site da FAPESP
 

Refine sua pesquisa

Pesquisa
  • Uma ou mais palavras adicionais
Publicações científicas
Auxílios à Pesquisa
Bolsas
Programas voltados a Temas Específicos
Programas de Pesquisa direcionados à Aplicação
Programas de Infraestrutura de Pesquisa
Área do conhecimento
Situação
Ano de início
Página 10 de 2.064 resultado(s)
|

Efeito do tratamento com um inibidor do sistema NF-kB sobre a nefropatia diabética experimental

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Roberto Zatz
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:13/17321-4
Vigência: 01 de novembro de 2013 - 31 de outubro de 2015
Vinculado ao auxílio:12/10926-5 - Patogênese e terapêutica da doença renal crônica: papel da imunidade inata na lesão de glomérulos, túbulos e interstício, AP.TEM
Assunto(s):NefrologiaNF-kappa BEstresse oxidativoImunidade natural
Resumo
A nefropatia diabética constitui hoje em dia, juntamente com a nefrosclerose hipertensiva, uma das mais importantes causas de DRC - e de necessidade de terapia de reposição renal - em todo o mundo. Os mecanismos que levam ao estabelecimento da nefropatia diabética permanecem inexplicados, apesar do inegável progresso ocorrido nas últimas décadas. A hipertensão intracapilar e/ou a hipertrofia do tufo glomerular, observada em modelos experimentais de diabetes, é um dos fatores desencadeantes do processo. Sabe-se que a exposição prolongada a concentrações altas de glicose é um dos estímulos à montagem de inflamassomas, ajudando a explicar por que a diabetes se comporta em grande parte como um estado inflamatório. Se, como supomos, o estiramento mecânico também atuar nesse sentido, é provável que a ativação da imunidade inata seja um mecanismo poderoso de lesão aos podócitos, bem como aos outros tipos celulares presentes nos glomérulos e, possivelmente, às próprias células tubulares, especialmente as proximais. Já existem algumas evidências na literatura de que esse papel patogênico da imunidade inata realmente existe e pode ser de grande importância. Uma vez que a ativação da imunidade inata, em especial a do sistema NF-kB, pode influenciar a patogênese da nefropatia diabética, é concebível que a inibição crônica desse sistema exerça um efeito renoprotetor nessa condição, abrindo assim uma nova perspectiva terapêutica. Contribui para reforçar essa hipótese, dados do nosso Laboratório de que a administração crônica de um inibidor do sistema NF-kB, a pirrolidina ditiocarbamato (PDTC), atenua fortemente a glomerulosclerose e a fibrose intersticial associadas ao modelo de ablação renal de 5/6. Resultados análogos foram obtidos em outros modelos experimentais e em preparações in vitro. (AU)

Incorporação química do antioxidante Trolox em uma cadeia polimérica biodegradável com liberação controlada

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Química (IQ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Mauricio da Silva Baptista
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Orgânica
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:13/19302-7
Vigência: 01 de novembro de 2013 - 31 de outubro de 2014
Vinculado ao auxílio:12/50680-5 - Fotossensibilização nas ciências da vida, AP.TEM
Assunto(s):Estresse oxidativoAntioxidantesPolímeros (química orgânica)Biopolímeros
Resumo
Sintetizar e caracterizar o polímero biocompatível e biodegradável (Trolox poli(anidrido de éster)) contendo o antioxidante Trolox quimicamente incorporado a cadeia polimérica principal para liberação controlada do mesmo em condições fisiológicas a fim de suprimir o estresse oxidativo. (AU)

Uso do pamidronato na prevenção da cardiotoxicidade aguda induzida pela doxorrubicina

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina (FMB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Bertha Furlan Polegato
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:13/04280-8
Vigência: 01 de novembro de 2013 - 31 de outubro de 2014
Assunto(s):DoxorrubicinaInsuficiência cardíaca
Resumo
A doxorrubicina é uma droga utilizada com sucesso no tratamento de neoplasias, mas apresenta como efeito colateral mais grave a cardiotoxicidade. O tipo mais estudado de cardiotoxicidade é a forma crônica, que cursa com cardiopatia dilatada e quadro clínico de insuficiência cardíaca. Agudamente, podem ocorrer algumas alterações eletrocardiográficas, mas apesar do quadro clínico agudo pouco expressivo, há evidências de que a agressão ao miocárdio inicia-se imediatamente após a infusão da droga. Dentre os mecanismos envolvidos na gênese dessa cardiotoxicidade, estão aumento da atividade inflamatória, alteração da regulação do trânsito de cálcio, aumento do estresse oxidativo e a ativação de metaloproteinases. As metaloproteinases são enzimas que degradam os componentes da matriz extracelular e são importantes para manutenção normal dos tecidos, mas em situações de estresse, são abundantemente ativadas no miocárdio, levando à remodelação cardíaca. Intervenções que minimizem a ativação de metaloproteinases podem ter um papel importante na prevenção da cardiotoxicidade induzida pela doxorrubicina. O pamidronato é uma droga da família dos bifosfonados, sendo utilizada em doenças que alteram o metabolismo ósseo, como a osteoporose. Contudo, nos últimos tempos, outros efeitos biológicos dos bifosfonados vêm sendo descobertos, como a diminuição da resposta inflamatória e da ativação de metaloproteinases. Diante do exposto, nosso objetivo será avaliar o efeito do pamidronato, agudamente, na disfunção ventricular, na atividade inflamatória e na atividade de metaloproteinases no miocárdio de ratos tratados com doxorrubicina. Para isso serão utilizados 60 ratos Wistar machos adultos, que receberão injeção intraperitoneal de pamidronato (3mg/kg) ou salina (controles) e, 24 horas após, injeção intraperitoneal de doxorrubicina (20mg/kg) ou salina (controles). Serão constituídos 4 grupos experimentais: pamidronato-doxorrubicina, pamidronato-controle, doxorrubicina-controle e controle-controle. Os animais serão eutanasiados 48 horas após a infusão da doxorrubicina. Serão submetidos à ecocardiograma previamente ao início do protocolo de pesquisa e imediatamente antes do sacrifício, para análise da função cardíaca in vivo. Também será realizado estudo funcional in vitro através do estudo do coração isolado. O coração será coletado no momento da eutanásia para confecção de lâminas histológicas e para dosagem de IL-10, IFN-gama, TNF-alfa e ICAM-1 no miocárdio através de método ELISA e análise da atividade de metaloproteinases 2 e 9 através de zimografia. A análise estatística para comparação entre os grupos será realizada através de análise de variância (ANOVA) de dois fatores independentes. O nível de significância adotado será de 5%. (AU)

Influência da melatonina e inflamação na placenta humana em gestações normais e com pré-eclâmpsia

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Rodrigo Ruano
Supervisor no Exterior: Cathy Vaillancourt
Local de pesquisa: Institut National de la Recherche Scientifique (INRS) (Canadá)
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Saúde Materno-infantil
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado Direto
Processo:13/17432-0
Vigência: 15 de outubro de 2013 - 14 de fevereiro de 2014
Assunto(s):ObstetríciaGravidezPré-eclâmpsiaTrofoblastoMelatoninaPlacenta
Resumo
A placenta é um órgão único que permite que duas entidades independentes, e com diferentes perfis imunológicos, possam viver juntas. E a pré-eclâmpsia (PE) é responsável por alterar a função imune da placenta e da decídua. Assim, a relevância do processo inflamatório para o desenvolvimento da PE é caracterizada pelo aumento da resistência vascular e do estresse oxidativo, o que leva à ativação de processos inflamatórios nos trofoblastos vilosos. Na PE, a placenta está em um estado crônico com de hipóxia ou hipóxia/reoxigenação (H/R), o que leva à liberação de grande quantidade de radicais livres que podem danificar os trofoblastos e liberar uma ampla gama de fatores que promovem o processo inflamatório. Esses fatores podem bloquear a produção de melatonina pela glândula pineal, e induzir a síntese de melatonina por células imuno-competentes. O grupo de Vaillancourt mostrou que a melatonina reduz acentuadamente tanto a apoptose como o estresse oxidativo em um bom modelo in vitro para estudar o efeito da melatonina sobre a inflamação no trofoblasto. Nós propomos que H/R leve ao aumento de citocinas pró-inflamatórias e que a melatonina possa reverter esta inflamação induzida por H/R no sinciotrofoblasto. (AU)

Avaliação da indução da apoptose em vermes adultos de Schistosoma mansoni após exposição com curcumina

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Pró-Reitoria Adjunta de Pesquisa e Pós-Graduação. Universidade de Franca (UNIFRAN). Franca, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Lizandra Guidi Magalhães
Pesquisadores associados:Vanderlei Rodrigues
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Parasitologia - Helmintologia de Parasitos
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:13/11164-4
Vigência: 01 de outubro de 2013 - 30 de setembro de 2015
Assunto(s):ParasitologiaEsquistossomoseSchistosoma mansoniResistência a medicamentosEsquistossomicidasCurcuminaApoptoseEstresse oxidativo
Resumo
A esquistossomose permanece como grave problema de saúde pública em muitos países em desenvolvimento. Relatos demostram o surgimento de linhagens de Schistosoma mansoni resistentes ao Praziquantel, fármaco de escolha para o tratamento da esquistossomose. Recentemente, foi identificado e caracterizado a via de apoptose mediada por Bcl-2 em S. mansoni e S. japonicum, sugerindo um novo alvo para o desenvolvimento de drogas esquistossomicida. Estudos anteriores demonstraram que a curcumina, o qual é uma substância extraída do rizoma da planta Curcuma longa apresenta atividade esquistossomicida tanto in vitro como in vivo, e estudos com outros organismos têm demonstrado que a curcumina gera espécies reativas de oxigênio (EROS) e induz apoptose. Assim, este projeto de pesquisa visa avaliar a indução da apoptose em vermes adultos de Schistosoma mansoni após exposição com curcumina. Inicialmente será avaliado o efeito da substância sobre a viabilidade dos parasitos in vitro para determinar as concentrações e tempo que serão utilizadas nos demais experimentos. Através de técnicas de microscopia, moleculares e bioquímicas serão avaliados a morfologia dos parasitos, a fragmentação do DNA, a expressão de transcritos para os genes anti-apoptóticos e pró-apoptóticos e a atividade enzimática para caspase 3 e 7 em vermes adultos de S. mansoni após a incubação com curcumina. Com a finalidade de avaliar o mecanismo de indução da apoptose, alguns parâmetros associados com estresse oxidativo serão determinados como: a atividade das enzimas antioxidantes Superóxido Dismutase (SOD), Glutationa Peroxidase (GPx) Glutationa Redutase (GR) e Glutationa S Transferase (GST), além de determinar a produção de ânion superóxido e a oxidação de proteínas. Desse modo, o projeto de pesquisa permitirá que seu desenvolvimento ocorra de forma inter e multidisciplinar, e pretende-se obter avanços para a compreensão biológica dos mecanismos de ação de curcumina sobre o parasito S. mansoni. (AU)

Mecanismos do remodelamento excêntrico associado à calcificação vascular na obesidade e resistência à insulina

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto Israelita de Ensino e Pesquisa Albert Einstein (IIEPAE). Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein (SBIBAE). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Marcel Liberman
Pesquisadores associados:Vanda Jorgetti; Francisco Rafael Martins Laurindo
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:13/09611-2
Vigência: 01 de outubro de 2013 - 30 de setembro de 2015
Assunto(s):CardiologiaRemodelação ventricularCalcificação vascularCondrogêneseEstresse oxidativoDiabetes mellitusResistência à insulinaObesidade
Resumo
A calcificação vascular é uma condição patológica clinicamente relevante, que aumenta a morbimortalidade cardiovascular e tem alta prevalência em pacientes diabéticos e com insuficiência renal crônica. Previamente considerada uma doença degenerativa e passiva do envelhecimento, estudos recentes descreveram a calcificação vascular como um processo ativo, complexamente regulado, similar à osteocondrogênese e que ocorre simultaneamente à perda óssea do esqueleto em pacientes com osteoporose e osteodistrofia renal. Por outro lado, o remodelamento vascular é uma resposta adaptativa a estímulos específicos, participando da fisiopatologia de diversas doenças cardiovasculares como: aneurisma e dissecção vascular, aterosclerose, enrijecimento vascular, hipertensão arterial sistêmica e fístulas arteriovenosas. Devido à intersecção de fatores de risco cardiovasculares relacionados tanto ao remodelamento vascular como à calcificação vascular, propomos a investigação de mecanismos que inter-relacionam tais condições. A hipótese deste estudo é que camundongos ob/ob com obesidade e resistência à insulina têm uma resposta exacerbada de remodelamento vascular excêntrico associado à calcificação em relação aos camundongos C57BL/6 após estímulo com Vitamina D3 in vivo. Nosso objetivo é avaliar o papel da calcificação vascular no remodelamento vascular excêntrico, além de sua correlação com a perda de massa óssea e a arquitetura óssea do esqueleto neste modelo. Ainda, investigaremos a mudança de expressão gênica e de proteínas reguladoras da calcificação vascular e sua possível interação com a ativação e aspectos funcionais de metaloproteinases, proteínas teciduais inibidoras de metaloproteinases e aumento do estresse oxidativo local relacionados a alterações do calibre do vaso após estímulo com Vitamina D3 em camundongos ob/ob comparando com C57BL/6. Avaliaremos também o papel do MSX2, fator de transcrição osteocondrogênico, na calcificação e no remodelamento vascular excêntrico, através de transfecção de siRNA de MSX2 em camundongos C57BL/6 e ob/ob in vivo. Enfim, queremos propor novos mecanismos e potenciais alvos terapêuticos, através do entendimento fisiopatológico da inter-relação entre o remodelamento excêntrico e a calcificação vascular no cenário da obesidade e da resistência à insulina. (AU)

Estudo do metabolismo energético, atividade dos complexos repiratórios e estresse oxidativo no tecido cardíaco de ratos diabéticos tratados com resveratrol

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Ana Angélica Henrique Fernandes
Pesquisadores associados:Wellerson Rodrigo Scarano
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Nutrição - Bioquímica da Nutrição
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:13/12957-8
Vigência: 01 de outubro de 2013 - 30 de setembro de 2014
Assunto(s):Metabolismo energéticoDiabetes mellitusEstresse oxidativoAntioxidantesResveratrol
Resumo
Estudos sugerem que o Diabetes mellitus (DM) promove alterações no metabolismo energético e estresse oxidativo, que constituem fatores importantes para desencadear distúrbios cardiovasculares. A utilização de antioxidantes tem despertado interesse na clínica devido a propriedades terapêuticas sobre as doenças cardiovasculares, podendo, desta forma, evitar a morbimortalidade em pacientes diabéticos. Neste sentido, propõe-se estudar o efeito do resveratrol (3,5,4'-trihydroxystilbene) através de parâmetros bioquímicos séricos, metabolismo energético, estresse oxidativo e expressão da SIRT 1 no tecido cardíaco de ratos com DM tipo 1. Serão utilizados 32 ratos, com peso corporal ± 250g. Os animais serão distribuídos nos grupos experimentais (n=8): G1 (normais, controle); G2 (normais, tratados com resveratrol); G3 (diabéticos não tratados); G4 (diabéticos, tratados com resveratrol). O DM experimental será induzido através da administração intraperitoneal de estreptozotocina (STZ), em dose única (60 mg/kg de peso corporal. O resveratrol será administrado, via gavagem, na concentração de 1,0mg/kg/dia durante 30 dias. No final do período experimental serão avaliados parâmetros calorimétricos, e em seguida os animais anestesiados e submetidos à eutanásia. O soro será utilizado para determinações de glicose e perfil lipídico. Amostras (200mg) de tecido cardíaco serão utilizadas para as determinações da concentração de proteínas, glicogênio, análise do estresse oxidativo,e atividade das enzimas marcadoras do metabolismo energético e atividade dos complexos respiratórios, além da expressão da SIRT1 por Western Blotingt. O delineamento estatístico será inteiramente casualizado com 4 tratamentos e 8 repetições, segundo análise de variância (ANOVA). O nível de significância será de 5% de probabilidade e as estatísticas F serão significativas quando p<0.05. Será utilizado teste de Tukey para a comparação entre as médias, e Mann-Whitney para análise dos resultados obtidos pela técnica de Western blotting. (AU)

Avaliação de parâmetros bioquímicos e antioxidantes em ratos expostos ao Lentinula edodes (shiitake), e seu possível uso em distúrbios metabólicos

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Pró-Reitoria Acadêmica. Universidade de Sorocaba (UNISO). Sorocaba, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Denise Grotto
Pesquisadores associados:Marli Gerenutti
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Nutrição - Bioquímica da Nutrição
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:13/05765-5
Vigência: 01 de outubro de 2013 - 30 de setembro de 2015
Assunto(s):ObesidadeDoenças metabólicasEstresse oxidativoMedicamentos fitoterápicosCogumelos ShiitakeDieta hiperlipídica
Resumo
A incidência de sobrepeso e obesidade vem aumentando em todo mundo, reduzindo a qualidade de vida e aumentando os gastos públicos com pacientes, já que sobrepeso e obesidade estão intimamente relacionados com doenças crônicas, tais como diabetes, dislipidemias, doenças cardíacas. Um dos principais mecanismos envolvidos na patogênese da obesidade é o estresse oxidativo. O excesso de nutrientes (glicose, ácidos graxos) desencadeia, entre outras respostas celulares, a produção excessiva de espécies reativas, as quais, por serem muito instáveis, comprometem estruturas celulares ao reagirem com lipídeos, proteínas e DNA. O organismo conta com defesas antioxidantes, como a glutationa reduzida, catalase, glutationa peroxidase, metalotioneínas. Entretanto, muitas vezes são necessários antioxidantes exógenos, como vitaminas, minerais e fitoquímicos, obtidos de alimentos. Os cogumelos são alimentos com excelentes características nutricionais, pois tem baixo valor calórico, são fonte de proteínas, vitaminas e Selênio. Estudos têm demostrado que compostos fitoquímicos dos cogumelos possuem várias ações farmacológicas, entre elas redutora de colesterol, hipoglicêmica e antioxidante. Porém, estudos in vivo avaliando esses efeitos, são necessários. Diante disso, este trabalho pretende avaliar efeitos bioquímicos e antioxidantes da exposição diária de cogumelos Lentinula edodes (Shiitake) em ratos normais e ratos com distúrbios metabólicos devido à ingestão de dieta hipercalórica. (AU)

Perfil cognitivo de fumantes: relações com parâmetros respiratórios e de estresse oxidativo

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Sabine Pompéia
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia - Psicologia Fisiológica
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:13/10985-4
Vigência: 01 de outubro de 2013 - 30 de setembro de 2015
Assunto(s):CogniçãoManifestações neurocomportamentaisHábito de fumarEstresse oxidativoEscolaridade
Resumo
O tabagismo afeta o sistema nervoso central de diversas formas, dentre as quais se destacam diminuição do aporte de oxigênio ao cérebro e alteração do metabolismo de gasotransmissores como óxido nítrico e monóxido de carbono. Contudo, a relação desses efeitos com os prejuízos cognitivo do tabagismo são pouco conhecidos e serão explorados no presente projeto, um estudo transversal com 80 sujeitos. Dessa forma, o presente estudo tem por objetivo caracterizar o prejuízo cognitivo de fumantes e determinar como este prejuízo se relaciona com parâmetros respiratórios e de estresse oxidativo em jovens com alta e baixa estimulação cognitiva (escolaridade/status socioeconômico), uma vez que este fator afeta ambos o hábito de fumar e a cognição. O presente estudo tem o potencial de melhor entendimento dos efeitos do tabagismo na cognição, considerando diferentes níveis de estimulação cognitiva (escolaridade/status socioeconômico), além de estabelecer possíveis correlações entre alterações fisiológicas e bioquímicas (parâmetros respiratórios e de estresse oxidativo) com alterações cognitivas atribuídas a este hábito. (AU)

Composição fenólica e potencial biológico, in vitro e in vivo, de frutíferas nativas do Brasil

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Severino Matias de Alencar
Pesquisadores associados:Pedro Luiz Rosalen
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos - Ciência de Alimentos
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:13/13190-2
Vigência: 01 de outubro de 2013 - 30 de setembro de 2015
Assunto(s):FrutasExtratos vegetaisComposição químicaCompostos fenólicosAntioxidantesAnti-inflamatóriosBioatividade
Resumo
A aplicação de ingredientes naturais em alimentos, fármacos e cosméticos tem se tornado uma tendência mundial e despertado o interesse da comunidade científica e de indústrias quanto à investigação fitoquímica e aplicação tecnológica de extratos vegetais, sobretudo aqueles ainda subexplorados. Considerando a biodiversidade brasileira, seu potencial de aproveitamento e a necessidade de um modelo de desenvolvimento econômico sustentável, pesquisas envolvendo produtos genuinamente nacionais assumem uma importância significativa. Nesse sentido, destacam-se as frutas nativas que na maioria das vezes estão restritas às comunidades onde a disseminação ocorre espontaneamente. O consumo regular de frutas, e seus compostos fenólicos, tem sido relacionado à menor incidência de patologias desencadeadas pelo estresse oxidativo como câncer, diabetes, enfermidades cardiovasculares, bem como processos inflamatórios. A crescente preocupação com o uso de antioxidantes sintéticos em alimentos também sugere a necessidade de estudos sobre a composição química e atividade antioxidante destas espécies vegetais. Portanto, este trabalho tem como objetivo avaliar a composição fenólica e o potencial antioxidante in vitro e a atividade anti-inflamatória in vivo de frutíferas nativas brasileiras (polpa, casca, semente de frutos e folhas), ampliando assim as informações disponíveis sobre a composição bioativa, na expectativa de que estes resultados propiciem avanços no conhecimento, contribuam para a preservação da flora nativa e gerem renda aos pequenos produtores. (AU)

Análise do estresse oxidativo induzido por sulfasalazina associado com a ação do quimioterápico temozolomida em células de glioma humano e de rato

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Fábio Rogério
Pesquisadores associados:Iscia Teresinha Lopes Cendes; Carmen Veríssima Ferreira; Roger Frigério Castilho
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Anatomia Patológica e Patologia Clínica
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:13/02618-1
Vigência: 01 de outubro de 2013 - 30 de setembro de 2015
Assunto(s):GlioblastomaGliomaAnatomia patológicaNeoplasiasAstrocitomaFator de crescimento epidérmicoProteína supressora de tumor p53PTEN fosfo-hidrolaseMetaloproteinase 2 da matrizMetaloproteinase 9 da matrizExpressão gênica
Resumo
Gliomas são os tumores cerebrais mais comuns em adultos. Astrocitomas de alto grau são gliomas derivados de astrócitos. A fisiopatogênese destes astrocitomas envolve superexpressão do receptor do fator de crescimento epidérmico (EGFR) e perda da função das proteínas p53 e PTEN (do inglês, phosphatase and tensin homolog deleted on chromosome 10), ambas reguladoras do ciclo celular e da estabilidade do DNA. Verificou-se também, em gliomas, aumento da concentração do composto antioxidante glutationa, o que conferiria ao tumor resistência a condições de estresse oxidativo. Os astrócitos, predominantemente os neoplásicos, possuem um transportador (sistema Xc-) na membrana citoplasmática, o qual importa cistina para a síntese de glutationa e libera glutamato para o meio extracelular. O glutamato auxiliaria a invasão tumoral ao induzir morte por excitotoxicidade em células vizinhas. A invasãoneoplásica também envolve as metaloproteinases 2 e 9 (MMP-2 e 9), que degradam a matriz extracelular. Temozolamida (TMZ) é um alquilante do DNA utilizado no tratamento de indivíduos com gliomas de alto grau, porém a evolução clínica é invariavelmente fatal. Neste projeto, estudaremos a viabilidade celular em linhagens de glioma (U87-MG, T98G, A172 e C6) expostas a TMZ e/ou sulfasalazina (SAS), um inibidor do sistema Xc-. Ainda, avaliaremos a expressão dos genes EGFR, PTEN, TP53, MMP-2 e MMP-9 e os efeitos da administração de SAS e/ou TMZ sobre a capacidade invasiva celular. Assim, pretendemos contribuir com o conhecimento da gênese de gliomas e investigar nova abordagem terapêutica para estes tumores. (AU)

Marcadores de dano oxidativo e injúria tubular em modelo de nefropatia diabética experimental

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Ana Paula de Melo Loureiro
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Metabolismo e Bioenergética
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:13/11747-0
Vigência: 01 de outubro de 2013 - 08 de setembro de 2014
Assunto(s):BiomarcadoresDiabetes mellitusEstresse oxidativoMetformina
Resumo
O diabetes mellitus é uma síndrome metabólica complexa caracterizada por deficiência de insulina ou desenvolvimento de resistência ao hormônio, que levam à hiperglicemia e metabolismo alterado de glicose, lipídeos e proteínas. É considerado um sério problema de saúde global, sendo que suas complicações são as principais causas de morbidade e mortalidade em pacientes com a doença. Do ponto de vista de condutas terapêuticas que visem o controle do diabetes mellitus e eventualmente a prevenção de suas complicações, as alternativas de tratamento atualmente empregadas têm como foco principal o controle da glicemia dos pacientes, associado ao controle da alimentação e prática de atividade física. Uma importante complicação desta doença metabólica, inclusive em virtude de sua alta incidência, é a nefropatia diabética, caracterizada basicamente por um declínio progressivo da taxa de filtração glomerular, proteinúria persistente e hipertensão. Diversos mecanismos têm sido propostos como importantes na patogênese e progressão da nefropatia diabética. Estes mecanismos incluem estresse oxidativo, peroxidação lipídica e dano tubular. Sob esta perspectiva, este trabalho propõe uma análise dos marcadores 8-oxo-7,8-dihidro-2'-desoxiguanosina (8-oxodGuo), malonaldeído (MDA) e molécula de injúria renal I (KIM-I) durante um período longo de diabetes experimental sem tratamento e após tratamento com metformina, insulina ou N-acetilcisteína, de modo a investigar tanto o provável emprego destas moléculas como biomarcadores, quanto a capacidade dessas estratégias de tratamento de modular vias bioquímicas importantes no desenvolvimento de complicações do diabetes, especialmente da nefropatia diabética. (AU)

Efeitos do treinamento físico aeróbio associado ao treinamento muscular inspiratório na miopatia esquelética em pacientes com insuficiência cardíaca

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto do Coração Professor Euryclides de Jesus Zerbini (INCOR). Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Carlos Eduardo Negrão
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Processo:13/15651-7
Vigência: 01 de outubro de 2013 - 31 de janeiro de 2017
Vinculado ao auxílio:10/50048-1 - Bases celulares e funcionais do exercício físico na doença cardiovascular, AP.TEM
Assunto(s):Treinamento físicoInsuficiência cardíaca
Resumo
Os sintomas mais comuns da insuficiência cardíaca (IC) são dispneia e intolerância aos esforços. A hiperativação simpática, um dos marcadores mais expressivos da IC, contribui significativamente para a vasoconstrição periférica. A redução do fluxo sanguíneo muscular (FSM) aumenta o estresse oxidativo, citocinas pró-inflamatórias e contribui para mudanças no fenótipo do músculo esquelético. Em conjunto, estas alterações levam à miopatia esquelética e à redução da capacidade funcional nos pacientes com IC. Nos últimos anos, o treinamento físico (TF) tem se consolidado como uma terapia não farmacológica segura e eficiente para o tratamento da IC. O TF melhora a capacidade funcional e a qualidade de vida destes pacientes. O TF também diminui a ativação simpática e aumenta o FSM. Estes resultados contribuem decisivamente para a melhora na miopatia esquelética. Recentemente, o treinamento muscular inspiratório (TMI) tem surgido como alternativa para o tratamento da IC. O TMI melhora a capacidade funcional e a qualidade de vida, além disso, reduz a atividade nervosa simpática e aumenta o FSM. Seria possível imaginar, então, que a associação destas duas terapias poderia potencializar os resultados no tratamento da IC. O presente estudo tem como objetivo investigar se o aumento no FSM após o TF aeróbio associado ao TMI esta relacionado ao controle neurovascular e a fatores angiogênicos em pacientes com IC. Além disso, nós investigaremos as consequências do aumento de FSM nas citocinas pró-inflamatórias, estresse oxidativo e balanço proteico muscular. Finalmente, nós investigaremos a implicação clínica das mudanças na miopatia esquelética na tolerância ao esforço e qualidade de vida nestes pacientes. (AU)

Efeito da suplementação de cromo em pacientes HIV com lipodistrofia

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Alceu Afonso Jordão Junior
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Nutrição - Bioquímica da Nutrição
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Processo:13/05890-4
Vigência: 01 de outubro de 2013 - 31 de agosto de 2016
Assunto(s):MetabolismoLipodistrofiaHIVCromo
Resumo
Introdução: A terapia antirretroviral (TARV) mudou o perfil da doença por HIV, da doença terminal para as doenças crônicas associadas ao aumento do risco de doenças cardiovasculares. Estudos têm indicado que o cromo (Cr3+) tem um papel importante na manutenção do nível normal de glicose no sangue, redução do colesterol do plasma e dos triglicerídeos, inibição do estresse oxidativo e modulação das citocinas inflamatórias. Objetivo: O objetivo desse estudo será avaliar a suplementação de cromo em pacientes soropositivos para HIV com lipodistrofia em marcadores do metabolismo da glicose, dos lipídeos e inflamatório. Metodologia: Será um estudo randomizado, duplo cego e com placebo. Cinquenta pacientes soropositivos para HIV em TARV com síndrome da lipodistrofia serão recrutados para esse estudo. Esses pacientes serão randomizados em 2 grupos, cada grupo com 25 pacientes. O Grupo P será composto por pacientes soropositivos para HIV em TARV com síndrome da lipodistrofia e com placebo e o Grupo C será composto por pacientes soropositivos para HIV em TARV com síndrome da lipodistrofia e com suplementação de 200µg de cromo. Após randomização e 3 meses de tratamento com placebo e cromo, todos os pacientes serão submetidos às avaliações: clínica (anamnese e exame físico), nutricional (inquérito alimentar e composição corporal) e bioquímica (hemograma, proteínas totais e frações, perfil glicêmico e lipídico, enzimas hepáticas, uréia e creatinina, marcadores inflamatórios e análise do cromo sanguíneo e urinário). (AU)

Estudo da expressão gênica de Hsp26 e yhr087w e sua relação com a tolerância a etanol e temperatura em linhagens de Saccharomyces cerevisiae isoladas durante a produção de etanol

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Anderson Ferreira da Cunha
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Biologia Molecular
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:13/15097-0
Vigência: 01 de outubro de 2013 - 31 de dezembro de 2014
Assunto(s):Saccharomyces cerevisiaeExpressão gênica
Resumo
Por razões ambientais e principalmente devido a uma possível escassez de combustíveis fósseis, muitos países têm investido em fontes de energia renováveis que possam substituir de maneira sustentável esta matriz energética. Nesse sentido o Brasil vem investindo esforços no processo de produção de etanol. A obtenção desse combustível se dá através da fermentação de mosto (caldo de cana-de-açúcar ou xarope de melaço diluído) por leveduras da espécie Saccharomyces cerevisiae. Durante esse processo, esses microorganismos acabam por sofrer vários tipos de estresses como altas temperaturas e elevada concentração de etanol. As leveduras atualmente empregadas no processo de produção de etanol não apresentam resistência importante a estes fatores de estresse e por isso a temperatura e concentração de etanol necessitam ser controlados para manter a eficiência do processo. A identificação de genes que aumentem essas resistências é de fundamental importância para aumentar a eficiência do processo. Com leveduras que produzam etanol a altas temperaturas e em altas concentrações de etanol seria possível iniciar o processo com taxas maiores de concentração de açúcar e em temperaturas elevadas que contribuirão consecutivamente para um aumento na produção do etanol e uma diminuição da contaminação constante da dorna. Esse projeto tem como objetivo verificar hipóteses genéticas capazes de amenizar tais estresses e promover melhorias na produção de etanol. Os genes que foram encontrados na literatura com características interessantes para este estudo foram o HSP26 e YHR087W. O primeiro é responsável pela codificação de proteínas de choque térmico (HSPs) que tem ação de chaperona, ou seja, seu papel é evitar que proteínas importantes desnaturem e percam suas funções, enquanto o segundo tem sua expressão induzida em altas concentrações de glicose, além de outros estudos apontarem que esse gene pode ser ativado em estresses oxidativos, osmóticos e choque térmico. A expressão desses genes será estudada em linhagens selecionadas durante o processo de fermentação para a produção de etanol com características de etanol e termo resistência, visando relacionar sua expressão a estes fatores estressantes. Em caso de relaçãopositiva, estes genes serão utilizados em experimentos de superexpressão em linhagens sensíveis a estas condições e em industriais já adaptadas ao processo fermentativo para identificar se estas linhagens se tornam resistentes a estes fatores. Os resultados deste estudo levarão a um melhor entendimento da relação entre a expressão destes genes com a etanol resistência e termotolerância, auxiliando no desenvolvimento de leveduras que possam incrementar o processo fermentativo, contribuindo para o estabelecimento de uma área extremamente estratégica para o Brasil. (AU)

Efeito relaxante do doador de nitroxil sal de Angeli em veia cava de ratos

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Lusiane Maria Bendhack
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Farmacologia Cardiorenal
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Processo:13/15249-4
Vigência: 01 de outubro de 2013 - 31 de julho de 2015
Assunto(s):Veia cava
Resumo
O gás biologicamente ativo, óxido nítrico (NOÏ) é bem reconhecido como um modulador de grande importância para a homeostase vascular, com propriedades vaso-relaxante, antiagregante e antiproliferativa. Curiosamente, o nitroxil (HNO), a forma reduzida em um elétron e protonada do NOÏ está emergindo rapidamente como um novo congênero redox do óxido nítrico, com ações farmacológicas distintas e vantagens terapêuticas sobre o NOÏ. Assim como este último, o HNO pode ser produzido de forma endógena no vaso e tem propriedades vasoprotetoras similares, tais como a capacidade de induzir o relaxamento de vasos, inibir a agregação de plaquetas e inibir a proliferação de células do músculo liso vascular. Porém, ao contrário do NOÏ, o HNO ativa vias de sinalização distintas nos vasos, que incluem a ativação direta de canais para K+ sensíveis à voltagem (Kv) e a liberação do peptídeo relacionado ao gene da calcitonina (CGRP, do inglês calcitonin-gene related peptide). Além disso, o HNO é resistente ao sequestro por ânion superóxido (O2-) e não é susceptível ao desenvolvimento de tolerância (perda do efeito farmacológico e propriedades hemodinâmicas dos nitratos orgânicos após uso contínuo). As ações de HNO vasculares podem ser conservadas em situações patológicas, enquanto que aquelas do NOÏ estão comprometidas (isto é, durante o estresse oxidativo). Assim, doadores de HNO podem oferecer uma alternativa a nitrovasodilatadores tradicionais para o tratamento das doenças cardiovasculares. Nesse contexto, o presente trabalho tem como objetivo estudar o efeito relaxante do nitroxil liberado do composto Sal de Angeli e investigar os mecanismos celulares envolvidos nesse efeito em veia cava de ratos. Curvas de relaxamento concentração-efeito serão realizadas para o doador de HNO, Sal de Angeli, em preparações de veia cava de ratos com endotélio, contraídas com fenilefrina. Os sequestradores de espécies de NO, hidroxicobalamina e L-cisteína, serão utilizados para estudar o envolvimento das espécies radicalar e nitroxil do óxido nítrico, respectivamente, no relaxamento. Bloqueadores de canais iônicos TEA e nifedipina serão utilizados para avaliar a participação dos canais iônicos para K+ e Ca2+ no relaxamento. A atividade das enzimas NO-sintase, Guanilil-ciclase solúvel (sGC), proteína quinase G, Superóxido Dismutase, fosfodiesterase 5, Ca2+-ATPase reticular (SERCA), serão avaliadas por seus respectivos inibidores L-NAME, ODQ, Rp-8-Br-PET-cGMP (8-Br-PET), DDC, sildenafil, tapsigargina. Por microscopia confocal será avaliada a liberação de HNO/NO, ação antioxidante do HNO e concentração citosólica de cálcio em células endoteliais derivadas da veia do cordão umbilical humanas. Avaliaremos também a atividade da sGC pela medida de cGMP formado utilizando kit de Elisa Imuno-Ensaio. (AU)

Avaliação do potencial antioxidante e toxicológico de corantes fenólicos naturais extraídos de micro-organismo

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Danielle Palma de Oliveira
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia - Análise Toxicológica
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Processo:13/14397-0
Vigência: 01 de outubro de 2013 - 31 de maio de 2017
Resumo
A demanda por corantes em indústrias farmacêuticas, de cosméticos ou de alimentos é muito alta. O baixo custo, facilidade de obtenção e diversidade de cores e tonalidades de corantes sintéticos atraem o mercado industrial, entretanto, além de vários destes compostos apresentarem toxicidade inerente, muitos são precursores de intermediários tóxicos e/ou mutagênicos, gerados durante a metabolização no organismo. Assim, os corantes naturais obtidos por processos fermentativos de micro-organismos são alternativas para a substituição de corantes sintéticos em algumas aplicações, pois também apresentam baixo custo, além de necessitar de pequeno espaço físico para a produção em larga escala, aumentando a viabilidade econômica para utilização industrial. Ademais, a utilização de corantes naturais pode agregar valores nutricionais ao produto final. Por outro lado, um dos grandes problemas na utilização industrial de corantes naturais é a instabilidade da cor, assim, alterações na molécula podem originar compostos mais estáveis de maior interesse comercial. Muitos compostos fenólicos extraídos de micro-organismos são potenciais corantes naturais e possuem atividade antioxidante devido ao número de ligações duplas conjugadas da molécula. Desta forma, o presente trabalho objetiva estudar o corante natural eritrostominona extraído de micro-organismos bem como estruturas químicas relacionadas frente à proteção contra o estresse oxidativo, potenciais mutagênico, genotóxico e citotóxico, e avaliar a ecotoxicidade dos corantes. Testes de estado redox serão realizados em mitocôndrias de fígado de ratos Wistar para investigar o potencial antioxidante do corante. Os testes toxicológicos serão realizados pelo teste de MTT, para verificar a citotoxicidade do composto, teste do cometa para verificar a genotoxicidade e teste de micronúcleo para verificar a mutagenicidade. A ecotoxicidade será avaliada por testes de toxicidade aguda e crônica ao organismo não alvo Daphnia similis. (AU)

Potencial terapêutico da ativação da aldeído desidrogenase 2 em modelo de sobrecarga pressórica cardíaca induzida por coartação da aorta: papel da mutação ALDH2*2

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Julio Cesar Batista Ferreira
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Processo:13/11315-2
Vigência: 01 de outubro de 2013 - 30 de setembro de 2016
Resumo
A progressão das doenças cardiovasculares está diretamente associada ao acúmulo de aldeídos cardiotóxicos decorrentes do estresse oxidativo. Dentre os diversos aldeídos acumulados no coração, o 4-hidroxi-2-nonenal (4-HNE), originado a partir da oxidação de fosfolipídios presentes na membrana interna da mitocôndria, é capaz de atacar aminoácidos nucleofílicos e formar adutos com proteínas, resultando na inativação da proteína-alvo e consequente disfunção celular.A principal enzima responsável pela eliminação do 4-HNE é a aldeído desidrogenase 2 (ALDH2), localizada na matriz mitocondrial. Tanto a inibição farmacológica, quanto genética da ALDH2 resulta em acúmulo de 4-HNE e maior lesão do miocárdio. Atualmente, estima-se que 14% da população mundial apresenta uma mutação pontual da ALDH2 (ALDH2*2) que confere perda de até 95% na sua atividade enzimática. No presente projeto de pesquisa pretendemos avaliar se camundongos transgênicos que apresentam a mutação ALDH2*2 são mais suscetíveis aos danos cardíacos oriundos da sobrecarga pressórica induzida por coartação da aorta e à progressão da insuficiência cardíaca (IC).Levantamos a hipótese que a inativação da ALDH2 decorrente da mutação pontual ALDH2*2 exacerbará o acúmulo de 4-HNE cardíaco, a formação de adutos de Michaelis e o agravamento da disfunção ventricular frente à sobrecarga pressórica. Com o objetivo de melhor compreender o papel da ALDH2 nesse modelo experimental, pretendemos caracterizar o perfil de expressão protéica e atividade da ALDH2 no coração de camundongos selvagens e mutantes, saudáveis e com sobrecarga pressórica em dois momentos: 1. momento em que os animais apresentam remodelamento ventricular descompensado (3 semanas pós-cirurgia); e 2. momento em que a IC está estabelecida (6 semanas pós-cirurgia). Além disso, avaliaremos o acúmulo de adutos de Michaelis, proteínas carboniladas e peroxidação lipídica cardíaca. Considerando que o acúmulo de adutos de Michaelis pode prejudicar o metabolismo celular, avaliaremos em mitocôndria isolada do tecido cardíaco dos animais: o consumo de oxigênio, a produção de peróxido de hidrogênio, o potencial da membrana interna e a captação máxima de cálcio. Por fim, analisaremos: o remodelamento ventricular esquerdo, a função cardíaca in vivo e a contratilidade/transiente de cálcio nos cardiomiócitos isolados desses animais nos períodos experimentais mencionados acima.Por fim, considerando que resultados prévios do nosso grupo demonstram uma ineficiência da ALDH2 na remoção de aldeídos citotóxicos em animais portadores de IC, será de grande valia estudar o efeito do tratamento sustentado com o ativador seletivo da ALDH2, Alda-1, sobre os parâmetros descritos acima nos animais selvagens e mutantes para a ALDH2. A molécula Alda-1, desenvolvida pelos nossos colaboradores da Universidade de Stanford-CA, EUA, é capaz de corrigir a perda de função da ALDH2 decorrente da mutação ALDH2*2. Sendo assim, no presente projeto de pesquisa temos como objetivo: 1) compreender o papel da mutação ALDH2*2 na progressão da IC induzida por sobrecarga pressórica e 2) estudar o possível efeito corretor da Alda-1 sobre a inativação da ALDH2 decorrente da mutação ALDH2*2, bem como sua consequência sobre a função e estrutura cardíaca, metabolismo mitocondrial e balanço redox. Esse estudo descreverá pela primeira vez a contribuição da mutação ALDH2*2 na progressão do remodelamento cardíaco e disfunção ventricular em modelo de sobrecarga pressórica, e o possível efeito terapêutico da Alda-1 no tratamento da IC em portadores dessa mutação. Esse projeto de pesquisa faz parte do projeto Jovem Pesquisador 2012/05765-2 financiado pela FAPESP. (AU)

Perfil lipídico e do estresse oxidativo na proteção cardíaca induzida pela hiperglicemia diabética: avaliações após o infarto do miocárdio

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Universidade Nove de Julho (UNINOVE). Campus Vergueiro. São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Christiane Malfitano
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:13/11463-1
Vigência: 01 de outubro de 2013 - 30 de setembro de 2015
Assunto(s):Ácidos graxosInfarto do miocárdioEstresse oxidativoTriglicerídeosFisiologia cardiovascular
Resumo
Resultados recentes de nosso grupo mostraram em ratos diabéticos submetidos ao infarto do miocárdio (IM) uma menor mortalidade entre 15 a 30 dias após a oclusão coronariana do que animais normoglicêmicos submetidos ao mesmo procedimento. Após 90 dias, a mortalidade é igual nos dois grupos, sugerindo que a cardioproteção nestes animais deve ocorrer no período inicial após a isquemia. Analisando esta "janela de cardioproteção" recentemente nosso grupo publicou um estudo em ratos diabéticos submetidos ao IM, no qual se demonstrou redução do tamanho do infarto, da expressão de citocinas pró-inflamatórias, ativação da apoptose, aumento da expressão do transportador de glicose tipo 1 (Glut-1) e fatores de sobrevivência celular, além de, diminuição da fibrose, resultando em melhora da função cardíaca nestes animais. Diante deste cenário surge a hipótese de que a melhora funcional e suas alterações moleculares observada nestes animais poderiam estar relacionadas ao aumento da utilização de substratos energético. Assim, objetivo do presente projeto é avaliar os efeitos da hiperglicemia diabética sobre perfil lipídico e oxidativo após infarto do miocárdio. Dessa forma, será possível analisar se o efeito das alterações metabólicas induzidas pela hiperglicemia diabética após a isquemia poderia contribuir para explicar os resultados favoráveis já descritos pelo nosso grupo. Para isso será avaliada em ratos Wistar submetidos ao diabetes experimental por estreptozotocina e ao infarto do miocárdio (IM) através da ligadura permanente da artéria coronária esquerda (acompanhados por 15 dias de IM e 30 dias de diabetes ao final do protocolo): avaliação do perfil oxidativo e lipídico cardíaco no plasma e no ventrículo esquerdo. (AU)

Estudo da regulação epigenética do gene embrionário PAX3, frente ao estresse oxidativo induzido na prenhez diabética

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina (FMB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Débora Cristina Damasceno
Supervisor no Exterior: Mary R. Loeken
Local de pesquisa: Harvard University, Boston (Estados Unidos)
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Saúde Materno-infantil
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Processo:13/16548-5
Vigência: 22 de setembro de 2013 - 21 de março de 2014
Assunto(s):PrenhezDiabetes gestacionalDesenvolvimento fetalEstresse oxidativoEpigênese genética
Resumo
O diabete materno causa malformações congênitas devido ao estresse oxidativo induzido pela hiperglicemia, o qual inibe a expressão de genes que são essenciais no início da organogênese do embrião. Em particular, a equipe de pesquisa do Joslin Diabetes Center_Harvard Medical School mostrou que o estresse oxidativo inibe a expressão de Pax3, que codifica uma proteína necessária para o fechamento do tubo neural e septos do fluxo cardíaco. Nós hipotetisamos que, durante a embriogênese normal, aumenta o metabolismo oxidativo associado à indução Pax3. Isso ocorre devido a modificações (metilação das histonas da cromatina e acetilação e metilação do DNA), que permitem a transcrição de Pax3. A produção excessiva de radicais livres devido à hiperglicemia altera as modificações normais da cromatina normais durante a diferenciação. Assim, este projeto pretende estudar modificações da cromatina em embriões antes e depois da indução de Pax3 (E3.5 e E8.5), e em embriões (E8.5) durante a prenhez diabética ou indução transitória do estresse oxidativo, e em células-tronco embrionárias (ESC)de animais de laboratório. Este período será estudado pelo fato das ESC crescerem como células indiferenciadas (semelhante à massa celular interna de embriões E3.5) ou como precursores neuronais (semelhante ao E8.5 embriões). Essa hipótese será testada com o uso de embriões e células-tronco embrionárias de animais de laboratório como modelo de diferenciação de cultura de células. Se a hipótese estiver correta, esperamos ver modificações epigenéticas associadas com o silenciamento do gene em blastocisto e em ESC indiferenciada e modificações epigenéticas associadas à expressão gênica em embriões (E8.5) e ESC diferenciado. Além disso, espera-se que o estresse oxidativo iniba as modificações epigenéticas e antioxidantes que previnem os efeitos do estresse oxidativo. Após as primeiras experiências, todas as etapas da metodologia serão detalhadas pela aluna, no relatório científico. Além disso, a bolsista será capaz de executar essas técnicas e explicar a outros alunos de graduação e pós-graduação no Brasil. (AU)

Progressão e metástase do câncer de próstata em camundongos deficientes em PTEN-/- ou em pRb-/-p53-/- no epitélio prostático (Cre/LoxP): marcadores de proliferação e estresse oxidativo

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Sérgio Luis Felisbino
Anfitrião: David e Neal
Local de pesquisa: University of Cambridge (Inglaterra)
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Citologia e Biologia Celular
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Pesquisa
Processo:13/06802-1
Vigência: 20 de setembro de 2013 - 19 de setembro de 2014
Assunto(s):Neoplasias da próstataEstresse oxidativoNeoplasias
Resumo
O câncer de próstata (CaP) é o segundo mais frequente e o segundo de maior taxa de morbidade e mortalidade entre os homens. Mutações e deleções em genes supressores tumorais são frequentes no CaP, tais como nos genes Pten, p53 e pRb. Estudos recentes destacam o papel do estresse oxidativo na iniciação e progressão do CaP. Este projeto tem por objetivo avaliar o processo de progressão tumoral e metástase do CaP em duas linhagens de camundongos knockouts, um deficiente em Pten e outro deficiente em ambos p53 e pRb, especificamente no epitélio prostático - gerados pelo sistema Cre-loxP. Animais knockouts e controles serão sacrificados em diferentes idades (6, 12 e 18 meses - já está sendo feito) e os lobos prostáticos ventral, lateral, dorsal e anterior serão submetidos às análises histopatológicas e de expressão gênica por microarranjos seguida de validação por qPCR, para identificação de genes candidatos, com especial atenção aos genes associados com estresse oxidativo. Genes validados serão avaliados por imunohistoquímica e western blotting e também em amostras de pacientes com CaP em diferentes estágios da doença. Estes resultados poderão validar novos marcadores de diagnóstico, estadiamento e prognóstico do CaP e potenciais drogas para o seu tratamento e prevenção. Este projeto será realizado no Instituto de Pesquisa sobre o Câncer da Universidade de Cambridge/Reino Unido. (AU)

Estresse oxidativo e complicações renais no Diabetes Mellitus: implicação de variantes genéticas nos genes CYBA, SOD3, CAT e GPX4

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Maria Lucia Cardillo Corrêa Giannella
Supervisor no Exterior: Gilberto Velho
Local de pesquisa: Institut National de la Santé et de la Recherche Médicale (Inserm) (França)
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Humana e Médica
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Mestrado
Processo:13/04002-8
Vigência: 10 de setembro de 2013 - 09 de novembro de 2013
Assunto(s):EndocrinologiaNefropatias diabéticasSuscetibilidade a doençasEstresse Oxidativo
Resumo
Várias evidências sugerem que uma predisposição genética determine a susceptibilidade às complicações crônicas do diabete melito (DM), juntamente com a hiperglicemia crônica, hipertensão arterial e dislipidemia. Uma vez que o estresse oxidativo foi reconhecido como o elemento final comum das vias bioquímicas induzidas pela hiperglicemia, os genes que codificam enzimas pró- e antioxidantes são candidatos a conferirem susceptibilidade às complicações. Estudo realizado em nosso laboratório demonstrou a associação entre vários polimorfismos (alguns deles funcionais) na região promotora ou na região 3´UTR de genes que codificam enzimas de sistemas pró-oxidantes e antioxidantes e risco para a presença de nefropatia diabética em portadores de DM tipo 1 de longa duração recrutados em diferentes serviços de Diabetes da região Sudeste e Sul do Brasil. O presente projeto tem por objetivo ampliar esse estudo, validando a associação entre a presença de nefropatia diabética e polimorfismos no gene CYBA em três coortes francesas de portadores de DM tipo 1 (Coorte SURGENE [n=340]; Coorte GENEDIAB [n=494] e Coorte GENESIS [n=501]). Além disso será realizada também a genotipagem de polimorfismos presentes nos genes que codificam a GPX4, SOD3 e catalase em duas coortes francesas de pacientes diabéticos tipo 2 (coorte DIABHYCAR [n = 3.137]; coorte DIABHYCAR_GENE [n = 607]), com o intuito de avaliar a importância do estresse oxidativo e das EROs nesta condição clínica. Pensando-se na comparação dos resultados observados entre coortes distintas, os SNPs genotipados nas coortes francesas de pacientes diabéticos tipo 2 serão avaliados na coorte brasileira de pacientes diabéticos tipo 1. Acredita-se que a etiopatogenia da ND seja semelhante no diabetes tipo 1 e tipo 2, com a hiperglicemia e suas consequências metabólicas (inclusive a superprodução de EROs) desempenhando papel extremamente relevante. A replicação de resultados de associação de um SNP com um traço fenotípico em coortes de pacientes de origens geográficas diferentes reforça a participação daquele SNP e pode melhorar a compreensão acerca de seu significado biológico. (AU)

Mensuração das enzimas antioxidantes no sêmen de ovinos: concentrações plasmáticas e celulares

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Mayra Elena Ortiz D' Avila Assumpcao
Supervisor no Exterior: Jose Alvaro Cebrian Perez
Local de pesquisa: Universidad de Zaragoza (Espanha)
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Reprodução Animal
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Processo:13/05025-1
Vigência: 09 de setembro de 2013 - 08 de março de 2014
Assunto(s):AntioxidantesEstresse OxidativoOvinos
Resumo
O espermatozoide ovino é uma célula muito sensível frente às biotecnologias reprodutivas. Esta sensibilidade pode ser decorrência de desequilíbrio entre espécies reativas de oxigênio e antioxidantes presentes no plasma seminal, causando estresse oxidativo. O estresse oxidativo é uma das causas de dano ao DNA. Este processo é causador de espermatozoides vulneráveis que iniciam um processo apoptótico caracterizado pela geração de espécies reativas de oxigênio na mitocôndria e núcleo. Este dano no DNA, consequência da ação de espécies reativas de oxigênio no espermatozoide, pode ser a causa de infertilidade do macho. Há pouca informação sobre fatores desencadeadores de estresse oxidativo e a fragmentação de DNA no espermatozoide e a relação com a eficiência reprodutiva do macho na espécie ovina. Este trabalho tem como objetivo principal mensurar a concentração de agentes antioxidantes enzimáticos na célula espermática e plasma seminal de carneiros e correlacionar estas concentrações enzimáticas com a susceptibilidade da célula espermática à fragmentação de DNA em carneiros. (AU)

Redoxoma

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Química (IQ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Ohara Augusto
Pesquisadores associados:Antonia Tavares do Amaral; Flavia Carla Meotti; Guillermo Orellana; Francis Joseph Miller; Jean Cadet; Orian Shirihai; Pio Colepicolo Neto; Guilherme Andrade Marson; Denise de Castro Fernandes; Isaias Glezer; Marilene Silva Oliveira; Waleska Kerllen Martins Gardesani; Adjaci Uchôa Fernandes; Marcos Antonio de Oliveira; Christiane Pavani; Maria Heloisa Tsuhako; José Carlos Toledo Junior; Mario Henrique de Barros; Bayardo Baptista Torres; Ricardo Battaglino; Paul Brookes; Maria Rosa Ciriolo; Madia Trujillo; Dimitar Angelov; Carlos Marques; Vilhelm Bohr; Tinna Stevnsner; Meltem Muftuoglu; Mark Wainwright; Kathy Griendling; Guilherme Indig; Gerardo Ferrer-Sueta; Thalita Balsamo Abrahão; Asif Iqbal; Fernanda Marques da Cunha; Ana Iochabel Soares Moretti; Eduardo Alves de Almeida; Lucia Rossetti Lopes; Daniela Tathiana Soltys; Marilene Demasi; Divinomar Severino
Pesquisadores principais:

Alicia Juliana Kowaltowski ; Ana Maria da Costa Ferreira ; Francisco Rafael Martins Laurindo ; Paolo Di Mascio ; Carmen Fernandez ; Marisa Helena Gennari de Medeiros ; Mauricio da Silva Baptista ; Sayuri Miyamoto ; Luis Eduardo Soares Netto

Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Metabolismo e Bioenergética
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão - CEPIDs
Processo:13/07937-8
Vigência: 01 de setembro de 2013 - 31 de agosto de 2018
Assunto(s):AntioxidantesBiomarcadoresRadicais livresEstresse oxidativoOxirreduçãoCooperação técnica
Resumo
O estudo de processos redox tem alto potencial para elucidar mecanismos integrativos, devido à ubiquidade e potência de efeitos. Muitos estudos envolvem o papel de mecanismos redox em doenças. Porém, a complexidade deste campo aumentou com respeito a estruturas, estrutura-função, métodos, patologia molecular e sub-celular de proteínas redox, genômica, proteômica e metabolômica do estresse oxidativo. Assim, uma abordagem multidisciplinar se tornou essencial para avanços relevantes na área. Além disso, grupos emergentes têm dificuldade em realizar investigações relevantes e reeducar-se em novas habilidades. O principal objetivo do CEPID Redoxoma é promover colaborações integrativas, desenvolvimento sustentado e assistência a grupos emergentes. Nossa meta é realizar estudos que permitam o desenho e avaliação de novas estratégias antioxidantes de aplicabilidade clínica. Focalizaremos pontos críticos para superar limitações do conhecimento de processos redox: 1) geração e controle de espécies reativas de oxigênio (ROS) em sistemas biológicos; 2) reatividade química de ROS em ambientes biológicos e consequentes mudanças na estrutura e função de biomoléculas; 3) mecanismos eredes envolvidos nos processos de sinalização redox relevantes para doenças humanas; 4) aplicações diagnósticas e terapêuticas de processos redox. As estratégias propostas permitirão, em âmbito nacional, um coerente esforço para estudar questões-chave que preencham lacunas relevantes na área. Tais esforços serão estratégicos para promover integração disciplinar e de Instituições do Brasil, resultando em avanços que tenham impacto científico, educacional, ambiental e socioeconômico. (AU)

Progressão e metástase do câncer de próstata em camundongos deficientes em PTEN (PtenloxP/loxP;PB-Cre4) ou em pRb e p53 (pRbloxP/loxP p53loxP/loxP;PB-Cre4) no epitélio prostático: marcadores de proliferação e estresse oxidativo

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Sérgio Luis Felisbino
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Citologia e Biologia Celular
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:13/08830-2
Vigência: 01 de setembro de 2013 - 31 de outubro de 2015
Assunto(s):Neoplasias da próstataEstresse oxidativoProliferação celularGenes supressores de tumorExpressão gênicaProgressão da doença
Resumo
O câncer de próstata (CaP) é o segundo mais frequente e o segundo de maior taxa de morbidade e mortalidade entre os homens. Mutações e deleções em genes supressores tumorais são frequentes no CaP, tais como nos genes Pten, p53 e pRb e estudos recentes destacam o papel do estresse oxidativo na iniciação e progressão do CaP. Este projeto tem por objetivo avaliar o processo de progressão tumoral e metástase do CaP em duas linhagens de camundongos knockouts, um deficiente em Pten e outro deficiente em ambos p53 e pRb, especificamente no epitélio prostático - gerados pelo sistema Cre-loxP. Animais knockouts e controles serão sacrificados em diferentes idades (6, 12 e 18 meses - já está sendo feito) e os lobos prostáticos ventral, lateral, dorsal e anterior serão submetidos às análises histopatológicas e de expressão gênica por microarranjos seguida de validação por qPCR, para identificação de genes candidatos, com especial atenção aos genes associados com estresse oxidativo. Genes validados serão avaliados por imunohistoquímica e western blotting e também em amostras de pacientes com CaP em diferentes estágios da doença. Novos fármacos serão testados e a progressão tumoral será avaliada in vivo por bioluminescência (luciferase). Estes resultados poderão validar novos marcadores de diagnóstico, estadiamento e prognóstico do CaP e potenciais drogas para o seu tratamento e prevenção. O primeiro ano deste projeto será realizado no Instituto de Pesquisa sobre o Câncer da Universidade de Cambridge/Reino Unido. (AU)

Estudo de mutações no gene KEAP1 envolvido em resposta antioxidativa em câncer de tireóide

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Debora Lucia Seguro Danilovic
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Humana e Médica
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Processo:13/18352-0
Vigência: 01 de setembro de 2013 - 31 de maio de 2014
Vinculado ao auxílio:12/00164-0 - Estudo dos genes NRF2 e KEAP1 envolvidos em resposta antioxidativa em câncer de tireóide, AP.R
Assunto(s):EndocrinologiaNeoplasiasMutação
Resumo
O estresse oxidativo é uma condição dinâmica caracterizada por desbalanço entre pro-oxidantes e antioxidantes. Inicialmente, espécies reativas de oxigênio (ROS), não devidamente contrabalanceadas por defesas antioxidantes, provocam lesão de DNA. Entretanto, é a ação de antioxidantes, como o fator de transcrição NRF2 que age ativando genes citoprotetores, que favorece a sobrevivência das células cancerígenas. Em condições basais, a proteína repressora KEAP1 se liga a NRF2 no citoplasma e promove a sua degradação. Na presença de ROS, KEAP1 é inativado e libera NRF2 resultando em sua translocação nuclear. Estudos in vitro observaram maior expressão de NRF2 em linhagens de carcinoma anaplásico ou pouco diferenciado de tireóide e em células de camundongos com alelos oncogênicos de K-Ras e B-Raf, abitualmente relacionados com carcinoma diferenciado de tireóide. Os objetivos deste estudo são avaliar a presença de mutações dos genes NRF2 e KEAP1 em carcinomas diferenciados de tireóide, pouco diferenciado e anaplásico. No estudo das mutações do gene KEAP1serão avaliados tecidos tumorais parafinados de 120 pacientes com diagnóstico histológico de carcinomas diferenciados de tireóide, pouco diferenciado e anaplásicos. Será realizada a extração de DNA genômico a partir de material conservado em parafina e o material amplificado e automaticamente sequenciado. Os resultados serão comparados com sequencias normais obtidas em bases de dados da internet (Gene Bank). Com a participação neste projeto o bolsista pretende aprimorar os conhecimentos de técnicas de estudo molecular e identificar possíveis novas mutações no gene KEAP1. (AU)

Efeito das células progenitoras early outgrowth na apoptose de podócitos cultivados em condições de alta glicose ou peróxido de hidrogênio

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Jose Butori Lopes de Faria
Supervisor no Exterior: Richard E. Gilbert
Local de pesquisa: University of Toronto (Canadá)
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Processo:13/05156-9
Vigência: 01 de setembro de 2013 - 28 de fevereiro de 2014
Assunto(s):AntioxidantesEstresse oxidativo
Resumo
Estresse oxidativo induzido por hiperglicemia leva à alteração na barreira de filtração glomerular e consequentemente à albuminúria, que é característica da nefropatia diabética (ND). Podócitos são importantes componentes da integridade da barreira de filtração glomerular. Tratamento com antioxidantes diminuem a apoptose de podócitos induzida pelo diabetes e, portanto, é considerado uma potencial ferramenta terapêutica para a ND. "Early outgrowth cells" (EOC) são um tipo de células progenitoras e estudo revela que atenuam a produção de espécies reativas de oxigênio (ERO) e reduzem albuminúria em camundongos com diabetes tipo II db/db. O objetivo deste estudo é investigar se EOCs são capazes de melhorar a função podocitária após exposição dos podócitos à alta glicose ou estresse oxidativo. Será cultivada linhagem de podócitos humanos em condições de normoglicemia, hiperglicemia, estresse oxidativo (tratamento com H2O2), presença ou ausência de meio condicionado proveniente do cultivo de EOC e de inibidor da via SIRT-1. Iremos também fazer co-cultura de EOCs com podócitos humanos. Análise da apoptose de podócitos será realizada pelo método de TUNEL e análise da atividade de caspase-3, assim como também será estimada a adesão dos podócitos. O entendimento do mecanismo de ação de EOCs na proteinúria característica da ND constitui a base para o uso desta técnica no tratamento da ND. (AU)

Efeitos da proteína Klotho sobre a sinalização de insulina e metabolismo energético no sistema nervoso central

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Cristoforo Scavone
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Farmacologia Bioquímica e Molecular
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Processo:13/10787-8
Vigência: 01 de setembro de 2013 - 10 de julho de 2016
Assunto(s):EnvelhecimentoEstresse oxidativoNeurofarmacologiaMetabolismo energético
Resumo
O processo de envelhecimento foi sempre muito estudado na C. elegans devido à facilidade de reprodução (são organismos hermafroditas) e curto ciclo de vida desses animais (vivem em torno de 2 meses). O ciclo de vida da C. elegans pode ser estendido indefinidamente se os animais entrarem em uma fase conhecida como dauer. Diversos genes envolvidos na formação do estágio foram identificados e muitos deles codificam para proteínas constituintes da via associada ao único receptor tirosina quinase expresso no animal. Todos esses genes têm homologia em mamíferos e correspondem à via da sinalização da insulina. A modulação negativa dessa via acarreta um aumento na longevidade em diversos animais, enquanto que o inverso também ocorre. Recentemente foi descrita em mamíferos uma proteína associada ao envelhecimento. Camundongos que apresentam expressão baixa da proteína Klotho exibem fenótipo de envelhecimento precoce, com diversas características periféricas além de efeitos centrais como déficit cognitivo. Considerando o envolvimento da via de sinalização de insulina com a longevidade, o objetivo desse trabalho é investigar os efeitos que a proteína Klotho pode ter sobre a via de insulina no sistema nervoso central, além de avaliar parâmetros de estresse oxidativo e metabolismo energético, parâmetros esses que podem ser modulados pelo fator de transcrição FoxO, modulado pela insulina. (AU)

Estudos da acetilação de proteínas via radicalar empregando ferramentas proteômicas

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Ciências Ambientais, Químicas e Farmacêuticas (ICAQF). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus Diadema. Diadema, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Nilson Antonio de Assunção
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Metabolismo e Bioenergética
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Processo:13/07763-0
Vigência: 01 de setembro de 2013 - 31 de agosto de 2016
Vinculado ao auxílio:12/50191-4 - Síntese, estudo cinético e aplicações de substratos e inibidores de enzimas proteolíticas, AP.TEM
Assunto(s):Espectrometria de massasProteômicaEstresse oxidativoAcetilação
Resumo
Este projeto visa utilizar ferramentas bioanalíticas no estudo da acetilação deproteínas via mecanismo radicalar. O ânion superóxido, gerado no estresse oxidativo, reagecom o óxido nítrico produzindo o peroxinitrito, que combinado com o diacetil originaespécies radicalares capazes de acetilar as proteínas e as bases nitrogenadas, cujo mecanismo foi demonstrado em um estudo in vitro. A exposição ao diacetil é associada a diversos tipos de doenças, principalmente as pulmonares. A acetilação radicalar não controlada pode provocar a alteração da função das proteínas e erros no processamento da informação genética, ocasionando doenças e mutações. O propósito do trabalho é verificar se a reação peroxinitrito/diacetil produz a acetilação via radicalar in vivo e, posteriormente, avaliar como essas alterações influem na expressão proteômica no tecido pulmonar de ratos Wistar. Os animais serão divididos nos seguintes grupos: i) controle que receberá o veículo, ii) somente peroxinitrito; iii) diacetil marcado com 13C; iv) peroxinitrito e diacetil marcado 13C. Os metabólitos e as proteínas de cada grupo serão analisados por eletroforese capilar, eletroforese em gel bidimensional, cromatografia líquida, western blot e espectrometria de massas para a separação e identificação das proteínas e das posições das acetilações. Esperamos contribuir para responder algumas questões biologicamente relevantes propondo um mecanismo não enzimático para a acetilação de proteínas e relacionando-o com a expressão proteômica na situação de estresse oxidativo e exposição ao diacetil. As respostas obtidas contribuirão para o entendimento dos mecanismos de acetilação não genéticos fornecendo insights para o estudo de doenças; a relação delas com a exposição ao diacetil e a necessidade de controlar o seu uso em alimentos. (AU)

Efeito da expressão da proteína de transferência de colesteril éster (CETP) sobre a função endotelial: estudos em camundongos transgênicos e in vitro

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Helena Coutinho Franco de Oliveira
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Processo:13/09347-3
Vigência: 01 de setembro de 2013 - 30 de abril de 2016
Assunto(s):ColesterolReatividade cardiovascular
Resumo
A CETP é uma proteína que promove remodelamento de lipoproteínas plasmáticas e modula o risco de aterosclerose. Recentemente propusemos que a CETP desempenha novas funções biológicas, tais como anti-oxidante, anti-inflamatória e anti-adipogênica. Neste projeto, levantamos a hipótese de que a CETP tem ainda uma função adicional, isto é, altera a biodisponibilidade de óxido nítrico e conseqüentemente a função endotelial e o processo da aterogênese. A CETP poderia exercer esta ação de duas maneiras. No primeiro caso, a CETP traria benefício para função endotelial, já que a CETP reduz a quantidade de colesterol livre no plasma e provavelmente na membrana das células endoteliais. A redução de colesterol na membrana celular diminui a estabilidade da interação entre eNOS e a proteína cav-1 na cavéola, o que aumenta a produção de NO. No segundo caso, considerando que a HDL diminui a interação eNOS-cav-1, a CETP traria prejuízo para a função endotelial, já que esta proteína diminui a concentração de HDL no plasma. Evidências da literatura favorecem a primeira possibilidade, uma vez o tratamento de ratos hipertensos com o inibidor da CETP, torcetrapib, resultou em prejuízo da função endotelial. Assim, os objetivos do projeto são estudar o efeito da expressão da CETP na função endotelial e reatividade vascular. Uma vez estabelecido o efeito, investigaremos os possíveis mecanismos modulados pela CETP (teor de colesterol na membrana, expressão, localização e atividade da eNOS, biodisponibilidade do NO, modificação do estado redox e/ou inflamatório, bem como as vias de sinalização envolvidas). Para tanto, realizaremos estudos in vivo com camundongos transgênicos que expressam a CETP humana comparados aos irmãos não-transgênicos (ntg) que não expressam esta proteína. Os animais serão estudados em seu estado basal e após dieta rica em gordura e colesterol. Tal tratamento induz inflamação e estresse oxidativo nos vasos dos animais. Nós propusemos que a CETP tem função anti-oxidante e anti-inflamatória, e por isso pensamos que os animais CETP podem responder melhor a estes tratamentos. Adicionalmente, estudaremos linhagem de células endoteliais humanas com a expressão da CETP modulada por RNAi. (AU)

Interação entre auxina e etileno nas respostas do tomateiro à deficiência de ferro

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias (FCAV). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Jaboticabal. Jaboticabal, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Rogério Falleiros Carvalho
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Botânica - Fisiologia Vegetal
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Processo:13/04316-2
Vigência: 01 de setembro de 2013 - 21 de outubro de 2016
Assunto(s):Crescimento e desenvolvimentoNutrição vegetalEstresse oxidativoFerro
Resumo
Em plantas, o ferro (Fe) é um dos mais importantes elementos essenciais. Por exemplo, o Fe é componente fundamental de enzimas envolvidas na transferência de elétrons, atuando desse modo nas reações fotoquímicas da fotossíntese, na redução do nitrato e sulfato bem como na assimilação do nitrogênio durante a fixação biológica deste elemento. Dessa forma, as respostas das plantas à deficiência de Fe têm recebido bastante atenção visto que uma série de mudanças moleculares, bioquímicas e morfológicas ocorre na carência desse nutriente. Recentes evidências têm mostrado que os hormônios são componentes fundamentais da via de sinalização de resposta à deficiência de Fe, sendo que a auxina e o etileno parecem fortemente modular essa resposta. Entretanto, o controle hormonal da deficiência de Fe ainda é bastante complexo em função da bem documentada existência de interações entre os hormônios. Dessa forma, considerando o papel da auxina e do etileno nas respostas à deficiência de Fe, a seguinte questão pode ser levantada: as mudanças moleculares, bioquímicas e morfológicas dependem da interação entre essas moléculas durante a carência de Fe? Para tentar responder essas questões, o objetivo do presente projeto é estudar a interação entre auxina e etileno nas respostas à deficiência de Fe em plantas de tomateiro, uma das hortaliças mais importantes do mundo. (AU)

Associação de parâmetros nutricionais e inflamatórios com remodelação ventricular em pacientes portadores de artrite reumatóide

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina (FMB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Paula Schmidt Azevedo Gaiolla
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:13/10894-9
Vigência: 01 de setembro de 2013 - 31 de agosto de 2014
Assunto(s):Avaliação nutricionalArtrite reumatoideInsuficiência cardíaca
Resumo
Artrite reumatóide é uma doença autoimune inflamatória crônica que acomete não apenas articulações, mas também exibe manifestações sistêmicas, que incluem fadiga, desnutrição e manifestações relacionadas a outros órgãos, como o coração. Os mecanismos fisiopatológicos envolvidos nas lesões que acompanham a AR são multifatoriais, contando com a participação de mediadores inflamatórios, estresse oxidativo entre outros. Estes mecanismos podem associar-se a doenças cardíacas. De fato mais de 50% do excesso de mortalidade na AR é atribuída a doenças cardiovasculares. A elevação dos níveis de mediadores inflamatórios é apontada como um dos responsáveis pelo aumento de aterosclerose e de risco cardiovascular em pacientes com AR. Adicionalmente, a inflamação pode estar associada à remodelação cardíaca, independentemente dos efeitos vasculares da aterosclerose. Entretanto, os mecanismos envolvidos na remodelação cardíaca, no paciente com artrite reumatóide, ainda é controverso. Estudos mostraram tanto hipertrofia como hipotrofia cardíaca em pacientes com AR. Porém, estes estudos não fizeram avaliação completa do estado nutricional. Desta forma, o objetivo deste trabalho é estudar se inflamação e aspectos nutricionais em pacientes portadores de AR estão associados à remodelação cardíaca. Para tanto serão estudados 60 pacientes com AR, que serão submetidos a avaliação nutricional (recordatório alimentar, bioimpedância, teste de preensão palmar, medida de pregas e densitometria de corpo inteiro), avaliação ecocardiográfica (variáveis estruturais e funcionais cardíaca) e avaliação de inflamação por zimografia ( metaloproteases 2 e 9). (AU)

Avaliação do papel da piridoxamina na prevenção da nefrolitíase induzida pela hiperoxalúria em ratos

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina (FMB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Paulo Roberto Kawano
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:13/12535-6
Vigência: 01 de setembro de 2013 - 31 de agosto de 2014
Assunto(s):UrologiaPiridoxaminaRatosHiperoxalúriaNefrolitíase
Resumo
Introdução e Objetivos: O oxalato de cálcio é o principal componente metabólico envolvido na litíase renal. Diferentes autores tem utilizado hiperoxalúria para estudar a deposição de cristais de oxalato de cálcio nos túbulos renais em ratos, reproduzindo modelos nos quais têm contribuído significativamente para compreensão dos mecanismos envolvidos na nefrolitíase. A piridoxamina, um componente da vitamina B6, tem sido sugerida como potencial agente terapêutico para diminuir a hiperoxalúria. Este trabalho tem por objetivo avaliar a intensidade da nefrocalcinose provocada pelo agente indutor, bem como o papel da piridoxamina na hiperoxalúria induzida em um modelo experimental em ratos. Materiais e Métodos: Serão utilizados 60 ratos machos da raça Sprague-Dawley, acondicionados em gaiolas metabólicas, distribuídos de maneira randomizada em quatro grupos: GRUPO I (Controle clínico, n=15) os animais não serão submetidos a nenhuma intervenção, e serão utilizados como controle; GRUPO II (Etileno Glicol a 0,5% + Vitamina D3, n=15) no o qual Etileno Glicol a 0,5% será diluído na água e ofertado "ad libitum" aos animais. A Vitamina D3 (Colecalciferol) na dose de 0,5 ¼M será dissolvida em 1 ml de óleo e administrada por gavagem 1 vez ao dia; GRUPO III (Etileno Glicol a 1,25%+ Vitamina D3+ Piridoxamina; n=15) os animais receberão as mesma drogas ofertadas para o grupo II acrescido da Piridoxamina via gavagem, que será dissolvida em 1 ml de água, diariamente, de acordo com o peso dos mesmos (180 mg/kg peso do animal/dia); GRUPO IV (Piridoxamina, n=15) via gavagem na dose de 180mg/kg/dia. O sacrifício ocorrerá no final de 28 dias. Em todos os animais serão realizados estudo metabólico, análise histológica, determinação do estresse oxidativo e a dosagem espectroscópica do cálcio no parênquima renal para posterior comparação entre os grupos e discussão com a literatura. (AU)

Os efeitos do estresse oxidativo na diferenciação de células-tronco neurais (CTNs)

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Kil Sun Lee
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Biologia Molecular
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:13/15331-2
Vigência: 01 de setembro de 2013 - 30 de junho de 2014
Assunto(s):Diferenciação celularCélulas-tronco neuraisEstresse oxidativoAutofagia
Resumo
As doenças neurodegenerativas são doenças crônicas que apresentam etiologias múltiplas. Ainda não existe um método diagnóstico que sistematicamente classifica as causas e tampouco o tratamento efetivo que reverte os sintomas. O uso das células-tronco neurais (CTNs) no tratamento dessas doenças vem sendo investigado, porém ainda existem muitas limitações para a aplicação desta técnica devido à falta de conhecimentos sobre a capacidade de autorrenovação (capacidade de se multiplicar), diferenciação para diversos tipos celulares e migração em condições normais e patológicas.Diversos processos patológicos podem ser desencadeados por metabólitos oxidativos, como espécies reativas de oxigênio (EROs). Essas moléculas modificam as estruturas e funções de diversas biomoléculas estimulando as vias de degradação, incluindo a autofagia. Sabe-se que a autofagia também é estimulada durante a diferenciação de CTN. Ambos os casos utilizam as maquinarias moleculares semelhantes, levantando as dúvidas se o estresse oxidativo poderia também induzir a diferenciação de CTN. Assim, este estudo visa investigar os efeitos de estresse oxidativo sobre as vias de autofagia e sua relação com a diferenciação de CTN. Estes dados podem contribuir para um melhor aproveitamento deste método de terapia contra doenças neurodegenerativas. (AU)

Estudos de expressão gênica utilizando variedades de cana-de-açúcar (Saccharum spp) tolerantes a alumínio

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Andrea Soares da Costa Fuentes
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Ciência do Solo
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Processo:13/06318-2
Vigência: 01 de setembro de 2013 - 31 de agosto de 2016
Assunto(s):Cana-de-açúcarGenômica funcional
Resumo
De todos os atributos químicos, a toxidez por alumínio (Al) é uma das principais barreiras químicas ao aprofundamento do sistema radicular e à sua capacidade de absorção de água e de nutrientes. Espécies de plantas diferem significativamente na tolerância ao Al e seus mecanismos são controlados por diferentes genes e por meio de diferentes rotas bioquímicas. Além disso, não existem dados disponíveis de genômica estrutural ou funcional sobre esses genes em variedades de cana-de-açúcar. No entanto, com o advento das técnicas de análise da expressão gênica, a análise da expressão desses genes oferece uma oportunidade única para se estudar algumas características que as tornam tolerantes. Essas técnicas têm sido aplicadas com sucesso para se estudar a função desses genes e para caracterizar uma variedade tolerante. Experimentos serão conduzidos em casa-de-vegetação e em laboratório buscando atender aos seguintes objetivos específicos: análise in sílico de sequências que codificam genes envolvidos com tolerância a alumínio; seleção de genes relacionados com o estresse oxidativo causado pelo Al e relacionados com a produção de ácidos orgânicos; propagação e crescimento das plantas; quantificação da expressão dos genes selecionados por PCR quantitativo em plantas cultivadas em solos e em solução nutritiva com alto teor de Al. Desta forma este projeto propõe analisar a expressão de genes com relatos de resposta por estresse ao alumínio. Três variedades de cana-de-açúcar, já previamente estudadas em relação à sua tolerância ao Al, serão utilizadas nessas análises. A ausência de informações sobre a função destes genes nessas variedades mostra a importância desses estudos para melhor compreensão sobre os mecanismos envolvidos na tolerância ao alumínio em cana-de-açúcar. (AU)

Estudo sobre as interações entre o relógio biológico e a dessecação em eucariotos fotossintetizantes

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Química (IQ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Carlos Takeshi Hotta
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Biologia Molecular
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Processo:13/05301-9
Vigência: 01 de setembro de 2013 - 31 de dezembro de 2015
Vinculado ao auxílio:11/00818-8 - Desenvolvimento de modelos biológicos alternativos para o estudo de redes de regulação em cana-de-açúcar, AP.BIOEN.JP
Assunto(s):RhodophytaExpressão gênicaDeficiência hídricaCana-de-açúcarRegulação da expressão gênicaRitmo circadiano
Resumo
Osciladores endógenos são ubíquos na natureza e permitem que os organismos sincronizem seus ritmos internos com os ritmos abióticos e antecipem mudanças significativas em seus hábitats. A dessecação é um estresse drástico e muito limitante que está presente nos mais diversos ambientes, o que ao longo de milhares de anos selecionou diversos grupos de organismos capazes de tolera-la. Parte dessa tolerância pode ser devida à sua antecipação via osciladores endógenos do ritmo circadiano. Este projeto propõe o estudo da expressão gênica de genes do ritmo circadiano em dois organismos muito distintos, tanto em forma quanto em hábitat, mas que são filogeneticamente ligados por um ancestral em comum dos eucariotos fotossintetizantes. Gracilaria tenuistipitata é uma macroalga vermelha marinha muito estudada e que já possui diversos estudos de fisiologia, biologia molecular e em ritmos biológicos, além de possuir grande importância econômica pela produção de carragenana e ágar. Ela pode ser encontrada em ambientes de meso-litoral onde passa diariamente por emersão e consequente dessecação devido à oscilação das marés. De forma rítmica, porém sazonal, a cana-de-açúcar também passa por estresse de déficit hídrico que a sinaliza a acumular energia em forma carboidratos, que tem sido explorada a centenas de anos para a produção de açúcar refinado e para de bioetanol. Serão usadas estratégias de quantificação do RNA mensageiro dos genes do ritmo circadiano e de enzimas de resposta ao estresse oxidativo das duas espécies por RT-qPCR e para cana-de-açúcar também serão usados oligoarrays já disponíveis de outros estudos. Além disso, parâmetros fotossintéticos, respiratórios e ensaios enzimáticos de estresse oxidativo também serão estimados para melhor entendimento do quadro de resposta de tolerância à seca. Dessa forma este estudo comparativo da análise dos mecanismos de tolerância e antecipação da dessecação demonstra um potencial grande para o melhor entendimento da fisiologia de duas espécies economicamente importantes. (AU)

Influência da deficiência de reparo do DNA no desenvolvimento e progressão da Doença de Alzheimer em modelo de camundongo

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Elza Tiemi Sakamoto Hojo
Supervisor no Exterior: Vilhelm A. Bohr
Local de pesquisa: National Institutes of Health, Baltimore (NIH) (Estados Unidos)
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Mutagênese
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Processo:13/11052-1
Vigência: 12 de agosto de 2013 - 11 de julho de 2014
Assunto(s):Reparação de DNADoença de Alzheimer
Resumo
A patogênese de doenças neurodegenerativas e o processo de envelhecimento estão, de maneira geral, relacionados ao estresse oxidativo. A Doença de Alzheimer (DA), que é uma demência senil neurodegenerativa com grande impacto na saúde pública, apresenta uma importante relação com o aumento do estresse oxidativo, havendo evidências de que existe deficiência nos mecanismos de reparo dos danos causados ao DNA por esse tipo de estresse, especialmente no que diz respeito ao reparo por excisão de bases (BER). Assim, comparações entre as alterações funcionais nos mecanismos de BER em relação às disfunções características da DA constituem importante objeto de estudo na identificação de fatores de risco e de proteção ligados à doença. Dessa maneira, a presente proposta tem como objetivo analisar quebras no DNA nuclear e mitocondrial em cérebros de camundongos modelo para a DA, em comparação a camundongos deficientes para a pol², isto é, que são deficientes na execução da via BER, por meio de ensaios como Long PCR amplification. Além disso, pretende-se mensurar a atividade dos mecanismos da via de reparo do DNA por excisão de bases (BER) e utilizar testes específicos para detecção de características comportamentais (memória, ansiedade e locomoção) a fim de estabelecer comparações em relação a padrões de comportamento entre esses camundongos. A proposta compreende ainda avaliar as semelhanças entre a expressão dos genes de reparo do DNA nas células cerebrais e em células mononucleares do sangue periférico de camundongos modelo para a DA a fim de verificar semelhanças no padrão de expressão gênica, considerando que essas células presentes no sangue podem ser marcadores importantes da patologia neuronal. Estudos dessa natureza são de extrema importância na definição da relação entre falhas nos mecanismos de BER e a patologia da DA, permitindo assim o aprimoramento do conhecimento na área, que serve como base para o desenvolvimento de novas tecnologias para prevenção, diagnóstico, prognóstico e tratamento da DA. (AU)

There is no relationship between paraoxonase serum level activity in women with endometriosis and the stage of the disease: an observational study

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina do ABC (FMABC). Organização Social de Saúde. Fundação do ABC. Santo André, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Bianca Alves Vieira Bianco
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Artigo
Processo:13/12427-9
Vigência: 01 de agosto de 2013 - 31 de janeiro de 2014
Assunto(s):EndometrioseEstresse oxidativoInfertilidade feminina
Resumo
Introdução: A endometriose é uma doença crônica, cuja fisiopatologia é desconhecida, mas há evidências sugerindo uma ligação com o estresse oxidativo. Paraoxonase é uma enzima que circula no soro associado a lipoproteínas de alta densidade (HDL). Atua protegendo HDL e LDL da peroxidação lipídica. Nosso objetivo foi comparar os níveis séricos de atividade PON-1 em mulheres com endometriose em diferentes estágios da doença (mínima/leve e moderada /grave).Métodos: 80 mulheres inférteis com endometriose diagnosticada por laparoscopia/laparotomia com confirmação histológica da doença foram divididos de acordo com a Sociedade Americana de Medicina Reprodutiva, em classificação mínima/leve (n=33) e moderada/grave (n=47). Atividade paraoxonase e atividade arilesterase foram medidos por espectrofotometria. Índice de massa corporal e os níveis de glicose em jejum também foram determinados.Resultados: A atividade da paraoxonase foram 191,29 ± 22,41 U/l em mulheres com endometriose mínima/leve e 224,85 ± 21,50 U/l em mulheres com doença moderada/grave (p=0,274). Considerando o nível arilesterase, os resultados mostraram 89,82 ± 4,61 U/l em mulheres com endometriose mínima/leve e 90,78 ± 3,43 U/l na doença moderada/grave (p=0,888).Conclusões: A evidência de atividade paraoxonase menor em mulheres com endometriose não foi encontrado neste estudo. Além disso, nenhuma diferença foi encontrada considerando endometriose mínima/leve ou moderada/grave. (AU)

Avaliação do efeito do óleo essencial obtido dos frutos de Citrus aurantium no infarto do miocárdio induzido por isoproterenol em ratos

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Clélia Akiko Hiruma Lima
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Etnofarmacologia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Processo:12/25274-3
Vigência: 01 de agosto de 2013 - 30 de setembro de 2013
Assunto(s):Citrus aurantiumInfarto do miocárdioProdutos naturaisIsoproterenol
Resumo
O infarto agudo do miocárdio (IAM), principal causa de morte no mundo, é uma doença coronariana isquêmica, cuja causa mais comum é a oclusão de uma ou mais artérias coronárias que gera isquemia e necrose tecidual. O isoproterenol (ISO) é um agonista ²-adrenérgico que em doses elevadas aumenta Ca2+ intracelular e isquemia, gerando um estresse oxidativo, que culmina em apoptose. Considerando-se a ação antioxidante e angiogênica do óleo essencial de Citrus aurantium (OEC) no tratamento de úlceras gástricas em ratos, este projeto pretende avaliar o efeito do OEC na injúria miocárdica causada pelo ISO. Serão utilizados ratos Wistar machos de 6 a 7 semanas, aleatorizados em grupos. Será avaliado o efeito preventivo do OEC sobre o infarto do miocárdio. Para isso, receberão por gavagem durante 7, 14 ou 30 dias, OEC (250mg/kg) ou veículo (Tween 80 a 8%, 10 ml/kg) e, nos últimos dias de pré-tratamento, será administrado ISO (100mg/kg) ou salina (1ml/kg) sc. Após 48 horas da 1ª dose de ISO serão eutanasiados. Como parâmetros de análise de injúria tecidual, serão feitas: análises séricas de marcadores de necrose miocárdica (CK-MB), hemograma completo, análises enzimáticas do miocárdio (glutationa total, malondialdeído, mieloperoxidase e metaloproteinases) e histopatologia (infiltração de neutrófilos e grau de injúria), ureia e creatinina (função renal) e AST e ALT (função hepática). (AU)

Congelabilidade do sêmen de carneiros suplementados com Vitamina A ou submetidos à laserterapia de baixa intensidade

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Eneiva Carla Carvalho Celeghini
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Reprodução Animal
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:13/13438-4
Vigência: 01 de agosto de 2013 - 31 de julho de 2014
Assunto(s):AndrologiaOvinosVitamina AEspermatozoidesTerapia a laser
Resumo
O sêmen ovino congelado tem sido alvo de grandes estudos, visto que sua utilização viabiliza o uso da inseminação artificial (IA) em ovelhas, embora, a taxa de prenhez obtida pela IA ainda seja baixa, devido primordialmente a necessidade dos espermatozoides pós-descongelamento vencerem a barreira cervical, o que abre espaço para a busca de maiores conhecimentos ao redor do sêmen a ser congelado. A suplementação com vitamina A, auxilia na renovação do epitélio seminífero e na diminuição da concentração de espécies reativas de oxigênio; por outro lado, a utilização de laserterapia (LT) de baixa intensidade, que estimula a mitose celular, também poderia servir como auxiliar na proliferação do epitélio seminífero e contribuir com melhores índices na congelação do sêmen. O presente projeto tem por objetivo analisar a congelabilidade do sêmen de carneiros, submetidos ou não à degeneração testicular, suplementados com vitamina A ou a laserterapia de baixa intensidade. Serão utilizados 18 carneiros distribuídos em seis grupos de tratamentos: 1) controle: não degenerado e não tratado (n=3), 2) não degenerado e suplementado com vitamina A (n=3), 3) não degenerado e submetido à laserterapia de baixa intensidade (n=3), 4) degenerado e não tratado (n=3), 5) degenerado e suplementado com vitamina A (n=3), 6) degenerado e submetido à laserterapia de baixa intensidade (n=3). Durante o período experimental serão realizadas avaliações semanais, incluindo: exame andrológico, avaliação de temperatura testicular e retal. Logo após a colheita o sêmen será avaliado, acrescido de diluidor a base de gema de ovo, envasados em palhetas e criopreservado utilizando-se um sistema automatizado, sendo mantidos em botijões criogênicos (-196º C). Após as palhetas de sêmen serão descongeladas (37º C/30 segundos) e avaliadas quanto à motilidade (CASA), morfologia espermática (DIC), integridade das membranas plasmática e acrossomal, função mitocondrial e estresse oxidativo. Os dados serão submetidos à Análise de Variância e as médias comparadas pelo teste de Fisher empregando-se o programa estatístico Statistical Analysis System (SAS Institute Inc., 2004). (AU)

Estudo do efeito da Vitamina D no modelo de fibrose renal e a participação das vias de sinalização da Wnt e do Klotho

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Nestor Schor
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Processo:13/14204-7
Vigência: 01 de agosto de 2013 - 30 de setembro de 2016
Vinculado ao auxílio:10/52180-4 - Fisiopatologia e regeneração das lesões renais, AP.TEM
Assunto(s):NefrologiaVitamina DInsuficiência renal crônica
Resumo
A fibrogênese renal é um processo dinâmico e envolve a ativação de diversas vias que desencadeiam a ativação e a proliferação de células produtoras de matriz resultando na doença renal crônica. Entre os muitos fatores que regulam o processo fibrótico renal destaca-se o TGF-². Mais recentemente a participação das vias incluindo o Klotho e da Wnt no desenvolvimento da fibrose renal tem sido sugerida.O gene Klotho codifica uma proteína transmembrana que também pode ser encontrada na forma solúvel. Estudos recentes demostraram que o Klotho possui um importante efeito renoprotetor pela sua capacidade de reduzir a expressão do TGF-²1, porém, ainda não é conhecido o mecanismo envolvido. Além disso, Klotho é capaz de inibir a atividade de proteínas da Wnt, outra importante via envolvida na fibrose renal. As proteínas Wnt constituem uma numerosa família de glicoproteínas segregadas que se ligam ao domínio extracelular dos receptores do tipo frizzled. Estudos recentes demonstraram que a via da Wnt está ativada no modelo de nefropatia por obstrução, sendo um dos responsáveis pela gênese da fibrose renal, provavelmente por estimular o aumento na expressão dos componentes de matriz extracelular. A atividade da Wnt pode ser modeulada pelo Klotho, através da interação Wnt-Klotho, resultando na supressão na via da Wnt. Há indícios de que a proteína Wnt pode ser regulada através da sua ligação com a forma secretada do Klotho, porém, ainda é bastante obscuro como a interação entre essas duas vias de sinalização. Assim os efeitos renoprotetores do Klotho parece se relacionar à sua capacidade de interferir em pelo menos duas vias pró-fibróticas, o TGF-² e a Wnt.Além do Klotho, a Vitamina D ativa (Vit D) também tem sido apontada como um agente renoprotetor. Entretanto, este efeito da Vit D é decorrente de sua capacidade de modelar a atividade do SRA e do NF-ºB. A ativação dessas duas vias resulta no estimulo à proliferação celular, inflamação, estresse oxidativo e fibrogênese, que pode envolver a participação do TGF-²1. A inibição do SRA pela Vit D já está bem estabelecida e o mecanismo molecular ocorre através da inibição do gene da renina. Além disso, a vitamina D é capaz de inibir a ação do NF-ºB através da interação do receptor de vitamina D (VDR) com a subunidade p65 da via do NF-ºB.Portanto, esse estudo tem o objetivo de avaliar o envolvimento das vias da Wnt e do Klotho no desenvolvimento da fibrose renal induzida pelo modelo de ablação renal. Bem como, avaliar se o tratamento com Vitamina D resulta em algum efeito renoprotetor através da sua interação com Klotho e Wnt. (AU)

Efeitos neuroprotetores do Edaravone na hidrocefalia experimental induzida em ratos wistar

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Luiza da Silva Lopes
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Processo:13/14602-2
Vigência: 01 de agosto de 2013 - 28 de fevereiro de 2014
Vinculado ao auxílio:12/22596-0 - Efeitos neuroprotetores do Edaravone na hidrocefalia experimental induzida em ratos Wistar, AP.R
Assunto(s):Fármacos neuroprotetoresHidrocefaliaNeurocirurgiaAstrócitos
Resumo
A hidrocefalia é usualmente definida como uma deficiência no fluxo ou absorção do líquido cefalorraquidiano, resultando em uma dilatação no sistema ventricular e aumento da pressão intracraniana. O tratamento da hidrocefalia usualmente utilizado é cirúrgico, com derivações liquóricas. Entretanto, nem todos os pacientes com hidrocefalia podem ser submetidos ao tratamento cirúrgico imediatamente após o diagnóstico, seja por apresentarem condições clínicas desfavoráveis ou por apresentarem ainda dilatação ventricular inicial. Apesar das lesões da hidrocefalia ser de caráter multifatorial, sabe-se que o estresse oxidativo é um dos mecanismos envolvidos. O Edaravone é uma droga que atua sobre o estresse oxidativo e foi introduzida recentemente no tratamento de isquemia cerebral, mas ainda não foi testada na hidrocefalia. O objetivo deste trabalho será avaliar a resposta neuroprotetora do Edaravone na hidrocefalia experimental em ratos Wistar jovens, Ratos machos com 7 dias de vida receberão uma injeção de caulim a 15% na cisterna magna, para a indução da hidrocefalia. Os animais serão divididos em três grupos: controle sem injeção de caulim (n = 10), hidrocefálico sem tratamento (n=20), hidrocefálico tratado com Edaravone (2mg/kg/dia), a partir do dia pós-indução (n=20). Para avaliação da resposta ao tratamento serão realizados testes de comportamento (open field e labirinto em T), ressonância magnética de encéfalo, além de estudos bioquímicos, histológicos e imunoistoquímicos. Os resultados deste trabalho podem indicar um potencial tratamento alternativo ou adjuvante em pacientes com hidrocefalia. (AU)

Influência da suplementação de zinco na remodelação cardíaca após o infarto agudo do miocárdio

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina (FMB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Leonardo Antonio Mamede Zornoff
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Processo:13/06862-4
Vigência: 01 de agosto de 2013 - 31 de março de 2016
Assunto(s):CardiologiaInsuficiência cardíaca
Resumo
A insuficiência cardíaca é responsável por grande número de internações em todo mundo. As principais causas dessa doença são a isquemia miocárdica e a hipertensão arterial sistêmica. Dentre as alterações isquêmicas, podemos destacar o infarto agudo do miocárdio (IAM). Após o IAM podem ocorrer alterações complexas na arquitetura ventricular, envolvendo tanto a região infartada quanto a não infartada. Nos últimos anos, estas adaptações passaram a ser estudadas com o nome de remodelação ventricular ou cardíaca. Devido ao grande impacto sócio-econômico e às altas taxas de mortalidade, torna-se relevante a identificação de fatores que modulem o processo de remodelação ventricular, como o zinco. O zinco é metal divalente, essencial para a atividade de diversas enzimas como a enzima conversora da angiotensina, a superóxido dismutase e as metaloproteinases da matriz extracelular (MMPs). Além disso, esse metal tem papel fundamental na estrutura das membranas celulares, e na estabilização das estruturas de RNA, DNA e ribossomos. Atualmente, evidências experimentais e clínicas mostram que a concentração sérica de zinco encontra-se diminuída na insuficiência cardíaca. Essa redução pode interferir com a atividade das metaloproteinases, com estresse oxidativo e, consequentemente, com o processo inflamatório. No entanto, a influência da suplementação de zinco na remodelação cardíaca após o infarto agudo do miocárdio ainda não foi estudada. (AU)

Estudo dos mecanismos envolvidos na disfunção vascular induzida pelo estresse agudo de restrição

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto (EERP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Carlos Renato Tirapelli
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Farmacologia Cardiorenal
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:13/04470-1
Vigência: 01 de agosto de 2013 - 31 de outubro de 2014
Assunto(s):Disfunção endotelialEstresse oxidativoÓxido nítricoReatividade cardiovascular
Resumo
O estresse físico ou psicológico é definido como o estado de desarmonia ou de ameaça à homeostasia que pode ser provocado por estressores psicológicos, ambientais ou fisiológicos. Vários estudos mostram que o estresse físico, assim como o psicológico, contribui para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares como, por exemplo, a hipertensão arterial. Portanto, o estresse acarreta alterações significativas da função circulatória, figurando como um importante fator de risco no desenvolvimento de doenças cardiovasculares. Para explicar o aumento da pressão arterial associado ao estresse, alguns estudos sugerem um mecanismo miogênico que envolve a disfunção endotelial onde o estresse altera a reatividade vascular induzindo aumento da resposta vascular a agentes vasoconstritores e redução do relaxamento a agentes vasodilatadores. A disfunção endotelial pode ser definida como um desequilíbrio na síntese, liberação ou efeito dos fatores endoteliais que relaxam o músculo liso vascular como, por exemplo, o óxido nítrico (NO). O aumento do estresse oxidativo também figura como um importante mecanismo indutor da disfunção endotelial. As espécies reativas de oxigênio (ERO), como por exemplo, o ânion superóxido (O2-) oxidam biomoléculas e iniciam o processo de lipoperoxidação que leva à disfunção cardiovascular. É importante ressaltar que o estresse induz aumento da produção de ERO. Portanto, a hipótese do presente estudo é a de que o estresse agudo estimule a produção de ERO na vasculatura e que essa resposta levaria a disfunção vascular com conseqüente alteração da reatividade vascular, redução da biodisponibilidade do NO e aumento da pressão arterial. Portanto, o objetivo do presente estudo é avaliar os mecanismos envolvidos na disfunção vascular induzida pelo estresse agudo de restrição. (AU)

Coexposição a metilmercúrio e chumbo em ratos: distribuição no organismo, avaliação da genotoxicidade e parâmetros de estresse oxidativo, e possível efeito protetor do fruto maná cubiu (Solanum sessiliflorum Dunal)

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Fernando Barbosa Júnior
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia - Análise Toxicológica
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Processo:13/05560-4
Vigência: 01 de agosto de 2013 - 16 de outubro de 2014
Assunto(s):Mercúrio (elemento químico)ChumboEstresse OxidativoGenotoxicidadeIntoxicação por chumboIntoxicação por mercúrio
Resumo
A avaliação da toxicidade frente a exposição concomitante a mais de um elemento químico é um tópico desafiador e relativamente recente na literatura, uma vez que a maioria dos estudos toxicológicos tem focado nos efeitos tóxicos decorrentes da exposição a apenas um agente químico. No Brasil, na região Amazônica, a população ribeirinha está exposta simultaneamente, e de forma crônica, a dois elementos químicos tóxicos (Hg e Pb), sendo que esta exposição ocorre principalmente por meio da ingestão de peixes contaminados com Hg e da farinha de mandioca contaminada com Pb. No entanto, uma vez que a farinha e o peixe são a base da alimentação desta população, não é possível propor que esses alimentos deixem de ser ingeridos. Uma alternativa seria propor a ingestão concomitante de outros alimentos, como as frutas nativas, que possuam nutrientes com atividade protetora contra os efeitos tóxicos causados por esses contaminantes. O maná cubiu (Solanum sessiliflorum Dunal) é um fruto nativo da região Amazônica, bastante nutritivo e utilizado no tratamento da anemia e no controle dos níveis elevados de colesterol, ácido úrico e glicose. Diante do exposto, este projeto busca avaliar os efeitos tóxicos decorrentes da exposição oral ao MeHg e ao Pb conjuntamente, de forma crônica e em baixas doses, em ratos, considerando diferentes biomarcadores. Além disso, o estudo propõe avaliar também o possível efeito protetor da polpa do fruto maná cubiu frente a esta coexposição. (AU)

Dieta hipercolesterolêmica provoca aterosclerose em aneurisma de aorta abdominal: estudo dos mecanismos em modelo experimental

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Simone Gusmão Ramos
Supervisor no Exterior: Guo-Ping Shi
Local de pesquisa: Harvard University, Boston (Estados Unidos)
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Anatomia Patológica e Patologia Clínica
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Processo:13/12518-4
Vigência: 01 de agosto de 2013 - 31 de julho de 2014
Assunto(s):Aneurisma da aorta abdominalAteroscleroseApoptoseCatepsinasCisteína proteases
Resumo
Aneurisma de aorta abdominal (AAA) é uma doença crônica degenerativa da parede aórtica, frequentemente relaciona à aterosclerose. Os mecanismos implicados na formação e progressão dos AAAs ainda não estão completamente esclarecidos, pois apenas 10% dos pacientes com aterosclerose grave desenvolvem aneurismas. Um dos possíveis mecanismos seria uma maciça apoptose das células musculares lisas (CML) da camada média da aorta, o que parece ser um evento crucial na formação dos AAAs. Esta morte programada estaria associada à ação de enzimas proteolíticas lisossomais pertencentes à família das cisteínas proteases, conhecidas como catepsinas. Entretanto, a apoptose é um evento complexo que ocorre por duas vias, uma iniciada por fatores extrínsecos, com a ativação de receptores na superfície celular, e a outra por fatores intrínsecos, em resposta ao dano celular e estresse oxidativo. Num experimento-piloto usando um modelo experimental de AAA, vimos que a introdução de uma dieta hipercolesterolêmica leva à formação de placas de gordura apenas na parede aneurismática, resguardando o segmento da aorta com diâmetro normal. Esses achados possibilitaram o desenvolvimento de um projeto inédito, que irá investigar a influência das catepsinas nos mecanismos associados a apoptose das CMLs, na presença e ausência de placas ateroscleróticas em um modelo experimental de AAA. O entendimento desses mecanismos poderá auxiliar na elaboração de estratégias de tratamento e prevenção dos AAA. Esse projeto terá o apoio e a colaboração da Universidade de Harvard através do Prof. Guo-Ping Shi, especialista no estudo das catepsinas na parede arterial. (AU)

Potencial quimioprotetor do dim (3,3´-Di-indolil-metano) e da genisteína em linhagens de células tumorais prostáticas humanas LNCaP e PC-3 expostas ao bisfenol a

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Wellerson Rodrigo Scarano
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Citologia e Biologia Celular
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Processo:13/05038-6
Vigência: 01 de agosto de 2013 - 28 de fevereiro de 2015
Assunto(s):GenisteínaBisfenol A
Resumo
A neoplasia prostática apresenta base hormonal para a sua iniciação e progressão e estes acontecimentos estão relacionados, principalmente, a alterações envolvendo estrógenos e andrógenos inerentes do processo de envelhecimento, onde há incremento de estrógenos em relação aos andrógenos. O bisfenol A (BPA) é o xenoestrógeno mais estudado na atualidade e sua atividade estrogênica tem despertado interesse por sua ampla dispersão no meio ambiente. Desta forma, esse composto poderia contribuir para o aumento da incidência, agressividade e capacidade metastática dos tumores prostáticos. Por outro lado, a quimioproteção com os fitoquímicos dietéticos está associada à redução na incidência e na progressão de diferentes neoplasias, diminuição de processos inflamatórios e estresse oxidativo ocasionados por substâncias potencialmente nocivas. Este estudo tem por objetivo avaliar os efeitos dos fitoquímicos 3,3´-Di-indolil-metano (DIM) e Genisteína (Gen) isolados e/ou associados em células tumorais prostáticas expostas ao BPA. Para tanto, as células tumorais prostáticas LNCaP e PC-3 serão cultivadas em meio específico padrão (MC) para a expansão até atingirem 80% de confluência. Em seguida, serão tripsinizadas e transferidas para placas de 6 poços e submetidas aos tratamentos: T1: MC; T2: MC+BPA; T3: MC+BPA+DIM; T4: MC+BPA+Gen; T5: MC+BPA+DIM+Gen; por 96 horas. As doses dos agentes químicos serão estabelecidas pelo ensaio de viabilidade e determinação da IC50. A viabilidade e velocidade de migração das células tumorais frente à exposição ao Bisfenol A e após a adição do DIM e da Gen isolados e/ou associados serão avaliadas. Adicionalmente, as células serão submetidas à extração proteica para realização de Western Blotting visando analisar as proteínas: AKT, MAPK, BAX e BCL2 (proliferação e morte celular); AR, ER±, ER² (sobrevivência e modulação hormonal); e SIRT1 (estresse oxidativo e potencial metastático). Os resultados poderão contribuir para o entendimento da resposta de células tumorais expostas ao xenoestrógeno ambiental BPA e o possível efeito modulador dos fitoquímicos sobre essa resposta. (AU)

Caracterização cinética e molecular da (Na+,K+)-ATPase do tecido branquial do caranguejo Cardisoma guanhumi (Latreille)

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Francisco de Assis Leone
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Enzimologia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Processo:13/00976-8
Vigência: 01 de agosto de 2013 - 31 de julho de 2017
Resumo
Este projeto de Doutorado é uma continuidade da linha de pesquisa, que vem sendo apoiada pela FAPESP, e cujo objetivo é o estudo sistemático das propriedades estruturais e cinéticas da (Na,K)-ATPase do tecido branquial de diferentes espécies de caranguejos e camarões afim de se tentar estabelecer um modelo para adaptação dos crustáceos a ambientes de diferentes salinidades. A manutenção da osmolalidade da hemolinfa dos crustáceos é atribuída à (Na,K)-ATPase e este mecanismo de adaptação sugere que as respostas dos crustáceos devem envolver uma rápida ativação do transporte de íons que deve ser primária a qualquer outra resposta fisiológica deste animal. No presente projeto pretende-se investigar a sinalização celular vinculada à regulação da (Na,K)-ATPase de Cardisoma guanhumi bem como suas conseqüências diretas na captação de NaCl através das brânquias durante a aclimatação a ambientes hiposalinos e a ambientes marinhos. Para isso serão realizados os seguintes estudos: 1) preparação da (Na,K)-ATPase do tecido branquial de Cardisoma guanhumi. 2) caracterização cinética da atividade da enzima em relação aos ligantes ATP, PNPP, sódio, potássio, magnésio e amônio. 3) análise da expressão de proteínas da preparação microsomal das brânquias. 4) localização subcelular da enzima através de ensaios imunohistoquímicos. 5) quantificação de enzimas que participam do estresse oxidativo em animais aclimatados em diferentes salinidades. 6) Estudo da formação da fosfoenzima. 7) Regulação da atividade da (Na,K)-ATPase pela FXYD2 exógeno. 8) Estudo da ação das poliaminas na atividade da (Na,K)-ATPase. (AU)

Contribuição da elevação da esteroidogênese e/ou da deficiência da NADP-transidrogenase no estresse oxidativo mitocondrial das células de camundongos hipercolesterolêmicos

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Helena Coutinho Franco de Oliveira
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia Geral
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Processo:13/05497-0
Vigência: 01 de agosto de 2013 - 31 de março de 2016
Assunto(s):Hipercolesterolemia
Resumo
Em trabalhos publicados por nosso grupo, demonstramos que há uma importante contribuição das mitocôndrias no estabelecimento de um estresse oxidativo em tecidos de camundongos geneticamente hipercolesterolêmicos, o que pode ser relevante para a aterogênese destes animais. As mitocôndrias destes animais apresentaram uma diminuição de seu conteúdo de NADPH, principal poder redutor para reconstituição do sistema enzimático glutationa redutase/peroxidase. Também demonstramos que havia aumento da lipogênese e esteroidogênese hepática, o que nos levou a propor que estes processos biossintéticos eram responsáveis pelo consumo de grandes quantidades de NADPH. A inibição farmacológica da esteroidogênese não pôde ser usada como contraprova de nossa proposta devido a efeitos tóxicos de estatinas diretamente nas mitocôndrias. Desta maneira, nossa hipótese de que o estresse oxidativo mitocondrial estará reduzido em paralelo com a redução da síntese de colesterol necessita de uma abordagem molecular (antisense oligonucleotides e/ou RNAs de interferência para o knockdown in vivo e in vitro da HMGCoA). Como estes animais também apresentam deficiência genética da NADP-transidrogenase mitocondrial ou transidrogenase de nucleotídeos de nicotinamida (NNT) em seu background (C57BL6/J), uma enzima essencial para manutenção do teor de NADPH na mitocôndria, ela também será objeto de nossa investigação. Para tanto usaremos o knockdown da NNT em camundongos selvagens e a transfecção da NNT em células dos camundongos hipercolesterolêmicos. Assim, neste projeto pretendemos determinar a origem do estresse oxidativo mitocondrial observado em tecidos e células dos camundongos hipercolesterolêmicos. Nossa hipótese é que a depleção do NADPH demonstrado nestas mitocôndrias seja conseqüência de duas possibilidades, mutuamente não excludentes: aumento de esteroidogênese e deficiência da NNT. Portanto, usando ferramentas moleculares em estudos in vivo e in vitro, em células geneticamente manipuladas, pretendemos quantificar a contribuição relativa de cada um destes processos. (AU)
Página 10 de 2.064 resultado(s)
|
Exportar 0 registro(s) selecionado(s) | Limpar seleção
CDi/FAPESP - Centro de Documentação e Informação da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo

R. Pio XI, 1500 - Alto da Lapa - CEP 05468-901 - São Paulo/SP - Brasil
cdi@fapesp.br - Converse com a FAPESP