Busca avançada

Análise filogenética do gênero Thraupis (Aves, Tharupidae) e filogeografia do complexo espécies T. episcopus-sayaca

Processo: 17/03900-3
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Mestrado
Vigência (Início): 19 de junho de 2017
Vigência (Término): 30 de julho de 2017
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Zoologia - Taxonomia dos Grupos Recentes
Pesquisador responsável:Luís Fábio Silveira
Beneficiário:
Supervisor no Exterior: Scott Vernon Edwards
Instituição-sede: Museu de Zoologia (MZ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Local de pesquisa: Harvard University, Estados Unidos  
Vinculado à bolsa:15/22981-9 - Filogenia molecular dos representantes do gênero Thraupis Boie, 1826 (Aves: Passeriformes) e revisão taxonômica do complexo Thraupis episcopus (Linnaeus, 1766) e T. sayaca (Linnaeus, 1766), BP.MS
Assunto(s):Filogenia   Filogeografia   Sistemática

Resumo

O gênero Thraupis Boie, 1826 é considerado atualmente um grupo monofilético que compreende sete espécies. As análises filogenéticas recentes têm sido úteis para identificar as relações bem suportadas dentro do gênero, mas ainda não possuem uma amostragem suficiente de espécies e subespécies, os padrões de variação filogenética ao nível de subespécie não foram explorados e os limites de espécies entre os táxons não foram definidos. Atualmente, existe um grande suporte de T. abbas como espécie irmã do clado formado por T. ornata e T. palmarum, e também na relação entre T. episcopus e T. sayaca. No entanto, a posição de T. glaucocolpa ainda não foi estudada e a de T. cyanoptera permanece incerta. O clado T. episcopus-sayaca inclui 17 subespécies que abrangem um alto grau de variação morfológica e amplas distribuições geográficas, incluindo regiões de coexistência ao longo do ecótono Amazônia-Cerrado, onde a identificação de espécies é difícil e a existência de indivíduos intermediários tem sido observada. Além disso, a falta de estabilidade taxonômica tem sido persistente em diferentes níveis como gênero, espécie e subespécie. Assim,proponho integrar dados genéticos (2 mtDNA e 3 nuDNA) e fenotípicos (morfometria e coloração da plumagem) a fim de: 1) explorar a variação filogeográfica e definir limites de espécies no complexo T. episcopus-sayaca e 2) resolver a filogenia do gênero Thraupis. Para isso, DNA genômico foi extraído de amostras de tecido que representam a distribuição completa do gênero, com ênfase no grupo T. episcopus - T. sayaca. Após a obtenção de árvores filogenéticas, as linhagens evolutivas serão comparadas com base na morfologia do bico, asas e cauda. Além disso, os padrões de cores serão comparados com o auxílio de guias de cores. O resultado esperado é o esclarecimento das relações filogenéticas dentro do gênero, na qual permitirá uma classificação de acordo com a história evolutiva do grupo. (AU)