Busca avançada
Ano de início
Entree

Jornalismo científico para a sustentabilidade: (re)alçando o nexo alimentos-água-energia

Processo: 17/18319-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Jornalismo Científico
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2018
Vigência (Término): 30 de junho de 2018
Área do conhecimento:Ciências Sociais Aplicadas - Comunicação - Jornalismo e Editoração
Pesquisador responsável:José Antônio Perrella Balestieri
Beneficiário:Eduardo Cruz Moraes
Instituição-sede : Faculdade de Engenharia (FEG). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Guaratinguetá. Guaratinguetá, SP, Brasil
Local de pesquisa : Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Coordenadoria de Centros e Núcleos Disciplinares (COCEN). Núcleo de Desenvolvimento da Criatividade (NUDECRI), Brasil  
Assunto(s):Recursos naturais   Jornalismo científico   Divulgação científica

Resumo

A minimização do impacto ambiental causado pelo aquecimento global, concomitante ao crescimento populacional e suas consequências (entre elas, a globalização, o crescimento da classe média, a urbanização, as desigualdades sociais, a diversificação das dietas) é um tema de grande preocupação mundial na atualidade. O desafio de assegurar o suprimento de recursos naturais essenciais (água, energia e alimento) para a atual e as futuras gerações, sem comprometer a qualidade de vida, o desenvolvimento econômico e a conservação dos ecossistemas à longo prazo é maior para os países em desenvolvimento, como o Brasil, que enfrentam altos índices de pobreza, desnutrição, insegurança alimentar, escassez de água potável e degradação dos solos. Neste contexto, o nexo alimentos-água-energia propõe uma nova abordagem para a gestão dos recursos naturais e da sustentabilidade sob o prisma da interconexão, da interdependência, da sinergia e dos trade-offs entre esses elementos, incluindo fatores externos (stakeholders e setores econômicos) e diferentes escalas de tempo e espaço. Por exemplo, a adoção da cana-de-açúcar como fonte renovável de energia (cana energia) deve contabilizar o seu impacto na produção de alimentos (erosão, lixiviação, expansão em áreas dedicadas à produção de alimentos), nos recursos hídricos (assoreamento, eutrofização, contaminação, irrigação, processamento na usina) e nas fontes de energia não renováveis (transporte, bombeamento de água para irrigação, equipamentos da usina).A educação para a sustentabilidade propõe o rompimento com a sociedade de consumo como estruturada hoje e a adoção do conceito de ecologia profunda (toda a forma de vida têm os mesmos direitos e o mesmo valor da vida humana), a aproximação dos saberes tradicionais à ciência e a tecnologia e capacidade de diálogo e argumentação partilhada. Assim, o projeto temático "(Re)Conectando os nexos: experiências e aprendizados de jovens brasileiros sobre alimentos-água-energia" propõe uma abordagem inédita do nexo ao examinar (em uma ampla escala e com uso de múltiplas ferramentas metodológicas das ciências sociais) como os jovens (entre 10 e 24 anos) da Região Metropolitana do Vale do Paraíba e do Litoral Norte do Estado de São Paulo entendem, aprendem, experienciam e participam do nexo no cotidiano, abordando tangencialmente temas como a desigualdade social, o acesso aos recursos naturais, a resiliência da sociedade frente à ameaças e catástrofes ambientais e a educação para a sustentabilidade. O projeto pretende atingir diferentes estratos da sociedade com suas ações, que vão desde jovens em idade escolar a representantes influentes do setor público, privado, do terceiro setor e da comunidade como um todo. O desenvolvimento de uma proposta de pesquisa jornalística em paralelo ao projeto (Re)Conectando os Nexos criará a sinergia necessária para que os objetivos do projeto sejam atingidos de forma eficiente, garantindo também a promoção de um maior engajamento do público no nexo alimentos-água-energia e educação para a sustentabilidade, temas estratégicos para o futuro do país. As atividades propostas englobam a elaboração de um plano de comunicação que atenda aos interesses do projeto, com produção de conteúdo jornalístico em diversos formatos (textos, documentários, entrevistas, podcasts) e destinado a diferentes públicos, desde o público leigo até educadores e professores do meio acadêmico, através do trabalho colaborativo com os pesquisadores envolvidos. Esta atividade de colaboração permitirá o desenvolvimento de uma gama de habilidades e técnicas do fazer jornalístico alinhado ao curso de Especialização em Jornalismo Científico (Labjor/UNICAMP), formando portanto um profissional especializado e capacitado para a divulgação científica. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.