Busca avançada

Caracterização clínico-laboratorial de pacientes diagnosticados com dengue, chikungunya e zika entre pacientes com sintomatologia suspeita em coorte em são josé do rio preto, durante o ano de 2016.

Processo: 15/12310-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de maio de 2016
Vigência (Término): 31 de outubro de 2017
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia - Microbiologia Aplicada
Pesquisador responsável:Maurício Lacerda Nogueira
Beneficiário:
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (FAMERP). Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia (São Paulo - Estado). São José do Rio Preto, SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/21719-3 - Estudo epidemiológico da dengue (sorotipos 1 a 4) em coorte prospectiva de São José do Rio Preto, São Paulo, Brasil, durante 2014 a 2018, AP.TEM
Assunto(s):Vigilância   Febre de Chikungunya   Virologia   Dengue   Vírus Zika

Resumo

A Dengue é a mais importante arbovirose do mundo com relação à morbimortalidade e implicações clínicas. Recentemente, os vírus Chikungunya e Zika, até então não responsáveis por infecções autóctones, foram isolados no Brasil. Esses vírus causam doenças endêmicas em regiões tropicais e subtropicais, transmitidas aos seres humanos pelos mosquitos Aedes infectados. Essas patologias se manifestam por sintomas como febre, artralgia, mialgia, cefaléia, erupções cutâneas, náuseas, vômito e mal-estar, sendo, deste modo, considerados diagnósticos diferenciais em casos de suspeita de Dengue. Enquanto na Febre do Chikungunya destaca-se a artralgia, aguda e persistente, podendo causar grave morbidade, na Febre do Zika predominam as dores nas costas, a hiperemia conjuntival e o exantema máculo-papular incluindo palma das mãos e planta dos pés. Entretanto, outras doenças, como a Dengue, apresentam manifestações clínicas semelhantes a febre do Chikungunya e do Zika, por isso, além dos dados clínicos e epidemiológicos, a confirmação laboratorial é fundamental para o diagnóstico. Atualmente, é possível encontrar a Febre do Chikungunya e a Febre do Zika no Brasil devido ao aumento do número de viagens entre países e continentes, a existência de cidades densamente povoadas, a presença do inseto vetor, assim como a confirmação da circulação dos vírus dessas doenças no país. Portanto, a rigorosa vigilância epidemiológica, caracterização clínica e o diagnóstico diferencial entre essas e outras arboviroses visa evitar a propagação desses vírus, assim como permitir a abordagem precoce de doenças potencialmente graves. (AU)