site da FAPESP
 

Refine sua pesquisa

Pesquisa
  • Uma ou mais palavras adicionais
Publicações científicas
Auxílios à Pesquisa
Bolsas
Programas voltados a Temas Específicos
Programas de Pesquisa direcionados a Aplicações
Programas de Infraestrutura de Pesquisa
Área do conhecimento
Situação
Ano de início
Página 3 de 322 resultado(s)
|

Efeito do uso de prebiótico, probiótico e simbiótico sobre os tecidos periodontais de ratos fumantes passivos

Processo:15/22837-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência: 01 de janeiro de 2016 - 31 de dezembro de 2016
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Periodontia
Pesquisador responsável:Luciana Prado Maia
Beneficiário:
Instituição-sede: FAC CIENCIAS SAUDE/UNOESTE
Assunto(s):Doenças periodontaisPrebióticosProbióticosSimbióticos
Resumo
Introdução: O fumo é um dos principais fatores de risco para a doença periodontal, aumentando sua prevalência e gravidade. Os alimentos funcionais tem a finalidade de modular o equilíbrio do trato gastrointestinal e ativar o sistema imune, e a literatura vem mostrando resultados promissores no uso de probióticos no controle das doenças periodontais. Objetivo: Avaliar os efeitos dos prebióticos (MOS), probióticos (PRO) e simbióticos (S) sobre o início e progressão da doença periodontal ocasionada pela exposição passiva à fumaça do cigarro em ratos Wistar. Material e Métodos: Serão utilizados 96 ratos machos divididos aleatoriamente em dois grupos: com exposição ao tabagismo por uma hora diária, dividido em dois períodos de meia hora (T) e sem exposição ao tabagismo. Esses dois grupos serão subdivididos de acordo com o protocolo alimentar em: Grupo Controle (GC) = dieta basal; GCT; GMOS; GMOST; GPRO; GPROT; GS; GST. 90 dias após a exposição ao tabagismo, as mandíbulas direitas serão coletadas e processadas para análise histológica e histomorfométrica. Forma de Análise dos Resultados: Será avaliado histomorfometricamente a quantidade de inflamação e perda óssea nos primeiros molares. Os dados serão submetidos a testes de normalidade e posteriormente serão aplicados os testes estatísticos adequados para comparação entre os grupos. Resultados Esperados: Espera-se demonstrar que o uso da associação de probióticos, prebióticos e simbióticos poderá ser considerada um importante aliado no tratamento da doença periodontal em fumantes passivos. (AU)

Abordagem combinada de compostos bioativos sobre biomarcadores de risco para aterosclerose: Parte II

Processo:15/16243-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de novembro de 2015 - 31 de outubro de 2017
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos - Ciência de Alimentos
Pesquisador responsável:Inar Alves de Castro
Beneficiário:
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Assunto(s):Estresse oxidativoÁcidos graxos ômega-3FitosteróisAteroscleroseAlimentosAlimentos funcionais
Resumo
A aterosclerose, uma importante causa de morbidade e mortalidade em todo o globo, é uma doença complexa e multifatorial desencadeada especialmente devido elevados níveis de lipídeos plasmáticos e que envolve três principais condições: inflamação crônica, dislipidemia e estresse oxidativo. Considerando os elevados custos envolvidos no tratamento da doença e suas comorbidades, iminência do tratamento subótimo e ainda baixa aderência à medicação, o uso combinado de compostos bioativos naturais, capazes de reduzir o risco para aterosclerose, pode promover proteção adicional. Neste estudo, serão avaliados os efeitos de três componentes bioativos (ômega-3, fitosteróis e chá verde), sobre biomarcadores de risco para aterosclerose em indivíduos com dislipidemia e diabetes controladas por fármacos. Será realizado um estudo clínico randomizado, de delineamento crossover, com a participação de 70 voluntários. A cada período de intervenção os participantes receberão um pacote para o tratamento funcional ou controle. O tratamento funcional será composto por cápsulas de ômega 3 (óleo de peixe) chocolate contendo fitosteróis e chá verde. O tratamento controle será composto por cápsulas de óleo de soja, chocolate sem adição de fitosteróis e chá de anis. Os voluntários serão orientados a consumir as cápsulas e o chocolate duas vezes ao dia após as principais refeições, e a consumir duas xícaras de chá verde ao dia. Após avaliação dos biomarcadores de inflamação, dislipidemia e estresse oxidativo, os voluntários que apresentarem melhores respostas ao tratamento funcional, serão selecionados para um período adicional de tratamento funcional associado à redução das dosagens de drogas hipolipidêmicas, a ser realizado individualmente pelo médico responsável. (AU)

Efeito do uso de prebióticos na progressão da doença periodontal induzida por ligadura em ratos

Processo:15/02564-4
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de outubro de 2015 - 30 de setembro de 2016
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Periodontia
Pesquisador responsável:Luciana Prado Maia
Beneficiário:
Instituição-sede: FAC CIENCIAS SAUDE/UNOESTE
Pesq. associados:

Rodrigo Antonio Carvalho Andraus ; Hermann Bremer Neto

Assunto(s):Doenças periodontaisPrebióticosInflamaçãoModelos animais
Resumo
A literatura vem mostrando resultados promissores no uso de alimentos funcionais no controle da gengivite e periodontite, contudo, o uso de prebióticos [MANANOLIGOSSACARÍDEOS (MOS)] ainda não foi investigado. O objetivo do presente estudo é avaliar, por meio de análises histológica e histométrica, o efeito da administração de MOS (Preb) na progressão da doença periodontal (DP) em ratos com periodontite induzida por ligaduras Serão utilizados 40 ratos machos aleatoriamente divididos nos seguintes grupos: GC (grupo controle), GDP (grupo doença periodontal induzida por ligadura), GC-Preb (grupo controle + administração sistêmica de prebiótico) e GDP+Preb (grupo doença periodontal + administração sistêmica de prebiótico). Nos grupos GC-Preb e GDP-Preb será utilizada ração balanceada incorporada com 1g do prebiótico por kg da dieta, iniciando 30 dias antes da indução da DP. Os animais serão eutanasiados 14 dias após o início da indução da DP e as hemi-mandíbulas serão processadas para análise histológica e histométrica. Os dados obtidos serão agrupados por grupos experimentais e analisados de acordo com a normalidade, considerando o nível crítico para rejeição de hipótese de nulidade menor que 5% (p<0,05). Espera-se com este estudo demonstrar que o uso de prebióticos poderá ser considerado uma importante terapia ou mitigador no tratamento da DP. (AU)

Avaliação de dietas enriquecidas com coproduto do processamento da amêndoa macadâmia para ovinos: digestibilidade aparente, desempenho, características de carcaça e carne e potencial de mitigação de metano

Processo:15/06524-7
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de outubro de 2015 - 30 de setembro de 2017
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Zootecnia - Produção Animal
Pesquisador responsável:Ricardo Lopes Dias da Costa
Beneficiário:
Instituição-sede: Instituto de Zootecnia. Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA). Secretaria de Agricultura e Abastecimento (São Paulo - Estado). Nova Odessa, SP, Brasil
Pesq. associados:

Mauro Sartori Bueno ; Helder Louvandini ; Marcia Mayumi Harada Haguiwara ; Adibe Luiz Abdalla

Assunto(s):Ácidos graxos essenciaisAlimentos funcionaisMacadâmiaGases
Resumo
O uso da amêndoa de macadâmia pela indústria é crescente, sendo utilizada para consumo in natura, em alimentos processados, ou para extração de óleo para fins alimentares e para a indústria de cosmético. É rica em óleo com alto teor de ácidos graxos insaturados como os ácidos palmitoléico, oléico, linoléico e linolênico o que também a caracteriza como alimento funcional. Geralmente, o coproduto gerado na extração do óleo não passa por processo de agregação de valor porque são desconhecidas as suas potencialidades nutricionais e econômicas. Considerando a alimentação animal como elo entre a indústria da macadâmia e a pecuária, propomos o estudo da utilização do coproduto resultante do processo de extração de óleo da amêndoa macadâmia na alimentação de cordeiros em terminação visando melhorar o desempenho dos animais, a qualidade de carcaça e carne, e contribuir para o menor impacto ambiental pela redução da emissão de metano entérico, gerando assim, a possibilidade de desenvolvimento de uma rota alternativa para este tipo de material. Para isto serão realizados ensaios de digestibilidade "in vivo" das dietas, assim como, avaliações de parâmetros ruminais dos animais, avaliação do desempenho em confinamento, da qualidade da carcaça e da carne e o potencial de mitigação de metano entérico do coproduto da macadâmia. Os tratamentos propostos serão compostos por diferentes níveis de inclusão (0, 8, 16 e 24 %) deste coproduto no concentrado que será ofertado aos animais. O alimento a ser testado será fornecido pela empresa QueenNut Macadâmia que através do projeto FAPESP (Processo:13/19023-0) tem gerado este tipo de material. (AU)

Efeito do tratamento de células de câncer com pectinas de diferentes tipos de vegetais

Processo:15/15661-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência: 01 de setembro de 2015 - 31 de julho de 2016
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos - Ciência de Alimentos
Pesquisador responsável:Joao Paulo Fabi
Beneficiário:
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:12/23970-2 - Alterações biológicas das pectinas de mamão com possíveis benefícios à saúde humana, AP.JP
Assunto(s):PectinasChuchu
Resumo
A parede celular dos vegetais é composta por frações de polissacarídeos indisponíveis para absorção humana, sendo que as pectinas fazem parte dessa fração. Quando as pectinas possuem alta quantidade de galactanos de baixo peso molecular, indicativos mostram que o seu consumo pode levar a uma inibição do início e progressão de certos tipos de câncer, pois esses compostos poderiam exercer ação sistêmica quando absorvidos pela mucosa intestinal. Dessa maneira, pectinas extraídas e modificadas de três tipos de vegetais distintos terão os seus prováveis efeitos benéficos medidos através do tratamento de cultura de células de câncer de cólon. As pectinas utilizadas nos experimentos serão as extraídas de mamões maduros, as modificadas quimicamente de citros e as modificadas termicamente de chuchu, visto que dados prévios demonstraram que essas três formas de pectinas são ricas em galactanos. Os resultados obtidos poderão indicar uma nova tendência no desenvolvimento de alimentos funcionais derivados das pectinas de vegetais. (AU)

Seleção de microrganismos isolados de tilápia para utilização como probiótico em peixes

Processo:15/16974-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência: 01 de setembro de 2015 - 31 de agosto de 2017
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Recursos Pesqueiros e Engenharia de Pesca - Aquicultura
Pesquisador responsável:Danielle de Carla Dias
Beneficiário:
Instituição-sede: Instituto de Pesca. Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA). Secretaria de Agricultura e Abastecimento (São Paulo - Estado). São Paulo, SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:14/15390-1 - Seleção de microrganismos isolados de tilápia para utilização como probiótico em peixes, AP.JP
Assunto(s):Microbiologia
Resumo
Nos últimos anos têm-se intensificado o número de pesquisas voltadas ao desenvolvimento de alimentos funcionais e de substâncias que promovam o aumento na eficiência alimentar e na taxa de crescimento dos peixes. Dentre os alimentos funcionais, ou seja, alimentos que fornecem a nutrição básica e a melhora da saúde de peixes encontram-se os probióticos. Esses elementos possuem potencial para promover a saúde por meio de mecanismos não previstos pela nutrição convencional. Os probióticos são suplementos alimentares compostos de microorganismos vivos que beneficiam a saúde do hospedeiro, através do equilíbrio da microbiota intestinal. Objetiva-se com este estudo selecionar bactérias probióticas para peixes de água doce, isoladas do intestino e pele de tilápia, Oreochromis niloticus. Serão selecionadas as bactérias, que mostrarem efeitos positivos na capacidade de adesão, capacidade de colonização, e de multiplicação proveniente de material mucoso de pele e de intestino, sobrevivência na presença de bílis e capacidade de inibir os microorganismos patogênicos por meio de substâncias antimicrobianas. Serão realizados também, testes com as possíveis bactérias probióticas em tilápia para confirmar sua aplicabilidade na aquicultura. Estes testes servirão para selecionar uma bactéria com capacidade de proporcionar melhor desempenho zootécnico e melhora do sistema imune. Após a confirmação da bactéria ter potencial para probiótico, será realizado registro ("Patente") para utilização desta bactéria como probiótica para tilápia. (AU)

Efeitos da adição de óleo funcional ou monensina sódica em dietas de alta energia para bovinos Nelore confinados

Processo:15/11927-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2015
Situação:Interrompido
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Zootecnia - Nutrição e Alimentação Animal
Pesquisador responsável:Danilo Domingues Millen
Beneficiário:
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Agrárias e Tecnológicas. Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Dracena. Dracena, SP, Brasil
Assunto(s):Dieta animalBovinosGado NeloreAlimentos funcionaisMonensinaHistologia animalMorfologia animal
Resumo
O objetivo deste estudo será avaliar o efeito da adição de óleo funcional ou monensina sódica sobre o desempenho produtivo, comportamento ingestivo, características de carcaça, e saúde ruminal de bovinos Nelore terminados em confinamento. Serão utilizados 96 animais machos não castrado da raça Nelore, com peso vivo médio inicial de 370 kg. Os animais serão divididos aleatoriamente em 24 baias (n = 4 por baia) de acordo com os tratamentos: 1) Controle (sem aditivos); 2) Monensina (30 ppm); 3) Óleo Funcional (500 ppm); e 4) Monensina (30 ppm) + Óleo Funcional (500 ppm); caracterizando assim delineamento em blocos casualizados (peso vivo inicial como critério), em que cada tratamento contará com 6 repetições (baias). No início do período experimental e a cada 28 dias todos os animais serão pesados, e a ingestão de matéria seca será medida diariamente para então calcular-se o ganho de peso diário médio, e a conversão alimentar. Todos os animais serão submetidos a avaliações de ultrassonografia no início e no final do período de confinamento para avaliação da deposição de músculos gordura na carcaça, os quais serão abatidos em frigorífico comercial após 84 dias de alimentação. Também serão avaliados neste projeto como variáveis respostas: 1) comportamento ingestivo e seletividade da ração; 2) flutuação do consumo de matéria seca; 3) morfologia em termos macroscópicos e microscópicos do epitélio ruminal, como área de superfície absortiva, número de papilas por cm2 e espessura de queratina; 4) incidência de rumenites e abscessos de fígado; e 5) características de carcaça. (AU)

Efeitos da inclusão de teores crescentes de prebióticos na dieta de cães adultos sobre parâmetros digestivos, fermentação fecal, microbiota e imunidade

Processo:15/05493-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de julho de 2015
Situação:Interrompido
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Zootecnia - Nutrição e Alimentação Animal
Convênio/Acordo de cooperação com a FAPESP:Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Márcio Antonio Brunetto
Beneficiário:
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Assunto(s):BactériasLevedurasPrebióticosSistema imunológico
Resumo
No intuito de promover a saúde e reduzir o risco de doenças, a nutrição de animais de companhia tem evoluído de forma semelhante à humana, na busca por alimentos funcionais. Neste sentido, os prebióticos podem ser bastante promissores. As Saccharomyces cerevisiea são leveduras com alta capacidade prebiótica, pois estimulam a produção de substâncias com propriedades imunoestimulatórias e aumentam a capacidade de prevenir a colonização de bactérias patogênicas no trato gastrintestinal. Porém, sua composição determina a capacidade de atuação, baseado no substrato e meio em que foi nutrida. Assim, o processo de produção da levedura irá determinar sua intensidade de ação. Este estudo objetiva avaliar os efeitos de teores crescentes de leveduras com metabólitos ativos (LMA), baseada na fermentação de substratos específicos, na digestibilidade aparente dos nutrientes da dieta, microbiota e produtos da fermentação fecal e parâmetros imunológicos de cães adultos. Serão utilizados 18 cães, machos e fêmeas, adultos e saudáveis. Os animais serão distribuídos em delineamento inteiramente casualizado, constituído de três tratamentos experimentais, denominados: DC (dieta controle), LMA 0,3 (dieta controle com 0,3% de leveduras com metabólitos ativos) e LMA 0,6 (dieta controle com 0,6% de leveduras com metabólitos ativos). Nas amostras de fezes serão realizadas as análises de ácidos graxos de cadeia curta, ramificada e ácido lático; microbiota, nitrogênio amoniacal, aminas biogênicas e compostos voláteis. Para a determinação dos possíveis efeitos imunoestimulatórios serão realizados os testes de fagocitose e burst oxidativo, linfoproliferação e imunofenotipagem de linfócitos. Os resultados obtidos serão analisados através do programa computacional Statistical Analysis System (SAS Institute Inc., 2004) e de acordo com a distribuição dos dados, testes estatísticos paramétricos ou não paramétricos serão empregados. (AU)

Seleção de microrganismos isolados de tilápia para utilização como probiótico em peixes

Processo:14/15390-1
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Apoio a Jovens Pesquisadores
Vigência: 01 de abril de 2015 - 31 de março de 2018
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Recursos Pesqueiros e Engenharia de Pesca - Aquicultura
Pesquisador responsável:Danielle de Carla Dias
Beneficiário:
Instituição-sede: Instituto de Pesca. Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA). Secretaria de Agricultura e Abastecimento (São Paulo - Estado). São Paulo, SP, Brasil
Pesq. associados:

Leonardo Tachibana ; Fábio Rosa Sussel ; Giovani Sampaio Gonçalves ; Maria José Tavares Ranzani de Paiva ; Carlos Massatoshi Ishikawa

Assunto(s):Desenvolvimento de produtosMicrobiologiaOreochromis niloticusTilápia
Resumo
Nos últimos anos têm-se intensificado o número de pesquisas voltadas ao desenvolvimento de alimentos funcionais e de substâncias que promovam o aumento na eficiência alimentar e na taxa de crescimento dos peixes. Dentre os alimentos funcionais, ou seja, alimentos que fornecem a nutrição básica e a melhora da saúde de peixes encontram-se os probióticos. Esses elementos possuem potencial para promover a saúde por meio de mecanismos não previstos pela nutrição convencional. Os probióticos são suplementos alimentares compostos de microorganismos vivos que beneficiam a saúde do hospedeiro, através do equilíbrio da microbiota intestinal. Objetiva-se com este estudo selecionar bactérias probióticas para peixes de água doce, isoladas do intestino e pele de tilápia, Oreochromis niloticus. Serão selecionadas as bactérias, que mostrarem efeitos positivos na capacidade de adesão, capacidade de colonização, e de multiplicação proveniente de material mucoso de pele e de intestino, sobrevivência na presença de bílis e capacidade de inibir os microorganismos patogênicos por meio de substâncias antimicrobianas. Serão realizados também, testes com as possíveis bactérias probióticas em tilápia para confirmar sua aplicabilidade na aquicultura. Estes testes servirão para selecionar uma bactéria com capacidade de proporcionar melhor desempenho zootécnico e melhora do sistema imune. Após a confirmação da bactéria ter potencial para probiótico, será realizado registro ("Patente") para utilização desta bactéria como probiótica para tilápia. (AU)

Efeito da semente de Chia (sálvia hipânica l.) no metabolismo glicêmico e lipídico de camundongos modelos de resistência à insulina induzida por obesidade

Processo:14/22574-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência: 01 de abril de 2015 - 30 de setembro de 2016
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Pesquisador responsável:Luciana Chagas Caperuto
Beneficiário:
Instituição-sede: Instituto de Ciências Ambientais, Químicas e Farmacêuticas (ICAQF). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus Diadema. Diadema, SP, Brasil
Assunto(s):Resistência à insulinaObesidadeFisiologia endócrina
Resumo
A obesidade associada à resistência à insulina acomete grande parte da população mundial, devido ao consumo de dietas hipercalóricas e hiperlipídicas atreladas a um estilo de vida sedentário. Cada vez mais a população procura adotar na sua rotina alimentos funcionais que garantam a manutenção da saúde e inibam o desenvolvimento de doenças, como hipertensão, câncer, diabetes, obesidade e resistência à insulina. É neste panorama que a semente de Chia (Salvia hispânica L.), a maior fonte vegetal de ômega-3, se mostrou um grande candidato a alimento funcional que atenua os sintomas relacionados à obesidade e à resistência à insulina. Diante disso, o objetivo desse projeto é avaliar o potencial efeito da ingestão de semente de Salvia hispanica L. como anti-inflamatório e na resistência à insulina em modelo de camundongos com obesidade induzida por dieta hipercalórica. (AU)
Página 3 de 322 resultado(s)
|
Exportar 0 registro(s) selecionado(s) | Limpar seleção
CDi/FAPESP - Centro de Documentação e Informação da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo

R. Pio XI, 1500 - Alto da Lapa - CEP 05468-901 - São Paulo/SP - Brasil
cdi@fapesp.br - Converse com a FAPESP