Busca avançada
Ano de início
Entree

Nível de (in)atividade física em adultos asmáticos: avaliação dos fatores preditores e efeitos de intervenções comportamentais para aumentar o nível de atividade física no controle clínico da asma

Processo: 16/17093-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de novembro de 2016
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2019
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Pesquisador responsável:Celso Ricardo Fernandes de Carvalho
Beneficiário:Patricia Duarte Freitas
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Assunto(s):Asma   Ensaio clínico   Atividade física

Resumo

Introdução: Estima-se que a inatividade física seja um importante fator de risco para o aumento da prevalência de doenças crônicas não-transmissíveis e que a prática de atividade física regular tenha um papel protetor importante. Estudos recentes têm mostrado resultados controversos referentes ao impacto da asma no nível de atividade física de vida diária (AFVD) e se desconhece até o momento, o efeito de intervenções comportamentais no nível de AFVD e qual sua repercussão na melhora do controle clínico da asma. Objetivos: este estudo tem 2 objetivos: i) avaliar o nível de AFVD e os seus possíveis fatores preditores entre adultos asmáticos e controle não-asmáticos, ii) analisar os efeitos de intervenções comportamentais para aumentar o nível de atividade física no controle clínico da asma. Métodos: Trata-se de um estudo de 2 fases e a amostra será composta por 160 adultos com e sem asma, de ambos os gêneros e com idade entre 20 e 59 anos. Na fase I, os pacientes serão avaliados quanto ao nível de AFVD (acelerometria), mensurações antropométricas, composição corporal e avaliação das barreiras para prática da AFVD. Os pacientes asmáticos serão também submetidos às avaliações do controle clínico da asma (Asthma control questionnaire), dos fatores de saúde relacionados à qualidade de vida na asma (Asthma quality of life questionnaire), da presença de sintomas de ansiedade e depressão (Hospital anxiety and depression scale), exacerbações e função pulmonar. O grupo controle (indivíduos não-asmáticos) será selecionado a partir de características antropométricas dos pacientes asmáticos (sexo, idade e IMC) e será composto por amigos e familiares dos pacientes que não possuírem sintomas de asma (International study of asthma and allergies in childhood, validado para adulto). A fase 2 será composta por, pelo menos 56 pacientes com asma não controlada e fisicamente inativos (<7.500 passos/dia), que participarão de um ensaio clínico aleatorizado e controlado onde serão inicialmente aleatorizados em 2 grupos: grupo controle (GC) e grupo intervenção (GI), sendo que somente o GI será submetido à uma intervenção comportamental através de aconselhamentos e incentivos ao aumento da prática da AFVD. As avaliações pré- e pós-intervenção incluirão o nível de AFVD, o controle clínico da asma, qualidade de vida, composição corporal e exacerbações, utilizando os mesmos instrumentos da fase I do estudo. Na primeira fase, a comparação entre os dados contínuos será realizada pelo teste-t ou Man-Withney e entre os dados categóricos pelo teste qui-quadrado. Os possíveis preditores do nível de AVFD em asmáticos serão analisados por uma regressão linear multivariada (stepwise). Na segunda fase, comparações inter e intra-grupo serão realizadas pela ANOVA de dois fatores com medidas repetidas e o teste pós hoc de Bonferroni. A análise da diferença entre proporção de indivíduos com melhora de variáveis clínicas será realizada pelo teste Qui-quadrado. O nível de significância será ajustado para 5% (p<0,05) para todos os testes.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Estudo sobre efeitos do exercício em obesos com asma é premiado em Paris