diversas condições de estresses abióticos. Neste projeto propomos identificar genes candidatos que interfiram na comunicação entre a mitocôndria e outros compartimentos celulares visando à produção de plantas de milho (Zea mays) mais resistentes a estresses abióticos. (AU)

Efeitos do suco de maçã concentrado na colite induzida por TNBS em ratos wistar

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Ana Paula Ribeiro Paiotti
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Anatomia Patológica e Patologia Clínica
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:13/26845-7
Vigência: 01 de novembro de 2014 - 31 de outubro de 2016
Assunto(s):Compostos fenólicosEstresse oxidativoGastroenterologia
Resumo
A Doença de Crohn (DC) e colite ulcerativa (CU) são formas proeminentes de doenças inflamatórias intestinais (DIIs). A patogênese das DIIs é um processo multifatorial que leva a uma resposta imunológica exacerbada e um desequilíbrio na produção de citocinas, mediadores pró-inflamatórios e espécies reativas do oxigênio (EROs), que levam a lesão tecidual. Os antioxidantes são capazes de interceptar os radicais livres gerados pelo metabolismo celular ou por fontes exógenas, evitando a formação de lesões e perda da integridade celular. Vários estudos têm demonstrado efeitos biológicos relacionados a uma dieta rica em compostos fenólicos, tais como atividade antioxidante, anti-inflamatória, antimicrobiana e anti-carcinogênica. A maçã (Malus domestica) apresenta uma série de compostos ativos, chamados de fitoquímicos, que estão relacionados à prevenção de doenças crônicas. Extratos de maçã podem proteger o DNA, reduzir a proliferação e invasão de células tumores. Destarte, o objetivo do trabalho será avaliar os efeitos anti-inflamatórios e antioxidantes dos compostos fenólicos provenientes do suco de maçã na colite experimental crônica, utilizando-se do modelo TNBS. A fim de compreender o maquinário biológico envolvido nesse processo, avaliaremos a expressão gênica do TNF-±, NF-kappaB, ICAM-1, iNOS, COX-2 e das enzimas antioxidantes tais como catalase, Cu-Zn superóxido dismutase e Mn superóxido dismutase. (AU)

Consequências de deficiências de reparo de lesões no genoma

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Carlos Frederico Martins Menck
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Mutagênese
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Temático
Processo:14/15982-6
Vigência: 01 de novembro de 2014 - 31 de outubro de 2019
Assunto(s):Xeroderma pigmentosoReparação de dna
Resumo
O material genético está sob constante agressão do meio ambiente ou mesmo por sub-produtos do metabolismo celular, que induzem lesões na molécula de DNA. As células apresentam várias respostas que as protegem dessas lesões, incluindo sua remoção através de mecanismos de reparo de DNA, ou tolerância a lesões, de forma que o material genético possa ser replicado ou transcrito, apesar dos danos. Nosso grupo tem desenvolvido trabalhos no sentido de compreender como atuam os mecanismos e respostas celulares que mantém a estabilidade genômica, assim como as consequência de lesões não removidas para as células e organismos. A importância desses sistemas para o funcionamento celular é atestada pelo alto grau de conservação evolutiva destes e, em seres humanos, dramaticamente ilustrada pela existência de problemas genéticos relacionados a defeitos em mecanismos de reparo de DNA ou comprometimento das respostas às lesões, que resultam em fenótipos clínicos com alta frequência de carcinogênese, problemas no desenvolvimento, neurodegeneração e envelhecimento precoce. Assim, parte importante deste projeto foca estudos em células humanas, sobretudo aquelas derivadas de pacientes com deficiências em mecanismos de reparo de DNA, como é o caso xeroderma pigmentosum (XP), síndrome de Cockayne (CS), tricotiodistrofia (TTD), além de outras síndromes identificadas mais recentemente. Em um dos subprojetos propostos, pretendemos investigar efeitos dos componentes UV da luz solar. O mecanismo de formação de lesões no genoma pela irradiação UVA, por exemplo, não é completamente compreendido e tampouco as respostas celulares a esses danos, sobretudo em relação a morte ou mutagênese. Dada a importância de processos oxidativos na geração de lesões endógenas nas células, as respostas que levam a diferentes tipos de morte celular após a indução de estresse oxidativo serão investigados em células com deficiências em reparo de DNA, buscando diferenças celulares que simulem os diferentes fenótipos clínicos de pacientes com neurodegeneração. Neste projeto pretendemos também investigar os processos celulares que permitem a replicação no genoma lesado. Abordagens de sequenciamento de nova geração (NGS) estão sendo propostas para estudos de mutagênese e também identificação de mutações e diagnóstico molecular de pacientes brasileiros com XP ou outras doenças relacionada a reparo de DNA. Esses estudos podem trazer dados interessantes das causas de determinados fenótipos clínicos, além de auxiliar os pacientes e seus familiares, com o reconhecimento da doença, possibilitada pelo diagnóstico molecular. Destacamos nesses estudos pacientes XP da região de Goiás, devido à alta frequência observada na região de Faina, onde a incidência é a maior do mundo devido ao isolamento geográfico e casamentos consanguíneos. Ainda neste projeto, pretendemos também estudar como as células humanas respondem a agentes quimioterápicos para câncer, para compreender os mecanismos de reparo envolvidos nas lesões induzidas por essas substâncias e em busca de alternativas terapêuticas que possam potencializar o combate às células tumorais. Finalmente, neste projeto pretendemos também estudar genes relacionados a reparo de DNA em bactérias de interesse básico (Caulobacter crescentus) ou médico (Pseudomonas aeruginosa). No caso da primeira, trata-se de um modelo excelente para estudos de genética bacteriana, e daremos continuidade à identificação da função de novos genes envolvidos na resposta a danos no DNA já iniciada anteriormente por nosso grupo, com sucesso. Com o modelo de P. aeruginosa, pretendemos investigar o envolvimento de genes de tolerância e reparo de DNA na resposta aos compostos antimicrobianos, bem como na mutagênese que leva ao surgimento de resistência a estes agentes. (AU)

Efeito do beta-hidroxibutirato na função mitocondrial de adipócitos brancos isolados

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Fabio Bessa Lima
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Processo:14/10705-4
Vigência: 01 de outubro de 2014 - 30 de setembro de 2017
Convênio/Acordo de cooperação com a FAPESP: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Assunto(s):MitocôndriasFenômenos fisiológicos celularesAdipócitosHistonas
Resumo
Dentre os corpos cetônicos, ganha destaque o Beta-hidroxibutirato (B-OH), maior em quantidade durante a cetogênese, bem como em possibilidades de efeitos. O B-OH pode ativar receptores de membrana, inibir enzimas que controlam a acetilação de histonas, além de induzir a intensa formação de acetil-CoA e energia pelo metabolismo celular. Dados suportam a ideia de que o B-OH é um metabólito sinalizador, que influência o metabolismo e a expressão gênica, incluindo fatores que regulam a função mitocondrial. Nesse contexto, pouco se sabe sobre efeitos diretos de concentrações fisiológicas do B-OH no metabolismo de adipócitos brancos de diferentes coxins, principalmente no que diz respeito à programação termogênica e biogênese mitocondrial. Assim sendo, o objetivo central e inicial deste trabalho é verificar se o B-OH pode regular a oxidação de substratos além de estimular marcadores de biogênese mitocondrial e programação termogênica em adipócitos brancos de diferentes coxins adiposos. (AU)

Construção de um biosensor bi-enzimático para detecção simultânea de glicose e lactato

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Valber de Albuquerque Pedrosa
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Biologia Geral
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:14/12634-7
Vigência: 01 de setembro de 2014 - 31 de agosto de 2015
Assunto(s):BiocompatibilidadeBiossensoresGlicoseLactatos
Resumo
O desenvolvimento de novos dispositivos para monitorar o metabolismo celular e o diagnóstico de doenças expandiu as pesquisas com biossensores que, aliados principalmente com a nanotecnologia, possibilitou a criação de novos elementos com alta sensibilidade de detecção, especificidade e capacidade de multiplexação em dispositivos portáteis para uso em diferentes áreas. Desta forma, o monitoramento dos produtos secretados pelas células, por meio de biossensores, possui grande interesse nas áreas biomédicas e de saúde, pois, as células transmitem uma ampla variedade de sinais químicos e físicos que são fundamentais para o diagnóstico clínico. Atualmente os estudos de biocompatibilidade e as respostas das células a estímulos físicos ou químicos são avaliadas em dispositivos microfluídicos e meios eletroquímicos. Os biossensores enzimáticos para o reconhecimento de glicose e lactato são recorrentemente utilizados para a avaliação de diferentes doenças, porém, a construção de um biossensor integrado para monitorar estes compostos é um desafio. Sendo assim, o objetivo desta proposta é desenvolver uma plataforma de biossensor integrada para monitorar a detecção dos analitos (glicose, lactato) em um dispositivo fabricado onde o microambiente celular pode ser definido com precisão. (AU)

Caracterização dos parceiros de interação da isoforma curta de S6K1 em células humanas e sua relação com câncer

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências Aplicadas (FCA). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Limeira, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Fernando Moreira Simabuco
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Nutrição - Bioquímica da Nutrição
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:14/07115-0
Vigência: 01 de agosto de 2014 - 31 de julho de 2015
Assunto(s):ImunoprecipitaçãoNeoplasiasMetabolismoProteômicaBiologia molecular
Resumo
Atualmente, o câncer é o fator de maior importância em relação à causa de mortes em países economicamente desenvolvidos. Em mais algumas décadas, essa enfermidade poderá se tornar a maior causa de morbidade e mortalidade em todas as regiões do mundo. O câncer de próstata ocupa o segundo lugar em relação aos tipos de câncer mais ocorridos em homens no Brasil. A atividade da proteína mTOR vem sendo associada com o crescimento celular desenfreado característico de células cancerosas devido ao seu papel chave no controle do crescimento e do metabolismo celular. As proteínas S6Ks são conhecidas como as principais proteínas efetoras da via de mTOR e, por esse motivo, vários estudos vêm ressaltando o potencial oncogênico das S6Ks. Os genes que codificam S6K1 e S6K2 encontram-se comumente ampliados em diversos tipos de câncer, inclusive no câncer de próstata. Apesar da importância, os estudos envolvendo as isoformas curtas de S6Ks, como a S6K1-h6A, e seu papel em câncer são escassos, o que leva à necessidade de que sejam feitas mais pesquisas que relacionem o papel dessas isoformas no câncer. Dessa forma, o presente projeto de pesquisa visa caracterizar o papel da isoforma curta de S6K1-h6A em câncer, analisando possíveis parceiros de interação e seu papel no crescimento celular. (AU)

O papel das lisina(K)-deacetilases na função, dinâmica e degradação mitocondrial, e em modificações pós-traducionais de proteínas alteradas: relevância para a neuroproteção

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Centro de Desenvolvimento de Modelos Experimentais para Medicina e Biologia (CEDEME). Pró-Reitoria de Graduação e Pesquisa. Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Clelia Rejane Antonio Bertoncini
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Metabolismo e Bioenergética
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Processo:14/01511-1
Vigência: 01 de agosto de 2014 - 31 de julho de 2016
Convênio/Acordo de cooperação com a FAPESP: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Assunto(s):Doença de huntingtonEpigênese genéticaMitocôndriasTranscrição gênica
Resumo
O objetivo desse projeto é caracterizar o papel das Lisina(K)-deacetilases (KDACs) na função, dinâmica e degradação mitocondrial, assim como nas modificações pós-traducionais (acetilação e fosforilação) de proteínas alteradas já que as KDACs, incluindo as clássicas histonas deacetilases (HDACs), são capazes de regular diferentes mecanismos como transcrição gênica, transdução de sinal e metabolismo. Pelo fato das KDACs também possuírem como alvos proteínas da via autofágica, será investigado ainda os níveis de autofagia e mitofagia em modelos celulares distintos da Doença de Huntington (DH) que expressam a proteína huntingtina mutante (mHtt) full-lenght.Embora seja difícil prever a sequencia de eventos celulares danosos que ocorrem nas doenças neurodegenerativas, diversos mecanismos têm sido propostos incluindo a disfunção mitocondrial. As mitocôndrias são organelas sensíveis a fatores de nutrição, agentes tóxicos, proteínas alteradas e a alterações na degradação citoplasmática. Modificações de mecanismos que regulam a fissão-fusão mitocondrial e o seu transporte axonal (dinâmica), biogênese e degradação podem ocorrer em paralelo, promovendo um ao outro, convergindo para a disfunção celular. Além disso, o papel central da mitocôndria no metabolismo celular requer a integração e a coordenação de suas funções com outras organelas, nomeadamente o núcleo. Assim, a função mitocondrial pode ser afetada direta- ou indiretamente por alteração da transcrição em ambos os DNA, DNA mitocondrial (mtDNA) e nuclear (nDNA).Durante o projeto, três modelos serão estudados: neurônios (SH-SY5Y) e astrócitos (1321N1) imortalizados transfectados com a mHtt full-lenght e fibroblastos de pacientes de DH e indivíduos controle. Na tarefa 1, será investigado o papel das KDACs na função mitocondrial. Alterações dos níveis das KDACs, após o tratamento com diferentes inibidores de KDACs (KDACis) ou siRNA para KDACs específicas serão relacionados com a função mitocondrial (potencial de membrana, consumo de oxigênio, e homeostase de cálcio), níveis de espécie reativas de oxigênio (ROS), número de cópias de mtDNA e fissão e fusão mitocondrial, que será investigado com anticorpos contra Fis1, Mfn1, Mfn2, Drp1, PINK1 e Parkin. Além disso, a função mitocondrial será testada quanto a presença da mHtt acetilada e fosforilada. Como contra prova do efeito das KDACis ou siRNA nas modificações pós-traducionais da mHtt, as células serão transfectadas com Ac-mHtt-K444, Ac-mHtt-K444R e P-mHtt-S13/S16/S431, formas da mHtt acetiladas e resistentes a acetilação e fosforilação, respectivamente. Na tarefa 2, será avaliada a influência das KDACs, após tratamento com KDACis ou transfecção com siRNAs, na indução da autofagia e mitofagia. Para isso, serão avaliados por western blot (WB) diversos marcadores dessa via como LC3, LAMP-1 e -2 e autofagossomos, e por fluorescência, com Hoechst, Lysotracker Red e Autophagy LC3B-GFP. Os experimentos também serão realizados após transfecção com Ac-mHtt-K444(R) e P-mHtt-S13/S16/S431. Na tarefa 3, será estudado o impacto das diferentes KDACs na regulação da transcrição de genes autofágicos e metabólicos (relacionados com a mitocôndria). A transcrição será avaliada por PCR-arrays (autofagia, mitocôndria e sinalização do mTOR), além de Real-Time(q)PCR e WB na presença de KDACis, siRNA, mHtt, Ac-mHtt-K444(R) e P-mHtt-S13/S16/S431.Desta forma, espera-se que esse projeto possa contribuir para descobertas de novos mecanismos de neuroproteção envolvendo epigenética e modificações pós-traducionais; os resultados obtidos aqui podem ser potencialmente relevantes para futuros estudos quanto ao papel das KDACs em outras desordens neurodegenerativas e neuropsiquiátricas. (AU)

Biocompatibilidade de substâncias utilizadas para prevenção ou eliminação de biofilme: avaliação do metabolismo celular

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Odontologia (FOAr). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Janaina Habib Jorge
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Clínica Odontológica
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Processo:14/11679-7
Vigência: 01 de agosto de 2014 - 31 de janeiro de 2015
Assunto(s):Próteses e implantesTeste de biocompatibilidadeBiofilmesCultura de células
Resumo
Atualmente, o tratamento de infecções fúgicas tem se tornado cada vez mais difícil e oneroso, em decorrência de alguns fatores, como a resistência fúngica e toxicidade dos medicamentos. Por esse motivo, estudos têm sido conduzidos em nosso grupo de pesquisa com o intuito de prevenir a formação do biofilme em biomateriais ou buscar terapias alternativas para o tratamento de doenças decorrentes da instalação do biofilme. Em relação à prevenção da formação do biofilme, existe um significante interesse no desenvolvimento de biomateriais antimicrobianos para aplicação nos serviços de saúde, medicina, indústrias de higiene pessoal e alimentos. Nesse contexto, as propriedades de filmes finos de TiO2 e AgTiO2 têm sido avaliadas. Em próteses odontológicas e dispositivos médicos, diferentes biomateriais, incluindo cerâmica e liga de titânio, podem ser revestidos com TiO2 e AgTiO2, objetivando melhorar as suas propriedades biológicas, particularmente com relação à adesão e à proliferação de micro-organismos. Entretanto, a utilização de nanopartículas de TiO2 e AgTiO2 como revestimento de biomateriais ainda foi pouco explorada. Dessa forma, estudos com o objetivo de avaliar a biocompatibilidade de biomateriais inorgânicos revestidos com essas nanopartículas devem ser realizados. Em relação às terapias alternativas, a PDT tem sido considerada um método promissor para o tratamento de infecções superficiais. Essa terapia poderia suprir as dificuldades encontradas com os tratamentos antifúngicos convencionais. Além disso, os fotossensibilizadores naturais, se efetivos, poderiam auxiliar na difusão da PDT como modalidade terapêutica para o tratamento da estomatite protética. Entretanto, faltam estudos sobre a biocompatibilidade desses fotossensibilizadores naturais utilizados. A avaliação da citotoxicidade de novos produtos deve ser realizada uma vez que cerca de 40% dos novos fármacos não são colocados no mercado devido aos efeitos colaterais toxicológicos. Dessa forma, este projeto tem como objetivo avaliar a citotoxicidade de diferentes substâncias afim de tornar viáveis os métodos utilizados na prevenção ou eliminação de biofilmes. Para isso, dois estudos estão sendo propostos: Estudo 1. Citotoxicidade de biomateriais revestidos com nanopartículas de TiO2 e AgTiO2 e Estudo 2. Efeito citotóxico da curcumina, utilizada como fotossensibilizador na Terapia Fotodinâmica, sobre células epiteliais quando em co-cultura com as espécies de Candida. (AU)

Desenvolvimento de biossensores raciométricos bioluminescentes de pH e metais divalentes baseados na engenharia da região sensível ao pH nas luciferases de vagalumes

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Centro de Ciências e Tecnologias para a Sustentabilidade (CCTS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). Sorocaba, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Vadim Viviani
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Biofísica - Radiologia e Fotobiologia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Processo:14/04477-9
Vigência: 01 de agosto de 2014 - 30 de junho de 2017
Convênio/Acordo de cooperação com a FAPESP: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Assunto(s):BioluminescênciaTécnicas biossensoriaisLuciferases
Resumo
Entre as várias aplicações da bioluminescência, seu uso em biossensores é crescente. Os biossensores apresentam diversas vantagens com relação às técnicas convencionais de detecção, como o baixo custo de produção, alta sensibilidade e uso prático. Os biossensores bioluminescentes podem ser enzimáticos, os quais empregam enzimas luciferases imobilizadas; ou celulares, que são construídos pela transformação genética de células com vetores de expressão contendo um gene repórter da luciferase. Esses tipos de biossensores podem ser utilizados para sinalizar a presença de compostos tóxicos, como metais, ou alterações do metabolismo celular por meio da emissão de luz. Biossensores específicos para o monitoramento intracelular do pH são extremamente importantes para analisar processos biológicos como apoptose e oncogênese. Por outro lado, biossensores específicos para detecção de metais em amostras ambientais também estão em demanda. As luciferases de vagalumes têm o espectro de bioluminescência sensível ao pH e à presença de metais. Apesar disto, esta propriedade nunca foi aproveitada para finalidades de sensoriamento de pH ou presença de metais. Em 2006, o orientador deste projeto depositou uma patente reivindicando o uso da luciferase de Macrolampis sp2 e sua sensibilidade ao pH como biossensor de pH e metais, entretanto até o presente momento nenhum biossensor especifico foi desenvolvido neste âmbito. Assim, os objetivos principais deste projeto são: (I) investigar a aplicabilidade da luciferase do vagalume Macrolampis sp2 e outras luciferases pH-sensitivas clonadas pelo grupo de pesquisa como biossensor espectral raciométrico intracelular de pH; (II) desenvolver, por engenharia da região sensora de pH na luciferase de Macrolampis sp2, um biossensor raciométrico específico para metais, e (III) aplicar estes biossensores raciométricos em células de mamíferos para investigar sua fisiologia em tempo real. (AU)

Desenvolvimento de um biossensor integrado para monitoramento do metabolismo celular

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Valber de Albuquerque Pedrosa
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Analítica
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:14/05653-5
Vigência: 01 de agosto de 2014 - 31 de julho de 2016
Assunto(s):Metabolismo celularNanotecnologiaBiossensores
Resumo
O desenvolvimento de novos dispositivos para monitorar o metabolismo celular e o diagnóstico de doenças expandiu as pesquisas com biossensores que, aliados principalmente com a nanotecnologia, possibilitou a criação de novos elementos com alta sensibilidade de detecção, especificidade e capacidade de multiplexação em dispositivos portáteis para uso em diferentes áreas. Desta forma, o monitoramento dos produtos secretados pelas células, por meio de biossensores, possui grande interesse nas áreas biomédicas e de saúde, pois, as células transmitem uma ampla variedade de sinais químicos e físicos que são fundamentais para o diagnóstico clínico. Atualmente os estudos de biocompatibilidade e as respostas das células a estímulos físicos ou químicos são avaliadas em dispositivos microfluídicos e meios eletroquímicos. Os biossensores enzimáticos para o reconhecimento de glicose, lactato e peróxido de hidrogênio são recorrentemente utilizados para a avaliação de diferentes doenças, porém, a construção de um biossensor integrado para monitorar estes compostos é um desafio. Sendo assim, o objetivo desta proposta é desenvolver uma plataforma de biossensor integrada para monitorar a detecção de multi-analitos (glicose, lactato e peróxido de hidrogênio) em um dispositivo fabricado onde o microambiente celular pode ser definido com precisão, possibilitando a avaliação do metabolismo energético de culturas celulares no contexto da mimetização do microambiente celular e oferecendo novas perspectivas sobre os eventos moleculares do metabolismo. (AU)

Estudo epigenético das enzimas desmetilases de histona dependentes de Fe(II) e ±-cetoglutarato da família jumonji no contexto do metabolismo tumoral e atividade glutaminase

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM). Associação Brasileira de Tecnologia de Luz Síncrotron (ABTLuS). Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (Brasil). Campinas, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Sandra Martha Gomes Dias
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Química de Macromoléculas
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado Direto
Processo:14/06512-6
Vigência: 01 de julho de 2014 - 28 de fevereiro de 2018
Assunto(s):Neoplasias mamáriasEpigênese genéticaGlutaminaseMetabolismo celular
Resumo
Enzimas que adicionam ou removem os grupos metil-lisina em caudas de histonas são sensíveis a alterações no metabolismo celular pois utilizam co-substratos metabólicos. As desmetilases de histonas (HDMs) contendo o domínio JmjC (JHDMs) utilizam ±-cetoglutarato (±-CG) derivado da via glicolítica ou glutaminolítica numa reação de hidroxilação que remove grupos metil-lisina das caudas das histonas H3 e H4. A conversão de ±-CG a partir de glutamina é particularmente importante para certos tipos de células tumorais e confere o fluxo metabólico necessário para garantir o crescimento e a viabilidade destas células. Foi mostrado que a concentração intracelular de ±-CG varia entre células normais e tumorais o que pode estar associado a regulação da atividade das JHDMs, ao processo tumorigênico e à manutenção de células tumorais stem-like (CSCs). Tumores de câncer de mama do tipo triplo negativo (TNBC) com perfil de expressão mesenquimal stem-like (MSL) e claudin low apresentam atividade JHDMs desregulada, são mais agressivos, resistentes a terapia e menos diferenciados, fenótipo associado a manutenção de populações CSCs e ao mecanismo de transição epitélio-mesênquima. Além, esses tumores consomem mais glutamina e possuem expressão aumentada da glutaminase C (GAC). Dessa forma, o objetivo desse trabalho é estudar a importância da glutaminólise na produção do cofator ±-CG em modelo de câncer de mama (com foco em TNBC), assim como sua relação com a manutenção de populações CSCs, sua importância para EMT e para os comportamentos celulares associados a estes processos. Para isso, o knockdown contra o gene glutaminase 1 (GLS1) e/ou a isoforma GAC e a superexpressão de GAC wild-type e da forma mutada K320A (com atividade catalítica aumentada), serão realizados em três linhagens mamárias, MCF-10A, não tumoral, MCF-7, uma linhagem não TBNC luminal diferenciada e MDA-MB-231, uma linhagem TNBC com perfil de expressão MSL similar a tumores claudin low indiferenciados. A superexpressão e o knockdown serão confirmados por western-blot (WB) e o nível de ±-CG intracelular será dosado colorimetricamente. O estado de metilação global em histonas será acompanhado passagem por passagem por citometria de fluxo, enquanto que populações CSCs serão quantificadas por citometria de fluxo, empregando-se o sistema ALDEFLUOR. O perfil global de metilação em H3 e H4 também será determinado por espectrometria de massas LS-MS-MS e o status de metilação de promotorees de genes associadas a diferenciação celular, ao fenótipo stem-like e EMT, incluindo as vias TGF-², NOTCH, WNT e o cluster de genes HOX já descritos como regulados por JHDMs, será determinado usando kits de arrays comerciais de qPCR e ChIP-qPCR. A ocorrência de EMT será determinada por WB e imunofluorescência com anticorpos para as proteínas E-caderina, N-caderina, Vimentina e BMI-1. Por fim, se determinado que EMT e o aumento de populações CSCs são dependentes da disponibilidade de ±-CG produzido por glutaminólise, serão realizados ensaios funcionais de formação de esferas (ensaio funcional de células tronco in vitro), ensaios de migração celular empregando o método scratch e ensaio funcional de invasão em câmara de Boyden recoberta com Matrigel. A enzima glutaminase tem sido mostrada ser essencial para a proliferação celular mas ainda é desconhecida sua relação com o status epigenético celular. Este trabalho propõe desvendar esta relação, o que terá consequência direta no entendimento desta enzima como alvo no combate ao câncer. (AU)

Efeitos do consumo de etanol e do treinamento físico resistido nos parâmetros bioquímicos, hormonais e imunohistoquímicos da próstata dorsolateral de ratos UChB

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Presidente Prudente. Presidente Prudente, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Giovana Rampazzo Teixeira
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:13/25927-0
Vigência: 01 de junho de 2014 - 31 de maio de 2015
Assunto(s):EtanolMorfologia (anatomia)PróstataTreinamento físico
Resumo
O álcool é uma das poucas drogas psicotrópicas que tem seu consumo admitido e incentivado pela sociedade. No Brasil, o alcoolismo figura como um dos mais graves problemas de saúde pública decorrente de complicações psíquo-somáticas e pela repercussão no meio social. O alto consumo de álcool está associado à incidência de câncer de próstata e pode provocar aumento na lipogênese tecidual. Estudos experimentais em animais e epidemiológicos em humanos sugerem correlação entre o exercício físico e diminuição no desenvolvimento do câncer. O câncer de próstata apresenta alteração no metabolismo de lipídios e hormônios. Uma forma de se amenizar os efeitos do álcool na próstata é o exercício físico. Estudos dizem que o exercício físico altera o metabolismo celular, influenciando também no metabolismo prostático. Com base nessas premissas o objetivo deste trabalho será investigar a influência do alcoolismo e do treinamento físico resistido na próstata de ratos UChB. Utilizar-se-á o modelo de alcoolismo experimental (linhagem de ratos UChB) com treinamento resistido em meio líquido. Será analisada a morfologia prostática, imuno-histoquímicas das proteínas CD36, GR e AR (receptor de andrógeno), parâmetros bioquímicos, (glicose, proteína total, colesterol total, triglicérides, HDL, LDL, VLDL) e hormonais (glicocorticoides, IGF, testosterona, corticosterona e estrógeno). (AU)

Citotoxicidade de tungstato de prata (±-Ag2WO4) em solução e após revestimento de uma resina acrílica para base de prótese: análise do metabolismo celular

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Odontologia (FOAr). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Janaina Habib Jorge
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Materiais Odontológicos
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:13/26824-0
Vigência: 01 de junho de 2014 - 31 de dezembro de 2014
Assunto(s):NanopartículasCitotoxicidadePróteses e implantes
Resumo
Em próteses odontológicas e dispositivos médicos, diferentes biomateriais podem ser revestidos com nanopartículas, objetivando melhorar as suas propriedades biológicas, particularmente com relação à adesão e à proliferação de micro-organismos. Entretanto, a biocompatibilidade de diferentes biomateriais revestidos com nanopartículas ainda não foi avaliada e, assim, estudos são necessários objetivando melhorar sua performance in vivo. Dessa forma, o objetivo do presente estudo será avaliar a citotoxicidade de tungstato de prata (±-Ag2WO4) em solução e de uma resina acrílica para base de prótese revestida com prata, afim de torná-los viáveis para o uso clínico na prevenção de biofilmes. Para isso, corpos de prova (14 mm de diâmetro e 1,2 mm de espessura) de uma resina acrílica para base de prova (Vipi Wave; VIPI Ind. e Com. Exp. e Imp. de Prod. Odont. Ltda., Pirassununga, SP, Brasil) serão preparados e divididos em dois grupos (n=6): não revestidos (controle) e revestidos por ±-Ag2WO4. Para a análise do efeito citotóxico das substâncias liberadas pelos corpos-de-prova, serão obtidos extratos das substâncias hidrossolúveis dessas amostras. Para isso, três corpos-de-prova de cada grupo experimental, serão colocados dentro de tubos de ensaio com 3 ml de meio de cultura DMEM e incubados por 24 horas. Para a realização do teste de citotoxicidade, 100 ul da suspensão composta de 1,0 x 105 células/ml serão colocados em cada compartimento de uma placa com 96 orifícios, incubada em estufa com 5% de CO2, a 37ºC por 24 horas. Após tal período de incubação, o meio de cultura será desprezado, permanecendo as células aderidas no fundo da placa, e 50 ul de meio de cultura novo serão colocados em cada orifício da placa juntamente com 50 ul do extrato contendo as substâncias liberadas pelos corpos de prova, a qual será incubada por 24 horas. Após o período de incubação, será avaliada a proliferação celular por meio dos testes MTT e análise da integridade da membrana. Os resultados do metabolismo celular das células viáveis após o contato com os extratos dos materiais estudados, serão submetidos ao método estatístico mais adequado e o nível de significância de 5% será selecionado (±=0.05). Além disso, para cada teste, os resultados serão comparados com o controle negativo e os tratamentos nos diferentes grupos experimentais serão classificados de acordo com o efeito citotóxico em escores de 0 a 3. (AU)

Citotoxicidade do ácido peracético: avaliação metabólica, estrutural, de morte e de estresse em Fibroblastos L929

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Odontologia (FOAr). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Gisele Faria
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Endodontia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Processo:14/00723-5
Vigência: 01 de junho de 2014 - 31 de março de 2016
Assunto(s):CitotoxicidadeFibroblastosIrrigantes do canal radicularÁcido peracético
Resumo
Recentemente o ácido peracético (AP) vem sendo citado na literatura odontológica como uma possível solução irrigadora de canais radiculares. Ele apresenta a vantagem de reunir em um só produto atividade antibacteriana e capacidade de remoção da smear layer. Para a seleção da solução irrigadora de canais radiculares deve-se levar em consideração não somente os seus benefícios terapêuticos, mas também os possíveis efeitos citotóxicos, uma vez que ela pode entrar em contato com os tecidos periapicais. Os objetivos do presente estudo serão: 1) Avaliar a citotoxicidade do AP, em diferentes concentrações, em comparação com o hipoclorito de sódio (NaOCl) por meio de estudo do metabolismo celular em fibroblastos L929; 2) Investigar o mecanismo de citotoxicidade do AP sobre fibroblastos L929 por meio de avaliação metabólica, estrutural, ultraestrutural, de morte (necrose e/ou apoptose) e de estresse destas células. Fibroblastos L929 em cultura serão expostos a diferentes concentrações do AP e do NaOCl e ao meio de cultura por 24 horas (controle). Após este período, serão avaliados o metabolismo celular por meio do ensaio do metiltetrazólio (MTT), a morfologia externa das células em microscópio eletrônico de varredura, a ultraestrutura em microscópio eletrônico de transmissão, o citoesqueleto por meio de marcação para actina e ±- tubulina, o tipo de morte celular (necrose ou apoptose) por citometria de fluxo e o estresse celular por meio de marcação da proteína de choque térmico 70 (Hsp 70). A análise estatística dos resultados será efetuada empregando nível de significância de 5%. (AU)

Fixação biológica e assimilação de nitrogênio pelo fitoplâncton em reservatórios subtropicais com diferentes graus de trofia

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Escola de Engenharia de São Carlos (EESC). Universidade de São Paulo (USP). São Carlos, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Davi Gasparini Fernandes Cunha
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Sanitária - Recursos Hídricos
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:14/02088-5
Vigência: 01 de junho de 2014 - 31 de maio de 2016
Assunto(s):Gestão integrada de recursos hídricosReservatóriosFitoplâncton de água doceCianobactériasFixação de nitrogênio
Resumo
A eutrofização artificial de reservatórios afeta os serviços ecossistêmicos e pode propiciar a proliferação de cianobactérias, algumas das quais apresentam riscos aos usos da água. Aliada a outros fatores, a disponibilidade de nutrientes regula o desenvolvimento fitoplanctônico. A fixação biológica do nitrogênio, habilidade de determinadas cianobactérias, compreende a conversão do nitrogênio atmosférico (N2) a amônio, que é incorporado a aminoácidos imprescindíveis para o metabolismo celular. No entanto, a fixação é um processo energeticamente dispendioso, o que torna a assimilação direta de formas nitrogenadas dissolvidas preferível pelo fitoplâncton. Esta pesquisa investigará a fixação do N2 e a assimilação de nitrogênio em três reservatórios com diferentes graus de trofia no estado de São Paulo. Ao nosso conhecimento, esse será um dos primeiros estudos a analisar essas etapas do ciclo do nitrogênio em ambientes subtropicais. Os reservatórios serão amostrados nas quatro estações (verão, outono, inverno e primavera) dos anos de 2014 e 2015, totalizando oito coletas. Além de variáveis bióticas e abióticas da água, incluindo a avaliação qualitativa (espécies e grupos funcionais) e quantitativa (densidade e biovolume) do fitoplâncton, a fixação de nitrogênio será medida in situ por meio de método indireto (redução do acetileno) e direto (isótopo 15N2). A assimilação de nitrato, amônio e ureia será estimada por meio de incubações em laboratório com traçador 15N. Serão testadas hipóteses relativas a fatores temporais e ao estado trófico dos reservatórios. Análises estatísticas contribuirão para a interpretação dos dados. O cronograma previsto para 24 meses permitirá o cumprimento dos objetivos e a apresentação de subsídios para o manejo sustentável dos reservatórios. (AU)

Citotoxicidade de adesivos solvatados e não solvatados com diferentes concentrações de 2-hidroxietil-metacrilato sobre células pulpares

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Universidade Nove de Julho (UNINOVE). Campus Vergueiro. São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Adriano Fonseca de Lima
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Clínica Odontológica
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:13/02928-0
Vigência: 01 de março de 2014 - 31 de dezembro de 2014
Assunto(s):CitotoxicidadeDentística
Resumo
O objetivo do presente estudo será avaliar a citotoxicidade de adesivos solvatados e não solvatados com diferentes quantidades de 2-hidroxietil-metacrilado (HEMA) sobre fibroblastos de polpa dental humana. Para isso, fibroblastos serão isolados da polpa dental de terceiros molares humanos hígidos. Sistemas adesivos experimentais, solvatados ou não, serão manipulados com diferentes concentrações de HEMA (0%; 10%; 20%; 30%, 40%). Fibroblastos (10 x 105 céls. por poço) serão semeados em placas de 6 poços, e incubados em estufa à 37°C e 5% CO2. Corpos-de-prova cilíndricos (5mm de diâmetro, 1mm de espessura) serão confeccionados e mantidos em contato com meio de cultura por 6 h. Após isso, o extrato obtido (meio de cultura + produtos liberados pelo sistema adesivo) será aplicado sobre as células e mantido por um período de 6 h. Decorrido este período, o extrato será removido, e a análise do metabolismo celular será realizada, utilizando o reagente metiltetrazolium (MTT). Além do MTT, serão realizadas medidas de citocinas e fatores de crescimento liberados pelas células no sobrenadante do meio de cultura. Serão realizadas também ensaios de western blotting para a proteína Akt, com o objetivo de identificar um possível fator regulador intracelular da ativação. Os dados serão tabulados e a análise estatística apropriada será realizada. (AU)

Efeito da laserterapia de baixa potência e fatores de crescimento sobre a atividade de fibroblastos de gengiva obtidos de pacientes jovens e idosos

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Odontologia (FOAr). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Carlos Alberto de Souza Costa
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Clínica Odontológica
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:13/05879-0
Vigência: 01 de fevereiro de 2014 - 31 de janeiro de 2016
Assunto(s):Regeneração tecidual guiada periodontalTerapia a laser de baixa intensidadeTécnicas de cultura de célulasFibroblastosFatores de crescimento
Resumo
O reparo tecidual está relacionado a uma série de fenômenos locais, dentre eles a proliferação celular e a síntese de componentes da matriz extracelular, tais como colágeno, elastina e fibras reticulares, os quais dependem diretamente do aumento do metabolismo celular. Entretanto, com o envelhecimento estas funções celulares diminuem, o que pode levar a uma redução na capacidade de reparo de feridas. Fibroblastos de gengiva apresentam uma maior capacidade de reparo quando comparados com fibroblastos de pele. Entretanto, não há estudos que avaliaram se a idade pode ser um fator importante na capacidade de reparo da mucosa oral, como já determinado para a pele. Estudos recentes demonstraram que a irradiação com laser de baixa potência (LBP) promove bioestimulação de diferentes tipos celulares em cultura, sendo que a aplicação de fatores de crescimento, como o fator de crescimento epitelial (EGF), acelera o processo de reparo devido à estimulação da proliferação e migração celular. Portanto, a presente pesquisa tem como objetivo avaliar o metabolismo, proliferação e migração celular, atividades estas caracterizadas como indicativas da capacidade de reparo de fibroblastos de gengiva jovens e idosos submetidos ou não a laserterapia de baixa intensidade e fatores de crescimento. (AU)

Bioestimulação de célula-tronco mesenquimal de rato sob ação da luz contínua e pulsátil de 630 nm utilizando LED

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina (FMB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Elenice Deffune
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Citologia e Biologia Celular
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:13/19998-1
Vigência: 01 de fevereiro de 2014 - 31 de janeiro de 2016
Assunto(s):BiotecnologiaTerapia tissularCélulas-tronco mesenquimaisCultura de célulasLEDTerapia a laser de baixa intensidade
Resumo
A medicina regenerativa emergiu do impulso biotecnológico com uso da célula-tronco (CT), caracterizada por indiferenciação, autorrenovação e capacidade de gerar vários tipos celulares. A célula-tronco mesenquimal (CTM) pode ser isolada de várias fontes biológicas, sendo o tecido adiposo uma promissora fonte. São candidatas para aplicação em terapia celular por vários motivos e capazes de se diferenciar e produzir muitos tipos celulares, como adipócitos, condroblastos, hepatócitos, neurônios, necessários para reparação do tecido danificado. Sob este prisma, destaca-se a contribuição da biofotônica. A aplicabilidade da óptica deve-se, bastante, à existência do raio laser, cujas propriedades tornam-no excelente para uso científico e tecnológico nas áreas ligadas à saúde. O uso do laser de baixa energia vem sendo pesquisado como medida adjuvante na cicatrização de feridas, e por promover aumento do metabolismo celular e reduzir a resposta inflamatória local. Ambos Laser e LED (Light Emitting Diode) são utilizados para diferentes tipos de aplicações no diagnóstico e tratamento de doenças, bioestimulação da regeneração de tecidos e proliferação do crescimento celular. O objetivo deste estudo é avaliar a ação da luz contínua e pulsátil de comprimento de onda 630nm com uso do LED como bioestimulante de CTM de rato. Para tanto será cultivada CTM de gordura de rato em placas de cultura, em 3 experimentos diferentes: controle, luz contínua e luz pulsátil. Vários parâmetros biológicos das culturas serão determinados e avaliados, tais como tempo entre repicagens, contagem e viabilidade celular, índice de apoptose e necrose, dano do DNA, dosagem de citocina. (AU)

Expressão de fatores de virulência de diferentes Espécies de Candida: confiabilidade dos métodos microbiológicos e efeito do tratamento fotodinâmico

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Odontologia (FOAr). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Lívia Nordi Dovigo
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Processo:13/16677-0
Vigência: 01 de janeiro de 2014 - 31 de dezembro de 2015
Assunto(s):Fatores de virulênciaTerapia fotodinâmica
Resumo
O potencial de aplicação da Terapia Fotodinâmica (PDT) para inativação de espécies de Candida vem sendo amplamente explorado. Se a aplicação da PDT atuasse sobre as células de Candida promovendo diminuição na virulência, a utilização desta terapia poderia ser indicada com mais segurança. Além disso, avaliar a precisão da medida dos fatores de virulência torna-se fundamental para se reduzir a introdução de vieses que certamente influenciarão na variabilidade dos resultados e consequentemente no cálculo do tamanho da amostra e poder dos testes estatísticos empregados. O presente projeto pretende realizar dois estudos. O Estudo I terá objetivo estabelecer um protocolo reprodutível da metodologia da produção de enzimas degradativas. Serão utilizadas suspensões fúngicas padronizadas da espécie C. albicans e a metodologia de produção de enzimas seguirá recomendações publicadas (n=30). Como variáveis dependentes têm-se as medidas da razão entre a medida do diâmetro da colônia e a medida do diâmetro do halo de precipitação (Pz) para a produção de fosfolipase (Pz-f) e de proteinase (Pz-p). Como variáveis independentes serão consideradas: i. forma de leitura dos halos de precipitação, ii. fundo para leitura. A concordância intra e inter-examinadores das medidas de Pz será estimada por meio do Coeficiente de Correlação Intraclasse (CCI). No Estudo II, serão realizados os ensaios laboratoriais para avaliar a confiabilidade das medidas efetuadas para os demais fatores de virulência (capacidade de adesão e formação de biofilme) e análise da expressão da virulência para as espécies C. albicans, C. glabrata, C. tropicalis e C. krusei em amostras submetidas a PDT mediada pela curcumina. Como variáveis dependentes têm-se as unidades formadoras de colônia por mililitro (UFC/mL), o metabolismo celular (XTT), a biomassa (cristal violeta), Pz-f e Pz-p; como variável independente a aplicação da PDT em dois níveis (com e sem aplicação). O tamanho amostral será definido após estudo piloto. A concordância intra e inter-examinador (UFC/mL, XTT e CV) será estimada com o CCI. As variáveis dependentes UFC/ml, XTT e CV serão avaliadas separadamente e a comparação dos valores médios segundo a variável independente será realizada por meio do teste t Student quando atendidos os pressupostos de normalidade e homocedasticidade. A associação da PDT (+/-) na expressão das enzimas degradativas será avaliada por meio do teste de qui-quadrado para cada espécie de Candida. O nível de significância a ser adotado para tomada de decisão será de 5%. (AU)

Função luteal no diestro cíclico e gestacional canino: uma abordagem celular do ponto de vista gênico e metabólico

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Maria Denise Lopes
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Reprodução Animal
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Processo:13/15358-8
Vigência: 01 de dezembro de 2013 - 30 de novembro de 2015
Assunto(s):DiestroDente caninoCorpo lúteo
Resumo
A similaridade entre a fase luteal cíclica e gestacional na espécie canina é umdos fatores mais intrigantes dentro da fisiologia reprodutiva desta espécie e apesar dosdiversos estudos e avanços realizados em relação ao tema, ainda são bastanteinconclusivos. Com o intuito de investigar as variações existentes entre o perfil gênicodo corpo lúteo (CL) gestacional e cíclico, avaliaremos os principais fatores mitogênicos,angiogênicos, imunológico, apoptóticos e receptores hormonais existentes nessas fases eanalisaremos as vias metabólicas e a produção hormonal das células luteínicas emcultivo. Realizaremos o acompanhamento do ciclo estral e ovariohisterectomia defêmeas em diestro cíclico (n=16) e gestacional (n=16). Os corpos lúteos (CLs) serãocoletados entre os dias 7-11, 21- 25, 40-44 e 61-64 após a onda pré-ovulatória de LHem todas as fêmeas. Para análise do perfil gênico, os CLs do ovário direito serãosubmetidos à técnica de RNAseq e posteriormente serão selecionados 3 genes principaisentre os fatores de escolha e receptores hormonais diferencialmente expressos, queserão validados através da técnica qRT-PCR e imuno-histoquímica. Os CLs do ovárioesquerdo serão submetidos à técnica de cultivo celular e o meio será coletado a cada06, 12 e 24 horas, para análises da produção metabólica (ATP,ADP, glicose, lactato) ehormonal (progesterona e estrógeno) através de kits comerciais. As análises do RNAseqserão realizadas por meio da plataforma Galaxy e os programas CASAVA v.1.8.2,TopHat v.2.0.1, Bowtie v. 0.12.8 para mapeamento e analise de expressão diferencial.Na validação da expressão gênica será avaliado a normalidade e variâncias, podendoser utilizado ANOVA ou Kruskal Wallis. Os dados serão analisados através doprograma GraphPad Prism 5 . Para metabolismo celular e perfil hormonal serárealizado ANOVA. Será considerado o nível de significância quando p<0,05. (AU)

Bioestimulação de célula-tronco mesenquimal de rato sob ação da luz contínua e pulsátil de 630nm utilizando LED

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina (FMB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Elenice Deffune
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Citologia e Biologia Celular
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Processo:13/01942-0
Vigência: 01 de outubro de 2013 - 30 de setembro de 2015
Assunto(s):LedCultura de células
Resumo
A medicina regenerativa emergiu do impulso biotecnológico com uso da célula-tronco (CT), caracterizada por indiferenciação, autorrenovação e capacidade de gerar vários tipos celulares. A célula-tronco mesenquimal (CTM) pode ser isolada de várias fontes biológicas, sendo o tecido adiposo uma promissora fonte. São candidatas para aplicação em terapia celular por vários motivos e capazes de se diferenciar e produzir muitos tipos celulares, como adipócitos, condroblastos, hepatócitos, neurônios, necessários para reparação do tecido danificado. Sob este prisma, destaca-se a contribuição da biofotônica. A aplicabilidade da óptica deve-se, bastante, à existência do raio LASER, cujas propriedades tornam-no excelente para uso científico e tecnológico nas áreas ligadas à saúde. O uso do LASER de baixa energia vem sendo pesquisado como medida adjuvante na cicatrização de feridas, e por promover aumento do metabolismo celular e reduzir a resposta inflamatória local. Ambos LASER e LED (Light Emitting Diode) são utilizados para diferentes tipos de aplicações no diagnóstico e tratamento de doenças, bioestimulação da regeneração de tecidos e proliferação do crescimento celular. O objetivo deste estudo é avaliar a ação da luz contínua e pulsátil de comprimento de onda 630nm com uso do LED como bioestimulante de CTM de rato. Para tanto será cultivada CTM de gordura de rato em placas de cultura, em 3 experimentos diferentes: controle, luz contínua e luz pulsátil. Vários parâmetros biológicos das culturas serão determinados e avaliados, tais como tempo entre repicagens, contagem e viabilidade celular, índice de apoptose e necrose, dano do DNA, dosagem de citocina. (AU)

Potencial terapêutico da ativação da aldeído desidrogenase 2 em modelo de sobrecarga pressórica cardíaca induzida por coartação da aorta: papel da mutação ALDH2*2

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Julio Cesar Batista Ferreira
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Processo:13/11315-2
Vigência: 01 de outubro de 2013 - 30 de setembro de 2015
Resumo
A progressão das doenças cardiovasculares está diretamente associada ao acúmulo de aldeídos cardiotóxicos decorrentes do estresse oxidativo. Dentre os diversos aldeídos acumulados no coração, o 4-hidroxi-2-nonenal (4-HNE), originado a partir da oxidação de fosfolipídios presentes na membrana interna da mitocôndria, é capaz de atacar aminoácidos nucleofílicos e formar adutos com proteínas, resultando na inativação da proteína-alvo e consequente disfunção celular.A principal enzima responsável pela eliminação do 4-HNE é a aldeído desidrogenase 2 (ALDH2), localizada na matriz mitocondrial. Tanto a inibição farmacológica, quanto genética da ALDH2 resulta em acúmulo de 4-HNE e maior lesão do miocárdio. Atualmente, estima-se que 14% da população mundial apresenta uma mutação pontual da ALDH2 (ALDH2*2) que confere perda de até 95% na sua atividade enzimática. No presente projeto de pesquisa pretendemos avaliar se camundongos transgênicos que apresentam a mutação ALDH2*2 são mais suscetíveis aos danos cardíacos oriundos da sobrecarga pressórica induzida por coartação da aorta e à progressão da insuficiência cardíaca (IC).Levantamos a hipótese que a inativação da ALDH2 decorrente da mutação pontual ALDH2*2 exacerbará o acúmulo de 4-HNE cardíaco, a formação de adutos de Michaelis e o agravamento da disfunção ventricular frente à sobrecarga pressórica. Com o objetivo de melhor compreender o papel da ALDH2 nesse modelo experimental, pretendemos caracterizar o perfil de expressão protéica e atividade da ALDH2 no coração de camundongos selvagens e mutantes, saudáveis e com sobrecarga pressórica em dois momentos: 1. momento em que os animais apresentam remodelamento ventricular descompensado (3 semanas pós-cirurgia); e 2. momento em que a IC está estabelecida (6 semanas pós-cirurgia). Além disso, avaliaremos o acúmulo de adutos de Michaelis, proteínas carboniladas e peroxidação lipídica cardíaca. Considerando que o acúmulo de adutos de Michaelis pode prejudicar o metabolismo celular, avaliaremos em mitocôndria isolada do tecido cardíaco dos animais: o consumo de oxigênio, a produção de peróxido de hidrogênio, o potencial da membrana interna e a captação máxima de cálcio. Por fim, analisaremos: o remodelamento ventricular esquerdo, a função cardíaca in vivo e a contratilidade/transiente de cálcio nos cardiomiócitos isolados desses animais nos períodos experimentais mencionados acima.Por fim, considerando que resultados prévios do nosso grupo demonstram uma ineficiência da ALDH2 na remoção de aldeídos citotóxicos em animais portadores de IC, será de grande valia estudar o efeito do tratamento sustentado com o ativador seletivo da ALDH2, Alda-1, sobre os parâmetros descritos acima nos animais selvagens e mutantes para a ALDH2. A molécula Alda-1, desenvolvida pelos nossos colaboradores da Universidade de Stanford-CA, EUA, é capaz de corrigir a perda de função da ALDH2 decorrente da mutação ALDH2*2. Sendo assim, no presente projeto de pesquisa temos como objetivo: 1) compreender o papel da mutação ALDH2*2 na progressão da IC induzida por sobrecarga pressórica e 2) estudar o possível efeito corretor da Alda-1 sobre a inativação da ALDH2 decorrente da mutação ALDH2*2, bem como sua consequência sobre a função e estrutura cardíaca, metabolismo mitocondrial e balanço redox. Esse estudo descreverá pela primeira vez a contribuição da mutação ALDH2*2 na progressão do remodelamento cardíaco e disfunção ventricular em modelo de sobrecarga pressórica, e o possível efeito terapêutico da Alda-1 no tratamento da IC em portadores dessa mutação. Esse projeto de pesquisa faz parte do projeto Jovem Pesquisador 2012/05765-2 financiado pela FAPESP. (AU)

Estudo das funções da proteína ARHGAP21 na via glicolítica de células de adenocarcinoma de próstata

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Centro de Hematologia e Hemoterapia (HEMOCENTRO). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Mariana Lazarini
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Biologia Geral
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:13/15900-7
Vigência: 01 de outubro de 2013 - 30 de setembro de 2015
Assunto(s):AutofagiaNeoplasias da próstataGlicóliseHematologia
Resumo
A proteína ARHGAP21 é uma RhoGAP com importantes funções em células neoplásicas, como migração e proliferação celular, bem como no processo de transição epitélio-mesenquimal. Sua expressão está alterada em pacientes com Leucemia Mieloide Aguda (LMA) e em pacientes com câncer de cabeça e pescoço. Além disso, a inibição de ARHGAP21 em células de câncer de próstata mostrou alterações na expressão de genes da via glicolítica e genes relacionados com a autofagia. Sabe-se que células neoplásicas, incluindo células de câncer de próstata, apresentam alterações no metabolismo celular energético, relacionadas com o aumento da proliferação celular. Desta forma, compreender os mecanismos moleculares envolvidos no metabolismo energético de células de câncer de prostata pode ajudar na compreensão desta doença e apontar novas intervenções terapêuticas. A autofagia é um processo desencadeado por estresse, como privação de nutrientes, e visa primariamente à sobrevivência celular. Porém, dependendo da intensidade e duração do estresse, a célula entra em processo de morte. O objetivo do presente trabalho é avaliar a participação da proteína ARHGAP21 na via glicolítica. Para isso, diferentes processos celulares, como apoptose e autofagia, serão avaliados em linhagens de câncer de próstata submetidas ao estresse metabólico. (AU)

Criopreservação de embriões de Prochilodus lineatus submetidos à eletroporação e ao ultrassom

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Engenharia (FEIS). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Ilha Solteira. Ilha Solteira, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Alexandre Ninhaus Silveira
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Recursos Pesqueiros e Engenharia de Pesca - Aquicultura
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Processo:13/02588-5
Vigência: 01 de setembro de 2013 - 31 de agosto de 2016
Assunto(s):ToxicidadeVitrificaçãoBiotecnologiaUltrassomCriopreservação
Resumo
Há mais de dois séculos criobiologistas buscam uma eficaz metodologia para preservar a viabilidade das células germinativas e embriões de peixes; sendo que, atualmente, o foco das pesquisas voltou-se ao desenvolvimento de biotecnologias para o congelamento profundo (-196ºC) a fim de preservar "indefinidamente" a bagagem genética das espécies, podendo assim, tornar-se uma ferramenta de grande valia em estudos de repovoamento, na produção intensiva de pescado, para espécies em risco de extinção minimizando a deriva genética, doenças e catástrofes ambientais, auxiliando programas de seleção genética e na formação de bancos genéticos.Contudo, essa biotecnologia para peixes neotropicais só é uma realidade com as células germinativas masculinas, pois seus embriões são complexos sistemas biológicos detentores de diferentes compartimentos, como a blastoderme, um vitelo delimitado por uma camada sincicial circundada pelo espaço Perivitelínico e pela membrana coriônica, que juntos, formam grandes barreiras osmóticas durante os processos de crioconservação. Em outras áreas de pesquisas como fisioterápica, médica e engenharia genética, a membrana plasmática e as diferenças na constituição dos tecidos, também são consideradas grandes barreiras à difusão de medicamentos e fragmentos de DNA, sendo a partir de 1980 mitigadas através das tecnologias de fonoforese (ultrassom) e eletroporação que propiciam a formação de poros reversíveis em suas membranas.Além das barreiras osmóticas, as baixas temperaturas utilizadas, também são grandes barreiras nos protocolos de criopreservação gerando alterações no metabolismo celular e promovendo a nucleação dos cristais de gelo, que rompem a coesão tecidual e as estruturas membranosas. Desta forma, os tratamentos de criopreservação passam a necessitar de soluções crioprotetoras específicas, que penetrem nas células inibindo os cristais de gelo e protejam os componentes celulares das temperaturas reduzidas; entretanto, essas substâncias tornam-se tóxicas aos embriões dependendo do tempo de exposição, temperatura, concentração e estágio embrionário utilizados nos processos. Apesar de todos os esforços desprendidos, nenhum resultado expressivo e reproduzível ainda foi descrito na literatura; sendo comumente relatado para os tratamentos de resfriamento e toxicidade dos crioprotetores, inúmeras injurias ainda pouco estudadas. Normalmente, as larvas pós-tratamento apresentam um corpo reduzido e tortuoso, resultado de uma notocorda sinuosa e uma disfunção do processo de miogênese, como mioseptos incompletos e miomeros fundidos de forma desorganizada, o que é, provavelmente, influenciada pela atuação das soluções crioprotetoras associadas ás baixas temperaturas.Desta forma, entendemos que estudos mais aprofundados são necessários para compreendermos os processos de crioconservação dos embriões de teleósteos; avaliando os efeitos deletérios das soluções crioprotetoras e da baixa temperatura sobre o desenvolvimento embrionário; além de buscar novas tecnologias para aumentar a permeabilidade dos embriões. Assim, objetivamos descrever um protocolo viável de vitrificação de embriões de peixes neotropicais através do uso da eletroporação e do ultrassom, avaliando histologicamente e ultraestruturalmente as injurias sofridas pelos embriões expostos aos tratamentos. (AU)

Busca de fontes anapleróticas do ciclo do TCA como alvos no combate ao câncer de mama triplo-negativo

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM). Associação Brasileira de Tecnologia de Luz Síncrotron (ABTLuS). Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (Brasil). Campinas, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Sandra Martha Gomes Dias
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Química de Macromoléculas
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Processo:13/12186-1
Vigência: 01 de setembro de 2013 - 28 de fevereiro de 2015
Resumo
O câncer de mama triplo-negativo é caracterizado pela ausência dos receptores de hormônios progesterona e estrógeno e do receptor de membrana HER2 e, por isso, não responde aos tratamentos convencionais da doença. Alterações no metabolismo celular estão ligadas ao surgimento e progressão do triplo-negativo, sendo importantes na busca de novos alvos terapêuticos. A glutamina é responsável por parte das alterações metabólicas do tumor por seu papel na anaplerose, processo de reposição dos intermediários do Ciclo do Ácido Tricarboxílico (TCA) que são utilizados em vias biossintéticas da célula. O composto BPTES é um potente inibidor do metabolismo da glutamina, porém, estudos do nosso laboratório têm mostrado que a sensibilidade de linhagens de câncer a este composto é variada, sugerindo mecanismos de compensação do bloqueio da anaplerose por este aminoácido. O presente trabalho tem como objetivo o estudo de mecanismos anapleróticos alternativos ao consumo de glutamina em linhagens de câncer de mama menos sensíveis ao BPTES, com especial ênfase nos tumores de mama triplo-negativo. Em paralelo, vamos também avaliar novos alvos metabólicos nessas células. Como estratégia, linhagens de menor sensibilidade ao composto serão submetidas a knock down de genes importantes das vias do metabolismo celular, utilizando-se de biblioteca de siRNA, na presença do BPTES. O impacto desse bloqueio no perfil tumoral será medido por ensaios de proliferação celular, quantificação de massa mitocondrial e ensaios de apoptose. (AU)

Efeito da laserterapia de baixa potência e fatores de crescimento sobre a atividade de de fibroblastos de gengiva obtidos de pacientes jovens e idosos

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Odontologia (FOAr). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Carlos Alberto de Souza Costa
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Materiais Odontológicos
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Processo:12/25070-9
Vigência: 01 de agosto de 2013 - 28 de fevereiro de 2015
Assunto(s):Terapia a laserFibroblastosCitotoxicidade
Resumo
O reparo tecidual está relacionado a uma série de fenômenos locais, dentre eles a proliferação celular e a síntese de componentes da matriz extracelular, tais como colágeno, elastina e fibras reticulares, os quais dependem diretamente do aumento do metabolismo celular. Entretanto, com o envelhecimento estas funções celulares diminuem, o que pode levar a uma redução na capacidade de reparo de feridas. Fibroblastos de gengiva apresentam uma maior capacidade de reparo quando comparados com fibroblastos de pele. Entretanto, não há estudos que avaliaram se a idade pode ser um fator importante na capacidade de reparo da mucosa oral, como já determinado para a pele. Estudos recentes demonstraram que a irradiação com laser de baixa potência (LBP) promove bioestimulação de diferentes tipos celulares em cultura, sendo que a aplicação de fatores de crescimento, como o fator de crescimento epitelial (EGF), acelera o processo de reparo devido à estimulação da proliferação e migração celular. Portanto, a presente pesquisa tem como objetivo avaliar o metabolismo, proliferação e migração celular, atividades estas caracterizadas como indicativas da capacidade de reparo de fibroblastos de gengiva jovens e idosos submetidos ou não a laserterapia de baixa intensidade e fatores de crescimento. (AU)

Caracterização functional de proteínas quinases e fosfatases não-essenciais que regulam a produção de enzimas hidrolíticas em Aspergillus nidulans

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Gustavo Henrique Goldman
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Molecular e de Microorganismos
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Artigo
Processo:13/13081-9
Vigência: 01 de agosto de 2013 - 31 de janeiro de 2014
Assunto(s):Aspergillus nidulansProteínas quinasesEnzimas hidrolíticasMonoester fosfórico hidrolasesBiologia molecular
Resumo
Apesar dos recentes avanços na compreensão da regulação de enzimas lignocelulolíticas, pouco é conhecido sobre como diferentes fontes de carbono são sensoriadas e as cascatas de transdução de sinal que resultam na adaptação do metabolismo celular e na secreção de hidrolases. Portanto, visando caracterizar o papel que as proteínas quinases (NPK) e fosfatases não-essenciais (NPP) no sensoriamento de carbono e/ou no status energético foi investigado no fungo modelo Aspergillus nidulans. Onze NPKs e sete NPPs foram identificadas como envolvidas na produção de celulase e em alguns casos de hemicelulase em A. nidulans. A regulação da repressão catabólica mediada por CreA na cepa parental foi determinada por microscopia de fluorescência utilizando uma proteína de fusão CreA::GFP. O sensoriamento da glicose fosforilada, via de sinalização de RAS induziu a repressão por CreA, enquanto starvation para carbono resultou na derepressão. O crescimento em celulose representou starvation ao carbono e condições de derepressão. O envolvimento das NPKs identificadas na regulação das respostas a celulose e na regulação da desrepressão de CreA foi avaliada por "genome-wide transcriptomics" (acesso GEO 47810) e a avaliação da localização de CreA::GFP ou uma restauração da atividade de endocelulase nos bakgrounds deficientes de NPKs. A ausência de schA ou snfA quinases dramaticamente reduziu a indução transcripcional induzida por celulose, incluindo a expressão de enzimas hidrolíticas e transportadores. O mecanismo pelo qual estas duas NPKs controlaram a transcripção gênica foi identificada porque os mutantes deficientes em NPKs não foram capazes de "unlock" a repressão catabólica mediada por repressão ao carbono mediada por CreA em condições de desrepressão catabólica, tais como starvation ao carbono ou crescimento em celulose. Coletivamente, este estudo identificou múltiplas quinases e fosfatasesenvolvidas no sensoriamento de carbono e/ou estado energético, enquanto demonstraram os papéis sinergísticos e overlapping de snfA e schA na regulação da desrepressão de CreA e produção de enzimas hidrolíticas em A. nidulans. A importância de um sinal de indução de para a starvation de carbono para a desrepressão de CreA, permitindo a ligação do ativador transcripcional, parece de fundamental importância para a secreção de hidrolase. (AU)

Papel da sinalização via mTOR na diferenciação, ativação e polarização de Linfócitos T CD4+ induzida por ácidos graxos de cadeia curta

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Niels Olsen Saraiva Câmara
Supervisor no exterior: Jonathan D. Powell
Local de pesquisa: Johns Hopkins School Of Medicine (Estados Unidos)
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Celular
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Processo:13/00962-7
Vigência: 01 de julho de 2013 - 31 de maio de 2014
Assunto(s):Ácidos graxosLinfócitos T CD4-positivos
Resumo
Ácido Graxo de cadeia curta (AGCC) são produtos finais produzidos a partir da fermentação de carboidratos complexos pela microbiota intestinal. Tem sido reportado que os AGCCs possuem papeis anti-inflamatórios, protegendo em modelo de colite e também atuando na modulação da função de neutrófilos e na maturação e ativação de células dendríticas. Porém, o seu papel na função de linfócitos T CD4+, células cruciais no curso da resposta imune, ainda não foi investigado. A via mTOR, e seus compelxos mTORC1 e mTORC2, tem sido considerada como uma via central na regulação do metabolismo celular, pois ela pode "sentir" o ambiente extracelular e ser ativada a depender da disponibilidade de elementos importantes para o metabolismo celular, como aminoácidos. Apesar de muito estudada, ainda não está completamente elucidado quais componentes podem ativar esta via. Dados preliminares gerados no meu doutorado mostram que na presença dos AGCC ocorre uma maior diferenciação de linfócitos T CD4+ reguladora (Foxp3+) e células produtoras de IL-17 (Th17). O presente projeto tem como objetivo avaliar o papel dos AGCCs na diferenciação de linfócitos T CD4+ em outras células efetoras Th1, Th2, além das Th17 e T reguladora in vitro, e também verificar a participação da via da mTOR e de seus dois complexos neste contexto de diferenciação. Nós acreditamos que esse estudo trará resultados inovadores no que tange o entendimento da regulação da ativação da via da mTOR, bem como o papel dos AGCCs na biologia dos diferentes subtipos de células T CD4+. (AU)

Biocompatibilidade de substâncias utilizadas para prevenção ou eliminação de biofilme: avaliação do metabolismo celular

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Odontologia (FOAr). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Janaina Habib Jorge
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Clínica Odontológica
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Processo:13/01844-8
Vigência: 01 de julho de 2013 - 30 de junho de 2015
Assunto(s):Teste de biocompatibilidadeBiofilmesPróteses e implantes
Resumo
Em próteses odontológicas e dispositivos médicos, diferentes biomateriais, incluindocerâmica e liga de titânio, podem ser revestidos com TiO2 e AgTiO2, objetivando melhorar as suaspropriedades biológicas, particularmente com relação à adesão e à proliferação de microorganismos.Entretanto, a biocompatibilidade de diferentes biomateriais revestidos com nanopartículas ainda não foi avaliada e, assim, estudos são necessários objetivando melhorar suaperformance in vivo. Dessa forma, o objetivo do presente estudo será avaliar a citotoxicidade debiomateriais revestidos com nanopartículas de TiO2 e AgTiO2 por meio de diferentes testes, afim de torná-los viáveis para o uso clínico na prevenção de biofilmes. Para isso, serão avaliados 4 biomateriais: 1 cerâmica reforçada com leucita, 1 liga de titânio, alumínio e vanádio (Ti-6Al-4V), 1 polimetilmetacrilato e 1 silicone de adição. Para cada uma das condições experimentais, corpos de prova (10 mm de diâmetro por 1 mm de espessura) de cada biomaterial serão preparados e divididos em três grupos (n=9): não revestidos (controle); revestidos por TiO2; revestidos por AgTiO2. Para a análise do efeito citotóxico das substâncias liberadas pelos corpos-de-prova, serão obtidos extratos das substâncias hidrossolúveis dessas amostras. Para isso, três corpos-de-prova de cada grupo experimental, serão colocados dentro de tubos de ensaio com 9 ml de meio de cultura DMEM e incubados por 24 horas. Para a realização do teste de citotoxicidade, 100 ul da suspensão composta de 1,0 x 105 células/ml serão colocados em cada compartimento de uma placa com 96 orifícios,incubada em estufa com 5% de CO2, a 37ºC por 24 horas. Após tal período de incubação, o meio de cultura será desprezado, permanecendo as células aderidas no fundo da placa, e 50 ul de meio de cultura novo serão colocados em cada orifício da placa juntamente com 50 ul do extrato contendo as substâncias liberadas pelos corpos de prova, a qual será incubada por 24 horas. Após o período deincubação, serão avaliadas a proliferação celular por meio do teste Alamar Blue, a viabilidade celular por meio do nível de ATP (adenosine triphosphate) e a integridade da membrana celular das células viáveis. Os resultados do metabolismo celular das células viáveis após o contato com os extratos dos materiais estudados, serão submetidos ao método estatístico mais adequado e o nível designificância de 5% será selecionado (±=0.05). Além disso, para cada teste, os resultados serãocomparados com o controle negativo e os tratamentos nos diferentes grupos experimentais serão classificados de acordo com o efeito citotóxico em escores de 0 a 3. (AU)
201 resultado(s)
|
Exportar 0 registro(s) selecionado(s) | Limpar seleção
CDi/FAPESP - Centro de Documentação e Informação da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo

R. Pio XI, 1500 - Alto da Lapa - CEP 05468-901 - São Paulo/SP - Brasil
cdi@fapesp.br - Converse com a FAPESP