Pesquisa avançada

X

Criar um alerta por e-mail


Novos resultados para a sua pesquisa em seu e-mail, semanalmente.

Seu e-mail:

Tamanho do e-mail:



Seu endereço de e-mail não será divulgado.

Refine sua pesquisa

Pesquisa
  • Uma ou mais palavras adicionais
Publicações científicas
  • Auxílios à Pesquisa
  • Bolsas
  • Programas voltados a Temas Específicos
  • Programas de Pesquisa direcionados a Aplicações
  • Programas de Infraestrutura de Pesquisa
  • Área do conhecimento
  • Situação
  • Ano de início
URL curtoExcel (CSV)Alerta por e-mail   RSS
Página 3 de 338 resultado(s)
|
Resumo

Cerca de 20.000 acidentes ofídicos ocorrem por ano no Brasil, e destes casos 0,4% chegam ao óbito. Muitos efeitos colaterais são atribuídos à soroterapia, uma vez que, são administrados anticorpos estranhos ao nosso organismo. Há ainda, a difícil neutralização da lesão tecidual local no envenenamento provocado por serpentes do gênero Bothrops sp. e Crotalus sp. Na busca por terapias alternativas complementares e mais econômicas recorre-se ao uso de plantas medicinais. A utilização de extratos vegetais é comum em locais onde o acesso à soroterapia se torna demorado ou quase impossível. A flora brasileira possui uma ampla variedade de plantas medicinais com potencial antiofídico. Muitas espécies da flora brasileira são pouco estudadas quanto à avaliação da eficácia e dos efeitos terapêuticos de extratos brutos vegetais e compostos isolados. Uma dessas plantas é a espécie Serjania erecta Radlk, conhecida popularmente como “retrato de teiú” e “cipó cinco folhas”, pertencente á família das Sapindaceas. Em estudo anterior foi realizada a detecção de metabólitos secundários de interesse farmacológico, como flavonóides e saponinas. Até hoje não foi realizado nenhum estudo avaliando o potencial antiofídico desta espécie vegetal. Outra espécie da mesma família, Sapindus saponaria L., comumente denominada saboneteira, morcegueira ou cassiteira é caracterizada como um complexo químico com diversas atividades e ações farmacológicas devido a presença de lipídeos, flavonóides e saponinas. Outra espécie vegetal é a Schizolobium parahyba, conhecida popularmente como guapuruvú; e umbela;, pertencente á família Caesalpinoideae e que é usada na forma de chá e infusão no tratamento de acidentes ofídicos. Desde o ponto de vista biotecnológico é interessante o uso de cultura de células vegetais para a obtenção de compostos biologicamente ativos, uma vez que essa produção independente de condições climáticas e ambientais. Até hoje não foi realizado nenhum estudo avaliando o potencial antiofídico destas espécies vegetais, bem como de seus compostos isolados. A obtenção de cultura de células vegetais destas espécies é algo inédito, assim como o estudo de seu potencial farmacológico. Neste estudo será realizado a avaliação da atividade inibitória dos extratos vegetais, das frações e dos compostos isolados de Serjania erecta (in natura e in vitro), Sapindus saponaria (in natura e in vitro) e Schizolobium parahyba (in natura) sobre os efeitos tóxicos e farmacológicos induzidos pelas peçonhas de serpentes do gênero Bothrops e Crotalus, além de proteínas isoladas, a fim de verificar seu potencial antiofídico. Também serão realizados estudos estruturais de interação molecular entre a toxina e seus inibidores através de técnicas experimentais de co-cristalização ou simulação molecular computacional. (AU)

Resumo

O objetivo do presente estudo será avaliar, in vivo, a resposta biológica imediata e tardia de soluções aquosa e etanólica preparadas com extrato vegetal de Araçá (Psidium cattleianum) associadas ao Hidróxido de Cálcio Ca(OH)2 e para o grupo controle será utilizada a pasta de Ca(OH)2 associado a Peopilenoglicol. Para a análise edemogênica (resposta imediata), serão utilizados 30 ratos machos (Rattus norvegicus). Sob anestesia geral, os animais receberão injeção intravenosa de azul de Evans a 1%. Após 30 minutos, será injetado 0,1mL das pastas, na região subcutânea dorsal. Os animais serão sacrificados após 3 e 6 horas e as peças obtidas colocadas em formamida por 72 horas. A leitura da análise edemogênica será realizada em espectrofotômetro com comprimento de onda de 630nm. Para a análise microscópica (resposta tardia), tubos de polietileno contendo as soluções aquosa, etanólica e de propilenoglicol associadas ao Ca(OH)2 serão implantados na região dorsal de 24 ratos machos, que serão mortos após 7, 30, 60 e 90 dias e as peças processadas para interpretação. (AU)

Resumo

A aplicação de ingredientes naturais em alimentos, fármacos e cosméticos tem se tornado uma tendência mundial e despertado o interesse da comunidade científica e de indústrias quanto à investigação fitoquímica e aplicação tecnológica de extratos vegetais, sobretudo aqueles ainda subexplorados. Considerando a biodiversidade brasileira, seu potencial de aproveitamento e a necessidade de um modelo de desenvolvimento econômico sustentável, pesquisas envolvendo produtos genuinamente nacionais assumem uma importância significativa. Nesse sentido, destacam-se as frutas nativas que na maioria das vezes estão restritas às comunidades onde a disseminação ocorre espontaneamente. O consumo regular de frutas, e seus compostos fenólicos, tem sido relacionado à menor incidência de patologias desencadeadas pelo estresse oxidativo como câncer, diabetes, enfermidades cardiovasculares, bem como processos inflamatórios. A crescente preocupação com o uso de antioxidantes sintéticos em alimentos também sugere a necessidade de estudos sobre a composição química e atividade antioxidante destas espécies vegetais. Portanto, este trabalho tem como objetivo avaliar a composição fenólica e o potencial antioxidante in vitro e a atividade anti-inflamatória in vivo de frutíferas nativas brasileiras (polpa, casca, semente de frutos e folhas), ampliando assim as informações disponíveis sobre a composição bioativa, na expectativa de que estes resultados propiciem avanços no conhecimento, contribuam para a preservação da flora nativa e gerem renda aos pequenos produtores. (AU)

Resumo

O perfil metabólico de um extrato de planta nos dá informações sobre os compostos biologicamente ativos presentes no extrato. Este fingerprint tem estimulado abordagens integradas capazes de fornecer informações acerca dos processos de sinergismo e das interações envolvidas nas respostas farmacológicas de matriz es bioativas complexas. Este projeto tem como objetivo contribuir para o conhecimento da composição química de sementes de cumaru (Dypterix odorata), através do estabelecimento do perfil eletroforetico (fingerprint) de metabólitos secundários presentes em extratos polares e apolares, caracterizar o perfil termoanalítico da semente, com quantificação da cumarina e avaliar a atividade antioxidante dos extratos brutos, tentando identificar qual/quais os metabólitos secundários estão envolvidos nesta atividade. A semente de Cumaru é bastante utilizada na região norte para a fabricação de xaropes, os quais são empregados como antiespasmódicos, podendo ser também empregada com aplicações farmacológicas e cosméticas. Apesar disto, não existem, até o momento, relatos a respeito da composição total de metabólitos secundários dos extratos das sementes. (AU)

Resumo

O bolsista irá participar das atividades relativas aos itens 1.1, 3.1, 3.3 e 4 dos objetivos do projeto temáticos e as metodologias são descritas abaixo. Item 1.1. Para formigas cortadeiras: Os efeitos tóxicos de extratos vegetais e compostos puros serão avaliados através de bioensaios, envolvendo aplicação tópica e incorporação em dietas artificiais sólidas conforme metodologia já desenvolvida pelo grupo. Para estes ensaios as operárias serão mantidas isoladas do formigueiro. Eles serão realizados através de aplicação tópica no pronoto das formigas (contato) e da incorporação em dietas artificiais (ingestão). As operárias de saúvas serão mantidas em placas de Petri (isoladas dos formigueiros) em estufa de BOD a 25 ± 1oC, com leituras diárias de mortalidade. Item 3. Efeito tóxico de iscas para o formigueiro no laboratório e no campo. 3.1. Incorporações em iscas, microformigueiros e ninhos incipientes de laboratório serão tratados com o material pesquisado, incorporado em iscas atrativas, e a avaliação dos resultados será realizada através de determinação do consumo foliar, de medidas do jardim de fungo, da coleta do lixo e contagem de formigas mortas, além de observações gerais de comportamento. No desenvolvimento de novas iscas deverão ser utilizados compostos que em ensaios de atratividade apresentem-se ativos e a incorporação dos compostos inseticidas e fungicidas deverá ser testada em microencapsulamentos. Para a produção de iscas granuladas o grupo de pesquisa conta com uma pequena peletizadora. Os produtos que mostrarem boa atividade para os formigueiros de laboratório deverão ser testados finalmente em formigueiros de campo, através da aplicação de iscas granuladas. 3.3. Análise das formas alternativas de controle de formigas cortadeiras em canaviais Estas análises compreenderão testes de nebulização e termonebulização que serão realizados em três etapas distintas. Os produtos selecionados, dentre os já testados em laboratório pelo grupo, serão testados em sauveiros naturais em canaviais, utilizando técnica de nebulização com aquecimento e sem aquecimento. Inicialmente serão testados em ninhos incipientes (6 meses), ninhos médios (até 10 m2) e ninhos grandes (acima de 20 m2). Para cada etapa serão selecionadas 10 colônias ativas de saúva que, após um levantamento prévio da área, serão marcadas com estacas de madeira e identificadas por números. Depois, realizar-se-ão as medidas (maior comprimento e maior largura) para determinação da área do formigueiro e posterior dosagem do produto. O tamanho dos formigueiros tratados será estimado pelo método tradicional de terra solta e depois pela medida máxima entre os olheiros ativos, observados no momento da aplicação. Os ninhos serão avaliados por um período de 120 dias. Para realização dos testes serão selecionadas áreas de cultura de cana-de-açúcar, nas Usinas associadas ao Centro Tecnológico Canavieiras (CTC) em várias regiões do estado de São Paulo. O desenvolvimento deste item terá a colaboração efetiva do Centro Tecnológico Canavieiras (antiga Copersucar) colocando áreas de plantios à disposição e mão de obra especializada no controle de formigas cortadeiras. Também, terá a colaboração das empresas especializadas em termonebulização PULSFOG - Equipamentos, que atuará no desenvolvimento de um novo equipamento de nebulização sem a necessidade de aquecimento. Isto será fundamental para não alterar os produtos naturais. (AU)

Resumo

Esta proposta tem como objetivo investigar a composição química de diferentes estruturas secretoras presentes em espécies de Bignoniaceae, Malpighiaceae, Fabaceae e Rubiaceae com foco na elucidação do papel ecológico e funcional dos principais constituintes químicos secretados, prioritariamente em relação papel das glândulas florais nas interações com os polinizadores. Em Bignoniaceae serão estudados a relação do padrão de constituintes químicos da secreção produzida pelos tricomas florais e osmóforos nas espécies Zeyheria montana, Jacaranda oxyphylla, Jacaranda decurrens e Anemopaegna glaucum com as necessidades biológicas e comportamento dos respectivos grupos de polinizadores e/ou com a proteção das estruturas reprodutivas, conforme hipóteses levantadas no módulo 2 do projeto. Nas Fabaceae serão enfocados os estudos de composição química de diferentes estruturas secretoras, especialmente quanto ao papel do epitélio secretor em diferentes estádios de desenvolvimento de Copaifera langsdorfii, tricomas secretores ocos de Indigofera microcarpa, avaliação das similaridades da composição química das estruturas produtoras de taninos em Dimorphandra e Stryphnodendron e nectários florais em Erythrina, considerando-se as diferentes hipóteses apresentadas no módulo 4 do projeto. Em Malpiguiaceae serão estudadas a composição química da secreção de glândulas calicinais e foliares e o papel destes compostos nas interações, conforme hipóteses levantadas no módulo 5 do projeto. Na família Rubiaceae serão estudados a composição química de coléteres em diferentes espécies noduladas e não noduladas (Palicourea marcgravii, Psychotria sessilis, Borreria capitata, Richardia grandiflora e Tocoyena sp), tendo em vista determinar se a composição química da secreção influencia a presença de nódulos bacterianos, conforme proposto no módulo 6 do projeto. O projeto envolve atividades de campo incluindo a coleta de material vegetal para produção de extratos e de amostras das estruturas secretoras para estudos da composição química. A amostragem será feita em diferentes épocas do ano, considerando-se o período de floração de algumas das espécies a serem estudadas. A análise da composição química das secreções e extratos vegetais será feita por cromatografia em camada delgada e por cromatografia gasosa acoplada a espectrometria de massa a partir de micro-amostragem de estruturas secretoras submetidas á técnica de head-space ou de extratos vegetais. As atividades a serem desenvolvidas nesta Bolsa de Pós-doutorado permeiam quatro dentre os seis módulos do projeto, já que a análise química das estruturas secretoras é um dos focos principais do projeto temático como um todo. Os estudos de composição química das diferentes secreções são essenciais para a comprovação ou refutação das hipóteses levantadas nestes diferentes módulos de pesquisa. Assim sendo, a participação de um profissional com formação adequada na área, especialmente com domínio das técnicas de cromatografia gasosa acoplada a espectrometria de massa será fundamental no desenvolvimento das atividades previstas no projeto e de responsabilidade do pesquisador principal envolvido nestes estudos. Em adição, tal incorporação representaria uma importante contribuição na formação de recursos humanos na interface entre a biologia/ecologia com a fitoquímica, área carente de profissionais capacitados no país. Além deste pós-doutorando participar de diferentes publicações científicas, o mesmo deverá se envolver com a formação de recursos humanos em diferentes níveis, tanto em iniciação científica como de pós-graduação, como forma de ampliação de possibilidades de atuação na unidade executora do projeto, participar de eventos científicos, assim como propor e viabilizar parcerias científicas para avanços dos conhecimentos na interação biologia-química. (AU)

Resumo

O uso de fitoterápicos padronizados com assegurada comprovação de eficácia e segurança tem apresentado resultados terapêuticos surpreendentes em diversos países. Contudo, no Brasil há deficiências na correta caracterização química das matérias-primas e escassez de ensaios farmacológicos e toxicológicos desses materiais, etapas essenciais para assegurar eficácia e segurança dos fitoterápicos. Este projeto abordará o estudo químico-farmacológico de plantas do Estado de São Paulo. Pretende-se elaborar estratégias analíticas que permitirão a padronização quali e quantitativa de um extrato vegetal, incluindo identificação de classes de sustâncias, de marcadores químicos, ou ainda dos princípios ativos. A padronização de extratos permite também a comparação da composição química de espécies pertencentes a um mesmo gênero (evitando duplicação de esforços fitoquímicos/farmacológicos), bem como o planejamento de estratégias focalizadas para o isolamento de substâncias potencialmente desconhecidas e a investigação de extratos complexos, nos casos em que o fracionamento seja inviável.Esse procedimento se iniciará com o clean-up de extratos orgânicos/infusões por meio de extração em fase sólida e/ou extração líquido-líquido, seguido pelo screening por HPLC-PDA/HPLC-MS. Quando pertinente, será também avaliada a pureza enantiomérica das substâncias detectadas, usando-se HPLC-CD-PDA. Caso necessário, proceder-se-á à transposição para escala [semi]preparativa, para o isolamento das substâncias-alvo, a fim de obter substâncias em grau de pureza e quantidades adequadas para a caracterização estrutural, construção de curvas analíticas, geração de banco de dados e execução de bioensaios.Iniciaremos com espécies de Machaerium (Fabaceae) do cerrado do estado de São Paulo, no isolamento e identificação das substâncias presentes nos extratos vegetais, acompanhada dos ensaios farmacológicos para as atividades antiúlcera, antiinflamatória/analgésica, antimutagênica e mutagênica. De acordo com a literatura, algumas espécies de Machaerium (Fabaceae) são de uso etnofarmacológico como é o caso de Machaerium hirtum, a qual é uma planta cujas cascas são utilizadas popularmente contra diarréias, tosse e câncer. É popularmente conhecida como Adolfo e bico-de-andorinha. Espécies pertencentes a este gênero produzem principalmente flavonóides como isoflavonas, pterocarpanos, neo-flavonóides, flavanonas, isoflavanas, chalconas e ainda, benzoquinonas, arilcoumarinas e cinamilfenóis. O extrato etanólico das raízes de M. aristulatum e bem como suas isoflavonas apresentaram atividade anti-giardial.As atividades biológicas envolvem a aplicação no tratamento das doenças crônicas mais prevalentes na população brasileira. Extratos serão preparados de acordo com normas farmacopêicas e avaliados sob aspectos farmacológicos e toxicológicos (em parcerias com outros grupos). Os extratos mais promissores serão padronizados de acordo com normas internacionais, com vistas a incrementar a lista das 71 espécies sugeridas pelo Ministério da Saúde para o desenvolvimento de remédios e suprir as necessidades dos planos governamentais de saúde. (AU)

Resumo

Os estudos fitoquímicos realizados pelo Laboratório de Química de Produtos Naturais do IQ-USP com espécies de Iryanthera (Myristicaceae) revelaram a presença de dezenas de substâncias pertencentes às classes das lignanas, neolignanas, flavonóides, lactonas policetídicas, tocotrienóis e, mais recentemente, biflavonóides e flavonolignóides. A presença de tocotrienóis - análogos da vitamina E- e de substâncias poliidroxiladas - por exemplo, flavonolignóides- nos frutos de Iryanthera, sugeriu tratar-se de substâncias com atividade antioxidante por suas características estruturais e pelo fato do alto teor de ácidos graxos e triglicerídeos encontrado nos frutos de miristicáceas, em geral, tomá-los extremamente susceptíveis aos processos oxidativos que degeneram as membranas lipídicas e organelas celulares, o que invibializaria as sementes e comprometeria o processo reprodutivo. Pretende-se enfatizar a investigação da atividade antioxidante dos frutos de espécies de Iryanthera com o intuito de se descobrir novas substâncias que poderão servir de modelo para transformações químicas futuras, visando a obtenção de análogos e o estabelecimento de relações estrutura-atividade. O uso de técnicas hifenadas deve permitir a determinação da composição dos extratos vegetais em estudo com maior eficiência, suprimindo-se as etapas de isolamento de substâncias conhecidas. (AU)

Resumo

Será desenvolvida uma metodologia de triagem de extratos vegetais e substâncias puras frente à enzima glicossomal gliceraldeido-3-fosfato desidrogenase (GAPDH) de Tripanosoma cruzi, agente etiológido da doença de Chagas. Os produtos naturais representam a maior fonte de substâncias com grande diversidade estrutural, e por isso apresentam um amplo potencial biológico. O uso de receptores alvo para biomonitorar o fracionamento de extratos ativos é uma nova estratégia na busca de produtos naturais bioativos. Recentemente, enzimas têm sido usadas para biomonitorar o fracionamento de extratos ativos na busca de compostos de partida para a terapia anticancerígena. Pretende-se, com este trabalho, obter compostos de partida com atividade inibitória frente à enzima GAPDH e, baseando-se na otimização por planejamento racional de drogas baseado em estruturas, desenvolver uma droga antichagásica, através do estudo estrutural de seus complexos com a enzima alvo. (AU)

Resumo

A mionecrose promovida pelos venenos de serpentes do gênero Bothrops constitui um efeito tóxico local severo, visto que não é eficientemente neutralizado pela soroterapia, podendo levar à perda tecidual permanente. Este efeito é atribuído principalmente à ação de fosfofolipases A2 (PLA2s) miotóxicas presentes nesses venenos. A pirotoxina-I (PrTX-l), isolada do veneno da Bothrops pirajai, e uma miotoxina PLA2 praticamente destituída de atividade enzimática. Associada à atividade miotóxica esta toxina também promove a paralisia da musculatura esquelética em preparações neuromusculares in vitro. Substâncias polianiônicas como a heparina são capazes de neutralizar a atividade de algumas PLA2 miotóxicas, após pré-incubação in vitro. Assim, além de representarem um possível avanço no tratamento das mionecroses, estes agentes constituem ferramentas importantes para o esclarecimento do sítio e do mecanismo de ação das miotoxinas PLA2. No Brasil, extratos vegetais são amplamente utilizados na tentativa de neutralizar a atividade tóxica de venenos animais por comunidades que não têm acesso à soroterapia. Há evidências de que o extrato aquoso da Casearia sylvestris neutraliza efeitos tóxicos de venenos brutos de vários gêneros de serpentes. Assim, este projeto tem por objetivo investigar a influência da heparina e do extrato aquoso de Casearia sylvestris sobre as atividades miotóxica e paralisante da PrTX-I em preparação neuromuscular isoladas de camundongos e pintainhos, através de estudo funcional e morfológico. (AU)

Resumo

A familia Asteraceae reúne diversas espécies com reconhecida capacidade biossintética. A gama de metabólitos secundários produzidos por elas pode resultar em efeitos terapêuticos ou tóxicos. A espécie Calendula officinalis (Linné) é originária do mediterrâneo e vem sendo aclimatada em todo o mundo. No Brasil seu cultivo data da época da colonização, sendo utilizada tanto para fins medicinais como ornamentais. Apesar de vários estudos terem isolado e identificado diversas classes de metabólitos secundários em extratos de C. Officinalis, apontando o potencial terapêutico, em diversos situações, não se conhece qual é a influência da composição do solo na biossíntese destes metabólitos. A verificação da variabilidade da produção de metabólitos secundários em diferentes condições de cultivo poderá ser de grande utilidade no estabelecimento de condições que maximizem a produção de determinados metabólitos. Para tal, a utilização de metodologia analítica rápida, eficaz e que proporcione identificação inequívoca das classes químicas, como o CLAE-DAD-MS, se faz necessária. O estudo destas possíveis variações certamente contribuirá para a produção de extratos vegetais padronizados e com maior concentração de ativos em C. officinalis no Brasil. (AU)

Resumo

As pesquisas de bioprospecção dos projetos "Conservation and sustainable use of the plant diversity from Cerrado and Atlantic forest: chemical diversity and prospection for potential drugs," (Processo nº. 98/5074-0 e nº 03/02176-7) Biota-FAPESP e "Search for potential antitumoral, antioxidant, antiinflammatory, antifungal, antidiabetic, acetylcholinesterase and mieloperoxidase inhibitory natural compounds from Cerrado and Atlantic Forest" (Processo FAPESP nº 2004/07932-7), têm como um dos principais objetivos a avaliação da atividade biológica de extratos da flora paulista. Na fase atual dos projetos, o NuBBE (Núcleo de Bioensaios, Biossíntese e Ecofisiologia de Produtos Naturais) conta com um banco de extratos vegetais com cerca de 1700 espécies. Estudos químicos das espécies mais promissoras revelaram a presença de substâncias naturais bioativas pertencentes às mais diversas classes de produto? naturais, como, alcalóides, flavonóides, lignanas, terpenos etc. Dentro dessa perspectiva e dando continuidade ao estudo de espécies do Estado de São Paulo, pretende-se realizar o estudo fitoquímico da casca dos frutos e das folhas da espécie Myrciaria caulilora, que pertencente à família Myrtaceae e é conhecida popularmente como jaboticabeira, visando o isolamento de substâncias antioxidantes, dentre elas antocianinas, antocianidinas e outras substâncias fenólicas, e citotóxicas. (AU)

Resumo

Neste trabalho pretende-se estudar o efeito associado de meliáceas com o isolado 477 de Beauveria bassiana sobre a mosca-branca Bemisia tabaci Biótipo B em soja. Numa primeira fase será realizada a seleção dos extratos aquosos de meliáceas com efeito ninficida sobre a mosca-branca; a seguir será avaliada a compatibilidade de extratos de meliáceas com o isolado do fungo entomopatogêníco e na terceira fase será avaliado o efeito de associação dos extratos mais eficientes e do isolado fúngico. Serão utilizados extratos de folhas e ramos de três espécies de Trichilia (T. pallida, T. claussenii e T. ellegans) e de sementes de nim (Azadirachta indica). O trabalho tem como objetivo avaliar o potencial ainda pouco explorado das plantas inseticidas e fungos entomopatogênicos para controle de mosca-branca, visto que o uso de extratos vegetais associado a fungos entomopatogênicos pode ser uma alternativa interessante para controle de pragas. (AU)

Resumo

A Amazônia é rica em espécies vegetais, a qual potencialmente pode contribuir para a descoberta de novos fármacos. Em vistas ao estudo em larga escala do potencial farmacológico e fitoquímico da biodiversidade brasileira, o grupo de pesquisa do Laboratório de Extração da UNIP implementou estudos de triagem farmacológica de extratos vegetais há mais de dez anos, com auxílio FAPESP 99/05904-6. Dos estudos realizados neste período, foi identificado que o extrato orgânico das folhas de Macrolobium multijugum apresentou atividade contra a bactéria Gram positiva Enterococcus faecalis, microorganismo de extrema importância em algumas patologias humanas, como infecções do trato aéreo e urinário, endodontia e septicemia. A partir destes resultados, será realizado o fracionamento biodirecionado com técnicas cromatográficas de modo a isolar os compostos majoritários, para que possam ser testados no modelo biológico da microdiluição em caldo e, assim, obter os valores referentes à concentração inibitória mínima e concentração bactericida mínima e compará-los com os valores obtidos para o extrato orgânico e para antibióticos de referência. (AU)

Resumo

Este trabalho objetiva testar extratos de plantas Amazônicas que tiveram ação inibitória no micro-organismo presente na cavidade oral (S. mutans) em biofilme dental in vitro tentando promover sua desestruturação ou inibir sua formação. As principais razões pelas quais as bactérias se estruturam num biofilme são a aquisição de maior proteção contra as defesas naturais do hospedeiro, essas características permitem que diferentes bactérias se organizem como colônias, e como comunidade, se auxiliem, através de seus fatores de virulência, que se demonstram potencializados e consequentemente mais resistentes ás condições. Existe uma busca por um agente químico que controle a microbiota da cavidade bucal,seja inócuo aos tecidos bucais,reduza ou elimine o biofilme bacteriano,não favoreça o aparecimento de resistência bacteriana e que não manche os dentes. O fato de nenhum dos produtos disponíveis comercialmente apresentar essas características aumenta a perspectiva de se pesquisar produtos de originados da Floresta Amazônica demonstrando assim a grande importância deste projeto. (AU)

Resumo

A leishmaniose tegumentar americana é doença infecciosa causada por parasitas do gênero Leishmania. O tratamento é realizado a base de antimônio, sendo que a busca de drogas alternativas, é feita a partir de plantas medicinais. Plantas são uma fonte importante de produtos naturais biologicamente ativos, apresentando diversas atividades farmacológicas, incluindo antitumoral, antiinflamatória, antibiótica e parasitária. O presente projeto visa a avaliação do potencial terapêutico da espécie Cássia fistula no tratamento da Leishmaniose, uma espécie pertencente à família Leguminosae, cujo extrato metanólico bruto apresentou uma promissora atividade contra a forma promastigosta de Leishmania chagasi. Pretende-se submeter os extratos ativos às diversas etapas de partição e cromatografia com o intuito de se isolar a substância responsável pela atividade. O estudo incluirá a avaliação da eficácia in vitro de extratos e frações obtidos a partir de tecidos vegetais desta espécie contra formas promastigotas de Leishmania chagasi, e também suas respectivas citotoxicidades, através de ensaios in vitro contra linhagens celulares de mamíferos. O isolamento e a identificação das substâncias serão realizados por meio de técnicas cromatográficas associadas às técnicas espectroscópicas. (AU)

Resumo

Neste projeto de Iniciação Científica serão desenvolvidos estudos cinéticos da oxidação quimiluminescente do luminol por peróxido de hidrogênio, catalisada por hemina, utilizando-se como meios de reação micelas aniônicas e neutras. A reação será caracterizada estudando-se a dependência dos parâmetros intensidade de emissão, rendimento quântico e constante de velocidade de decaimento com as concentrações dos reagentes e dos surfactantes. Com base nestes estudos será definida a condição experimental ideal para o uso da reação luminol nestes meios como ensaio para a determinação da capacidade anti-radicalar de substâncias puras e misturas como extratos vegetais. Os ensaios estabelecidos nestes meios serão utilizados para a determinação da capacidade anti-radicalar principalmente de substâncias lipofílicas, insolúveis ou muito pouco solúveis em meio aquoso. Os valores da capacidade anti-radicalar obtidos neste trabalho serão comparados com aqueles já determinados no grupo em meio aquoso quando possível e com resultados obtidos com um ensaio utilizando-se meios micelares catiônicos. (AU)

Resumo

Há muitos anos diversas plantas são utilizadas pela humanidade com a finalidade de curar doenças. Com o passar do tempo, a ciência começou a estudar essas chamadas plantas medicinais para comprovar, ou não, o seu uso popular. No entanto, várias plantas ainda não têm todas as suas atividades farmacológicas comprovadas cientificamente, e tantas outras não têm estudos da melhor forma farmacêutica em que devem ser utilizadas para uma otimização da sua ação. Este projeto tem como objetivo estudar a atividade antimicrobiana dos extratos e de um sabonete líquido contendo os extratos das plantas Achillea millefolium L e Stryphnodendron adstringens (Mart.) Coville contra as bactérias Staphylococcus aureus, Staphylococcus epidermidis, da superfície corporal e Escherichia coli, agente patogênico que, eventualmente, pode ser encontrado, por exemplo, nas mãos. Esta proposta visa a obtenção de um produto que pode contribuir para o processo de higiene da superfície corporal, tão necessário para evitar a transmissão de doenças causadas por estas bactérias. (AU)

Resumo

A grande diversidade de espécies vegetais disponíveis no Brasil desperta interesse das indústrias farmacêuticas e dos grupos de pesquisa direcionados ao desenvolvimento de novos produtos, sejam eles medicamentos, cosméticos ou produtos para indústria química em geral. Em função de a flora brasileira ser vasta erica em espécies, a atividade antiinflamatória de algumas espécies são bem conhecidas, enquanto outras, pouco exploradas. Por tudo isso pretende-se, neste trabalho, avaliar a atividade antiinflamatória dos frutos de Dlmorphandra mollis Benth. Será realizada primeiramente uma caracterização botânica macro e microscópica do fruto Após isto será obtido o extailo etanólico a 70% e será feita uma análise fitoquímica preliminar para avaliar a presença de flavonóides no fruto. O extrato etanólico será evaporado e ressuspendido em propilenoglicoí para a sua incorporação em um creme base. A atividade antiinflamatória do creme será testada em camundongos da espécie Mus musculus, e sua atividade será comparada com a atividade do creme base sem o extrato vegetal. (AU)

Resumo

Este projeto tem como propósito a montagem de um equipamento de extração supercrítica para a realização de trabalhos futuros na obtenção de extratos vegetais de frutos tropicais brasileiros. O solvente a ser empregado será o dióxido de carbono, que tem sido amplamente empregado nesse tipo de extração por proporcionar extratos livres de solventes orgânicos, altamente purificados e sem perdas de componentes termosensíveis, devido à sua baixa temperatura crítica (31ºC). No desenvolvimento de um processo de extração supercrítica, o conhecimento das solubilidades dos componentes no solvente utilizado em função das condições operacionais de pressão e temperatura é a medida física de maior relevância, já que estará indicando se há possibilidade de extração, o quanto será extraído e até mesmo indicar possibilidades de fracionamento. Para que se obtenha dados experimentais de solubilidade confiáveis, no equipamento construído, a validação dos dados obtidos com aqueles presentes na literatura se faz de extrema necessidade. Após a montagem do equipamento, alguns dados experimentais confiáveis de solubilidade em dióxido de carbono supercrítico, da literatura, serão tomados como parâmetro para verificar se o equipamento construído reproduzirá estes valores. A reprodutibilidade de dados confiáveis proporcionar a validação da metodologia de extração e indicar o bom ajuste do equipamento. (AU)

Resumo

O estudo do potencial antimicrobiano de plantas é importante, já que muitos metabólitos secundários de plantas apresentam atividade antimicrobiana e porque os atuais antifúngicos apresentam certa toxicidade e cepas resistentes vêm se tomando mais freqüentes. Algumas plantas como Eugenia pyriformis, popularmente conhecida como "uvaia", da família Myrtaceae, são empregadas em casos de gripe, febre e disenteria mas ainda não tiveram sua atividade comprovada por estudos científicos. Em contrapartida, Stryphnodendron adstringens, da família Leguminosae, popularmente conhecido como "barbatimão" é utilizado como antimícrobiano e cicatrizante, tendo estas atividades já comprovadas, porém, não foram encontrados relatos de estudos sobre o mecanismo de ação antimicrobiana. Este projeto destina-se à avaliação de atividade antimicrobiana contra Candida albicans de extratos de E. pyriformis e S. adstringens. Faz parte dos objetivos o estudo do mecanismo de ação anti-Candida, analisando o perfil protéico obtida pela ação dos extratos vegetais das espécies citadas. (AU)

Resumo

O uso de plantas com finalidades terapêuticas foram evidentes em toda história da Humanidade. Dentre os principais empregos destacam-se estudos sobre atividade antimicrobiana usando extratos de plantas como um todo ou de parte delas como caule, raízes, folhas. Tais estudos fornecem uma nova fonte de princípios ativos para utilização em inúmeras preparações farmacêuticas. O objetivo deste projeto consiste na investigação da atividade antimicrobiana e citotóxica de constituintes de plantas, como extratos brutos ou frações, para detectar extratos potencialmente ativos. Tais atividades serão realizadas nas espécies vegetais: Baccharis trimera, Portulaca oleracea e Portulaca grandiflora. A investigação da atividade antimicrobiana de extratos brutos e frações, para encontrar compostos potencialmente ativos poderá gerar novos líderes para drogas ou a utilização dos mesmos em produtos fitocosméticos e que apresentem segurança quanto a citotoxicidade. (AU)

Resumo

As espécies vegetais Kielmeyera coriacea e Pyrostegia venusta são utilizadas atualmente na medicina folclórica no tratamento de diversas doenças. Estudos bioquímicos revelam a presença de xantonas em extratos de K. coriacea, componente que apresenta atividade antileucêmica e antitumoral, além de outras, e o composto β-sitosterol em extratos de. P. venusta, o qual tem sido associado à atividade antitumoral e anticarcerigena. Com tais evidências, ambas possuem o potencial para cura de muitas doenças, contudo, como tradicionalmente é disseminado que o uso de produtos naturais não é prejudicial à saúde, torna-se necessário o estudo de tais plantas com o objetivo de assegurar a saúde daqueles que fazem uso. A bactéria Agrobaderium tumefaciens causa uma multiplicação celular rápida e sem apoptose em certas espécies vegetais resultando na formação de tumores prejudiciais as plantas, mas por possuírem componentes de ácidos nucléicos e histologia similar aos cânceres animal e humano, acabam por constituírem um ótimo bioteste para novos compostos antitumorais. A toxicidade desses novos compostos pode ser avaliada através do bioensaio de citotoxicidade com Artemia salina, o qual é definido como a estimativa da concentração ou potência de uma substância através da medida de uma resposta biológica produzida. O presente estudo tem por objetivo investigar a potencialidade antitumoral dos extratos das espécies K. coriacea e P. venusta, por meio da utilização do bioensaio de inibição de tumor em discos de batata induzido por A. tumefacies, além de investigar a citotoxicidade dos mesmos através do bioteste com A. salina. (AU)

Resumo

Este projeto pretende elaborar estratégias analíticas que permitam uma avaliação quali e quantitativa dos componentes de um extrato vegetal, bem como a comparação de espécies pertencentes a um mesmo gênero - evitando a duplicação de esforços fitoquímicos e farmacológicos; baseia-se no planejamento de estratégias focalizadas para o isolamento de substâncias potencialmente desconhecidas e, extremamente importante, viabiliza a investigação de extratos complexos em casos que o fracionamento é inviável. O projeto se fundamenta no tratamento de extratos orgânicos polares/infusões por meio da SPE e LLE. Este pré-tratamento é, reconhecidamente, etapa crucial para a eliminação de interferentes, para, em seguida, realizar o screening da composição química do extrato por HPLC-PDA/HPLC-MS. A abordagem proposta ainda inclui a transposição para escala [semi]-preparativa, para o isolamento das substâncias-alvo, a fim de obter substâncias em grau de pureza e quantidades adequadas para a caracterização estrutural e execução de bioensaios, objetivos centrais do Projeto Temático. Dentre as espécies atualmente em estudo, iniciaremos com Byrsonimae (Malpighiaceae), focando em B. fagifolia, tendo em vista que as espécies desse gênero são complexas e ricas em flavonóides, catequinas, proantocianidinas e derivados do ácido galoilquínico, sendo que esta última classe é rara e possui atividades biológicas significativas. (AU)

Resumo

As plantas são fonte de substâncias biologicamente ativas, muitas das quais se constituem modelos para síntese de fármacos. Estes metabólitos revelam grande diversidade de estrutura e de propriedades biológicas. Porém, a composição química das espécies vegetais ainda está longe de ser descrita em sua totalidade, mesmo uma grande quantidade de substâncias, já isoladas e com estruturas químicas definidas, ainda não foi avaliada quanto às atividades biológicas e farmacológicas. Este projeto visa contribuir para investigação de plantas pertencentes ao gênero Astronium do Estado de São Paulo, através de um estudo farmacoquímico, ou seja, isolamento e identificação das substâncias presentes nos extratos vegetais, acompanhada de ensaios farmacológicos para atividades antimicrobiana, antiúlcera, antioxidante e antiinflamatório-analgésica, já que a espécie A. urundeuva apresenta, segundo a literatura, atividades antiulcerogênica e antiinflamatória e, na medicina popular atua contra reumatismo, úlceras da pele e dor de dente. O estudo será realizado em colaboração com grupos de pesquisas de Farmacologia de PN do IB-UNICAMP e do IB-Botucatu-UNESP e de Ciências Biológicas da FCF-Ar-UNESP. Tem-se como proposta contribuir para aprofundar os conhecimentos sobre as plantas que ocorrem no Estado (já inventariadas com o projeto Temático BIOTA/FAPESP 02/05503-6). (AU)

Resumo

As plantas possuem produtos biologicamente ativos responsáveis pela sua atividade farmacológica ou toxicidade. Em busca da investigação de novas drogas, ensaios de genotoxicidade tornam-se cada vez mais necessários. Em contrapartida, a procura de compostos com atividade antimutagênica são necessárias, para a proteção dos seres humanos expostos continuamente a agentes mutagênicos ambientais, alimentícios, entre outros. A Pterogynenitens pertencente à família Leguminosae-Caesalpioideae é uma dessas espécies que pouco se sabe sobre seu valor medicinal, potencial genotóxico e antimutagênico. A avaliação do potencial genotóxico e antimutagênico das frações semipurificadas de P. nitens será realizada através do ensaio de micronúcleos em Tradescantia pallida. Este teste possui alta sensibilidade a agentes tóxicos e baseia-se na análise de micronúcleos resultantes da quebra de cromossomos em células-mãe meióticas de grão de pólen. Para testar a genotoxicidade, hastes de T. pallida são coletadas, para os grupos teste (frações semipurificadas de P. nitens em diferentes concentrações) e controles (positivo, negativo e de veículo). As frações que não forem genotóxicas serão avaliadas para o seu potencial efeito antimutagênico, utilizando ensaio de proteção com as frações e submetendo as inflorescências de T.pallida a um agente sabidamente indutor de quebra de DNA (formol 10000 ppm). Esse ensaio será acompanhado de controles positivo, negativo e de veículo. (AU)

Resumo

A cárie é uma doença multifatorial em que a participação de microrganismos acidogênicos é de fundamental importância. O objetivo desse estudo é avaliar o efeito da aplicação semanal de um verniz contendo extrato de araçá (Psidium cattleianum) sobre a microbiota cariogênica de ratos submetidos a desafio cariogênico e a ocorrência de novas lesões cariosas. Serão empregados 80 ratos (Rattus norvegicus albinus variedade Wistar) divididos em 4 grupos experimentais, que serão submetidos (grupos II e IV) ou não (grupos I e III) à remoção cirúrgica de suas glândulas salivares maiores e uso de dieta cariogênica (todos os grupos) e aplicação do verniz contendo o extrato vegetal (grupos I e II) ou apenas a base do verniz (grupo III e IV). Os animais serão sacrificados após 90 dias e os maxilares examinados segundo os critérios de Keyes. Será analisada a participação de estreptococos do grupo mutans na composição da microbiota bucal dos roedores ao longo do experimento nos diferentes grupos. Também será avaliada a susceptibilidade de estreptococos do grupo mutans ao verniz testado, utilizando-se o método de difusão em ágar, e ao extrato aquoso de araçá, pelo método de diluição em ágar. A análise dos dados referentes ao ensaio cariogênico será realizada através do teste de Qui-quadrado, enquanto os dados referentes à atividade antimicrobiana serão submetidos ao teste de Kruskall-Wallis. (AU)

Resumo

O greening é atualmente um dos mais importantes problemas fitossanitários da citricultura mundial, causando enormes prejuízos aos citricultores. No Brasil, o greening foi detectado em 2004, e é causado pela bactéria Candidatus Liberibacter asiaticus, transmitida pelo psilídio-vetor Diaphorina citri. Este psilídio ocorre naturalmente nos pomares brasileiros, sendo necessário seu controle para a redução na expansão da doença. O controle de insetos através de produtos naturais extraídos de plantas tem adquirido importância como alternativa aos efeitos negativos causados pelo uso indiscriminado de inseticidas organossintéticos. Sendo assim, propõe-se o desenvolvimento do presente trabalho com o objetivo de avaliar os efeitos da aplicação de extratos vegetais aquosos de folhas e ramos de Trichilia pallens e de sementes de Azadirachta indica e de soluções aquosas de NeemAzal-T/S e Roteline sobre o desenvolvimento de D. citri. Com base nessas informações, poderão ser definidos novos inseticidas naturais que poderão ser usados pelos citricultores, propiciando a redução do crescimento populacional da praga e a conseqüente redução na expansão da doença nos pomares. (AU)

Resumo

O biótipo B de Bemisia tabaci, também conhecido como Bemisia argentifolli Bellows e Perring, vem causando grandes prejuízos socieconômicos, pois é mais agressivo que o biótipo A. Com a maior preocupação com o meio ambiente nas últimas décadas e devido ao surgimento de pragas resistentes, cada vez mais se tem buscado métodos alternativos de controle, como o uso de extratos botânicos. Muitos estudos foram feitos com a meliácea Azadirachta indica A. Juss, conhecida por nim e considerada a planta inseticida mais eficiente. Para evitar o problema da rápida degradação das moléculas inseticidas de A. indica têm-se revelado importante o uso da nanotecnologia, através do encapsulamento de ingredientes ativos. Sendo assim, através deste trabalho, nanoformulações à base de óleo de nim serão testadas quanto a sua eficiência de controle de ninfas de Bemisia tabaci (Genn., 1889) biótipo B, tendo a soja como planta hospedeira. Serão estimadas as CL50 e CL95 para a formulação padrão de óleo de nim, visando selecionar as nanoformulações mais promissoras, para as quais serão avaliados os efeitos sobre as fases de ovo, ninfa e adulta da mosca-branca. (AU)

Resumo

O Brasil é um dos maiores produtores mundiais de tomate, porém grande parte da produção é perdida devido ao ataque de Bemisia tabaci (Genn.) biótipo B. Além dos danos diretos causados pela sucção da seiva das plantas, transmite viroses para a cultura, com perdas da ordem de 40 a 70% da produção. Dentre as alternativas ao controle químico, vêm sendo estudadas atualmente, várias outras técnicas, dentre as quais se inclui o uso de plantas inseticidas, que pode ser uma ferramenta importante no manejo integrado da mosca-branca. No Brasil, pesquisas envolvendo o controle da mosca-branca com o uso de plantas inseticidas são recentes, e envolvem principalmente plantas da família Meliaceae. Até o momento, porém, poucas pesquisas foram realizadas com o timbó, nome popular de um grande número de plantas brasileiras, entre elas, os gêneros Lonchocarpus, Derris e Tephrosia, que possuem rotenonas e rotenóides, principalmente em suas raízes. Outra planta ainda desconhecida é o feijão-macuco ou jacatupé Pachyrrhizus tuberosus (Lam.) Spreng, que possui rotenona em suas sementes. Neste contexto, este trabalho visa avaliar extratos aquosos de quatro plantas inseticidas da família Fabaceae (raízes de Lonchocarpus floribundus Benth., Derris urucu (Killip et Smith) Macbride, e Tephrosia Candida DC e sementes de P. tuberosus), além de algumas formulações comerciais de origem vegetal, sobre B. tabaci biótipo B em tomateiro. (AU)

Resumo

Dentro do contexto do manejo integrado de pragas e vetores, a necessidade da avaliação de novas armas para o controle de insetos de importância médica é uma constante, ainda mais diante dos contínuos registros de resistência aos inseticidas já utilizados rotineiramente. Assim, o presente projeto tem por objetivo avaliar o potencial inseticida de extratos de diversas plantas da flora brasileira por meio de bioensaios de susceptibilidade, em condições de laboratório, utilizando-se o critério de tempo letal mediano. Para aquelas espécies onde houver resultado positivo, será feita a investigação histopatológica dos possíveis tecidos alvo nos insetos tratados. A histopatologia será feita pelas técnicas clássicas de histologia com coloração por hematoxilina-eosina. Os insetos testes a serem avaliados serão o pernilongo doméstico Culex Quinquefasciatus e o mosquito vetor da dengue, Aedes Aegypti, ambos na fase larval, seguindo-se os procedimentos propostos pela organização mundial da saúde. (AU)

Resumo

Nosso intuito principal é examinar extratos de plantas brasileiras em busca de ligantes de receptores nucleares. Os extratos e compostos naturais serão disponibilizados pelo grupo do Prof. Dr. Paulo César Vieira (UFSCAR, São Carlos). Estes extratos e compostos naturais serão adicionados em células transfectadas e aptas para detectarem a presença de atividade agonista ou antagonista do receptor. Os testes celulares serão estabelecidos junto com nossos colaboradores: Professores John D. Baxter, atual Presidente da Sociedade de Endocrinologia dos Estados Unidos e Prof. Paul Webb (ambos da UCSF, San Francisco) e Professores Francisco Neves e Luiz Simeoni (UnB, Brasília). A perspectiva do envolvimento da indústria farmacêutica nacional é um fator importante a ser considerado neste trabalho, já que existem precedentes nesta área, as isoflavonas, presentes na soja e que são conhecidos fitoestrógenos com ações biológicas importantes. Não temos conhecimento de trabalhos na literatura que procurem identificar de forma sistemática compostos derivados de extratos vegetais como possíveis ligantes de receptores nucleares TR e/ou RXR. Certamente, a grande maioria das espécies da flora brasileira ainda não foi investigada quanto a estas propriedades. Após ter estabelecido testes celulares para TR, irão prosseguir testes celulares para RXR. (AU)

Resumo

Agregar novas metodologias ao controle biológico e ao manejo integrado de pragas (MIP) são requisitos básicos para o desenvolvimento de uma agricultura mais sustentável. Por isso, o uso de extratos vegetais e inimigos naturais, associados ou não, apresentam crescente demanda para controle dos níveis populacionais de insetos pragas. No entanto, pesquisas atuais vêm refutando a ideia de que compostos naturais com propriedades biopesticidas sejam mais seguros que compostos sintéticos sobre espécies de insetos não-alvo como os inimigos naturais, dentre eles os crisopídeos. Por serem predadores na fase de larva com ampla variedade de presas, e alto potencial reprodutivo na fase adulta, os crisopídeos, dentre estes Ceraeochrysa claveri, são excelentes modelos biológicos para análises de toxicidade e viabilidade de seu uso associado com compostos naturais em culturas que priorizam a manutenção da biodiversidade. O conhecimento da resposta celular de três órgãos vitais (intestino médio, testículos e ovários) para a manutenção da espécie C. claveri frente à exposição ao biopesticida óleo de nim, assim como a avaliação da capacidade de renovação do epitélio do mesêntero e sua ligação ao processo reprodutivo do inseto exposto ao biopesticida serão resultados importantes e inéditos que trarão contribuições significativas na detecção e caracterização de efeitos sub-letais que prejudicariam a continuidade de um controle biológico natural em um agroecossistema onde se faz uso do óleo de nim, podendo comprometer a perpetuação da espécie não alvo, devido a alterações em seu potencial reprodutivo. (AU)

Resumo

A necessidade da inovação tecnológica de novos ativos naturais no arsenal farmacêutico e/ou cosmético é absoluta. A implementação de estratégias brasileiras de utilização racional e otimizada da biodiversidade é crucial para superar as fragilidades e lacunas da cadeia inovativa e produtiva farmacêutica, propondo mecanismos operacionais capazes de viabilizar a transformação de resultados científicos promissores em resultados econômicos efetivos com impactos socioeconômicos. Estudos de prospecção para o desenvolvimento de inovações como as de substâncias com atividade biológica a partir de plantas são fundamentais devido à grande biodiversidade de nosso país. A busca por novos compostos com facilidade de aquisição, não tóxicos, que apresente estabilidade nas formulações e com atividades biológicas diversas incluindo principalmente a atividade antimicrobiana é necessária principalmente decorrente do aparecimento de micro-organismos resistentes. Tal interesse é diretamente relacionado com o uso popular descrito para a planta Syzygium cumini (L.) Skeels. Este vegetal é popularmente conhecido, no Brasil, como jambolão, jamelão ou azeitona-roxa. Esta planta é encontrada em diversas regiões de nosso país o que retrata sua facilidade de aquisição. O presente trabalho tem por objetivo preparar o extrato do fruto de S. cumini, realizar o controle microbiológico do extrato, desenvolver a formulação e novamente realizar o controle microbiológico da formulação. Com estes compostos ou ativos, pretende-se posteriormente desenvolver outros produtos que possam ser utilizados como anti-sépticos ou conservantes de preparações farmacêuticas ou cosméticas. (AU)

Resumo

Formulações lipídicas foram desenvolvidas para melhorar a instabilidade química e aumentar a absorção de compostos bioativos de cravo da India. Este projeto avaliará a eficácia destas formulações na absorção intestinal utilizando o model de células CaCo-2 (AU)

Resumo

À mastite bovina é caracterizada por processo inflamatório da glândula mamaria e classificada de acordo com a forma de apresentação, podendo ser clínica ou subclínica. O Staphylococcus aureus destaca-se como o principal agente etiologico da mastite contagiosa e importante microorganismo na epidemiologia de doenças veiculadas por alimentos, devido a sua alta prevalência e produção de toxinas termorresistentes causadoras de gastrenterites alimentares ao homem. O tratamento da mastite bovina é realizado através da antibioticoterapia, entretanto seu uso ostensivo e inadequado proporciona resistência bacteriana a diversos princípios ativos. O agente patogênico em estudo, Staphylococcus aureus, apresenta alta resistência aos antimicrobianos disponíveis no mercado. Além da dificuldade de controlar uma enfermidade de grande impacto econômico e epidemiológico, os tratamentos atualmente disponíveis acarretam sérios prejuízos ao consumidor, à indústria e ao rebanho, devido ao risco da presença de resíduos dessas substâncias no produto final. Considerando-se a riqueza da vegetação das plantas nativas do cerrado, a existência de estudos prévios que relatam atividade antimicrobiana de alguns compostos destas plantas bem como o uso já adotado pela população, é essencial o desenvolvimento de projetos nessa perspectiva com o objetivo de gerar benefícios terapêuticos e econômicos. De acordo com a realidade apresentada justifica-se o presente estudo, que tem como objetivo avaliar o potencial de atividade antimicrobiana "in vitro" de algumas plantas nativas do cerrado brasileiro frente ao agente Staphylococcus aureus, isolados de leite mastítico, bem como de outras fontes de contaminação envolvidas na cadeia produtiva do leite consideradas fatores de risco para a ocorrência da doença. (AU)

Resumo

A clonagem de genes em vetores de expressão possibilita a produção de enzimas de organismos patogênicos em organismo heterólogo. Considerando organismos geneticamente modificados e não infectantes podemos produzir proteínas em larga escala. A produção de massa de proteínas possibilita desde a cristalização até testes avançados de triagem de novos fármacos. A enzima arginase é responsável pela conversão do aminoácido L-arginina em ornitina e uréia. Em Leishmania, a enzima arginase desempenha um papel crítico na produção de ornitina que é a molécula precursora de poliaminas (espermina, espermidina). A produção de poliaminas é essencial para o crescimento e multiplicação de Leishmania. O nocaute do gene da enzima arginase de Leishmania demonstrou que a enzima pode ser utilizada como alvo terapêutico. O gene da arginase de Leishmania (Leishmania) amazonensis foi clonado em vetor de expressão heterólogo e em seguida a enzima foi produzida e purificada em larga escala. Extratos vegetais de diversas espécies do Cerrado Tocantinense foram testados e apresentaram inibição da arginase de Leishmania. O sucesso da inibição da arginase in vitro naturalmente conduz aos ensaios de avaliação em culturas de promastigota e em culturas de amastigotas, além da avaliação do potencial terapêutico em modelo animal. Assim este projeto propõe isolar, caracterizar e testar inibidores seletivos de arginase de L. (L.) amazonensis em cultura e em modelo animal de infecção por Leishmania. Além das moléculas obtidas de vegetais também testaremos protótipos de inibidores sintéticos que foram planejados para inibirem a enzima arginase. (AU)

Resumo

As doenças tropicais endêmicas continuam a afetar gravemente a Saúde Pública, no Brasil e no mundo. A dispersão geográfica e as sérias conseqüências sócio-econômicas de enfermidades, que muitas vezes chegam a ser incapacitantes, como a doença de Chagas e a leishmaniose nas suas diferentes formas, são preocupantes. Aliada a este quadro, a terapêutica tradicional requer, em geral, a onerosa internação de pacientes, com a administração parenteral de fármacos, como os antimoniais, arseniais, entre outros, quase sempre, levando às complicações em decorrência da grande toxicidade. Considerando a necessidade urgente de novas alternativas terapêuticas, extratos vegetais e seus constituintes representam fonte de moléculas-protótipo potencialmente ativas nos agentes etiológicos destas endemias. Neste contexto, em projeto anterior, comprovou-se a atividade antimalárica dos alcalóides totais da classe dos isoquinolínicos. Em triagem, posterior, frente à Leishmania (L.) chagasi (formas promastigotas e amastigotas) e Trypanosoma cruzi (formas tripomastigotas), igualmente, verificou-se o potencial antiparasitário dos alcalóides totais, o que permitiu a seleção das espécies de maior interesse, que integram o presente projeto: Annona coriacea Mart. e A. crassiflora Mart encontradas na flora do Estado de São Paulo. Em ensaio recente, ainda inédito, outra representante do gênero Annona, A.squamosa L. demonstrou atividade antileishmania promissora, vindo a integrar,igualmente, esta proposta, a qual tem por objetivo a separação e o isolamento dos alcalóides responsáveis pelas atividades antiprotozoárias verificadas. Em paralelo, será realizada a avaliação da citotoxicidade em células RAW 264.7 (macrófagos de murinos), permitindo a determinação do Indice de Seletividade. Visando averiguar os possíveis mecanismos de ação, serão efetuados estudos ultraestruturais dos compostos mais ativos. (AU)

Resumo

Nas últimas décadas tem aumentado bastante os mecanismos de combate a alergias como a asma de fundo alérgico. Apesar disto, tem aumentado as taxas de hospitalizações e mortalidade de pacientes asmáticos. Desta forma, novos mecanismos que possam tratar ou evitar estas moléstias são de grande importância. Está bem estabelecido que a ativação de mastócitos por antígenos específicos inicia processos alérgicos conhecidos como reações de hipersensibilidade do tipo I, e assim sendo, o controle da secreção destas células pode também controlar as moléstias como a asma alérgica; ocorre, porém, que os medicamentos conhecidos que tem esta atividade não são suficientemente eficazes, utilizando-se de experiências anteriores, este projeto objetiva estudar a atividade de estratos de plantas popularmente utilizadas como antiasmático e/ou antipluriginoso, sobre a secreção de mastócitos. (AU)

Resumo

Este projeto de pesquisa tem como objetivo o estudo relativo à produção e ao controle de qualidade realizado no ciclo produtivo de um fitoterápico de uso tópico, a base de inflorescências Calendula officinalis L. - Asteraceae. Este estudo se desenvolverá em três etapas, sendo que na primeira será realizado ensaio agronômico, variando-se os tipos de adubação e cobertura morta objetivando avaliar o melhor modo de se obter a droga vegetal; na segunda será desenvolvido estudos qual e quantitativos sobre o melhor modo de se obter extratos vegetais que possam ser utilizados terapeuticamente e, na terceira etapa, será desenvolvido estudos para avaliar o melhor modo de produzir pomada a partir dos extratos obtidos. (AU)

Imobilização de enzimas proteolíticas de frutos tropicais e seu uso como ativos em cosméticos

Processo:05/50907-6
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE
Vigência: 01 de maio de 2007 - 30 de junho de 2009
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Físico-química
Pesquisador responsável:Luis Daniel Loyola Herrera
Beneficiário:
Empresa:Multi Vegetal Indústria e Comércio de Cosméticos e Produtos Naturais Ltda. - ME
Assunto(s):HidrocoloideMicroencapsulaçãoMicroesferasEnzimas proteolíticasFrutas tropicaisCosméticos
Resumo

O objetivo do projeto é o desenvolvimento de extratos vegetais padronizados de plantas medicinais nacionais para servir de insumos para fitoterápicos e cosméticos, e a sua utilização em vários tipos de veículos coloidais e suas possíveis formas farmacêuticas. Extratos padronizados serão definidos como aqueles cujos componentes vegetais possuam origens definidas e dentro de padrões de qualidade exigidos pela ANVISA, cuja manipulação industrial e laboratorial siga Procedimentos Operacionais definidos conforme normas aceitas pelo Ministério da Saúde, e cuja padronização química seja estabelecida procurando marcadores biológicos/princípios ativos se conhecidos. Numa primeira etapa serão estudadas uma série de cinco plantas da flora nacional: Andiroba (Carapa guayanensis); Marcela (Achyrocline satureioides); Pau Ferro (Caesalpinea férrea); Carajirú (Arrabidaea chica); Graviola (Annona muricata); Melão de São Caetano (Momordica charantia). Na FASE I será feita a caracterização fitoquímica qualitativa dos extratos de cada uma das espécies e ensaios de formulação com esses extratos em veículos coloidais (cremes, géis, loções, xaropes, etc ... ) O trabalho será efetuado na própria empresa, em laboratório de fitoquímica do IQ-UNICAMP e os ensaios toxicológicos preliminares, no CPQBA - UNICAMP (AU)

Resumo

Streptococcus mutans desempenha importante papel na formação da cárie dental através da síntese de glucanas que favorecem a adesão bacteriana na superfície dos dentes, da produção de ácidos orgânicos pela metabolização de carboidratos que provoca desmineralização do esmalte dental e da capacidade de proliferar em baixo pH. A própolis é um produto natural que pode prevenir o processo cariogênico. No Brasil, a espécie vegetal Baccharis dracunculifolia é a principal matéria-prima utilizada por abelhas para a produção da própolis verde. Por outro lado, até o momento não foi demonstrando se B. dracunculifolia possui um efeito anticariogênico equivalente ao da própolis verde. No presente projeto, propomos um estudo comparativo dos efeitos de extratos de própolis verde e B. dracunculifolia sobre a síntese de glucanas, o potencial acidogênico bacteriano e o crescimento celular de S. mutans. A confirmação de atividade biológica do extrato vegetal poderá credenciar o seu emprego em formulações farmacêuticas de uso odontológico de maneira similar à própolis verde. (AU)

Resumo

O trabalho propõe a avaliação da atividade anti-ofídica dos extratos brutos, frações e princípios ativos isolados das plantas Mikania glomerata, Casearia sylvestris e Mandevilla velutina contra os venenos de Bothrops jararacussu e Crotalus durissus terrificus. Neste estudo serão avaliadas diversas atividades tóxicas, farmacológicas e histopatológicas induzidas por estes venenos, e suas toxinas isoladas, na presença e ausência de extratos e/ou princípios ativos vegetais. Os ensaios farmacológicos (toxicidade, edema, algesia e analgesia) e histopatológicos (microscopia óptica e eletrônica) serão mais estudados para avaliar melhor a atividade anti-ofídica destes extratos. Além disso, será utilizada cromatografia por afinidade para o isolamento de inibidores de fosfolipases A2. De igual forma, efetuar-se-á a introdução destas espécies vegetais em um banco de germoplasma, garantindo que ao obter-se resultados promissores, haja matéria-prima com diversidade para estudos de manejo e produção da planta de potencial fitoterápico. (AU)

Resumo

O presente trabalho de pesquisa terá por objetivo avaliar em laboratório e casa-de-vegetação o efeito de extratos de plantas inseticidas e genótipos resistentes de tomateiro no controle de B. tabaci biótipo B. O trabalho constará de duas etapas: na primeira, seis genótipos de tomateiro resistentes (LA0716, LA1584, LA371, PI127826, PI134417, PI134418) e um genótipo suscetível (Santa Clara) serão avaliados quanto a não-preferência para oviposição e não-preferência para alimentação, a fim de selecionar três genótipos com os maiores níveis de resistência. Na segunda etapa, a oviposição e biologia do inseto serão novamente avaliados nos três genótipos selecionados, juntamente com o Santa Clara; porém nesta fase, extratos aquosos de Trichilia pallida (folhas e ramos) e Azadirachta indica (sementes) serão pulverizados sobre populações de insetos provenientes de cada um dos genótipos, visando constatar a ocorrência ou não de interação das duas táticas de controle da mosca-branca. (AU)

Resumo

A doença de Chagas é um problema de saúde pública, com dados preocupantes referentes ao número de pessoas contaminadas e daquelas que ainda permanecem expostas ao risco de infecção. A dificuldade do combate a Trypanosoma cruzi, agente etiológico da doença, está intimamente relacionada às interações existentes entre o parasito e o hospedeiro, sendo que até o momento, nenhum medicamento ou substância tem demonstrado real eficácia ao combate ao parasito. Nesse sentido, a triagem de extratos de diferentes polaridades, derivados de plantas pertencentes à flora brasileira, pode resultar em um caminho empírico promissor para o encontro de uma nova substância capaz de atuar sobre o parasito, independentemente da fase da doença de Chagas. Assim, nossa proposta de trabalho é avaliar o potencial terapêutico dos triterpenos ácido ursólico e seu sal potássico, ácido oleanóico, além da mistura ácido ursólico e oleanóico isolada do extrato vegetal, obtido da espécie Miconia albicans, uma vez que essas substâncias já demonstraram atividade sobre as formas tripomastigotas e amastigotas intracelulares de T. cruzi, em trabalho preliminar realizado por nosso grupo de pesquisa. Para isso, utilizaremos no presente trabalho metodologia in vivo (para fase aguda e fase crônica), a fim de avaliarmos o potencial terapêutico dessas substâncias, bem como a avaliação de alterações histopatológicas determinadas por diferentes formas de tratamento empregadas. (AU)

Resumo

De um modo geral, o projeto visa estudar os efeitos de extratos de determinadas plantas na foto-proteção de material genético e no reparo de DNA de células humanas. Resultados preliminares indicaram que extrato aquoso da espécie Phyllanthus orbicularis reduz o impacto de irradiação com luz UVB em células humanas proficientes em reparo de DNA, mas não em células deficientes. Estes dados Indicam que o extrato é capaz de ativar o sistema de reparo celular, o que será estudado neste projeto. Também pretendemos verificar o efeito foto-protetor de extratos celulares das espécies P. orbicularis e Cymbopogon citratus. Este trabalho deverá ser focado para ação direta em DNA plasmidial submetido à irradiação UVA e luz solar, na expectativa que se distingue eventuais atividades anti-oxidante e fotoprotetoras. Devida a efetiva experiência do Dr. Lamar na área de Mutagênese, este deverá também participar das atividades acadêmicas do ... (AU)

Resumo

O projeto será desenvolvido na FCAV-UNESP, com o objetivo de avaliar o efeito da interação entre resistência de cultivares de repolho, inseticidas vegetais e Trichogramma pretiosum no manejo de Plutella xylostella. Para tanto, inicialmente será avaliada a biologia de P. xylostella nas cultivares Granat Roxo, Midorí, Scarlet, Roxo Precoce e Chato de Quintal em laboratório. No segundo experimento será avaliada a toxicidade dos produtos químicos Lufenuron e Deltametrina e, dos de origem vegetal Azadiractina e Extrato pirolhenhoso, através da adequação das doses letais (DL) para cada produto, em relação à praga em questão, criada em couve cv. Manteiga. O terceiro experimento será realizado com os mesmos produtos testados no segundo, no entanto, serão avaliados os efeitos dos mesmos sobre o controlador biológico Trichogramma pretiosum, seguindo-se os padrões internacionais recomendados pela IOBC/WPRS (1988, 1992). No quarto experimento será avaliada a associação dos métodos testados nos três primeiros experimentos, utilizando-se duas cultivares de repolho classificadas como moderadamente resistentes, no primeiro experimento e dois produtos, um químico e um de origem vegetal, nas dosagens indicadas no terceiro experimento como seletivas ao T. pretiosum e que proporcionem mortalidade de no máximo 50% para P. xylostella. (AU)

Resumo

O projeto de pesquisa visa estudar o efeito antíulcerogênico da espinheira-santa (Maytenus ilicifolia) como padrão de comparação e de duas espécies adulterantes, Sorocea bomplandii e Zolemia ilicifolia, ambas utilizadas e comercializadas como a espinheira-santa verdadeira. Em adição, propõe a determinação da DL50 das três espécies vegetais, tendo-se em vista a avaliação dos riscos de consumo das espécies adulterantes. As atividades previstas são parte integrante de um projeto amplo que também estuda de forma comparativa as três espécies quanto ao efeito analgésico e composição química qualitativa. Os estudos de avaliação da atividade antiulcerogênica serão realizados com camundongos, utilizando-se os modelos de ulceração gástrica induzida por etanol (0,1 ml/animal, via oral) e indometacina (40 mg/Kg, via subcutânea). Animais serão divididos em grupo controle (NaCl 0,9%) e animais tratados, que receberão previamente por via oral 1000 mg/Kg de um dos extratos vegetais, obtidos por maceração a frio em metanol 70%. (AU)

Resumo

O S. mutans é a principal causa da cárie dentária, sendo considerado o mais cariogênico dos streptococcus orais. Assim, para combater a cárie dentária torna-se necessário um estudo mais aprofundado destes microrganismos e, em particular, sobre os polímeros denominados glucanos, os quais são produzidos extracelularmente por espécies de Streptococcus. Glucanos extracelulares insolúveis são os principais responsáveis pela adesão e também pela coesão intercelular entre as bactérias cariogênicas. A produção destes glucanos está, por sua vez, diretamente relacionada com a atividade de uma enzima, a glicosiltransferase (GTF). A GTF decompõe a sacarose nos seus monossacarídeos: a glicose e a frutose, fazendo depois uso da glicose para formar os glucanos. A capacidade de bebidas, normalmente consumidas, afetarem a biossíntese de polissacarídeos extracelulares por estreptococos orais pode ser importante na determinação do seu potencial cariogênico. Numa primeira etapa do trabalho será estudada a cinética de crescimento do microrganismo S. mutans, a produção de glucanos no caldo de fermentação, assim como a extração e atividade da enzima GTF. E por último serão estudados os parâmetros bioquímicos de atuação da enzima e o possível efeito inibidor de dois extratos naturais, o extrato de alecrim (Rosmarinus officinalis L.) e de mate (Ilex paraguariensis) na atividade da GTF. (AU)

Resumo

Compostos secundários extraídos de algumas plantas da flora nativa brasileira podem desempenhar funções importantes em interações planta-patógeno, como por exemplo, ação microbiana em outras plantas que venham a ser tratadas com esses compostos. Para analisar a atividade antifúngica desses compostos, o presente trabalho tem o objetivo de verificar, in vitro e in vivo, o potencial de manjericão, carqueja, arruda, eucalipto, romã, erva cidreira, babosa e alecrim, no controle alternativo de brusone em sementes de trigo, que é uma das doenças que causam severas perdas de produtividade na cultura e cuja principal fonte de inoculo primário para novas áreas são sementes contaminadas. Lotes de sementes contaminados com o fungo serão submetidos a diferentes tratamentos com óleos e extratos vegetais e o crescimento micelial do fungo avaliado em laboratório. Em casa-de-vegetação, os parâmetros a serem examinados serão porcentagem de emergência, índice de velocidade de emergência, anormalidade fisiológica, sintomas de infecção, altura e peso da parte aérea e do sistema radicular. (AU)

Página 3 de 338 resultado(s)
|
Exportar 0 registro(s) selecionado(s) | Limpar seleção