Busca avançada

Efeito da aprendizagem da variação ou da repetição sobre o desamparo aprendido

Processo: 03/02122-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de agosto de 2003
Vigência (Término): 30 de abril de 2004
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia - Psicologia Experimental
Pesquisador responsável:Maria Helena Leite Hunziker
Beneficiário:
Instituição-sede: Instituto de Psicologia (IP). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Assunto(s):Desamparo aprendido   Imunização

Resumo

O objetivo desse experimento é verificar se o reforçamento positivo dos comportamentos de variar ou de repetir pode interferir diferencialmente no desenvolvimento posterior do desamparo aprendido Serão utilizados 72 ratos, machos, Wistar, divididos em 3 grupos (n=24). Na primeira fase, dois desses grupos serão colocados em caixas com duas barras (esquerda-E e direita-D) onde serão submetidos a 10 sessões de reforçamento positivo para seqüências de 4 respostas de pressão à barra. Para um grupo o reforçamento será contingente à variação das seqüências emitidas (grupo V) e para o outro será contingente à repetição da seqüência EEEE, com 50% de probabilidade de reforçamento (grupo R). O terceiro grupo permanecerá no biotério (grupo ING). Em seguida, cada grupo será subdividido em três (n=8), expostos a uma sessão com choques controláveis (C), choques incontroláveis (I) ou nenhum choque (N). Vinte e quatro horas após, todos os sujeitos serão submetidos a uma sessão de fuga, onde a resposta de saltar na shuttlebox produzirá a imediata interrupção do choque. Variação e repetição serão mensuradas pelo índice U (aproximações de 1 e 0, respectivamente), sendo o desamparo avaliado pela maior latência de fuga em comparação aos sujeitos N, na última sessão. (AU)