site da FAPESP
 

Refine sua pesquisa

Pesquisa
  • Uma ou mais palavras adicionais
Publicações científicas
Auxílios à Pesquisa
Bolsas
Programas voltados a Temas Específicos
Programas de Pesquisa direcionados à Aplicação
Programas de Infraestrutura de Pesquisa
Área do conhecimento
Situação
Ano de início
920 resultado(s)
|

Liane Beretta de Azevedo | Teesside University - Inglaterra

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências (FC). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Bauru. Bauru, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Sandra Lia do Amaral Cardoso
Pesquisador visitante: Liane Beretta de Azevedo
Instituição do pesquisador visitante: Teeside University (Inglaterra)
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Saúde Coletiva - Saúde Pública
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisador Visitante - Internacional
Processo:15/50406-9
Vigência: 01 de agosto de 2016 - 21 de agosto de 2016
Convênio/Acordo de cooperação com a FAPESP: British Council e Newton Fund, com FAPESP como instituição parceira no Brasil
Assunto(s):Atividade físicaExercício físicoMetabolismoCrianças

Metabolismo energético, composição corporal e consumo alimentar na cirurgia bariátrica

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Maria Rita Marques de Oliveira
Supervisor no Exterior: Dale A. Schoeller
Local de pesquisa: University of Wisconsin-Madison (UW) (Estados Unidos)
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Nutrição
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Processo:16/02306-8
Vigência: 20 de junho de 2016 - 19 de dezembro de 2016
Assunto(s):Composição corporalObesidadeCirurgia bariátricaIsótopos estáveisMetabolismo energético
Resumo
A cirurgia para a obesidade é hoje o procedimento de escolha para casos graves do problema, por resultar em maiores e mais duradoras perdas de peso corporal e no efetivo controle das doenças crônicas associadas às disfunções metabólicas da adiposidade corporal, um grave e frequente problema de saúde global. No entanto, os resultados da cirurgia não são os mesmos para todos os obesos, o que pode estar relacionado a processos metabólicos adaptativos, com prováveis implicações genéticas. Em estudos anteriores, nós não encontramos diferenças na taxa metabólica em repouso e no consumo de alimentos entre mulheres com diferentes resultados da cirurgia sobre o ganho de peso. Neste projeto, buscando elucidar outras hipóteses e considerando o cenário técnico e científico favorável, o objetivo será avaliar a resposta do peso corporal à cirurgia bariátrica sob a influência de fatores associados ao metabolismo energético, à composição corporal e ao consumo alimentar, 6 e 12 meses após o procedimento. Será um ensaio clínico autocontrolado, envolvendo 20 mulheres com IMC entre 40 e 50 kg/m2. O gasto energético total e a composição corporal serão avaliados pela água duplamente marcada. O consumo alimentar e o nível de atividade física serão avaliados por meio de registros de três dias não consecutivos. Como resultado, se espera obter respostas a hipóteses levantadas em estudos anteriores, assim, beneficiando decisões referentes ao tratamento e ao cuidado pós-cirúrgico. (AU)

Caracterização anatomofuncional da fonte de inibição dos neurônios do núcleo retrotrapezóide envolvidos no controle da expiração ativa

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Ana Carolina Thomaz Takakura
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Processo:14/23418-3
Vigência: 01 de maio de 2016 - 30 de novembro de 2017
Resumo
O controle do sistema respiratório é realizado por neurônios localizados no bulbo e na ponte. O bulbo apresenta regiões envolvidas no controle respiratório localizadas na coluna respiratória ventral e coluna respiratória dorsal. O núcleo retrotrapezóide (RTN), é uma região localizada na coluna respiratória ventral do bulbo. A região do RTN contém neurônios quimiorreceptores que expressam o fator de transcrição Phox2b e respondem à hipercapnia e hipóxia; por este motivo, esta região é considerada uma forte candidata a ser um quimiorreceptor central (Mulkey e cols., 2004; Dubreuil e cols., 2008; Guyenet e cols., 2009). Experimentos descritos na literatura mostraram a importância do RTN na inspiração (Dobbins e Feldman, 1994; Takakura e cols., 2006; Guyenet e cols., 2008) e também na expiração ativa (fase E2) (Janczewski e Feldman, 2006a, 2006b; Abdala e cols., 2009; Pagliardini e cols., 2011; Moraes e cols., 2014). Entretanto, dados da literatura sugerem que existe uma inibição sináptica para o RTN que suprime a expiração ativa (Pagliardini e cols., 2011) e que essa inibição é removida durante uma situação que exija a ativação desta fase E2 da respiração, como por exemplo: durante exposição a uma situação de hipercapnia, hipóxia ou atividade física. Entretanto, até o presente momento, não se sabe a fonte desta inibição para os neurônios do RTN que controlam a expiração ativa. Diante disso, o principal objetivo do presente projeto é investigar de forma anatômica e funcional, a localização da fonte de inibição para o RTN e o fenótipo dos neurônios envolvidos nessa projeção. (AU)

Desenho e implementação do estudo SAYCARE: South American Youth/Child cardiovascular and environmental study

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Heraclito Barbosa de Carvalho
Pesquisadores associados:Tara Rendo Urteaga; MARIA DA LUZ ROSARIO DE SOUSA; Francisco leonardo Torres Leal; Maria Paula Maciel Rando Meirelles; Naomi Kondo Nakagawa; Cláudia Lúcia de Moraes Forjaz
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Saúde Coletiva - Medicina Preventiva
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:14/11468-6
Vigência: 01 de abril de 2016 - 31 de março de 2018
Assunto(s):EpidemiologiaDoenças cardiovascularesMétodos
Resumo
Este é um estudo multicêntrico piloto transversal em uma amostra de crianças e adolescentes de 3 a17 anos de idade. Este piloto será desenvolvido em São Paulo e mais seis cidades da América do Sul: Teresina (Brasil), Buenos Aires (Argentina), Santiago (Chile), Montevidéu (Uruguai), Lima (Peru) e Medellín (Colômbia). A formação de avaliadores, os instrumentos e o desenho de estudo serão padronizados. Objetivos: (i) Desenvolver métodos de mensuração válidos e confiáveis para obter informações sobre: fatores sociais e ambientais, ambiente familiar, ingestão de alimentos, preferências e escolhas alimentares, atividade física e comportamentos sedentários, composição corporal, saúde bucal, lipídios e biomarcadores de saúde cardiovascular; (ii) Medir a confiabilidade desses métodos e (iii) Medir a validade desses métodos. Várias análises serão realizadas, entre elas: descritiva (cálculo da média, desvio padrão, percentuais e intervalo de confiança de 95%). A concordância entre as medidas serão calculadas por meio dos coeficientes de kappa para variáveis categóricas e coeficientes de correlação intraclasse para variáveis quantitativas. Este último será complementado com o desenvolvimento de gráficos de Bland-Altman. As correlações entre os diferentes métodos serão analisadas pelos coeficientes de correlação de Spearman e Pearson para variáveis paramétricas e não paramétricos, respectivamente. (AU)

Comportamentos relacionados com o balanço energético no SAYCARE study - comparação e concordância entre mensurações objetivas e auto-referida: métodos estatísticos a validação

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Heraclito Barbosa de Carvalho
Supervisor no Exterior: Moyses Szklo
Local de pesquisa: Johns Hopkins University (JHU) (Estados Unidos)
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Saúde Coletiva - Medicina Preventiva
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Processo:15/14319-4
Vigência: 01 de abril de 2016 - 31 de março de 2017
Assunto(s):Modo de vidaEpidemiologia
Resumo
Este é um estudo multicêntrico piloto transversal em uma amostra de crianças e adolescentes de 3 a17 anos de idade. Este piloto será desenvolvido em São Paulo e mais seis cidades da América do Sul: Teresina (Brasil), Buenos Aires (Argentina), Santiago (Chile), Montevidéu (Uruguai), Lima (Peru) e Medellín (Colômbia). A formação de avaliadores, os instrumentos e o desenho de estudo serão padronizados. Objetivos:(i) desenvolver métodos válidos e inovadores para avaliar as diferentes dimensões dos comportamentos relacionados com o balanço energético: a ingestão de alimentos, preferências alimentares e escolhas, atividade física, comportamento sedentário e sono na população pediátrica da América do Sul (com idades entre 3-17) através da validação métodos estatísticos; (ii) examinar se discordância entre os métodos de medição objetiva e subjetivas variam por fatores sócio-demográficos. As estatísticas descritivas, como a média, desvio padrão, porcentagem e intervalo de confiança de 95%, será usada. A concordância entre as medidas obtidas serão calculadas com base nos coeficientes kappa para as variáveis categóricas e coeficientes de correlação intraclasse para as variáveis quantitativas por parte dos coeficientes de correlação de Spearman e Pearson para variáveis paramétricas e não paramétricas, respectivamente. Esta última análise será complementada com o desenvolvimento de gráficos de Bland-Altman. Para a análise da discordância iremos desenvolver um modelo conceitual utilizando a regressão multinível para investigar como desacordo varia por fatores sócio-demográficos. Nós usaremos as variáveis sócio-demográficas como preditores da divergência entre os dois métodos e modelado contra desacordo para métodos objetiva e subjetivamente. (AU)

Efeito de uma intervenção de atividade física em unidades de saúde nos gastos com medicamentos em adultos diabéticos e hipertensos

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Biociências (IB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Rio Claro. Rio Claro, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Eduardo Kokubun
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Educação Física
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:15/21299-0
Vigência: 01 de abril de 2016 - 31 de março de 2017
Assunto(s):AdultosHipertensãoAtividade físicaCentros de saúdeDiabetes mellitusMedicamento
Resumo
As doenças crônicas não transmissíveis (DCNTs) são as principais causas de mortes nos países de baixa e média renda. Em 2014, aproximadamente 74% de todas as mortes no Brasil foram relacionadas à estas doenças. Dentre essas doenças a diabetes mellitus (DM) e a hipertensão arterial (HA) são as mais prevalentes na população mundial. A prevalência de pessoas com DM e HA aumentou muito nos últimos anos, o que representa um gasto anual para o Brasil de R$12,3 bi e R$1,3 bi, respectivamente. Para a prevenção dessas doenças a AF tem grande influência, muitos estudos comprovam que AF tem benefícios para a saúde e influencia na redução dos gastos com medicamentos, se tornando uma estratégia implantada na atenção básica. Com isso, o presente estudo tem o objetivo de comparar pessoas participantes do programa de exercício físico em unidades básicas de saúde, com as demais, e verificar a influência do programa com relação a redução dos gastos com saúde. Participarão do estudo 30 adultos diabéticos e hipertensos de ambos os sexos sorteados de uma Unidade da Saúde da Família do município de Rio Claro com Programa de Exercício Físico em Unidade de Saúde (PEFUS). Os participantes serão divididos em dois grupos: G1 (PEFUS) intervenção de exercício físico generalizado, 2 vezes por semana com duração de 60 minutos, durante 6 meses, G2 (controle) deverá manter suas atividades rotineiras durante 6 meses. Todos os participantes serão avaliados quanto ao nível de atividade física (IPAQ), variáveis antropométricas, anamnese e gastos com saúde durante o período de 6 meses com encontros presenciais inicial, 3 meses e final e 6 meses retrospectivo para os gatos com saúde. Para verificar diferença entre nível de atividade física será utilizada Anova para medidas repetidas. Para diferença entre o gasto com saúde pelo nível de atividade física de cada grupo será realizada a Anova two-way. As análises serão feitas no programa estatístico SPSS 17.0 (pd0,05). (AU)

Papel de diferentes domínios de atividade física para predizer desfechos clínicos em pacientes com dor lombar

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Presidente Prudente. Presidente Prudente, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Rafael Zambelli de Almeida Pinto
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Processo:16/04113-2
Vigência: 01 de abril de 2016 - 28 de fevereiro de 2018
Vinculado ao auxílio:14/14077-8 - O papel de diferentes domínios de atividade física no curso clínico da dor lombar não-específica, AP.JP
Assunto(s):Dor lombarAtividade físicaPrognóstico
Resumo
Estudos que investiguem o papel de diferentes domínios de atividade física podem ajudar em uma maior compreensão sobre o prognóstico da dor lombar crônica não específica, auxiliando clínicos e pacientes a entenderem melhor o processo da doença e a predizer com maior acurácia os desfechos clínicos. O objetivo do presente estudo será investigar a capacidade dos diferentes domínios de atividade física, mensurados por meio do Questionário Internacional de Atividade Física (IPAQ - versão longa) e do Questionário de Atividade Física Habitual de Baecke (BPAQ), em predizer desfechos clínicos em pacientes com dor lombar. O delineamento do estudo será de coorte longitudinal com um seguimento (follow-up) de 6 meses. Durante a avaliação inicial os participantes com dor lombar crônica não-específica irão completar um conjunto de questionários, nos quais os seguintes dados serão coletados: dados antropométricos/demográficos; duração e intensidade da dor; incapacidade; medo do movimento; esforço físico durante o trabalho; depressão e dados subjetivos sobre o nível de atividade física (IPAQ e BAPQ). Uma segunda avaliação será realizada no seguimento (follow up) de 6 meses. Os desfechos clínicos avaliados no seguimento de 6 meses serão: intensidade da dor e incapacidade. Análises descritivas (média e desvio padrão para dados com distribuição normal e mediana e intervalo interquartílico para dados não-normais) serão conduzidas para todas a medidas da avaliação inicial. Para o objetivo principal deste estudo, análises separadas de regressão linear multivariada serão conduzidas para investigar a capacidade dos diferentes domínios de atividade física em predizer cada um dos desfechos clínicos no seguimento de 6 meses. (AU)

Fatores de risco relacionados à perda de produtividade laboral e aumento dos custos ambulatoriais de pacientes atendidos por Unidades Básicas de Saúde

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Presidente Prudente. Presidente Prudente, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Jamile Sanches Codogno
Anfitrião: Nana Kwame Anokye
Local de pesquisa: Brunel University (Inglaterra)
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Educação Física
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Pesquisa
Processo:15/20458-7
Vigência: 04 de março de 2016 - 04 de setembro de 2016
Assunto(s):Sistema Único de SaúdeSaúde pública
Resumo
A inatividade física e a presença da obesidade, dentre outros fatores de risco para a saúde têm sido responsáveis pelo surgimento de inúmeras doenças crônicas e, consequentemente, pelo aumento dos gastos com saúde. Dessa forma, o objetivo da presente pesquisa será analisar se existe associação entre agregação de fatores/comportamentos de risco a saúde e perda de produtividade laboral e aumento dos custos com saúde em adultos atendidos no SUS. Para tanto, no mínimo 200 pacientes serão convidados a fazer parte da pesquisa e serão avaliados quanto: i) custos com tratamento, ii) perda de produtividade, iii) adiposidade corporal; iv) nível de atividade física, vi) sono, vii) dor, viii) consumo de álcool, ix) tabagismo, x) condição econômica, xi) histórico de doenças, xii) indicadores metabólicos. As variáveis serão agregadas para constituir uma única variável de risco, assim, a amostra será subdividida em quatro grupos: (i) nenhum comportamento/fator de risco, (ii) 1-2 comportamentos/fatores de risco, (iii) 3-4 comportamentos/fatores de risco e (iv) 5-6 comportamentos/fatores de risco. A análise estatística será composta pela análise de covariância (ANCOVA) que estabelecerá comparações de custo com saúde e perda de produtividade (em moeda corrente) entre os grupos formados. Para os dados categóricos, será utilizado o teste qui-quadrado para analisar associações e a regressão logística como modelo multivariado. Em todas as análises, a significância estatística (p-valor) será pré-fixada em valores inferiores a 5%. O software utilizado será o BioEstat (versão 5.0). (AU)

Efeito da prática esportiva realizada na juventude sobre a massa óssea e os gastos com cuidados a saúde na idade adulta: coorte de 12 meses

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Presidente Prudente. Presidente Prudente, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Rômulo Araújo Fernandes
Anfitrião: Nana Kwame Anokye
Local de pesquisa: Brunel University (Inglaterra)
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Educação Física
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Pesquisa
Processo:15/20460-1
Vigência: 04 de março de 2016 - 04 de setembro de 2016
Assunto(s):Sistema Único de SaúdeAtividade físicaMedicina esportivaSaúde públicaOsteoporose
Resumo
Objetivo: Identificar se adultos engajados em atividades esportivas na juventude, quando comparados aos seus pares sedentários no mesmo período, apresentam melhores indicadores de densidade óssea e menores gastos com saúde ao longo do seguimento de 12 meses. Métodos: Segundo o cálculo amostral, deverão participar da coorte de 12 meses, ao menos, 161 adultos com idade entre 40 e 65 anos de ambos os sexos e residentes na cidade de Presidente Prudente. Para tanto, a coorte terá inicio com, ao menos, 193 participantes (prevendo perdas amostrais de 20%). Todas estas avaliações descritas a seguir serão realizadas nos dois momentos do estudo. Inicialmente, os participantes serão submetidos a uma avaliação inicial para a coleta de dados pessoais e antropométricos. Responderão a questionários sobre sintomas musculoesqueléticos e sobre o hábito de praticar atividades físicas. Na sequência, receberão pedômetros para a avaliação individual da atividade física diária (sete dias) e serão submetidos à avaliação da massa óssea com o equipamento de Absortiometria de Raios-X de Dupla Energia (DEXA) a fim de investigar dados segmentados em diferentes regiões do esqueleto. Resultados Esperados: As implicações de nossos possíveis achados são particularmente importantes para a identificação de modalidades esportivas potencialmente mais importantes na prevenção da perda de massa óssea na idade adulta, as quais deveriam ser consideradas por pediatras e educadores físicos visando uma melhor saúde óssea na juventude e idade adulta. Da mesma forma, estes achados podem identificar estratégias relativamente baratas de prevenção da acentuada perda de massa óssea naturalmente observada entre mulheres na menopausa. Por fim, nossos achados podem identificar o peso que a perda de massa óssea pode causar nos gastos com saúde, bem como, estimar o montante que poderia ser economizado com a simples prática de atividades esportivas na juventude. (AU)

Efeito do azeite da polpa e do chá das folhas do abacate da variedade Hass associado à atividade física no tratamento da obesidade induzida por dieta hiperlipídica

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Engenharia de Alimentos (FEA). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Mário Roberto Maróstica Junior
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Nutrição - Bioquímica da Nutrição
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:15/13320-9
Vigência: 01 de março de 2016 - 28 de fevereiro de 2018
Assunto(s):Estresse oxidativoAtividade físicaCompostos bioativosInflamaçãoAbacateObesidade
Resumo
Associada a um grande número de doenças, a obesidade, está diretamente relacionada com o desenvolvimento de desordens metabólicas e endócrinas que apresentam consequências graves como a resistência periférica a insulina, diabetes tipo 2 e esteatose hepática não alcoólica. Setenta e uma espécies medicinais de plantas são popularmente utilizadas por brasileiros para o tratamento de doenças relacionadas com a obesidade. A folha de abacate é uma dessas plantas medicinais que contém compostos bioativos, como os flavonóides, que são capazes de diminuir o quadro inflamatório subclínico na obesidade de modo a melhorar a ação da insulina na diabetes tipo 2. O azeite da polpa do abacate, apesar de comercializado no século XXI, apresenta registros dos efeitos positivos na saúde humana com potencial para reduzir os efeitos da esteatose hepática não alcoólica , por conter carotenóides, fitosteróis e ácidos graxos monoinsaturados em quantidade superior ao do azeite de oliva. Compostos bioativos de plantas e de azeites são importantes no tratamento da obesidade e suas comorbidades. Adicionalmente, uma dieta equilibrada associada à atividade física potencializam efeitos benéficos e ajudam na recuperação metabólica promovendo redução de peso, melhora do quadro inflamatório e oxidativo, melhora a ação da insulina e captação de glicose, além de ser tratamento inicial para esteatose hepática não alcoólica. Dentro desse escopo, o presente trabalho objetiva avaliar o efeito do azeite da polpa, do chá da folha do abacate da variedade Hass e da atividade física na obesidade e na inflamação subclínica em ratos Wistar machos alimentados com dieta rica em gordura desde o desmame até a vida adulta. (AU)

Uso de um programa de mobilidade progressiva e tecnologia para o aumento do nível de atividade física e seus benefícios no sistema respiratório, muscular e funcionalidade de pacientes em UTI: um ensaio clínico randomizado

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Carolina Fu
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:15/18768-8
Vigência: 01 de março de 2016 - 28 de fevereiro de 2018
Assunto(s):Terapia intensivaReabilitaçãoServiço hospitalar de fisioterapiaDeambulação precoceMovimento
Resumo
A evolução dos tratamentos dentro da Unidade de Terapia Intensiva (UTI), tem aumentado a sobrevida e a morbidade pós internação. A incapacidade funcional nesses pacientes tem seu principal fator na fraqueza e perda de massa muscular, sendo as maiores complicações relatadas por esses pacientes (P Kortebein, 2007; W Gruther, 2008). O maior resultado negativo em longo prazo pós UTI é o impacto na qualidade de vida e o declínio funcional, devido a alterações musculares e no condicionamento físico (Hopkins RO, 2005). Isso se dá pelo período de inatividade e repouso prolongado, levando a perdas e alterações em diversos sistemas do corpo. Diante desses fatos, intervenções para uma maior mobilidade no leito e fora dele se tronam importantes. Programas de mobilização precoce tem se mostrado benéficos, porém, como em outros tipos de reabilitação, os exercícios devem ser prescritos com suas características específicas, incluindo a intensidade e pouco se tem descrito na literatura sobre nível de atividade na UTI, medido quantitativamente através de acelerômetros. O uso de tecnologias parece facilitar o oferecimento desse tipo de terapia, suprindo suas limitações. Diante da escassez de estudos controlados e randomizados para investigar esses fatores, o objetivo desse estudo é verificar seu o uso de um programa de mobilidade precoce e progressiva é capaz de aumentar o nível de atividade física e quais os benefícios para o sistema respiratório, muscular e funcionalidade para pacientes na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). (AU)

Acelerometria em pacientes hospitalizados: padronização de método de aferição

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Pró-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão. Universidade Cidade de São Paulo (UNICID). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Adriana Claudia Lunardi
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:15/25763-2
Vigência: 01 de março de 2016 - 28 de fevereiro de 2018
Assunto(s):CalorimetriaFisioterapiaAcelerometriaHospitalização
Resumo
Acelerometria é considerada o método padrão ouro para avaliação do nível de atividade física em sujeitos saudáveis, e em portadores de doenças crônicas ou agudas. Esta informação tem sido cada vez mais usada em ambiente hospitalar na predição de desfechos funcionais, complicações e de qualidade de vida em pacientes cirúrgicos, clínicos e críticos durante a internação e após a alta hospitalar. Porém, diferente de em sujeitos da comunidade, não existe padronização para este tipo de avaliação na população hospitalizada até o momento. Nosso grupo vem desenvolvendo estudos usando acelerometria em pacientes hospitalizados para validar questionários administrados em pacientes hospitalizados, avaliar comportamento físico intra-hospitalar e como instrumento de predição de risco cirúrgico. Estes diversos estudos que estão sendo redigidos para submissão, já foram apresentados em eventos científicos nacionais e internacionais e receberam 3 prêmios nestes eventos (2013, 2014 e 2015). Nossa intenção é criar uma metodologia adequada de aferição para a população hospitalizada e disseminar esta importante informação para o mundo. Os objetivos deste estudo serão: 1) Testar a calibração do acelerômetro na detecção de atividades de diferentes intensidades em pacientes hospitalizados através da calorimetria indireta; 2) Comparar os dados fornecidos pela acelerometria feita no punho e na cintura de pacientes hospitalizados; 3) Avaliar o tempo mínimo (em dias) necessário de acelerometria para estimar com segurança o nível de atividade física de pacientes hospitalizados. Métodos: 130 pacientes não restritos ao leito, consecutivamente internados em uma enfermaria no Hospital das Clínicas de São Paulo serão avaliados. Inicialmente, 20 pacientes realizarão tarefas rotineiras dentro de um ambiente hospitalar utilizando um calorímetro portátil e dois acelerômetros, sendo um colocado no punho do membro dominante e outro na cintura. Além disso, 110 pacientes utilizarão dois acelerômetros, sendo um no punho do membro dominante e outro na cintura, durante 7 dias consecutivos na sua rotina hospitalar normal. As variáveis quilocalorias gastas, metabólicos equivalentes, número de passos dados, tempo em inatividade e tempo em atividades em diferentes intensidades (leve, diária, moderada e intensa) serão analisadas. Para comparar a calibração do gasto calórico em cada atividade de diferentes intensidades em cada local de acelerometria e a calorimetria com as curvas do software, serão usadas ANOVAs de um fator. Para determinar o melhor local de posicionamento do acelerômetro, as variáveis registradas no punho e na cintura serão comparadas pelo teste t pareado. Para determinar o mínimo tempo suficiente para avaliar adequadamente o nível de atividade física, as médias de todas as varáveis registradas serão comparadas pela ANOVA de um fator e a concordância entre os dias será calculada pelo coeficiente de correlação intraclasse. (AU)

Resposta ao tratamento da osteoporose e da osteopenia em portadores de cirrose hepática

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina (FMB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Fernando Gomes Romeiro
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Nutrição - Dietética
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Processo:14/22572-9
Vigência: 01 de março de 2016 - 28 de fevereiro de 2018
Assunto(s):Composição corporalGastroenterologiaDoenças ósseas metabólicasOsteoporose
Resumo
Introdução: Pacientes com cirrose hepática sofrem perda de massa óssea por diversos mecanismos, como a baixa ingestão de micro e macronutrientes e a falta de atividade física. Ao mesmo tempo, essa população é comumente privada do tratamento de sua condição óssea, particularmente na cirrose avançada, devido à presença de varizes esofágicas. Objetivos: Avaliar se portadores de cirrose com osteoporose seriam capazes de recuperar sua densidade mineral óssea pelo tratamento medicamentoso com risedronato associado a suplementação nutricional (cálcio e vitamina D), e se os indivíduos com osteopenia seriam capazes de recuperar sua densidade mineral óssea pela suplementação nutricional. Métodos: A avaliação da massa óssea será feita através da DEXA (dual-energy X-Ray Absormetry), a avaliação nutricional por antropometria, handgrip, bioimpedância elétrica e a avaliação da capacidade física pelo teste de caminhada. Exames bioquímicos associados ao grau de disfunção hepática e à perda de massa óssea serão também realizados. Todos os exames serão feitos no início e no final do estudo, e exames endoscópicos para avaliar o impacto sobre as varizes esofágicas serão realizados periodicamente. Análise estatística: Para comparação dos mesmos indivíduos em dois momentos será usado o teste t pareado. Resultados esperados: Registrar de forma inédita na literatura a capacidade de pacientes cirróticos responderem ao tratamento de sua condição óssea, mostrando dados sobre a segurança desses tratamentos e relacionando as alterações ósseas à massa muscular e à capacidade funcional desses indivíduos. (AU)

Avaliação do potencial uso farmacológico da hemopressina (HP) no tratamento da obesidade

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Emer Suavinho Ferro
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Farmacologia Bioquímica e Molecular
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Processo:15/20657-0
Vigência: 01 de março de 2016 - 28 de fevereiro de 2018
Assunto(s):MetabolismoObesidade
Resumo
A obesidade tem mostrado prevalência cada vez mais alarmante e crescente na população mundial, e seu controle através de dietas e atividade física é muitas vezes insatisfatório, assim como o medicamentoso que apresenta vários efeitos colaterais. Antagonistas de receptores canabinóides do tipo 1 (CB1) têm importante participação no controle farmacológico da obesidade. Descobertas recentes têm mostrado que o tecido adiposo branco pode se diferenciar em marrom (em um processo denominada browning), elevando o metabolismo energético basal e favorecendo a perda de peso. Agonistas inversos CB1 podem favorecer o browning. Nosso grupo de pesquisa trabalha com a identificação de peptídeos intracelulares e, dentre eles, a hemopressina (HP) é um potente agonista inverso de receptores CB1. Logo, este projeto objetiva avaliar o potencial uso farmacológico da HP no tratamento da obesidade. Inicialmente, será avaliado in vitro em cultura de células a capacidade da HP em causar browning via ativação de proteína de desacoplamento mitocondrial 1 (UCP-1) e outras vias envolvidas. A partir desses resultados, se avaliará os efeitos da HP sobre o metabolismo energético de camundongos pela análise da ingestão alimentar, do peso corporal, bioquímica do sangue, e morfologia, ativação de vias calorigênicas mitocondriais (como UCP-1) e marcadores inflamatórios em tecidos adiposos (marrom e branco), assim como por calorimetria. Posteriores análises serão realizadas em camundongos obesos tratados com HP. Efeitos colaterais como ansiedade e depressão, e alterações cardiovasculares também serão investigados. Espera-se que a HP possa induzir a perda de peso dos animais devido a ação sobre os receptores canabinóides CB1 e estimulação do browning, sem apresentar efeitos colaterais centrais ou cardiovasculares que limitariam seu uso no tratamento da obesidade. Os resultados do presente estudo também abrirão novos caminhos de pesquisa farmacológica com foco em peptídeos intracelulares secretados. (AU)

Prevalência e fatores associados ao fenótipo "obesidade metabolicamente benigna" em uma população de crianças e adolescentes obesos atendidos na Liga de Obesidade Infantil do HC-FMUSP

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Beatriz Helena Carvalho Tess
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Saúde Coletiva - Medicina Preventiva
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Processo:15/23559-9
Vigência: 01 de março de 2016 - 28 de fevereiro de 2018
Assunto(s):PrevalênciaEpidemiologiaSíndrome metabólica
Resumo
Introdução: Estudos internacionais têm classificado a obesidade em diferentes fenótipos antropométrico-metabólicos considerando o perfil metabólico associado ao valor do índice de massa corporal (IMC). Nessa nova classificação, tem chamado a atenção o fenótipo "obesidade metabolicamente benigna - OMB", quando parâmetros clínicos e laboratoriais estão dentro da normalidade. Estudos recentes observaram que a prevalência da OMB em crianças e adolescentes varia de 25 a 68%. No Brasil não foram encontrados, até a presente data, estudos que objetivaram avaliar a prevalência da OMB na população pediátrica. Objetivos: Estimar a prevalência do fenótipo OMB em uma população de crianças e adolescentes obesos e investigar possíveis associações entre esse fenótipo e os fatores: sexo, idade, cor de pele, nível de escore-z para IMC, circunferência da cintura, relação cintura-estatura, circunferência do pescoço, estadio puberal, nível de atividade física, padrão nutricional, tipo de aleitamento e idade de início da obesidade. Metodologia: Estudo transversal que incluirá todos os indivíduos obesos com idade entre 6 e 19 anos que foram atendidos em consulta de triagem da Liga de Obesidade Infantil do HC-FMUSP entre 1 de janeiro de 2009 e 31 de dezembro de 2013. Estima-se que 539 pacientes sejam elegíveis para o estudo. As fontes de informações serão os formulários aplicados na consulta de triagem e o portal médico-hospitalar para os resultados dos exames laboratoriais. Resultados esperados: Estima-se que 25% dos participantes desse estudo serão classificados como portadores da OMB. O conhecimento da prevalência e dos fatores associados a fenótipos da obesidade em uma população de obesos brasileiros poderá contribuir para as discussões internacionais sobre o tema. (AU)

Desenvolvimento de indicadores populacionais de ambiente construído para a promoção da atividade física no Município de São Paulo

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Alex Antonio Florindo
Anfitrião: Billie Giles Corti
Local de pesquisa: University of Melbourne (Austrália)
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Educação Física
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Pesquisa
Processo:14/12682-1
Vigência: 22 de fevereiro de 2016 - 20 de fevereiro de 2017
Assunto(s):PopulaçãoAustráliaSão Paulo
Resumo
Diversas evidências científicas de países de alta renda têm mostrado que indicadores populacionais de ambiente construído podem influenciar a prática de atividade física no lazer ou como forma de deslocamento das pessoas nas cidades, sendo que a Austrália é uma das grandes referências. No entanto, ainda existem poucos estudos sobre esta temática no Brasil. A cidade de São Paulo é uma das maiores metrópoles do mundo, teve um crescimento desordenado ao longo do seu desenvolvimento e não foi planejada adequadamente. Indicadores epidemiológicos têm mostrado que é baixa a prevalência de prática de atividade física no tempo de lazer ou como forma deslocamento dos adultos paulistanos. Mas nos últimos anos a cidade de São Paulo vem passando por mudanças, como a ampliação da extensão de ciclovias, aumento do número de clubes públicos, maior valorização para preservação de áreas verdes e campanhas e programas para maior respeito aos ciclistas e pedestres. Neste sentido, os objetivos deste plano de pesquisas no exterior serão: 1. Estudar métodos de avaliação e formas de análise de indicadores de ambiente construído para promoção da atividade física desenvolvidos na Austrália; 2. Estudar indicadores populacionais de ambiente construído e seus limiares para promoção da caminhada e do uso da bicicleta como forma de deslocamento e para a prática de atividade física no tempo de lazer com bancos de dados populacionais da Austrália; 3. Desenvolver indicadores populacionais de ambiente construído para a promoção caminhada e do uso da bicicleta como forma de deslocamento e para a prática de atividade física no tempo de lazer para a população adulta do município de São Paulo. Este plano será desenvolvido no Centre for Research Excellence in Healthy and Liveable Communities, na Universidade de Melbourne, Austrália, sob a supervisão da Professora Billie Giles-Corti. Pretende-se produzir pelo menos quatro artigos científicos e iniciar uma discussão baseada em evidências para a promoção da atividade física no município de São Paulo tendo como base indicadores populacionais de ambiente construído. (AU)

SAYCARE: SOUTH american Youth/Child cardiovascular and environmental study

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Heraclito Barbosa de Carvalho
Pesquisador visitante: Luis Alberto Moreno Aznar
Instituição do pesquisador visitante: Universidad de Zaragoza (Espanha)
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Saúde Coletiva - Medicina Preventiva
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisador Visitante - Internacional
Processo:15/11406-3
Vigência: 08 de fevereiro de 2016 - 07 de fevereiro de 2017
Assunto(s):Modo de vidaEpidemiologiaDoenças cardiovasculares
Resumo
Este é um estudo multicêntrico piloto transversal em uma amostra de crianças e adolescentes de 3 a17 anos de idade. Este piloto será desenvolvido em São Paulo e mais seis cidades da América do Sul: Teresina (Brasil), Buenos Aires (Argentina), Santiago (Chile), Montevidéu (Uruguai), Lima (Peru) e Medellín (Colômbia). A formação de avaliadores, os instrumentos e o desenho de estudo serão padronizados. Objetivos: (i) Desenvolver métodos de mensuração válidos e confiáveis para obter informações sobre: fatores sociais e ambientais, ambiente familiar, ingestão de alimentos, preferências e escolhas alimentares, atividade física e comportamentos sedentários, composição corporal, saúde bucal, lipídios e biomarcadores de saúde cardiovascular; (ii) Medir a confiabilidade desses métodos e (iii) Medir a validade desses métodos. Várias análises serão realizadas, entre elas: descritiva (cálculo da média, desvio padrão, percentuais e intervalo de confiança de 95%). A concordância entre as medidas serão calculadas por meio dos coeficientes de kappa para variáveis categóricas e coeficientes de correlação intraclasse para variáveis quantitativas. Este último será complementado com o desenvolvimento de gráficos de Bland-Altman. As correlações entre os diferentes métodos serão analisadas pelos coeficientes de correlação de Spearman e Pearson para variáveis paramétricas e não paramétricos, respectivamente. (AU)

Tradução, adaptação transcultural para o idioma Português-brasileiro e testes de propriedades de medida do questionário Oslo Sports trauma research center questionnaire on health problems

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Pró-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão. Universidade Cidade de São Paulo (UNICID). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Alexandre Dias Lopes
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:15/15118-2
Vigência: 01 de fevereiro de 2016 - 31 de janeiro de 2018
Assunto(s):Estudos de validaçãoEpidemiologia
Resumo
Diante da extensão do problema que as lesões nos esportes representam na área de epidemiologia esportiva, a tradução e adaptação para o idioma português-brasileiro de um questionário internacionalmente reconhecido se faz necessário. Pretendemos com esse estudo disponibilizar aos pesquisadores, fisioterapeutas e médicos brasileiros a disposição de um importante instrumento de monitoramento e acompanhamento de problemas de saúde entre praticantes de atividade física e esportes. Sendo assim, o objetivo desse projeto é o de traduzir, adaptar transculturalmente o questionário Oslo Sports Trauma Research Center Overuse Injury Questionnaire (OSTRC-QHP) para o português brasileiro, assim como testar as propriedades clinimétricas. Esse estudo será realizado em duas etapas: 1ª) O OSTRC-QHP será traduzido e adaptado para o português brasileiro; 2ª) A versão em português brasileiro do questionário será aplicada em 150 atletas para avaliação das propriedades clinimétricas (consistência interna, reprodutibilidade, validade de construto e efeito teto e piso) durante 20 semanas. A consistência interna será avaliada pelo índice de Alpha de Cronbach. A reprodutibilidade será testada pelo Coeficiente de Correlação Intraclasse tipo 2,1 e a concordância pelo erro padrão da medida. Os efeitos teto e piso serão calculados pelo percentual dos atletas que marcarem os escores mínimos e máximos. A validade do questionário será avaliada pelo teste de correlação de Pearson entre o OSTRC-QHP e a pontuação obtida numa escala do tipo likert preenchida por fisioterapeutas e/ou médicos que confirmarão a queixa dos atletas participantes. (AU)

Epilepsia e exercício físico no sexo feminino e sua influência na prole: estudo em modelo experimental

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Ricardo Mario Arida
Pesquisadores associados:Débora Amado Scerni
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:15/19256-0
Vigência: 01 de fevereiro de 2016 - 31 de janeiro de 2018
Assunto(s):Fármacos neuroprotetoresEpilepsiaExercício físicoNeurofisiologiaPlasticidade neuronal
Resumo
Associações de estratégias antiepileptogênicas e neuroprotetoras para a prevenção e tratamento da epilepsia têm sido constantemente investigadas. Neste sentido, o exercício físico tem sido considerado um cadidato em potencial como terapia complementar para a epilepsia. Efeitos benéficos do exercício físico em pessoas com epilepsia têm sido amplamente demonstrados, como redução da susceptibilidade às crises, melhora da qualidade de vida e redução da ansiedade e depressão. Estudos em modelos animais de epilepsia têm investigado os mecanismos pelos quais o exercício interfere neste processo. Apesar da influência positiva do exercício físico na epilepsia, não existe informação consistente na literatura se estes benefícios são totalmente aplicados ao sexo feminino. Este aspecto é de grande importância tendo em vista que disfunções reprodutivas e distúrbios endócrinos são comuns em mulheres com epilepsia. A proposta da primeira parte deste projeto será verificar o efeito de programas de exercício físico aeróbio na epileptogênese, na frequência de crises epilépticas e nas alterações neuromorfológicas e neuroquímicas de ratas Wistar fêmeas. Fatores ambientais, como o stress pré-natal em animais podem provocar alterações no desenvolvimento do sistema nervoso e consequentemente aumentar a susceptibilidade a convulsões e ao desenvolvimento da epilepsia na prole no início e / ou em fases mais tardias da vida. Ainda, o cérebro em desenvolvimento no período pós-natal possui uma maior susceptibilidade a crises, dependendo da etapa do desenvolvimento cerebral. Estudos recentes em animais mostram que o exercício físico durante o desenvolvimento fetal pode melhorar algumas funções cerebrais dos filhotes após o nascimento. Apesar da influência benéfica do exercício físico no sistema nervoso em desenvolvimento durante a gestação, não está claro se a atividade física durante a gestação pode exercer efeito protetor a insulto cerebral na prole no início da vida. Na segunda parte deste projeto, pretendemos verificar se o exercício físico durante a prenhez pode alterar em filhotes a susceptiblidade as crises induzidas no inicio e nas fases mais tardias da vida utilizando o modelo do pentilenotetrazol. Acreditamos que esta investigação poderá fornecer informações importantes para elucidar se a atividade física regular no período gestacional e na fase adulta pode interferir positivamente na epilepsia e indica-la como estratégia terapêutica para o controle das crises epilépticas e ajustes psicossociais no sexo feminino. (AU)

Avaliação crítica dos questionários de atividade física traduzidos para a língua portuguesa: uma revisão sistemática sobre a adaptação transcultural e propriedades de medidas

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Presidente Prudente. Presidente Prudente, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Rafael Zambelli de Almeida Pinto
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:14/09560-1
Vigência: 01 de fevereiro de 2016 - 31 de dezembro de 2016
Assunto(s):QuestionáriosAtividade físicaTradução
Resumo
O número de questionários disponíveis que mensuram a atividade física tem aumentado consideravelmente ao longo das últimas décadas. Consequentemente, a escolha de qual questionário utilizar está se tornando um desafio. No Brasil, este desafio é ainda maior uma vez que estes questionários necessitam de um processo rigoroso de tradução e adaptação para a língua portuguesa. O presente estudo é uma revisão sistemática com o objetivo de identificar os questionários que mensuram o nível de atividade física na população brasileira e avaliar os procedimentos de tradução e adaptação cultural para a língua portuguesa e as propriedades psicométricas desses questionários. Serão realizadas buscas sistematizadas nas bases de dados: MEDLINE via OVID, EMBASE, CINAHL via EBSCO, SCIELO e LILACS. Serão extraídos dados referentes a tradução e adaptação transcultural, assim como dados das propriedades psicométricas de cada estudo. Estes passarão por análises quanto a sua qualidade metodológica, de acordo com as diretrizes para avaliação do método de tradução e adaptação cultural de questionários. E as propriedades de medida serão avaliadas pelos critérios de qualidade para propriedades de medida de questionários da área de saúde. (AU)

Relação entre níveis de dor e capacidade funcional com o nível de atividade física em adolescentes com síndrome da dor femoropatelar

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Presidente Prudente. Presidente Prudente, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Fábio Mícolis de Azevedo
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:15/15575-4
Vigência: 01 de fevereiro de 2016 - 31 de dezembro de 2016
Assunto(s):DorAtividade físicaAdolescentes
Resumo
A Síndrome da dor femoropatelar (SDFP) é uma desordem músculoesquelética relacionada a atividade física, na qual a dor é exacerbada em situações que submetem o joelho a elevados graus de flexão. Achados indicam que o estímulo do desenvolvimento da SDFP pode estar relacionado ao aumento do nível de atividade física, com consequente sobrecarga mecânica na articulação femoropatelar. A SDFP acomete homens, mulheres e jovens físicamente ativos, porém poucos estudos usam como objetivo de estudo adolescentes com SDFP. Acredita-se que a SDFP tenha ínicio na adolescência, além da dor evidênciou-se também limitações funcionais já na adolescência. Neste contexto o objetivo deste projeto é investigar a relação entre os níveis de atividade física em adolescentes com Síndrome da Dor Femoropatelar com a dor e limitações funcionais auto-reportadas. A avaliação do nível de atividade física será realizada por meio de dois questionários, International Physical Activity Questionnaire e Baecke Questionnaire of Habitual Physical Activity, e para avaliar limitações funcionais serão utilizados os questionários Anterior Knee Pain Scale e Knee Injury and Osteoarthritis Outcome Score. A amostra será composta por adolescentes com SDFP do sexo feminino e masculino com faixa etária de 12 a 18 anos que forem incluídos nos critérios de elegibilidade. (AU)

Papel da dieta hiperlipídica e da atividade física nas alterações moleculares da via estrogênica na bexiga urinária de ratos

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Alberto Azoubel Antunes
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:15/22248-0
Vigência: 01 de fevereiro de 2016 - 31 de janeiro de 2017
Assunto(s):UrologiaAtividade físicaObesidade
Resumo
A obesidade e a síndrome metabólica (SM) são consideradas graves ameaças à saúde pública. O aumento da ocorrência dessas patologias na população mundial é simultâneo à crescente incidência de complicações urológicas, com destaque para os "Sintomas do Trato Urinário Inferior" (STUI) (Lower Urinary Tract Symptoms;LUTS), nos quais disfunções vesicais, como a bexiga hiperativa, ocupam um papel de destaque. Estudos comparativos prévios revelaram que a disfunção vesical associada a SM vai além da associação com alterações prostáticas, uma vez que resultados semelhantes foram observados em mulheres. Outros, ainda, têm sugerido que a prevenção da SM através de medidas comportamentais, tendo a obesidade como principal alvo para a intervenção, pode ter um efeito positivo nos sintomas e na progressão dos STUI. Na procura por novos mecanismos que expliquem essas alterações, pesquisas recentes têm focado na influência dos estrógenos, com a obtenção de correlações positivas entre o aumento dos níveis desses hormônios (com alteração da relação estrógeno/testosterona e aumento de 17²-estradiol) e o desenvolvimento de STUI, como a disfunção vesical. Essas substâncias agem através da interação com múltiplos receptores, sendo que a base molecular desses efeitos continua desconhecida. Assim, entende-se a importância dos estudos subsequentes na confirmação do papel dos estrógenos no desenvolvimento de STUI. Portanto, o projeto tem como objetivo geral aprofundar os conhecimentos sobre as alterações morfofuncionais vesicais decorrentes de obesidade e SM, com foco nas alterações moleculares da via estrogênica e a influência da atividade física. Com essa finalidade, ratos do tipo Winstar serão randomizados quanto à dieta hiperlipídica e atividade física. Os parâmetros analisados incluem mudanças histológicas e morfométricas no tecido vesical, no que se refere à condição da camada muscular detrusora, à quantidade de fibrose e à relação entre esses dois parâmetros, e alterações funcionais cistométricas, as quais serão avaliadas via estudo urodinâmico. No contexto das alterações moleculares esperadas, os focos serão vias de atuação intranucleares (MAPK e EGFR) e extranucleares do estrógeno (GPR30), bem como o valor de CPK e da expressão de receptores ER± e ER², por meio da técnica de PCR. Os correspondentes parâmetros metabólicos séricos, tais quais níveis de leptina, aromatase, SHBG, glicemia, insulina, estrógeno e testosterona (incluindo a relação entre eles), serão avaliados pela técnica de ELISA.A análise estatística será realizada através do software SPSS 19.0 for Windows, com comparação das variáveis quantitativas entre os quatro grupos por meio do teste ANOVA. Para comparar valores de escala nominal, será utilizado o teste do qui-quadrado, com um valor estatisticamente significante para p menor ou igual a 0,05. (AU)

Efeitos do treinamento físico aeróbio nas alterações pulmonares induzidas por diferentes produtos da poluição atmosférica

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Universidade Nove de Julho (UNINOVE). Campus Vergueiro. São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Gustavo Silveira Graudenz
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:15/18821-6
Vigência: 01 de fevereiro de 2016 - 31 de janeiro de 2017
Vinculado ao auxílio:12/15165-2 - Papel da sinalização purinérgica e da sinalização SOCS-JAK-STAT nos efeitos antiinflamatórios do treinamento aeróbio em modelos experimentais de asma e em indivíduos asmáticos, AP.JP
Assunto(s):CitocinasPneumologiaExercício físicoMaterial particuladoRemodelação das vias aéreas
Resumo
A atividade física é capaz de modular a resposta inflamatória mostrando efeitos protetores tanto em estudos em modelos animais quanto em estudos clínicos com humanos. A exposição crônica ao material particulado atmosférico é capaz de gerar respostas inflamatórias agudas e crônicas resultando em liberação de citocinas e hormônios capazes de recrutar células inflamatórias na fase aguda e induzir ao remodelamento da árvore respiratória na fase crônica. Pouco se sabe sobre a capacidade da atividade física regular de atenuar o processo inflamatório agudo no sistema respiratório e menos sobre sua interferência na inflamação pulmonar crônica levando ao remodelamento da árvore respiratória. Objetivo: Verificar a interferência da atividade física regular na inflamação pulmonar crônica induzida por instilação de material particulado em modelos animais. Métodos: camundongos machos serão submetidos a cinco semanas de treinamento aeróbio em esteira, acompanhado de inalação semanal de material particulado (MP) de dois diâmetros diferentes (MP2,5 e MP10) comparados à controles somente com treinamento ou somente com instilação de material particulado. Serão realizadas comparações de citocinas inflamatórias pulmonares e séricas e alterações histológicas em todos os grupos. Resultados esperados: Espera-se com este estudo identificar se a atividade física regular é capaz de modular as alterações decorrentes da exposição crônica ao material particulado atmosférico. Esperamos ainda identificar quais as citocinas inflamatórias envolvidas no processo, bem como verificar a interferência no processo de remodelamento brônquico decorrente da exposição a diferentes tamanhos de material particulado. (AU)

Efeitos da participação em um programa de atividade física na qualidade de vida de adultos e idosos atendidos pelo NASF em São Carlos, SP

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Grace Angélica de Oliveira Gomes
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Educação Física
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:15/18198-7
Vigência: 01 de janeiro de 2016 - 31 de dezembro de 2016
Assunto(s):CaminhadaAdaptação psicológicaAtividade físicaQualidade de vidaSaúde pública
Resumo
A atividade Física (AF) é uma importante ferramenta de promoção da saúde da população e tem papel fundamental no envelhecimento ativo e saudável, bem como na percepção de qualidade de vida (QV) de cada indivíduo. Caminhar em grupo para comunidades em contexto de alta vulnerabilidade social desenvolver a sociabilização e ser um fator de proteção para doenças no âmbito emocional. Promoção de atividade física na Atenção Básica de saúde pode ser uma estratégia interessante para garantir esses benefícios, no entanto ainda existem poucos estudos que relatam esses efeitos. Nesse sentido, o objetivo desse estudo é avaliar os efeitos de um programa de caminhada na QV dos participantes de uma área de alta vulnerabilidade no município de São Carlos, SP. Trata-se de uma pesquisa de delineamento quase experimental e controlado, com a participação de: 1) grupo intervenção (n=20) e 2) grupo controle (n=20). A intervenção terá duração de seis meses. O programa ocorrerá cinco vezes por semana, com duração de uma hora. As aulas serão compostas de atividades recreacionais, caminhada e estratégias educativas de mudança de comportamento para AF. Para avaliar o programa, esse estudo utilizará o questionário de QV WHOQOL-Bref, o qual consta 26 questões que abordam quatro domínios (físico, psicológico, relações social e meio ambiente). Será utilizada também uma entrevista estruturada após a participação no programa de caminhada com perguntas abertas sobre a percepção do indivíduo em à qualidade de vida relacionada aos aspectos psicológicos nas seguintes questões: sentimentos, forma de pensar, memória e concentração, auto-estima e imagem corporal, aplicada. Espera-se que o programa tenha escores satisfatórios em todos os domínios do WHOQOL-Bref, em especial no domínio psicológico. Espera-se ainda que as respostas à entrevista estruturada sejam positivas em relação à AF e os aspectos psicológicos dos participantes. (AU)

Influências da atividade física sobre o comportamento de camundongos submetidos a isolamento social

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Michele Schultz Ramos
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia - Psicologia Experimental
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:15/02748-8
Vigência: 01 de janeiro de 2016 - 31 de dezembro de 2016
Assunto(s):DepressãoAnsiedadeMemória (psicologia)Atividade físicaIsolamento socialComportamento animal
Resumo
A condição de isolamento social tem sido descrita como um fator estressor, tanto a nível fisiológico quanto comportamental, apresentando associação com diversas doenças, dentre as quais transtornos de ansiedade, de depressão e prejuízos na memória. É necessário estudar formas de intervir no processo, de modo a evitar que tal situação se configure, o que é difícil devido à maneira com a qual a sociedade atual se encontra estruturada. Além disso, não se pode cometer o equívoco de considerar que tal condição, por ter aspectos voltados para questões psicológicas, seja menos prejudicial do que as de caráter estritamente físico, tendo em vista as evidências na literatura. Por outro lado, a atividade física tem sido descrita como promotora de ganhos à saúde mental. Assim, tendo-se em vista o baixo número de estudos, o presente projeto pretende verificar a relação entre isolamento social e atividade física e sua influência sobre o comportamento relacionado à ansiedade, depressão e prejuízo na memória de camundongos jovens. Os animais serão alojados em grupos de 3 ou individualmente (em isolamento), sendo que alguns terão à disposição uma roda para atividade física voluntária durante 4 semanas, perfazendo um total de 4 grupos. Decorrido este período, os animais serão submetidos a testes de comportamento - labirinto aquático de Morris, labirinto em cruz elevado e teste de suspensão de cauda - visando comparar os desempenhos dos diferentes grupos nas mesmas tarefas, possibilitando assim verificar, mediante análise estatística, os possíveis efeitos prejudiciais do isolamento, os benefícios da atividade física, e a interação de ambos, esperando-se que a atividade física atenue os prejuízos esperados em decorrência do isolamento. (AU)

E-health and physial activity in back pain

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Presidente Prudente. Presidente Prudente, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Rafael Zambelli de Almeida Pinto
Pesquisador responsável no exterior: Paulo Henrique Ferreira
Instituição no exterior: University of Sydney. (Austrália)
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:15/50314-7
Vigência: 01 de dezembro de 2015 - 30 de novembro de 2017
Convênio/Acordo de cooperação com a FAPESP: University of Sydney
Assunto(s):Atividade físicaDor nas costasProjetos SPRINT

Há associação entre medo de movimento e níveis de atividade física em pacientes que procuram atendimento para dor lombar crônica não-específica?

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Presidente Prudente. Presidente Prudente, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Rafael Zambelli de Almeida Pinto
Supervisor no Exterior: Christopher Gerard Maher
Local de pesquisa: George Institute for Global Health (Austrália)
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Iniciação Científica
Processo:15/17093-7
Vigência: 01 de dezembro de 2015 - 29 de fevereiro de 2016
Assunto(s):Dor lombarAtividade física
Resumo
INTRODUÇÃO No campo de dor musculoesquelética crônica, há fortes evidências que respostas cognitivas e comportamentais relacionadas à dor apresentam o papel principal no desenvolvimento e manutenção da cronicidade ou de sintomas persistentes. Medo de movimento ou de lesionar novamente, também referido como cinesiofobia, é relacionada mais especificamente com o medo de que a atividade física cause uma nova lesão. Medo de movimento tem se mostrado um poderoso preditor de cronicidade em pacientes com dor lombar. Modelos teóricos no campo de dor musculoesquelética crônica afirmam que o alto medo relacionado à dor é associado com o desenvolvimento de comportamentos que visam evitar determinados tipos de movimento, o que eventualmente pode levar a incapacidade e desuso. Apesar do medo de movimento na manutenção da dor lombar crônica ser bem documentado, a evidência da associação entre o medo de movimento e baixos níveis de atividade física ainda é equivocada. Uma possível explicação para a falta de associação em estudos prévios é o uso de medidas subjetivas para avaliar os níveis de atividade física. Um método promissor para avaliar objetivamente os níveis de atividade física nessa população é o uso de monitores de atividade, como o acelerômetro. O principal objetivos desse estudo é determinar se o medo de movimento é associado com níveis de atividade física. MÉTODO A amostra deste estudo é derivada de um projeto em curso financiado pela FAPESP. Este projeto está atualmente recrutando pacientes com dor lombar crônica não-específica. A coleta de dados inclui informações demográficas e antropométricas além de medidas de incapacidade, dor, depressão, medo de movimento e medida objetiva dos níveis de atividade física. A análise e interpretação dos dados será realizada durante o estágio de pesquisa do candidato no George Institute at Global Health in Sydney/Austrália sob supervisão do Prof. Chris Maher. (AU)

A validação do dispositivo Fitbit em pares de gêmeos discordantes com dor lombar

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Presidente Prudente. Presidente Prudente, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Rafael Zambelli de Almeida Pinto
Supervisor no Exterior: Paulo Henrique Ferreira
Local de pesquisa: University of Sydney (Austrália)
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Mestrado
Processo:15/11877-6
Vigência: 01 de dezembro de 2015 - 29 de fevereiro de 2016
Assunto(s):Dor lombarAtividade físicaOrtopediaEstudo em gêmeos
Resumo
Introdução: Supõe que pacientes com dor lombar (LBP) apresenta seu nível de atividade física diminuído devido a dor e este fato tem sido questionado. Estudos com gêmeos pode ajudar a esclarecer o papel do descondicionamento físico em pacientes com dor lombar, devido à possibilidade de controlar possíveis fatores de confusão genética. Para investigar o papel dos níveis de atividade física em pesquisa dor lombar, medida objetiva, como monitores de atividade física tem sido amplamente recomendada. O dispositivo Fitbit é um monitor de custo relativamente baixo de atividade física com uma interface de usuário muito mais simples e amigável do que a maioria dos outros dispositivos. O objetivo deste estudo é avaliar a validade do dispositivo Fitbit para avaliar os níveis de atividade física em gêmeos, com ou sem dor lombar e investigar a associação entre os níveis de atividade física e LBP em pares de gêmeos discordantes para LBP. Método: Participantes serão identificados a partir do Registro gêmeo australiano (ATR). Trinta pares de gêmeos discordantes para LBP serão incluídos na análise dos gêmeos que usarem Fitbit e Actigraph GT3X acelerômetro durante 7 dias consecutivos. Validade será avaliada comparando os dados utilizando coeficientes de correlação de Spearman. A associação entre atividade física e LBP será investigada por meio de regressão logística condicional. (AU)

Influência da obesidade na presença de comportamentos sedentários em adultos

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Saúde e Sociedade (ISS). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus Baixada Santista. Santos, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Victor Zuniga Dourado
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Educação Física
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:15/20830-3
Vigência: 01 de dezembro de 2015 - 30 de novembro de 2016
Vinculado ao auxílio:11/07282-6 - Nível de atividade e aptidão física e sua associação com o declínio da função pulmonar em adultos do município de Santos, Brasil, AP.JP
Assunto(s):ObesidadeSedentarismoAtividade físicaAcelerometria
Resumo
A obesidade é um crescente problema mundial de saúde e está associada às diversas comorbidades. Comportamentos sedentários, assim como a inatividade física, são considerados deletérios à saúde. O gasto energético d1,5 em Equivalentes Metabólicos de Tarefa e adoção de posturas sentadas e deitadas caracterizam o comportamento sedentário. Sendo assim, o objetivo desse estudo será avaliar a associação entre a obesidade e a quantidade de comportamentos sedentários em adultos. O estudo será realizado com 150 participantes pareados por idade, sexo e fatores de risco cardiovascular, divididos em cinco grupos de acordo com a porcentagem de gordura corporal obtida por meio de bioimpedância elétrica. A análise do comportamento sedentário será realizada a partir de dados de acelerometria triaxial. Os dados serão analisados descritivamente. Variáveis contínuas serão comparadas entre os grupos utilizando ANOVA para nível de obesidade e sexo, e as categóricas pelo teste Dz. (AU)

Estudo da efetividade de intervenção multidisciplinar em adolescentes com excesso de peso no Centro de Recuperação e Educação Nutricional - CREN: projeto eu aprendi, eu ensinei

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Centro de Recuperação e Educação Alimentar (CREN). Núcleo Interdepartamental de Segurança Alimentar e Nutricional (NISAN). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Ana Lydia Sawaya
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Nutrição - Análise Nutricional de População
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Processo:15/24848-4
Vigência: 01 de dezembro de 2015 - 30 de abril de 2017
Vinculado ao auxílio:14/22351-2 - Estudo da efetividade de intervenção multidisciplinar em adolescentes com excesso de peso no Centro de Recuperação e Educação Nutricional - CREN: projeto eu aprendi, eu ensinei, AP.R
Assunto(s):Exercício físicoObesidade
Resumo
O excesso de peso já presente de forma epidêmica na adolescência é uma das maiores preocupações no mundo atualmente. Crescem as evidências que uma intervenção adequada requer não só uma abordagem que leve à modificação do hábito alimentar, mas auxilie na qualidade de vida. Faltam estudos que tenham monitorado por mais de seis meses adolescentes com excesso de peso em tratamento multidisciplinar. A hipótese em que se baseia o presente estudo é que tratamento multidisciplinar baseado em intervenção de acordo com estágios de mudança de comportamento e motivação possa levar à normalização do peso em adolescentes com excesso de peso. O objetivo é, portanto, estudar a efetividade de uma intervenção multidisciplinar baseada no modelo transteórico de mudança de comportamento para tratamento de adolescentes com excesso de peso no Centro de Recuperação e Educação Nutricional com duração de dezoito meses. Para tanto será desenvolvido um protocolo de intervenção que acompanhará dois grupos de adolescentes (>1 e d 3 escore Z de IMC-para-idade): experimental (n=100) e controle (n=100). O grupo experimental responderá ao algoritmo do modelo transteórico para mudança do comportamento de atividade física a cada seis meses e receberá intervenção de acordo com o estágio de mudança; participará de oficinas de educação nutricional, educação física, psicologia e de integração; e receberá atendimento individual para acompanhamento nutricional, de atividade física, psicológico, e clínico. O grupo controle será composto por adolescentes que participarão de uma consulta mensal com nutricionista e bimensal com o pediatra. (AU)

Avaliação da modulação autonômica cardíaca de pacientes com insuficiência cardíaca sistólica e prática regular de atividade física

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Meliza Goi Roscani
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:15/18987-1
Vigência: 01 de dezembro de 2015 - 30 de novembro de 2016
Assunto(s):Remodelação ventricularAtividade físicaSedentarismoCardiologia
Resumo
Introdução: A prática de exercício físico (EF) tem apresentado efeitos benéficos na qualidade de vida e capacidade funcional de pacientes com insuficiência cardíaca (IC), independente do valor da fração de ejeção ventricular esquerda (FEVE). Acredita-se que isso se deva não pela melhora na FEVE, mas sim por alterações periféricas que promovam vasodilatação arterial, redução da pós-carga ventricular e melhor modulação autonômica. Como ainda há controvérsia dos mecanismos envolvidos nessa melhora promovida pela atividade física em pacientes com IC, formulamos a hipótese de que indivíduos sedentários com FEVE reduzida apresentam pior resposta autonômica quando comparados a indivíduos com comportamento não sedentário. Objetivos: Comparar a modulação autonômica cardíaca de pacientes com comportamento ativo e sedentário e insuficiência cardíaca sistólica. Metodologia: Estudo prospectivo transversal em pacientes com IC com FEVE inferior a 50%, sendo compostos dois grupos, sedentários (S) e não sedentários (NS) a partir da aplicação do questionário IPAQ. Serão realizadas avaliação física e clínica, avaliação da modulação autonômica cardíaca e aplicação de questionário de qualidade de vida SF-36. Análise estatística: será realizada através de T simples para comparação entre grupos e regressão linear simples para comparação de variáveis diferentes no mesmo grupo. Resultados esperados: espera-se encontrar correlação entre disfunção na regulação autonômica cardíaca, sedentarismo e piora qualidade de vida. (AU)

Análise da composição corporal de mulheres com insuficiência ovariana primária

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Centro de Atenção Integral à Saúde da Mulher (CAISM). Hospital da Mulher Professor Doutor José Aristodemo Pinotti. Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Cristina Laguna Benetti Pinto
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Saúde Materno-infantil
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:15/19154-3
Vigência: 01 de dezembro de 2015 - 30 de novembro de 2016
Assunto(s):Composição corporalTerapia de reposição hormonalGinecologia
Resumo
Introdução: A influência da Insuficiência Ovariana Primária sobre a composição corporal de mulheres jovens, ainda não está bem esclarecida. Acredita-se que a terapia hormonal não seja suficiente para recompor a composição corporal em mulheres jovens. Objetivos: Avaliar a composição corporal (massa gorda e magra) de mulheres com Insuficiência ovariana primária e compará-la com mulheres com função ovariana normal. Sujeito e métodos: Estudo de corte transversal a ser realizado no ambulatório de ginecologia endócrina do Departamento de Tocoginecologia da Universidade Estadual de Campinas avaliará mulheres com IOP em uso de reposição hormonal para estabelecer sua composição corporal. Como controle serão estudadas mulheres hígidas pareadas por idade (±2anos), IMC (±2 kg/m2) e grau de intensidade de atividade física. Após obtenção do TCLE, todas as voluntárias serão submetidas a estudo de densitometria óssea corporal e serão examinadas para mensuração das dobras cutâneas através do uso de adipômetro. O grau de atividade física será obtido por questionário apropriado (IPAQ). Os dados dos dois grupos (estudo e controle) serão apresentados como média e desvio padrão. Serão avaliados quanto a distribuição de normalidade e comparadas através de testes estatísticos apropriados. Os dados obtidos quanto ao percentual de massa magra e massa gorda serão analisados através de estudo de correlação em relação a dados de idade, idade da falência gonadal, tempo de terapia hormonal, tipo de terapia hormonal e outras variáveis estudadas. (AU)

Preditores de desempenho em atividade física e hiperinsuflação dinâmica em pacientes com bronquiectasias

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto do Coração Professor Euryclides de Jesus Zerbini (INCOR). Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Alberto Cukier
Pesquisadores associados:Frederico Leon Arrabal Fernandes
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:15/14638-2
Vigência: 01 de novembro de 2015 - 31 de outubro de 2017
Assunto(s):PneumologiaExercício físicoBronquiectasia
Resumo
Bronquiectasias (BQT) caracterizam-se por dilatação anormal e irreversível das vias aéreas e podem ser causada por uma ampla variedade de doenças. Hiperinsuflação dinâmica (HD) é caracterizada por aprisionamento aéreo progressivo, que leva a aumento do volume pulmonar ao final da expiração associado à diminuição da capacidade inspiratória (CI), em situações em que há aumento da ventilação, como no exercício. A HD é um dos mecanismos responsáveis pela dispnéia e redução da tolerância ao exercício em pacientes com condições que levam à limitação do fluxo expiratório, como asma e DPOC. Uma opção para a avaliação de HD é a medida seriada da CI durante as manobras que promovem hiperventilação como um teste de exercício cardiopulmonar incremental. A capacidade de exercício é reduzida em muitos pacientes com BQT. Não há estudos que avaliam a presença de HD em pacientes com BQT e existem poucos estudos sobre a fisiologia de dispnéia nesta população. HD é um importante mecanismo de limitação ao exercício em pacientes com DPOC e pode explicar a dispnéia aos esforços e diminuição da capacidade de exercício em pacientes com BQT. Hipótese: HD está presente em pacientes com BQT. Objetivos: Primários - Avaliar a prevalência de HD em pacientes com BQT. Secundário: Avaliar a capacidade aeróbica nesses pacientes e fatores associados à HD e diminuição da capacidade aeróbica. Metodologia - Pacientes maiores de 18 anos do ambulatório de BQT da Pneumologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo - USP que atendam aos seguintes critérios serão incluídos no estudo: Diagnóstico de BQT confirmado por TC de tórax e concordância em assinar o termo de consentimento livre e esclarecido para participação no estudo. Critérios de exclusão: diagnóstico da fibrose cística, asma, DPOC, aspergilose broncopulmonar alérgica, micobacteriose em atividade e gravidez, incapacidade de realizar testes funcionais pulmonares, tratamento recente (<30 dias) de exacerbação com corticóide ou antibiótico oral, contraindicação aos testes de exercício, limitação ao exercício não relacionada à doença pulmonar (problemas ortopédicos ou cardiovasculares), ressecção pulmonar prévia, tabagismo atual ou história prévia de tabagismo com carga tabágica superior a 10 maços/ano, oxigenoterapia domiciliar prolongada. Dinâmica do estudo: Avaliação da prevalência de HD - Os pacientes serão avaliados sequencialmente e a prevalência de DH será determinada. Variáveis clínicas: dados demográficos e antropométricos: idade, sexo, raça e IMC (Índice de Massa Corporal). Dados clínicos: tempo entre o início dos sintomas ao início do estudo, tempo de diagnóstico da doença, dispnéia (classificação pelo Medical Research Council - MRC). Exames: espirometria, pletismografia de corpo inteiro, teste de exercício cardiopulmonar incremental com cicloergômetro, Oscilometria forçada, TC de Tórax. Análise estatística: Os pacientes serão divididos em dois grupos (presença ou ausência de HD), a partir da análise de medidas seriadas da CI durante o teste cardiopulmonar incremental. Considerando-se uma prevalência estimada na população acessível e população acessível de 366 indivíduos, uma amostra de 113 indivíduos foi estimada com uma margem de erro de 10% e nível de significância de 0,05. Para a análise dos fatores associados dez variáveis candidatas foram incluídas no modelo. O recrutamento planejado é de 120 pacientes no total. Para a análise dos fatores associados com DH e diminuição da capacidade aeróbica, um modelo de regressão logística multivariada será utilizado. Horário: Tempo de estudo - 4 anos no total. Aspectos éticos: Os participantes do estudo assinarão um Termo de Consentimento Livre e Esclarecido. O projeto será apresentado à CAPEPesq Incor - HCFMUSP. (AU)

Senso de coerência e qualidade de vida em idosos

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Eliane da Silva Grazziano
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Enfermagem
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:15/13138-6
Vigência: 01 de novembro de 2015 - 31 de outubro de 2016
Assunto(s):Resiliência psicológicaSenso de coerênciaHipertensãoIdososQualidade de vida
Resumo
Trata-se de um estudo exploratório, descritivo, transversal com abordagem quantitativa, que tem como objetivo analisar a presença de senso de coerência em idosos e sua influência na percepção de qualidade da vida e adesão à terapêutica para hipertensão arterial sistêmica (HAS) e diabetes melitus (DM), após aprovação do projeto pelo Comitê de Ética e Pesquisa em Seres Humanos. Serão convidados a participar 120 idosos portadores de HAS e DM, assistidos em uma Unidade Básica de Saúde (UBS), por uma Equipe de Estratégia de Saúde da Família (ESF) e matriculados em uma unidade da Universidade Aberta da Terceira Idade (UATI) de um município do interior paulista. A coleta de dados será realizada em encontros com os pesquisadores para preenchimento de instrumentos validados, a saber Questionário de Senso de Coerência de Antonovsky, Inventário de Qualidade de Vida de Ferrans e Powers (IQVFP) e o Instrumento de Avaliação de Atividade Física desenvolvido por Aadahl e Jorgensen. Os dados serão analisados por profissional estatístico e os resultados serão considerados estatisticamente significantes se p < 0,05, com intervalo de 95% de confiança. Espera-se que este estudo possa contribuir para caracterizar a associação entre qualidade de vida e senso de coerência entre idosos portadores de hipertensão arterial sistêmica e ou diabetes mellitus e desta forma, fundamentar propostas que auxiliem a compreensão dos fatores relacionados à adesão ao tratamento farmacológico e não farmacológico. (AU)

Alterações morfológicas e comportamentais em gerbilos isquêmicos induzidas pela exposição à nicotina e treino de marcha forçada contínua em esteira

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Pesquisador responsável:João Eduardo de Araujo
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Processo:15/07730-0
Vigência: 01 de novembro de 2015 - 28 de fevereiro de 2017
Assunto(s):GerbillinaeIsquemiaNicotina
Resumo
A nicotina é um alcaloide líquido natural encontrado no cigarro em sua fase particulada. É considerada uma droga lícita comercializada livremente em todo o mundo e com tendência ao aumento de seu consumo, sendo desta forma, responsável direta ou indiretamente por milhões de mortes anualmente. Em estudos com modelos animais, a nicotina apresenta efeitos significativos e complexos no aparelho locomotor, dependendo do sexo e idade do animal testado. O acidente vascular encefálico (AVE) é uma importante doença neurológica e pode gerar sequelas permanentes no indivíduo. Através de mecanismos isquêmicos o AVE, até mesmo em pequenos períodos de tempo, é capaz de gerar morte celular e consequente dano a funções cerebrais. O emprego de modelos animais permite o estudo e a investigação da fisiopatologia da isquemia encefálica especialmente os modelos de isquemia global. Nesta questão, a atividade física têm se mostrado eficaz na manutenção da saúde e da saúde de estruturas encefálicas, com efeitos benéficos na memória, potencialização à longo prazo e aprendizagem. No presente trabalho iremos expor gerbilos à nicotina e produzir isquemia través de cirurgia de oclusão das carótidas, e por fim, serão analisados seus efeitos nas áreas M1, CA1 e estriado, bem como sua repercussão comportamental após o treino de marcha forcada continua em esteira por 5 dias consecutivos. Será utilizado o tempo de 15 minutos com velocidade de 5m/min. Para tanto, serão utilizados 110 gerbilos, divididos em 11 grupos (n=10): GC (Grupo Controle), GCS (Grupo Controle Salina), GCN (Grupo Controle Nicotina), GS (Grupo Sham), GSS (Grupo Sham Salina), GSN (Grupo Sham Nicotina), GSEN (Grupo Sham Estimulado Nicotina), GI (Grupo Isquemia), GIS (Grupo Isquemia Salina), GIN (Grupo Isquemia Nicotina) e GIEN (Grupo Isquemia Estimulado Nicotina). Durante nove dias consecutivos, cada animal dos grupos Nicotina receberão via intraperitoneal, uma injeção de 1mg/kg de (-)-nicotina (Sigma), dissolvido em salina, com volume recalculado de 1mg de nicotina para 1 ml de salina. Os animais do grupo Salina serão submetidos ao mesmo protocolo, porém com administração de salina. Após 3 dias de aplicação da nicotina, os animais dos grupos isquemia (GI, GIS, GIN e GIEN) terão ambas as artérias carótidas expostas e ocluídas por através de um fio de sutura durante 5 minutos. Os grupos Sham (GS, GSS, GSN e GSNE) terão o procedimento interrompido antes da oclusão. Os animais do grupo GSEN e GIEN serão submetidos à estimulação motora em 5 dias contínuos, iniciando 24 horas após o evento isquêmico. Será usado o protocolo de estimulação em esteira de 5m/min por 15 minutos. No sexto dia após a cirurgia serão coletados os dados do comportamento motor no monitor de atividades, e do equilíbrio dos animais em Rota Rod. Após a análise comportamental, os animais serão anestesiados, perfundidos e terão seus encéfalos coletados para a análise histológica do hipotálamo (CA1), estriado e área motora M1. (AU)

Comparação dos efeitos dos treinamentos aeróbio e intervalado na melhora da capacidade aeróbia, fatores psicossociais e impacto no nível de atividade física em pacientes com asma moderada e grave: um estudo clínico controlado, aleatorizado e cego

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Celso Ricardo Fernandes de Carvalho
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Processo:13/12707-1
Vigência: 01 de novembro de 2015 - 31 de outubro de 2017
Assunto(s):AsmaReabilitação pulmonarTreinamento físico
Resumo
Introdução: O treinamento aeróbio (TA) aumenta o condicionamento físico que está associado com a melhora do controle clínico, da qualidade de vida e redução da ansiedade, depressão e da inflamação pulmonar nos pacientes asmáticos. Porém, pouco é compreendido sobre os benefícios de tipos de treinamento nestes pacientes. Objetivos: Comparar o impacto, a curto e médio prazo, do TA e treinamento intervalado (TI) prazo na melhora da capacidade aeróbia, fatores psicossociais e nível de atividade física em pacientes asmáticos. Será também comparado o efeito dos treinamentos na inflamação pulmonar. Casuística: Serão estudados 50 pacientes com asma persistente moderada ou grave que serão aleatoriamente alocados em um dos 2 grupos: TA e TI. O programa de treinamento físico terá a duração de 24 sessões (3 meses), cada sessão de exercício terá duração de 40 minutos. O TA terá 5 min. de aquecimento, 30 min. de exercício e 5 min. de volta e será iniciado com intensidade entre 60 e 80% da capacidade aeróbia máxima (VO2max). O TI terá 5 min. de aquecimento e serão realizados intervalados de 30 seg. de exercício com o mesmo período de repouso numa intensidade inicial entre 80 e 100% do VO2max. Antes do programa de exercício, os pacientes participarão de programa um educacional. Antes e no final das intervenções, os pacientes serão avaliados quanto à capacidade física (VO2max) no limiar anaeróbio (isotime), controle clínico (ACT, ACQ e diário de sintomas), fatores de saúde relacionados à qualidade de vida (AQLQ) e níveis de ansiedade e depressão (HADS). A inflamação pulmonar será avaliada pela fração de oxido nítrico no ar exalado (FEno; quimioluminescência) e quantificação dos níveis séricos do cortisol (fluorimunoensaio) e das interleucinas (IL)-4, IL-5, IL-6, IL-8, IL-2, IL-12, IL-17, IL-10, IFN-g, TNF-a, TGF-b, quimiocinas MCP-1, RANTES, MIG, IP-10 (CBA). Antes e após 3 meses do final dos programas TA e TI, os pacientes terão avaliado o controle da asma e o nível de atividade física com uso pedômetro quantificado por 7 dias e do questionário de barreiras da atividade física. A normalidade dos dados será feita com o teste Shapiro-Wilk. Os dados contínuos serão analisados com testes paramétricos (ANOVA e Bonferroni) ou não paramétricos (ANOVA e Mann-Whitney), ainda será feito teste para medidas repetidas (Friedman ou Tukey). Para os dados categóricos será aplicado o teste de qui-quadrado. Também será feito análise do tamanho do efeito. O nível de significância para todos os testes será de 5% (p<0,05). (AU)

Impacto de marcadores inflamatórios e nível de atividade física nos custos com o tratamento ambulatorial de pacientes da atenção básica

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Presidente Prudente. Presidente Prudente, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Fábio Santos de Lira
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Educação Física
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Processo:15/12102-8
Vigência: 01 de novembro de 2015 - 31 de janeiro de 2017
Assunto(s):Exercício físicoSaúde públicaMarcadores inflamatórios
Resumo
As doenças crônicas geram impacto substancial nos custos públicos de saúde, entretanto programas deatividade física podem ser adotados como medidas promissoras, efetivas e de baixo custo. Emrelação à atividade física regular, pesquisas sugerem que a mesma tem o potencial de reduzir níveiscirculantes de diversos biomarcadores inflamatórios, entretanto, não existe na literatura muitasinformações sobre o impacto de marcadores inflamatórios nos custos com saúde. O objetivo doestudo é analisar o impacto de marcadores inflamatórios sobre custos ambulatoriais e identificar seexiste relação com a prática de atividade física, em diferentes domínios. O presenteestudo terá caráter transversal e será conduzido em Presidente Prudente - SP. A amostra serácomposta por homens e mulheres com idade maior que 50 anos, atendidos por unidades básicas desaúde de Presidente Prudente. Os participantes serão submetidos a avaliações que incluem asseguintes variáveis: i) pratica de atividade física habitual, ii) marcadores de inflamação, iii) perfilglicêmico e lipídico, iv) custos com o tratamento ambulatorial, v) excesso de peso e obesidadeabdominal, vi) pressão arterial, vii) histórico de doença pessoal e familiar, viii) hábito de tabagismoe; x) condição econômica. Analise estatística: A estatística descritiva será composta por valores demédia, desvio padrão e intervalo de confiança de 95% (IC95%). O teste t de Student para amostrasindependentes estabelecerá comparações entre os grupos formados. As comparações significativasno teste t de Student serão reanalisadas pela análise de covariância (ANCOVA). Em todas asanálises, a significância estatística (p-valor) será pré-fixada em valores inferiores a 5%. O softwareutilizado será o BioEstat (versão 5.0). (AU)

O papel de comportamentos pessoais, exposição à fumaça do cigarro e fatores genéticos na dor lombar: percepções de um de estudo em gêmeos

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Presidente Prudente. Presidente Prudente, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Dionei Ramos
Supervisor no Exterior: Paulo Henrique Ferreira
Local de pesquisa: University of Sydney (Austrália)
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Mestrado
Processo:15/11876-0
Vigência: 02 de outubro de 2015 - 01 de janeiro de 2016
Assunto(s):Dor lombarHábito de fumarGêmeosPoluição por fumaça de tabaco
Resumo
A dor lombar é um problema de saúde comum que a maioria das pessoas irão vivenciar em algum momento de sua vida. No entanto, seu fardo é muitas vezes considerado trivial. Os fatores de risco para desenvolver a dor lombar são multifatoriais e, embora alguns desses fatores tenham sido demonstrados em estudos anteriores, as suas associações continuam a ser mal compreendidas. Pensando nisso, estudos com gêmeos podem esclarecer o papel de fatores genéticos e comportamentos pessoais, tais como a exposição à fumaça do cigarro, que estão envolvidos no aparecimento da dor lombar. Objetivo: investigar a associação entre comportamentos pessoais, exposição à fumaça do cigarro e fatores genéticos no desenvolvimento de dor lombar em adultos gêmeos, bem como a incapacidade relacionada à dor. Métodos: A amostra deste estudo será composta de gêmeos adultos do Twin Registry Murcia, um registro com base na comunidade dos gêmeos de Espanha. Todos os gêmeos irão responder a perguntas sobre prevalência de dor lombar, bem como a história de exposição à fumaça do cigarro, qualidade do sono, e envolvimento em atividade física de lazer. Análise estatística: a estatística descritiva será realizada para todas as variáveis. As análises serão realizadas separadamente para cada variável em duas etapas: análise da amostra total e dentro de pares para controle. Freqüências de fatores de risco relatados será apresentado para pares de gêmeos e, separadamente, para os casos e controles. Achados para pares de gêmeos será apresentado primeiro para pares independentemente da sua zigosidade e, posteriormente, separados de acordo com a sua zigosidade (isto é, pares de gêmeos dizigóticos) ou mono. As análises serão realizadas utilizando o software IBM SPSS versão 22.0 (IBM Corporation, Somers, NY, EUA). (AU)

Ambiente ativo: experiências de promoção da atividade física na Estratégia de Saúde da Família

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Alex Antonio Florindo
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Educação Física
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Livros no Brasil
Processo:15/12287-8
Vigência: 01 de outubro de 2015 - 30 de setembro de 2016
Assunto(s):Sistema Único de Saúde
Resumo
Este livro tem como objetivo descrever aspectos metodologicos e de avaliação de intervenções de promoção da atividade física desenvolvidas no âmbito da estratégia de saúde da família no sistema único de saúde e foi escrito para servir principalmente para profissionais de gestores que trabalham diretamente nos serviços de saúde. O livro é dividido em 12 capítulos que descrevem desde fases de planejamento com base em indicadores epidemiológicos, passando pela descrição prática de ações, estratégias e procedimentos utilizados, chegando nos métodos de avaliação. O livro foi produto de auxílio à pesquisa da FAPESP que teve como objetivo avaliar intervenções de promoção da atividade física no âmbito da estratégia de saúde da família. A Sociedade Brasileira de Atividade Física e Saúde foi a Editora Científica que aceitou publicar o livro no formato eletrônico. A mesma tem grande experiência na editoração de publicações científicas, pois coordena a editoração da Revista Brasileira de Atividade Física e Saúde. Este livro terá distribuição gratuita que será coordenada pela Sociedade Brasileira de Atividade e Saúde. (AU)

Reference equation for respiratory pressures in pediatric population: a multicenter study

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Universidade Nove de Julho (UNINOVE). Campus Vergueiro. São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Fernanda de Cordoba Lanza
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Artigo
Processo:15/15699-5
Vigência: 01 de outubro de 2015 - 31 de março de 2016
Resumo
Estudos anteriores já haviam proposto equação para prever a força muscular respiratória, mas não levam em consideração as diferenças entre as idades na população pediátrica. Além disso, essas pesquisas foram feitas em centro único. O objetivo deste estudo foi estabelecer equações de referência para a pressão inspiratória máxima (PImax) e pressão expiratória máxima (PEmax) em crianças e adolescentes. Em um estudo multicêntrico, 450 voluntários saudáveis foram avaliadas (6-18yrs com idades). Foram incluídos voluntários com função pulmonar normal. Foram excluídos os voluntários que não conseguisse realizar os testes; participante de atividade física mais do que duas vezes por semana; que nasceram prematuramente; fumantes; com doenças crônicas respiratórias, cardiológicas, e / ou neurológicas; com doença respiratória aguda durante as três semanas anteriores ao protocolo. Os voluntários foram divididos em dois grupos: Grupo 6-11 (entre 6-11 anos de idade) e Grupo 12-18(entre 12-18 anos de idade). PImax e PEmax foram medidas de acordo com a recmendações. O valor médio da PImax foi de 85,6 (IC 95% 83,6-87,6 cmH2O), e PEmax de 84,6 (95% IC 85,5-86,2 cmH2O). As equações de previsão para PImax e PEmax para o Grupo 6-11 foram: 37,458-,559 + (idade * 3.253) + (IMC * 0,843) + (idade * sexo * 0,985); e 38,556 + 15,892 + (idade * 3,023) + (IMC * 0,579) + (* idade género * 0,881), respectivamente (R2 = 0,31, P <0,001). As equações para o grupo 12-18 foram: 92,472 + (gênero * 9,894) + 7,103, (R2 = 0,27, P = 0,006) para PImax; e 68,113 + (gênero * 17,022) + 6,46 + (IMC * 0,927), (R2 = 0,34, P <0,0001) para PEmax. Este estudo multicêntrico determinou as equações de previsão da força muscular respiratória de crianças e adolescentes (AU)

Promoção de atividade física para adultos e idosos com alta vulnerabilidade: avaliação de um programa de caminhada em Unidades Saúde da Família

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Grace Angélica de Oliveira Gomes
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Educação Física
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Processo:15/15040-3
Vigência: 01 de outubro de 2015 - 31 de março de 2016
Vinculado ao auxílio:14/03909-2 - Promoção de atividade física para adultos e idosos com alta vulnerabilidade: avaliação de um programa de caminhada em Unidades Saúde da Família, AP.R
Assunto(s):Promoção da saúdeAtividade físicaCaminhadaAtenção primária à saúdeIdososAdultosSaúde da família
Resumo
Diante da alta prevalência de inatividade física (AF) no mundo e no Brasil, o oferecimento de programas de atividade física torna-se uma opção conveniente para aumentar o nível de atividade física da população e promover um processo de envelhecimento mais ativo e saudável ao longo da vida. Existe a necessidade de maior aprofundamento em relação ao funcionamento e efetividade de programas de promoção de atividade física e dos efeitos desses programas nos níveis de atividade física, em especial na Atenção Básica de Saúde. Diante disto, esta pesquisa tem por objetivo avaliar um programa de caminhada orientada para adultos e idosos sobre os seguintes aspectos: 1) Descrição do funcionamento e características da intervenção; 2) Efeitos de mudança de comportamento para prática regular atividade física e, 3) efeitos biopsicossociais da atividade física. É uma pesquisa de delineamento quase experimental e controlado, com a participação de: 1)grupo intervenção (n=71) e 2) grupo controle (n=71). A intervenção terá duração de seis meses, com um período posterior de acompanhamento de seis meses após a intervenção. O programa oferecerá exercícios físicos supervisionados duas vezes por semana, com duração de uma hora. As aulas serão compostas de atividades recreacionais, caminhada e estratégias educativas de mudança de comportamento para atividade física. Serão avaliadas as variáveis de adesão, aderência, barreiras para atividade física, motivos de desistência, nível de atividade física, características sociodemográficas, socioeconômicas e aspectos biopsicossociais. Espera-se encontrar maioria dos indivíduos do sexo feminino, na faixa etária acima de 40 anos, baixos níveis de escolaridade e renda, e características biopsicossociais diversas. Espera-se que o programa apresente características de baixa adesão e aderência, principalmente pela barreira falta de tempo e doenças. Após a intervenção, espera-se que a promoção de caminhada orientada aumente os níveis de atividade física para além do tempo oferecido pelo programa e melhore as condições biopsicossociais dos participantes. (AU)

Efeitos da dança sênior nos fatores de risco para quedas em indivíduos idosos: um ensaio clínico aleatorizado controlado

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Presidente Prudente. Presidente Prudente, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Carlos Marcelo Pastre
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Processo:15/07704-9
Vigência: 01 de outubro de 2015 - 30 de setembro de 2017
Assunto(s):DançaAtividade físicaExercício físicoIdosos
Resumo
A eficácia dos programas de exercícios físicos para a prevenção de quedas em idosos já está bem estabelecida. Entretanto, a adesão dos idosos aos programas de exercícios fisicos tem sido reportada como não sendo ideal, variando entre 21% a 74%. Além disso, cerca de 45% dos idosos acima de 60 anos não fazem o mínimo recomendado de atividade física. Neste contexto, a dança é um tipo de atividade física que surge como alternativa aos tradicionais programas de exercícios, por possuir potencial para atuar em importantes fatores de riscos para quedas, como sedentarismo, déficit de equilíbrio, fraqueza muscular e declínio cognitivo. Além disso, trata-se de uma atividade prazerosa que atrai a atenção dos idosos. Entretanto, uma revisão sistemática recente mostrou que existe uma escassez de ensaios clínicos aleatorizados neste área e revelou, ainda, que os estudos existentes são de baixa qualidade metodológica, o que não permitem traçar conclusões definitivas sobre o real efeito da dança nesses fatores de riscos. Um tipo de dança que vem ganhando popularidade entre os idosos no Brasil é a Dança Sênior. A Dança Sênior é uma atividade realizada em grupo que, além de proporcionar socialização, trabalha o equilíbrio, a cordenação e a função cognitiva por meio de coreografias. Sendo assim este estudo é um ensaio clínico aleatorizado com o objetivo de investigar o efeito da Dança Sênior no equilíbrio, mobilidade e função cognitiva, comparado com um grupo controle, em idosos que vivem na comunidade. Um total de 82 idosos serão aleatoriamente distribuídos em dois grupos: Dança Sênior e controle. Para o grupo de dança sênior será oferecido 2 aulas semanais por um período de 3 meses, enquanto o grupo controle será encorajado a manter sua rotina de atividades. O desfecho clínicos serão avaliados por avaliadores cegos antes e após a intervenção. Este estudo irá ajudar a nortear as tomadas de decisões clínicas de profissionais de saúde que atuam na área de geriatria. (AU)

Análise exergética do trabalho muscular

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Engenharia Mecânica (FEM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Carlos Eduardo Keutenedjian Mady
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Mecânica - Engenharia Térmica
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:15/15243-1
Vigência: 01 de outubro de 2015 - 30 de setembro de 2016
Assunto(s):MetabolismoAtividade físicaTermodinâmicaCorpo humano
Resumo
A análise exergética é aplicada ao corpo humano com objetivo de obter indicadores de eficiência relacionados ao trabalho muscular durante uma determinada atividade física. No caso específico do presente projeto de iniciação científica, essa análise refere-se ao levantamento de uma massa (ou uma série de levantamentos). Para tal, serão propostas modificações em modelos já existentes para análise exergética com o objetivo de se avaliar o tipo de oxidação de nutrientes que ocorre durante levantamento de um peso (aeróbica e anaeróbica), bem como avaliar o quanto de exergia disponível nos nutrientes realmente são transformados em trabalho. Pretende-se dessa forma que o trabalho contribua para uma linha de pesquisa "Análise exergética aplicada a sistemas biológicos" realizando uma primeira avaliação no qual sabe-se qual é o valor do trabalho (ou potência) termodinâmico realizado. Uma revisão inicial da literatura indica que tal análise ainda não foi realizada. (AU)

Efeito do exercício físico no metabolismo de fluoretos em camundongos com diferentes susceptibilidades à fluorose: análise proteômica

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Odontologia de Bauru (FOB). Universidade de São Paulo (USP). Bauru, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Marília Afonso Rabelo Buzalaf
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Odontologia Social e Preventiva
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Processo:15/12109-2
Vigência: 01 de outubro de 2015 - 30 de setembro de 2017
Assunto(s):BioquímicaAtividade física
Resumo
O fluoreto (F) é um elemento extremamente relevante em termos de Saúde Pública devido às suas propriedades de prevenir ou reverter lesões cariosas em indivíduos de todas as idades. Pode oferecer riscos ao organismo se aplicado ou consumido de maneira indiscriminada ou inadequada, como a fluorose dentária. Após sua absorção, o F é distribuído através da corrente sanguínea e armazenado nos tecidos calcificados e tecidos moles, sendo sua excreção essencialmente por via renal. Muitos mecanismos moleculares envolvendo o metabolismo do F ainda são desconhecidos. Na última década vários estudos têm procurado desvendar a influência de fatores genéticos na susceptibilidade genética à fluorose dentária, utilizando linhagens de camundongos que possuem respostas bem distintas aos efeitos do F. Assim, há evidências de que a resistência e a susceptibilidade à fluorose parecem ser influenciadas por fatores genéticos, assim como pela interação com o meio, como por exemplo atividade física e dieta. Na presente proposta, utilizando análise proteômica, identificaremos proteínas diferencialmente expressas em rins e músculo de camundongos susceptíveis ou resistentes à fluorose, em resposta a mudanças na exposição F, com e sem exercício físico. Para tanto, serão obtidos 60 animais das linhagens A/J (n=30) e 129P3/J (n=30), susceptíveis ou resistentes à fluorose, respectivamente. Serão distribuídos em seis grupos de acordo com cada tratamento, recebendo água de beber contendo 0 ou 50 ppm de F, por 8 semanas. Para os grupos com atividade física, serão realizadas corridas diárias em esteira por 60 minutos. Posteriormente à realização do tratamento, os animais serão submetidos à eutanásia, para coleta das amostras e realização das análises. (AU)

Qualidade de vida em idosos hipertensos que praticam ou não exercício físico supervisionado

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Pró-Reitoria de Pesquisa, Pós-Graduação e Extensão. Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Mogi das Cruzes, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Tatiana Ribeiro de Campos Mello
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Saúde Coletiva - Saúde Pública
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:15/04610-3
Vigência: 01 de outubro de 2015 - 30 de setembro de 2016
Assunto(s):Políticas públicasHipertensãoIdososQualidade de vidaGeriatria
Resumo
Introdução: A hipertensão arterial (HA) é o principal fator de risco para a mortalidade e a terceira causa mais importante de incapacidade em idosos no mundo. A sua prevalência global é de 26% na população adulta, com projeções crescentes nas próximas décadas. O risco de desenvolver hipertensão arterial aumenta com a idade, sendo a doença crônica mais comum em idosos, com prevalência igual ou superior a 60% em países desenvolvidos, assim como na América Latina (LIMA E COSTA et al, 2006). É uma doença crônica caracterizada pela elevação da pressão arterial igual ou acima de 140/90 mmHg (14 por 9). Órgãos responsáveis pelas diretrizes de saúde afirmam que o controle adequado da pressão arterial reduz significativamente os riscos de ataques cardíacos e de derrames cerebrais nesta população (SBH, 2010). Pesquisas recentes demonstraram que o treinamento do exercício físico, com carga moderada pode contribuir para a redução dos níveis pressóricos elevados (CORNELISSEN et al, 2011). A prática regular de exercício físico além de ser descrita pela literatura como efetiva na redução dos níveis de pressão arterial, permite o convívio social do idoso e, assim, melhorara a sua qualidade de vida (SCHER et al, 2008). Objetivo: Comparar a qualidade de vida e os índices pressóricos de idosos hipertensos que praticam exercício físico com os que não praticam. Método: Serão recrutados 100 voluntários idosos com mais de 60 anos, hipertensos, de ambos os sexos. Será coletado para a avaliação da qualidade de vida um questionário, validado pela literatura WHOQOL-BREF e WHOQOL-OLD, na forma de entrevista, aplicada pela pesquisadora. A pressão arterial será mensurada em repouso, 5, 10, 15, 30 e 45 minutos após o exercício dos idosos que praticam atividade física, e 10 minutos após aplicação do questionário para os idosos que não praticam atividade física. Para mensuração dos parâmetros cardiovasculares será utilizado um aparelho automático com medida oscilométrica, modelo 3AC1-1 PC (Micro-Life, Suíça). (AU)

Curso temporal das alterações neuroimunes induzidas pelo consumo crônico de frutose em ratos normotensos e hipertensos: papel do treinamento físico aeróbio

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Universidade Nove de Julho (UNINOVE). Campus Vergueiro. São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Kátia De Angelis
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Educação Física
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:15/11223-6
Vigência: 01 de setembro de 2015 - 31 de agosto de 2017
Assunto(s):BarorreflexoPressão sanguíneaInflamaçãoTreinamento físicoSistema nervoso autônomoFrutose
Resumo
A prevalência de síndrome metabólica tem aumentado no mundo. De forma semelhante o consumo de frutose vem aumentando em razão dos produtos industrializados como fast-food e bebidas açucaradas derivadas do xarope de milho. Sabe-se que o aumento no consumo de frutose causa alterações cardiometabólicas tais como, resistência à insulina, níveis elevados de triglicérides, dislipidemia, obesidade e hipertensão. Adicionalmente, a hiperatividade simpática, a inflamação e o estresse oxidativo têm sido apontados como importantes mecanismos no desenvolvimento de doenças cardiometabólicas. Sendo assim o presente estudo tem por objetivo avaliar o curso temporal das alterações cardiometabólicas, na modulação autonômica cardiovascular e em parâmetros de inflamação, hormonais e de estresse oxidativo decorrentes da sobrecarga de frutose em ratos normotensos (Wistar) e espontaneamente hipertensos (SHR). Adicionalmente, considerando os benefícios já demonstrados da atividade física realizada regularmente, buscamos avaliar o curso temporal dos eventuais efeitos de um protocolo de treinamento físico aeróbio nesta condição. Neste sentido, dividimos este projeto em 4 subprojetos. Temos por objetivo no subprojeto 1 avaliar o curso temporal das alterações induzidas pela sobrecarga de frutose iniciada logo após o desmame (30 dias de vida) até a fase adulta (90 dias de vida) em ratos machos Wistar, divididos em grupos controle (C) e tratado com frutose (F). No subprojeto 2, temos por objetivo avaliar os efeitos do treinamento físico aeróbio de intensidade moderada no curso temporal das alterações induzidas pela sobrecarga de frutose em ratos Wistar, divididos em grupos tratado com frutose sedentário (F) e treinado (FT). Adicionalmente, considerando que o consumo de frutose não induz um quadro de hipertensão estabelecida, o que é um fator de risco muito comum na população obesa e com síndrome metabólica, no subprojeto 3 pretendemos avaliar o curso temporal das alterações induzidas pela sobrecarga de frutose iniciada logo após o desmame até a fase adulta em ratos machos SHR, divididos em grupos controle (C), hipertenso (H) e hipertenso tratado com frutose (HF). Por fim, no subprojeto 4 pretendemos avaliar os efeitos do treinamento físico aeróbio de intensidade moderada no curso temporal das alterações induzidas pela sobrecarga de frutose em ratos SHR, divididos em grupos hipertenso tratado com frutose sedentário (HF) e treinado (HFT). Os grupos experimentais descritos acima serão divididos em subgrupos (n=6 em cada grupo/tempo) que serão avaliados aos 7, 14, 30 e 60 dias de sobrecarga de frutose (100 g/l na água de beber) com relação a parâmetros hemodinâmicos (pressão arterial e frequência cardíaca); metabólicos (peso corporal; glicose, insulina, triglicerídeos sanguíneos e resistência à insulina); de capacidade funcional (teste de esforço máximo); autonômicos (sensibilidade barorreflexa; variabilidade da frequência cardíaca e da pressão arterial e catecolaminas no tecido adiposo e do baço); de estresse oxidativo (lipoperoxidação de membrana, proteínas carboniladas, atividade das enzimas glutationa peroxidase, superóxido dismutase e catalase, balanço redox (GSH/GSSG), capacidade antioxidante total, NADPH e produção do ânion superóxido no coração, pâncreas, baço e sangue); de metabolização de óxido nítrico (concentração de nitritos e nitratos plasmáticos); inflamatórios e hormonais (angiotensina 2 e 1-7, receptor AT1a, AT2 e Mas, NFkB no coração, baço e tecido adiposo; e IL-6, IL-10 e TNF± no coração, baço e tecido adiposo). Neste estudo testaremos a hipótese que alterações no controle autonômico precedem alterações cardiometabólicas em ratos normotensos e hipertensos tratados com frutose, e que o treinamento físico aeróbio pode ter efeito preventivo ao atenuar as alterações autonômicas. (AU)

Avaliação da densidade mineral óssea em mulheres em idade reprodutiva em São Paulo, Brasil

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Centro de Atenção Integral à Saúde da Mulher (CAISM). Hospital da Mulher Professor Doutor José Aristodemo Pinotti. Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Luis Guillermo Bahamondes
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Saúde Materno-infantil
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Processo:15/09526-0
Vigência: 01 de setembro de 2015 - 31 de agosto de 2017
Assunto(s):OsteoporoseGinecologiaDensidade ósseaDoenças ósseas metabólicas
Resumo
Osteopenia e osteoporose são geralmente consideradas distúrbios das mulheres na pós-menopausa; entretanto, baixa massa óssea e perda óssea acelerada também podem ocorrer no início da vida e contribuir para osteopenia e osteoporose na idade reprodutiva. Diversos medicamentos, co-morbidades e hábitos de vida pouco saudáveis como sedentarismo, habito de fumo, uso de drogas ilícitas podem acelerar a perda de massa óssea, aumentando o risco de fraturas na pré e na pós menopausa; entretanto, a abrangência do problema no Brasil ainda é desconhecida. Estudos epidemiológicos sobre prevalência de baixa massa óssea e as características dos hábitos em relação à massa óssea das mulheres brasileira ainda são escassos. Assim, o objetivo deste estudo é avaliar a densidade mineral óssea (DMO) e a prevalência da baixa DMO em mulheres em idade reprodutiva. Métodos: será realizado um estudo com um componente de corte transversal e um prospectivo, com 250 mulheres em idade reprodutiva de 18-45 anos. Será realizado o exame da DMO pela técnica de absorciometria de duplo feixe de raio-X (DEXA) na coluna lombar (L1-L4) e no colo do fêmur e serão coletados, mediante questionário, informações sobre fatores de risco em relação à perda de massa óssea como hábitos de vida (ingesta de cálcio, vitamina D, atividade física, história de fraturas, morbidades, uso de medicações, entre outros) e será aplicado o questionário FRAX (The Fracture Risk Assessment Tool) para avaliar o risco de fraturas. Estes procedimentos serão realizados novamente um ano após o primeiro exame. Análise de dados: Para análise dos dados, serão calculadas freqüências absolutas e relativas, média e desvio-padrão dos resultados. Será estimada a razão de risco (OR) para associar os resultados da DMO com as variáveis confundidoras. Nos casos em que houver variáveis confundidoras ou um fator de exposição contínuo, a associação será estimada através da regressão múltipla com modelo de Poisson. Os valores e outros achados entre a primeira avaliação e a do fim do primeiro ano serão avaliados mediante ANOVA. O nível de significância assumido é de 5%. (AU)

Efeitos de polimorfismos genéticos em parâmetros de saúde em idosas

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Escola de Educação Física e Esporte de Ribeirão Preto (EEFERP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Carlos Roberto Bueno Júnior
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Educação Física
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Processo:14/18161-3
Vigência: 01 de setembro de 2015 - 31 de agosto de 2017
Assunto(s):EnvelhecimentoGenéticaCapacidade funcional
Resumo
INTRODUÇÃO: O envelhecimento populacional é um acentuado fenômeno mundial. Segundo Papaléo Netto (1996), o envelhecimento é um processo dinâmico e progressivo em que há várias modificações morfológicas, funcionais, bioquímicas e psicológicas. Além dos fatores ambientais relacionados ao estilo de vida, como prática de atividade física e alimentação, a genética possui uma grande importância para retardar ou acelerar o processo de envelhecimento, pois contribui de forma significativa para explicar a grande variabilidade dos declínios fisiológicos e morfológicos de um idoso para outro. Por isso, é importante investigar as relações e interações entre os polimorfismos genéticos, o envelhecimento e o ambiente para o entendimento dos fenótipos ligados a esta fase da vida. Polimorfismos são variantes genéticas nas quais a frequência do alelo raro é maior do que 1% e vários estudos apontam que variantes genéticas nos genes que codificam AKT1, AGTR1 e a visfatina podem potencialmente explicar a diferença na magnitude dos declínios característicos do envelhecimento. Por fim, estudos que buscam estudar as relações entre o envelhecimento, a genética e os parâmetros de saúde apresentam grande aplicação para a prática profissional, pois a partir de seus achados será possível predizer as variáveis de saúde de cada idoso que serão mais prejudicadas antes dele atingir a terceira idade e com isso planejar intervenções específicas que previnam estes declínios na saúde. OBJETIVOS: Estudar os efeitos dos polimorfismos AKT1 G205T (rs1130214), AGTR1 A1166C (rs5186) e visfatina (rs4730153) em parâmetros de saúde de idosos. MATERIAL E MÉTODOS: Trata-se de um estudo descritivo de característica transversal e a amostra será composta por mulheres idosas. Será calculado o tamanho amostral a partir de uma amostra piloto (n=10 para cada grupo). Os indivíduos serão divididos em dois grupos em relação a cada um dos polimorfismos (AKT1: GG/GT ou TT; AGTR1: AA/AC ou CC; visfatina: GG ou AG). Além da genotipagem, serão realizadas as seguintes avaliações: antropométrica (massa corporal, estatura e circunferência da cintura), da glicemia, do perfil lipídico sanguíneo, da pressão arterial, do nível de atividade física (IPAQ), da capacidade funcional (força de membros inferiores e superiores, agilidade e equilíbrio, capacidade cardiorrespiratória e flexibilidade) e nutricional (Formulário de Marcadores do Consumo Alimentar do Ministério da Saúde). Em relação à análise estatística será realizada uma análise exploratória e descritiva, a distribuição dos dados será analisada por meio do teste de Kolmogorov-Smirnov e a comparação entre os grupos com diferentes genótipos será realizada pelo teste t para amostras independentes em relação a cada um dos polimorfismos genéticos caso os dados apresentem distribuição normal (o que esperado pela literatura científica) - o nível de significância considerado será de 5%. (AU)
920 resultado(s)
|
Exportar 0 registro(s) selecionado(s) | Limpar seleção
CDi/FAPESP - Centro de Documentação e Informação da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo

R. Pio XI, 1500 - Alto da Lapa - CEP 05468-901 - São Paulo/SP - Brasil
cdi@fapesp.br - Converse com a FAPESP