Busca avançada
Ano de início
Entree

Produção e caracterização de novos fotoimunoconjugados para fotoimunoterapia do HIV

Processo: 17/10910-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2017
Vigência (Término): 30 de novembro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Biofísica - Biofísica Molecular
Pesquisador responsável:Francisco Eduardo Gontijo Guimaraes
Beneficiário:Mohammad Sadraeian
Instituição-sede: Instituto de Física de São Carlos (IFSC). Universidade de São Paulo (USP). São Carlos, SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/07276-1 - CEPOF - Centro de Pesquisa em Óptica e Fotônica, AP.CEPID
Assunto(s):Microscopia confocal   Imunoterapia   Citometria de fluxo   HIV

Resumo

A terapia fotodinâmica (TFD) é o processo tripartite que utiliza luz, oxigênio e fotossensibilizadores, para produzir espécies reativas de oxigênio (ROS) que podem matar células-alvo. Os principais problemas associados à TFD convencional são baixa seletividade, baixos níveis de produção de 1O2, toxicidade no escuro e auto-agregação do fotossensibilizador. A fotoimunoterapia (FIT) é um novo tipo de terapia biomolecular, que permite a destruição seletiva de alvos (células cancerosas ou células infectadas) sem danos aos tecidos normais. Em nosso estudo anterior, utilizamos anticorpos monoclonais de HIV conjugados com toxinas para direcionar o envelope de HIV (gp120 e gp41) expressando-se nas células T infectadas com HIV. Demonstramos que as imunotoxinas matam eficazmente e especificamente as células alvo. No entanto, algumas restrições, tais como imunogenicidade e rápida depuração de Ab-droga conjugados, nos obrigam a desenvolver imunoterapia (IT) através da combinação com TFD convencional. Assumimos que esta combinação, que é o chamado FIT, pode ignorar as problemas da IT ou TFD. Isso nos tenta a aplicar FIT para direcionar as células T infectadas pelo HIV que expressam o envelope do HIV na superfície. Portanto, propomos a conjugação de MAbs de HIV (anti-gp120 e anti-gp41) com porfirina-azida. Devemos caracterizar as conjugações (MAb-porfirina), bioquímicamente e imunologicamente, incluindo eletroforese, ELISA, citometria de fluxo e ensaio de citotoxicidade em células 293T transfectadas com HIV. Além disso, estudaremos a internalização ea localização subcelular de conjugados e produção de ROS usando a imagem confocal e a microscopia FLIM. Este projeto inovador tem um suporte de nossos colaboradores nos EUA e no Reino Unido, e uma doação limitada do NIH AIDS REAGENT em colaboração com o nosso grupo (CEPOF) no Brasil.