Pesquisa avançada

X

Criar um alerta por e-mail


Novos resultados para a sua pesquisa em seu e-mail, semanalmente.

Seu e-mail:

Tamanho do e-mail:



Seu endereço de e-mail não será divulgado.

Refine sua pesquisa

Pesquisa
  • Uma ou mais palavras adicionais
Publicações científicas
  • Auxílios à Pesquisa
  • Bolsas
  • Programas voltados a Temas Específicos
  • Programas de Pesquisa direcionados a Aplicações
  • Programas de Percepção Pública da Ciência
  • Programas de Infraestrutura de Pesquisa
  • Área do conhecimento
  • Situação
  • Ano de início
URL curtoExcel (CSV)Alerta por e-mail   RSS
Página 4 de 5.658 resultado(s)
|
Resumo

A relação entre problemas específicos de linguagem e desempenho escolar tem sido enfoque na literatura. Entretanto, em nosso meio, esta relação ainda necessita estudos, frente às dificuldades de identificação e classificação dos distúrbios de linguagem em crianças de língua portuguesa, diferenciando-os de atraso na linguagem, que se acredita, seja de melhor prognóstico em relação aos distúrbios. O objetivo do presente trabalho é verificar como se apresenta o desempenho escolar de crianças da cidade de Ribeirão Preto e/ou região, com antecedente de problemas específicos de linguagem, comparando-as com crianças sem esse antecedente. Analisaremos também alguns fatores ambientais e sociais envolvidos, bem como o tipo de tratamento que vem recebendo aqueles que apresentam dificuldade escolar. Após a obtenção dos resultados, forneceremos as devidas orientações à família e à criança, visando seu desempenho escolar e, por conseqüência, seu bom desenvolvimento humano. O estudo será transversal, controlado, em 60 crianças em fase escolar e que possuem dificuldades. Metade dessa amostra será de crianças com antecedente de problemas específicos de linguagem atendidas anteriormente no Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto, e as outras 30 crianças, sem queixa de antessente de problemas específicos de linguagem, mas que são atendidas nessa mesma unidade pela dificuldade escolar atual. (AU)

Resumo

De acordo com dados do Instituto Nacional do Câncer (INCa), o câncer representa a segunda causa de morte na infância. O diagnóstico do câncer implica um simbolismo de ameaça à vida, de fim inevitável, de dor e sofrimento. O tratamento da doença é um processo que requer inúmeras hospitalizações e freqüente uso de técnicas invasivas, situações dolorosas e desgaste emocional. Enquanto surgem as dores e as incapacidades físicas o mecanismo psicológico se torna mais dinâmico. A criança em estado grave teme a separação dos pais, o desconhecido. Os pensamentos punitivos e os estados depressivos muitas vezes tornam-se constantes. Porém, nem toda experiência vivida por essas crianças pode ser adequadamente expressa em palavras. Cada criança elabora, organiza e expressa seu entendimento sobre seu estado e sobre a morte dependendo de seu estágio de desenvolvimento. Para muitas crianças, a linguagem escrita ou verbal nem sempre é o modo de expressão mais acessível. Nestes casos, as técnicas de arte terapia que visam à expressão do inconsciente em imagens e não verbalmente ajudam a completar a lacuna da comunicação. As imagens projetadas formam uma ponte entre a criança e o terapeuta que facilitam /a terapia e ajudam o paciente a compreender sua real situação. Assim sendo, o objetivo deste trabalho é pesquisar a elaboração e a significação do luto com crianças em estado grave de câncer, por meio de simbolizações feitas no contexto artístico. O estudo envolve os significantes dados ao processo de luto, que permitem a criança que se encontra ameaçada pela morte expressá-lo em suas criações. (AU)

Resumo

O interesse desta pesquisa é compreender, com o auxílio do brincar terapêutico e da narrativa de história, como as crianças vivenciam o processo de luto desencadeado por perdas advindas do câncer. A pesquisa contará com a participação de cinco crianças, com idade entre cinco e seis anos, hóspedes da Casa Hope de São Paulo, que participarão de uma sessão individual, de aproximadamente 50 minutos de duração. Nesta sessão será pedido à criança, que faça um desenho de tema livre. Após o término do desenho, será proposto que a criança conte uma história sobre o que ela desenhou (esta etapa será gravada). A análise dos dados será feita a partir de uma análise qualitativa: dos desenhos das crianças, das diversas leituras das transcrições das narrativas contadas por estas e da relação entre a análise dos desenhos e a análise das narrativas. Para isso será levado em conta nos desenhos as cores escolhidas, características dos traços utilizados, presenças ou ausências de expressões faciais de personagens, se estes aparecerem no desenho; Nas narrativas os assuntos que mais aparecem e uma comparação. Destes as citações de algumas perdas simbólicas durante as narrativas a observação de alguma referência à doença, os sentimentos envolvidos nos personagens e quem são estes personagens, o aparecimento de alguma característica relacionada ao luto. Após a comparação dos dados qualitativos de ambas as análises (análise dos desenhos/análise das narrativas) a fim de compreender como estas crianças percebem as perdas simbólicas que o câncer as trouxeram e como elas vivenciam o luto desencadeado pesquisadora irá concluir o seu trabalho de acordo com os resultados obtidos e o objetivo da pesquisa. (AU)

Resumo

A etiologia das fissuras lábio palatais envolve aspectos ambientais e genéticos. Alguns autores afirmam que crianças com essas malformações têm potencial genético normal para crescimento, mas o próprio defeito físico, além de outros fatores ambientais que comprometem alimentação, bem como processos infecciosos de vias aéreas superiores e ouvido médio (comuns nesse tipo de doença congênita) são capazes de levar a crescimento deficiente. O objetivo do estudo é analisar o efeito do tipo de fissura e de variáveis sociais e biológicas ligadas à mãe e à criança, sobre o crescimento de crianças com três tipos de fissura lábio-palatal até os dois anos de idade. Serão estudadas 881 crianças portadoras de três tipos de fissuras (labial isolada, palatal isolada e fissura de lábio+palato) atendidas no Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais da USP (HRAC-USP) de Bauru, SP. Informações obtidas sobre peso e comprimento da criança na primeira consulta no Hospital, além de peso e comprimento ao nascer, e informações sobre aleitamento materno, classificação social, idade da mãe, antecedentes familiares de fissura e antecedentes mórbidos da criança foram coletadas dos prontuários médicos. As crianças que apresentarem peso e/ou comprimento abaixo do percentil 10 da referência do NCHS serão consideradas como tendo déficit de crescimento. A associação entre déficit de crescimento e o tipo de fissura será avaliada por meio do cálculo do Odds Ratio bruto e posteriormente ajustado para demais variáveis, geradoras de confusão. (AU)

Resumo

A inserção adequada da criança no seu contexto sociocultural é de grande importância para a sua adaptação e bem-estar, e a família desempenha um papel primordial como mediadora desse processo. O que torna as dificuldades familiares com a comunicação da criança com distúrbios de linguagem em importante aspecto a ser estudado para que se possa basear as orientações familiares freqüentemente oferecidas a essa população em evidências científicas. O presente estudo visa identificar e comparar as dificuldades na comunicação através da aplicação de um questionário de 24 questões fechadas envolvendo a percepção dos pais a respeito da comunicação de seu/a filho/a e das dificuldades identificadas nessa área. Essas 24 questões podem ser agrupadas da seguinte forma: oito delas envolvem dificuldades pessoais dos pais, quatro envolvem dificuldades das crianças, outras quatro dizem respeito às impressões a respeito das atitudes dos outros em relação à criança e por fim, mais quatro abordam questões relacionadas ao comportamento da criança. Serão sujeitos desta pesquisa 60 pais de crianças, sendo 20 portadores de Síndrome de Down, 20 com Distúrbio do Espectro Autístico e 20 com Distúrbio Específico de Linguagem , todos com a idade entre 6 a 12 anos.Os resultados serão analisados com a estatística indicada por profissional da área, buscando a identificação das informações que melhor caracterizam os grupos referentes ao diagnóstico, gênero, idade e a existência de aglomerados significativos (clusters). (AU)

Resumo

A comunicação é um conceito observável, amplo e de referência social. É preciso interagir com outros seres humanos como meio de sobrevivência e estimulação. O desenvolvimento da linguagem é afetado pela maneira como se fala com a criança, havendo relação entre a produção verbal dos pais e o desempenho comunicativo de seus filhos. Crianças com alterações de linguagem atuam mais passivamente nesta interação, o que pode afetar o comportamento comunicativo dos pais. Portanto, o objetivo desta pesquisa é caracterizar a forma de interação entre pais e crianças com alterações de linguagem. Serão participantes deste estudo 30 crianças, na faixa etária de 4 a 8 anos, com alterações de linguagem, atendidas no Estágio de Distúrbios da Linguagem Infantil da Clínica-Escola de Fonoaudiologia da Faculdade de Odontologia de Bauru (USP). Outras 30 crianças da mesma faixa etária e sem alterações de linguagem formarão um grupo controle. Os pais das crianças de ambos os grupos também participarão da pesquisa. Os procedimentos serão submetidos à Comissão de Ética em Pesquisa da referida instituição. A coleta de dados será realizada por meio de gravações em vídeo de uma sessão de interação espontânea de trinta minutos entre a criança e seus pais. Posteriormente, estas gravações serão analisadas por 16 juízes (4 docentes, 6 alunos de graduação e 6 alunos de pós-graduação), para garantia da fidedignidade dos dados. Para análise das gravações pelos juízes, será utilizado um protocolo de observação comportamental, adaptado de um estudo similar realizado por Andrade (2004). A análise dos dados será quantitativa e qualitativa, com posterior análise estatística e comparativa dos grupos controle e experimental. (AU)

Resumo

O objetivo do presente trabalho é investigar como a escola de educação infantil prepara as crianças para o ingresso na escola fundamental e como esta recebe as crianças que ingressam nesse novo ciclo com apenas seis anos de idade, ou seja, verificar se há articulação nas propostas pedagógicas nos dois níveis de ensino. A pesquisa prática foi realizada, no primeiro momento, em uma Escola Municipal de Educação Infantil (EMEI), localizada no bairro da Bela Vista, no ano de 2008 e, no segundo momento, acompanhamos as mesmas crianças da Educação Infantil para a escola de Ensino Fundamental I, localizada também no bairro da Bela Vista, na cidade de São Paulo durante o ano de 2009. Como referencial teórico, utilizamos os documentos oficiais que tratam das políticas públicas para a infância, documentos sobre o ensino fundamental de nove anos, os autores da psicologia da educação, especificamente Lev Semenovich Vygotski e Henri Wallon, bem como autores que tratam o tema da infância. Tratou-se de um estudo etnográfico e a metodologia utilizada foi à observação participante, em que permanecemos em contato direto com as escolas, com as crianças e com as práticas docentes e, a entrevista semi-estruturada realizada com os pais, professores, crianças, coordenação e direção da Educação Infantil e do Ensino Fundamental I, com objetivo de dar voz a todos os atores envolvidos no processo de passagem da criança do infantil para o fundamental. Durante o percurso realizado até o momento percebemos que os dois níveis de ensino precisam repensar as suas propostas pedagógicas e construir um projeto educativo que contribua para a passagem da criança da escola infantil para o 1º ano do Ensino Fundamental. (AU)

Resumo

O presente estudo tem por objetivo verificar a relação entre exposição e reatividade à dor no período neonatal e temperamento e comportamento na trajetória inicial de desenvolvimento de crianças nascidas prematuras. A amostra será composta por 70 crianças nascidas pré-termo (idade gestacional <37 semanas) e com muito baixo peso (≤1500g). A coleta de dados será realizada na primeira semana e no primeiro e segundo ano de vida da criança. Na primeira semana de vida do bebê, será estruturada uma situação de observação sistemática da reatividade do bebê durante o procedimento de coleta de sangue previsto na rotina da UTIN. Serão avaliados a reatividade facial, por meio do Sistema de Codificação Facial Neonatal (NFCS), o estado comportamental de vigília e sono e a taxa de batimento cardíaco do bebê. No primeiro ano de vida, serão avaliados o temperamento, por meio do Questionário Revisado sobre o Comportamento do Bebê (IBQ-R), e o desenvolvimento do bebê, por meio do Teste de Triagem de Desenvolvimento de Denver II (Denver II). No segundo ano de vida serão avaliados o temperamento, por meio do Questionário sobre o Comportamento da Criança Pequena (ECBQ), o comportamento, por meio da Lista de Comportamento da Criança de 1 1/2 a 5 anos (CBCL) e o desenvolvimento da criança, por meio do Denver II. Serão realizadas análises de regressão a fim de identificar preditores do temperamento e do comportamento da criança nascida prematura ao longo dos dois primeiros anos. (AU)

Resumo

Na Classificação Internacional de Funcionalidade Incapacidade e Saúde (CIF) a funcionalidade é um componente de saúde e o ambiente pode ser facilitador ou barreira para o desempenho de ações não apenas de crianças especiais como também das saudáveis. Desse modo torna-se importante que programas vinculados a saúde infantil, foquem o cuidado no ambiente da criança, representado também pelas creches, uma vez que crianças passam grande parte de sua vida neste local e estudos têm apontado atraso no desenvolvimento infantil. Contudo, não se sabe se isto se deve aos fatores estruturais, pessoais ou inter-pessoais. Assim, verifica-se que estudos que avaliaram conjuntamente o ambiente escolar, o desempenho motor e cognitivo além da participação social destas crianças ainda não foram encontrados. OBJETIVO: Avaliar a influência da qualidade do ambiente no desempenho motor, cognitivo e na participação social de crianças frequentadoras de creches em período integral. MÉTODOS: Serão avaliadas 200 crianças frequentadoras de creches municipais e particulares. Para avaliação do ambiente da creche será utilizada a escala Infant/Toddler Environment Rating Scale- Revised Edition (ITERS-R). Para avaliação do desempenho motor e cognitivo será utilizada a escala Bayley Scales of Infant and Toddler Development-III (BSITD-III). Para análise da participação social será utilizado o Life Habits for Children (LIFE-H). Os resultados serão avaliados por meio de testes estatísticos adequados com a normalidade de sua distribuição e homogeneidade da amostra. Para o estudo de correlação entre a qualidade da creche e desempenho nas escalas BSITD-III e LIFE-H serão utilizados coeficientes de correlação. Será adotado um nível de significância de 5% (p>0,05). (AU)

Resumo

Indicadores de risco psíquico têm sido utilizados em estudos longitudinais em vários países na investigação da interação entre a influência dos pais e os aspectos orgânicos no desenvolvimento dos filhos. Desde 2004, a pesquisa "Leitura da constituição e da psicopatologia do laço social por meio de indicadores clínicos: uma abordagem multidisciplinar atravessada pela psicanálise" configura-se como um projeto temático da FAPESP (no. 03/09687-7). Suas atividades dividiram-se em dois sub-projetos: 1) pesquisa multicêntrica de indicadores clínicos de risco para o desenvolvimento infantil - IRDI; e 2) verificação dos efeitos do tratamento psicanalítico institucional sobre o aumento da circulação social de crianças e adolescentes psicóticos. O objetivo da presente pesquisa é dar continuidade ao subprojeto 1, a fim de diminuir a perda amostral e propiciar condições para futuros estudos de seguimento longitudinal. No final de 2006, o IRDI havia sido aplicado em uma amostra de 287 crianças consideradas caso (tiveram ao menos dois indicadores ausentes). Então, foi elaborada a Avaliação Psicanalítica aos 3 anos - AP3, visando ao desfecho clínico da pesquisa quando as crianças chegassem aos 3 anos, executada juntamente com a avaliação psiquiátrica. Após a análise estatística, constatou-se que houve uma perda 44,9% das 287 crianças consideradas caso que deveriam ter sido avaliadas com a AP3. A proposta que aqui se faz é recuperar parte significativa dessa perda, resgatando as crianças que não foram seguidas com a AP3 na cidade de São Paulo e submetê-las a tal avaliação. Ressalte-se que o instrumento de Avaliação Psicanalítica não serve apenas à aplicação exclusiva aos 3 anos de idade, tornando-se tanto mais efetivo quanto mais velha for a criança, dentro de limites temporais do desenvolvimento. (AU)

Resumo

O risco biológico relativo ao nascimento pré-termo e/ou de baixo peso, sob a perspectiva da psicopatologia do desenvolvimento, tem se destacado dentre as condições consideradas adversas ao desenvolvimento infantil. No Brasil, estudos voltados à investigação dos efeitos psicológicos do nascimento pré-termo e de baixo peso nas crianças ao longo de seu desenvolvimento ainda são escassos, especialmente aqueles relacionados ao seguimento a médio e longo prazo, como os estudos de coorte. Nesse sentido, o presente estudo tem como objetivo caracterizar os indicadores comportamentais e emocionais de uma coorte de crianças em idade escolar, diferenciadas quanto ao peso ao nascer. Foram avaliadas, aos 10 anos de idade, 665 crianças, de ambos os sexos, nascidas na cidade de Ribeirão Preto-SP. Para avaliação comportamental, os pais das crianças responderam ao Questionário de Capacidades e Dificuldades (SDQ) e para avaliação emocional as crianças responderam ao Inventário de Depressão Infantil (CDI). Ademais, os pais responderam a um Questionário Complementar fornecendo informações demográficas e socioeconômicas das famílias e informações clínicas das crianças. Os dados já foram coletados e serão codificados de acordo com as proposições dos instrumentos e analisados por procedimentos estatísticos de comparação entre grupos de pesos. A investigação dos aspectos comportamentais e emocionais de crianças em condições de vulnerabilidade biológica ao nascer visa identificar a presença de dificuldades e recursos, o que poderá contribuir para a proposição de medidas preventivas e terapêuticas voltadas para a promoção do desenvolvimento psicológico e da saúde mental infantil. (AU)

Resumo

O responder por exclusão, também referido como mapeamento rápido por autores da Psicolingüística, é um padrão consistente de comportamento pelo qual a criança, quando exposta a um conjunto de objetos familiares (já relacionados a nomes) e um objeto desconhecido, tende a selecionar o objeto desconhecido diante de um nome novo (nome que não tenha sido antes relacionado a qualquer outro objeto). Ou seja, a criança tende a relacionar o nome desconhecido ao objeto não familiar, o que parece ser um processo básico subjacente à aquisição de vocabulário. Muitos dados da literatura mostram, porém, que essa relação demonstrada pela criança não necessariamente se mantém após o episódio inicial de responder por exclusão. Pesquisas de diferentes orientações teóricas sobre o tema relatam uma variabilidade grande nos resultados de aprendizagem dos participantes e essa variabilidade é atribuída por muitos autores à idade das crianças ou a variáveis de procedimento na condução dos experimentos. Os objetivos deste projeto são: a) verificar, em uma amostra de 80 crianças de diferentes faixas etárias (entre 18 e 48 meses), se a aprendizagem da relação nome-objeto em uma tentativa pode estar relacionada à idade; b) verificar, nas crianças dessa mesma amostra que não apresentaram aprendizagem da relação nome-objeto em uma tentativa, quantas exposições a essa relação são necessárias para que ocorra a aprendizagem. (AU)

Resumo

Este projeto de Iniciação Científica faz parte de um projeto de pesquisa mais amplo intitulado "Interações na creche: crianças e adultos convivendo na Educação Infantil", que objetiva investigar as interações que ocorrem no cotidiano de uma creche envolvendo crianças de 0 a 3 anos entre si e com os adultos ali presentes. A pesquisa de Iniciação Científica será desenvolvida no período de dezembro de 2010 a novembro de 2011 e focalizará as interações crianças-crianças e crianças-adultos que ocorrem durante os momentos de brincadeiras. Os sujeitos da pesquisa serão as crianças de 3 anos de uma creche localizada em uma universidade pública paulista e sua professora, além da coordenadora da escola e dos profissionais de apoio. A coleta de dados será feita a partir dos seguintes instrumentos: observação participante da rotina do grupo de crianças de 3 anos de idade com registros escritos, fotográficos e em vídeo, entrevistas com a professora e demais profissionais da creche, análise de documentos da escola. Trata-se de um estudo de natureza qualitativa, cujos dados serão interpretados mediante focos de análise estabelecidos a partir dos objetivos da pesquisa e no decorrer do estudo. (AU)

Resumo

Este estudo pretende investigar as noções operatórias em crianças diagnosticadas com transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH), especialmente no que se refere às construções espaço temporais e causais. A hipótese de pesquisa é a de poderá haver, nessas crianças, atrasos na aquisição das noções citadas em relação a uma amostra de crianças não diagnosticadas. Essa hipótese baseia-se em pesquisas que demonstram indícios de um possível atraso maturacional em crianças diagnosticadas com TDAH. Os subsídios teóricos dessa pesquisa são a teoria do desenvolvimento de Jean Piaget por um lado, e as atuais pesquisas em relação ao transtorno estudado, principalmente aquelas nas quais existe uma descrição psicológica do mesmo, por exemplo, na avaliação da performance de crianças com este transtorno em tarefas determinadas. Serão avaliadas 60 crianças, subdivididas em dois grupos: uma amostra clínica de crianças diagnosticadas (n=30), e uma amostra de crianças que não preenchem diagnóstico para nenhum transtorno (grupo controle, n=30). Um instrumento diagnóstico de screening será utilizado na avaliação dos dois grupos (KIDDIE-SADS), e, para ambos serão aplicadas duas provas piagetianas. Na amostra clínica será utilizada, ainda, a escala Conners de avaliação de hiperatividade, a fim de investigar as diferenças nos níveis de manifestação de hiperatividade/ déficit de atenção. (AU)

Resumo

Na Classificação Internacional de Funcionalidade Incapacidade e Saúde (CIF) a funcionalidade é um componente de saúde e o ambiente pode ser facilitador ou barreira para o desempenho de ações não apenas de crianças especiais como também das saudáveis. Desse modo torna-se importante que programas vinculados a saúde infantil, foquem o cuidado no ambiente da criança, representado também pelas creches, uma vez que crianças passam grande parte de sua vida neste local e estudos têm apontado atraso no desenvolvimento infantil. Contudo, não se sabe se isto se deve aos fatores estruturais, pessoais ou interpessoais. Assim, verifica-se que estudos que avaliaram conjuntamente o ambiente escolar, o desempenho motor e cognitivo além da participação social destas crianças ainda não foram encontrados. Objetivo: avaliar a influência da qualidade do ambiente no desempenho motor, cognitivo e na participação social de crianças frequentadoras de creches em período integral. Métodos: serão avaliadas 200 crianças frequentadoras de creches municipais e particulares. Para avaliação do ambiente da creche será utilizada a escala Infant/Toddler Environment Rating Scale- Revised Edition (ITERS-R). Para avaliação do desempenho motor e cognitivo será utilizada a escala Bayley Scales of Infant and Toddler Development-III (BSITD-III). Para análise da participação social será utilizado o Life Habits for Children (LIFE-H). Os resultados serão avaliados por meio de testes estatísticos adequados com a normalidade de sua distribuição e homogeneidade da amostra. Para o estudo de correlação entre a qualidade da creche e desempenho nas escalas BSITD-III e LIFE-H serão utilizados coeficientes de correlação. Será adotado um nível de significância de 5% (p>0,05). (AU)

Resumo

O fenômeno da fragilização dos papéis parentais refere-se a dificuldades que pais atuais possuem em educar seus filhos devido à insegurança e dúvidas em relação ao posicionamento que devem assumir perante o filho. O presente trabalho tem como objetivo compreender a correlação que possa se estabelecer entre pais que apresentem características da fragilização dos papéis parentais com o aparecimento de comportamentos freqüentes de agressividade, teimosia e agitação em crianças pequenas, de três a cinco anos de idade, num ambiente escolar. Partiremos da hipótese de que crianças que estejam manifestando estes comportamentos na escola, diante do professor, podem estar revelando um posicionamento enfraquecido de autoridade de seus pais. A metodologia de pesquisa qualitativa visará, inicialmente, o contato com este fenômeno via escola, através da observação destas crianças em sala de aula e conversas com os professores sobre estas crianças. Posteriormente, realizaremos entrevistas semi-estruturadas com os pais das crianças e, finalmente, uma observação de interação lúdica destes pais com seus filhos. Esta metodologia será aplicada em dois grupos de famílias, num processo de comparação, definidos em função das crianças apresentarem ou não aqueles comportamentos na escola. Ao analisar os resultados pretenderemos constatar a presença ou ausência do fenômeno nos pais para podermos correlacionar o posicionamento dos pais com comportamento das crianças em cada família e entre os grupos. (AU)

Resumo

Será avaliado um programa para crianças asmáticas, baseado na seleção das crianças pelo questionário ISAAC (International Study of Asthma and Allergies) e treinamento físico durante quatro meses elaborado para complementar o tratamento farmacológico da asma. O questionário ISAAC contém oito questões relacionadas à asma, será aplicado em crianças da rede estadual de ensino da cidade de Ribeirão Preto, com idade de 8 a 11 anos; serão os pais que preencherão o questionário. A seguir estas crianças serão convidadas à espirometria e consulta com pediatras. Após a consulta, as crianças com diagnóstico de asma moderada realizarão exames e testes pré-treinamento: teste do broncoespasmo induzido pelo exercício, medidas das pressões inspiratória e expiratória máximas, freqüência cardíaca basal, teste de corrida dos nove minutos e avaliação da força abdominal. Os exercícios físicos serão realizados duas vezes por semana, com a duração de quatro meses, num total de 44 sessões. Haverá dois grupos, com 15 crianças cada: grupo controle e grupo treinamento. A avaliação dos benefícios do programa será feita pela comparação entre as medidas pré- e pós-treinamento de cada grupo. O grupo controle receberá medicação, educação em asma e acompanhamento médico idênticos ao do grupo treinamento. (AU)

Resumo

O presente projeto de pesquisa objetiva investigar e analisar a representação social de crianças acerca dos velhos, priorizando a contribuição do contato entre crianças e idosos num contexto escolar para o processo de formação dessa representação. Pretende-se lançar mão do desenho aliado à entrevista semi-estuturada da brincadeira para investigar esse processo em um grupo de crianças com idade de 4 a 6 anos. Este grupo será composto por estudantes de escolas públicas, as quais participam de um projeto de formação de professores que ocorre através da parceria da prefeitura de Jarinu, município paulista próximo a Campinas, e o Centro de Memória da Unicamp. Nesse projeto, as crianças da Educação Infantil e séries iniciais têm contato com idosos da comunidade em sala de aula a fim de coletar informações sobre histórias, causos, brincadeiras e cantigas de roda que estes conheciam, assim como sobre ocorrências culturais e históricas do cotidiano do município. Acredita-se que compreendendo as representações sociais que permeiam as relações intergeracionais e investigando a relevância do contato entre idosos e crianças no ambiente escolar, poder-se-á contribuir para a realização de projetos que promovam relações positivas e prazerosas entre os componentes dessas duas faixas etárias. Tais relações podem oferecer subsídios para a construção de uma percepção positiva das crianças sobre os velhos, além de fortalecer a auto-estima dos velhos, fator importante para sua qualidade de vida. (AU)

Resumo

Ser acometido por uma doença grave na infância atinge diretamente a integridade psicológica dos pequenos pacientes, tornando-os fragilizados e vulneráveis. Nesse sentido, pode-se caracterizar a doença como fator de risco ao qual a criança é submetida. Sendo assim, a criança poderá utilizar-se dos fatores de proteção a fim de propiciar um melhor enfrentamento da situação. Porém, nem todas as crianças conseguem utilizar-se de tal recurso. Assim, o presente projeto tem como objetivo identificar os fatores de proteção e como as crianças se utilizam destes durante a situação de tratamento, a partir da análise da díade mãe-criança. O método a ser utilizado terá como referencial a abordagem fenomenológica - existencial. Será realizada uma entrevista aberta com a mãe e atividades lúdicas livres com as crianças. Os resultados serão analisados em dois momentos: no primeiro momento, serão analisados os resultados que emergirem de cada entrevista com a mãe e serão aproximados/confrontados com os resultados obtidos na análise do(s) encontro(s) com o filho correspondente; no segundo momento, os resultados que emergiram das díades poderão ser aproximados/confrontados, no sentido de obter alguns elementos comuns ou divergentes de modo a propiciar uma compreensão da situação investigada. (AU)

Resumo

Estudos anteriores evidenciaram a importância da estruturação espacial com zonas circunscritas (ZC - espaço delimitado por barreiras baixas em pelo menos três lados) no contato entre crianças de 1-4 anos e delas com a educadora. Diferenças foram encontradas no padrão de ocupação do espaço por crianças de 1-2 anos em comparação com as outras idades. Os objetivos deste trabalho são: (1) verificar a distribuição espacial de crianças de 1-2 anos (dois novos grupos) em diferentes arranjos espaciais, comparando com o padrão de ocupação obtido em outros dois grupos de crianças de 1-2 anos; (2) verificar se crianças de 1-2 anos com diferentes freqüências de interação com as demais do grupo, ocupam semelhantemente o espaço quando em interação, em atividade individual, ao observar outras e dirigir-se socialmente aos outros. A coleta de dados será realizada através de três câmeras de videiteipe sem a presença do operador, em duas creches municipais em três fases: FI-espaço aberto; FII-arranjo espacial aberto: introdução de pequenas estantes de madeira; FIII-arranjo espacial semi-aberto: duas zonas circunscritas. A cada minuto a imagem será congelada e localizar-se-á cada criança na tela do monitor, sendo registrada sua localização e atividade. Serão realizadas comparações intra e inter-fases da distribuição espacial e das atividades dos grupos de crianças. (AU)

Resumo

As variáveis afetivas constituem-se em uma das dimensões a serem consideradas, quando da análise dos problemas de aprendizagem. Dentre essas variáveis o construto Auto-Eficácia, compreendido como uma estratégia afetiva no processo de aprendizagem tem sido relacionada ao desempenho e ao sucesso acadêmico. O objetivo geral deste estudo será a avaliação dos aspectos afetivos, especificamente o senso de Auto-Eficácia, associados ao atraso escolar. Pretende-se ainda a proposição de um roteiro sistematizado para a avaliação da observação de crianças em situação de entrevista. A amostra será composta por 40 crianças de ambos os sexos, na faixa etária de 8 anos ali anos e 11 meses, alunos de 1' a 4' série das escolas da rede pública do município de Ribeirão Preto. O Grupo 1 será composto por 20 crianças encaminhadas ao Ambulatório de Psicologia Infantil do HCFMRP-USP, com queixa de dificuldade de aprendizagem e o Grupo 2 por crianças com bom desempenho acadêmico, que freqüentam o Centro de Atendimento Integral da Criança e do Adolescente "Antônio Palocci" (CAIC). Proceder-se-á a avaliação das crianças através do Teste das Matrizes Progressivas coloridas: Raven Infantil -escala especial- e da realização de uma sessão de entrevista, utilizando-se para isto a Entrevista Operativa Centrada na Aprendizagem (EOCA) e um Roteiro de avaliação de Auto-Eficácia. Aplicar-se-á com as mães a Escala Comportamental Infantil A2 de Rutter. Os dados serão cotados e quantificados procedendo-se à comparação dos grupos através da análise de variância - Anova e Manova. Os dados de observação da entrevista serão categorizados e submetidos a acordo, visando à sistematização da observação e a proposição de um roteiro de avaliação. (AU)

Resumo

O profissional de saúde mental tem se deparado com grande número de encaminhamentos de crianças com queixa de baixo rendimento escolar, sem, contudo, conhecer as características desta clientela. Tendo em vista a questão acima, objetiva-se no presente projeto caracterizar, através de técnicas de avalição psicológica, aspectos cognitivos, psiconeurológicos, psicolinguisticos e comportamentais, em 75 crianças, com idade entre 9 e 12 anos, de ambos os sexos. Estas crianças serão divididas em três grupos de 25; os dois primeiros grupos são crianças ao Serviço de Psicopedagogia do HCRP-USP, com queixa de baixo rendimento escolar, diferenciadas quanto à presença ou ausência de sinais de déficit cognitivo; e o terceiro grupo, crianças com rendimento escolar satisfatório. Os grupos serão pareados quanto ao sexo e a composição dos mesmos será balanceada segundo a escolaridade dos pais. Serão comparados os desempenhos das crianças com e sem suspeita de déficit cognitivo; e os desempenhos das crianças sem suspeita de déficit cognitivo, com aquelas de rendimento escolar satisfatório. (AU)

Resumo

A depressão materna configura-se como uma condição de risco ao desenvolvimento infantil, mostrando-se associada para as crianças em idade escolar à presença de dificuldades cognitivas, comportamentais e emocionais. Objetiva-se caracterizar os indicadores cognitivos, comportamentais e de depressão infantil apresentados por crianças em idade escolar que convivem com mães com depressão, identificadas em uma Unidade Básica de Saúde, em comparação ao perfil de crianças que convivem com mães sem transtornos psiquiátricos. O projeto de doutorado apresentado propõe-se à análise de dados já coletados por ocasião do Mestrado da candidata, no qual foram identificadas na atenção primária mulheres/mães com depressão e crianças com dificuldades comportamentais. As crianças foram identificadas através de suas mães, usuárias de uma Unidade Básica de Saúde de Uberaba-MG, previamente identificadas quanto à presença de doenças psiquiátricas, em especial de depressão, por meio do PHQ-9 Patient Health Questionnaire e com confirmação diagnóstica ou exclusão de história psiquiátrica pela Entrevista Clínica Estruturada (SCID) - Versão clínica. Foram avaliadas 106 díades mães e crianças, sendo 53 filhos de mães com indicadores de depressão (G1) e 53 filhos de mães sem história psiquiátrica (G2); todas as crianças eram filhos biológicos, na faixa etária de seis a 12 anos, sendo 30 meninos e 23 meninas, sem deficiências sensoriais e físicas aparentes. Manteve-se a homogeneidade dos grupos quanto ao sexo, e buscou-se o emparelhamento quanto a idade das crianças, a escolaridade das mães e o nível sócio econômico das famílias. Procedeu-se a avaliação do comportamento das crianças por meio do SDQ - Questionário de Capacidades e Dificuldades, respondido pelas mães e com as crianças procedeu-se a avaliação por meio do Teste das Matrizes Progressivas Coloridas de Raven- Escala Especial para a avaliação dos aspectos cognitivos e do CDI- Inventário de Depressão Infantil, para verificar indicadores de depressão infantil. A coleta de dados foi realizada em sessões individuais, face a face, e já está concluída. Os resultados obtidos com as mães e crianças relativos às avaliações realizadas serão codificados de acordo com as proposições de cada técnica e comparados aos dados normativos. Com base em estatística descritiva quantificar-se-á o perfil dos grupos. Proceder-se-á a comparação dos grupos diferenciados pela presença da depressão por meio de procedimentos estatísticos (P=0,05). Considera-se que o estudo proposto poderá contribuir para a compreensão das condições de saúde mental de crianças e mães identificadas na atenção primária, o que pode favorecer práticas de saúde mental. (AU)

Resumo

Uma parcela de crianças com baixa estatura idiopática (BEI) apresentam perfil hormonal sugestivo de insensibilidade parcial ao GH. Algumas poucas crianças apresentam mutações em heterozigose no GHR. Ainda não foi comprovado o efeito destas mutações como causa da baixa estatura e nem defeitos pós-receptor foram avaliados nas crianças com GHR normal. Propomos comparar dois métodos de avaliação da sensibilidade ao GH in vitro quanto à capacidade de identificar insensibilidade parcial ao GH estudando crianças com síndrome de Laron, com BEI, com síndrome de Noonan e controles normais. Também avaliaresmo in vitro a resposta destes pacientes a uma nova medicação que combina IGF-I e IGFBP-3 (SomatoKine) em comparação com a resposta obtida com o GH e IGF-I. (AU)

Estado, ONGs, igrejas e o fenômeno da criança-feiticeira em Angola

Processo:07/58539-1
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Pesquisa
Vigência: 11 de janeiro de 2008 - 10 de junho de 2008
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Antropologia
Pesquisador responsável:Luena Nascimento Nunes Pereira
Beneficiário:
Anfitrião: Patrick Chabal
Instituição-sede: Pessoa Física
Local de pesquisa: University of London (Inglaterra)
Assunto(s):Religiões primitivasFeitiçariaCriançasAngola
Resumo

Esta pesquisa centra-se no universo das narrativas e práticas concernentes à feitiçaria, tomando como foco as acusações de feitiçaria feitas a crianças e adolescentes em Angola, efetivadas principalmente entre os Bakongo, um dos principais grupos étnicos angolanos. Nossa intenção tem sido investigar alguns fatores que concorrem para a emergência das acusações de feitiçaria a crianças, bem como descrever e analisar como instituições do Estado angolano, organizações não governamentais e diferentes igrejas vêm construindo diversas percepções, discursos e formas de intervenção sobre esta questão. No que concerne às igrejas, é de ressaltar o papel de instituições da igreja católica na resolução dos conflitos familiares que desencadeiam as acusações, bem como a atuação das igrejas pentecostais nos chamados processos de cura espiritual das crianças consideradas feiticeiras. (AU)

Resumo

A interação criança-criança exerce um papel fundamental no desenvolvimento comunicativo e social infantil. Ao interagirem, crianças pequenas que se encontram regularmente desenvolvem recursos comunicativos e conteúdos compartilhados, construindo uma espécie de microcultura. Este Projeto tem por objetivo caracterizar o processo sócio-cultural, a transição do modo de comunicação não-verbal para o verbal e suas transformações recíprocas, em um grupo social estável de crianças de 1 a 3 anos de idade, com base em observações de crianças em momentos de atividade lúdica livre e em situações semi-controladas. (AU)

Resumo

O presente projeto tem como objetivo descrever o desenvolvimento e comportamento de crianças de zero a dois anos em ambiente coletivo. Os sujeitos serão cem crianças na faixa etária especificada e vinte e quatro educadoras responsáveis por essas crianças. A coleta de dados será efetuada em duas fases: entrevista semi-estruturada com as educadoras e observação direta do comportamento das crianças e de quem cuida delas através da filmagem. Os dados serão analisados tanto quantitativa quanto qualitativamente. (AU)

Resumo

Neste projeto visando facilitar a alfabetização de crianças com dificuldades de aprendizagem, desenvolveremos uma seqüência de jogos, norteada por um processo didático específico. Procuraremos respeitar as particularidades individuais de cada criança e adaptaremos periféricos para possibilitar o acesso ao computador das crianças com dificuldades motoras. Analisaremos a adequação do software educacional desenvolvido com a proposta pedagógica e a sua real eficiência com crianças das 4ª séries de escolas estaduais de Mogi das Cruzes que ainda não adquiriram a competência da escrita pelo oferecimento de sessão de atendimento. (AU)

Resumo

Frente ao interesse em se estudar a Asma Infantil através da investigação de fatores psicológicos que possam influenciar na ocorrência, no curso e na evolução da doença, foi realizado um levantamento bibliográfico sobre o assunto e constatou-se a multiplicidade de fatores investigados por diferentes autores. O presente trabalho objetiva investigar aspectos da personalidade da criança asmática e da mãe, da dinâmica familiar na qual estão inseridas e da qualidade de relacionamento do casal, pais da criança. A investigação será realizada em crianças do sexo masculino, entre 5 a 10 anos de idade, assistidas pelo Ambulatório de Imunologia Pediátrica do H.C. da FMRP-USP, e em suas respectivas mães. Serão aplicadas na criança as técnicas do Desenho da Figura Humana e o Teste de Apercepção Temática (C.A.T.-A.) e na mães o Teste de Apercepção Temática (T.A.T) e Entrevista. Os dados obtidos serão avaliados e, posteriormente, comparados àqueles apresentados pela literatura. (AU)

Resumo

Pretende-se avaliar a soroconversão e a manutenção dos níveis séricos de anticorpos após a imunização contra tétano, difteria, sarampo e H. Influenzae tipo b em crianças filhas de mães soropositivas para o HIV. Crianças infectadas pelo HIV, crianças soro-revertidas para HIV e crianças sadias nascidas de mães soronegativas para HIV serão acompanhadas do ponto de vista clínico e laboratorial até 20 meses de idade. (AU)

Resumo

Este projeto pretende investigar o modo como foi construída a imagem da criança em dois filmes italianos do pós-guerra, Vítimas da Tormenta, de 1946, do Diretor Vittorio de Sica, e Alemanha Ano Zero, de 1948, de Roberto Rossellini. A pesquisa busca articular três dimensões. A primeira refere-se propriamente ao uso da criança como personagem, focalizando particularmente suas atitudes e comportamentos no interior da trama a segunda tem a ver com o pano de fundo sociológico desses filmes, que coloca a criança como protagonista em situações marcadas pela tentativa de reconstrução dos anos do pós-guerra na Alemanha e na Itália. A terceira está relacionada aos cuidados metodológicos na seleção, recorte e análise dos filmes, passo importante para o pesquisador de iniciação científica da área de sociologia que começa a tomar a imagem (ou as imagens) - sejam as que estão em nosso cotidiano, sejam as do cinema em particular - como um "objeto" de estudo pleno. (AU)

Resumo

Faz-se necessário, hoje, que o estudo e a terapia de linguagem com crianças autistas considerem o seu desenvolvimento associado ao desenvolvimento cognitivo, emocional e social e enfoquem os aspectos funcionais da comunicação e os meios comunicativos envolvidos. Este estudo propõe a identificação de padrões consistentes em dois grupos de crianças com alterações psiquiátricas - um grupo de crianças com síndrome autistica e outro de crianças não autistas. Os dados poderão vir a ser correlacionados com os diagnósticos psiquiátricos específicos, ampliando a riqueza dos dados. O modelo de investigação será adaptado daquele proposto por Wetherby e Prutting (1984) para o mesmo tipo de investigação. (AU)

Resumo

As alterações de linguagem estão presentes em praticamente todas as descrições de autismo infantil. As perspectivas funcionais de comunicação permitem a abordagem do foco central dessas alterações, ou seja, o uso de linguagem com funções comunicativas. Esses dados são fundamentais para a prática clínica em terapia de linguagem com crianças autistas. A determinação de procedimentos de investigação da comunicação dessas crianças representa uma lacuna nos estudos na área. A proposta deste estudo envolve a utilização de procedimentos específicos para eliciar o uso de diferentes funções comunicativas por crianças autistas no contexto de sessões regulares de terapia de linguagem, a fim de verificar a possibilidade de uso desses procedimentos na investigação das habilidades comunicativas dessas crianças. (AU)

Resumo

A interferência da memória de trabalho no processamento de leitura em crianças normais falantes do português do Brasil, ainda se constitui uma lacuna. O processamento da leitura de palavras desenvolve-se com a idade, com a organização e a estrutura interna da memória de trabalho, bem como do privilégio de vias ou inputs necessários para a leitura. Baseando-se no modelo de memória de Baddley, esta pesquisa pretende estabelecer perfis de desenvolvimento normal e de funcionamento em crianças autistas hiperléxicas. Para tanto conta-se com um grupo de crianças normais e outro de crianças autistas, além de uma série específica de provas, cujos dados serão analisados quantitativa e qualitativamente. (AU)

Resumo

A pesquisa proposta tem como objetivo discutir a representação da exploração sexual comercial de crianças e adolescentes, ou seja, as formas de violência sexual que envolvem a mediação de dinheiro ou outros bens. Em outras palavras, busca-se responder à seguinte pergunta: o que o cinema pode nos dizer a respeito da percepção social da exploração sexual comercial de crianças e adolescentes? Para tal, terei como objeto 8 filmes, nacionais e internacional, que entraram em cartaz nos cinemas paulistanos entre 2002 e 2008. A proposta é sistematizar elementos que aproximam e distinguem esses 8 filmes, Dessa forma, a análise não terá como foco escolhas estéticas e narrativas particulares e isoladas, mas sim procurar regularidades nas narrativas de modo a inferir questões gerais acerca da representação sexual comercial de crianças e adolescentes. (AU)

Resumo

Esse trabalho parte da constatação de dificuldades de comunicação entre os profissionais de saúde, o paciente pediátrico e seu acompanhante. Estudos têm demonstrado uma associação entre a ansiedade da criança hospitalizada e a distância na relação entre o médico e o paciente, fruto da não comunicação entre as partes. Isto impede uma percepção global da realidade vivida pela criança e, consequentemente, o não estabelecimento de um tratamento adequado e manutenção da qualidade de vida. Considerando que uma comunicação efetiva implica, o reconhecimento mútuo, buscaremos o ponto de vista dos pacientes e acompanhantes e dos profissionais sobre o seu próprio lugar e o lugar do outro, na situação particular de hospitalização da criança, para entender como se dá a comunicação entre um e outro e, a partir daí, como estabelecem as relações entre si. Para tanto, a metodologia a ser utilizada é a qualitativa e o método, o estudo de caso, através das técnicas de observação e de entrevista. (AU)

Resumo

Esse trabalho parte da constatação de dificuldades de comunicação entre os profissionais de saúde, o paciente pediátrico e seu acompanhante. Estudos têm demonstrado uma associação entre a ansiedade da criança hospitalizada e a distância na relação entre o médico e o paciente, fruto da não comunicação entre as partes. Isto impede uma percepção global da realidade vivida pela criança e, consequentemente, o não estabelecimento de um tratamento adequado e manutenção da qualidade de vida. Considerando que uma comunicação efetiva implica o reconhecimento mútuo, buscaremos o ponto de vista dos pacientes e acompanhantes e dos profissionais sobre o seu próprio lugar e o lugar do outro, na situação particular de hospitalização da criança, para entender como se dá a comunicação entre um e outro e, a partir daí, como estabelecem as relações entre si. Para tanto, a metodologia a ser utilizada é a qualitativa e o método, o estudo de caso, através das técnicas de observação e de entrevista. (AU)

Resumo

Visando uma contribuição que pudesse subsidiar o atendimento de crianças portadoras de deficiência auditiva, busca-se como objetivo a construção e formação da auto imagem, através da investigação da criança portadora e suas relações com outras pessoas Será utilizado para tal objetivo o método clínico, que envolverá a observação da criança em duas instituições para deficientes auditivos, a interação entre o pesquisador e grupos de portadores, a análise de desenhos e entrevistas com pais e professores. (AU)

Resumo

O projeto de pesquisa consiste em parceria entre a Faculdade de Educação, a Febem e o Arquivo do Estado para tratamento e estudos de um acervo de aproximadamente 300.000 prontuários referentes às crianças órfãs e abandonadas no Estado de São Paulo desde 1927 até 1990, utilizando-se de metodologia construída para o Sistema de Arquivos do Estado de São Paulo. Além dos estudos próprios referentes às crianças órfãs e abandonadas e às práticas de abrigamento do Estado, o projeto inclui a higienização e acondicionamento adequado do acervo para guarda por parte do Arquivo do Estado e treinamento de equipe da Febem para a construção de um sistema de gestão de documentos. (AU)

Resumo

O projeto de pesquisa consiste em parceria entre a Faculdade de Educação, a Febem e o Arquivo do Estado para tratamento e estudos de um acervo de aproximadamente 300.000 prontuários referentes às crianças órfãs e abandonadas no estado de São Paulo desde 1927 até 1990, utilizando-se de metodologia construída para o Sistema de Arquivos do Estado de São Paulo. Além dos estudos próprios referentes às crianças órfãs e abandonadas e às práticas de abrigamento do Estado, o projeto inclui a higienização e acondicionamento adequado do acervo para guarda por parte do Arquivo do Estado e treinamento de equipe da Febem para a construção de um sistema de gestão de documentos. (AU)

Resumo

O abrigo é uma medida provisória e excepcional que tem como objetivo acolher crianças abandonadas para que estas possam construir sua subjetividade e elaborar um projeto de vida próprio. É neste ambiente que as crianças constituem sua identidade. Utilizando como instrumento a observação participante, serão analisadas as relações interpessoais que se estabelecem no abrigo. Acreditamos que posteriormente será possível identificar demandas para sugerir melhoras na instituição. (AU)

Resumo

Os estudos dos distúrbios de sono em crianças são escassos no meio cientifico. Tendem a variar nas diversas regiões, sendo também escassos em nosso país. Sabemos que o modo como as crianças dormem pode afetar em seu comportamento e desempenho escolar durante o dia. Assim sendo, o presente trabalho pretende, tendo como base um estudo preliminar por nós desenvolvido e apresentado no último congresso da APSS em New Orleans (USA) em junho/98, obter a prevalência dos distúrbios de sono em crianças de 7 a 10 anos que estejam freqüentando a escola, através da distribuição de questionários para serem respondidos em casa pelos pais ou responsáveis do aluno. Esses questionários são uma adaptação de nosso último, feito a partir de diversos outros pré-existentes, visando obter um questionário adequado à nossa língua, cultura e nível sócio-conômico dos entrevistados. (AU)

Resumo

A maioria das pessoas sofre, ao longo da vida algum tipo de medo ou algum problema de ansiedade, porém o mais prevalente dos medos é o de dentista. Muitas pessoas acreditam que o seu medo de dentista iniciou na infância, portanto, experiências no tratamento odontológico em crianças devem ocorrer com o mínimo de traumas físicos e psicológicos, mas, problemas de habilidade com o paciente encabeçam a lista das dificuldades encontradas na prática da odontologia clínica. O objetivo do presente trabalho é estudar quais os medos mais comuns apresentados por crianças de 7 a 10 anos e se existe uma associação entre outros medos e o do dentista, afim de sugerir aos profissionais de odontologia medidas que possam prevenir o desenvolvimento do medo odontológico. (AU)

Resumo

O presente projeto de pesquisa tem por objetivo avaliar aspectos do desenvolvimento psicológico, durante os três primeiros anos de vida de crianças nascidas pré-termo e com baixo peso. A amostra será constituída por crianças nascidas com menos de 30 semanas e com peso abaixo de 1500g que fazem parte do "Programa de Seguimento Longitudinal do Desenvolvimento Psicológico de RN Pré-termo e de Baixo Peso nascidos no HCFMRP". Serão realizadas entrevistas com as mães e avaliações da criança ao longo dos três primeiros anos de vida. As entrevistas serão mensais durante o primeiro ano de vida, bimestrais durante o segundo ano de vida e semestrais ao longo do terceiro ano de vida da criança. O conteúdo das entrevistas será analisado e os dados serão quantificados em termos de proporção e incidência. As crianças serão avaliadas através de escalas de desenvolvimento. (AU)

Resumo

O objetivo deste projeto de pesquisa é examinar o desenvolvimento do acoplamento entre informação visual e controle postural em crianças, usando o paradigma experimental da sala móvel. Duas questões centrais são examinadas: a) qual a natureza do desenvolvimento da relação entre informação visual e controle postural em infantes adquirindo a posição sentada e b) pode este relacionamento ser modificado por um "programa de treinamento?". Estas duas questões serão verificadas em crianças normais e em crianças portadoras de síndrome. A hipótese central é que o uso da informação visual no controle postural pode ser influenciado por este programa de treinamento o qual fortalece o acoplamento entre percepção - ação em ambos: crianças normais e portadoras de síndrome de Down. (AU)

Resumo

A família é uma instituição que sempre existiu, mas se constitui de diferentes formas de acordo com o momento histórico e social. Cada vez mais nos deparamos, na atualidade, com famílias monoparentais, assim como crianças que estão sob a guarda de outros responsáveis que não os pais biológicos. Este fato despertou em nós o interesse sobre qual seria o imaginário de crianças que vivem nessas novas constituições familiares. Para atingir o objetivo do, estudo será solicitado ás crianças que possuam famílias com esses novos arranjos a realização de desenhos de família, visando dessa forma que elas apresentem no papel o imaginário que possuem sobre o tema. O método de trabalho utilizado serão psicanalítico fazendo assim uma investigação qualitativa. (AU)

Resumo

Denominamos desordem do processamento auditivo central (DPAC) uma deficiência nos mecanismos e processos do sistema auditivo responsáveis pela localização é lateralização, discriminação, reconhecimento do padrão auditivo, performance auditiva com sinais acústicos competitivos, performance auditiva com sinais acústicos distorcidos e pelos aspectos temporais da audição. Tendo em vista a similaridade de comportamentos observados entre as crianças com DPAC com àquelas com fissura lábiopalatina, este estudo visa coletar informações de pais ou responsáveis de crianças diagnosticadas com fissura lábiopalatina, a respeito de manifestações que sugiram uma DPAC, tendo em vista que dados provindos dos pais ajudam a identificar crianças com esta desordem. Pais de crianças fissuradas, regularmente matriculadas no HRAC-USP/Bauru, de ambos os sexos e de idade variando de 7 a 12 anos, serão submetidos a um questionário pertinente aos problemas do processamento auditivo central percebidos em seus respectivos filhos. (AU)

Resumo

Implantar a "Linha de cuidado à criança com alteração do Exame do Olhinho", ligada a Coordenadoria da Triagem Neonatal da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo. OBJETIVOS SECUNDÁRIOS: apontar dificuldades encontradas na implantação da Linha de cuidados, criar e testar dispositivo semi-automatizado para avaliação do "Exame do Olhinho"; fornecer dados objetivos a respeito do número de crianças com "Exame do Olhinho" alterado entre crianças nascidas no Estado de São Paulo; quantificar as doenças responsáveis pelas alterações do exame; fortalecer a hierarquização do SUS. (AU)

Resumo

Segundo a perspectiva sociohistórica do desenviolvimento humano, elaborada a partir de trabalhos de Vygotsky e Wallon, na evolução das sociedades os homens foram elaborando objetos, convenções e signos como forma de registrar e transmitir determinadas informações no processo de trabalho. No confronto das ações assumidas pelos indivíduos participantes de situações sociais concretas, no embate das significações que nelas eles constroem, cada um deles modifica-se e constrói formas mais elaboradas de perceber, memorizar, solucionar problemas. Isto se daria conforme a criança se apropria da fala, de determinadas formas de realização de atividades e de certos conhecimentos... (AU)

Resumo

Embora exista um corpo de conhecimento das relações possivelmente causais entre distúrbios em nível familiar e a desnutrição infantil, não há evidências epidemiológicas de que são maiores as proporções de distúrbios familiares entre crianças com baixa estatura quando comparadas com crianças eutróficas: O estudo será realizado com crianças escolares, na faixa etária de 6 a 9 anos, da rede pública de ensino de São Paulo. Será utilizada metodologia de caso-controle para quantificar riscos de baixa estatura, quando comparadas com crianças eutróficas. Os resultados serão analisados utilizando-se de modelos de regressão logística, para estimativas de razões de chance (odds ratio) entre grupos com e sem baixa estatura. (AU)

Página 4 de 5.658 resultado(s)
|
Exportar 0 registro(s) selecionado(s) | Limpar seleção