site da FAPESP
 

Refine sua pesquisa

Pesquisa
  • Uma ou mais palavras adicionais
Publicações científicas
Auxílios à Pesquisa
Bolsas
Programas voltados a Temas Específicos
Programas de Infraestrutura de Pesquisa
Área do conhecimento
Situação
Ano de início
Página 3 de 278 resultado(s)
|

Utilização de soja verde para a obtenção de bebida fermentada simbiótica

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Escola de Engenharia Mauá (EEM). Instituto Mauá de Tecnologia. São Caetano do Sul, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Cynthia Jurkiewicz Kunigk
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:13/12138-7
Vigência: 01 de março de 2014 - 29 de fevereiro de 2016
Assunto(s):Alimentos fermentadosBebidasProbióticosPrebióticosSoja
Resumo
A soja verde ou "edamame" é um tipo especial de soja alimento que é colhida quando os grãos ainda estão imaturos, resultando em um produto com teores mais elevados de açúcares, menor teor de oligossacarídeos de difícil digestão, estaquiose e rafinose, e características sensoriais superiores às do grão maduro. Os produtos de soja têm despertado grande interesse dos consumidores devido a suas propriedades nutricionais e funcionais, assim como os alimentos probióticos e simbióticos. De forma a combinar os benefícios à saúde do consumo de soja e de microrganismos probióticos, este projeto tem como objetivo avaliar a viabilidade da utilização de extrato hidrossolúvel de soja verde no desenvolvimento de um novo alimento funcional, uma bebida fermentada simbiótica. O extrato hidrossolúvel de soja verde de uma cultivar nacional será produzido e fermentado por uma cultura composta por microrganismos probióticos e cultura de iogurte. As características físico-químicas do extrato hidrossolúvel de soja verde e da bebida fermentada serão avaliadas e comparadas com os produtos obtidos com a soja madura da mesma cultivar. A influência de diferentes concentrações de ingredientes prebióticos (fruto-oligossacarídeo e inulina) na velocidade de acidificação do extrato de soja verde durante a fermentação pelas culturas de Streptococcus thermophilus, Lactobacillus acidophilus e Bifidobacterium animalis será determinada. As características microbiológicas durante a estocagem e a aceitabilidade da bebida simbiótica de soja verde também serão avaliadas. (AU)

Avaliação do efeito de talos e folhas de beterraba (beta vulgaris l.) no STREES oxidativo de animais submetidos a dieta hiperlipídica

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências Aplicadas (FCA). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Limeira, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Caroline Dario Capitani
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Nutrição
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:13/18498-5
Vigência: 01 de janeiro de 2014 - 31 de dezembro de 2014
Assunto(s):Compostos fenólicosBeterrabaDieta hiperlipídicaAlimentos funcionais
Resumo
Partes usualmente não consumidas, como talos e folhas de hortaliças, apresentam uma riqueza de compostos bioativos, com destaque para os compostos fenólicos, desprezados durante o processamento doméstico e industrial. Estudos recentes demonstram os subprodutos de beterraba (Beta vulgaris L.) (talos, folhas, cascas ou bagaço) possuem capacidade citotóxica e expressive capacidade em melhorar a resposta ao stress oxidativo de animais submetidos à dieta hiperlipídica. Sendo assim, o presente projeto tem como objetivo avaliar o efeito de talos e folhas de beterraba no stress oxidative de animais submetidos à dieta hiperlipídica. Para isso, as folhas e talos de beterraba serão desidratados em forno convencional, visando simular procedimento doméstico de cocção, e, em seguida, serão adicionados à dieta (8% de compostos fenólicos totais). Os animais (n = 30) serão divididos em dois grupos (dieta de manutenção e dieta hiperlipídica) acrescidas de talos e folhas de beterraba desidratados ou na forma de extrato etanólico. Ao final do experimento, os animais serão sacrificados e as amostras de sangue e de tecido hepático serão utilizados para as seguintes análises: perfil lipídico, concentração de Malondialdeído (MDA), atividade antioxidante pelo método ORAC, atividade das enzimas antioxidantes superóxidodismutase (SOD), catalase (CAT), glutationa redutase (GR) e glutationa peroxidase (GPx). Os resultados obtidos serão comparadas entre os grupos utilizando-se análises de variância (ANOVA), ao nível de significância de 5% de probabilidade. (AU)

Avaliação dos aspectos funcionais de cepas de lactobacilos isolados de embutidos fermentados

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Elaine Cristina Pereira de Martinis
Pesquisador responsável no exterior: Patricia Haydee Castellano
Instituição no exterior: Consejo Nacional de Investigaciones Científicas y Técnicas (CONICET). (Argentina)
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos - Ciência de Alimentos
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:13/50498-5
Vigência: 01 de janeiro de 2014 - 31 de dezembro de 2015
Convênio/Acordo de cooperação com a FAPESP: CONICET
Assunto(s):Alimentos funcionaisProbióticosAgentes antimicrobianosBactérias láticasLactobacillus
Resumo
Os consumidores além de exigir qualidade higiênica nos alimentos, aumentaram o interesse a todos aqueles aspectos que melhoram a qualidade de vida. De este modo, surge o desenvolvimento dos alimentos funcionais capazes de produzir algum efeito benéfico sobre uma ou várias funções do organismo. As bactérias lácticas (BL) por seu característica GRAS tem estado sempre relacionadas com os aspectos benéficos para a saúde. Várias espécies e subespécies de Lactobacillus e Bifidobacterium tem sido reconhecidas como probióticas, ou seja, microrganismos que podem ter efeitos benéficos sobre a saúde e o bem estar do consumidor devido a sua ação sobre a microbiota intestinal. Neste projeto de pesquisa tem como objetivo avaliar o potencial probiótico de cepas de lactobacilos isoladas de produtos cárneos com propriedades antimicrobianas capazes de controlar o desenvolvimento de microrganismos patógenos em seu trato gastrointestinal. Sua posterior aplicação permitirá o desenvolvimento de alimentos mais saudáveis, utilizando uma nova geração de cultivos starters denominados cultivos funcionais. (AU)

Desenvolvimento de estratégias de imobilização e o uso de enzimas como biocatalizadores para aplicações industriais: produção de biodiesel e ingredientes funcionais

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Maria de Lourdes Teixeira de Moraes Polizeli
Pesquisador responsável no exterior: Gloria Fernandez Lorente
Instituição no exterior: Consejo Superior de Investigaciones Científicas (CSIC). (Espanha)
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia - Microbiologia Aplicada
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo:13/50892-5
Vigência: 01 de janeiro de 2014 - 31 de dezembro de 2015
Convênio/Acordo de cooperação com a FAPESP: Consejo Superior de Investigaciones Cientificas (CSIC)
Assunto(s):BiocatáliseAgentes de imobilização de enzimasLipaseIndústria petroquímicaBiodieselIndústria de alimentosAlimentos funcionais
Resumo
As lipases imobilizadas proporcionam certas vantagens de funcionamento em relação às enzimas solúveis, tornando-as mais desejáveis para certas aplicações, porque elas fornecem maior estabilidade térmica e de pH, mantendo-as estáveis durante todo o processo. A melhora das propriedades catalíticas destas enzimas, utilizando técnicas de imobilização alcançando biocatalisadores mais estáveis e mais baratos que se pode recuperar e reutilizar e assim economizando custos no processo industrial. Para este fim, o projeto em colaboração com especialistas de um grupo de Biocatálise Enzimática do Institute of Food Science Research, pertencente ao CSIC, liderada pela Dra. Gloria Fernandez Lorente e o grupo do Laboratório de Microbiologia e Biologia Celular da USP, Campus Ribeirão Preto, liderado pela Dra. Maria de Lourdes T.M. Polizeli, especialista em screening de enzimas, permite a realização das metas e desafios que traria um grande benefício para os laboratórios e grupos envolvidos. Portanto, este projeto abre a possibilidade de obter resultados publicáveis em revistas indexadas de alto impacto científico e a possibilidade de transferência de tecnologia e inovação. Assim, como resultados dessa proposta, esperamos contribuir para a expansão e consolidação de estudos científicos e tecnológicos na pesquisa e produção de enzimas que podem ter aplicações em diversos segmentos da indústria, em geral, e em particular na síntese e produção de biodiesel na indústria petroquímica e síntese de alimentos funcionais na indústria de alimentos. (AU)

Efeito neuroprotetor da casca de romã (Punica granatum)

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Jocelem Mastrodi Salgado
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Nutrição
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Processo:13/08989-1
Vigência: 01 de novembro de 2013 - 31 de agosto de 2016
Assunto(s):Doenças neurodegenerativasDoença de AlzheimerRomãCascas (planta)Alimentos funcionais
Resumo
As doenças neurodegenerativas constituem um importante problema de saúde pública. A Organização Mundial da Saúde declara que 35,6 milhões de pessoas sofreram com algum tipo de demência no ano de 2012 e estima que este número possa triplicar em 2050 se agentes terapêuticos que proporcionem a redução do risco ou retardamento da progressão da doença não forem estudadas. A doença de Alzheimer, uma enfermidade neurodegenerativa caracterizada tanto por alterações nas funções cognitivas relacionadas ao aprendizado e a memória quanto por alterações comportamentais, corresponde a 70% dos casos de demência. A falta de substâncias naturais empregadas na prevenção e no tratamento da doença de Alzheimer, bem como o custo e os efeitos colaterais dos medicamentos utilizados atualmente, tem estimulado a pesquisa por novos agentes terapêuticos para esta doença. Neste sentido, o presente estudo tem como objetivo determinar o efeito neuroprotetor da casca de romã para a doença de Alzheimer e os principais compostos responsáveis por esta atividade. Portanto, o projeto será conduzido para avaliar, de forma ainda não descrita na literatura, uma possível alternativa terapêutica para a doença de Alzheimer. (AU)

Efeito da inclusão de diferentes níveis de óleo de canola na dieta de vacas em lactação sobre a produção e composição do leite

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos (FZEA). Universidade de São Paulo (USP). Pirassununga, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Arlindo Saran Netto
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Zootecnia - Nutrição e Alimentação Animal
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:13/20885-7
Vigência: 01 de novembro de 2013 - 31 de outubro de 2014
Assunto(s):Alimentos funcionaisÓleo de canolaÁcidos linoleicos conjugadosNutrição animal
Resumo
Objetiva-se com o presente estudo avaliar o efeito da inclusão de diferentes níveis de óleo de canola na dieta de vacas em lactação sobre a produção, composição e perfil de ácidos graxos do leite. Serão utilizadas 18 vacas de raça Holandês, as quais distribuídas em quadrado latino 3x3 conforme os seguintes tratamentos: T1= dieta controle; T2= inclusão de 3% de óleo de canola na dieta e T3= inclusão de 6% de óleo de canola na dieta. Os animais serão alojados em baias individuais para avaliação do consumo voluntário com 10% de sobra no cocho. As dietas serão à base de silagem de milho, farelo de soja, milho moído, ureia e sal comum, as quais serão formuladas nas recomendações do NRC (2001) e balanceadas para serem isoproteicas e isoenergéticas. As variáveis analisadas serão: composição do leite (gordura, proteína, lactose, sólidos totais, nitrogênio uréico e contagem de células somáticas); perfil lipídico do leite e dos alimentos. Os resultados serão analisados pelo programa computacional Statistical Analysis System® (SAS, 2001), pelo comando Proc-MIXED do SAS, adotando-se nível de significância de 5% de acordo com o seguinte modelo: Yijkl = µ + Ti + Qj + A(Q)k + Pl + eijkl. (AU)

Workshop leite funcional

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Helio Vannucchi
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Nutrição - Bioquímica da Nutrição
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Organização de Reunião Científica
Processo:13/16835-4
Vigência: 22 de outubro de 2013 - 23 de outubro de 2013
Assunto(s):Alimentos funcionaisLeite

Viabilidade de Bifidobacterium animalis Bb-12 e Lactobacillus acidophilus La-5 em sorvete à base de soja e/ou leite e suas características físico-químicas

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Susana Marta Isay Saad
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos - Tecnologia de Alimentos
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo:13/12986-8
Vigência: 01 de outubro de 2013 - 30 de setembro de 2014
Assunto(s):SorveteAlimentos funcionaisProbióticos
Resumo
Alterações favoráveis na composição da microbiota intestinal podem ser observadas com o consumo regular de alimentos funcionais contendo probióticos. Os probióticos são micro-organismos vivos que conferem benefícios à saúde do hospedeiro, quando administrados em quantidades adequadas. Tradicionalmente, são incorporados aos leites fermentados e a outros produtos lácteos fermentados. Atualmente, a idéia de redução dos componentes lácteos como veículos para micro-organismos probióticos tem sido promovida, em razão da alta proporção de indivíduos que apresentam intolerância à lactose, além da busca por alternativas vegetarianas. Nesse contexto, a soja aparece como um substituto ideal para o consumo, promovendo a saúde através de características nutricionais intrínsecas.A obtenção de sorvetes através da mistura de leite em pó e extrato de soja com suco natural concentrado de maçã, micro-organismos comprovadamente probióticos e ingredientes prebióticos poderá resultar em um produto com excelente potencial funcional e características sensoriais atrativas, ampliando o leque de opções de produtos probióticos e simbióticos para indivíduos sem intolerância à lactose e para aqueles com diferentes graus de intolerância a esse açúcar. Adicionalmente, a maçã tem sido utilizada com sucesso em produtos de soja, mascarando o seu sabor residual. O presente projeto visa desenvolver um sorvete de maçã simbiótico à base de leite e/ou soja adicionado de micro-organismos probióticos, com o objetivo de verificar suas características fisico-químicas e sensoriais e a sobrevivência dos probióticos no produto durante o seu armazenamento a -18 °C por até 12 semanas. Para esse fim, serão elaboradas três formulações de sorvete: F1 - com presença de leite em pó, F2 - com presença de leite em pó e de extrato de soja e F3 - com presença de extrato de soja. As três formulações serão suplementadas com os micro-organismos comprovadamente probióticos Bifidobacterium animalis Bb-12 e Lactobacillus acidophilus La-5 e com o prebiótico FOS (fruto-oligossacarídeo). Serão avaliadas as seguintes variáveis-respostas, ao longo do armazenamento dos produtos sob congelamento a -18 °C por até 84 dias: a sobrevivência dos micro-organismos probióticos no produto, os parâmetros físico-químicos (pH, overrun, fração de derretimento e a dureza instrumental) e as características sensoriais (teste de aceitabilidade) dos produtos. Os resultados serão analisados, utilizando o pacote estatístico Statistica. (AU)

Oxidative stability of functional phytosterol-enriched dark chocolate

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:Inar Alves de Castro
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos - Ciência de Alimentos
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Artigo
Processo:13/19143-6
Vigência: 01 de outubro de 2013 - 31 de março de 2014
Assunto(s):ChocolateAlimentos funcionais
Resumo
A dark chocolate containing phytosterols (PS) esters was developed to reduce cholesterol in individuals. However, oxidative instability during chocolate processing and storage could reduce the PS bioactivity. Chocolate bars were prepared containing palm oil (CONT) or 2.2 g of PS (PHYT). All samples were stored at 20 oC and 30 oC during 5 months. A peak of hydroperoxides formation was observed after 60 days at 20 oC and after 30 days at 30 oC. PS-enriched samples presented higher values of hydroperoxides than control samples, which could be attributed to the higher level of alpha-linolenic acid present in the PHYT samples. All chocolate bars became lighter and softer after 90 days of storage. However, these physical changes did not reduce their sensory acceptability. In addition, PS bioactivity was kept during the storage, since no significant alterations in the PS esters were observed up to 5 months. However, some PS oxidation occurred in the PHYT bars, being sitostanetriol, 6-ketositosterol, 6²-hydroxycampesterol and 7-ketocampesterol the major phytosterol oxidation products (POPs). The POPs/PS ratio was low (0.001). Therefore, the dark chocolate bars developed in this study kept their potential functionality after 5 months of storage at room temperature, representing an option as a functional food. (AU)

Modulação da biossíntese e da absorção do colesterol por peptídeos provenientes de feijão caupi(Vigna unguiculata l. Walp)

Beneficiário:
Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Saúde Pública (FSP). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisador responsável:José Alfredo Gomes Arêas
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos - Ciência de Alimentos
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Processo:13/09304-2
Vigência: 01 de setembro de 2013 - 31 de agosto de 2016
Assunto(s):PeptídeosAlimentos funcionais
Resumo
Muito recentemente as proteínas, e as fontes proteicas, ganharam destaque dentro do estudo dos alimentos bioativos por serem descritas como fornecedoras de peptídeos bioativos atuantes em vários processos metabólicos após sua digestão por enzimas naturais ou sintéticas. O feijão caupi (Vigna unguiculata L. Walp) é uma das principais culturas de subsistência e de exportação do Brasil. Pesquisas recentes mostraram evidências suficientes de que a proteína do feijão caupi é capaz de reduzir o colesterol total e melhorar o perfil de LDL/HDL em humanos, porém, o seu mecanismo de ação não é ainda claro. Assim, este estudo propõe investigar os mecanismos pelos quais os peptídeos provenientes de feijão caupi são possivelmente capazes de modular a biossíntese e a absorção do colesterol. Após uma hidrólise enzimática in vitro de isolado proteico, frações menores que 3 kDa serão incubadas em culturas de células Caco 2 e seus permeados isolados e sequenciados. Após a permeação, será avaliado o efeito dos hidrolisados na expressão dos genes dos receptores NPC1L1, ABCG5, ABCG8, ABCA1 e ABCG1 das Caco 2. Os peptídeos biodisponíveis identificados e sequenciados provenientes da permeação serão incubados juntamente com células Hep G2 para avaliar a expressão dos genes da HMGR e receptor de LDL. Espera-se com essa pesquisa esclarecer os possíveis mecanismos relacionados com a capacidade hipocolesterolêmica do feijão caupi, utilizando modelos in vitro de células de linhagem intestinal e hepática. (AU)
Página 3 de 278 resultado(s)
|
Exportar 0 registro(s) selecionado(s) | Limpar seleção
CDi/FAPESP - Centro de Documentação e Informação da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo

R. Pio XI, 1500 - Alto da Lapa - CEP 05468-901 - São Paulo/SP - Brasil
cdi@fapesp.br - Converse com a FAPESP