site da FAPESP
 

Refine sua pesquisa

Pesquisa
  • Uma ou mais palavras adicionais
176 resultado(s)
|

Characterization of the proline uptake in different lineages of T. cruzi and T. brucei over-expressing or silenced for critical enzymes of the proline metabolism

Beneficiário:Ariel Mariano Silber
Instituição: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Ariel Mariano Silber
Pesquisador visitante: Alvaro Acosta-Serrano
Instituição do pesquisador visitante: Liverpool School Of Tropical Medicine (Reino Unido)
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Parasitologia - Protozoologia de Parasitos
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisador Visitante - Internacional
Processo:12/08919-0
Vigência: 05 de agosto de 2013 - 29 de agosto de 2013
Assunto(s):Doença de ChagasProlina
Resumo
Proline is an important amino acid for protozoan parasite of the genus Trypanosoma and Leishmania, which include the causative agents of Chagas disease, African sleeping sickness and leishmanioses. It is also known that amino acid metabolism is particularly relevant in the interaction among these parasites and their invertebrate hosts, due to the fact that these metabolites are abundant in the insect´s hemolympha. In particular, proline is relevant, being the metabolic fuel for insect muscle-cells. In the ongoing collaboration, the laboratories of Prof. Silber and Prof. Alvaro are intending to get insights into the proline metabolism of T. cruzi as well as of T. brucei insect stages and their interaction in both, the parasite and the invertebrate hosts. The present proposal is part of a joint network project between Prof. Silber's and Prof. Acosta Serrano's groups, which general objective is to unveil the metabolic interactions between both trypanosome species and their invertebrate hosts. Part of this project is already running in Prof. Acosta Serrano's laboratory, at the Liverpool School of Tropical Medicine, and part will be run at Prof. Silber's laboratory at the University of São Paulo. Preliminary results showed that the enzyme delta-1-pyrroline 5-carboxylate dehydrogenase (P5CDH), a key component within the proline-glutamate pathway, is the rate limiting step of the reaction. The confirmation of this information is useful to modify the regulation of the proline metabolism in these parasites. Based on these possibilities T. cruzi and T. brucei strains over-expressing the P5CDH gene have been generated. Additionally, a P5CDH knocked-down T. brucei strain has also been obtained in Prof. Alvaro´s laboratory using the RNA interference technology. The intention of this application is to invite Prof. Alvaro Acosta Serrano for joining temporally my laboratory in order to measure the changes in the proline uptake of the three genetically modified parasites with respect to their controls in both organisms, T. cruzi and T. brucei. Besides, haemolymph from triatomines infected or not infected with the wild type strain as well as with P5CDH overexpressing T. cruzi will be isolated in order to apply metabolomic analysis using mass spectrometry in Prof. Alvaro´s laboratory. In relation to the analysis of the triatomine hemolymph, the samples will be analyzed together with hemolymph material obtained from tse-tse flies which carries wild type or genetically modified T. brucei parasites. (AU)

Síntese de pseudoboemitas modificadas visando à obtenção de nanosistemas para liberação controlada de fármacos

Beneficiário:Antonio Hortencio Munhoz Junior
Instituição: Escola de Engenharia (EE). Universidade Presbiteriana Mackenzie (UPM). Instituto Presbiteriano Mackenzie. São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Antonio Hortencio Munhoz Junior
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia de Materiais e Metalúrgica - Materiais Não-metálicos
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:10/19157-9
Vigência: 01 de setembro de 2012 - 31 de agosto de 2013
Assunto(s):Processo sol-gelMateriais cerâmicosPseudoboemitasLeishmanioseFármacos
Resumo
O processo sol-gel é uma metodologia de preparação de cerâmicas porosas, vítreas e cristalinas partindo-se de precursores moleculares, no qual uma rede de óxidos pode ser obtida por meio de reações de polimerização inorgânica. Estas reações ocorrem em solução, e o termo sol-gel é utilizado para descrever a síntese de óxidos inorgânicos obtida por métodos de via úmida. Utilizando o processo sol-gel é possível obter pseudoboemita de pureza elevada a qual será testada na liberação controlada de fármacos. A utilização de materiais nanoestruturados de alto desempenho para a produção de medicamentos inteligentes é uma realidade e nesse contexto, as nanopartículas apresentam papel muito importante na produção de sistemas de liberação controlada de fármacos para o tratamento do ser humano. Nanoestruturas, constituídas por materiais (cerâmicos com elevada área específica e polímeros) com diferentes propriedades, incorporadas a moléculas bioativas, representam avanço significativo nas ciências farmacêuticas e certamente serão aspectos relevantes para a produção de medicamentos mais eficazes e menos tóxicos. Este projeto de pesquisa trata da utilização de uma matriz de pseudoboemita tratada com octadecilamina para a liberação de glucantime®. O Objetivo da utilização de pseudoboemita é reduzir a quantidade de droga administrada durante o tratamento e possibilitar a administração do fármaco na forma de comprimidos. A octadecilamina será testada como um agente compatibilizante para melhorar a interação da pseudoboemita com o fármaco. (AU)

Estudo do processo de automontagem de fitas simples de DNA em superfícies metálicas modificadas

Beneficiário:Sidney Jose Lima Ribeiro
Instituição: Instituto de Química (IQ). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Sidney Jose Lima Ribeiro
Pesquisador visitante: Frederico Guilherme de Carvalho Cunha
Instituição do pesquisador visitante: Centro De Ciencias Exatas E Tecnologia (Brasil)
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Físico-química
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Auxílio Pesquisador Visitante - Brasil
Processo:12/05734-0
Vigência: 01 de agosto de 2012 - 31 de julho de 2013
Assunto(s):Leishmaniose
Resumo
Este projeto destina-se ao estudo de adsorção de fitas simples de DNAde Leishmania (Vianna) Brasiliensis sobre eletrodos de ouro. Comoresultado deste estudo espera-se a criação de condições de produção deum novo processo de detecção da Leishmaniose através do soro sanguíneocom a concomitante determinação da espécie responsável pelo contágio.O estudo se baseará na determinação do processo de automontagem dasfitas simples de DNA modificadas com um grupo tiol sobre eletrodosmonocristalinos de ouro através da Microscopia de Tunelamento deElétrons. O processo de hibridização será acompanhado através deEspectroscopia Raman Aumentada pela Superfície em eletrodos rugosos deouro. (AU)

Correlação entre as alterações inflamatórias no encéfalo e a população de linfócitos e células dendríticas nos linfonodos da cabeça em cães com leishmaniose visceral

Beneficiário:Gisele Fabrino Machado
Instituição: Faculdade de Medicina Veterinária (FMVA). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araçatuba. Araçatuba, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Gisele Fabrino Machado
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Patologia Animal
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:12/01540-6
Vigência: 01 de junho de 2012 - 31 de outubro de 2013
Assunto(s):Neurologia veterináriaLeishmaniose visceral animalLinfonodos de animalLinfócitos TCélulas dendríticasCães
Resumo
A infecção causada por Leishmania spp. resulta em doença que apresenta uma grande variação nas manifestações clínicas, tanto em humanos como em cães. Estas manifestações variam da observação de cães infectados e assintomáticos à observação de desordens generalizadas que podem resultar na morte do hospedeiro. Cães infectados cronicamente podem apresentar déficit neurológico, entretanto existem poucos relatos que caracterizam as lesões observadas e elucidam a patogenia da forma nervosa da leishmaniose. Em projetos anteriores foi possível verificar a presença de infiltrado inflamatório no encéfalo de cães com Leishmaniose composto principalmente por linfócitos T CD3+, e detectamos também um aumento na intensidade de marcação de astrócitos GFAP+ e de micróglia com o RCA-1. Com objetivo de avaliar os mecanismos que podem levar a lesões encefálicas nestes cães, propomos a caracterização das subpopulações dos linfócitos T por citometria de fluxo nos linfonodos sub-mandibulares e retro-faríngeos, que são considerados como participantes na vigilância imune do encéfalo. Serão avaliados os fenótipos: CD3+, CD4+, CD8+, TCR ±² e TCR ³´. As células dendríticas também serão caracterizadas, usando-se MHC-II e CD11c. Serão obtidos também cortes histológicos do encéfalo dos mesmos cães para avaliação e caracterização das lesões encefálicas e detecção de linfócitos T. (AU)

Expressão gênica de receptores do tipo toll no encéfalo de cães com leishmaniose visceral

Beneficiário:Gisele Fabrino Machado
Instituição: Faculdade de Medicina Veterinária (FMVA). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araçatuba. Araçatuba, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Gisele Fabrino Machado
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Patologia Animal
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:11/24172-0
Vigência: 01 de abril de 2012 - 30 de novembro de 2013
Assunto(s):Leishmaniose visceralEncefalite animalReceptores toll-likeCãesReação em cadeia da polimerase em tempo real
Resumo
A infecção causada por Leishmania spp. resulta em doença que apresenta uma grande variação nas manifestações clínicas, tanto em humanos como em cães. Estas manifestações variam da observação de cães infectados e assintomáticos à observação de desordens generalizadas que podem resultar na morte do hospedeiro. Cães infectados cronicamente podem apresentar déficit neurológico, entretanto existem poucos relatos que caracterizam as lesões observadas e elucidam a patogenia da forma nervosa da leishmaniose. Em seqüência a projetos anteriores, e aos nossos objetivos de avaliar as lesões encefálicas em cães com leishmaniose e investigar os mecanismos envolvidos na sua ocorrência, propomos avaliar, por meio de RT-PCR em tempo real, a expressão de receptores do tipo toll no tecido nervoso de cães com leishmaniose visceral. Serão obtidos fragmentos do encéfalo e baço de cães com diagnóstico positivo para leishmaniose (com diagnóstico positivo confirmado por exame parasitológico -biópsia aspirativa de linfonodos e por PCR em tempo real) com manifestação sintomática. Será procedida a avaliação da expressão gênica dos receptores tipo toll 2, 4 e 9. Posteriormente será avaliada carga parasitária no baço para determinar se existe correlação entre o perfil de receptores encontrados e o nível de parasitas no cão. (AU)

Correlação das alterações cardíacas e renais em cães com leishmaniose visceral

Beneficiário:Aparecido Antonio Camacho
Instituição: Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias (FCAV). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Jaboticabal. Jaboticabal, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Aparecido Antonio Camacho
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Clínica e Cirurgia Animal
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:12/03115-0
Vigência: 01 de abril de 2012 - 31 de março de 2013
Assunto(s):Cardiologia veterináriaSistema cardiovascularCoraçãoLeishmaniose visceral animalLeishmaniaInsuficiência renalCães
Resumo
A leishmaniose visceral é uma doença endêmica que aflige populações dos cinco continentes em 88 países localizados em regiões tropicais e subtropicais, segundo estimativas da Organização Mundial de Saúde, a prevalência mundial das diferentes formas clínicas de leishmaniose ultrapassa 12 milhões de casos, sendo o Brasil responsável por 90% dos casos de Leishmaniose Visceral Americana. Em cães a leishmania visceral é considerada uma doença multisistêmica e sabe se que um dos principais órgãos a serem acometidos são os rins. Alguns trabalhos descrevem a presença de lesões renais de cães acometidos pela doença, não entanto nenhum menciona os mecanismos que levam a quadros de hipertensão renal e por tanto as conseqüências da hipertensão sistêmica sobre a função miocárdica dos cães, outros sim a literatura médica é extremamente escassa no que diz respeito à função e alterações cardíacas em cães acometidos pela doença. Desta forma, o presente estudo tem por objetivos avaliar a função miocárdica de cães com insuficiência renal por leishmaniose visceral. Para tanto serão avaliados todos os cães com leishmaniose visceral e insuficiência renal encaminhados ao Hospital Veterinário da UNESP- Campus de Araçatuba, durante o período compreendido entre agosto de 2009 e agosto de 2010. Estes serão submetidos a um exame físico; exames laboratoriais; radiográficos de tórax; eletrocardiografia; ecodopplercardiografia; medida da pressão arterial; determinação das concentrações séricas da enzima conversora de angiotensina (ECA), aldosterona, renina, troponina I, desidrogenase láctica 1 (LDH1), creatina quinase fração MB (CK-MB); avaliação histopatológica do miocárdio e rins, e pesquisa de formas amastigotas de Leishmania chagasi nesses tecidos, na tentativa de melhor compreender a fisiopatogenia da leishmaniose visceral no sistema cardiovascular. (AU)

Avaliação da efetividade do emprego de coleira impregnada com inseticida e de vacina de subunidade contra leishmaniose visceral canina

Beneficiário:Rodrigo Martins Soares
Instituição: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Rodrigo Martins Soares
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Medicina Veterinária Preventiva
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:11/21796-2
Vigência: 01 de março de 2012 - 28 de fevereiro de 2014
Assunto(s):VacinasZoonosesLeishmaniose visceral
Resumo
O presente estudo tem por objetivo avaliar a efetividade de vacina de sub-unidade contra leishmaniose em cães bem como da utilização de coleira impregnada com inseticida repelente (piretróide) através de um estudo de coorte a ser realizado em duas regiões, uma de alta transmissão e outra de baixa transmissão de leishmaniose visceral canina. Para tanto, propõe-se a construção de oito coortes, quatro em área de alta transmissão de leishmaniose visceral canina e quatro em área de baixa transmissão. Em cada uma das áreas haverá uma coorte de indivíduos vacinados, uma coorte de indivíduos com coleira impregnada por repelente, uma coorte de indivíduos vacinados e com coleira impregnada por repelente e, finalmente, uma coorte de indivíduos não vacinados e sem coleiras. Serão colhidas amostras biológicas dos animais de todas as coortes em três instantes, no início do experimento, seis meses após o início do experimento e um ano após o início do experimento. As amostras de soro serão submetidas a provas de sorodiagnóstico por ELISA e RIFI, as amostras de sangue total para PCR e isolamento do agente, as de punção de linfonodo para PCR e isolamento do agente e as de biopsia de pele para PCR. O impacto das medidas de controle da LV em cães será medida pela razão de odd de soroconversão e/ou positividade pela PCR (IC 95%) entre indivíduos expostos e não expostos ao risco de adquirir o parasito. Como exposição ao risco entende-se, a ausência de medidas de controle (coleira ou vacinação). (AU)

As lesões do sistema nervoso central de cães com leishmaniose visceral são decorrentes da presença do parasita?

Beneficiário:Mary Marcondes
Instituição: Faculdade de Medicina Veterinária (FMVA). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araçatuba. Araçatuba, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Mary Marcondes
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Clínica e Cirurgia Animal
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:11/22271-0
Vigência: 01 de março de 2012 - 30 de abril de 2013
Assunto(s):Doenças parasitárias em animaisLeishmaniose visceral animalLeishmania infantumCães
Resumo
A leishmaniose visceral é uma enfermidade que possui uma grande variabilidade de manifestações clínicas em cães, dentre elas a ocorrência de sintomas neurológicos, mesmo na ausência de outros agentes oportunistas. Apesar de alguns autores já terem identificado formas amastigotas do parasita no sistema nervoso central de cães com LV, não está claro ainda se o mesmo participa diretamente no desenvolvimento das alterações neurológicas. Desta forma, o presente estudo objetiva pesquisar, por meio de PCR em tempo real, a presença de DNA de L. chagasi em fragmentos parafinados de sistema nervoso central (córtex frontal, lobo piriforme, plexo coroide, ventrículo lateral, mesencéfalo, pedúnculos cerebelares e cerebelo) de dois grupos de cães portadores de leishmaniose visceral. O primeiro grupo constituído de 18 cães com evidências clínicas de envolvimento neurológico e o segundo grupo será formado por 18 animais sem evidência clínica de envolvimento neurológico, totalizando 216 fragmentos a serem avaliados. (AU)

Estudo de um grupo de infecções fúngico-parasitárias visando a melhoria das técnicas de caracterização e diagnóstico imuno-molecular

Beneficiário:Vera Lúcia Pereira Chioccola
Instituição: Instituto Adolfo Lutz (IAL). Coordenadoria de Controle de Doenças(CCD). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Vera Lúcia Pereira Chioccola
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Saúde Coletiva - Saúde Pública
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:11/13939-8
Vigência: 01 de março de 2012 - 28 de fevereiro de 2014
Assunto(s):LeishmanioseParasitologiaToxoplasmoseMeningite criptocócicaTécnicas de genotipagem
Resumo
O Instituto Adolfo Lutz constitui um conjunto de laboratórios que tem como missão a produção de conhecimentos relevantes para a saúde coletiva, desenvolvimento de pesquisas aplicadas; divulgação; padronização de normas técnicas; métodos diagnósticos e analíticos; e aperfeiçoamento de pessoal. O Centro de Parasitologia e Micologia promove exatamente este trabalho, mas voltado ao estudo dos parasitas e fungos de interesse medico e veterinário. A criação do Laboratório de Biologia Molecular de Parasitas e Fungos facilitou e tem se cumprido as mesmas tarefas, mas oferecendo as ferramentas dos métodos moleculares e imunológicos. As doenças oportunistas tem sido alvo de nossos estudos, principalmente as correlacionadas à Aids e os programas oficiais como a Rede Leishmanioses no Estado de São Paulo". Estudos relacionados à resposta imune de hospedeiros infectados também tem sido abordados. Assim, pela diversidade de estudos em que este laboratório atende, o presente projeto pretende investigar alguns aspectos de quatro importantes agravos em Saúde Publica. A primeira parte será dedicado ao estudo da co-infecção Aids e as duas mais prevalente doenças neurológicas oportunistas no Brasil. Serão estudados os padrões de resposta imune celular e humoral desencadeada pela toxoplasmose cerebral e meningite criptocócica em pacientes com Aids antes e após o tratamento. Uma parte das investigações será realizada no modelo experimental para depois correlacionar com a infecção em humanos. Os perfis das classes de anticorpos e principais citocinas desencadeadas na infecção por Toxoplasma gondii em camundongos imunossuprimidos serão analisados para que se possa estabelecer o tipo de resposta imune envolvida antes e após o tratamento da toxoplasmose cerebral. Em paralelo as investigações em humanos serão realizadas em pacientes com Aids e toxoplasmose cerebral e os resultados serão comparados com pacientes imunocompetentes assintomáticos e com a infecção ativa, na forma ocular. As mesmas investigações serão realizadas em pacientes com Aids e meningite criptocócica. Em paralelo será introduzido o diagnostico molecular da criptococose em amostras de liquido cefalorraquidiano para que se possa realizar a identificação do agente, a genotipagem da cepa infectante e a avaliação da taxa de redução da carga fúngica durante o tratamento antifúngico. A segunda parte deste estudo será dedicada à pesquisa dos padrões genotípicos das duas espécies de Leishmania prevalentes no Estado de São Paulo, L.(V.) braziliensis e L. (L.) infantum chagasi. Em paralelo, será investigada a possibilidade de realizar o controle do tratamento de pacientes com leishmaniose tegumentar americana com a reação da polimerase em cadeia no sangue e os exames sorológicos. (AU)

Imunização de Camundongos BALB/c com a proteína recombinante A2 de Leishmania chagasi e estudo da resposta imune humoral e celular

Beneficiário:Rosangela Zacarias Machado
Instituição: Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias (FCAV). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Jaboticabal. Jaboticabal, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Rosangela Zacarias Machado
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:11/17594-5
Vigência: 01 de março de 2012 - 28 de fevereiro de 2014
Assunto(s):Imunologia veterináriaParasitologia veterináriaLeishmaniose visceralProteínas recombinantesImunoensaio
Resumo
A leishmaniose visceral é uma zoonose, considerada como uma das seis doenças tropicais mais importantes nos países em desenvolvimento. O agente etiológico da enfermidade no Brasil, a Leishmania chagasi, é transmitida aos seres humanos pela picada do vetor, um flebotomíneo da espécie Lutzomyia longipalpis, que adquire o parasito ao realizar o hematofagismo em animais infectados. Anteriormente descrita como uma enfermidade silvestre ou de ambiente rural, atualmente, observa-se um grande número de casos da doença em áreas urbanas. No ambiente doméstico, o cão é considerado o principal reservatório da leishmaniose visceral e, em consequência disso, é também o principal alvo das campanhas de controle da forma humana da doença. Os cães também sofrem com a doença, sendo que, uma vez iniciados os sinais clínicos nessa espécie, invariavelmente o animal vem a óbito. Porém, vários animais podem permanecer infectados pelo parasito, sem apresentar sinais clínicos por um longo período e transmitindo L. chagasi aos vetores. O presente projeto tem como objetivo estudar melhor a resposta imune de camundongos BALB/c imunizados com a proteína recombinante produzido a partir do gene A2 de L. chagasi, amostra isolada de um cão atendido no Hospital Veterinário da FCAV-UNESP, campus de Jaboticabal-SP, e avaliar a capacidade dessa proteína recombinante em induzir imunoproteção nos animais, após desafio com o parasito. Parâmetros da resposta imune humoral (classe IgG e subclasses IgG1 e IgG2) e celular (células CD4+, CD8+, macrófagos, iNOS, IL-4, IL-2, IFN-³, TNF-± e IL-10) serão avaliados. Também serão avaliados pelo ensaio imunoenzimático (ELISA-indireto) utilizando a enzima recombinante como antígeno, soros de cães (n=1000) de áreas endêmicas, comprovadamente positivos para leishmaniose, gentilmente doados pelo Centro de Zoonose de Araçatuba-SP, Belo Horizonte-MG, Recife-PE e do estado de Tocantins. (AU)

Morcegos como reservatórios de Leishmania spp. em área endêmica para leishmaniose visceral

Beneficiário:Caris Maroni Nunes
Instituição: Faculdade de Medicina Veterinária (FMVA). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araçatuba. Araçatuba, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Caris Maroni Nunes
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Medicina Veterinária Preventiva
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:11/19087-3
Vigência: 01 de dezembro de 2011 - 30 de novembro de 2013
Assunto(s):ZoonosesLeishmanioseEpidemiologia veterináriaMorcegos
Resumo
A leishmaniose visceral é uma doença em franca expansão no Brasil, com novas regiões endêmicas, cujos fatores predisponentes incluem migrações e modificações ambientais que favorecem a presença do vetor. Com o desmatamento de florestas, o movimento migratório de morcegos para regiões urbanas e peri-urbanas tem sido crescente, em busca de abrigo e alimento das cidades. Esses mamíferos voadores são importantes agentes polinizadores e fundamentais para o equilíbrio ambiental, porém também transmitem enfermidades para homens e animais por este contato mais próximo, tornando-se uma importante questão em termos de saúde pública. Até o momento, os quirópteros não têm sido considerados reservatórios na leishmaniose, apesar de já existirem relatos da presença do protozoário Leishmania nesta espécie. Assim sendo o presente trabalho tem como objetivo avaliar a presença de DNA de Leishmania em morcegos de região endêmica (Noroeste do Estado de São Paulo) buscando-se entender a relevância dos mesmos na manutenção desta zoonose. (AU)

Ação de Fas e TNF na apoptose de linfócitos T CD4 e T CD8 em sangue e baço de cães naturalmente infectados por leishmaniose visceral

Beneficiário:Valéria Marçal Felix de Lima
Instituição: Faculdade de Medicina Veterinária (FMVA). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araçatuba. Araçatuba, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Valéria Marçal Felix de Lima
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Celular
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:11/06214-7
Vigência: 01 de outubro de 2011 - 30 de setembro de 2013
Assunto(s):Linfócitos TApoptoseLeishmaniose visceral animalCães
Resumo
A Leishmaniose visceral canina (LVC) é uma das mais importantes doenças emergentes, com alta prevalência nos países da América Latina, sendo causada principalmente pela Leishmania (L.) chagasi. A LVC tem um grande impacto sobre a Saúde Pública, em virtude dos cães domésticos serem os mais importantes reservatórios da doença, tanto nas zonas urbanas quanto nas peri-urbanas. Portanto, o cão é um alvo importante para a adoção de medidas de controle. Cães infectados sintomáticos mostram uma supressão da imunidade mediada por células, a apoptose de linfócitos T tem sido associada à supressão da resposta celular em infecção experimental. Para investigar se a apoptose dos linfócitos T está envolvida com a supressão da resposta celular de cães naturalmente infectados a apoptose de células T CD4 e T CD8 de sangue periférico, e do baço de cães naturalmente infectados com L. (L.) chagasi com manifestações clínicas serão quantificadas e comparadas a de cães saudáveis. Os mecanismos indutores da apoptose também serão avaliados. Quinze cães adultos sintomáticos infectados por L. (L.) chagasi e seis cães sadios de área não endêmica (controles) serão incluídos no estudo. Amostras provenientes de baço e sangue periférico serão utilizadas para quantificação da apoptose e investigação dos possíveis mecanismos indutores do processo. Em cães naturalmente infectados a supressão imunológica observada pode ter relação com o mecanismo de apoptose de linfócitos T, a constante estimulação devido à característica crônica da infecção pode desencadear a apoptose e colaborar na falha da imunidade celular, a definição de qual população está sofrendo apoptose e a caracterização dos mecanismos indutores pode ser importante para a compreensão dos fatores responsáveis pela supressão da imunidade celular. O entendimento de tal mecanismo em cães infectados pode permitir futuras intervenções terapêuticas para reduzir a depleção dos linfócitos. (AU)

Avaliação da eficácia da riboflavina sob ação da luz ultravioleta na inativação de Leishmania (Leishmania) chagasi em sangue canino conservado para transfusão e estudo das alterações hematológicas e bioquímicas durante o período de estocagem

Beneficiário:Raimundo Souza Lopes
Instituição: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Raimundo Souza Lopes
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Clínica e Cirurgia Animal
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:11/12389-4
Vigência: 01 de outubro de 2011 - 30 de setembro de 2013
Assunto(s):Patologia veterináriaParasitologia veterináriaLeishmania infantum
Resumo
É de extrema importância para a medicina transfusional que haja segurança no procedimento de transferência de hemocomponentes, para isto é necessário além de um sangue apropriado, minimizar a ocorrência da transmissão de patógenos. O presente trabalho visa caracterizar as possíveis alterações hematológicas e bioquímicas, ocorridas durante o período de armazenamento das amostras de sangue canino, colhidas em bolsas plásticas contendo uma solução anticoagulante e preservadora do sangue, composta por citrato, fosfato, dextrose e adenina, denominada CPDA-1, investigando ainda a eficiência do tratamento destas bolsas com riboflavina e luz ultravioleta na inativação de Leishmania chagasi. Para isto, o projeto será dividido em duas fases. Na primeira serão verificadas as possíveis alterações sanguíneas, que ocorrem durante um período de 21 dias de conservação, denominadas de "lesões de estocagem", comparando-se um grupo de bolsas de sangue colhidas de cães parasitados com Leishmania chagasi, com um grupo de bolsas de sangue colhidas de cães saudáveis. Em uma segunda etapa, o sangue canino parasitado será submetido ao tratamento com riboflavina e luz ultravioleta para verificar a inativação dos hemoparasitas. A possibilidade de o sangue parasitado perder a capacidade de produzir a Leishmaniose, após inativação, será avaliada por reação de imunofluorescência indireta (RIFI), reação em cadeia da polimerase quantitativa (qPCR) e inoculação em animal suscetível (Hamster), procurando identificar, se a associação da riboflavina com a luz UV: inativou, reduziu ou eliminou completamente os parasitas. (AU)

Caracterização do papel da proteína nuclear LmHus1 em mecanismos de detecção e reparo de danos no DNA do protozoário Leishmania

Beneficiário:Luiz Ricardo Orsini Tosi
Instituição: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Luiz Ricardo Orsini Tosi
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Parasitologia - Protozoologia de Parasitos
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:11/50489-0
Vigência: 01 de agosto de 2011 - 31 de dezembro de 2013
Assunto(s):LeishmanioseLeishmania majorReparação de DNAAmplificação de genes
Resumo
A proteína LmHus1, expressa pelo parasito protozoário Leishmania major, é capaz de mediar a resistência destas células a drogas genotóxicas. Em trabalho já publicado demonstramos que LmHus1 é uma proteína nuclear que, em resposta à presença de hidroxiuréia (HU), promove recuperação mais eficiente das células frente a este estresse replicativo. Em mamíferos e leveduras Hus1 associa-se às proteínas Rad9 e Rad1 na formação do complexo 9-1-1. Este complexo atua na detecção de danos ao DNA e na sinalização de parada no ciclo celular para o reparo adequado da molécula. Nesta proposta visamos estudar a forma de participação de LmHus1 em mecanismos de detecção e reparo de danos no DNA do protozoário Leishmania. Investigaremos os possíveis parceiros de LmHus1, como o produto do gene LmRad9/1 que pode codificar uma proteína bi-funcional que substitua Rad9 e Rad1 na formação do complexo 9-1-1 em Leishmania. Baseados em resultados preliminares que sugerem que tanto LmRPA quanto LmHus1 se ligam à cromatina em resposta à exposição à HU, investigaremos a dinâmica de LmHus1 e LmRPA e sua possível interação frente ao estresse replicativo. Outro aspecto contemplado nesta proposta é o estudo da participação de LmHus1 no fenômeno de amplificação gênica observado nestes parasitos. (AU)

From trypanosomes to Leishmania: novel drug candidates for the treatment of neglected parasitic diseases

Beneficiário:André Gustavo Tempone Cardoso
Instituição: Instituto Adolfo Lutz (IAL). Coordenadoria de Controle de Doenças(CCD). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:André Gustavo Tempone Cardoso
Pesquisador responsável no exterior: Gerd Wagner
Instituição no exterior: King's College London. (Reino Unido)
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Parasitologia - Protozoologia de Parasitos
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:11/50577-7
Vigência: 01 de julho de 2011 - 30 de junho de 2013
Convênio/Acordo de cooperação com a FAPESP: King's College London
Assunto(s):LeishmaniaLeishmanioseTrypanosoma cruziDoença de Chagas
Resumo
Visceral Leishmaniasis (VL) is a parasitic tropical disease, resulting in a progressive and fatal infection. The increase in the number of cases in non-endemic areas and the high toxicity of the chemotherapy demonstrate the urgent necessity of novel drugs. Establishing collaboration between the Kings College London and Instituto Adolfo Lutz would create considerable synergies for the both research groups. The current FAPESP project (2008/09260-7) coordinated by Prof. Tempone would benefit directly from the collaboration with Dr. Wagner’s group. As a part of our current project, the in vitro screening of molecules is an important phase for the selection of new lead candidates against Leishmania. The lack of a higher number of synthetic compounds to be screened, limits the time-consuming drug discovery process. As a consequence, parasitologists must call upon clinically available drugs for drug discovery studies, with a limited arsenal of commercially available compounds (mainly Sigma-Aldrich). The interaction of the Tempone laboratory with an experienced medicinal chemistry group would therefore improve our search for a lead compound in this initial phase, since Dr. Wagner would provide small molecule libraries to be tested in our in vitro models. Furthermore, the information of structure-activity relationships against Leishmania, could provide valuable data for the design of novel inhibitors with low mammalian toxicity and higher anti-leishmanial activity. In addition, we will also provide the in vitro screening in our available. Trypanosoma cruzi model. The Wagner group will provide unique compound libraries to the Tempone group for screening against T. cruzi and Leishmania sp. in existing bioassays in the Tempone laboratory. These human parasites, the causative agents of, respectively, Chagas disease and Leishmaniasis are closely related to T. brucei. It is therefore highly likely that inhibitors of T. brucei may also be active against these parasites, and the collaboration with Prof. Tempone will allow us to this exciting possibility. (AU)

Desenvolvimento de medicamento, utilizando plantas da biodiversidade brasileira, para o tratamento da leishmaniose: o potencial do lignoide grandisina

Beneficiário:Leandro De Santis Ferreira
Pesquisador responsável:Leandro De Santis Ferreira
Empresa:Lychnoflora Pesquisa e Desenvolvimento em Produtos Naturais Ltda (Lychnoflora)
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia - Farmacognosia
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE
Processo:11/50299-7
Vigência: 01 de julho de 2011 - 30 de junho de 2013
Assunto(s):FarmacocinéticaBiodiversidadeLignanasLeishmaniose
Resumo
A leishmaniose é considerada um problema de saúde pública, devido ao crescente número de casos que afeta a população mundial. No Brasil, o medicamento de primeira escolha é o antimoniato de N-metil-glucamina (Glucantime®), que apresenta sérias desvantagens. Este cenário, por sua vez, abre perspectivas para a pesquisa e o desenvolvimento de novas opções terapêuticas. Na fase anterior do desenvolvimento (PIPE I), um extrato rico em Iignanas, com atividade leishmanicida, foi obtido e caracterizado e mostrou, em ensaios preliminares, baixa toxicidade em camundongos. Estes resultados, juntamente com o conhecimento científico da potencial atividade de substâncias desta classe, encorajaram a proposta para obtenção de um medicamento de uso tópico para tratamento da leishmaniose tegumentar americana (l TA). A fim de atingir os objetivos desta nova etapa, serão realizados: i) estudos para obtenção de uma formulação para aplicação diretamente nas lesões causadas pelo parasita; ii) avaliação de sua estabilidade; iii) ensaios de eficácia in vivo e determinação da dose terapêutica; iv) estudos de escalonamento; v) avaliação dos parâmetros de farmacocinética e; vi) da toxicidade em animais. Assim, espera-se ao final deste projeto, ter os ensaios pré-clínicos em camundongos concluídos, para que possam ser delineados os próximos experimentos até os ensaios clínicos, a fim de se comercializar, ao final, uma formulação de uso tópico para o tratamento da leishmaniose. O fato de este medicamento consistir em um tratamento inovador para leishmaniose poderá representar um grande sucesso de mercado, com uma demanda de âmbito nacional. Além disso, a exportação desta tecnologia para países que tenham regiões endêmicas de leishmaniose poderá ser viável, aumentando assim a demanda para a produção do medicamento. (AU)

Eficácia do teste sorológico ELISA com utilização de antígeno recombinante Hsp83 de Leishmania infantum para diagnóstico de leishmaniose em pacientes infectados com HIV

Beneficiário:Hiro Goto
Instituição: Instituto de Medicina Tropical de São Paulo (IMT). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Hiro Goto
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Aplicada
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:11/02235-0
Vigência: 01 de julho de 2011 - 30 de junho de 2013
Assunto(s):Sorologia
Resumo
Presenciamos grande contingente de portadores de HIV e grande expansão de leishmaniose tegumentar e visceral no Brasil, particularmente no Estado de São Paulo. Observamos anteriormente que ocorre subdiagnóstico de leishmaniose nos portadores de HIV que em parte deve-se a sua apresentação clínica não usual. Há também desconhecimento no nosso meio do valor diagnóstico dos testes sorológicos que podem ser ineficazes diante da imunossupressão ou, por outro lado, ser falso-positivos, se reativos, pela presença frequente de diferentes infecções oportunistas nesses pacientes. Temos estudado teste sorológico "enzyme-liked immunosorbent assay" (ELISA) com antígeno recombinante Hsp83 de L. infantum que mostrou ser eficaz no diagnóstico de leishmaniose tegumentar humana e também da leishmaniose visceral canina, com parâmetros de sensibilidade e especificidade superiores aos testes utilizados atualmente. Neste estudo, propomos avaliar a eficácia do teste ELISA com antígeno rHsp83 no diagnóstico de leishmanioses nos pacientes infectados com HIV. Este teste não é espécie-específico, mas, nesta coinfecção, como o quadro clínico pode não coadunar com a espécie do parasito envolvida, este teste é mais adequado nessa condição. Comprovada a utilidade deste método para o diagnóstico, sua utilização nos casos suspeitos de leishmaniose contribuiria inegavelmente no estabelecimento do diagnóstico de forma precoce e trazer segurança no tratamento específico. Este projeto visa os pacientes com coinfecção HIV/Leishmania, mas, quando padronziado, este teste tem um potencial de aplicação no diagnóstico de leishmanioses em geral, em substituição aos ensaios realizados de rotina com a utilização do parasito total ou seu lisado. (AU)

Uso de swab conjuntival para detecção da leishmaniose canina por PCR

Beneficiário:Trícia Maria Ferreira de Sousa Oliveira
Instituição: Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos (FZEA). Universidade de São Paulo (USP). Pirassununga, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Trícia Maria Ferreira de Sousa Oliveira
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Medicina Veterinária Preventiva
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:11/00147-6
Vigência: 01 de abril de 2011 - 31 de março de 2013
Assunto(s):Leishmaniose visceralLeishmania infantumCãesTécnicas e procedimentos diagnósticosReação em cadeia por polimerase (PCR)Técnicas imunoenzimáticas
Resumo
As leishmanioses são enfermidades causadas por protozoários do gênero Leishmania, transmitidos a diferentes espécies de mamíferos por vetores. No Brasil, a espécie responsável pela forma mais grave da doença, a leishmaniose visceral, é a Leishmania (Leishmania) infantum chagasi, e os principais vetores são os flebotomíneos da espécie Lutzomyia longipalpis. Anteriormente descrita como uma enfermidade silvestre ou de ambiente rural, atualmente, observa-se um grande número de casos da doença em áreas urbanas. No ambiente doméstico, o cão é considerado o principal reservatório da leishmaniose visceral e, em consequência disso, é também o principal alvo das campanhas de controle da forma humana da doença. Os cães também sofrem com a doença, sendo que, uma vez iniciados os sinais clínicos nessa espécie, invariavelmente o animal vem a óbito. Porém, vários animais podem permanecer infectados pelo parasito, sem apresentar sinais clínicos por um longo período e transmitindo L. (L.) i. chagasi aos vetores. O diagnóstico laboratorial da leishmaniose pode ser feito por métodos diretos e indiretos, dentre os quais se destacam a pesquisa de parasitas em esfregaços de diferentes órgãos linfóides, a reação em cadeia pela polimerase (PCR), o cultivo in vitro do parasito e os métodos sorológicos como o ensaio imunoenzimático (ELISA) e a reação de imunofluorescência indireta (RIFI). A PCR tem alta sensibilidade e especificidade, dependendo da amostra de tecido utilizada. Amostras de medula óssea são mais sensíveis que de sangue total, entretanto a coleta de medula óssea é bem mais complexa. Alguns trabalhos mostram que a técnica não invasiva do swab conjuntival, na identificação por PCR de animais infectados por Leishmania sp, tem boa especificidade e sensibilidade, mas essa técnica ainda é pouco utilizada no diagnóstico de rotina. O projeto proposto pretende verificar e comparar o uso de amostras de swab conjuntival para a realização da PCR com a PCR de sangue total e RIFI e determinar a prevalência sorológica e molecular de animais positivos em Ilha Solteira-SP. (AU)

Busca de novos antígenos para o diagnóstico da leishmaniose visceral canina: caracterização das proteínas TR Lc06, Lc22, Lc24 e Lc36

Beneficiário:Marcia Aparecida Silva Graminha
Instituição: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCFAR). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Marcia Aparecida Silva Graminha
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Parasitologia - Protozoologia de Parasitos
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:10/16732-2
Vigência: 01 de março de 2011 - 30 de abril de 2013
Assunto(s):Leishmaniose visceral animalCãesDiagnóstico clínicoSorologiaAntígenos
Resumo
O controle da Leishmaniose Visceral Canina (LVC) e, consequentemente, da LV humana, depende da pronta identificação de cães infectados. Programas de controle da LV no Brasil têm como base o controle de reservatórios urbanos, com a identificação e eliminação em massa de cães soropositivos, uma vez que ainda não há tratamento comprovado para se obter a cura parasitológica permanente dos cães, mesmo quando se usa medicamentos de uso humano como os antimoniais pentavalentes. Identificar corretamente os cães infectados depende de um método diagnóstico eficiente com alta sensibilidade e especificidade. A sorologia no diagnóstico da leishmaniose visceral canina (LVC) apresenta problemas em relação à sensibilidade e especificidade nos testes atualmente disponíveis, os quais apresentam resultados variáveis de acordo com as diferentes regiões estudadas, comprometendo o controle da doença em cães e, consequentemente, a interrupção da transmissão desta importante parasitose ao homem. É importante ressaltar a necessidade de pesquisa de novos componentes antigênicos purificados que possam ser utilizados como ferramenta para obtenção de um diagnóstico alternativo, assegurando maior sensibilidade e especificidade aos testes. Vários antígenos foram identificados e testados (rGBP, rORFF, rK9/ rk26 e rK39). Destes, o antígeno rK39 mostrou-se o mais sensível no diagnóstico da LV humana. No entanto, testes rápidos utilizando esta proteína recombinante como antígeno, mostraram-se mais adequados para o diagnóstico de casos de LVC sintomáticos, apresentando pouca sensibilidade em cães assintomáticos. Não detectar cães infectados assintomáticos dificulta o controle desta parasitose. Dessa maneira, faz-se necessário buscar novos antígenos purificados que possam ser utilizados como ferramenta alternativa para detecção, inclusive da população canina assintomática.Identificamos proteínas TR exclusivas da espécie L. infantum causadora da LV. Estes genes podem estar relacionados a diferenças na apresentação da doença, resposta imune e patogenicidade, quando comparadas às demais espécies causadoras das leishmanioses: cutânea e mucocutâneas (L. major e L. braziliensis). Estes genes exclusivos de L. infantum, e ausentes no genoma de outros tripanosomatídeos, podem codificar proteínas com potencial aplicação no desenvolvimento de novos testes diagnósticos, minimizando problemas com reação cruzada apresentada pelo soro de animais infectados com os demais parasitos desta família. (AU)

Diagnóstico da leishmaniose visceral: pesquisa do parasita no sangue periférico por concentração e associação as técnicas clássicas e método molecular (kDNA)

Beneficiário:Lúcia Maria Almeida Braz
Instituição: Instituto de Medicina Tropical de São Paulo (IMT). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Lúcia Maria Almeida Braz
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Parasitologia
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:10/50304-8
Vigência: 01 de dezembro de 2010 - 31 de janeiro de 2013
Assunto(s):Leishmaniose visceralSangue
Resumo
Embora tenha sido classicamente estudada como uma endemia rural, a Leishmaniose Visceral Americana (LVA) apresentou grandes modificações no seu comportamento epidemiológico. A principal delas é a urbanização, detectada em diversos estados brasileiros no final da década de 1980. Outra é a expansão geográfica, ocasionalmente associada a comportamento epidêmico. Um exemplo desse fenômeno é observado no estado de São Paulo, que não registrava casos autóctones até 1999. Desde aquele ano, um total de 1542 pacientes adquiriram LVA no Estado (Amato et al., 2009). Diante do quadro de urbanização da LVA é emergente a melhoria e disponibilidade de técnicas diagnósticas validadas que possam substituir técnicas invasivas, inclusive por meio da associação a ferramenta molecular. Portanto, pretende-se avaliar o desempenho das técnicas diagnosticas da LVA no presente estudo. E para isso, será avaliada a eficácia das técnicas de coloração, de cultura e molecular no resultado dos exames de amostras procedentes da medula óssea e do sangue periférico. A técnica de coloração será representada pelo Giemsa ou Panóptico, a cultura pelo NNN/BHI e o kDNA por associação às técnicas anteriores ou em exames diretos. A avaliação da sensibilidade da pesquisa de leishmânia no sangue periférico permitirá avanços em relação ao diagnóstico que depende do encontro do parasita na medula óssea. (AU)

Avaliação, padronização e desenvolvimento de marcadores moleculares visando o diagnóstico espécie-específico da Leishmaniose tegumentar americana

Beneficiário:Paulo Cesar Cotrim
Instituição: Instituto de Medicina Tropical de São Paulo (IMT). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Paulo Cesar Cotrim
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Parasitologia - Protozoologia de Parasitos
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:10/16963-4
Vigência: 01 de dezembro de 2010 - 31 de maio de 2013
Assunto(s):LeishmanioseReação em cadeia por polimerase (PCR)Técnicas de diagnóstico molecularAmplificação do DNAPolimorfismo de fragmento de restrição
Resumo
O objetivo principal dessa proposta é analisar a sensibilidade e especificidade da utilização de cinco diferentes iniciadores para a reação em Cadeia da Polimerase (PCR) visando consolidar um método diagnóstico robusto para a identificação da espécie envolvida na Leishmaniose Tegumentar Americana (LTA) no Brasil. Pretende-se comparar os dados coletados nos resultados obtidos com metodologias clássicas de diagnóstico da LTA (Exame Direto, Cultura, Sorologia, Reação de Montenegro), além dos dados clínicos de cada paciente. Pretendemos ainda validar esse teste prospectivo analisando diferentes espécies referência do parasita, amostras de outros tripanosomatídeos, além de amostras de pacientes com processos patológicos relacionados. Para tanto, quatro alvos moleculares foram selecionados para a padronização das amplificações: 1) região conservada do minicírculo do kDNA, 2) região dos espaçadores internos transcritos do rDNA (ITS1rDNA), 3) região que codifica a enzima Glicose-6-Fosfato Desidrogenase (G6PD), e 4) região do gene que codifica a proteína de choque térmico HSP70. Também será avaliado um quinto e prospectivo alvo contendo uma região do gene que codifica uma glico-proteína-P de membrana, PRP-1. A PRP-1 foi identificada e descrita pelo nosso grupo de pesquisa e está relacionada com a resistência do parasita à Pentamidina. O desenvolvimento deste projeto de pesquisa é consequência natural de um projeto multicêntrico coordenado pela FIOCRUZ (em fase final de validação), onde as metodologias de coleta de material clínico, de extração e de amplificação do DNA, bem como ensaios com enzimas de restrição (RFLP) para a identificação das espécies de Leishmania foram padronizados e validados por laboratórios de referência no Brasil, e que contou com a participação de nosso grupo de pesquisa. (AU)

Expressão da óxido nítrico sintase induzida em dendrócitos dérmicos fator XIIIa+ e macrófagos, de indolamina 2,3-dioxigenase por células dendríticas plasmocitóides e do fator de transcrição FOXP3 nas lesões de leishmaniose tegumentar americana

Beneficiário:Mírian Nacagami Sotto
Instituição: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Mírian Nacagami Sotto
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Anatomia Patológica e Patologia Clínica
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:10/16758-1
Vigência: 01 de dezembro de 2010 - 30 de novembro de 2012
Assunto(s):Células dendríticasLeishmanioseExpressão gênicaFator de transcrição AP-1Óxido nítrico
Resumo
As células dendríticas melhor estudadas na leishmaniose tegumentar (LT) são as células de Langerhans. Entretanto, outros elementos celulares dendrocíticos (dendrócitos dérmicos fator XIIIa+) e células dendríticas plasmocitóides (pDC) estariam envolvidos na resposta tecidual da LT, promovendo resposta imune inata e adaptativa frente ao parasita, assim como mecanismos de tolerogênese. Com o objetivo de verificar o envolvimento de células dendríticas, assim como de elementos relacionados aos mecanismos reguladores, na resposta tecidual cutânea da leishmaniose tegumentar americana, pretende-se: Verificar se ocorre expressão de iNOS pelos dendrócitos dérmicos Fator XIIIa+ comparando-a com a da população de macrófagos. Demonstrar a possível participação de células dendríticas tolerogênicas através da expressão da enzima imunorreguladora indolamina 2, 3-dioxigenase (IDO). Realizar técnica de duplamarcação para expressão de CD123 (células dendríticas plasmocitódies - pDC) e IDO, e exame ao microscópio de imunofluorescência confocal, para verificar se as células IDO+ compreendem a população de pDC observada nas lesões de LTA. Verificar e comparar a expressão do fator de transcrição FoxP3 nos mesmos preparados histológicos. (AU)

Utilização de PCR-RFLP no estudo populacional de Leishmania chagasi no Brasil

Beneficiário:Paulo Eduardo Martins Ribolla
Instituição: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Paulo Eduardo Martins Ribolla
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Parasitologia - Protozoologia de Parasitos
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:09/10030-9
Vigência: 01 de dezembro de 2010 - 28 de fevereiro de 2013
Assunto(s):Epidemiologia molecularGenética de populações
Resumo
A leishmaniose é uma doença parasitária causada por protozoários do gênero Leishmania, e transmitida através da picada de fêmeas de mosquitos da família Plebotomidae. As formas clínicas da leishmaniose são particularmente variadas, representando um complexo de doenças tendo como forma mais grave a leishmaniose visceral (LV) ou calazar. No Brasil a LV é causada pelo protozoário L.chagasi e transmitida pelo flebotomíneo Lutzomyia longipalpis, os principais reservatórios que participam do ciclo zoonótico são canídeos selvagens e cães domésticos. O fato de as leishmanioses, de uma maneira geral, apresentarem um amplo espectro no que diz respeito à sintomatologia da doença, aliado a grande diversidade das espécies de hospedeiros infectados, sugere a presença de variantes genéticas do parasita. No caso da leishmaniose visceral, por exemplo, variantes genotípicas de L.chagasi interagindo com diferentes espécies de hospedeiros podem ter papel fundamental na dinâmica e virulência de possíveis epidemias. O presente projeto tem como meta identificar possíveis variantes genotípicas de L.chagasi presentes em áreas endêmicas do Estado de são Paulo, bem como comparar linhagens do parasita isoladas de cães infectados com linhagens obtidas de pacientes com diagnóstico positivo para leishmaniose visceral. Além disso, pretende-se comparar os genótipos encontrados no Estado de São Paulo com genótipos encontrados em Campo Grande no Estado de Mato grosso do Sul e em Teresina no Estado do Piauí, visto que a história natural da doença nessas regiões é mais antiga do que no Estado de São Paulo. O estudo utilizará a técnica de PCR-RFLP do DNA do cinetoplasto (kDNA) do parasita, a fim de se obter um perfil genético relacionado à dinâmica de transmissão e a epidemiologia da leishmaniose visceral nessas áreas, e também avaliar a participação efetiva de cada hospedeiro vertebrado, no caso o cão doméstico e o homem, na manutenção das epidemias. (AU)

Interação Anopheles-Plasmodium: uma abordagem multidisciplinar

Beneficiário:Margareth de Lara Capurro Guimarães
Instituição: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Margareth de Lara Capurro Guimarães
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Parasitologia - Entomologia e Malacologia de Parasitos e Vetores
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Temático
Processo:09/53637-0
Vigência: 01 de novembro de 2010 - 31 de outubro de 2013
Convênio/Acordo de cooperação com a FAPESP: CNPq - Temáticos - Pronex - Rede Malária
Assunto(s):Transcrição gênicaAnophelesPlasmodiumVetores de doençasMalária
Resumo
A Rede Interação Anopheles-Plasmodium: uma abordagem multidisciplinar (RAP) tem como meta principal transformar o Brasil em um dos países Iíderes na pesquisa de vetores de malária. A malária no mundo é a prrincipal doença cujo agente etetiológico é um mosquito. Sendo este um dos poucos países em que confluem a ocorrênda da doença e o potendal científico para estudá-Ia, é fundamental que o Brasil fomente grupos de jovens pesquisadores, os quais poderão retribuir com produção científica por longo período. Neste cenário, é premente também que as principais instituições que desenvolvem pesquisa de culicídeos no país (algumas aqui representadas) sejam implempladas com auxílios desta natureza. Propõe-se aqui a conssolidação de um grupo constituído de 15 pesquisadores e 25 alunos de 4 instituições científicas de 3 estados brasileiros: Universidade de São Paulo; Instituto de Ciências Biomédicas Campus avançado ICB5-Rondônia (RO) Departamento de Imunologia-São Paulo (SP) Departamento de Parasitologla-São Paulo (SP) Instituto de Medicina Tropical-São Paulo (SP) Faculdade de Saúde Pública Departamento de Epidemiologia-São Paulo Instituto Butantan-SP Universidade Federal do Rio de Janeiro Instituto de Bloquímica Médica-Rio de Janeiro (RJ) Secretaria de Estado da Saúde Pública de Rondônia-(RO). O grupo já mantém colaboração clentífica e seus integrantes estão alocados em instituições que já tem tradição de estudos sobre vetores. Este grupo é predominantemente constituído por jovens pesquisadores que teve nos últimos 5 anos a expressiva produção científica de 93 artigos e a captação de cerca de R$ 4,1 milhões em auxílios à pesquisa. Da proposta: A abordagem multidisciplinar da RAP justifica-se por ser a interação Anopheles-Plasmodlum muito complexa nos aspectos genéticos, fisiológicos, bioquímicos etiológicos e imunológicos, entre outros. Do Instituto de Ciências Biomédicas (ICB-5) Rondônia: Este é um Importante centro de pesquisa vinculado à USP que vem executando desde 2001 sua missão de desenvolver estudos relacionados às doenças tropicais, entre elas a malária, que acometem as populações da região Amazônica, e terá participação crucial no desenvolvimento do presente projeto. O ICB-5, estrategicamente localizado em área endêmica de malária no município de Monte Negro (Rondônia), será usado como instituição-base para (coleta de material biológico. Mais importante, o grupo pretende desenvolver um corredor de troca de Informações entre os alunos envolvidos no projeto com treinamento via intercâmbio recíproco. Vale à pena ressaltar que a RAP proporcionará o inicio de uma meta maior do nosso grupo que é a descentralização do conhedmento científico no Brasil Esta rede gostaria de contribuir para o desenvolvimento de um pólo atrativo na Amazônia Legal, para pesquisadores, alunos, profissionais da saúde e a própria comunidade, trazendo benefício a todos. A RAP hoje não tem a pretensão de atuar diretamente no Programa de Controle da Malária, mas sim gerar Informações e criar massa crítica para que em futuro próximo esta seja uma realidade. A RAP é fruto do novo paradigma da entomologla moderna onde atuam não apenas os taxonomistas e epidemiologistas tradicionais, mas também especialistas em fisiologia, imunologia, genética, etiologia e bioquímica. Contexto teórico: A principal característica que confere importânda aos insetos do gênero Anopheles (Dipterai Culicidae) no contexto da saúde pública é o hábito hematofágico de suas fêmeas. Uma conseqüêncla da hematofagia é a coevolução de parasitas e insetos hematófagos tomando os últimos vetores de uma série de doenças de diferentes origens parasitárias. Dessa forma hoje em nosso planeta 1 em cada 12 habitantes está infectado com algum dos patógenos causadores da Malária, Doença de Chagas, Leishmaniose, Filariose e Dengue. No caso específico da malária, que afeta atualmente cerca de 300 milhões de pessoas, a ausência de vacinas disponíveis somada ao surgimento de resistência tanto aos inseticidas quanto as drogas terapêuticas está entre as principais razões que levam ao atual quadro dramático do estado de prevalência de tal doença na população humana. O esforço de pesquisa, no entanto, concentrou-se nos últimos anos na obtenção de ferramentas apenas terapêuticas para o tratamento dos pacientes ou mesmo na caracterização molecular dos estágios de tal doença no hospedeiro vertebrado. Enquanto isso, métodos para o bloqueio da transmissão pelos anofelinos vetores tem sido pouco estudados e ainda não estão disponíveis. Para se controlar uma doença de tal magnitude, serão necessários avanços em diversas direções dentro do âmbito científico. Torna-se premente então o aprofundamento de estudos sobre a biologia do Plasmodium (agente etiológico da malária), dos seus ietores (Anopheles sp.) e da interação vetor-parasita. Uma vez que a Interação Anopheles-Plasmodlum é muito complexa nos aspectos genéticos, evolutivos, fisiológicos, etiológicos, imunológicos, entre outros, é fundamental que tais estudos sejam concebidos de forma multidisciplinar. A RAP realizará um estudo extenso e multidisciplinar endereçado à biologia dos vetores Anopheles darilingi e Anopheles aquasalis e de sua interação com o parasita Plasmodium falciparum. A proposta é constituída de oito subprojetos (objetivos) como sumarizada a seguir: Objetivo 1: Fisiologia digestiva no modelo Anopheles aquasalis. 1. Estudos de enzimas digestivas envolvidas nos diferentes estágios do processo digestivo e o seu papel na interação patógeno-hospedeiro. Estudo de inibidores enzimáticos produzidos por diferentes artrópodes visando o controle de vetores. Objetivo 2: Fosfatoma e a infecção por Plasmodlum. 2a. Identfficar no genoma de Anopheles os genes que identificam proteinas tirosinas fosfatases (PTPS); 2b. Identificar os genes de PTPs de Anopheles cuja expressão é alterada pela infecção com Plasmodlumi; 2c. Efetuar o silenciamento por RNAi de tais PTPS; 2d. Realizar o proteoma do tubo digestivo de Anopheles; 2e. Estabelecer uma relação funcional entre as PTPs de Anopheles e o processo de infecção a semelhança do que já esta sendo induzido em Aedes e eventualmente chegarmos a PTPs exclusivas do vetor da malária humana. Objetivo 3: Kinoma de Anopheles e a infecção por Plasmodlum. 3a. Identificar no genoma de Anopheles os genes que identificam proteinas quinases (PTKs); 3b. Identificar os genes de PTKs de Anopheles cuja expressão é alterada pela infecção com Plasmodium; 3c. Efetuar o sllenciamento por RNAi de tais PTKs; 3d. Realizar o proteoma do tubo digestivo de Anopheles; 3e. Estabelecer uma relação fundonal entre as PTKs de Anopheles e o processo de infecção a semelhança do que já esta sendo conduzido em Aedes e eventualmente chegarmos a PTKs exclusivas do vetor da malária humana. Objetivo 4: Caracterização transcriptômlca de glândulas salivares e do intestino médio de Anopheles aquasalis. Descrever o perfil de RNAs presentes na glândula salivar e no intestino médio de Anopheles aquasalis, caracterizando, assim, o repertório de genes expressos nestes tecidos. Objetivo 5: Imunoma funcional da Glândula salivar de Anopheles sp. Mapear as atividades imunomoduladoras da glândula salivar e suas frações in vitro e in vivo em duas áreas interligadas: a) inflamação e imunidade inata; b) imunidade adquirida. Especificamente os tópicos abordados serão: Objetivo 6: Estudos populacionais em espécies de Anopheles baseados em caracteres morfométricos de asas e ovos. Estudo de caracterização populacional das espécies An. aquasalls e An. darilingi na Amazônia brasileira para avaliar-se variações intraespecíflcas alares que correspondem àquelas variações genéticas já apontadas pela literatura (Refs cit). Será feito ainda para An. aquasalis o estudo de morfometria de ovos, para avaliar se estes caracteres são polimórflc:os em populações da Amazônia brasileira, assim como foi observado em An. aquasalis na Venezuela (Refs cit.). Objetivo 7: Isolamento de cepas de Plasmodium falciparum que infectem Anopheles aquasalis e Anopheles dariligi em laboratório. Isolar cepas de Plasmodium falciparum diretamente de pacientes da região endêmica, Monte Negro, RO, e adaptar tais cepas ao cultivo em laboratório e infecção de anofelinos. Objetivo 8: Estabeledmento de metodologia de transgênese em Anopheles aquasalis. Transferência de tecnologia de transgênese para Anopheles aquasalis, espécie brasileira transmissora de malária na região litorânea. Metodologia Mosquitos - Anopheles aquasalis são mantidos em colônia no Insetário de segurança do ICB2 (São Paulo) e serão utilizados em todos os experimentos. - Anopheles darlingi serão capturados em Rondônia, levados para o Insetária localizado no ICB5 (Monte Negro). As gerações Fl serão obtidas e processadas para todos os experimentos. Plasmodium falciparum, sangue de pacientes infectados serão coletados em Rondônia e os parasitas isolados em culturas para os experimentos de infecção em mosquitos. Análises bioquímicas - Homogeneizados de intestinos isolados de larvas e adultos e hemolinfa serão submetidos a diferentes estratégias bioquimlcas de caracterização enzimática. Análise em sílico - os bancos de dados de seqüências de Anopheles gamblae, Aedes aegypti e Culex quinquefasdatus assim como Drosophila sp, serão utilizados na busca de genes associados com cada objetivo deste projeto, afim de identificarmos alvos gênicos para a caracterização individuai e silenclamento. Análises de DNA recombinantes - metodologia de purificação de DNA e RNA e produção de cDNA de mosquitos inteiros assim como tecidos será utilizada nas análises gênicas por RT-PCR e Real Time PCR, assim como para a produção de RNA de interferênda dos genes alvo. Caracterização morfológica de populações - Populações amazônicas de Anopheles (darilngi e aquasalis) serão comparadas de acordo com caracteres morfométricos de asas e/ou caracteres morfológicos de exocórion de ovos. A morfometrla das asas seguirá os procedimentos-padrão de morfometria geométrica aplicada à entomologia médica. Sumariamente, esse método baseia-se no estudo das relações matemático-geométricas entre as nervuras estruturais das asas que tenham significado taxonômico ou microevolutivos. Já a caracterização de ovos de Anopheles aquasalls será feita mediante análise das imagens de exocórion obtidas por microscopia eletrônica de varredura (MEV). A ornamentação e dados morfométricos do exocórion servirão de parâmetros comparativos entre as populações. O conjunto de dados fornecerá suporte a hipóteses de presença/ausênda de fluxo gênico interpopulacional. Os ensaios envolvendo as atividades da glândula salivar e suas frações sobre o sistema imune envolverão experimentos cem células isoladas em cultura (macrófagos, neutrófilos, células dendriticas, mastócitos, linfócitos) e modelos animais de inflamação in vivo, de acordo com protocolos já descritos na literatura (detalhes no projeto). Transgênicos: a metodologia para a obtenção de transgênicos será a mesma adotada para a produção de Anopheles stephensi e Anopheles gambiae, já descrita. Perspectivas: Em um nível mais específico, os objetivos aqui propostos poderão contribuir diretamente e/ou indiretamente para o controle da malária e de seus vetores, através de resultados como: Ampliação do conhecimento acerca do vetor Anopheles darlingi, o que poderá ser complementar à iminente divulgação do genoma da espéde. Gerar mais conhecimento acerca dos vetores de Plasmodium falciparum, Anopheles darlingi e Anopheles aquasalis na natureza. Estabeledmento de Anopheles aquasalis como modelo laboratorial para estudo de aspectos do cido da malária. Estabelecimento do cido de Plasmodium faldiarum em laboratório, o que enriquecerá o conhecimento sobre a doença. Ampliação do conhedmento da microevolução desses insetos, aspectos geralmente relacionados à epidemiologia. Caracterização fisiológica dos vetores, o que auxiliará na elaboração de métodos alternativos de controle desses insetos. Identificação de moléculas de potencial uso farmacológico. Identificação de moléculas de potencial utilização em insetos transgênicos. Formação de recursos humanos, nas categorias de IC, MS, DD e PD. Intercâmbio de nossos pesquisadores e alunos que poderão circular entre as instituições dos estados de RO, RJ e SP e familiarizar-se com as diversas abordagens desta proposta. 1 Aumento da produção científica do grupo, planejado em 30% para o próximo triênio. Criação de um pólo atrativo de pesquisadores, estudantes, profissionais da saúde e comunidade na Amazônia Legal. 1 Consolidação de um grupo diversificado, multidisciplinar, de produtivos jovens pesquisadores. Melhorias na massa crítica brasileira sobre a temática: malária, o que poderá levar o Brasil a uma posição de destaque no mundo. Viabilidade: A proposta científica é viável devido ao entrosamento preexistente do grupo e à sua competência já atestada pelas suas publicações, formação de recursos humanos e captação de fomento. O fato de os colaboradores constituirem uma rede multidisciplinar com domínio de múltiplas técnicas e conhecerem reciprocamente a metodologia dos colegas reforçará a interação profissional e auxiliará no dinamismo da execução e da publicação dos resultados. Os recursos aqui solicitados correspondem ao complemento necessário para a plena realização da proposta. A esses recursos deverá somar-se-á a infra¬estrutura (equipamentos, serviços) de que já dispomos em nossas instituições para o atendimento desta proposta. (AU)

Maria aparecida de Souza | Univ federal uberlandia/ufu - Brasil

Beneficiário:Maria Cristina Roque Antunes Barreira
Instituição: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Maria Cristina Roque Antunes Barreira
Pesquisador visitante: Maria Aparecida de Souza
Instituição do pesquisador visitante: Universidade Federal de Uberlândia (UFU) (Brasil)
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunoquímica
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Auxílio Pesquisador Visitante - Brasil
Processo:10/51763-6
Vigência: 01 de outubro de 2010 - 30 de setembro de 2011
Assunto(s):ImunomodulaçãoInterleucina-10Leishmaniose

FERNANDO tobias Silveira | Univ federal para/ufpa - Brasil

Beneficiário:Carlos Eduardo Pereira Corbett
Instituição: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Carlos Eduardo Pereira Corbett
Pesquisador visitante: Fernando Tobias Silveira
Instituição do pesquisador visitante: Universidade Federal do Pará (UFPA) (Brasil)
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Auxílio Pesquisador Visitante - Brasil
Processo:10/50292-0
Vigência: 30 de setembro de 2010 - 29 de setembro de 2011
Assunto(s):Células de LangerhansImunopatologiaLeishmaniose

Estudos integrados para incriminação de hospedeiros reservatórios envolvidos no ciclo zoonótico das leishmanioses

Beneficiário:Jeffrey Jon Shaw
Instituição: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Jeffrey Jon Shaw
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Parasitologia - Protozoologia de Parasitos
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:10/50562-7
Vigência: 01 de julho de 2010 - 30 de setembro de 2012
Assunto(s):Carga parasitáriaLeishmanioseReservatórios
Resumo
Durante a execução do projeto Temático FAPESP, processo N° 1997/13015-1, foram obtidos resultados que levaram à incriminação de algumas espécies de roedores como reservatórios do parasita Leishmania, principalmente em relação à espécie Leishmania (Viannia) braziliensis, cujo hospedeiro mamífero era até então desconhecido. Por outro lado, o avanço das técnicas, como PCR quantitativo, que permitem detectar, identificar e quantificar parasitas em tecidos de animais infectados, possibilita realizar ensaios de infectividade, simulando condições naturais, utilizando os roedores em cativeiro e colônias de flebotomineos. Os resultados obtidos nesses ensaios podem contribuir para o entendimento do papel de hospedeiros mamífero na infecção por L. (V.) braziliensis, tais como quantificar a carga parasitária mínina para possibilitar a infecção do hospedeiro invertebrado. Esses dados podem gerar informações para melhor avaliar observações de animais capturados em campo, implicando-os como reservatórios e assim possibilitar desenhos de estratégias de controle da doença. Paralelamente, Leishmania (Leishmania) chagasi, que apresenta tanto vetor como reservatório bem conhecido, pode ser utilizada como parâmetro de comparação no mesmo tipo de ensaios, e dessa forma auxiliar no entendimento do papel funcional de cada hospedeiro, como um processo geral, ou espécie-específico. (AU)

Desenvolvimento de lipossomas catiônicos contendo ácido hialurônico para a veiculação de vacina de DNA na prevenção da leishmaniose

Beneficiário:Lucimara Gaziola de la Torre
Instituição: Faculdade de Engenharia Química (FEQ). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Lucimara Gaziola de la Torre
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Química
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:10/02203-8
Vigência: 01 de julho de 2010 - 30 de junho de 2012
Assunto(s):NanotecnologiaLipossomosÁcido hialurônicoVacinasLeishmanioseNanopartículas
Resumo
Este projeto visa ao desenvolvimento tecnológico de lipossomas catiônicos contendo o LACK DNA e recobertos com o ácido hialurônico, para a vetorização de vacinas gênicas destinadas para o combate da Leishmaniose, pela rota intranasal. A eficácia do LACK DNA administrado livre por via intranasal na Leishmaniose cutânea já foi comprovada pelo Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho-RJ. O ácido hialurônico é um polissacarídeo natural com propriedades mucoadesivas, já utilizado para aplicações de vacinas pela rota intranasal e que também permite a elevação da eficiência de entrega de DNA presente em lipossomas catiônicos para o interior de células. Os lipossomas serão compostos dos lipídios: fosfatidilcolina natural de ovo, 1,2-dioleoil-sn-glicero-3-fosfoetanolamina e 1,2-dioleoil-3-trimetilamônio-propano e o ácido hialurônico para recobrimento será de baixa massa molar. As nanopartículas serão caracterizadas quanto a suas propriedades físico-químicas em termos de potencial zeta, morfologia, diâmetro médio hidrodinâmico, polidispersidade e distribuição de tamanhos. A incorporação do LACK DNA será avaliada em termos de acessibilidade à sonda de fluorescência, razão molar para completa incorporação e integridade após processamento (eletroforese em gel de agarose). A melhor formulação será enviada para avaliação in vivo no Instituto de Biofísica Carlos Chagas - RJ. A experiência prévia do grupo de pesquisa na área de lipossomas catiônicos focou o desenvolvimento de vacina de DNA contra a tuberculose (uma patente, um certificado de adição e 4 publicações) e o estudo do aumento de escala desta complexação eletrostática (Processo PIPE II FAPESP). Neste contexto, este projeto contribuirá para o desenvolvimento de novas nanoestruturas destinadas à vacinação gênica contra a Leishmaniose, projetadas especificamente para administração intranasal. (AU)

Pesquisa e identificação de flebotomíneos (Diptera: Psychodidae) na zona urbana e periurbana do município de Botucatu - SP

Beneficiário:Cassiano Victória
Instituição: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Cassiano Victória
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Medicina Veterinária Preventiva
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:10/00702-7
Vigência: 01 de abril de 2010 - 31 de março de 2012
Assunto(s):Leishmaniose
Resumo
As leishmanioses, principalmente em sua forma visceral causada pela Leishmania (Leishmania) chagasi, tem sido considerada, ao longo das últimas décadas, a zoonose de maior importância em saúde pública no estado de São Paulo, em razão da sua rápida disseminação e risco potencial à saúde humana e animal. Para a manutenção do seu ciclo epidemiológico é necessária a existência de três fatores principais. O primeiro é a presença de uma fonte de infecção,que nas grandes cidades é representada principalmente pelo cão e outros animais domésticos. O segundo é a presença de um vetor invertebrado, geralmente um flebótomo do gênero Lutzomia spp e o terceiro é a existência de um ambiente propício à multiplicação do vetor, contendo matéria orgânica em decomposição, umidade e protegido da luz solar direta. O controle destas enfermidades têm representado um grande desafio às equipes de controle de vetores uma vez que a atuação em alguns destes fatores como por exemplo o meio ambiente, é extremamente difícil e depende diretamente do interesse da população. O município de Botucatu, localizado no interior do estado de São Paulo, às margens da Rodovia Marechal Rondon, próximo a municípios como Bauru e Lençóis Paulista, municípios estes com transmissão confirmada de L.(L.) chagasi, vêm sofrendo grande pressão epidemiológica em razão da sua localização e do fluxo de animais e seres humanos entre estes locais, porém até o presente momento, não têm confirmada a transmissão autóctone da forma visceral da doença, sendo área endêmica apenas para a forma cutânea da leishmaniose. Acredita-se que isto se deve ao fato de que em Botucatu não foi localizado, até o momento, focos de Lutzomia longipalpis principal vetor da forma visceral. Com o objetivo de colaborar com as ações de monitoramento deste vetor no município, propusemos o presente projeto que pretende estudar trinta áreas préselecionadas como de maior risco para a multiplicação da L. longipalpis com a captura e identificação de flebótomos possivelmente presentes nestas áreas, bem como realizar algumas considerações sobre sua localização e nível de risco, utilizando para isto, técnicas de geoprocessamento e geoestatística. (AU)

Pesquisa de Leishmania (Leishmania) chagasi e Trypanosoma cruzi em cães do município de Araçatuba, SP

Beneficiário:Katia Denise Saraiva Bresciani
Instituição: Faculdade de Medicina Veterinária (FMVA). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araçatuba. Araçatuba, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Katia Denise Saraiva Bresciani
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Medicina Veterinária Preventiva
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:09/50425-2
Vigência: 01 de abril de 2010 - 31 de março de 2012
Resumo
As leishmanioses e a Doença de Chagas são consideradas antropozoonoses, que acometem animais domésticos e silvestres, com distribuição cosmopolita. Nestas enfermidades, os cães representam uma importante fonte de infecção, uma vez que vivem em estreito contato com seres humanos. No presente estudo, serão colhidas aleatoriamente 400 amostras de sangue de cães domiciliados do Município de Araçatuba, SP. O objetivo do presente estudo será determinar a ocorrência da Leishmaniose Visceral Canina e da Doença de Chagas em cães do Município de Araçatuba, SP, por hemocultura em meios LIT (Liver Infusion Tryptose), pela pesquisa de anticorpos contra Leishmania (Leishmania) chagasi e Trypanosoma cruzi, pela técnica de Reação de Imunofluorescência Indireta (RIFI) e pesquisa do DNA pela técnica de Reação em Cadeia da Polimerase (PCR). Devido a inexistência de levantamentos epidemiológicos a respeito da ocorrência de T. cruzi na área em questão, torna-se necessário pesquisar a presença do referido protozoário e infecções concomitante com Leishmania (L.) chagasi. (AU)

Leishmaniose visceral canina: validação da PCR em tempo real para o diagnóstico parasitológico da infecção em amostra não invasiva

Beneficiário:Vânia Lúcia Ribeiro da Matta
Instituição: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Vânia Lúcia Ribeiro da Matta
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Patologia Animal
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:09/54533-4
Vigência: 01 de março de 2010 - 31 de agosto de 2012
Assunto(s):Leishmaniose visceral animalAnálise parasitológicaReação em cadeia por polimerase (PCR)Cães
Resumo
O cão, principal reservatório doméstico de Leishmania (Leishmania) chagasi, tem papel relevante na manutenção e dispersão da leishmaniose visceral (LV), doença que se encontra em franca expansão no Brasil. A infecção canina constitui-se em fator de risco para a doença humana e, no país, o cão soro-positivo é eliminado como medida de prevenção e contenção da LV. Porém, de há muito, sérias críticas vêm sendo feitas à acurácia limitada dos métodos sorológicos praticados nos inquéritos epidemiológicos caninos que acaba por comprometer a avaliação dos programas de intervenção, a identificação dos fatores de risco para a infecção, bem como a estimativa da real prevalência e incidência da LV, especialmente em áreas de co-transmissão de L. braziliensis e Trypanosoma cruzi. Tentativas de validação de testes parasitológicos, padrão-ouro na determinação de real infecção, com potencial aplicabilidade em áreas endêmicas e inquéritos populacionais, devem ser encorajadas para minimizar as questões acima levantadas. Nesta direção, o presente estudo visa investigar o desempenho da reação em cadeia da polimerase em tempo real na detecção de L. (L.) chagasi em células exfoliativas da conjuntiva de cães de Araçatuba, cidade com soro-prevalência estimada de infecção canina entre 12% e 42,2%, de acordo com a área geográfica investigada. Ressalta-se que o protocolo de validação do método parasitológico escolhido foi desenhado para se obter máxima sensibilidade e especificidade na detecção do parasito como também proporcionar fácil coleta, transporte e armazenagem da amostra não invasiva com o intuito final de fornecer ferramenta diagnostica rápida e com alto desempenho a laboratórios localizados em áreas de transmissão ou a laboratórios de referência, ambos envolvidos na investigação regular de casos e no controle da doença em áreas endêmicas. (AU)

Estudo da capacidade vetorial de Migonemyia migonei (França) e de Pintomyia fischeri (Pinto) (Diptera: Psychodidae) para Leishmania (Leishmania) infantum chagasi Cunha & Chagas e Leishmania (Viannia) braziliensis Vianna

Beneficiário:Eunice Aparecida Bianchi Galati
Instituição: Faculdade de Saúde Pública (FSP). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Eunice Aparecida Bianchi Galati
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Parasitologia - Entomologia e Malacologia de Parasitos e Vetores
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:09/53414-1
Vigência: 01 de janeiro de 2010 - 30 de junho de 2012
Resumo
A leishmaniose visceral americana (LVA) no Estado de São Paulo (SP) vem acometendo populações caninas e humanas de vários centros urbanos e encontra-se em expansão. Novas áreas na região da Grande São Paulo têm sido identificadas com a infecção na população canina e felina, sem que a espécie vetora, Lutzomyia longipalpis, tenha sido encontrada. Diferentemente de outras áreas, onde a transmissão da LV se dá em ambiente urbano consolidado, na Grande São Paulo, ocorre em ambiente de transição urbano-rural. Neste existem matas nos quais os flebotomíneos antropofílicos, Pintomyia fischerí e Migonemyia migonei predominam e casos humanos de leíshmaniose tegumentar (LT) têm sido notificados. O projeto em pauta tem como objetivo investigar a capacidade vetorial dessas duas espécies de flebotomíneos para a transmissão do agente da LVA, Leishmania (L.) infantum chagasi e um dos agentes da LTA, L (Viannia) braziliensis, comparando-as com a de Lutzomyia longipalpis e de Nyssomyia intermedia, respectivamente, vetor desses agentes na América e na região Sudeste do Brasil. Os seguintes parâmetros serão identificados: densidade das espécies em relação aos hospedeiros (observação em campo) e infecção experimental pelos parasitas a partir da alimentação dos flebotomíneos em cães infectados e/ou hamsters, probabilidade diária de sobrevivência dos flebotomíneos, duração do ciclo gonotrófico, período de incubação extrínseca dos parasitas nos flebotomíneos, proporção de flebotomíneos infectantes e transmissão dos parasitas para hamsters (observações em laboratório). Espera-se com o estudo demonstrar a capacidade vetorial dessas duas espécies de flebotomíneos para esses agentes. Devido à ampla distribuição das espécies em SP, geralmente associada a matas e capoeiras, alertar à vigilância epidemiológica para o risco de transmissão da LVA nesses ambientes. (AU)

Lesões no encéfalo de cães com leishmaniose: estudo da expressão gênica de mediadores pró e antiinflamatórios e da provável influência dos inibidores de metaloproteinases TIMPs (1 e 2) na migração..

Beneficiário:Gisele Fabrino Machado
Instituição: Faculdade de Medicina Veterinária (FMVA). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araçatuba. Araçatuba, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Gisele Fabrino Machado
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:09/53309-3
Vigência: 01 de janeiro de 2010 - 31 de dezembro de 2011
Assunto(s):CãesCitocinasEncéfaloInflamaçãoLeishmaniose
Resumo
A infecção causada por Leishmania spp resulta em doença com apresenta uma grande variação nas manifestações clínicas, tanto em humanos como em cães. Estas manifestações variam da observação de cães infectados e assintomáticos à observação de desordens generalizadas que podem resultar na morte do hospedeiro. Cães infectados cronicamente podem apresentar déficit neurológico, entretanto existem poucos relatos que caracterizam as lesões observadas e elucidam a patogenia da forma nervosa da leishmaniose. Em seqüência a projetos anteriores e aos nossos objetivos de avaliar as lesões encefálicas em cães com leishmaniose, e investigar os mecanismos envolvidos no seu aparecimento, propomos investigar através de PCR em tempo real a expressão gênica de citocinas pró e antiinflamatórias, e dos inibidores de metaloproteinases. Serão obtidos fragmentos do encéfalo de cães com diagnóstico positivo para leishmaniose (sorologia e citologia aspirativa de linfonodos) e que se apresentem com sintomas clínicos evidentes (Grupo 1) ou não (Grupo 2). As citocinas e os inibidores de metaloproteinases (TIMPs) serão avaliados RT-PCR em tempo real. (AU)

Agentes anti-infecciosos: congregando a química medicinal e síntese orgânica na busca de protótipos antiparasitários

Beneficiário:Flavio da Silva Emery
Instituição: Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Flavio da Silva Emery
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Orgânica
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:09/14184-0
Vigência: 01 de dezembro de 2009 - 30 de novembro de 2011
Assunto(s):Síntese orgânicaTerpenosQuinonasHibridizaçãoDoenças infecciosasDoenças parasitárias
Resumo
As doenças infecciosas são responsáveis por um elevado número de internações e morte em hospitais do Sistema Único de Saúde (SUS), gerando um custo de mais de 500 milhões de reais no último ano. Dentre as doenças mais importantes, epidemiologicamente, pode-se arrolar as diferentes formas de Leishmaniose, Malária e AIDS, cujas terapias são de elevado custo ou ineficazes ou, mais ainda, tóxicas. Nesse contexto, este projeto pretende estudar o planejamento e síntese de novos agentes capazes de atuar sobre as doenças parasitárias, mais especificamente a Malária e a Leishmaniose, visando a obtenção de protótipos inovadores, por meio de metodologias químio-medicinais, como o bioisosterismo e a hibridização molecular, métodos de síntese orgânica diversificada, atual e reconhecida, bem como parcerias com grupos de pesquisas envolvidos em ensaios biológicos, caracterizando um projeto multidisciplinar e multiáreas, capaz de formar recursos humanos qualificados em química orgânica sintética com abordagens medicinais. (AU)

Avaliação e manipulação da tensão de oxigênio de microambientes celular e tecidual durante processos infecciosos

Beneficiário:Selma Giorgio
Instituição: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Selma Giorgio
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Parasitologia
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:09/10771-9
Vigência: 01 de dezembro de 2009 - 31 de maio de 2012
Assunto(s):Leishmania mexicanaLeishmanioseAnóxiaMacrófagos
Resumo
Os microambientes tissulares, em que ocorrem períodos prolongados de reduzido fluxo sanguineo, vasoconstrição e proliferação celular, têm queda acentuada da pressão parcial de oxigênio (hipóxia). A hipóxia em tecidos cronicamente lesados e neoplasias está envolvida no processo de cronificação de inflamações e retarda a cura e os efeitos de terapias. O envolvimento da hipóxia nos processos infecciosos é menos estudado. Este projeto de pesquisa é a continuidade dos nossos estudos, abrange outros patógenos além da Leishmania, e tem duas linhas de investigação já consolidadas no laboratório: a primeira procura responder questões sobre a relação causa/efeito da hipóxia em fenômenos patofisiológicos e a segunda linha de pesquisa aborda o efeito do tratamento hiperbárico. Os modelos experimentais murinos serão de doenças infecciosas causadas por L. amazonensis, Schistosoma mansoni, Plasmodium berghei e Pseudomonas aeruginosa. Especificamente pretendemos: avaliar o fator transcricional HIF, hipóxia e diversos marcadores relacionados em lesões leishmanióticas, na malaria cerebral e na esquistossomose; padronizar o uso de L. amazonensis-GFP; avaliar o processo autofágico em macrófagos infectados com L. amazonensis, otimizar protocolos de tratamento com oxigenação hiperbárica e analisar seu mecanismo de ação na leishmaniose, malaria cerebral e no modelo de infecção com P. aeruginosa com indução de queimadura. Estabelecendo os mecanismos celulares/tissulares de resposta a hipóxia será possível identificar alvos terapêuticos e otimizar combinações de tratamentos novos e já estabelecidos. A exploração da estratégia de reoxigenação e o esclarecimento da sua base cientifica serão úteis para estabelecer protocolos de tratamento para patologias associadas a hipóxia. (AU)

Pesquisa de Leishmania SP. em lesões cutâneas de felinos do município de Araçatuba, São Paulo, área endêmica para leishmaniose visceral americana (LVA)

Beneficiário:Mary Marcondes
Instituição: Faculdade de Odontologia (FOA). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araçatuba. Araçatuba, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Mary Marcondes
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Clínica e Cirurgia Animal
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:09/52812-3
Vigência: 01 de dezembro de 2009 - 30 de novembro de 2011
Assunto(s):Leishmaniose visceral
Resumo
A leishmaniose visceral, também conhecida como Calazar, é uma enfermidade causada por protozoários do gênero Leishmania, que acomete populações dos cinco continentes, com aproximadamente 12 milhões de indivíduos acometidos no mundo todo. Na América Latina já foi identificada em 12 países, sendo que 90% dos casos encontram-se Brasil. Nos últimos anos chama a atenção não só a dispersão geográfica da enfermidade no Brasil, mas principalmente o aumento da taxa de letalidade em indivíduos acometidos. Nesse contexto, o Ministério da Saúde tem buscado controlar a doença por meio de ações contra o flebótomo transmissor e eliminação de cães infectados, considerados os principais reservatórios domésticos desta zoonose. Recentemente algumas pesquisas e relatos de casos têm apontado o gato doméstico como potencial reservatório no ambiente doméstico, o que vem gerando preocupação crescente entre os agentes de saúde, uma vez que a ascensão da popularidade dessa espécie é evidente nos últimos anos. Estudos recentes demonstraram que a pesquisa de anticorpos anti-Leishmania sp no soro de felinos não é um método eficaz de identificação de animais infectados, como acontece nos cães. Os sintomas da doença nos gatos, assim como nos cães, são inespecíficos e incluem alterações dermatológicas, muito freqüentes na leishmaniose visceral canina, detectadas em aproximadamente 90% dos casos. Sendo assim, o presente estudo tem por objetivos pesquisar a presença de formas amastigotas de Leishmania sp. em lesões cutâneas de gatos domésticos e, nos casos positivos, tentar identificar a espécie de leishmania envolvida. (AU)

Avaliação da apoptose e células t regulatórias no baço e sangue periférico de cães naturalmente infectados por Leishmania (L) chagasi

Beneficiário:Valéria Marçal Felix de Lima
Instituição: Faculdade de Odontologia (FOA). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araçatuba. Araçatuba, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Valéria Marçal Felix de Lima
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:09/51434-5
Vigência: 01 de novembro de 2009 - 30 de novembro de 2011
Assunto(s):CãesApoptoseImunidade celularLeishmaniose visceral
Resumo
A Leishmaniose Visceral (LV) no homem é uma doença crônica e freqüentemente fatal se não tratada e está em franca expansão com avanço também no estado de São Paulo, em regiões com características urbanas como Araçatuba. Segundo a Secretária de Vigilância Epidemiológica do Estado de São Paulo a doença está em expansão com alta taxa de mortalidade, sendo que a região de Araçatuba concentra o maior número de casos do estado. A LV canina constitui um grave problema de Saúde Pública, pois os animais infectados são potentes transmissores do parasito para humanos através do vetor flebotomínio, e a doença canina é mais prevalente que a doença humana, normalmente os casos caninos precedem os casos humanos. O cão é, portanto, um alvo importante nas medidas de controle. A progressão da infecção canina é acompanhada por falha na imunidade celular com redução de linfócitos circulantes e alta produção de IL-10 e TGF-beta, o baço, órgão alvo na infecção, é uma fonte importante destas citocinas e apresenta hipoplasia de polpa branca, os fatores que levam a queda nc número de linfócitos e as células envolvidas na produção destas citocinas que levam a falha na reposta imunológica são pouco conhecidos. Evidências da apoptose e o envolvimento de células regulatórias como mecanismos reguladores da imunidade já foram observados em modelos experimentais, nesse sentido pretende-se verificar nos cães naturalmente infectados se a falha de imunidade celular observada pode ser decorrente de apoptose dos linfócitos T circulantes e no baço e se ocorre aumento das células T regulatórias nesses sítios. Para tal será quantificada a apoptose nos linfócitos T e as células T regulatórias do baço e do sangue periférico em animais com doença avançada e comparada à observada em animais saudáveis. (AU)

Pesquisa de Leishmania chagasi e Trypanosoma cruzi em animais silvestres procedentes do Centro de Conservação da Fauna Silvestre de Ilha Solteira - SP

Beneficiário:Simone Baldini Lucheis
Instituição: Faculdade de Medicina (FMB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Simone Baldini Lucheis
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Medicina Veterinária Preventiva
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:09/09129-0
Vigência: 01 de outubro de 2009 - 30 de setembro de 2011
Assunto(s):ZoonosesLeishmanioseLeishmania infantumDoença de ChagasTrypanosoma cruziAnimais silvestres
Resumo
Os animais silvestres, tanto os de vida livre como os em cativeiro, podem ser reservatórios e portadores de zoonoses, tais como as leishmanioses visceral e cutânea, e a doença de Chagas. As leishmanioses são um grupo de doenças causadas por um protozoário pertencente à ordem Kinetoplastida, família Trypanosomatidae e gênero Leishmania. São zoonoses, que em geral apresentam clinicamente um caráter multifacetado e afetam o homem, além de várias espécies de animais silvestres e domésticos, nas mais diversas regiões do globo terrestre. No Brasil, os reservatórios da doença ainda não estão bem definidos. Vários animais silvestres, como raposas das espécies Lycalopex vetulus e Cerdocyon thous e marsupiais da espécie Didelphis albiventris têm sido encontrados naturalmente infectados pela Leishmania chagasi (L.chagasi), agente causador da leishmaniose visceral. A doença de Chagas, causada pelo Trypanosoma cruzi (T. cruzi), acomete o homem, bem como várias espécies de animais silvestres e domésticas, ocorrendo do sul dos Estados Unidos ao sul do continente. Assim como nas leishmanioses, as degradações ambientais e escassez de políticas sociais, associadas às migrações de populações rurais carentes para as periferias urbanas de forma desordenada e sem estrutura sanitária, associado à presença de reservatórios, propiciaram a transformação da doença de rural para domiciliar e peridomiciliar. Tendo em vista a importância da leishmaniose visceral e da doença de Chagas como zoonoses importantes em saúde pública, propusemo-nos estudar a ocorrência de L. chagasi e T. cruzi em animais silvestres provenientes do Centro de Conservação da Fauna Silvestre, município de Ilha Solteira (SP), assim como contribuir para o diagnóstico seguro dessas importantes zoonoses, associando-se as provas dignósticas da hemocultura em meio Liver Infusion Tryptose (LIT), sorologia pela técnica de ELISA por competição (C-ELISA) e a prova de Reação em Cadeia pela Polimerase (PCR) para L. chagasi e T.cruzi, a partir de amostras de sangue de 33 animais silvestres, de diferentes espécies, mantidos em cativeiro e de animais de vida livre, considerados reservatórios importantes de leishmanias e tripanossomatídeos, possibilitando a identificação dos animais realmente infectados e o verdadeiro papel destes no ciclo epidemiológico da leishmaniose e doença de Chagas. (AU)

Nanopartículas luminescentes para aplicação como marcadores biológicos

Beneficiário:Cláudia Akemi Kodaira Góes
Pesquisador responsável:Cláudia Akemi Kodaira Góes
Empresa:Lumintech Marcadores Ópticos Ltda
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunoquímica
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE
Processo:08/58268-0
Vigência: 01 de outubro de 2009 - 31 de março de 2010
Assunto(s):LuminescênciaNanopartículasBiomarcadores
Resumo
Seguindo a mesma linha de pesquisa da LuminTech, que desenvolve materiais contendo íons Terras Raras (TR), essa proposta apresenta como objetivo principal a obtenção de Marcadores Luminescentes contendo nanopartículas de TR para aplicação em ensaios bioanalíticos, principalmente para a detecção da LDL (Low Density Lipoprotein) e da Leishmaniose. A obtenção de nanopartículas de TR é de extrema importância pelo fato de aumentarem a sensibilidade das metodologias de detecção. Ensaios bioanalíticos são usados rotineiramente nas Ciências médicas e biológicas para aplicações em citologia, diagnósticos de doenças e monitoramento de drogas terapêuticas e drogas de abuso. Tais ensaios podem determinar a concentração ou presença de um ou mais analitos em células, soro, urina e outros fluidos biológicos, ou tecidos, em concentrações compreendendo a faixa de microgramas a picogramas/mililitro. O desenvolvimento desta tecnologia é de grande importância para que o Brasil tenha autossustentação no que se refere à tecnologia para ensaios biológicos. Além dos avanços científicos e tecnológicos esperados, o projeto terá um impacto positivo em termos de inovação. A proposta também contempla a divulgação da nanotecnologia em nossa cultura, permitindo que o país se aproxime das linhas de frente, em termos científico-tecnológicos, em relação às nações mais desenvolvidas. Como impacto social esperado, tem-se a introdução de novos recursos aplicados à medicina e ao meio ambiente, com o desenvolvimento de nanomarcadores biológicos aplicados ao diagnóstico. Vale salientar que hoje no Brasil todo o material utilizado neste tipo de diagnóstico é de origem internacional tornando estes exames inviáveis para o atendimento da população mais carente. Dessa maneira, o desenvolvimento desse projeto estaria colaborando com a melhoria da qualidade de vida da população brasileira. (AU)

Detecção de anticorpos anti-Leishmania chagasi em cães do município de São José do Rio Preto, São Paulo

Beneficiário:Mary Marcondes
Instituição: Faculdade de Odontologia (FOA). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araçatuba. Araçatuba, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Mary Marcondes
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Clínica e Cirurgia Animal
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:09/52334-4
Vigência: 01 de outubro de 2009 - 30 de setembro de 2011
Assunto(s):ImunocromatografiaCãesELISA
Resumo
A leishmaniose visceral é uma zoonose de caráter endêmico em várias regiões do Brasil com o primeiro caso canino autóctone, no estado de São Paulo identificado no ano de 1998 no município de Araçatuba. A partir desta data, houve uma expansão geográfica da enfermidade em várias regiões do Estado, principalmente nos municípios localizados ao longo da Rodovia Marechal Rondon. Até o ano de 2006, o inquérito epidemiológico canino identificou mais de 19000 cães infectados na região de Araçatuba e cerca de 900 casos da doença foram também confirmados em seres humanos. Historicamente sabe-se que a identificação de casos caninos precede o diagnóstico da doença em humanos em áreas endêmicas. Por este motivo o presente estudo tem por objetivo verificar a freqüência de ocorrência de anticorpos anti-L. chagasi no soro de cães provenientes do município de São José do Rio Preto, área não endêmica para leishmaniose visceral, onde já foram identificados casos caninos positivos. Serão coletadas amostras de soro de 600 cães residentes no município e todos os animais serão identificados quanto a possíveis deslocamento para áreas endêmicas, na tentativa de definir se os casos são autóctones ou não. A presença de anticorpos será pesquisada por reação de imunofluorescência indireta (RIFI), ensaio imunoenzimático (ELISA) e imunocromatografia. (AU)

Leishmaniose felina e sua associação com imunodeficiência viral, leucemia viral e toxoplasmose em gatos do município de aracatuba-sp

Beneficiário:Mary Marcondes
Instituição: Faculdade de Odontologia (FOA). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araçatuba. Araçatuba, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Mary Marcondes
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Clínica e Cirurgia Animal
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:09/52333-8
Vigência: 01 de outubro de 2009 - 30 de setembro de 2011
Assunto(s):GatosToxoplasma gondiiVírus da leucemia felina
Resumo
A leishmaniose visceral é uma zoonose cosmopolita. Esta enfermidade é endêmica nos cinco continentes, em 88 países, sendo que uma população de 350 milhões encontra-se em área de risco. Na América Latina, a leishmaniose visceral faz-se presente em 12 países, e 90% dos casos ocorrem no Brasil. O cão é considerado principal reservatório da doença, contudo, existem vários relatos da ocorrência de leishmaniose em felinos, no entanto, a literatura é escassa a despeito de sua pesquisa em associação às importantes enfermidades infecciosas, tais como a leucemia viral felina, imunodeficiência felina e toxoplasmose em populações de gatos em áreas endêmicas para leishmaniose. Desta forma, o presente estudo objetiva verificar a possível ocorrência da leishmaniose e a coinfecção com o vírus da leucemia felina (FeLV), o vírus da imunodefíciência felina (FIV) e Toxoplasma gondii, bem como determinar a espécie de leishmania envolvida. Para tanto, serão utilizados gatos coletados no período compreendido entre agosto de 2009 e julho de 2010 (estimando um total mínimo de 300 animais), adultos, independente do sexo, sintomáticos ou não. Será colhido sangue para detecção de anticorpos anti-Leishmania sp. por meio da técnica ELISA e, realizado citologia aspirativa por agulha fina (CAPAF) de linfonodos poplíteos e medula óssea, os quais serão avaliados microscopicamente para a presença de formas amastigotas de Leishmania sp. Nos animais parasitologicamente positivos, será feito um macerado de órgão (medula óssea ou linfonodo), o qual será inoculado por via intraperitoneal em hamsters. Caso desenvolva sintomas de leishmaniose, eles serão submetidos à eutanásia e fragmentos de órgãos ou de lesões de pele serão cultivados em meio RPMI e Schneider, com o objetivo de determinar a espécie de leishmania envolvida. O soro dos animais será testado ainda para a presença de anticorpos anti-vírus da leucemia felina, da imunodeficiência felina e anti-Toxoplasma sp. (AU)

Avaliação do uso do imunomodulador fosfolineato-palmitoleato de magnésio e amônio protéico no tratamento de cães sintomáticos com leishmaniose visceral

Beneficiário:Valéria Marçal Felix de Lima
Instituição: Faculdade de Odontologia (FOA). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araçatuba. Araçatuba, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Valéria Marçal Felix de Lima
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:09/50426-9
Vigência: 01 de outubro de 2009 - 31 de março de 2012
Assunto(s):Imunidade celularLeishmaniose visceral
Resumo
A Leishmaniose Visceral (LV) é uma zoonose crônica e, se não tratada, pode ser fatal. A LV canina constitui um grave problema de Saúde Pública, pois os animais infectados são potentes reservatórios, sendo mais prevalente em cães do que no homem. Por isso, o cão é um alvo importante nas medidas de controle. Os cães infectados apresentam imunidade celular diminuída e desenvolvem potente resposta humoral, que não é eficaz para eliminação do protozoário. A eutanásia de animais soropositivos é indicada, pois, nestes casos, a quimioterapia não é efetiva, sendo comum ocorrerem recidivas após o tratamento. Nos animais tratados, observa-se melhora clínica, mas não há completa eliminação do parasita, que pode infectar os flebótomos meses após o tratamento. Além disso, o uso de antimoniais humanos em animais pode selecionar cepas resistentes a estas drogas. Assim, é fundamental o estudo de novas alternativas para o tratamento de animais infectados que possam reduzir a incidência da doença em áreas endêmicas. O imunomodulador conhecido por MAPA é um agregado polimérico derivado de Aspergillus oryzae. Tal droga é capaz de estimular, em modelo experimental, a linfoproliferação e a produção de citocinas relacionadas à imunidade celular. Neste projeto, propomos o uso do MAPA no tratamento, duplo-cego, de cães sintomáticos para leishmaniose visceral, avaliando a remissão dos sinais clínicos, os parâmetros hematológicos e bioquímicos sérico, a quantificação da carga parasitária na pele, a avaliação das citocinas IL-2, IL-10 e IFN-gama em sobrenadante de cultura das células mononucleres de sangue periférico, antes e após o uso da droga. (AU)

Obtenção e avaliação da atividade in vitro de novas substâncias com potencial atividade leishmanicida

Beneficiário:Leandro De Santis Ferreira
Pesquisador responsável:Leandro De Santis Ferreira
Empresa:Lychnoflora Pesquisa e Desenvolvimento em Produtos Naturais Ltda (Lychnoflora)
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia - Farmacognosia
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE
Processo:08/55281-6
Vigência: 01 de agosto de 2009 - 31 de janeiro de 2010
Assunto(s):Leishmaniose cutâneaProdutos naturais
Resumo
O candidato irá atuar inicialmente na obtenção das lignanas tetrahidrofurâicas e benzofurânicas por isolamento, síntese ou semi-síntese, sua caracterização estrutural, além da padronização de metodologia analítica para análise quantitativa das Iignanas. Posteriormente, serão realizados testes, que também deverão ser padronizados, de citotoxicidade em cepas de L. major e/ou L. brasiliensis, e macrófagos normais e infectados pelos parasitas tratados com as lignanas. Todos estes ensaios biológicos in vitro apresentam como objetivo determinar quais são as Iignanas mais ativas contra Leishmania sp., o que pode direcionar o processo de isolamento, síntese e/ou semi-síntese de neolignanas. (AU)

Avaliação da expressão de MIF,iNOS e MHC-II em macrófagos de linfonodos de cães com leishmaniose visceral

Beneficiário:Rosemeri de Oliveira Vasconcelos
Instituição: Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias (FCAV). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Jaboticabal. Jaboticabal, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Rosemeri de Oliveira Vasconcelos
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Patologia Animal
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:09/07815-4
Vigência: 01 de agosto de 2009 - 31 de julho de 2011
Assunto(s):Patologia veterináriaImunopatologiaZoonosesLeishmaniose visceral animalLeishmania infantumCitocinas
Resumo
A Leishmaniose visceral (LV) é uma zoonose que alcançou grande destaque nos últimos tempos, pela sua crescente disseminação em várias regiões do Brasil, com menor expressão na região sul, talvez pelo clima frio, que é pouco favorável à sobrevivência do vetor. As áreas urbanas têm sido descritas como locais de grande incidência da doença no homem e no cão, comprovando que a doença deixou de ser exclusiva da zona rural ou de áreas próximas às matas. Problemas sociais tais como o aumento das condições de pobreza associado à falta de saneamento básico, juntamente com a migração do vetor flebotomíneo do ambiente silvestre para o urbano, favorecem a ocorrência da epidemia. Na região sudeste a LV iniciou em 1998 na região de Araçatuba (SP) e agora é descrita em vários municípios do interior de São Paulo e está em expansão na região centro-oeste. Os cães como principal reservatório doméstico do protozoário Leishmania (Leishmania) chagasi, são fonte de contaminação para o vetor Lutzomyia longipalpis, que consequentemente leva a infecção para o homem. Por esse fato é preconizada a eutanásia de cães soropositivos para o protozoário. A observação da evolução da doença nesses animais fica prejudicada e, portanto estudos que avaliem a resposta imune do cão contra a Leishmania são necessários para o entendimento da patogenia da doença. Neste estudo pretende-se avaliar a capacidade do macrófago de destruir as formas amastigotas intracitoplasmáticas de L. (L.) chagasi e de apresentar antígenos para linfócitos T, nos linfonodos de cães naturalmente infectados. Essa análise será feita pela identificação da expressão de iNOS, MHC-II e MIF, por meio da técnica de imunoistoquímica. (AU)

Pesquisa da ocorrência de infecção por Leishmania spp. e Plasmodium spp. em primatas neotropicais de vida livre e mantidos em cativeiro no Estado de São Paulo

Beneficiário:José Luiz Catão Dias
Instituição: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:José Luiz Catão Dias
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Patologia Animal
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:09/51466-4
Vigência: 01 de julho de 2009 - 31 de dezembro de 2011
Assunto(s):Animais de cativeiroPrimatasParasitose animalLeishmaniaLeishmanioseMaláriaPlasmodium
Resumo
Frente à possibilidade de dispersão de patógenos pelo manejo de populações de animais silvestres para locais onde estes não encontravam-se originalmente presentes, este projeto de pesquisa objetiva investigar a ocorrência de infecções causadas por Plasmodium spp.e Leishmania spp. em primatas neotropicais, mantidos em cativeiro em Centros de Triagem de Animais Silvestres (CETAS), bem como em espécimes de vida livre oriundos do resgate de fauna no entorno de uma Pequena Central Hidrelétrica localizada na Região de Mata Atlântica no Norte do Estado de São Paulo, antes de sua translocação para outra localidade. Os agentes parasitários a serem investigados são responsáveis por significativos processos zoonóticos que acometem humanos, animais domésticos e selvagens, com significativas perdas ambientais e econômicas. Amostras biológicas (sangue, punção de linfonodo, biópsia de pele) serão colhidas de acordo com padrões éticos e técnicas veterinárias rotineiras e submetidas para análise parasitária por diferentes métodos diagnósticos padronizados. Além disso, a investigação de anticorpos específicos no soro dos animais também será realizada. Espera-se que os resultados do projeto em tela subsidiem abordagens sanitárias pública e animal com relação aos Primatas Neotropicais existentes no Estado de São Paulo, assim como contribuam com os esforços conservacionistas referentes a este grupo de animais selvagens. (AU)

Otimização do diagnóstico laboratorial da histoplasmose em pacientes com AIDS

Beneficiário:Paulo Ricardo Criado
Instituição: Instituto de Medicina Tropical de São Paulo (IMT). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Paulo Ricardo Criado
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Saúde Coletiva - Saúde Pública
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:09/50362-0
Vigência: 01 de julho de 2009 - 30 de abril de 2012
Assunto(s):AIDSHistoplasmoseHIV
Resumo
A histoplasmose é micose sistêmica que apresenta ampla distribuição geográfica. O Histoplasma capsulatum não é regularmente um microrganismo oportunista, contudo, nas últimas décadas observou-se o aumento significativo de sua incidência em indivíduos imunocomprometidos. Nos pacientes HIV positivos, esta infecção sistêmica é geralmente grave e fatal e atinge principalmente, o sistema nervoso central e pulmonar. Os métodos atualmente utilizados para seu diagnóstico são pouco eficientes, reforçando a necessidade de implantação de técnicas diagnosticas de rápida execução e de grande acurácia. As técnicas de biologia molecular associam rapidez, sensibilidade e especificidade. Sendo assim, o objetivo deste estudo é detectar seqüências nas regiões do rDNA do H. capsulatum, que possam ser consideradas espécie-específica e que nos possibilite criar uma ferramenta biológica, como o diagnóstico molecular. Para tal, buscaremos em amostras de soro e sangue total e urina e líquor e tecidos a fresco e em biópsias parafinadas de lesões, regiões ITS rDNA espécie-específicas para o fungo. Avaliaremos amostras biológicas de seis grupos de indivíduos: Grupo I: constituído por 40 pacientes com co-infecção H. capsulatum/HIV, Grupo II: composto por 40 pacientes com HP; Grupo III: constituído por 40 amostras fúngicas isoladas de lesões de pacientes divididas da seguinte forma: Paracoccidioides brasiliensis (10); Cândida spp (10); Blastomyces dermatitides (10); Aspergillus spp (10), Grupo IV: composto por 40 pacientes portadores de infecções heterólogas (10 soros de paracoccidioidomicose e 10 soros de aspergilose, 10 soros de cryptococcose, 10 soros de leishmaniose), Grupo V: será de amostras de sangue, soro e de urina de 40 indivíduos sadios da população geral e o Grupo VI (controle - positivo) será constituído de nove cepas usadas como referência H.. capsulatum. A identificação das seqüências gênicas será obtida pelo método da Reação em Cadeia pela Polimerase (PCR) e pela técnica de seqüenciamento. Tendo em vista a importância desta doença no agravamento de enfermidades como AIDS, acreditamos que os resultados deste estudo vão nos prover um caminho mais eficiente para se obter o diagnóstico laboratorial da histoplasmoses. (AU)

American Collège of Veterinary internal Medicine fórum 2009

Beneficiário:Mary Marcondes
Instituição: Faculdade de Odontologia (FOA). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araçatuba. Araçatuba, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Mary Marcondes
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Clínica e Cirurgia Animal
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Reunião - Exterior
Processo:09/06114-2
Vigência: 04 de junho de 2009 - 06 de junho de 2009
Assunto(s):CãesImunoglobulinasLeishmaniose visceral

Etiologia e epidemiologia da leishmaniose tegumentar americana em Assis Brasil, Acre, Brasil

Beneficiário:Luís Marcelo Aranha Camargo
Instituição: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Luís Marcelo Aranha Camargo
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Parasitologia - Protozoologia de Parasitos
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:08/11319-0
Vigência: 01 de junho de 2009 - 31 de maio de 2011
Assunto(s):ParasitologiaAcreAmazôniaEpidemiologiaLeishmania
Resumo
A Leishmaniose Tegumentar Americana (LTA) é amplamente distribuída no continente americano tendo-se registros datados da era Pré-Colombiana de 400 a 900 anos d.C em cerâmicas de índios peruanos(NEVES et al., 2005).É primariamente uma zoonose de animais silvestres tendo o homem e animais domésticos como hospedeiros acidentais.É transmitidas através da picada de dípteros da família Psychodidae, subfamília Phlebotominae(CAMARGO &BARCINSKI, 2003). No Brasil a LTA ocorre em todos os estados, notando-se nos últimos anos um crescimento da doença na Região Norte, com 71,09 casos/100.000 habitantes, contrastando com os 14,02 casos/100.000 habitantes do Brasil em 2005, ou seja, 10.499 casos de um total de 26.014, representando 40,2% dos casos. Rondônia e Acre juntos notificaram quase 1/3 do total de 10.449 casos da região Norte. A exuberância da casuística de LTA na região Norte contrasta com a carência de informações sobre a endemia e sua epidemiologia, quase inexistentes para os estados do Acre e Rondônia, celeiros da parasitose. Há poucos trabalhos recentes relatando informações sobre a etiologia da parasitose e seus vetores. Gil, Basano, Camargo et al (2003) capturaram entre 1997 e 2000, 85.850 espécimes de flebotomíneos em Rondônia, sendo 14 novos registros para o estado, sendo P. davisi a espécie mais abundante (39,6% dos espécimes), seguido de L. whitmani (13,1%), P. carrerai (11,6%) e P. hirsutus (10,2%), com o isolamento de L.(V) naiffi.Shaw, Camargo, Basano et al (2007) identificaram 12 isolados de Rondônia entre 1997 e 2002, como sendo L. (V) braziliensis (7 espécimes), L.(V) lainsoni (1 espécime), L.(V) lainsoni-like (2 espécimes), L(V). guyanensis-like (1 espécime) e Leishmania do sub-gênero Viannia ainda não identificada e diferente das demais.Castilho, Camargo, McMahon-Pratt et al (2008) relatam o encontro de leishmânias dos sub-gêneros Leishmania (Leishmania) e Leishmania (Viannia) pela técnica da PCR em amostras de biópsias oriundas de Rondônia.Esta lacuna de informações, sem dúvida, dificulta a adoção de medidas de controle da endemia e na condução terapêutica dos pacientes.O caráter grandioso e dramático da endemia no município de Assis Brasil (1.450 casos/100.000 hab )chamou a atenção dos pesquisadores que elegeram a região para caracterizar a fauna flebotomínea e estudar sua epidemiologia, colaborando para preencher esta lacuna de informação e auxiliar no controle da endemia. (AU)

Ganho de escala na produção de violaceina para uso como antimalárico

Beneficiário:Nelson Eduardo Durán Caballero
Pesquisador responsável:Nelson Eduardo Durán Caballero
Empresa:Cabarello Consultoria em Tecnologia Científica Ltda. - ME
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia - Microbiologia Aplicada
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE
Processo:08/55286-8
Vigência: 01 de junho de 2009 - 31 de maio de 2010
Assunto(s):MaláriaBiotecnologiaNanopartículas
Resumo
As denominadas doenças negligenciadas, dentre as quais podemos citar doenças infecciosas tais como a malária e a leishmaniose, que afetam grandes contingentes populacionais como o Brasil e outros países em desenvolvimento, não têm recebido a devida atenção e investimentos adequados em pesquisa e desenvolvimento de produto por parte das grandes indústrias farmacêuticas, que priorizam seus esforços na criação de novos produtos para o tratamento de doenças que afetam parcelas populacionais de maior poder aquisitivo. Agravando este quadro, os parasitas responsáveis por tais doenças vêm apresentando crescente resistência aos poucos fármacos efetivos em uso. Por conta deste quadro que combina desinteresse das empresas internacionais, a ausência de novos produtos, com uma resistência crescente dos agentes causadores de doenças infecciosas aos produtos atualmente em uso, é de grande importância que as empresas nacionais venham a desenvolver novos medicamentos para combater estas enfermidades, preenchendo as lacunas tecnológicas e de mercado criado pela ausência de lançamento de novos produtos por parte das grandes empresas farmacêuticas Este projeto visa o aumento de escala de produção, bem como o desenvolvimento de novas formulações utilizando a nanobiotecnologia, para um produto natural denominado Violaceína, que se revelou um potente composto antimalárico, recentemente demonstrado como tal pelo nosso grupo. Os impactos sociais, econômicos, científicos e tecnológicos gerados por este projeto serão de alta relevância, pois além de desenvolver e tomar disponível um fármaco com amplas possibilidades de uso como antimalárico e de baixo custo final. Suprindo a demanda de mercado por novos produtos, as novas tecnologias desenvolvidas no campo da nanobiotecnologia incorporadas a produtos farmacêuticos, serão de domínio de empresas e centros de pesquisa brasileiros. A otimização da produção, incluindo o aumento de escala de produção, melhorias nas técnicas de purificação e estudos de viabilidade econômica da Violaceína são os objetivos iniciais principais deste projeto (F ASE I). As novas formulações da Violaceína que serão desenvolvidas no âmbito deste projeto, em etapa mais avançada, serão nanopartículas obtidas a partir de polímeros biodegradáveis, bem como nanopartículas lipídicas sólidas na forma de nanoemulsões (FASE II). Os objetivos tecnológicos e terapêuticos desejados com o desenvolvimento de novas formulações utilizando nanopartículas serão o aumento de eficiência da Violaceína, visando à diminuição de doses a serem utilizadas no tratamento da malária, ocasionando impactos significativos em termos de eficiência do tratamento, aumento de adesão dos pacientes aos tratamentos e finalmente diminuição de custos associados ao tratamento. (AU)

Produção dos fatores estimuladores de colônias de granulócitos (G-CSF) e de granulócitos e macrófagos (GM-CSF) humanos recombinantes por engenharia genética para a geração de biofármacos

Beneficiário:Ana Claudia Oliveira Carreira
Pesquisador responsável:Ana Claudia Oliveira Carreira
Empresa:Farmacore Biotecnologia Ltda (FARMACORE)
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Biologia Molecular
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE
Processo:08/03030-0
Vigência: 01 de junho de 2009 - 31 de maio de 2011
Assunto(s):BiofarmacologiaLinhagem celularFator estimulador de colônias de granulócitosMacrófagosCitocinas
Resumo
Neste projeto propõe-se a geração de linhagens celulares superprodutoras dos fatores estimuladores de colônias de granulócitos (G-CSF) e de granulócitos/macrófagos (GM-CSF) humanos recombinantes, produção de lote piloto e formulação dos produtos em sistemas micro/nanoparticulados de liberação controlada visando utilização como biofármacos no Brasil. Estes fatores peptídicos são amplamente utilizados para tratamentos de deficiência de glóbulos brancos, quimioterapia de pacientes portadores de AIDS e/ou câncer, transplante de medula óssea, aumento do número de células tronco hematopoiéticas em transplantes, degeneração cardíaca e pós-infarto e tratamento de leishmaniose cutânea severa. Para tanto, será utilizada a linhagem celular CHO-DG44 de ovário de hamster chinês, que é amplamente utilizada para a produção de proteínas humanas de interesse terapêutico, e a linhagem celular humana 293-F. O rhG-CSF e rhGM-CSF serão obtidos através da clonagem de seus cDNAs, no vetor bicistrônico pIQ-ID, construído no NUCEL-LBCM, para expressão através de transfecção estável de CHO-DG44 e otimização do rendimento através de cultura em suspensão em meio livre de soro. Será utilizada a estratégia de co-amplificação do locus gênico de interesse e do gene dhfr e seleção dos recombinantes com maior número de cópias por célula com metotrexato (MTX),que tem sido utilizada pelo grupo NUCEL, com grande sucesso, para a produção dos fatores de coagulação VIII e IX. Os cDNAs serão clonados, também, no vetor comercial pcDNA3.3-TOPO TA para expressão transitória em células 293-F de rim embrionário humano, através do sistema de expressão FreeStyleTM 293 Expression System. Os produtos serão purificados para caracterização funcional e estrutural, através de ensaios bioquímicos, medidas de atividade biológica in vitro e in vitro, presença de sítios de N- e O-glicosilação e degradação protéica. Os clones superprodutores serão adaptados para crescimento em suspensão em meio sintético específico, visando o escalonamento da produção em biorreatores. Sistemas de liberação controlada nanoencapsulados serão testados para determinar o mais adequado para maior retenção na circulação do paciente. (AU)
176 resultado(s)
|
Exportar 0 registro(s) selecionado(s) | Limpar seleção
CDi/FAPESP - Centro de Documentação e Informação da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo

R. Pio XI, 1500 - Alto da Lapa - CEP 05468-901 - São Paulo/SP - Brasil
cdi@fapesp.br - Converse com a FAPESP