site da FAPESP
 

Refine sua pesquisa

Pesquisa
  • Uma ou mais palavras adicionais
Publicações científicas
Auxílios à Pesquisa
Bolsas
Programas de Infraestrutura de Pesquisa
Área do conhecimento
Situação
Ano de início
66 resultado(s)
|

Resistência à insulina, obesidade e distúrbios cognitivos: comparação entre a terapia interdisciplinar e treinamento físico combinado

Processo:15/06630-1
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de novembro de 2016 - 31 de outubro de 2018
Área do conhecimento:Interdisciplinar
Pesquisador responsável:Ricardo Jose Gomes
Beneficiário:
Instituição-sede: Instituto de Saúde e Sociedade (ISS). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus Baixada Santista. Santos, SP, Brasil
Pesq. associados:

José Rodrigo Pauli ; Danielle Arisa Caranti ; Liu Chiao Yi Inoue ; Lila Missae Oyama ; Ana Raimunda Dâmaso ; Ronaldo Vagner Thomatieli dos Santos ; Alessandra Medeiros ; Sionaldo Eduardo Ferreira ; Emilson Colantonio

Assunto(s):MemóriaResistência à insulinaObesidadeCognição
Resumo
A relação entre a obesidade e o risco cardiometabólico está cada vez mais presente nos estudos científicos. Podemos vislumbrar a presença dessas comorbidades com o aparecimento de doenças cerebrovasculares, as quais podem ser responsáveis pelo desenvolvimento de quadros de demências e demais desordens cognitivas. Entretanto, não há estudos conclusivos que relacionem a resistência insulínica com os distúrbios cognitivos e memória em obesos sedentários e treinados. Da mesma forma é importante elucidar o papel de algumas adipocinas e miocinas sobre a memória. Sendo assim, se faz necessário estudar, em humanos, o papel dessas moléculas na função cognitiva de indivíduos obesos resistentes ou não à insulina e as implicações fisiológicas e cognitivas de diferentes formas de tratamento nas doenças envolvidas. Pensando na complexidade destas doenças multifatoriais, e nas diversas possibilidades de tratamentos, este estudo se propõe a comparar os efeitos de um programa de treinamento físico combinado isoladamente, com um programa de tratamento interdisciplinar, analisando as respostas imediatas e crônicas de adipocinas, biomarcadores metabólicos, imunológicos e miocinas relacionados aos aspectos cognitivos de obesos resistentes ou não a insulina. A amostra será composta por 100 indivíduos obesos de ambos os sexos com idade de 30 a 50 anos. Os voluntários serão randomizados em três grupos: Grupo Exercício Físico, Grupo Tratamento Interdisciplinar e Grupo Controle. Para melhor interpretação dos resultados iremos organizar os grupos a partir do HOMA, Circunferência abdominal, TyG index e presença ou não de diabetes tipo II. Para determinar as respostas crônicas (72h após a sessão) e imediatas (antes da sessão e 1h) após o tratamento, serão avaliados os parâmetros séricos: Irisina, BDNF, IGF-1, FGF-21, Adiponectina, Insulina, Clusterina, Glutamina, Glutamato, AST, ALT e Leptina, além do acompanhamento mensal de glicemia e triacilgliceridemia.Em relação à memória e aprendizagem, serão utilizados alguns questionários validados cientificamente, tais como o QMPR, WAISS-III/memória, Exame de Estado Mini-Mental. Será realizado o teste para verificação de normalidade, teste estatístico ANOVA com post-hoc de Newman-Keuls e as possíveis correlações. Acredita-se que o risco cardiometabólico pode prejudicar a função cognitiva em obesos, porém, espera-se que tal prejuízo seja influenciado pelo grau de resistência à insulina (RI). Além da RI, alterações nas concentrações séricas de algumas miocinas, fatores de crescimento e adipocinas podem mediar prejuízos de cognição e memória em obesos. Os possíveis benefícios do treinamento físico combinado sobre a memória e cognição podem estar relacionados à modulação de miocinas, fatores de crescimento, imunológicos e adipocinas. Espera-se ainda que a terapia interdisciplinar possa ser mais efetiva que o treinamento físico combinado isoladamente para controle/prevenção de distúrbios cognitivos e memória de obesos. (AU)

Variantes genéticas e variabilidade da frequência cardíaca em pacientes com antecedente de síndrome coronariana aguda

Processo:16/17464-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência: 01 de outubro de 2016 - 31 de agosto de 2018
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Moacir Fernandes de Godoy
Beneficiário:
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (FAMERP). Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia (São Paulo - Estado). São José do Rio Preto, SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:16/03983-3 - Variantes genéticas e variabilidade da frequência cardíaca em pacientes com antecedente de síndrome coronariana aguda, AP.R
Assunto(s):Síndrome coronariana agudaCardiologia
Resumo
Introdução - As doenças cardiovasculares (DCVs) compreendem a principal causa de morbimortalidade em todo o mundo, destacando-se a doença arterial coronária (DAC), que se caracteriza pela presença de placas ateroscleróticas ou ateromas nos vasos da circulação arterial do coração. Fatores de risco incluindo diabetes mellitus, hipertensão arterial, dislipidemia e obesidade, além de alterações genéticas e bioquímicas podem influenciar na aterogênese e instabilização de placas ateroscleróticas, ocasionando a síndrome coronariana aguda (SCA). Objetivos - Caracterizar o perfil genético e relacionar com perfil bioquímico e antropométrico, além de variabilidade da frequência cardíaca (VFC), e qualidade e hábitos de vida em pacientes com dislipidemia com ou sem SCA. Casuística e Métodos - Serão estudados 30 pacientes (LDLc e70 mg/dL), clinicamente já estáveis e com doença arterial coronária aterosclerótica, em tratamento com estatinas potentes em máximas doses toleradas por pelo menos 30 dias consecutivos, independente do sexo, com idade > 45 anos, sendo 20 com histórico de SCA precoce há pelo menos 12 meses do evento e 10 com dislipidemia em prevenção primária para desfechos cardiovasculares. Todos serão submetidos à coleta de amostra de sangue periférico para análise do DNA microarray (até 5 milhões de SNPs), além de avalição antropométrica (índice de massa corporal e circunferência abdominal) e variabilidade de frequência cardíaca. O perfil bioquímico (colesterol total e frações, triglicérides, glicemia e hemoglobina glicada) será obtido de prontuários médicos eletrônicos. Será admitido nível de significância para valor P<0,05. As análises do genoma completo serão realizadas por ferramentas de bioinformática com softwares específicos. (AU)

Variantes genéticas e variabilidade da frequência cardíaca em pacientes com antecedente de síndrome coronariana aguda

Processo:16/03983-3
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de setembro de 2016 - 31 de agosto de 2018
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Moacir Fernandes de Godoy
Beneficiário:
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (FAMERP). Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia (São Paulo - Estado). São José do Rio Preto, SP, Brasil
Pesq. associados:

Dorotéia Rossi Silva Souza ; Marcela Augusta de Souza Pinhel

Assunto(s):Síndrome coronariana agudaCardiologia
Resumo
Introdução - As doenças cardiovasculares (DCVs) compreendem a principal causa de morbimortalidade em todo o mundo, destacando-se a doença arterial coronária (DAC), que se caracteriza pela presença de placas ateroscleróticas ou ateromas nos vasos da circulação arterial do coração. Fatores de risco incluindo diabetes mellitus, hipertensão arterial, dislipidemia e obesidade, além de alterações genéticas e bioquímicas podem influenciar na aterogênese e instabilização de placas ateroscleróticas, ocasionando a síndrome coronariana aguda (SCA). Estudos epidemiológicos e familiares têm mostrado que a predisposição genética contribui com 40% a 60% de risco para DAC. Nesse caso, destacam-se os estudos de associação do genoma completo (GWAS-genome-wide association study), como um método para avaliar, simultaneamente, inúmeros polimorfismos de nucleotídeo único (SNP), na detecção de fatores de risco herdáveis. Nesse contexto, a compreensão dos respectivos fatores genéticos poderá contribuir na prevenção e tratamento de SCA. Objetivos - Caracterizar o perfil genético e relacionar com perfil bioquímico e antropométrico, além de variabilidade da frequência cardíaca (VFC), e qualidade e hábitos de vida em pacientes com dislipidemia com ou sem SCA. Casuística e Métodos - Serão estudados 30 pacientes (LDLc e70 mg/dL), clinicamente já estáveis e com doença arterial coronária aterosclerótica, em tratamento com estatinas potentes em máximas doses toleradas por pelo menos 30 dias consecutivos, independente do sexo, com idade > 45 anos, sendo 40 com histórico de SCA precoce há pelo menos 12 meses do evento e 40 com dislipidemia em prevenção primária para desfechos cardiovasculares. Todos serão submetidos à coleta de amostra de sangue periférico para análise do DNA microarray (até 5 milhões de SNPs), realizada em equipamento de alta performance (iSCAN - BeadChip em larga escala), além de avalição antropométrica (índice de massa corporal e circunferência abdominal) e variabilidade de frequência cardíaca. Nesse caso, será utilizado um cardiofrequencímetro para registro das oscilações dos intervalos entre batimentos cardíacos consecutivos (intervalos R-R). O perfil bioquímico (colesterol total e frações, triglicérides, glicemia e hemoglobina glicada) será obtido de prontuários médicos eletrônicos. A análise estatística será realizada utilizando teste t, modelo de regressão linear e correlação de Pearson. Será admitido nível de significância para valor P<0,05. As análises do genoma completo serão realizadas por ferramentas de bioinformática com softwares específicos. (AU)

Associação de obesidade e atividade física com a prevalência e gravidade das disfunções temporomandibulares em adolescentes

Processo:16/03225-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência: 01 de agosto de 2016 - 31 de julho de 2017
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia
Pesquisador responsável:Daniela Aparecida de Godoi Gonçalves
Beneficiário:
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia (FOAr). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara, SP, Brasil
Assunto(s):Fatores de riscoDisfunção temporomandibularAtividade físicaDor facialAdolescentesObesidade
Resumo
Obesidade é uma doença crônica e prevalente, atingindo de maneira progressiva crianças e adolescentes. Além de ser um fator de risco para doença cardiovascular, evidências sugerem que a obesidade está associada com alguns tipos de dores crônicas, especialmente as musculoesqueléticas. Dessa forma, nossa hipótese é que a obesidade também seja comórbida com a disfunção temporomandibular (DTM), uma condição dolorosa musculoesquelética da região orofacial, de alta prevalência entre adultos e adolescentes. Objetivo: Testar se a obesidade e a atividade física estão associadas a presença e severidade da DTM dolorosa nos adolescentes. Métodos: O cálculo amostral definiu n=600. Os participantes serão estudantes de escolas públicas municipais e particulares de Araraquara, SP. A amostra será estratificada de acordo com a presença de DTM (conforme o RDC-Eixo I) e caracterização nutricional (Índice de Massa Corporal, Bioimpedância, Pregas Cutâneas e Circunferência Abdominal). Serão descritas informações sócio-demográficas de acordo com a presença de DTM dolorosa. Outras variáveis serão avaliadas através de instrumentos validados incluindo cefaleias primárias, apneia obstrutiva do sono, avaliação do grau de atividade física, estágio de maturação sexual e depressão. Regressão logística multivariada será utilizada para estimar o odds ratio. O teste do qui-quadrado ou teste exato de Fisher será utilizado para estudo das associações de interesse, razão de prevalência (RP) e intervalo de confiança de 95% (IC) serão aplicados. O nível de significância adotado será de 5%. (AU)

Investigação epidemiológica da relação entre disfunção temporomandibular, comorbidades dolorosas, obesidade e distúrbios do sono em adolescentes

Processo:16/01243-2
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de julho de 2016 - 30 de junho de 2018
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia
Pesquisador responsável:Daniela Aparecida de Godoi Gonçalves
Beneficiário:
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia (FOAr). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara, SP, Brasil
Pesq. associados:

Giovana Fernandes

Assunto(s):Transtornos do sonoEpidemiologiaComorbidadeSíndrome da disfunção da articulação temporomandibularAdolescentesObesidade
Resumo
Introdução: A literatura tem demonstrado alta prevalência de dor crônica em crianças e adolescentes, incluindo a disfunção temporomandibular (DTM). As condições dolorosas, especialmente as crônicas, com frequência ocorrem simultaneamente nos mesmos indivíduos e estão associadas com alterações emocionais e psicossociais. Em adolescentes, a associação da DTM com outras condições ainda não está clara. Objetivo: Investigar a relação entre DTM dolorosa e comorbidades em adolescentes. Métodos: A amostra será composta por indivíduos de ambos os gêneros com 12 a 14 anos de idade, sendo 350 com DTM dolorosa e 350 controles. Serão coletados dados sócio-demográficos, e todos serão avaliados por meio dos seguintes instrumentos e técnicas validados: Research Diagnostic Criteria for Temporomandibular Disorders (RDC/TMD) para classificação da DTM; Escala de Faces Revisada (FPS-R) para avaliação da intensidade da dor; Limiar de Dor à Pressão (LDP) por meio de algometria trigeminal e extra-trigeminal; Maturação Sexual de acordo com estágios de Tanner; Composição Corporal (Índice de Massa Corporal, pregas cutâneas, circunferência abdominal e bioimpedância); Prática de Atividade Física, Pediatric Quality of Life InventoryTM - PedsQLTM para avaliação da qualidade de vida; Escala de Distúrbios de Sono em Crianças e Questionário sobre Comportamento do Sono; Questionário Nórdico Padronizado para avaliar a dor no corpo; Critérios da Sociedade Internacional de Cefaleias-II para diagnóstico de cefaleias; Inventário de Depressão Infantil-CDI; Critérios de Yunus para FM em adolescentes. O teste do qui-quadrado ou teste exato de Fisher será utilizado para estudo das associações de interesse. Modelos de regressão logística e linear serão utilizados para estimar o odds-ratio entre a presença e intensidade da DTM dolorosa e variáveis independentes. (AU)

Impacto do tratamento da apneia obstrutiva do sono em pacientes com síndrome metabólica: um estudo randomizado

Processo:16/08520-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência: 01 de junho de 2016 - 31 de agosto de 2017
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Luciano Ferreira Drager
Beneficiário:
Instituição-sede: Instituto do Coração Professor Euryclides de Jesus Zerbini (INCOR). Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo, SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:12/02953-2 - Impacto da apneia obstrutiva do sono e da duração do sono sobre a progressão das doenças cardiovasculares, AP.JP
Assunto(s):Apneia do sonoCardiologiaSíndrome metabólica
Resumo
A Apneia Obstrutiva do Sono (AOS) é uma condição clínica muito sub-diagnosticada mesmo em pacientes com alta probabilidade tais como pacientes com obesidade e Síndrome Metabólica. A maioria dos estudos que avaliaram o impacto cardiovascular da obesidade/Síndrome Metabólica falharam em considerar a AOS como um fator de confusão. Por exemplo, diversos estudos mostraram que a obesidade e a Síndrome Metabólica estavam associadas com alterações cardíacas estruturais e funcionais bem como sinais de aterosclerose. Nenhum destes estudos avaliaram a presença de uma AOS "oculta". OBJETIVO PRIMÁRIO: Avaliar o impacto do tratamento da AOS com o CPAP por 6 meses sobre o remodelamento cardíaco, marcadores de aterosclerose carotídea e coronariana. OBJETIVOS SECUNDÁRIOS:(1) avaliar o impacto do tratamento da AOS com o CPAP por 6 meses sobre parâmetros da Síndrome Metabólica, incluindo a circunferência abdominal, aumento da glicemia, triglicérides, HDL e pressão arterial.(2) avaliar o impacto do tratamento da AOS com o CPAP por 6 meses sobre parâmetros não contemplados no conceito da Síndrome Metabólica, mas também relacionadas à Síndrome, tais como a composição corporal, esteatose hepática, gordura visceral e insulina. MÉTODOS: Durante o período de 18 meses recrutaremos pacientes consecutivos de ambos os sexos com um diagnóstico recente de Síndrome Metabólica, classificada de acordo com os critérios do ATP III. Os pacientes selecionados serão sorteados para um dos 2 grupos: 1. CPAP ou 2. Tratamento inefetivo ou sham com dilatador nasal (grupo placebo). Após a randomização, os pacientes selecionados para o grupo CPAP serão convidados a fazer uma segunda polissonografia para a titulação da pressão necessária no CPAP para remissão dos eventos respiratórios. Os pacientes sorteados para tratamento com dilatador nasal também farão uma segunda polissonografia com uso de dilatador nasal. Os pacientes sorteados para CPAP receberão o aparelho, já na pressão determinada no exame de polissonografia. A adaptação inicial ao CPAP, bem como acompanhamento serão realizados por um profissional treinado. Todos os pacientes farão retornos semanais no primeiro mês e mensal nos seis meses subsequentes. Nos retornos será aferida a adesão ao CPAP ou ao dilatador nasal (com contagem dos dilatadores ainda disponíveis). O dilatador nasal será fornecido aos pacientes a cada retorno. O desenho experimental garantirá atenção semelhante aos pacientes, independente do grupo alocado. Ao final do estudo, o grupo randomizado para o grupo placebo receberá o CPAP com as orientações para o uso adequado.No período basal e 6 meses após a randomização os pacientes serão submetidos aos seguintes exames e procedimentos: 1) Polissonografia noturna; 2) Análise bidimensional do ecocardiograma; 3) Análise de marcadores de aterosclerose carotídea; 4) TC para avaliação da anatomia coronariana e da quantificação da gordura visceral e da esteatose hepática; 5) Exames Laboratoriais (AU)

Avaliação de múltiplos polimorfismos genéticos em mulheres com síndrome dos ovários policísticos

Processo:15/26152-7
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de maio de 2016 - 30 de abril de 2018
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Saúde Materno-infantil
Pesquisador responsável:Rui Alberto Ferriani
Beneficiário:
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Pesq. associados:

Rosana Maria dos Reis ; Anderson Sanches de Melo ; Carolina Sales Vieira ; Valeria Aguiar Gomes

Assunto(s):Hiperandrogenismo
Resumo
Introdução: Na tentativa de minimizar a heterogeneidade do estudo genético na síndrome dos ovários policísticos (SOP), autores chineses realizaram a primeira avaliação do genoma humano nestas mulheres e demonstraram maior freqüência do polimorfismo genético associado aos genes LHCGR, THADA, DENND1A, FSHr, YAP1, RAB5B/SUOX e SUMO1P1. Estes achados também foram demonstrados em populações dos EUA e países europeus, apesar da heterogeneidade étnica e geográfica da SOP. No Brasil, este dado ainda não foi avaliado. Conhecendo-se possíveis variantes genéticas relacionadas a este distúrbio, será possível estabelecer políticas de atenção à saúde para portadoras de SOP com o intuito de minimizar o gasto público com suas repercussões metabólicas e cardiovasculares ao longo da vida através de medidas adequadas de prevenção primária e secundária. Objetivos: Avaliar a associação dos polimorfismos genéticos [LHCGR (rs13405728) THADA (rs12468394, rs12478601), DENND1A (rs10818854, rs 10986105), FSHr (rs2349415, 2268361), YAP1 (rs1894116), RAB5B/SUOX (rs705702), c9orf3 (rs4385527, rs3802457) e SUMO1P1 (rs6022786)] com a presença de SOP em mulheres brasileiras comparadas à mulheres ovulatórias sem este distúrbio. Secundariamente, avaliar a relação destes polimorfismos com a presença de marcadores inflamatórios e metabólicos da disfunção do tecido adiposo, síndrome metabólica (MeTS), obesidade, resistência insulínica (RI) e as características definidoras da SOP (anovulação cônica, hiperandrogenismo clínico e/ou laboratorial e morfologia ultrassonográfica de ovários policísticos).Pacientes e Métodos: Estudo observacional, do tipo caso-controle que avaliará 392 mulheres divididas em dois grupos: 1) SOP (casos): composto por 196 mulheres portadoras de SOP e 2) Controle: representado por 196 mulheres ovulatórias sem SOP. Todas as pacientes serão submetidas à avaliação clínica (idade, índice de massa corporal, raça, características do ciclo menstrual, pressão arterial sistólica e diastólica, circunferência abdominal, hirsutismo e acantosis nigricans), laboratorial (hormônio folículo estimulante, hormônio tireo-estimulante, testosterona total, sulfato de deidroepiandrostenediona, 17 hidróxi progesterona, glicemia jejum, insulina jejum, homeostasis model assessment-insulin resistance index, lipidograma, MeTS, adiponectina total, adiponectina de alto peso molecular, leptina, fator de necrose tumoral ±), ultrassonográfica (morfologia de ovários policísticos e volume ovariano) e análise por reação em cadeia da polimerase (PCR) dos polimorfismos de nucleotídeo simples propostos nos objetivos. (AU)

Relação entre obesidade, cárie e microbiota intestinal/bucal em pré-escolares de 3 a 5 anos de Braganca Paulista-SP

Processo:15/24600-2
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de abril de 2016 - 31 de março de 2018
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Saúde Coletiva - Medicina Preventiva
Pesquisador responsável:Thaís Parisotto Ulmer
Beneficiário:
Instituição-sede: Universidade São Francisco (USF). Campus Bragança Paulista. Bragança Paulista, SP, Brasil
Assunto(s):CriançasCárie dentáriaPediatria
Resumo
Controlar doenças de expressão mundial como a obesidade infantil e a cárie precoce da infância é um grande desafio para a saúde pública na atualidade. Assim, pesquisas que possibilitem o estudo de indicadores de risco para essas doenças devem ser estimuladas. O objetivo do presente projeto será avaliar a relação entre obesidade, cárie precoce da infância, frequência de exposição a açúcares, fatores imunológicos e microbiota bucal/intestinal. Inicialmente, 400 crianças, de 3 a 5 anos, que frequentam escolas públicas de Bragança Paulista, serão submetidas a avaliação do estado nutricional por meio do índice de massa corporal de acordo com os padrões da Organização Mundial de Saúde(OMS). Considerando-se que a prevalência da obesidade nessa população é cerca de 10%, dois grupos serão formados: 1. Obesos (n=40) 2. Eutróficos (n=40). Medidas antropométricas complementares (circunferência abdominal, do quadril e prega cutânea tricipital) serão aferidas e o índice de cárie será avaliado por meio de exames clínicos utilizando-se o critério da OMS, modificado pela inclusão de lesão de mancha branca ativa. O biofilme dentário de todas as superfícies lisas livres e amostras de fezes serão coletados desses pré-escolares para avaliação de Streptococcus mutans/sobrinus (estreptococos grupo mutans), Lactobacillus e da proporção dos filos bacterianos Bacteroidetes x Firmicutes, por meio de real-time PCR. Saliva sem estimulação será coletada para dosagem de Interleucina-6 (IL-6), fator de necrose tumoral ± (TNF-±), Imunoglobulinas A secretoras (IgA) totais por meio do teste de ELISA e para dosagem de IgA específica contra proteína ligante de glucano B (antígeno de virulência de Streptococcus mutans, principal patógeno da cárie), por meio de citometria de fluxo de microesfras. A frequência de exposição aos açúcares será avaliada por meio de um diário de dieta. Os dados serão analisados por regressão logística, a fim de se construir um modelo que identifique dentre os fatores estudados quais os mais relevantes para a obesidade/cárie (± = 0.05). (AU)

Resistance training reduces systolic blood pressure in metabolic syndrome: a systematic review and meta-analysis of randomized controlled trials

Processo:16/02507-3
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Artigo
Vigência: 01 de abril de 2016 - 30 de setembro de 2016
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Pesquisador responsável:Jayme Netto Junior
Beneficiário:
Instituição-sede: Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Presidente Prudente. Presidente Prudente, SP, Brasil
Assunto(s):Diabetes mellitus
Resumo
Objetivo: Avaliar os efeitos do treinamento resistido sobre os fatores de risco da Síndrome Metabólica comparado com grupo controle. Delineamento: Inclusos na meta-analise somente intervenções que comparassem o treinamento resistido com um grupo controle. Dois revisores independentes selecionaram os estudos e avaliaram sua qualidade e seus dados. O pooling da diferença média entre os grupos de treinamento resistido e controle foram calculados utilizando o modelo de efeito fixo. Bases de dados: Medline, Pedro, Embase, SPORTDiscus e The Cochrane Library foram pesquisadas desde os primeiros registros até 10 de Janeiro de 2015. Os critérios de elegibilidade para a seleção dos estudos foram: Ensaios clínicos randomizados que comparem os efeitos do treinamento resistido sobre os fatores de risco da síndrome metabólica com um grupo controle. Todos os tipos de treinamento resistido, independentemente da intensidade, frequência ou duração, eram elegíveis. Resultados: Apenas pressão arterial sistólica foi significativamente reduzida, com 4,08 mmHg (IC 95% 1,33, 6,82; p <0,01), após o treinamento resistido. O pooled mostrou um efeito de 0,04 mmol / L (CI 95% -0,12, 0,21, p> 0,05) na redução de glicose no plasma em jejum, (IC 95% -0,05, 0,04, p> 0,05) 0,00 para colesterol HDL, 0,03 ( IC 95% -0,14, 0,20; P> 0,05) para os triglicerídeos, 1,39 mm Hg (IC95 -0,19%, 2,98; p = 0,08) para a pressão diastólica do sangue e 1,09 cm (IC 95% -0,12, 2,30; p = 0,08) para a circunferência abdominal. A inconsistência (I2) de toda a meta-análise foi de 0%. Conclusão: O treinamento resistido pode ajudar a reduzir os níveis de pressão arterial sistólica, mortalidade por AVC e por doença cardíaca em pessoas com síndrome metabólica. (AU)

Associação entre polimorfismo nos genes PSCK9, INSIG2 e FTO com o desenvolvimento de síndrome metabólica em pacientes com obesidade grave

Processo:15/20513-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência: 01 de fevereiro de 2016 - 31 de dezembro de 2016
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Nutrição
Pesquisador responsável:Carla Barbosa Nonino
Beneficiário:
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Assunto(s):PolimorfismoObesidadeSíndrome metabólica
Resumo
Introdução: Síndrome metabólica (SM) é um termo utilizado para caracterizar fatores de risco que aumentam diretamente o risco de diabetes mellitus tipo 2, doenças cardiovasculares, obesidade e mortalidade. Existem diferentes definições ou critérios diagnósticos. A prevalência mundial da SM varia de 10% a 84%, conforme região, ambiente urbano ou rural, população estudada e a definição utilizada para diagnóstico. Fatores ambientais associados aos fatores genéticos estão envolvidos no desenvolvimento da SM. Vários polimorfismos de nucleotídeo único (SNPs) estão associados a fatores de risco que predispõem à síndrome metabólica, entretanto ainda não estão bem estabelecidos os genes envolvidos nesse processo. O polimorfismo E670G do gene PCSK9 possui importante papel no metabolismo de colesterol, modulando o número de receptores de lipoproteína de baixa densidade (LDLR), elevando os níveis circulantes de LDL-colesterol. O polimorfismo rs75666605 no gene INSIG2 também apresenta função estabelecida no metabolismo de colesterol e glicose. Ainda, o polimorfismo rs9939609 do gene FTO está diretamente relacionado a um maior acúmulo de gordura corporal. Objetivo: Analisar a associação entre os polimorfismos E670G no gene PCSK9, polimorfismo rs75666605 do gene INSIG2 e polimorfismo rs9939609 do gene FTO com o desenvolvimento de síndrome metabólica em pacientes com obesidade grave. Casuística e Metodologia: Serão selecionadas 150 indivíduos de população miscigenada, entre 18 e 60 anos, com obesidade grau II ou III candidatas à cirurgia bariátrica, os quais serão selecionados no Ambulatório de Cirurgia Bariátrica do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (HCFMRP-USP). Trata-se de um estudo de caráter transversal, no qual todos os pacientes serão submetidas à avaliação nutricional (peso, estatura, índice de massa corporal e circunferência abdominal), aferição da pressão arterial, questionário de hábitos de vida, antecedentes pessoais e história familiar de doenças crônicas. Ainda, será coletado material biológico (sangue periférico) para análise genética (por Reação em Cadeia da Polimerase em tempo real) e bioquímica (glicemia de jejum e lipidograma). Para análise estatística serão realizados teste Kolmogorovi-Smirnov, teste t e Fisher ou qui-quadrado (p<0,05). (AU)

Efetividade do seguimento farmacoterapêutico no atendimento de pacientes com diabetes mellitus tipo 2

Processo:15/23163-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência: 01 de dezembro de 2015 - 31 de março de 2016
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia
Pesquisador responsável:Cristiane de Cássia Bergamaschi
Beneficiário:
Instituição-sede: Pró-Reitoria Acadêmica. Universidade de Sorocaba (UNISO). Sorocaba, SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/10987-7 - Efetividade do seguimento farmacoterapêutico no atendimento de pacientes com Diabetes mellitus tipo 2, AP.R
Assunto(s):Diabetes mellitus tipo 2
Resumo
Poucos estudos nacionais tem estabelecido a efetividade do seguimento farmacoterapêutico (SF) em pacientes com Diabetes Mellitus tipo 2 (DM2). O presente estudo avalia os resultados clínicos do SF pelo Pharmacotherapy Workup em pacientes com DM2 atendidos pela Farmácia Comunitária Vital Brazil (FCVB), município de Sorocaba-SP. Ensaio clínico randomizado por um período de 12 meses no qual 50 pacientes com DM2 maiores de 18 anos são divididos em dois grupos: 1) intervenção farmacêutica (n=25, atendido pelo protocolo de SF) e 2) controle (n=25, atendido pelo procedimento habitual da dispensação). São comparados os desfechos clínicos: crise hipoglicêmica, pé-diabético, retinopatia diabética, emergência hipertensiva, insuficiência renal, hemoglobina glicada (HbA1c), glicemia capilar (GC), pressão arterial (PA), colesterol total (CT), HbA1c/PA, HbA1c/CT, circunferência abdominal e índice de massa corporal (IMC) em ambos os grupos. É feita a caracterização do paciente quanto aos parâmetros sóciodemográficos, culturais e identificação dos problemas relacionados aos medicamentos (PRM). Os parâmetros clínicos (GC, PA, CA, IMC, crise hipoglicêmica e emergência hipertensiva) são aferidos: consulta farmacêutica inicial, 2 meses, 4 meses, 8 meses e 12 meses após a consulta inicial para ambos os grupos. O projeto avalia os benefícios da prática clínica pelo SF no atendimento do paciente com DM2 e contribui na capacitação de profissionais para esta prática. (AU)

Prevalência da cárie precoce da infância e da obesidade em pré-escolares de Bragança Paulista - SP e a relação dessas patologias com IgA salivar e Streptococcus mutans

Processo:15/12349-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência: 01 de outubro de 2015 - 31 de dezembro de 2016
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Odontopediatria
Pesquisador responsável:Thaís Parisotto Ulmer
Beneficiário:
Instituição-sede: Universidade São Francisco (USF). Campus Bragança Paulista. Bragança Paulista, SP, Brasil
Assunto(s):Cárie dentáriaSalivaBiofilmes
Resumo
A cárie precoce da infância e a obesidade infantil têm sido desafios de saúde pública na atualidade. O diagnóstico precoce favorece medidas de prevenção e controle mais efetivas para essas doenças, visto que as mesmas possuem fatores etiológicos em comum, como a ingestão de açúcares. Os objetivos do presente projeto de pesquisa serão: 1. avaliar a prevalência da cárie precoce da infância e da obesidade e 2. avaliar a relação entre essas patologias e as concentração de Imunoglobulinas A secretoras (IgA) salivar e a contagem de Streptococcus mutans no biofilme. A amostra será constituída de 384 crianças, de 3 a 5 anos, que frequentam escolas públicas de Bragança Paulista - SP. As crianças serão submetidas a exames clínicos para diagnóstico de cárie utilizando-se o critério da Organização Mundial de Saúde (OMS), modificado pela inclusão de lesão de mancha branca ativa. Uma examinadora previamente calibrada realizará esses exames. As crianças serão classificadas em eutróficas ou obesas por meio das medidas de peso e altura (utilizando-se balança digital e fita métrica) de acordo com os padrões da OMS. Medidas antropométricas complementares: circunferência abdominal, do quadril e prega cutânea tricipital também serão aferidas. A exposição ao açúcar será avaliada por meio de um diário de dieta, onde será anotado tudo o que a criança comer e beber por três dias consecutivos. Para as análises de IgA salivar e Streptococcus mutans, 80 crianças selecionadas a partir das 384 serão divididas em 2 grupos: 1. Cárie ativas (n=40) e 2. Livres de cárie (n=40), sendo 40% de cada grupo obesos. O biofilme dentário dos incisivos centrais superiores será coletado para quantificação de Streptococcus mutans por meio do cultivo em meio específico. Saliva será coletada sem estimulação para dosagem de IgA salivar por meio do teste de ELISA. Os dados serão analisados por estatística descritiva, regressão logística e correlação de Spearman (a = 0.05). (AU)

Análise da relação entre obesidade central e pacientes portadores de aneurismas da aorta

Processo:14/18276-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência: 01 de setembro de 2015 - 30 de abril de 2016
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Pesquisador responsável:Antonio Eduardo Zerati
Beneficiário:
Instituição-sede: Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo, SP, Brasil
Assunto(s):Gordura abdominalProcedimentos cirúrgicos vasculares
Resumo
INTRODUÇÃO: A patogênese do crescimento do aneurisma de aorta abdominal infra-renal (AAA) ainda não é totalmente definida. Importantes fatores são os marcadores inflamatórios como interleucina-6 e metaloproteinases específicas indutoras da degradação de colágeno e elastina na parede da aorta. Drogas de ação anti-inflamatória, como as estatinas, estão associadas à redução da taxa de crescimento do aneurisma diminuindo também a morbi-mortalidade perioperatória decorrente de eventos cardiovasculares.Todas as artérias, incluindo a aorta, são cercadas por tecido adiposo perivascular. Acredita-se que este tecido perivascular produza substâncias inflamatórias que podem ter participação na doença degenerativa arterial, principal etiologia dos aneurismas da aorta. A forma como a gordura é distribuída pode ser avaliada pelo estudo antropométrico de adiposidade feito pelas medidas da circunferência abdominal e relação quadril-cintura. A fase da respiração (inspiração ou expiração) no momento da medida, maior ou menor distensão abdominal alterando a circunferência de maneira não relacionada ao volume de gordura visceral e o posicionamento da fita métrica são fatores que podem causar oscilação nas medidas antropométricas. Já a tomografia computadorizada, método de escolha para a avaliação dos pacientes com aneurisma de aorta abdominal, pode ser utilizada para medida da gordura visceral em volume e área, trazendo maior exatidão nas medidas, além de permitir diferenciar a gordura subcutânea da intra-abdominal. OBJETIVOS: O objetivo principal deste estudo é identificar o perfil de obesidade central nos pacientes portadores de aneurismas da aorta abdominal. Outro objetivo é estudar a relação da gordura abdominal com os aneurismas conforme o diâmetro transverso máximo. CASUÍSTICA E MÉTODO: Serão avaliadas as tomografias computadorizadas de abdome de 300 pacientes consecutivos acompanhados no Ambulatório de Aneurismas da Disciplina de Cirurgia Vascular e Endovascular do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo atendidos entre 01 de Janeiro de 2012 e 30 de Junho de 2014. Utilizando o programa Osirix®, será determinada a área de gordura subcutânea e a área de gordura intra-abdominal dos pacientes com aneurisma de aorta abdominal, além do diâmetro transverso máximo da aorta infra-renal em milímietros. Será determinado o perfil de obesidade central, baseado nas áreas médias de gordura visceral e gordura subcutânea, dos pacientes com aneurismas pequenos (entre 30 e 50mm), médios (51 a 60mm) e grandes (e 61mm). (AU)

Avaliação quantitativa do gosto amargo em homens adultos

Processo:15/00403-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência: 01 de setembro de 2015 - 31 de agosto de 2016
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Julio Sérgio Marchini
Beneficiário:
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Assunto(s):ObesidadeNutrologia
Resumo
Introdução: As preferências alimentares estão diretamente relacionadas com o sabor percebido pelo indivíduo, e também com o estado nutricional de cada um. Estudos recentes avaliam a relação do sabor percebido com o IMC do indivíduo, porém são necessários mais estudos na área. Objetivo e Justificativa: Tendo em vista o aumento dos índices de sobrepeso e obesidade no país e mudanças no padrão alimentar, esse estudo propõe avaliar quantitativamente a percepção gustativa do gosto amargo em homens com obesidade. Materiais e métodos: Uma solução de quinino a 0,4g/L será aplicada na língua com um cotonete, seguida de um bochecho. Após isso o voluntário marcará o grau de intensidade percebido na escala de magnitude rotulada. 50 homens serão submetidos ao protocolo que contempla: a) aferição de peso, altura, índice de massa corporal e circunferência abdominal; b) aplicação da solução de quinina supracitada; c) pontuação na escala de magnitude rotulada. Critérios de inclusão: sexo masculino, idade entre 18 e 59 anos, pesar até 150 kg, ser paciente, acompanhante ou funcionário do Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto. Critérios de exclusão: consumo de tabaco nos últimos 30 dias, ser parente de 1º grau de algum paciente que já está incluído na pesquisa, histórico de acidente vascular cerebral, presença de coriza, congestão nasal ou espirros frequentes, tratamento odontológico no mesmo dia da pesquisa, ser portador de demência, estar com nível de consciência alterado, sonolento, apresentar tremor de membros superiores visível. Forma de analise dos resultados: Além de estatística descritiva, correlações lineares serão realizadas na busca de associações entre a sensibilidade percebida, idade e dados antropométricos. (AU)

Risco cardiovascular e carga alostática em profissionais de enfermagem que atuam em oncologia: variáveis biopsicossociais e relacionadas ao trabalho

Processo:14/10321-1
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de novembro de 2014 - 31 de janeiro de 2017
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Enfermagem - Enfermagem Médico-cirúrgica
Pesquisador responsável:Angela Maria Geraldo Pierin
Beneficiário:
Instituição-sede: Escola de Enfermagem (EE). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesq. associados:

Juliana Nery de Souza Talarico ; Juliano dos Santos

Assunto(s):Pessoal de saúdeEnfermeirosFatores de riscoDoenças cardiovascularesMonitorização ambulatorial da pressão arterialHipertensãoEfeitos psicossociais da doença
Resumo
Introdução: Profissionais de saúde estão diariamente expostos a diversos riscos, pois trabalham sob grande pressão, tensão e sobrecarga, além de lidarem com doença, dor, sofrimento e morte. Estudos apontam que as características do trabalho dos profissionais de enfermagem podem influenciar na presença de Fatores de Risco Cardiovascular (FRC). Entre os profissionais de enfermagem que atuam na assistência a pacientes com câncer, as doenças cardiovasculares são uma das principais causas de absenteísmo e o estresse é um dos FRC mais prevalente. A análise dos mediadores relacionados à reação adaptativa ao estresse, a carga alostática, tem sido utilizada para avaliar indiretamente o funcionamento dos sistemas cardiovascular, imunológico, metabólico e neuroendócrino para predizer morbidade e mortalidade em alguns segmentos populacionais. No entanto, até o momento, não foi realizado estudo em âmbito nacional utilizando essa estratégia para estratificação de risco. Objetivos: avaliar a prevalência de FRC, com destaque para a hipertensão arterial e o perfil de Carga Alostática em profissionais de enfermagem que atuam na assistência oncológica. Método: Será realizada amostragem aleatória simples dos profissionais de enfermagem de unidades de internação do Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA) e o tamanho da amostra calculado foi estimado em no mínimo 211 indivíduos. O projeto de pesquisa foi aprovado pelos Comitês de Ética em Pesquisa (CAAE:13329513.3.0000.5392) da Escola de Enfermagem da USP (Parecer 320.343) e do INCA (Parecer 46/13). As variáveis psicossoscias e relacionadas ao trabalho serão mensuradas através dos instrumentos: a) Maslach Inventory Burnout que avalia se o indivíduo está em Burnout; b) Inventário de Depressão de Beck para avaliar a presença de ansiedade e sintomas depressivos; c) Self Reporting Questionnaire (SRQ 20), que permite rastrear possíveis portadores de transtornos mentais menores; d) Escala Bianchi de Stress para avaliar o nível de stress no desempenho das atividades de trabalho; e e) Pittsburg Sleep Quality Index (PSQI) para avaliar a qualidade e distúrbios relacionados ao sono. Os participantes serão indagados sobre antecedentes pessoais e familiares e hábitos de vida. A medida da pressão arterial casual será realizada com aparelho automático validado. A monitorização ambulatorial da pressão arterial (MAPA) com aparelho oscilométrico, durante 24 horas (medidas a cada 20 minutos durante 24 horas). Será efetuada coleta de sangue com o participante em 12 horas de jejum para realização de exames de: glicemia, colesterol total e frações, triglicérides, hemoglobina glicada, cortisol plasmático, fibrinogênio e proteína C-reativa ultrassensível. Também serão realizadas medidas antropométricas peso e altura para determinar o índice de massa corpórea e a circunferência abdominal. A estratificação de risco será realizada por meio do Escore das Tabelas de Risco de Framingham e do Índice de Carga Alsotática, obtido através de Biomarcadores do Estresse. A prevalência de fatores de risco cardiovascular será descrita em números absolutos (n) e percentuais (%) e pela estatística descritiva das variáveis pertinentes. A análise das relações entre o risco cardiovascular e o índice de carga alostática e as variáveis nominais e ordinais será feita por meio do teste de Qui-quadrado ou Razão de verossimilhança. Para as variáveis contínuas, será utilizado o teste de Mann-Whitney ou teste T-Student. As variáveis que apresentarem associações estatisticamente significantes na análise univariada serão submetidas a análise multivariada (regressão de Poisson com variância robusta) e os resultados serão apresentados em tabela contendo parâmetro estimado, erro padrão, razão de prevalência e Intervalo de confiança. O nível de significância utilizado será de 5% e os dados serão analisados no programa estatístico R versão 2.7.1 e SPSS v.18.0. (AU)

Efetividade do seguimento farmacoterapêutico no atendimento de pacientes com diabetes mellitus tipo 2

Processo:14/21253-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência: 01 de novembro de 2014 - 31 de outubro de 2015
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia
Pesquisador responsável:Cristiane de Cássia Bergamaschi
Beneficiário:
Instituição-sede: Pró-Reitoria Acadêmica. Universidade de Sorocaba (UNISO). Sorocaba, SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/10987-7 - Efetividade do seguimento farmacoterapêutico no atendimento de pacientes com Diabetes mellitus tipo 2, AP.R
Assunto(s):Diabetes mellitusAtenção farmacêutica
Resumo
Poucos estudos nacionais tem estabelecido a efetividade do seguimento farmacoterapêutico (SF) em pacientes com Diabetes Mellitus tipo 2 (DM2). O presente estudo avaliará os resultados clínicos do SF pelo Pharmacotherapy Workup em pacientes com DM2 atendidos pela Farmácia Comunitária Vital Brazil (FCVB), município de Sorocaba-SP. Estudo controlado, randomizado e longitudinal por um período de 12 meses no qual 50 pacientes com DM2 maiores de 18 anos serão divididos em dois grupos: 1) intervenção farmacêutica (n=25, atendido pelo protocolo de SF) e 2) controle (n=25, atendido pelo procedimento habitual da dispensação). Serão comparados os desfechos clínicos: crise hipoglicêmica, pé-diabético, retinopatia diabética, emergência hipertensiva, insuficiência renal, hemoglobina glicada (HbA1c), glicemia capilar (GC), pressão arterial (PA), colesterol total (CT), HbA1c/PA, HbA1c/CT, circunferência abdominal e índice de massa corporal (IMC) em ambos os grupos. Será feita a caracterização do paciente quanto aos parâmetros sóciodemográficos, culturais e identificação dos problemas relacionados aos medicamentos (PRM). Os parâmetros clínicos (GC, PA, CA, IMC, crise hipoglicêmica e emergência hipertensiva) serão aferidos: consulta farmacêutica inicial, 2 meses, 4 meses, 8 meses e 12 meses após a consulta inicial para ambos os grupos. Demais parâmetros serão verificados no início e 12 meses após a consulta inicial. O projeto pretende avaliar os benefícios da prática clínica pelo SF no atendimento do paciente com DM2 e contribuir na capacitação de profissionais para esta prática. (AU)

Hipogonadismo associado à obesidade: efeitos do tratamento com citrato de clomifeno

Processo:13/16781-1
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de agosto de 2014 - 31 de julho de 2017
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Elaine Maria Frade Costa
Beneficiário:
Instituição-sede: Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo, SP, Brasil
Pesq. associados:

Andressa Heimbecher Soares ; Cintia Cercato

Assunto(s):EndocrinologiaObesidadeHipogonadismoTestosteronaClomifenoArtéria braquial
Resumo
Os crescentes níveis mundiais de obesidade e a sua identificação como causa de hipogonadismo secundário em homens geram a necessidade de se estudar novos tratamentos para o hipoandrogenismo. O tratamento padrão, a reposição com testosterona, acarreta melhora nos parâmetros metabólicos mas ocasiona infertilidade, além de seus benefícios sobre a disfunção endotelial (DE) e sobre o risco cardiovascular serem controversos. O objetivo primário desta pesquisa é avaliar a DE através da dilatação fluxo mediada da artéria braquial (DFMAB), dosagem sérica de sICAM-1, selectina-sE, sVCAM-1 e células progenitoras endoteliais (CPEs) em homens jovens com hipogonadismo secundário à obesidade submetidos ao tratamento com o medicamento Citrato de Clomifeno (CC). Os objetivos secundários incluem a avaliação de parâmetros metabólicos (peso, circunferência abdominal, glicemia, colesterol total e frações, triglicérides, índice HOMA, hemoglobina glicada e dados de bioimpedânciometria) e de parâmetros hormonais (testosterona total, SHBG, LH, FSH e estradiol). Métodos/Desenho: 70 pacientes obesos com idade entre 20 e 50 anos, serão randomizados em dois grupos: placebo e intervenção com CC. Na randomização e ao final de 12 semanas os pacientes realizarão as coletas laboratoriais descritas e serão submetidos à DFMAB. Espera-se comparar o comportamento da função endotelial, parâmetros metabólicos e hormonais nestes 2 grupos. (AU)

Treinamento resistido na síndrome metabólica: uma revisão sistemática e meta-análise

Processo:14/05419-2
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Mestrado
Vigência: 01 de julho de 2014 - 30 de setembro de 2014
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Pesquisador responsável:Jayme Netto Junior
Beneficiário:
Supervisor no Exterior: Paulo Henrique Ferreira
Instituição-sede: Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Presidente Prudente. Presidente Prudente, SP, Brasil
Local de pesquisa: University of Sydney (Austrália)
Assunto(s):Reabilitação (terapêutica médica)Síndrome X metabólicaTreinamento físico
Resumo
O treinamento resistido é amplamente praticado na prevenção e tratamento de doenças crônico-degenerativas, especialmente quando relacionado à Síndrome Metabólica (SM), porém seus reais efeitos nesta população permanecem incertos. Esse fato pode ser justificado pelo uso de diferentes metodologias, não observando a progressão de cargas e controle de séries e repetições presentes em uma periodização adequada. Objetivo: Investigar, por meio de revisão sistemática, modalidades e periodizações utilizadas que apresentam melhores desfechos em relação aos marcadores da SM, variáveis clínicas e qualidade de vida. Método: Serão considerados artigos que utilizem apenas o treinamento resistido como tratamento da SM. Os artigos serão selecionados a partir da busca eletrônica nas bases de dados MEDLINE, SCIELO, PEDro, EMBASE, Sports Discus e The Cochrane Library, utilizando as palavras-chaves: metabolic syndrome; metabolic syndrome x; resisted training; strength training. Serão incluídos ensaios clínicos randomizados, com uma amostra sem restrição, a fim de localizar os desfechos relacionados à circunferência abdominal, níveis de HDL-Colesterol, glicemia, triglicérides, pressão arterial, força muscular e qualidade de vida. (AU)

Associação entre polimorfismo no gene PPARG2 e a composição corporal de pacientes obesos após derivação gástrica em Y de Roux

Processo:13/17480-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência: 01 de maio de 2014 - 31 de dezembro de 2014
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Nutrição
Pesquisador responsável:Carla Barbosa Nonino
Beneficiário:
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Assunto(s):Composição corporalCirurgia bariátricaObesidadeNutrigenômica
Resumo
O número de indivíduos obesos tem apresentado grande aumento nos último anos em todo o mundo. Neste contexto, a cirurgia bariátrica é um dos procedimentos mais utilizados para a perda de peso. A derivação gástrica com Y de Roux (DGYR) que consiste em uma readaptação da capacidade gástrica e intestinal do paciente, provocando alterações na ingestão e absorção alimentar, é o procedimento considerado padrão-ouro pelo cirurgiões. No período pós cirúrgico, um dos grandes desafios é a estabilização do peso a longo prazo, uma vez que muitos tornam a ganhar peso no pós operatório tardio. Atualmente, muitos estudos são feitos em busca do entendimento da complexidade da obesidade e das interações entre os genes e ambiente para que, com a identificação dos polimorfismos, seja identificada e melhor compreendida a influência genética na alimentação e na resposta metabólica. Diversos possíveis genes associados à obesidade hoje são estudados e são apontados como preditores do ganho ponderal e distribuição da gordura corporal, estando associado a medidas de circunferência abdominal, massa gorda e doenças associadas. O gene PPARG2 participa da regulação da adipogênese, transporte de ácidos graxos, metabolismo da glicose e de lipídios, apresentando grande influência na obesidade e podendo estar associado as variações individuais das alterações na composição corporal após a cirurgia bariátrica. Desta maneira, pretende-se analisar a influência do polimorfismo Pro12Ala no gene PPARG2 e as modificações na composição corporal e no lipidograma de pacientes obesos após 12 meses de cirurgia. Com os resultados obtidos, poderão ser ampliados os cuidados com os pacientes no pós operatório de cirurgia bariátrica, no tratamento da obesidade e até mesmo na prevenção da obesidade. (AU)

Impacto do tratamento da apneia obstrutiva do sono em pacientes com síndrome metabólica: um estudo randomizado

Processo:14/06774-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência: 01 de maio de 2014 - 30 de abril de 2016
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Luciano Ferreira Drager
Beneficiário:
Instituição-sede: Instituto do Coração Professor Euryclides de Jesus Zerbini (INCOR). Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo, SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:12/02953-2 - Impacto da apneia obstrutiva do sono e da duração do sono sobre a progressão das doenças cardiovasculares, AP.JP
Assunto(s):Apneia do sonoCardiologiaSíndrome metabólica
Resumo
A Apneia Obstrutiva do Sono (AOS) é uma condição clínica muito sub-diagnosticada mesmo em pacientes com alta probabilidade tais como pacientes com obesidade e Síndrome Metabólica. A maioria dos estudos que avaliaram o impacto cardiovascular da obesidade/Síndrome Metabólica falharam em considerar a AOS como um fator de confusão. Por exemplo, diversos estudos mostraram que a obesidade e a Síndrome Metabólica estavam associadas com alterações cardíacas estruturais e funcionais bem como sinais de aterosclerose. Nenhum destes estudos avaliaram a presença de uma AOS "oculta". OBJETIVO PRIMÁRIO: Avaliar o impacto do tratamento da AOS com o CPAP por 6 meses sobre o remodelamento cardíaco, marcadores de aterosclerose carotídea e coronariana.OBJETIVOS SECUNDÁRIOS:(1) avaliar o impacto do tratamento da AOS com o CPAP por 6 meses sobre parâmetros da Síndrome Metabólica, incluindo a circunferência abdominal, aumento da glicemia, triglicérides, HDL e pressão arterial.(2) avaliar o impacto do tratamento da AOS com o CPAP por 6 meses sobre parâmetros não contemplados no conceito da Síndrome Metabólica, mas também relacionadas à Síndrome, tais como a composição corporal, esteatose hepática, gordura visceral e insulina.MÉTODOS: Durante o período de 18 meses recrutaremos pacientes consecutivos de ambos os sexos com um diagnóstico recente de Síndrome Metabólica, classificada de acordo com os critérios do ATP III. Os pacientes selecionados serão sorteados para um dos 2 grupos: 1. CPAP ou 2. Tratamento inefetivo ou sham com dilatador nasal (grupo placebo). Após a randomização, os pacientes selecionados para o grupo CPAP serão convidados a fazer uma segunda polissonografia para a titulação da pressão necessária no CPAP para remissão dos eventos respiratórios. Os pacientes sorteados para tratamento com dilatador nasal também farão uma segunda polissonografia com uso de dilatador nasal. Os pacientes sorteados para CPAP receberão o aparelho, já na pressão determinada no exame de polissonografia. A adaptação inicial ao CPAP, bem como acompanhamento serão realizados por um profissional treinado. Todos os pacientes farão retornos semanais no primeiro mês e mensal nos seis meses subsequentes. Nos retornos será aferida a adesão ao CPAP ou ao dilatador nasal (com contagem dos dilatadores ainda disponíveis). O dilatador nasal será fornecido aos pacientes a cada retorno. O desenho experimental garantirá atenção semelhante aos pacientes, independente do grupo alocado. Ao final do estudo, o grupo randomizado para o grupo placebo receberá o CPAP com as orientações para o uso adequado.No período basal e 6 meses após a randomização os pacientes serão submetidos aos seguintes exames e procedimentos: 1) Polissonografia noturna; 2) Análise bidimensional do ecocardiograma; 3) Análise de marcadores de aterosclerose carotídea; 4) TC para avaliação da anatomia coronariana e da quantificação da gordura visceral e da esteatose hepática; 5) Exames Laboratoriais (AU)
66 resultado(s)
|
Exportar 0 registro(s) selecionado(s) | Limpar seleção
CDi/FAPESP - Centro de Documentação e Informação da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo

R. Pio XI, 1500 - Alto da Lapa - CEP 05468-901 - São Paulo/SP - Brasil
cdi@fapesp.br - Converse com a FAPESP