site da FAPESP
 

Refine sua pesquisa

Pesquisa
  • Uma ou mais palavras adicionais
Publicações científicas
Auxílios à Pesquisa
Bolsas
Programas voltados a Temas Específicos
Programas de Pesquisa direcionados à Aplicação
Programas de Infraestrutura de Pesquisa
Área do conhecimento
Situação
Ano de início
Página 3 de 279 resultado(s)
|

Influência da aplicação de verniz contendo extrato de Araçá (Psidium Cattleianum) sobre a ocorrência de cáries e a microbiota de ratos submetidos a desafio cariogênico

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Odontologia (FOA). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araçatuba. Araçatuba, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Ana Claudia Okamoto
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Odontologia Social e Preventiva
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:05/56218-8
Vigência: 01 de janeiro de 2006 - 31 de dezembro de 2006
Assunto(s):DietaCárie
Resumo
A cárie é uma doença multifatorial em que a participação de microrganismos acidogênicos é de fundamental importância. O objetivo desse estudo é avaliar o efeito da aplicação semanal de um verniz contendo extrato de araçá (Psidium cattleianum) sobre a microbiota cariogênica de ratos submetidos a desafio cariogênico e a ocorrência de novas lesões cariosas. Serão empregados 80 ratos (Rattus norvegicus albinus variedade Wistar) divididos em 4 grupos experimentais, que serão submetidos (grupos II e IV) ou não (grupos I e III) à remoção cirúrgica de suas glândulas salivares maiores e uso de dieta cariogênica (todos os grupos) e aplicação do verniz contendo o extrato vegetal (grupos I e II) ou apenas a base do verniz (grupo III e IV). Os animais serão sacrificados após 90 dias e os maxilares examinados segundo os critérios de Keyes. Será analisada a participação de estreptococos do grupo mutans na composição da microbiota bucal dos roedores ao longo do experimento nos diferentes grupos. Também será avaliada a susceptibilidade de estreptococos do grupo mutans ao verniz testado, utilizando-se o método de difusão em ágar, e ao extrato aquoso de araçá, pelo método de diluição em ágar. A análise dos dados referentes ao ensaio cariogênico será realizada através do teste de Qui-quadrado, enquanto os dados referentes à atividade antimicrobiana serão submetidos ao teste de Kruskall-Wallis. (AU)

Avaliação da repelência de substâncias químicas em abelhas africanizadas (Apis mellifera l.)

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Biociências (IB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Rio Claro. Rio Claro, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Osmar Malaspina
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Zoologia - Zoologia Aplicada
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Processo:97/04644-5
Vigência: 01 de julho de 1997 - 31 de dezembro de 1999
Assunto(s):RepelentesApis mellificaÓleos essenciais
Resumo
As abelhas Apis mellifera preenchem todas as características de um bom polinizador e sua atividade é muito importante tanto na polinização de culturas agrícolas como para indústria apícola, contudo, pesticidas e herbicidas agrícolas têm causado sérios danos para esses insetos. Nas regiões urbanas elas podem se tornar um transtorno em estabelecimentos comerciais que utilizam ou vendem produtos açucarados e para pessoas que apresentam reações alérgicas ao veneno destes animais. O uso de repelentes é um importante e prático meio de proteção contra os insetos, pois são capazes de afastá-los evitando sua morte. Diversos trabalhos sobre repelentes para abelhas já foram desenvolvidos, mas a maior parte dos produtos testados são tóxicos e não convenientes para seres usados como repelentes tópicos ou em estabelecimentos comerciais. Este trabalho visa avaliar o efeito repelente, de algumas substâncias químicas, originadas a partir de extratos vegetais e outros produtos naturais que possam potencialmente serem usadas como repelentes tópicos e em estabelecimentos comerciais, contra as abelhas africanizadas. (AU)

Avaliação da ação de três extratos de plantas amazônicas sobre o biofilme dental, in vitro

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Vice-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa. Universidade Paulista (UNIP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Ivana Barbosa Suffredini
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:10/05511-5
Vigência: 01 de novembro de 2010 - 31 de outubro de 2011
Assunto(s):Anti-infecciososExtratos vegetaisMicrobiologia oralStreptococcus mutans
Resumo
Este trabalho objetiva testar extratos de plantas Amazônicas que tiveram ação inibitória no micro-organismo presente na cavidade oral (S. mutans) em biofilme dental in vitro tentando promover sua desestruturação ou inibir sua formação. As principais razões pelas quais as bactérias se estruturam num biofilme são a aquisição de maior proteção contra as defesas naturais do hospedeiro, essas características permitem que diferentes bactérias se organizem como colônias, e como comunidade, se auxiliem, através de seus fatores de virulência, que se demonstram potencializados e consequentemente mais resistentes ás condições. Existe uma busca por um agente químico que controle a microbiota da cavidade bucal,seja inócuo aos tecidos bucais,reduza ou elimine o biofilme bacteriano,não favoreça o aparecimento de resistência bacteriana e que não manche os dentes. O fato de nenhum dos produtos disponíveis comercialmente apresentar essas características aumenta a perspectiva de se pesquisar produtos de originados da Floresta Amazônica demonstrando assim a grande importância deste projeto. (AU)

Isolamento e identificação de substâncias bioativas de alimentos vegetais que interferem em processos metabólicos da obesidade

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Saúde Pública (FSP). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Deborah Helena Markowicz Bastos
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos - Ciência de Alimentos
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Processo:09/15036-5
Vigência: 01 de novembro de 2009 - 31 de março de 2010
Assunto(s):ObesidadeSuplementação alimentarHoodia gordonii
Resumo
Com o crescimento mundial do número de indivíduos obesos, inclusive entre a população de baixa renda, se faz necessário identificar novos agentes capazes de atuarem na redução de peso ou na melhora dos transtornos secundários relacionados à obesidade. Existem evidências epidemiológicas que demonstram a importância de dietas ricas em frutas, vegetais, grãos e leguminosas na proteção contra certos tipos de câncer, doenças cardiovasculares e outras doenças crônicas não transmissíveis. Estes efeitos podem estar relacionados à presença de compostos bioativos, como por exemplo, compostos fenólicos e organossulfurados, fitoestrógenos, carotenóides e terpenóides, que atuam de forma sinérgica. A comercialização de suplementos alimentares contendo extratos vegetais que estimulam a redução de peso e o recente interesse despertado pela espécie Hoodia gordonii, como inibidor do apetite, são alguns exemplos que ilustram a importância de espécies utilizadas como alimento no combate à obesidade. Este trabalho tem como principal objetivo a identificação de substâncias ativas, a partir de fontes vegetais utilizadas como alimento, que possam contribuir para o/ ou prevenção da obesidade, a fim de avaliar a plausibilidade biológica da ação protetora frente à obesidade e suas consequências. (AU)

Bioconservação de Surubim (Pseudoplatystoma SP) com utilização da bactéria lática bacteriocinogênica (Carnobacterium piscícola C2) e de extratos de alecrim pimenta (Lippia sidoides Cham.)

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Elaine Cristina Pereira de Martinis
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos - Ciência de Alimentos
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Processo:09/11428-6
Vigência: 01 de outubro de 2009 - 30 de setembro de 2010
Assunto(s):Bactérias láticasMicrobiologia de alimentos
Resumo
Há grande demanda por alimentos saudáveis, fáceis de preparar e com vida de prateleira prolongada. No entanto, os procedimentos para limitar a multiplicação de patógenos nesses alimentos podem ser restritivos somente para alguns tipos de microrganismos, podendo favorecer a prevalência de bactérias anaeróbias e psicrotróficas, como Listeria monocytogenes. A aplicação de múltiplos fatores antimicrobianos tem demonstrado ser mais eficaz na conservação de alimentos, promovendo uma barreira adicional contra patógenos resistentes a tratamentos isolados. Nesse trabalho, será avaliado o efeito inibitório do extrato de alecrim pimenta (Lippia sidoides Cham.) e de bacteriocinas produzidas por isolados Carnobacterium piscicola frente a L. monocytogenes em caldo de peptona de peixe, caldo de surubim defumado e homogeneizado de surubim defumado armazenados a 5°C. Resultados preliminares obtidos em nosso laboratório demonstraram que o extrato hidroalcoólico de alecrim pimenta apresentou efeito inibitório frente a L. monocytogenes a 37°C. O extrato hidroalcoólico demonstrou efeito sinérgico com a temperatura de refrigeração (5ºC) na inibição de L. monocytogenes. Neste projeto, o extrato hidroalcoólico de alecrim pimenta será testado sozinho ou em associação com as bacteriocinas semipurificadas de isolados de C. piscicola bacteriocinogênicos em sistemas modelo (caldo de peptona de peixe, caldo de surubim e homogeneizado de surubim), com o objetivo de avaliar o efeito combinado do uso de extrato vegetal e de bacteriocinas na conservação e garantia da inocuidade de pescados. (AU)

Manejo ecológico da cultura do quiabeiro na região oeste do Estado de São Paulo

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA). Secretaria de Agricultura e Abastecimento (São Paulo - Estado). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Terezinha Monteiro dos Santos Cividanes
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitossanidade
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Processo:09/02068-6
Vigência: 01 de março de 2009 - 31 de dezembro de 2009
Assunto(s):Entomologia agrícolaControle biológico
Resumo
Os coccinelídeos são os predadores mais relacionados ao controle biológico de insetos-praga e comumente observados nos agroecossistemas. Na cultura do quiabeiro é comum a ocorrência desses inimigos naturais, efetuando principalmente o controle do pulgão Aphis gossypii (Hemiptera: Aphididae). No manejo ecológico de pragas, além da utilização do controle biológico, o inseticida natural à base de extratos de nim, Azadirachta indica A. Juss, é empregado quando se faz necessário adotar medidas de controle para evitar danos à cultura. A presente pesquisa tem por objetivos: a) avaliar a influência do plantio de faixas de sorgo, Sorghum bicolor L. Moench e de fáfia, Pfaffia paniculata (Martius) Kuntze nas margens da área cultivada com quiabeiro sobre a ocorrência de inimigos naturais nessa malvácea; b)determinar em laboratório o potencial de extratos vegetais à base de nim no controle do pulgão A. gossypii e efeito sobre seus inimigos naturais em plantas de quiabo. (AU)

Avaliação da atividade antimicrobiana e potencial carrapaticida de extratos de Tagetes patula l. (Asteraceae)

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCFAR). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Rosemeire Cristina Linhari Rodrigues Pietro
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Processo:10/06450-0
Vigência: 01 de agosto de 2010 - 31 de agosto de 2012
Assunto(s):Anti-infecciososExtratos vegetaisMicrobiologia aplicada
Resumo
O carrapato Rhipicephalus sanguineus é, provavelmente, a espécie de maior disseminaçãomundial na atualidade e está comprovadamente envolvido na transmissão de agentes patogênicos.Estudos têm demonstrado aquisição de resistência do carrapato a alguns dos princípios ativosusados em formulações comerciais de acaricidas. Demonstrou-se também que o uso de fungosentomopatogênicos, tais como Beauveria bassiana e Metarhizium anisopliae, tem potencial paracontrolar populações de certas espécies de carrapatos, incluindo R. sanguineus. Conjuntamente ao controle biológico, ou mesmo aparecendo como um método alternativo de controle de pragas destaca-se o uso de produtos de origem natural. Embora haja uma grande variabilidade de espécies de plantas, pesquisas sobre seu uso no controle de parasitas de animais, especialmente, são escassas, havendo carência de informações complementares. Além de apresentar propriedade larvicida, diversos estudos com extratos de Tagetes spp. têm demonstrado ação efetiva contra muitos agentes microbianos tais como fungos, vírus e bactérias Gram positivas e Gram negativas. Neste projeto propomos estudar a ação carrapaticida in vitro do extrato hidroalcoólico de partes aéreas de Tagetes minuta contra os diversos estágios de desenvolvimento no ciclo de vida do ixodídeo R. sanguineus. Pretendemos ainda, verificar a ação do extrato sobre a viabilidade de fungos entomopatogênicos diretamente relacionados ao controle biológico destes carrapatos, como M. anisopliae e B. bassiana, bem como em fungos patogênicos intimamente associados com animais domésticos, sobretudo com os cães. (AU)

Estudo bio-direcionado dos extratos vegetais de Mikania glomerata, Casearia sylvestris e Mandevilla velutina sobre as ações tóxicas induzidas por venenos de serpentes: caracterização fitoquímica, farmacológica e histopatológica

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Centro de Ciências Exatas, Naturais e Tecnológicas. Universidade de Ribeirão Preto (UNAERP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Paulo Sérgio Pereira
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Orgânica
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Processo:04/01856-7
Vigência: 01 de abril de 2004 - 31 de março de 2005
Assunto(s):ToxicidadeVenenos de serpentesCromatografia de afinidade
Resumo
O trabalho propõe a avaliação da atividade antiofídica dos extratos brutos, frações e princípios ativos isolados das plantas Mikania glomerata, Casearia sylvestris e Mandevilla velutina contra os venenos de Bothrops jararacussu e Crotalus durissus terrificus. Neste estudo serão avaliadas diversas atividades tóxicas, farmacológicas e histopatológicas induzidas por estes venenos, e suas toxinas isoladas, na presença e ausência de extratos e/ou princípios ativos vegetais. Os ensaios farmacológicos (toxicidade, edema, algesia e analgesia) e histopatológicos (microscopia óptica e eletrônica) serão mais estudados para avaliar melhor a atividade antiofídica destes extratos. Além disso, será utilizada cromatografia por afinidade para o isolamento de inibidores de fosfolipases A2. De igual forma, efetuar-se-á a introdução destas espécies vegetais em um banco de germoplasma, garantindo que ao obter-se resultados promissores, haja matéria-prima com diversidade para estudos de manejo e produção da planta de potencial fitoterápico. (AU)

Pão e carne para o futuro

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Química de São Carlos (IQSC). Universidade de São Paulo (USP). São Carlos, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Daniel Rodrigues Cardoso
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Processo:12/07362-2
Vigência: 01 de maio de 2012 - 30 de setembro de 2012
Assunto(s):Compostos fenólicosAntioxidantesCarnes e derivados
Resumo
O atual aumento na competitividade nas diferentes cadeias agroindustriais, tanto no mercado nacional quanto internacional, tem forçado a indústria de alimentos a desenvolver produtos de melhor qualidade no tocante da segurança alimentar, rastreabilidade, qualidade sensorial e nutricional. Neste ínterim, o uso de aditivos e flavorizantes é essencial na conservação das propriedades químicas, físico-químicas e sensoriais do produto. Assim, o uso de extratos vegetais e de frutas ricos em compostos fenólicos como aditivos e flavorizantes de origem natural na indústria de laticínio é uma atual vertente do mercado. Entretanto, pouco se sabe a respeito da interação destes compostos fenólicos e proteínas do soro do leite e sua influência na atividade antioxidante do produto. O leite e os seus derivados são produtos em geral sensíveis à luz, e as reações foto-iniciadas afetam não somente a qualidade sensorial, mas também levam a formação de substâncias tóxicas e a degradação de importantes nutrientes. Assim, o presente projeto visa o estudo das interações moleculares entre compostos fenólicos, antioxidantes, e proteínas do soro do leite e avaliar o efeito sinérgico ou antagônico destas interações na proteção antioxidante do leite e derivados frente aos efeitos deletérios da exposição do produto à radiação luminosa. (AU)

Pão e carne para o futuro

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Química de São Carlos (IQSC). Universidade de São Paulo (USP). São Carlos, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Daniel Rodrigues Cardoso
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Processo:12/04758-2
Vigência: 01 de abril de 2012 - 31 de março de 2013
Assunto(s):Compostos fenólicosAntioxidantesCarnes e derivados
Resumo
O atual aumento na competitividade nas diferentes cadeias agroindustriais, tanto no mercado nacional quanto internacional, tem forçado a indústria de alimentos a desenvolver produtos de melhor qualidade no tocante da segurança alimentar, rastreabilidade, qualidade sensorial e nutricional. Neste ínterim, o uso de aditivos e flavorizantes é essencial na conservação das propriedades químicas, físico-químicas e sensoriais do produto. Assim, o uso de extratos vegetais e de frutas ricos em compostos fenólicos como aditivos e flavorizantes de origem natural na indústria de laticínio é uma atual vertente do mercado. Entretanto, pouco se sabe a respeito da interação destes compostos fenólicos e proteínas do soro do leite e sua influência na atividade antioxidante do produto. O leite e os seus derivados são produtos em geral sensíveis à luz, e as reações foto-iniciadas afetam não somente a qualidade sensorial, mas também levam a formação de substâncias tóxicas e a degradação de importantes nutrientes. Assim, o presente projeto visa o estudo das interações moleculares entre compostos fenólicos, antioxidantes, e proteínas do soro do leite e avaliar o efeito sinérgico ou antagônico destas interações na proteção antioxidante do leite e derivados frente aos efeitos deletérios da exposição do produto à radiação luminosa. (AU)

Efeito do extrato de Mikania glomerata Sprengel (guaco) sobre a implantação, desenvolvimento placentário e embrionário em camundongos

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Estela Maris Andrade Forell Bevilacqua
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Histologia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Processo:09/06655-3
Vigência: 01 de março de 2010 - 29 de fevereiro de 2012
Assunto(s):PlacentaEmbriologiaAborto
Resumo
Nos dias atuais, a utilização de fitoterápicos tem crescido acentuadamente. No Brasil, um país cuja flora nativa é riquíssima, tem-se investido substancialmente em pesquisas na área de fitoterápicos. Isto se deve, em parte, à necessidade de novos medicamentos, ao interesse na comercialização destes produtos, ao interesse na preservação da cultura popular e da reserva da flora nacional. Paralelamente a este cenário, está a crença de que medicamentos fitoterápicos são inofensivos em circunstâncias especiais tais como: gravidez, hipertensão, diabetes, etc. É como se os fitoterápicos atuassem especificamente sobre uma determinada patologia e não sobre o metabolismo como um todo. A Mikania glomerata Sprengel, originária da América do Sul, é uma planta subarbustiva que nasce nas matas e cerrados, adaptando-se muito bem ao cultivo doméstico conhecida popularmente como guaco. Ela é vastamente utilizada pela população no tratamento de doenças como a asma, bronquite e reumatismo, além de possuir efeito antifúngico, antimicrobiano, antialérgico, antiinflamatório e antiofídico. Neste estudo, nosso objetivo é estudar a possível ação do extrato vegetal de Mikania glomerata Sprengel (guaco) no perfil reprodutivo e gestacional de camundongos (Mus musculus domesticus) e determinar se a administração desta droga pode comprometer o embrião/feto e placenta durante a prenhez. (AU)

Avaliação foto-oxidativa da fibra capilar tratada com condicionador bioativo ou aditivado de silicone após processo de coloração

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Maria Valeria Robles Velasco
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia - Farmacotecnia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:10/16897-1
Vigência: 01 de janeiro de 2011 - 31 de dezembro de 2011
Assunto(s):CosmetologiaCabelo
Resumo
A produção brasileira de produtos capilares é bastante expressiva sendo que 23,8% dos produtos cosméticos exportados pelo Brasil em 2009 pertenciam a essa categoria. Os produtos capilares, atualmente, devem ser multifuncionais, ou seja, devem garantir a maleabilidade dos cabelos, mas também fotoproteção evitando perda de coloração (natural ou artificial) da fibra capilar. Para tanto, são empregados filtros solares, silicones e diversos extratos vegetais com propriedades antioxidantes. Nesse contexto, devemos considerar a tendência mundial de incorporação de insumos e matérias-primas oriundas de plantas em formulações cosméticas. A partir do exposto, considerando a potencial atividade antioxidante da romã (Punica granatum, L.), serão preparados diferentes extratos hidroalcoólicos com o pericarpo do fruto, que serão avaliados quanto à atividade antioxidante e quantidade de taninos. Os extratos de melhor performance serão incorporados à formulação leave-in de condicionadores capilares. Os silicones possuem reconhecida ação condicionadora além de proteção da cor da fibra capilar. Assim, serão preparadas formulações leave-in incorporadas de silicone a fim de se comparar com os efeitos do extrato de romã. Mechas de cabelo cacheadas virgens de cor castanho padronizadas serão descoloridas e posteriormente tratadas com tintura oxidativa. Os condicionadores leave-in desenvolvidos serão aplicados nas mechas e posteriormente estas serão expostas à radiação ultravioleta. Serão avaliadas as características de cor e propriedades mecânicas da fibra capilar. (AU)

Composição fenólica e atividade antioxidante de polpa, casca, semente e folha de espécies frutíferas nativas do Brasil

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Severino Matias de Alencar
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos - Ciência de Alimentos
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Processo:11/04174-8
Vigência: 01 de agosto de 2011 - 28 de fevereiro de 2013
Resumo
A aplicação de ingredientes naturais em alimentos, fármacos e cosméticos tem se tornado uma tendência mundial e despertado o interesse da comunidade científica e de indústrias quanto à investigação fitoquímica e aplicação tecnológica de extratos vegetais, sobretudo aqueles ainda subexplorados. Considerando a biodiversidade brasileira, seu potencial de aproveitamento e a necessidade de um modelo de desenvolvimento econômico sustentável, pesquisas envolvendo produtos genuinamente nacionais assumem significativa importância. Nesse sentido, destacam-se as frutas nativas que na maioria das vezes estão restritas às comunidades onde a disseminação ocorre espontaneamente. O consumo regular de frutas, devido principalmente aos seus compostos fenólicos e atividade antioxidante, tem sido relacionado à menor incidência de patologias desencadeadas pelo estresse oxidativo como câncer, diabetes e enfermidades cardiovasculares. A crescente preocupação com o uso de antioxidantes sintéticos em alimentos também sugere a necessidade de estudos sobre a composição química e atividade antioxidante de espécies vegetais. Portanto, o presente trabalho tem por objetivo caracterizar e identificar compostos fenólicos bioativos, especialmente substâncias antioxidantes, de frutíferas nativas brasileiras (polpa, casca, semente de frutos e folhas) ampliando as informações disponíveis sobre sua composição química, na expectativa de que resultados propiciem benefícios à sociedade no que se refere às fontes de antioxidantes naturais e preservação da flora nativa. (AU)

Biodisponibilidade, distribuição na pele e atividade de compostos antioxidantes do extrato hidroalcoólico de Ilex paraguariensis hidrolisado e não hidrolisado

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Silvia Berlanga de Moraes Barros
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado Direto
Processo:06/57163-5
Vigência: 01 de julho de 2007 - 31 de dezembro de 2010
Resumo
Ilex paraguariensis (chá mate) é amplamente usado na América latina sob a forma de infusão aquosa. Dentre as propriedades atribuídas a esta planta encontra-se a atividade antioxidante que sugere um papel importante desta droga na prevenção e tratamento de doenças associadas ao estresse oxidativo como a aterosclerose, fotocarcinogênese e foto envelhecimento, entre outras. O uso mais comum do chá mate como alimento é na forma de infusão aquosa. Poucos estudos relataram o emprego de extrato alcoólico ou hidroalcoólico padronizado de mate como complemento alimentar, ou na prevenção de lesões cutâneas promovidas pela radiação solar. Sabe-se ainda que uma maneira de aumentar a biodisponibilidade de antioxidantes em extratos vegetais é promover a sua hidrólise visando à liberação dos compostos ativos, conforme demonstrado para outras plantas. O objetivo deste trabalho é estudar a atividade antioxidante do extrato hidroalcoólico de Ilex paraguariensis antes e após a hidrólise, proceder à análise fitoquímica destes extratos, estudar a biodisponibilidade relativa dos compostos antioxidantes bem como sua distribuição na pele, em animais de experimentação. (AU)

Uso sustentável da biodiversidade brasileira: determinação de enantiômeros em extratos vegetais por cromatografia quiral e dicroísmo circular

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Química (IQ). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Wagner Vilegas
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Orgânica
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Processo:06/51453-1
Vigência: 01 de março de 2007 - 28 de fevereiro de 2010
Assunto(s):CromatografiaProdutos naturais
Resumo
Este projeto propõe dar continuidade ao estudo integrado químico-farmacológico de espécies usadas como medicinais encontradas no Bioma Cerrado do Estado de São Paulo e do Tocantins. Investigaremos a composição química de espécies vegetais aplicando técnicas que permitam uma análise quali e quantitativa rápida e eficaz, tais como o uso de uso de cartuchos de extração em fase sólida seguido por análises por HPLC. Nesse caso, serão investigadas espécies dos gêneros Neea e Guapira (Nyctaginaceae). Pretende-se desenvolver metodologias que permitam avaliar quali e quantitativamente a presença de compostos opticamente ativos usando HPLC acoplado com detectores de arranjo de fotodiiodos e de dicroísmo circular. Numa etapa inicial serão investigadas as catequínas (de menor complexidade estrutural quando comparadas com outros metabólitos secundários), o que servirá como base para aprofundar os conhecimentos sobre HPLC quiral. Dentre as espécies vegetais, optamos pelas do gênero Byrsonima, devido ao conjunto de dados químicos e biológicos disponíveis até o momento. Assim, a investigação da quiralidade de moléculas naturais se constituirá em um importante diferencial em relação às abordagens que tem sido explorado em nosso e em outros grupos de pesquisas. (AU)

Efeito associado de cultivares de repolho, produtos químicos e de origem vegetal, no controle da traça-das-crucíferas Plutella xylostella ( Lepidoptera: Plutellidae) e impacto sobre Trichogramma.

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias (FCAV). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Jaboticabal. Jaboticabal, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Sergio Antonio De Bortoli
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitossanidade
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Processo:03/00355-1
Vigência: 01 de março de 2003 - 28 de fevereiro de 2006
Assunto(s):RepolhoExtratos vegetais
Resumo
O projeto será desenvolvido na FCAV-UNESP, com o objetivo de avaliar o efeito da interação entre resistência de cultivares de repolho, inseticidas vegetais e Trichogramma pretiosum no manejo de Plutella xylostella. Para tanto, inicialmente será avaliada a biologia de P. xylostella nas cultivares Granat Roxo, Midorí, Scarlet, Roxo Precoce e Chato de Quintal em laboratório. No segundo experimento será avaliada a toxicidade dos produtos químicos Lufenuron e Deltametrina e, dos de origem vegetal Azadiractina e Extrato pirolhenhoso, através da adequação das doses letais (DL) para cada produto, em relação à praga em questão, criada em couve cv. Manteiga. O terceiro experimento será realizado com os mesmos produtos testados no segundo, no entanto, serão avaliados os efeitos dos mesmos sobre o controlador biológico Trichogramma pretiosum, seguindo-se os padrões internacionais recomendados pela IOBC/WPRS (1988, 1992). No quarto experimento será avaliada a associação dos métodos testados nos três primeiros experimentos, utilizando-se duas cultivares de repolho classificadas como moderadamente resistentes, no primeiro experimento e dois produtos, um químico e um de origem vegetal, nas dosagens indicadas no terceiro experimento como seletivas ao T. pretiosum e que proporcionem mortalidade de no máximo 50% para P. xylostella. (AU)

Variabilidade química em espécies de Peperomia

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Química (IQ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Massuo Jorge Kato
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Orgânica
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:10/20106-0
Vigência: 01 de fevereiro de 2011 - 31 de julho de 2012
Assunto(s):PeperomiaProdutos naturaisMetabolômicaBiologia de sistemasPerfil metabólico
Resumo
Estudos metabolômicos de angiospermas basais, como as Piperaceae podem fornecer informações importantes sobre os eventos evolutivos, ainda pouco conhecidos, que determinaram a origem das plantas superiores, bem como a diversificação metabólica das espécies ocorrida a partir desses eventos. Neste trabalho, os extratos vegetais de espécies de Peperomia são analisados por meio das principais técnicas metabolômicas (GC-MS, UPLC-ESI(MSn), RMN 1H) em busca dos perfis metabólicos característicos. A análise dos resultados é realizada em um contexto estatístico que visa à verificação de similaridades entre esses perfis, utilizando-se, para tanto, das técnicas quimiométricas PCA e PLS. A partir dos indícios de correspondência entre os dados, busca-se agrupar as diferentes espécies do gênero com base no tipo de metabólitos secundários predominantes, de forma a contribuir para o entendimento dos processos evolutivos dentro do contexto de biologia de sistemas. (AU)

Técnicas de coleta, extração e análise aplicadas à obtenção de banco de extratos

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Química (IQ). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Vanderlan da Silva Bolzani
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Orgânica
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Processo:08/03507-0
Vigência: 01 de maio de 2008 - 30 de abril de 2009
Assunto(s):Mata atlânticaCerrado
Resumo
O programa de atividades descrito abaixo compreende atividades rotineiras que exigem trabalho cuidadoso por técnicos de nível superior. As atividades visam subsidiar as três metas principais do projeto "CONSERVAÇÃO E USO SUSTENTÁVEL DA DIVERSIDADE DO CERRADO E DA MATA ATLÂNTICA: DIVERSIDADE QUÍMICA E BIO PROSPECÇÃO DE FÁRMACOS - FASE II", financiado pela FAPESP e em andamento nos laboratórios de Produtos Naturais do Instituto de Química da UNESP/Araraquara e da Seção de Fisiologia e Bioquímica do Instituto de Botânica/SMA-SP: (1) Busca de produtos naturais bioativos em espécies vegetais de Cerrado e da Mata Atlântica do Estado de São Paulo; (2) seleção de extratos vegetais através de bioensaios para a detecção de substâncias com potencial anticancerígeno, antifúngico, anticolinesterásico, antioxidante e antimalárico; (3) cultivo de plantas selecionadas visando estudos fisiológicos e químicos. (AU)

Análise da atividade anticolinesterásica de extratos, frações e substâncias isoladas de plantas nativas

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Química (IQ). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Vanderlan da Silva Bolzani
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Orgânica
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Processo:08/03263-4
Vigência: 01 de maio de 2008 - 31 de agosto de 2010
Assunto(s):BioquímicaPlantas nativasMata atlânticaCerrado
Resumo
O programa de atividades compreende atividades rotineiras que exigem trabalho cuidadoso por tecnicos de nível superior. As atividades visam subsidiar as três metas principais do projeto "CONSERVAÇÃO E USO SUSTENTÁVEL DA DIVERSIDADE DO CERRADO E DA MATA ATLÂNTICA: DIVERSIDADE QUÍMICA E BIO PROSPECÇÃO DE FÁRMACOS - FASE II", financiado pela FAPESP e em andamento nos laboratórios de Produtos Naturais do Instituto de Química da UNESP/Araraquara e da Seção de Fisiologia e Bioquímica de Plantas do Instituto de Botânica/SMA-SP: (1) Busca de produtos naturais bioativos em espécies vegetais de Cerrado e Mata Atlântica do Estado de São Paulo; (2) seleção de extrator vegetais através de bioensaios para detecção de substâncias com potencial anticancerígeno, antifúngico, anticolinesterásico, antioxidante e antimalárico; (3) cultivo de plantas selecionadas visando estudos fisiológicos e químicos. (AU)

Fitoterápicos padronizados para o tratamento de doenças crônicas: Machaerium eriocarpum (Fabaceae)

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Miriam Sannomiya
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Orgânica
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:11/09568-4
Vigência: 01 de agosto de 2011 - 31 de dezembro de 2013
Assunto(s):FabaceaeMedicamentos fitoterápicosQuímica de produtos naturais
Resumo
Este projeto tem como objetivo contribuir para o conhecimento da potencialidade de algumas espécies pertencentes ao gênero Machaerium do cerrado brasileiro, através de um estudo químico-farmacológico, ou seja, isolamento e identificação das substâncias presentes nos extratos vegetais, acompanhada dos ensaios farmacológicos para as atividades antiúlcera, antiinflamatória/analgésica, antimutagênica e mutagênica. De acordo com a literatura, algumas espécies de Machaerium (Fabaceae) são de uso etnofarmacológico como é o caso de Machaerium hirtum (Vell.) Stellfeld., a qual é uma planta cujas cascas são utilizadas popularmente contra inflamação. É popularmente conhecida como "espinheira". Apesar disto, não existe relatos até o momento, abordando sobre estudos químicos ou farmacológicos desta espécie. (AU)

Avaliação do potencial antioxidante do extrato de h. aphrodisiaca em testículo de ratos wistar submetidos a estresse oxidativo: um enfoque histopatológico e ultra-estrutural

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Mary Anne Heidi Dolder
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Citologia e Biologia Celular
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Processo:11/21017-3
Vigência: 01 de dezembro de 2011 - 31 de outubro de 2013
Assunto(s):Heteropterys aphrodisiacaEstereologiaToxicologiaTestículoCádmio
Resumo
O presente projeto propõe investigar o potencial do extrato de H. aphrodisiaca em contrabalancear as alterações morfológicas normalmente observadas em testículo de rato Wistar submetido a estresse oxidativo por Cloreto de Cádmio. Juntamente com os ensaios propostos no projeto principal, as avaliações morfológicas irão contribuir significativamente para elucidar a atividade antioxidante deste extrato vegetal, assim como identificar seus mecanismos de atuação. Neste projeto de treinamento técnico, o aluno selecionado terá a oportunidade de entrar em contato com técnicas rotineiras de microscopia de luz e microscopia eletrônica de transmissão (MET), sendo estas técnicas amplamente utilizadas por nossa equipe de trabalho. O aluno irá acompanhar o processamento de material biológico para microscopia de luz desde a coleta do mesmo, passando por seu processamento, inclusão em resina e parafina, microtomia, montagem de lâminas, coloração, captura de imagens, análises esteriológicas e estatísticas. O aluno será também exposto a técnicas rotineiras de microscopia eletrônica de transmissão, desde o processamento padrão para esta técnica, como ultramicrotomia e montagem de telinhas, até a operação do MET. Durante este processo de treinamento, o aluno será incentivado a buscar na literatura científica material que o auxilie a compreender e discutir os resultados observados, de forma que adquira experiência para colaborar na elaboração dos artigos científicos provenientes deste estudo. (AU)

Fracionamento bioguiado para seleção de substâncias antioxidante, antimalárica e antibiótica potenciais nas espécies Kielmeyera variabilis (Clusiaceae) e Brosimum glaziovii (Moraceae)

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Química (IQ). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Vanderlan da Silva Bolzani
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Processo:06/61187-7
Vigência: 01 de março de 2007 - 31 de agosto de 2010
Assunto(s):AntimaláricosAntibióticosAntioxidantes
Resumo
A pesquisa de bioprospecção do projeto Temático "Conservation and Sustainable Use of the Plant Diversity from Cerrado and Atlantic Forest: Chemical Diversity and Prospection for Potential Drugs Phase II," (Processo no 03/02176-7) Biota - FAPESP conta com um banco de extratos vegetais preparado a partir de cerca de 1700 espécies. Vários extratos bioativos foram selecionados para continuação do estudo fitoquímico bio-guiado objetivando o isolamento de substâncias bioativas de interesse farmacológico. Dentre os extratos selecionados, os obtidos de Brosimum glaziovii (Moraceae) e Kielmeyera variabilis (Clusiaseae) mostraram-se promissores devido à atividade antifúngica nas cepas Cladosporium cladosporioides e C. sphaerospermum. Adicionalmente, a avaliação da inibição in vitro de b-hematina e análise dos adultos formados entre heme-metabólito secundários via CLAE, com estes extratos, demonstraram forte complexação, indicativo da presença de substâncias com potencial antimalárico nos extratos testados. Esse resultado é o primeiro indício da presença de metabólitos especiais antimaláricos e deverão ser avaliadas nos ensaios com cepas de Plasmodium falciparum para confirmação da atividade antimalárica. O projeto em pauta tem como objetivo o isolamento de protótipos antimaláricos e o mapeamento de substancias capazes de complexarem com hematina em matrizes complexas para estabelecimento de metodologia de desreplicação de antimaláricos em extratos brutos. (AU)

Pão e carne para o futuro

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Química de São Carlos (IQSC). Universidade de São Paulo (USP). São Carlos, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Daniel Rodrigues Cardoso
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Processo:13/06603-9
Vigência: 01 de maio de 2013 - 31 de outubro de 2014
Assunto(s):Compostos fenólicosAntioxidantesCarnes e derivados
Resumo
O atual aumento na competitividade nas diferentes cadeias agroindustriais, tanto no mercado nacional quanto internacional, tem forçado a indústria de alimentos a desenvolver produtos de melhor qualidade no tocante da segurança alimentar, rastreabilidade, qualidade sensorial e nutricional. Neste ínterim, o uso de aditivos e flavorizantes é essencial na conservação das propriedades químicas, físico-químicas e sensoriais do produto. Assim, o uso de extratos vegetais e de frutas ricos em compostos fenólicos como aditivos e flavorizantes de origem natural na indústria de laticínio é uma atual vertente do mercado. Entretanto, pouco se sabe a respeito da interação destes compostos fenólicos e proteínas do soro do leite e sua influência na atividade antioxidante do produto. O leite e os seus derivados são produtos em geral sensíveis à luz, e as reações foto-iniciadas afetam não somente a qualidade sensorial, mas também levam a formação de substâncias tóxicas e a degradação de importantes nutrientes. Assim, o presente projeto visa o estudo das interações moleculares entre compostos fenólicos, antioxidantes, e proteínas do soro do leite e avaliar o efeito sinérgico ou antagônico destas interações na proteção antioxidante do leite e derivados frente aos efeitos deletérios da exposição do produto à radiação luminosa. (AU)

Efeito do óleo de NIM (Azadirachta indica a. Juss) no intestino médio de Ceraeochrysa claveri (Navas, 1911) (Neuroptera: Chrysopidae): estudo citoquímico, imunocitoquímico e ultraestrutural

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Daniela Carvalho dos Santos
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitossanidade
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Processo:10/03606-9
Vigência: 01 de agosto de 2010 - 29 de fevereiro de 2012
Assunto(s):CitoquímicaImunohistoquímicaControle biológico
Resumo
A busca pela preservação dos recursos naturais vem atualmente conscientizando a sociedade sobre a importância dos alimentos, exigindo produtos com o uso mínimo de inseticidas que são prejudiciais à saúde, e para aumentar a oferta de alimentos seguros a esta população, vemos crescer o uso da agricultura orgânica e do manejo integrado de pragas. Na busca por insetos que possam ser utilizados no controle biológico, sendo esta uma importante ferramenta na agricultura orgânica e manejo integrado de pragas, os crisopídeos vem se mostrando um forte agente controlador, uma vez que suas larvas são predadoras de diversos ovos e larvas de insetos pragas de diferentes culturas comerciais. Com o propósito de avaliar o efeito do óleo de nim, um extrato vegetal com propriedades bioinseticidas, sobre os crisopídeos, ovos de Diatraea saccharalis serão tratados com óleo de nim em três diferentes concentrações e oferecidos como alimento a larvas de Ceraeochrysa claveri, avaliando deste modo o efeito da ingestão do óleo de nim na fase larval sobre as células epiteliais do intestino médio de larva terceiro ínstar, pupa e adulto de C. claveri. Através do conhecimento da morfologia e ultra-estrutura das células do intestino médio e do efeito da ingestão do óleo de nim sobre este órgão, poderemos no futuro informar a viabilidade do uso associado do óleo de nim e de crisopídeos em culturas que priorizam a manutenção da diversidade e manejo integrado das pragas. (AU)

Imobilização de enzimas proteolíticas de frutos tropicais e seu uso como ativos em cosméticos

Beneficiário:
Pesquisador responsável:Luis Daniel Loyola Herrera
Empresa:Multi Vegetal Indústria e Comércio de Cosméticos e Produtos Naturais Ltda. - ME
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Físico-química
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE
Processo:05/50907-6
Vigência: 01 de maio de 2007 - 30 de junho de 2009
Assunto(s):HidrocoloideMicroencapsulaçãoMicroesferasEnzimas proteolíticasFrutas tropicaisCosméticos
Resumo
O objetivo do projeto é o desenvolvimento de extratos vegetais padronizados de plantas medicinais nacionais para servir de insumos para fitoterápicos e cosméticos, e a sua utilização em vários tipos de veículos coloidais e suas possíveis formas farmacêuticas. Extratos padronizados serão definidos como aqueles cujos componentes vegetais possuam origens definidas e dentro de padrões de qualidade exigidos pela ANVISA, cuja manipulação industrial e laboratorial siga Procedimentos Operacionais definidos conforme normas aceitas pelo Ministério da Saúde, e cuja padronização química seja estabelecida procurando marcadores biológicos/princípios ativos se conhecidos. Numa primeira etapa serão estudadas uma série de cinco plantas da flora nacional: Andiroba (Carapa guayanensis); Marcela (Achyrocline satureioides); Pau Ferro (Caesalpinea férrea); Carajirú (Arrabidaea chica); Graviola (Annona muricata); Melão de São Caetano (Momordica charantia). Na FASE I será feita a caracterização fitoquímica qualitativa dos extratos de cada uma das espécies e ensaios de formulação com esses extratos em veículos coloidais (cremes, géis, loções, xaropes, etc ... ) O trabalho será efetuado na própria empresa, em laboratório de fitoquímica do IQ-UNICAMP e os ensaios toxicológicos preliminares, no CPQBA - UNICAMP (AU)

Avaliação da atividade antitumoral, antibacteriana e ação sobre o sistema nervoso central e hormônios de extratos obtidos de plantas amazônicas e da Mata Atlântica

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Ciências da Saúde (ICS). Universidade Paulista (UNIP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Ivana Barbosa Suffredini
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Botânica - Botânica Aplicada
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:08/58706-8
Vigência: 01 de novembro de 2009 - 31 de outubro de 2012
Assunto(s):Desenvolvimento de fármacosExtratos (formas farmacêuticas)PlantasCélulas tumoraisBactérias patogênicas
Resumo
O Laboratório de Extração da Universidade Paulista implementou um programa de identificação de novos fármacos antitumorais e antibacterianos a partir de plantas brasileiras há dez anos, fundamentado na rica biodiversidade ocorrente na Amazônia e Mata Atlântica. A partir de uma triagem inicial com 1.220 extratos, foram identificados 120 extratos ativos contra seis células tumorais (de mama, próstata, pulmão, cólon, sistema nervoso central e leucemia) e contra quatro bactérias patogênicas humanas (Staphylococcus aureus, Enterococcus faecalis, Pseudomonas aeruginosa e Escherichia coli). Estes extratos foram fracionados e as frações reensaiadas nos respectivos modelos biológicos. As frações ativas foram identificadas e analisadas em cromatografia em camada delgada a fim de se verificar a presença de alcalóides e de compostos fenólicos. A análise desses parâmetros resultou na identificação de extratos vegetais ativos que serão estudadas em termos de sua toxicidade geral e ao sistema nervoso central e sua atividade sobre a esfera hormonal. Além disso, serão avaliadas quanto à composição fitoquímica, a fim de que os compostos responsáveis pelas atividades biológicas ou tóxicas sejam identificados. (AU)

Fracionamento biomonitorado de alcalóides isoquinolínicos de espécies do gênero Annona (Annonaceae) ativos frente aos agentes protozoários de doenças tropicais endêmicas e avaliação da atividade citotóxica

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Dominique Corinne Hermine Fischer
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Orgânica
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:06/06198-3
Vigência: 01 de abril de 2007 - 31 de outubro de 2009
Assunto(s):Química de produtos naturais
Resumo
As doenças tropicais endêmicas continuam a afetar gravemente a Saúde Pública, no Brasil e no mundo. A dispersão geográfica e as sérias conseqüências sócio-econômicas de enfermidades, que muitas vezes chegam a ser incapacitantes, como a doença de Chagas e a leishmaniose nas suas diferentes formas, são preocupantes. Aliada a este quadro, a terapêutica tradicional requer, em geral, a onerosa internação de pacientes, com a administração parenteral de fármacos, como os antimoniais, arseniais, entre outros, quase sempre, levando às complicações em decorrência da grande toxicidade. Considerando a necessidade urgente de novas alternativas terapêuticas, extratos vegetais e seus constituintes representam fonte de moléculas-protótipo potencialmente ativas nos agentes etiológicos destas endemias. Neste contexto, em projeto anterior, comprovou-se a atividade antimalárica dos alcalóides totais da classe dos isoquinolínicos. Em triagem, posterior, frente à Leishmania (L.) chagasi (formas promastigotas e amastigotas) e Trypanosoma cruzi (formas tripomastigotas), igualmente, verificou-se o potencial antiparasitário dos alcalóides totais, o que permitiu a seleção das espécies de maior interesse, que integram o presente projeto: Annona coriacea Mart. e A. crassiflora Mart encontradas na flora do Estado de São Paulo. Em ensaio recente, ainda inédito, outra representante do gênero Annona, A.squamosa L. demonstrou atividade antileishmania promissora, vindo a integrar,igualmente, esta proposta, a qual tem por objetivo a separação e o isolamento dos alcalóides responsáveis pelas atividades antiprotozoárias verificadas. Em paralelo, será realizada a avaliação da citotoxicidade em células RAW 264.7 (macrófagos de murinos), permitindo a determinação do Indice de Seletividade. Visando averiguar os possíveis mecanismos de ação, serão efetuados estudos ultraestruturais dos compostos mais ativos. (AU)

Novos alvos terapêuticos: utilização de enzimas recombinantes para triagem de fármacos de interesse médico veterinário e humano

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos (FZEA). Universidade de São Paulo (USP). Pirassununga, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Edson Roberto da Silva
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Farmacologia Bioquímica e Molecular
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:09/08715-3
Vigência: 01 de novembro de 2009 - 31 de outubro de 2011
Assunto(s):LeishmaniaArginaseInibidores enzimáticosQuimioterapia
Resumo
A clonagem de genes em vetores de expressão possibilita a produção de enzimas de organismos patogênicos em organismo heterólogo. Considerando organismos geneticamente modificados e não infectantes podemos produzir proteínas em larga escala. A produção de massa de proteínas possibilita desde a cristalização até testes avançados de triagem de novos fármacos. A enzima arginase é responsável pela conversão do aminoácido L-arginina em ornitina e uréia. Em Leishmania, a enzima arginase desempenha um papel crítico na produção de ornitina que é a molécula precursora de poliaminas (espermina, espermidina). A produção de poliaminas é essencial para o crescimento e multiplicação de Leishmania. O nocaute do gene da enzima arginase de Leishmania demonstrou que a enzima pode ser utilizada como alvo terapêutico. O gene da arginase de Leishmania (Leishmania) amazonensis foi clonado em vetor de expressão heterólogo e em seguida a enzima foi produzida e purificada em larga escala. Extratos vegetais de diversas espécies do Cerrado Tocantinense foram testados e apresentaram inibição da arginase de Leishmania. O sucesso da inibição da arginase in vitro naturalmente conduz aos ensaios de avaliação em culturas de promastigota e em culturas de amastigotas, além da avaliação do potencial terapêutico em modelo animal. Assim este projeto propõe isolar, caracterizar e testar inibidores seletivos de arginase de L. (L.) amazonensis em cultura e em modelo animal de infecção por Leishmania. Além das moléculas obtidas de vegetais também testaremos protótipos de inibidores sintéticos que foram planejados para inibirem a enzima arginase. (AU)

Potencial da atividade antimicrobiana in vitro de extratos vegetais do cerrado sobre cepas de Staphylococcus aureus isolados de mastite bovina

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias (FCAV). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Jaboticabal. Jaboticabal, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Luiz Augusto do Amaral
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Medicina Veterinária Preventiva
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:08/57524-3
Vigência: 01 de abril de 2009 - 31 de março de 2010
Assunto(s):Mastite animalBovinos
Resumo
À mastite bovina é caracterizada por processo inflamatório da glândula mamaria e classificada de acordo com a forma de apresentação, podendo ser clínica ou subclínica. O Staphylococcus aureus destaca-se como o principal agente etiologico da mastite contagiosa e importante microorganismo na epidemiologia de doenças veiculadas por alimentos, devido a sua alta prevalência e produção de toxinas termorresistentes causadoras de gastrenterites alimentares ao homem. O tratamento da mastite bovina é realizado através da antibioticoterapia, entretanto seu uso ostensivo e inadequado proporciona resistência bacteriana a diversos princípios ativos. O agente patogênico em estudo, Staphylococcus aureus, apresenta alta resistência aos antimicrobianos disponíveis no mercado. Além da dificuldade de controlar uma enfermidade de grande impacto econômico e epidemiológico, os tratamentos atualmente disponíveis acarretam sérios prejuízos ao consumidor, à indústria e ao rebanho, devido ao risco da presença de resíduos dessas substâncias no produto final. Considerando-se a riqueza da vegetação das plantas nativas do cerrado, a existência de estudos prévios que relatam atividade antimicrobiana de alguns compostos destas plantas bem como o uso já adotado pela população, é essencial o desenvolvimento de projetos nessa perspectiva com o objetivo de gerar benefícios terapêuticos e econômicos. De acordo com a realidade apresentada justifica-se o presente estudo, que tem como objetivo avaliar o potencial de atividade antimicrobiana "in vitro" de algumas plantas nativas do cerrado brasileiro frente ao agente Staphylococcus aureus, isolados de leite mastítico, bem como de outras fontes de contaminação envolvidas na cadeia produtiva do leite consideradas fatores de risco para a ocorrência da doença. (AU)

Propriedades terapêuticas de triterpenos ácidos na Doença de Chagas experimental - avaliação em fase aguda e crônica da infeccção

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Sérgio de Albuquerque
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:06/01066-1
Vigência: 01 de outubro de 2006 - 31 de dezembro de 2008
Assunto(s):Doença de ChagasÁcido ursólicoTrypanosoma cruzi
Resumo
A doença de Chagas é um problema de saúde pública, com dados preocupantes referentes ao número de pessoas contaminadas e daquelas que ainda permanecem expostas ao risco de infecção. A dificuldade do combate a Trypanosoma cruzi, agente etiológico da doença, está intimamente relacionada às interações existentes entre o parasito e o hospedeiro, sendo que até o momento, nenhum medicamento ou substância tem demonstrado real eficácia ao combate ao parasito. Nesse sentido, a triagem de extratos de diferentes polaridades, derivados de plantas pertencentes à flora brasileira, pode resultar em um caminho empírico promissor para o encontro de uma nova substância capaz de atuar sobre o parasito, independentemente da fase da doença de Chagas. Assim, nossa proposta de trabalho é avaliar o potencial terapêutico dos triterpenos ácido ursólico e seu sal potássico, ácido oleanóico, além da mistura ácido ursólico e oleanóico isolada do extrato vegetal, obtido da espécie Miconia albicans, uma vez que essas substâncias já demonstraram atividade sobre as formas tripomastigotas e amastigotas intracelulares de T. cruzi, em trabalho preliminar realizado por nosso grupo de pesquisa. Para isso, utilizaremos no presente trabalho metodologia in vivo (para fase aguda e fase crônica), a fim de avaliarmos o potencial terapêutico dessas substâncias, bem como a avaliação de alterações histopatológicas determinadas por diferentes formas de tratamento empregadas. (AU)

Padronização do processo de produção de fitoterápico para uso tópico de inflorescências de Calendula officinalis L. (Asteraceae) utilizado na rede SUS de Ribeirão Preto

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Universidade de Ribeirão Preto (UNAERP). Campus Ribeirão Preto. Ribeirão Preto, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Júlio Cézar Borella
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia - Farmacognosia
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa em Políticas Públicas para o SUS
Processo:06/61408-3
Vigência: 01 de maio de 2007 - 31 de janeiro de 2010
Convênio/Acordo de cooperação com a FAPESP: CNPq - PPSUS
Publicação FAPESP sobre o auxílio:http://media.fapesp.br/bv/uploads/pdfs/Pesquisa...publicas_214_164_164.pdf
Assunto(s):CalendulaAsteraceaeMedicamentos fitoterápicosFarmacotécnica homeopáticaSistema Único de SaúdeRibeirão Preto (SP)
Resumo
Este projeto de pesquisa tem como objetivo o estudo relativo à produção e ao controle de qualidade realizado no ciclo produtivo de um fitoterápico de uso tópico, a base de inflorescências Calendula officinalis L. - Asteraceae. Este estudo se desenvolverá em três etapas, sendo que na primeira será realizado ensaio agronômico, variando-se os tipos de adubação e cobertura morta objetivando avaliar o melhor modo de se obter a droga vegetal; na segunda será desenvolvido estudos qual e quantitativos sobre o melhor modo de se obter extratos vegetais que possam ser utilizados terapeuticamente e, na terceira etapa, será desenvolvido estudos para avaliar o melhor modo de produzir pomada a partir dos extratos obtidos. (AU)

Rede de pesquisa de compostos químicos vegetais para controle de malária a partir da etnofarmacologia nos estados do Amazonas e Acre

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências Agronômicas (FCA). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Lin Chau Ming
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Etnofarmacologia
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Temático
Processo:09/53638-7
Vigência: 01 de junho de 2011 - 31 de agosto de 2015
Convênio/Acordo de cooperação com a FAPESP: CNPq - Temáticos - Pronex - Rede Malária
Assunto(s):MaláriaParasitologiaFitoquímicaBioensaio
Resumo
Objetivo geral: Proceder à pesquisa de novos produtos naturais vegetais para o tratamento da malária e males associados, a partir da etnofarmacologia nos municípios localizados nas bacias do Rio Negro e Purus no Estado do Amazonas e Acre. Objetivos específicos: Identificar as espécies utilizadas para o tratamento da malária, separando-as quanto às indicações de uso; Traçar o perfil das pessoas que conhecem e utilizam plantas para o tratamento da doença; Procurar entender a percepção dos informantes sobre a malária e as restrições alimentares relacionadas com a doença; Classificar as espécies vegetais indicadas quanto a origem, formas de vida e áreas de ocorrência; Descrever as formas de propagação das espécies indicadas, o manejo da coleta das partes usadas e as formas de preparo e modos de utilização; Testar extratos das plantas indicadas para verificar a atividade biológica em Artemia franciscana; Testar os extratos com maior atividade biológica sobre cepas padronizadas de Plasmodium falciparum e Plasmodium berghei; Caracterizar os princípios ativos dos extratos vegetais com as atividades biológicas mais promissoras; Detectar e identificar metabólitos presentes no plasma de animais de laboratório a fim de confirmar ou não a hipótese de extensiva metabolização de metabólitos secundários ativos e seus precursores; Estudar os mecanismos moleculares da interação fármacos-receptores dos compostos mais promissores verificados na pesquisa. (AU)

Angel Sanchez Lamar | facultad de biologia/universidad de la habana - Cuba

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Carlos Frederico Martins Menck
Pesquisador visitante: Angel Sanchez Lamar
Instituição do pesquisador visitante: Universidad de La Habana (UH) (Cuba)
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Mutagênese
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisador Visitante - Internacional
Processo:08/57554-0
Vigência: 01 de dezembro de 2008 - 31 de dezembro de 2008
Assunto(s):Extratos vegetais
Resumo
De um modo geral, o projeto visa estudar os efeitos de extratos de determinadas plantas na foto-proteção de material genético e no reparo de DNA de células humanas. Resultados preliminares indicaram que extrato aquoso da espécie Phyllanthus orbicularis reduz o impacto de irradiação com luz UVB em células humanas proficientes em reparo de DNA, mas não em células deficientes. Estes dados Indicam que o extrato é capaz de ativar o sistema de reparo celular, o que será estudado neste projeto. Também pretendemos verificar o efeito foto-protetor de extratos celulares das espécies P. orbicularis e Cymbopogon citratus. Este trabalho deverá ser focado para ação direta em DNA plasmidial submetido à irradiação UVA e luz solar, na expectativa que se distingue eventuais atividades anti-oxidante e fotoprotetoras. Devida a efetiva experiência do Dr. Lamar na área de Mutagênese, este deverá também participar das atividades acadêmicas do ... (AU)

Efeito de genótipos resistentes e extratos vegetais sobre Bemisia tabaci (Genn.) Biótipo B em tomateiro

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências Agrárias. Universidade Camilo Castelo Branco (UNICASTELO). Campus de Fernandópolis. Fernandópolis, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Edson Luiz Lopes Baldin
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitossanidade
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:02/05460-5
Vigência: 01 de setembro de 2002 - 31 de dezembro de 2004
Resumo
O presente trabalho de pesquisa terá por objetivo avaliar em laboratório e casa-de-vegetação o efeito de extratos de plantas inseticidas e genótipos resistentes de tomateiro no controle de B. tabaci biótipo B. O trabalho constará de duas etapas: na primeira, seis genótipos de tomateiro resistentes (LA0716, LA1584, LA371, PI127826, PI134417, PI134418) e um genótipo suscetível (Santa Clara) serão avaliados quanto a não-preferência para oviposição e não-preferência para alimentação, a fim de selecionar três genótipos com os maiores níveis de resistência. Na segunda etapa, a oviposição e biologia do inseto serão novamente avaliados nos três genótipos selecionados, juntamente com o Santa Clara; porém nesta fase, extratos aquosos de Trichilia pallida (folhas e ramos) e Azadirachta indica (sementes) serão pulverizados sobre populações de insetos provenientes de cada um dos genótipos, visando constatar a ocorrência ou não de interação das duas táticas de controle da mosca-branca. (AU)

Estudo bio-direcionado dos extratos vegetais de Mikania glomerata, Casearia Sylvestris e Mandevilla velutina sobre as ações tóxicas induzidas por venenos de serpentes. caracterização fitoquímica..

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Centro de Ciências Exatas, Naturais e Tecnológicas. Universidade de Ribeirão Preto (UNAERP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Paulo Sérgio Pereira
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Orgânica
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:03/01312-4
Vigência: 01 de agosto de 2003 - 30 de abril de 2007
Assunto(s):Venenos de serpentesFitoquímica
Resumo
O trabalho propõe a avaliação da atividade anti-ofídica dos extratos brutos, frações e princípios ativos isolados das plantas Mikania glomerata, Casearia sylvestris e Mandevilla velutina contra os venenos de Bothrops jararacussu e Crotalus durissus terrificus. Neste estudo serão avaliadas diversas atividades tóxicas, farmacológicas e histopatológicas induzidas por estes venenos, e suas toxinas isoladas, na presença e ausência de extratos e/ou princípios ativos vegetais. Os ensaios farmacológicos (toxicidade, edema, algesia e analgesia) e histopatológicos (microscopia óptica e eletrônica) serão mais estudados para avaliar melhor a atividade anti-ofídica destes extratos. Além disso, será utilizada cromatografia por afinidade para o isolamento de inibidores de fosfolipases A2. De igual forma, efetuar-se-á a introdução destas espécies vegetais em um banco de germoplasma, garantindo que ao obter-se resultados promissores, haja matéria-prima com diversidade para estudos de manejo e produção da planta de potencial fitoterápico. (AU)

Estudo comparativo do efeito in vitro de própolis verde e extrato de Baccharis dracunculifolia sobre fatores cariogênicos de Streptococcus mutans

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Augusto César Cropanese Spadaro
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia - Análise e Controle de Medicamentos
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:04/09511-9
Vigência: 01 de fevereiro de 2005 - 31 de janeiro de 2006
Assunto(s):Cárie dentáriaBaccharis dracunculifoliaStreptococcus mutans
Resumo
Streptococcus mutans desempenha importante papel na formação da cárie dental através da síntese de glucanas que favorecem a adesão bacteriana na superfície dos dentes, da produção de ácidos orgânicos pela metabolização de carboidratos que provoca desmineralização do esmalte dental e da capacidade de proliferar em baixo pH. A própolis é um produto natural que pode prevenir o processo cariogênico. No Brasil, a espécie vegetal Baccharis dracunculifolia é a principal matéria-prima utilizada por abelhas para a produção da própolis verde. Por outro lado, até o momento não foi demonstrando se B. dracunculifolia possui um efeito anticariogênico equivalente ao da própolis verde. No presente projeto, propomos um estudo comparativo dos efeitos de extratos de própolis verde e B. dracunculifolia sobre a síntese de glucanas, o potencial acidogênico bacteriano e o crescimento celular de S. mutans. A confirmação de atividade biológica do extrato vegetal poderá credenciar o seu emprego em formulações farmacêuticas de uso odontológico de maneira similar à própolis verde. (AU)

Avaliação da atividade de extratos das plantas Cassia occidentalis, Caesalpinia férrea, Piper regnellii, Leonotis nepataefolia, Momordica charantia e Mikania glomerata sobre a secreção de mastócitos de rato, hamster e cobaia

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Jose Carlos Gomes
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Farmacologia Geral
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Programa Cooperação CNPq-FAPESP
Processo:96/06093-3
Vigência: 01 de fevereiro de 1997 - 31 de janeiro de 1999
Convênio/Acordo de cooperação com a FAPESP: CNPq - Programa Cooperação CNPq-FAPESP
Assunto(s):PlantasExtratos vegetaisAnti-histamínicos H1Liberação de histamina
Resumo
Nas últimas décadas tem aumentado bastante os mecanismos de combate a alergias como a asma de fundo alérgico. Apesar disto, tem aumentado as taxas de hospitalizações e mortalidade de pacientes asmáticos. Desta forma, novos mecanismos que possam tratar ou evitar estas moléstias são de grande importância. Está bem estabelecido que a ativação de mastócitos por antígenos específicos inicia processos alérgicos conhecidos como reações de hipersensibilidade do tipo I, e assim sendo, o controle da secreção destas células pode também controlar as moléstias como a asma alérgica; ocorre, porém, que os medicamentos conhecidos que tem esta atividade não são suficientemente eficazes, utilizando-se de experiências anteriores, este projeto objetiva estudar a atividade de estratos de plantas popularmente utilizadas como antiasmático e/ou antipluriginoso, sobre a secreção de mastócitos. (AU)

Avaliação do potencial inseticida de extratos vegetais contra culicídeos de importância médica e estudos de histopatologia

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências da Saúde (FCS). Universidade de Marília (UNIMAR). Marília, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Armando Castello Branco Junior
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Parasitologia - Entomologia e Malacologia de Parasitos e Vetores
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:04/00065-6
Vigência: 01 de março de 2004 - 31 de dezembro de 2004
Assunto(s):CulexAedesAlelopatia
Resumo
Dentro do contexto do manejo integrado de pragas e vetores, a necessidade da avaliação de novas armas para o controle de insetos de importância médica é uma constante, ainda mais diante dos contínuos registros de resistência aos inseticidas já utilizados rotineiramente. Assim, o presente projeto tem por objetivo avaliar o potencial inseticida de extratos de diversas plantas da flora brasileira por meio de bioensaios de susceptibilidade, em condições de laboratório, utilizando-se o critério de tempo letal mediano. Para aquelas espécies onde houver resultado positivo, será feita a investigação histopatológica dos possíveis tecidos alvo nos insetos tratados. A histopatologia será feita pelas técnicas clássicas de histologia com coloração por hematoxilina-eosina. Os insetos testes a serem avaliados serão o pernilongo doméstico Culex Quinquefasciatus e o mosquito vetor da dengue, Aedes Aegypti, ambos na fase larval, seguindo-se os procedimentos propostos pela organização mundial da saúde. (AU)

Estudo químico e ensaios biológicos direcionado com Mandevilla velutina

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Centro de Ciências Exatas, Naturais e Tecnológicas. Universidade de Ribeirão Preto (UNAERP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Paulo Sérgio Pereira
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Orgânica
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:03/01313-0
Vigência: 01 de julho de 2003 - 30 de junho de 2004
Assunto(s):CromatografiaApocynaceaeQuímica de produtos naturais
Resumo
Mandevilla velutina foi selecionada como alvo deste estudo por representar importante uso potencial como fitoterápico. Mandevilla velutina (Mart) Woodson é uma planta perene, endêmica do cerrado, ornamental e está exposta à erosão genética provocada pela coleta indiscriminada e/ou pelos freqüentes desmatamentos das áreas de ocorrência natural. Tem sido preconizada no tratamento anti-inflamatório e antiofídico por apresentar constituintes químicos potentes como o velutinol presentes em seus xilopódio. Esta planta não foi completamente estudada quanto aos constituintes químicos das várias partes, bem como para uma correlação estrutura e atividade biológica. A caracterização química direcionada por ensaios farmacológicos dos princípios anti-ofídicos isolados dos extratos vegetais, proporcionará o respaldo para a comprovação científica à sua potencialidade biológica. A busca de anti-venenos reveste-se de importância dada a necessidade de ativos mais eficientes para a neutralização do envenenamento causado por serpentes e, também, na tentativa de complementar a soroterapia, geralmente utilizada, como único tratamento de acidentes ofídicos. Constitui objetivo deste trabalho extrair, purificar e identificar constituinte(s) ativo(s) em Mandevilla velutina (Mart) Woodson que apresente(m) atividade anti-ofídica. (AU)

Estudo químico e ensaios enzimáticos e farmacológicos direcionados com Casearia Sylvestris

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Centro de Ciências Exatas, Naturais e Tecnológicas. Universidade de Ribeirão Preto (UNAERP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Paulo Sérgio Pereira
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Orgânica
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:03/01315-3
Vigência: 01 de julho de 2003 - 30 de junho de 2004
Assunto(s):FlacourtiaceaeQuímica de produtos naturaisCasearia sylvestris
Resumo
Extratos aquosos e orgânicos de Casearia sylvestris (Flacourtiaceae) tem apresentado atividade anti-úlcera, antitumoral, antifúngica e anti-ofídica. Porém, o estudo fitoquímico não está bem caracterizado, somente há relatos de alguns diterpenos clerodanos (casearinas) isolados e identificados deste gênero. A caracterização química direcionada por ensaios farmacológicos dos princípios anti-ofidicos isolados dos extratos vegetais, proporcionará o respaldo para a comprovação científica à sua potencialidade biológica. A busca de anti-venenos reveste-se de importância dada a necessidade de ativos mais eficientes para a neutralização do envenenamento causado por serpentes e, também, na tentativa de complementar a soroterapia, geralmente utilizada, como único tratamento de acidentes ofídicos. Constitui objetivo deste trabalho extrair, purificar e identificar constituinte(s) ativo(s) em Casearia sylvestris que apresente(m) atividade anti-ofídica. (AU)

Estudo químico e ensaios biológicos direcionado com Mikania glomerata (Asteraceae)

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Centro de Ciências Exatas, Naturais e Tecnológicas. Universidade de Ribeirão Preto (UNAERP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Paulo Sérgio Pereira
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Orgânica
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:03/01314-7
Vigência: 01 de julho de 2003 - 31 de dezembro de 2004
Assunto(s):AsteraceaeCromatografiaQuímica de produtos naturais
Resumo
Mikania glomerata Sprengel foi selecionada como alvo deste estudo por representar importante uso potencial como fitoterápico. Esta espécie ainda é pouco estudada do ponto de vista químico e farmacológico Ressaltamos o isolamento de cumarinas, diterpenos e óleos essenciais, ainda atividades anti-alérgica, broncodilatadoras, anti-inflamatória e anti-ofídica. A caracterização química direcionada por ensaios farmacológicos dos princípios anti-ofídicos isolados dos extratos vegetais, proporcionará o respaldo para a comprovação científica à sua potencialidade biológica. A busca de anti-venenos reveste-se de importância dada a necessidade de ativos mais eficientes para a neutralização do envenenamento causado por serpentes e, também, na tentativa de complementar a soroterapia, geralmente utilizada, como único tratamento de acidentes ofídicos. Constitui objetivo deste trabalho extrair, purificar e identificar constituinte(s) ativo(s) em Mikania glomerata que apresente(m) atividade anti-ofídica. (AU)

Estudos em farmaco/toxicodinâmica: bioprospecção de compostos de origem animal e vegetal com atividade protetora nos processos mitocondriais e em modelos de doenças neurodegenerativas

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Antonio Cardozo dos Santos
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia - Farmacognosia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Processo:07/56566-1
Vigência: 01 de abril de 2008 - 31 de dezembro de 2010
Assunto(s):Doença de AlzheimerDoença de ParkinsonDoenças neurodegenerativasMitocôndrias
Resumo
As doenças neurodegenerativas (DN) estão entre as principais causas de mortalidade e morbidade nos países ocidentais. Pesquisas recentes relativas a um grande número de doenças neurodegenerativas sugerem a existência de características comuns de toxicidade, associadas à disfunção mitocondrial, mecanismos excitotóxicos, danos oxidativos e apoptose. Muitas pesquisas relacionadas à neuroproteção têm sido conduzidas nos últimos anos, porém não se encontrou ainda uma terapêutica definitiva para essas neuropatias. Nesse contexto, a fauna e a flora brasileiras representam fontes promissoras e ainda pouco exploradas na busca de novas moléculas com atividade neuroprotetora e neurotróflca e, consequentemente, com potencial para originar novos fármacos para o tratamento das doenças neurodegenerativas. Para tal, serão realizados estudos in vitro com toxinas animais, extratos vegetais, bem como com alguns componentes isolados desses produtos, visando: (a) a avaliação de possíveis efeitos protetores contra o dano oxidativo mitocondrial cerebral; (b) a avaliação de possíveis efeitos protetores em modelos celulares de doença de Alzheimer, doença de Parkinson e excitoxicidade; (c) a investigação de uma possível atividade neurotrófica. Os resultados do projeto proposto poderão contribuir para a geração de ferramentas para futuras estratégias de tratamento de doenças neurodegenerativas. (AU)

Avaliação da eficiência de nanoformulações a base de óleo de NIM sobre Bemisia tabaci (Gennadius, 1889) Biótipo B (Hemiptera: Aleyrodidae)

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba, SP, Brasil
Pesquisador responsável:José Djair Vendramim
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitossanidade
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:09/50314-6
Vigência: 01 de junho de 2009 - 31 de agosto de 2009
Assunto(s):InsectaExtratos vegetaisMosca-branca
Resumo
O biótipo B de Bemisia tabaci, também conhecido como Bemisia argentifolli Bellows e Perring, vem causando grandes prejuízos socieconômicos, pois é mais agressivo que o biótipo A. Com a maior preocupação com o meio ambiente nas últimas décadas e devido ao surgimento de pragas resistentes, cada vez mais se tem buscado métodos alternativos de controle, como o uso de extratos botânicos. Muitos estudos foram feitos com a meliácea Azadirachta indica A. Juss, conhecida por nim e considerada a planta inseticida mais eficiente. Para evitar o problema da rápida degradação das moléculas inseticidas de A. indica têm-se revelado importante o uso da nanotecnologia, através do encapsulamento de ingredientes ativos. Sendo assim, através deste trabalho, nanoformulações à base de óleo de nim serão testadas quanto a sua eficiência de controle de ninfas de Bemisia tabaci (Genn., 1889) biótipo B, tendo a soja como planta hospedeira. Serão estimadas as CL50 e CL95 para a formulação padrão de óleo de nim, visando selecionar as nanoformulações mais promissoras, para as quais serão avaliados os efeitos sobre as fases de ovo, ninfa e adulta da mosca-branca. (AU)

Avaliação da eficiência e do modo de ação de extratos aquosos e formulações comerciais obtidos de plantas insetisidas sobre o desenvolvimento de Diaphorina citri Kuwayama

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba, SP, Brasil
Pesquisador responsável:José Djair Vendramim
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitossanidade
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:07/53406-3
Vigência: 01 de agosto de 2007 - 31 de julho de 2008
Assunto(s):RotenonaMeliaceae
Resumo
O greening é atualmente um dos mais importantes problemas fitossanitários da citricultura mundial, causando enormes prejuízos aos citricultores. No Brasil, o greening foi detectado em 2004, e é causado pela bactéria Candidatus Liberibacter asiaticus, transmitida pelo psilídio-vetor Diaphorina citri. Este psilídio ocorre naturalmente nos pomares brasileiros, sendo necessário seu controle para a redução na expansão da doença. O controle de insetos através de produtos naturais extraídos de plantas tem adquirido importância como alternativa aos efeitos negativos causados pelo uso indiscriminado de inseticidas organossintéticos. Sendo assim, propõe-se o desenvolvimento do presente trabalho com o objetivo de avaliar os efeitos da aplicação de extratos vegetais aquosos de folhas e ramos de Trichilia pallens e de sementes de Azadirachta indica e de soluções aquosas de NeemAzal-T/S e Roteline sobre o desenvolvimento de D. citri. Com base nessas informações, poderão ser definidos novos inseticidas naturais que poderão ser usados pelos citricultores, propiciando a redução do crescimento populacional da praga e a conseqüente redução na expansão da doença nos pomares. (AU)

Atividade inseticida de extratos de fabáceas e de formulações comerciais de origem vegetal sobre Bemisia tabaci (Genn.) Biótipo B (Hemiptera, Aleyrodidae) em tomateiro

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba, SP, Brasil
Pesquisador responsável:José Djair Vendramim
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitossanidade
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:08/54980-8
Vigência: 01 de setembro de 2008 - 31 de agosto de 2009
Assunto(s):InsectaExtratos vegetaisMosca-brancaTimbó
Resumo
O Brasil é um dos maiores produtores mundiais de tomate, porém grande parte da produção é perdida devido ao ataque de Bemisia tabaci (Genn.) biótipo B. Além dos danos diretos causados pela sucção da seiva das plantas, transmite viroses para a cultura, com perdas da ordem de 40 a 70% da produção. Dentre as alternativas ao controle químico, vêm sendo estudadas atualmente, várias outras técnicas, dentre as quais se inclui o uso de plantas inseticidas, que pode ser uma ferramenta importante no manejo integrado da mosca-branca. No Brasil, pesquisas envolvendo o controle da mosca-branca com o uso de plantas inseticidas são recentes, e envolvem principalmente plantas da família Meliaceae. Até o momento, porém, poucas pesquisas foram realizadas com o timbó, nome popular de um grande número de plantas brasileiras, entre elas, os gêneros Lonchocarpus, Derris e Tephrosia, que possuem rotenonas e rotenóides, principalmente em suas raízes. Outra planta ainda desconhecida é o feijão-macuco ou jacatupé Pachyrrhizus tuberosus (Lam.) Spreng, que possui rotenona em suas sementes. Neste contexto, este trabalho visa avaliar extratos aquosos de quatro plantas inseticidas da família Fabaceae (raízes de Lonchocarpus floribundus Benth., Derris urucu (Killip et Smith) Macbride, e Tephrosia Candida DC e sementes de P. tuberosus), além de algumas formulações comerciais de origem vegetal, sobre B. tabaci biótipo B em tomateiro. (AU)

Efeito associado de meliaceas com isolado de fungo entomopatogênico sobre a mosca-branca "Bemisia tabaci" (Gennadius) Biótipo "B" em soja

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba, SP, Brasil
Pesquisador responsável:José Djair Vendramim
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitossanidade
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:02/12979-7
Vigência: 01 de março de 2003 - 31 de agosto de 2004
Assunto(s):Soja
Resumo
Neste trabalho pretende-se estudar o efeito associado de meliáceas com o isolado 477 de Beauveria bassiana sobre a mosca-branca Bemisia tabaci Biótipo B em soja. Numa primeira fase será realizada a seleção dos extratos aquosos de meliáceas com efeito ninficida sobre a mosca-branca; a seguir será avaliada a compatibilidade de extratos de meliáceas com o isolado do fungo entomopatogêníco e na terceira fase será avaliado o efeito de associação dos extratos mais eficientes e do isolado fúngico. Serão utilizados extratos de folhas e ramos de três espécies de Trichilia (T. pallida, T. claussenii e T. ellegans) e de sementes de nim (Azadirachta indica). O trabalho tem como objetivo avaliar o potencial ainda pouco explorado das plantas inseticidas e fungos entomopatogênicos para controle de mosca-branca, visto que o uso de extratos vegetais associado a fungos entomopatogênicos pode ser uma alternativa interessante para controle de pragas. (AU)

Planejamento e desenvolvimento de sabonete líquido anti-séptico contendo extratos vegetais de achillea millefolium Linne e stryphonodendron adstringens (Mart.) Coville

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCFAR). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Vera Lucia Borges Isaac
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:03/06926-0
Vigência: 01 de setembro de 2003 - 31 de dezembro de 2004
Assunto(s):Achillea
Resumo
Há muitos anos diversas plantas são utilizadas pela humanidade com a finalidade de curar doenças. Com o passar do tempo, a ciência começou a estudar essas chamadas plantas medicinais para comprovar, ou não, o seu uso popular. No entanto, várias plantas ainda não têm todas as suas atividades farmacológicas comprovadas cientificamente, e tantas outras não têm estudos da melhor forma farmacêutica em que devem ser utilizadas para uma otimização da sua ação. Este projeto tem como objetivo estudar a atividade antimicrobiana dos extratos e de um sabonete líquido contendo os extratos das plantas Achillea millefolium L e Stryphnodendron adstringens (Mart.) Coville contra as bactérias Staphylococcus aureus, Staphylococcus epidermidis, da superfície corporal e Escherichia coli, agente patogênico que, eventualmente, pode ser encontrado, por exemplo, nas mãos. Esta proposta visa a obtenção de um produto que pode contribuir para o processo de higiene da superfície corporal, tão necessário para evitar a transmissão de doenças causadas por estas bactérias. (AU)

Caracterização botânica, triagem fitoquímica e cromatográfica e avaliação da atividade anti-inflamatória do creme de Dimorphandra Benth

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCFAR). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Vera Lucia Borges Isaac
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:03/08422-0
Vigência: 01 de novembro de 2003 - 31 de outubro de 2004
Assunto(s):Anti-inflamatóriosCreme (formas farmacêuticas)FlavonoidesRutina
Resumo
A grande diversidade de espécies vegetais disponíveis no Brasil desperta interesse das indústrias farmacêuticas e dos grupos de pesquisa direcionados ao desenvolvimento de novos produtos, sejam eles medicamentos, cosméticos ou produtos para indústria química em geral. Em função de a flora brasileira ser vasta erica em espécies, a atividade antiinflamatória de algumas espécies são bem conhecidas, enquanto outras, pouco exploradas. Por tudo isso pretende-se, neste trabalho, avaliar a atividade antiinflamatória dos frutos de Dlmorphandra mollis Benth. Será realizada primeiramente uma caracterização botânica macro e microscópica do fruto Após isto será obtido o extailo etanólico a 70% e será feita uma análise fitoquímica preliminar para avaliar a presença de flavonóides no fruto. O extrato etanólico será evaporado e ressuspendido em propilenoglicoí para a sua incorporação em um creme base. A atividade antiinflamatória do creme será testada em camundongos da espécie Mus musculus, e sua atividade será comparada com a atividade do creme base sem o extrato vegetal. (AU)

Desenvolvimento de um ensaio para determinação da capacidade antioxidante de produtos naturais através da quimiluminescência do luminol

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Química (IQ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Joséf Wilhelm Baader
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Orgânica
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Processo:98/05445-9
Vigência: 01 de julho de 1998 - 30 de junho de 2000
Assunto(s):AntioxidantesLuminolQuimiluminescênciaPiperaceae
Resumo
O efeito de antioxidantes sobre a intensidade da quimiluminescência do luminol induzida por radicais livres tem sido utilizado para monitorar níveis de reatividade e potencial antioxidante em misturas complexas como extratos vegetais ou fluidos biológicos. Diferentes índices (TRAP, TAR e ORAC) tem sido propostos para quantificar e algumas vezes qualificar antioxidantes presentes em uma amostra. A adição de antioxidantes ao sistema luminol resulta em uma modificação do perfil da curva de emissão quimiluminescente, devido ao seqüestro, pelos antioxidantes, dos radicais livres formados no sistema. Desta mudança da cinética de emissão pode-se obter informações com respeito à quantidade de antioxidante presente na amostra e a sua reatividade. Por outro lado, o estudo fitoquímico de espécies da família Piperaceae obteve como resultado substâncias cuja estrutura e funcionalidade indicam para uma possível atividade antioxidante. Em especial o componente majoritário da Photomorphe umbellata, o 4-nerolidilcatecol originou diversos estudos sobre sua aplicação enquanto agente antioxidante. Neste Projeto de Mestrado será desenvolvido um ensaio baseado na quimiluminescência do luminol para a determinação do potencial antioxidante de extratos de plantas e produtos naturais. Primeiramente será testado se um sistema experimental simplificado em relação aos encontrados na literatura leva à obtenção de índices antioxidantes viáveis para em seguida, realizar o estudo sistemático de espécies da família Piperaceae. (AU)

Antioxidantes de inflorescências e frutos em diversas fases de maturação de iryanthera (Myristicaceae)

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Química (IQ). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Dulce Helena Siqueira Silva
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Orgânica
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Processo:97/10678-0
Vigência: 01 de dezembro de 1997 - 30 de abril de 1998
Assunto(s):FitoquímicaAntioxidantesMyristicaceae
Resumo
Os estudos fitoquímicos realizados pelo Laboratório de Química de Produtos Naturais do IQ-USP com espécies de Iryanthera (Myristicaceae) revelaram a presença de dezenas de substâncias pertencentes às classes das lignanas, neolignanas, flavonóides, lactonas policetídicas, tocotrienóis e, mais recentemente, biflavonóides e flavonolignóides. A presença de tocotrienóis - análogos da vitamina E- e de substâncias poliidroxiladas - por exemplo, flavonolignóides- nos frutos de Iryanthera, sugeriu tratar-se de substâncias com atividade antioxidante por suas características estruturais e pelo fato do alto teor de ácidos graxos e triglicerídeos encontrado nos frutos de miristicáceas, em geral, tomá-los extremamente susceptíveis aos processos oxidativos que degeneram as membranas lipídicas e organelas celulares, o que invibializaria as sementes e comprometeria o processo reprodutivo. Pretende-se enfatizar a investigação da atividade antioxidante dos frutos de espécies de Iryanthera com o intuito de se descobrir novas substâncias que poderão servir de modelo para transformações químicas futuras, visando a obtenção de análogos e o estabelecimento de relações estrutura-atividade. O uso de técnicas hifenadas deve permitir a determinação da composição dos extratos vegetais em estudo com maior eficiência, suprimindo-se as etapas de isolamento de substâncias conhecidas. (AU)
Página 3 de 279 resultado(s)
|
Exportar 0 registro(s) selecionado(s) | Limpar seleção
CDi/FAPESP - Centro de Documentação e Informação da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo

R. Pio XI, 1500 - Alto da Lapa - CEP 05468-901 - São Paulo/SP - Brasil
cdi@fapesp.br - Converse com a FAPESP