Busca avançada

Estudo do papel das células T reguladoras e Th17 na infecção experimental por Toxoplasma gondii

Processo: 09/13890-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de abril de 2010
Vigência (Término): 30 de abril de 2014
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Celular
Pesquisador responsável:João Santana da Silva
Beneficiário:
Instituição-sede : Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:07/53940-0 - Células T reguladoras e TH 17 no controle da imunidade contra infecções, tumores e doenças autoimunes, AP.TEM
Bolsa(s) vinculada(s):12/14669-7 - Células dendríticas e receptores da imunidade inata no direcionamento e na indução de plasticidade das subpopulações de linfócitos T durante inflamação da mucosa intestinal, BE.EP.PD

Resumo

A identificação de novos subtipos de linfócitos T, além das células Th1 e Th2, levou os imunologistas a uma revisão dos mecanismos elaborados inicialmente para esclarecer fenômenos imunológicos envolvidos nas respostas contra patógenos e em doenças autoimunes, assim como os eventos responsáveis pela contenção dessas respostas. Neste contexto, um grande destaque tem sido dado às células T reguladoras e Th17, especialmente no que concerne à imunidade contra patógenos devido às funções antagônicas atribuídas a esses subtipos de linfócitos. Além disso, as células Th17 estão reciprocamente relacionadas às células T reguladoras Foxp3+, dado que TGF-b induz expressão Foxp3 nos linfócitos T, enquanto IL-6 suprime esse efeito e, juntamente com TGF-b, direciona a indução de ROR-gt e diferenciação de linfócitos Th17. Além das citocinas, fatores do microambiente estão envolvidos no direcionamento desses subtipos celulares, como o ácido retinoico e a interação de produtos dos patógenos com receptores da imunidade inata. Esses processos são cruciais para a definição do curso de uma infecção, uma vez que, a ativação das células T reguladoras leva ao controle da resposta imune e preservação dos tecidos, porém permite a persistência do patógeno. Por outro lado, as células Th17 são importantes para a manutenção de mecanismos microbicidas, mas quando ativadas em excesso contribuem para danos teciduais. A infecção oral por Toxoplasma gondii induz uma patologia na qual o equilíbrio entre inflamação e regulação é determinante para a evolução da doença no hospedeiro, uma vez que a imunidade protetora está associada a uma resposta inflamatória que, quando em excesso, pode induzir dano ao hospedeiro. Neste contexto, é possível que as células T reguladoras e Th17 estejam envolvidas no controle ou na progressão da doença. Portanto, o presente projeto tem como objetivo avaliar o envolvimento das células T reguladoras e Th17 na susceptibilidade ou na resistência de diferentes linhagens de camundongos à toxoplasmose experimental. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Infecção intestinal pode predispor a doenças metabólicas