Pesquisa avançada

X

Criar um alerta por e-mail


Novos resultados para a sua pesquisa em seu e-mail, semanalmente.

Seu e-mail:

Tamanho do e-mail:



Seu endereço de e-mail não será divulgado.

Refine sua pesquisa

Pesquisa
  • Uma ou mais palavras adicionais
Publicações científicas
URL curtoExcel (CSV)Alerta por e-mail   RSS
Página 2 de 36 resultado(s)
|
Resumo

Os meningeomas são, depois dos gliomas, os tumores de Sistema Nervoso Central de maior incidência. Originam-se de células meningoteliais da aracnóide e crescem aderidos à dura-máter. São neoplasias consideradas benignas, pois em raros casos infiltram o tecido nervoso. Sua localização preferencial é intracraniana, embora cresçam também aderidos à membrana aracnóide intra-espinal. Seu pico de incidência ocorre entre a sexta e a sétima décadas e são mais freqüentes em homens que em mulheres. Possuem taxas mínimas de crescimento e são tumores pouco sintomáticos. Os meningeomas apresentam alterações genéticas do cromossomo 22, em especial deleções do gene NF2. Atualmente são conhecidos quinze tipos histológicos de meningeomas, classificados pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em Grau I, Grau II e Grau III, observando-se os critérios indicativos de malignidade e sua relação com o comportamento biológico desses tumores. Os critérios utilizados pela OMS são seis: pleomorfismo nuclear, hipercelularidade, índice proliferativo, perda de citoarquitetura, invasão cerebral e necrose tumoral. O presente estudo busca definir a importância deste último e sua relação com o prognóstico da doença, tendo em vista a dificuldade de se estabelecer um critério ideal para predizer o comportamento biológico e histológico dos meningeomas. Serão utilizados, para isso, estudos imunohistoquímicos com marcadores pré-definidos e aquisições imagenológicas de raio X, tomografia computadorizada e ressonância magnética. (AU)

Resumo

O objetivo deste projeto é o de investigar a presença e distribuição da miosina Va de cérebro em tecido nervoso de vertebrados primitivos utilizando como modelo peixes (truta arco-íris). Os peixes teleósteos possuem uma citoarquitetura cerebral relativamente simples constituindo um excelente modelo para estudos de desenvolvimento, estrutura e função do sistema nervoso e de proteínas motoras envolvidas na fisiologia neural. Ainda, a histogênese e anatomia do encéfalo e medula espinhal dos salmonídeos é bastante conhecida e descrita na literatura. A miosina V de cérebro participa em processos de neurotransmissão, motilidade de cones de crescimento e translocação de organelas. Sua essencialidade é comprovada pela análise do fenótipo de camundongos mutantes dilute e de humanos portadores da Síndrome de Griscelli, onde ambos apresentam mutações do gene que codifica a miosina V e manifestam alterações fisiológicas neurais, imunológicas e de pigmentação. Apesar da ampla distribuição nos diferentes táxons, sua presença e distribuição tecidual em peixes não têm sido até o momento investigada. Este projeto visa, portanto, a verificação da expressão da miosina Va de cérebro em indivíduos adultos de truta arco-íris, e a correlação da histofisiologia de populações específicas de células neurais com a função motora e/ou estrutural das miosinas-V. (AU)

Resumo

O treinamento de um técnico de nível superior é importante para a continuidade do projeto de pesquisa. Há uma grande quantidade de material disponível para o projeto e várias metodologias de rotina são empregadas no seu processamento técnico. Nosso projeto temático tem obtido resultados interessantes que foram recentemente apresentados em congressos e publicados em periódicos internacionais (Bando et al 2011, Allegro et al 2012). O treinamento de um técnico de nível superior é necessário para suprir o processamento de rotina das amostras e também permitirá aumentar a eficiência da coleta de dados histopatológicos referentes ao projeto. O treinamento deve incluir processamento do tecido cerebral e capacitacao para coleta e analise de dados basicos de histopatologia e imunohiostoquimica. Em resumo, os hipocampos serão fixados por imersão, crioprotegidos, congelados e cortados em criostato para obtenção de fatias com 60 µm de espessura. Uma em cada cinco fatias histológicas será montada em lâmina gelatinizada para coloração de Nissl (Violeta de Cresila) e as demais armazenadas em solução crioprotetora para posterior estudo imunohistoquímico. Três fatias representativas das porções inicial, média e final de cada hipocampo serão coradas por hematoxilina-eosina (HE) e encaminhadas para exame e registro anatomopatológico. O hipocampo inteiro de cada caso será utilizado (média de 50-60 fatias/paciente). Serão excluídos casos com artefatos de processamento que prejudiquem e/ou inviabilizem as análises subsequentes. A análise morfométrica compreende as medidas lineares obtidas na camada granular do giro denteado, focalizando áreas de dispersão. A análise será feita nas imagens de quatro fatias do corpo de cada hipocampo processado para coloração de Nissl, adquiridas com um estereomicroscópio e utilizando-se o programa Image J (Image J, NIH, Bethesda, Maryland, USA). A avaliação semiquantitativa dos hipocampos escleróticos será feita em quatro fatias do corpo do hipocampo. Serão focalizadas as alterações do giro denteado, particularmente a desorganização da citoarquitetura: perda e dispersão celular e bilaminação da camada granular. A perda celular será determinada como áreas de falha na continuidade ou diminuição da espessura da camada granular do giro denteado, sendo graduada de zero (sem perda) a quatro (perda total). A dispersão das células granulares será definida como áreas de "espalhamento" das células granulares além dos limites normais do giro denteado, sendo graduada de zero (sem alteração) a três (alteração muito intensa). A bilaminação será definida como duplicação bem definida do todo ou parte da camada granular e será descrita como presente (+) ou ausente (-). (AU)

Resumo

A desnutrição protéico-calórica é um problema de dimensões alarmantes, correspondendo a cerca de 40% das causas de hospitalização. Em virtude de sua complexidade metabólica e altas taxas de renovação e reposição celular o fígado é um dos orgãos mais afetados pela desnutrição. Portanto objetiva-se analisar, utilizando microscopia quantitativa tridimensional (Bioimagem e Estereologia), os efeitos da dieta hipoprotéica (e da reversão da mesma) na macro e microestrutura do fígado. Para tal utilizaremos vinte camundongos Swiss machos com idade inicial de 60 dias de idade (peso corpóreo médio inicial = 55 gramas ± 2DP) e provenientes de colônias mantidas pelo Biotério da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade de São Paulo (USP). Os animais serão subdivididos em quatro grupos dependendo do tipo de dieta oferecido: Grupo I - animais nutridos (n=5); Grupo II - animais desnutridos (n=5); Grupo III - animais renutridos (n=5); Grupo IV - animais controle para os renutridos (n=5). Os animais do grupo I e IV receberão uma dieta normoprotéica (12% de caseina) e os animais dos grupo II e III receberão uma dieta hipoprotéica (2% de caseina). A renutrição será conduzida nos animais do grupo III, continuando-se a manter em paralelo animais do grupo IV. Após um mês recebendo ração hipoprotéica, os animais do grupo III receberão ração normoprotéica e água ad libitum. O processo de renutrição ocorrerá por mais 30 dias. Todos os animais serão eutanasiados e utilizados para a obtenção, além do fígado, do sangue, medula óssea e baço para as análises ulteriores. Do ponto de vista estereológico serão estimados o volume do fígado, o número total e o volume médio dos hepatócitos, o volume total de vasos no fígado e o volume total do tecido colágeno na matriz extracelular do fígado. Entende-se que os conhecimentos gerados por esta pesquisa serão fundamentais para o diagnóstico e tratamento das hepatopatias de origem nutricional. (AU)

Resumo

O treinamento de um técnico de nível superior é importante para a continuidade do projeto de pesquisa. Há uma grande quantidade de material disponível para o projeto e várias metodologias de rotina são empregadas no seu processamento técnico. Nosso projeto temático tem obtido resultados interessantes que foram recentemente apresentados em congressos e publicados em periódicos internacionais (Bando et al 2011, Allegro et al 2012). O treinamento de um técnico de nível superior é necessário para suprir o processamento de rotina das amostras e também permitirá aumentar a eficiência da coleta de dados histopatológicos referentes ao projeto. O treinamento deve incluir processamento do tecido cerebral e capacitacao para coleta e analise de dados basicos de histopatologia e imunohiostoquimica. Em resumo, os hipocampos serão fixados por imersão, crioprotegidos, congelados e cortados em criostato para obtenção de fatias com 60 µm de espessura. Uma em cada cinco fatias histológicas será montada em lâmina gelatinizada para coloração de Nissl (Violeta de Cresila) e as demais armazenadas em solução crioprotetora para posterior estudo imunohistoquímico. Três fatias representativas das porções inicial, média e final de cada hipocampo serão coradas por hematoxilina-eosina (HE) e encaminhadas para exame e registro anatomopatológico. O hipocampo inteiro de cada caso será utilizado (média de 50-60 fatias/paciente). Serão excluídos casos com artefatos de processamento que prejudiquem e/ou inviabilizem as análises subsequentes. A análise morfométrica compreende as medidas lineares obtidas na camada granular do giro denteado, focalizando áreas de dispersão. A análise será feita nas imagens de quatro fatias do corpo de cada hipocampo processado para coloração de Nissl, adquiridas com um estereomicroscópio e utilizando-se o programa Image J (Image J, NIH, Bethesda, Maryland, USA). A avaliação semiquantitativa dos hipocampos escleróticos será feita em quatro fatias do corpo do hipocampo. Serão focalizadas as alterações do giro denteado, particularmente a desorganização da citoarquitetura: perda e dispersão celular e bilaminação da camada granular. A perda celular será determinada como áreas de falha na continuidade ou diminuição da espessura da camada granular do giro denteado, sendo graduada de zero (sem perda) a quatro (perda total). A dispersão das células granulares será definida como áreas de "espalhamento" das células granulares além dos limites normais do giro denteado, sendo graduada de zero (sem alteração) a três (alteração muito intensa). A bilaminação será definida como duplicação bem definida do todo ou parte da camada granular e será descrita como presente (+) ou ausente (-). (AU)

Resumo

O câncer de mama é o tipo de neoplasia mais comumente detectada em mulheres de todo o mundo. Dentre as principais ferramentas para o tratamento de tumores mamário, a quimioterapia assume um papel de destaque, por prover aumento significativo da sobrevida dessas pacientes. A doxorrubicina constitui um dos mais potentes agentes quimioterápicos atualmente disponíveis. Muitos são os fatores e mecanismos, identificados em estudos in vitro, associados ao escape de células tumorais aos efeitos citotóxicos gerados por quimioterápicos. Entretanto, muito pouco ainda é conhecida sobre as respostas celulares a quimioterapia em um microambiente mais próximo do contexto tecidual. Muitas evidências suportam o importante papel da matriz extracelular (MEC) e do microambiente multicelular tridimensional na gênese e progressão tumoral. Por meio da dinâmica regulação da citoarquitetura e da expressão gênica, os elementos da MEC podem modular a regulação da resposta de células tumorais a quimioterapia. As culturas celulares de mama em três dimensões (3D) são uma valiosa ferramenta para o estudo do contexto celular 3D na carcinogênese. Este projeto tem como objetivo o estudo da função da MEC e da estrutura tridimensional na resposta de células de carcinoma mamário humano ao tratamento com doxorrubicina. Neste sentido, pretende-se comparar os efeitos deste agente quimioterápico sobre a resposta ao dano no DNA, ciclo e morte celular, em células cultivadas em monocamada sobre plástico e embebidas em membrana basal reconstituível. Dado o critico papel da proteína p53 no efeito de quimioterápicos e na reação celular a lesão no DNA, no presente projeto espera-se também avaliar o papel desse supressor de tumor em um contexto tridimensional. Além disso, por meio de uma análise proteômica, busca-se identificar as moléculas diferencialmente expressas entre células em duas e em três dimensões, responsáveis pelas distintas respostas desses modelos celulares à quimioterapia. (AU)

Resumo

O núcleo supraquiasmático (NSQ), principal relógio biológico circadiano em mamíferos, contém uma variedade de diferentes neurônios os quais tendem a formar grupos organizados em seu interior (Moore et al., 2002). As descrições dos padrões de distribuição destes tipos celulares, assim como, das principais terminações aferentes a este núcleo e suas relações levaram alguns autores a dividi-lo anatomo-funcionalmente em: porção ventrolateral e porção dorsomedial ou ainda cerne (do inglês core) e concha (do inglês shell) (Moore et al., 2002). Embora tal nomenclatura tenha sido extrapolada para várias espécies, esta organização intrínseca tende a apresentar diferenças nas espécies já estudadas e pouco se sabe sobre a citoarquitetura deste núcleo em primatas (Morin e Allen, 2005; Morin et al., 2006; Pinato et al.,2007). O presente estudo, complemento de projeto do laboratório em curso com pós-doc e doutoranda, propõe a caracterização química do NSQ do primata diurno Cebus apella utilizando métodos com reações de imunoistoquímica e imunofluorescência para avaliar o padrão de distribuição dos principais grupos neuronais e projeções aferentes a este núcleo, assim como suas relações. Os resultados preliminares mostram que, nesta espécie, o NSQ apresenta organização complexa caracterizada por grupos celulares peptidérgicos (vasopressina (VP), calbidina (Calb) e calretinina (Cair)) e terminações aferentes (neuropepideo Y (NPY), serotonina (5-HT) e terminais retinianos (CTb-ir)) que na maioria dos casos apresentam diferenças de localização em comparação a roedores. Os dados preliminares suportam a hipótese de que há importantes diferenças interespecíficas na estrutura e características intrínsecas do NSQ e que, em primatas a organização deste núcleo deve ser mais complexa do que a organização classicamente dividida em "core" e "shell", ou seja cerne e concha, (Morin et al., 2006). (AU)

Resumo

O presente trabalho tem como objetivo estudar os efeitos da desnutrição e renutrição proteica no fígado, sob os aspectos morfométricos, estereológico e quantitativo. Assim sendo serão utilizados quinze camundongos Swiss machos com 60 dias de idade aos quais foram oferecidos água sem restrições (Ad libidum), uma dieta proteica (12% de proteína-caseina) ou uma dieta hipoproteica (2% de caseina), sendo um grupo de animais renutrido com dieta normoproteica. Aos 21 dias os animais serão ortoeutanasiados e será retirado o fígado. Para o estudo histológico qualitativo e quantitativo, o material será fixado com solução de Karnovsky modificado (Glutaraldeído 5% e formoldeído 1%) em tampão de cacodilato de sódio (0,125 M e pH 7.4). Em seguida, o material será desidratado em séries de alcoóis e posteriormente embebido em araldite. Cortes sistemáticos serão realizados e métodos estereológicos serão empregados para estimar o volume do fígado com respectivo "intervalo de confiança", número total de hepatócitos, bem como seu volume. Desta forma, espera-se que os dados gerados por este estudo possam avaliar (com acurácia tridimensional) os efeitos da desnutrição e renutrição na celularidade hepática. Palavras-chave: Estereologia, Desnutrição, Fígado. (AU)

Resumo

O retículo endoplasmático é uma organela multifuncional envolvida na síntese, processamento e modelamento de proteínas, bem como participa do transporte intracelular e sinalização por cálcio. A VAPB interage com a mitocôndria para a homeostase do cálcio, participa da sinalização celular, da citoarquitetura, do processo de resposta a proteínas maldobradas e do tráfego entre o retículo endoplasmático e o complexo de Golgi. Este tráfego também é realizado pela proteína Rab1. O estresse do retículo endoplasmático pode estar associado à disfunção destas proteínas bem como é um evento comum às doenças neurodegenerativas, como a esclerose lateral amiotrófica. Desta forma, o presente estudo visa analisar a relação entre a expressão da VAPB, Rab1 e o estresse do retículo endoplasmático em neurônios motores de camundongos neonatos transgênicos para a SOD1 humana mutante (G93A), SOD1 não mutante e controles (B6SJL). A metodologia a ser empregada envolve genotipagem, cultura de neurônios motores, imunocitoquímica, western blot e expressão exógena da Rab1. (AU)

Resumo

O receptor de membrana CD36 é uma glicoproteína encontrada em vários tiposcelulares de mamíferos exercendo funções de facilitação do transporte internalizadorde ácidos graxos, regulação da angiogênese, modulação da atividade plaquetária,reconhecimento específico de lipoproteínas oxidadas e de certos produtos debactérias e fungos. Este receptor pode também estar envolvido em respostas aestímulos sensoriais, pois o CD36 de roedores e o homólogo de Drosophilamelanogaster estão envolvidos na preferência por dietas gordurosas e na sinalizaçãode feromônio lipídico, respectivamente. A presença do trancrito do Cd36 emneurônios no epitélio olfatório (OE) e no sistema nervoso central (SNC) foiverificada recentemente, mas a função da proteína nestes locais ainda édesconhecida. A proposta em questão tem por finalidade co-localizar o receptor commarcadores de tipos neuronais específicos do OE e das regiões relevantes do SNC. Ouso de camundongos que não expressam CD36 (Cd36 Obl) será empregado paravalidação de imunomarcação e avaliação da citoarquitetura na ausência do receptor.Os objetivos propostos, juntamente com a determinação da localização celular damolécula nestes neurônios, permitirão estabelecer protocolos experimentaisadequados para revelar a função neuronal do CD36. (AU)

Página 2 de 36 resultado(s)
|
Exportar 0 registro(s) selecionado(s) | Limpar seleção