Busca avançada

Estudo epidemiológico da dengue (sorotipos 1 a 4), Zika e chickungunya em coorte prospectiva de São José do Rio Preto - SP durante 2014 a 2018

Processo: 17/07142-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de maio de 2017
Vigência (Término): 31 de outubro de 2018
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia - Microbiologia Aplicada
Pesquisador responsável:Maurício Lacerda Nogueira
Beneficiário:
Instituição-sede : Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (FAMERP). Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia (São Paulo - Estado). São José do Rio Preto, SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/21719-3 - Estudo epidemiológico da dengue (sorotipos 1 a 4) em coorte prospectiva de São José do Rio Preto, São Paulo, Brasil, durante 2014 a 2018, AP.TEM
Assunto(s):Vírus Zika   Virologia   Dengue

Resumo

A Dengue é uma doença infecciosa viral e uma das mais importantes arboviroses do mundo. O vírus é mantido em um ciclo de transmissão urbana: homem - mosquito - homem e o controle do vetor é uma das mais utilizadas estratégias de prevenção. Estudos de Dengue, frequentemente só consideram os casos notificados sem agrupar dados referentes às epidemias passadas. Através de um estudo de coorte domiciliar prospectivo, com duração de cinco anos, serão estimadas as principais medidas de frequência da doença em determinado bairro do município de São José do Rio Preto, no Estado de São Paulo, Brasil. Serão realizados estudos relacionados á População Participante do Estudo, através de levantamento epidemiológico e sorológico, identificando fatores de risco e avaliação do conhecimento e práticas da população; à interação Vírus x Hospedeiro, através de observação de sintomatologia e evolução da doença, da presença de anticorpos e suas classes, da presença de polimorfismos específicos na indução de doença grave e dos demais fatores relacionados à essa indução; ao Vírus, identificando os sorotipos circulantes, suas características genéticas e sua capacidade de inibir a produção de Interferon; e ao Vetor, através da captura e identificação dos mosquitos, do conhecimento de seu comportamento, da correlação de dados meteriológicos com a presença do vetor e dos fatores de risco relacionados à presença dos mosquitos. Esses estudos envolverão laboratórios de centro de pesquisa em Dengue do Brasil e colaboradores dos centros de pesquisa no EUA e terão como centro de referência e interligação o Laboratório de Pesquisa em Virologia, da Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto/FAMERP, que receberá as amostras colhidas em parceria com a prefeitura e os serviços de saúde do município. (AU)