Busca avançada

X

Criar um alerta por e-mail


Novos resultados para a sua pesquisa em seu e-mail, semanalmente.

Seu e-mail:

Tamanho do e-mail:



Seu endereço de e-mail não será divulgado.

Refine sua pesquisa

Pesquisa
  • Uma ou mais palavras adicionais
Publicações científicas
Publicações acadêmicas
  • Auxílios à Pesquisa
  • Bolsas
  • Programas voltados a Temas Específicos
  • Programas de Pesquisa direcionados a Aplicações
  • Programas de Infraestrutura de Pesquisa
  • Área do conhecimento
  • Situação
  • Ano de início
Excel (CSV)Alerta por e-mail   RSS
1.053 resultado(s)
|
Resumo

Estudos com modelos experimentais de obesidade induzida por dieta revelaram a presença de uma inflamação no hipotálamo que compromete neurônios responsáveis pelo controle da ingestão calórica e do gasto energético. Avanços em técnicas de neuroimagem permitiram detectar por meio de ressonância magnética estrutural quantitativa (RMq) a existência de gliose no núcleo médio basal hipotalâmico (MBH). Tanto em modelos animais como em adultos com obesidade esse achado se relaciona diretamente aos maiores índices de massa corporal (IMC). A obesidade infantil representa um fator de risco para a obesidade e suas comorbidades na vida adulta. Estudo com RMq também identificou em crianças e adolescentes obesos a existência de gliose hipotalâmica que se correlaciona com maior porcentagem de gordura corporal, especialmente de gordura visceral, sabidamente de maior risco metabólico. Estudo recente sugeriu que a gliose hipotalâmica em adultos se relaciona à resistência insulínica, independentemente do IMC. No entanto, nenhum estudo anterior verificou se alterações no metabolismo de carboidratos influenciam o comprometimento hipotalâmico nas crianças. Este estudo pretende avaliar se o diabetes induzido por dieta e a resistência à insulina impactam o desenvolvimento de gliose hipotalâmica. Para tal, pretendemos utilizar avaliações por RMq do MBH de 12 crianças obesas com DM2, 12 com obesidade sem diabetes e 12 crianças eutróficas. Também serão avaliados hormônios envolvidos na regulação da saciedade, recordatórios alimentares e a atividade física. Acredita-se que esse estudo possa ampliar o conhecimento sobre a disfunção hipotalâmica na obesidade e influência da resistência insulínica no desequilíbrio da homeostase energética corporal. (AU)

Resumo

Vários estudos têm sugerido que o fator neurotrófico derivado do cérebro (BDNF) é uma proteína chave nas respostas adaptativas do sistema nervoso e imunológico, da regulação metabólica e da freqüência cardíaca. BDNF é um membro da família de neurotrofina de fatores de crescimento e está presente em duas isoformas: pro-BDNF, com caráter apoptótico, e BDNF maduro (BDNF-mat) relacionado à sobrevivência celular. A Esclerose Múltipla (MS) é uma doença crônica degenerativa causada por inflamação, desmielinização e perda axonal de neurônios que afeta várias áreas cerebrais associadas a muitos sintomas neurológicos, como deficiência física, transtornos de humor e ansiedade, depressão e comprometimento cognitivo. O BDNF parece desempenhar um papel fundamental em indivíduos com MS com duplo efeito, agindo sobre a neuroprotecção e sobre o efeito apoptótico dos linfócitos T autoreactivos. Contudo, em MS, a concentração de BDNF parece ser mais baixa quando comparada com indivíduos saudáveis. O exercício físico é uma importante estratégia não-farmacológica que pode auxiliar no controle dos sintomas, especialmente através da melhora do nível de BDNF e contribuindo para a sobrevivência e manutenção dos neurônios afetados. Uma barreira ao exercício na MS é o fenômeno de Uhtoff: piora dos sintomas neurológicos como conseqüência da elevação da temperatura corporal durante o exercício. Portanto, o desenvolvimento de técnicas de resfriamento é importante para reduzir essa barreira e potencialmente aumentar a capacidade de exercício e aumentos concomitantes de BDNF. É importante esclarecer os efeitos dessas intervenções no desenvolvimento de estratégias para facilitar a atividade física em pacientes com MS. O objetivo deste estudo é verificar os efeitos de uma intervenção de resfriamento durante o exercício sobre as concentrações de BDNF no sangue e o desempenho cognitivo em indivíduos com esclerose múltipla. Nossa hipótese é que a intervenção de resfriamento durante o exercício será efetiva para prolongar o exercício, aumentar as concentrações de BDNF e melhorar o desempenho cognitivo desses indivíduos. (AU)

Resumo

Introdução: A obesidade é caracterizada como uma doença complexa, multifatorial e crônica, com consequências biológicas e sociais desencadeadoras de diversas comorbidades que diminuem a qualidade e expectativa de vida. Os números crescentes de pessoas acometidas por sobrepeso e obesidade aumentam o desenvolvimento de modelos de intervenções para adequação do estilo de vida pautadas na regulação do balanço energético que frequentemente colidem com problemas de motivação, barreiras ambientais e pessoais dificultando o sucesso, implementação e a adesão aos programas. Nesta perspectiva, os meios eletrônicos e o fácil acesso à internet podem ser aliados de programas de emagrecimento estruturados e embasados cientificamente por agregar inúmeras ferramentas educacionais, de controle e de comunicação. Objetivo: O objetivo principal deste estudo é verificar a influência do modelo de intervenção semipresencial e multidisciplinar com orientações de estilo de vida em mulheres adultas obesas. Metodologia: Serão selecionados 300 mulheres adultas obesas, com idades entre 20 a 45 anos, classificados com obesidade de acordo com o Índice de Massa Corporal (IMC). As voluntárias serão submetidos 12 semanas de terapia multidisciplinar semipresencial com avaliação física, orientação dietética e de atividades físicas, com suporte online através de emails, whatsapp®, mídias sociais e vídeos com temas educativos sobre obesidade em uma plataforma online. Após a seleção (basal) e do período de intervenção, os pacientes realizarão a análise da composição corporal, análise do nível de atividade física, análises bioquímicas (glicose, insulina, perfil lipídico - colesterol total, frações e triglicérides, marcadores do balanço energético - adiponectina, leptina, NPY e dos marcadores de transdiferenciação celular - FGF-21 e peptídeo natriurético atrial) e pressão arterial (PA). Serão calculados os índices de resistência à insulina (HOMA-IR) e sensibilidade a insulina (QUICKI). O protocolo será composto por três sessões presenciais com apoio em grupo que trabalharão as dificuldades encontradas no estilo de vida, incluindo hábitos alimentares, exercício físico e motivação durante todo o protocolo por meios eletrônicos. Nestes encontros serão aplicados os questionários para investigação de sintomas de depressão, ansiedade, bulimia, auto-imagem corporal, alteração de humor, nível de atividade física, freqüência alimentar, rastreamento metabólico, hábitos alimentares, registro alimentar de três dias, qualidade de vida e feitas medidas antropométricas de peso, estatura, circunferências, PA e composição corporal. Nas semanas não presenciais o peso será monitorado por auto relato e ao final de toda semana os voluntários responderão um quiz de perguntas sobre os temas trabalhados. A análise do reganho de peso pós-intervenção será feita via meios eletrônicos durante 12 e 24 semanas subsequentes aos estudos. Os resultados serão analisados utilizando o software Statistica versão 7.0. Será verificada a normalidade dos dados e o comportamento das variáveis durante a intervenção será analisada pelo o teste ANOVA para medidas repetidas com adotando p d 0,05. Será verificado o comportamento de dependências das variáveis por regressão linear simples. (AU)

Resumo

Há evidências de que a prática regular de atividade física diminui o uso dos serviços de saúde, no entanto, pouco se sabe se idosos percebem mudanças nesse uso quando praticam. Objetivo: avaliar a percepção dos idosos participantes de grupos de atividade física quanto ao uso dos serviços de saúde. Métodos: Trata-se de um estudo de caráter transversal e quantitativo, onde foi elaborado uma ficha para entrevistar idosos participantes e ingressantes de um programa de atividade física na cidade do Porto e analisar a percepção dos mesmos quanto ao uso dos serviços de saúde. Será realizada análise descritiva e de comparação entre os grupos, considerando o valor de p<0,05. Resultados esperados: Espera-se que os idosos que participam a mais tempo do grupo percebam menor os serviços de saúde que os idosos ingressantes. (AU)

Resumo

Atualmente a área de tecnologia e comunicação vem crescendo, juntamente com o número de pessoas que utilizam essa tecnologia para se comunicar, principalmente através de celular móvel. Essas tecnologias englobam diversos campos, como social, educacional, de entretenimento e a saúde. Objetivos: Avaliar a competência percebida que os profissionais de saúde têm para o uso da tecnologia como forma de promoção de saúde. Métodos: Trata-se de um estudo de caráter transversal e qualitativo, o qual será realizado em Amsterdam, capital da Holanda, com profissionais de saúde acerca de sua competência para o uso de tecnologia voltada à promoção de saúde, através de questionários e também entrevistas. Será realizada análise de discurso. Resultados esperados: Espera-se que os profissionais de saúde vejam a tecnologia como uma forma de incentivar a prática de atividade física e que no futuro, eles possam se tornar adeptos ao uso, trazendo mais benefícios às pessoas e melhorando sua saúde. (AU)

Resumo

Em fêmeas de corte, a expressão de estro durante o protocolo de sincronização tem impacto positivo na taxa de concepção ao otimizar função ovariana, desenvolvimento embrionário, e também reconhecimento materno da gestação. Pesquisas recentes também demonstraram que a intensidade de estro em fêmeas de corte, mensurada através do nível de ativação de detectores de cio Estrotect, foi positivamente associada com concentrações circulantes de glicoproteínas associadas à prenhez (PAGs) no dia 28 da gestação e consequentemente à viabilidade embrionária. Contudo, mais pesquisas são necessárias para melhor entender os parâmetros de fertilidade e desenvolvimento gestacional associados com expressão de estro, e também melhor caracterizar a intensidade de estro em fêmeas de corte. Uma alternativa para a segunda questão apresentada é através do uso de pedômetros durante o protocolo de sincronização com o objetivo de estimar atividade física do animal, que é diretamente associada com intensidade de estro. Portanto, o experimento aqui proposto tem como objetivo avaliar o impacto da expressão e intensidade de estro em parâmetros associados com fertilidade e estabelecimento gestacional em fêmeas de corte. Quatrocentos vacas Nelore, multíparas, lactantes e entre 70 e 90 dias pós-parto serão designadas ao seguinte protocolo de sincronização de ovulação + inseminação artificial (IA) em tempo fixo: dia -11) 2 mg de benzoato de estradiol + dispositivo intravaginal contendo 1.9 g de progesterona; dia -4) 12,5 mg de prostaglandina F2±; dia -2) remoção do dispositivo intravaginal + administração de 0,6 mg de cipionato de estradiol e 300 UI de eCG' dia 0) IA em tempo fixo, sendo que vacas serão inseminadas pelo mesmo inseminador e sêmen do mesmo touro e partida. No dia -4 do protocolo, 1 pedômetro será anexado acima do ombro direito de cada vaca, dentro de bolsa de poliéster. No dia -2 do protocolo, a atividade física (passos por dia) de cada vaca será avaliada e considerada como atividade basal, e detectores de cio Estrotect serão anexados entre a anca e a base da cauda de cada vaca. No dia 0, detector de cio e pedômetros serão avaliados. Vacas serão classificadas de acordo com expressão ou não de estro com base na ativação do detector de cio. Além disso, dentro das que expressaram estro, vacas serão classificadas em estro de baixa intensidade (50% da população com menor atividade física) e estro de alta intensidade (50% da população com com maior atividade física). Ultrassom ovariano será realizado no momento da IA (dia 0) e 7 dias pós-IA (dia 7) para determinação de taxas de ovulação e sincronização, assim como diâmetro folicular (dia 0) e volume do corpo lúteo (dia 7). Sangue será coletado junto com ultrassom para avaliação de estradiol (dia 0) e progesterona (dias 0 e 7). No dia 20pós-IA, sangue será coletado em tubos especiais para manutenção da integridade de RNA para análise de expressão de genes estimulados por interferon-tau. No dia 30 pós-IA, sangue será coletado para analise plasmática de PAGs, e ultrassom realizado para diagnostico de concepção. Taxa final de prenhez será avaliada de acordo com taxa de parição. Com essas informações, iremos melhor entender os impactos fisiológicos da expressão e intensidade de estro que resultam em melhor eficiência reprodutiva em fêmeas de corte, incluindo parâmetros maternos e embrionários. Esses resultados irão contribuir para estratégias que visem otimizar eficiência reprodutiva de fêmeas de corte durante protocolos de sincronização + IA. (AU)

Resumo

O aumento da expectativa de vida da população brasileira faz surgir uma crescente preocupação por parte dos serviços de saúde e do Governo pelo acompanhamento integral da pessoa idosa por meio da promoção, prevenção e tratamento de saúde. A síndrome da fragilidade é bastante prevalente em idosos, no Brasil e no mundo. A fragilidade é conceituada como uma síndrome clínica complexa e heterogênea, que pode ser identificada por perda de peso involuntária, exaustão, fraqueza, diminuição da velocidade da marcha, equilíbrio e do nível de atividade física. Cada uma dessas manifestações clínicas é preditora de uma série de reações adversas tais como quedas, hospitalização, institucionalização, declínio funcional e morte. A fragilidade cognitiva é um conceito recente na literatura e tem sido considerada como um subtipo de fragilidade, que juntamente com o processo de envelhecimento e sua interação com a fragilidade física, aceleram o ciclo de declínio funcional e resultam em má qualidade de vida em idosos. Comorbidades e fragilidade física são frequentemente encontrados em pacientes com doença de Alzheimer (DA) e estão intimamente relacionados com a heterogeneidade e manifestações clínicas da doença. Estudos prévios de nosso e de outros grupos têm demonstrado a diminuição plaquetária da proteína ADAM10 em idosos com DA, quando comparados com sujeitos controle sem declínio cognitivo, pareados por sexo, idade e escolaridade. Com base nestas prévias, este projeto tem por objetivo geral avaliar se os níveis plaquetários de ADAM10 em indivíduos idosos fragilizados poderiam atuar como biomarcadores de fragilidade cognitiva. O estudo será realizado no município de São Carlos, sede da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Amostras biológicas dos sujeitos da pesquisa serão coletadas, analisadas e posteriormente armazenadas em um biorrepositório. Os níveis de ADAM10 plaquetária serão analisados através da técnica de Western blotting em sujeitos pré-frágeis e frágeis, em comparação com sujeitos sem a presença de fragilidade. Testes estatísticos de associação, regressão e acurácia diagnóstica serão realizados. Os resultados poderão contribuir com a implantação de ferramentas que atuem no diagnóstico de fragilidade cognitiva. Tais ferramentas poderão ser utilizadas em políticas públicas de prevenção e controle de fragilidade em idosos, resultando em um planejamento mais adequado para as equipes de saúde e em melhor qualidade de vida aos idosos. (AU)

Resumo

A população da América Latina (AL) está envelhecendo mais rapidamente que a população dos países desenvolvidos. Dentre os fatores relacionados a maior longevidade de idosos, destaca-se a pratica de atividade física. O gasto energético total em condições de vida livre, independentemente de qualquer atividade, tem sido fortemente associado com o baixo risco de mortalidade em idosos saudáveis. Também, o bom desempenho em testes de funcionalidade são marcadores de bom prognóstico. No entanto, ainda não é claro qual é a associação entre o gasto energético total e o desempenho em testes funcionais, a musculatura e a atividade física habitual, e qual destes marcadores melhor se associa ao gasto energético. Este estudo busca avaliar, por métodos de alta acurácia e precisão, estas associações. Trata-se de um estudo transversal, que será realizado em 3 polos (USP-RP, UFRGS, UFC) no Brasil. Não serão incluídos no estudo idosos com câncer, doenças crônicas não controladas, com perda de peso maior que 3 Kg nos últimos três meses, com déficit cognitivo e/ou que utilizem órteses e próteses ortopédicas. Os participantes, em número de 60, serão alocados de serviços de saúde vinculados as instituições participantes, e serão avaliados em relação as características sócio-demográficas e clínicas (por meio de questionário estruturado) e características antropométricas. Os idosos também passarão por exame de absorciometria de raios-x de dupla energia (DXA) para avaliação da composição corporal e sarcopenia. O gasto energético total (GET) será avaliado pelo método de água duplamente marcada e o padrão de atividade física será verificado por um monitor de atividade, fixado na coxa dos participantes durante 7 dias consecutivos. Os idosos também irão passar por testes físicos e funcionais. A qualidade de vida será avaliada por meio do questionário WHOQOL-old versão em português. Este projeto contribuirá para o entendimento da associação do gasto energético em relação à massa corporal livre de gordura (MLG) com a perda de funcionalidade na população idosa. (AU)

Resumo

A Arterite de Takayasu (AT) é uma doença inflamatória crônica que afeta artérias de grande e médio calibres, com predomínio pela aorta e pelas artérias pulmonares, com manifestações clínicas iniciais inespecíficas como hipertensão arterial, cefaleia, mialgia artralgia, febre, e perda de peso. Sua progressão pode levar à formação de aneurismas, rupturas arteriais, diminuição do pulso, isquemias, e elevados níveis de inflamação. O número de casos descritos em crianças e adolescentes tem crescido, sendo a hipertensão arterial um dos sintomas mais comuns, seguida por outras manifestações como insuficiência cardíaca congestiva e claudicação de extremidades. Todas as manifestações clínicas podem ser agravadas pela inatividade física e obesidade. Cria-se um ciclo vicioso, onde os riscos de morbidade e mortalidade aumentam significativamente na população pediátrica, prejudicando a função e capacidade física, a qualidade de vida e a evolução desse paciente na vida adulta. Nesse sentido, o exercício físico tem se demonstrado uma estratégia eficiente em reduzir esses fatores de risco. Entretanto, na AT juvenil, nenhum estudo até o momento, avaliou o efeito do exercício físico na capacidade funcional, na capacidade aeróbia e na força muscular, bem como a segurança da prescrição do exercício nesse grupo de pacientes. Objetivo: Investigar os efeitos de dois programas de exercício físico com duração de 16 semanas, um com exercícios combinados (aeróbio e força muscular) e supervisionado e o outro realizado em casa com orientação prévia de um profissional de Educação Física. Espera-se que os efeitos benéficos dos programas estejam associados à melhora dos fatores de risco cardiovascular, função e capacidade física e composição corporal. Métodos: Serão conduzidos dois estudos prospectivos, longitudinais e quasi-experimentais, nos quais pacientes com Arterite de Takayasu Juvenil (ATJ) realizarão um programa de treinamento supervisionado (Estudo 1) ou em casa (Estudo 2) ao longo de 16 semanas. O estudo será desenvolvido no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HC-FMUSP) e no Laboratório de Avaliação e Condicionamento em Reumatologia. Os pacientes serão recrutados nos ambulatórios de Reumatologia Pediátrica do Departamento de Pediatria, da Universidade Federal de São Paulo e do Instituto da Criança da Universidade de São Paulo, e da Unidade de Vasculites do Serviço de Reumatologia HC-FMUSP. A fim de avaliar como um programa de exercício físico atuará sobre a ATJ, serão realizadas as seguintes avaliações pré e pós intervenção: nível de atividade física; avaliação clínica global; antropometria e composição corporal; parâmetros sanguíneos hematológicos e inflamatórios; fatores de risco cardiovascular; capacidade aeróbia; capacidade funcional e fadiga; qualidade de vida; função endotelial e angioressonância magnética. (AU)

Resumo

Neurônios que co-expressam o neuropeptideo Y (NPY) e a proteína relacionada agouti (AgRP) estão localizados na parte ventromedial do núcleo arqueado do hipotálamo (ARH). Esses neurônios, vias os neuromodulares expressos por eles, são os mais potentes estimuladores do apetite. O hormônio do crescimento (GH) age sobre tecidos periféricos e está diretamente relacionado com várias funções do organismo como, o controle do metabolismo, crescimento somático e processos celulares. O hormônio liberador de GH, a somatostatina, além dos ácidos graxos livres, leptina, grelina e o neuropeptideo Y, são importantes fatores que controlam a secreção hipofisária de GH. Também o estado nutricional, a atividade física intensa, o estresse, a hipoglicemia e o jejum são potentes reguladores de sua liberação. Existem evidências que o GH pode exercer efeitos sobre o Sistema Nervoso Central (SNC), principalmente na regulação do apetite, cognição, memória, sono, proteção neural e bem estar. Nosso grupo de pesquisa realizou recentemente mapeamento detalhado da distribuição de células responsivas ao GH no SNC de camundongos. Os resultados desse estudo indicaram a presença numerosa de células responsivas ao GH em várias áreas cerebrais, estando em destaque regiões envolvidas com o controle do metabolismo energético e glicêmico. A grande presença de células responsivas ao GH no ARH não garante a presença do receptor de GH (GHR) em todos os grupamentos neuronais que formam esse núcleo. Contudo, alguns trabalhos indicaram que 95% dos neurônios NPY/AgRP do ARH apresentam expressão do GHR (Kamegai et al., 1996). A fim de ter condições de estudar a ação do GH especificamente em neurônios NPY/AgRP do ARH, iremos utilizar o sistema Cre-LoxP que permite a manipulação gênica de maneira tecido-específica. Assim, iremos produzir camundongos que apresentam inativação do GHR exclusivamente em neurônios NPY/AgRP do ARH. Esses animais serão estudados quanto a possíveis alterações no controle do balanço energético, na homeostase glicêmica e durante situações que produzem aumento fisiológico do GH, para que possamos investigar a importância da sinalização de GH em neurônios NPY/AgRP do ARH. Os nossos resultados podem indicar pela primeira vez um possível efeito do GH no sistema nervoso central para o controle de aspectos metabólicos. Esses efeitos seriam mediados pelos neurônios NPY/AgRP do ARH, especializados em integrar informações de diferentes hormônios para o controle do metabolismo. (AU)

Resumo

Introdução: O esporte é considerado um importante agente promotor de saúde, capaz de afetar e modificar o tecido ósseo durante a adolescência, principalmente na densidade óssea. Entretanto, existem dúvidas sobre o real efeito da prática esportiva realizada em meio líquido sobre a saúde óssea de jovens. A natação é um esporte amplamente praticado por populações pediátricas em todo mundo e estudos recentes têm identificado que os mecanismos que relacionam a prática da natação à prejuízos no ganho de densidade óssea entre adolescentes estão longe de ser claros. Objetivos: Comparar o ganho de densidade óssea ao longo de 12 meses de seguimento entre jovens nadadores (a nível competitivo) e seus pares sedentários, bem como identificar o papel de marcadores de formação óssea, atividade física habitual e sistema imune, neste processo. Métodos: Estudo de caráter longitudinal (12 meses de duração e três medidas [linha de base, 6 meses e 12 meses]) que será conduzido na cidade de Presidente Prudente - SP. A amostra será composta por adolescentes com idade entre 11 e 17 anos, divididos em dois grupos: 1- Grupo Controle (não engajados em prática esportiva periodizada) e 2- Grupo Natação (atletas competidores ao menos em nível estadual). Critérios de inclusão específicos serão adotados para ambos os grupos. Serão analisados como desfechos do estudo, 1- variável dependente: densidade mineral óssea analisada pela absortiometria de raio-x de dupla energia (DEXA). 2- Variáveis Independentes: i) Prática de atividade física habitual (acelerômetro), ii) Intensidade de Treinamento, iii) Osteocalcina; iv) IL-6. 3- Variáveis de Confusão: i) Idade; ii) Maturação biológica; iii) Hormônio de crescimento (GH); iv) Fator de crescimento similar a insulina (IGF-1); v) Vitamina D e vi) Cálcio sérico. Em todos os procedimentos estatísticos empregados, a significância estatística adotada será de p-valor <0,05, sendo todas as análises realizadas no software BioEstat (versão 5.0, Tefé, Amazonas) e STATA 13.0. Resultados Esperados: Espera-se, finalmente, compreender o efeito da prática de natação em marcadores de formação óssea, bem como na densidade mineral óssea de adolescentes. (AU)

Resumo

A corrida é eficaz no aumento do nível de atividade física e promove diversos efeitos benéficos à saúde. Porém, a implementação da corrida como atividade física não está livre de efeitos colaterais. As lesões relacionadas à corrida constituem o efeito colateral que apresenta o maior risco para a população em geral. Intervenções eficazes na prevenção de lesões da corrida são escassas e não existe informação sobre facilitadores e barreiras no desenvolvimento de tais intervenções. Assim, não é possível criar estratégias para aproveitar ao máximo os facilitadores, e/ou evitar ou superar as barreiras relacionadas ao desenvolvimento de programas de prevenção de lesões da corrida. O objetivo desse estudo será identificar e descrever os facilitadores e barreiras encontrados no processo de desenvolvimento de um programa de prevenção de lesões da corrida. Os participantes do desenvolvimento do programa de prevenção de lesões da corrida (ou seja, corredores, treinadores, profissionais da saúde, integrantes de grupos de corrida, pesquisadores, etc., que participaram da etapa 1 do projeto de pesquisa geral) serão convidados a participar desse estudo (aproximadamente 20 indivíduos). Uma entrevista semiestruturada será conduzida e gravada a fim de coletar informações sobre os facilitadores e barreiras relacionadas ao desenvolvimento do programa de prevenção de lesões relacionadas à corrida. A entrevista será conduzida até atingir a saturação do assunto. Os dados qualitativos provenientes das transcrições das entrevistas serão agrupados em categorias, e estas serão analisadas descritivamente. A análise e divulgação de facilitadores e barreiras de programas de prevenção é de extrema importância para que futuras tentativas no desenvolvimento de futuros programas possam considerar tais fatores, otimizando assim o desenvolvimento desses programas e aumentando a probabilidade destes serem efetivos na "vida real". (AU)

Resumo

A corrida é eficaz no aumento do nível de atividade física e promove diversos efeitos benéficos à saúde. Porém, a implementação da corrida como atividade física não está livre de efeitos colaterais. As lesões relacionadas à corrida constituem o efeito colateral que apresenta o maior risco para a população em geral. Intervenções eficazes na prevenção de lesões da corrida são escassas. Assim, o objetivo desse estudo será monitorar e avaliar o processo de implementação de um programa de prevenção de lesões relacionadas à corrida. Para tal, será conduzido um ensaio controlado aleatorizado utilizando o método RE-AIM. Corredores iniciantes ou recreacionais que concordarem em participar do estudo através do termo de consentimento, com idade mínima de 18 anos, sem contraindicação à prática de atividade física e não lesionados serão incluídos no estudo. Os participantes serão alocados no grupo intervenção ou controle. O grupo intervenção receberá o programa de prevenção de lesões da corrida durante um ano, enquanto o grupo controle não receberá nenhuma intervenção durante o estudo. O acompanhamento será realizado através de questionários aplicados a cada duas semanas. O desfecho principal desse estudo será relacionado com a eficácia do programa de prevenção em reduzir o risco (incidência) de lesões relacionadas à corrida ao longo do tempo (medidas repetidas). Além da eficácia, o alcance, adoção, implementação e continuidade (RE-AIM) do programa de prevenção serão também avaliados. Esse estudo mostrará se o programa de prevenção de lesões da corrida é eficaz e se sua implementação é viável. (AU)

Resumo

Os trabalhos em curso em nosso laboratório têm como objetivo principal a elucidação dos efeitos metabólicos e moleculares do desenvolvimento do estado caquético em função do crescimento tumoral. A caquexia, imposta pelo câncer, é considerada um dos principais problemas no tratamento de tumores sólidos, particularmente do pâncreas, estômago, pulmão e cólon, pois nesses pacientes, pela intensa mobilização de substratos dos tecidos do hospedeiro, há depleção preferencialmente da proteína muscular em função do aumento da degradação e/ou diminuição da síntese proteica no músculo. Por outro lado, pacientes com caquexia têm expectativa de vida muito reduzida e, por conseqüente, menor qualidade de vida quanto maior o grau de perda de peso, que parece não ser mediado por redução na ingestão alimentar, mas sim por fator catabólico produzido pelo tumor. Por outro lado, das complicações clínicas que podem surgir durante a gravidez, a doença neoplásica é especialmente importante, mais pela sua coexistência com outra complexa condição metabólica, do que pela sua incidência. A mãe sofre da mesma agressividade do câncer, com um agravante maior, trata-se de dois pacientes: mãe e feto. Então, o conhecimento do mecanismo molecular, bioquímico, proteômico e metabolômico da caquexia poderia ser utilizado para que o tratamento clínico desses pacientes fosse melhorado, mas também seria bastante interessante se fosse caracterizado o início do estado caquético e quantificada a intensidade desse estado. Dessa forma, os nossos trabalhos de pesquisas (ate então financiados pela FAPESP) visam investigar os efeitos do crescimento do tumor de Walker e do adenocarcinoma de colo MAC16, modelos experimentais de caquexia, sobre a espoliação da carcaça e principalmente os mecanismos envolvidos no catabolismo proteico e na inibição da síntese proteica muscular desses animais. Atualmente, temos por principal interesse elucidar o mecanismo do turnover proteico tecidual em ensaios in vivo, avaliando a ativação do sistema proteossomico e aumento da degradação de proteína, assim como os processos de inibição da síntese proteica nesses ensaios, para isso estão envolvidos projetos descritos a seguir baseados nos dois modelos experimentais de caquexia - tumor de Walker 256 e também o adenocarcinoma de colo MAC16, avaliando os processos bioquímicos e moleculares de sinalização celular e também envolvidos com os perfis metabolômico e proteômico, associado ao time-course desse processo. Adicionalmente, avaliaremos a suplementação da dieta com aminoácidos de cadeia ramificada, especificamente leucina, pois alem desse aminoácido ser utilizado como fonte energética pelo músculo esquelético, em trabalhos anteriores, verificamos seus efeitos benéficos sobre a musculatura esquelética dos animais portadores de tumor, preservando assim a massa proteica corpórea. Assim, é de especial interesse a investigação dos processos de sinalização celulares envolvidos na ativação do catabolismo e síntese proteica no desarranjo do tecido hospedeiro em função do crescimento tumoral quando associado à suplementação nutricional de leucina. Desse modo, nesse projeto tematico propomos agrupar os diferentes temas desenvolvidos em nosso laboratório como câncer associado ao estado de gravidez, ao estado de crescimento e desenvolvimento e à atividade física, visando que todos esses temas têm grande importância quanto o melhor conhecimento básico para que tenha possibilidade de translação para a clinica. Objetivamos estudar mais profundamente os mecanismos bioquímicos e moleculares envolvidos no metabolismo proteico do hospedeiro, que baseado nas nossas experiências prévias, tratará do organismo materno e fetal, do organismo em crescimento, do organismo senil e submetido ao exercício físico, focando nos tecidos musculares, hepático, tecidos fetais e placentário, em animais portadores de tumor de Walker e portadores de adenocarcinoma de cólon MAC16, submetidos ou não a dieta rica em leucina. (AU)

Resumo

O Deep Water Running é uma modalidade de exercício que consiste na simulação dos movimentos de corrida terrestre, porém realizados em piscinas profundas, com o indivíduo na posição vertical, com auxílio de flutuadores e halteres que evitam o contado do pé com o piso da piscina. Esse método de treinamento pode contribuir para a redução da porcentagem de gordura, melhora da capacidade funcional e qualidade de vida em adultos obesos. O objetivo principal do estudo será investigar a influência do programa de Deep Water Running no sistema de treinamento intervalado na composição corporal, capacidade funcional e qualidade de vida em adultos pré-obesos e obesos. Trata-se de um ensaio clínico controlado, de dois braços em paralelo, com aleatorização em bloco. Após a aleatorização, os voluntários serão alocados em dois grupos: grupo experimental (GE) e grupo controle (GC). Participarão do estudo, voluntários de ambos os sexos, adultos pré-obesos ou obesos. A avaliação será composta por dados pessoais, investigação dos hábitos de vida e da prática de atividade física, anamnese, bioimpedanciometria, teste de caminhada de seis minutos, testes de resistência muscular e questionário de qualidade de vida. O programa terá duração de 12 semanas e consistirá de exercícios em água funda no sistema de treinamento intervalado com temperatura da água mantida a 32º C. Após o término do programa de intervenção, espera-se que ocorra redução na porcentagem de gordura corporal, aumento da capacidade funcional e melhora na qualidade de vida no GE. (AU)

Resumo

Nas últimas décadas houve um notório avanço no tratamento dos mais diversos tipos de câncer, melhorando expressivamente o prognóstico dos pacientes portadores dessa doença. Apesar disso, o câncer continua sendo a segunda principal causa de morte no mundo e a principal causa de morte em países desenvolvidos. Dessa forma, estratégias capazes de atenuar a iniciação, a progressão e a agressividade tumoral demonstram-se ser de fundamental importância para a diminuição da incidência e mortalidade provocada pela doença. Diante disso, estudos recentes têm demonstrado a importância da manutenção da função dos linfócitos T infiltrantes do tumor (tumor infiltrating lymphocytes T - TILs-T) para a atenuação da progressão tumoral. No entanto, embora a chamada imunoterapia venha obtendo sucesso notável na clínica do câncer atualmente, a maior parte dos pacientes ainda não responde a essa terapia, destacando a importância de uma compreensão mais aprofundada sobre os mecanismos responsáveis pela disfunção dos TILs-T. Nesse sentido, recentemente tem sido demonstrado que a morfologia e o metabolismo mitocondriais são capazes de modular a funcionalidade das células T, apesar do metabolismo glicolítico ser, até hoje, o principal foco de estudo do metabolismo de células T infiltrantes de tumor. Tem sido observado que TILs-T exibem um fenótipo global de insuficiência metabólica, associado a uma perda persistente da função e do conteúdo mitocondriais, o que está diretamente relacionado a uma prejudicada função efetora dessas células, com menor produção de interferon-gama (INF- ³) e TNF-±. Essa perda de função e densidade mitocondriais em TILs-T parece ser uma característica específica do microambiente tumoral, e em grande parte independente do bloqueio de PD-1 ou da supressão de células T reguladoras. Além disso, também foi demonstrado que a morfologia e a dinâmica mitocondriais parecem modular a função dos TILs-T. Considerando o exposto, sabe-se que a prática regular de exercícios físicos resulta em uma série de adaptações benéficas ao organismo, tendo como resposta fundamental uma melhora da aptidão aeróbia, a qual ocorre, em grande parte, por meio de um aumento significativo no número e no volume de mitocôndrias, associado a uma melhora consequente do metabolismo e da função mitocondriais. Em convergência, a atividade física regular tem despontado como uma possível estratégia para conter o avanço da progressão tumoral. Nesse sentido, dados preliminares de nosso grupo demonstram o papel terapêutico da atividade física aeróbia sobre o desenvolvimento tumoral em modelos de inóculo de células tumorais do melanoma B16, e de cólon CT26 em camundongos. No entanto, ainda não está claro quais são os mecanismos pelos quais a prática regular de exercícios físicos pode combater a progressão tumoral. Diante disso, o objetivo do presente projeto é avaliar se a atividade física aeróbia pode atenuar ou prevenir a perda de conteúdo e função mitocondriais das células T infiltradas no ambiente tumoral, restaurando o metabolismo mitocondrial e, consequentemente, da função efetora dos TILs-T. Para isso, este projeto será dividido em duas etapas, sendo que na primeira etapa será avaliado o efeito da atividade física aeróbia regular sobre a densidade, morfologia e bioenergética mitocondriais de células T infiltrantes e não infiltrantes de tumor em diferentes modelos experimentais de câncer. Já na segunda etapa do projeto, pretende-se explorar, por meio da análise do transcriptoma de células T infiltrantes e não infiltrantes de tumor, os mecanismos envolvidos na possível melhora da função efetora dessas células em decorrência da atividade física aeróbia. (AU)

Resumo

A osteoartrite (OA) do joelho representa um dos fatores de risco para ocorrência de quedas em idosos. Em uma queda, indivíduos com diminuição da densidade mineral óssea (DMO) apresentam grande risco de sofrerem fraturas. Dessa forma, a investigação da diminuição da DMO, risco de quedas, controle postural e probabilidade de fratura entre indivíduos com OA do joelho contribuiria para direcionamento de intervenções e orientações dessa população. Objetivos: O presente estudo tem como objetivo comparar idosos com e sem OA do joelho em relação à DMO, histórico de quedas, risco de fratura e o controle postural. Hipotetiza-se que indivíduos com OA do joelho apresentarão menor DMO, associada a um maior risco de quedas e fratura nos próximos 10 anos. Métodos: Participarão deste estudo 20 voluntários, com idade e 60 anos, de ambos os sexos, alocados em 2 grupos: Grupo com OA do joelho (GOA, n=10), no qual serão incluídos idosos com diagnóstico de OA tibiofemural graus II ou III (critérios de Kellgren & Lawrence) e Grupo sem OA do joelho (GC, n=10), composto por idosos sem OA dos joelhos. Todos os voluntários responderão aos questionários WOMAC, Falls Efficacy Scale (FES-I-Brasil), Baecke modificado para idosos e serão questionados quanto ao histórico de quedas dos últimos 12 meses. Os participantes realizarão avaliação da estabilometria (baropodômetro eletrônico -FootWork Pro®, AM CUBE, França) nas posturas: bipodal com olhos abertos, bipodal com olhos fechados, semitandem olhos abertos e semitanden olhos fechados. Também realizarão o exame de avaliação da DMO (DXA, Hologic Discovery A, Bendford, MA) e avaliação da probabilidade de fratura por fragilidade óssea nos próximos 10 anos (algoritimo fracture risk assessment tool (FRAX®). Para a comparação entre os grupos (GC x GOA) será aplicado teste-t para cada uma das variáveis dependentes (DMO, amplitudes de deslocamento ântero-posterior e médio-lateral do centro de pressão, medo de cair, histórico de quedas, probabilidade de ocorrência de fratura (%), escores de dor, rigidez e função física e nível de atividade física). Para todas as análises será adotado um nível de significância de 0,05 (pd 0,05). (AU)

Resumo

Os transtornos alimentares são quadros psiquiátricos e as complicações clínicas resultantes de seus sintomas típicos como restrição alimentar, exercícios físicos excessivos, e métodos compensatórios como indução de vômitos e abuso de laxantes e diuréticos são os maiores responsáveis por complicações clínicas e óbitos. As alterações e perdas intensas na densidade mineral óssea aumentam o risco de mulheres com Anorexia Nervosa e Bulimia Nervosa sofrerem fraturas, desenvolverem osteoporose e osteopenia - cujos principais fatores associados são o baixo peso, pouca atividade física, história e duração da doença, amenorreia, força muscular, insuficiência de vitamina D e a hipercalcemia. Os únicos estudos brasileiros que avaliaram a DMO no TA foram conduzidos com adolescentes ou com amostra restrita, sendo este tema de relevância clínica pouco explorado no país. Objetivo: Avaliar a saúde óssea quanto a: composição corporal, densidade mineral óssea, concentrações de vitamina D no soro, hormônios e marcadores do metabolismo ósseo de mulheres com Anorexia Nervosa e Bulimia Nervosa. Método: mulheres adultas entre 18 e 49 anos em tratamento atual ou anterior no Programa de Transtornos Alimentares do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (AMBULIM) serão convidadas a participar da pesquisa. Informações demográficas, socioeconômicas, de estado nutricional, estilo de vida, história clínica da doença, ingestão de cálcio, vitamina D e suplementos e atividade física serão coletados; e para a saúde óssea haverá coleta de sangue, antropometria e realização de exame de densitometria por absorciometria de feixe duplo (DXA). Os dados de saúde óssea serão avaliados com relação ao diagnóstico (atual ou pregresso de Anorexia e Bulimia), idade, estado nutricional, anos de doença, métodos compensatórios, medicações utilizadas, ciclo menstrual, paridade e atividade física. Será realizada análise estatística descritiva dos dados, apresentados em média e desvio padrão, mediana e intervalo interquartil ou frequências (%). Todas as variáveis contínuas terão sua distribuição avaliada por meio do teste de Shapiro-Wilk. Será utilizado o programa computacional SPSS 20.0 (SPSS Inc., Chicago IL, USA) e o nível de significância adotado será de 5% e o tamanho amostral é de 106 sujeitos. (AU)

Resumo

O estrógeno exerce atuação importante na remodelação óssea, mantendo o balanço entre formação e reabsorção, estimulando a expressão de OPG e inibindo a ativação de RANKL. Portanto, a deficiência de estrógeno como a detectada em mulheres durante o envelhecimento, favorece a incidência de osteoporose e o risco de fratura, uma vez que essa deficiência propicia o desequilíbrio entre reabsorção e formação óssea, onde o aumento da reabsorção óssea excede a de formação. Como prevenção, já é consenso na literatura que a atividade física promove melhora na qualidade e massa óssea em mulheres na peri e pós-menopausa. Porém, há necessidade de elucidar se o exercício de força pode influenciar no sistema RANK/RANKL/OPG no metabolismo ósseo de ratas senis e qual impacto no processo de reparo ósseo após fratura. Objetivo: Avaliar o sistema RANK/RANKL/OPG após osteotomia total tibial em ratas senis submetidas ao treinamento de força. Metodologia: Para o presente estudo, serão utilizadas 40 ratas Wistar com idade inicial de 17 meses. Após 15 dias de análise do ciclo estral, os animais (18 meses) serão distribuídos nos seguintes grupos experimentais: NT (não treinado) e TF (treinamento de força), constituídos por 20 animais cada. Após o período experimental, realizado durante 120 dias, será realizado osteotomia total unilateral na tíbia esquerda em todos os animais que serão eutanasiados em dois tempos experimentais, 1 semana e 8 semanas após a osteotomia, para avaliar a resposta ao estágio inicial e final da fratura, respectivamente. (AU)

Resumo

O hormônio do crescimento (GH) é um polipeptídio secretado pelas células somatotrópicas da glândula hipófise anterior. Sua secreção ocorre em pulsos e é estimulada pela grelina e pelo hormônio liberador do GH (GHRH), proveniente do núcleo arqueado, enquanto a somatostatina, proveniente do núcleo paraventricular, inibe sua secreção. Além disso, o estado nutricional, atividades físicas intensas, o estresse e o jejum também são potenciais reguladores de sua liberação. Perifericamente, além de induzir o crescimento tecidual por meio de seus receptores nos tecidos alvos, o GH ainda estimula a síntese proteica celular, aumenta a absorção gastrointestinal, estimula a síntese e liberação de insulina, dentre outras ações. Também existem evidências sobre a importância do GH sobre o apetite, sono, cognição, memória e humor. Recentemente, em nosso laboratório, foi mapeada a presença de células responsivas ao GH no sistema nervoso central de camundongos. Dentre essas regiões, um grande número de células responsivas ao GH foi identificado no Núcleo Ventromedial do Hipotálamo (VMH), região sabidamente importante por controlar o metabolismo, bem como o comportamento alimentar e as respostas contra regulatórias na hipoglicemia. No presente projeto, temos o intuito de estudar os efeitos metabólicos causados pela inativação do receptor do GH (GHR) no VMH, especificamente na condição de restrição alimentar, quando sabe-se que há maior liberação desse hormônio. Para tanto utilizaremos a tecnologia Cre-loxP para deleção condicional do GHR em células do VMH e posteriormente analisaremos os efeitos dessa deficiência sobre aspectos metabólicos e comportamentais. (AU)

Resumo

Objetivo: Investigar fatores associados à qualidade de vida em mulheres jovens saudáveis com Índice de Massa Corporal (IMC; Kg/m2) normal e sobrepeso a partir da troca de método contraceptivo de curta duração para métodos contraceptivos reversíveis de longa duração (LARC) no início e após 12 meses de uso do novo método contraceptivo de escolha. Desenho do estudo: Estudo de coorte prospectivo com mulheres em atendimento no Ambulatório de Planejamento Familiar do CAISM que solicitem troca do antigo método contraceptivo de curta duração para os reversíveis de longa duração acompanhadas por 12 meses. Critérios de inclusão: mulheres saudáveis, não obesas, de 19-40 anos, com mudança de método para contraceptivos reversíveis de longa duração [dispositivo intrauterino com cobre (DIU TCu 380A), sistema intrauterino liberador de levonorgestrel (SIU-LNG)] ou implante subdérmico liberador de etonogestrel. Variáveis a serem estudadas: sóciodemográficas (idade, escolaridade, classe social, estado marital e número de filhos vivos). Demais variáreis: atividade física, peso corporal, IMC, composição corporal por densitometria, comportamento alimentar por meio do questionário de três fatores alimentares (TFEQ-R21), e qualidade de vida por meio do questionário Medical Outcomes Study Short Form - 36 (SF-36). Será necessária a inclusão do total de 123 mulheres: 64 mulheres devem ser incluídas no grupo de usuárias de SIU-LNG, 26 no grupo de usuárias de DIU TCu 380A, e 33 no grupo de usuárias de implante subdérmico liberador de etonogestrel. Será realizada análise exploratória dos dados por meio das medidas descritiva. Para comparação dos dados categóricos será utilizado o teste Qui-quadrado com nível de significância de 5%, ou quando necessário, o teste exato de Fisher. Para comparação das variáveis avaliadas no início e aos 12 meses do estudo, será utilizado o teste ANOVA para fatores repetidos. As variáveis serão transformadas em postos (rank) caso haja ausência de distribuição normal dos dados. Para investigar associação entre as variáveis e componentes de qualidade de vida aos 12 meses, aplicar-se-á o teste de correlação de Spearman, e o teste não paramétrico de Mann Whitney para as variáveis dicotômicas. (AU)

Resumo

Introdução: As consequências negativas do ganho de peso e a maior probabilidade da obesidade pediátrica manter-se na vida adulta, destaca-se a importância em abordar jovens "em risco" para obesidade. Objetivo: avaliar o efeito da intervenção após 6 meses, investigar os comportamentos relacionados ao peso que podem ser mediadores dos efeitos da intervenção no peso e as questões metodológicas e teóricas da intervenção. Métodos: O "Hábitos Saudáveis, Meninas Saudáveis -Brasil" é um ensaio randomizado controlado com 6 meses de duração baseado na teoria social cognitiva, com vistas na prevenção da obesidade. O estudo foi realizado em 10 escolas públicas do município de São Paulo, Brasil. Os desfechos são o IMC, IMC Z score, nível de atividade física, ingestão alimentar, atividades de tela. As análises seguirão o principio de intenção-tratamento, e as diferenças na linha de base serão avaliadas pelo teste t-student e qui-quadrado. O modelo linear misto e o teste do produto do coeficiente serão utilizados para avaliar os efeitos da intervenção e dos mediadores da mudança do comportamento. A análise qualitativa dos dados para verificar as questões metodológicas e teóricas será realizada por meio da análise temática. Para todos os testes estatísticos serão estabelecidos o nível de significância de p<0.05. Os dados da intervenção foram coletados em 2015 e serão analisados em 2016. (AU)

Resumo

15/069 :00 as 17:00 - Minicursos19:00 - Abertura19:45 - ConferênciaProf. Dr. Rui Curi - Universidade Cruzeiro do SulAspectos genéticos e metabólicos na saúde e performance humana16/068:30 as 10:00 - Mesa Redonda "Práticas Corporais no Esporte e no Lazer"Susana Carla Alves Franco - Escola Superior de Desporto - Rio Maior - PortugalGiuliano Gomes de Assis Pimentel - Universidade Estadual de Maringá - UEM10:00 as 10:30 - Break10:30 as 12:00 - Tema-Livre I14:00 as 15:30 - Mesa Redonda "Atividade Física e Envelhecimento"Carlos Ugrinowitsch - Escola de Educação Física e Esporte - USPIsmael Forte de Freitas Júnior - Universidade Estadual Paulista - UNESP/PP14:00 as 15:30 - Mesa Redonda "A Educação Física na Base Nacional Comum Curricular"Marcos Garcia Neira - Escola de Educação - USPSuraya C. Darido - Universidade Estadual Paulista - UNESP/RC15:30 as 16:30 - Sessão de Pôsteres I16:30 as 16:45 - Break16:45 as 18:15 - Tema-Livre II17/068:30 as 10:00 - Mesa Redonda "Neurociências e Atividade Física"Arthur Kramer - Northeastern University - Estados UnidosEduardo Budnariuc Fontes - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - UFRN10:00 as 10:30 - Break10:30 as 12:00 - Tema-Livre III14:00 as 15:30 - Mesa Redonda "Influências Implícitas e Explícitas na Realização de Ações Motoras"Mathias Weigelt - University of Paderborn - AlemanhaJosé A. Barela - Universidade Estadual Paulista - UNESP/RC14:00 as 15:30 - Mesa Redonda "Gestão e Marketing do Esporte e do Lazer"Ary José Rocco Júnior - Escola de Educação Física e Esporte - USPHelder Isayama - Escola de Educação Física, Fisioterapia e Terapia Ocupacional - UFMG15:30 as 16:30 - Sessão de Pôsteres II16:30 as 16:45 - Break16:45 as 18:15 - Tema-Livre IV18/068:30 as 10:00 - Tema-Livre Especial10:00 as 10:30 - Break10:30 as 11:30 - Conferência EncerramentoProf. Dr. Geert Savelsbergh - Vrije UniversityAtlhetic Skills Model11:30 - Encerramento Premiação (AU)

Resumo

A visita do Prof. Dr. Philip Newsholme será importante para discutir, direcionar e fortalecer ações para a promoção de atividades acadêmico-científicas colaborativas entre as Instituições de pesquisa participantes, assim como irá contribuir significativamente para a aprendizagem e o estabelecimento de novas metodologias entre a Universidade de Curtin (Perth, Austrália) e as Instituições de pesquisa do Estado de São Paulo: Instituto de Ciências da Atividade Física e do Esporte, da Universidade Cruzeiro do Sul (ICAFE/UNICSUL, São Paulo, SP); Instituto de Ciências Biomédicas (ICB) e Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF) da Universidade de São Paulo (USP, São Paulo, SP); e Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia (IDPC, São Paulo, SP). O Prof. Dr. Philip Newsholme é Diretor e Professor da Faculdade de Ciências Biomédicas da Universidade de Curtin (Perth, Austrália), com ampla experiência nas áreas de Bioquímica, Imunologia e Endocrinologia, com ênfase em: a) Regulação da secreção de insulina, b) Ação da insulina, c) Estresse oxidativo e diabetes, d) Metabolismo de aminoácidos e e) Lipídeos e saúde. Os pesquisadores brasileiros da presente proposta vêm publicando artigos científicos em colaboração com o Dr. Philip desde 1986, o que irá facilitar a interação e discussão de novos projetos e direcionamentos. Além da discussão dos projetos de pesquisa em vigência, estratégias para captação de recurso, publicação de trabalhos, realização de eventos científicos e intercâmbios de estudantes e docentes serão discutidas. Os resultados obtidos em nossos grupos de pesquisa referentes ao efeito de diferentes metabólitos (aminoácidos e ácidos graxos) e do exercício físico na função de diferentes modelos celulares, animais e humanos serão discutidos. Nosso grupo vem estudando a função de vários tipos celulares, incluindo células musculares esqueléticas, leucócitos, adipócitos, hepatócitos, células cardíacas e células beta pancreáticas, em condições fisiológicas e patológicas. Resultados obtidos pelos grupos de pesquisa participantes serão apresentados e discutidos, com o objetivo de direcionar estratégias e melhorar o impacto dos resultados a serem realizados para a conclusão. A elaboração de novos projetos em colaboração também será foco da visita do Dr. Newsholme. Dentre suas atividades acadêmico-científicas durante sua visita, incluem-se: a) Apresentação e discussão de projetos de pesquisa em vigência de diferentes grupos de pesquisa; b) Participação na Disciplina de Seminários em Integração do Processo Saúde-doença; c) Proferimento da palestra de abertura do XXI Encontro de Iniciação Científica e do X Encontro de Iniciação à Docência da Universidade Cruzeiro do Sul; d) Discussão de estratégias para a promoção de intercâmbios de estudantes e docentes entre Instituições brasileiras e a Universidade de Curtin; e)Elaboração do artigo de revisão sobre "Cellular and molecular mechanisms involved in the regulation of metabolism and inflammation in obesity and diabetes". (AU)

Resumo

A Artrite Reumatoide (AR) é uma doença autoimune inflamatória sistêmica crônica, caracterizada pelo acometimento das articulações sinoviais e manifestações clínicas, a saber, dor crônica, fadiga e fraqueza muscular, além de importante risco de morbimortalidade cardiovascular. A somatória dos sintomas clínicos e maior prevalência de fatores de risco cardiovasculares parece levar à perda progressiva das capacidades físicas e funcionais, contribuindo para o desenvolvimento de um estilo de vida sedentário. Sabe-se que programas de exercício físico são efetivos em melhorar a capacidade aeróbia, força muscular, capacidade funcional, fatores de risco cardiovascular e composição corporal em pacientes com AR. Entretanto, um número crescente de estudos sugere que a participação regular em programas estruturados de atividade física e o cumprimento das recomendações de atividade física (i.e., 150 min/sem de atividade física moderada à vigorosa - MVPA) não sejam suficientes para contrapor os malefícios à saúde causados pelo sedentarismo, ou seja, tempo prolongado despendido na posição sentada ou deitada diariamente. Além disso, estudos epidemiológicos e experimentais têm demonstrado que a simples interrupção de longos períodos despendidos em comportamento sedentário, mesmo que com atividades físicas leves (i.e., caminhadas leves ou ficar em pé), está associada à melhora de fatores de risco cardiometabólicos e redução do risco de mortalidade por todas as causas. Diante do exposto, é plausível assumir que a promoção da interrupção do tempo sedentário com atividades leves impacte beneficamente fatores de risco cardiometabólicos em pacientes com AR. Contudo, ao nosso conhecimento, nenhum estudo na literatura se debruçou sobre essa questão. Dessa forma, o objetivo do presente estudo é investigar os efeitos da interrupção do tempo sedentário com atividade física leve em marcadores metabólicos (glicemia, insulina, peptídeo C, triglicérides, colesterol total e frações, e citocinas pós-prandiais), comportamento da pressão arterial e da frequência cardíaca batimento-a-batimento, e expressão de proteínas e genes do músculo esquelético classicamente associados à atividade física e ao metabolismo energético, comparado aos efeitos do comportamento sedentário contínuo e de uma sessão de exercício físico em intensidade moderada a vigorosa seguida de comportamento sedentário. Para tal, será conduzido um estudo crossover randomizado com 10 pacientes com AR, onde cada paciente realizará três condições experimentais de 8 h, separadas por pelo menos seis dias: SED - comportamento sedentário (8h na posição sentada); AFL - redução do tempo sedentário (3 min de atividade física leve a cada 30 min durante as 8 horas) e; EX - exercício físico (30 min de MVPA + 7,5h na posição sentada). Duas refeições padronizadas serão servidas nos momentos 0h e 4h. Coletas de sangue serão realizadas imediatamente antes (0) e 30, 60, 120, 180 e 240 minutos após cada refeição para análises sanguíneas pós-prandiais. A pressão arterial será aferida em repouso, imediatamente antes do início do experimento e subsequentemente de hora em hora. A frequência cardíaca batimento-a-batimento será aferida por meio de um frequencímetro ao longo de todo o experimento. Por fim, uma biópsia muscular será realizada imediatamente após o término do experimento para fins de análise de expressão proteica e gênica. (AU)

Resumo

Nos dias atuais, o transplante renal (TxR) é a melhor alternativa terapêutica para os pacientes no estágio final da doença renal. Para que o transplante renal seja realizado, são definidos critérios que incluem avaliações médica, cirúrgica e psicossocial do paciente, além da verificação da compatibilidade com o possível doador. Todas essas avaliações são realizadas com o intuito de minimizar possíveis complicações pós-TxR. Outra avaliação que deveria ter mais atenção no período pré e pós-TxR é a nutricional, que possui fundamental importância, visto que o estado nutricional do paciente pode interferir nos desfechos do transplante. Recentemente, uma nova ferramenta tem sido utilizada como possível preditora dos desfechos do TxR, a avaliação da fragilidade. Trata-se de uma medida de reserva fisiológica que tem se relacionado com a ocorrência de função tardia do enxerto, readmissão hospitalar precoce e mortalidade. A associação entre a condição nutricional prévia ao transplante renal e a fragilidade como possíveis preditores de desfechos clínicos infecciosos e não infecciosos após o transplante parecem ser inéditas na literatura. O objetivo do presente estudo será avaliar a fragilidade e o estado nutricional dos pacientes como preditores de desfechos clínicos infecciosos e não infecciosos após o transplante renal. Será desenvolvido na Serviço de Transplante Renal do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu - UNESP (HC-FMB). A casuística deverá ser composta de pacientes com idade superior a 18 anos, submetidos ao transplante renal entre março de 2017 e março de 2018. Será aplicado o escore de fragilidade, através de autorrelato de cansaço, perda de peso e de atividade física, além do teste de caminhada e da medida da força da preensão palmar. A avaliação do estado nutricional será feita através da composição corporal, pela bioimpedância segmentar, e dos dados antropométricos. Os dados serão coletados em dois momentos, imediatamente antes e três meses após o TxR. A coleta de informações demográficas, sobre antecedentes pessoais e sobre o transplante renal será realizada através do prontuário eletrônico. A fragilidade e avaliação da composição corporal serão relacionadas com os desfechos clínicos infecciosos e não infecciosos no período pós-TxR. (AU)

Resumo

A corrida é eficaz no aumento do nível de atividade física e promove diversos efeitos benéficos à saúde. Porém, a implementação da corrida como atividade física não está livre de efeitos colaterais. As lesões relacionadas à corrida constituem o efeito colateral que apresenta o maior risco para a população em geral. As consequências relacionadas às lesões da corrida aumentam a probabilidade dos corredores lesionados em desistirem de praticar corrida, e ainda pode desmotivar a prática de atividade física de maneira geral. Isso contrapõe os esforços em aumentar os níveis de atividade física da população, sendo esta uma prioridade da Organização Mundial de Saúde (OMS). Porém, intervenções eficazes na prevenção de lesões da corrida são escassas. Assim, o objetivo principal desse projeto de pesquisa será desenvolver e avaliar a implementação de um programa de prevenção de lesões relacionadas à corrida em corredores iniciantes e recreacionais. Para tal, um modelo misto de pesquisa (qualitativo e quantitativo) com implementação sequencial em três etapas será conduzido. A etapa 1 do projeto terá como objetivo desenvolver um programa de prevenção de lesões da corrida envolvendo a comunidade (corredores, treinadores, profissionais da saúde, integrantes de grupos de corrida, pesquisadores, etc.). A etapa 2 será um ensaio controlado aleatorizado com o objetivo de monitorar e avaliar o processo de implementação do programa de prevenção desenvolvido. A etapa 3 terá como objetivo identificar facilitadores e barreiras em relação ao desenvolvimento e implementação do programa de prevenção de lesões da corrida. Com os resultados obtidos por esse projeto de pesquisa, poderemos obter não apenas o primeiro programa de prevenção de lesões da corrida, em todo o mundo, testado e avaliado para efetiva implementação na "vida real", como também obter mais conhecimento sobre como desenvolver e avaliar programas de prevenção de lesões relacionadas à atividade física ou esporte. (AU)

Resumo

O acesso a espaços públicos abertos é importante para aumentar a prática de caminhada no tempo de lazer em países de renda alta, mas existem poucas evidências em países de renda média. Nós conduzimos uma análise transversal para verificar as relações da caminhada no lazer com a presença de diferentes tipos (ciclovias, parques e praças) e a combinação destes destinos recreacionais próximos das residências de adultos que participaram do Inquérito de Saúde de São Paulo (n=3.145). A caminhada no lazer foi avaliada por questionário. Nós delineamos buffers (500, 1.000 e 1.500 metros) a partir das residências dos adultos usando sistema de informação geográfica. Nós utilizamos regressão logística multinível com clusters/agregação dos setores censitários e das casas e ajustando por características sociais, demográficas e de saúde. Os principais resultados mostraram que a presença de pelo menos dois tipos de destinos recreacionais dentro de buffers de 500 metros em relação às residências foram associados com o aumento no odds ratio para caminhada no lazer comparado com buffers onde não havia nenhum destino (OR=1,65; 95% IC 1,09-2,55). Não foram encontradas associações para buffers mais distantes das residências. Estes resultados apoiam ações do novo plano Diretor para a cidade de São Paulo e poderiam ser utilizados para destacar a importância do acesso à combinação de espaços públicos abertos para a promoção da atividade física em megacidades de países de renda média. (AU)

Resumo

Os avanços tecnológicos para a restauração da marcha bem como para as atividades físicas e esportes dificilmente alcançam as pessoas com deficiências. Visando esses objetivos, dispositivos biomédicos e dados e dados devem ser disseminados. A aplicação de cargas nos membros superiores e inferiores será modelada para melhorar o desempenho e a segurança. Os resultados clínicos dos efeitos da atividade física sobre a desintometria óssea, bioimpedância, seringomielia, espasticidade, condição cardiovascular e disreflexia autonômica serão levantados e exibidos, por meio da coleta de dados e da computação em nuvem. Plataformas de software e aplicativos para a população de cadeirantes, por exemplo, amputados na Holanda e Iesados medulares no Brasil e vice-versa, contendo dados sobre a fisiologia e funcionalidade. que não estão disponíveis atualmente, serão gerados para a comunidade, empresas e hospitais púbicos e privados. (AU)

Resumo

A proposta está voltada para coleta e processamento de dados baseados em diagnóstico funcional para pessoas com deficiências (amputados e lesados medulares), p.ex. ombro, coluna,quadril, joelho, tornozelo, variações metabólicas e neurológicas determinadas pela atividade física, em atletas paralímpicos entre outros.Inovação se dará em equipamentos na área de saúde, esportes em cadeiras de rodas (rugby, p.ex.), colocando evidência na prática clínica, implementando aplicativos e disseminando o conhecimento por meio de computação em nuvem.O projeto viabilizará análise de movimento, preensão, equilíbrio (mão, pé, coluna) e avaliação de forças e momentos nas articulações, durante esportes paralímpicos, etc.. (AU)

Resumo

A atividade física é um importante fator de impacto na saúde geral e a falta dela está entre as causas de doenças crônicas como hipertensão arterial, diabetes tipo 2 e obesidade. No entanto, com o maior acesso da população a informações e influências sobre um estilo de vida mais saudável, a procura por hábitos como alimentação saudável e prática de esportes vem crescendo consideravelmente, buscando não apenas saúde, mas também estética. Para isso, muitos buscam os treinos hipertróficos, um tipo de exercício que busca o aumento volumétrico dos músculos por meio de treinos com grande carga de força. Em vista do grande esforço muscular realizado nesta prática, é necessário avaliar possíveis relações entre o treino hipertrófico e a musculatura do aparelho estomatognático. O objetivo deste estudo será avaliar a influência da atividade física hipertrófica na eficiência mastigatória, força máxima de mordida e atividade elétrica dos músculos masseter e temporal. Serão selecionados 20 indivíduos (10 homens e 10 mulheres) que praticam atividade física hipertrófica regularmente de acordo com os critérios de inclusão e exclusão pré-estabelecidos. Será feita então a coleta dos dados sociodemográficos e as análises iniciais de eficiência mastigatória, força máxima de mordida e análise eletromiográfica dos músculos masseter e temporal. Será realizado então um treino de hipertrofia padronizado pré-determinado pelo educador físico, e logo após o treino, todas as análises serão repetidas. Os dados obtidos serão submetidos ao teste de normalidade, e caso seja constatada diferença estatisticamente significante, será aplicado o teste adequado de probabilidade, e se possível, testes de correlação. (AU)

Resumo

Introdução: A prevalência da obesidade infantil e de doenças relacionadas a esta condição vem aumentando globalmente, tornando crucial compreender os fatores que causam o ganho excessivo de peso. A participação de alimentos ultraprocessados (AUP) na dieta, crescente em todo o mundo, tem sido considerada um determinante importante da qualidade nutricional da dieta e do risco de obesidade e doenças relacionadas. AUP são formulações criadas pela indústria, com pouco ou nenhum alimento integral e grandes quantidades de óleo, sal e açúcar, além de outras fontes de energia e nutrientes de muito baixo custo e presença de aditivos. Objetivos: Estudar os padrões de consumo AUP entre crianças e adolescentes norte-americanos e examinar sua associação com o perfil nutricional da dieta e indicadores de obesidade. Desenho e participantes: Esse estudo utilizará a infraestrutura e apoio de alto nível da equipe de pesquisadores do projeto temático em andamento do NUPENS. Será realizada uma análise transversal de dados sobre consumo alimentar (recordatórios de 24 horas) e antropométricos coletados pela pesquisa National Health and Nutrition Examination Survey (NHANES) de 2007 a 2012 de crianças de 6 meses a 18 anos. Análise estatística: Modelos de regressão linear e logística serão usados para avaliar a associação da participação de AUP no consumo alimentar com o teor de nutrientes na dieta e com indicadores antropométricos da condição de obesidade. Variáveis demográficas e socioeconômicas e atividade física serão potenciais variáveis de confundimento nesses modelos. (AU)

Resumo

O carcinoma pulmonar de células não pequenas (CPCNP) é a neoplasia responsável pelo maior número de mortes no mundo, sendo no Brasil considerada a segunda maior causa de morte por câncer. Os pacientes são diagnosticados em estágio avançado e mais de 45% apresentam quadro de caquexia, síndrome caracterizada por perda acentuada de massa muscular acompanhada ou não de perda de tecido adiposo. Essa síndrome leva o indivíduo a um quadro severo de perda de proteínas contráteis musculares que culminam com fadiga e aumento da mortalidade. Além disso, os pacientes com caquexia apresentam baixa resposta ao tratamento primário associada a um pior prognóstico e terapias que minimizem a perda de massa muscular nestes pacientes são de grande relevância clínica. Nesse sentido, estudos de coorte sugerem uma relação positiva significante entre variáveis relacionadas a aptidão física e prognóstico em diferentes doenças crônicas. Todavia, em relação ao CPCNP, pouco se sabe acerca da relação entre aptidão física e prognóstico dos pacientes. Assim sendo, o objetivo do presente estudo será entender a relação das variáveis associadas à aptidão física (função muscular e cardiorrespiratória, composição corporal e nível de atividade física diária) com o prognóstico e a mortalidade dos pacientes, bem como saber o efeito da quimioterapia sobre essas variáveis. Para isso, avaliaremos 60 pacientes diagnosticados com CPCNP avançado. Faremos avaliação do consumo máximo de oxigênio, nível de atividade física, função muscular, morfologia muscular, performance status e fadiga em um período prévio e posterior ao tratamento quimioterápico (ao término e 3 meses pós-tratamento), seguindo os pacientes para avaliação do prognóstico. Como perspectiva, pretendemos avaliar o valor preditivo relativo das diferentes variáveis relacionadas à aptidão física sobre o prognóstico dos pacientes com CPCNP. (AU)

Resumo

Na sociedade moderna, a prática regular de exercícios físicos é considerada não só por seu valor profiláctico, mas também como um tipo de intervenção com potencial para atenuar diferentes sintomas relacionados a várias doenças. Diante de tal plano de fundo, a prática de esportes tem ganho cada vez mais espaço, sendo uma das manifestações mais importantes de exercício físico entre crianças e adolescentes. Se por um lado, a prática regular de esportes entre jovens possa afetar positivamente a sua saúde e qualidade de vida, por outro lado, a prática esportiva (principalmente aquela objetivando alto rendimento) expõe cada vez mais crianças e adolescentes a um aumento no risco em lesões musculares. Objetivos: Analisar o impacto da prática esportiva sobre a ocorrência de sintomas musculoesqueléticos (dor, formigamento ou dormência) ao longo de 12 meses de seguimento entre adolescentes de ambos os sexos, bem como, identificar a relação de sintomas musculoesqueléticos com variáveis ligadas ao crescimento humano e inflamação entre adolescentes. Métodos: Este longitudinal com doze meses de seguimento envolvendo adolescentes com idade entre 12 e 16 anos de ambos os sexos. Amostra mínima para a realização do estudo foi estimada em 231 sujeitos. Os adolescentes serão agrupados segundo o envolvimento em diferentes modalidades esportivas (natação, futebol de campo, basquetebol, voleibol, karatê, judô e kung-fu) e grupos controle. Sintomas musculoesqueléticos serão avaliados por questionário previamente validado, ao passo que estimativas de composição corporal serão feitas por aparelho de densitometria óssea. A atividade física será mensurada por acelerômetro e inflamação por proteína C - reativa. Maturação biológica será estimada por medidas antropométricas. Resultados esperados: Espera-se identificar padrões de sintomas musculoesqueléticos segundo diferentes modalidades esportivas, bem como, identificar o papel de variáveis relacionadas ao crescimento humano e inflamação em tal processo. (AU)

Resumo

O sobrepeso e a obesidade representam um grave problema de saúde pública e estão associados a maior risco de um evento cardiovascular. O exercício físico consiste em uma das principais estratégias no tratamento da obesidade, com destaque aos exercícios aquáticos, como o Deep Water Running (DWR). Assim, considerando que a avaliação do controle autonômico cardíaco, por meio da análise da variabilidade da frequência cardíaca, é um importante parâmetro prognóstico de mortalidade cardiovascular, torna-se relevante estudar os efeitos do DWR sobre essas variáveis. Objetivo: avaliar os efeitos de um programa de DWR sobre o controle autonômico cardíaco e a capacidade funcional em mulheres com sobrepeso e obesidade. Material e métodos: Trata-se de um ensaio clínico aleatorizado controlado. Participarão do estudo 34 indivíduos do gênero feminino, adultos, com classificação de sobrepeso (IMC e 25 kg/m2 a 29,9 kg/m2) ou obesidade grau I (IMC e 30 kg/m2 a 34,9 kg/m2). Após a avaliação da linha de base, as voluntárias serão alocadas aleatoriamente em dois grupos: grupo experimental (GE) e grupo controle (GC). O GE será submetido à um programa de 36 sessões de DWR, realizadas três vezes por semana, durante 12 semanas. O GC será orientado a manter os hábitos alimentares e de atividade física identificados na linha de base. Antes e após o período de 12 semanas, todas as voluntárias serão submetidas ao registro da frequência cardíaca, batimento a batimento, nas posturas supina e ortostática, por meio de um cardiofrequencímetro e ao teste de caminhada de seis minutos. Adicionalmente, serão avaliados o recordatório alimentar de 24 horas, o questionário de frequência alimentar (QFA) e a composição corporal, por meio de bioimpedância elétrica tetrapolar. A escolha dos testes estatísticos dependerá do resultado da análise dos dados pelo teste de Shapiro-Wilk em relação às distribuições encontradas e a homogeneidade ou não das respectivas variâncias. O nível de significância será estabelecido em 5%. (AU)

Resumo

Introdução: A reabilitação pulmonar domiciliar (RPD) vem sendo utilizada em pacientes com doença pulmonar obstrutiva crônica, asma e fibrose pulmonar, com resultados semelhantes aos observados na RP ambulatorial (RPA) como a melhora da capacidade física, sintomas e qualidade de vida. No entanto, este modelo ainda não foi investigado em pacientes com bronquiectasia, uma doença grave, progressiva e de elevado impacto socioeconômico. Objetivo: Investigar os efeitos a curto e longo prazo da RPD na capacidade funcional, força muscular periférica e qualidade de vida em pacientes com bronquiectasia. Métodos: Ensaio clínico controlado e randomizado com pacientes com diagnóstico de bronquiectasia, em acompanhamento Ambulatório de Doenças Obstrutivas do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HCFMUSP). Quarenta e oito pacientes, segundo cálculo amostral, serão randomizados em dois grupos: grupo controle (acompanhamento e orientações) e grupo treinamento, que realizará exercício aeróbio e resistido para membros inferiores e superiores por oito semanas, três vezes por semana. Todos os pacientes receberão um contato telefônico por semana e os alocados no grupo treinamento, adicionalmente, receberão uma visita domiciliar a cada 15 dias. Antes, imediatamente após as oito semanas de treinamento e após seis meses do término da RPD serão avaliadas a tolerância ao exercício e a capacidade funcional por meio do shuttle walk teste Incremental, shuttle walk teste endurance e do teste do degrau incremental, a qualidade de vida será avaliada por meio do Saint Georges`s Respiratory Questionnaire (SGRQ), a dispneia pela escala Medical Research Council, atividade física na vida diária por meio de um acelerômetro e a força muscular periférica por meio da técnica de uma repetição máxima. Resultados esperados: A RPD terá efeitos positivos na tolerância ao exercício e qualidade de vida. Além disso, o presente estudo subsidiará futuros guidelines sobre a recomendação de RPD para pacientes com bronquiectasia. (AU)

Resumo

O fluoreto (F) é um elemento extremamente relevante em termos de Saúde Pública devido às suas propriedades de prevenir ou reverter lesões cariosas em indivíduos de todas as idades. Pode oferecer riscos ao organismo se aplicado ou consumido de maneira indiscriminada ou inadequada, sendo o principal efeito colateral a fluorose. Após sua absorção, o F é distribuído através da corrente sanguínea e armazenado nos tecidos calcificados e tecidos moles, sendo sua excreção essencialmente por via renal. Muitos mecanismos moleculares envolvendo o metabolismo do F ainda são desconhecidos. Na última década, vários estudos têm procurado desvendar a influência de fatores genéticos na susceptibilidade à fluorose, utilizando linhagens de camundongos que possuem respostas bem distintas aos efeitos do F. Assim, há evidências de que a resistência e a susceptibilidade à fluorose, bem como o metabolismo e retenção do F, parecem ser influenciados por fatores genéticos, assim como pela interação com o meio, como, por exemplo, a atividade física. A atual proposta é de analisar e comparar parâmetros relacionados à resistência à insulina, bem como a retenção e metabolismo do fluoreto em camundongos susceptíveis ou resistentes à fluorose, em resposta a mudanças na exposição F, com e sem o exercício físico. Para tanto, serão obtidos 90 animais das linhagens A/J (n=45) e 129P3/J (n=45), susceptíveis e resistentes à fluorose, respectivamente. Os animais de cada linhagem serão distribuídos em 3 grupos de tratamento (n=15 em cada grupo), a saber: a) sem exposição ao F e sem atividade física; b) água de beber contendo 50 ppm F (como NaF) por 56 dias e sem atividade física; c) água de beber contendo 50 ppm F (como NaF) por 56 dias e com atividade física (corridas diárias numa esteira 5 dias/semana por 60 minutos em intensidade alta). Posteriormente à realização do tratamento, os animais serão submetidos à eutanásia para coleta das amostras e realização das análises. Será feita análise de F nas amostras de plasma, fêmur e fígado, além da aferição da glicemia e insulinemia. Após checagem da normalidade e homogeneidade, os dados serão submetidos ao teste estatístico apropriado (p<0,05). (AU)

Resumo

O presente simpósio pretende discutir estratégias não farmacológicas de integração de dois grandes desfechos do envelhecimento: a fragilidade e a neurodegeneração. A partir de palestras e debates, pretende-se discutir as convergências entre esses dois desfechos, e em seguida destacar o papel da Nutrição e da Atividade Física nesse contexto. (AU)

Resumo

A atividade física realizada durante o lazer está associada à redução da mortalidade por causas gerais e por doenças cardíacas, além de reduzir a morbidade por distúrbios musculoesqueléticos. Por outro lado, altos níveis de atividade física no trabalho parecem aumentar o risco para estas condições. Embora o mecanismo envolvido nesta relação ainda permaneça desconhecido, a investigação das respostas fisiológicas associadas aos efeitos distintos da atividade física no trabalho e lazer, por meio da avaliação da variabilidade da frequência cardíaca, é promissora. O National Research Centre for the Working Environment (NRCWE, Copenhagen, Dinamarca) é uma instituição de liderança internacional neste tema. No NRCWE foram desenvolvidos métodos válidos e confiáveis para obtenção de medidas objetivas da atividade física e da variabilidade da frequência cardíaca durante o trabalho e lazer em estudos prospectivos. Assim, pretende-se desenvolver este projeto de pesquisa em parceria com pesquisadores do NRCWE com o objetivo de: 1. Verificar a associação entre a variabilidade da frequência cardíaca no trabalho e lazer e os sintomas musculoesqueléticos e 2. Verificar a diferença na variabilidade da frequência cardíaca entre atividades realizadas no período de trabalho e de lazer, em trabalhadores que desenvolvem atividades com alta demanda física. Os resultados contribuirão para o conhecimento de conexões entre atividade física no trabalho e lazer, modulação autonômica cardíaca e sintomas musculoesqueléticos. Além disso, o desenvolvimento deste Estágio no Exterior permitirá amplo desenvolvimento científico e acadêmico do candidato. Pretende-se aproveitar esta oportunidade para consolidar a parceria já existente com o NRCWE, o que irá propiciar a criação de uma rede de colaboração científica e intercâmbio de estudantes de pós-graduação. Pretende-se também publicar os resultados científicos decorrentes desta parceria em periódicos internacionais de alto impacto. (AU)

Resumo

Recentemente, tem se discutido intensamente o insucesso dos tratamentos prescritivos (geralmente baseados em dietas restritivas) para a obesidade. Novas propostas, mais interdisciplinares e holísticas, têm surgido. Desse modo, o presente estudo visa avaliar os múltiplos efeitos fisiológicos, atitudinais, nutricionais e comportamentais de uma intervenção interdisciplinar baseada na abordagem "Health at Every Size" em mulheres obesas, por meio de ensaio clínico randomizado e controlado de métodos mistos (quali e quantitativos). Serão recrutadas mulheres adultas, com índice de massa corporal (IMC) entre 30 e 39,9 kg/m2, que serão alocadas aleatoriamente em dois grupos, cujo seguimento será de sete meses. O grupo experimental/intervenção participará de sessões de atividade física, aconselhamento nutricional e oficinas filosóficas, alinhadas com os princípios do "Health at Every Size". O grupo controle participará de palestras bimestrais que versarão sobre o mesmo conteúdo do grupo experimental, com ênfase no incentivo a um estilo saudável de vida. No componente quantitativo, os seguintes desfechos serão comparados entre os grupos: escore de Framingham (desfecho primário) pressão arterial; concentrações sanguíneas de colesterol total, HDL, LDL, VLDL, glicose, insulina, PCR, VHS, cortisol, leptina, adiponectina; circunferências da cintura e do quadril; peso corporal; IMC; massa gorda; massa livre de gordura; capacidade aeróbia máxima; prática de atividade física; função muscular; mobilidade funcional; atitudes alimentares transtornadas; sintomas de compulsão alimentar; atitudes em relação ao sabor; desejos intensos por comida; atitudes corporais; insatisfação corporal e qualidade de vida. Pelo componente qualitativo, serão analisadas as vivências e experiências das mulheres ao longo da intervenção, por meio de grupos focais e entrevistas semiestruturadas, cujos dados serão submetidos à análise de conteúdo. A equipe de pesquisa interdisciplinar envolvida nessa proposta possui expertise variado e complementar, tornando o projeto exequível. A produção de conhecimento advinda desta proposta permitirá guiar novas intervenções interdisciplinares capazes de melhorar a saúde, em lato sensu, de indivíduos obesos. (AU)

Resumo

Com o avançar da idade há uma perda significativa da capacidade física, massa, força e potência muscular. Em consequência disso, o idoso perde suas capacidades funcionais diárias: caminhar, subir escadas e realizar atividades físicas. O treinamento de força convencional é preconizado na literatura para prevenir atrofia do músculo esquelético, mas a intensidade de treinamento pode ser um risco em indivíduos idosos com doenças crônicas.Com base nestes pensamentos, no Japão foi criada uma modalidade de treinamento utilizando a restrição do fluxo sanguíneo por meio de manguitos infláveis, denominada Kaatsu Training.O treinamento Kaatsu já é utilizado em diversas populações com diferentes finalidades: performance, reabilitação e terapêutica. Entretanto, há poucos estudos, com resultados inconsistentes, que avaliaram os efeitos do treinamento de força de baixa intensidade com moderada restrição do fluxo sanguíneo em idosos com maior comprometimento funcional, principalmente quanto à segurança e consequências vasculares.Sabemos que um dos mais importantes efeitos do exercício, especialmente quando pensamos em segurança e ganhos clínicos, diz respeito à rigidez arterial e fatores relacionados à mesma, principalmente em idosos e portadores de doenças crônicas.Com este intuito, nosso estudo busca avaliar o efeito agudo e crônico do treinamento de força com moderada restrição do fluxo sanguíneo na vasodilatação muscular e rigidez arterial de idosos com baixa velocidade marcha em relação ao treinamento convencional. Além disso, avaliaremos as respostas dos fatores protrombóticos da coagulação sanguínea e o comportamento da frequência cardíaca e pressão arterial dessa população. (AU)

Resumo

O exercício físico pode produzir efeitos hipoalgésicos, propriedade conhecida como hipoalgesia induzida por exercício físico. Este conceito tem sido usado como auxiliar para o tratamento dos pacientes com dores crônicas, inclusive nas dores orofaciais recorrentes. O objetivo principal desse estudo será avaliar a influência do nível de atividade física, mensurado por meio do Questionário Internacional de Atividade Física (IPAQ, sigla em inglês) modificado, sobre a percepção e modulação da dor orofacial. Noventa participantes saudáveis com idade entre 18 e 50 anos serão classificados de acordo com a intensidade e frequência de atividade física, baseado no IPAQ e serão divididos em muito ativos (15 homens e 15 mulheres) moderamente ativos (15 homens e 15 mulheres) e insuficientemente e/ou sedentários (15 homens e 15 mulheres). 30 pacientes com Disfunção Temporomandibular crônica farão parte do grupo experimental. As características somatossensoriais relacionadas à percepção da dor e modulação da dor serão avaliadas pelos testes limiar de dor mecânica (MPT, sigla em inglês), teste de somação temporal (WUR, sigla em inglês), limiar de dor à pressão (PPT, sigla em inglês) e teste de condicionamento da modulação da dor (CPM, sigla em inglês), respectivamente. As características psicossociais qualificadas pelos questionários Inventário de Ansiedade Traço-Estado (IDATE), Escala de Pensamentos Catastróficos, Índice de Qualidade de Sono de Pittsburg, Questionário genérico de avaliação de qualidade de vida SF-36 e Questionário "Estilo de Vida Fantástico" também será avaliadas. Os dados encontrados serão submetidos à análise estatística por meio da análise de variância (ANOVA) multifatorial e regressão linear múltipla. Um nível de significância de 5% será adotado. (AU)

Resumo

O presente projeto temático integra um programa de pesquisas epidemiológicas sobre condições de saúde e nutrição materno-infantil em Cruzeiro do Sul, Acre, Amazônia Ocidental Brasileira. Trata-se do primeiro estudo de coorte de nascimentos Materno-INfantil no Acre (MINA), em município de área endêmica para malária. A hipótese central de investigação é que exposições em esferas socioeconômicas, intergeracionais, nutricionais e de morbidades materno-infantis se relacionam ao perfil de saúde observado durante a infância. Especula-se que tais associações englobem um panorama de carga dupla de doença que pode afetar o desenvolvimento desde estágios iniciais da vida. O objetivo geral visa identificar determinantes precoces para promoção de crescimento e desenvolvimento adequados com prevenção de morbidades e deficiências nutricionais sem produzir ganho de peso excessivo e adiposidade na primeira infância. As linhas de investigação principais são: a) Anemia, estado nutricional e deficiência de micronutrientes; b) Malária e outras infecções; c) Estilo de vida materno (consumo alimentar, atividade física, tabagismo, consumo de álcool e drogas ilícitas); d) Ganho de peso, fatores genéticos e distúrbios metabólicos materno-infantis; e) Saúde mental materna e desenvolvimento infantil; e f) Microbiota intestinal e consumo alimentar infantil. O delineamento do estudo será do tipo coorte de nascimentos de base populacional. Serão coletados dados obstétricos, da assistência ao pré-natal e de morbidades, características socioeconômicas, consumo alimentar e indicadores bioquímicos maternos e de seus bebês durante todo seguimento. Os resultados desta pesquisa contribuirão para o avanço do conhecimento sobre mecanismos e impacto de fatores biológicos e psicossociais dos determinantes de saúde e nutrição materno-infantil, colaborando também para o planejamento de ações de intervenção visando à redução do risco associado a morbidades e distúrbios nutricionais e suas consequências na saúde materno-infantil. (AU)

Resumo

Introdução: A síndrome da fragilidade é atualmente descrita como um estado clínico de vulnerabilidade ao estresse e está relacionada a desfechos adversos como hospitalizações, quedas e morte. Essas alterações resultam em disfunções fisiológicas, desencadeando representações clínicas como a perda de massa e força muscular, perda de peso, redução na velocidade da marcha e baixa tolerância ao exercício, com consequente adoção de um padrão de sedentarismo. Nesse sentido, alguns estudos apontam o exercício físico como peça fundamental no tratamento desta síndrome. Sendo assim, o treinamento multicomponente tem ganhado destaque nesta população, uma vez que pode melhorar a capacidade funcional e os componentes físicos, presentando resultados mais significativos nos idosos pré-frágeis. Nesse contexto, torna-se importante avaliar se há alterações no nível de atividade física e padrão de sedentarismo, bem como a resposta ao exercício físico de idosos pré-frágeis após um protocolo de treinamento multicomponente. Objetivo: avaliar os efeitos de um protocolo de treinamento multicomponente no desempenho do teste de caminhada de seis minutos (TC6) e no comportamento sedentário e nível de atividade física de idosos em risco de fragilização. Métodos: Serão avaliados 24 idosos pré-frágeis, e distribuídos de maneira randomizada em dois grupos, Grupo Intervenção (GI): que realizará o protocolo de treinamento multicomponente durante 16 semanas, e Grupo Controle (GC): que não participará das atividades de intervenção. As avaliações serão realizadas em 2 momentos: pré-intervenção e pós-intervenção. Os voluntários realizarão anamnese, eletrocardiograma de repouso, TC6 e utilizarão um acelerômetro triaxial durante sete dias. Serão registrados os valores de distância percorrida e o número de paradas no TC6, bem como as variáveis relativas a nível de atividade física e padrão de sedentarismo: gasto calórico semanal, número de passos e transferências e tempo em repouso e de caminhada. O teste de Shapiro-Wilk será utilizado para verificar a normalidade dos dados. Para as comparações intragrupo e inter grupo, antes e após a intervenção, será utilizado o teste ANOVA duas vias de medidas repetidas. O teste do qui-quadrado será utilizado para variáveis categóricas. (AU)

Resumo

Introdução: Participação em esportes é uma das manifestações mais comuns de atividade física entre adolescentes. Na verdade, a prática de esportes é capaz de promover benefícios cardiovasculares, metabólicos e ósseos durante infância e adolescência. No que diz respeito ao tecido ósseo, o efeito osteogênico atribuído à participação esportiva baseia-se na exposição da matriz óssea à cargas mecânicas, o que cria uma situação complicada, principalmente porque a carga mecânica excessiva pode causar lesões ósseas. Finalmente, campanhas de saúde pública são desenvolvidas para promover participação em esportes entre os crianças e adolescentes visando a promoção da saúde, e o impacto econômico de lesões relacionadas com a participação esportiva deve ser considerado também. Objetivo: Identificar o impacto da participação em esportes na ocorrência de fraturas ósseas entre adolescentes, levando em conta o papel da maturação biológica e inflamação sobre este fenômeno, bem como estimar os custos diretos relacionados a fratura óssea nestes adolescentes. Métodos: Estudo de coorte de 12 meses. A amostra será composta por, pelo menos, 233 adolescentes com idade variando entre 12 e 17 anos. A ocorrência de fratura óssea e os custos relacionados a cuidados de saúde serão avaliados mensalmente, durante 12 meses, enquanto a prática de esportes será estratificada como "nenhum impacto", "baixo impacto" e "alto impacto". Composição corporal (densidade mineral óssea, gordura corporal e massa muscular) será estimada através de scanner de densitometria óssea e inflamação através de exame de sangue (12 horas de jejum). Maturação biológica será estimada usando dados antropométricos. Como possíveis fatores de confusão consideraremos idade, sexo, treinamento resistido (musculação), variáveis de composição corporal e maturação biológica. Resultados esperados: Este projeto de pesquisa tem como objetivo destacar o impacto da maturação biológica e inflamação nas fraturas ósseas relacionadas à participação esportiva em adolescentes, bem como identificar o impacto dos custos relacionados a cuidados de saúde relacionados a essas fraturas nessa população. (AU)

Resumo

Há um interesse crescente em conhecer as diferenças entre os sexos em pacientes com doenças respiratórias crônicas. Já foi descrito que as mulheres apresentam maior prevalência em casos de hipertensão pulmonar, cor pulmonale, infecções pulmonares e câncer de pulmão em não fumantes. É interessante notar que as doenças que afetam as vias aéreas também são mais prevalentes entre as mulheres, como a asma na fase adulta, fibrose cística, doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) e bronquiectasia. Entretanto ainda não é conhecido se a bronquiectasia apresenta características clínicas e funcionais diferentes entre homens e mulheres. Objetivo: Avaliar as diferenças clínicas e funcionais entre homens e mulheres com bronquiectasia. Métodos: Estudo transversal realizado com pacientes com bronquiectasia adultos e estáveis clinicamente. Serão excluídos os pacientes tabagistas, com outras doenças pulmonares associadas, doenças cardiovasculares graves e incapazes de realizar os testes por limitação músculo-esquelética. Desfechos avaliados: espirometria, capacidade funcional (Shutle walk teste incremental), qualidade de vida (Saint George's Respiratory Questionnaire), dispneia (escala do Medical Research Council- MRC) e a atividade física na vida diária mensurada por meio de um pedômetro. Resultados esperados: É possível que sejam encontradas diferenças clínicas e funcionais entre homens e mulheres com bronquiectasia. Se confirmado esses achados, será possível elaborar estratégias de tratamento e reabilitação mais específicas de acordo com o sexo. (AU)

Resumo

Este projeto é fruto da junção da linha de pesquisa desenvolvida pelo aluno durante seu doutorado (FAPESP 2013/05519-4) - cujo foco foi o estudo dos efeitos do exercício físico sobre a função autonômica cardiovascular na hipertensão arterial - com a expertise do Laboratório de Avaliação e Condicionamento em Reumatologia da Disciplina de Reumatologia, no departamento de Clínica Médica do HC-FMUSP. Visto que estudos recentes têm sugerido que a disfunção autonômica cardiovascular apresenta-se como uma importante complicação da Artrite Reumatoide (AR), e dado que um maior tempo em atividades sedentárias pode ser um fator predisponente à esta disfunção; neste projeto o aluno irá investigar: (1) a disfunção autonômica cardiovascular na AR; (2) a possível relação entre esta disfunção autonômica e inflamação e; (3) os efeitos da redução do tempo sedentário sobre esta disfunção. Para isto, 30 mulheres com AR realizarão: (1) avaliação clínica; (2) avaliação do nível de atividade física e aptidão aeróbia; (3) dosagem de citocinas pró-inflamatórias e; (4) avaliação autonômica cardiovascular. Adicionalmente, 15 mulheres saudáveis comporão um grupo controle saudável, que irá realizar apenas a avaliação autonômica cardiovascular. Após as medidas pré-intervenção, as mulheres com AR serão aleatoriamente divididas em 2 grupos: 1) redução do tempo sedentário (RTS, n = 15) e; 2) grupo controle (GC, n = 15). O período de intervenção será de 4 meses. Durante este período, as participantes do grupo RTS serão instruídas a seguir metas com o objetivo de promover a redução do tempo sedentário. Estas metas se enquadrarão em 5 categorias: lazer, trabalho, transporte, atividades sociais e refeições, sendo que cada uma das metas possuirá um upgrade que será adicionado após 2 meses de intervenção. Ao final da intervenção, as participantes de ambos os grupos realizarão as mesmas avaliações pré-intervenção. O teste T de Student será utilizado para comparação da função autonômica cardiovascular entre as mulheres saudáveis e as com AR. A análise de modelos mistos para medidas repetidas será realizada para investigar os efeitos da intervenção sobre a função autonômica cardiovascular dos grupos RTS e GC. Quando pertinente, o post hoc de Tukey será utilizado para as comparações múltiplas. (AU)

Resumo

O alto índice de doenças crônicas não transmissíveis têm se associado positivamente com elevados gastos relacionados à saúde, influenciando diretamente na diminuição da qualidade de vida e bem-estar de adultos. Entretanto, estudos brasileiros que avaliem custo-utilidade através de medidas de qualidade de vida e recursos gastos com saúde ainda são escassos na literatura. Dessa forma o objetivo principal do projeto será avaliar custo-utilidade do tratamento de pacientes atendidos em Unidades Básicas de Saúde de Presidente Prudente - SP. A amostra será composta por pelo menos 240 pacientes de UBS da cidade, de ambos os sexos, com idade igual ou superior a 50 anos. Após critérios de inclusão e assinatura dos termos de consentimentos os pacientes serão avaliados quanto: i) qualidade de vida; ii) custos com saúde e iii) atividade física e uso de medicamentos. Quanto à análise estatística, serão usados valores de média, desvio padrão e intervalo de confiança de 95% para estatística descritiva, ANOVA oneway para comparação de variáveis dependentes, teste de ANCOVA (teste post-hoc de Bonferroni) caso haja significância após fatores de confusão e análises de custo-utilidade serão expressos em termos de custo por dia saudável livre de doença ou custo por ano de vida ajustado pela qualidade (QALY). A significância estatística (p-valor) será pré-fixada em valores inferiores a 5%. O software utilizado será o BioEstat (versão 5.0). (AU)

1.053 resultado(s)
|
Exportar 0 registro(s) selecionado(s)
Marcar todos desta pagina | Limpar seleção