site da FAPESP
 

Refine sua pesquisa

Pesquisa
  • Uma ou mais palavras adicionais
Página 3 de 241 resultado(s)
|

Manejo ecológico da cultura do quiabeiro na região oeste do Estado de São Paulo

Beneficiário:Ellen Rimkevicius Carbognin
Instituição: Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA). Secretaria de Agricultura e Abastecimento (São Paulo - Estado). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Terezinha Monteiro dos Santos Cividanes
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitossanidade
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Processo:09/02068-6
Vigência: 01 de março de 2009 - 31 de dezembro de 2009
Assunto(s):Controle biológico
Resumo
Os coccinelídeos são os predadores mais relacionados ao controle biológico de insetos-praga e comumente observados nos agroecossistemas. Na cultura do quiabeiro é comum a ocorrência desses inimigos naturais, efetuando principalmente o controle do pulgão Aphis gossypii (Hemiptera: Aphididae). No manejo ecológico de pragas, além da utilização do controle biológico, o inseticida natural à base de extratos de nim, Azadirachta indica A. Juss, é empregado quando se faz necessário adotar medidas de controle para evitar danos à cultura. A presente pesquisa tem por objetivos: a) avaliar a influência do plantio de faixas de sorgo, Sorghum bicolor L. Moench e de fáfia, Pfaffia paniculata (Martius) Kuntze nas margens da área cultivada com quiabeiro sobre a ocorrência de inimigos naturais nessa malvácea; b)determinar em laboratório o potencial de extratos vegetais à base de nim no controle do pulgão A. gossypii e efeito sobre seus inimigos naturais em plantas de quiabo. (AU)

Levantamento de extratos vegetais com atividade sobre o carrapato Rhipicephalus (Boophilus) microplus de bovinos e Haemonchus contortus de ovinos

Beneficiário:Luciana Ferreira Domingues
Instituição: Pecuária Sudeste. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA). Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Brasil). São Carlos, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Ana Carolina de Souza Chagas
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Patologia Animal
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Processo:13/12152-0
Vigência: 01 de setembro de 2013 - 30 de novembro de 2015
Assunto(s):Fitoterapia
Resumo
Os antiparasitários sintéticos têm sido a principal forma de controle parasitário, entretanto, devido ao seu uso intenso e indiscriminado, surgiram problemas de resistência dos parasitas e de resíduos nos alimentos de origem animal e no ambiente. Os extratos vegetais, frações purificadas ou seus isolados podem ser uma ferramenta na redução do uso dos antiparasitários sintéticos, além de prolongar a vida útil dos produtos comerciais hoje disponíveis. Os estudos fitoquímicos de extratos vegetais fornecem informações quanto à natureza dos bioativos, o que permite o monitoramento da qualidade dos extratos e embasamento para elaboração de futuras formulações antiparasitárias. A Embrapa Pecuária Sudeste (CPPSE) possui a linha de pesquisa de extratos vegetais no controle parasitário de bovinos e ovinos. Possuímos um especialista na produção dos extratos de forma que os mesmos são produzidos de forma contínua dentro dos projetos de pesquisa do CPPSE, que já possui a Autorização para atividades com finalidade científica concedida pelo MMA e SISBIO (n°. 37006-1). Na presente proposta, pretende-se realizar um screening in vitro da atividade dos 100 extratos produzidos até agora sobre o carrapato R. (B.) microplus e sobre nematoides gastrintestinais de ovinos, por meio de metodologias preconizadas pelas organizações internacionais de parasitologia veterinária e padronizadas no CPPSE. De uma forma interdisciplinar e com o apoio de todos os parceiros envolvidos, pretende-se fracionar e identificar classes de metabólitos dos extratos mais ativos, bem como avaliar a atividade antiparasitária dos melhores candidatos em testes in vivo sobre bovinos e ovinos parasitados no CPPSE. (AU)

Avaliação da absorção intestinal de composições lipídicas à base de extratos vegetais utilizando modelos de células CaCo2

Beneficiário:Diego Francisco Cortés Rojas
Instituição: Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Wanderley Pereira Oliveira
Local de pesquisa: University of Florida (UF) (Estados Unidos)
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Química - Operações Industriais e Equipamentos para Engenharia Química
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Processo:14/01898-3
Vigência: 30 de maio de 2014 - 29 de novembro de 2014
Resumo
Formulações lipídicas foram desenvolvidas para melhorar a instabilidade química e aumentar a absorção de compostos bioativos de cravo da India. Este projeto avaliará a eficácia destas formulações na absorção intestinal utilizando o model de células CaCo-2 (AU)

Avaliação in vivo da compatibilidade biológica do hidróxido de cálcio associado a extratos vegetais de Araçá (Psidium Cattleianum): análise edemogênica e microscópica em ratos

Beneficiário:Eloi Dezan Junior
Instituição: Faculdade de Odontologia (FOA). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araçatuba. Araçatuba, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Eloi Dezan Junior
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Endodontia
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:11/12990-0
Vigência: 01 de novembro de 2011 - 31 de outubro de 2013
Assunto(s):Produtos naturaisMedicamentos fitoterápicosPsidiumHidróxido de cálcio
Resumo
O objetivo do presente estudo será avaliar, in vivo, a resposta biológica imediata e tardia de soluções aquosa e etanólica preparadas com extrato vegetal de Araçá (Psidium cattleianum) associadas ao Hidróxido de Cálcio Ca(OH)2 e para o grupo controle será utilizada a pasta de Ca(OH)2 associado a Peopilenoglicol. Para a análise edemogênica (resposta imediata), serão utilizados 30 ratos machos (Rattus norvegicus). Sob anestesia geral, os animais receberão injeção intravenosa de azul de Evans a 1%. Após 30 minutos, será injetado 0,1mL das pastas, na região subcutânea dorsal. Os animais serão sacrificados após 3 e 6 horas e as peças obtidas colocadas em formamida por 72 horas. A leitura da análise edemogênica será realizada em espectrofotômetro com comprimento de onda de 630nm. Para a análise microscópica (resposta tardia), tubos de polietileno contendo as soluções aquosa, etanólica e de propilenoglicol associadas ao Ca(OH)2 serão implantados na região dorsal de 24 ratos machos, que serão mortos após 7, 30, 60 e 90 dias e as peças processadas para interpretação. (AU)

Obtenção de antocianinas, carotenóides, flavonóides, óleos voláteis e tocotrienóis por tecnologia supercrítica: parâmetros de processo e caracterização química

Beneficiário:Maria Angela de Almeida Meireles
Instituição: Faculdade de Engenharia de Alimentos (FEA). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Maria Angela de Almeida Meireles
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos - Engenharia de Alimentos
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:09/17234-9
Vigência: 01 de junho de 2010 - 31 de agosto de 2012
Assunto(s):Cromatografia com fluido supercríticoTecnologia de alimentosAlimentos funcionaisExtratos vegetaisAntioxidantes
Resumo
A obtenção de compostos bioativos a partir de matrizes biológicas por extração supercrítica, uma tecnologia verde com muitas vantagens, é tecnicamente viável para inúmeras matrizes biológicas. A tecnologia supercrítica é viável tanto para a produção de ingredientes para as indústrias de alimentos, cosmecêuticos. No Brasil a quantidade e a qualidade das pesquisas nesta área são expressivas. Mas, em nosso país não existem indústrias empregando esta tecnologia seja para a produção de extratos. Um dos motivos é a associação desta tecnologia a gastos elevados de investimento. Estudos realizados no LASEFI/ DEA/FEA/UNICAMP comprovam que esta tecnologia é economicamente viável em nosso país para a produção de extratos bioativos. Objetivando disseminar para o Setor Produtivo as vantagens da tecnologia supercrítica pretendemos desenvolver um estudo sistemático sobre o aumento de escala para obtenção de extratos vegetais com atividade antioxidante e caracterização química dos mesmos. Os estudos de aumento de escala serão realizados utilizando duas unidades de extração: (1) unidade SFE 2×1L montada com recursos do CNPq (Edital MCT/CNPq 02/2006 - Universal; processo 472023/2006-3) e (2) unidade SFE 2×5L adquirida com recursos do projeto PITE- FAPESP 05/60485-1. A utilização das duas unidades de extração permitirá a transposição de dados da escala laboratorial para escala semi-piloto e posteriormente para escala piloto. Os extratos obtidos serão caracterizados quanto a sua composição química e atividade antioxidante; portanto, estes parâmetros serão usados para o controle de qualidade do processo. (AU)

Avaliação in vivo e in vitro da atividade fotoquimiopreventiva de extratos vegetais

Beneficiário:Maria José Vieira Fonseca
Instituição: Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Maria José Vieira Fonseca
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia - Análise e Controle de Medicamentos
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:08/00216-5
Vigência: 01 de fevereiro de 2009 - 31 de janeiro de 2011
Assunto(s):Controle de medicamentos e entorpecentesAntioxidantesFibroblastosExtratos vegetaisFeijão de sojaCalendula
Resumo
Segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA, 2007), no Brasil, o câncer mais freqüente é o de pele, correspondendo a cerca de 25 % de todos os tumores diagnosticados, sendo a radiação ultravioleta (RUV) o seu maior agente etiológico. Em decorrência da destruição da camada de ozônio pela poluição, a incidência de RUV sobre a Terra tem aumentado, e conseqüentemente, o número de casos de câncer de pele tem se elevado cada vez mais. Em adição, diversos estudos têm demonstrado que os danos causados pela radiação solar à pele são freqüentemente causados pela geração de radicais livres e ativação de mediadores do processo inflamatório. Desta forma, o extrato de calêndula (Calendula officinalis) e a soja biotransformada (Glycine max) poderiam ser utilizados em formulações tópicas, visando à prevenção dos danos causados pela radiação solar na pele, uma vez que estes extratos possuem componentes polifenólicos com pronunciada atividade antioxidante e/ou antiinflamatória. Embora diversos trabalhos descrevam a atividade farmacológica destes extratos, não há estudos direcionados à avaliação fotoquimiopreventiva e de suas toxicidades celulares às células da pele. Assim, este projeto tem o objetivo de avaliar o possível efeito fotoquimiopreventivo e a toxicidade celular dos extratos de calêndula e de soja, biotransformada com o fungo Aspergillus awamori, através de estudos "in vitro" em cultura de células de fibroblastos irradiados com RUV. Em adição, formulações tópicas contendo estes extratos serão preparadas e suas eficácias fotoquimiopreventivas serão avaliadas através de estudos "in vivo" em camundongos "hairless" irradiados com RUV. (AU)

Avaliação da atividade antiofídica do extrato de espécies de plantas medicinais brasileiras in natura e in vitro: isolamento e caracterização estrutural de compostos bioativos

Beneficiário:Andreimar Martins Soares
Instituição: Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Andreimar Martins Soares
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Etnofarmacologia
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:07/07785-2
Vigência: 01 de outubro de 2008 - 30 de setembro de 2010
Assunto(s):Plantas medicinais
Resumo
Cerca de 20.000 acidentes ofídicos ocorrem por ano no Brasil, e destes casos 0,4% chegam ao óbito. Muitos efeitos colaterais são atribuídos à soroterapia, uma vez que, são administrados anticorpos estranhos ao nosso organismo. Há ainda, a difícil neutralização da lesão tecidual local no envenenamento provocado por serpentes do gênero Bothrops sp. e Crotalus sp. Na busca por terapias alternativas complementares e mais econômicas recorre-se ao uso de plantas medicinais. A utilização de extratos vegetais é comum em locais onde o acesso à soroterapia se torna demorado ou quase impossível. A flora brasileira possui uma ampla variedade de plantas medicinais com potencial antiofídico. Muitas espécies da flora brasileira são pouco estudadas quanto à avaliação da eficácia e dos efeitos terapêuticos de extratos brutos vegetais e compostos isolados. Uma dessas plantas é a espécie Serjania erecta Radlk, conhecida popularmente como “retrato de teiú” e “cipó cinco folhas”, pertencente á família das Sapindaceas. Em estudo anterior foi realizada a detecção de metabólitos secundários de interesse farmacológico, como flavonóides e saponinas. Até hoje não foi realizado nenhum estudo avaliando o potencial antiofídico desta espécie vegetal. Outra espécie da mesma família, Sapindus saponaria L., comumente denominada saboneteira, morcegueira ou cassiteira é caracterizada como um complexo químico com diversas atividades e ações farmacológicas devido a presença de lipídeos, flavonóides e saponinas. Outra espécie vegetal é a Schizolobium parahyba, conhecida popularmente como guapuruvú; e umbela;, pertencente á família Caesalpinoideae e que é usada na forma de chá e infusão no tratamento de acidentes ofídicos. Desde o ponto de vista biotecnológico é interessante o uso de cultura de células vegetais para a obtenção de compostos biologicamente ativos, uma vez que essa produção independente de condições climáticas e ambientais. Até hoje não foi realizado nenhum estudo avaliando o potencial antiofídico destas espécies vegetais, bem como de seus compostos isolados. A obtenção de cultura de células vegetais destas espécies é algo inédito, assim como o estudo de seu potencial farmacológico. Neste estudo será realizado a avaliação da atividade inibitória dos extratos vegetais, das frações e dos compostos isolados de Serjania erecta (in natura e in vitro), Sapindus saponaria (in natura e in vitro) e Schizolobium parahyba (in natura) sobre os efeitos tóxicos e farmacológicos induzidos pelas peçonhas de serpentes do gênero Bothrops e Crotalus, além de proteínas isoladas, a fim de verificar seu potencial antiofídico. Também serão realizados estudos estruturais de interação molecular entre a toxina e seus inibidores através de técnicas experimentais de co-cristalização ou simulação molecular computacional. (AU)

Fingerprint de metabólitos secundários em extratos vegetais de interesse etnobotânico: caracterização química e termoanalitica de sementes de cumarú (Dypterix odorata) e avaliação do potencial antioxidante

Beneficiário:Maria de Lourdes Leite de Moraes
Instituição: Instituto de Ciências Ambientais, Químicas e Farmacêuticas (ICAQF). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus Diadema. Diadema, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Maria de Lourdes Leite de Moraes
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Analítica
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:13/07453-0
Vigência: 01 de agosto de 2013 - 31 de julho de 2015
Assunto(s):Extratos vegetaisComposição químicaTongoMetabólitos secundáriosAnálise térmicaEletroforese capilar
Resumo
O perfil metabólico de um extrato de planta nos dá informações sobre os compostos biologicamente ativos presentes no extrato. Este fingerprint tem estimulado abordagens integradas capazes de fornecer informações acerca dos processos de sinergismo e das interações envolvidas nas respostas farmacológicas de matriz es bioativas complexas. Este projeto tem como objetivo contribuir para o conhecimento da composição química de sementes de cumaru (Dypterix odorata), através do estabelecimento do perfil eletroforetico (fingerprint) de metabólitos secundários presentes em extratos polares e apolares, caracterizar o perfil termoanalítico da semente, com quantificação da cumarina e avaliar a atividade antioxidante dos extratos brutos, tentando identificar qual/quais os metabólitos secundários estão envolvidos nesta atividade. A semente de Cumaru é bastante utilizada na região norte para a fabricação de xaropes, os quais são empregados como antiespasmódicos, podendo ser também empregada com aplicações farmacológicas e cosméticas. Apesar disto, não existem, até o momento, relatos a respeito da composição total de metabólitos secundários dos extratos das sementes. (AU)

Composição fenólica e potencial biológico, in vitro e in vivo, de frutíferas nativas do Brasil

Beneficiário:Severino Matias de Alencar
Instituição: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Severino Matias de Alencar
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos - Ciência de Alimentos
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:13/13190-2
Vigência: 01 de outubro de 2013 - 30 de setembro de 2015
Assunto(s):FrutasExtratos vegetaisComposição químicaCompostos fenólicosAntioxidantesAnti-inflamatórios
Resumo
A aplicação de ingredientes naturais em alimentos, fármacos e cosméticos tem se tornado uma tendência mundial e despertado o interesse da comunidade científica e de indústrias quanto à investigação fitoquímica e aplicação tecnológica de extratos vegetais, sobretudo aqueles ainda subexplorados. Considerando a biodiversidade brasileira, seu potencial de aproveitamento e a necessidade de um modelo de desenvolvimento econômico sustentável, pesquisas envolvendo produtos genuinamente nacionais assumem uma importância significativa. Nesse sentido, destacam-se as frutas nativas que na maioria das vezes estão restritas às comunidades onde a disseminação ocorre espontaneamente. O consumo regular de frutas, e seus compostos fenólicos, tem sido relacionado à menor incidência de patologias desencadeadas pelo estresse oxidativo como câncer, diabetes, enfermidades cardiovasculares, bem como processos inflamatórios. A crescente preocupação com o uso de antioxidantes sintéticos em alimentos também sugere a necessidade de estudos sobre a composição química e atividade antioxidante destas espécies vegetais. Portanto, este trabalho tem como objetivo avaliar a composição fenólica e o potencial antioxidante in vitro e a atividade anti-inflamatória in vivo de frutíferas nativas brasileiras (polpa, casca, semente de frutos e folhas), ampliando assim as informações disponíveis sobre a composição bioativa, na expectativa de que estes resultados propiciem avanços no conhecimento, contribuam para a preservação da flora nativa e gerem renda aos pequenos produtores. (AU)

Lignanas em Phyllanthus amarus: purificação e isolamento por HPLC semi-preparativo e validação de método analítico para sua quantificação

Beneficiário:Nathalia Lopes do Carmo
Instituição: Centro Pluridisciplinar de Pesquisas Químicas, Biológicas e Agrícolas (CPQBA). Coordenadoria de Centros e Núcleos Disciplinares (COCEN). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Paulínia, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Marili Villa Nova Rodrigues
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia - Análise e Controle de Medicamentos
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:10/03134-0
Vigência: 01 de novembro de 2010 - 31 de outubro de 2011
Assunto(s):LignanasQuebra-pedra
Resumo
A indisponibilidade comercial de substâncias químicas de referência para espécies vegetais brasileiras de interesse medicinal representa uma grande barreira para o desenvolvimento de fitoterápicos, pois inviabiliza a padronização de extratos e seu controle de qualidade. O gênero Phyllanthus, conhecido popularmente como quebra-pedras, é utilizado há anos na medicina popular e sua potencialidade como fitoterápico tem sido comprovada por pesquisas científicas. Entre as espécies de Phyllanthus contempladas na Farmacopéia Brasileira encontram-se o P. niruri e o P. tenellus, porém a inclusão do P. amarus ainda não foi efetuada, provavelmente pela falta de padrões e métodos analíticos que caracterizem esta espécie. Considerando as importantes atividades farmacológicas das lignanas presentes apenas em P. amarus o desenvolvimento analítico de um método por cromatografia líquida de alta eficiência contribuirá para a padronização de extratos vegetais ativos desta planta e seu controle de qualidade, diferenciando-a das outras espécies. Para o desenvolvimento analítico, torna-se necessário o isolamento a partir de frações enriquecidas e purificação das lignanas não disponíveis no comércio, representando uma das metas a ser atingida neste trabalho. Como forma de garantir a qualidade dos resultados obtidos na quantificação das lignanas em estudo (hipofilantina, filantina, nirtetralina e nirantina) presentes na planta e extratos vegetais de P. amarus, o método desenvolvido será devidamente validado segundo as normas da Agência de Vigilância Sanitária -ANVISA. (AU)

Fitoterápicos padronizados para o tratamento de doenças crônicas: Machaerium hirtum. (Fabaceae)

Beneficiário:Marcelo Marucci Pereira Tangerina
Instituição: Instituto de Química (IQ). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Wagner Vilegas
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Orgânica
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Processo:10/04077-0
Vigência: 01 de agosto de 2010 - 31 de janeiro de 2012
Assunto(s):Medicamentos fitoterápicosMachaerium
Resumo
O uso de fitoterápicos padronizados com assegurada comprovação de eficácia e segurança tem apresentado resultados terapêuticos surpreendentes em diversos países. Contudo, no Brasil há deficiências na correta caracterização química das matérias-primas e escassez de ensaios farmacológicos e toxicológicos desses materiais, etapas essenciais para assegurar eficácia e segurança dos fitoterápicos. Este projeto abordará o estudo químico-farmacológico de plantas do Estado de São Paulo. Pretende-se elaborar estratégias analíticas que permitirão a padronização quali e quantitativa de um extrato vegetal, incluindo identificação de classes de sustâncias, de marcadores químicos, ou ainda dos princípios ativos. A padronização de extratos permite também a comparação da composição química de espécies pertencentes a um mesmo gênero (evitando duplicação de esforços fitoquímicos/farmacológicos), bem como o planejamento de estratégias focalizadas para o isolamento de substâncias potencialmente desconhecidas e a investigação de extratos complexos, nos casos em que o fracionamento seja inviável.Esse procedimento se iniciará com o clean-up de extratos orgânicos/infusões por meio de extração em fase sólida e/ou extração líquido-líquido, seguido pelo screening por HPLC-PDA/HPLC-MS. Quando pertinente, será também avaliada a pureza enantiomérica das substâncias detectadas, usando-se HPLC-CD-PDA. Caso necessário, proceder-se-á à transposição para escala [semi]preparativa, para o isolamento das substâncias-alvo, a fim de obter substâncias em grau de pureza e quantidades adequadas para a caracterização estrutural, construção de curvas analíticas, geração de banco de dados e execução de bioensaios.Iniciaremos com espécies de Machaerium (Fabaceae) do cerrado do estado de São Paulo, no isolamento e identificação das substâncias presentes nos extratos vegetais, acompanhada dos ensaios farmacológicos para as atividades antiúlcera, antiinflamatória/analgésica, antimutagênica e mutagênica. De acordo com a literatura, algumas espécies de Machaerium (Fabaceae) são de uso etnofarmacológico como é o caso de Machaerium hirtum, a qual é uma planta cujas cascas são utilizadas popularmente contra diarréias, tosse e câncer. É popularmente conhecida como Adolfo e bico-de-andorinha. Espécies pertencentes a este gênero produzem principalmente flavonóides como isoflavonas, pterocarpanos, neo-flavonóides, flavanonas, isoflavanas, chalconas e ainda, benzoquinonas, arilcoumarinas e cinamilfenóis. O extrato etanólico das raízes de M. aristulatum e bem como suas isoflavonas apresentaram atividade anti-giardial.As atividades biológicas envolvem a aplicação no tratamento das doenças crônicas mais prevalentes na população brasileira. Extratos serão preparados de acordo com normas farmacopêicas e avaliados sob aspectos farmacológicos e toxicológicos (em parcerias com outros grupos). Os extratos mais promissores serão padronizados de acordo com normas internacionais, com vistas a incrementar a lista das 71 espécies sugeridas pelo Ministério da Saúde para o desenvolvimento de remédios e suprir as necessidades dos planos governamentais de saúde. (AU)

Caracterização da composição química das secreções de diferentes espécies vegetais das famílias Bignoniaceae, Malpighiaceae, Fabaceae e Rubiaceae do cerrado

Beneficiário:Juliana Aparecida Severi
Instituição: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Luiz Claudio Di Stasi
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Botânica
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Processo:10/17207-9
Vigência: 01 de novembro de 2010 - 31 de março de 2013
Resumo
Esta proposta tem como objetivo investigar a composição química de diferentes estruturas secretoras presentes em espécies de Bignoniaceae, Malpighiaceae, Fabaceae e Rubiaceae com foco na elucidação do papel ecológico e funcional dos principais constituintes químicos secretados, prioritariamente em relação papel das glândulas florais nas interações com os polinizadores. Em Bignoniaceae serão estudados a relação do padrão de constituintes químicos da secreção produzida pelos tricomas florais e osmóforos nas espécies Zeyheria montana, Jacaranda oxyphylla, Jacaranda decurrens e Anemopaegna glaucum com as necessidades biológicas e comportamento dos respectivos grupos de polinizadores e/ou com a proteção das estruturas reprodutivas, conforme hipóteses levantadas no módulo 2 do projeto. Nas Fabaceae serão enfocados os estudos de composição química de diferentes estruturas secretoras, especialmente quanto ao papel do epitélio secretor em diferentes estádios de desenvolvimento de Copaifera langsdorfii, tricomas secretores ocos de Indigofera microcarpa, avaliação das similaridades da composição química das estruturas produtoras de taninos em Dimorphandra e Stryphnodendron e nectários florais em Erythrina, considerando-se as diferentes hipóteses apresentadas no módulo 4 do projeto. Em Malpiguiaceae serão estudadas a composição química da secreção de glândulas calicinais e foliares e o papel destes compostos nas interações, conforme hipóteses levantadas no módulo 5 do projeto. Na família Rubiaceae serão estudados a composição química de coléteres em diferentes espécies noduladas e não noduladas (Palicourea marcgravii, Psychotria sessilis, Borreria capitata, Richardia grandiflora e Tocoyena sp), tendo em vista determinar se a composição química da secreção influencia a presença de nódulos bacterianos, conforme proposto no módulo 6 do projeto. O projeto envolve atividades de campo incluindo a coleta de material vegetal para produção de extratos e de amostras das estruturas secretoras para estudos da composição química. A amostragem será feita em diferentes épocas do ano, considerando-se o período de floração de algumas das espécies a serem estudadas. A análise da composição química das secreções e extratos vegetais será feita por cromatografia em camada delgada e por cromatografia gasosa acoplada a espectrometria de massa a partir de micro-amostragem de estruturas secretoras submetidas á técnica de head-space ou de extratos vegetais. As atividades a serem desenvolvidas nesta Bolsa de Pós-doutorado permeiam quatro dentre os seis módulos do projeto, já que a análise química das estruturas secretoras é um dos focos principais do projeto temático como um todo. Os estudos de composição química das diferentes secreções são essenciais para a comprovação ou refutação das hipóteses levantadas nestes diferentes módulos de pesquisa. Assim sendo, a participação de um profissional com formação adequada na área, especialmente com domínio das técnicas de cromatografia gasosa acoplada a espectrometria de massa será fundamental no desenvolvimento das atividades previstas no projeto e de responsabilidade do pesquisador principal envolvido nestes estudos. Em adição, tal incorporação representaria uma importante contribuição na formação de recursos humanos na interface entre a biologia/ecologia com a fitoquímica, área carente de profissionais capacitados no país. Além deste pós-doutorando participar de diferentes publicações científicas, o mesmo deverá se envolver com a formação de recursos humanos em diferentes níveis, tanto em iniciação científica como de pós-graduação, como forma de ampliação de possibilidades de atuação na unidade executora do projeto, participar de eventos científicos, assim como propor e viabilizar parcerias científicas para avanços dos conhecimentos na interação biologia-química. (AU)

Avaliação do efeito da nanopartícula de sílica mesoporosa de barbatimão e aroeira nas linhagens de queratinócito humano (HaCaT) e queratinócitos humano infectado com Propionibacterium acnes

Beneficiário:Daisy Machado
Instituição: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Marcelo Lancellotti
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Processo:13/00847-3
Vigência: 01 de julho de 2013 - 30 de junho de 2015
Resumo
O uso de fitoterápico vem crescendo devido ao alto custo dos medicamentos alopáticos, à baixa incidência de efeitos colaterais e à ineficácia de alguns produtos sintéticos. Além disto, o aumento do consumo de produtos cosméticos no Brasil está em plena ascensão, tanto decorrente da conscientização das pessoas, como para a proteção solar, como para uso nos tratamentos, como acne, e melhora da aparência da pele, principalmente do rosto, como as rosáceas. O grupo contém um depósito de patente (INPI: PI018120015848) de uma composição a base de extratos vegetais e nanoesferas de sílica mesoporosa para carreamento de substâncias ativas pela pele. Mais especificamente, a composição que compreende substâncias ativas dos extratos vegetais de Stryphnodendron barbatiman (Barbatimão) e Schinus terebinthifolius Raddi (Aroeira) e nanopartículas de sílica mesoporosa como carreadores. Como os ativos apresentam atividades cicatrizante, anti-inflamatória, antibacteriana, antialérgica será de extrema importância à avaliação da citotoxicidade desta composição na pele, além da determinação das características que afetam as células da pele para futuras indicações da composição, para tanto iniciará com experimentos in vitro. Portanto, o projeto tem como objetivo avaliar o efeito da nanopartícula com extrato de Barbatimão e Aroeira em linhagens presentes na pele, como os queratinócitos, e em queratinócitos infectados com Propionibacterium acnes, bactéria causadora da acne. (AU)

Rede de pesquisa de compostos químicos vegetais para controle de malária a partir da etnofarmacologia nos estados do Amazonas e Acre

Beneficiário:Lin Chau Ming
Instituição: Faculdade de Ciências Agronômicas (FCA). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Lin Chau Ming
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Etnofarmacologia
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Temático
Processo:09/53638-7
Vigência: 01 de junho de 2011 - 31 de maio de 2015
Convênio/Acordo de cooperação com a FAPESP: CNPq - Temáticos - Pronex - Rede Malária
Assunto(s):MaláriaParasitologiaFitoquímicaBioensaio
Resumo
Objetivo geral: Proceder à pesquisa de novos produtos naturais vegetais para o tratamento da malária e males associados, a partir da etnofarmacologia nos municípios localizados nas bacias do Rio Negro e Purus no Estado do Amazonas e Acre. Objetivos específicos: Identificar as espécies utilizadas para o tratamento da malária, separando-as quanto às indicações de uso; Traçar o perfil das pessoas que conhecem e utilizam plantas para o tratamento da doença; Procurar entender a percepção dos informantes sobre a malária e as restrições alimentares relacionadas com a doença; Classificar as espécies vegetais indicadas quanto a origem, formas de vida e áreas de ocorrência; Descrever as formas de propagação das espécies indicadas, o manejo da coleta das partes usadas e as formas de preparo e modos de utilização; Testar extratos das plantas indicadas para verificar a atividade biológica em Artemia franciscana; Testar os extratos com maior atividade biológica sobre cepas padronizadas de Plasmodium falciparum e Plasmodium berghei; Caracterizar os princípios ativos dos extratos vegetais com as atividades biológicas mais promissoras; Detectar e identificar metabólitos presentes no plasma de animais de laboratório a fim de confirmar ou não a hipótese de extensiva metabolização de metabólitos secundários ativos e seus precursores; Estudar os mecanismos moleculares da interação fármacos-receptores dos compostos mais promissores verificados na pesquisa. (AU)

Avaliação da atividade antitumoral, antibacteriana e ação sobre o sistema nervoso central e hormônios de extratos obtidos de plantas amazônicas e da Mata Atlântica

Beneficiário:Ivana Barbosa Suffredini
Instituição: Instituto de Ciências da Saúde (ICS). Universidade Paulista (UNIP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Ivana Barbosa Suffredini
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Botânica - Botânica Aplicada
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:08/58706-8
Vigência: 01 de novembro de 2009 - 31 de outubro de 2012
Assunto(s):Sistema nervoso central
Resumo
O Laboratório de Extração da Universidade Paulista implementou um programa de identificação de novos fármacos antitumorais e antibacterianos a partir de plantas brasileiras há dez anos, fundamentado na rica biodiversidade ocorrente na Amazônia e Mata Atlântica. A partir de uma triagem inicial com 1.220 extratos, foram identificados 120 extratos ativos contra seis células tumorais (de mama, próstata, pulmão, cólon, sistema nervoso central e leucemia) e contra quatro bactérias patogênicas humanas (Staphylococcus aureus, Enterococcus faecalis, Pseudomonas aeruginosa e Escherichia coli). Estes extratos foram fracionados e as frações reensaiadas nos respectivos modelos biológicos; As frações ativas foram identificadas e analisadas em cromatografia em camada delgada a fim de se verificar a presença de alcalóides e de compostos fenólicos. A Análise desses parâmetros resultou na identificação de extratos vegetais ativos que serão estudadas em termos de sua toxicidade geral e ao sistema nervoso central e sua atividade sobre a esfera hormonal. Além disso, serão avaliadas quanto à composição fitoquímica, a fim de que os compostos responsáveis pelas atividades biológicas ou tóxicas sejam identificados. (AU)

Busca de antioxidantes e antimicrobianos em espécies da tribo Gomphreneae

Beneficiário:Marcos José Salvador
Instituição: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Marcos José Salvador
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia - Farmacognosia
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:06/06079-4
Vigência: 01 de julho de 2007 - 30 de junho de 2009
Resumo
Neste projeto, propõe-se a adequação de metodologia de ensaios para a avaliação da atividade antimicrobiana e antioxidante e o desenvolvimento de procedimentos analíticos, incluindo o estudo fitoquímico biomonitorado, visando a busca de potenciais substâncias bioativas em espécies vegetais da tribo Gomphreneae, família Amaranthaceae, do Cerrado, da Serra da Mantiqueira e da Mata Atlântica. O estudo fitoquímico das micromoléculas bioativas presentes nos extratos vegetais será monitorado pela atividade antimicrobiana (frente a bactérias, leveduras e dermatófitos) e antioxidante (ensaios ORACFL, Folin-Ciocalteu, B-caroteno e redução do radical DPPH). Para tanto, proceder-se-á a adequação de metodologia dos bioensaios e obter-se-á o perfil químico (CCDC, CG, CLAE ou RMN) dos extratos bioativos, podendo-se identificar algumas substâncias conhecidas diretamente nos extratos brutos (desreplicação). Os extratos bioativos com substâncias que não puderem ser identificadas na etapa de desreplicação serão submetidos ao fracionamento biomonitorado e para as substâncias isoladas e purificadas realizar-se-á a elucidação estrutural utilizando-se métodos espectroscópicos de análise (IV, UV, RMN e Massa). Assim, realizar-se-á o estudo com espécies vegetais de Amaranthaceae, tribo Gomphreneae para a prospecção de extratos e substâncias bioativos visando contribuir com a terapêutica e a quimioprevenção de doenças infecciosas e relacionadas com o estresse oxidativo (doenças degenerativas (doença de Alzheimer e de Parkinson), cardiovasculares, inflamatórias) e obter novas fontes de insumo para as indústrias farmacêutica, cosmética e alimentícia. (AU)

Imobilização de enzimas proteolíticas de frutos tropicais e seu uso como ativos em cosméticos

Beneficiário:Luis Daniel Loyola Herrera
Pesquisador responsável:Luis Daniel Loyola Herrera
Empresa:Multi Vegetal Indústria e Comércio de Cosméticos e Produtos Naturais Ltda. - ME
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Físico-química
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE
Processo:05/50907-6
Vigência: 01 de maio de 2007 - 30 de junho de 2009
Resumo
0 objetivo do projeto é o desenvolvimento de extratos vegetais padronizados de plantas medicinais nacionais para servir de insumos para fitoterápicos e cosméticos, e a sua utilização em vários tipos de veículos coloidais e suas possíveis formas farmacêuticas. Extratos padronizados serão definidos como aqueles cujos componentes vegetais possuam origens definidas e dentro de padrões de qualidade exigidos pela ANVISA, cuja manipulação industrial e laboratorial siga Procedimentos Operacionais definidos conforme normas aceitas pelo Ministério da Saúde, e cuja padronização química seja estabelecida procurando marcadores biológicos/princípios ativos se conhecidos. Numa primeira etapa serão estudadas uma série de cinco plantas da flora nacional: Andiroba (Carapa guayanensis); Marcela (Achyrocline satureioides); Pau Ferro (Caesalpinea férrea); Carajirú (Arrabidaea chica); Graviola (Annona muricata); Melão de São Caetano (Momordica charantia). Na FASE I será feita a caracterização fitoquímica qualitativa dos extratos de cada uma das espécies e ensaios de formulação com esses extratos em veículos coloidais (cremes, géis, loções, xaropes, etc ... ) 0 trabalho será efetuado na própria empresa, em laboratório de fitoquímica do IQ-UNICAMP e os ensaios toxicológicos preliminares, no CPQBA - UNICAMP (AU)

Propriedades terapêuticas de triterpenos ácidos na Doença de Chagas experimental - avaliação em fase aguda e crônica da infeccção

Beneficiário:Sérgio de Albuquerque
Instituição: Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Sérgio de Albuquerque
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:06/01066-1
Vigência: 01 de outubro de 2006 - 31 de dezembro de 2008
Resumo
A doença de Chagas é um problema de saúde pública, com dados preocupantes referentes ao número de pessoas contaminadas e daquelas que ainda permanecem expostas ao risco de infecção. A dificuldade do combate a Trypanosoma cruzi, agente etiológico da doença, está intimamente relacionada às interações existentes entre o parasito e o hospedeiro, sendo que até o momento, nenhum medicamento ou substância tem demonstrado real eficácia ao combate ao parasito. Nesse sentido, a triagem de extratos de diferentes polaridades, derivados de plantas pertencentes à flora brasileira, pode resultar em um caminho empírico promissor para o encontro de uma nova substância capaz de atuar sobre o parasito, independentemente da fase da doença de Chagas. Assim, nossa proposta de trabalho é avaliar o potencial terapêutico dos triterpenos ácido ursólico e seu sal potássico, ácido oleanóico, além da mistura ácido ursólico e oleanóico isolada do extrato vegetal, obtido da espécie Miconia albicans, uma vez que essas substâncias já demonstraram atividade sobre as formas tripomastigotas e amastigotas intracelulares de T. cruzi, em trabalho preliminar realizado por nosso grupo de pesquisa. Para isso, utilizaremos no presente trabalho metodologia in vivo (para fase aguda e fase crônica), a fim de avaliarmos o potencial terapêutico dessas substâncias, bem como a avaliação de alterações histopatológicas determinadas por diferentes formas de tratamento empregadas. (AU)

Desenvolvimento e aplicação de procedimentos analíticos para extração e purificação da polifenol oxidase e peroxidase de vegetais

Beneficiário:Lúcia Daniela Wolf
Instituição: Centro de Ciências Exatas e de Tecnologia (CCET). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Orlando Fatibello Filho
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Analítica
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:07/01531-9
Vigência: 01 de junho de 2007 - 31 de dezembro de 2008
Resumo
As enzimas, na grande maioria das vezes, são proteínas que catalisam com grande eficiência as reações biológicas acelerando reações metabólicas sob diversas condições de pH, temperatura, meio iônico entre outros. Em virtude de sua alta seletividade e poder catalítico, as enzimas vem sendo muito empregadas em química analítica, bem como na medicina, agricultura, tecnologia de alimentos e estudos ambientais.O desenvolvimento e aplicação de metodologias para extração e purificação das enzimas, bem como a caracterização dessas enzimas em extratos brutos de vegetais, são de grande interesse para a pesquisa na área.O Brasil possui uma grande variedade de vegetais que podem constituir em uma fonte inesgotável de enzimas. Serão investigados neste trabalho, os extratos de batata doce (Ipomoea batatas (L.) Lam.), abobrinha (Cucurbita pepo) e polpa de abacate (Persea americana) como fonte das enzimas peroxidase e polifenol oxidase.Assim, o presente trabalho de iniciação científica terá como objetivo o desenvolvimento de procedimentos para obtenção desses extratos vegetais, bem como sua caracterização através da determinação de atividade, proteína total e atividade específica. Além disso, serão adaptados e testados métodos para concentração e purificação das enzimas utilizando quitosana reticulada e ativada em substituição ao gel Sephadex em colunas cromatográficas como uma alternativa bastante atraente, especialmente por se tratar de um método extremamente econômico. O nosso grupo de pesquisa já tem alguma experiência com esse tipo de reticulação para a imobilização destas enzimas na preparação de biossensores. (AU)

Desenvolvimento e aplicação de métodos analíticos para extração e purificação de enzimas de vegetais

Beneficiário:Ana Eliza Zeraik
Instituição: Centro de Ciências Exatas e de Tecnologia (CCET). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Orlando Fatibello Filho
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Analítica
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:05/00647-8
Vigência: 01 de agosto de 2005 - 31 de julho de 2006
Assunto(s):Peroxidase
Resumo
As enzimas, na grande maioria das vezes, são proteínas que catalisam com grande eficiência as reações biológicas acelerando reações metabólicas sob diversas condições de pH, temperatura, meio iônico entre outros. Em virtude de sua alta seletividade e poder catalítico, as enzimas vem sendo muito empregadas em química analítica, bem como na medicina, agricultura, tecnologia de alimentos e estudos ambientais.Como no Brasil existe um grande número de frutas que possuem a enzima polifenol oxidase serão investigados os extratos da polpa de abacate (Persea americana), abobrinha (Cucurbita pepo), coco (Cocos nucifera) como materiais biocatalíticos. Será estudada também a enzima peroxidase, amplamente utilizada como um importante reagente em diversos procedimentos de diagnósticos clínicos, bem como em várias aplicações industriais. A peroxidase obtida da batata doce está sendo estudada por alguns autores e pelo nosso grupo, devido a alta concentração de peroxidase encontrada neste tubérculo.Assim o presente trabalho de iniciação cientifica terá como objetivo o desenvolvimento de procedimentos analíticos para a obtenção desses extratos vegetais, bem como sua caracterização através da determinação de atividade, proteína total e atividade específica, sendo também utilizados métodos simples de purificação para essas enzimas. (AU)

Desenvolvimento de métodos enzimáticos em fluxo envolvendo espectrofotometria com longo caminho óptico e luminescência

Beneficiário:Fábio Rodrigo Piovezani Rocha
Instituição: Centro de Ciências Exatas e de Tecnologia (CCET). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Orlando Fatibello Filho
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Analítica
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Processo:00/04188-4
Vigência: 01 de agosto de 2000 - 30 de abril de 2002
Assunto(s):EspectrofotometriaLuminescência
Resumo
Este projeto trata do desenvolvimento de procedimentos mecanizados/automáticos em fluxo envolvendo reações enzimáticas, especialmente através do emprego de extratos vegetais. Os módulos de análise serão baseados no processo de multicomutação, visando à implementação independente das diferentes etapas do processamento da amostra. Será desenvolvido um equipamento para medidas espectrofotométricas com longo caminho óptico ou baseadas em quimioluminescência ou fluorescência, implementadas com poucas ou nenhuma alteração em sua estrutura física. Um tubo constituído de um material com índice de refração inferior ao da água será empregado como guia de onda, minimizando perdas de radiação. Para medidas por quimioluminescência, será também avaliada a possibilidade de emprego de uma cela de fluxo com reduzida espessura e elevada seção transversal. Métodos analíticos com alta sensibilidade serão desenvolvidos para a determinação de baixas concentrações de espécies tóxicas (fenóis e cianeto dissociável em ácido) em águas. Será também desenvolvido um módulo de análise para a determinação seqüencial de vitaminas (tiamina, riboflavina, piridoxina, cianocobalamina e ácido ascórbico) em alimentos, suplementos alimentares e preparações farmacêuticas por quimioluminescência. (AU)

Isolamento e identificação de substâncias bioativas de espécies vegetais utilizadas como alimentos na prevenção da obesidade

Beneficiário:Ana Paula Santos Da Conceicao
Instituição: Faculdade de Saúde Pública (FSP). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Deborah Helena Markowicz Bastos
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos - Ciência de Alimentos
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Processo:08/04269-6
Vigência: 01 de fevereiro de 2009 - 30 de setembro de 2010
Resumo
Com o crescimento mundial do número de indivíduos obesos, inclusive entre a população de baixa renda, se faz necessário identificar novos agentes capazes de atuarem na redução de peso ou na melhora dos transtornos secundários relacionados à obesidade. Existem evidências epidemiológicas que demonstram a importância de dietas ricas em frutas, vegetais, grãos e leguminosas na proteção contra certos tipos de câncer, doenças cardiovasculares e outras doenças crônicas não transmissíveis. Estes efeitos podem estar relacionados à presença de compostos bioativos, como por exemplo, compostos fenólicos e organossulfurados, fitoestrógenos, carotenoides e terpenoides, que atuam de forma sinérgica. A comercialização de suplementos alimentares contendo extratos vegetais que estimulam a redução de peso e o recente interesse despertado pela espécie Hoodia gordonii, como inibidor do apetite, são alguns exemplos que ilustram a importância de espécies utilizadas como alimento no combate à obesidade. Este trabalho tem como principal objetivo a identificação de substâncias ativas, a partir de fontes vegetais utilizadas como alimento, que possam contribuir para o/ ou prevenção da obesidade, a fim de avaliar a plausibilidade biológica da ação protetora frente à obesidade e suas consequências. (AU)

Estudos em farmaco/toxicodinamica:bioprospeccao de compostos de origem animal e vegetal com atividade protetora nos processos mitocondriais e em modelos de doenças neurodegenerativas

Beneficiário:Nádia Maria Martins
Instituição: Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Antonio Cardozo dos Santos
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia - Farmacognosia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Processo:07/56566-1
Vigência: 01 de abril de 2008 - 31 de dezembro de 2010
Resumo
As doenças neurodegenerativas (DN) estão entre as principais causas de mortalidade e morbidade nos países ocidentais. Pesquisas recentes relativas a um grande número de doenças neurodegenerativas sugerem a existência de características comuns de toxicidade, associadas à disfunção mitocondrial, mecanismos excitotóxicos, danos oxidativos e apoptose. Muitas pesquisas relacionadas à neuroproteção têm sido conduzidas nos últimos anos, porém não se encontrou ainda uma terapêutica definitiva para essas neuropatias. Nesse contexto, a fauna e a flora brasileiras representam fontes promissoras e ainda pouco exploradas na busca de novas moléculas com atividade neuroprotetora e neurotrótlca e, conseqüentemente, com potencial para originar novos fármacos para o tratamento das doenças neurodegenerativas. Para tal, serão realizados estudos in vitro com toxinas animais, extratos vegetais, bem como com alguns componentes isolados desses produtos, visando: (a) a avaliação de possíveis efeitos protetores contra o dano oxidativo mitocondrial cerebral; (b) a avaliação de possíveis efeitos protetores em modelos celulares de doença de Alzheimer, doença de Parkinson e excitoxicidade; (c) a investigação de uma possível atividade neurotrófica. Os resultados do projeto proposto poderão contribuir para a geração de ferramentas para futuras estratégias de tratamento de doenças neurodegenerativas. (AU)

Uso sustentável da biodiversidade brasileira: determinação de enantiômeros em extratos vegetais por cromatografia quiral e dicroísmo circular

Beneficiário:Daniel Rinaldo
Instituição: Instituto de Química (IQ). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Wagner Vilegas
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Orgânica
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Processo:06/51453-1
Vigência: 01 de março de 2007 - 28 de fevereiro de 2010
Assunto(s):CromatografiaProdutos naturais
Resumo
Este projeto propõe dar continuidade ao estudo integrado químico-farmacológico de espécies usadas como medicinais encontradas no Bioma Cerrado do Estado de São Paulo e do Tocantins. Investigaremos a composição química de espécies vegetais aplicando técnicas que permitam uma análise quali e quantitativa rápida e eficaz, tais como o uso de uso de cartuchos de extração em fase sólida seguido por análises por HPLC. Nesse caso, serão investigadas espécies dos gêneros Neea e Guapira (Nyctaginaceae). Pretende-se desenvolver metodologias que permitam avaliar quali e quantitativamente a presença de compostos opticamente ativos usando HPLC acoplado com detectores de arranjo de fotodiiodos e de dicroísmo circular. Numa etapa inicial serão investigadas as catequínas (de menor complexidade estrutural quando comparadas com outros metabólitos secundários), o que servirá como base para aprofundar os conhecimentos sobre HPLC quiral. Dentre as espécies vegetais, optamos pelas do gênero Byrsonima, devido ao conjunto de dados químicos e biológicos disponíveis até o momento. Assim, a investigação da quiralidade de moléculas naturais se constituirá em um importante diferencial em relação às abordagens que tem sido explorado em nosso e em outros grupos de pesquisas. (AU)

Análise comparativa e funcional dos genomas de Leifsonia xyli subsp. xyli e Leifsonia xyli subsp. cynodontis

Beneficiário:Claudia Barros Monteiro Vitorello
Instituição: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Claudia Barros Monteiro Vitorello
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Molecular e de Microorganismos
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Apoio a Jovens Pesquisadores
Processo:02/02820-0
Vigência: 01 de junho de 2002 - 31 de julho de 2004
Resumo
O presente projeto representa um primeiro esforço no sentido de explorar funcionalmente os resultados do projeto de seqüenciamento do genoma da bactéria Leifsonia xyli subsp. xyli no que tange a identificação de genes de patogenicidade. Seus objetivos dividem-se em duas vertentes: análise comparativa e análise funcional propriamente dita. No caso de Lxx, a análise comparativa reveste-se de especial interesse e de grande potencial para identificar genes de patogenicidade, haja vista a existência de uma outra subespécie de Leifsonia xyli, L.x. subsp. cynodontis (Lxc), que é patogênica a gramíneas do gênero Cynodon mas que, embora endofítica, não é patogência a cana-de-açúcar. Considerando o grande número de exemplos onde fenótipos virulentos podem ser determinados pela presença ou ausência de certos genes, o presente projeto utilizará técnicas alternativas ao seqüenciamento completo de genomas para identificar genes exclusivos ao genoma de cada uma destas bactérias. A expressão destes genes será então analisada em experimentos funcionais subseqüentes, através da técnica de microarray para estudar padrões de expressão gênica de isolados selvagens patogênicos de Lxx e de mutantes não patogênicos, em células cultivadas na presença e ausência de extratos vegetais. (AU)

Desenvolvimento de um ensaio para determinação da capacidade antioxidante de produtos naturais através da quimiluminescência do luminol

Beneficiário:Erick Leite Bastos
Instituição: Instituto de Química (IQ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Joséf Wilhelm Baader
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Orgânica
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Processo:98/05445-9
Vigência: 01 de julho de 1998 - 30 de junho de 2000
Assunto(s):AntioxidantesLuminolPiperaceaeQuimiluminescência
Resumo
O efeito de antioxidantes sobre a intensidade da quimiluminescência do luminol induzida por radicais livres tem sido utilizado para monitorar níveis de reatividade e potencial antioxidante em misturas complexas como extratos vegetais ou fluidos biológicos. Diferentes índices (TRAP, TAR e ORAC) tem sido propostos para quantificar e algumas vezes qualificar antioxidantes presentes em uma amostra. A adição de antioxidantes ao sistema luminol resulta em uma modificação do perfil da curva de emissão quimiluminescente, devido ao seqüestro, pelos antioxidantes, dos radicais livres formados no sistema. Desta mudança da cinética de emissão pode-se obter informações com respeito à quantidade de antioxidante presente na amostra e a sua reatividade. Por outro lado, o estudo fitoquímico de espécies da família Piperaceae obteve como resultado substâncias cuja estrutura e funcionalidade indicam para uma possível atividade antioxidante. Em especial o componente majoritário da Photomorphe umbellata, o 4-nerolidilcatecol originou diversos estudos sobre sua aplicação enquanto agente antioxidante. Neste Projeto de Mestrado será desenvolvido um ensaio baseado na quimiluminescência do luminol para a determinação do potencial antioxidante de extratos de plantas e produtos naturais. Primeiramente será testado se um sistema experimental simplificado em relação aos encontrados na literatura leva à obtenção de índices antioxidantes viáveis para em seguida, realizar o estudo sistemático de espécies da família Piperaceae. (AU)

Antioxidantes de inflorescências e frutos em diversas fases de maturação de iryanthera (myristicaceae)

Beneficiário:Dulce Helena Siqueira Silva
Instituição: Instituto de Química (IQ). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Dulce Helena Siqueira Silva
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Orgânica
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Processo:97/10678-0
Vigência: 01 de dezembro de 1997 - 30 de abril de 1998
Assunto(s):AntioxidantesFitoquímicaMyristicaceae
Resumo
Os estudos fitoquímicos realizados pelo Laboratório de Química de Produtos Naturais do IQ-USP com espécies de Iryanthera (Myristicaceae) revelaram a presença de dezenas de substâncias pertencentes às classes das lignanas, neolignanas, flavonóides, lactonas policetídicas, tocotrienóis e, mais recentemente, biflavonóides e flavonolignóides. A presença de tocotrienóis - análogos da vitamina E- e de substâncias poliidroxiladas - por exemplo, flavonolignóides- nos frutos de Iryanthera, sugeriu tratar-se de substâncias com atividade antioxidante por suas características estruturais e pelo fato do alto teor de ácidos graxos e triglicerídeos encontrado nos frutos de miristicáceas, em geral, tomá-los extremamente susceptíveis aos processos oxidativos que degeneram as membranas lipídicas e organelas celulares, o que invibializaria as sementes e comprometeria o processo reprodutivo. Pretende-se enfatizar a investigação da atividade antioxidante dos frutos de espécies de Iryanthera com o intuito de se descobrir novas substâncias que poderão servir de modelo para transformações químicas futuras, visando a obtenção de análogos e o estabelecimento de relações estrutura-atividade. O uso de técnicas hifenadas deve permitir a determinação da composição dos extratos vegetais em estudo com maior eficiência, suprimindo-se as etapas de isolamento de substâncias conhecidas. (AU)

"estudo qualitativo de frações polares de extratos de inflorescências de calêndula (calêndula officinalis l., Calenduleae, Asteraceae). comparações entre diferentes condições de cultivo."

Beneficiário:Eduardo Felipe Alves Fernandes
Instituição: Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Norberto Peporine Lopes
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:09/00940-8
Vigência: 01 de maio de 2009 - 31 de dezembro de 2009
Resumo
A familia Asteraceae reúne diversas espécies com reconhecida capacidade biossintética. A gama de metabólitos secundários produzidos por elas pode resultar em efeitos terapêuticos ou tóxicos. A espécie Calendula officinalis (Linné) é originária do mediterrâneo e vem sendo aclimatada em todo o mundo. No Brasil seu cultivo data da época da colonização, sendo utilizada tanto para fins medicinais como ornamentais. Apesar de vários estudos terem isolado e identificado diversas classes de metabólitos secundários em extratos de C. Officinalis, apontando o potencial terapêutico, em diversos situações, não se conhece qual é a influência da composição do solo na biossíntese destes metabólitos. A verificação da variabilidade da produção de metabólitos secundários em diferentes condições de cultivo poderá ser de grande utilidade no estabelecimento de condições que maximizem a produção de determinados metabólitos. Para tal, a utilização de metodologia analítica rápida, eficaz e que proporcione identificação inequívoca das classes químicas, como o CLAE-DAD-MS, se faz necessária. O estudo destas possíveis variações certamente contribuirá para a produção de extratos vegetais padronizados e com maior concentração de ativos em C. officinalis no Brasil. (AU)

Uso Sustentável da Biodiversidade Brasileira - prospecção químico -farmacologica em plantas superiores: estudo químico e farmacológico do gênero Astronium (Anacardiaceae)

Beneficiário:Viviane Cândida da Silva
Instituição: Instituto de Química (IQ). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Wagner Vilegas
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Orgânica
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Processo:06/61362-3
Vigência: 01 de setembro de 2007 - 31 de agosto de 2010
Assunto(s):AnacardiaceaeBioensaioFitoquímica
Resumo
As plantas são fonte de substâncias biologicamente ativas, muitas das quais se constituem modelos para síntese de fármacos. Estes metabólitos revelam grande diversidade de estrutura e de propriedades biológicas. Porém, a composição química das espécies vegetais ainda está longe de ser descrita em sua totalidade, mesmo uma grande quantidade de substâncias, já isoladas e com estruturas químicas definidas, ainda não foi avaliada quanto às atividades biológicas e farmacológicas. Este projeto visa contribuir para investigação de plantas pertencentes ao gênero Astronium do Estado de São Paulo, através de um estudo farmacoquímico, ou seja, isolamento e identificação das substâncias presentes nos extratos vegetais, acompanhada de ensaios farmacológicos para atividades antimicrobiana, antiúlcera, antioxidante e antiinflamatório-analgésica, já que a espécie A. urundeuva apresenta, segundo a literatura, atividades antiuicerogênica e antiinflamatória e, na medicina popular atua contra reumatismo, úlceras da pele e dor de dente. O estudo será realizado em colaboração com grupos de pesquisas de Farmacologia de PN do IB-UNICAMP e do IB-Botucatu-UNESP e de Ciência Biológicas da FCF-Ar-UNESP. Tem-se como proposta contribuir para aprofundar os conhecimentos sobre as plantas que ocorrem no Estado (já inventariadas com o projeto Temático BIOTA/FAPESP 02/05503-6). (AU)

Efeito do extrato de Mikania glomerata Sprengel (guaco) sobre a implantação, desenvolvimento placentário e embrionário em camundongos

Beneficiário:Camila Figueira Mendes
Instituição: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Estela Maris Andrade Forell Bevilacqua
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Histologia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Processo:09/06655-3
Vigência: 01 de março de 2010 - 29 de fevereiro de 2012
Assunto(s):AbortoPlacenta
Resumo
Nos dias atuais, a utilização de fitoterápicos tem crescido acentuadamente. No Brasil, um país cuja flora nativa é riquíssima, tem-se investido substancialmente em pesquisas na área de fitoterápicos. Isto se deve, em parte, à necessidade de novos medicamentos, ao interesse na comercialização destes produtos, ao interesse na preservação da cultura popular e da reserva da flora nacional. Paralelamente a este cenário, está a crença de que medicamentos fitoterápicos são inofensivos em circunstâncias especiais tais como: gravidez, hipertensão, diabetes, etc. É como se os fitoterápicos atuassem especificamente sobre uma determinada patologia e não sobre o metabolismo como um todo. A Mikania glomerata Sprengel, originária da América do Sul, é uma planta subarbustiva que nasce nas matas e cerrados, adaptando-se muito bem ao cultivo doméstico conhecida popularmente como guaco. Ela é vastamente utilizada pela população no tratamento de doenças como a asma, bronquite e reumatismo, além de possuir efeito antifúngico, antimicrobiano, antialérgico, antiinflamatório e antiofídico. Neste estudo, nosso objetivo é estudar a possível ação do extrato vegetal de Mikania glomerata Sprengel (guaco) no perfil reprodutivo e gestacional de camundongos (Mus musculus domesticus) e determinar se a administração desta droga pode comprometer o embrião/feto e placenta durante a prenhez. (AU)

Efeito associado de cultivares de repolho, produtos químicos e de origem vegetal, no controle da traça-das-crucíferas Plutella xylostella ( Lepidoptera: Plutellidae) e impacto sobre Trichogramma.

Beneficiário:Robson Thomaz Thuler
Instituição: Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias (FCAV). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Jaboticabal. Jaboticabal, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Sergio Antonio De Bortoli
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitossanidade
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Processo:03/00355-1
Vigência: 01 de março de 2003 - 28 de fevereiro de 2006
Assunto(s):Extratos vegetaisRepolho
Resumo
O projeto será desenvolvido na FCAV-UNESP, com o objetivo de avaliar o efeito da interação entre resistência de cultivares de repolho, inseticidas vegetais e Trichogramma pretiosum no manejo de Plutella xylostella. Para tanto, inicialmente será avaliada a biologia de P. xylostella nas cultivares Granat Roxo, Midorí, Scarlet, Roxo Precoce e Chato de Quintal em laboratório. No segundo experimento será avaliada a toxicidade dos produtos químicos Lufenuron e Deltametrina e, dos de origem vegetal Azadiractina e Extrato pirolhenhoso, através da adequação das doses letais (DL) para cada produto, em relação à praga em questão, criada em couve cv. Manteiga. O terceiro experimento será realizado com os mesmos produtos testados no segundo, no entanto, serão avaliados os efeitos dos mesmos sobre o controlador biológico Trichogramma pretiosum, seguindo-se os padrões internacionais recomendados pela IOBC/WPRS (1988, 1992). No quarto experimento será avaliada a associação dos métodos testados nos três primeiros experimentos, utilizando-se duas cultivares de repolho classificadas como moderadamente resistentes, no primeiro experimento e dois produtos, um químico e um de origem vegetal, nas dosagens indicadas no terceiro experimento como seletivas ao T. pretiosum e que proporcionem mortalidade de no máximo 50% para P. xylostella. (AU)

Estudo bio-direcionado dos extratos vegetais de Mikania glomerata, Casearia sylvestris e Mandevilla velutina sobre as ações tóxicas induzidas por venenos de serpentes: caracterização fitoquímica, farmacológica e histopatológica

Beneficiário:Vanessa Colnaghi Fernandes
Instituição: Centro de Ciências Exatas, Naturais e Tecnológicas. Universidade de Ribeirão Preto (UNAERP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Paulo Sérgio Pereira
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Orgânica
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Processo:04/01856-7
Vigência: 01 de abril de 2004 - 31 de março de 2005
Assunto(s):ToxicidadeVenenos de serpentesCromatografia de afinidade
Resumo
O trabalho propõe a avaliação da atividade antiofídica dos extratos brutos, frações e princípios ativos isolados das plantas Mikania glomerata, Casearia sylvestris e Mandevilla velutina contra os venenos de Bothrops jararacussu e Crotalus durissus terrificus. Neste estudo serão avaliadas diversas atividades tóxicas, farmacológicas e histopatológicas induzidas por estes venenos, e suas toxinas isoladas, na presença e ausência de extratos e/ou princípios ativos vegetais. Os ensaios farmacológicos (toxicidade, edema, algesia e analgesia) e histopatológicos (microscopia óptica e eletrônica) serão mais estudados para avaliar melhor a atividade antiofídica destes extratos. Além disso, será utilizada cromatografia por afinidade para o isolamento de inibidores de fosfolipases A2. De igual forma, efetuar-se-á a introdução destas espécies vegetais em um banco de germoplasma, garantindo que ao obter-se resultados promissores, haja matéria-prima com diversidade para estudos de manejo e produção da planta de potencial fitoterápico. (AU)

Avaliação do potencial antioxidante do extrato de h. aphrodisiaca em testículo de ratos wistar submetidos a estresse oxidativo: um enfoque histopatológico e ultra-estrutural

Beneficiário:Maria Aparecida da Silva Diamante
Instituição: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Mary Anne Heidi Dolder
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Citologia e Biologia Celular
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Processo:11/21017-3
Vigência: 01 de dezembro de 2011 - 31 de outubro de 2013
Assunto(s):CádmioTestículo
Resumo
O presente projeto propõe investigar o potencial do extrato de H. aphrodisiaca em contrabalancear as alterações morfológicas normalmente observadas em testículo de rato Wistar submetido a estresse oxidativo por Cloreto de Cádmio. Juntamente com os ensaios propostos no projeto principal, as avaliações morfológicas irão contribuir significativamente para elucidar a atividade antioxidante deste extrato vegetal, assim como identificar seus mecanismos de atuação. Neste projeto de treinamento técnico, o aluno selecionado terá a oportunidade de entrar em contato com técnicas rotineiras de microscopia de luz e microscopia eletrônica de transmissão (MET), sendo estas técnicas amplamente utilizadas por nossa equipe de trabalho. O aluno irá acompanhar o processamento de material biológico para microscopia de luz desde a coleta do mesmo, passando por seu processamento, inclusão em resina e parafina, microtomia, montagem de lâminas, coloração, captura de imagens, análises esteriológicas e estatísticas. O aluno será também exposto a técnicas rotineiras de microscopia eletrônica de transmissão, desde o processamento padrão para esta técnica, como ultramicrotomia e montagem de telinhas, até a operação do MET. Durante este processo de treinamento, o aluno será incentivado a buscar na literatura científica material que o auxilie a compreender e discutir os resultados observados, de forma que adquira experiência para colaborar na elaboração dos artigos científicos provenientes deste estudo. (AU)

Avaliação foto-oxidativa da fibra capilar tratada com condicionador bioativo ou aditivado de silicone após processo de coloração

Beneficiário:Michelli Ferrera Dario
Instituição: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Maria Valeria Robles Velasco
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia - Farmacotecnia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:10/16897-1
Vigência: 01 de janeiro de 2011 - 31 de dezembro de 2011
Assunto(s):Cabelo
Resumo
A produção brasileira de produtos capilares é bastante expressiva sendo que 23,8% dos produtos cosméticos exportados pelo Brasil em 2009 pertenciam a essa categoria. Os produtos capilares, atualmente, devem ser multifuncionais, ou seja, devem garantir a maleabilidade dos cabelos, mas também fotoproteção evitando perda de coloração (natural ou artificial) da fibra capilar. Para tanto, são empregados filtros solares, silicones e diversos extratos vegetais com propriedades antioxidantes. Nesse contexto, devemos considerar a tendência mundial de incorporação de insumos e matérias-primas oriundas de plantas em formulações cosméticas. A partir do exposto, considerando a potencial atividade antioxidante da romã (Punica granatum, L.), serão preparados diferentes extratos hidroalcoólicos com o pericarpo do fruto, que serão avaliados quanto à atividade antioxidante e quantidade de taninos. Os extratos de melhor performance serão incorporados à formulação leave-in de condicionadores capilares. Os silicones possuem reconhecida ação condicionadora além de proteção da cor da fibra capilar. Assim, serão preparadas formulações leave-in incorporadas de silicone a fim de se comparar com os efeitos do extrato de romã. Mechas de cabelo cacheadas virgens de cor castanho padronizadas serão descoloridas e posteriormente tratadas com tintura oxidativa. Os condicionadores leave-in desenvolvidos serão aplicados nas mechas e posteriormente estas serão expostas à radiação ultravioleta. Serão avaliadas as características de cor e propriedades mecânicas da fibra capilar. (AU)

Desenvolvimento de uma plataforma para o estudo do metabolismo in vivo e in vitro de produtos naturais, uma necessidade para o sistema de ensaios pré-clínicos

Beneficiário:Tatiane Cruz de Carvalho
Instituição: Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Mônica Tallarico Pupo
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Processo:11/11599-5
Vigência: 01 de julho de 2011 - 31 de janeiro de 2012
Resumo
Para os estudos clínicos e de estabilidade, é necessária a caracterização química dos extratos vegetais e a obtenção de marcadores, sendo esta etapa de relevância para a execução destes estudos. Estes padrões, por sua vez, devem ser obtidos e certificados quanto à sua identidade e pureza e alguns podem servir de inspiração para os químicos sintéticos e medicinais. Uma parte dessas abordagens tem sido realizada dentro do programa BioProspecta, contudo, a falta de estudos de metabolismo, absorção e distribuição de ativos naturais ainda é um dos grandes gargalos na pesquisa do país e da implementação de algumas fases de estudos pré-clínicos. Dentro deste cenário, o objetivo desta proposta é o estabelecimento de uma plataforma de trabalho, englobando 4 grandes grupos, sendo a primeira colaborativa com os grupos componentes do Bioprospecta e de nossos pesquisadores na busca de novos produtos bioativos. A segunda estrutura visa o desenvolvimento de reações biomiméticas para obtenção de derivados estruturalmente semelhantes aos produzidos pelo sistema microssomal humano. O terceiro pilar visa os estudos de interpretação e aplicação das reações de decomposição em fase gasosa de micromoléculas ionizadas por ESI. Finalmente o quarto pilar busca aplicar todas essas informações em modelos in vivo utilizando um reduzido número de animais e permitindo uma interpretação do metabolismo de produtos naturais, essenciais nas fases iniciais dos estudos pré-clínicos. (AU)

Isolamento e identificação de substâncias bioativas de alimentos vegetais que interferem em processos metabólicos da obesidade

Beneficiário:Rogério Baria Ribeiro
Instituição: Faculdade de Saúde Pública (FSP). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Deborah Helena Markowicz Bastos
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos - Ciência de Alimentos
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Processo:09/15036-5
Vigência: 01 de novembro de 2009 - 31 de março de 2010
Assunto(s):ObesidadeSuplementação alimentarHoodia gordonii
Resumo
Com o crescimento mundial do número de indivíduos obesos, inclusive entre a população de baixa renda, se faz necessário identificar novos agentes capazes de atuarem na redução de peso ou na melhora dos transtornos secundários relacionados à obesidade. Existem evidências epidemiológicas que demonstram a importância de dietas ricas em frutas, vegetais, grãos e leguminosas na proteção contra certos tipos de câncer, doenças cardiovasculares e outras doenças crônicas não transmissíveis. Estes efeitos podem estar relacionados à presença de compostos bioativos, como por exemplo, compostos fenólicos e organossulfurados, fitoestrógenos, carotenóides e terpenóides, que atuam de forma sinérgica. A comercialização de suplementos alimentares contendo extratos vegetais que estimulam a redução de peso e o recente interesse despertado pela espécie Hoodia gordonii, como inibidor do apetite, são alguns exemplos que ilustram a importância de espécies utilizadas como alimento no combate à obesidade. Este trabalho tem como principal objetivo a identificação de substâncias ativas, a partir de fontes vegetais utilizadas como alimento, que possam contribuir para o/ ou prevenção da obesidade, a fim de avaliar a plausibilidade biológica da ação protetora frente à obesidade e suas consequências. (AU)

Biodisponibilidade, distribuição na pele e atividade de compostos antioxidantes do extrato hidroalcoólico de Ilex paraguariensis hidrolisado e não hidrolisado

Beneficiário:Diogo Pineda Rivelli
Instituição: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Silvia Berlanga de Moraes Barros
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado Direto
Processo:06/57163-5
Vigência: 01 de julho de 2007 - 31 de dezembro de 2010
Resumo
Ilex paraguariensis (chá mate) é amplamente usado na América latina sob a forma de infusão aquosa. Dentre as propriedades atribuídas a esta planta encontra-se a atividade antioxidante que sugere um papel importante desta droga na prevenção e tratamento de doenças associadas ao estresse oxidativo como a aterosclerose, fotocarcinogênese e foto envelhecimento, entre outras. O uso mais comum do chá mate como alimento é na forma de infusão aquosa. Poucos estudos relataram o emprego de extrato alcoólico ou hidroalcoólico padronizado de mate como complemento alimentar, ou na prevenção de lesões cutâneas promovidas pela radiação solar. Sabe-se ainda que uma maneira de aumentar a biodisponibilidade de antioxidantes em extratos vegetais é promover a sua hidrólise visando à liberação dos compostos ativos, conforme demonstrado para outras plantas. O objetivo deste trabalho é estudar a atividade antioxidante do extrato hidroalcoólico de Ilex paraguariensis antes e após a hidrólise, proceder à análise fitoquímica destes extratos, estudar a biodisponibilidade relativa dos compostos antioxidantes bem como sua distribuição na pele, em animais de experimentação. (AU)

Pão e carne para o futuro

Beneficiário:Lucinéia Vizzotto Marconcini
Instituição: Instituto de Química de São Carlos (IQSC). Universidade de São Paulo (USP). São Carlos, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Daniel Rodrigues Cardoso
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Processo:12/07362-2
Vigência: 01 de maio de 2012 - 30 de setembro de 2012
Resumo
O atual aumento na competitividade nas diferentes cadeias agroindustriais, tanto no mercado nacional quanto internacional, tem forçado a industria de alimentos a desenvolver produtos de melhor qualidade no tocante da segurança alimentar, rastreabilidade, qualidade sensorial e nutricional. Neste ínterim, o uso de aditivos e flavorizantes é essencial na conservação das propriedades químicas, físico-químicas e sensoriais do produto. Assim, o uso de extratos vegetais e de frutas ricos em compostos fenólicos como aditivos e flavorizantes de origem natural na industria de laticínio é uma atual vertente do mercado. Entretanto, pouco se sabe a respeito da interação destes compostos fenólicos e proteínas do soro do leite e sua influência na atividade antioxidante do produto. O leite e os seus derivados são produtos em geral sensíveis à luz, e as reações foto-iniciadas afetam não somente a qualidade sensorial, mas também levam a formação de substâncias tóxicas e a degradação de importantes nutrientes. Assim, o presente projeto visa o estudo das interações moleculares entre compostos fenólicos, antioxidantes, e proteínas do soro do leite e avaliar o efeito sinérgico ou antagônico destas interações na proteção antioxidante do leite e derivados frente aos efeitos deletérios da exposição do produto à radiação luminosa. (AU)

Pão e carne para o futuro

Beneficiário:Marisvanda Rios Gonzaga
Instituição: Instituto de Química de São Carlos (IQSC). Universidade de São Paulo (USP). São Carlos, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Daniel Rodrigues Cardoso
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Processo:12/04758-2
Vigência: 01 de abril de 2012 - 31 de março de 2013
Resumo
O atual aumento na competitividade nas diferentes cadeias agroindustriais, tanto no mercado nacional quanto internacional, tem forçado a industria de alimentos a desenvolver produtos de melhor qualidade no tocante da segurança alimentar, rastreabilidade, qualidade sensorial e nutricional. Neste ínterim, o uso de aditivos e flavorizantes é essencial na conservação das propriedades químicas, físico-químicas e sensoriais do produto. Assim, o uso de extratos vegetais e de frutas ricos em compostos fenólicos como aditivos e flavorizantes de origem natural na industria de laticínio é uma atual vertente do mercado. Entretanto, pouco se sabe a respeito da interação destes compostos fenólicos e proteínas do soro do leite e sua influência na atividade antioxidante do produto. O leite e os seus derivados são produtos em geral sensíveis à luz, e as reações foto-iniciadas afetam não somente a qualidade sensorial, mas também levam a formação de substâncias tóxicas e a degradação de importantes nutrientes. Assim, o presente projeto visa o estudo das interações moleculares entre compostos fenólicos, antioxidantes, e proteínas do soro do leite e avaliar o efeito sinérgico ou antagônico destas interações na proteção antioxidante do leite e derivados frente aos efeitos deletérios da exposição do produto à radiação luminosa. (AU)

Pão e carne para o futuro

Beneficiário:Marília Pastro Vidal
Instituição: Instituto de Química de São Carlos (IQSC). Universidade de São Paulo (USP). São Carlos, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Daniel Rodrigues Cardoso
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Processo:13/06603-9
Vigência: 01 de maio de 2013 - 31 de outubro de 2014
Assunto(s):Compostos fenólicosAntioxidantesCarnes e derivados
Resumo
O atual aumento na competitividade nas diferentes cadeias agroindustriais, tanto no mercado nacional quanto internacional, tem forçado a indústria de alimentos a desenvolver produtos de melhor qualidade no tocante da segurança alimentar, rastreabilidade, qualidade sensorial e nutricional. Neste ínterim, o uso de aditivos e flavorizantes é essencial na conservação das propriedades químicas, físico-químicas e sensoriais do produto. Assim, o uso de extratos vegetais e de frutas ricos em compostos fenólicos como aditivos e flavorizantes de origem natural na indústria de laticínio é uma atual vertente do mercado. Entretanto, pouco se sabe a respeito da interação destes compostos fenólicos e proteínas do soro do leite e sua influência na atividade antioxidante do produto. O leite e os seus derivados são produtos em geral sensíveis à luz, e as reações foto-iniciadas afetam não somente a qualidade sensorial, mas também levam a formação de substâncias tóxicas e a degradação de importantes nutrientes. Assim, o presente projeto visa o estudo das interações moleculares entre compostos fenólicos, antioxidantes, e proteínas do soro do leite e avaliar o efeito sinérgico ou antagônico destas interações na proteção antioxidante do leite e derivados frente aos efeitos deletérios da exposição do produto à radiação luminosa. (AU)

Estudo do efeito cardioprotetor e terapêutico de extratos vegetais na necrose miocárdica induzida por isoproterenol em ratos

Beneficiário:Simone Gusmão Ramos
Instituição: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Simone Gusmão Ramos
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Anatomia Patológica e Patologia Clínica
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:13/05327-8
Vigência: 01 de março de 2014 - 29 de fevereiro de 2016
Assunto(s):Cardiopatias congênitasProcedimentos cirúrgicos cardíacosCatecolaminasReceptores adrenérgicos betaInfarto do miocárdioIsoproterenolCardiotônicosExtratos vegetaisCurcumina
Resumo
Cirurgias para correção de cardiopatias congênitas estão cada vez mais frequentes no Brasil e no mundo. Entretanto, mesmo com os avanços obtidos nas técnicas cirúrgicas e de perfusão, alguns casos, especialmente os mais complexos, podem evoluir com insuficiência cardíaca refratária (IC) e óbito. Em um estudo retrospectivo em pacientes que foram submetidos à cirurgia para correção de cardiopatias congênitas (CC) com circulação extracorpórea (CEC) no HC FMRP-USP e evoluíram com óbito, observamos infartos múltiplos em diferentes estágios de evolução e microcalcificações dispersas no miocárdio, mesmo sem obstrução coronariana. No estudo seguinte, confirmamos que após a CEC ocorreu um efetivo aumento da expressão gênica dos receptores de catecolaminas (receptores adrenérgicos ²1 e ²2) e da quinase de receptor GRK-2 nos cardiomiócitos atriais em comparação com as biópsias colhidas no início da CEC. Essa alteração foi associada ao aumento dos níveis séricos de lactato, observado 12h após o término da CEC. Mais ainda, a fração N-terminal do precursor do peptídeo natriurético tipo B (NT-ProBNP) e a troponina I também estavam elevadas logo após a CEC, permanecendo em níveis elevados até 48h após a cirurgia. Esses marcadores bioquímicos indicam que tenha havido algum grau de hipóxia tecidual/ isquemia miocárdica durante o procedimento cirúrgico. Com esse achado, sugerimos que a lesão miocárdica predominante nos pacientes operados para correção de CC e uso de CEC deve estar relacionada à liberação de catecolaminas durante a cirurgia. Sabendo das limitações da pesquisa envolvendo material humano resolvemos inverter o processo da medicina translacional e estudar o efeito de substâncias cardioprotetoras em lesões miocárdicas por excesso de catecolaminas circulantes. Analisaremos o miocárdio de ratos, utilizando um modelo clássico de lesão induzida por catecolaminas, o isoproterenol (uma catecolamina sintética). Nesses corações, avaliaremos dois mecanismos diferentes de possível ação do isoproterenol: atuação nos receptores adrenérgicos ²1 e ²2 e da quinase de receptor GRK-2 e produção de estresse oxidativo. Em contrapartida, observaremos a interferência nesses processos de um extrato vegetal purificado, a curcumina, considerado como efetivo cardioprotetor na literatura pertinente. Este estudo possui um potencial significativo para abordar novos alvos no desenvolvimento de medicamentos que podem prevenir ou tratar o dano miocárdico de forma segura, minimizando os efeitos colaterais das drogas sintéticas. (AU)

Desenvolvimento, estabilidade e eficácia pré-clínica de formulações fotoprotetoras contendo vitaminas lipossolúveis e extratos de Ginkgo biloba e algas marinhas vermelhas

Beneficiário:Patrícia Maria Berardo Gonçalves Maia Campos
Instituição: Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Patrícia Maria Berardo Gonçalves Maia Campos
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia - Análise e Controle de Medicamentos
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:08/56819-0
Vigência: 01 de julho de 2009 - 30 de junho de 2011
Assunto(s):Análise e controle e medicamentos
Resumo
A associação de substâncias ativas para o desenvolvimento de produtos cosméticos eficaz para proteção da pele e restauração da integridade da pele fotoenvelhecida, vem sendo muito utilizada. Desta maneira, destaca-se a associação de filtros solares com substâncias antioxidantes, tais como as vitaminas lipossolúveis e os extratos vegetais com propriedades de filtros solares biológicos, os quais podem fornecer benefícios únicos à pele, aumentando a proteção contra a radiação U.V. e melhorando suas condições. Ainda, no desenvolvimento de formulações cosméticas é fundamental a seleção rigorosa de matérias-primas para a obtenção de produtos seguros e estáveis. Assim o objetivo do presente projeto é a avaliação da estabilidade química e física e da eficácia, pré-clínica e clínica, de formulações fotoprotetoras contendo vitaminas A, C e E e extratos de Ginkgo biloba e de algas marinha vermelhas. Serão desenvolvidas formulações com FPS 15 as quais serão acrescidas ou não dos extratos de Ginkgo biloba ou de algas marinhas vermelhas e/ou da associação de vitaminas. As formulações serão submetidas à avaliação da estabilidade física (reologia) e química (cromatografia líquida de alta eficiência - CLAE). A formulação considerada mais estável nestes estudos será utilizada para a avaliação da eficácia, por estudos pré-clínicos (técnicas histopatológicas e histométricas e por imunohistoquímica, por meio da análise de apoptose, metaloproteinases, proliferação e diferenciação celular) e clínicos por técnicas de biofisica e imagem da pele (conteúdo aquoso do estrato córneo, perda transepidérmica de água, micro-relevo cutâneo, propriedades mecânicas da pele, da espessura da epiderme e da derme e presença de manchas), que é uma análise objetiva (instrumental) e, por meio de uma análise subjetiva, sensorial e percepção da eficácia (auto-avaliação) e, ainda, de uma avaliação clínica da pele das voluntárias envolvidas no presente estudo (realizada pelo dermatologista). (AU)

Novos alvos terapêuticos: utilização de enzimas recombinantes para triagem de fármacos de interesse médico veterinário e humano

Beneficiário:Edson Roberto da Silva
Instituição: Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos (FZEA). Universidade de São Paulo (USP). Pirassununga, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Edson Roberto da Silva
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Farmacologia Bioquímica e Molecular
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:09/08715-3
Vigência: 01 de novembro de 2009 - 31 de outubro de 2011
Assunto(s):ArginaseLeishmaniaQuimioterapia
Resumo
A clonagem de genes em vetores de expressão possibilita a produção de enzimas de organismos patogênicos em organismo heterólogo. Considerando organismos geneticamente modificados e não infectantes podemos produzir proteínas em larga escala. A produção de massa de proteínas possibilita desde a cristalização até testes avançados de triagem de novos fármacos. A enzima arginase é responsável pela conversão do aminoácido L-arginina em ornitina e uréia. Em Leishmania, a enzima arginase desempenha um papel crítico na produção de ornitina que é a molécula precursora de poliaminas (espermina, espermidina). A produção de poliaminas é essencial para o crescimento e multiplicação de Leishmania. O nocaute do gene da enzima arginase de Leishmania demonstrou que a enzima pode ser utilizada como alvo terapêutico. O gene da arginase de Leishmania (Leishmania) amazonensis foi clonado em vetor de expressão heterólogo e em seguida a enzima foi produzida e purificada em larga escala. Extratos vegetais de diversas espécies do Cerrado Tocantinense foram testados e apresentaram inibição da arginase de Leishmania. O sucesso da inibição da arginase in vitro naturalmente conduz aos ensaios de avaliação em culturas de promastigota e em culturas de amastigotas, além da avaliação do potencial terapêutico em modelo animal. Assim este projeto propõe isolar, caracterizar e testar inibidores seletivos de arginase de L. (L.) amazonensis em cultura e em modelo animal de infecção por Leishmania. Além das moléculas obtidas de vegetais também testaremos protótipos de inibidores sintéticos que foram planejados para inibirem a enzima arginase. (AU)

Contribuição químico-farmacológica do gênero Machaerium (Fabaceae)

Beneficiário:Miriam Sannomiya
Instituição: Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Miriam Sannomiya
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Orgânica
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:09/16147-5
Vigência: 01 de novembro de 2010 - 31 de outubro de 2012
Assunto(s):Produtos naturaisFabaceaeMachaeriumIsoflavonasMutagênese
Resumo
Este projeto tem como objetivo contribuir para o conhecimento da potencialidade de algumas espécies pertencentes ao gênero Machaerium do cerrado brasileiro, através de um estudo químico-farmacológico, ou seja, isolamento e identificação das substâncias presentes nos extratos vegetais, acompanhada dos ensaios farmacológicos para as atividades antiúlcera, antiinflamatória/ analgésica, antimutagênica e mutagênica. De acordo com a literatura, algumas espécies de Machaerium (Fabaceae) são de uso etnofarmacológico como é o caso de Machaerium hirtum (Vell.) Stellfeld., a qual é uma planta cujas cascas são utilizadas popularmente contra diarréias, tosse e câncer (Pott & Pott, 2004). É popularmente conhecida como Adolfo e bico-de-andorinha. Apesar disto, não existe relatos até o momento, abordando sobre estudos químicos ou farmacológicos desta espécie. (AU)

Potencial da atividade antimicrobiana in vitro de extratos vegetais do cerrado sobre cepas de Staphylococcus aureus isolados de mastite bovina

Beneficiário:Luiz Augusto do Amaral
Instituição: Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias (FCAV). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Jaboticabal. Jaboticabal, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Luiz Augusto do Amaral
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Medicina Veterinária Preventiva
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:08/57524-3
Vigência: 01 de abril de 2009 - 31 de março de 2010
Assunto(s):Mastite animalBovinos
Resumo
À mastite bovina é caracterizada por processo inflamatório da glândula mamaria e classificada de acordo com a forma de apresentação, podendo ser clínica ou subclínica. O Staphylococcus aureus destaca-se como o principal agente etiologico da mastite contagiosa e importante microorganismo na epidemiologia de doenças veiculadas por alimentos, devido a sua alta prevalência e produção de toxinas termorresistentes causadoras de gastrenterites alimentares ao homem. O tratamento da mastite bovina é realizado através da antibioticoterapia, entretanto seu uso ostensivo e inadequado proporciona resistência bacteriana a diversos princípios ativos. O agente patogênico em estudo, Staphylococcus aureus, apresenta alta resistência aos antimicrobianos disponíveis no mercado. Além da dificuldade de controlar uma enfermidade de grande impacto econômico e epidemiológico, os tratamentos atualmente disponíveis acarretam sérios prejuízos ao consumidor, à indústria e ao rebanho, devido ao risco da presença de resíduos dessas substâncias no produto final. Considerando-se a riqueza da vegetação das plantas nativas do cerrado, a existência de estudos prévios que relatam atividade antimicrobiana de alguns compostos destas plantas bem como o uso já adotado pela população, é essencial o desenvolvimento de projetos nessa perspectiva com o objetivo de gerar benefícios terapêuticos e econômicos. De acordo com a realidade apresentada justifica-se o presente estudo, que tem como objetivo avaliar o potencial de atividade antimicrobiana "in vitro" de algumas plantas nativas do cerrado brasileiro frente ao agente Staphylococcus aureus, isolados de leite mastítico, bem como de outras fontes de contaminação envolvidas na cadeia produtiva do leite consideradas fatores de risco para a ocorrência da doença. (AU)

Caracterização fenotípica e de genes diferencialmente expressos de Cryptococcus neoformans após interação com pneumócitos e com extratos com atividade antifúngica

Beneficiário:Maria José Soares Mendes Giannini
Instituição: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCFAR). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Maria José Soares Mendes Giannini
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia - Biologia e Fisiologia dos Microorganismos
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:07/53253-2
Vigência: 01 de fevereiro de 2008 - 31 de agosto de 2010
Assunto(s):MicologiaCryptococcus neoformansRelações hospedeiro-parasitaMeningite criptocócicaAntimicóticosProdutos naturaisExtratos vegetais
Resumo
Produtos naturais são bastante utilizados na medicina, indústria e agricultura, caracterizando as plantas como fonte valiosa de substâncias úteis como fármacos, agroquímicos, nutracêuticos, etc., cuja atividade pode ser potencializada por transformações químicas e biológicas. Cryptococcus neoformans é patógeno importante, principalmente em pacientes imunocompremetidos. A principal porta de entrada deste patógeno é pela via respiratória, disseminando-se posteriormente e atingindo principalmente o sistema nervoso central, provocando a meningite criptocóccica. C. neoformans compreende as variedades grubii (sorotipo A) e neoformans (sorotipo D) e um híbrido, sorotipo AD e a espécie C. gattii, compreende os sorotipos B e C. De maneira geral, C. gattii infecta indivíduos imunocompetente, enquanto C. neoformans var. grubii e neoformans, imunossuprimidos. Vários fatores de virulência tem sido identificados como importantes para a patogenia de C. neoformans, dentre eles podemos citar a capacidade de crescimento a 37 °C, produção de melanina, cápsula polissacarídica, mating-type, enzimas e moléculas relacionadas à sinalização celular. A interação fungo-hospedeiro durante a infecção criptocóccica é extremamente complexa e estudos moleculares associados a modelos de infecção in vivo são essenciais para identificar prováveis genes responsáveis pela manutenção e proliferação do agente no hospedeiro. A infecção inicial pulmonar pode ser subclínica, ou assemelhar-se a uma pneumonia e não ser detectada inicialmente, aparecendo subsequentemente a meningite criptocóccica com quadros graves, podendo levar a óbito. Por outro lado, o tratamento desta doença ainda apresenta problemas, tanto pelas poucas opções terapêuticas, como pelo aparecimento de cepas resistentes...(AU)

Fracionamento biomonitorado de alcalóides isoquinolínicos de espécies do gênero Annona (Annonaceae) ativos frente aos agentes protozoários de doenças tropicais endêmicas e avaliação da atividade citotóxica

Beneficiário:Dominique Corinne Hermine Fischer
Instituição: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Dominique Corinne Hermine Fischer
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Orgânica
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:06/06198-3
Vigência: 01 de abril de 2007 - 31 de outubro de 2009
Resumo
As doenças tropicais endêmicas continuam a afetar gravemente a Saúde Pública, no Brasil e no mundo. A dispersão geográfica e as sérias conseqüências sócio-econômicas de enfermidades, que muitas vezes chegam a ser incapacitantes, como a doença de Chagas e a leishmaniose nas suas diferentes formas, são preocupantes. Aliada a este quadro, a terapêutica tradicional requer, em geral, a onerosa internação de pacientes, com a administração parenteral de fármacos, como os antimoniais, arseniais, entre outros, quase sempre, levando às complicações em decorrência da grande toxicidade. Considerando a necessidade urgente de novas alternativas terapêuticas, extratos vegetais e seus constituintes representam fonte de moléculas-protótipo potencialmente ativas nos agentes etiológicos destas endemias. Neste contexto, em projeto anterior, comprovou-se a atividade antimalárica dos alcalóides totais da classe dos isoquinolínicos. Em triagem, posterior, frente à Leishmania (L.) chagasi (formas promastigotas e amastigotas) e Trypanosoma cruzi (formas tripomastigotas), igualmente, verificou-se o potencial antiparasitário dos alcalóides totais, o que permitiu a seleção das espécies de maior interesse, que integram o presente projeto: Annona coriacea Mart. e A. crassiflora Mart encontradas na flora do Estado de São Paulo. Em ensaio recente, ainda inédito, outra representante do gênero Annona, A.squamosa L. demonstrou atividade antileishmania promissora, vindo a integrar,igualmente, esta proposta, a qual tem por objetivo a separação e o isolamento dos alcalóides responsáveis pelas atividades antiprotozoárias verificadas. Em paralelo, será realizada a avaliação da citotoxicidade em células RAW 264.7 (macrófagos de murinos), permitindo a determinação do Indice de Seletividade. Visando averiguar os possíveis mecanismos de ação, serão efetuados estudos ultraestruturais dos compostos mais ativos. (AU)

Análise comparativa e funcional dos genomas de Leifsonia xyli subsp. xyli e Leifsonia xyli subsp. cynodontis

Beneficiário:Claudia Barros Monteiro Vitorello
Instituição: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Claudia Barros Monteiro Vitorello
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Molecular e de Microorganismos
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Apoio a Jovens Pesquisadores
Processo:01/12613-0
Vigência: 01 de junho de 2002 - 31 de julho de 2004
Publicação FAPESP sobre o auxílio:http://media.fapesp.br/bv/uploads/pdfs/Investindo...pesquisadores_169_146_146.pdf
Assunto(s):Sequenciamento genéticoBactériasLeifsonia xyli
Resumo
Projetos de sequenciamento de genomas possuem a característica de gerar um grande volume de conhecimento que precisa ser estudado a posteriori por meio de análises funcionais. Assim, o presente projeto representa um primeiro esforço no sentido de explorar funcionalmente os resultados do projeto de sequenciamento do genoma da bactéria Leifsonia xyli subsp. xyli no que tange a identificação de genes de patogenicidade. Seus objetivos dividem-se em duas vertentes: análise comparativa e análise funcional propriamente dita. No caso de Lxx, a análise comparativa reveste-se de especial interesse e de grande potencial para identificar genes de patogenicidade, haja vista a existência de uma outra subespécie de Leifsonia xyli, denominada L.x. subsp. cynodontis (Lxc), que é patogênica a gramíneas do gênero Cynodon mas que, embora endofítica, não é patogênica a cana-de-açúcar. Considerando o grande número de exemplos onde fenótipos virulentos podem ser determinados pela presença ou ausência de certos genes, o presente projeto utilizará técnicas alternativas ao sequenciamento completo de genomas para identificar genes exclusivos ao genoma de cada uma destas bactérias. Através da hibridização do genoma de Lxc a um microarray de DNA baseado no genoma completamente sequenciado de Lxx teremos informações referentes às sequências que estão ausentes no genoma de Lxc. Para obter informações sobre genes adicionais presentes em Lxc mas, ausentes em Lxx, serão utilizados métodos de hibridização subtrativa do DNA total dos dois genomas. A expressão destes genes será então analisada em experimentos funcionais subsequentes. Os experimentos funcionais utilizarão a técnica de microarray para estudar padrões de expressão gênica de isolados selvagens patogênicos de Lxx e de mutantes não patogênicos, por meio de hibridizações de DNA total com o cDNA preparado a partir de mRNA extraído de células de Lxx cultivadas em meio de cultura na presença e ausência de extratos vegetais. Genes de expressão alterada em Lxx, também serão estudados em Lxc se presentes nesta subespécie, por meio de microarray. (AU)

Desenvolvimento de ativo cosmético despigmentante a partir de extratos de Achyrocline satureoides para tratamento de hipercromias cutâneas

Beneficiário:Marcos Roberto Rossan
Pesquisador responsável:Marcos Roberto Rossan
Empresa:Chemyunion Química Ltda
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Farmacologia Geral
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE
Processo:12/51340-3
Vigência: 01 de junho de 2013 - 28 de fevereiro de 2014
Assunto(s):CosméticosExtratos VegetaisLipossomosPigmentação da peleNevo
Resumo
A hiper-pigmentação de pele é uma das manifestações dermatológicas mais comuns e que acarreta sérios distúrbios psicossociais nos indivíduos a que acomete. Apesar da severidade dessa afecção cutânea, existem poucos produtos despigmentantes disponíveis no mercado que apresentam segurança e eficácia satisfatórias. Além da importância para o tratamento da hiper-pigmentação cutânea, o desenvolvimento de agentes clareadores de pele apresenta enorme potencial econômico, em função do crescimento acelerado dessa classe de produtos que impulsiona o mercado de produtos cosméticos de forma global. Nesse contexto, o objetivo do presente projeto é o de desenvolver um novo ativo cosmético despigmentante de eficácia e segurança comprovadas a partir de testes in vitro. Com base na composição fitoquímica de Achyrocline satureioides, além de sua atividade inibidora da tirosinase demonstrada in vitro, essa espécie vegetal foi selecionada a fim de avaliar a possível capacidade despigmentante de seus extratos hidroalcoólíco e hidroglicólico. Adicionalmente, para o desenvolvimento do ativo em questão será avaliado o potencial efeito sinérgico a partir da combinação com outros agentes despigmentantes, com mecanismos de ação distintos. Além disso, será empregada a encapsulação de ativos por lipossomas, uma tecnologia de enorme valor na indústria cosmética devido à sua capacidade de aumentar a disponibilização de ativos aos sítios-alvo. Após seleção da melhor combinação dos fatores descritos - tipo de extrato, ativos despigmentantes combinados e encapsulação - a partir de screening in vitro, serão avaliados diversos marcadores bioquímicos relacionados ao fenômeno de pigmentação. Essa avaliação profunda dos mecanismos modulados pelo ativo desenvolvido agrega enorme valor ao produto, bem como viabiliza a publicação dos resultados obtidos em importantes periódicos científicos, após depósito da patente. Dessa forma, através deste projeto, a Chemyunion busca inovar ao desenvolver um novo ativo capaz de promover o clareamento geral da pele, reduzir manchas, além auxiliar no tratamento de hipercromias cutâneas. (AU)

Conservação e uso sustentável da biodiversidade vegetal do Cerrado e da Mata Atlântica: diversidade química e prospecção de medicamentos potenciais

Beneficiário:Vanderlan da Silva Bolzani
Instituição: Instituto de Química (IQ). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Vanderlan da Silva Bolzani
Pesquisadores principais:

Massayoshi Yoshida ; Massuo Jorge Kato

Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Orgânica
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Programa BIOTA - Temático
Processo:98/05074-0
Vigência: 01 de dezembro de 1998 - 30 de novembro de 2004
Assunto(s):Substâncias bioativasBioprospecçãoSustentabilidadeMetabólitosBiodiversidadeProteção ambientalFloraCerradoMata atlântica
Resumo
O projeto visa à busca de produtos bioativos em espécies vegetais de ocorrência no estado de São Paulo, especialmente nas áreas remanescentes do Cerrado e da Mata Atlântica. A seleção de extratos vegetais será realizada através de bioensaios visando à defecção de substâncias com potencial anticancerígeno, antioxidante, antifúngico e antimalárico visando o estabelecimento de um modelo para preservação, estudo e exploração racional da flora remanescente do Estado de São Paulo. Para espécies selecionadas na triagem serão desenvolvidas culturas in vitro visando à preservação do germoplasma como fonte renovável. Tecidos desdiferenciados serão utilizados como fonte alternativa de produtos ativos e para estudos de biossíntese e de regulação dos principais metabólitos secundários. (AU)
Página 3 de 241 resultado(s)
|
Exportar 0 registro(s) selecionado(s) | Limpar seleção
CDi/FAPESP - Centro de Documentação e Informação da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo

R. Pio XI, 1500 - Alto da Lapa - CEP 05468-901 - São Paulo/SP - Brasil
cdi@fapesp.br - Converse com a FAPESP