site da FAPESP
 

Refine sua pesquisa

Pesquisa
  • Uma ou mais palavras adicionais
Publicações científicas
Auxílios à Pesquisa
Bolsas
Programas voltados a Temas Específicos
Programas de Pesquisa direcionados a Aplicações
Programas de Infraestrutura de Pesquisa
Área do conhecimento
Situação
Ano de início
972 resultado(s)
|

Atividade física no trabalho e lazer e sua relação com desfechos musculoesqueléticos e cardiovasculares

Processo:15/18310-1
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Pesquisa
Vigência: 03 de abril de 2017 - 02 de abril de 2018
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Pesquisador responsável:Tatiana de Oliveira Sato
Beneficiário:
Anfitrião: Andreas Holtermann
Instituição-sede: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos, SP, Brasil
Local de pesquisa: National Research Centre for the Working Environment (NRCWE) (Dinamarca)
Assunto(s):Fisioterapia
Resumo
A atividade física realizada durante o lazer está associada à redução da mortalidade por causas gerais e por doenças cardíacas, além de reduzir a morbidade por distúrbios musculoesqueléticos. Por outro lado, altos níveis de atividade física no trabalho parecem aumentar o risco para estas condições. Embora o mecanismo envolvido nesta relação ainda permaneça desconhecido, a investigação das respostas fisiológicas associadas aos efeitos distintos da atividade física no trabalho e lazer, por meio da avaliação da variabilidade da frequência cardíaca, é promissora. O National Research Centre for the Working Environment (NRCWE, Copenhagen, Dinamarca) é uma instituição de liderança internacional neste tema. No NRCWE foram desenvolvidos métodos válidos e confiáveis para obtenção de medidas objetivas da atividade física e da variabilidade da frequência cardíaca durante o trabalho e lazer em estudos prospectivos. Assim, pretende-se desenvolver este projeto de pesquisa em parceria com pesquisadores do NRCWE com o objetivo de: 1. Verificar a associação entre a variabilidade da frequência cardíaca no trabalho e lazer e os sintomas musculoesqueléticos e 2. Verificar a diferença na variabilidade da frequência cardíaca entre atividades realizadas no período de trabalho e de lazer, em trabalhadores que desenvolvem atividades com alta demanda física. Os resultados contribuirão para o conhecimento de conexões entre atividade física no trabalho e lazer, modulação autonômica cardíaca e sintomas musculoesqueléticos. Além disso, o desenvolvimento deste Estágio no Exterior permitirá amplo desenvolvimento científico e acadêmico do candidato. Pretende-se aproveitar esta oportunidade para consolidar a parceria já existente com o NRCWE, o que irá propiciar a criação de uma rede de colaboração científica e intercâmbio de estudantes de pós-graduação. Pretende-se também publicar os resultados científicos decorrentes desta parceria em periódicos internacionais de alto impacto. (AU)

Investigação do papel da adiponectina e da via beta-adrenérgica como mediadores dos efeitos antiobesidade dos polifenóis do chá verde

Processo:16/12059-8
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de março de 2017 - 28 de fevereiro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Pesquisador responsável:Rosemari Otton
Beneficiário:
Instituição-sede: Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa. Universidade Cruzeiro do Sul (UNICSUL). São Paulo, SP, Brasil
Pesq. associados:

Miriam Oliveira Ribeiro ; Alice Cristina Rodrigues

Assunto(s):FlavonoidesInflamaçãoTermogêneseDieta hiperlipídicaObesidadeFenômenos fisiológicos celulares
Resumo
A obesidade é fator de risco para inúmeras doenças, incluindo diabetes do tipo 2, hipertensão arterial sistêmica, osteoporose, câncer, doenças neurodegenerativas, aterosclerose e doença hepática gordurosa não alcóolica. Este risco pode ser diminuído consideravelmente com a perda de peso decorrente de aumento da atividade física associado a intervenções que resultem em uma reeducação alimentar, como com o aumento no consumo de dietas ricas em compostos bioativos com propriedades nutracêuticas. Os compostos polifenólicos, incluindo os flavonoides do chá verde, estão emergindo como importantes nutracêuticos anti-inflamatórios e antiobesidade, devido aos seus benefícios para a saúde, a falta de efeitos adversos e reduzido custo. Em estudos já publicados e alguns ainda em andamento do nosso grupo de pesquisa foi mostrado que o chá verde promove um aumento na atividade lipolítica e uma redução da capacidade lipogênica do tecido adiposo epididimal, associado a um aumento no gasto energético e indução do fenótipo bege no tecido adiposo subcutâneo de animais alimentados com dietas hiperlipídicas. Estas alterações no tecido adiposo de animais obesos tratados com chá foram acompanhadas de uma maior liberação de adiponectina, uma melhor sensibilidade à insulina e reduzida inflamação sistêmica e esteatose hepática. Dentre os efeitos atribuídos aos polifenóis do chá verde, está o aumento na expressão de genes que caracterizam o tecido adiposo bege, recentemente descoberto e sugerido como um potencial alvo para o tratamento da obesidade. Além disso, verificamos que o chá verde modula alguns miRNAs no tecido adiposo epididimal e hepático dos animais obesos envolvidos nos processos de inflamação, resistência à insulina e metabolismo lipídico, além de restaurar os níveis de adiponectina, reduzidos pela obesidade. Desta forma, nossa hipótese se fundamenta basicamente em que os efeitos do chá verde em camundongos obesos podem decorrer do aumento de adiponectina no plasma, com consequente aumento da sua ação nos tecidos alvos, o que, por sua vez culmina na redução dos depósitos de gordura, na melhora da sensibilidade à insulina e reduzida inflamação sistêmica. Nós hipotetizamos também que os efeitos do chá verde podem ser mediados em parte, pelo aumento da estimulação adrenérgica no tecido adiposo e hepático. Para entendermos melhor estes mecanismos temos como objetivo geral do presente estudo investigar o envolvimento da adiponectina e da estimulação adrenérgica sobre os efeitos termogênicos e de resistência à insulina em camundongos AdipoKO e ²3KO expostos a uma high fat diet (HFD) e tratados com chá verde. Baseados em nossos resultados preliminares, acreditamos que os camundongos AdipoKO e ²3KO alimentados com HFD e tratados com chá verde não apresentarão uma redução significativa no peso corporal, nos depósitos de tecido adiposo, na inflamação sistêmica e na resistência à insulina, além de não aumentarem significativamente o tecido adiposo bege e a atividade do tecido adiposo marrom, pois estes animais serão refratários aos efeitos do chá verde, já que as ações do chá verde, na nossa hipótese, são mediados pela adiponectina e/ou pelo aumento da estimulação adrenérgica. Para atingirmos estes objetivos pretendemos compor uma equipe multicêntrica e multidisciplinar para avaliar nos camundongos AdipoKO e ²3KO obesos como se dará a intervenção do tratamento com chá verde. Com esta equipe e estes modelos animais seremos capazes de definir qual a contribuição efetiva da adiponectina e do sistema nervoso simpático nas ações anti-obesidade e anti-inflamatória do chá verde. Além deste approach in vivo, pretendemos realizar in vitro análises da capacidade autônoma dos compostos polifenólicos do chá verde de induzir o fenótipo bege, tratando pré-adipócitos brancos da linhagem 3-T3F442A durante o processo de diferenciação com polifenóis isolados, combinados ou sob a forma de extrato. Além disso, pretendemos realizar uma indução in vitro de esteatose (AU)

Atividade física, obesidade e fatores de risco para síndrome metabólica no sistema público de saúde brasileiro: um estudo longitudinal

Processo:16/11140-6
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência: 08 de fevereiro de 2017 - 07 de fevereiro de 2018
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Saúde Coletiva - Saúde Pública
Pesquisador responsável:Henrique Luiz Monteiro
Beneficiário:
Supervisor no Exterior: Xuemei Sui
Instituição-sede: Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Presidente Prudente. Presidente Prudente, SP, Brasil
Local de pesquisa: University of South Carolina (Estados Unidos)
Assunto(s):Atividade física
Resumo
Introdução: Obesidade abdominal, valores elevados de pressão arterial, perfil lipídico e glicemia de jejum são fatores de risco para ocorrência de doenças cardiovasculares (DCV). Além disso, baixos níveis de atividade física, idade, fatores genéticos e endócrinos podem influenciar o desenvolvimento da Síndrome Metabólica (SM). Apesar da importância de estudos longitudinais, no Brasil esse tipo de pesquisa é pouco desenvolvido. Objetivo: o principal objetivo desta proposta é levar os dados de 6 anos coletados em nossa coorte para ser analisado e discutido com dois pesquisadores com a mais alta exertise na área de atividade física e saúde, e desenvolver dois artigos científicos, de alta qualidade, em colaboração com Dra. Xuemei Sui e Dr. Steven N. Blair. Estes artigos irão compor a tese de doutoramento do aluno. Métodos: uma amostra estratificada por idade (acima de 50 anos) foi selecionada entre as principais Unidades Básicas de Saúde (UBS) em cada região (norte, sul, leste, oeste e centro) da cidade de Bauru, estado de São Paulo, Brasil. A coleta de dados dos fatores de risco para SM e níveis de atividade física serão obtidos por entrevista dirigida, avaliação física e análise de registros médicos. Esta pesquisa está sendo desenvolvida em cinco fases, entre 2009 e 2017. Na primeira fase (2009-2010) cada paciente compareceu a sua UBS de origem, onde foi realizada entrevista, avaliação física e análise dos registros médicos. Na segunda (2011-2012) e terceira (2013-2014) fases, as entrevistas foram realizadas por telefone, enquanto a coleta de dados dos registros médicos seguiu a mesma rotina da primeira fase. Na quarta (2015) e quinta (2017) fases, os mesmos procedimentos da primeira fase serão adotados, com entrevistas face-a-face e avaliação física. A análise de dados e o desenvolvimento dos dois artigos científicos serão realizados durante o período de estágio de pesquisa, em colaboração com os supervisores, Dra. Sui e Dr. Blair. (AU)

Impacto da inibição do fator de transcrição IRX3 nos neurônios AgRP ou POMC no metabolismo energético

Processo:16/18908-7
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Vigência: 01 de fevereiro de 2017 - 31 de janeiro de 2018
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Pesquisador responsável:Licio Augusto Velloso
Beneficiário:
Supervisor no Exterior: Young-Bum Kim
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Local de pesquisa: Harvard University, Boston (Estados Unidos)
Assunto(s):ObesidadeMetabolismo energético
Resumo
Recentes estudos vem mostrando que dietas ricas em gordura (HFD) promovem obesidade não só pelo valor calórico ingerido, mas também pelo dano aos circuitos neuronais hipotalâmicos que são relacionados ao controle corporal da homeostase energética. O fator de transcrição IRX3 modula a expressão da expressão do FTO, e estes estão relacionados ao desenvolvimento da obesidade. De outro modo, o efeito do consumo de dieta rica em gordura na regulação da expressão do IRX3 no hipotálamo é pouco entendido. Resultados previamente obtidos durante o desenvolvimento do projeto 2014/07496-4 (Papel do fator de transcrição IRX3 na indução de neurogênese hipotalâmica em camundongos adultos), mostrou-nos que o IRX3 está localizado em neurônios AgRP e POMC. Nós também observamos que o consumo de HFD resulta na redução da expressão do IRX3 hipotalâmico, e isto é acompanhado com um aumento da expressão do FTO. O jejum é também capaz de modular a expressão do IRX3 no hipotálamo. A inibição hipotalâmica lentiviral do IRX3 mediada por injeção bilateral no núcleo arqueado em animais submetidos a HFD gerou um aumento da massa corporal, particularmente de tecido adiposo (mensurado por DEXA). Estes animais também apresentaram aumento no consumo alimentar, e nenhum mudança na atividade física espontânea e no consumo de oxigênio. A inibição no hipotálamo do IRX3 aumento a expressão do FTO, mas também dos neuropeptídeos AgRP e CART. A inibição da expressão do IRX3 no hipotálamo exacerba o ganho de peso. Consistente com os resultados descritos anteriormente, nós gostaríamos de entender o impacto da inibição seletiva do IRX3 em neurônios AgRP e POMC utilizando camundongos Cre recombinantes para o controle dos promotores de AgRP e POMC. (AU)

Ingestão de magnésio e escore de cálcio arterial coronariano: uma análise do Estudo Longitudinal de Saúde do Adulto (ELSA-Brasil)

Processo:16/12052-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência: 01 de janeiro de 2017 - 31 de dezembro de 2017
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Nutrição - Análise Nutricional de População
Pesquisador responsável:Dirce Maria Lobo Marchioni
Beneficiário:
Instituição-sede: Faculdade de Saúde Pública (FSP). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Assunto(s):Consumo de alimentosMagnésioOligoelementosAteroscleroseDoenças cardiovasculares
Resumo
A Doença Cardiovascular (DCV) é a principal causa de óbito no mundo. Oligoelementos têm sido estudados para a prevenção ou tratamento dessas doenças. Um deles é o mineral magnésio que tem função chave no metabolismo da hipertensão, inflamação, e DCV. Objetivo: O objetivo desse projeto é verificar a associação da ingestão de magnésio com o escore de cálcio coronariano (CAC) em participantes do estudo ELSA-Brasil, do Centro de Investigação de São Paulo. Métodos: Trata-se de um estudo observacional, transversal, desenvolvido a partir dos dados da linha de base do Estudo Longitudinal de Saúde do Adulto - ELSA Brasil. Serão incluídos os participantes da coorte de São Paulo, (n=4,549) de ambos os sexos. O consumo alimentar individual foi estimado por Questionário de Frequência Alimentar (QFA) validado. O cálcio arterial coronariano foi estimado através de um exame com aparelho de tomografia computadorizada, e será classificado a partir dos critérios de Agatson, o como 0 ou >0, <100 ou e100, e <400 ou e400. Para testar a hipótese de associação entre o escore de cálcio e a ingestão de magnésio, será utilizada a análise de regressão logística múltipla, com ajuste para possíveis fatores de confusão como, sexo, idade, raça, renda per capita ou grau de escolaridade, índice de massa corporal, tabagismo, atividade física, consumo de álcool, energia total, ingestão de cálcio, potássio, gordura saturada, fibra, e uso de medicamentos, uso de terapia de reposição hormonal (apenas mulheres), ou a presença de hipertensão, diabetes e dislipidemias. A análise estatística será efetuada no software estatístico STATA®, versão 12, sendo considerado um nível de significância de 5%. (AU)

Padrões alimentares e fatores de risco cardiovasculares em adolescentes

Processo:16/16551-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência: 01 de janeiro de 2017 - 30 de setembro de 2019
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Saúde Coletiva - Saúde Pública
Pesquisador responsável:Dirce Maria Lobo Marchioni
Beneficiário:
Instituição-sede: Faculdade de Saúde Pública (FSP). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Assunto(s):Nutrição em saúde públicaAdolescentesDoenças cardiovascularesFatores de risco
Resumo
O objetivo do presente estudo é investigar, de forma longitudinal, a influência dos padrões alimentares nos fatores de risco para doenças cardiovasculares (DVC) em adolescentes. Trata-se de um estudo que utilizará dados do Estudo longitudinal LONCAAFS, desenvolvido com escolares, de ambos os sexos, do ensino fundamental de escolas públicas de João Pessoa-PB. Neste estudo, o método de coleta de dados dietéticos é o recordatório de 24 horas, duplicado em 40% da amostra; para avaliar o estado nutricional são utilizadas as medidas de massa corporal, estatura e circunferência da cintura, e, para atividade física, dados de acelerometria. É realizada uma coleta de sangue uma vez por ano, durante o período previsto para o estudo (2014-2017), para dosar a concentração sérica de proteína C reativa (PCR), colesterol total, lipoproteínas de alta densidade (HDL-c) e de baixa densidade (LDL-c), glicose e triglicerídeos plasmáticos. Neste projeto serão utilizados os dados coletados em 2014, 2015 e 2016. Serão investigadas as questões de pesquisas: (1) como se alteram os padrões alimentares ao longo do tempo, comparando-se a primeira, segunda e terceira ondas?; e (2) como os padrões de alimentação e as alterações observadas impactam nos fatores de risco para doenças cardiovasculares? O padrão alimentar "a posteriori", será estimado por análise fatorial exploratória por componente principal na primeira onda, e serão analisados por analise fatorial confirmatória (modelagem de equação estrutural) na segunda e terceira ondas e as associações de interesse por meio de modelos mistos de regressão. Os resultados do presente estudo serão úteis para obter uma melhor compreensão da evolução do padrão alimentar e sua relação com os fatores de risco para as DCV na adolescência, para que assim possam ser adotadas medidas que visem o controle dessas morbidades e consequentemente auxiliem na redução de futuros problemas cardiovasculares na população.Palavras - chave: padrão alimentar; adolescentes; doenças cardiovasculares; fatores de risco. (AU)

Valores de referência para os testes de caminhada de dois minutos, seis minutos e teste levanta-senta em crianças e adolescentes saudáveis

Processo:16/19957-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência: 01 de janeiro de 2017 - 31 de dezembro de 2017
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Pesquisador responsável:Anderson Alves de Camargo
Beneficiário:
Instituição-sede: Universidade Nove de Julho (UNINOVE). Campus Vergueiro. São Paulo, SP, Brasil
Assunto(s):CriançasAdolescentesReprodutibilidade dos testesFisioterapiaValores de referênciaCaminhada
Resumo
Introdução: O teste de caminhada de dois minutos (TC2) e de seis minutos (TC6) e o teste levanta-senta de cinco repetições (TLS-5rep) são frequentemente utilizados em crianças e adolescentes para avaliação da capacidade funcional tanto na saúde quanto em seus agravos. No entanto, a escassez (TC6) ou ausência (TC2 e TLS-5rep) de equações de previsão para esses testes em crianças e adolescentes limita sua adequada interpretação. Objetivos: Estabelecer equações de referência para predição da distância caminhada para o TC2, TC6 e tempo gasto no TLS-5rep em crianças e adolescentes saudáveis; secundariamente, testar a reprodutibilidade desses testes, comparar o desempenho entre meninos e meninas e entre diferentes regiões do Brasil. Método: Estudo transversal, multicêntrico, no qual, 960 crianças e adolescentes serão avaliadas (6 a 17 anos). Após a anamnese, a espirometria e a aplicação dos questionários serão realizados (de nível socioeconômico e de atividade física). Serão aplicados os testes: TC2, TC6, e TLS-5rep que deverão ser realizados em dias diferentes (dois a cinco dias de intervalo) conforme randomização. O teste sorteado será realizado duas vezes no mesmo dia, com intervalo de 30 minutos. A frequência cardíaca (FC), pressão arterial, saturação de pulso de oxigênio (SpO2), sensação de dispneia e fadiga em membros inferiores serão registradas no início e ao término do teste. Durante o teste serão monitorizadas FC e a SpO2. As variáveis dependentes serão a melhor distância para os testes de caminhada e tempo para o TLS-5rep e as variáveis independentes serão: idade, gênero, peso, altura, índice de massa corpórea, delta de FC (pico - repouso), comprimento da perna e circunferência da coxa. Resultados esperados: As equações de regressão derivadas deste estudo poderão ser utilizadas para determinar os valores de referência para o TC2, TC6, e TLS-5rep. (AU)

Colaboração com a Oregon State University (EUA) em pesquisas para otimizar desempenho reprodutivo de fêmeas de corte

Processo:16/18216-8
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisador Visitante - Internacional
Vigência: 15 de dezembro de 2016 - 14 de fevereiro de 2017
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Reprodução Animal
Pesquisador responsável:José Luiz Moraes Vasconcelos
Beneficiário:
Pesquisador visitante: Reinaldo Fernandes Cooke
Instituição do pesquisador visitante: Oregon State University (OSU) (Estados Unidos)
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu, SP, Brasil
Assunto(s):Fertilidade animalEficiência reprodutiva animalBovinos de corteIntercâmbio de pesquisadores
Resumo
Durante o programa proposto (15/12/2016 até 16/2/2017), o Dr. Reinaldo Cooke estará primeiramente associado com projeto de pesquisa focando em desempenho reprodutivo de fêmeas de corte, mas também se dedicará a outros projetos de pesquisa financiados pela FAPESP em que participa como "pesquisador associado". Em relação a atividade de pesquisa principal, o Dr. Reinaldo Cooke estará envolvido com o projeto "Impacto da expressão e intensidade de estro durante o protocolo de sincronização + inseminação artificial (IA) em parâmetros associados com fertilidade e estabelecimento gestacional em fêmeas de corte". A participação do Dr. Reinaldo Cooke é vital para o desenvolvimento desse projeto por diversos motivos, incluindo elaboração, condução, interpretação, e publicação de resultados (devido a sua vasta experiência na área de reprodução e manejo de bovinos de corte), coleta de amostras e parâmetros de atividade física (devido ao seu treinamento específico nessas metodologias), análises laboratoriais (amostras serão analisadas no laboratório do Dr. Reinaldo Cooke, na Oregon State University), e planejamento de pesquisas futuras baseadas nos resultados adquiridos por esses projetos. Em relação a outras atividades de pesquisa financiadas pela FAPESP, a participação do Dr. Reinaldo Cooke é imperativa pois: 1) FAPESP 2014/14136-4 = auxiliar nos passos finais referentes à submissão de relatórios científicos e publicação desse estudos no Journal of Animal Science, 2) FAPESP 2014/13291-6 = auxiliar nos passos finais referentes à publicação do experimento 2 no Journal of Dairy Science, 3) FAPESP 2015/26627-5 = auxiliar no planejamento de análises sanguíneas em que tem vasta experiência, e 4) FAPESP 2014/05473-7 = auxiliar na interpretação e análise estatística dos dados coletados até o momento. É importante salientar que o Dr. Reinaldo Cooke esteve no Brasil em 2012/2013 e 2014/2015 como pesquisador visitante com auxilio FAPESP (2012/16856-9; 2014/19485-7), que resultou em diversos artigos e resumos científicos, intercambio de tecnologia/informações entre Oregon State University e instituições de ensino do estado de São Paulo, além de atividades acadêmicas e de ensino. Portanto, acreditamos que o Auxílio Pesquisador Visitante aqui proposto será de igual, ou maior, benefício para as partes envolvidas de acordo com experiências anteriores, e a qualidade de informação que será gerada pelas atividades planejadas. (AU)

Análise do papel da atividade física sobre o tráfego retrógrado de autofagossomos durante o envelhecimento e agregação proteica associada à neurodegeneração

Processo:16/21449-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência: 01 de dezembro de 2016 - 30 de novembro de 2017
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Citologia e Biologia Celular
Pesquisador responsável:Merari de Fátima Ramires Ferrari
Beneficiário:
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Assunto(s):Degeneração neuralMecanismos de controle celularAtividade físicaExercício físicoAutofagiaWestern blottingModelos animais
Resumo
Acredita-se que o prejuízo do controle da qualidade proteica contribua para os eventos celulares que culminam com a neurodegeneração, uma vez que inclusões proteicas são encontradas distribuídas por todo o encéfalo durante o processo de envelhecimento e aparecimento de doenças neurodegenerativas. Neste sentido, a proposta do presente estudo é avaliar o sistema de controle de qualidade celular in vivo, antes do aparecimento dos sintomas de tais doenças, sendo utilizada a rotenona como iniciadora do processo. Além disso, pretende-se estudar o papel da atividade física sobre a autofagia no curso da neurodegeneração esporádica como estratégia terapêutica/preventiva. Alterações do tráfego intracelular podem preceder a formação desses agregados o que seria o primeiro fator importante para a degeneração celular. O distúrbio do tráfego intracelular em doenças neurodegenerativas pode estar relacionado às proteínas Rab7, Rab24, HDAC6, snapina e C9orf72, responsáveis pelo tráfego retrógrado de vesículas e organelas. Dessa maneira, nesse estudo serão quantificadas essas proteínas por método de Western Blotting, em células hipocampo, substância negra e locus coeruleus, em animais quem praticaram atividade física antes e/o depois da indução do processo neurodegenerativo. (AU)

Efeito de diferentes programas de exercício físico de baixo custo no indicador de humor, função cognitiva, nível de atividade física, risco cardiovascular e custo com tratamento em pacientes com transtornos depressivos no Sistema Único de Saúde

Processo:16/15210-9
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa em Políticas Públicas para o SUS
Vigência: 01 de dezembro de 2016 - 30 de novembro de 2018
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Educação Física
Pesquisador responsável:Carlos Ugrinowitsch
Beneficiário:
Instituição-sede: Escola de Educação Física e Esporte (EEFE). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesq. associados:

Marco Tulio de Mello ; Carla da Silva Batista ; Valéria Juday ; Hamilton Augusto Roschel da Silva ; Jamile Sanches Codogno ; Lucas Melo Neves ; Raphael Mendes Ritti Dias ; Valmor Alberto Augusto Tricoli

Assunto(s):Sistema Único de SaúdeTécnicas de exercício e de movimentoTerapia por exercícioDepressãoDoença crônica
Resumo
A depressão é uma doença com elevada incidência, tem apresentado associação com declínio cognitivo, redução dos níveis de atividade física diários e doenças crônicas não transmissíveis como hipertensão, síndrome metabólica, obesidade e diabetes tipo 2, seu tratamento é um grande desafio para o sistema de atenção primária de saúde e o uso de estratégias farmacológicas aliada a não farmacológicas parece ser a possibilidade mais efetiva seu enfrentamento. Destacamos entre as estratégias não farmacológicas o exercício físico, com destaque para programas de exercício físico aeróbio contínuo, que já demonstrou efetividade no tratamento de diversas doenças crônicas não transmissíveis. Porém, programas que explorem atividades com elevada complexidade motora (ex: exercícios de coordenação) parece ter maior potencial de ativação cortical, o que está intimamente relacionado com melhorias de estruturas cerebrais que podem colaborar nos desfechos de depressão e declínio cognitivo, redução dos níveis de atividade física, além de também ter potencial para promover os benefícios relacionados ao gasto energético e sistema cardiovascular por exemplo, amplamente demonstrado pela prática de exercícios físicos. Desta forma, esse estudo se propõe a desenvolver um programa de exercício físicos por 6 meses (24 semanas), com duas sessões semanais de 60 minutos de duração, considerando três grupos randomizados (exercício aeróbio contínuo, exercício aeróbio com elevada complexidade motora (coordenativo) e grupo controle), tendo pacientes do sistema único de saúde como população (indivíduos com mais de 40 anos de idade, com diagnóstico de depressão e que estejam em tratamento nos programas de saúde mental). O inventário de depressão Beck será o desfecho primário, e desfechos relacionados a cognição, nível de atividade física, risco cardiovascular e custos com tratamento também serão avaliados (momento inicial, após 12 semanas e após 24 semanas). Tal proposta demonstrará a efetividade desses modelos de exercício físico, esclarecendo se o exercício aeróbio com elevada complexidade motora (coordenativo) demonstra maior melhoria nos desfechos de interesse quando comparado ao exercício aeróbio contínuo e grupo controle. Além disso, a presente investigação irá evidenciar questões que podem contribuir na resolução dos problemas prioritários de saúde da população brasileira, especialmente em nível local, e para o fortalecimento da gestão do Sistema Único de Saúde (SUS). (AU)

Influências genéticas e ambientais no metabolismo e retenção do fluoreto

Processo:16/20020-4
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de dezembro de 2016 - 30 de novembro de 2018
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Odontologia Social e Preventiva
Pesquisador responsável:Marília Afonso Rabelo Buzalaf
Beneficiário:
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Bauru (FOB). Universidade de São Paulo (USP). Bauru, SP, Brasil
Pesq. associados:

Sandra Lia do Amaral Cardoso

Assunto(s):Diabetes mellitusAtividade físicaProteômicaResistência à insulinaBioquímica
Resumo
O fluoreto (F) é um elemento extremamente relevante em termos de Saúde Pública devido às suas propriedades de prevenir ou reverter lesões cariosas em indivíduos de todas as idades. Pode oferecer riscos ao organismo se aplicado ou consumido de maneira indiscriminada ou inadequada, sendo o principal efeito colateral a fluorose dentária. Após sua absorção, o F é distribuído através da corrente sanguínea e armazenado nos tecidos calcificados e tecidos moles, sendo sua excreção essencialmente por via renal. Muitos mecanismos moleculares envolvendo o metabolismo do F ainda são desconhecidos. Na última década, vários estudos têm procurado desvendar a influência de fatores genéticos na susceptibilidade à fluorose dentária, utilizando linhagens de camundongos que possuem respostas bem distintas aos efeitos do F. Assim, há evidências de que a resistência e a susceptibilidade à fluorose, bem como o metabolismo e retenção do F, parecem ser influenciados por fatores genéticos, assim como pela interação com o meio, como, por exemplo, a atividade física. A atual proposta é de, através da análise proteômica, identificar proteínas que são alteradas em rins, fígado, músculo e intestino de camundongos susceptíveis ou resistentes à fluorose, em resposta a mudanças na exposição F, com e sem o exercício físico. Para tanto, serão obtidos 90 animais das linhagens A/J (n=45) e 129P3/J (n=45), susceptíveis e resistentes à fluorose, respectivamente. Os animais de cada linhagem serão distribuídos em 3 grupos de tratamento (n=15 em cada grupo), a saber: a) sem exposição ao F e sem atividade física; b) água de beber contendo 50 ppm F (como NaF) por 56 dias e sem atividade física; c) água de beber contendo 50 ppm F (como NaF) por 56 dias e com atividade física (corridas diárias numa esteira 5 dias/semana por 60 minutos em intensidade alta. Posteriormente à realização do tratamento, os animais serão submetidos à eutanásia para coleta das amostras e realização das análises. Será feita análise de F nas amostras de plasma, fígado, rim e fêmur e análise proteômica (shotgun) nas amostras de fígado, rim, músculo e intestino. Serão ainda avaliadas a glicemia e insulinemia. Após checagem da normalidade e homogeneidade, os dados serão submetidos ao teste estatístico apropriado (p<0,05). (AU)

Valores esperados de passos/dia na população especial: atualização de uma revisão sistemática

Processo:16/12684-0
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Mestrado
Vigência: 09 de novembro de 2016 - 27 de março de 2017
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Pesquisador responsável:Dionei Ramos
Beneficiário:
Supervisor no Exterior: Catrine Tudor-Locke
Instituição-sede: Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Presidente Prudente. Presidente Prudente, SP, Brasil
Local de pesquisa: University of Massachusetts, Amherst (UMass Amherst) (Estados Unidos)
Assunto(s):Exercício físicoFisioterapiaMonitorização ambulatorial
Resumo
Introdução: A atividade física promove vários benefícios para a saúde em qualquer idade. No entanto, para manter esses benefícios para a saúde, é necessário manter-se ativo e fazer atividade física regularmente. Acelerômetros e pedômetros são dispositivos portáteis que fornecem dados confiáveis sobre o nível de atividade física. Estes dispositivos podem monitorar objetivamente os padrões de atividade. Estes dispositivos têm sido também usado para dar um feedback e indicar uma estimativa de passos/dia a ser alcançada tanto em pessoas aparentemente saudáveis quanto com doenças crônicas, com o objetivo de aumentar sua atividade física diária. Objetivo: investigar através de uma revisão sistemática os valores esperados de passos/dia na população especial fisicamente ativas. Material e Métodos: A pesquisa bibliográfica (verificado a partir de janeiro de 2016) vai começar com uma palavra-chave (pedômetro, "contador de passos", "monitor de atividade passo" ou "acelerômetro" E "passos/dia") a busca será feito no Medline (Pubmed), Cumulative Index to Nursing and Allied Health Literature (CINAHL), SPORTDiscus e PsychInfo. Em última análise, vamos verificar os valores esperados para passos/dia pertinentes nas populações especiais, especificamente: 1) doenças cardíacas e vasculares, 2) doença pulmonar obstrutiva crônica, 3) diabetes e diálise, 4) câncer de mama, 5) doenças neuromusculares , 6) artrite, colocação de prótese e fibromialgia, e 7) deficiência (incluindo retardo/dificuldades intelectuais mentais), e 8) outras populações especiais. Sempre que possível, a mediana global de passos/dia será calculado para cada categoria (e por cada tipo de instrumento, ou seja, cintura e/ou tornozelo), considerando pelo menos duas amostras (mesmo que essas amostras foram relatados dentro do mesmo estudo) de populações especiais semelhantes relatando originalmente valores médios. Se apenas uma única amostra é identificado, então ele necessariamente ficou sozinha como um indicador dos valores esperados para os passos/dia. (AU)

Visita acadêmica do Prof. Dr. Mark Elkins ao Programa de pós-graduação em fisioterapia da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Estadual Paulista

Processo:16/17567-1
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisador Visitante - Internacional
Vigência: 07 de novembro de 2016 - 13 de novembro de 2016
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Pesquisador responsável:Rafael Zambelli de Almeida Pinto
Beneficiário:
Pesquisador visitante: Mark Russell Elkins
Instituição do pesquisador visitante: University of Sydney (Austrália)
Instituição-sede: Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Presidente Prudente. Presidente Prudente, SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:14/14077-8 - O papel de diferentes domínios de atividade física no curso clínico da dor lombar não-específica, AP.JP
Assunto(s):FisioterapiaRevisão sistemáticaReabilitação (terapêutica médica)Intercâmbio de pesquisadores
Resumo
O Prof. Dr. Mark Elkins é colaborador de 3 projetos. Devido ao limite do número de palavras, foi incluído abaixo os resumos referente a 2 projetos. Resumo Projeto 1: Intervenções que incluem a promoção da prática de atividade física como um dos componentes principais para o tratamento de pacientes com dor lombar crônica têm se mostrado eficazes para diminuírem a dor e a incapacidade desses pacientes. Entretanto, pesquisas recentes evidenciam que grande proporção dos pacientes com dor lombar, assim como na população em geral, não conseguem atingir os níveis de atividade física recomendados. No contexto, no qual comorbidades, como as doenças cardiovasculares, a obesidade e a diabetes, são ainda mais prevalentes em pacientes com dor lombar crônica, intervenções que sejam eficazes para diminuir a dor e incapacidade e ao mesmo tempo são capazes de aumentar o nível de atividade física dos pacientes são prioridades. Sendo assim, o presente estudo se trata de um ensaio clínico aleatorizado com o objetivo de investigar o efeito a curto e longo prazo de uma intervenção para promover atividade física, que inclui coaching de saúde/atividade física combinado com o monitor de atividade e exercícios ativos, no nível de atividade física (mensurado por meio de acelerômetro), dor e incapacidade de indivíduos com dor lombar crônica comparado com uma intervenção placebo. Dentre os desfechos secundários estão os desfechos de depressão e qualidade de vida. Um total de 186 adultos com dor lombar crônica serão aleatoriamente distribuídos em dois grupos. Os pacientes alocados no grupo intervenção irão receber por 3 meses uma intervenção baseada em exercícios ativos combinados com o coaching de saúde/atividade física e o monitoramento/feedback de atividade por meio do monitor de atividade FitBit, enquanto que o grupo placebo irá receber um programa de aconselhamento e exercícios placebo combinado com um Fitbit placebo. Os desfechos clínicos serão analisados por avaliadores cegos antes da intervenção, 3 e 6 meses após a randomização. Os resultados deste estudo irão servir para esclarecer se uma intervenção é capaz de promover o aumento do nível de atividade e, ao mesmo tempo, reduzir a dor e a incapacidade de indivíduos com dor lombar crônica.Resumo Projeto 2: Os pacientes do sistema de saúde estão cada vez mais pesquisando na internet por informações relacionadas as intervenções na área da fisioterapia. Porém, a internet contém evidências de qualidade muito variável o que pode aumentar a demanda por tratamentos com pouca ou nenhuma evidência científica. É necessário, portanto, que artigos científicos possuam resumos escritos para o público leigo, com linguagem clara sobre os resultados clínicos. O site Physiotherapy Choices foi projetado para auxiliar a busca por artigos no campo da fisioterapia pois possui uma interface para consumidores da Base de Evidência em Fisioterapia, o PEDro (Physiotherapy Evidence Database). Existem diversas fórmulas para avaliar o nível de elegibilidade, ou seja, a facilidade de compreensão do texto. O Flesch-Kincaid Grade Level (FKGL), diferente dos outros sistemas de pontuação, traduz os resultados para o nível de ensino dos Estados Unidos, sendo assim, mais fácil de interpretar e realizar comparações entre as pontuações. O site Readability score é uma ferramenta online amplamente utilizada e recomendada que calcula essas pontuações, incluindo o FKGL, para textos na língua inglesa, além da contagem de palavras e sílabas. O estudo tem por objetivo primário investigar se os resumos são publicados em um nível de leitura adequado para um consumidor leigo. (AU)

Relação entre a função pulmonar, capacidade funcional e a atividade física diária em crianças e adolescentes asmáticos

Processo:16/17553-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência: 01 de novembro de 2016 - 31 de outubro de 2017
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Pesquisador responsável:Fernanda de Cordoba Lanza
Beneficiário:
Instituição-sede: Universidade Nove de Julho (UNINOVE). Campus Vergueiro. São Paulo, SP, Brasil
Assunto(s):AsmaFisioterapiaCapacidade funcional
Resumo
As alterações clínicas, decorrentes do processo inflamatório crônico nas vias aéreas podem levar a alterações na capacidade funcional de indivíduos com asma. Indivíduos com doença pulmonar crônica são mais suscetíveis a apresentar redução na tolerância devido à limitação ao fluxo aéreo. Entretanto, do nosso conhecimento, nenhum do estudo apresentou a correlação entre a função pulmonar e a atividade física na vida diária e a capacidade funcional. Objetivos: Avaliar a relação entre a função pulmonar e a atividade física na via diária, e também a capacidade funcional por um teste clínico de campo em crianças e adolescentes asmáticos. Método: Serão recrutados pacientes com diagnóstico clínico de asma. Serão incluídos pacientes com idade entre sete e 15 anos, com diagnóstico de asma que estejam em tratamento médico e com a asma sob controle (ACT e C-ACT), segundo as determinações descritas no GINA step 3 e 4. Serão excluídos aqueles que não conseguirem realizar as avaliações do protocolo, que interromperem o acompanhamento médico e/ou do tratamento medicamento, que apresentarem infecção pulmonar aguda ou outras doenças pulmonares crônicas, ou os com outras comorbidades (neuropatias, cardiopatias). Será avaliada a função pulmonar pela espirometria, e as seguintes variáveis serão registradas: capacidade vital forçada (CVF), volume expiratório forçado no primeiro segundo (VEF1), relação VEF1/CVF, fluxo expiratório forçado (FEF) a 25 e 75% da CVF. Cada avaliado realizará o Shuttle Walk Teste Incremental (SWTI) em um corredor de 30 metros e será monitorizado com o acelerômetro ActiGraph (GT3X), ao longo de sete dias consecutivos de acordo com as recomendações. O acelerômetro será colocado firmemente no quadril (cintura pélvica) e deverá ser retirado apenas para dormir, tomar banho, nadar ou qualquer atividade que prejudicasse a integridade do aparelho. Resultados esperados: pretende-se observar a correlação entre a capacidade funcional, a atividade física na vida diária e a gravidade da asma. (AU)

Nível de (in)atividade física em adultos asmáticos: avaliação dos fatores preditores e efeitos de intervenções comportamentais para aumentar o nível de atividade física no controle clínico da asma

Processo:16/17093-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência: 01 de novembro de 2016 - 31 de outubro de 2018
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Pesquisador responsável:Celso Ricardo Fernandes de Carvalho
Beneficiário:
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Assunto(s):AsmaEnsaio clínicoAtividade física
Resumo
Introdução: Estima-se que a inatividade física seja um importante fator de risco para o aumento da prevalência de doenças crônicas não-transmissíveis e que a prática de atividade física regular tenha um papel protetor importante. Estudos recentes têm mostrado resultados controversos referentes ao impacto da asma no nível de atividade física de vida diária (AFVD) e se desconhece até o momento, o efeito de intervenções comportamentais no nível de AFVD e qual sua repercussão na melhora do controle clínico da asma. Objetivos: este estudo tem 2 objetivos: i) avaliar o nível de AFVD e os seus possíveis fatores preditores entre adultos asmáticos e controle não-asmáticos, ii) analisar os efeitos de intervenções comportamentais para aumentar o nível de atividade física no controle clínico da asma. Métodos: Trata-se de um estudo de 2 fases e a amostra será composta por 160 adultos com e sem asma, de ambos os gêneros e com idade entre 20 e 59 anos. Na fase I, os pacientes serão avaliados quanto ao nível de AFVD (acelerometria), mensurações antropométricas, composição corporal e avaliação das barreiras para prática da AFVD. Os pacientes asmáticos serão também submetidos às avaliações do controle clínico da asma (Asthma control questionnaire), dos fatores de saúde relacionados à qualidade de vida na asma (Asthma quality of life questionnaire), da presença de sintomas de ansiedade e depressão (Hospital anxiety and depression scale), exacerbações e função pulmonar. O grupo controle (indivíduos não-asmáticos) será selecionado a partir de características antropométricas dos pacientes asmáticos (sexo, idade e IMC) e será composto por amigos e familiares dos pacientes que não possuírem sintomas de asma (International study of asthma and allergies in childhood, validado para adulto). A fase 2 será composta por, pelo menos 56 pacientes com asma não controlada e fisicamente inativos (<7.500 passos/dia), que participarão de um ensaio clínico aleatorizado e controlado onde serão inicialmente aleatorizados em 2 grupos: grupo controle (GC) e grupo intervenção (GI), sendo que somente o GI será submetido à uma intervenção comportamental através de aconselhamentos e incentivos ao aumento da prática da AFVD. As avaliações pré- e pós-intervenção incluirão o nível de AFVD, o controle clínico da asma, qualidade de vida, composição corporal e exacerbações, utilizando os mesmos instrumentos da fase I do estudo. Na primeira fase, a comparação entre os dados contínuos será realizada pelo teste-t ou Man-Withney e entre os dados categóricos pelo teste qui-quadrado. Os possíveis preditores do nível de AVFD em asmáticos serão analisados por uma regressão linear multivariada (stepwise). Na segunda fase, comparações inter e intra-grupo serão realizadas pela ANOVA de dois fatores com medidas repetidas e o teste pós hoc de Bonferroni. A análise da diferença entre proporção de indivíduos com melhora de variáveis clínicas será realizada pelo teste Qui-quadrado. O nível de significância será ajustado para 5% (p<0,05) para todos os testes. (AU)

Estudo dos efeitos centrais do hormônio do crescimento sobre o metabolismo energético e controle glicêmico

Processo:16/09679-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência: 01 de novembro de 2016 - 31 de outubro de 2018
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia
Pesquisador responsável:Jose Donato Junior
Beneficiário:
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Assunto(s):HipotálamoNeurofisiologiaMetabolismoAnimais geneticamente modificadosHormônio do crescimentoObesidade
Resumo
O hormônio do crescimento (GH) é um dos principais fatores anabólicos e sua ação sobre os tecidos periféricos está relacionada a diversas funções biológicas como o crescimento somático e o controle do metabolismo e processos celulares (divisão e regeneração celular). O fator liberador do hormônio de crescimento (GHRH) e o hormônio inibitório somatostatina, além dos ácidos graxos livres, a leptina, a grelina e o neuropeptídeo Y, são importantes fatores que controlam a liberação de GH. Também, o estado nutricional, a atividade física intensa, o estresse e o jejum são potentes reguladores de sua liberação. Há evidencias, porém ainda pouco investigadas, que o GH pode exercer efeitos sobre o Sistema Nervoso Central (SNC), principalmente ao regular o apetite, cognição, memória, humor, sono, proteção neuronal e bem estar. Recentemente, nosso grupo mapeou em detalhes a presença de células responsivas ao GH no SNC de camundongos e identificamos diversas áreas em que o GH pode interagir com a leptina, dando indícios que esse hormônio pode afetar grupamentos de neurônios controladores do metabolismo energético e glicêmico.O intuito do presente projeto é investigar em detalhes a função do GH no SNC, principalmente sua participação sobre o controle glicêmico e o balanço energético em situações basais, bem como em situações de maior liberação de GH (restrição alimentar, hipoglicemia e atividade física). Para tanto, utilizaremos modelos de animais com deleção condicional do receptor de GH (utilizando o camundongo GHR-flox) em neurônios (com o camundongo Nestin-Cre), no núcleo ventromedial do hipotálamo (com o camundongo SF1-Cre) ou em células que possuem receptor de leptina (com o camundongo LepR-Cre). (AU)

Investigando o efeito de uma intervenção para promover atividade física, coaching de saúde combinado com o Fitbit, no nível de atividade física de indivíduos com dor lombar crônica: um ensaio clínico randomizado

Processo:16/03826-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência: 01 de novembro de 2016 - 28 de fevereiro de 2019
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Pesquisador responsável:Rafael Zambelli de Almeida Pinto
Beneficiário:
Instituição-sede: Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Presidente Prudente. Presidente Prudente, SP, Brasil
Assunto(s):Dor lombarOrtopediaAtividade físicaExercício físico
Resumo
Intervenções que incluem a promoção da prática de atividade física como um dos componentes principais para o tratamento de pacientes com dor lombar crônica têm se mostrado eficazes para diminuírem a dor e a incapacidade desses pacientes. Entretanto, pesquisas recentes evidenciam que grande proporção dos pacientes com dor lombar, assim como na população em geral, não conseguem atingir os níveis de atividade física recomendados. No contexto, no qual comorbidades, como doenças cardiovasculares, obesidade e diabetes, são ainda mais prevalentes em pacientes com dor lombar crônica, intervenções que sejam eficazes para diminuir a dor e incapacidade e ao mesmo tempo são capazes de aumentar o nível de atividade física dos pacientes são prioridades. Sendo assim, o presente estudo se trata de um ensaio clínico aleatorizado com o objetivo de é investigar o efeito a curto e longo prazo de uma intervenção para promover atividade física, que inclui coaching de saúde/atividade física combinado com o monitor de atividade e exercícios ativos, no nível de atividade física (mensurado por meio de acelerômetro), dor e incapacidade de indivíduos com dor lombar crônica comparado com uma intervenção placebo. Dentre os desfechos secundários estão os desfechos de depressão e qualidade de vida. Um total de 148 adultos com dor lombar crônica serão aleatoriamente distribuídos em dois grupos. Os pacientes alocados no grupo intervenção irão receber por 3 meses uma intervenção baseada em exercícios ativos combinado com o coaching de saúde/atividade física e o monitoramento/feedback de atividade por meio do monitor de atividade FitBit, enquanto que o grupo placebo irá receber um programa de aconselhamento placebo combinado com um Fitbit placebo. Os desfechos clínicos serão analisados por avaliadores cegos antes da intervenção, 3, 6 e 12 meses após a randomização. Os resultados deste estudo irão servir para esclarecer se uma intervenção é capaz de promover o aumento do nível de atividade e, ao mesmo tempo, reduzir a dor e a incapacidade de indivíduos com dor lombar crônica. (AU)

Identifying frailty levels and associated factors in a population living in the context of poverty and social vulnerability

Processo:16/16296-4
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Artigo
Vigência: 01 de novembro de 2016 - 30 de abril de 2017
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Enfermagem
Pesquisador responsável:Márcia Regina Cominetti
Beneficiário:
Instituição-sede: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos, SP, Brasil
Assunto(s):EnvelhecimentoIdososVulnerabilidade social
Resumo
Este estudo teve como objetivo investigar uma população vulnerável vivendo em contexto de pobreza em um município brasileiro, a fim de identificar os fatores que estão associados com a síndrome de fragilidade em idosos. Do total da população que vive na área, uma amostra aleatória de 363 pessoas com 60 anos ou mais, estratificada por sexo e idade foi selecionada para participar da pesquisa. Após perdas, uma amostra de 304 idosos foi classificada em não-frágeis, pré-frágeis e frágeis. De acordo com os critérios de fragilidade de Fried, a prevalência foi de 12,2% para indivíduos não-frágeis, 60,5% pré-frágeis e 27,3% frágil. Os principais fatores associados à fragilidade na amostra estudada foram baixo nível de atividade física (OR: 5,2 IC 95%: 2,5-11,0), a ocorrência de duas ou mais quedas no prazo de 12 meses (OR: CI 3.1 95%: 1,4-7,1 ), os déficits de mobilidade (OR: CI 3.0 95%: 1,5-5,8) e sintomas depressivos (OR: CI 1.9 95%: 1,1-3,7). Este estudo identificou os fatores mais importantes que devem ser avaliados para identificar a síndrome de fragilidade em uma população socialmente vulnerável em contexto da pobreza. Os dados devem ajudar a incentivar estratégias eficazes em matéria de políticas públicas de saúde para esta população. (AU)

Câncer e coração: novos paradigmas de diagnóstico e tratamento

Processo:15/22814-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Temático
Vigência: 01 de novembro de 2016 - 31 de outubro de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Pesquisador responsável:Carlos Eduardo Negrão
Beneficiário:
Instituição-sede: Instituto do Coração Professor Euryclides de Jesus Zerbini (INCOR). Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisadores principais:

Ludhmila Abrahão Hajjar ; Maria Urbana Pinto Brandão Rondon ; Roberto Kalil Filho ; Patricia Chakur Brum ; Roger Chammas ; Paulo Marcelo Gehm Hoff ; Anamaria Aranha Camargo ; Maria Janieire de Nazaré Nunes Alves ; Edilamar Menezes de Oliveira

Pesq. associados:

Julio Cesar Batista Ferreira ; Silvia Moreira Ayub Ferreira ; Luiz Fernando Lima Reis ; Christina May Moran de Brito ; Gilberto de Castro Junior ; Paulo Rizzo Ramires ; Marília Harumi Higuchi dos Santos ; Paula Fontes Asprino ; Fátima Solange Pasini ; Marisa Passarelli

Assunto(s):CardiotoxicidadeInsuficiência cardíacaCaquexiaNeoplasiasAtividade físicaSistema cardiovascularBiomarcadores
Resumo
Apesar do ininterrupto desenvolvimento de novos medicamentos para o tratamento do câncer, a taxa de sobrevivência continua baixa, especialmente naqueles pacientes em estágio avançado da doença.A maioria dos pacientes com metástase vai a óbito num período de três anos. Observações recentes mostram, também, que as novas terapêuticas aumentam a susceptibilidade para doenças cardiovasculares, o que torna o tratamento do paciente com câncer ainda mais desafiador. Disfunção cardíaca por cardiotoxicidade atinge de 10-15% das pacientes com câncer de mama que são submetidas à quimioterapia. Alterações cardíacas associadas à disfunção autonômica têm sido recentemente documentadas em pacientes submetidos à radioterapia para o tratamento de linfoma.Ganho de peso, resistência à insulina e hiperglicemia, dislipidemia e hipertensão arterial são frequentes em pacientes submetidos a bloqueio androgênico ou orquiectomia cirúrgica para tratamento de adenocarcinoma de próstata. Portanto, a busca por novas alternativas de tratamento para o paciente com câncer, quer para a cura da própria doença, quer para eliminar os efeitos colaterais representa um grande desafio.A inatividade física é uma característica muito frequente em pacientes oncológicos. A condição debilitante da doença, o tratamento muito agressivo e o estado psicológico do paciente contribuem para o baixo nível de atividade física em pacientes com câncer. Por outro lado, estudos envolvendo um elevado número de indivíduos são unânimes em mostrar uma relação significativa entre o grau de aptidão física e a taxa de sobrevivência, independentemente da presença de doenças. Estes conhecimentos sugerem que o exercício físico pode ser uma conduta adjuvante no tratamento do câncer. De fato, estudos recentes mostram que o treinamento físico melhora a capacidade física e a qualidade de vida em pacientes com câncer. O nosso objeto de investigação é a identificação de mecanismos moleculares e autonômicos envolvidos nas alterações cardiovasculares provocadas pelo câncer ou quimioterapia e radioterapia utilizados no tratamento dessa doença. Não menos importantes serão os estudos focados em novos paradigmas terapêuticos fundamentados em princípios celulares e moleculares, medicamentos e exercício físico para o tratamento da doença cardiovascular associada ao câncer, com especial atenção na toxicidade do músculo cardíaco e músculo esquelético.Para alcançar esses propósitos, serão desenvolvidos 21 estudos em três áreas: Cardio/Oncologia, Oncologia e Cardiologia. (AU)

A ação da laserterapia de baixa potência sobre os aspectos morfométricos e funcionais em longo prazo após lesão muscular por trauma em ratos diabéticos

Processo:16/11367-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência: 01 de outubro de 2016 - 30 de setembro de 2017
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Pesquisador responsável:Rodrigo Leal de Paiva Carvalho
Beneficiário:
Instituição-sede: Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação. Universidade do Sagrado Coração (USC). Bauru, SP, Brasil
Assunto(s):Diabetes mellitusLesão muscularTerapia a laser de baixa intensidadeRegeneração muscularFisioterapia
Resumo
Exercícios físicos aeróbios e de resistência tem sido prescritos para a prevenção e tratamento de pacientes com Diabetes Mellitus (DM), devido à melhora no controle da glicose e redução de outros fatores de risco. Lesões musculares traumáticas estão diretamente relacionadas à prática de atividade física, podendo provocar perda funcional e alterações morfológicas em graus variáveis. Diferentes tipos de terapias, farmacológicas e não farmacológicas, têm sido utilizadas no tratamento e recuperação de lesões do musculoesquelético, como drogas anti-inflamatórias e a laserterapia de baixa potência. É sabido que o processo de reparo do musculoesquelético de ratos dura aproximadamente 28 dias após a lesão, no entanto pouco se sabe a respeito da recuperação morfológica e funcional ao final do processo de reparo do tecido muscular, no quadro de diabetes. O objetivo desse estudo é avaliar a recuperação do tecido muscular, durante e ao final do processo de reparo (14 e 28 dias), através de análise morfométrica após lesão muscular por trauma em ratos diabéticos, utilizando como tratamento a laserterapia de baixa potência e o diclofenaco, utilizados isoladamente ou de maneira combinada. Para a indução da lesão os animais receberão um único trauma no membro posterior direito. A irradiação com laser será realizada em apenas um ponto na região do trauma, na dose de energia de 3 J, por 30s. O diclofenaco será aplicado uma hora após o protocolo da lesão, na dose de 11.6 mg/g -1 (miligrama grama) topicamente, no local. Serão realizadas análises morfométrica e funcional do tecido muscular 14 e 28 dias após a indução da lesão. (AU)

Uso de tecnologia através da realidade virtual como reabilitação precoce e aumento do nível de atividade física em pacientes internados na unidade de terapia intensiva

Processo:16/14857-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência: 01 de outubro de 2016 - 30 de setembro de 2017
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Pesquisador responsável:Carolina Fu
Beneficiário:
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Resumo
A inatividade física em pessoas saudáveis pode predispor desenvolvimento de algumas doenças, em pacientes internados na UTI, que normalmente são acometidos pela síndrome do imobilismo, ou seja ficam na maior parte do tempo em inatividade física também predispõe a diversas alterações nos sistemas respiratório, cardiovascular, renal, endócrino, gastrointestinal, problemas de equlibrio, coordenação e delirium e também no sistema musculoesquelético, que apresenta uma perda de 1% a 1,5% de força muscular por dia após sua internação. Todos esses fatores levam a uma redução da capacidade funcional, na qual antes do paciente ser internado ele era funcionalmente independente, e após a sua alta, acaba se tornando parcialmente ou totalmente dependente, o que reduz a sua qualidade de vida, já que ele necessita da ajuda de um terceiro para realizar suas atividades básicas e instrumentais de vida diária. A partir desse cenário, muitas pesquisas estão sendo publicadas em relação a mobilização precoce, porém são escassos os trabalhos que abordam estudos de equipamentos tecnológicos específicos para aumentar o nível de atividade desses pacientes. Uma ferramenta que esta disponível é o uso de realidade virtual (videogame), Nintendo Wii®, que é muito utilizado em reabilitação com pacientes com acometimentos neurológicos. No entanto, existem muito poucos estudos que avaliam o uso desse equipamento dentro da UTI. Nosso objetivo é utilizar o Nintendo Wii com pacientes internados na UTI avaliando se há um aumento do nível de atividade física, sua segurança e factibilidade. Além disso avaliar a satisfação dos pacientes ao usar esse equipamento. (AU)

Estudo dos efeitos preventivo e terapêutico do exercício físico sobre a hiperalgesia induzida por estresse por subjugação social em camundongos e mecanismos neuroplásticos associados

Processo:15/26777-7
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de outubro de 2016 - 30 de setembro de 2018
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Pesquisador responsável:Cesar Renato Sartori
Beneficiário:
Instituição-sede: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Pesq. associados:

Elayne Vieira Dias ; Marco Oreste Finocchio Pagliusi Junior ; Carlos Amilcar Parada ; Ivan José Magayewski Bonet

Assunto(s):HiperalgesiaEstressePlasticidade neuronalExercício físicoDepressãoDor
Resumo
Apesar da dor não figurar entre os sintomas da depressão, estudos epidemiológicos indicam estreita associação e co-morbidade entre transtorno depressivo e dor crônica. De acordo com isso, diversas características clínicas e biológicas são compartilhadas entre dor e depressão; sendo que várias estruturas neuroanatômicas, circuitos neurais e sistemas de neurotransmissores apresentam alterações similares nestas duas condições. Em patologias crônicas comumente se observa uma interação entre predisposição genética e eventos ou circunstâncias ambientais determinando o seu desenvolvimento. Dentre os eventos ambientais, o estresse crônico parece ser um fator crucial para o desenvolvimento da depressão; além de estar também associado a condições de dor crônica. Estudos têm demonstrado que tanto no caso dos comportamentos do tipo depressivo quanto naqueles associados à dor crônica, devem ocorrer alterações neuroplásticas em diversas estruturas do Sistema Nervoso. Uma das estruturas que tem recebido crescente atenção é o Sistema Dopaminérgico Mesolímbico, cuja fisiologia pode ser afetada em condições de estresse crônico resultando em alterações neuroplásticas mal-adaptativas que contribuem para o estabelecimento de disfunções associadas com depressão e dor crônica. Tendo em vista as diversas e complexas relações entre estresse, depressão e dor de um modo geral, há grande interesse científico em aprofundar os estudos nesta temática, uma vez que estes são escassos. Outro aspecto interessante que sugere a ocorrência de mecanismos neurofisiológicos comuns entre dor crônica e depressão é o fato de que as drogas mais eficazes para o tratamento de diversas condições de dor crônica são os antidepressivos. Além disso, outra abordagem com evidentes efeitos tanto anti-hiperalgésicos quanto antidepressivos é o exercício físico. De fato, o exercício físico tem sido cada vez mais indicado como intervenção clínica não farmacológica para o alívio de sintomas em condições de dor crônica; de forma similar, extensiva pesquisa suporta que o exercício físico é capaz de diminuir a incidência e a gravidade da depressão. Embora os mecanismos fisiológicos através dos quais o exercício físico produz seus efeitos antidepressivos ainda não estejam completamente esclarecidos, diversos estudos com modelos animais revelam que a atividade física promove efeitos fisiológicos similares àqueles promovidos por drogas antidepressivas envolvendo principalmente fenômenos de neuroplasticidade na formação hipocampal. Por outro lado, são de fato raros os estudos abordando os mecanismos fisiológicos subjacentes ao efeito anti-hiperalgésico do exercício físico. Neste contexto, vale ressaltar que não há relatos na literatura a respeito dos efeitos do exercício físico sobre fenômenos de neuroplasticidade no Sistema Mesolímbico Dopaminérgico no contexto da depressão e tampouco da dor crônica. Assim sendo, o presente projeto propõe a investigação das inter-relações entre o estresse crônico de natureza social e a modulação dos mecanismos envolvidos na sensibilidade nociceptiva, bem como nos processos de desenvolvimento de cronificação da dor em modelo animal. Além disso, pretende-se investigar o efeito modulatório do exercício físico nessa temática, pois, embora os recursos farmacológicos modernos ofereçam algum alívio em sintomas de dor crônica e depressão, as drogas utilizadas apresentam eficácia limitada e importantes efeitos colaterais, tornando imperativo do ponto de vista clínico a realização de estudos que venham a suportar o desenvolvimento de estratégias terapêuticas não farmacológicas inovadoras. A presente proposta de estudo também abordará mecanismos de neuroplasticidade no Sistema Dopaminérgico Mesolímbico mediados, sobretudo pela ação do Fator Neurotrófico Derivado do Cérebro (BDNF) que podem ser subjacentes aos fenômenos comportamentais investigados. (AU)

Análise de comportamentos de crianças durante o crescimento (ABCD - growth study)

Processo:15/19710-3
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de outubro de 2016 - 30 de setembro de 2018
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Educação Física
Pesquisador responsável:Rômulo Araújo Fernandes
Beneficiário:
Instituição-sede: Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Presidente Prudente. Presidente Prudente, SP, Brasil
Pesq. associados:

Han C G Kemper ; Fábio Santos de Lira ; Manuel João Cerdeira Coelho e Silva ; Manoel Carlos Spiguel Lima

Assunto(s):Medicina esportivaDislipidemiasPediatriaInflamaçãoComportamento do adolescenteObesidade
Resumo
Objetivo: Identificar o efeito de variáveis comportamentais sobre o comportamento de variáveis metabólicas, cardiovasculares, inflamatórias e de crescimento físico entre adolescentes. Métodos: Coorte de 24 meses de seguimento que será iniciada na cidade de Presidente Prudente em 2016. O tamanho amostral foi previamente calculado considerando todos os desfechos envolvidos no estudo e, assim, o início da coorte será composto por ao menos 236 adolescentes de ambos os sexos com idade entre 11 e 16 anos, os quais serão acompanhados anualmente (2017 [12 meses] e 2018 [24 meses]). Estes adolescentes serão recrutados em escolas públicas, privadas e clubes esportivos da cidade. Anualmente serão avaliados: comportamentos de risco (comportamento do sono, tabagismo, etilismo, hábito de pular refeições e comportamentos sedentários), atividade física habitual, variáveis metabólicas/ inflamatórias (perfil lipídico, resistência à insulina e proteína C-reativa), doença gordurosa não alcoólica do fígado, pressão arterial, adiposidade corporal e maturação biológica. A prática de atividade física será mensurada utilizando acelerômetro. Maturação biológica será mensurada pelo pico de velocidade de crescimento. Nas análises estatísticas, as variáveis numéricas serão tratadas como diferença bruta entre os momentos de análises e expressas como: média, desvio padrão e intervalo de confiança de 95%. A análise de covariância será empregada para comparar as diferenças brutas entre jovens suficientemente e insuficientemente ativos, sob o ajuste de fatores de confusão. O ajustamento dos modelos multivariados criados será testado pelo teste de Levene e o post hoc de Bonferroni será empregado quando necessário. Medidas de tamanho de efeito serão providenciadas por valores de Eta-Squared. Por fim, os comportamentos lineares das variáveis ao longo do seguimento serão relacionados e expressos em valores de beta (²). A significância estatística adotada será de p-valor <0,05, sendo todas as análises realizadas no software BioEstat (versão 5.0). Resultados Esperados: Espera-se identificar o comportamento longitudinal de variáveis cardiovasculares, metabólicas e inflamatórias durante a adolescência, bem como, identificar os efeitos de variáveis comportamentais sobre o comportamento longitudinal destas variáveis. (AU)

Análise morfológica e quantitativa da reparação óssea em ratas ovariectomizadas após a administração de licopeno

Processo:16/08754-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência: 01 de setembro de 2016 - 31 de agosto de 2017
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Anatomia
Pesquisador responsável:Selma Siéssere
Beneficiário:
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto (FORP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Assunto(s):MorfometriaLicopenoReparo ósseoOsteoporose
Resumo
O Brasil vem mostrando uma grande melhora na qualidade de vida, entretanto, devido ao envelhecimento da população, é esperado um aumento da prevalência da osteoporose. Com isso, a preocupação desta doença crônica passa a ser um foco de atenção nas áreas médica, científica e financeira. Sabe-se que a homeostasia do tecido ósseo está intimamente ligada a fatores genéticos, frequência e qualidade de atividades físicas, níveis hormonais e a ingestão de alimentos ricos em nutrientes, minerais e vitaminas. Diversas pesquisas apontam a eficácia de uma alimentação balanceada com intuito de prevenir e tratar a osteoporose. O licopeno, um carotenoide existente no tomate e em outros vegetais, é um potente antioxidante que age no metabolismo ósseo, que por sua vez proporciona um equilíbrio entre as atividades celulares responsáveis pela sua manutenção. Assim, este estudo tem por objetivo verificar a eficácia da ingestão de licopeno no processo de reparação óssea em defeitos criados em calvárias de ratas ovariectomizadas. O licopeno será administrado por meio de uma sonda gástrica na dosagem de 10mg/Kg de peso corporal. Após 60 dias da ovariectomia, serão confeccionados defeitos ósseos de 5 mm e após 31 dias, os animais serão sacrificados. Serão coletados fragmentos ósseos que serão fixados para posterior processamento histológico. Os cortes obtidos serão corados em Hematoxilina - Eosina e Tricrômio de Masson para as análises morfológica e quantitativa respectivamente, que será realizada pela técnica da Contagem Diferencial dos Pontos. Os animais serão divididos nos seguintes grupos: controle/sham (C); ovariectomizado (OVX); ovariectomizado + licopeno administrado após a ovariectomia e após a confecção do defeito (OVXL) e ovariectomizado com administração de licopeno somente após a confecção do defeito (OVXLD) Os dados estatísticos serão submetidos à análise pelo software Sigma Plot 11.0 e a significância será fixada em 5%. (AU)

Efeitos de um programa de exercício físico combinado sobre a função cardíaca e marcadores bioquímicos e genéticos cardiovasculares de pacientes com insuficiência cardíaca

Processo:15/26810-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência: 01 de setembro de 2016 - 31 de agosto de 2017
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Silméia Garcia Zanati Bazan
Beneficiário:
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FMB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu, SP, Brasil
Assunto(s):EcocardiografiaExercício físicoFunção ventricularCardiologia
Resumo
Introdução: A organização mundial de saúde (OMS) definiu a insuficiência cardíaca (IC) como umas das prioridades entre as doenças crônicas que necessitam de estratégia especial de prevenção primária e tratamento em todo mundo. Atualmente, a IC é definida como estado fisiopatológico onde o coração se torna incapaz de garantir o débito cardíaco adequado às demandas teciduais, ou que o faça mediante à elevadas pressões de enchimento das câmaras cardíacas. O vigente arsenal terapêutico da IC consiste em uma tríade composta por diversas classes de medicamentos, utilização de dispositivos implantáveis (marcapasso, cardiodesfibriladores implantáveis - CDI) e reeducação alimentar. Entretanto, o tratamento básico da doença, ainda está aquém quando se trata da melhora na tolerância ao esforço. E nesse sentido, é cada vez mais reconhecido o impacto do exercício físico (EF) na sobrevida, na qualidade de vida (QV), na capacidade funcional (CF), na inflamação, na função autonômica, no remodelamento cardíaco reverso e na função endotelial. De acordo com os dados da literatura e pela relevância clínica da questão, a hipótese a ser testada no presente projeto é a de que um programa de EF Combinado (EF aeróbico complementado por EF de força - EFC) é capaz de promover melhora na função cardíaca global, no perfil de marcadores bioquímicos e genéticos e que esses efeitos estão associados à diminuição dos sintomas, ao aumento da CF e da QV desses pacientes. Objetivos: Verificar o efeito de um programa de EFC sobre as variáveis ecocardiográficas morfofuncionais; Analisar as concentrações plasmáticas de miRNAs circulantes; Verificar as concentrações plasmáticas de BNP; Analisar as concentrações plasmáticas de nitrito/nitrato; Secundários: Avaliar a resposta inflamatória; Avaliar a CF e a QV dos pacientes. Metodologia: Será realizado ensaio clínico longitudinal, randomizado e controlado, composto por pacientes com IC. O cálculo do tamanho amostral foi fixado em 120 voluntários divididos em dois grupos: Grupo Controle (GC n= 60): composto por voluntários que receberão apenas recomendação médica de atividades físicas de rotina; Grupo intervenção (GI n=60): os voluntários do GI realizarão por um período de 16 semanas e frequência de três vezes por semana, um programa de EFC, composto por exercício aeróbico do tipo caminhada contínua, acrescidos de EF de força. Os voluntários (tanto do GC como do GI) serão submetidos inicialmente e após 16 semanas de pesquisa, aos seguintes procedimentos: avaliação clínica e física, ao preenchimento do questionário de QV - SF36, ao ecocardiograma transtorácico, ao monitoramento Holter e a coleta sanguínea para análise dos miRNAs, BNP e nitrito/nitrato. Resultados esperados: Espera-se encontrar melhora na função cardíaca global avaliada pelos parâmetros do ecocardiograma, biomoleculares e bioquímicos dos pacientes do GI, e que esses parâmetros após o programa de EFC tenham correlação com a melhora na qualidade de vida e da capacidade funcional dos pacientes com IC. (AU)

Motivos de participação e percepção da qualidade de vida de idosos participantes em um programa de exercício físico

Processo:16/11815-3
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Iniciação Científica
Vigência: 01 de setembro de 2016 - 30 de novembro de 2016
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Educação Física
Pesquisador responsável:Grace Angélica de Oliveira Gomes
Beneficiário:
Supervisor no Exterior: Jorge Augusto Pinto da Silva Mota
Instituição-sede: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos, SP, Brasil
Local de pesquisa: Universidade do Porto (UP) (Portugal)
Resumo
Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a prática de Atividade Física (AF) pode ter papel fundamental para o envelhecimento saudável com uma boa qualidade de vida (QV). A QV é um importante componente para determinação do estado de saúde, principalmente durante o processo de envelhecimento. Uma vez que idosos passem a frequentar programas de AF, é imprescindível que se conheça os motivos de participação dos mesmos, tornando assim possível o levantamento de estratégias para criação de mais programas e métodos que estimulem as pessoas na adesão de um estilo de vida saudável. Sendo assim, este projeto tem por finalidade conhecer os motivos de participação e a percepção da QV dos idosos participantes de um programa de Exercício Físico (EF). Trata-se de uma pesquisa de caráter quase experimental, longitudinal, quantitativo, controlado, e multidimensional. Serão avaliados 10 indivíduos assíduos ao programa de EF (> 75% de frequência nas aulas) com pelo menos um mês de participação no programa. O programa de EF terá duração de 10 meses, contando com 2 sessões semanais de treino. Para avaliação, serão utilizada uma entrevista semi estruturada sobre a percepção da QV e um questionário aberto sobre motivos de participação e satisfação com o programa, realizados no início do mesmo (outubro) e após um mês de participação (novembro). Será realizada análise descritiva dos motivos de participação e análise de discurso da percepção de qualidade de vida dos participantes. Espera-se ainda que as respostas à entrevista estruturada em relação à QV e com efeitos do programa tenham alterações positivas após um mês de prática EF. (AU)

Avaliação de diferentes programas de treinamento aeróbio sobre a cinética do consumo de oxigênio

Processo:16/12035-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência: 01 de setembro de 2016 - 28 de fevereiro de 2018
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Educação Física
Pesquisador responsável:Fábio Santos de Lira
Beneficiário:
Instituição-sede: Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Presidente Prudente. Presidente Prudente, SP, Brasil
Assunto(s):MetabolismoExercício físicoFisiologia do exercício
Resumo
A procura por atividade física tem aumentado, principalmente por questões de saúde e estética. As pessoas buscam diferentes programas de treinamento que melhorem a sua qualidade de vida. Por isso, o treinamento aeróbio tem se mostrado uma alternativa e uma estratégia recomendada por especialistas da área, tanto para indivíduos saudáveis quanto para pessoas com algum comprometimento cardiovascular, visando o melhoramento da saúde. Uma das estratégias utilizadas é o treinamento aeróbio contínuo, que ajuda a manter e a reduzir o peso corporal, proporciona uma redução na massa gorda, além de um aumento na massa magra. Nos últimos anos surgiu um novo programa, o treinamento aeróbio intervalado de alta intensidade (sigla usada em inglês - HIIT). Estudos relatam que o HIIT tem melhorado o metabolismo aeróbio, aumentando a capacidade de transporte e utilização do oxigênio, assim como o aumento da capacidade de oxidação de ácidos graxos. As adaptações no metabolismo anaeróbio aumentam o conteúdo muscular de proteínas ligadas à oxidação e transporte de glicose, acompanhada a redução na taxa de utilização desse substrato durante a realização do esforço. Portanto, esse projeto tem como objetivo avaliar a efetividade de diferentes programas de treinamento aeróbio sobre a cinética do consumo de oxigênio em jovens adultos. Para testar a hipótese proposta pelo projeto, serão recrutados sujeitos do sexo masculino, eutróficos, com idade entre 18 e 30 anos, que divididos em três grupos, possam identificar quais serão as respostas dos três protocolos frente à capacidade e potência aeróbia. (AU)

Injúria renal aguda e exercício físico

Processo:16/09369-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência: 01 de setembro de 2016 - 31 de agosto de 2017
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Lucia da Conceicao Andrade
Beneficiário:
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Assunto(s):NefrologiaExercício físicoInflamaçãoIsquemia
Resumo
O projeto se propõe a estudar a participação do exercício físico na injúria renal aguda. Sabe-se que na doença renal crônica, a atividade física tem papel fundamental na progressão da doença. A questão que tentaremos responder é se a prática de atividade física seria um fator protetor no insulto renal isquêmico.O projeto de pesquisa realizará treinamento físico em ratos, composto por exercícios aeróbicos e de força, com duração de nove semanas. Ao final dessas nove semanas, os ratos serão submetidos ao procedimento de clamping bilateral do hilo renal, por trinta minutos, seguido de reperfusão de modo a provocar uma Injúria Renal Aguda (IRA). O grupo controle seguirá o mesmo processo, com a diferença de não haver passado pelo treinamento físico, apenas submetido a caminhada leve na esteira, de modo a simular as condições ambientais e de estresse.Após a instalação da IRA, os ratos serão avaliados em diversos aspectos relacionados à função renal, para investigar uma possível relação entre o exercício prévio e o desempenho orgânico frente à Injúria.Analisaremos a função glomerular e tubular, o grau de lesão de necrose tubular aguda (escore de lesão) e infiltrado de macrófagos e linfócitos, através de provas bioquímicas, funcionais e histológicas. (AU)

Profissionais de saúde brasileiros promotores de atividade física para idosos com transtornos cognitivos: um estudo de levantamento

Processo:16/08487-4
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Iniciação Científica
Vigência: 01 de setembro de 2016 - 24 de novembro de 2016
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Educação Física
Pesquisador responsável:Grace Angélica de Oliveira Gomes
Beneficiário:
Supervisor no Exterior: Sara Holtum Demain
Instituição-sede: Centro de Ciências Humanas e Biológicas (CCHB). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). Sorocaba, SP, Brasil
Local de pesquisa: University of Southampton (Inglaterra)
Assunto(s):Serviços de saúdeAtividade físicaIdososSaúde pública
Resumo
INTRODUÇÃO: Atualmente, a população mundial está envelhecendo rapidamente, bem como a prevalência de demência. Alguns estudos sugerem que o aumento da atividade física (AF) está associada a benefícios cognitivos e pode diminuir o risco de demência. Eestratégia para a promoção da atividade física podem ser programas de AF, mas existem poucos estudos na literatura sobre o conhecimento dos profissionais de saúde que promovem a atividade física para idosos com distúrbios cognitivos. OBJETIVO: Realizar um levantamento com profissionais de saúde das capitais brasileiras que promovam atividade física para idosos com distúrbios cognitivos. MÉTODOS: Este estudo é parte de um estudo maior chamado "Desenvolvimento de resultado núcleo definido para avaliar a atividade física em pessoas com demência". Este projeto tem como objetivo: 1) para informar a concepção dos ensaios clínicos de exercício físico/ atividade física, incluindo as pessoas com demência e 2) fornecer orientação para profissionais de saúde, avaliação / intervenções com atividade física/ exercício físico para pessoas com demência, em relação aos resultados mais adequados e medidas de resultados. Os dados dos inquéritos relacionados com o projeto será implementado em cinco continentes, e um deles será na América do Sul representado pelo Brasil. Para projeto de execução é necessário realizar um levantamento dos profissionais de saúde que lidam diretamente com intervenções e serviços de promoção da atividade física para idosos com distúrbios cognitivos, que será realizada pela estudante brasileira, a fim de garantir as demais etapas do estudo principal. Portanto, um estudo descritivo transversal será realizado entre setembro e dezembro de 2016 em parceria entre a Universidade Federal de São Carlos e a Universidade de Southampton. A amostra deverá ser profissionais de saúde das capitais brasileiras que trabalham de forma ativa e regular em programas, projetos ou serviços que fornecem promoção da atividade física para pessoas idosas com comprometimento cognitivo. Haverá uma pesquisa realizada pela Internet, telefone e pesquisas com a organizações públicas e privadas, bem como universidades, sobre a existência de projetos, programas e / ou serviços de promoção da atividade física oferecidos aos idosos com distúrbios cognitivos. Inicialmente, serão listados todos os locais possíveis. Em seguida, um contato por email ou telefone será realizado com todos os coordenadores e proprietários pedindo a colaboração dos profissionais de saúde que trabalham com o tema do estudo. Estes contatos serão listados e armazenados. RESULTADOS ESPERADOS: Esperamos encontrar um número de profissionais suficiente para a futura abordagem a ser realizada pelo pesquisador principal. Espera-se conseguir uma amostra de 40-150 profissionais. (AU)

Novas abordagens de avaliação para indivíduos com doenças respiratórias obstrutivas crônicas

Processo:16/05968-1
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de setembro de 2016 - 31 de agosto de 2018
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Pesquisador responsável:Celso Ricardo Fernandes de Carvalho
Beneficiário:
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesq. associados:

Renata Cléia Claudino Barbosa ; Adriana Claudia Lunardi ; aline costa lopes ; Rafaella Fagundes Xavier ; Ana Carolina Alves Caporali Pereira ; cibele cristine berto marques da silva

Assunto(s):AsmaTeste de esforçoFisioterapiaEquilíbrio
Resumo
Um programa de reabilitação pulmonar (RP) é definido a partir de uma avaliação adequada que deve incluir, pelo menos, uma avaliação funcional. Porém, não há consenso sobre qual teste clínico avalia a capacidade física de asmáticos. Já para pacientes com DPOC, a RP está bem mais estabelecida mas sabe-se que eles apresentam pior equilíbrio quando comparado com indivíduos sem a doença e que a manutenção da atividade física é muito importante para não piorar seu estado clínico. Porém, os fatores preditivos para a alteração de equilíbrio em DPOCs e para manutenção do seu nível de atividade físico são pouco compreendidos. Para responder estes questionamentos, o presente projeto de pesquisa inclui 3 sub-projetos. Objetivos primários: Projeto I: Avaliar o desempenho físico e as respostas cardiovascular, respiratória e metabólica de indivíduos asmáticos eutróficos e obesos usando o teste do degrau; Projeto II: Determinar quais fatores preditivos estão associados à alteração de equilíbrio em indivíduos com DPOC; Projeto III: Verificar a associação dos fatores psicossociais com o nível de atividade física em indivíduos com DPOC. Métodos: Projeto I: Serão avaliados 60 asmáticos adultos, eutróficos e obesos grau II com doença persistente moderada e grave. Todos serão submetidos ao teste de esforço cardiopulmonar, teste do degrau e avaliação do nível de atividade física (acelerometria). O teste de Dunnett será usado para comparações múltiplas e os limites de concordância e precisão para o VO2 pico e o teste de degrau serão analisados pelo Bland & Altman. Projeto II: Serão avaliados 70 indivíduos com DPOC de ambos os sexos com doença moderada a grave. Todos serão avaliados quanto ao equilíbrio postural (mini BESTest e Plataforma de força), força muscular do quadríceps (dinamometria), nível de atividade física (acelerometria), função pulmonar completa, dispneia (Escala mMRC), qualidade de vida (Questionário da doença respiratória crônica, CRQ), impacto dos sintomas da doença (Teste de avaliação da DPOC, CAT), medo de cair (Falls Efficacy Scale-International) e incidência de quedas em 1 ano após a avaliação inicial. Modelos de análise múltipla serão usados para determinar os fatores preditivos. Projeto III: Serão avaliados 150 indivíduos com DPOC de ambos os sexos. Todos serão avaliados quanto à escolaridade, condição socioeconômica, auto-eficácia (General self-efficacy scale, GSE), suporte social (Medical outcomes study social support survey, MOS-SSS), percepção da doença (Illness perception questionnaire, IPQ-R), fatores de saúde relacionados à qualidade de vida (Chronic respiratory questionnaire, CRQ), nível de atividade física (acelerometria). Modelos de análise múltipla serão usados para determinar os fatores preditivos do nível de atividade física. (AU)

Metabolismo energético, composição corporal e consumo alimentar na cirurgia bariátrica

Processo:16/02306-8
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência: 15 de agosto de 2016 - 14 de fevereiro de 2017
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Nutrição
Pesquisador responsável:Maria Rita Marques de Oliveira
Beneficiário:
Supervisor no Exterior: Dale A. Schoeller
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu, SP, Brasil
Local de pesquisa: University of Wisconsin-Madison (UW) (Estados Unidos)
Assunto(s):Composição corporalObesidadeCirurgia bariátricaIsótopos estáveisMetabolismo energético
Resumo
A cirurgia para a obesidade é hoje o procedimento de escolha para casos graves do problema, por resultar em maiores e mais duradoras perdas de peso corporal e no efetivo controle das doenças crônicas associadas às disfunções metabólicas da adiposidade corporal, um grave e frequente problema de saúde global. No entanto, os resultados da cirurgia não são os mesmos para todos os obesos, o que pode estar relacionado a processos metabólicos adaptativos, com prováveis implicações genéticas. Em estudos anteriores, nós não encontramos diferenças na taxa metabólica em repouso e no consumo de alimentos entre mulheres com diferentes resultados da cirurgia sobre o ganho de peso. Neste projeto, buscando elucidar outras hipóteses e considerando o cenário técnico e científico favorável, o objetivo será avaliar a resposta do peso corporal à cirurgia bariátrica sob a influência de fatores associados ao metabolismo energético, à composição corporal e ao consumo alimentar, 6 e 12 meses após o procedimento. Será um ensaio clínico autocontrolado, envolvendo 20 mulheres com IMC entre 40 e 50 kg/m2. O gasto energético total e a composição corporal serão avaliados pela água duplamente marcada. O consumo alimentar e o nível de atividade física serão avaliados por meio de registros de três dias não consecutivos. Como resultado, se espera obter respostas a hipóteses levantadas em estudos anteriores, assim, beneficiando decisões referentes ao tratamento e ao cuidado pós-cirúrgico. (AU)

Injúria renal aguda isquêmica e exercício físico

Processo:16/09368-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência: 01 de agosto de 2016 - 31 de julho de 2017
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Lucia da Conceicao Andrade
Beneficiário:
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Assunto(s):NefrologiaCiclo celular
Resumo
O projeto se propõe a estudar a participação do exercício físico na injúria renal aguda. Sabe-se que, na doença renal crônica, a atividade física tem um papel fundamental na progressão da doença. A questão que tentaremos responder é se a prática de atividade física seria um fator protetor no insulto renal isquêmico. O projeto de pesquisa realizará treinamento físico em ratos, composto por exercícios aeróbicos e de força, com duração de nove semanas. Ao final dessas nove semanas, os ratos serão submetidos ao procedimento de clampeamento do hilo renal durante 30 minutos, de modo a provocar uma Injúria Renal Aguda (IRA). Os animais do grupo controle seguirão o mesmo processo, porém não realizarão exercícios, apenas caminharão na esteira para adaptação e estabelecimento do mesmo nível de estresse do grupo anterior.Após a instalação da IRA, os ratos serão avaliados em diversos aspectos relacionados à função renal, para investigar uma possível relação entre o exercício prévio e o desempenho orgânico frente à Injúria.Serão analisadas as funções tubular e glomerular, além de marcadores como PCNA (indicador de proliferação celular), apoptose, Klotho e ciclo celular. (AU)

Associação entre qualidade de vida relacionada à saúde e comportamentos sedentários de crianças e adolescentes

Processo:16/12779-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência: 01 de agosto de 2016 - 31 de julho de 2017
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Saúde Coletiva
Pesquisador responsável:Sandra Fiorelli de Almeida Penteado Simeao
Beneficiário:
Instituição-sede: Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação. Universidade do Sagrado Coração (USC). Bauru, SP, Brasil
Assunto(s):CriançasAdolescentesQualidade de vida
Resumo
Os objetivos do presente estudo serão investigar a qualidade de vida relacionada à saúde e sua associação com comportamentos sedentários em crianças e adolescentes estudantes dos Ensinos Fundamental e Médio de uma escola pública estadual e uma escola particular da cidade de Bauru/SP. Serão utilizados os dados provenientes do estudo "Qualidade de vida relacionada à saúde e sua associação com excesso de peso em crianças e adolescentes de Bauru/SP", desenvolvido pela aluna de Enfermagem da Universidade do Sagrado Coração, Elisama Ednil de Farias Soares, nos anos de 2013/2014. Foram aplicados os questionários de caracterização sócio-demográfica e da versão brasileira do questionário genérico Pediatric Quality of Life InventoryTM (PedsQLTM 4.0). O nível de atividade física dos adolescentes foi avaliado utilizando-se o Questionário Internacional de Atividade Física - (IPAQ). Foram tomadas as medidas antropométricas peso, altura e circunferência da cintura para os cálculos do IMC e RCE. Para a análise estatística os domínios do PedsQLTM 4.0 serão analisados isoladamente e consolidados com suas respectivas sintaxes. As variáveis categóricas serão analisadas por meio de frequências absoluta e relativa. Posteriormente, serão testadas associações entre o desfecho e as variáveis exploratórias por meio do teste do Qui-quadrado e ANOVA. A análise das associações será realizada com base na estratificação por sexo e idade por entender-se que os determinantes da QVRS diferem segundo estas variáveis. Para todas as análises será adotado o nível de 5% de significância. (AU)

Efeito do consumo de ácidos graxos monoinsaturados na atividade do tecido adiposo marrom/bege de humanos adultos

Processo:16/10616-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência: 01 de agosto de 2016 - 31 de julho de 2018
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Nutrição
Pesquisador responsável:Licio Augusto Velloso
Beneficiário:
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/07607-8 - CMPO - Centro Multidisciplinar de Pesquisa em Obesidade e Doenças Associadas, AP.CEPID
Assunto(s):HipotálamoInflamaçãoTecido adiposo marrom
Resumo
Considerando a elevada prevalência de obesidade e suas comorbidades no Brasil e no mundo, diversas medidas terapêuticas vem sendo exploradas. Sabe-se que o tecido adiposo marrom/bege tem papel importante no controle do peso corporal e há fortes evidências de que sua atividade está inversamente associada à obesidade e doenças metabólicas. Estudos recentes têm evidenciado papel importante de alguns nutrientes na ativação do tecido adiposo marrom/bege, quase que exclusivamente em modelos animais. Os benefícios metabólicos de ácidos graxos monoinsaturados já foram evidenciados em diversos estudos, porém, os efeitos do consumo de grandes quantidades de azeite de oliva na atividade do tecido adiposo marrom/bege em humanos ainda não foram explorados. O objetivo do estudo será avaliar o impacto do consumo de grande quantidade de azeite de oliva extra-virgem na atividade do tecido adiposo marrom/bege em humanos magros e obesos. Este será um ensaio clínico aberto com duração total de quatro semanas. Os participantes obesos e controles (eutróficos) serão submetidos a uma intervenção dietética durante quatro semanas com azeite de oliva extra-virgem. Antes e após cada período de intervenção serão coletados dados de consumo alimentar e atividade física, avaliação do tecido adiposo marrom/bege (por FDG PET/CT scan), avaliação da composição corporal (DXA), perfil lipídico e marcadores inflamatórios e inflamação hipotalâmica (ressonância magnética funcional em uma subamostra). Os dados serão expressos em média e desvio-padrão e as variáveis comparadas por teste t de Student ou ANOVA para medidas repetidas. (AU)

"hábitos saudáveis, meninas saudáveis - Brasil": ensaio comunitário randomizado controlado com adolescentes do sexo feminino de escolas técnicas públicas da Cidade de São Paulo

Processo:15/20852-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência: 01 de agosto de 2016 - 31 de julho de 2018
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Nutrição - Análise Nutricional de População
Pesquisador responsável:Sonia Tucunduva Philippi
Beneficiário:
Instituição-sede: Faculdade de Saúde Pública (FSP). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Assunto(s):Atividade motoraSedentarismoConsumo de alimentosAdolescentes
Resumo
Introdução: As consequências negativas do ganho de peso e a maior probabilidade da obesidade pediátrica manter-se na vida adulta, destaca-se a importância em abordar jovens "em risco" para obesidade. Objetivo: avaliar o efeito da intervenção após 6 meses, investigar os comportamentos relacionados ao peso que podem ser mediadores dos efeitos da intervenção no peso e as questões metodológicas e teóricas da intervenção. Métodos: O "Hábitos Saudáveis, Meninas Saudáveis -Brasil" é um ensaio randomizado controlado com 6 meses de duração baseado na teoria social cognitiva, com vistas na prevenção da obesidade. O estudo foi realizado em 10 escolas públicas do município de São Paulo, Brasil. Os desfechos são o IMC, IMC Z score, nível de atividade física, ingestão alimentar, atividades de tela. As análises seguirão o principio de intenção-tratamento, e as diferenças na linha de base serão avaliadas pelo teste t-student e qui-quadrado. O modelo linear misto e o teste do produto do coeficiente serão utilizados para avaliar os efeitos da intervenção e dos mediadores da mudança do comportamento. A análise qualitativa dos dados para verificar as questões metodológicas e teóricas será realizada por meio da análise temática. Para todos os testes estatísticos serão estabelecidos o nível de significância de p<0.05. Os dados da intervenção foram coletados em 2015 e serão analisados em 2016. (AU)

Associação de obesidade e atividade física com a prevalência e gravidade das disfunções temporomandibulares em adolescentes

Processo:16/03225-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência: 01 de agosto de 2016 - 31 de julho de 2017
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia
Pesquisador responsável:Daniela Aparecida de Godoi Gonçalves
Beneficiário:
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia (FOAr). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara, SP, Brasil
Assunto(s):Fatores de riscoDisfunção temporomandibularAtividade físicaDor facialAdolescentesObesidade
Resumo
Obesidade é uma doença crônica e prevalente, atingindo de maneira progressiva crianças e adolescentes. Além de ser um fator de risco para doença cardiovascular, evidências sugerem que a obesidade está associada com alguns tipos de dores crônicas, especialmente as musculoesqueléticas. Dessa forma, nossa hipótese é que a obesidade também seja comórbida com a disfunção temporomandibular (DTM), uma condição dolorosa musculoesquelética da região orofacial, de alta prevalência entre adultos e adolescentes. Objetivo: Testar se a obesidade e a atividade física estão associadas a presença e severidade da DTM dolorosa nos adolescentes. Métodos: O cálculo amostral definiu n=600. Os participantes serão estudantes de escolas públicas municipais e particulares de Araraquara, SP. A amostra será estratificada de acordo com a presença de DTM (conforme o RDC-Eixo I) e caracterização nutricional (Índice de Massa Corporal, Bioimpedância, Pregas Cutâneas e Circunferência Abdominal). Serão descritas informações sócio-demográficas de acordo com a presença de DTM dolorosa. Outras variáveis serão avaliadas através de instrumentos validados incluindo cefaleias primárias, apneia obstrutiva do sono, avaliação do grau de atividade física, estágio de maturação sexual e depressão. Regressão logística multivariada será utilizada para estimar o odds ratio. O teste do qui-quadrado ou teste exato de Fisher será utilizado para estudo das associações de interesse, razão de prevalência (RP) e intervalo de confiança de 95% (IC) serão aplicados. O nível de significância adotado será de 5%. (AU)

Avaliação do equilíbrio semi-estático em idosos abaixo e acima de 80 anos

Processo:16/07698-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência: 01 de agosto de 2016 - 31 de julho de 2017
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Pesquisador responsável:Daniela Cristina Carvalho de Abreu
Beneficiário:
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Assunto(s):EnvelhecimentoIdososFisioterapiaEquilíbrio posturalAcidentes por quedas
Resumo
As quedas entre os idosos são uma grande preocupação de saúde pública, pois podem acarretar consequências potencialmente sérias, sendo assim, é fundamental entender os fatores de risco para poder preveni-las. O risco de quedas em idosos acima de 80 anos aumenta 50% quando comparados a idosos de 65 anos. Porém, pouco se sabe sobre o equilíbrio semi-estático de idosos acima de 80 anos, para entender o que os diferencia dos idosos mais jovens e a relação com o histórico de quedas com o avançar da idade. Portanto, o objetivo do presente estudo será comparar o equilíbrio semi-estático de idosos com idade abaixo e acima de 80 anos de idade e correlacionar o equilíbrio com o histórico de quedas e o nível de atividade física. Os idosos serão divididos em dois grupos: G1 (n= 40) que incluirá idosos com idade abaixo de 80 anos e G2 (n=40) que incluirá idosos com idade acima de 80 anos. Os idosos serão avaliados por meio de questionários sobre histórico de quedas e medo de cair e aplicação do questionário IPAQ-Versão Curta para avaliar o nível de atividade física. Além disso, o equilíbrio semi-estático será avaliado por meio da plataforma de força em 7 posições diferentes: 1) posição bipodal sobre superfície fixa com olhos abertos, 2) posição bipodal sobre superfície fixa com olhos fechados, 3) posição bipodal sobre superfície instável com olhos abertos, 4) posição bipodal sobre superfície instável com olhos fechados, 5) posição tandem com olhos abertos, 6) posição semitandem com olhos abertos, 7) posição unipodal de olhos abertos. As variáveis analisadas serão a amplitude e a velocidade de oscilação médio-lateral e ântero-posterior do centro de pressão. Todas as análises estatísticas serão realizadas utilizando o programa SPSS (SPSS for Windows - Versão 16.0 - SPSS inc,) e será adotado nível de significância de 5% (p d 0,05). Os resultados serão expressos como média e desvio padrão da média. (AU)

Epilepsia e exercício físico no sexo feminino e sua influência na prole: estudo em modelo experimental

Processo:16/08514-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência: 01 de agosto de 2016 - 31 de julho de 2017
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Pesquisador responsável:Ricardo Mario Arida
Beneficiário:
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo, SP, Brasil
Assunto(s):Fármacos neuroprotetoresGravidezEpilepsiaExercício físicoNeurologiaMulheresSaúde da mulher
Resumo
Associações de estratégias antiepileptogênicas e neuroprotetoras para a prevenção e tratamento da epilepsia têm sido constantemente investigadas. Neste sentido, o exercício físico tem sido considerado um candidato em potencial como terapia complementar para a epilepsia. Efeitos benéficos do exercício físico em pessoas com epilepsia têm sido amplamente demonstrados, como redução da susceptibilidade às crises, melhora da qualidade de vida e redução da ansiedade e depressão. Estudos em modelos animais de epilepsia têm investigado os mecanismos pelos quais o exercício interfere neste processo. Apesar da influência positiva do exercício físico na epilepsia, não existe informação consistente na literatura se estes benefícios são totalmente aplicados ao sexo feminino. Este aspecto é de grande importância tendo em vista que disfunções reprodutivas e distúrbios endócrinos são comuns em mulheres com epilepsia. A proposta da primeira parte deste projeto será verificar o efeito de programas de exercício físico aeróbio na epileptogênese, na frequência de crises epilépticas e nas alterações neuromorfológicas e neuroquímicas de ratas Wistar fêmeas. Fatores ambientais, como o estresse pré-natal em animais podem provocar alterações no desenvolvimento do sistema nervoso e consequentemente aumentar a susceptibilidade a convulsões e ao desenvolvimento da epilepsia na prole no início e ou em fases mais tardias da vida. Ainda, o cérebro em desenvolvimento no período pós-natal possui uma maior susceptibilidade a crises, dependendo da etapa do desenvolvimento cerebral. Estudos recentes em animais mostram que o exercício físico durante o desenvolvimento fetal pode melhorar algumas funções cerebrais dos filhotes após o nascimento. Apesar da influência benéfica do exercício físico no sistema nervoso em desenvolvimento durante a gestação, não está claro se a atividade física durante a gestação pode exercer efeito protetor a insulto cerebral na prole no início da vida. Na segunda parte deste projeto, pretendemos verificar se o exercício físico e/ou estresse por contenção durante a prenhez pode alterar em filhotes a susceptiblidade as crises induzidas no inicio e nas fases mais tardias da vida utilizando o modelo do pentilenotetrazol. Acreditamos que esta investigação poderá fornecer informações importantes para elucidar se a atividade física regular no período gestacional e na fase adulta pode interferir positivamente na epilepsia e indica-la como estratégia terapêutica para o controle das crises epilépticas e ajustes psicossociais no sexo feminino. (AU)

O efeito da crioterapia no controle da dor, da função e da qualidade de vida em indivíduos com osteoartrite de joelho: ensaio clínico randomizado

Processo:15/21422-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado Direto
Vigência: 01 de julho de 2016 - 28 de fevereiro de 2019
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Pesquisador responsável:Tania de Fatima Salvini
Beneficiário:
Instituição-sede: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos, SP, Brasil
Assunto(s):CrioterapiaHipertermia induzidaAnalgesiaOsteoartrite do joelhoQualidade de vida
Resumo
Introdução: a osteoartrite (OA) é uma das principais causas de incapacidade para adultos e idosos, diminui a qualidade de vida, e é responsável por um oitavo de toda restrição das atividades de vida diária dos indivíduos acometidos. Entre as articulações que suportam peso, o joelho é a mais acometida pela OA. A Osteoartrite de Joelho (OAJ) causa sintomas como rigidez articular, dor, disfunções físicas e isso acarreta um considerável impacto na qualidade de vida dos indivíduos. Atualmente, diferentes opções de tratamento estão disponíveis para a OAJ. Uma combinação de tratamentos não farmacológicos, que incluem a educação do paciente, exercícios, mudanças de estilo de vida e fisioterapia, associados aos tratamentos farmacológicos, são os mais indicados. A crioterapia, uma intervenção não farmacológica bastante utilizada nas lesões músculos esqueléticas para controle da sintomatologia dolorosa, tem sido utilizada também na OAJ. No entanto, ainda há carência de evidências científicas em relação aos seus efeitos na OAJ. Poucos estudos avaliaram os efeitos analgésicos e desfechos na qualidade de vida de pacientes com OAJ, após o uso da crioterapia de forma isolada. Além disso, estudos de revisão sistemática apontam para uma fraca evidência científica para o uso da crioterapia na OAJ devido a deficiências no desenho metodológico da maioria dos estudos. Assim, os resultados de um ensaio clínico randomizado e controlado sobre os efeitos da crioterapia na OAJ poderá contribuir com um melhor embasamento científico sobre o papel da crioterapia na OAJ. Objetivos: avaliar o efeito da aplicação de crioterapia (saco gelo triturado) ao redor do joelho de indivíduos com OA no controle da dor, na função e na qualidade de vida desses indivíduos. Metodologia: trata-se de um ensaio clínico randomizado e controlado, duplo-cego. Participarão do estudo 46 portadores de OAJ, com diagnóstico baseado nos critérios clínicos e radiográficos do American College of Rheumatology, de ambos os sexos, com idade entre 40 e 65 anos. O número total de indivíduos será dividido, aleatoriamente, em dois grupos, com 23 sujeitos cada um. Durante 4 dias consecutivos, por um período de 20 min, cada grupo receberá um tipo de intervenção ao redor do joelho com OA: o grupo crioterapia receberá aplicação de sacos de gelo com compressão e o grupo placebo receberá aplicação de sacos de areia com compressão, sendo o peso e volume, similares ao utilizado na crioterapia. Todos os indivíduos terão as seguintes variáveis avaliadas pré e pós-intervenção: limiar de dor a pressão (algometria), índice de dor (EVA), questionários de funcionalidade física (WOMAC, KOOS) e de atividade física (IPAQ). Dois testes de função física serão também realizados: o teste de sentar e levantar da cadeira em 30s e o Timed Up and Go (TUG). Imagens termográficas serão também obtidas para análise mais detalhada da temperatura do joelho com OA. Analise de dados: a normalidade dos dados será avaliada e testes paramétricos ou não paramétricos poderão ser utilizados. Será realizada a comparação entre as médias das variáveis dependentes. Os fatores independentes do estudo serão a crioterapia versus placebo e o fator de medidas repetidas pré- versus pós-intervenção. As possíveis correlações entre as variáveis dependentes do estudo de interesse também serão avaliadas. (AU)

Avaliação do perfil nutricional de mulheres com câncer de mama pós-mastectomizadas em uma amostra da população brasileira

Processo:16/06626-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência: 01 de julho de 2016 - 31 de dezembro de 2016
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Nutrição - Análise Nutricional de População
Pesquisador responsável:Alceu Afonso Jordão Junior
Beneficiário:
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Assunto(s):ObesidadeComposição corporalEstado nutricionalNeoplasias mamáriasImpedância bioelétrica
Resumo
Introdução: Os dados do ultimo inquérito brasileiro de 2014 apontou que 50,8% dos brasileiros estão acima do peso, e que 17,5% são obesos (VIGITEL, 2014) e em paralelo a obesidade, ocorrem alterações metabólicas em que o excesso de tecido adiposo possui papel central no desenvolvimento de doenças crônicas, dentre elas pode-se destacar o câncer de mama, sendo este risco aumentado principalmente em mulheres na pós-menopausa (Morimoto et al., 2002). Os desarranjos metabólicos ligados ao ganho de peso além de caracterizar um risco para o desenvolvimento do câncer também estão correlacionados a terapêutica da doença, prognóstico e ao avanço da idade (REDIG AJ & MUNSHI HG, 2010) e estas alterações são possíveis são promotoras para o desenvolvimento de outros tipos de cânceres, doença cardiovascular, osteoporose e aparição de tumores mais agressivos (LADOIRE et al., 2014). Existem inúmeras possibilidades para a manutenção ou o desenvolvimento do excesso de peso no pós-tratamento do câncer de mama, como o fator genético, idade avançada, alterações no gasto energético basal e secreção hormonal, a inatividade física e desordens alimentares. Contribuindo para a relação do excesso de peso e piora do prognostico, esta o comprometimento da rede linfática axilar que também esta associada com ao ganho de gordura corporal e a perda de massa magra e funcionalidade muscular, que esta ligada a presença de linfedema, mastectomia e a idade. Assim tendo em vista a gama de alterações associadas às mudanças do perfil nutricional que as pacientes oncológicas podem estar submetidas, a análise precisa da composição corporal, especialmente, da porcentagem de gordura corporal, massa magra e funcionalidade muscular assumem um papel fundamental para diagnóstico e adequação das condutas nutriconais a fim de promover melhoras na qualidade de vida. Objetivo: Avaliar e caracterizar o perfil nutricional (antropométrico, composição corporal, funcional e de atividade física) de mulheres mastectomizadas para câncer de mama que frequentam um núcleo de reabilitação. Metodologia: Será realizado um estudo transversal com 65 mulheres de um núcleo de reabilitação para câncer de mama. As voluntárias serão submetidos à antropometria (aferição de peso e estatura, a medida de circunferência do braço (CB), circunferência da cintura (CC), circunferência do quadril (CQ), circunferência de panturrilha (CP), prega cutânea triciptal (PCT), prega cutânea biciptal (PCB), prega cutânea subescapular (PCSE) e prega cutânea suprailiaca (PCSI), dinamometria e impedância bioelétrica (BIA), cálculo dos índices de adiposidade e aplicação do Questionário Internacional de Atividade Física (IPAQ). (AU)

Associação entre estado nutricional, consumo de FODMAPs e qualidade de vida em indivíduos com síndrome do intestino irritável

Processo:15/24920-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência: 01 de julho de 2016 - 30 de junho de 2017
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Nutrição - Análise Nutricional de População
Pesquisador responsável:Ana Carolina Junqueira Vasques
Beneficiário:
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Aplicadas (FCA). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Limeira, SP, Brasil
Assunto(s):Estado nutricionalConsumo de alimentosSíndrome do intestino irritávelQualidade de vida
Resumo
Fundamentação: A síndrome do intestino irritável (SII) é um distúrbio funcional do intestino caracterizado por mudança dos hábitos intestinais, associados com dor e/ou desconforto abdominal, que afeta cerca de 3% a 25% da população mundial. A maioria das pessoas com SII sofre de intolerâncias alimentares, sendo as mais comuns aquelas relacionadas com a ingestão de carboidratos de cadeia curta, denominados FODMAPs - fermentáveis oligossacáridos, dissacáridos, monossacáridos e polióis. Em relação ao estado nutricional de pacientes com SII, não há consenso sobre a associação entre a síndrome e marcadores de adiposidade. Contudo, estudos encontraram associação positiva entre aumento do IMC e sintomas da SII. Vale ressaltar que a SII é uma condição clínica com grande impacto na qualidade de vida. Objetivo: Diante do desafio que a SII representa para os profissionais de saúde em seu manejo e os custos dos cuidados de saúde da doença, o presente estudo terá como objetivo investigar a associação entre estado nutricional, estilo de vida, ingestão de alimentos, qualidade de vida e sintomas gastrointestinais em pacientes com a SII. Métodos: Estudo transversal com 72 indivíduos de 20 a 59 anos, de ambos os sexos e com diagnóstico da SII. Avaliação nutricional: IMC, circunferências da cintura, do quadril e do braço e prega cutânea tricipital. Avaliação da prática de atividade física, tabagismo, etilismo e privação de sono. O consumo de FODMAPs será avaliado pela aplicação de um questionário de frequência alimentar. A escala de gravidade gastrointestinal, a escala de Bristol e o Questionário de Qualidade de Vida para portadores da SII serão aplicados. Perspectivas: A elucidação dessas associações poderá fornecer subsídios para uma sensibilização dos profissionais de saúde sobre a necessidade de tratamento multidisciplinar desses pacientes, bem como para o desenvolvimento de estratégias que contribuam no manejo dos sintomas da SII, garantindo a manutenção ou obtenção de um estado nutricional saudável e qualidade de vida. (AU)

Associação entre estado nutricional, consumo de FODMAPs e qualidade de vida em indivíduos com síndrome do intestino irritável

Processo:15/24918-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência: 01 de julho de 2016 - 30 de junho de 2017
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Nutrição - Análise Nutricional de População
Pesquisador responsável:Ana Carolina Junqueira Vasques
Beneficiário:
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Aplicadas (FCA). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Limeira, SP, Brasil
Assunto(s):Estado nutricionalConsumo de alimentosSíndrome do intestino irritávelQualidade de vida
Resumo
Introdução: A síndrome do intestino irritável (SII) é um distúrbio funcional do intestino caracterizado por mudança dos hábitos intestinais, associados com dor e / ou desconforto abdominal, que afeta cerca de 3% a 25% da população mundial. A maioria das pessoas com SII sofrem de intolerâncias alimentares. As intolerâncias mais comuns estão relacionadas com a ingestão de carboidratos de cadeia curta, os quais em conjunto recebem o nome FODMAPs - fermentáveis oligossacáridos, dissacáridos, monossacáridos e polióis. Em relação ao estado nutricional de pacientes com SII, não há consenso sobre a associação entre a síndrome e marcadores de adiposidade. No entanto, alguns estudos encontraram associação positiva entre o aumento do IMC e sintomas da SII. Vale ressaltar que a SII é uma condição clínica com grande impacto na qualidade de vida. Considerando o desafio que a SII representa para os profissionais de saúde em seu manejo, e os custos dos cuidados de saúde da doença, o presente estudo terá como objetivo investigar a associação entre o estado nutricional, estilo de vida, a ingestão de alimentos, qualidade de vida e sintomas gastrointestinais em pacientes com a SII.Métodos: Estudo transversal com 72 indivíduos, variando de 20 a 59 anos, incluindo ambos os sexos e com diagnóstico médico de SII. Avaliação nutricional: peso, altura, circunferência da cintura, circunferência do quadril, circunferência do braço e prega cutânea tricipital. Avaliação de estilo de vida: atividade física pelo Questionário Internacional de Atividade Física - IPAQ, tabagismo, consumo de álcool, privação de sono pela Escala de Sonolência de Epworth. O consumo de FODMAPs será avaliado pela aplicação de um questionário semi-quantitativo de freqüência alimentar. A escala de gravidade gastrointestinal, a escala de Bristol e o Questionário de Qualidade de Vida para portadores da SII serão aplicados.Perspectivas: A elucidação dessas associações poderão fornecer subsídios para uma maior sensibilização dos profissionais de saúde sobre a necessidade de tratamento multidisciplinar desses pacientes, bem como para orientar o desenvolvimento de estratégias de intervenção que contribuam para o manejo dos sintomas da SII, garantindo aos pacientes a manutenção ou a obtenção de um estado nutricional saudável e qualidade de vida. (AU)

Estudos sobre (in)atividade física em pacientes com artrite reumatóide: caracterização, associações com a doença e efeitos da interrupção do tempo sedentário

Processo:15/26937-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado Direto
Vigência: 01 de julho de 2016 - 30 de junho de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Educação Física
Pesquisador responsável:Bruno Gualano
Beneficiário:
Instituição-sede: Escola de Educação Física e Esporte (EEFE). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Assunto(s):Atividade físicaSedentarismoArtrite reumatoide
Resumo
A Artrite Reumatoide (AR) é uma doença autoimune inflamatória sistêmica e crônica de etiologia desconhecida, caracterizada pelo acometimento das articulações sinoviais, causando dor e edema. Onde as manifestações clínicas apresentadas pelos pacientes com AR podem contribuir com a piora das capacidades físicas, da qualidade de vida, maior risco de morbimortalidade cardiovascular e para o desenvolvimento de um estilo de vida sedentário nestes pacientes. Contudo, sabe-se que programas de exercício aeróbio e de força, realizados em intensidade moderada a alta podem melhorar a capacidade aeróbia, força muscular, capacidade funcional, fatores de risco cardiovascular e composição corporal em pacientes com AR. Os benefícios que a prática de exercício físico promove na população saudável e em pacientes com AR é incontestável. Entretanto, um número crescente de evidências sugere que, em adição ao cumprimento das recomendações de atividade física, os indivíduos deveriam objetivar a redução do tempo gasto em comportamento sedentário para promover melhoras na saúde. Alguns estudos têm demonstrado que a simples interrupção de longos períodos gastos em comportamento sedentário está associada com melhora de fatores de risco cardiovascular e redução do risco de mortalidade por todas as causas. Diante do exposto, é plausível assumir que intervenções que promovam a redução do tempo sedentário e a interrupção do comportamento sedentário com atividades leves podem ter um efeito positivo nas comorbidades e nos fatores de risco cardiovascular em pacientes com AR. Ademais, ao nosso conhecimento, nenhum estudo na literatura teve como objetivo verificar se uma intervenção para promover a redução do tempo sedentário e aumento de interrupções no comportamento sedentário é eficaz em pacientes com AR. Tendo em vista o exposto, este trabalho terá como objetivos (1) avaliar o tempo sedentário, número de interrupções do tempo sedentário e o nível de atividade física em pacientes diagnosticadas com AR; (2) investigar os efeitos de uma intervenção que promove a interrupção do tempo sedentário em parâmetros relacionados à atividade da doença, composição corporal, parâmetros sanguíneos, fatores de risco para doenças cardiovasculares, capacidade física e qualidade de vida em pacientes com AR. Além disso, expandir o conhecimento sobre os mecanismos acerca da influência da interrupção do tempo sedentário no músculo esquelético desses pacientes. Dois estudos serão conduzidos como parte do presente projeto. O primeiro será um estudo transversal descritivo e de associação (estudo 1), enquanto que o segundo será um estudo longitudinal, randomizado, de grupos paralelos e controlado (estudo 2). As pacientes serão recrutadas no Ambulatório de Reumatologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HC-FMUSP). E este estudo será desenvolvido no Laboratório de Avaliação e Condicionamento em Reumatologia (LACRE). As voluntárias serão analisadas quanto aos seguintes parâmetros: (1) nível de (in)atividade física (acelerômetro e ActivPAL®); (2) avaliação clínica global (questionários específicos); (3) antropometria e composição corporal (DXA); (4) parâmetros sanguíneos hematológicos e inflamatórios (coletas de sangue e quantificação de citocinas); (5) fatores de risco cardiovascular (questionário de estratificação de risco cardiovascular de Framingham); (6) capacidade aeróbia (teste ergoespirométrico); (7) capacidade funcional e fadiga (testes funcionais e questionários específicos); (8) qualidade de vida (SF-36); (9) biópsia muscular (apenas estudo 2). (AU)

Investigação epidemiológica da relação entre disfunção temporomandibular, comorbidades dolorosas, obesidade e distúrbios do sono em adolescentes

Processo:16/01243-2
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de julho de 2016 - 30 de junho de 2018
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia
Pesquisador responsável:Daniela Aparecida de Godoi Gonçalves
Beneficiário:
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia (FOAr). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara, SP, Brasil
Pesq. associados:

Giovana Fernandes

Assunto(s):Transtornos do sonoEpidemiologiaComorbidadeSíndrome da disfunção da articulação temporomandibularAdolescentesObesidade
Resumo
Introdução: A literatura tem demonstrado alta prevalência de dor crônica em crianças e adolescentes, incluindo a disfunção temporomandibular (DTM). As condições dolorosas, especialmente as crônicas, com frequência ocorrem simultaneamente nos mesmos indivíduos e estão associadas com alterações emocionais e psicossociais. Em adolescentes, a associação da DTM com outras condições ainda não está clara. Objetivo: Investigar a relação entre DTM dolorosa e comorbidades em adolescentes. Métodos: A amostra será composta por indivíduos de ambos os gêneros com 12 a 14 anos de idade, sendo 350 com DTM dolorosa e 350 controles. Serão coletados dados sócio-demográficos, e todos serão avaliados por meio dos seguintes instrumentos e técnicas validados: Research Diagnostic Criteria for Temporomandibular Disorders (RDC/TMD) para classificação da DTM; Escala de Faces Revisada (FPS-R) para avaliação da intensidade da dor; Limiar de Dor à Pressão (LDP) por meio de algometria trigeminal e extra-trigeminal; Maturação Sexual de acordo com estágios de Tanner; Composição Corporal (Índice de Massa Corporal, pregas cutâneas, circunferência abdominal e bioimpedância); Prática de Atividade Física, Pediatric Quality of Life InventoryTM - PedsQLTM para avaliação da qualidade de vida; Escala de Distúrbios de Sono em Crianças e Questionário sobre Comportamento do Sono; Questionário Nórdico Padronizado para avaliar a dor no corpo; Critérios da Sociedade Internacional de Cefaleias-II para diagnóstico de cefaleias; Inventário de Depressão Infantil-CDI; Critérios de Yunus para FM em adolescentes. O teste do qui-quadrado ou teste exato de Fisher será utilizado para estudo das associações de interesse. Modelos de regressão logística e linear serão utilizados para estimar o odds-ratio entre a presença e intensidade da DTM dolorosa e variáveis independentes. (AU)

Estudo da autofagia como mecanismo para o desencadeamento de doenças neurodegenerativas

Processo:15/18961-2
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de julho de 2016 - 30 de junho de 2018
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Citologia e Biologia Celular
Pesquisador responsável:Merari de Fátima Ramires Ferrari
Beneficiário:
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Assunto(s):Degeneração neuralAtividade física
Resumo
Acredita-se que o prejuízo do controle da qualidade proteica contribua para os eventos celulares que culminam com a neurodegeneração. Neste sentido, a proposta do presente estudo é avaliar o sistema de controle de qualidade celular em modelos in vitro (cultura primária de células) e in vivo (antes do aparecimento dos sintomas) de doenças neurodegenerativas esporádicas (utilizando rotenona) e genéticas como esclerose lateral amiotrófica associada à mutação no gene SOD1 e doença de Alzheimer relacionada triplicação de genes importantes para essa neurodegeneração em modelo de síndrome de Down. Para tanto, serão analisados os níveis de proteínas associadas à ativação da autofagia (incluindo mitofagia), tráfego de vesículas autofágicas e fluxo autofágico. Adicionalmente, pretende-se analisar o papel da proteína BAG-2 (co-chaperona que liga-se à hsp70 para a degradação) em modular a atividade autofágica em momentos anteriores à agregação proteica, bem como o papel da atividade física sobre a autofagia no curso da neurodegeneração esporádica como estratégia terapêutica/preventiva. (AU)

Design e fabricação de dispositivos flexíveis nanoestruturados para detecção de biomarcadores

Processo:16/01919-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência: 01 de junho de 2016 - 31 de maio de 2018
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Física - Física da Matéria Condensada
Pesquisador responsável:Osvaldo Novais de Oliveira Junior
Beneficiário:
Instituição-sede: Instituto de Física de São Carlos (IFSC). Universidade de São Paulo (USP). São Carlos, SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/14262-7 - Filmes nanoestruturados de materiais de interesse biológico, AP.TEM
Assunto(s):BiomarcadoresTécnicas biossensoriaisMateriais nanoestruturados
Resumo
Neste projeto, propõe-se desenvolver e caracterizar dispositivos flexíveis, compostos por nanoestruturas de ouro obtidas via fotolitografia sobre a superfície de platina. Estas superfícies flexíveis nanoestruturadas serão caracterizadas por técnicas eletroquímicas (voltametria cíclica, espectroscopia de impedância eletroquímica) e pelas técnicas de microscopia de força atômica (AFM) e microscopia eletrônica de varredura (MEV) para a determinação do tamanho e da distribuição das nanoestruturas de ouro, assim como a área exposta de platina. Devido ao aumento considerável da área eletroativa das superfícies testar-se-á a atividade eletrocatalítica do dispositivo flexível nanoestruturado em relação à detecção de biomarcadores, assim como de ácido úrico, ácido ascórbico, dopamina e NADH. Numa segunda etapa, as nanoestruturas de ouro serão recobertas com camadas autorganizadas de alcanotiol (ácido mercaptoacético e 11-mercaptoundecanóico) visando à preparação da superfície para imobilização de biomoléculas, incluindo enzimas, anticorpos e DNA. Este recobrimento será analisado por técnicas eletroquímicas (voltametria, amperometria, espectroscopia de impedância eletroquímica) e espectroscopia de absorção e reflexão no infravermelho com polarização modulada (PM-IRRAS). A detecção será feita com técnicas eletroquímicas em soluções padrão. Pretende-se também empregar os biossensores para detectar lactato e colesterol em transpiração aplicando-se diretamente sobre a pele durante atividade física, enquanto que detecção de glicose e cortisol será feita em saliva, dispensando métodos invasivos. Os imunossensores e genossensores serão utilizados para detecção precoce de câncer de cabeça e pescoço. (AU)

Atividade física habitual, fatores de risco para síndrome metabólica e gastos institucionais por demanda de usuários do sistema público de saúde: estudo de coorte de 8 anos

Processo:15/17777-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência: 01 de junho de 2016 - 31 de julho de 2018
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Saúde Coletiva - Saúde Pública
Pesquisador responsável:Henrique Luiz Monteiro
Beneficiário:
Instituição-sede: Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Presidente Prudente. Presidente Prudente, SP, Brasil
Assunto(s):Atividade motoraSíndrome metabólicaFatores de risco
Resumo
As alterações no perfil lipídico, glicemia de jejum e pressão arterial, juntamente com um quadro de obesidade abdominal, constituem fatores de risco para o desenvolvimento de síndrome metabólica (SM), aumentando as chances de doenças cardiovasculares e diabetes mellitus tipo 2. A presença desses sinais clínicos está diretamente relacionada à baixos níveis de atividade física (AF), condição muito comum na população de países desenvolvidos e em desenvolvimento. Embora pesquisas longitudinais permitam estabelecer relação de causa e efeito, esse desenho de estudo ainda é pouco desenvolvido no Brasil, principalmente quando se diz respeito à relação entre AF, desenvolvimento de doenças crônicas como a SM, e o impacto desses fatores sobre os gastos institucionais. Objetivos: Verificar a relação entre atividade física habitual, ocorrência de fatores de risco para síndrome metabólica e complicações, e gastos institucionais em usuários da rede pública de saúde a partir de estudo de série histórica de oito anos. Métodos: Uma amostra aleatória estratificada por idade (e50 anos de idade) foi selecionada entre as cinco maiores Unidades Básicas de Saúde de cada região (norte, sul, leste, oeste e centro) da cidade de Bauru, estado de São Paulo. O cálculo amostral indicou a necessidade de acompanhamento de 960 pacientes. Por meio de inquéritos realizados por entrevista dirigida, avaliação física e análise de prontuários serão obtidos dados referentes à ocorrência de fatores de risco para SM, atividade física habitual, complicações e internações, poder aquisitivo, escolaridade, tabagismo, estado nutricional, e despesas com consultas, medicamentos e exames laboratoriais. A presente proposta está sendo desenvolvida em cinco etapas distribuídas no período de 2009 a 2017. Na primeira etapa (2009-2010) cada paciente foi convocado a comparecer a sua Unidade Básica de Saúde (UBS) de origem onde foi realizado entrevista para aplicação de questionários, avaliação física e análise de prontuários. Na segunda (2011-2012) e terceira etapas (2013-2014) as entrevistas ocorreram por meio telefônico, enquanto o levantamento de dados nos prontuários clínicos seguiu a mesma rotina da primeira etapa. Na quarta (2015-2016) e quinta (2017-2018) etapas, serão adotados os mesmos procedimentos da primeira etapa, com convocação dos pacientes e avaliação física. No tratamento estatístico, por se tratar de estudo de série histórica, a análise principal será conduzida utilizando a Regressão de Cox, valores de hazard ratio (HR) e seus respectivos intervalos de confiança de 95% (HRIC95%). A significância estatística será fixada em valores inferiores a 5%. (AU)
972 resultado(s)
|
Exportar 0 registro(s) selecionado(s) | Limpar seleção
CDi/FAPESP - Centro de Documentação e Informação da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo

R. Pio XI, 1500 - Alto da Lapa - CEP 05468-901 - São Paulo/SP - Brasil
cdi@fapesp.br - Converse com a FAPESP