Busca avançada

O uso de pesquisa de Origem e Destino no estudo do transporte ativo

Processo: 16/22656-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2016
Vigência (Término): 30 de junho de 2017
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Saúde Coletiva - Epidemiologia
Pesquisador responsável:Carlos Augusto Monteiro
Beneficiário:
Instituição-sede : Faculdade de Saúde Pública (FSP). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/25624-7 - O uso de pesquisas origem e destino no estudo do transporte ativo, AP.R
Assunto(s):Caminhada   Bicicletas   Pesquisa origem-destino   São Paulo (SP)

Resumo

O interesse acadêmico e programático sobre o tema do transporte ativo vem crescendo mundialmente, dada sua estreita relação com problemas de saúde pública da atualidade e seu potencial de contribuir positivamente em áreas cruciais, como transporte, saúde e meio ambiente. Entretanto, a maior parte das evidências sobre o tema tem sido desenvolvida em países de renda alta, que apresentam uma realidade distinta da observada nas metrópoles brasileiras. Uma possível forma de superar esta carência seria buscar fontes adicionais de informação para o estudo do transporte ativo no Brasil, por meio do uso dos dados de pesquisas Origem e Destino, tradicionalmente desenvolvidas pelo setor de transportes. Sendo assim, o propósito do nosso estudo será ampliar a investigação sobre o transporte ativo no Brasil por meio do uso de pesquisas Origem e Destino, buscando compreender a validade do uso destas informações para a pesquisa sobre o tema. Para tanto, realizaremos um estudo para avaliar a validade concorrente da estimativa do tempo de transporte ativo (a pé e de bicicleta) por pessoa obtida a partir do questionário da Pesquisa Origem e Destino da Região Metropolitana de São Paulo de 2007, tendo como método de referência a combinação da acelerometria com o sistema de posicionamento global. O projeto terá duração de aproximadamente 18 meses, sendo 10 a 12 meses de preparação e coleta e 6 a 8 meses para a análise dos dados, divulgação dos resultados e realização da oficina de uso de pesquisas de transporte no estudo do transporte ativo. (AU)