site da FAPESP
 

Refine sua pesquisa

Pesquisa
  • Uma ou mais palavras adicionais
Publicações científicas
Auxílios à Pesquisa
Bolsas
Programas voltados a Temas Específicos
Programas de Pesquisa direcionados à Aplicação
Programas de Infraestrutura de Pesquisa
Área do conhecimento
Situação
Ano de início
838 resultado(s)
|

Targeting IDH1R132H mutation in glioblastoma multiforme

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:William Tadeu Lara Festuccia
Supervisor no exterior: Gregory J. Riggins
Local de pesquisa: Johns Hopkins University (JHU) (Estados Unidos)
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Metabolismo e Bioenergética
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Processo:15/05828-2
Vigência: 01 de agosto de 2015 - 31 de julho de 2016
Assunto(s):Epigênese genéticaMetabolismoEndocrinologia
Resumo
Mutações na enzima Isocitrato Desidrogenase 1 (IDH1) estão presentes em 70-80% dos gliomas de grau II e III, que na maioria progride para o glioblastoma multiforme (GBM). Nesta classe molecularmente distinta de gliomas malignos, a enzima mutante IDH1 produz o hidroxiglutarato (2-HG), um "oncometabólito" que inibe a ação histona dependente e desmetilases de DNA por meio do ±-ketoglutarato, resultando na hipermetilação do DNA e na supressão da diferenciação celular. Dessa forma, este oncometabólito integra sinalizações oncogênicas, metabolismo e transcrição gênica. Demonstramos a eficácia pré-clínica e o mecanismo de ação da droga 5-azacitidina com ação desmetilante de DNA aprovada para o uso clínico. Em modelos in vivo a administração sistêmica de 5-azacitidina reduz o tamanho tumoral, aumenta a sobrevida e induz a diferenciação celular. O foco deste estudo é entender o mecanismo de ação do agente desmetilante de DNA no tratamento de gliomas com a mutação IDH1, utilizando modelos de astrocitomas anaplásicos com mutação em IDH1 e modelos adicionais de oligodendroglioma e oligoastrocitoma de grau III também com mutação em IDH1. Nos propomos a demonstrar o mecanismo e a eficácia de 5-azacitidina na indução da diminuição tumoral in vitro e in vivo com modelos ortotópicos de glioma com mutação em IDH1. Para confirmar o mecanismo in vivo estudaremos a inativação de IDH1, diferenciação celular e alterações na transcrição e metilação de genes. Além disso, testaremos o efeito sinérgico in vivo e in vitro da combinação de 5-azacitidina com o tratamento clínico padrão em gliomas e avaliar o mecanismo da diminuição tumoral, incluindo alterações na apoptose e diferenciação celular. Dessa forma, nosso objetivo é elucidar o mecanismo de ação de 5-azacitidina na diminuição de tumores com a mutação IDH1. Nossos dados preliminares são promissores, mas combinações sinergísticas, assim como, uma abordagem explorando o mecanismo biológico é necessária para o trabalho apresentar maior potencial translacional. Os resultados deste trabalho auxiliará no desenho e formulação de novos testes em pacientes com glioma com mutação IDH1, que está associado a uma grande fração de mortalidade induzida pelo glioma. (AU)

O papel do NLRP3 na ativação imune induzida pela privação de sono

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Monica Levy Andersen
Supervisor no exterior: Tarja Stenberg
Local de pesquisa: University of Helsinki (Finlândia)
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia Geral
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Processo:15/07354-8
Vigência: 01 de agosto de 2015 - 31 de julho de 2016
Assunto(s):Neurociências
Resumo
A presente proposta irá explorar a hipótese que a privação de sono induz dano celular, levando ao aumento da resposta inflamatória, alteração no transporte lipídico e maior síntese de triglicerídeos e ácidos graxos, favorecendo doenças cardiometabólicas. A abordagem farmacológica será utilizada para investigar o papel do NLRP3 e LXR nas vias de sinalização inflamatória e lipídica em função do ciclo vigília-sono e após a privação de sono. Ratos serão submetidos à privação de sono por meio do método gentle handling. Agonistas e antagonistas NLRP3 ou LXR serão administrados antes e após a privação de sono. Ao término do experimento, os tecidos (sangue, cérebro e fígado) serão coletados e analisados quanto à expressão de genes associados com a resposta inflamatória e as vias de metabolismo e síntese lipídica. Durante o experimento, o ciclo vigília-sono, assim como a privação e o rebote de sono, serão monitorados por meio do registro eletrofisiológico (EEG/EMG). Compreender os mecanismos por meio dos quais a privação de sono induz ativação da resposta imunológica e alterações metabólicas auxiliará na compreensão dos prejuízos na saúde decorrentes da redução do tempo de sono. (AU)

O papel das proteínas ligantes de ácidos graxos na infecção de macrófagos por Leishmania: um alvo potencial para novas drogas contra leishmaniose

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Danilo Ciccone Miguel
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Parasitologia - Protozoologia de Parasitos
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Apoio a Jovens Pesquisadores
Processo:14/21129-4
Vigência: 01 de julho de 2015 - 30 de junho de 2019
Assunto(s):LeishmaniaMacrófagos
Resumo
A leishmaniose é uma infecção causada por protozoários do gênero Leishmania. Enquanto parasitam os hospedeiros vertebrados, as formas amastigotas ocupam vacúolos parasitóforos de macrófagos. Apesar de ainda pouco se compreender sobre os fatores que garantem a sobrevivência do parasita nestes microambientes, recentemente verificou-se que amastigotas incorporam ácidos graxos eficientemente para utilização na biossíntese de aminoácidos. Logo, é razoável supor a existência de um mecanismo de controle do tráfego de ácidos graxos em macrófagos infectados. Sabe-se que proteínas ligantes de ácidos graxos (FABPs), abundantes no citoplasma de adipócitos e macrófagos, transportam ácidos graxos para diferentes compartimentos celulares e desempenham papel crucial na regulação do metabolismo e resposta inflamatória celular. Estudos recentes mostram que os níveis de transcritos da FABP tipo 4 de macrófagos encontram-se aumentados após infecção com Leishmania. Em linhas gerais, propõe-se determinar neste projeto se diferentes espécies de Leishmania de importância epidemiológica no cenário nacional são capazes de modular a atividade da FABP4 da célula hospedeira, como uma estratégia adaptativa para garantir o acesso a nutrientes e assegurar sua sobrevivência. Ferramentas bioquímicas e moleculares, como silenciamento do gene FABP4 e uso de inibidores específicos, serão associadas à utilização de camundongos transgênicos para caracterização do papel da FABP4 frente às infecções de macrófagos com Leishmania. Futuramente será avaliado o potencial leishmanicida de moléculas capazes de interferir na via de sinalização celular mediada pelas FABPs, com o objetivo de se identificar um potencial candidato a fármaco para o tratamento da leishmaniose. (AU)

Gorduras interesterificadas e micro rna-33: implicações no acúmulo de lípides em macrófagos

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Ana Maria Pita Lottenberg
Supervisor no exterior: Kathryn J. Moore
Local de pesquisa: NYU Langone Medical Center (Estados Unidos)
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Nutrição
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Processo:15/03523-0
Vigência: 05 de junho de 2015 - 04 de dezembro de 2015
Assunto(s):Nutrigenômica
Resumo
Dietas ricas em gordura aumentam o risco cardiovascular especialmente pela modulação de vias de sinalização envolvidas no desenvolvimento da aterosclerose. A principal característica do estágio inicial do processo aterosclerótico é a formação de células espumosas, um evento dependente do equilíbrio entre a captação de LDL modificada e o efluxo de colesterol dos macrófagos. Estudos epidemiológicos, clínicos e experimentais demonstraram o impacto de diferentes tipos de ácidos graxos sobre o metabolismo de lipoproteinas e, consequentemente, sobre o risco cardiovascular. Com o avanço da biologia molecular, diversas investigações demonstraram também o papel dos diferentes ácidos graxos presentes na dieta sobre o conteúdo proteico e a atividade dos transportadores ATP binding cassette (ABC), cujos resultados não são condizentes com os observados para o RNA mensageiro dos mesmos. Estes resultados sugerem que os ácidos graxos podem modular processos pós transcricionais associados com a formação da celula espumosa. Os micro RNAs estão surgindo como novos biomarcadores para elucidar a homeostasia de lipides intracelular, especialmente o miR-33, o qual atua reduzindo a transcrição de transportadores ABC, proteínas presents na membrana celular e que estão envolvidas no efluxo celular de colesterol. Dados recentes do nosso laboratório demonstraram que as gorduras interesterificadas contendo ácido palmitico induzem o desenvolvimento de aterosclerose e o estresse inflamatório. Desta forma, nosso objetivo é investigar novos mecanismos pelos quais esta gordura possa interferir com o transporte reverso de colesterol culminando na progressão da lesão aterosclerótica. (AU)

Efeito do extrato de chá verde (GTE) no metabolismo e expressão gênica de células osteoblásticas da medula óssea de ratas ovariectomizadas

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto (FORP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Karina Fittipaldi Bombonato Prado
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Citologia e Biologia Celular
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:15/06285-2
Vigência: 01 de junho de 2015 - 31 de maio de 2016
Assunto(s):OsteoblastoCamellia sinensisExpressão gênicaOsteoporose
Resumo
A osteoporose é uma doença comum no período pós-menopausa e se caracteriza por perda de massa óssea e fragilidade do osso, o que facilita a ocorrência de fraturas. Muitos fatores, tais como inflamação crônica e deficiência de estrógeno são capazes de promover a perda de massa óssea, porque aumentam o estresse oxidativo ou porque reduzem a capacidade antioxidante do organismo. Dessa forma, o chá verde, uma bebida muito consumida em todo o mundo, tem recebido muita atenção. O extrato de chá verde (GTE) é rico em antioxidantes não vitamínicos denominados catequinas, compostos fenólicos que possuem atividade anti-inflamatória e antioxidante, reduzindo a reabsorção óssea, aumentando a diferenciação osteoblástica e a formação óssea. Dessa forma, o objetivo desse trabalho é realizar estudos in vitro para avaliar o metabolismo de células osteoblásticas originárias da calvária de ratas ovariectomizadas na presença do extrato de chá verde (GTE). Serão utilizadas ratas Wistar divididas em grupos controle e ovariectomizado. Após 60 dias, as ratas serão sacrificadas e os fêmures coletados para o isolamento das células da medula óssea, que serão cultivadas em garrafas de cultura em meio osteogênico até a subconfluência e plaqueadas em uma concentração de 2 x 104 células por poço em placas de cultura (n=5) divididas em quatro grupos: controle sem adição de GTE (C); controle com adição de GTE no meio (CGTE) ; ovariectomizado sem adição de GTE (O) e ovariectomia com adição de GTE (OGTE). Após os tempos experimentais de , serão avaliados os seguintes parâmetros: proliferação e viabilidade celular, atividade de fosfatase alcalina, detecção e quantificação de nódulos mineralizados, assim como quantificação da expressão de genes associados à osteogênese. Os dados obtidos serão analisados por programas estatísticos adequados com significância de p d 0.05, com o objetivo de encontrar dados estatisticamente significantes que demonstrem os efeitos benéficos do GTE. (AU)

Lignina em espécies de Saccharum spp

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Paulo Mazzafera
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Botânica - Fisiologia Vegetal
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Processo:14/25994-1
Vigência: 01 de junho de 2015 - 29 de fevereiro de 2016
Assunto(s):SacarificaçãoSaccharumParede celularExpressão gênicaMetabolismo secundárioLignina
Resumo
O aumento do consumo mundial de recursos finitos de combustíveis fósseis e as conseqüências climáticas negativas de seu uso estão atualmente dirigindo a busca de fontes alternativas de energia, a biomassa vegetal, composta principalmente por celulose, hemicelulose e lignina. A biomassa vegetal pode servir como matéria-prima renovável para a produção de energia podendo ser transformada em biocombustíveis através de um processo chamado sacarificação. A lignina é um polímero aromático complexo, fundamental para crescimento e desenvolvimento vegetal, porém sua presença dificulta a sacarificação por uma série de razões, desde aumentar a recalcitrância da parede celular, até inibir a fermentação por liberar compostos tóxicos aos microrganismos fermentadores. Portanto, um entendimento dos processos que governam a recalcitrância da parede celular gerado pela lignina é urgente, a fim de aproveitar plenamente o potencial dos biocombustíveis celulósicos. O conhecimento de que a via biossintética da lignina é relativamente conservada entre as distinas espécies permite inferir que abordagens similares utilizadas em estudos de dicotiledoneas poderia ser aplicada em monocotiledôneas apresentando características potenciais para a produção de bioetanol de segunda geração. A cana de açucar, planta C4, é uma das mais eficientes em coletar e converter a luz solar em energia química, apresentando um alto conteúdo de sacarose. Recentemente, com o advento do desenvolvimento da tecnologia de bioetanol de segunda geração, tem havido o interesse no estudo para o desenvolvimento de um tipo de cana com uma melhor qualidade de biomassa (menor recalcitrância e maior conteúdo de fibra e celulose) para ser usada na produção do bioetanol lignocelulósico, ou seja, oriundo à partir dos componentes da parede celular. Esta pesquisa propõe estudar os genótipos ancestrais das variedades comerciais atuais de cana de açúcar: Saccharum officinarum, Saccharum barberi, Saccharum robustum e Saccharum spontaneum, avaliando-se o conteúdo e tipo de lignina, a identificação e a expressão de genes relacionados à biossíntese deste polímero, assim como também será feita a caracterização química da parede celular nestas espécies. Os resultados obtidos nesta pesquisa permitirão uma melhor compreensão e aproveitamento da diversidade genética do gênero Saccharum no que diz respeito à produção de bioetanol de segunda geração, podendo auxiliar programas de melhoramento genético clásico e transformação genética para desenvolver variedades comerciais (híbridos) de cana com características importantes para bioenergía. (AU)

Mecanismo e cinética de formação de s-nitrosoproteínas a partir de dinitrosilo complexos de ferro associados a glutationa S-transferase (GST-DNIC)

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Pesquisador responsável:José Carlos Toledo Junior
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Química de Macromoléculas
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:15/04942-6
Vigência: 01 de junho de 2015 - 31 de maio de 2016
Assunto(s):Óxido nítrico
Resumo
S-nitrosação de resíduos de cisteína é considerada uma modificação pós traducional universal e comum dependente de óxido nítrico (NO*) que afeta atividade, associação e localização de proteínas e enzimas e controla e/ou modula distintos processos biológicos, desde metabolismo até apoptose. Porém, existe resistência quanto a aceitação plena deste mecanismo de sinalização. Por exemplo, o próprio mecanismo de formação de s-nitrosoproteínas a partir de NO* e se este é coerente com princípios fundamentais de comunicação biológica tais como rapidez, seletividade, e reversibilidade. Não há reação direta entre NO* e tióis, portanto o mecanismo tem que envolver intermediários. Dados recentes apontam para o intermédio de complexos de ferro derivados da rápida reação entre ferro celular lábil e NO*, dinitrosilo complexos de ferro (DNIC). Estes complexos são associados a proteínas e formam-se em abundância em células expostas a NO* e o aparecimento e concentração de DNIC coincidem e correlacionam-se com a formação e quantidade de s-nitrosoproteínas. Portanto, foi sugerido que s-nitrosação é resultado do ataque nucleofílico de resíduos de cisteína ao grupo NO ligado a FCL em DNIC. Tal mecanismo é atrativo no contexto de sinalização via s-nitrosação porque poderia ser seletivo [seria governado por interações específicas proteínas(DNIC)/proteínas (Tiolatos)], e catalítico. No entanto, estas características ainda não foram analisadas. O objetivo principal desta proposta é estudar a cinética e o mecanismo de s-nitrosação de proteínas através de DNIC proteicos. Para tanto vamos usar como fonte de DNIC, DNIC derivados de glutationa s-transferases, uma das poucas, classes de proteínas (senão a única) que acomodam DNIC em células. Os alvos iniciais serão peroxiredoxinas porque estas proteínas contêm tiois reativos e com baixo pKa. O estudo vai contribuir pra compreensão do mecanismo de formação de s-nitrosoproteínas e promote permitir certo controle sobre s-nitrosação celular. Este controle seria útil em estudos de aspectos biológicos governados por NO* através de s-nitrosação de proteínas. (AU)

Associação entre o ácido úrico plasmático e a espessura da camada Média-Intimal da carótida comum em pacientes do ELSA

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Química (IQ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Flavia Carla Meotti
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Metabolismo e Bioenergética
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Processo:15/09771-5
Vigência: 01 de junho de 2015 - 31 de dezembro de 2015
Assunto(s):AntioxidantesInflamaçãoÁcido úrico
Resumo
Vários estudos têm sugerido que o ácido úrico plasmático é um importante, fator de risco independente para o desenvolvimento das doenças cardiovasculares (DCV). No entanto, a hiperuricemia tem sido apontada como participante do mecanismo patogênico relacionado à formação do processo aterosclerótico, mediado pela ação da enzima mieloperoxidase (MPO), a qual utiliza o ácido úrico como substrato para a formação de agentes oxidantes, levando ao desequilíbrio no balanço redox celular, dando curso a um processo inflamatório no ambiente vascular. A medida da espessura da camada media-intimal das carótidas (IMT) por ultrassonografia é um método amplamente usado como um marcador importante para as doenças ateroscleróticas e diretamente associado com o risco de doenças cardiovasculares. Apesar de alguns estudos relatarem forte associação entre o aumento da IMT das carótidas e as doenças cardiovasculares, ainda há necessidade de esclarecer o papel do ácido úrico e de seus correspondentes biológicos como a alantoína e a xantina na progressão da aterogênese. (AU)

Caracterização funcional de camundongos e células nocaute para os genes que codificam as proteínas regulatórias Ki-1/57 e CGI-55

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Jörg Kobarg
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Biologia Molecular
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:14/21700-3
Vigência: 01 de junho de 2015 - 31 de maio de 2017
Assunto(s):Oncoproteínas
Resumo
Ki-1/57 foi descoberta através da reatividade cruzada com um anticorpo monoclonal Ki-1, o primeiro anticorpo descrito para detectar células de linfoma de Hodgkin. Estudos preliminares dessa proteína revelaram características muito comuns a onco-proteínas. Experimentos de duplo-híbrido em leveduras identificaram proteínas parceiras envolvidas no controle da transcrição e metabolismo de RNA. Muitas delas são proteínas que se ligam diretamente a p53 ou fazem parte da família p53, fator de transcrição supressor tumoral e um importante mediador de resposta ao estresse celular. Foi identificado também que Ki-1/57 interage com proteínas envolvidas em splicing, colocaliza com grânulos de estresse e é sumoilada. Dados de experimentos de microarray, publicados recentemente pelo nosso grupo, oferecem uma nova perspectiva da função de Ki-1/57, o seu envolvimento em mecanismos de resposta celular a estresse, uma vez que sua superexpressão levou a repressão de genes envolvidos na proliferação e morte celular. Em conjunto com as informações de interação proteína-proteína disponíveis, esses dados de microarray e localização subcelular, sugerem que a ação de Ki-1/57, sob essas condições, ocorreria nos diferentes níveis do controle da expressão gênica, desde transcrição à tradução. Com o intuito de avaliar com maior profundidade as possíveis funções de Ki-1/57 pretendemos realizar superexpressão de Ki-1/57 e p53, seguidos de estudos de ciclo celulares e estresse. Ki-1/57 também tem sido relacionada com câncer, tendo sido observada sua expressão em células tumorais. Pretendemos investigar melhor o papel de Ki-1/57 e CGI-55 na regulação da expressão gênica através da identificação do perfil dos RNAs mensageiros (mRNAs) alvos de Ki-1/57 e CGI-55 e mapear os seus sítios de ligação no RNA através de cross-linking immunoprecipitation seguido de sequenciamento de nova geração (CLIP-seq). Além disso, estamos em fases avançadas de geração de um camundongo nocaute para o gene Ki-1/57. Conseguimos gerar animais mosaicos nocautes para Ki-1/57 utilizando o novo sistema CRISPR/Cas9. Também já temos células-tronco embrionárias (ES) heterozigotas nocaute para Ki-1/57 que foram geradas pelo método clássico de recombinação homóloga em células-tronco embrionárias. Estamos investigando o papel de Ki-1/57 em células-tronco pluripotentes e na diferenciação neuronal e em cardiomiócitos. Em primeiras injeções das células ES nocaute de Ki-1/57 em blastocistos obtivemos animais quimeras. Grande parte do projeto trataria da caracterização histológica, morfológica, fisiológica e funcional de animais nocaute Ki-1/57 hetero e homozigotos comparado com animais selvagens. (AU)

Avaliação da resposta imuno-metabólica em macrófagos peritoneais de camundongos obesos: papel do exercício físico e do PPAR-gamma

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Presidente Prudente. Presidente Prudente, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Fábio Santos de Lira
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Educação Física
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Processo:14/01246-6
Vigência: 01 de junho de 2015 - 28 de fevereiro de 2017
Assunto(s):Macrófagos peritoneaisExercício físicoInflamaçãoMetabolismo
Resumo
O treinamento físico aeróbio moderado está cada vez mais consolidado como uma eficiente terapia não farmacológica para o tratamento e a prevenção de doenças inflamatórias crônicas assépticas, que perfazem a maior causa de morte no mundo, já que dentre essas doenças podemos citar a obesidade, a diabetes tipo 2, doenças cardiovasculares em geral, câncer, doenças neurodegenerativas entre outras. O papel terapêutico do treinamento físico, se dá pelo aumento da resposta anti-inflamatória provocada, pelo exercício físico moderado. Apesar de este efeito estar bem documentado na literatura, pouco se sabe sobre as vias moleculares que podem estar envolvidas nesse processo, assim como, se o treinamento de alta intensidade é capaz de modular essa resposta inflamatória de maneira semelhante ao moderado. Os macrófagos, quando cronicamente ativados favorecem a instalação e progressão de diversas doenças inflamatórias. Muitos são os fatores de transcrição que regulam a resposta desse tipo celular, dentre eles o receptor ativado por proliferador de peroxissomo gama (PPAR-gamma), que é capaz de regular a resposta imunometabólica, levando ao aumento dos macrófagos caracterizados por serem M2, ou seja fenotipicamente apresentando um aumento exponencial na capacidade de secreção de citocinas e prostaglandinas anti-inflamatórias. Como essa alteração de fenótipo ocorre em decorrência do treinamento, pretendemos entender se o PPAR-gamma é importante nesse processo, e por fim avaliar se a sua deleção em células mieloides podem levar a diminuição da resposta anti-inflamatória do exercício quando um estado inflamatório de baixo grau é induzido, nesse caso isso ocorrerá, pela indução da obesidade em camundongos. Para testar nossa hipótese, serão utilizadas duas linhagens de animais: CreLox para PPAR-gamma (Cre+/+ PPAR-gamma -/-) que levam a deleção do PPAR³, especificamente em células mieloides, e em animais controle da mesma ninhada (Cre/ PPAR-gamma+/+). Para cada grupo de animal iremos formar seis subgrupos sendo 10 animais por grupo: 1) dieta balanceada sedentário (BS); 2) dieta balanceada e treinamento de intensidade moderada (BTM); 3) dieta balanceada e treinamento de alta intensidade (BTA); 4) dieta hiperlipídica sedentário (HS); 5) dieta hiperlipídica e treinamento de intensidade moderada (HTM); 6) dieta hiperlipídica e treinamento de alta intensidade (HTA). Avaliaremos o perfil metabólico e inflamatório sistêmico, assim como cultura primária de macrófagos peritoneais, analisando a produção de citocinas e a expressão gênica, protéica e ativação do PPAR-gamma. Experimentos com cultura de macrófagos peritoneais (in vitro) e com modelo animal proporcionarão melhor entendimento da participação do PPAR-gamma na regulação imuno-metabólica. (AU)

Efeitos do diabetes do tipo 1 na reprogramação fetal com enfoque na matriz extracelular glomerular em modelo de camundongos

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Telma Maria Tenório Zorn
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Embriologia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Processo:15/03525-2
Vigência: 01 de junho de 2015 - 31 de janeiro de 2018
Assunto(s):Matriz extracelularMembrana basal glomerular
Resumo
Nos últimos anos, o Laboratório de Biologia da Reprodução e Matriz Extracelular tem focado seus estudos no processo complexo de remodelação da matriz extracelular (MEC) uterina durante o ciclo estral e desenvolvimento da decídua em roedores. Por meio de muitos estudos morfológicos e abordagens moleculares, nosso grupo demonstrou que este processo de remodelação abrange uma série de adaptações celulares e moleculares da MEC que conduz ao estabelecimento da interface materno-fetal e influencia todo o ambiente uterino. Recentemente, nosso grupo desenvolveu um modelo de gestação complicada por diabetes mellitus do tipo 1 (DM1) de longo prazo em camundongos. Por meio desse modelo demonstramos que a MEC uterina e placentária sofrem grandes alterações em sua composição molecular e organização estrutural, que comprometem o estabelecimento da gravidez e a taxa de implantação embrionária. Estudos mostram que a exposição à hiperglicemia materna durante o desenvolvimento intrauterino pode prejudicar a diferenciação embrionária inicial e organogênese. Este desenvolvimento anormal predispõe a prole de mães diabéticas à manifestação de várias doenças crônicas durante a vida adulta, como a hipertensão e insuficiência renal, devido a defeitos estruturais no órgão e consequentes falhas na função vascular e renal. Este fenômeno é conhecido como reprogramação fetal. Neste contexto, a nossa hipótese é a de que o metabolismo materno anormal pode promover uma reprogramação do desenvolvimento glomerular, devido a alterações na síntese, deposição e degradação de macromoléculas da MEC induzidas pela hiperglicemia, com potencial para comprometer a função renal. Assim, o objetivo deste projeto é analisar os efeitos da DM1 materna sobre o padrão de composição e organização das principais moléculas de colágeno e proteoglicanos da MEC glomerular, usando nosso modelo de gestação complicada por DM1 em camundongos. (AU)

Avaliação da atividade metabólica celular in vitro sobre diferentes amostras de ligas de titânio visando aplicações biomédicas

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Ciência e Tecnologia (ICT). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de São José dos Campos. São José dos Campos, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Luana Marotta Reis de Vasconcellos
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:15/01258-7
Vigência: 01 de maio de 2015 - 30 de abril de 2016
Assunto(s):CitocinasCitotoxicidadeLigas de titânioHistologia
Resumo
Nas últimas décadas houve um aumento na expectativa de vida da população, o que resultou no crescimento da utilização dos implantes metálicos para aplicações biomédicas. Além de ser biocompatíveis, os materiais utilizados para a fabricação destes implantes necessitam apresentar adequado módulo de elasticidade e resistência à corrosão. O titânio (Ti) e suas ligas são os materiais mais usados para esta finalidade, já que exibem tais características e sua elasticidade pode ser controlada pela confecção de poros e pelo material do qual o implante é fabricado. A topografia de superfície bem como a energia de superfície do material afetam os mecanismos biológicos de interação osso-implante e suas respostas inflamatórias. Diante disso, o objetivo principal deste estudo será avaliar o padrão de expressão das citocinas pró-inflamatórias, TNF-alfa e Interleucina-6, da diferenciação e metabolismo celular de osteoblastos obtidos da, frente à amostras confeccionadas com diferentes ligas de titânio, Ti6Al4V e Ti35Nb, exibindo superfície porosa. Serão utilizadas amostras confeccionadas pela metalurgia do pó, que serão divididas em 2 grupos: a) grupo 1: controle - liga de Ti-6Al-4V (titânio-alumínio-vanádio); b) grupo 2: liga de Ti-35Nb (nióbio). As células obtidas da linhagem celular MG63, serão cultivadas por 3 e 10 dias sobre as amostras. Posteriormente em cada amostra, serão realizados os testes para determinar a viabilidade celular (MTT), quantificação da proteína total, da proteína carbonilada, e da atividade da fosfatase alcalina (ALP), avaliação da produção de citocinas TNF-± e IL-6, e quantificação dos nódulos de matriz mineralizada. Todos os ensaios biológicos serão realizados em três experimentos independentes. O software GraphPad Prism (GraphPad, San Diego, CA) será usado para realizar as análises estatísticas. Os dados serão analisados por meio do ANOVA. Quando necessário, serão realizadas comparações por meio do teste de Tukey. O nível de significância adotado será o valor convencional de 5%. (AU)

Estudos funcionais da tirosina quinase Fibroblast Growth Factor receptor (FGFR2), da adaptadora growth factor Receptor- bound protein 2 (GRB2) e da tirosina fosfatase SHP2

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas (IBILCE). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de São José do Rio Preto. São José do Rio Preto, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Fernando Alves de Melo
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Biofísica - Biofísica Molecular
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:14/17630-0
Vigência: 01 de maio de 2015 - 30 de abril de 2017
Assunto(s):CinéticaCalorimetriaReceptores de fatores de crescimento de fibroblastosMetabolismo celularProteínas tirosina quinasesFosforilação
Resumo
O metabolismo celular é mediado por vias de sinalização que são reguladas por atividades enzimáticas dependentes da fosforilação reversível da cadeia lateral de aminoácidos. Deste modo, as proteínas tirosina quinase (PTKs) exercem um papel fundamental na regulação do metabolismo, expressão gênica, crescimento, divisão e diferenciação celular. Uma vez fosforiladas, PTKs recrutam proteínas parceiras (Grb2, Shc, Ras, Sos, etc) para formar complexos de sinalização primários (ESCs), que ativam vias de sinalização específicas dentro da célula. Em muitos casos quinases e fosfatases atuam juntas nestes processos. Neste contexto, as FGFRs são PTKs "chave" de muitos dos processos de sinalização cuja atividade aberrante causa uma variedade de cânceres e má formação fetal. Recentes estudos mostram que Grb2 é um importante regulador de FGFR2 e Shp2, prevenindo suas atividades quinase e fosfatase respectivamente antes da estimulação extracelular. Quando fosforilada, Grb2 dissocia-se de FGFR2, resultando no início de ambas as atividades quinase e fosfatase. A desfosforilação de Grb2 por Shp2 resgata o complexo formado previamente, reimpondo o controle sobre FGFR2. Grb2 é, portanto, uma reguladora global destas reações mutuamente dependentes e junto com FGFR2 e Shp2 é um alvo em potencial para o desenvolvimento de fármacos. Desta maneira, a caracterização das bases de interação entre estas proteínas são de suma importância para o entendimento dos processos que levam ao desenvolvimento de câncer. O objetivo deste trabalho é caracterizar as atividades quinase e fosfatase de FGFR2 e Shp2 respectivamente sobre Grb2 e posteriormente a interação mutua de FGFR2 e Shp2. Para este estudo serão obtidas proteínas recombinantes e o estudo será realizado utilizando técnicas de calorimetria e fluorescência para determinar parâmetros cinéticos de fosforilação e desfosforilação sobre Grb2, e possíveis mudanças conformacionais provenientes das interações mútuas entre estas proteínas.. Estes estudos contribuirão para que no futuro tenhamos uma "base" de conhecimento para o desenvolvimento de novos fármacos que vão atuar como inibidores de processos de sinalização celular que levam ao desenvolvimento de câncer. (AU)

Marcadores bioquímicos associados ao metabolismo de carboidratos durante a embriogênese zigótica e somática de araucária angustifolia (bert o. Ktze)

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Eny Iochevet Segal Floh
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Botânica - Botânica Aplicada
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado Direto
Processo:14/26888-0
Vigência: 01 de maio de 2015 - 30 de abril de 2017
Assunto(s):BiotecnologiaEmbriogênese somáticaAraucaria angustifoliaÓxido nítricoCarboidratos
Resumo
A embriogênese vegetal é um processo altamente complexo e organizado, no espaço e no tempo, com papel central no ciclo de vida das plantas. O estabelecimento e desenvolvimento de um novo indivíduo, ou seja, o embrião, através da embriogênese zigótica e somática, tem sido utilizado como modelo para estudos de desenvolvimento e diferenciação nas plantas. A embriogênese somática, considerada como uma técnica biotecnológica tem sido uma alternativa de propagação clonal visando à conservação e melhoramento genético das espécies. A Araucaria angustifolia é uma conífera subtropical nativa do Brasil que apresenta sementes recalcitrantes. Devido a sua importância econômica, foi intensamente explorada ao longo dos anos, encontrando-se atualmente classificada como espécie em perigo crítico de extinção pela IUCN. Há aproximadamente vinte anos, o grupo de pesquisa do Laboratório de Biologia Celular de Plantas (BIOCEL), tem utilizado este sistema vegetal em estudos fisiológicos, bioquímicos e moleculares, numa abordagem integrativa da embriogênese zigótica e somática. Diferentes sinalizadores ao longo da embriogênese tem sido investigados, entretanto, os carboidratos e seu metabolismo, que reconhecidamente constituem parte fundamental dos processos de crescimento e desenvolvimento vegetal foram pouco estudados. O presente projeto tem como objetivo o estudo da participação dos carboidratos e a integração do seu metabolismo com outros sinalizadores, mais especificamente etileno e óxido nítrico, durante a embriogênese zigótica e somática de A. angustifolia. Para tanto, serão utilizados parâmetros fisiológicos, bioquímicos e moleculares como: dosagens e perfil de açúcares (carboidratos solúveis, amido e parede celular), etileno, óxido nítrico, espécies reativas de oxigênio e expressão diferencial de genes (de acordo com o banco de transcritos existentes no BIOCEL). (AU)

Interferências da exposição gestacional ao di-n-butil ftalato e do consumo excessivo de lipídios saturados sobre a próstata do gerbilo: alterações histopatológicas e mecanismos envolvidos

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas (IBILCE). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de São José do Rio Preto. São José do Rio Preto, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Rejane Maira Góes
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Histologia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Processo:14/03300-8
Vigência: 01 de maio de 2015 - 28 de fevereiro de 2017
Convênio/Acordo de cooperação com a FAPESP: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Assunto(s):PróstataBiologia celular
Resumo
O elevado consumo de lipídios saturados e a exposição a desreguladores endócrinos (DE) são dois fatores ambientais a que a população atual está exposta e que possuem efeitos negativos sobre o desenvolvimento e manutenção do sistema reprodutor masculino. O di-n-butil ftalato (DBP) é um DE amplamente utilizado na fabricação de diversos produtos, como embalagens alimentícias e produtos de construção. O DBP desregula a organogênese do sistema reprodutor masculino quando administrado durante o desenvolvimento fetal, comprometendo assim a formação de órgãos andrógeno-dependentes. Porém, seu impacto sobre o desenvolvimento e consequências para a morfofisiologia da próstata ainda são poucos conhecidos. O consumo de elevado teor lipídico também afeta a homeostase dos hormônios esteroides, acarretando sérios prejuízos de fertilidade e aumentando o risco de câncer de próstata. A exposição aos ftalatos e outros DE tem sido implicada com a etiologia da obesidade, pois esses compostos agem como desreguladores metabólicos alterando a diferenciação dos adipócitos e o metabolismo de lipídios. Assim, torna-se relevante investigar em estudos experimentais se a exposição gestacional ao DBP afeta a adiposidade e a homeostasia da próstata na idade adulta, bem como as possíveis interferências do consumo excessivo de lipídios saturados, nesses parâmetros e nos efeitos causados pela exposição ao DBP. Dessa maneira, esse estudo objetiva investigar as consequências da exposição gestacional a elevadas doses do DBP sobre a histologia da próstata de gerbilos machos na idade adulta e incidência de lesões patológicas, somadas ou não ao consumo excessivo de lipídios saturados ao longo da vida. Para isso, serão utilizados gerbilos adultos (20 semanas) nascidos de mães alimentadas com ração padrão e tratadas ou não com DBP. Metade dos filhotes de cada grupo receberá, a partir do desmame, ração contendo elevado teor de lipídios saturados. O DBP será administrado às mães, via gavagem, do 8º até o 23º dia gestacional na concentração de 100mg/kg/dia. O lobo ventral será processado para microscopia de luz e a resposta prostática frente à exposição ao DBP e aos lipídios saturados será avaliada com base nas alterações histológicas, estereológicas, morfométricas e em análises da incidência e multiplicidade de lesões. Também serão examinadas as alterações nos níveis de proliferação celular e apoptose, por meio de imunocitoquímica para PCNA e método do TUNEL, seguidos de análises quantitativas. Para esclarecer os mecanismos envolvidos na resposta prostática ao DBP e consumo de lipídios saturados, serão realizadas várias análises, a saber: 1) determinação dos níveis séricos de testosterona e estradiol; 2) análises, por Western blotting (WB), da expressão de AR e ER² e frequência de células expressando esses receptores na próstata; 3) determinação do índice de adiposidade, níveis de leptina no soro e perfil lipídico; 4) avaliação da expressão dos receptores X do fígado (LXRa) e ativadores da proliferação dos peroxissomos (PPAR³) e das células expressando os mesmos na próstata; 5) avaliação de vias de sinalização envolvidas na resposta à insulina e na sobrevivência e metabolismo celular como as vias PI3K/Akt/mTOR e MEK/ERK, pela estimativa das porcentagens de proteínas fosforiladas e não fosforiladas por WB; 6) análise do conteúdo no soro e na próstata de mediadores da resposta inflamatória como as IL-1² e IL-6, e dos fatores de crescimento TNF-± e do IGF-1, a partir ensaios tipo multiplex. Esse estudo trará informações inéditas sobre os efeitos toxicológicos do DBP sobre a próstata desse roedor e também do consumo excessivo de lipídios saturados, além de responder se esse hábito interfere nos dados causados pela exposição gestacional a esse ftalato. A elucidação dos mecanismos celulares envolvidos na resposta prostática a esses fatores ambientais provavelmente será útil para interpretação dos fatores moduladores na instalação e progressão do câncer de próstata humano. (AU)

Avaliação da relação entre ritmo circadiano e ciclo celular em pacientes com Doença de Fabry

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Vânia D'Almeida
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Humana e Médica
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:14/26220-0
Vigência: 01 de maio de 2015 - 31 de dezembro de 2015
Assunto(s):Cultura de célulasRitmos biológicos
Resumo
Erros Inatos do Metabolismo (EIM) constituem um grupo de doenças hereditárias geneticamente determinadas, nas quais um defeito enzimático ou de transporte leva a um bloqueio de uma via metabólica. Inclusas nessa categoria estão as Doenças de Depósito Lisossômico (DDL), caracterizadas por uma perturbação na homeostase lisossômica, cuja deficiência proteica acarreta no acúmulo anormal de macromoléculas, com sintomas variados, mas progressivos e permanentes. A maioria das DDL é de herança monogênica autossômica recessiva, como doença de Gaucher e Pompe, poucas apresentam padrão de herança ligada ao X, como Doença de Fabry. A Doença de Fabry é uma DDL causada por uma mutação do gene GLA, que tem como consequência uma deficiência da enzima alfa galactosidase A e acúmulo de globotriaosilceramídeo (Gb3). O depósito anormal de Gb3 ocorre no interior dos lisossomos e manifesta-se em diversos tecidos, como pele, olhos, rins, coração, cérebro e sistema nervoso periférico. Em experimentos realizados previamente pelo nosso grupo, observou-se que o crescimento celular de fibroblastos de pacientes que apresentam Doença de Fabry era mais lento quando comparado com controle (dados não publicados), o que sugere que o controle do ciclo celular dessas células pode estar envolvido nas diferenças observadas. Diversos estudos mostram a influência de ritmos circadianos em processos fisiológicos e na expressão gênica, assim como sua repercussão em mecanismos regulatórios do ciclo celular. Dessa forma, o presente projeto visa investigar a correlação entre ritmos circadianos e ciclo celular em cultura de células de pacientes com Doença de Fabry. (AU)

Desenvolvimento de híbridos de óxido de grafeno como plataforma para o tratamento do câncer de bexiga não-músculo invasivo: interações da imunoterapia com Bacillus Calmette-Guérin, metformina e RNA de interferência

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Wagner José Fávaro
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia - Farmacotecnia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Processo:14/11154-1
Vigência: 01 de abril de 2015 - 31 de março de 2017
Convênio/Acordo de cooperação com a FAPESP: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Assunto(s):Metformina
Resumo
A modalidade de tratamento mais aceita atualmente para o tratamento do câncer de bexiga (CB) consiste na administração via intravesical de Bacillus Calmette-Guerin (BCG) associada à ressecção transuretral. Os efeitos anti-tumorais do BCG consistem no desencadeamento de uma resposta imunológica sistêmica envolvendo componentes humorais e celulares através da ativação de agonistas de receptores do tipo Toll-like (TLR), proporcionando atividade anti-tumoral e anti-angiogênica. Apesar da atividade anti-cancerígena da BCG, uma parcela significativa dos pacientes submetidos a esse tratamento apresenta intolerância, além de complicações potencialmente fatais, como a infecção sistêmica por BCG. Além disso, 50% dos tumores não-músculo invasivos (CBNMI) apresentam reincidência dentro de 4 anos após o tratamento, sendo que 11% dos casos passam a apresentar fenótipo invasivo. A metformina é um fármaco utilizado no tratamento da diabetes tipo 2. Vários estudos demosnstraram que esse fármaco apresenta atividade anti cancerígena envolvendo diferentes mecanismos, a saber aspectos envolvendo o metabolismo celular. Além da metformina, a recente descoberta do RNA de interferência (siRNA) fez com que essas substâncias passassem a ser estudadas pré-clinicamente quanto à aplicação no silenciamento de genes que estão associados ao câncer. Nesse projeto, objetiva-se desenvolver híbridos de óxido de grafeno (OG) para administração concomitante da metformina e siRNA para VEGF (Fator de crescimento do endotélio vascular). Além disso, propõe-se a associação entre os híbridos de OG contendo metformina e siRNA e a terapia convencional por BCG. Espera-se que essas associações potencializem a ação anti-cancerígena comparado a administração dessas substâncias na forma isolada e em relação à terapia usual por BCG. Para tal, o OG será quimicamente modificado para carreamento dessas moléculas. Os híbridos serão caracterizados por métodos físico químicos, como microscopia de força atômica (AFM), espectroscopia de absorção na região do infravermelho (FTIR), determinação do potencial zeta e tamanho de partícula. A complexação de siRNA ao OG será avaliada por eletroforese. A transfecção celular in vitro do híbrido também será avaliada e expressão de VEGF será quantificada por ELISA. Por fim, os híbridos que apresentarem melhores propriedades físico-químicas, menor citotoxicidade e maior atividade silenciadora sobre a produção de VEGF serão aplicados in vivo para determinação da atividade antitumoral contra CBNMI. (AU)

Influência da aptidão aeróbica na homeostase redox: identificação e implicação biológica da oxidação de resíduos cisteína em proteínas do músculo cardíaco e esquelético

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Escola de Educação Física e Esporte (EEFE). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Patricia Chakur Brum
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia do Esforço
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Processo:14/25957-9
Vigência: 01 de abril de 2015 - 31 de março de 2017
Convênio/Acordo de cooperação com a FAPESP: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Assunto(s):Cisteína
Resumo
A potência aeróbica (VO2máx) é um forte preditor de morbidade e mortalidade em indivíduos saudáveis e com doenças crônicas. Já, melhorias no VO2máx estão relacionadas com a prevenção e tratamento de inúmeras doenças crônicas, como a perda de massa muscular (atrofia), câncer, doença arterial coronariana, dentre outras. No entanto, os mecanismos desta relação ainda não estão esclarecidos. Considerando que estudos clínicos apresentam limitações metodológicas para o estudo dessa relação, animais geneticamente selecionados para apresentar baixa (LCR, low capacity runner) e alta (HCR, high capacity runner) aptidão aeróbica (VO2máx e capacidade de corrida) foram desenvolvidos na Universidade de Michigan pela equipe do Prof. Steve Britton. Observou-se que animais LCR apresentam maior susceptibilidade a fatores de risco cardiovascular e mortalidade precoce associada a um prejuízo no metabolismo aeróbio, que pode estar associado com uma defesa redox ineficaz (equilíbrio oxidativo) levando a um aumento do dano oxidativo nos animais LCR. De fato, o estresse oxidativo é considerado uma característica primária de doenças. Esses estudos forneceram a evidências de que um componente intrínseco do metabolismo oxidativo está ligado com a saúde e a longevidade. Alterações no estado redox celular ou nos níveis de espécies reativas de oxigênio e de nitrogênio (EROs e ERNs, respectivamente) são mais frequentemente detectadas em proteínas com resíduos de cisteína redox-sensíveis, cujo o estado oxidativo do grupo tiol exerce controle sobre a atividade das proteínas. Assim, no presente projeto após a caracterização fenotípica dos animais LCR e HCR, identificaremos, utilizando proteômica redox, as alterações redox nos resíduos de cisteína de proteínas dos músculos cardíaco e esquelético (plantar). Em seguida, analisaremos, por meio de ferramentas de bioinformática, se as alterações na sinalização redox de proteínas dos músculos cardíaco e esquelético poderão estar alteradas também no soro desses animais. Posteriormente, validaremos os alvos encontrados utilizando immunoblotting e ensaios funcionais in vitro. Desta forma, este projeto contribuirá para a identificação de potenciais alvos que nos permitam entender melhor a influência do metabolismo aeróbio sobre a saúde e a longevidade. (AU)

Estudos biofísicos e bioquímicos das glutaminases de humanos em complexo com novos parceiros de interação

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM). Associação Brasileira de Tecnologia de Luz Síncrotron (ABTLuS). Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (Brasil). Campinas, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Andre Luis Berteli Ambrosio
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Química de Macromoléculas
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Processo:14/12663-7
Vigência: 01 de abril de 2015 - 31 de março de 2017
Convênio/Acordo de cooperação com a FAPESP: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Assunto(s):Neoplasias
Resumo
Um princípio recorrente na biologia do câncer é a cooptação de vias metabólicas para promover o crescimento celular aberrante. Para sustentar um fenótipo inerentemente proliferativo, as células cancerosas estão em constante processo de adaptação aos tipos e níveis de nutrientes disponíveis no microambiente do tecido que povoam. É sabido agora que a capacidade destas células de se adaptarem metabolicamente está principalmente associada à ativação de oncogenes ou perda de supressores tumorais, que, por sua vez, muitas vezes resultam na expressão de proteínas, ou suas isoformas, que geralmente são rigorosamente reguladas em células normais. Em contraste com essas células normais diferenciadas, que se baseiam principalmente na fosforilação oxidativa mitocondrial para gerar a energia, a maioria das células cancerosas dependem da glicólise aeróbica, mesmo sob condições de normoxia, fenômeno esse denominado de "efeito Warburg". O aminoácido glutamina e o açúcar glicose são dois dos mais importantes nutrientes e versáteis neste contexto. Ambos servem como as principais fontes de esqueleto carbônico (para a síntese de nucleotideos, aminoácidos e lípideos), de geração de energia na forma de ATP e de reciclagem de agentes antioxidantes, tais como NADPH, todas essenciais para o processo de crescimento, duplicação da biomassa celular e subsequente divisão. O interesse renovado no metabolismo do câncer abriu uma frente de guerra inovadora contra enzimas metabólicas, visando o desenvolvimento de oportunidades terapêuticas alternativas e eficientes. As enzimas Glutaminases são um alvo fundamental neste sentido e a necessidade de informação bioquímica e estrutural nova e preciso, a fim de acelerar e melhorar o desenvolvimento de terapias de sucesso, é, portanto, essencial. No entanto, glutaminases humanas se mostram proteínas mais complexas do que enzimas, com uma combinação singular de motivos e domínios funcionais adicionais, além de seu domínio glutaminase, como repetições de anquirina e motivos de ligação do receptor nuclear. Assim, não será nenhuma surpresa se o envolvimento de glutaminases humanas em processos que ocorram fora dos limites mitocondriais seja logo demonstrada. Neste contexto, este projeto tem como objetivo a caracterização da interação de glutaminases (Glutaminase C, Kidney-type Glutaminase e Liver-type Glutaminase) a parceiros completamente novos recentemente identificados em nosso laboratório através de ensaios de duplo-híbrido em levedura. Inicialmente, pretendemos confirmar as novas interações in vitro através da realização de pull-down e de filtração de gel ensaios com as proteínas expressas em sistema recombinante. Iremos em seguida, definir a estequiometria, as constantes de dissociação, e testar como as interações influenciam a atividade de glutaminase ou a respectiva função do parceiro de interação, caso o ensaio para a proteína esteja disponível. Todas as interações que formam complexos estáveis serão sujeitos a ensaios de cristalização e posterior determinação estrutural. (AU)

Mecanismos e efeitos do imunomodulador P-MAPA no tratamento dos cânceres de próstata e não-músculo invasivo da bexiga urinária: interfaces entre metabolismo energético, balanço oxidativo, angiogênese e via de sinalização dos receptores toll-like

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Wagner José Fávaro
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:14/12047-4
Vigência: 01 de abril de 2015 - 31 de março de 2017
Assunto(s):UrologiaImunoterapiaImunomodulaçãoNeoplasias da próstataEstresse oxidativoMetabolismo energéticoAngiogêneseReceptores toll like
Resumo
O entendimento de como as células neoplásicas são capazes de assegurar um balanço energético positivo e associá-lo a processos anabólicos é vital para o desenvolvimento de terapias eficazes no combate ao câncer. As células neoplásicas enfrentam dois grandes desafios: atender as demandas bioenergéticas e biossintéticas do crescimento e proliferação celulares aumentados, e empreender estratégias de adaptação metabólica para sobreviver a flutuações ambientais de disponibilidade de nutrientes e oxigênio quando o crescimento tumoral ultrapassa a capacidade de abastecimento da vascularização existente. Ainda, o consumo de oxigênio pelas células tumorais pode estar relacionado diretamente com a geração de espécies reativas de oxigênio (EROs), uma vez que essas são produzidos normalmente em doses baixas durante o processo de respiração celular. Esses fatos tornam o estudo da associação dos cânceres de próstata (CaP) e bexiga urinária não-músculo invasivo (CBNMI) com as EROs, angiogênese e metabolismo energético de especial relevância e capazes de gerar importante avanços para o entendimento destes tumores, principalmente quando relacionam-se e comparam-se esses eventos com as condições basais e normais de uma célula. Outro ponto relevante é o estudo da interação das diferentes modalidades terapêuticas com a modulação do sistema imune através das vias de sinalização dos receptores toll-like (TLRs) 2 e 4. Assim, compostos que são capazes de agir como agonistas dos TLRs podem representar candidatos promissores a serem desenvolvidos como medicamentos contra o câncer. Diante desse cenário destaca-se o imunomodulador P-MAPA, que por sua grande versatilidade e mínima citotoxicidade, reveladas através de estudos in vivo e in vitro, abre uma nova perspectiva para o combate de alguns tipos de cânceres, incluindo os CaP e CBNMI. Os estudos do nosso grupo (Laboratório de Carcinogênese Urogenital e Imunoterapia/UNICAMP) demonstraram que no tratamento in vivo dos CBNMI e CaP com P-MAPA houve regressão significativa do tumor, indicando um importante efeito antitumoral deste imunomodulador. A natureza multifacetada do processo de angiogênese em neoplasias malignas sugere que a combinação de fármacos antiangiogênicos com agentes que modulem o sistema imune, o metabolismo energético celular, bem como as espécies pró e antioxidantes pode ser mais eficaz do que as terapias envolvendo apenas um único agente. Portanto, a associação entre o imunomodulador P-MAPA e o bloqueador da angiogênese TNP-470 nos casos de CaP e CBNMI pode ser considerada uma promissora combinação terapêutica. Assim, os objetivos deste projeto serão caracterizar e comparar os efeitos imunológicos, histopatológicos, moleculares e bioquímicos da terapia antiangiogênica (TNP-470) associada à imunoterapia com P-MAPA no tratamento dos CaP e CBNMI induzidos quimicamente em modelos animais (ratos), bem como estabelecer possíveis mecanismos de ação dessas terapias envolvendo o metabolismo energético celular, o balanço oxidativo, a angiogênese e as vias de sinalização dos TLRs. Além disso, pretende-se verificar a ocorrência de mecanismos comuns na carcinogênese da próstata e bexiga urinária. (AU)

Efeitos das alterações na reciclagem de selênio

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Anderson Marliere Navarro
Supervisor no exterior: Marla J. Berry
Local de pesquisa: University of Hawaii at Manoa (UH) (Estados Unidos)
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Nutrição
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Mestrado
Processo:14/22628-4
Vigência: 02 de março de 2015 - 01 de junho de 2015
Assunto(s):SelênioMetabolômica
Resumo
Introdução: Selênio (Se), um oligoelemento nutricional essencial, é amplamente utilizado para produção de um único aminoácido selenocisteína (Sec), o qual é co-traducionalmente incorporado em selenoproteínas. O Se para biossíntese de Sec é derivado da dieta ou através da reciclagem do selênio após a degradação de selenoproteínas. A selenocisteína liase (Sec liase ou Scly) é responsável pela reciclagem de selênio celular, sendo, assim, importante na biossíntese de selenoproteínas. Objetivo: O estudo aqui proposto irá ampliar a nossa compreensão e conhecimentos sobre os efeitos das alterações no metabolismo de selênio, principalmente em relação à reciclagem, em modelos de cultura de células e em animais. Metodologia: os camundongos homozigotos KO da mesma idade e tipo selvagem (WT), mesma ninhada homozigótica e/ou C57BL / 6J serão os animais utilizados nas experiências. O conteúdo total de selénio no plasma e no fígado será avaliado por espectrometria de massa com plasma indutivamente acoplado (ICP-MS). Western Blot será realizado para medir a expressão de selenoproteínas GPx1, Sels e SPS2. O nocaute de Scly em células Hepa1-6 será confirmado por qPCR em tempo real, e tratamento com palmitato. (AU)

Internalização e tráfego intracelular de nanopartículas: atividade biológica e perfil nanotoxicológico

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Marcelo Bispo de Jesus
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Enzimologia
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Apoio a Jovens Pesquisadores
Processo:14/03002-7
Vigência: 01 de março de 2015 - 28 de fevereiro de 2019
Assunto(s):NanomedicinaNanotecnologiaNanopartículasToxicologia
Resumo
A nanomedicina apresenta-se como uma nova base tecnológica para auxiliar no tratamento e diagnóstico de diversas doenças. Entretanto, novas tecnologias trazem novos desafios, não só no desenvolvimento de novos nanodispositivos, como também na interação desses nanomateriais, de propriedades únicas, com meios biológicos. Entender mecanismos moleculares envolvidos na internalização e processamento de nanopartículas é vital para desenvolver nanodispositivos mais eficientes e seguros. Embora a rota de internalização mais tradicional leve à degradação do material internalizado, indícios crescentes em literatura sugerem que alguns nanomateriais são biopersistentes, resistentes a essa degradação, podendo assim ter um impacto negativo no metabolismo celular. Por isso, recentemente, uma nova área do conhecimento foi estabelecida, a nanotoxicologia. O presente projeto pretende estudar como a internalização e o tráfego intracelular de nanopartículas afeta seu papel biológico, e.g. carreamento de genes, bem como avaliar os efeitos adversos causados por esses nanomateriais no nível celular. (AU)

Caracterização de novos transportadores de açúcar envolvidos na regulação da degradação da biomassa lignocelulósica em Trichoderma reesei

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Roberto do Nascimento Silva
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Biologia Molecular
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:14/23653-2
Vigência: 01 de março de 2015 - 28 de fevereiro de 2017
Assunto(s):Trichoderma reeseiDegradação de biomassaPolissacarídeosParede celular vegetalBagaçosCana-de-açúcarCelulase
Resumo
O fungo Trichoderma reesei (Hypocrea jecorina) é um saprófito envolvido na degradação de polissacarídeos da parede celular de plantas. T. reesei apresenta uma capacidade surpreendente de formar e secretar celulases, sendo o fungo industrial mais importante na produção dessas enzimas que são utilizadas, dentre outros fins, na indústria de biocombustíveis, tal como o bioetanol. A degradação dos componentes da parede lignocelulósica é um processo complexo que requer uma série de proteínas regulatórias para torná-lo mais eficiente e poupar gastos energéticos desnecessários. Esse projeto tem como principal objetivo contribuir para o entendimento dos mecanismos moleculares envolvidos no processo de desconstrução da biomassa em T. reesei através da identificação e caracterização de novos transportadores de açúcar associados a este. Para isso, uma série de transportadores potencialmente envolvidos na degradação de biomassa, identificados anteriormente pelo nosso grupo através de análises in silico de dados de RNA-seq, serão deletados para verificação de suas respectivas funções. Posteriormente, faremos a caracterização dos transportadores por meio de teste de complementação em linhagem de Sacharomyces cerevisiae.. Com os dados obtidos, será construído um modelo relacionado ao papel desses transportadores no metabolismo de diferentes fontes carbono, possibilitando uma melhor compreensão do comportamento das enzimas celulolíticas produzidas por T. reesei e contribuindo para a aplicação desse fungo na indústria de bioetanol. (AU)

Quimioprevenção do câncer do cólon pela capsaicina: influência nas etapas de iniciação e promoção em modelo de carcinogênese do cólon pela dimetilhidrazina no rato

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina (FMB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Maria Aparecida Marchesan Rodrigues
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Anatomia Patológica e Patologia Clínica
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:14/24762-0
Vigência: 01 de março de 2015 - 28 de fevereiro de 2017
Assunto(s):QuimioprevençãoNeoplasias do colonCarcinogêneseCapsaicina
Resumo
A capsaicina (8-metil-N-vanilil-trans-6-nonamida),componente responsável pelo sabor picante das pimentas vermelhas é um alcalóide lipofílico com propriedades antibacterianas, anti-inflamatórias e antioxidantes. O presente estudo visa investigar a possível atividade da capsaicina na quimioprevenção do câncer do cólon em modelo de carcinogênese pela dimetilhidrazina (DMH). Ratos Wistar serão alocados em 12 grupos (10-15 animais cada) e receberão ração basal contendo 0,25% ou 0,05% de capsaicina antes e durante o tratamento com DMH (Protocolo de Iniciação) ou após exposição ao cancerígeno químico (Protocolo de Promoção). No Protocolo de Iniciação a genotoxicidade será avaliada pelo ensaio do cometa em mostras de sangue periférico 4 e 12 horas após a última injeção de DMH. Cinco animais de cada grupo serão sacrificados 24 horas após a última injeção de DMH. Os demais serão examinados 20 semanas após o tratamento com o cancerígeno químico quanto aos focos de criptas aberrantes (FCA) e número de tumores no cólon. No Protocolo de Promoção o cólon será avaliado 20 semanas após tratamento com o cancerígeno químico quanto à incidência, multiplicidade e padrões histopatológicos dos tumores, bem como quanto às características dos FCA (número e multiplicidade de criptas) em análise estereoscópica do cólon médio e distal corado por azul de metileno. Em ambos os protocolos, amostras dos tumores do cólon e do fígado serão armazenadas em biofreezer para análise molecular, ou fixadas em formalina tamponada para análise histológica e imuno-histoquímica. Os índices de proliferação celular e apoptose serão estimados pela expressão imuno-histoquímica do Ki-67 e da caspase-3, respectivamente. As lesões neoplásicas do cólon serão avaliadas quanto à expressão imuno-histoquímica de beta-catenina. A expressão de RNA para genes envolvidos no metabolismo oxidativo, com atividades pro e antioxidante, lesão e reparo do DNA, proliferação celular e apoptose, invasão e metástase, será analisada pelo ensaio Taqman® Low Density Array (TLDA). No final dos experimentos espera-se obter melhor entendimento quanto à possível participação da capsaicina na quimioprevenção da carcinogênese do cólon em roedores. (AU)

Caracterização do fator de transcrição VOS-1 em resposta a diferentes condições de estresse e sua relação com o acúmulo de glicogênio em Neurospora crassa

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Química (IQ). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Maria Celia Bertolini
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Biologia Molecular
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:14/24627-5
Vigência: 01 de março de 2015 - 29 de fevereiro de 2016
Assunto(s):Neurospora crassa
Resumo
O genoma do fungo Neurospora crassa foi sequenciado em 2003 (Galagan et al.), revelando a existência de cerca de 10.000 genes codificadores de proteínas. Análises mais recentes revelaram que apenas 40% dos genes identificados correspondem a proteínas conhecidas (Wang et al., 2011). N. crassa se destaca como organismo modelo em estudos de expressão gênica, desenvolvimento e diferenciação celular, relógio biológico e defesa do genoma (Perkins e Davis, 2000). Após o sequenciamento do genoma, a construção de linhagens mutantes contendo genes individualmente nocauteados foi iniciada e essas coleções se tornaram disponíveis para a comunidade científica. Em nosso laboratório, um screening utilizando linhagens mutantes em fatores de transcrição avaliou o acúmulo de glicogênio tanto após o crescimento na temperatura normal (30ºC) quanto após choque térmico (30ºC’45ºC) e várias linhagens mutantes apresentaram perfil de conteúdo de glicogênio diferente do apresentado pela linhagem selvagem (Gonçalves et al., 2011, Boni et al., em preparação). Portanto, os fatores de transcrição ausentes nas linhagens mutantes foram considerados como proteínas que regulam o metabolismo de glicogênio no fungo. Dentre esses fatores de transcrição identificados, a proteína VOS-1 mostrou regular esse carboidrato de reserva em conídios e durante o crescimento vegetativo (Boni et al., em preparação) e durante o relógio circadiano através do controle da expressão dos genes gsn e gpn (Virgilio et al., em preparação). Ensaios morfológicos e resultados de experimentos de RNA-seq e ChIP-seq mostraram que provavelmente VOS-1 também regula genes envolvidos em resposta a estresse. O presente projeto se propõe a realizar estudos de caracterização do fator de transcrição VOS-1 em diferentes condições de estresse, analisando o crescimento da linhagem mutante e a localização celular da proteína, e também pretende investigar uma provável regulação do metabolismo do glicogênio mediado por VOS-1, nas mesmas condições. (AU)

Investigação dos efeitos da quitosana e da terapia laser de baixa intensidade (LLLT) (associados ou não) no tratamento da osteoartrite: avaliação biológica in vitro e in vivo

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Saúde e Sociedade (ISS). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus Baixada Santista. Santos, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Ana Claudia Muniz Renno
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Processo:14/13702-6
Vigência: 01 de março de 2015 - 28 de fevereiro de 2017
Assunto(s):QuitosanaFisioterapiaOsteoartrite
Resumo
Osteoartrite (OA) é uma doença progressiva degenerativa caracterizada pela perda de cartilagem articular, remodelamento do osso subcondral, redução do espaço articular e formação de osteófitos, o que leva ao surgimento de quadros álgicos e perdas funcionais nos indivíduos acometidos. Assim, torna-se importante o desenvolvimento de estratégias terapêuticas que visem amenizar o dano articular e prevenir a evolução da doença. Atualmente, a terapia laser de baixa intensidade (LLLT) e a quitosana tem demonstrado efeitos positivos no metabolismo da cartilagem. No entanto, os mecanismos de ação e os efeitos da associação de ambos os tratamentos ainda necessitam de elucidação. Com isso, o objetivo deste estudo será avaliar a viabilidade da quitosana e da LLLT (associados ou não), por meio da avaliação das respostas biológicas induzidas pelos tratamentos, através de estudos in vitro. Além disso, avaliar através de testes in vivo os efeitos da quitosana e da LLLT (associados ou não), em modelo experimental de OA induzida através da transecção do ligamento cruzado anterior (TLCA). Para isso, serão realizados os testes de viabilidade celular e interação da quitosana e a LLLT (associados ou não) (AsGaAl 808 nm; P=30 mW; D=10 J/cm2; E=0.3 J) (in vitro). Para os testes in vivo, serão utilizados 160 ratos Wistar, machos, separados em 4 grupos: grupo controle OA; grupo OA tratado com quitosana; OA irradiado com LLLT; OA tratado com quitosana e irradiados com LLLT. Os tratamentos serão iniciados 21dias após cirurgia de TLCA durante 30 e 60 dias. Será utilizado um laser AsGaAl 808 nm; P=50 mW; D=50 J/cm2; E=1.4 J, 3 vezes por semana em 2 pontos: na linha articular medial e lateral do joelho. Para avaliação e comparação dos efeitos dos tratamentos serão realizadas análises de citocinas no liquido sinovial, microtomografia computadorizada e análises morfológicas e morfométrica da cartilagem (celularidade, espessura, densidade de condrócitos e conteúdo de proteoglicanas), expressão protéica de Interleucina (IL-1², IL-4 e IL-10), colágeno tipo 2, alpha 1 (col2A1); e expressão gênica de col2A1, MMP-2, MMP-9 IL-1², TNF-±. Espera-se que os resultados deste projeto tragam significativa contribuição na elucidação dos mecanismos de ação da quitosana, da LLLT e da associação de ambos em um modelo experimental de OA, culminando assim no desenvolvimento de técnicas terapêuticas mais eficazes e seguras para serem empregadas no tratamento de doenças osteodegenerativas. (AU)

O papel da estearoil-CoA 2 (SCD2) hipotalâmica na neurogênese de novo

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Licio Augusto Velloso
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia Geral
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:14/24050-0
Vigência: 01 de março de 2015 - 29 de fevereiro de 2016
Assunto(s):HipotálamoMetabolismoObesidadeNeurogênese
Resumo
Devido ao caráter clínico-epidemiológico da obesidade, a compreensãodos mecanismos de gênese da doença, bem como a capacidade de reversãodo fenótipo obeso, é de extrema importância para a sua prevenção ecombate.O controle do metabolismo é feito, em grande parte,pelo hipotálamo.Neurônios hipotalâmicos são responsivos a diversos sinais periféricos,incluindo os hormônios insulina e leptina, principais responsáveis pelamanutenção da massa corpórea.O consumo de dieta rica em gordura saturadaprovoca inflamação nesta região do cérebro, comprometimento da sinalizaçãode insulina e leptina, e pode resultar em morte de neurônios que respondem aesses hormônios, com danospara o controle da fome e do gasto energético.Adescrição de um nicho neurogênico no hipotálamo de animais adultos e oinsucesso das intervenções genéticas, farmacológicas e clínicas propostas atéo momento,nos levam a supor que a indução de proliferação de neurôniosenvolvidos neste processo seja a única forma de reverter o fenótipo obeso.Neste contexto, a compreensão dos mecanismos que controlam as taxas deproliferação e diferenciação das células neuroprogenitoras é imprescindívelpara a proposição desta abordagem terapêutica. A contribuição da lipogênesede novo para a proliferação celular e o seu papel, principalmente na síntese defosfolipídios de membrana, apontam esta via metabólica como um passo-chaveda neurogênese. As enzimas ácido graxo sintase (FASn) e estearoil-CoA(SCD) têm papel limitante na síntese e insaturação de ácidos graxos,respectivamente. No hipotálamo, o aumento da expressão de SCD2 emanimais alimentados com dieta rica em gordura saturada, sugere a participaçãodesta enzima nos processos de reparo tecidual, como os que acontecem naastrogliogênese e neurogênese de novo. Para investigar a participação daSCD2 nesses processos, camundongos C57BL/6 adultos com cinco semanasde vida serão divididos em dois grupos, alimentados com ração comercial oudieta hiperlipídica por quatro semanas. Um grupo de animais receberáantisense para SCD2 nas duas últimas semanas de dieta e outro gruporeceberá microinjeação com lentivírus para inibir ou superexpressar a SCD2hipotalâmica no início da dieta. A eficiência destas intervenções será avaliadapor western blotting e ao longo do experimento serão acompanhadas ingestãoalimentar e massa corpórea. Durante as duas primeiras semanas de dieta, os animais receberão BrdU para marcar a proliferação celular no hipotálamo, por imunofluorescência. Ao final, serão avaliados o gasto energético e o metabolismo glicêmico dos animais.Acreditamos que a SCD2 desempenha papel fundamental na capacidade de geração e manutenção de novos neurônios hipotalâmicos que controlam a homeostase energética. Por isso, entender a sua contribuição para a proliferação e diferenciação neuronal nesta região do sistema nervoso central, pode ajudar no desenvolvimento de novas abordagens terapêuticas no controle e combate da obesidade. (AU)

Influência da terapia com bifosfonado endovenoso em mandíbulas de coelhos enxertadas com biomateriais osteocondutores

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto (FORP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Luiz Antonio Salata
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Cirurgia Buco-maxilo-facial
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Processo:14/23710-6
Vigência: 01 de março de 2015 - 28 de fevereiro de 2018
Convênio/Acordo de cooperação com a FAPESP: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Assunto(s):BiomateriaisMetabolismo ósseoRegeneração ósseaCirurgia bucomaxilofacial
Resumo
Para possibilitar a reconstrução de maxilares atróficos, lança-se mão de materiais de enxertia óssea durante os procedimentos cirúrgicos reabilitadores. Um aspecto importante nos estudos de reconstrução dos maxilares é obrigatoriedade do paciente relatar a não utilização de medicamentos como os bifosfonados, drogas sabidamente inibidoras do metabolismo ósseo. Essas substâncias apresentam o potencial de aderirem-se às estruturas ósseas, tendo como células-alvo os osteoclastos, dificultando a sua conformação estrutural, adesão ao osso e mecanismos para a manutenção da reabsorção óssea, agindo como potentes inibidores e indutores de apoptose celular das células reabsortivas. Há alguns anos, seu uso tem sido relacionado à uma nova condição patológica, denominada osteonecrose dos maxilares, na qual após procedimentos cirúrgicos a nível ósseo, como extrações dentárias e cirurgias periodontais, há ausência de reparo tecidual por no mínimo 8 semanas e exposição óssea local. Verificaremos se o uso de biomateriais consegue extrapolar os limites da formação óssea causados pela supressão do metabolismo ósseo pelos bifosfonados, ao compararmos com os sítios controle (sangue e de osso autógeno) e determinar se o meio de acesso (intra/extra oral) é determinante na formação do processo necrótico ósseo. Previamente ao estágio cirúrgico, serão realizadas avaliações laboratoriais para ELISA do sangue coletado, centrifugado e congelado a -80°C, para quantificação de níveis séricos de proteínas de formação e remodelamento (osteocalcina, osteoprotegerina e TRAP) e níveis de citocinas pró-inflamatórias interleucina-1 beta (IL-1²), fator de necrose tumoral alfa (TNF-±) e interleucina 6 (IL-6), e qPCR para análise da expressão gênica para fosfatase alcalina, osteocalcina, colágeno tipo 1 alfa (Col1a1), fosfatase ácida tartarato resistente (TRAP), catepsina K (CatK), ligante do receptor ativador do fator nuclear capa B (RANK-L), além de CTX (telopeptídeo C-terminal) para avaliar os níveis séricos e serem comparados em cada estágio do estudo. Infusões de ácido zoledrônico (4 mg) serão administradas por via endovenosa em 100 mL de cloreto de sódio 0,9%, através de bomba infusão endovenosa por período não menos de 15 minutos, nos grupos sob ação do medicamento. Já no grupo controle, solução salina será administrada somente. Os animais do grupo teste serão tratados com infusão venosa de ácido zoledrônico (0,1mg/kg), duas vezes por semana, pela veia auricular rostral, quatro semanas antes dos procedimentos de trefinagem e enxertia, até o final do estudo. Os animais também receberão doses de dexametasona intra-muscular (1 mg/kg por semana). Após a eutanásia, os segmentos mandibulares contendo os enxertos realizados serão dissecados, reduzidos em blocos, armazenados em solução de formol tamponado para realização de micro-tomografia computadorizada, incluídos em parafina e processados histologicamente para confecção das lâminas de estudo. (AU)

Papel dos AGCCs e seu receptor GPR43 na morte de neutrófilos induzida por bactérias anaeróbias

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Marco Aurélio Ramirez Vinolo
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Celular
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Processo:14/22909-3
Vigência: 01 de março de 2015 - 31 de dezembro de 2016
Assunto(s):Ácidos graxosApoptoseNeutrófilos
Resumo
A bactéria Aggregatibacter actinomycetemcomitans (Aa) está envolvida no desenvolvimento de condições infecciosas como periodontites, abcessos e endocardite. A destruição desta bactéria depende da ativação, migração e ação efetora de células da imunidade inata e adaptativa, particularmente, de neutrófilos. Essas células atuam por diferentes mecanismos como a produção de espécies reativas de oxigênio e nitrogênio, liberação de proteases e enzimas quelantes, fagocitose e recrutamento de outros leucócitos na eliminação dos micro-organismos e restabelecimento da homeostase. Por outro lado, bactérias Aa apresentam mecanismos que dificultam sua eliminação pelo sistema imune incluindo a liberação de leucotoxina, proteína que induz apoptose de leucócitos. Nesse contexto, temos como objetivo investigar se produtos do metabolismo de bactérias, inclusive de Aa, os AGCCs (acetato, propionato e butirato), que, sabidamente, modulam funções importantes das células do sistema imune inclusive a migração, ativação e função efetora de neutrófilos, têm alguma participação na indução de morte de neutrófilos por Aa. Para tanto, realizaremos experimentos com neutrófilos isolados de camundongos e incubados com Aa e AGCCs. Parâmetros associados a morte celular como externalização de fosfatidilserina, integridade de membrana, atividade de lactato desidrogenase no meio e atividade de caspases (1, 3 e 11) serão mensurados. Citocinas inflamatórias (TNF-± e IL-1²) também serão quantificadas no sobrenadante das culturas. Com o intuito de investigar possíveis mecanismos, utilizaremos inibidores seletivos de caspases e animais nocautes para caspase-1 e receptor de AGCCs, GPR43. Faremos ainda o co-cultivo de neutrófilos (pré-incubados com bactérias e AGCCs) com macrófagos e analisaremos tanto a fagocitose de neutrófilos quanto a produção de citocinas pelos macrófagos. In vivo, investigaremos no modelo de câmara subcutânea a indução de morte de neutrófilos após inoculação de Aa acrescida ou não dos AGCCs. Nossa hipótese é que esses ácidos graxos produzidos no contexto da infecção por Aa modificam a sobrevivência de neutrófilos e com isso o resultado final do processo infeccioso e o grau de dano tecidual associado ao mesmo. (AU)

Caracterização, sinergismo, antibiofilme e citotoxicidade de nanopartículas carregadas com Terpinen-4-ol sobre isolados de Candida Albicans

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Odontologia (FOAr). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Denise Madalena Palomari Spolidorio
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Processo:14/22220-5
Vigência: 01 de março de 2015 - 31 de março de 2017
Convênio/Acordo de cooperação com a FAPESP: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Assunto(s):Candida albicansBiofilmesMicrobiologia bucal
Resumo
O Terpinen-4-ol (principal componente do óleo de Melaleuca alternofolia) atua na indução da perda da membrana, interferindo na integridade e na fisiologia da célula do micro-organismo. O objetivo deste estudo será avaliar a atividade antifúngica e sinérgica do terpinen-4-ol e nistatina, a propriedade antifúngica do Terpinen-4-ol na forma de cristais líquidos, o potencial citotóxico aplicado em células orais normais imortalizadas (NOK). Este estudo será realizado em duas fases: 1. Identificação da CIM (Concentração Inibitória Mínima) e CFM (Concentração Fungicida Mínima) do Terpinen-4-ol sobre C.albicans na forma planctônica com as concentrações que serão determinadas previamente. Análise das diferentes concentrações do óleo sobre biofilme SSD (monoespécie) de C. albicans desenvolvidos em placa de microtitulação. A nistatina será utilizada como controle. Os micro-organismos serão submetidos à avaliação da atividade metabólica das células pelo método de XTT. Os mesmos testes serão aplicados com o Terpinen-4-ol e nistatina na forma de cristais líquidos. 2. Análise do metabolismo celular através da avaliação do ensaio da sulforodamida B (SRB) a 0,1%. (AU)
838 resultado(s)
|
Exportar 0 registro(s) selecionado(s) | Limpar seleção
CDi/FAPESP - Centro de Documentação e Informação da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo

R. Pio XI, 1500 - Alto da Lapa - CEP 05468-901 - São Paulo/SP - Brasil
cdi@fapesp.br - Converse com a FAPESP