site da FAPESP
 

Refine sua pesquisa

Pesquisa
  • Uma ou mais palavras adicionais
Publicações científicas
Auxílios à Pesquisa
Bolsas
Programas de Pesquisa direcionados à Aplicação
Programas de Infraestrutura de Pesquisa
Área do conhecimento
Situação
Ano de início
833 resultado(s)
|

Desenvolvimento de indicadores populacionais de ambiente construído para a promoção da atividade física no Município de São Paulo

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Alex Antonio Florindo
Anfitrião: Billie Giles Corti
Local de pesquisa: University of Melbourne (Austrália)
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Educação Física
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Pesquisa
Processo:14/12682-1
Vigência: 01 de julho de 2015 - 30 de junho de 2016
Assunto(s):AustráliaPopulaçãoSão paulo
Resumo
Diversas evidências científicas de países de alta renda têm mostrado que indicadores populacionais de ambiente construído podem influenciar a prática de atividade física no lazer ou como forma de deslocamento das pessoas nas cidades, sendo que a Austrália é uma das grandes referências. No entanto, ainda existem poucos estudos sobre esta temática no Brasil. A cidade de São Paulo é uma das maiores metrópoles do mundo, teve um crescimento desordenado ao longo do seu desenvolvimento e não foi planejada adequadamente. Indicadores epidemiológicos têm mostrado que é baixa a prevalência de prática de atividade física no tempo de lazer ou como forma deslocamento dos adultos paulistanos. Mas nos últimos anos a cidade de São Paulo vem passando por mudanças, como a ampliação da extensão de ciclovias, aumento do número de clubes públicos, maior valorização para preservação de áreas verdes e campanhas e programas para maior respeito aos ciclistas e pedestres. Neste sentido, os objetivos deste plano de pesquisas no exterior serão: 1. Estudar métodos de avaliação e formas de análise de indicadores de ambiente construído para promoção da atividade física desenvolvidos na Austrália; 2. Estudar indicadores populacionais de ambiente construído e seus limiares para promoção da caminhada e do uso da bicicleta como forma de deslocamento e para a prática de atividade física no tempo de lazer com bancos de dados populacionais da Austrália; 3. Desenvolver indicadores populacionais de ambiente construído para a promoção caminhada e do uso da bicicleta como forma de deslocamento e para a prática de atividade física no tempo de lazer para a população adulta do município de São Paulo. Este plano será desenvolvido no Centre for Research Excellence in Healthy and Liveable Communities, na Universidade de Melbourne, Austrália, sob a supervisão da Professora Billie Giles-Corti. Pretende-se produzir pelo menos quatro artigos científicos e iniciar uma discussão baseada em evidências para a promoção da atividade física no município de São Paulo tendo como base indicadores populacionais de ambiente construído. (AU)

papel dos microRNAs na função mitocondrial do músculo esquelético durante o estado de resistência à insulina

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Alice Cristina Rodrigues
Supervisor no exterior: Joris Hoeks
Local de pesquisa: Maastricht University (UM) (Holanda)
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Farmacologia Geral
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Mestrado
Processo:14/25992-9
Vigência: 27 de maio de 2015 - 26 de novembro de 2015
Assunto(s):FarmacogenéticaMicrornasResistência à insulinaEndocrinologia
Resumo
Diminuição da capacidade oxidativa mitocondrial no tecido muscular esquelético tem sido frequentemente relatada em indivíduos com diabetes mellitus tipo 2 (DM2) e resistência à insulina. Dessa forma, intervenções para melhora da capacidade oxidativa muscular, tais como atividade física e restrição calórica, estão entre as estratégias mais potentes para reverter o estado de resistência à insulina. No entanto, um aumento sustentado da atividade física ou a adoção de hábitos de restrição calórica geralmente não são facilmente alcançados em uma população de obesos, fazendo-se necessário a utilização de estratégias adicionais para melhorar a capacidade oxidativa mitocondrial. Neste contexto, o Dr. Hoeks publicou recentemente o envolvimento de microRNAs específicos - reguladores pós-transcricionais da expressão gênica - na regulação da capacidade mitocondrial em tecido cardíaco. No entanto, se e como os microRNAs também afetam o metabolismo mitocondrial no músculo esquelético ainda não foram estudados até o momento. O grupo do Dr. Hoeks já rastreou >700 microRNAs em mioblastos bem como em miotubos C2C12 que seriam possíveis candidatos envolvidos na regulação da capacidade mitocondrial do músculo esquelético. Durante o estágio, vamos estudar ~ 2 dos microRNAs previamente rastreados em detalhe afim de estabelecer o seu mecanismo de ação e seus efeitos funcionais através de experimentos que mensuram a capacidade mitocondrial e, posteriormente, a sensibilidade à insulina. Inicialmente, os estudos serão realizados em células musculares C2C12 e em miotubos primários humanos prontamente disponíveis no laboratório, provenientes de ambos os pacientes com DM2 e controles pareados pela idade (BMI). Este projeto irá revelar novos microRNAs que estão envolvidas na regulação da capacidade oxidativa mitocondrial do músculo esquelético e que podem vir a ser novos alvos de drogas na melhora da saúde metabólica. (AU)

Padrões de comportamentos de risco e proteção relacionados a doenças crônicas não transmissíveis entre adolescentes brasileiros

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Renata Bertazzi Levy
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Saúde Coletiva - Epidemiologia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Processo:14/26711-3
Vigência: 01 de maio de 2015 - 30 de abril de 2017
Convênio/Acordo de cooperação com a FAPESP: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Assunto(s):Adolescentes
Resumo
Introdução: Os adolescentes são prioridade na promoção de saúde quando se trata de doenças crônicas não transmissíveis (DCNT). O período de transição entre a infância e a fase adulta é marcado por intensas mudanças biológicas, cognitivas, emocionais e sociais, além de se caracterizar pela adoção de novas práticas e comportamentos, inclusive aqueles relacionados ao desenvolvimento de DCNT, principal causa de morbimortalidade em todo o mundo. Objetivo: Identificar padrões de comportamentos de risco e proteção relacionados a DCNT entre adolescentes brasileiros e verificar a associação dos padrões encontrados com características sociodemográficas. Método: A fonte de dados utilizada será a Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar 2012, que investigou fatores relacionados à saúde de adolescentes por meio de questionário autoaplicável em amostra de alunos matriculados no 9º ano do ensino fundamental de escolas públicas e privadas das 26 capitais brasileiras, Distrito Federal e municípios selecionados, representativa das capitais, das cinco grandes regiões e do país. Serão utilizadas informações sobre alimentação, atividade física, tabagismo, consumo de álcool e características sociodemográficas. A análise de componentes principais será usada para identificar padrões de comportamento a partir de uma lista de fatores de risco e proteção para DCNT. Um modelo de regressão linear será empregado para verificar a associação dos padrões encontrados com características sociodemográficas (AU)

Inatividade física e câncer: da avaliação da evidência etiológica ao impacto na saúde pública

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:José Eluf Neto
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Saúde Coletiva - Epidemiologia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Processo:14/25614-4
Vigência: 01 de maio de 2015 - 30 de abril de 2018
Assunto(s):NeoplasiasSedentarismoAtividade físicaSaúde pública
Resumo
Objetivo: Investigar as evidências atuais sobre a associação entre a inatividade física e a incidência e mortalidade por câncer (Estudo 1), bem como o impacto dessa relação na saúde pública do Brasil (Estudos 2 e 3). Métodos: Estudo 1: Será realizada uma revisão (overview) de revisões sistemáticas por meio de uma busca em 5 bases de dados com descritores relacionados à exposição ("physical inactivity") e ao desfecho (cancer). Das revisões sistemáticas elegíveis, será realizada uma avaliação da qualidade das revisões, além da extração de dados dos estudos primários incluídos. Será avaliada a existência de viés de publicação utilizando o gráfico de funil e o teste de Egger. Estudo 2: Será estimada a fração atribuível populacional dos cânceres associados à inatividade física (seleção dos tipos de câncer será baseada nos achados do estudo 1) no Brasil. Para tanto será utilizada a equação: FAP= P(RR-1)/RR em que P é a prevalência de inatividade física entre os casos de câncer no Brasil, e RR são os riscos relativos extraídos de revisões sistemáticas da literatura. Estudo 3: Será avaliada a associação entre a inatividade física e a mortalidade por câncer por meio de um estudo ecológico. Os dados de inatividade física serão extraídos do VIGITEL 2006, considerando os domínios do trabalho, doméstico, transporte e lazer em indivíduos com idade maior ou igual a 30 anos. Assumindo um período de 10 anos entre exposição e desfecho, serão calculadas taxas de mortalidade por câncer referentes a 2016, extraindo informações do Sistema de Informação sobre Mortalidade. (AU)

Papel da atividade física na prevenção da hiperplasia prostática e da disfunção vesical em ratos com síndrome metabólica

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Alberto Azoubel Antunes
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado Direto
Processo:15/02335-5
Vigência: 01 de maio de 2015 - 30 de abril de 2019
Assunto(s):Atividade físicaBexigaPróstataDiabetes mellitusObesidadeUrologia
Resumo
Introdução: A síndrome metabólica (SM) tem sido associada a um aumento do risco de desenvolvimento de sintomas do trato urinário inferior (STUI) e hiperplasia prostática benigna (HPB) em vários estudos observacionais. O foco na prevenção da SM através de medidas comportamentais, como atividade física, pode potencialmente ter um efeito positivo nos sintomas e na progressão da HPB e da disfunção vesical, entretanto a relação entre esses fatores ainda precisa ser esclarecida. Objetivos: Avaliar experimentalmente o papel da atividade física na prevenção da HPB e da disfunção vesical em ratos com SM; estudar a relação entre a indução de SM e as alterações nos marcadores hormonais, de inflamação e de isquemia no sangue e no tecido prostático; estudar a relação entre a indução de SM e as alterações funcionais na bexiga; estudar a associação entre SM e alterações moleculares na bexiga. Materias e métodos: Estudo experimental randomizado e controlado. Serão utilizados 28 ratos machos do tipo Wistar (200-220 gramas), com 8 semanas de idade. Os animais serão randomizados em 2 grupos de 14 animais e alocados em gaiolas com três a cinco animais cada. No grupo 1 utilizaremos um modelo de atividade física, e no grupo 2 (controle) os animais serão submetidos a uma rotina sedentária. No Grupo 1 as cobaias serão submetidas a um programa de atividade física diária segundo protocolo descrito a seguir. Os animais deste grupo serão divididos em dois subgrupos de 7 animais cada: no subgrupo 1A, as cobaias receberão dieta hiperlipídica durante doze semanas, com o intuito de induzir a SM, enquanto que os animais do subgrupo 1B animais serão submetidos a uma dieta padrão. No grupo 2, os animais serão submetidos a uma rotina sedentária durante as mesmas doze semanas. Em analogia ao grupo 1, as cobaias serão divididas nos grupos 2A (dieta para SM), 2B (dieta padrão). As cobaias selecionadas para a rotina de atividade física serão submetidas a sessões de treinamento aquático durante o ciclo escuro, 60 minutos por dia, 5 dias por semana, por um período de 10 semanas. Os animais selecionados para a rotina sedentária permanecerão em gaiolas standard durante todo o período do estudo. No dia 90 do experimento, amostras sanguíneas serão coletadas, com análise por espectrofotometria da glicemia, níveis séricos de insulina, colesterol, triglicerídeos, proteína C reativa, testosterona total e livre, estrogênio, dihidrotestosterona, LH, FSH, IGF-1, além da proteína ligadora do IGF-1 (IGBP-3). A pressão arterial sistólica também será medida nestes períodos através do método tail-cuff.. A avaliação do condicionamento físico dos animais será realizada logo após o fim do protocolo de treinamento, através do cálculo da absorção de oxigênio (VO2 máximo) por análise do oxigênio e gás carbônico expirado. No dia 90 do experimento os ratos serão anestesiados com 1,2 g/kg de uretana por via intraperitoneal e submetidos a cistometria. Após o estudo cistométrico, os animais serão submetidos a coleta de sangue e sacrificados por decaptação. Os lobos prostáticos serão separados e preparados para análise histológica e imunohistoquímica de proliferação celular (ki-67, PCNA), apoptose (TUNEL) e inflamação tecidual (TUR2, TUR4, COX, CD4 E CD8), além de análise biomolecular da via proliferativa induzida pelo IGF-1 (expressão gênica e proteica do IGF-1, do receptor de IGF-1, do receptor de insulina, MAPK e AKT), e da isquemia tecidual (VEGF1 e 2, receptores do VEGF 1 e 2, PDGF, receptor do PDGF e MTOR). As bexigas serão submetidas a estudo de expressão proteica por western blotting dos receptores de insulina, TRIB3, AKT, Nos, NO, GMPc, IGF-1 e PKC. (AU)

Comparação do efeito da laserterapia de baixa potência e do diclofenaco sobre os aspectos morfológicos em modelo experimental de lesão muscular por trauma em ratos diabéticos

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação. Universidade do Sagrado Coração (USC). Bauru, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Rodrigo Leal de Paiva Carvalho
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:13/22252-1
Vigência: 01 de maio de 2015 - 31 de dezembro de 2015
Assunto(s):HistologiaDiabetes mellitusLesão muscular
Resumo
Exercícios físicos aeróbios e de resistência tem sido prescritos para a prevenção e tratamento de pacientes com Diabetes Mellitus (DM), devido à melhora no controle da glicose e redução de outros fatores de risco. Lesões musculares traumáticas estão diretamente relacionadas à prática de atividade física, podendo provocar perda funcional e alterações morfológicas em graus variáveis. Diferentes tipos de terapias, farmacológicas e não farmacológicas, têm sido utilizadas no tratamento e recuperação de lesões do musculoesquelético, como drogas anti-inflamatórias e a terapia laser de baixa potência. No entanto pouco se sabe a respeito do processo de recuperação morfológica após uma lesão no quadro de diabetes. O objetivo desse estudo é avaliar a recuperação dos aspectos morfológicos após lesão muscular por contusão/trauma em ratos diabéticos, comparados a ratos não diabéticos tratados com a Laser Terapia de Baixa Potência, com diclofenaco e com ambos os tratamentos. Os animais receberão um único trauma no membro posterior direito, através de uma mini guilhotina que compreende um bloco de peso de 200g e que será deixado cair de uma altura de 20 cm. A irradiação com Laser será realizada em apenas um ponto na região do trauma, após a indução da lesão muscular, na dose de energia de 3 J, por 30s. Diclofenaco será aplicado uma hora após o protocolo da lesão, na dose de 11.6 mg g -1 (miligrama grama) topicamente, no local. Serão realizadas análises histológicas do tecido muscular nos tempos de 12, 24 e 48h. (AU)

Estudo da efetividade de intervenção multidisciplinar em adolescentes com excesso de peso no Centro de Recuperação e Educação Nutricional - CREN: projeto eu aprendi, eu ensinei

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Centro de Recuperação e Educação Alimentar (CREN). Núcleo Interdepartamental de Segurança Alimentar e Nutricional (NISAN). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Ana Lydia Sawaya
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Nutrição - Análise Nutricional de População
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:14/22351-2
Vigência: 01 de maio de 2015 - 30 de abril de 2017
Assunto(s):AdolescentesObesidadeAvaliação de eficácia-efetividade de intervenções
Resumo
O excesso de peso na adolescência é uma das maiores preocupações no mundo atualmente. Crescem as evidências que uma intervenção adequada requer não só uma abordagem que leve à modificação do hábito alimentar, mas auxilie na qualidade de vida. Faltam estudos que tenham monitorado por mais de seis meses adolescentes com excesso de peso em tratamento multidisciplinar. A hipótese em que se baseia o presente estudo é que tratamento multidisciplinar possa levar à normalização do peso em adolescentes com excesso de peso. O objetivo é estudar a efetividade de uma intervenção multidisciplinar para tratamento de adolescentes com excesso de peso no Centro de Recuperação e Educação Nutricional com duração de dezoito meses. Será desenvolvido um protocolo de intervenção que acompanhará dois grupos de adolescentes (>1 e d 3 escore Z de IMC-para-idade): experimental (n=100) e controle (n=100). A intervenção do grupo experimental será composta de: participação em oficinas (18 meses); acompanhamento individual clínico (inicio, após 6 e 18 meses), nutricional (12 meses), terapêutico (12 meses), e de atividade física (6 meses). O conteúdo das oficinas incluirá educação nutricional, atividade física e terapêutica e de integração, tendo como objetivo estimular o protagonismo juvenil tornando-os propagadores do estilo de vida saudável ensinado. Os acompanhamentos individuais nutricionais e de atividade física serão orientados pelos estágios de prontidão para mudança do comportamento de acordo com o Modelo Transteórico. O grupo controle receberá uma consulta nutricional (mensal) e clínica (bimensal) com o pediatra. (AU)

Avaliação do nível de atividade física de pacientes internados na unidade de terapia intensiva

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Carolina Fu
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:14/20702-2
Vigência: 01 de abril de 2015 - 31 de março de 2016
Assunto(s):Atividade físicaFisioterapia
Resumo
Em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI), são encontradas muitas situações queacometem um paciente internado e, aos olhares de um profissional bem treinado, é observadoque o paciente está susceptível a uma ampla gama de complicações em detrimento de seuestado clínico , além do tempo de internação, que é um fator de grande importância para osurgimento das complicações. O período prolongado de imobilidade ao qual o paciente ésubmetido e o seu quadro clínico original levam a repercussões negativas e, acredita-se que oganho de mobilidade precoce ou a manutenção das atividades é um fator de importância,tendo grande impacto com relação ao tempo de internação e o prognóstico do paciente. Oobjetivo deste estudo é o de avaliar e mensurar, de forma subjetiva e objetiva o nível deatividade física dos pacientes internados na UTI. Como objetivos secundários, o estudo iráavaliar a precisão dos instrumentos utilizados para o objetivo primário do estudo, assim comoa sua viabilidade para a realização do estudo. (AU)

Reprodutibilidade e validação do Questionário Internacional de Atividade Física (versão longa) e do questionário de atividade física habitual de Baecke em pacientes com dor lombar crônica não-específica

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Presidente Prudente. Presidente Prudente, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Rafael Zambelli de Almeida Pinto
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:15/03919-0
Vigência: 01 de abril de 2015 - 31 de março de 2016
Assunto(s):Dor lombar
Resumo
A dor lombar crônica não-específica é uma condição musculoesquelética responsável por elevados gastos no campo da saúde. A avaliação do nível de atividade física desses pacientes é comumente realizada por meio de questionários (medidas subjetivas) de atividade física. Embora essas ferramentas de avaliação sejam confiáveis e válidas quando aplicadas na população em geral, não se sabe ao certo se esses questionários se comportam da mesma forma quando aplicados em uma população com dor lombar crônica não-específica. Dessa forma, o objetivo desse estudo será (i) avaliar as propriedades psicométricas de reprodutibilidade teste-reteste do Questionário Internacional de Atividade Física (International Physical Activity Questionnaire-IPAQ versão longa) e do questionário de atividade física habitual de Baecke ( Baecke Physical Activity questionnaire - BPAQ) em pacientes com dor lombar crônica e (ii) avaliar a validade do tipo concorrente, do IPAQ-versão longa e do BPAQ comparado ao acelerômetro (medida objetiva) de atividade física. Portanto com base neste estudo será possível esclarecer se o instrumento de avaliação é reprodutível e válido para a população com dor lombar crônica não-específica. (AU)

Comparação entre a responsividade de medidas objetivas e subjetivas que investigam aspectos de atividade física em pacientes com dor lombar crônica não-específica

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Presidente Prudente. Presidente Prudente, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Rafael Zambelli de Almeida Pinto
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Processo:15/02744-2
Vigência: 01 de abril de 2015 - 31 de março de 2016
Assunto(s):Atividade físicaDor lombar
Resumo
A dor lombar não específica é uma condição prevalente na população em geral. Apesar de várias terapias na área da dor lombar os efeitos são pequenos a moderados. Um fator potencial que podem influenciar a eficácia das terapias atuais é o tipo de medida utilizada em ensaios clínicos. Medidas subjetivas tem sido tradicionalmente utilizado nesta área, enquanto evidências sobre as medidas objetivas são escassos. Objetivo: comparar a capacidade de resposta de quatro medidas: uma de incapacidade em indivíduos com dor lombar (questionário Roland Morris) e duas medidas subjetivas de atividade física (Questionário Internacional de Atividade Física - IPAQ- versão longa e o questionário de BPAQ) e uma medida objetiva de atividade física (acelerômetro) em uma população de 82 pacientes com dor lombar crônica não específica. A evidência deste estudo irá nos ajudar a compreender o papel da medida objetiva e subjetiva da atividade física em pessoas com dor lombar. Também irá esclarecer se os níveis de alteração da atividade física durante o curso de tratamento. (AU)

Ferramenta para monitoramento de níveis de fragilidade e fatores associados em idosos atendidos pelo Núcleo de Apoio a Saúde da Família (NASF) no Município de São Carlos

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Marisa Silvana Zazzetta
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Saúde Coletiva - Saúde Pública
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Processo:15/02823-0
Vigência: 01 de abril de 2015 - 31 de dezembro de 2015
Convênio/Acordo de cooperação com a FAPESP: CNPq - PPSUS
Assunto(s):Idoso fragilizadoInformática médicaSaúde do idosoVulnerabilidade em saúdeSaúde da família
Resumo
O aumento da expectativa de vida da população brasileira faz surgir uma crescente preocupação por parte dos serviços de saúde e do Governo pelo acompanhamento integral da pessoa idosa por meio da promoção, prevenção e tratamento de saúde. Nesse sentido, a Política Nacional de Saúde da Pessoa Idosa (PNSI) propõe detectar problemas de saúde e até mesmo indícios de pré-fragilidade ou fragilidade, para um melhor atendimento ao idoso e consequentemente melhora na sua qualidade de vida. Da mesma forma, a Política Nacional de Atenção Básica preconiza a importância do monitoramento das condições de saúde e vulnerabilidade, evitando o agravamento de possíveis incapacidades da população. Entretanto, ferramentas que facilitem as ações efetivas dessas políticas são escassas no planejamento e monitoramento das condições de fragilidade dos usuários no Sistema Único de Saúde (SUS). Objetivo: Desenvolver e testar um sistema computacional que funcione como ferramenta, para monitoramento de níveis de fragilidade e fatores associados em idosos atendidos pelo Núcleo de Apoio à Saúde da Família (NASF) em um município do interior paulista. Método: Trata-se de um estudo observacional longitudinal com duas fases: 1) Diagnóstico de fragilidade em idosos 2) Confecção e teste de uma ferramenta de monitoramento de fragilidade e fatores associados a partir dos dados encontrados. Serão avaliados 703 idosos (321 homens, 382 mulheres) atendidos pelo NASF da região de alta vulnerabilidade do município de São Carlos-SP, sendo que 31 idosos estão acamados, 456 são hipertensos e 126 são diabéticos na área atendida. Primeiramente, será realizado um diagnóstico de fragilidade de modo subjetivo associado à classificação de fenótipo proposta por Fried e por meio da Escala de Fragilidade de Edmonton. Além disso, serão avaliadas: características sociodemográficas, cognição (Mini-Exame do Estado Mental- MEEM), humor (Escala de Depressão Geriátrica-GDS-15), Equilíbrio (Escala de Equilíbrio do Berg), Medo de Cair (Escala de Eficácia de Quedas- FES-I Brasil), Dor (Escala multidimensional de avaliação de dor (EMADOR), Escala de independência Atividades de vida diária (Índice de Katz), Avaliação das atividades instrumentais de vida diária (Lawton), nível de atividade física (questões do International Physical Activity Questionaire-IPAQ), comportamento nutricional (Mini Avaliação Nutricional -MAN®) , Risco de Diabetes e doença Renal, suporte social (MOS) e necessidade de cuidado Será realizada a análise de marcadores biológicos sanguíneos para doença de Alzheimer (ADAM10), e sarcopenia (IL6). A partir dos resultados será criado um algoritmo para direcionar o atendimento dos idosos de acordo com os níveis de fragilidade (não frágeis, pré-frágeis e frágeis). Como última etapa, esse algoritmo e sua viabilidade serão testados em 10% da amostra, de forma aleatória. Resultados esperados: Em cumprindo seus objetivos, este estudo permitirá diagnosticar o nível de fragilidade da população idosa da região estudada e seus fatores associados. Ainda, este estudo permitirá a criação de um sistema de monitoramento do nível de fragilidade da população estudada para a Atenção Básica de Saúde que permitirá a equipe de Saúde da Família um planejamento mais adequado de suas ações e visitas domiciliares. Estão previstas publicações em periódicos nacionais e internacionais, após o desenvolvimento e validação do algoritmo e após a análise dos dados coletados. (AU)

Suplementação com dimetilglicina em cavalos não treinados submetidos ao exercício de intensidade crescente em esteira ergométrica

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus Experimental de Dracena. Dracena, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Kátia de Oliveira
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Zootecnia - Nutrição e Alimentação Animal
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:13/13067-6
Vigência: 01 de abril de 2015 - 31 de março de 2017
Assunto(s):EquinosEquideoculturaExercício físicoLactatosTeste de esforço
Resumo
O lactato acumulado no metabolismo durante a atividade física incapacita o músculo em manter o ritmo em uma determinada intensidade. Neste sentido, estudos têm sido desenvolvidos buscando solucionar este problema, por meio da elaboração de suplementos ergogênicos. Assim, o objetivo da pesquisa será verificar o efeito do período da suplementação com dimetilglicina em cavalos não treinados submetidos ao exercício de intensidade crescente, sobre os parâmetros metabólicos, índices relacionados ao desempenho físico e fisiológicos. Serão utilizados quatro equinos da raça Puro Sangue Árabe, com peso vivo (PV) médio de 340 kg. O delineamento experimental utilizado será o quadrado latino 4 x 4, constituído por 4 períodos de quatro semanas de avaliação, intercalados com quatro semanas de períodos livres de tratamento. Assim, cada período experimental será composto por 60 dias, necessitando-se de 240 dias para realizar todos os rodízios do quadrado latino. Os tratamentos consistirão de períodos de administração com dimetilglicina oral na dosagem de 7,5 mg/kg de PV, constituídos por grupo controle, ou seja, sem suplementação (SS), suplementação por 10 dias (S10), suplementação por 20 dias (S20) e suplementação por 30 dias (S30). As variáveis mensuradas serão os parâmetros metabólicos (concentrações plasmáticas de lactato e glicose durante e após o exercício), de índices relacionados ao desempenho físico (velocidade em que o cavalo atinge 200 batimentos cardíacos por minuto - V200, a velocidade correspondente ao valor de lactato sanguíneo de 4 mmol/l - VL4 e distância percorrida) e fisiológicas (temperatura retal - TR e frequência cardíaca - FC antes e após o exercício). As variáveis avaliadas nos animais serão submetidas à análise de variância do programa computacional Statistical Analysis System (SAS, 2000). As comparações entre médias serão feitas pelo teste de Tukey ao nível de 5% de significância. Será realizado o desdobramento dos graus de liberdade em polinômios ortogonais. (AU)

Estimulação cerebral não invasiva, exercício físico e sistema de recompensa

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Li Li Min
Supervisor no exterior: Shinsuke Shimojo
Local de pesquisa: California Institute of Technology (Estados Unidos)
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Radiologia Médica
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Processo:14/10134-7
Vigência: 24 de março de 2015 - 31 de julho de 2015
Assunto(s):RecompensaDopaminaExercício físicoNeuroimagemNeuromodulaçãoNeurologia
Resumo
A história da ciência do exercício ao longo da segunda metade do século XX, está cheia de triunfos espetaculares, mas também alguns fracassos épicos. Os sucessos consistem em descobrir uma riqueza de evidências científicas que sustentam os efeitos benéficos da atividade física sobre a saúde e elevar a consciência não só da comunidade médica, mas também do público em geral. O fracasso é pela incapacidade de aumentar as taxas de participação de atividade física, que permanecem extremamente baixa na maioria dos países industrializados. Os pesquisadores se concentraram no possível papel desempenhado pelas diretrizes exercício de prescrição e recomendações de atividade física nestas falhas e estendeu por considerar o prazer como critério fundamental quando o exercício é prescrito ou é recomendado a atividade física. Uma literatura emergente agora sugere que o prazer experimentado durante a realização do exercício físico prediz a participação posterior em programas de atividade física. Portanto, garantir que a atividade de exercício físico não seja apenas eficaz e segura mas também prazerosa, pode aumentar as chances de que esses comportamentos se tornem hábitos ao longo da vida. A ocorrência de prazer é codificado por atividade neural em diferentes regiões cerebrais que envolvem o sistema dopamingérgico (DA) que é essencial para o sistema de recompensa. A DA é um neurotransmissor sintetizado por neurônios mesencefálicos na substantia nigra (SN) e a área tegmental ventral (VTA). Dado que os neurônios SN / VTA estão localizados em regiões profundas do cérebro, as principais estragégias para modular tem sido por intervenções farmacológicas ou implantação de estimuladores cerebrais profundos. Nas últimas décadas, a estimulação cerebral não-invasiva tem sido cada vez mais utilizado por médicos e neurocientistas com intuito de modular o cérebro. Estimulação transcraniana por corrente contínua (ETCC) é considerada uma técnica de neuromodulação que induz alterações de excitabilidade no potencial de repouso da membrana. Embora ETCC estimula a área cortical diretamente abaixo do eletrodo, ele também pode modular estruturas subcorticais. Recentemente, pesquisadores da Caltech mostraram que a ETCC pode ser utilizada para induzir alterações de atividade neural no mesencéfalo distal (SN e VTA) que afeta diretamente o comportamento. Estes resultados nos inspirou para testar se tais aumento nas funções dopaminérgicas do mesencéfalo, em resposta a ETCC anódica do córtex frontal, pode aumentar o prazer experimentado durante o exercício físico. Nossa hipótese é de que a ETCC resultaria na ativação remota do mesencéfalo ventral medida pelo fMRI, e que essa ativação remota se manifestaria comportamentalmente com aumentos na sensação de prazer dos participantes durante físico exercício. (AU)

Contribuição da atividade física aeróbia voluntária sobre os mediadores da caquexia induzida pelo câncer em camundongos

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Escola de Educação Física e Esporte (EEFE). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Patricia Chakur Brum
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Educação Física
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Processo:14/25830-9
Vigência: 01 de março de 2015 - 28 de fevereiro de 2017
Convênio/Acordo de cooperação com a FAPESP: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Assunto(s):CaquexiaNeoplasiasFisiologia do exercício
Resumo
Diante do impacto da caquexia na qualidade e na expectativa de vida de pacientes com câncer, estratégias capazes de atenuar a atrofia e a disfunção do metabolismo energético no músculo esquelético permanecem como um grande desafio. No presente projeto de pesquisa, conduziremos um estudo experimental para investigar especificamente a contribuição do metabolismo aeróbio na possível atenuação dos mediadores séricos da atrofia muscular induzida pelo câncer. Para isso, este projeto será dividido em três estudos. O primeiro pretende responder às seguintes perguntas:a) a exposição diária dos camundongos em ambiente contendo roda de atividade física é um bom modelo para aumentar o VO2 máx? b) Qual o tempo necessário para se atingir um efeito plateau no VO2 máx? O segundo tem como objetivo responder à questão: camundongos com maior VO2 máx apresentam respostas protetoras na musculatura esquelética frente à inoculação de células tumorais Lewis e/ou B16? Por fim, o terceiro estudo tem como objetivo resolver a indagação: os efeitos protetores do metabolismo aeróbio na musculatura esquelética estão associados a uma redução de mediadores séricos da caquexia induzida pelo câncer? (AU)

Influência do exercício aeróbico sobre a expressão e a distribuição de microRNAs na formação hipocampal de ratos adultos

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Ricardo Mario Arida
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Processo:15/01658-5
Vigência: 01 de março de 2015 - 30 de setembro de 2015
Assunto(s):HipocampoPlasticidade neuronalExercício físicoMicrornasRatosNeurofisiologia
Resumo
A literatura científica têm documentado extensivamente os efeitos benéficos da atividade física em vários aspectos da função cerebral. A prática de exercícios físicos melhora a função cognitiva, diminui o declínio da memória relacionado a idade, retarda o surgimento de doenças neurodegenerativas, acelera a recuperação de lesões cerebrais e melhora os sintomas da depressão. Os microRNAs (miRNAs) são pequenas moléculas de RNA não-codificadores, com aproximadamente 23 nucleotídeos, que atuam como potentes silenciadores da expressão gênica por induzir a repressão da tradução ou a degradação do RNA mensageiro alvo. Os miRNAs agem regulando a expressão de genes envolvidos em diversos processos biológicos, tais como o ciclo celular, apoptose e diferenciação celular. Estas moléculas estão presentes em abundancia no cérebro adulto e apresentam um padrão de expressão espaço-temporal. Recentemente, a função neurobiológica destas moléculas em processos como o desenvolvimento cerebral, envelhecimento, lesões, cognição e doenças neurológicas, tem recebido maior notoriedade. Considerando o papel chave que este grupo de moléculas exerce na regulação pós-transcricional da expressão gênica e a influência positiva que o exercício físico promove sobre a estrutura e função cerebral, o presente estudo tem como objetivo, investigar os efeitos do exercício físico aeróbico agudo, sub-crônico e crônico sobre a expressão e distribuição de miRNAs no hipocampo de ratos adultos. Os resultados obtidos neste estudo poderão nos ajudar a entender mais a fundo a complexidade dos mecanismos pelos quais a prática de atividades físicas beneficia funções cerebrais superiores, assim como poderá nos auxiliar na identificação de possíveis alvos terapêuticos para o tratamento das mais diversas enfermidades neurológicas. Plano de atividade Treinamento físico dos animaisAnálise da expressão dos miRNAs e das proteínas envolvidas na biogênese dos miRNAs no hipocampoAnálise e validação dos possíveis genes alvos dos miRNAs Análise da distribuição hipocampal dos miRNAs (AU)

Fatores de risco relacionados à perda de produtividade laboral e aumento dos custos ambulatoriais de pacientes atendidos por Unidades Básicas de Saúde

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Presidente Prudente. Presidente Prudente, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Jamile Sanches Codogno
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Educação Física
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Processo:14/09645-7
Vigência: 01 de março de 2015 - 30 de abril de 2016
Convênio/Acordo de cooperação com a FAPESP: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Assunto(s):Saúde públicaComportamento de riscoCustos dos cuidados de saúde
Resumo
A inatividade física e a presença da obesidade, dentre outros fatores de risco para a saúde têm sido responsáveis pelo surgimento de inúmeras doenças crônicas e, consequentemente, pelo aumento dos gastos com saúde. Dessa forma, o objetivo da presente pesquisa será analisar se existe associação entre agregação de fatores/comportamentos de risco a saúde e perda de produtividade laboral e aumento dos custos com saúde em adultos atendidos no SUS. Para tanto, no mínimo 200 pacientes serão convidados a fazer parte da pesquisa e serão avaliados quanto: i) custos com tratamento, ii) perda de produtividade, iii) adiposidade corporal; iv) nível de atividade física, vi) sono, vii) dor, viii) consumo de álcool, ix) tabagismo, x) condição econômica, xi) histórico de doenças, xii) indicadores metabólicos. As variáveis serão agregadas para constituir uma única variável de risco, assim, a amostra será subdividida em quatro grupos: (i) nenhum comportamento/fator de risco, (ii) 1-2 comportamentos/fatores de risco, (iii) 3-4 comportamentos/fatores de risco e (iv) 5-6 comportamentos/fatores de risco. A análise estatística será composta pela análise de covariância (ANCOVA) que estabelecerá comparações de custo com saúde e perda de produtividade (em moeda corrente) entre os grupos formados. Para os dados categóricos, será utilizado o teste qui-quadrado para analisar associações e a regressão logística como modelo multivariado. Em todas as análises, a significância estatística (p-valor) será pré-fixada em valores inferiores a 5%. O software utilizado será o BioEstat (versão 5.0). (AU)

Desenvolvimento e aplicação de métodos para avaliar os comportamentos relacionados com o balanço energético em crianças/adolescentes em um estudo multicêntrico: SAYCARE study

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Heraclito Barbosa de Carvalho
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Saúde Coletiva - Medicina Preventiva
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Processo:14/13367-2
Vigência: 01 de março de 2015 - 28 de fevereiro de 2017
Assunto(s):EpidemiologiaModo de vida
Resumo
Este é um estudo multicêntrico piloto transversal em uma amostra de crianças e adolescentes de 3 a17 anos de idade. Este piloto será desenvolvido em São Paulo e mais seis cidades da América do Sul: Teresina (Brasil), Buenos Aires (Argentina), Santiago (Chile), Montevidéu (Uruguai), Lima (Peru) e Medellín (Colômbia). A formação de avaliadores, os instrumentos e o desenho de estudo serão padronizados. Objetivos: (i) Desenvolver métodos de mensuração válidos e confiáveis para obter informações sobre os comportamentos relacionados com o balanço energético: ingestão de alimentos, preferências e escolhas alimentares, atividade física, comportamentos sedentários e sono; (ii) Medir a confiabilidade desses métodos; e (iii) Medir a validade desses métodos. Várias análises serão realizadas, entre elas: descritiva (cálculo da média, desvio padrão, percentuais e intervalo de confiança de 95%). As concordâncias entre as medidas serão calculadas por meio dos coeficientes de kappa para variáveis categóricas e coeficientes de correlação intraclasse para variáveis quantitativas. Este último será complementado com o desenvolvimento de gráficos de Bland-Altman. As correlações entre os diferentes métodos serão analisadas pelos coeficientes de Spearman e Pearson para variáveis paramétricas e não paramétricos, respectivamente. (AU)

Promoção de atividade física para adultos e idosos com alta vulnerabilidade: avaliação de um programa de caminhada em Unidades Saúde da Família

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Grace Angélica de Oliveira Gomes
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Educação Física
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Processo:15/02420-2
Vigência: 01 de março de 2015 - 29 de fevereiro de 2016
Assunto(s):AdultosSaúde do idosoExercício físicoVulnerabilidade social
Resumo
Diante da alta prevalência de inatividade física (AF) no mundo e no Brasil, o oferecimento de programas de atividade física torna-se uma opção conveniente para aumentar o nível de atividade física da população e promover um processo de envelhecimento mais ativo e saudável ao longo da vida. Existe a necessidade de maior aprofundamento em relação ao funcionamento e efetividade de programas de promoção de atividade física e dos efeitos desses programas nos níveis de atividade física, em especial na Atenção Básica de Saúde. Diante disto, esta pesquisa tem por objetivo avaliar um programa de caminhada orientada para adultos e idosos sobre os seguintes aspectos: 1) Descrição do funcionamento e características da intervenção; 2) Efeitos de mudança de comportamento para prática regular atividade física e, 3) efeitos biopsicossociais da atividade física. É uma pesquisa de delineamento quase experimental e controlado, com a participação de: 1)grupo intervenção (n=71) e 2) grupo controle (n=71). A intervenção terá duração de seis meses, com um período posterior de acompanhamento de seis meses após a intervenção. O programa oferecerá exercícios físicos supervisionados duas vezes por semana, com duração de uma hora. As aulas serão compostas de atividades recreacionais, caminhada e estratégias educativas de mudança de comportamento para atividade física. Serão avaliadas as variáveis de adesão, aderência, barreiras para atividade física, motivos de desistência, nível de atividade física, características sociodemográficas, socioeconômicas e aspectos biopsicossociais. Espera-se encontrar maioria dos indivíduos do sexo feminino, na faixa etária acima de 40 anos, baixos níveis de escolaridade e renda, e características biopsicossociais diversas. Espera-se que o programa apresente características de baixa adesão e aderência, principalmente pela barreira falta de tempo e doenças. Após a intervenção, espera-se que a promoção de caminhada orientada aumente os níveis de atividade física para além do tempo oferecido pelo programa e melhore as condições biopsicossociais dos participantes. (AU)

Mapeamento participativo de práticas corporais, atividade física laboral e iniquidades em saúde no Pontal do Paranapanema

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Presidente Prudente. Presidente Prudente, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Raul Borges Guimarães
Pesquisador visitante: Marcos Bagrichevsky de Souza
Instituição do pesquisador visitante: Pró-Reitoria De Pós-Graduação (Brasil)
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Geografia - Geografia Humana
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisador Visitante - Brasil
Processo:14/27141-6
Vigência: 01 de março de 2015 - 29 de fevereiro de 2016
Resumo
O presente plano de trabalho de pesquisador visitante coloca como desafio a compreensão dos aspectos culturais, sócio-históricos e ambientais relacionados às condições de sobrevivência dos Trabalhadores rurais e assentados da região do Pontal do Paranapanema, que sofrem com as rápidas transformações provocadas pela expansão da cultura canavieira. Para isto, o professor visitante irá participar ativamente das pesquisas de campo previstas no projeto temático, auxiliando alunos de graduação e pós-graduação na realização de grupos focais e dinâmicas de grupo que permitam um diagnóstico contextualizado e o mapeamento participativo, a partir do emprego de dispositivos culturais disparadores de subjetividades. Para o desenvolvimento do mapeamento participativo junto à comunidade do assentamento do Pontal do Paranapanema serão necessárias oficinas de preparação no Laboratório de Biogeografia e Geografia da Saúde da UNESP, atividade fundamental ao êxito do trabalho de campo, que deverá mobilizar o seu respectivo coletivo de estudantes e pesquisadores. O professor visitante também irá colaborar com atividades didáticas, aprofundando questões de pesquisa qualitativa em saúde coletiva. (AU)

Distúrbios do movimento relacionados ao sono: interfaces entre exercício físico e metabolismo do ferro

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências Aplicadas (FCA). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Limeira, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Andrea Maculano Esteves
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Educação Física
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:14/19212-0
Vigência: 01 de março de 2015 - 28 de fevereiro de 2017
Assunto(s):Atividade motoraExercício físicoDistúrbios do sonoSíndrome das pernas inquietasFerro na dietaModelos animais
Resumo
A Síndrome das Pernas Inquietas (SPI) é uma patologia multifatorial, onde cerca de 1/3 de seus casos é secundário a outras condições, tal como a gravidez. Os fatores de risco para o aumento de incidência da SPI em gestantes que têm sido mostrados nos estudos incluem entre outros a anemia, visto que a deficiência de ferro (DFe) durante a gravidez pode ter consequências graves para a mãe e seu bebê. Além de um aumento do risco de baixo peso ao nascer e aumento da morbidade e mortalidade, também há sequelas em longo prazo como déficits cognitivos e alterações de comportamento. Por outro lado, existem evidencias na literatura que a prática de atividade física apresenta propriedades neuroprotetoras, modulando diferentes funções cerebrais. Assim, o objetivo principal do presente estudo é avaliar em ratas prenhes e sua prole, as relações entre exercício físico e a dieta alimentar de ferro (suplementação e restrição) em parâmetros relacionados ao sono e atividade locomotora, bem como o envolvimento do sistema dopaminérgico após a prática do exercício físico realizado na prole. Para a realização deste estudo ratas Wistar prenhes serão distribuídas em grupos que receberão dietas controle, suplementação e restrição de ferro durante o período de prenhez e um teste de avaliação locomotora e comportamental será realizado nesse momento (Open Field). Após o desmame, a prole de cada grupo será distribuída em um grupo que realizará exercício físico e outro sedentário. Avaliações de sono (Polissonografia), comportamento, atividade locomotora (Open Field) e análise da expressão gênica e conteúdos proteicos do receptor dopaminérgico D2, DAT, TH e hepicidina serão realizadas após 8 semanas de treinamento físico (natação). Neste contexto, se torna importante observar o quanto uma situação externa (exercício físico) pode reverter alterações no padrão de sono da prole oriundas das manipulações realizadas nas mães (dieta de ferro), visto que essas novas investigações irão contribuir para uma imagem mais clara do que constitui o complexo fenótipo da SPI. (AU)

Consórcio internacional de obesidade estudo piloto transversal de preditores de índice de massa corporal

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Julio Sérgio Marchini
Supervisor no exterior: Sai Krupa Das
Local de pesquisa: Tufts Medical Center (Estados Unidos)
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Nutrição - Análise Nutricional de População
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Processo:14/14217-4
Vigência: 02 de fevereiro de 2015 - 01 de setembro de 2015
Assunto(s):Metabolismo energéticoIsótopos estáveisObesidade
Resumo
A obesidade é um problema de saúde crescente em todo o mundo e trouxe consigo o aumento das taxas de doenças crônicas. Atualmente, não existem estudos multicêntricos dedicados a analisar os fatores únicos e comuns específicos que são barreiras para o controle de peso bem sucedido, e este estudo piloto será o primeiro desse tipo. Uma vez que a colaboração é estabelecida e documentada através deste estudo piloto, o consórcio vai procurar financiamento para estudos maiores adequadamente fundamentados na área de regulação energética e controle de peso.O objetivo deste estudo de viabilidade é a realização de um estudo piloto transversal de preditores do consumo e do gasto de energia, e determinar as barreiras para um controle de peso bem sucedido em cinco países (Brasil, China, Finlândia, Índia, Kuwait), com altas taxas de obesidade. Como parte deste trabalho, vamos utilizar uma metodologia comum em todos os locais e conduzir estudos-piloto relativos à validação de metodologia para medir a ingestão e o gasto energético. A hipótese central deste estudo é que será possível identificar fatores alimentares, comportamentais e de estilo de vida significativos em países que predizem a ingestão e o gasto energético. Fatores a serem avaliados que podem predizer a ingestão dietética incluem macronutrientes e variedade da dieta, a fome, padrões e comportamentos alimentares, o ambiente alimentar, e a frequência de comer fora. O gasto energético será avaliado por monitores de atividade física e os níveis de atividade auto-relatados, bem como pelo método de água duplamente marcada. Como parte deste trabalho, vamos utilizar uma metodologia comum em cinco países e conduzir estudos-piloto relativos à validação de metodologia para medir a ingestão e o gasto energético. (AU)

Ferramenta para monitoramento de níveis de fragilidade e fatores associados em idosos atendidos pelo Núcleo de Apoio a Saúde da Família (NASF) no Município de São Carlos

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Marisa Silvana Zazzetta
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Saúde Coletiva - Saúde Pública
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Processo:15/00815-0
Vigência: 01 de fevereiro de 2015 - 31 de dezembro de 2015
Convênio/Acordo de cooperação com a FAPESP: CNPq - PPSUS
Assunto(s):Idoso fragilizadoInformática médicaSaúde do idosoVulnerabilidade em saúdeSaúde da família
Resumo
A Política Nacional de Saúde da Pessoa Idosa (PNSI) propõe detectar problemas de saúde e indícios de fragilidade, para um melhor atendimento ao idoso e consequentemente melhora na sua qualidade de vida. Entretanto, ferramentas que facilitem as ações efetivas dessas políticas são escassas no planejamento e monitoramento das condições de fragilidade dos usuários no Sistema Único de Saúde (SUS). Objetivo: Desenvolver e testar um algoritmo que funcione como ferramenta, para monitoramento de níveis de fragilidade e fatores associados em idosos atendidos pelo Núcleo de Apoio à Saúde da Família (NASF) em um município do interior paulista. Método: Trata-se de um estudo observacional longitudinal com duas fases: 1) Diagnóstico de fragilidade em idosos 2) Confecção e teste de uma ferramenta de monitoramento de fragilidade e fatores associados. Serão avaliados 703 idosos (321 homens, 382 mulheres) atendidos pelo NASF da região de alta vulnerabilidade. Primeiramente, será realizado um diagnóstico de fragilidade de modo subjetivo associado à classificação de fenótipo proposta por Fried e por meio da Escala de Fragilidade de Edmonton. Além disso, serão avaliadas: características sociodemográficas, cognição, humor, Equilíbrio, Medo de Cair, Dor, independência nas atividades básicas e instrumentais de vida diária, nível de atividade física, comportamento nutricional, Risco de Diabetes e doença Renal, suporte social e necessidade de cuidado e será realizada a análise de marcadores biológicos sanguíneos para doença de Alzheimer (ADAM10) e sarcopenia (IL6). Um algoritmo será criado para direcionar o atendimento dos idosos de acordo com os níveis de fragilidade (não frágeis, pré-frágeis e frágeis) e sua viabilidade será testada em 10% da amostra, de forma aleatória. Palavras-chaves: idoso fragilizado, vulnerabilidade em saúde, Saúde do idoso, Saúde da Família, Saúde pública, informática médica. (AU)

O papel de diferentes domínios de atividade física no curso clínico da dor lombar não-específica

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Presidente Prudente. Presidente Prudente, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Rafael Zambelli de Almeida Pinto
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Apoio a Jovens Pesquisadores
Processo:14/14077-8
Vigência: 01 de fevereiro de 2015 - 31 de janeiro de 2019
Assunto(s):Atividade físicaDorDor lombarPrognósticoOrtopedia
Resumo
Na área de dor lombar, o descondicionamento físico tem sido hipotetizado com um fator que influencia negativamente a recuperação dos pacientes. Evidência recente proveniente de um estudo longitudinal dá suporte para à hipótese de que ser ativo fisicamente pode ser considerado um fator prognóstico que influencia positivamente o curso clínico da dor lombar crônica. Entretanto, não se sabe ao certo se diferentes domínios de atividade física influenciam o curso clínico dessa condição da mesma maneira. Objetivo geral: Investigar o papel de diferentes domínios de atividade física no curso clínico da dor lombar crônica. Estudos e objetivos específicos: Para entender melhor o papel de diferentes domínios de atividade física no curso clínico da dor lombar, três projetos de pesquisa irão ser conduzidos. O Estudo 1 irá determinar a reprodutibilidade teste-reteste do Questionário Internacional de Atividade Física (International Physical Activity Questionnaire - IPAQ versão longa) e do questionário de atividade física habitual de Baecke e a validade do tipo concorrente destes questionários comparado com uma medida objetiva de atividade física (acelerômetro). O Estudo 2 irá comparar nessa população a responsividade de quatro medidas: 1 medida de incapacidade de indivíduos com dor lombar (questionário de Roland Morris), 2 medidas subjetivas do nível de atividade física (IPAQ) e 1 medida objetiva do nível de atividade física (acelerômetro). O Estudo 3 irá investigar a capacidade dos diferentes domínios de atividade física, mensurados por meio do IPAQ e do questionário de Baecke, em predizer desfechos clínicos em pacientes com dor lombar. Implicações: Os resultados desse projeto irão ajudar a esclarecer a relação entre diferentes domínios de atividade física e o curso clínico da dor lombar crônica não-específica. Este projeto contribuirá com futuras implicações sobre uso de acelerômetros e questionários de atividade física no contexto da dor lombar. (AU)

Avaliação de um programa de caminhada para adultos e idosos de um contexto de alta vulnerabilidade: uso do modelo RE-AIM

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Grace Angélica de Oliveira Gomes
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Educação Física
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:14/17419-7
Vigência: 01 de janeiro de 2015 - 31 de dezembro de 2015
Assunto(s):AdultosIdososCaminhadaSaúde da famíliaEfetividade (saúde pública)
Resumo
Diante da alta prevalência de inatividade física no Brasil e no mundo, o oferecimento de programas de atividade física (AF) torna-se uma opção conveniente para a população no intuito de promover um processo de envelhecimento mais ativo e saudável ao longo da vida, em especial em contextos de alta vulnerabilidade. Avaliar a efetividade e funcionamento desses programas é de extrema relevância. Nesse contexto, o objetivo desse estudo é avaliar um programa de caminhada aplicado em Unidades Saúde da Família localizadas em uma área de alta vulnerabilidade no município de São Carlos, SP. É uma pesquisa de delineamento quase experimental e controlado, com a participação de: 1) grupo intervenção (n=30) e 2) grupo controle (n=30). A intervenção terá duração de seis meses, com um período de acompanhamento posterior de seis meses após a intervenção. O programa ocorrerá duas vezes por semana, com duração de uma hora. As aulas serão compostas de atividades recreacionais, caminhada e estratégias educativas de mudança de comportamento para AF. Para avaliar o programa, esse estudo utilizará o modelo RE-AIM nos seus aspectos organizacionais e individuais em cinco domínios: R =Alcance da população alvo (Reach); E = Eficácia ou efetividade (Efficacy ou effectiveness); A = Adoção (Adoption); I = Implantação (Implementation); M = Manutenção (Maintenance). No domínio Efetividade e Eficácia, será medido o nível de AF através do acelerômetro. Espera-se que o programa tenha escores satisfatórios em todos os domínios do RE-AIM. Ainda, espera-se que os níveis de AF dos participantes aumentem e se estendam para momentos fora do programa. (AU)

Composição corporal e padrões de atividade física espontânea em idosos atletas, praticantes de atividade física leve e sedentários

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Eduardo Ferriolli
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:14/17120-1
Vigência: 01 de janeiro de 2015 - 31 de dezembro de 2015
Assunto(s):Atividade físicaComposição corporalMetabolismo energéticoActigrafiaIsótopos estáveis
Resumo
A população mundial está, cada vez mais, envelhecendo, e países como o Japão, China, representantes da América do Norte e da Europa, por exemplo, já convivem com as dificuldades associadas ao fato de envelhecer. No ano de 2025, o Brasil será o 6° país do mundo no número de pessoas com 60 anos ou mais e, portanto, também, viverá com as limitações desenvolvidas pela idade. O envelhecimento engloba modificações no estado fisiológico e nutricional; a composição corporal modifica-se: há aumento da gordura corporal e diminuição do tecido muscular, bem como diversos outros fatores. A atividade física no idoso, nesse contexto, tem se mostrado de extrema importância na saúde. A atividade física, como um todo, melhora a autoestima e a percepção de autoimagem do idoso. No plano físico, há redução de mortes prematuras, AVC, doenças do coração, diabetes tipo 2, cânceres de cólon e mama, assim como redução ou prevenção da hipertensão arterial, do ganho de peso ponderal (diminui o risco de obesidade). A atividade física também atua na redução ou prevenção da osteoporose, do estresse, da ansiedade e da depressão, promovendo bem-estar. Não há consenso na literatura, porém, de que no idoso, o exercício per se altere de forma significativa a composição corporal e o peso em idosos. Este estudo objetivará, por isto, a mensuração da composição corporal e da atividade física objetiva (pelo uso de actígrafo), bem como suas correlações, em idosos com diferentes níveis de atividade física.Serão estudados três grupos, um composto por idosos atletas, um composto por idoso que praticam atividades físicas leves e um por idosos sedentários. Serão empregados antropometria e o método da água deuterada, para avaliar a composição corporal e actigrafia de nova geração (ActivPAL - TM) para a mensuração da atividade física espontânea e estimativa do gasto energético. Serão avaliadas as correlações entre as variáveis estudadas, buscando-se verificar se, entre idosos, diferentes níveis de atividade física são associados a diferentes padrões de composição corporal e de atividade física espontânea. (AU)

Estudo da insônia associada à dor musculoesquelética em mulheres na pós-menopausa

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Monica Levy Andersen
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Processo:14/18722-5
Vigência: 01 de janeiro de 2015 - 31 de dezembro de 2017
Convênio/Acordo de cooperação com a FAPESP: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Assunto(s):InsôniaDor musculoesqueléticaPós-menopausaClimatérioQualidade de vidaMedicina do sono
Resumo
Atualmente, a mulher vive em média 30 anos após a menopausa, fase que, somada ao processo de envelhecimento, traz diversas modificações acerca da vida feminina, como a ocorrência de sintomas do climatério, distúrbios de sono e queixas de dor. Dentre essas alterações, destacam-se a insônia e a dor musculoesquelética, as quais ocorrem com frequência, causando impacto negativo na qualidade de vida das mulheres após a menopausa. Assim, o objetivo do presente estudo será investigar a influência da interação entre insônia e dor musculoesquelética crônica no padrão de sono, no limiar e tolerância à dor, na qualidade de vida e nos sintomas do climatério em mulheres na pós menopausa. Para isso, será realizado um estudo transversal com 96 mulheres distribuídas em 4 grupos: Grupo 1 - controle, ausência de diagnóstico de insônia e de dor musculoesquelética; Grupo 2 - diagnóstico de insônia e relato de dor musculoesquelética crônica; Grupo 3 - diagnóstico de insônia e ausência de queixa de dor; Grupo 4 - ausência de diagnóstico de insônia e relato de dor musculoesquelética crônica. Todas as voluntárias serão avaliadas quanto à dor, padrão de sono, qualidade de vida, climatério, ansiedade, depressão e atividade física. Espera-se que este projeto possa contribuir no estudo das consequências relacionadas à interação entre a insônia e à dor musculoesquelética em mulheres na pós menopausa. Assim, pretende-se adicionar evidências científicas que permitam futuramente a intervenção por meio de novos recursos e técnicas de tratamento, visando à melhora da condição de vida feminina após o fim do período reprodutivo. (AU)

Efeitos do treino resistido com tubos elásticos na força muscular, capacidade funcional, resposta inflamatória sistêmica e qualidade de vida de adultos insuficientemente ativos

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Presidente Prudente. Presidente Prudente, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Ercy Mara Cipulo Ramos
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Processo:14/08011-4
Vigência: 01 de janeiro de 2015 - 30 de junho de 2015
Assunto(s):Força muscularInflamaçãoSedentarismoTreinamento de resistênciaFisioterapia
Resumo
Introdução: O sedentarismo contribui para a diminuição progressiva da capacidade funcional e instalação de diversas doenças crônicas. A prática de exercícios físicos direcionados para o desenvolvimento de força muscular é recomendada como meio de atenuar ou reverter os efeitos negativos relacionados ao sedentarismo. Neste sentido, o treino de força resistido vem se destacando, realizado por meio de carga ou resistência constante (fixa) e variável (elástica). A utilização de faixas e tubos elásticos é relevante por serem ferramentas de baixo custo, altamente versáteis, e que proporcionam um exercício seguro durante a ação conjunta do grupo muscular, além de possuir alta praticidade. Objetivo: Avaliar os efeitos do treinamento resistido com tubos elásticos em adultos insuficientemente ativos, e comparar com os efeitos do treino resistido convencional (musculação) na força muscular, capacidade funcional, resposta inflamatória sistêmica e qualidade de vida. Métodos: Adultos insuficientemente ativos com idade superior a 45 anos serão divididos em três grupos, um grupo realizará o treino de força resistido com tubos elásticos (GR1), outro realizará o treino de força resistido convencional (GR2) e um grupo controle (GR3). Será avaliado o nível de atividade física (IPAQ), qualidade de vida (SF-36), função pulmonar (espirometria), resposta inflamatória (citocinas), capacidade funcional (TC6), e força muscular (dinamometria). Após, ambos os grupos GR1 e GR2 serão submetidos aos programas de treinamento por 12 semanas com 3 sessões semanais, com duração de 60 minutos. Após 6 e12 semanas de treino os indivíduos serão reavaliados. Análise estatística: Para análise intergrupos será utilizado o teste One-way ANOVA seguido do teste de Tukey ou teste de Kruskal-Wallis seguido do teste de Dunn dependendo da normalidade dos dados. Para análise intragrupos será utilizado análise de variância para medidas repetidas ANOVA seguida de teste de Tukey, caso não seja verificada a normalidade dos dados será aplicado o teste Friedman seguido do teste de Dunn.O nível de significância utilizado será de p<0,05. (AU)

O atleta da voz: o cantor lírico e a relação com seu corpo

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Marilia Velardi
Área do conhecimento:Interdisciplinar
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Processo:14/20054-0
Vigência: 01 de janeiro de 2015 - 30 de junho de 2016
Convênio/Acordo de cooperação com a FAPESP: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Assunto(s):Atividade físicaCanto
Resumo
No contato com cantores, o que se percebe em suas falas é que, comumente, o corpo do cantor é considerado o instrumento por meio do qual o ofício de cantar é produzido. Esse pensamento parece advir de uma tentativa de comparar sua prática musical com a de outros músicos - os instrumentistas, que de fato realizam a sua performance por meio de um instrumento. O corpo como um instrumento traz a noção de uma ferramenta com vias de realizar algo que está fora dele, dessa forma, dá-se a entender que o nosso ser é composto de uma mente que utiliza o corpo como seu instrumento de concretização de ideias. Segundo Le Breton em sua obra "Adeus ao Corpo", há na contemporaneidade uma forte tendência de considerarmos o corpo como algo vazio, que pode ser corrigido, arrumado, retificado. Um corpo no qual imperam os órgãos. Para o autor, essa noção de corpo está alicerçada no discurso científico do tempo presente; o corpo como matéria prima, que pode ser melhorado, aperfeiçoado ou modificado.Há, de maneira crescente, a publicação de trabalhos que buscam estudar as funções motoras, funcionais e fisiológicas no canto e isso pode ser observado em publicações recentes no campo da fonoaudiologia e da medicina. Como consequência de um modo quase hegemônico de produção do conhecimento, os modelos que se destinam ao ensino do canto lírico nos apresentam, muitas vezes, a ideia de ensino apoiado na perspectiva biológica do corpo, o que, provavelmente, reforça a noção do corpo como instrumento.Na minha percepção, o canto não é algo que "sai" do cantor, mas sim algo que acontece nele. Sua história, suas vivências, suas relações não se deslocam do corpo para que uma parte dele produza um som, assim, é necessário encontrar meios de entender como a emissão vocal se relaciona com esse todo e não exclui-lo. Apoiada numa visão mecanicista, a pedagogia vocal parece estar mais interessada na parte do que no todo, mais no aspecto fisiológico da laringe do que na sensação e na percepção do corpo, na sua corporeidade. E é aí que me insiro como questionador. Estudando o canto sob o paradigma sistêmico, deparei-me com autores que exploram essa arte numa abordagem que me pareceu mais interessante e correlata ao que venho experimentando, como François Delsarte e sua filosofia do canto, Valborg Werbeck-Svärdström apoiada na antroposofia, Richard Corbeil aliando o Método Feldenkrais ao desenvolvimento vocal e Janice Chapman com sua abordagem holística do canto.Foi na educação somática que encontrei o meu caminho holístico para o desenvolvimento da técnica vocal. Alicerçando a minha própria percepção e experiência, encontrei na literatura estudos que apontam a relevância do trabalho com educação somática no campo das artes como algo que amplia as percepções, a flexibilidade do corpo e da mente e a autonomia, trazendo benefícios para eliminação de tensões excessivas, para a expressividade, a comunicação e a sensibilização para a integração corpo-voz-emoção.Amparado pelas minhas reflexões alimentadas pela prática de educação somática, me vejo agora num lugar onde questionar a abordagem tradicional do canto me parece ser não só um chamado, mas uma urgência. Porém, chego à conclusão de que mais que uma diferença de pensamento da técnica vocal, o que a minha experiência me instiga a pesquisar é algo ainda mais fundamental, é uma questão existencial de percepção: como o cantor se relaciona com seu próprio corpo? Desse modo, parece coerente questionar, nesse trabalho, se os cantores líricos realmente identificam o seu corpo como seu instrumento e, nesse sentido, qual é o papel das práticas motoras (práticas corporais e de atividade física) no seu desenvolvimento e na sua performance. Essas práticas ajudam a configurar um conceito de corpo análogo ao instrumento ou permitem uma construção de um sentido de corporeidade? (AU)

Promoção de atividade física na atenção básica de saúde: análise do uso de materiais educativos de saúde por agentes comunitários de saúde

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Grace Angélica de Oliveira Gomes
Supervisor no exterior: Wojtek Jan Chodzko-Zajko
Local de pesquisa: University of Illinois at Urbana-Champaign (Estados Unidos)
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Educação Física
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Iniciação Científica
Processo:14/22939-0
Vigência: 13 de dezembro de 2014 - 12 de abril de 2015
Resumo
Agentes comunitários de saúde (ACS) têm um importante papel na promoção da saúde da população, especialmente para indivíduos pertencentes a locais de alta vulnerabilidade social. Sendo assim, eles podem ser inseridos em programas de prevenção de diversas doenças bem como em atividades educacionais, culturais e sociais para comunidade. A adoção de atividade física, hábitos mais saudáveis e controle de estresse são fatores que podem aumentar a qualidade de vida dos indivíduos. Essa pesquisa tem como objetivo analisar a percepção de relevância, viabilidade e satisfação de ACSs no uso de materiais educativos para um estilo de vida mais saudável para a comunidade. Esse estudo é parte de um estudo brasileiro desenvolvido em parceria com os Estados Unidos chamado "Estudo Dona Francisca: mobilizando a comunidade para prevenção e controle de doenças crônicas", o qual pretende implementar e analisar um programa de mudança de comportamento para um estilo de vida mais saudável em unidades de saúde da Atenção Básica. Os ACS irão participar de uma capacitação usando materiais educativos sobre atividade física, hábitos mais saudáveis e controle de estresse no ano de 2015. Essa proposta é um estudo qualitativo que será desenvolvido por inquérito telefônico com os ACSs. O questionário conterá perguntas sobre percepção de relevância, viabilidade e satisfação do uso dos materiais educativos produzidos para o programa. Os resultados esperados incluem uma boa percepção de importância, satisfação e viabilidade do uso desses materiais na opinião dos ACSs. (AU)

Comparação dos treinamentos físico contínuo e intervalado na percepção de esforço, nos fatores relacionados à qualidade de vida e no nível de atividade física em pacientes asmáticos

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Celso Ricardo Fernandes de Carvalho
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Processo:14/16511-7
Vigência: 01 de dezembro de 2014 - 30 de novembro de 2016
Assunto(s):AsmaReabilitação pulmonar
Resumo
Introdução: O exercício físico aumenta o condicionamento físico e está associado com a melhora do controle clínico, qualidade de vida, redução da ansiedade, depressão e da inflamação pulmonar nos pacientes asmáticos. Porém, pouco é compreendido sobre o melhor treinamento físico apresenta maiores benefícios nestes pacientes. Objetivos: Comparar o impacto dos treinamentos aeróbio (TA) e intervalado (TI) na percepção de esforço, fatores relacionados à qualidade de vida e nível de atividade física em pacientes asmáticos. Casuística: Serão estudados 28 pacientes com asma persistente moderada ou grave que serão aleatoriamente alocados num dos 2 grupos: TA ou TI. Os programas de treinamento físico terão a duração de 24 sessões (3 meses), cada sessão de exercício terá duração de 40 minutos. O TA terá 5 min. de aquecimento, 30 min. de exercício e 5 min. de resfriamento, e a intensidade será baseada na capacidade aeróbia (VO2pico). O TI terá 5 min. de aquecimento e serão realizados com 30 seg. de exercício intervalado com o mesmo período de repouso numa intensidade inicial entre 80 da potencia em Watts. Antes dos programas de treinamento físico, os pacientes participarão um de programa educacional. Antes e no final das intervenções, os pacientes serão avaliados quanto à capacidade física (VO2max), controle clínico (ACT, ACQ e diário de sintomas), fatores de saúde relacionados à qualidade de vida (AQLQ) e níveis de ansiedade e depressão (HADS). Análise estatística: O número de pacientes (28) foi determinado por cálculo amostral. Todos os testes estatísticos serão feitos com intenção de tratar. A normalidade dos dados será feita com o teste Shapiro-Wilks. Os dados contínuos serão analisados com testes paramétricos (ANOVA e Bonferroni) ou não paramétricos (ANOVA on ranks e Mann-Whitney). Para os dados categóricos será aplicado o teste de qui-quadrado. Também será feito análise do tamanho do efeito. O nível de significância para todos os testes será de 5% (p<0,05). (AU)

Avaliação prospectiva da musculatura ventilatória no repouso e no exercício em pacientes com esclerose lateral amiotrófica (ELA) e um grupo controle

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto do Coração Professor Euryclides de Jesus Zerbini (INCOR). Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Carlos Roberto Ribeiro de Carvalho
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Processo:14/08331-9
Vigência: 01 de dezembro de 2014 - 30 de novembro de 2017
Convênio/Acordo de cooperação com a FAPESP: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Assunto(s):Exercício físicoPneumologiaCapacidade funcionalTestes de função respiratóriaEsclerose amiotrófica lateral
Resumo
O presente estudo consiste primariamente em uma avaliação prospectiva da capacidade funcional e da função da musculatura ventilatória nos pacientes com Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA). Testes serão executados durante o repouso e durante um teste de exercício. Secundariamente, avaliaremos a capacidade funcional, a qualidade de vida, o nível de atividade física e a capacidade de gerar força muscular periférica e respiratória desta população de pacientes e compararemos com um grupo controle, além disso, todas as avaliações serão realizadas após, três e seis meses A avaliação estática dos volumes e capacidades pulmonares tem sido medidas nesta população de pacientes pela espirometria e a força muscular respiratória pela manobra de PI e PEMÁX, além do SNIP. Entretanto, estes exames não têm tido boa sensibilidade para detectar a fraqueza muscular diafragmática em estágio leve da doença. Isto tem dificultando o diagnóstico precoce a demora na instituição do suporte ventilatório (ex. ventilação não invasiva) e intervenções pulmonares. A avaliação da função ventilatória, mais precisamente, da efetividade na musculatura respiratória no repouso e durante uma atividade aeróbia de alta demanda ventilatória, com analise da sincronia dos compartimentos tóraco-abdominal ainda não foram estudados em pacientes com ELA. O estudo da cinemática da musculatura ventilatória e da sincronia toraco-abdominal têm sido feitos nas doenças respiratórias, como na DPOC e mostrou importantes resultados na análise da função da musculatura ventilatória e presença de sintomas respiratórios. A expectativa para o desfecho do projeto é que encontremos uma alteração negativa na função da musculatura respiratória, na sincronia dos compartimentos toraco-abdominal, menor capacidade de gerar força muscular, assim como, menor nível de atividade física e maior dispneia no grupo de pacientes com ELA. Ao passo que, com ferramentas inovadoras, o diagnóstico precoce da fraqueza muscular ventilatória em pacientes com doença neuromuscular possa acelerar o manejo das intervenções terapêuticas de ordem pulmonar, minimizando os sintomas e, eventualmente, melhorando a capacidade funcional e a qualidade de vida. Os resultados das avaliações não somente ao repouso, mas durante o exercício podem ser o grande diferencial no melhor entendimento fisiológico desta doença, principalmente nos casos mais iniciais da ELA. (AU)

Modulação autonômica e ajustes da frequência cardíaca e da variabilidade da frequência cardíaca durante exercício físico em crianças obesas

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Filosofia e Ciências (FFC). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Marília. Marília, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Robison José Quitério
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:14/16417-0
Vigência: 01 de novembro de 2014 - 31 de outubro de 2015
Assunto(s):Atividade físicaSistema nervoso autônomoObesidade
Resumo
Introdução e justificativa: A obesidade infantil tornou-se um grave problema de saúde pública e está associada ao desenvolvimento de comorbidades cardiovasculares e metabólicas, dentre as quais, o comprometimento da função neurocardíaca, o que evidencia a importância do estudo da variabilidade da frequência cardíaca (VFC), ferramenta útil no diagnóstico precoce de disfunções autonômicas. Objetivos: Investigar a modulação autonômica cardíaca em repouso e os ajustes da frequência cardíaca (FC) e sua variabilidade ao exercício físico isométrico submáximo em crianças obesas. Material e métodos: Um grupo de crianças obesas será submetido à coleta de amostras de sangue para análise de triglicérides, colesterol total, lipoproteína de alta densidade, lipoproteína de baixa densidade e glicemia. A FC e os intervalos R-R (iR-R) instantâneos serão gravados em repouso com respiração espontânea, na postura sentada por vinte minutos e analisados a partir da análise do plot de recorrência (PR). Serão realizados dois testes de contração isométrica voluntária submáxima (CIVS): um com 20% e outro com 40% da força máxima, durante dois minutos ou até exaustão. A FC e os iRR serão registrados continuamente durante 65 s de repouso, durante a contração isométrica e 5 minutos de recuperação. A partir desses dados serão estudados os ajustes da FC e da sua variabilidade durante o esforço e no período de recuperação. Hipóteses: crianças obesas apresentam menores respostas da FC durante os segundos iniciais (vago-dependente), maiores em durações maiores e recuperação mais lenta, devido alterações na modulação autonômica. (AU)

Capacidade física, função muscular periférica, processo inflamatório e qualidade de vida em crianças e adolescentes com asma antes e após programa de reabilitação pulmonar

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Universidade Nove de Julho (UNINOVE). Campus Vergueiro. São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Fernanda de Cordoba Lanza
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Processo:14/20857-6
Vigência: 01 de novembro de 2014 - 31 de julho de 2016
Assunto(s):AsmaReabilitaçãoAdolescentesCrianças
Resumo
A asma é uma das principais doenças crônicas da infância, que cursa com inflamação das vias aéreas. Associada à essa inflação está a hiperresponsividade das vias aéreas que ocasiona episódios recorrentes de sibilos, falta de ar, e tosse, particularmente pela noite ou início da manhã. A cronicidade dessa doença gera maior suscetibilidade à redução na tolerância ao exercício devido a limitação pulmonar. As alterações na capacidade funcional, o padrão inflamatório e a força muscular periférica ainda não foi devidamente abordado na população infantil com diagnóstico de asma. Objetivo: Avaliar a capacidade física, função muscular periférica, e marcadores inflamatórios em crianças e adolescentes asmáticos e observar essas variáveis após programam de reabilitação pulmonar. Esse projeto consta de duas fases: fase I: estudo transversal no qual será feita a comparação das variáveis do grupo asma com um grupo controle pareado por idade e gênero, e fase II que constará de um ensaio clínico randomizado para determinar os efeitos da reabilitação pulmonar nos voluntários asmáticos. As seguintes avaliações serão feitas na fase I para o grupo asma e controle: questionário de qualidade de vida (PaQLq), capacidade física (teste de exercício cardiopulmonar, shuttle teste, nível de atividade física), regulação autonômica cardiovascular (variabilidade da FC), força de músculo periférico (RM, contração voluntária máxima, eletromiografia), inflamação (TNF alfa, IL-4, IL-5, IL-10, IL-13, PCR). Na fase II, os voluntários do grupo asma serão randomizados em grupo reabilitação e grupo convencional. Grupo reabilitação fará exercício físico aeróbio, e o grupo convencional fará exercícios respiratórios. Serão feitas 2 sessões semanais de 6minutos, por 8 semanas. Ao término, as mesmas avaliações da fase I serão feitas para comparação entre os grupos. Resultados esperados: espera-se determinar as diferenças de capacidade cardiopulmonar, muscular periférica e inflamatória de crianças e adolescentes asmáticos e identificar os benefícios da reabilitação pulmonar nessa população, como melhora na capacidade funcional, na força muscular e alteração no padrão inflamatório. Assim, termos maior respaldo na identificação dos benefícios do exercício físico na asma. (AU)

Ferramenta para monitoramento de níveis de fragilidade e fatores associados em idosos atendidos pelo Núcleo de Apoio a Saúde da Família (NASF) no Município de São Carlos

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Marisa Silvana Zazzetta
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Saúde Coletiva - Saúde Pública
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Processo:14/22403-2
Vigência: 01 de novembro de 2014 - 31 de janeiro de 2015
Convênio/Acordo de cooperação com a FAPESP: CNPq - PPSUS
Assunto(s):Idoso fragilizadoInformática médicaSaúde do idosoSaúde da famíliaDoença de AlzheimerSarcopenia
Resumo
A Política Nacional de Saúde da Pessoa Idosa (PNSI) propõe detectar problemas de saúde e indícios de fragilidade, para um melhor atendimento ao idoso e consequentemente melhora na sua qualidade de vida. Entretanto, ferramentas que facilitem as ações efetivas dessas políticas são escassas no planejamento e monitoramento das condições de fragilidade dos usuários no Sistema Único de Saúde (SUS). Objetivo: Desenvolver e testar um algoritmo que funcione como ferramenta, para monitoramento de níveis de fragilidade e fatores associados em idosos atendidos pelo Núcleo de Apoio à Saúde da Família (NASF) em um município do interior paulista. Método: Trata-se de um estudo observacional longitudinal com duas fases: 1) Diagnóstico de fragilidade em idosos 2) Confecção e teste de uma ferramenta de monitoramento de fragilidade e fatores associados. Serão avaliados 703 idosos (321 homens, 382 mulheres) atendidos pelo NASF da região de alta vulnerabilidade. Primeiramente, será realizado um diagnóstico de fragilidade de modo subjetivo associado à classificação de fenótipo proposta por Fried e por meio da Escala de Fragilidade de Edmonton. Além disso, serão avaliadas: características sociodemográficas, cognição, humor, equilíbrio, medo de cair, dor, independência nas atividades básicas e instrumentais de vida diária, nível de atividade física, comportamento nutricional, risco de diabetes e doença renal, suporte social e necessidade de cuidado e será realizada a análise de marcadores biológicos sanguíneos para doença de Alzheimer (ADAM10) e sarcopenia (IL6). Um algoritmo será criado para direcionar o atendimento dos idosos de acordo com os níveis de fragilidade (não frágeis, pré-frágeis e frágeis) e sua viabilidade será testada em 10% da amostra, de forma aleatória. Palavras-chaves: idoso fragilizado, vulnerabilidade em saúde, Saúde do idoso, Saúde da Família, Saúde pública, informática médica. (AU)

Promoção de atividade física para adultos e idosos com alta vulnerabilidade: avaliação de um programa de caminhada em Unidades Saúde da Família

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Grace Angélica de Oliveira Gomes
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Educação Física
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:14/03909-2
Vigência: 01 de novembro de 2014 - 31 de outubro de 2016
Assunto(s):Políticas públicasSaúde públicaAtividade físicaCaminhadaIdososAdultosSaúde da família
Resumo
Diante da alta prevalência de inatividade física (AF) no mundo e no Brasil, o oferecimento de programas de atividade física torna-se uma opção conveniente para aumentar o nível de atividade física da população e promover um processo de envelhecimento mais ativo e saudável ao longo da vida. Existe a necessidade de maior aprofundamento em relação ao funcionamento e efetividade de programas de promoção de atividade física e dos efeitos desses programas nos níveis de atividade física, em especial na Atenção Básica de Saúde. Diante disto, esta pesquisa tem por objetivo avaliar um programa de caminhada orientada para adultos e idosos sobre os seguintes aspectos: 1) Descrição do funcionamento e características da intervenção; 2) Efeitos de mudança de comportamento para prática regular atividade física e, 3) efeitos biopsicossociais da atividade física. É uma pesquisa de delineamento quase experimental e controlado, com a participação de: 1)grupo intervenção (n=71) e 2) grupo controle (n=71). A intervenção terá duração de seis meses, com um período posterior de acompanhamento de seis meses após a intervenção. O programa oferecerá exercícios físicos supervisionados duas vezes por semana, com duração de uma hora. As aulas serão compostas de atividades recreacionais, caminhada e estratégias educativas de mudança de comportamento para atividade física. Serão avaliadas as variáveis de adesão, aderência, barreiras para atividade física, motivos de desistência, nível de atividade física, características sociodemográficas, socioeconômicas e aspectos biopsicossociais. Espera-se encontrar maioria dos indivíduos do sexo feminino, na faixa etária acima de 40 anos, baixos níveis de escolaridade e renda, e características biopsicossociais diversas. Espera-se que o programa apresente características de baixa adesão e aderência, principalmente pela barreira falta de tempo e doenças. Após a intervenção, espera-se que a promoção de caminhada orientada aumente os níveis de atividade física para além do tempo oferecido pelo programa e melhore as condições biopsicossociais dos participantes. (AU)

Melhoria dos desequilíbrios autonômicos da velhice com exercício explorando os mecanismos moleculares e fisiológicos

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Lisete Compagno Michelini
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Processo:14/19515-3
Vigência: 01 de outubro de 2014 - 30 de setembro de 2015
Assunto(s):HipertensãoFisiologia cardiovascular
Resumo
Uma das conquistas da medicina do último século - o aumento da vida média da população mundial - não tem sido acompanhado da melhora da qualidade de vida do indivíduo idoso, uma vez que o balanço autonômico sobre o coração e vasos, assim como os diferentes sistemas homeostáticos de controle deterioram-se com o passar dos anos. O envelhecimento atua sobre os mecanismos autonômicos prejudicando o balanço entre a ação vagal ("breque") e simpática ("acelerador", com predomínio desta), o que determina aumento da morbidade. Este prejuízo ao controle autonômico da circulação tem sido indicado como a via final comum na hipertensão e outras patologias cardiovasculares como a insuficiência cardíaca, a obesidade, diabetes, etc. A hipertensão espontânea (ratos SHR, o qual tem sido indicado como o melhor modelo experimental) cursa com prejuízo do balanço autonômico que se manifesta antes da elevação da pressão arterial e mantém-se durante toda a vida. Em trabalhos anteriores identificamos em SHR adultos (5 a 6 meses de idade vs controles normotensos, WKY) importante hipertonia simpática e expressão diferencial de cerca de 212 genes em áreas encefálicas envolvidas no controle autonômico (PVN, NTS, RVLM , NA e DMV), 7 dos quais mostraram-se específicos em alterar a homeostase cardiovascular (prejuízo do controle reflexo da circulação, elevação da PA e FC). Identificamos também que o estilo de vida sedentário (S) constitui-se em fator de risco da disfunção autonômica, mas o treinamento aeróbio de baixa intensidade (T) previne e/ou melhora o controle reflexo da circulação, aumenta o tônus vagal e reduz a atividade simpática periférica, promovendo quedas parciais da PA e FC basais. Simultaneamente aos ajustes funcionais o T induzia plasticidade neuronal em áreas autonômicas, atribuída a alterações na expressão gênica e proteica de mediadores e/ou neurotransmissores (por exemplo, aumento da expressão de fatores neurotróficos e da decarboxilase do ácido glutâmico no PVN e RVLM de WKY e SHR; redução da expressão de angiotensinogênio e receptor AT1a no PVN e NTS de SHR). Não se sabe, no entanto, se o T afetaria a expressão de outros genes em áreas de controle autonômico, se o efeito do T difere entre SHR e WKY e se estes efeitos seriam ou não modificados pelo envelhecimento. Partindo do pressuposto que o balanço autonômico é ideal em normotensos jovens, é nossa hipótese de trabalho que o desenvolvimento e/ou manutenção do prejuízo do balanço simpato-vagal (com importantes perdas funcionais) induzido pela hipertensão e/ou envelhecimento encontra-se associado à alteração na expressão de um grande número de genes em áreas centrais de integração autonômica, a qual pode ser modificada e/ou corrigida pela atividade física regular. Pretendemos, portanto, identificar em SHR e WKY, nas diferentes faixas etárias, os genes ativados pela hipertensão, pelo T e pela associação de ambos. São objetivos deste estudo, utilizando-se SHR e WKY jovens (1 mês de idade) e velhos (12 meses de idade): 1) identificar os efeitos do T e S sobre a expressão de diferentes genes em áreas centrais de integração autonômica, associando-os aos ajustes da atividade simpática e vagal e suas repercussões funcionais; 2) comparar aos SHR e WKY adultos (estudos já publicados por nossos grupos) os ajustes funcionais e a expressão gênica/proteica induzidos pelo T realizado na fase pré-hipertensiva, na hipertensão crônica e na idade avançada, quando os déficits funcionais advindos da hipertensão ainda não se estabeleceram ou se encontram perfeitamente caracterizados; 3) identificar, através da análise do transcriptoma, possíveis 'networks' que determinem os efeitos induzidos pelo envelhecimento e atividade física; 4) confirmar por meio de registros funcionais (PA, FC, teste do barorreflexo)a importância funcional destes 'networks' pela alteração in vivo da expressão de genes-chave identificados (técnica de transferência gênica). (AU)

Modulação da expressão hepática do receptor GPR120 mediada por exercício físico em roedores obesos

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências Aplicadas (FCA). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Limeira, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Dennys Esper Corrêa Cintra
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Nutrição
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Processo:14/15258-6
Vigência: 01 de outubro de 2014 - 31 de janeiro de 2016
Convênio/Acordo de cooperação com a FAPESP: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Assunto(s):NutrigenômicaÁcidos graxos insaturados
Resumo
A obesidade é atualmente uma condição absolutamente fora de controle, onde drogas antiobesogênicas ou procedimentos cirúrgicos (bariátrica) se mostram ineficazes. Entre a miríade de doenças agregadas à obesidade, o diabetes tipo 2 (DM2) se destaca como o ápice do descontrole da doença metabólica. Nesse ínterim, as alterações no estilo de vida continuam, portanto, sendo o instrumento fundamental. A inflamação crônica e de baixo grau é o pano de fundo para o desarranjo metabólico e, neste contexto, o fígado surge como um dos principais órgãos afetados. Em linhas gerais, os ácidos graxos insaturados da série ômega-3 (w3) podem ajudar a reverter o processo, através do seu receptor GPR120, o qual desacopla o processo inflamatório oriundo de receptores do tipo Toll e TNF-±. Não obstante e, de forma independente, o exercício físico também interfere negativamente na progressão do processo inflamatório. Nesse intuito, o presente projeto visa avaliar a ação do exercício físico somada à nutrição, uma vez que a atividade física parece ser capaz de modular a expressão de receptores do tipo GPR120. Portanto, ao se utilizar esses dois instrumentos de forma coordenada, poderemos ter a recuperação do processo metabólico orquestrado pelo fígado de forma mais competente. Os desfechos em fisiogenômica e a nutrigenômica neste estudo poderão talvez inaugurar novos tipos de estratégias, ainda que baseadas nas velhas ciências, as nutricionais e a do esporte. (AU)

Prevenção da depressão e ansiedade Subsindrômicas em idosos: o papel da atividade física

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Psiquiatria Doutor Antonio Carlos Pacheco e Silva (IPq). Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Cássio Machado de Campos Bottino
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Psiquiatria
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Processo:14/10499-5
Vigência: 01 de outubro de 2014 - 30 de setembro de 2016
Assunto(s):Atividade físicaIdososDepressão
Resumo
Com o crescimento da população idosa brasileira e o crescente impacto da depressão, tem se destacado a importância da prevenção deste transtorno. Estudos têm demonstrado uma relação inversa entre os índices de depressão e a prática de atividade física. O presente estudo constitui um braço do estudo principal "Prevenção e Tratamento da Depressão em Idosos: Um Estudo de Base Populacional" (Projeto Temático FAPESP no 2012/50010-0), no qual serão rastreados usuários (n=2.700) de Unidades Básicas de Saúde da região do Butantã, na cidade de São Paulo, com 60 anos ou mais, para identificar sintomas depressivos e/ou ansiosos subsindrômicos. Os idosos serão posteriormente avaliados com uma entrevista psiquiátrica estruturada, para o cálculo da prevalência de sintomas subsindrômicos, e de transtornos de depressão e ansiedade. Aqueles com sintomas subsindrômicos que não preencherem critérios para transtornos depressivos e/ou ansiosos serão convidados a participar de um ensaio clínico randomizado com 3 grupos de intervenção: programa de cuidados preventivos passo a passo (n = 90), utilizando técnicas psicoeducacionais e cognitivo-comportamentais; programa de cuidados preventivos passo a passo (n = 90), utilizando atividade física; e cuidados usuais (n = 90). A principal medida de desfecho será a incidência acumulada de transtorno depressivo maior, ou de transtornos de ansiedade, após 12 meses. O presente estudo comparará a efetividade da atividade física na prevenção da depressão e ansiedade subsindrômicas, bem como as mudanças ocorridas nos parâmetros físicos e laboratoriais, em comparação aos grupos de cuidados usuais e intervenções cognitivas. (AU)

Avaliação do papel modulador da ouabaína no eixo hipotalâmico-pituitário-adrenal em ratos submetidos ao estresse crônico imprevisível

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Cristoforo Scavone
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Farmacologia Bioquímica e Molecular
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Processo:14/10171-0
Vigência: 01 de outubro de 2014 - 31 de maio de 2017
Convênio/Acordo de cooperação com a FAPESP: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Assunto(s):NeurofarmacologiaGlucocorticoidesHipotálamoOuabaína
Resumo
A ouabaína (OUA) é um glicosídeo cardiotônico conhecido por inibir a proteína Na+/K+-ATPase. Este digitálico pode ser encontrado no plasma humano e sua síntese modificada de acordo com o estado fisiológico do organismo. Além disso, tem sido demonstrada a participação da OUA na resposta do organismo ao estresse agudo, onde o exercício físico é capaz de aumentar seus níveis em ratos, cachorros e seres humanos minutos após o início da atividade física. Durante um estímulo estressor ocorre a ativação do eixo hipotálamo-pituitária-adrenal (HPA), onde o CRH ativa o eixo HPA estimulando a liberação de ACTH pela hipófase. O ACTH, em seguida, age em receptores no córtex da glândula adrenal para estimular a síntese e liberação de glicocorticóides, que por retroalimentação negativo inibi a produção de CRH a partir do hipotálamo. As mudanças em curto prazo que ocorrem no eixo HPA, preparam o organismo para enfrentar diferentes estímulos ambientais. No entanto, sua ativação crônica afeta a saúde, tornando o indivíduo mais suscetível a infecções, tumores, hipertensão, ataque cardíaco, acidente vascular cerebral, auto-imunidade e psicopatologias. Estudos mostram que a OUA interfere no transporte do CRH para a circulação sistêmia e que esse digitálico é liberado em momentos diferentes da corticosterona durante o estresse agudo, indicando assim, um possível papel rugulador para a OUA durante sintuações de estresse. Apesar destes resultados relacionando a participação da OUA durante o estresse agudo, não existe dados na literatura sobre sua participação no estresse crônico. Diante disso, este trabalho busca investigar o efeito molecular do tratamento crônico com ouabaína no eixo HPA de ratos expostos ao estresse crônico imprevisível. A compreensão dos mecanismos envolvidos na modulação do estresse crônico na presença de OUA irá revelar dados inéditos que permitirão esclarecer o papel regulador da OUA na resposta ao estresse, que tem sido associado a diversas doenças na sociedade moderna. (AU)

Papel da atividade física na prevenção da hiperplasia prostática e da disfunção vesical em ratos com síndrome metabólica

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Alberto Azoubel Antunes
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:14/08368-0
Vigência: 01 de outubro de 2014 - 30 de setembro de 2016
Assunto(s):Atividade físicaSíndrome x metabólicaUrologia
Resumo
Em virtude da alta prevalência da HPB na população geral, é de suma importância o correto entendimento de fatores potencialmente modificáveis para o seu desenvolvimento. O primeiro passo para o conhecimento dos exatos mecanismos pelo qual a SM estimula o crescimento da próstata e alterações estruturais na bexiga é criar condições ideais de estímulo através de um modelo experimental e averiguar as alterações histológicas e moleculares que a mesma provoca no tecido prostático e vesical. Estas condições são difíceis de serem reproduzidas em um estudo clínico com seres humanos devido à dificuldade em reunir indivíduos com características clínicas homogêneas. Deste modo, acreditamos que o caminho ideal para entender a relação entre SM e HPB/LUTS é o estudo dos potenciais mecanismos biológicos envolvidos em modelos experimentais. Finalmente, para compreender os mecanismos através dos quais a atividade física interfere nos mecanismos patogênicos da HPB e da hiperatividade vesical, é necessário introduzir neste modelo experimental, um modelo de atividade física. (AU)

Análise da reação inflamatória nasal e sistêmica em cortadores de cana-de-açúcar submetidos à intensa atividade física e exposição a poluição atmosférica

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Presidente Prudente. Presidente Prudente, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Dionei Ramos
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Processo:14/08029-0
Vigência: 01 de setembro de 2014 - 31 de julho de 2015
Assunto(s):Esforço físicoInflamaçãoPoluição do arTrabalhador ruralCana-de-açúcar
Resumo
INTRODUÇÃO: A colheita da cana-de-açúcar precedida por sua queima expõe os trabalhadores a altas concentrações de poluentes que somados aos efeitos do trabalho físico extenuante podem acarretar aumento na liberação de mediadores inflamatórios tanto nasal como sistêmico. Contudo, as consequências da exposição à poluição da queima de biomassa somadas as condições peculiares de trabalho na inflamação nasal e sistêmica ainda são pouco estudadas em cortadores de cana. OBJETIVOS: Avaliar os impactos do estresse físico e poluição atmosférica somada as condições da jornada de trabalho sobre os marcadores inflamatórios nasais e sistêmicos de cortadores de cana-de-açúcar do Oeste do Estado de São Paulo. MÉTODOS: serão avaliados cortadores de cana-de-açúcar, do gênero masculino, com idade entre 18 e 45 anos, tabagistas e não tabagistas. As avaliações serão realizadas no campo de plantação de cana-de-açúcar, onde os voluntários serão previamente entrevistados por meio de questionários. Além de avaliações dos sinais vitais, monóxido de carbono no ar exalado (COex), coleta de lavado nasal (LN) e coleta de sangue, nos seguintes momento: (a)período entressafra; (b)período safra. Todas as avaliações serão realizadas no período da manhã entre sete e nove horas. ANÁLISE ESTATÍSTICA: A normalidade dos dados será avaliada por meio do teste de shapiro-wilk. Para análise intergrupos será utilizado o teste t não pareado ou teste de Mann-Whitney e para análise intragrupos, será utilizado ANOVA para medidas repetidas seguida de teste de Tukey ou Friedman seguido do teste de Dunn de acordo com a normalidade dos dados. Correlações serão avaliadas por meio dos coeficientes de Pearson ou Spearman. O nível de significância utilizado será de p<0.05. (AU)

Influência do comportamento sedentário na função influência do comportamento sedentário na função ventricular diastólica e na capacidade funcional de pacientes com insuficiência cardíaca e fração de ejeção reduzida

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina (FMB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Meliza Goi Roscani
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:13/24872-7
Vigência: 01 de setembro de 2014 - 31 de agosto de 2015
Assunto(s):Disfunção ventricular esquerdaSedentarismoEcocardiografiaCardiologia
Resumo
Proposta: A insuficiência cardíaca (IC) é uma síndrome complexa e multifatorial sendo a causa mais prevalente de internações por doenças cardiovasculares. O diagnóstico está associado a prognóstico desfavorável em mais de 40% dos casos. Existe consenso na literatura de que estilo de vida não sedentário melhora a qualidade de vida e capacidade funcional de pacientes com IC com FEVE reduzida ou preservada. Os resultados ainda são controversos quanto aos fatores associados a esses efeitos benéficos. Alguns estudos mostraram efeitos benéficos da atividade física na função diastólica. Tendo em vista a importância da pressão de enchimento do ventrículo esquerdo (VE) na sintomatologia dos pacientes com insuficiência cardíaca e na maior tolerância ao exercício, suspeita-se que o comportamento sedentário influencie negativamente na função diastólica de pacientes com IC e FEVE reduzida. Objetivos: avaliar a influência da história de sedentarismo na função diastólica e na capacidade funcional de pacientes com IC e FEVE reduzida. Metodologia: Estudo prospectivo transversal em 40 pacientes com IC com FEVE inferior a 50%, com terapia clínica optimizada e sem episódios de descompensação nos três últimos meses. Será aplicada escala de sedentarismo (IPAQ) nesses pacientes sendo então divididos em dois grupos: sedentários (S) e não sedentários (NS). A seguir, avaliações clínicas, teste de caminhada de 6 minutos e ecocardiograma serão realizadas para avaliação da capacidade funcional e função diastólica dos pacientes. Análise estatística por meio de teste T de Student será realizada para comparação entre os grupos em relação à função diastólica e capacidade funcional. Resultados esperados: espera-se piora na função diastólica e da capacidade funcional dos pacientes do grupo S. (AU)

Avaliação dos efeitos da prática de atividade física na aptidão física relacionada à saúde de pessoas vivendo com HIV/AIDS em uso de terapia antirretroviral de alta atividade

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Aluisio Augusto Cotrim Segurado
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Processo:14/16765-9
Vigência: 01 de setembro de 2014 - 28 de fevereiro de 2015
Assunto(s):AidsAtividade físicaHivQualidade de vidaObesidadeInfectologia
Resumo
Estudos experimentais realizados com amostras de mulheres e homens vivendo com HIV/aids em uso de terapia antirretroviral de alta atividade têm mostrado que exercícios físicos para melhorar a força muscular e a capacidade cardiorrespiratória contribuíram de forma significativa para diminuir a gordura centrípeta (tanto visceral como subcutânea) como para a melhora a aptidão física relacionada à saúde e melhora da qualidade de vida (Agin et al. 2001; Yarasheshi et al. 2001;Jones et al. 2001; Lindegaard et al. 2008; Roubenoff et al. 1999a; Roubenoff et al. 1999b; Robinson et al. 2007; Terry et al. 2006). Avaliação dos efeitos da prática de atividade física na prevenção primária de alterações morfológicas e da bioquímica lipídica e glicídica sanguíneas e sobre as alterações inflamatórias, vasculares e na qualidade de vida de pessoas vivendo com HIV/AIDS em uso de terapia antirretroviral de alta atividade será um estudo de intervenção, do tipo ensaio clínico randomizado. A amostra será composta de 78 pacientes atendidos no Instituto de Infectologia Emílio Ribas coligado ao Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, divididos em dois grupos de 39 pessoas (treinamento e controle). O cálculo do tamanho amostral para cada grupo foi baseado no estudo de Yarasheshi et al. (2001), baseando-se nas diferenças médias de mudanças na massa magra antes e após a intervenção de exercício físico. Os participantes deverão ter entre 18 até 59 anos, estar em tratamento antirretroviral com esquema de terapia tripla há no máximoquatro meses, apresentar valores do perímetro de cintura inferiores a 102 cm para homens e 88 cm para mulheres e estar há pelo menos um mês sem praticar atividades físicas no lazer, esporte e exercício físico. Serão excluídas as pessoas que apresentarem doenças crônicas como diabetes, hipertensão arterial severa, acidente vascular cerebral e câncer, dislipidemias, as mulheres grávidas, as pessoas que estiverem em uso de medicamentos corticosteróides e anabolizantes esteróides ou outros medicamentos que alterem as variáveis a serem estudadas e as pessoas que foram submetidas à cirurgia estética (lipoaspiração, lipoescultura e cirurgia plástica) nos últimos doze meses. O grupo intervenção será submetido ao treinamento de força e treinamento cardiorrespiratório ao longo de seis meses. Todo o protocolo de avaliação será realizado antes do início dos treinamentos e seis meses após os treinamentos (no final da intervenção). Serão avaliados dados antropométricos, de composição corporal e de qualidade de vida. Este bolsista de nível superior deverá ser graduado em Educação Física e irá contribuir no processo de avaliação e principalmente no monitoramento das atividades de intervenção, ficando responsável por analisar os dados das mudanças na aptidão física relacionada à saúde antes e depois do treinamento. Pretende-se realizar todo o processo de treinamento técnico no período de 24 meses para que o bolsista possa se aprimorar cientificamente participando das análises e publicações dos resultados. Este tipo de pesquisa é inovador na área de atividade física e saúde e poderá ser implementado na rede pública de serviços de saúde que atendem pessoas vivendo com HIV/AIDS (AU)

Efeito de um programa de caminhada na qualidade do sono, estresse percebido e obesidade de adultos e idosos atendidos pelo NASF de São Carlos, SP

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Grace Angélica de Oliveira Gomes
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Educação Física
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:13/26814-4
Vigência: 01 de agosto de 2014 - 31 de julho de 2015
Assunto(s):AdultosCaminhadaSaúde públicaSonoAtenção primária à saúdeÍndice de massa corporal
Resumo
A prática regular de atividade física (AF) tem sido apontada como importante fator na manutenção da saúde e prevenção de doenças. Programas de AF vêm sendo oferecidos em contextos de maior vulnerabilidade, visando garantir maior assistência a quem mais precisa. No entanto, estudos de efetividade desses programas na Atenção Básica de Saúde ainda são escassos. Este estudo tem como objetivo avaliar a efetividade de seis meses de oferecimento de um programa de caminhada na qualidade do sono, estresse percebido e Índice de Massa Corporal (IMC). É uma pesquisa de delineamento quase experimental e controlado, com a participação de indivíduos atendidos por três Unidades de Saúde da Família (USF) cobertos pela equipe Núcleo de Apoio Saúde da Família. Participarão da pesquisa indivíduos adultos e idosos de ambos os sexos divididos em dois grupos: 1) grupo intervenção (n=71) e 2) e um grupo controle (n=71). A intervenção terá duração de seis meses, com um período posterior de acompanhamento de seis meses após a intervenção. O programa oferecerá exercícios físicos supervisionados duas vezes por semana, com duração de uma hora. As aulas serão compostas de atividades recreacionais, caminhada e estratégias educativas de mudança de comportamento para AF. A coleta de dados será feita por meio de questionários sobre características sociodemográficas, níveis de AF, qualidade do sono, estresse percebido e IMC. Será considerada a significância de p<0,05. Espera-se que o programa oferecido nas USF seja efetivo, de forma que maiores níveis de AF relacionem-se com melhor qualidade do sono, redução do estresse e menores IMC, o que poderá melhorar a saúde e o bem estar dos participantes. (AU)

Avaliação dos benefícios de programa de exercício físico aeróbio para pessoas com epilepsia de lobo temporal mesial, e as relações com as adaptações cerebrais estruturais e bioquímicas

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Fernando Cendes
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Anatomia Patológica e Patologia Clínica
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Processo:14/05435-8
Vigência: 01 de agosto de 2014 - 31 de julho de 2017
Assunto(s):EpilepsiaExercício físicoNeuroimagemNeurologia
Resumo
Epilepsia de lobo temporal mesial (ELTM) apresenta grande importância clínica, devido à alta prevalência, elevada proporção de pacientes com crises epiléticas refratárias e associação com disfunções cognitivas. As pessoas com ELTM apresentam menor qualidade de vida (QV) e maiores índices de depressão do que a população em geral. Já é sabido que a atividade física (AF) não é um fator precipitante de crises epilépticas, e estudos com animais e humanos mostram seus benefícios para o quadro da doença e para o bem estar emocional dessa população; no entanto, existe ainda uma lacuna no conhecimento de quais são os mecanismos induzidos pela AF que levam às melhoras clínicas e emocionais agudas e crônicas desses pacientes após a prática de uma sessão de exercício físico (EF) e após um programa de EF planejado. Há estudos em modelos animais com epilepsia induzida, que explicam algumas adaptações cerebrais, decorrentes de EF, que estão associados à redução de crises. Os estudos com humanos demonstram a melhora da QV, de índice de depressão, melhora cardiopulmonar e até diminuição da frequência de crises, mas nenhum deles explica os mecanismos neurológicos que levaram a essas melhoras. O presente estudo pretende analisar as adaptações cerebrais estruturais, através de técnicas de neuroimagem em ressonância magnética e bioquímicas, decorrentes de um programa de 32 semanas de EF aeróbio, e relacioná-las com a QV, índice de depressão, intensidade e frequência de crises, memória de longo prazo, frequência e intensidade de crises e a capacidade cardiopulmonar, antes e após o programa. Acreditamos que esta investigação poderá ajudar na melhor compreensão dos mecanismos neurobiológicos que o EF pode proporcionar às pessoas com epilepsia. (AU)

Capacidade física, função muscular periférica, processo inflamatório e qualidade de vida em crianças e adolescentes com asma antes e após programa de reabilitação pulmonar

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Universidade Nove de Julho (UNINOVE). Campus Vergueiro. São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Fernanda de Cordoba Lanza
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:14/12040-0
Vigência: 01 de agosto de 2014 - 31 de julho de 2016
Assunto(s):AsmaReabilitação (terapêutica médica)AdolescentesCrianças
Resumo
A asma é uma das principais doenças crônicas da infância, que cursa com inflamação das vias aéreas. Associada à essa inflação está a hiperresponsividade das vias aéreas que ocasiona episódios recorrentes de sibilos, falta de ar, e tosse, particularmente pela noite ou início da manhã. A cronicidade dessa doença gera maior suscetibilidade à redução na tolerância ao exercício devido a limitação pulmonar. As alterações na capacidade funcional, o padrão inflamatório e a força muscular periférica ainda não foi devidamente abordado na população infantil com diagnóstico de asma. Objetivo: Avaliar a capacidade física, função muscular periférica, e marcadores inflamatórios em crianças e adolescentes asmáticos e observar essas variáveis após programam de reabilitação pulmonar. Esse projeto consta de duas fases: fase I: estudo transversal no qual será feita a comparação das variáveis do grupo asma com um grupo controle pareado por idade e gênero, e fase II que constará de um ensaio clínico randomizado para determinar os efeitos da reabilitação pulmonar nos voluntários asmáticos. As seguintes avaliações serão feitas na fase I para o grupo asma e controle: questionário de qualidade de vida (PaQLq), capacidade física (teste de exercício cardiopulmonar, shuttle teste, nível de atividade física), regulação autonômica cardiovascular (variabilidade da FC), força de músculo periférico (RM, contração voluntária máxima, eletromiografia), inflamação (TNF alfa, IL-4, IL-5, IL-10, IL-13, PCR). Na fase II, os voluntários do grupo asma serão randomizados em grupo reabilitação e grupo convencional. Grupo reabilitação fará exercício físico aeróbio, e o grupo convencional fará exercícios respiratórios. Serão feitas 2 sessões semanais de 6minutos, por 8 semanas. Ao término, as mesmas avaliações da fase I serão feitas para comparação entre os grupos. Resultados esperados: espera-se determinar as diferenças de capacidade cardiopulmonar, muscular periférica e inflamatória de crianças e adolescentes asmáticos e identificar os benefícios da reabilitação pulmonar nessa população, como melhora na capacidade funcional, na força muscular e alteração no padrão inflamatório. Assim, termos maior respaldo na identificação dos benefícios do exercício físico na asma. (AU)

19th Annual Congress of the ECSS

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Presidente Prudente. Presidente Prudente, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Rômulo Araújo Fernandes
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Educação Física
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Reunião - Exterior
Processo:14/07571-6
Vigência: 02 de julho de 2014 - 05 de julho de 2014
Assunto(s):Saúde da criançaAdolescênciaInfânciaAtividade físicaEsportesEventos científicos e de divulgaçãoCongressos

Papel dos receptores P2x4 no aumento da dor muscular induzido pelo exercício físico fatigante

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências Aplicadas (FCA). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Limeira, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Maria Cláudia Gonçalves de Oliveira Fusaro
Anfitrião: Kathleen A. Sluka
Local de pesquisa: University of Iowa (Estados Unidos)
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia Geral
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Pesquisa
Processo:14/01119-4
Vigência: 01 de julho de 2014 - 28 de fevereiro de 2015
Assunto(s):Dor musculoesqueléticaMúsculosCitocinasFadigaReceptores purinérgicos P2X4
Resumo
As dores crônicas de origem musculoesquelética são um grande problema de saúde pública mundial. Elas afetam mais de 47% da população e, por estarem normalmente associadas à fadiga muscular, geram diminuição da prática de atividades físicas e da capacidade para a realização das atividades de vida diárias. Apesar da relevância clínica da dor muscular crônica associada à fadiga muscular, os mecanismos moleculares envolvidos nesse processo são pouco conhecidos. Tem sido descrito que estímulos fatigantes induzem liberação e acúmulo de metabólitos como a molécula de ATP, a qual via ativação de receptores P2X4, podem contribuir para o desenvolvimento da dor muscular. Existem várias evidências demonstrando o envolvimento dos receptores P2X4 na dor crônica, além disso, foi demonstrado que pacientes com síndrome de fadiga crônica, após a realização de exercícios físicos moderados, apresentam aumento no RNAm de receptores P2X4. Portanto, considerando-se as evidências do envolvimento dos receptores P2X4 na dor crônica e na fadiga muscular, o objetivo desse estudo é investigar o papel dos receptores P2X4 no aumento da dor muscular induzido pelo exercício físico fatigante. (AU)

Qualidade de vida relacionada à saúde de idosos praticantes de Hatha yoga

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Fabiana de Souza Orlandi
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Enfermagem
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:13/21731-3
Vigência: 01 de julho de 2014 - 30 de junho de 2015
Assunto(s):Qualidade de vidaSaúde do idosoYogaAtividade motora
Resumo
No contexto do envelhecimento populacional, ocasionado pelas premissas da transição demográfica, da transição epidemiológica e da obtenção de novos hábitos e atitudes sociais, demonstra-se o alcance do prolongamento da vida. Nesse sentido, com o processo de envelhecimento várias limitações surgem, caracterizando quadros de incapacidades. Por isso, a melhoria da Qualidade de Vida torna-se indispensável e técnicas de prevenção, intervenção e promoção para a mesma são buscadas. Além disso, vale destacar os benefícios dos exercícios físicos que estimulam o bem-estar físico e psicológico, a partir do retardo e do tratamento de doenças. Logo, associada às atividades físicas, aconselha-se a prática de Yoga, já que a mesma busca o desenvolvimento da harmonia espiritual do indivíduo através do controle da mente e do corpo. Objetivo: Analisar, longitudinalmente, a qualidade de vida relacionada à saúde de idosos praticantes de Hatha Yoga. Método: Trata-se de um estudo longitudinal, com abordagem quantitativa, que será realizado em dois serviços que oferecem a prática de Hatha Yoga. Serão sujeitos deste estudo, idosos praticantes de Hatha Yoga, que não praticam ou praticaram atividade física nos últimos seis meses. Os idosos que apresentarem os critérios de inclusão definidos, serão entrevistados com a aplicação de um instrumento de caracterização e o questionário de qualidade de vida relacionada à saúde (SF-36). Em seguida será verificado o peso, a estatura e calculado o índice de massa corporal dos mesmos. Cabe informar que os respondentes serão avaliados novamente após seis da primeira entrevista. O projeto foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal de São Carlos sob o parecer nº 181.479. (AU)

Avaliação dos efeitos da prática de atividade física na prevenção primária de alterações morfológicas e da bioquímica glicídica e lipídica sanguínea e sobre as alterações inflamatórias, vasculares e na qualidade de vida de PVHA em uso de TARV

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Aluisio Augusto Cotrim Segurado
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:13/20249-3
Vigência: 01 de julho de 2014 - 30 de junho de 2016
Assunto(s):AIDSHIVTerapia antirretroviral de alta atividadeSobrevidaAtividade físicaQualidade de vidaObesidade
Resumo
A grande evolução ocorrida no tratamento medicamentoso da infecção por HIV/aids, principalmente em relação à terapia antirretroviral de alta atividade, tem garantido um aumento significativo na sobrevida dos indivíduos infectados pelo HIV em diferentes regiões do mundo. Por outro lado, eventos adversos associados à terapêutica vêm sendo descritos em pessoas com HIV/aids em uso de terapia antirretroviral de alta atividade, principalmente o acúmulo de gordura na região central do corpo, que é fator de risco para doenças crônicas como hipertensão arterial e diabetes tipo 2. Associado à dislipidemia, à resistência periférica à insulina e à disfunção vascular, tais alterações podem elevar o risco de doença cardiovascular e óbito nessa população. Estudos têm mostrado que a atividade física contribui para diminuir a gordura corporal em pessoas com HIV/aids em uso de terapia antirretroviral de alta atividade, porém, ainda são escassas as evidências avaliando a atividade física como forma de prevenção primária dessas alterações. O objetivo deste estudo será verificar os efeitos da prática de atividade física como prevenção primária de alterações morfológicas e da bioquímica glicídica e lipídica sanguínea e sobre as concentrações de marcadores pró-inflamatórios sanguíneos, a função vascular e a qualidade de vida de pessoas vivendo com HIV/AIDS em uso de terapia antirretroviral de alta atividade. Este estudo de intervenção consistirá de ensaio clínico randomizado, envolvendo indivíduos acompanhados no Instituto de Infectologia Emílio Ribas - unidade que atende pessoas vivendo com HIV/aids e é coligada ao Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. A amostra será composta de 78 pacientes divididos aleatoriamente em dois grupos de 39 pessoas (treinamento e controle). Os critérios de inclusão serão: 1) Idade entre 18 e 59 anos no momento do convite para participação no estudo; 2) Estar em tratamento antirretroviral com esquema de terapia tripla há no máximo quatro meses na data de abordagem; 3) Ter valores do perímetro de cintura inferiores a 102 cm para homens e 88 cm para mulheres e 4) Estar há pelo menos um mês sem praticar atividades físicas no lazer, esporte e exercício físico. O grupo intervenção será submetido a treinamentos de força e cardiorrespiratório ao longo de seis meses com supervisão de profissionais de Educação Física. As principais variáveis de estudo serão as antropométricas, de composição corporal e de qualidade de vida, sendo também avaliadas a função vascular, o marcador de atividade inflamatória e os dados metabólicos. Para a análise de dados, inicialmente serão descritas as variáveis nos dois grupos de estudo (intervenção e controle) por meio de medidas de tendência central (média) e de dispersão (desvios-padrão). Para a comparação das médias das variáveis de estudo nos dois períodos será utilizado o teste t-student para amostras dependentes ou independentes se as variáveis tiverem aderência à distribuição normal ou Wilcoxon para grupos dependentes e Mann-Whitney para grupos independentes, caso não tenham aderência à distribuição normal. Todas as análises serão realizadas utilizando-se o programa SPSS versão 15.0 Palavras-chave: HIV/aids; Prevenção; Obesidade; Atividade física; Qualidade de vida. (AU)
833 resultado(s)
|
Exportar 0 registro(s) selecionado(s) | Limpar seleção
CDi/FAPESP - Centro de Documentação e Informação da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo

R. Pio XI, 1500 - Alto da Lapa - CEP 05468-901 - São Paulo/SP - Brasil
cdi@fapesp.br - Converse com a FAPESP