Busca avançada
Ano de início
Entree

Paleopluviosidade associada ao Sistema de Monções de verão durante o quaternário tardio e Holoceno no Norte de Minas Gerais

Processo: 09/11150-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de setembro de 2009
Vigência (Término): 31 de agosto de 2010
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Geociências - Geologia
Pesquisador responsável:Francisco William da Cruz Junior
Beneficiário:Maria Carolina Amorim Catunda
Instituição-sede: Instituto de Geociências (IGC). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:06/06761-0 - Paleoclima do quaternário tardio brasileiro a partir das razões isotópicas de oxigênio e carbono em espeleotemas, AP.JP
Assunto(s):Quaternário   Espeleotemas   Isótopos estáveis   Minas Gerais

Resumo

O presente projeto tem como objetivo discutir mudanças paleoclimáticas relacionadas ao sistema climático das monções de verão ao norte de Minas Gerais, durante o Pleistoceno Tardio e Holoceno. O estudo é baseado nos registros de alta resolução das razões isotópicas de oxigênio e carbono de espeleotemas, precisamente datados pelo método U/Th. Estes registros, já em vias de estudo, são bem distribuídos geograficamente no estado de Minas e possuem grande potencial para fornecer informações inéditas sobre variações de paleopluviosidade e conseqüentemente na cobertura de solo e vegetal, nos últimos cem mil anos. O projeto proposto abre novos horizontes para melhor conhecimento da atividade passada do Sistema de Monções na América do Sul (SMAS), visto que a região engloba a faixa de maior atividade do sistema, na área climatologicamente correspondente a Zona de Convergência do Atlântico Sul (ZCAS). Dentre as questões a serem investigadas estão às mudanças na intensidade e distribuição geográfica das chuvas de verão em resposta a variação de insolação devida ao ciclo de precessão (periodicidade de ~19 e ~23 mil anos) e aos eventos milenares tipo Dansgaard-Oeschger e Heinrich (periodicidade de ~1500 a 3000 anos), assim como já previamente observado em trabalhos no sul e sudeste do Brasil. A pesquisa proposta insere-se nos projetos de pesquisa: "Paleoclima do Quaternário Tardio brasileiro a partir das razões isotópicas de Oxigênio e Carbono em espeleotemas" (Proc. FAPESP 2006/06761-0) e Geoquímica de Isótopos estáveis (O e C) e microestratigrafia de estalagmites aplicadas aos estudos paleoclimáticos do Holoceno no Brasil (Proc. FAPESP 2006/02834-2), coordenados pelos Prof. Dr. Francisco William da Cruz Junior e pelo Prof. Dr. Ivo Karmann, respectivamente.