site da FAPESP
 

Refine sua pesquisa

Pesquisa
  • Uma ou mais palavras adicionais
Publicações científicas
Auxílios à Pesquisa
Bolsas
Programas voltados a Temas Específicos
Programas de Pesquisa direcionados à Aplicação
Programas de Infraestrutura de Pesquisa
Área do conhecimento
Situação
Ano de início
Página 8 de 8.786 resultado(s)
|

Os filhos da migração transnacional: novas estruturas familiares e a educação das crianças em Governador Valadares

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Centro de Educação e Ciências Humanas (CECH). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Igor José de Renó Machado
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Antropologia - Antropologia Urbana
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:08/10807-0
Vigência: 01 de dezembro de 2008 - 30 de novembro de 2009
Assunto(s):ParentescoFamíliaImigração
Resumo
A migração transnacional é, hoje, questão de amplo debate nas mais diferentes esferas. O trabalho "Os filhos da migração transnacional: novas estruturas familiares e a educação das crianças na região de Governador Valadares" propõe discutir as implicações deste fenômeno na vida das crianças, filhas de emigrantes, no que diz respeito às reestruturações familiares, à maneira como estas encaram a decisão dos pais e à forma com que lidam com a saudade do pai e/ou mãe ausentes. A partir da realização do trabalho de campo na cidade de Governador Valadares-MG-conhecida pelos altos índices de emigração (estima-se que 15% de seus 260.000 habitantes estejam no exterior)-obteve-se como dado para análise entrevistas feitas com parentes de emigrantes e a descrição densa da observação em campo contida no diário.À luz das novas teorias que revisam as noções clássicas de parentesco, as "novas conectividades" e das teorias que tratam do transnacionalismo pode-se afirmar que o fenômeno migratório, visto como uma recorrência na sociedade valadarense, produz mais do que reestruturações familiares e investimentos econômicos. Acontece também, em Governador Valadares, o desenvolvimento de outras formas de sentir: muitas vezes a saudade é compensada por presentes-que "corporificam" a imagem dos ausentes-e, ainda é sublimada pelo advento dos novos meios de comunicação como a internet que coloca em contato, em tempo real, pessoas em diferentes partes do planeta.Pretende-se, com este projeto, estudar o ponto de vista das crianças sobre o fenômeno da emigração das famílias de Governador Valadares para Portugal e/ou EUA-ou ainda outros países. O objetivo geral é analisar o tipo de vida que levam as crianças das famílias que têm seus parentes (pai, mãe ou ambos) separados fisicamente entre países diferentes por longos períodos.Os objetivos secundários são:*Verificar como as famílias escolhem as estratégias de educação dos filhos: em que casas vão ficar, com que condições econômicas, com quais membros das famílias etc.;*Verificar como os filhos percebem as estratégias que seus pais escolhem para eles;*Analisar se há distinções entre os arranjos familiares para educação dos filhos conforme o país de destino da emigração dos pais/de um dos pais;*Analisar quais são as estratégias tomadas pelas crianças ao lidar com os sentimentos conseqüentes da ausência dos pais, como a saudade, por exemplo. (AU)

Conectividades e totemismo: o sentimento de pertença à família no contexto migratório de Governador Valadares

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Centro de Educação e Ciências Humanas (CECH). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Igor José de Renó Machado
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Antropologia - Antropologia Urbana
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:08/10689-8
Vigência: 01 de dezembro de 2008 - 30 de novembro de 2009
Assunto(s):ParentescoTotemismoImigraçãoFamíliaConsumo
Resumo
Pesquisas na região leste de Minas Gerais mostraram o potencial, particularmente da cidade de Governador Valadares para uma análise dos fluxos migratórios brasileiros e, conseqüentemente, das mudanças estruturais da sociedade em questão ocasionadas por esses. São essas mudanças, principalmente no âmbito da instituição familiar, que moldam o objeto desse projeto de pesquisa, vinculando as transformações desencadeadas pelo processo de migração às noções de totemismo e de parentesco (ou, atualmente, conectividade). As reflexões atuais sobre o parentesco para a sociedade ocidental têm sofrido transformações a partir da obra de Schneider (1984). A evolução das idéias do autor propõe uma alteração no vocabulário, falando agora em conectividade . Para as famílias envolvidas no processo de migração, o parentesco é reordenado, uma vez que com a ausência de um membro do núcleo familiar cessam os contatos físicos e imediatos. Segundo Machado (2006), o envio de remessas de dinheiro do exterior assume relevância no contexto familiar, sendo que esse envio atua como substituto das relações de parentesco local. Para além dessa análise, este projeto pretende estudar os bens, duráveis ou não, que são resultados diretos desse envio. Nossa hipótese é a de que os bens de consumo exprimem, por um lado, um sentimento de pertença à instituição familiar e, por outro, o sucesso do projeto de migração idealizado, organizado e desenvolvido pela família valadarense. Esse processo, portanto, parece-nos se tratar de um modelo lógico de totemismo.Além dos bens que, sendo fruto das remessas de dinheiro, reordenam o parentesco local, a casa - como espaço físico que é pré-requisito para a instituição de uma Casa, esta última no sentido da centralidade das relações da família - também está diretamente atrelada às problemáticas que a bibliografia conduz. A hipótese aqui é a de que a casa é o totem maior, vinculada - como os bens - ao sentimento de pertença a instituição familiar e, agora, atuante como "operador de diferenças" no contexto dos bairros pobres da cidade, uma vez que ao retornar para o Brasil, o ex-emigrante valadarense se restabelece no bairro de origem. (AU)

Autonomia e liberdade de escolha em planejamento familiar na Região Metropolitana de Campinas: experiência dos usuários, percepção dos gestores e profissionais do SUS

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Centro de Pesquisas em Saúde Reprodutiva de Campinas (CEMICAMP). Campinas, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Maria José Martins Duarte Osis
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Saúde Materno-infantil
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:06/07123-7
Vigência: 01 de novembro de 2007 - 31 de outubro de 2009
Resumo
Introdução: Para que a opção por um método anticoncepcional (MAC) seja livre e informada, além da variedade, também é necessário ter um número suficiente de alternativas oferecidas, levando-se em conta as características intrínsecas de cada pessoa e a demanda local. Além disso, para que as pessoas, de fato, possam escolher livremente, a informação científica que lhes é dada acerca dos MAC é de grande relevância Objetivo: Avaliar a oferta de ações educativas em planejamento familiar nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) da Região Metropolitana de Campinas (RMC) e a percepção de gestores e profissionais envolvidos na assistência quanto às dificuldades enfrentadas e às possíveis soluções, bem como a experiência de usuários (as) das UBS em relação às ações educativas em planejamento familiar. Métodos: Será realizado um estudo descritivo utilizando duas abordagens: quantitativa e qualitativa. Na abordagem quantitativa, serão convidados a participar do estudo todos os (as) Coordenadores (as) de Saúde da Mulher e das UBS e/ ou equipes de saúde da família dos 19 municípios da RMC. Também será tomada uma amostra de conveniência de usuários(as) (entre 18 e 50 anos) dessas UBS. Para a abordagem qualitativa, será feita uma amostra proposital (PATTON, 1990) de municípios. Com base nos resultados quantitativos obtidos das entrevistas com gestores (coordenadores municipais, de UBS e/ou equipes de saúde da família) os municípios serão categorizados naqueles em que a oferta de ações educativas ocorre em toda a rede básica e naqueles em que as ações estão centralizadas em algumas UBS, equipes de saúde da família e/ou Centros de Referência/ Ambulatórios de Planejamento Familiar. Em cada grupo, serão selecionados quatro municípios, nos quais serão selecionadas propositalmente duas UBS ou equipes de saúde da família e o Centro de Referência/ Ambulatório de Planejamento familiar, caso houver. Serão entrevistados os profissionais envolvidos com as ações educativas ou que atendem planejamento familiar, quando o serviço não realizar de rotina esse tipo de ação. Processamento e análise dos dados: Os dados coletados através dos questionários serão duplamente digitados, por pessoas distintas. Será utilizado o software Statistical Package for Social Sciences – PC (SPSS-PC), com seu módulo de entrada de dados (Data Entry). As entrevistas semi-estruturadas serão transcritas, e o texto correspondente a cada entrevista será inserido no computador utilizando o software The Ethnograph V. 5.0. Será realizada análise temática do conteúdo das entrevistas. (AU)

Escravidão e família escrava na Zona da Mata mineira oitocentista (título provisório)

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Robert Wayne Andrew Slenes
Área do conhecimento:Ciências Humanas - História - História do Brasil
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Livros no Brasil
Processo:13/01836-5
Vigência: 01 de maio de 2013 - 30 de abril de 2014
Assunto(s):EscravidãoHistória do Brasil Império
Resumo
O objetivo deste trabalho é estudar as relações familiares e de parentesco dos escravos em Juiz de Fora, região de plantation na Zona da Mata Mineira, no decorrer dos oitocentos. Para tanto, foi feito o intercruzamento de fontes variadas relativas aos mesmos grupos de cativos pertencentes a três famílias abastadas, procurando sempre que possível acompanhar esses escravizados ao longo do tempo. Houve a preocupação de investigar as famílias senhoriais proprietárias desses cativos. Analisamos como se deu a manutenção e/ou a ampliação das posses cativas, se por meio do tráfico e/ou da reprodução natural, fatores que influenciavam a formação das famílias escravas. Da mesma forma, procuramos avançar um pouco mais na compreensão das relações familiares dos cativos e de sua estabilidade, bem como na avaliação da importância da família escrava para os projetos de obtenção da liberdade por meio da alforria. (AU)

Avaliação do impacto da mediação familiar como método de intervenção em situações de violência intrafamiliar

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Núcleo de Estudos da População (NEPO). Coordenadoria de Centros e Núcleos Disciplinares (COCEN). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Maria Coleta Ferreira Albino de Oliveira
Instituição parceira: Pró-Mulher, Família e Cidadania (PMFC)
Área do conhecimento:Ciências Sociais Aplicadas - Demografia - Nupcialidade e Família
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa em Políticas Públicas
Processo:00/13722-4
Vigência: 01 de julho de 2002 - 31 de dezembro de 2007
Publicação FAPESP sobre o auxílio:http://media.fapesp.br/bv/uploads/pdfs/Pesquisa...publicas_61_68_68.pdf
Assunto(s):Coeficiente de nupcialidadeFamíliaViolência domésticaPolíticas públicas
Resumo
Desde a década de 80 a violência intrafamiliar ganha destaque, passando a fazer parte de uma agenda internacional para seu combate. Há indicações de que a violência doméstica repercute sobre a incidência da violência em outros âmbitos, como a violência urbana, por exemplo. As inadequações das atuais políticas públicas agravam este quadro. Práticas pontuais, assistencialistas ou de confinamento (políticas de abrigamento, sistema carcerário, etc.) têm se mostrado ineficazes, pois abordam apenas parte do problema, não oferecendo formas alternativas para a resolução dos conflitos. Políticas de segmentação da família, com programas isolados para mulheres e crianças, e a exclusão da figura paterna, ratificam uma visão conservadora da sociedade, que responsabiliza a mãe e impede a inserção do pai na relação com sua prole. Este cenário coloca a necessidade de formulação de modelos de intervenção em situações de violência intrafamiliar que privilegiem o conceito de relações de gênero, e que sejam capazes de questionar os modelos de conduta baseados nas relações de poder e leve em consideração as novas formas de organização familiar. O método da Mediação Familiar; modelo de intervenção adotado pelo Pró-Mulher, Família e Cidadania em 1993; tem se mostrado como opção adequada na resolução de conflitos intrafamiliares. Ao facilitar a comunicação entre as partes em conflito, desenvolve a capacidade de reflexão, de escuta, de expressão das partes, estimulando o exercício da autodeterminação, desenvolvendo autoestima e os direitos individuais e coletivos. Não há, no entanto, uma avaliação sistemática do impacto do método na redução da violência intrafamiliar. A pesquisa propõe a avaliação do método e de seu impacto na redução da violência intrafamiliar a curto e médio prazos. Acredita-se que resultados satisfatórios podem subsidiar a extensão deste método, como proposta de política pública, as várias instituições públicas do estado de São Paulo que se defronta com o gerenciamento de conflitos, como a escola, a secretaria de assistência e desenvolvimento social, os conselhos tutelares e dos direitos da criança e do adolescente. Pretende-se mapear o perfil das famílias atendidas pela instituição parceira, em especial aquelas que apresentam queixas de violência doméstica. Em um segundo momento, pretende-se acompanhar a aplicação da Mediação Familiar e seus resultados imediatos e no médio prazo e, por fim, oferecer treinamento a profissionais interessados e acompanhar a sua implementação. (AU)

Estudo molecular em portadores de gagueira familial

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Danilo Moretti Ferreira
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Humana e Médica
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:07/02561-9
Vigência: 01 de junho de 2008 - 30 de setembro de 2010
Resumo
A gagueira é um distúrbio da comunicação, mais especificamente da fluência, onde há interrupções e alterações na velocidade do fluxo da fala. Esta é uma condição complexa que vem sendo estudada desde a década de 50, e acomete de 3 a 4% dos indivíduos do sexo masculino e de 1 a 2% do sexo feminino, em algum momento de suas vidas. Sua freqüência pode variar de acordo com a idade de 1% de crianças em idade escolar, em 2,4% de crianças em idade pré-escolar e chegar a 15% entre os 4 e 6 anos. Em adultos estima-se que de 1 a 2% sofram com este distúrbio. Referências à agregação familial de gagueira e à gagueira familial têm aparecido na literatura há mais de 50 anos.Recentemente foi realizada uma triagem genômica em famílias de gagos provenientes da América do Norte e da Europa e foi demonstrada a existência de um lócus de predisposição a gagueira familial no cromossomo 18 envolvendo a região 18p e um segundo lócus na região 18q proximal. Estes estudos sugerem a existência de heterogeneidade genética em diferentes populações além de fatores adicionais. O gene SPCH1, localizado na região 7q31, quando alterado, parece ser o responsável pelo desenvolvimento anormal de estruturas neurais, ligadas diretamente ao desenvolvimento da fala e linguagem. Esta região é também relacionada com o desenvolvimento de autismo. Desta forma, a região 7q31, do cromossomo 7 é candidata a realização de estudos com indivíduos gagos.Assim, neste trabalho também é proposto aprofundar as análises do braço curto do cromossomo 18 iniciada por Costa (2005) e, além disso, analisar a região proximal do braço longo do cromossomo 18 como possíveis regiões candidatas à gagueira familial.Para isso estudaremos 25 núcleos com gagueira familial de parentesco natural de indivíduos gagos, dos quais 15 destes foram selecionados em estudos preliminares de Oliveira (2004) e Costa (2005) e que dispõem de 92 indivíduos (48 afetados e 44 normais) e 10 núcleos familiais que serão incluídos nesta amostra seguindo os mesmos critérios de seleção provenientes das clínicas escolas – Centro de Estudos da Educação e da Saúde (CEES-UNESP – Marília - SP) e no curso de Fonoaudiologia (CEPRE/IEL/FCM-UNICAMP – Campinas - SP) selecionados independente do número de membros da família, sem distinção de sexo, raça, escolaridade e nível sócio-econômico-cultural. (AU)

Avaliação das condições físicas e psíquicas dos pacientes e familiares após a alta da UTI: análise das diferenças entre pacientes oncológicos e não oncológicos

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Hospital Sírio-Libanês. Sociedade Beneficente de Senhoras (SBSHSL). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Renata Rego Lins Fumis
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Saúde Coletiva - Medicina Preventiva
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Apoio a Jovens Pesquisadores
Processo:11/05672-1
Vigência: 01 de março de 2011 - 18 de janeiro de 2015
Resumo
Os pacientes internados em UTI passam por uma experiência de grande potencial traumático, podendo desenvolver quadros emocionais graves, incluindo o transtorno de estresse pós-traumático, cuja incidência chega a ser superior a 60% conforme dados da literatura. Estas experiências repercutem de forma prejudicial na reabilitação do paciente. Do mesmo modo, a literatura revela o sofrimento dos familiares que acompanham seus entes queridos na UTI. Somando a isto, o diagnóstico de câncer é um evento traumático com significativo impacto para os pacientes e familiares, podendo causar respostas como choque, incertezas, ansiedade e depressão, entre outros problemas. Observa-se que enquanto a literatura estrangeira ressalta a magnitude deste problema, há muito pouco conhecimento dentro da realidade brasileira. Embora fique claro a existência do estresse pós-traumático em pacientes e familiares que estiveram internados em UTI, não há trabalho referindo-se a diferenças entre pacientes oncológicos e não oncológicos após alta da UTI, salientando que a população de pacientes portadores de câncer vem aumentando nas UTIs em geral. Além disso, a capacidade funcional, a autonomia dos pacientes após alta da UTI, bem como as reinternações são aspectos relevantes. O objetivo deste estudo é avaliar a incidência do transtorno de estresse pós-traumático, ansiedade e depressão em pacientes e familiares, ressaltando as diferenças entre pacientes oncológicos e não oncológicos e fatores associados; avaliar as reinternações durante três meses após alta da UTI. A população alvo deste projeto constitui de 500 pacientes e familiares consecutivos internados na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Sírio Libanês em São Paulo, com tempo de internação maior ou igual a 48 horas, maior de 18 anos, ambos os sexos. Os pacientes e seus respectivos familiares serão divididos em dois grupos: oncológicos e não oncológicos. Serão coletados os dados referentes aos aspectos clínicos e demográficos dos pacientes, mensurados critérios de gravidade através de questionários estabelecidos na literatura e dados de seu familiar. Os instrumentos escolhidos para avaliação são os seguintes: IES, para avaliar estresse pós-traumático; HADS, para avaliar ansiedade e depressão; AVD para avaliar a atividade de vida diária; SF-36 (parte) para avaliar a saúde do paciente; CCFNI para avaliar a satisfação dos familiares eFS34 para avaliar a satisfação com as tomadas de decisões na UTI. (AU)

Arranjos familiares e sociabilidade moderna: um estudo sobre a dinâmica familiar de crianças com alterações de desenvolvimento

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Adriana Lia Friszman de Laplane
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Educação - Tópicos Específicos de Educação
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:09/09067-5
Vigência: 01 de janeiro de 2010 - 31 de dezembro de 2010
Assunto(s):Educação especialDesenvolvimento infantil
Resumo
As mudanças nos arranjos familiares têm ganhado destaque nas últimas décadas. A incorporação de práticas sociais e culturais que configuram novos tipos de sociabilidade e as alterações ocorridas principalmente no papel da mulher e de sua representação nas famílias, mas também no papel do homem, são alguns dos fatores responsáveis por esse processo.Considerando que a família representa o primeiro universo de relações da criança e, portanto, tem um papel importante no desenvolvimento do indivíduo, o presente estudo visa à compreensão dessas mudanças em famílias que possuem um membro (filho/a) com alterações no desenvolvimento em relação aos padrões socialmente esperados de linguagem, interação social e comportamento. Para isso o estudo enfocará as práticas cotidianas e os modos de organização de famílias que recebem atendimento psicológico, fonoaudiológico e/ou educacional no Centro de Estudos e Pesquisas em Reabilitação Dr. Gabriel Porto, pertencente à Faculdade de Ciências Médicas da Unicamp. A pesquisa se debruça sobre os modos de sociabilidade, relações pais/filhos, regras de convivência, autoridade e educação (dentre outros) e se propõe a investigar os fatores que colaboram para configurar as dinâmicas e as práticas que caracterizam esse grupo particular de famílias. (AU)

A tuberculose no interior das famílias : uma análise sobre seu conhecimento, atitudes e estigma relacionados à doença

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto (EERP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Ricardo Alexandre Arcêncio
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Enfermagem - Enfermagem de Saúde Pública
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Processo:11/16717-6
Vigência: 01 de março de 2012 - 31 de agosto de 2013
Assunto(s):TuberculoseConhecimentoEstigma
Resumo
No campo da saúde, há um consenso sobre a relevância das famílias no manejo do cuidado. No contexto da tuberculose (TB), a inclusão das famílias representa uma fonte de estímulo e a possibilidade da construção de um novo horizonte para os doentes de TB. Nesse sentido propõe-se analisar o conhecimento, atitudes e estigma relacionados à Tuberculose em famílias de pacientes diagnosticados dessa doença no município de Ribeirão Preto-SP. Trata-se de um estudo epidemiológico descritivo. A amostra do estudo foi composta de famílias de pacientes diagnosticados de tuberculose entre 01 de janeiro a 31 de julho de 2011. Será utilizado um questionário pré-testado e validado, com questões abertas e fechadas. As questões obedecem a uma ordem seqüencial, agrupadas de acordo com as variáveis dependentes sob estudo, sendo elas: caracterização individual, informações clínico-epidemiológicas, conhecimento sobre tuberculose e a escala de atitudes e estigma. No plano de análise, para as questões fechadas será aplicada a regressão logística não condicional, teste qui-quadrado para comparação das freqüências e Análise de Correspondência Múltipla (ACM). No que tange às questões abertas, proceder-se-á análise de conteúdo modalidade temática. Espera-se que o estudo contribua na inovação das práticas de atenção à TB, pela valorização das famílias no cuidado ao doente de tuberculose. (AU)

Identificação das necessidades e proposta de intervenção nos problemas de saúde mental e uso de drogas psicoativas em população usuária de Programa Saúde da Família (PSF) do município de Ribeirão Preto-SP

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto (EERP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Margarita Antonia Villar Luis
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Enfermagem - Enfermagem Psiquiátrica
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Processo:14/13363-7
Vigência: 01 de agosto de 2014 - 31 de março de 2015
Convênio/Acordo de cooperação com a FAPESP: CNPq - PPSUS
Assunto(s):Saúde mentalAtenção primária à saúdeSaúde da família
Resumo
Trata-se de uma pesquisa comunitária com vistas a levantar e intervir sobre problemas de saúde mental e uso de álcool e drogas na população atendida pela Estratégia de Saúde da Família (ESF). Tal estudo considera que os problemas de saúde mental e o uso abusivo e dependência de álcool e outras drogas são ainda um problema de saúde pouco dimensionado no município de Ribeirão Preto, assim, se propôs a primeira etapa com vistas a auxiliar no diagnóstico de tais problemáticas na Região Oeste de Saúde do município, zona de abrangência da Universidade de São Paulo. Na etapa que se seguirá serão realizadas as intervenções e a avaliação dos resultados das mesmas. Quanto aos objetivos específicos do estudo, dimensionou-se: 1)Identificar a ocorrência de problemas mentais e abuso e dependência de drogas, entre as famílias cadastradas nas equipes de ESF ligadas a USP - Zona oeste; 2)Rastrear os fatores de risco para o abuso e dependência de drogas psicoativas; 3) Implementar propostas de intervenção para familiares que relatam ter membros com problemas de saúde mental e para familiares com membros usuários de drogas psicoativas; 4)Implementar proposta de intervenção para os usuários de drogas psicoativas licitas e ilícitas; 5) Capacitar os profissionais do Núcleo de Saúde da Família onde serão realizadas as intervenções; 6) Avaliar a efetividade das intervenções no intuito de estender a proposta aos demais Núcleos da Região. As atividades desta pesquisa foram e estão sendo desenvolvidas nos Núcleos de Saúde da Família (NSF) da região Oeste. A fase de diagnóstico foi realizada nos 5 Núcleos de Saúde da Família no intuito de identificar as famílias cadastradas que apresentam problemas de saúde mental ou de uso de álcool e outras drogas psicoativas; foram já concluídas a primeira etapa das visitas às famílias para identificação e rastreamento de problemas e de fontes de apoio e encontra-se em fase de conclusão a visitas familiares para aplicação dos instrumentos Self Report Questionnaire (SRQ-20), Social Support Questionnaire (SSQ), Satisfação com Suporte (SSQ-S). Outra fase que se considera concluído é o trabalho desenvolvido junto aos Agentes Comunitários de Saúde (ACS). A fase de intervenção é a que se seguirá no segundo semestre de 2014, onde se realizará intervenção breve em pacientes com escore moderado e alto no ASSIST e haverá capacitação dos profissionais de saúde para dar continuidade a esse trabalho; os familiares/cuidadores e profissionais do serviço serão ainda convidados a participarem de um curso de Técnica de Solução de Problemas. A fase de avaliação será realizada um e seis meses após a fase de intervenção, sendo reaplicados os instrumentos de rastreamento; será realizada ainda entrevista individual para verificação do alcance dos objetivos previstos. Os dados serão tratados e analisados utilizando o SPSS (versão 16.0) e às informações obtidas mediante entrevista, serão trabalhadas através do Alceste. (AU)

Prevenção de quedas e desabilidades em idosos no âmbito da estratégia de saúde da família

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Lilian Tereza Lavras Costallat
Instituição parceira: Secretaria Municipal de Saúde (Amparo)
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa em Políticas Públicas
Processo:03/06428-0
Vigência: 01 de abril de 2004 - 30 de setembro de 2007
Publicação FAPESP sobre o auxílio:http://media.fapesp.br/bv/uploads/pdfs/Pesquisa...publicas_135_115_115.pdf
Assunto(s):Saúde do idosoSaúde da famíliaAcidentes por quedasAmparo (SP)
Resumo
A queda é o maior problema de saúde entre os idosos. Anualmente um em cada três idosos cai, destes, cerca de 20 a 30% permanecem com lesões moderadas ou graves que resultaram em diminuição da mobilidade, da independência e aumento do risco de hospitalização e de morte prematura. Pretendemos avaliar as características dos indivíduos acima de 60 anos de idade cadastrados em uma unidade das 10 Unidades de Saúde da Família do município de Amparo com relação a sua percepção da queda, a presença de fatores de risco e a disponibilidade para participar de um programa preventivo. Para tanto disporemos de 7 agentes comunitários de saúde que serão capacitados para a aplicação dos protocolos estabelecidos. Os protocolos 1, 2, 3 e 4 (questionário demográfico; avaliação da casa e fatores de risco para queda; determinação da capacidade funcional; e história da queda) serão aplicados durante a visita domiciliar, segundo uma amostra randomizada. Os idosos visitados serão convidados a comparecer a unidade de saúde da família onde será realizado os protocolos 5 e 6 (história médica e medicações que esta usando hoje e SF 36 - qualidade de vida relacionada à saúde). Além dos questionários já mencionados serão realizados exames de audição e visão. Assim sendo, esta fase servirá para complementar o levantamento bibliográfico; consolidar a parceria com o gestor, coordenadores e equipe de saúde da família do município de Amparo; aprofundar a discussão metodológica, realizar um estudo preliminar sobre a viabilidade da proposta; capacitar à equipe local de saúde da família e os pesquisadores, incluindo os residentes e tutores de saúde da família envolvidos no projeto; avaliar a adequação e adaptar os protocolos citados na literatura internacional, visando identificar, caracterizar a casuística, os fatores de risco e os fatores culturais associados à queda. (AU)

Comunidades de Aprendizagem: participação escolar: comparando contextos Brasil - Espanha

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Centro de Educação e Ciências Humanas (CECH). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Roseli Rodrigues de Mello
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Educação - Ensino-aprendizagem
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Processo:03/12398-7
Vigência: 01 de maio de 2004 - 30 de abril de 2007
Assunto(s):Participação socialAprendizagem escolarPeriferiaRelação escola-família
Resumo
O objetivo desse projeto é analisar as mudanças ocorridas na relação entre familiares e profissionais da escola de periferia urbana, bem como na aprendizagem das crianças após o ingresso da escola no projeto de Comunidades de Aprendizagem (C. A). Tendo já investigado, na pesquisa de mestrado, propostas de aproximação entre familiares e escola sugeridas por mães, pais, professor e professora, foi possível perceber que existem muitas maneiras de se realizar esta aproximação (palestras, participação dos familiares dentro da sala de aula etc.) dentro de uma perspectiva de trabalho conjunto e de diálogo, em que todos estejam envolvidos para a melhoria da aprendizagem de seus filhos e filhas. Mas, para isto ocorrer, torna-se necessário que a escola "abandone" sua postura de um falar para ou um falar por, que muitas vezes assume, para um falar com (FREIRE, 2001). É nesta perspectiva que se apresenta o projeto de C. A, como uma alternativa de construção de uma relação mais dialógica entre familiares, profissionais da educação e alunos de grupos de periferia urbana (MELLO, 2002). Para tanto, esse estudo prevê a realização de observações e entrevistas com a direção, a coordenação, três familiares e três professores de duas escolas que estejam inseridas no projeto de C. A, com o intuito de buscar, nas suas falas, de maneira mais enfática, como veem a relação família-escola e quais foram às principais mudanças ocasionadas pelo projeto de C. A. nesta relação e na aprendizagem das crianças. (AU)

Percepção dos profissionais de uma equipe de saúde da família sobre a concepção e formas de reconhecimento das necessidades de saúde

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto (EERP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Maria José Bistafa Pereira
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Enfermagem - Enfermagem de Saúde Pública
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:07/59902-2
Vigência: 01 de abril de 2008 - 30 de novembro de 2008
Assunto(s):Saúde da família
Resumo
As exigências por mudanças no modelo assistencial e organizacional da saúde, que deverá ser reorganizado pautado nos princípios da atenção básica em saúde, precisarão recorrer a diversos recursos e entre estes, sistematizar o planejamento em saúde com características estratégicas. Nesta perspectiva ó fundamental desenvolver o processo de trabalho, considerando as necessidades de saúde da população da área de responsabilidade do serviço de saúde, e utilizar de metodologias que permitam realizar o levantamento das necessidades em saúde da população. Para tanto, é necessário apreender o que os profissionais entendem por necessidades de saúde e de que forma eles a reconhecem. Este projeto tem por objetivo: descrever como os profissionais de saúde, Integrantes da equipe de saúde da família, concebem e têm identificado as necessidades de saúde da população. Tomaremos como referencial teórico de necessidades de saúde Matsumoto (1999). Os sujeitos desta pesquisa serão os integrantes de uma equipe mínima da estratégia da saúde da família (ESF), conforme determinada pelo Ministério da Saúde, e residentes de medicina de família e comunidade com mais de um ano de vivência no local. A coleta de dados será realizada em duas etapas, a primeira será a entrevista semi-estruturada e individual, gravada em fitas eletromagnéticas e transcritas. A segunda etapa constituirá das discussões e encaminhamentos das situações/dificuldades apresentadas dos indivíduos e/ou famílias da respectiva área, nas reuniões que esta equipe de saúde da família realiza diariamente. As discussões também gravadas em fitas eletromagnéticas. Ambas as etapas, se realizarão, somente após aceitação e assinatura do profissional no termo de consentimento livre esclarecido, A análise dos dados será baseada na Análise de Temática desenvolvida por Minayo (2000), a partir de Bardin (1995) que "consiste em descobrir os núcleos de sentido que compõem uma comunicação cuja presença ou freqüência signifiquem alguma coisa para o objetivo analítico escolhido". Após análise, pretende-se encaminhar um artigo para publicação. (AU)

Intervenções psicossociais com famílias em situações de vulnerabilidade: estágio no Child and Family Department da Clínica Tavistock

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Psicologia (IP). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Belinda Piltcher Haber Mandelbaum
Anfitrião: Margot Waddell
Local de pesquisa: Tavistock and Portman NHs Foundation Trust (Inglaterra)
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia - Tratamento e Prevenção Psicológica
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Pesquisa
Processo:08/56613-2
Vigência: 01 de dezembro de 2008 - 31 de janeiro de 2009
Resumo
Em 2006, criamos no Instituto de Psicologia da USP um Serviço de Atendimento a Famílias e Casais, como parte das atividades do Laboratório de estudos da família, relações de gênero e sexualidade, sob minha coordenação. O serviço tem como objetivos: oferecer atendimentos psicológicos diversificados a família e casais; servir de campo de pesquisa sobre alternativas de intervenção psicossocial junto a famílias que vivem em condições sociais de vulnerabilidade, decorrentes de fatores sociais e psicológicos; e oferecer formação a alunos de graduação, pós-graduação e profissionais que lidam com famílias em diferentes contextos institucionais. O objetivo de nosso estágio no Child and Family Department da Clínica Tavistock é o de conhecer e acompanhar por dois meses um serviço de atendimento a famílias que tem longa tradição de atendimento à comunidade, aliando a formação de profissionais de diversos campos de atuação a uma produção científica consagrada no campo. Esperamos conhecer alternativas diversificadas de intervenção ali realizadas, bem como a dinâmica de funcionamento do serviço; acompanhar atendimentos e discussões de casos; obter ferramentas para a estruturação e organização de nosso serviço; aprofundar nossas habilidades de ... (AU)

O alcoolismo e uma doença da família: cultura e subjetividade no processo saúde-doença

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Edemilson Antunes de Campos
Anfitrião: Sylvie Fainzang
Local de pesquisa: École des Hautes Études en Sciences Sociales (EHESS) (França)
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Saúde Coletiva - Saúde Pública
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Pesquisa
Processo:08/55321-8
Vigência: 14 de dezembro de 2008 - 13 de fevereiro de 2009
Resumo
O objetivo desta pesquisa é o de analisar as representações e os significados da chamada alcoolização crônica e seus efeitos no âmbito da família, por meio de uma análise dos códigos culturais e sociais que operam no processo saúde-doença. Este estudo será desenvolvido através de etnografias locais e de pesquisas qualitativas em grupos de A.A. e com familiares de membros desses grupos, localizados na zona leste da cidade de São Paulo. Parte-se do pressuposto de que a saúde e a doença são realidades simbolicamente construídas tanto por condições físicas e coordenadas orgânicas quanto pelas relações sociais e culturais, no interior das quais os indivíduos inserem e modulam sua subjetividade. Nossa hipótese é a de que o alcoolismo pode ser considerado uma "doença da família", isto é, uma doença "física" e "moral" que afeta as relações familiares nas quais ele está envolvido. Em A.A., forja-se uma linguagem da doença cujas regras operam com os códigos e os valores próprios ao universo sociocultural no qual o doente e seus familiares estão envolvidos. Busca-se contribuir para enriquecer o repertório existente sobre as práticas de saúde para construídas para dar conta do alcoolismo e minorar os problemas que ele gera na organização e na estrutura familiar. (AU)

A agricultura familiar e o desenvolvimento rural em Santa Catarina: a emergência da pluriatividade

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Economia (IE). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Pesquisador responsável:José Francisco Graziano da Silva
Área do conhecimento:Ciências Sociais Aplicadas - Economia - Economias Agrária e dos Recursos Naturais
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Processo:97/08854-4
Vigência: 01 de março de 1998 - 31 de agosto de 1999
Assunto(s):Agricultura familiarDesenvolvimento rural
Resumo
A partir do pós-guerra se conformou um sistema agroalimentar mundial que integrou verticalmente a agricultura aos demais setores da economia. Com isso, a agricultura deixou de ser um setor autárquico para se transformar em mais um dos componentes do complexo sistema agroalimentar. Esta mudança foi fortemente marcada pelas políticas agrícolas implementadas pelos países desenvolvidos, as quais tinham uma dimensão extremamente protecionista para os seus produtos internos. Como resultado, observa-se a emergência de um conjunto de novos problemas que colocam a necessidade de uma reconceitualização da agricultura. Tais problemas, que transcendem a análise tradicional da questão agrária, envolvem a natureza das relações entre agricultura, o Estado e as instituições não-agrícolas. Com isso, os processos de desenvolvimento rural não podem mais ser analisados do ponto de vista da dicotomia entre o rural e o urbano. Particularmente, no que diz respeito à agricultura familiar, é preciso considerar os impactos das transformações estruturais sobre a forma de reprodução da produção familiar, bem como sobre a nova dinâmica do trabalho, tanto em termos de sua distribuição quanto em termos de sua participação no orçamento familiar. Neste sentido, este estudo procura analisar os efeitos das transformações da agricultura familiar no estado de Santa Catarina, destacando a nova forma de relacionamento das famílias com as unidades de produção dada pela emergência da pluriatividade, tendo em vista o elevado grau de integração agroindustrial presente naquele estado. (AU)

Estratégias de enfrentamento utilizadas por cuidadores de pessoas com transtornos mentais serveros

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências (FC). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Bauru. Bauru, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Sandra Leal Calais
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:08/58525-3
Vigência: 01 de março de 2009 - 30 de novembro de 2009
Assunto(s):Família
Resumo
Por muito tempo, devido ao modelo hospitalocêntrico, a família esteve fora dos cuidados e tratamentos dos doentes mentais, o que propiciou o surgimento de muitos casos de indiferença e abandono (embora tal realidade ainda se faça presente para muitas pessoas). Com a reforma psiquiátrica, o Estado produziu novas medidas que privilegiam o tratamento, do doente mental em sociedade, buscando integrá-los a um ambiente social e cultural dentro de seu território. Neste sentido, a família tornou-se parceira no tratamento, constituindo-se na maior rede de apoio por se relacionar de forma mais direta com as pessoas que sofrem de transtornos mentais. Assim, os familiares têm grandes responsabilidades no cuidado e na atenção a esta população, o que pode gerar estresse, sobrecarga e sofrimento psicológico que conseqüentemente, afetam o cuidado e, de modo geral, a vida do doente mental. Ações que visem apoio e acolhimento ao familiar cuidador são fundamentais na nova assistência em saúde mental, portanto, estudos que abranjam a família podem contribuir para tais ações. O presente projeto busca investigar quais são as estratégias de enfrentamento (coping) do familiar responsável pelos cuidados da pessoa com transtorno mental, fazendo-se uma articulação com sua maneira de pensar, perceber e compreender o fenômeno da doença mental. Para tanto, serão coletados dados por meio de entrevista semi-estruturada e aplicação do Inventário de Estratégias de Enfrentamento de Lazarus e Folkman (1985). (AU)

A apropriação mútua familia/crianca dos recursos pessoais de enfrentamento perante o câncer infantil

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Elizabeth Ranier Martins do Valle
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia - Tratamento e Prevenção Psicológica
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Processo:00/07344-7
Vigência: 01 de agosto de 2000 - 31 de maio de 2001
Assunto(s):Câncer infantilFamília
Resumo
Este projeto de doutorado está inserido em uma linha de pesquisa dentro da área de Psico-Oncologia Pediátrica que busca investigar os recursos e possibilidades de enfrentamento que podem se apresentar, tanto pela criança enferma como por sua família, perante a sofrida situação que é desencadeada a partir do diagnóstico de um câncer infantil. Tem-se como objetivo a descrição, a partir dos discursos de crianças com câncer e seus familiares, de modos pelos quais se revelam a construção e a apropriação mútuas de seus recursos internos no processo de enfrentamento desta grave doença. Os dados serão analisados através fio método fenomenológico e coletados a partir do acompanhamento e registro de um programa grupal de intervenção psicológica - CORELIM - estrategicamente elaborado no intuito de prestar assistência e orientação tanto à criança como às seus familiares mais próximos, que acompanham seu tratamento. Trata-se de um aprofundamento das questões, que emergiram durante o mestrado desenvolvido pelo bolsista, relativas ao acontecer do tratamento de- câncer e organização familiar. O que se almeja prioritariamente, enfim, é que a ampliação da compreensão acerca dos modos pelos quais se potencializam dentro do sistema familiar os recursos de enfrentamento frente ao câncer infantil possa subsidiar uma reflexão que contribua na direção do incremento qualitativo e do leque das intervenções em Psico-Oncologia Pediátrica. (AU)

Relações filogenéticas na família Cichlidae bonaparte, 1840 (Perciformes: labroidei)

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Museu de Zoologia (MZ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Mario Cesar Cardoso de Pinna
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Zoologia - Taxonomia dos Grupos Recentes
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Processo:03/01059-7
Vigência: 01 de junho de 2003 - 28 de fevereiro de 2007
Resumo
O presente estudo visa elucidar as relações filogenéticas na família Cichlidae. Para isto, realizará uma análise cladística com uma abrangência taxonômica representativa da real diversidade da família, e a inclusão de caracteres que reflitam a sua ampla variabilidade morfológica. Cichlidae apresenta uma extraordinária diversidade, sendo uma das maiores famílias de vertebrados. Esta diversidade, associada à origem relativamente recente da família, fomentou muitos trabalhos de cenários evolutivos. Por outro lado, a grande diversidade morfológica e a ampla distribuição geográfica da família desencorajaram análises cladísticas extensas que resolvessem adequadamente as relações entre seus grandes grupos. Desta forma, os resultados das análises anteriores se mostram pouco conclusivos. A implementação de métodos moleculares para análises filogenéticas revelou hipóteses conflitantes com as hipóteses morfológicas. Uma abordagem morfológica global se torna necessária diante do cenário atual da sistemática do grupo. Na ausência de hipóteses filogenéticas robustas, cenários evolutivos não podem ser testados. O resultado deste estudo servirá de base para uma nova classificação da família e representará uma contribuição relevante para estudos de biogeografia e relações intercontinentais e para a história evolutiva do grupo. (AU)

Direito plural: o pensamento feminista no campo jurídico da família

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências e Letras (FCL). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Lucila Scavone
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Sociologia - Outras Sociologias Específicas
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Processo:09/50598-4
Vigência: 01 de maio de 2009 - 30 de abril de 2012
Resumo
Este projeto tem como objetivo discutir as implicações dos estudos feministas e de gênero no campo jurídico. As interfaces entre gênero e direito são ainda pouco estudadas, mas é certo que muitos dos direitos de igualdade hoje reconhecidos no campo jurídico da família guardam influências diretas ou indiretas do feminismo. O projeto pretende estudar essas incidências e o significado das conexões entre estudos feministas/gênero e o campo jurídico da família no direito brasileiro atual, no que se refere às relações conjugais, ao parentesco, à filiação e uso das novas biotecnologias reprodutivas e à sexualidade. Especificamente, visa trazer essa interferência centrada nas seguintes indagações: o feminismo mudou o direito? E se mudou como dialogam? Quais as linhas teóricas do pensamento feminista que têm maior reconhecimento no direito? Pressupomos que as novas práticas sociais e vivências da vida privada levam ao direito outras dimensões da família e visibilizam relações de poder que são objeto da crítica dos estudos feministas/gênero ao paradigma hegemônico e naturalizado da família nuclear, bicategorizada e biológica. A evidência dos limites e exclusões clarifica a crise de paradigmas no campo jurídico, que principia a buscar contribuições de outros campos científicos para reconhecer a pluralidade familiar. As interconectividades entre gênero e direito na contemporaneidade serão investigadas sob o recorte da produção teórica do direito de família presente em artigos científicos publicados em revistas e em teses/dissertações realizadas no âmbito dos programas de pós-graduação em direito, das regiões Sul e Sudeste. (AU)
Página 8 de 8.786 resultado(s)
|
Exportar 0 registro(s) selecionado(s) | Limpar seleção
CDi/FAPESP - Centro de Documentação e Informação da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo

R. Pio XI, 1500 - Alto da Lapa - CEP 05468-901 - São Paulo/SP - Brasil
cdi@fapesp.br - Converse com a FAPESP