Busca avançada
Ano de início
Entree

Re-habilitando a cidade: conforto térmico e avaliação comportamental em espaços urbanos

Processo: 18/08000-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de maio de 2018
Vigência (Término): 31 de outubro de 2018
Área do conhecimento:Ciências Sociais Aplicadas - Arquitetura e Urbanismo - Tecnologia de Arquitetura e Urbanismo
Convênio/Acordo: University of Nottingham
Pesquisador responsável:Joana Carla Soares Gonçalves
Beneficiário:Carolina Oliveira Bley
Instituição-sede: Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:17/08754-5 - Re-habitando a cidade: trazendo vitalidade urbana para os centros de economias emergentes em mudanças climáticas, AP.R
Assunto(s):Adequação ambiental   Conforto térmico   Espaço urbano   São Paulo (SP)

Resumo

Os objetivos da pesquisa são fornecer um diagnóstico do conforto térmico, em termos comportamentais, nas áreas selecionadas da cidade de São Paulo, de modo a fornecer suporte ao projeto de pesquisa "Re-habitando a cidade: trazendo vitalidade urbana para os centros de economias emergentes em mudanças climáticas". Esta pesquisa possui o apoio da equipe do Laboratório de Conforto Ambiental e Eficiência Energética (LABAUT) do Departamento de Tecnologia da FAUUSP para a realização dos levantamentos de campo e desenvolvimento do trabalho. Para as medições em campo, serão utilizados os equipamentos do LABAUT e os equipamentos adquiridos para a pesquisa. Quanto aos métodos, as atividades estão fundamentadas em dois procedimentos de natureza distinta, mas complementares: um método do tipo dedutivo preditivo ou numérico, caracterizado pelo uso de modelos preditivos, apoiado por outro método do tipo indutivo experimental (por meio de observações e levantamentos e medições de parâmetros térmicos, em campo). A primeira etapa da pesquisa é o levantamento de informações sobre as áreas em estudo, incluindo informações técnicas e desenhos, reunindo plantas, cortes, elevações, orientação e detalhes. O passo seguinte será o levantamento dos dados primários no local selecionado, com entrevistas e medições de variáveis ambientais e dados de entrada para o modelo (temperatura, umidade do ar, nível de pressão sonora, número de veículos, tipos de veículos, velocidades dos veículos, topografia, etc.). A realização das medições térmicas seguirá as diretrizes estabelecidas pela norma NBR 7726, 1998. Os dados primários serão tratados e tabulados para posterior análise. A segunda etapa da pesquisa corresponde à correspondência com os dados observados de comportamento de usuários em termo de atividades e permanência no local selecionado. Os resultados serão tabulados para posterior análise. A terceira e última etapa da pesquisa corresponde à análise dos resultados das pesquisas de campo e da abordagem observacional, junto com uma síntese dos processos realizados e dos resultados alcançados e propostas de cenários alternativos com relação ao conforto térmico. Será então produzido o relatório final da pesquisa, abrangendo as considerações finais, conclusões e novas perspectivas da pesquisa. (AU)