Busca avançada

Forasteiros, traidores e vadios: a construção social do inimigo e sua territorialização

Processo: 05/54805-3
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Pesquisa
Vigência (Início): 06 de julho de 2005
Vigência (Término): 20 de agosto de 2005
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Antropologia - Teoria Antropológica
Pesquisador responsável:Omar Ribeiro Thomaz
Beneficiário:
Anfitrião: Teresa Cruz e Silva
Instituição-sede : Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Local de pesquisa: Universidade Eduardo Mondlane (UEM), Moçambique  
Vinculado ao auxílio:00/01049-3 - Contextos cosmopolitas: a sociedade colonial e a invenção de Moçambique, AP.JP
Assunto(s):Moçambique

Resumo

É em tomo da noção de "inimigo interno" que se organiza esta etapa da pesquisa de campo, diretamente relacionado ao projeto Jovem Pesquisador que já conta com o apoio da FAPESP "Contextos cosmopolitas: a sociedade colonial e a inveção de Moçambique". De um lado, pretendemos concluir a pesquisa já iniciada em torno de um contingente específico, objeto de narrativas e rumores sobre sua suposta infidelidade ao corpo nacional - os indianos; de outro, daremos início ao trabalho de campo sobre os campos em Moçambique ao longo do período socialista, em particular aqueles que tiveram lugar na região do Niassa. O que unifica dois cenários tão distantes é a noção de "inimigo interno", que supõe a possível suspensão de direitos e revela a vulnerabilidade de determinados contingentes populacionais. (AU)