Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo das estruturas envolvidas na dor orofacial e perspectivas do tratamento combinado de laser de baixa intensidade e vitaminas do complexo B em modelo de neuralgia trigeminal

Processo: 15/24256-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2016
Vigência (Término): 31 de julho de 2019
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Anatomia
Pesquisador responsável:Marucia Chacur
Beneficiário:Daniel de Oliveira Martins
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Assunto(s):Neuroanatomia   Nociceptividade

Resumo

A neuralgia trigeminal (NT) é uma causa comum de dor facial. Ela tem um impacto significativo na qualidade de vida e funcionamento socioeconômico do paciente. A Associação Internacional para o Estudo da Dor (IASP) define a NT como uma doença unilateral dolorosa que se caracteriza por breves episódios de dor, tipo choque elétrico que tanto seu início quanto término pode ser abrupto. Dentre os diversos modelos de neuropatia utilizando lesão de nervos do corpo, o nervo trigêmeo também tem sido um alvo importante. Uma vez que, o nervo trigêmeo é o grande responsável por conduzir as informações sensoriais advindas da face e do pescoço. Em ratos, o nervo infraorbital, divisão do maxilar, tem maior destaque por ser composto praticamente por fibras sensoriais, sendo o responsável por suprir o conjunto das vibrissas. A lesão por constrição crônica do nervo infraorbital (CCI-NIo) que resulta em um modelo de dor crônica que pode ser aplicado ao estudo da dor neuropática orofacial foi descrito por VOS et al. (1994) sendo posteriormente utilizado em outros estudos, tornando-se um modelo bem estabelecido para o estudo da NT. O tratamento atual da NT não é satisfatório, sendo que o controle da dor é a solução mais utilizada, e para alguns casos graves pode-se optar por remover ou destruir o gânglio trigeminal (GT). A etiologia multifatorial da dor orofacial dificulta seu diagnóstico e prejudica a escolha adequada da terapia farmacológica. De acordo com alguns estudos, vitaminas do complexo B (VCB) apresentam efeitos neuroprotetores, os quais podem estar relacionados à sua ação analgésica em vários modelos de dor neuropática. E dentre as principais técnicas não farmacológicas utilizadas para o tratamento de neuropatias, podemos destacar a terapia com laser de baixa intensidade (LLLT - do inglês Low Level Laser Therapy). Neste estudo propomos um tratamento combinado utilizando LLLT, AsGa (904nm) com VCB, para avaliar as alterações celulares e moleculares no GT e no subnúcleo caudalis do núcleo espinal do trigêmeo (Sc-NET) após CCI-NIo, bem como no controle da sintomatologia dolorosa e na reparação do NIo. Para tanto, utilizaremos técnicas de análise como imuno-histoquímica, immunoblottig e PCR em tempo real, além de teste comportamental e eletrofisiológico, para avaliar a sintomatologia dolorosa. Ainda, avaliaremos a expressão de moléculas associadas ao processo álgico no GT e no Sc-NET. E também estudaremos as proteínas relacionadas ao microambiente da lesão e que atuam na reparação do tecido nervoso. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Grupo da USP investiga como a fototerapia combate a dor neuropática 
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.