Busca avançada
Ano de início
Entree

"os espaços públicos e o arquiteto: estudo de caso da praça VICTOR Civita"

Processo: 15/21824-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de maio de 2016
Vigência (Término): 30 de abril de 2017
Área do conhecimento:Ciências Sociais Aplicadas - Arquitetura e Urbanismo - Fundamentos de Arquitetura e Urbanismo
Pesquisador responsável:José Eduardo de Assis Lefèvre
Beneficiário:Julia Kahvedjian Amadio
Instituição-sede: Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil

Resumo

Este projeto tem como foco a análise de um espaço público contemporâneo e recentemente concluído em São Paulo, que é a Praça Victor Civita, seguindo como um princípio a metodologia de pesquisa geográfica proposta pelo Prof. Milton Santos para a análise de espaços urbanos, incorporando a abordagem arquitetônica, com vistas a compreender a sua inserção na cidade de São Paulo e o papel desempenhado pelos arquitetos responsáveis pela sua concepção.A Praça Victor Civita foi projetada em 2006, como resultado de uma parceria entre a Prefeitura de São Paulo e o Instituto Abril que teve a intermediação fundamental das arquitetas Adriana Blay Levisky e Anna Julia Dietzsch, para recuperar os remanescentes de um antigo incinerador de lixo localizado próximo ao centro do bairro de Pinheiros e integrá-los em um novo espaço aberto ao público.Além do abandono e deterioração do prédio do incinerador, o terreno em que se localizava apresentava-se contaminado por produtos tóxicos, representando um difícil ônus para a sua proprietária, a Prefeitura. A proximidade com o novo edifício sede da Editora Abril, localizado exatamente na mesma Rua do Sumidouro, em frente ao terreno do antigo incinerador, foi decisivo para que a Editora assumisse o projeto de recuperação da área como um elemento de valorização de sua imagem pública, além de possibilitar a criação de uma área de lazer e convívio para o elevado número de seus funcionários. A relação mais aberta de uma empresa com o ambiente urbano em que se insere, com a implantação de uma área aberta ao uso público é, sem dúvida um contraponto à cultura corrente do cercamento das áreas privadas.As arquitetas Adriana Levisky e Anna Dietzsch partiram do princípio de desenvolver um projeto exemplar do ponto de vista da recuperação ambiental, adotando soluções ecológicas e sustentáveis. O programa de atividades previstas para o novo espaço abarca uma gama de caráter cultural, educativo e contemplativo, que apresentaram sucesso de frequência de público. A qualidade do projeto arquitetônico foi um fator muito importante para que esse sucesso fosse alcançado.A localização da Praça Victor Civita, além da proximidade do edifício da empresa patrocinadora, se beneficia da proximidade com o terminal intermodal Pinheiros, integrado pelas estações do Metrô e da CPTM e de ônibus urbanos, bem como de todo o conjunto de comércio e serviços localizados na vizinhança do centro de Pinheiros.O desenvolvimento da pesquisa divide-se em algumas etapas: pesquisa bibliográfica sobre a problemática contemporânea dos espaços públicos em geral e do estudo de caso escolhido em especial, pesquisa documental sobre a concepção e implantação da Praça Victor Civita e entrevistas com os responsáveis pelo projeto e pela implantação da obra; visitas ao local de estudo e pesquisa de campo; e elaboração de relatórios.A gestão patrimonial de ambientes se apresenta como um dos principais desafios na cidade contemporânea, e o estudo de um projeto que adota como diretriz a recuperação ambiental é muito frutífero para o desenvolvimento de trabalhos futuros. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.