site da FAPESP
 

Refine sua pesquisa

Pesquisa
  • Uma ou mais palavras adicionais
Auxílios à Pesquisa
Área do conhecimento
Página 4 de 4.242 resultado(s)
|

O trabalho educativo realizado pelas professoras com as crianças pequenininhas no contexto da creche

Beneficiário:Maria Jose Figueiredo Avila
Instituição: Faculdade de Educação (FE). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Ana Lucia Goulart de Faria
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Educação
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Processo:00/05728-2
Vigência: 01 de julho de 2000 - 28 de fevereiro de 2002
Resumo
Este projeto de pesquisa tem por finalidade investigar as práticas educativas das profissionais-professoras junto às crianças bem pequenas no contexto da creche para discutir os processos de formação pelos quais está passando esta nova profissão. A atuação da professora junto às crianças "pequenininhas" (0 a 3 anos) se constitui em uma profissão nova e diferenciada das demais formas de atuação de outras profissionais da educação. Esta pesquisa é um Estudo de Caso, e pretende responder a estas indagações: quem são estas profissionais-professoras que estão trabalhando nesta ' creche pesquisada (CEMEI-Centro Municipal de Educação Infantil), qual sua formação inicial, em quais conhecimentos se apóiam para realizarem seu trabalho educativo e pedagógico, como acontece sua formação continuada, que relações estabelecem com as famílias das crianças, e também com as suas parceiras de trabalho, no caso, as profissionais monitoras de educação infantil; enfim, seriam suas funções docentes ou maternas? Pretendo observar, registrar e discutir a prática cotidiana de cuidado e educação das crianças, inserindo-a na discussão dos papéis profissionais que estão sendo gestados nas relações entre os adultos e entre estes e as crianças. (AU)

Situações reveladas no brinquedo terapêutico por crianças portadoras de doença crônica

Beneficiário:Ana Paula Keller de Matos
Instituição: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Monika Wernet
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Enfermagem - Enfermagem Pediátrica
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:10/19723-4
Vigência: 01 de março de 2011 - 29 de fevereiro de 2012
Assunto(s):Doença crônicaEnfermagemCrianças
Resumo
A criança que convive com a doença crônica tende a ter sua vida marcada por rotinas cuidativas regradas por horários, contato com diversos profissionais, vivência de manipulações e privações que de alguma forma impactam sua infância. Conhecer o que marca o cotidiano destas crianças é foco do presente estudo, cujo objetivo é o de identificar e caracterizar as revelações manifestas por crianças portadoras de doenças crônicas sem comprometimento cognitivo em sessões de brinquedo terapêutico. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, norteada pelos referencias teórico do Interacionismo Simbólico e pelo referencial metodológico da análise de conteúdo temática de Bardin. A coleta dos dados será desenvolvida com crianças pré-escolares que convivem com a doença crônica, por meio do brinquedo terapêutico e da observação não participante (AU)

Influência social sobre a resolução de problemas na primeira infância: a criança mais velha como modelo

Beneficiário:Jéssica de Carvalho Rodrigues da Silva
Instituição: Instituto de Psicologia (IP). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Briseida Dôgo de Resende
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia - Psicologia do Desenvolvimento Humano
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Processo:10/18836-0
Vigência: 01 de dezembro de 2010 - 30 de novembro de 2011
Assunto(s):Aprendizagem socialImitaçãoResolução de problemas
Resumo
Considerando o desenvolvimento infantil, há uma ausência de pesquisas referentes à influência efeito maior de "scaffolding" (ou "apoio social") poderia ocorrer se houvesse um modelo social na aprendizagem do uso de ferramentas por crianças. O presente trabalho tem como proposta contribuir para o preenchimento desta lacuna, focando nos aspectos sociais que promovem a aquisição do uso de um objeto para golpear outro a fim de obter uma recompensa. s pesquisas mostraram que crianças entre 18 e 24 meses podem imitar, ainda que de maneira incompleta, um adulto demonstrando uma tarefa envolvendo dois diferentes tipos de objetos para golpear um alvo: um com tamanho e peso adequados para que o objeto se rompa, e outro muito leve. Essa tarefa foi demonstrada em turmas de crianças que passam os dias em creches e não foram todas as crianças que imitaram. Partindo da hipótese de que um pertencente a um universo mias próximo ao dos sujeitos, pretendemos agora realizar protocolo semelhante, porém a demonstração seria feita por uma criança um pouco mais velha (3 ou 4 anos). (AU)

Remediação fonológica, de leitura e escrita em crianças com dislexia do desenvolvimento

Beneficiário:Cíntia Alves Salgado Azoni
Instituição: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Sylvia Maria Ciasca
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fonoaudiologia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Processo:07/55716-0
Vigência: 01 de outubro de 2007 - 28 de fevereiro de 2010
Assunto(s):CriançasDislexiaEscritaFonoaudiologiaLeitura
Resumo
Este projeto de pesquisa tem por objetivo geral verificar a eficácia terapêutica de um programa de remediação fonológica, leitura e escrita elaborado para ser aplicado em crianças de 8 a 14 anos de idade que freqüentam o Ensino Fundamental com quadro de dislexia do desenvolvimento. O projeto também visa descrever programa de remediação fonológica, de leitura e escrita inédito para crianças com diagnóstico de dislexia do desenvolvimento; comparar os achados dos procedimentos de avaliação utilizados na pré e pós-testagem em crianças com dislexia do desenvolvimento. Os resultados deste estudo serão analisados estatisticamente visando comparar o desempenho obtido por crianças diagnosticadas como tendo dislexia do desenvolvimento submetidos ao programa de remediação. (AU)

Saturação periférica de oxigênio (SpO2) em crianças portadoras de cardiopatia congênita cianogenica com hipofluxo pulmonar durante procedimento odontológico

Beneficiário:Edmar Atik
Instituição: Instituto do Coração Professor Euryclides de Jesus Zerbini (INCOR). Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Edmar Atik
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:07/56073-5
Vigência: 01 de dezembro de 2007 - 31 de maio de 2010
Assunto(s):Tratamento odontológicoAnsiedadeCardiopatias congênitasCianose
Resumo
Será mensurada a saturação periférica de oxigênio (SpO2) em crianças portadoras de cardiopatia congênita cianogênica com hipofluxo pulmonar, submetidas ao estresse do tratamento odontológico realizado em consultório. Crianças portadoras dessa cardiopatia podem sofrer hipóxia ao serem submetidas ao estresse. Para tanto, serão formados dois grupos com 26 pacientes cada, sendo um formado por crianças cardiopatas e outro por crianças saudáveis (grupo controle). O procedimento odontológico padronizado será exodontia de um dente superior, utilizando-se como anestésico local, lidocaína 2% sem vasoconstritor, com monitorização da SpO2 por meio de oxímetro de pulso. Na literatura, não encontramos trabalhos que avaliem a SpO2 em crianças cardiopatas durante procedimento odontológico. (AU)

Aplicação de questionário e triagem imitanciométrica para identificação de crianças de risco para perdas auditivas

Beneficiário:Michèle Nahas Portela
Instituição: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Alessandra Giannella Samelli
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fonoaudiologia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:08/08527-0
Vigência: 01 de dezembro de 2008 - 30 de novembro de 2009
Assunto(s):Perda auditiva
Resumo
A importância da identificação e diagnóstico das alterações auditivas, o mais precocemente possível, é fundamental para o adequado desenvolvimento do ser humano. Objetivo: aplicar um protocolo para identificar crianças com possíveis perdas auditivas em creches e escolas da região abrangida pelo estudo. Método: este estudo será desenvolvido com 50 crianças pertencentes à comunidade São Remo, região atendida pelo Centro de Saúde Escola (CSE) Butantã. As crianças serão avaliadas na Creche Girassol, na Escola de Educação Infantil Circo-Escola e na Escola "Quartel". Serão aplicados questionários com os pais ou responsáveis das crianças, bem como será realizada triagem imitanciométrica e, de acordo com os resultados obtidos, as crianças serão encaminhadas para avaliação audiológica completa no CSE. (AU)

Efeito do pareamento do sabor e da música sobre a auto-atribuicao do estado de ânimo por crianças

Beneficiário:Viviane Freire Bueno
Instituição: Instituto de Psicologia (IP). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Nielsy Helena Puglia Bergamasco
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia - Psicologia Experimental
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Processo:04/11911-5
Vigência: 01 de março de 2005 - 31 de maio de 2006
Assunto(s):Crianças
Resumo
A proposta do presente estudo é a de verificar como crianças de faixas etárias diferentes avaliam seu estado de ânimo diante de duas situações que envolvem estímulos sensoriais. Participarão 83 crianças de 5 a 10 anos de idade de duas creches em parceria com a prefeitura da cidade de São Paulo. Na situação 1, as crianças expressarão a sensação de agradabilidade experenciada, por meio de faces esquemáticas representantes das emoções de alegria e tristeza, ao experimentar uma solução doce de sacarose e uma solução amarga de cafeína. Na situação 2, as mesmas crianças experimentarão a solução doce e a solução amarga ao mesmo tempo que ouvirão músicas populares alegres e tristes. A resposta hedônica a esta segunda situação também será expressada com, o auxílio das faces esquemáticas representantes. Esse trabalho propõe, ainda, estudar como pode ocorrer a intermodalidade dos estímulos gustativos, auditivos e visuais, e o processo da atenção dividida entre essas modalidades sensoriais com os participantes da faixa etária mencionada. (AU)

Qualidade de vida em crianças e adolescentes com HIV/Aids

Beneficiário:Luciana Scarlazzari Costa
Instituição: Faculdade de Saúde Pública (FSP). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Maria do Rosario Dias de Oliveira Latorre
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Saúde Coletiva - Epidemiologia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Processo:04/00886-0
Vigência: 01 de setembro de 2004 - 28 de fevereiro de 2007
Resumo
OBJETIVO: Traduzir e validar dois questionários e analisar a qualidade de vida relacionada à saúde em crianças e adolescentes vivendo com HIV/AIDS, em serviço especializado de atendimento à criança, no município de São Paulo. MATERIAL E MÉTODOS: O estudo será desenvolvido em duas etapas. A primeira, é a tradução e validação do questionário e será realizada no Instituto de Infectologia do Hospital Emílio Ribas. A casuística para essa etapa consistirá de 75 crianças e adolescentes que passarão por consulta médica de rotina no hospital Emílio Ribas. A segunda será a análise da qualidade de vida das crianças e adolescentes com HIV/AIDS atendidas no Instituto da Criança do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (ICr). As variáveis dependentes do estudo serão os escores de qualidade de vida para cada domínio e as independentes serão as sócio-demográficas, antropométricas, clínicas e características familiares. (AU)

Áreas espaciais e níveis de interação entre crianças pequenas em creches

Beneficiário:Renata Meneghini
Instituição: Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Mara Ignez Campos de Carvalho
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia - Psicologia do Desenvolvimento Humano
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Processo:97/10714-6
Vigência: 01 de dezembro de 1997 - 29 de fevereiro de 2000
Resumo
Estudos anteriores mostram o papel de suporte do arranjo espacial para a distribuição espacial e formação de agrupamentos infantis. Utilizando a coleta de dados de um destes estudos, realizado com um grupo de crianças de 2 anos de uma creche universitária (Campus da USP-Ribeirão Preto), o objetivo do presente trabalho é analisar a ocupação do espaço por crianças com diferentes níveis de interação com as demais crianças. Os dados foram coletados por 3 câmeras automáticas de vídeo, em três etapas, com estruturação espacial específica (nº crescente de zona circunscrita). A cada minuto será registrado para cada criança se ela está interagindo e com quem. As crianças serão subdivididas em três subgrupos - freqüência alta, média e baixa de interação. Será analisada (1) a ocupação preferencial de áreas específicas por cada subgrupo, em cada etapa e (2) a ocorrência de modificações nos subgrupos entre as etapas. (AU)

A relação entre a percepção de país e professores e a capacidade de resolução de conflitos de país de crianças em idade escolar encaminhadas para tratamento psicológico

Beneficiário:Denise Costa Ribeiro
Instituição: Instituto de Psicologia (IP). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Edwiges Ferreira de Mattos Silvares
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia - Psicologia do Desenvolvimento Humano
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Processo:02/05332-7
Vigência: 01 de novembro de 2002 - 31 de outubro de 2004
Assunto(s):Child behavior checklist
Resumo
Observa-se na literatura estudos empíricos verificando que, muitas vezes, embora os pais e professores percebam as crianças como problemáticas e as encaminhem para tratamento psicológico, elas não apresentam diferenças comportamentais significativas em relação às crianças não encaminhadas. Com isso, o número de crianças que não apresentam problemas comportamentais que são encaminhadas para tratamento é alto. Também verifica-se uma relação entre o perfil comportamental das crianças, seu encaminhamento e a habilidade dos pais em solucionar conflitos com seus filhos. O presente trabalho busca investigar a relação entre o perfil comportamental e a percepção que pais e professores e a habilidade em solução de conflitos de seus pais. A relevância deste estudo deve-se a seu caráter preventivo, buscando diminuir o número de crianças sem problemas comportamentais que buscam tratamento psicológico, e também o desenvolvimento de um instrumento de investigação da habilidade de solução de conflitos adaptado para a população brasileira. (AU)

A inibição da agressividade e sua interface com o desejo parental

Beneficiário:Glausa de Oliveira Munduruca
Instituição: Instituto de Psicologia (IP). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Walkiria Helena Grant
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia - Psicologia do Desenvolvimento Humano
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Processo:98/13010-2
Vigência: 01 de março de 1999 - 28 de fevereiro de 2001
Assunto(s):PsicanáliseAgressividadeInibiçãoRelações familiares
Resumo
O objetivo desta pesquisa é investigar e analisar a dinâmica intra-psíquica e a dinâmica familiar da criança com inibição da agressividade, ou seja, que possui dificuldade em operar a agressividade em relação ao meio externo. Serão verificadas as possíveis formas de expressão da autodestruição correlacionada ao desejo parental, enfatizando-se a importância do equilíbrio das forças pulsionais para o desenvolvimento psíquico. Os sujeitos serão 10 crianças (5 meninas e 5 meninos) e suas famílias, apontadas pelos professores como crianças que sofrem ataques verbais ou físicos de outras crianças e permanecem quietas. Serão entrevistados os pais e as crianças. Em seguida, será aplicado o Rorschach nas crianças para depois realizarmos a Entrevista Familiar Diagnostica. Após a conclusão de cada caso, serão realizadas entrevistas devolutivas como forma de intervenção psicoterápica breve. (AU)

Tempo de processamento para a leitura e para a nomeação em crianças leitoras e não leitoras

Beneficiário:Luciene Stivanin
Instituição: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Claudia Ines Scheuer
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fonoaudiologia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado Direto
Processo:05/60488-0
Vigência: 01 de julho de 2006 - 30 de setembro de 2007
Resumo
A proposta para o doutorado é uma expansão do projeto de Mestrado a fim de complementar os dados coletados e obter mais informações sobre o desenvolvimento típico e não típico da leitura. Por isso, o título passará de "Tempo de latência para a leitura e para a nomeação em crianças de 2a a 4a séries" para o título exposto acima. No projeto de Mestrado, foi analisado o tempo de latência para a leitura e a nomeação em crianças de 2a a 4a séries. Como complemento, propõe-se a análise do tempo de duração da emissão oral. Serão analisados: influência das características do material tempo de duração da emissão oral; correlação entre o tempo de duração da emissão oral e o tempo de latência;- correlação entre o tempo de duração da emissão oral e a eficiência para as provas; correlação entre o tempo de duração da emissão oral da prova de leitura e o da prova de nomeação. No Mestrado, foram incluídas apenas crianças leitoras. No doutorado, a prova de nomeação será aplicada a crianças não leitoras, com dificuldades específicas no desenvolvimento da leitura, sendo excluídas aquelas com dificuldades mais gerais de aprendizagem. As 96 figuras com balanceamento correspondente às palavras escritas serão apresentadas no centro da tela do computador e as crianças serão instruídas a atribuir o nome à figura. Serão analisados os acertos, o tempo de latência e de duração da emissão oral, os tipos de resposta e as correlações entre as diversas variáveis. (AU)

A representação da escrita para os país de crianças com dificuldades escolares

Beneficiário:Juliana do Nascimento Trentini
Instituição: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Ivani Rodrigues Silva
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fonoaudiologia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:09/16751-0
Vigência: 01 de junho de 2010 - 31 de dezembro de 2010
Assunto(s):LetramentoFamília
Resumo
O ambiente familiar é considerado o primeiro espaço social ao qual a criança tem acesso e no qual suas capacidades são primeiramente desenvolvidas. É grande a influência da família para a formulação da criança sobre o que é importante ou relevante para sua vida. Sabe-se ainda da importância da motivação ou valoração dos familiares para o desenvolvimento da atenção e do aprendizado em geral. Partindo desses pressupostos este projeto de pesquisa visa estudar a importância da leitura e da escrita para os pais de crianças com dificuldades de aquisição da língua escrita. O estudo tem como meta a realização de um levantamento do perfil das famílias e uma pesquisa de campo, com pais de crianças com dificuldades de aquisição da língua escrita em atendimento no estágio de leitura e escrita da clínica de fonoaudiologia do CEPRE/FCM/UNICAMP. O objetivo da pesquisa é conhecer a realidade familiar das crianças encaminhadas à Clinica de Fonoaudiologia com diagnóstico de distúrbios de aprendizagem com o intuito de responder a perguntas como: quem são, onde moram, profissão, expectativas em relação à escola e à clínica, relação que têm com a leitura e a escrita. (AU)

Sistematização de um método de estimativa da idade em crianças através da análise radiográfica dos estágios de mineralização dos dentes permanentes, com finalidade odontolegal

Beneficiário:Andréa Cunha dos Santos Gonçalves
Instituição: Faculdade de Odontologia (FO). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Marco Segre
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Odontologia Social e Preventiva
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Processo:97/04105-7
Vigência: 01 de setembro de 1997 - 31 de agosto de 1998
Resumo
A estimativa da idade em crianças constitui um tipo de perícia odontolegal que visa oferecer esclarecimentos técnicos à justiça nos foros cível e criminal. Tal fato se justifica devido ao grande número de menores brasileiros sem identificação, e, conseqüentemente, sem idade definida, idade esta de extrema importância para o indivíduo, tanto na sua vida civil como criminal. A medicina vem apresentando muitos métodos para estimar a idade de crianças, dos quais podemos salientar o baseado na análise de radiografias de mão e punho. Acreditamos, porém, que a Odontologia muito tem a oferecer nesse sentido, apresentando métodos que se propõem a estimar a idade de crianças, com a vantagem de possibilitarem uma maior aproximação da idade real, já que os elementos dentários são menos susceptíveis a alterações nutricionais, hormonais e patológicas que as crianças venham a apresentar. Por conseguinte, propomo-nos a sistematizar um método de estimativa da idade em crianças, baseado no estudo e avaliação dos estágios de desenvolvimento dos elementos dentários da dentição permanente, observados em radiografias panorâmicas e comparados à Tabela de Cronologia da Mineralização Dentária proposta por NICODEMO, MORAES e MÉDICE 59. (AU)

A inserção da criança portadora de paralisa cerebral na creche e/ou pré-escola

Beneficiário:Claudia Helena Diogenes Yazlle
Instituição: Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Maria Clotilde Therezinha Rossetti Ferreira
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia - Psicologia do Desenvolvimento Humano
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Processo:97/13057-6
Vigência: 01 de março de 1998 - 30 de abril de 2000
Assunto(s):Integração socialParalisia cerebralDeficientes
Resumo
Este projeto tem por objetivo investigar o processo inserção de duas crianças portadora s de paralisia cerebral em creche e/ou pré-escola em ribeirão preto, através da "rede de significações na qual se dá o processo de adaptação da criança, da mãe e da educadora na creche". Busca compreender a complexa rede de significações em que se dá este processo, de forma a evidenciar as significações mais presentes para as famílias, os educadores e os profissionais de saúde. Para tanto, serão realizadas entrevistas com os pais, as educadoras e os profissionais de saúde das crianças, e observações da criança em seu grupo pré-escolar. Os registros das observações serão analisados quantitativamente e as entrevistas, através da análise de conteúdo. Busca-se assim, reelaborar uma representação esquemática e uma análise do processo que contribua para a formação de profissionais e para a inserção da criança portadora de paralisia cerebral na pré-escola. (AU)

Estudo do receptor do GH em crianças com baixa estatura por provável insensibilidade primária ao hormônio de crescimento

Beneficiário:Alexander Augusto de Lima Jorge
Instituição: Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Berenice Bilharinho de Mendonça
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Processo:97/12611-0
Vigência: 01 de março de 1998 - 28 de fevereiro de 2002
Resumo
Em várias crianças com baixa estatura severa não se identificam a etiologia do déficit estatural apesar da investigação clínica e laboratorial extensas. Muitas destas crianças apresentam, dosagens de GHBP e IGF-I baixas a despeito de secreção normal de GH e frente ao tratamento com hGH respondem com taxas de crescimento menores que crianças com déficit de GH. Estes fatos sugerem que uma parcela destas crianças possam ter anormalidades no gene do receptor de GH ou nos mecanismos pós receptores, que conferem resistência à ação do GH. Nós propomos estudar do ponto de vista molecular, o receptor de hormônio de crescimento de crianças com baixa estatura idiopática com suspeita de insensibilidade primária ao GH (IGH), além de padronizar o teste de geração de IGF-I e IGFBP-3 na investigação da IGH. (AU)

Estudo morfológico do arco dentário em crianças na faixa etária de 3 a 5 anos

Beneficiário:Patrícia Ciocchi Marques Rodrigues de Almeida
Instituição: Faculdade de Odontologia de Bauru (FOB). Universidade de São Paulo (USP). Bauru, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Renato Rodrigues de Almeida
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Odontopediatria
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Processo:99/02928-1
Vigência: 01 de julho de 1999 - 30 de abril de 2001
Resumo
O estudo dos arcos dentários decíduos tem sido objeto de aumentado interesse, e dessa forma o presente trabalho analisará a freqüência de distribuição dos espaços primatas em crianças portadoras do arco tipo I e II. Uma vez que hoje, a presença dos espaços primatas parece estar vinculada ao alinhamento dos incisivos permanentes, parece lícito acreditar que esses espaços em crianças portadoras do arco tipo II poderiam ser de grande valia no estabelecimento de uma melhor oclusão desses dentes. A amostra constará de 300 crianças brasileiras de 3 a 5 anos de idade com dentição decídua completa e "normal", provenientes da cidade de Bauru. Após a coleta dos dados verificaremos a freqüência de crianças portadoras de arco tipo I e II em ambos os sexos, se a freqüência dos diferentes tipos de arcos variam em função da faixa etária e do sexo, se há variação de prevalência das relações terminais dos segundos molares decíduos em crianças do sexo masculino e feminino. (AU)

Avaliação audiológica e eletrofisiológica em crianças soropositivas para o vírus da imunodeficiência humana

Beneficiário:Carla Gentile Matas
Instituição: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Carla Gentile Matas
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fonoaudiologia
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:99/12568-2
Vigência: 01 de abril de 2000 - 31 de março de 2003
Assunto(s):AudiçãoCriançasOtitePerda auditivaTestes auditivos
Resumo
A Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (AIDS), causada pelo vírus da imunodeficiência humana (HIV) constitui-se na maior e mais grave pandemia deste século. Pode acometer crianças, sendo que a infecção parece ser mais agressiva nesta população. A AIDS na população pediátrica tem sido relatada em todo mundo. Dentre as inúmeras infecções que podem acometer as crianças infectadas pelo HIV temos as otites externa e média, além do comprometimento progressivo do sistema nervoso central, incluindo o sistema auditivo central. Este projeto tem como objetivo a avaliação audiológica e eletrofisiológica de crianças soropositivas para o HIV, visando à detecção precoce de alterações auditivas periféricas e centrais nestas crianças. (AU)

Estudo do metabolismo ósseo em crianças com doença hepática colestática crônica

Beneficiário:Maria Inez Machado Fernandes
Instituição: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Maria Inez Machado Fernandes
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Saúde Materno-infantil
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:03/00502-4
Vigência: 01 de maio de 2003 - 30 de abril de 2005
Assunto(s):Metabolismo ósseoCriançasDensitometria ósseaOsteoporose
Resumo
A doença hepática crônica associa-se a uma redução na densidade mineral óssea e o quadro de osteoporose é encontrado em aproximadamente 1/3 dos pacientes com vários tipos de doença hepática crônica. A osteodistrofia hepática é uma definição genérica de doença do metabolismo ósseo que pode ocorrer em pacientes com doença hepática crônica, sendo uma complicação comum entre indivíduos após longos períodos de doença hepática particularmente naqueles com colestase. A etiologia da osteodistrofia hepática permanece indefinida e provavelmente é multifatorial. O presente estudo tem como objetivo avaliar a densidade mineral óssea, determinar a atividade da remodelação óssea por meio de parâmetros bioquímicos e a prevalência de osteopenia nas crianças do estudo, bem como detectar a presença de deficiência da 25 hidroxi vitamina D nas crianças com hepatopatia colestática crônica acompanhadas no Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto. Serão estudados 13 crianças com doença hepática colestática crônica e 20 crianças como grupo controle. (AU)

Provocação nasal com histamina em crianças e adolescentes com rinite alérgica persistente: contribuição da rinometria acústica

Beneficiário:Dirceu Solé
Instituição: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Dirceu Solé
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Saúde Materno-infantil
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:04/11580-9
Vigência: 01 de junho de 2005 - 30 de novembro de 2007
Assunto(s):CriançasHistaminaRinite alérgicaRinometria acústica
Resumo
A rinometria acústica consiste em uma técnica precisa de avaliação dos volumes da cavidade nasal, porém, seu uso em crianças ainda não bem estudado e padronizado nos testes de provocação nasal (TPN). Este estudo tem por objetivos: avaliar e padronizar o TPN com histamina em crianças e adolescentes com rinite alérgica persistente. Vinte crianças e adolescentes com rinite alérgica persistente e vinte controles serão submetidos a TPN com histamina, monitorados pela rinometria acústica, rinomanometria anterior ativa, escore de sintomas e provas de função pulmonar. Os TPN serão realizados com instilação de soluções com concentração crescente de histamina e o teste será considerado positivo quando houver incremento de 100% no valor da resistência nasal total. Os pacientes com rinite alérgica receberão corticosteróide intranasal (Furoato de Mometasona, 200g/dia) por 14 dias, quando serão submetidos a novo TPN com histamina. Serão obtidos consentimentos escritos de todas crianças e adolescentes, assim como de seus responsáveis legais. (AU)

Análise dos estados de hipercoagubilidade em crianças e adolescentes portadores de trombose de veia porta (TVP)

Beneficiário:Gilda Porta
Instituição: Instituto da Criança Professor Doutor Pedro de Alcantara (ICR). Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Gilda Porta
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:96/01374-4
Vigência: 01 de agosto de 1996 - 31 de dezembro de 1997
Assunto(s):AdolescentesCriançasHipertensão portal
Resumo
A trombose de veia porta é uma condição rara que afeta crianças e adultos. Ocorre em associação a vários fatores predisponentes, levando à hipertensão do sistema porta hepático. São fatores precipitantes de trombose de veia porta cateterismo umbilical no período neonatal, onfalite, sepse, processos infecciosos ou inflamatórios como apendicite e peritonite, desidratação grave, cirurgias, doenças neoplásicas, hematológicas e hepáticas, e estados de hipercoagulabilidade. Há poucos relatos de crianças com trombose portal e estados de hipercoagulabilidade (deficiência de proteína C, S, síndrome anti-fosfolípide e fator V resistente à proteína C ativada - APC). O objetivo principal será pesquisar as alterações hemostáticas em crianças e adolescentes portadoras de trombose de veia porta. (AU)

Desenvolvimento do acoplamento entre informação visual postural em crianças normais e portadoras de Síndrome de Down

Beneficiário:José Angelo Barela
Instituição: Instituto de Biociências (IB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Rio Claro. Rio Claro, SP, Brasil
Pesquisador responsável:José Angelo Barela
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Educação Física
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Apoio a Jovens Pesquisadores
Processo:97/06137-3
Vigência: 01 de abril de 1998 - 31 de março de 2002
Assunto(s):PosturaDesenvolvimento motorSíndrome de DownCrianças
Resumo
O objetivo deste projeto é examinar o desenvolvimento do acoplamento entre informação visual e controle postural em crianças, usando o paradigma experimental da sala móvel. Duas questões centrais são examinadas: a) qual é a natureza do desenvolvimento da relação entre informação visual e controle postural em infantes adquirindo a posição sentada e b) pode este relacionamento ser modificado por um ‘programa de treinamento’? Estas duas questões serão verificadas em crianças normais e em crianças portadoras de Síndrome de Down. A hipótese central é que o uso de informação visual no controle postural pode ser influenciado por este programa de treinamento, o qual fortalece o acoplamento entre percepção-ação em ambos: crianças normais e portadoras de Síndrome de Down. (AU)

Avaliação da leptina e do gasto energético em crianças obesas

Beneficiário:Ary Lopes Cardoso
Instituição: Instituto da Criança Professor Doutor Pedro de Alcantara (ICR). Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Ary Lopes Cardoso
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:00/05746-0
Vigência: 01 de setembro de 2000 - 31 de agosto de 2002
Assunto(s):PediatriaObesidadeMetabolismo energéticoLeptinaÍndice de massa corporal
Resumo
Avaliação da leptina sérica e do gasto energético em crianças pré-púberes, obesas, de ambos os sexos, imediatamente antes e após teste padronizado de exercício com esforço máximo em esteira rolante. Foram selecionadas crianças do ambulatório de nutrição, excluindo-se aquelas com doenças associadas. Parâmetros clínicos como IMC no percentil maior ou igual a 95 por cento e/ou porcentagem de gordura maior ou igual a 30 por cento serão considerados para obesidade. A medida do hormônio produzido pelos adipócitos será realizada no soro, colhido em jejum, e estocado à temperatura de -70ºC, por radioimunoensaio, usando kit solicitado neste projeto. A medida do gasto energético será feita por ergoespirometria, com medida indireta do gasto energético pelo VO2 e VCO2, medidos no aparelho aeroesprote TEEM-100. As variações hormonais ocorridas nesse intervalo serão consideradas estatisticamente, comparando os resultados encontrados nas crianças obesas entre si, e com um grupo controle de crianças não obesas da mesma idade (AU)

A morfologia craniofacial e sua influência no desenvolvimento da otite média serosa em crianças

Beneficiário:Renata Cantisani Di Francesco
Instituição: Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Renata Cantisani Di Francesco
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:03/04866-0
Vigência: 01 de outubro de 2003 - 30 de setembro de 2004
Assunto(s):Otite médiaTuba auditiva
Resumo
A otite média serosa é muito mais freqüente nas crianças e isto se deve a conformação anatômica da tuba auditiva que é mais horizontal na criança que no adulto. É durante o crescimento e desenvolvimento craniofacial que a toda auditiva adquire a sua posição mais vertical. Em outro estudo observamos que pacientes adultos com otite média crônica, apresentam características faciais que mostram desenvolvimento anormal da face: profundidade maxilar, ângulos entre as bases anterior média do crânio, altura facial inferior, e altura total da face. Em pacientes mau-formações faciais são mais propensos a tal patologia. O tratamento e a evolução das otites médias em crianças é muito controverso, sendo que o último pode ser clínico ou cirúrgico, com freqüentes recidivas. O estudo da morfologia craniofacial pode contribuir para esclarecimentos de sua fisiopatologia, permitindo o desenvolvimento de novas formas de tratamento e prevenção. O objetivo deste trabalho é avaliar se há correlação da morfologia craniofacial também em crianças. Serão avaliadas 80 crianças, divididas em dois grupos (AU)

Perfil comportamental e emocional de crianças atendidas em uma clínica-escola de Odontopediatria

Beneficiário:Carmen Lúcia Cardoso
Instituição: Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Carmen Lúcia Cardoso
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia - Tratamento e Prevenção Psicológica
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:03/07025-7
Vigência: 01 de março de 2004 - 28 de fevereiro de 2006
Assunto(s):OdontopediatriaAnsiedade ao tratamento odontológicoAnálise do comportamentoCrianças
Resumo
Objetiva-se caracterizar o perfil emocional e comportamental das crianças, sem necessidades especiais, com idades entre 6 e 12 anos, atendidas na clínica de Odontopediatria da Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto - USP, bem como as manifestações de estresse e medo frente ao tratamento odontológico dos acompanhantes das crianças. E ainda, verificar o valor preditivo dos instrumentos utilizados em relação ao comportamento das crianças na situação de tratamento odontológico, tendo como parâmetro as observações dos comportamentos no atendimento. Analisar-se-á um banco dados referente a população de crianças (n=127) e seus respectivos acompanhantes (n=127) representativa dos atendimentos realizados no período de um ano na clínica de Odontopediatria. (AU)

Baixa estatura e organização familiar de escolares da rede pública de São Paulo: estudo de caso-controle

Beneficiário:Jose Augusto de Aguiar Carrazedo Taddei
Instituição: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Jose Augusto de Aguiar Carrazedo Taddei
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Nutrição - Análise Nutricional de População
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:99/07586-1
Vigência: 01 de novembro de 1999 - 31 de outubro de 2001
Assunto(s):Desnutrição infantilCriançasEstaturaCrescimento e desenvolvimentoAntropometriaSaúde escolarEnsino públicoRelações mãe-criança
Resumo
Embora exista um corpo de conhecimento das relações possivelmente causais entre distúrbios em nível familiar e a desnutrição infantil, não há evidências epidemiológicas de que são maiores as proporções de distúrbios familiares entre crianças com baixa estatura quando comparadas com crianças eutróficas: O estudo será realizado com crianças escolares, na faixa etária de 6 a 9 anos, da rede pública de ensino de São Paulo. Será utilizada metodologia de caso-controle para quantificar riscos de baixa estatura, quando comparadas com crianças eutróficas. Os resultados serão analisados utilizando-se de modelos de regressão logística, para estimativas de razões de chance (odds ratio) entre grupos com e sem baixa estatura. (AU)

Determinação de serotonina presente no soro de crianças normais e autistas

Beneficiário:Maria da Graca Naffah Mazzacoratti
Instituição: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Maria da Graca Naffah Mazzacoratti
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:92/00913-8
Vigência: 01 de agosto de 1992 - 31 de julho de 1993
Assunto(s):NeurologiaSerotoninaCriançasCrianças autistasCromatografia líquida de alta eficiência
Resumo
A atividade serotoninérgica do sistema nervoso central está relacionada a várias funções fisiológicas tais como sono, percepção sensorial, comportamento sexual e tem sido recentemente, associada a vários distúrbios da infância. Desde a década de 60 tem sido mostrado que crianças autistas apresentam no sangue altas concentrações de 5HT. Embora ainda não se saiba os motivos envolvidos nesta hiperserotoninemia, ela tem sido usada como ferramenta no auxílio do diagnóstico diferencial do autismo. Vários tipos de amostras sanguíneas, tais como plasma pobre em plaqueta, plasma rico em plaqueta e sangue total, tem sido empregados para este fim e, todas elas apresentam limitações. O presente projeto tem como objetivo principal o estudo do conteúdo de serotonina sérica em crianças normais e autistas através de cromatografia líquida de alta eficiência. Através deste estudo será possível a comparação da análise da serotonina do soro em crianças autistas com as provenientes de outros tipos de amostras. (AU)

Resposta imune a vacinação contra tétano, sarampo e varicela em crianças nascidas antes de 37 semanas de idade gestacional e peso ao nascer inferior a 1500 gramas

Beneficiário:Amélia Miyashiro Nunes dos Santos
Instituição: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Amélia Miyashiro Nunes dos Santos
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Saúde Materno-infantil
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:06/51865-8
Vigência: 01 de fevereiro de 2007 - 31 de janeiro de 2010
Assunto(s):ImunidadePrematuroSarampoTétanoVacinaçãoVaricela
Resumo
A melhoria da assistência neonatal aumentou a sobrevida de prematuros. Somente no Brasil, mais de 20.000 prematuros com peso ao nascer inferior a 1500g recebem alta da unidade neonatal a cada ano. A resposta imune à vacinação em prematuros pode ser menor que a de crianças nascidas a termo. Esta coorte prospectiva objetiva comparar a resposta imune humoral e celular à vacinação contra tétano, sarampo e varicela em crianças de 12 a 18 meses de idade, divididos em Grupo 1: 100 crianças nascidas antes de 37 semanas e peso ao nascer inferior a 1500g e Grupo 2: 50 crianças nascidas a termo. Para tétano, sarampo e varicela, a resposta imune humoral será medida por ensaio imunoenzimático e a resposta celular será analisada por citometria de fluxo através da produção de interferon-gama intracelular e aumento da expressão de molécula CD25 após estimulação in vitro de células do sangue periférico.Serão analisados a porcentagem de crianças com imunidade específica contra cada uma das três doenças antes e após a vacinação, tipo de imunidade e fatores associados à imunidade. (AU)

Crianças que convivem com a depressão materna: indicadores cognitivos, comportamentais e de depressão infantil

Beneficiário:Ana Vilela Mendes
Instituição: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Sonia Regina Loureiro
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia - Tratamento e Prevenção Psicológica
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Processo:09/05089-4
Vigência: 01 de setembro de 2009 - 31 de agosto de 2012
Assunto(s):Psicologia da criançaPsicopatologiaSaúde mentalDepressão infantilRelações mãe-criança
Resumo
A depressão materna configura-se como uma condição de risco ao desenvolvimento infantil, mostrando-se associada para as crianças em idade escolar à presença de dificuldades cognitivas, comportamentais e emocionais. Objetiva-se caracterizar os indicadores cognitivos, comportamentais e de depressão infantil apresentados por crianças em idade escolar que convivem com mães com depressão, identificadas em uma Unidade Básica de Saúde, em comparação ao perfil de crianças que convivem com mães sem transtornos psiquiátricos. O projeto de doutorado apresentado propõe-se à análise de dados já coletados por ocasião do Mestrado da candidata, no qual foram identificadas na atenção primária mulheres/mães com depressão e crianças com dificuldades comportamentais. As crianças foram identificadas através de suas mães, usuárias de uma Unidade Básica de Saúde de Uberaba-MG, previamente identificadas quanto à presença de doenças psiquiátricas, em especial de depressão, por meio do PHQ-9 Patient Health Questionnaire e com confirmação diagnóstica ou exclusão de história psiquiátrica pela Entrevista Clínica Estruturada (SCID) - Versão clínica. Foram avaliadas 106 díades mães e crianças, sendo 53 filhos de mães com indicadores de depressão (G1) e 53 filhos de mães sem história psiquiátrica (G2); todas as crianças eram filhos biológicos, na faixa etária de seis a 12 anos, sendo 30 meninos e 23 meninas, sem deficiências sensoriais e físicas aparentes. Manteve-se a homogeneidade dos grupos quanto ao sexo, e buscou-se o emparelhamento quanto a idade das crianças, a escolaridade das mães e o nível sócio econômico das famílias. Procedeu-se a avaliação do comportamento das crianças por meio do SDQ - Questionário de Capacidades e Dificuldades, respondido pelas mães e com as crianças procedeu-se a avaliação por meio do Teste das Matrizes Progressivas Coloridas de Raven- Escala Especial para a avaliação dos aspectos cognitivos e do CDI- Inventário de Depressão Infantil, para verificar indicadores de depressão infantil. A coleta de dados foi realizada em sessões individuais, face a face, e já está concluída. Os resultados obtidos com as mães e crianças relativos às avaliações realizadas serão codificados de acordo com as proposições de cada técnica e comparados aos dados normativos. Com base em estatística descritiva quantificar-se-á o perfil dos grupos. Proceder-se-á a comparação dos grupos diferenciados pela presença da depressão por meio de procedimentos estatísticos (P=0,05). Considera-se que o estudo proposto poderá contribuir para a compreensão das condições de saúde mental de crianças e mães identificadas na atenção primária, o que pode favorecer práticas de saúde mental. (AU)

Efeitos de fatores socioeconômicos no desenvolvimento cognitivo e linguístico de crianças

Beneficiário:Thays Nogueira
Instituição: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Débora Maria Befi-Lopes
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fonoaudiologia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Processo:10/19438-8
Vigência: 01 de janeiro de 2011 - 31 de dezembro de 2011
Assunto(s):Desenvolvimento cognitivoFatores socioeconômicosLinguagem infantil
Resumo
Este projeto tem como objetivo explorar os efeitos de fatores socioeconômicos no desenvolvimento cognitivo e linguístico de crianças. Esta linha de pesquisa é importante pois pode auxiliar no desenvolvimento de programas específicos de prevenção e intervenção para crianças consideradas de risco para o fracasso escolar. A literatura sobre plasticidade cerebral na infância indica que a qualidade do ambiente (enriquecido ou desprovido de estimulação desde cedo) exerce grande influência sobre o desenvolvimento cognitivo. A partir desta perspectiva, viver em ambientes cuja condição socioeconômica é desfavorável pode constituir um sério fator de risco para o desenvolvimento cognitivo da criança, já que o grau de estimulação cognitiva e linguística que a criança recebe é comumente influenciado pela baixa renda familiar. Não há um consenso na literatura sobre o grau em que o Nível Socioeconômico (NSE) afeta as áreas da cognição e da linguagem. O presente projeto explorará o efeito do NSE nas habilidades de linguagem e no funcionamento executivo de crianças, visto que tais aspectos têm demonstrado associação com o progresso acadêmico e com o futuro sucesso na vida. Uma bateria de tarefas abrangendo quatro diferentes áreas das funções executivas e dois domínios de linguagem será aplicada em uma população de crianças de 6 a 8 anos. A hipótese principal deste estudo é que as crianças de baixo NSE apresentarão pior desempenho do que as crianças de alto NSE em todos os sistemas neurocognitivos testados, para toda a faixa etária estudada. Plano de trabalho: o bolsista contemplado pela presente solicitação, com carga horária de 20 horas semanais, deverá ser graduado em Fonoaudiologia, com experiência em avaliação de crianças e aplicação de questionários. Os métodos empregados para a realização do trabalho estão descritos a seguir. O bolsista auxiliará na aplicação do questionário socioeconômico com os pais, especialmente com aqueles que apresentarem dificuldades para compreendê-lo ou respondê-lo. Para realizar esta aplicação individualizada do questionário, o bolsista deverá estar pessoalmente nas escolas, no horário de entrada e saída das crianças, a fim de conseguir contato direto com os pais. Adicionalmente, o bolsista poderá contribuir com a coleta de dados, que consiste em uma extensa bateria de avaliação com duração de aproximadamente de duas horas (tempo total) por criança. Visto que estão previstas aproximadamente 100 crianças na amostra deste estudo, o pedido desta bolsa de treinamento técnico justifica-se e deve contribuir de forma importante para a viabilização do projeto. No que se refere aos resultados que esperamos obter ao final do período de vigência da bolsa solicitada, acreditamos que coletaremos um rico e extenso banco de dados que, analisados em conjunto com os resultados dos outros centros participantes, possibilitará um melhor entendimento sobre o impacto de fatores socioeconômicos sobre o desenvolvimento linguístico e cognitivo de crianças; sobre as relações entre linguagem e cognição na infância; e sobre os modelos teóricos subjacentes. Justificativa: o aluno que for contemplado com a bolsa solicitada será treinado e capacitado a avaliar habilidades linguísticas e cognitivas em crianças, o que é fundamental para profissionais que trabalham na área da linguagem infantil (normal ou patológica). Além disso, o aluno desenvolverá conhecimentos fundamentais sobre rigor metodológico e procedimentos científicos, ferramentas essenciais para o desenvolvimento de pesquisas de qualidade. Finalmente, o aluno terá a possibilidade de estabelecer contatos com outros pesquisadores Brasileiros e estrangeiros, ampliando sua visão científica e suas possibilidades de atuação. (AU)

Efeito imediato da órtese Pediasuit no controle postural em crianças com paralisia cerebral

Beneficiário:Rafaela de Santi
Instituição: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Thiago Luiz de Russo
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Processo:13/06435-9
Vigência: 01 de maio de 2013 - 30 de abril de 2014
Assunto(s):PosturaCriançasParalisia cerebral
Resumo
Sabe-se sobre a efetividade de inúmeras intervenções na criança com paralisia cerebral (PC), inclusive na utilização de órteses e dispositivos auxiliares do processo de reabilitação fisioterapeutica e durante a vida diária da criança. O mais recente programa é o método Suit Therapy que se baseia em um intenso e específico programa de exercícios, o qual inclui a utilização de uma órtese corporal que favorece o alinhamento biomecânico por meio de um sistema de cordas elásticas. Embora esse tipo de método esteja sendo utilizado, não há na literatura estudos que evidenciem a efetividade da órtese Pedisuit em crianças em diferentes níveis de GMFCS. Considerando, ainda, que crianças com PC possuem alteração nos mecanismos de controle postural, apresentando dificuldade na realização de atividades funcionais e em diferentes contextos da atividade diária, o objetivo do presente estudo é investigar os efeitos imediatos da utilização do Pediasuit no controle da postura sentada em crianças com PC de níveis de I a IV de GMFCS. Bem como, os efeitos imediatos da utilização do Pediasuit no controle da postura em pé, em crianças com PC de níveis I e II de GMFCS. Além disso, um dos objetivos secundários desse projeto é verificar se órtese Pediasuit influencia na capacidade de adaptação no controle da postura sentada e em pé de crianças com PC em diferentes níveis de GMFCS; utilizando assim as condições olhos abertos e fechados (vendados) nas superfícies instável e estável. Os dados cinéticos serão coletados com uso da plataforma de força. Os dados eletromiográficos serão coletados com uso de eletromiógrafo portátil de 16 canais. Além disso, uma escala para verificar equilíbrio estático, dinâmico e coordenação de tronco será aplicada. Serão realizadas três coletas de 20 segundos com a criança de olhos abertos, com um período de descanso de 120 segundos entre cada uma delas. Em seguida, serão utilizadas as condições olhos fechados, sob a superfície estável e instável, sem e com a utilização da órtese Pediasuit. As variáveis obtidas pela análise cinética serão amplitude, área de oscilação e velocidade do centro de pressão. As variáveis da análise de eletromiografia serão o nível de atividade muscular, simetria de ativação muscular e índice de ativação/coativação. Os resultados descritivos serão obtidos por meio do cálculo de média e desvio padrão, e serão avaliadas por meio de testes adequados com a normalidade de sua distribuição. Será adotado um nível de significância de 5%. Assim, espera-se uma melhora no desempenho da postura sentada e em pé para as condições com a utilização da órtese Pediasuit, independente das condições de demandas sensoriais. (AU)

Metodologia IRDI: uma intervenção com educadores de creche a partir da psicanálise

Beneficiário:Mariana Rodrigues Anconi
Instituição: Instituto de Psicologia (IP). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Maria Cristina Machado Kupfer
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Processo:13/14255-0
Vigência: 01 de agosto de 2013 - 31 de maio de 2014
Assunto(s):Desenvolvimento infantilPsicanálise
Resumo
Sabe-se que os cuidados dirigidos às crianças na primeira infância podem diminuir significativamente a incidência de transtornos mentais tanto na infância como na idade adulta. Considerando que os profissionais de educação infantil estão ao lado dos familiares nos cuidados e na educação das crianças pequenas, assumindo também uma função formativa, entende-se que esses profissionais precisam estar preparados para acompanhar o desenvolvimento psíquico das crianças sob seus cuidados, de modo a contribuir para a promoção, desde a primeira infância, de saúde mental, concebida a partir da teoria psicanalítica. O presente projeto terá como objetivo avaliar o uso da metodologia IRDI como instrumento de promoção de saúde mental de crianças em instituições de educação infantil. A metodologia IRDI é constituída por: 1) formação teórica sobre a constituição psíquica dirigida aos professores de creches; b) acompanhamento em serviço dos professores; c) aplicação de 31 indicadores clínicos de desenvolvimento infantil para a avaliação e o acompanhamento das crianças de zero a dezoito meses que estão sob os cuidados dos professores formados e acompanhados pela metodologia IRDI. O presente estudo será realizado em duas etapas, sendo que apenas a primeira é objeto desta solicitação de auxílio à pesquisa. Na primeira etapa, serão formados e acompanhados, por um ano, 45 professores e respectivas 315 crianças matriculadas em berçários 1 de creches da Secretaria Municipal de Educação de São Paulo, de Diadema, nas creches da Universidade de São Paulo e de Curitiba, constituindo o grupo caso. Um segundo grupo de 45 professores e respectivos 315 alunos constituirão um grupo controle, sem aplicação da metodologia IRDI. No grupo caso será feita a avaliação de retenção imediata e, após um ano, a avaliação de retenção tardia.Nesta etapa, pretende-se avaliar o valor da metodologia IRDI como instrumento de preparação de professores para o acompanhamento do desenvolvimento psíquico de crianças de zero a dezoito meses.Na segunda etapa da pesquisa, as 630 crianças (caso e controle) serão avaliadas aos três anos de idade por psicanalistas quanto à frequência de surgimento de risco psíquico para o desenvolvimento apontado pelo instrumento AP3 - Avaliação Psicanalítica aos três anos. A metodologia IRDI terá seu valor de auxiliar na promoção de saúde mental confirmado caso a frequência de surgimento de risco psíquico verificada por meio da AP3 nas crianças do grupo caso seja significativamente inferior ao das crianças do grupo controle. (AU)

Metodologia IRDI-uma intervenção com educadores de creche a partir da psicanálise

Beneficiário:Erika Luca da Silva
Instituição: Instituto de Psicologia (IP). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Maria Cristina Machado Kupfer
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia - Tratamento e Prevenção Psicológica
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Processo:12/12093-0
Vigência: 01 de julho de 2012 - 30 de junho de 2013
Assunto(s):PsicanáliseDesenvolvimento infantil
Resumo
Sabe-se que os cuidados dirigidos às crianças na primeira infância podem diminuir significativamente a incidência de transtornos mentais tanto na infância como na idade adulta. Considerando que os profissionais de educação infantil estão ao lado dos familiares nos cuidados e na educação das crianças pequenas, assumindo também uma função formativa, entende-se que esses profissionais precisam estar preparados para acompanhar o desenvolvimento psíquico das crianças sob seus cuidados, de modo a contribuir para a promoção, desde a primeira infância, de saúde mental, concebida a partir da teoria psicanalítica. O presente projeto terá como objetivo avaliar o uso da metodologia IRDI como instrumento de promoção de saúde mental de crianças em instituições de educação infantil. A metodologia IRDI é constituída por: 1) formação teórica sobre a constituição psíquica dirigida aos professores de creches; b) acompanhamento em serviço dos professores; c) aplicação de 31 indicadores clínicos de desenvolvimento infantil para a avaliação e o acompanhamento das crianças de zero a dezoito meses que estão sob os cuidados dos professores formados e acompanhados pela metodologia IRDI. O presente estudo será realizado em duas etapas, sendo que apenas a primeira é objeto desta solicitação de auxílio à pesquisa. Na primeira etapa, serão formados e acompanhados, por um ano, 45 professores e respectivas 315 crianças matriculadas em berçários 1 de creches da Secretaria Municipal de Educação de São Paulo, de Diadema, nas creches da Universidade de São Paulo e de Curitiba, constituindo o grupo caso. Um segundo grupo de 45 professores e respectivos 315 alunos constituirão um grupo controle, sem aplicação da metodologia IRDI. No grupo caso será feita a avaliação de retenção imediata e, após um ano, a avaliação de retenção tardia.Nesta etapa, pretende-se avaliar o valor da metodologia IRDI como instrumento de preparação de professores para o acompanhamento do desenvolvimento psíquico de crianças de zero a dezoito meses.Na segunda etapa da pesquisa, as 630 crianças (caso e controle) serão avaliadas aos três anos de idade por psicanalistas quanto à frequência de surgimento de risco psíquico para o desenvolvimento apontado pelo instrumento AP3 - Avaliação Psicanalítica aos três anos. A metodologia IRDI terá seu valor de auxiliar na promoção de saúde mental confirmado caso a frequência de surgimento de risco psíquico verificada por meio da AP3 nas crianças do grupo caso seja significativamente inferior ao das crianças do grupo controle. (AU)

Metodologia IRDI - uma intervenção com educadores de creche a partir da psicanálise

Beneficiário:Polianne Alves Silva
Instituição: Instituto de Psicologia (IP). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Maria Cristina Machado Kupfer
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Processo:12/12094-7
Vigência: 01 de julho de 2012 - 31 de maio de 2014
Assunto(s):Desenvolvimento infantilPsicanálise
Resumo
Sabe-se que os cuidados dirigidos às crianças na primeira infância podem diminuir significativamente a incidência de transtornos mentais tanto na infância como na idade adulta. Considerando que os profissionais de educação infantil estão ao lado dos familiares nos cuidados e na educação das crianças pequenas, assumindo também uma função formativa, entende-se que esses profissionais precisam estar preparados para acompanhar o desenvolvimento psíquico das crianças sob seus cuidados, de modo a contribuir para a promoção, desde a primeira infância, de saúde mental, concebida a partir da teoria psicanalítica. O presente projeto terá como objetivo avaliar o uso da metodologia IRDI como instrumento de promoção de saúde mental de crianças em instituições de educação infantil. A metodologia IRDI é constituída por: 1) formação teórica sobre a constituição psíquica dirigida aos professores de creches; b) acompanhamento em serviço dos professores; c) aplicação de 31 indicadores clínicos de desenvolvimento infantil para a avaliação e o acompanhamento das crianças de zero a dezoito meses que estão sob os cuidados dos professores formados e acompanhados pela metodologia IRDI. O presente estudo será realizado em duas etapas, sendo que apenas a primeira é objeto desta solicitação de auxílio à pesquisa. Na primeira etapa, serão formados e acompanhados, por um ano, 45 professores e respectivas 315 crianças matriculadas em berçários 1 de creches da Secretaria Municipal de Educação de São Paulo, de Diadema, nas creches da Universidade de São Paulo e de Curitiba, constituindo o grupo caso. Um segundo grupo de 45 professores e respectivos 315 alunos constituirão um grupo controle, sem aplicação da metodologia IRDI. No grupo caso será feita a avaliação de retenção imediata e, após um ano, a avaliação de retenção tardia.Nesta etapa, pretende-se avaliar o valor da metodologia IRDI como instrumento de preparação de professores para o acompanhamento do desenvolvimento psíquico de crianças de zero a dezoito meses.Na segunda etapa da pesquisa, as 630 crianças (caso e controle) serão avaliadas aos três anos de idade por psicanalistas quanto à frequência de surgimento de risco psíquico para o desenvolvimento apontado pelo instrumento AP3 - Avaliação Psicanalítica aos três anos. A metodologia IRDI terá seu valor de auxiliar na promoção de saúde mental confirmado caso a frequência de surgimento de risco psíquico verificada por meio da AP3 nas crianças do grupo caso seja significativamente inferior ao das crianças do grupo controle. (AU)

Funções executivas em crianças com epilepsia do lobo temporal correlação entre a avaliação neuropsicológica e a morfometria

Beneficiário:Patricia Rzezak Tencer
Instituição: Instituto de Psiquiatria Doutor Antonio Carlos Pacheco e Silva (IPq). Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Kette Dualibi Ramos Valente
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia - Fundamentos e Medidas da Psicologia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Processo:05/03489-4
Vigência: 01 de abril de 2006 - 31 de março de 2008
Assunto(s):CriançasEpilepsiaLobo temporalNeuroimagemNeuropsicologia
Resumo
As alterações cognitivas, de memória e linguagem, em adultos com epilepsia do lobo temporal (ELT) encontram-se bem delineadas. Adicionalmente, há evidências de que adultos com ELT apresentam alterações de estruturas extratemporais, em especial do lobo frontal, que se expressam através de dificuldades na capacidade de planejamento e execução. Até o momento, existem duas explicações para esta disfunção: a) a influência direta da estrutura mesial lesionada e b) a influência do córtex epileptogênico do lobo temporal através de suas conexões com o lobo frontal. Há somente um estudo realizado em crianças com epilepsia do lobo temporal (Igarashi et al. 2002), usando somente um teste (Wisconsin Card Sorting Test) para avaliar as funções executivas. Nestes estudo, os autores descrevem uma pior performance nas crianças com ELT do que nas com epilepsia do lobo frontal. Em estudo realizado em nosso meio (Rzezak et . submitted), de 20 crianças com epilepsia do lobo temporal, 16 apresentavam disfunção executiva. É controverso se crianças com ELT apresentam o mesmo tipo de disfunção observada em adultos e se, crianças com ELT decorrentes de esclerose hipocampal têm maiores déficits de funções executivas do que aqueles com lesões neocorticais temporais. Os objetivos deste estudo são:1. avaliar a presença de disfunção do lobo frontal em crianças com ELT mesial e neocortical; 2. analisar se uma destas entidades clínicas confere maior gravidade a esta disfunção na infância e 3. verificar a existência de alterações estruturais não visíveis no córtex frontal, através da morfometria, que possam explicar esta disfunção cognitiva.Serão estudadas 30 crianças com diagnóstico de ELT, sendo 15 delas com esclerose mesial temporal (EMT) e 15 com lesão neocortical. Todos estes pacientes devem apresentar lesão restrita ao lobo temporal e achados neurofisiológicos compatíveis. Pacientes cuja clínica ou dados neurofisiológicos sejam duvidosos serão excluídos do presente estudo. Trinta crianças normais, sem diagnóstico neurológico e psiquiátrico; pareados por sexo e idade com os pacientes serão avaliadas. As pontuações obtidas nos testes neuropsicológicos e os achados de imagem das estruturas cerebrais serão correlacionados entre si. Este projeto dá continuidade ao anteriormente aceito como nível de iniciação cietífica (Proc. FAPESP 03/06025-3). (AU)

Análise da interação social entre a criança com paralisia cerebral e seus familiares no contexto do brincar: possibilidades de intervenção da Terapia Ocupacional

Beneficiário:Ana Carla Dias Bortolotti
Instituição: Faculdade de Filosofia e Ciências (FFC). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Marília. Marília, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Luciana Ramos Baleotti
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:09/08037-5
Vigência: 01 de março de 2010 - 31 de dezembro de 2010
Assunto(s):Terapia ocupacionalFamíliaParalisia cerebralRelações interpessoais
Resumo
Os efeitos da limitação incapacitante na criança com Paralisia Cerebral (PC) podem refletir em sua capacidade de vivenciar através da brincadeira a criatividade, o conhecimento de regras, as socializações, as perdas e ganhos, as vivências que têm efeito sobre o desenvolvimento da criança. Com relação à socialização, podemos afirmar que o brincar pode ser usado como estratégia para favorecer a interação da criança com paralisia cerebral e seus familiares. O presente estudo tem como objetivo geral verificar a influência da atividade lúdica na interação social que se estabelece entre a criança com paralisia cerebral e os demais membros da família. Os objetivos específicos são identificar os brinquedos e brincadeiras que mais favorecem a interação social entre a criança com paralisia cerebral e seus familiares; identificar e avaliar as dificuldades que podem surgir durante as brincadeiras que sejam decorrentes da limitação em componentes de desempenho da criança com paralisia cerebral, bem como as dificuldades que podem ser provenientes das demandas do meio físico e dos brinquedos; propor brinquedos e brincadeiras adaptados às demandas físicas e cognitivas da criança com paralisia cerebral. A coleta de dados será realizada por meio de um Roteiro de Entrevista e por meio de filmagens da criança PC em atividades lúdicas com seus familiares. A análise de dados das entrevistas será feita pela descrição e identificação dos parceiros habituais e preferidos da criança PC durantes as brincadeiras, bem como pela descrição das atividades particulares associadas a esses parceiros, para análise da filmagem, teremos como base algumas das categorias do protocolo de avaliação do comportamento lúdico (FERLAND, 2006). (AU)

Imunidade mediada por células em crianças infectadas pelo vírus da imunodeficiência humana

Beneficiário:Esper Georges Kallás
Instituição: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Esper Georges Kallás
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:09/54055-5
Vigência: 01 de abril de 2010 - 31 de março de 2012
Assunto(s):AIDSCriançasHIV
Resumo
A dinâmica da infecção por HIV em adultos é diferente daquela observada em crianças e recém nascidos onde os picos de viremia observados são mais intensos e a carga viral tende a diminuir vagarosamente no tempo. Isto estaria relacionado à imaturidade do sistema imune e outros fatores imunológicos. Embora existam muitos estudos investigando a imunopatogênese do HIV em adultos são poucos os estudos sobre a interação entre hospedeiro e HIV em crianças infectadas. Em três objetivos específicos tentaremos compreender melhor a interação agente infeccioso hospedeiro em crianças infectadas pelo HIV-1 e como a terapia antiretroviral afeta essas respostas. No primeiro objetivo especifico iremos determinar a relação entre idade e desenvolvimento da resposta imunológica celular em crianças infectadas pelo HIV. Estudaremos crianças menores de 5 anos para determinar a magnitude e amplitude da resposta das células T CD4+ e CD8+ específicas para o HIV. No segundo objetive especifico iremos investigar como o HLA e outros fatores genéticos afetam esses resultados, se as respostas celulares T, restritas por alelos específicos e ligados a diferenças de etnia, podem ser responsáveis pela diferente magnitude de reposta observada em grupos raciais diferentes. Iremos correlacionar a capacidade da resposta imunológica com o nível de confluência racial medido por marcadores informativos de ancestralidade. Finalmente, realizaremos um estudo observacional no terceiro objetivo específico para determinar como a resposta imunológica específica ao HIV varia no decorrer do tempo em relação ao tratamento antiretroviral, resistência e fitness viral. Estes estudos irão conduzira uma melhor compreensão da função do sistema imune em crianças infectadas pelo HIV, como a etnia pode influenciar a resposta imunológica, e o impacto da terapia antiretroviral sobre a resposta imunológica HIV específica em crianças. Poderão ser melhor considerados no desenvolvimento de vacinas e novas estratégias de tratamento.Para aumentar a nossa capacidade de análise em amostras pediátricas, utilizaremos a técnica de citometria de fluxo de oito cores nas amostras obtidas das crianças incluídas neste estudo que estão sendo acompanhadas clinicamente no Jacobi Medical Center, King's Country Hospital, New York e em São Paulo. (AU)

Imunidade mediada por células em crianças infectadas pelo vírus da imunodeficiência humana

Beneficiário:María Teresa Maidana Giret
Instituição: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Esper Georges Kallás
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Processo:09/52381-2
Vigência: 01 de dezembro de 2009 - 30 de novembro de 2011
Assunto(s):AIDSCrianças
Resumo
A dinâmica da infecção por HIV em adultos é diferente daquela observada em crianças e recém nascidos onde os picos de viremia observados são mais intensos e a carga viral tende a diminuir vagarosamente no tempo. Isto estaria relacionado à imaturidade do sistema imune e outros fatores imunológicos. Embora existam muitos estudos investigando a imunopatogênese do HIV em adultos são poucos os estudos sobre a interação entre hospedeiro e HIV em crianças infectadas. Em três objetivos específicos tentaremos compreender melhor a interação agente infeccioso hospedeiro em crianças infectadas pelo HIV-1 e como a terapia antiretroviral afeta essas respostas. No primeiro objetivo especifico iremos determinar a relação entre idade e desenvolvimento da resposta imunológica celular em crianças infectadas pelo HIV. Estudaremos crianças menores de 5 anos para determinar a magnitude e amplitude da resposta das células T CD4+ e CD8+ específicas para o HIV. No segundo objetivo especifico iremos investigar como o HLA e outros fatores genéticos afetam esses resultados, se as respostas celulares T, restritas por alelos específicos e ligados a diferenças de etnia, podem ser responsáveis pela diferente magnitude de reposta observada em grupos raciais diferentes. Iremos correlacionar a capacidade da resposta imunológica com o nível de confluência racial medido por marcadores informativos de ancestralidade. Finalmente, realizaremos um estudo observacional no terceiro objetivo específico para determinar como a resposta imunológica específica ao HIV varia no decorrer do tempo em relação ao tratamento antiretroviral, resistência e fitness viral. Estes estudos irão conduzir a uma melhor compreensão da função do sistema imune em crianças infectadas pelo HIV, como a etnia pode influenciar a resposta imunológica, e o impacto da terapia antiretroviral sobre a resposta imunológica HIV específica em crianças. Poderão ser melhor considerados no desenvolvimento de vacinas e novas estratégias de tratamento. Para aumentar a nossa capacidade de análise em amostras pediátricas, utilizaremos a técnica de citometria de fluxo de oito cores nas amostras obtidas das crianças incluídas neste estudo que estão sendo acompanhadas clinicamente no Jacobi Medical Center, King's County Hospital, New York e em São Paulo. (AU)

Caracterização do uso de classes de palavras e composição frasal de crianças com Síndrome de Down entre 5 e 12 anos

Beneficiário:Paola de Mello
Instituição: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Suelly Cecilia Olivan Limongi
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fonoaudiologia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:09/14969-8
Vigência: 01 de dezembro de 2009 - 30 de novembro de 2010
Assunto(s):Síndrome de DownSintaxe
Resumo
Durante o período de aquisição lexical, alguns estudos referem que a criança nomeia, inicialmente, objetos e ações, para nomear os atributos pertinentes a eles apenas mais tarde, da mesma forma que artigos, preposições, conjunções e pronomes. Com relação à sintaxe, é apontado que a categoria gramatical da palavra determina a posição que essa palavra deve ocupar na sentença. Nesse sentido, a criança deve compreender, além das leis gerais, as especificidades da língua e utilizá-las. Na criança com síndrome de Down (SD), observa-se que o desenvolvimento da linguagem é mais lento e atrasado e o espaço de tempo que ocorre entre a compreensão inicial das palavras durante o desenvolvimento semântico-lexical e a produção oral é muito maior quando comparado com o da criança com desenvolvimento típico (DT). O vocabulário das crianças com SD também não se expande tão rapidamente. Para se analisar, compreender e avaliar as habilidades lingüísticas de crianças, a utilização do MLU - Mean Length Utterance, proposto por Brown em 1973, é tida como eficiente. MLU é utilizado em outras pesquisas do Português, sendo referido como análise da Extensão Média do Enunciado (EME), tanto para morfemas (EME-m), quanto para palavras (EME-p). A análise sobre a utilização de classes de palavras e composição frasal vem em complementação aos dados sobre os enunciados. Na literatura internacional, são muitos os estudos sobre as habilidades lingüísticas de crianças com SD a partir da utilização da EME-m e EME-p. Em nosso país, tais estudos estão sendo iniciados. Visto que a caracterização do desempenho gramatical de crianças com SD é de extrema importância na prática fonoaudiológica para melhor compreensão e acompanhamento do desenvolvimento lingüístico, além de favorecer adequado direcionamento terapêutico, a pesquisa tem o objetivo de verificar e caracterizar, a partir da EME produzida pelos sujeitos, contada em morfemas e palavras, o uso de classes de palavras e a composição frasal. Serão estudadas 25 crianças com SD, com idades entre 5 e 12 anos, a partir da transcrição de amostras de fala obtidas em situações livres de interação com seus terapeutas, registradas em vídeo. Os dados serão transcritos em protocolos específicos e calculada a ocorrência das classes de palavras, assim como a composição frasal, para serem comparadas aos índices de EME-m e EME-p, obtidos em estudo anterior. Os dados serão submetidos a análise estatística. (AU)

Perda auditiva induzida por níveis de pressão sonora elevada em crianças: percepção de risco em escolares

Beneficiário:Keila Alessandra Baraldi Knobel
Instituição: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Maria Cecília Marconi Pinheiro Lima
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fonoaudiologia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Processo:09/15825-0
Vigência: 01 de fevereiro de 2010 - 30 de abril de 2013
Resumo
A exposição à sons intensos é a principal causa de perda auditiva em crianças e adolescentes nos EUA, e a perda auditiva induzida por níveis de pressão sonora elevados (PAINPSE) nessa população vem crescendo ao redor do mundo especialmente por exposição voluntária a sons intensos. Como uma vez instalada a PAINPSE não pode ser tratada, a adoção de métodos de prevenção específica para crianças precisam ser desenvolvidas, pesquisadas e aplicadas. Atitudes e comportamentos saudáveis são construídos na infância e tanto o desenvolvimento quanto a tradução de programas de prevenção da PAINPSE devem levar em consideração a demanda, a compreensibilidade e a adequação étnico-cultural relacionadas à percepção de risco. Os objetivos deste estudo são: conhecer o grau de entendimento de crianças e de seus responsáveis a respeito dos efeitos auditivos da exposição de sons intensos, a ocorrência de queixas auditivas, o tipo e a freqüência de exposições a níveis de pressão sonora intensos em crianças e as intenções e os comportamentos de prevenção de PAINPSE. Uma amostra representativa de crianças do 2° ao 5° ano do ensino fundamental da cidade de Campinas, S.P. será entrevistada pessoalmente pela pesquisadora, e seus responsáveis completarão em casa um questionário simples, desde que assinem o termo de consentimento livre e esclarecido. O tamanho amostral foi calculado a partir de uma previsão de erro amostral de 4%, compatível para pesquisa de opinião pública. Para se atingir poder estatístico adequado, considerou-se um nível de significância de 5% e já previu-se um índice de abstenção de cerca de 30%, ou seja. Assim, 780 crianças e responsáveis serão convidadas a participar do estudo. A partir da obtenção dos dados, serão feitas análises de prevalência e intervalos de confiança usando-se o programa de análise estatística SPSS. Dependendo dos achados e da possibilidade de análise estatística, será aplicado o índice de concordância Kappa para comparação de alguns itens dos questionários aplicados aos responsáveis e às crianças. Com a análise dos dados coletados espera-se conhecer as características das exposições das crianças a sons intensos e a percepção que os escolares e seus responsáveis têm a respeito dos riscos inerentes a tais exposições. Esse estudo propiciará a tradução ou criação de um material para prevenção de PAINPSE em crianças adequado à realidade brasileira, além da adoção de outras medidas cabíveis para educação da população geral a respeito do tema. (AU)

Comparação da atividade da enzima paraoxonase (PON1), uma enzima associada à lipoproteína HDL, e da enzima mieloperoxidase em crianças e adolescentes com obesidade grave e eutróficos

Beneficiário:Larissa Vilares Sevilhano
Instituição: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Vânia D'Almeida
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Saúde Materno-infantil
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:10/01156-6
Vigência: 01 de abril de 2010 - 31 de março de 2011
Assunto(s):PediatriaAteroscleroseObesidade
Resumo
RESUMOINTRODUÇÃO: A obesidade é uma doença multifatorial com incidência crescente, que afeta não apenas adultos, mas cada vez mais crianças. A importância de fornecer orientação e tratamento adequados em crianças obesas pode evitar a obesidade no adulto e evitar o desenvolvimento de comorbidades graves associadas.OBJETIVOS: Avaliar a atividade sérica da paraoxonase, uma enzima antiaterogênica associada à HDL, e da enzima mieloperoxidase, enzima liberada por fagócitos ativados, em crianças e adolescentes com obesidade grave, relacionando-os a outros parâmetros avaliados. METODOLOGIA E CASUÍSTICA: Avaliar por meio de estudo transversal, cerca de 40 crianças (entre 7 e 15 anos) com obesidade grave atendidas no Ambulatório de Obesidade e Dislipidemia do Departamento de Pediatria da Faculdade de Medicina do ABC, bem como cerca de 40 crianças eutróficas (grupo controle). Os pacientes selecionados são submetidos à avaliação antropométrica, sócio-econômica e nutricional. Serão analisados no soro a glicemia de jejum, colesterol total e frações, triglicérides, insulina sérica, atividade da paraoxonase sérica e da mieloperoxidase. JUSTIFICATIVA: Medidas de atividade paraoxonase tem mostrado associação inversa com diversas morbidades, dentre elas a obesidade. Poucos trabalhos foram, entretanto, realizados em crianças. Medidas da atividade da paraoxonase em crianças obesas podem ser importantes para identificar crianças com maior risco de desenvolver doença cardiovascular e outras morbidades. A mieloperoxidase (MPO) tem sido apontadas recentemente como um potencial marcador de DCV. Em virtude da associação entre obesidade e risco cardiovascular é interessante verificar se esta associação também pode ser visualizada em crianças. (AU)

Soroconversão em resposta à imunização em crianças filhas de mães infectadas pelo vírus da Imunodeficiência Humana (HIV)

Beneficiário:Maria Isabel de Moraes Pinto
Instituição: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Maria Isabel de Moraes Pinto
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Saúde Materno-infantil
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Apoio a Jovens Pesquisadores
Processo:97/06118-9
Vigência: 01 de janeiro de 1998 - 28 de fevereiro de 2002
Assunto(s):ImunizaçãoHIV
Resumo
A imunização é parte importante do acompanhamento clínico de crianças nascidas de mães infectadas pelo vírus da imunodeficiência humana (HIV). Apesar disso, muitas controvérsias ainda persistem em relação à imunização de pacientes infectados pelo HIV, sejam eles adultos ou crianças. No presente estudo, pretendemos avaliar o declínio de anticorpos matemos na circulação de neonatos e lactentes filhos de mães infectadas pelo HIV, bem como a soroconversão destas crianças frente aos seguintes antígenos vacinais: toxóide tetânico, toxóide diftérico, vírus do sarampo e antígenos capsulares do Haemophilus influenzae tipo b. Serão estudados três grupos de crianças: 1) filhos de mães soropositivas para o HIV que se mostrarem infectados; 2) filhos de mães soropositivas para o HIV que não forem infectados; 3) crianças nascidas de mães sadias e soronegativas para o HIV. As crianças serão avaliadas periodicamente quanto a desenvolvimento pondo-estatural e quanto ao eventual aparecimento de sinais clínicos e laboratoriais de infecção pelo HIV. Serão colhidas amostras de sangue materno e das respectivas crianças por ocasião da admissão da criança no ambulatório de AIDS pediátrico e somente das crianças aos 6, 9, 12, 15, 18 e 20 meses de idade. Os anticorpos da classe IgG dirigidos contra toxóide tetânico, toxóide diftérico, vírus do sarampo e antígenos capsulares do Haemophilus influenzae tipo b serão dosados através de ensaios imunoenzimáticos indiretos (ELISA) desenvolvidos em nosso laboratório. A análise dos dados será feita visando avaliar a soroconversão frente aos antígenos vacinais pesquisados, os níveis séricos médios de anticorpos e a sua manutenção aos 20 meses de vida em cada um dos três grupos estudados. Será também estudada a Interferência de fatores como níveis séricos matemos de anticorpos à admissão, alterações laboratoriais e clínicas relacionadas à infecção pelo HIV sobre a soroconversão e os níveis séricos de anticorpos atingidos após a imunização. (AU)

Avaliação dimensional de sintomas psiquiátricos através do CBCL de crianças em risco para transtorno bipolar

Beneficiário:Rodrigo Hideharo Sato
Instituição: Instituto de Psiquiatria Doutor Antonio Carlos Pacheco e Silva (IPq). Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Sheila Cavalcante Caetano
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Psiquiatria
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:13/09080-7
Vigência: 01 de agosto de 2013 - 31 de julho de 2014
Assunto(s):CriançasAdolescentesTranstorno bipolarLista de verificação comportamental para crianças
Resumo
Objetivos: comparar a psicopatologia dimensional de crianças e adolescentes em risco para transtorno bipolar com crianças e adolescentes com THB e saudáveis através do CBCL. Métodos: crianças e adolescentes filhos de bipolares tipo I (n = 30, que não apresentam nenhum diagnóstico psiquiátrico do eixo I), crianças e adolescentes bipolares (n = 30, THB tipo I, II ou sem outras especificações) e controles saudáveis (n = 30) serão comparados através do CBCL. (AU)

Manipulações experimentais da situação de aprendizagem por exclusão da relação nome-objeto

Beneficiário:Geovana Figueira Gomes
Instituição: Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Andréia Schmidt
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia - Psicologia Experimental
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:10/19112-5
Vigência: 01 de março de 2011 - 29 de fevereiro de 2012
Assunto(s):Crianças
Resumo
O responder por exclusão, também referido como mapeamento rápido por autores da Psicolingüística, é um padrão consistente de comportamento pelo qual a criança, quando exposta a um conjunto de objetos familiares (já relacionados a nomes) e um objeto desconhecido, tende a selecionar o objeto desconhecido diante de um nome novo (nome que não tenha sido antes relacionado a qualquer outro objeto). Ou seja, a criança tende a relacionar o nome desconhecido ao objeto não familiar, o que parece ser um processo básico subjacente à aquisição de vocabulário. Muitos dados da literatura mostram, porém, que essa relação demonstrada pela criança não necessariamente se mantém após o episódio inicial de responder por exclusão. Pesquisas de diferentes orientações teóricas sobre o tema relatam uma variabilidade grande nos resultados de aprendizagem dos participantes e essa variabilidade é atribuída por muitos autores à idade das crianças ou a variáveis de procedimento na condução dos experimentos. O objetivo deste projeto é verificar o efeito de duas variáveis com potencial para produzir aprendizagem da relação nome-objeto após uma única tentativa de exclusão em crianças pequenas: a funcionalidade do objeto e a escolha, pela criança, do objeto a ser empregado nas sondas de exclusão. (AU)

Efeitos da desnutrição protéica na percepção de contraste e acuidade visual em humanos e em ratos

Beneficiário:Caroline Costa Gomes Alencar
Instituição: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Luiz Roberto Giorgetti de Britto
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado Direto
Processo:09/53595-6
Vigência: 01 de fevereiro de 2010 - 31 de janeiro de 2014
Assunto(s):Acuidade visualDesnutriçãoPsicofísica
Resumo
A desnutrição é um fator de risco associado à mortalidade infantil nos países em desenvolvimento. Seus efeitos no sistema nervoso, além dos decorrentes déficits cognitivos e comportamentais, são bem estabelecidos pela literatura. O presente estudo avaliará o efeito da desnutrição protéica atual e pregressa na acuidade visual (AV) de resolução de grades e na sensibilidade ao contraste (SC) visual, utilizando crianças de 7 a 10 anos e um modelo animal (ratos Wistar) por meio de medidas comportamentais e histológicas. O primeiro experimento terá como amostra 60 crianças, sendo o grupo controle (GC) composto por 20 crianças eutrófícas, o grupo experimental 1 (GE1) composto por 20 crianças com desnutrição atual, e o grupo experimental 2 (GE2) composto por 20 crianças com desnutrição pregressa. A AV das crianças será medida com a carteia de optotipos direcionais E de Rasquin. A SC visual das crianças será acessada pelo método psicofísico da escada com escolha forçada entre duas alternativas temporais. O segundo experimento terá como amostra 60 ratos machos, sendo cada grupo, GC, GE1 e GE2, composto por 20 animais. A AV e a SC visual dos animais serão medidas pelo método psicofísico da escada com entrada preferencial com duas alternativas espaciais. No terceiro experimento, cortes histológicos da retina e do córtex cerebral destes animais serão utilizados para quantificação de fotorreceptores, células ganglionares e neurônios corticais. Análises estatísticas serão realizadas visando comparar comportamentalmente a AV e SC dos grupos, além de analisar morfológica e bioquimicamente algumas estruturas corticais que subjazem essas funções visuais. Palavras chave: desnutrição; acuidade visual; sensibilidade ao contraste; psicofísica. (AU)

Identificação precoce de déficits de linguagem e dificuldades comportamentais para intervenção psicoeducativa como política pública de educação

Beneficiário:Fernanda Dreux Miranda Fernandes
Instituição: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Fernanda Dreux Miranda Fernandes
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fonoaudiologia
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:12/51634-7
Vigência: 01 de julho de 2013 - 30 de junho de 2015
Convênio/Acordo de cooperação com a FAPESP: Fundação Maria Cecília Souto Vidigal
Assunto(s):Desenvolvimento infantilDesenvolvimento da linguagemTranstornos da linguagemDistúrbios do comportamentoCrianças
Resumo
Este projeto tem por objetivo detectar e intervir precocemente nas dificuldades de linguagem e de comportamento em crianças de três e quatro anos, freqüentando escolas de educação infantil da Rede Municipal de Santos de forma a sinalizar potenciais problemas na aquisição de competências acadêmicas e sociais que poderão trazer prejuízos no ensino fundamental. Em um primeiro momento, 180 crianças participarão do projeto e serão avaliadas em vocabulário expressivo e receptivo e processamento auditivo central. Essas crianças serão reavaliadas em processamento auditivo central aos quatro anos e avaliadas em comportamentos. Das 180 crianças avaliadas, 90 constituirão um grupo experimental e serão submetidas à intervenção para o desenvolvimento e aprimoramento de linguagem e manejo de comportamentos-problema, por meio de atividades desenvolvidas em aplicativos para uso em tablets e orientações fornecidas a seus pais e professores por uma equipe de profissionais composta por fonoaudiólogos, psicólogos e psicopedagogos. As outras 90 crianças restantes farão parte do grupo controle. Ao final da intervenção, que terá a duração de três meses, todas as 180 crianças serão reavaliadas em vocabulário receptivo e expressivo, processamento auditivo e comportamentos. Ao final, e a partir da verificação da eficácia do programa de intervenção utilizado, haverá a possibilidade de adoção desse programa como uma política pública de educação do município de Santos. (AU)

Instrumentalizando os profissionais da atenção básica para o enfrentamento da violência contra criança

Beneficiário:Emiko Yoshikawa Egry
Instituição: Escola de Enfermagem (EE). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Emiko Yoshikawa Egry
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Enfermagem - Enfermagem de Saúde Pública
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:11/50932-1
Vigência: 01 de julho de 2012 - 30 de junho de 2014
Convênio/Acordo de cooperação com a FAPESP: Fundação Maria Cecília Souto Vidigal
Assunto(s):Atenção primária à saúdeViolência contra o menorAvaliação da educaçãoQualificação profissional
Resumo
O presente estudo busca o enfrentamento da violência contra a criança no sentido de buscar formas de reconhecer, intervir, proteger a criança para promover o crescimento e desenvolvimento adequados, resguardando, portanto os direitos dela prescritos na Constituição Brasileira e no ECA. Objetivo geral "Criar e avaliar um modelo pedagógico para qualificação dos profissionais da Atenção Básica no enfrentamento do fenômeno da violência contra a criança". Tratando-se de direitos humanos e de desnível de poder, ao intervir nas relações violentas de poder pode de forma direta ou indireta contribuir para minorar a violência impetrada contra crianças que causam sofrimentos e limitam o pleno crescimento e desenvolvimento infantil. Portanto, a intervenção necessária, ainda que não única, deve ser nas famílias em situações de violência contra a criança, mas também na intervenção daquelas que poderão construir uma cultura de não-violência, promovendo um ambiente salutogênico. Será desdobrado em três subprojetos estão descritos, cada um com metodologia específica em congruência com o objeto: exploratório, descritivo e transversal; pesquisa-ação para a qualificação dos profissionais. Os resultados esperados são: construção de um modelo pedagógico de capacitação para o enfrentamento da violência contra criança; formação de pesquisadores no nível de iniciação científica, mestrado, doutorado e pós-doutorado; qualificação dos profissionais da atenção básica; publicação científica e divulgação. (AU)

Identificação de condições de risco para problemas emocionais e de comportamento em crianças na fase escolar cadastradas em um núcleo de atenção primária e Saúde da Família

Beneficiário:Silvia Helena Tortul Ferriolli
Instituição: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Edna Maria Marturano
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia - Tratamento e Prevenção Psicológica
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Processo:02/08129-8
Vigência: 01 de novembro de 2002 - 30 de abril de 2006
Resumo
Este projeto tem por objetivos: identificar, em crianças de seis a 12 anos cadastrada em um Núcleo de Atenção Primária e Saúde da Família, aquelas em risco para distúrbios psicossociais; verificar a prevalência e a intensidade dos sintomas; caracterizar suas famílias quanto aos recursos promotores e fatores de risco ao desenvolvimento da criança nessa faixa etária; verificar a associação entre variáveis psicossociais e a persistência dos sintomas emocionais/comportamentais, após um período de seis a oito meses. As famílias serão caracterizadas quanto aos recursos promotores e fatores adversos que podem interferir no desenvolvimento saudável da criança, tais como instabilidade familiar e estresse materno. Será verificada a associação entre características do ambiente familiar e indicadores de ajustamento e desempenho escolar da criança. Com o propósito de averiguar a evolução dos sintomas, emocionais/comportamentais apresentados pelas crianças ao longo de um período de tempo, estas serão reavaliadas após 6 a 8 meses da avaliação inicial. Será investigada a associação entre variáveis ambientais e Indicadores de estabilidade ou mudança nos perfis comportamentais. A pesquisa se justifica pela crescente necessidade de identificação dos problemas de saúde mental em crianças na fase escolar e seus fatores de risco e proteção. Essas informações contribuirão para a implantação de estratégias preventivas direcionadas a essa população. (AU)

Dificuldades de aprendizagem e problemas de comportamento (internalizantes e externalizantes): características socioemocionais e consistência entre diferentes avaliadores

Beneficiário:Simone de Oliveira Barreto
Instituição: Centro de Educação e Ciências Humanas (CECH). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Zilda Aparecida Pereira Del Prette
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Educação - Tópicos Específicos de Educação
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Processo:05/52822-8
Vigência: 01 de agosto de 2005 - 30 de junho de 2007
Resumo
O comprometimento do repertório de habilidades sociais pode ser diferenciado para crianças que apresentam dificuldades de aprendizagem e problemas de comportamento externalizantes ou internalizantes. Os objetivos desse trabalho são; a) Caracterizar a incidência de problemas de comportamento internalizantes ou externalizantes em crianças com dificuldades de aprendizagem, b) Caracterizar possíveis discrepâncias entre auto-avaliação e avaliação do professor em crianças com dificuldades de aprendizagem e problemas internalizantes ou externalizantes. c) Identificar as necessidades educativas especiais comuns e diferenciadas de crianças com dificuldades de aprendizagem e problemas internalizantes ou externalizantes. Os participantes serão os professores e alunos de 3º e 4º séries do Ensino Fundamental, de escolas públicas. As crianças deverão apresentar, concomitantemente, dificuldades de aprendizagem e problemas de comportamento. Os instrumentos a serem usados na coleta de dados serão: Inventário Multimídia de Habilidades Sociais Para Crianças (Del Prette & Del Prette, 2005) e Sistema de Avaliação de Habilidades Sociais (Gresham & Elliott, 1990). O tratamento de dados será feito por meio de análise estatística das diferenças entre os grupos de crianças com dificuldades de aprendizagem e problemas de comportamento internalizante e externalizante e da correlação entre indicadores de rendimento acadêmico, problemas de comportamento e habilidades sociais. (AU)

Normatização dos parâmetros acústicos vocais em crianças em idade escolar

Beneficiário:Thais Peres Vanzella
Instituição: Escola de Engenharia de São Carlos (EESC). Universidade de São Paulo (USP). São Carlos, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Jose Carlos Pereira
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Biomédica - Bioengenharia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Processo:04/04881-2
Vigência: 01 de março de 2005 - 31 de agosto de 2006
Assunto(s):AcústicaCriançasProcessamento de vozVoz
Resumo
A voz humana pode ser estudada em diversas etapas da vida,da infância a senescência. Essa diferenciação se deve as modificações que ocorrem, com o tempo, nas estruturas que produzem a voz. A análise acústica da voz humana tem sido de grande importância principalmente por ser uma medida objetiva, contribuindo objetivamente na compreensão do mecanismo fisiológico do aparato vocal. Os resultados deste estudo podem trazer importantes implicações para a elaboração de programas de prevenção e tratamento da voz e disfonias infantis. Os objetivos deste estudo são: estabelecer um perfil acústico da voz mais abrangente que os apresentados na literatura atual; verificar a correlação entre os parâmetros acústicos da voz e a massa corpórea dos indivíduos; estudar a correlação dos parâmetros acústicos da voz com a utilização da voz pelas crianças nas atividades diárias. Serão 200 crianças de ambos os gêneros de escolas públicas e/ou particulares das cidades de São Carlos e Araraquara - SP. O procedimento constará de entrevista fonoaudiológica com os responsáveis das crianças a fim de verificar os hábitos vocais e possíveis queixas de mudança na voz; coleta das vozes (que será realizada na própria escola da criança, em ambiente silencioso) e avaliação acústica das vozes.. Será solicitada a emissão da vogal sustentada /a/ por um período de até 5 segundos, em tom de voz normal e confortável. As aquisições das vozes serão realizadas com as crianças sentadas, direto no programa do computador e com microfone de cabeça unidirecional. (AU)
Página 4 de 4.242 resultado(s)
|
Exportar 0 registro(s) selecionado(s) | Limpar seleção
CDi/FAPESP - Centro de Documentação e Informação da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo

R. Pio XI, 1500 - Alto da Lapa - CEP 05468-901 - São Paulo/SP - Brasil
cdi@fapesp.br - Converse com a FAPESP