Busca avançada

Avaliação de diferenças de fitness viral e epidemiológico entre duas linhagens de Dengue sorotipo 1 co-circulantes de 2010 a 2012 em São José do Rio Preto, SP

Processo: 15/22750-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado Direto
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2016
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2017
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia - Biologia e Fisiologia dos Microorganismos
Pesquisador responsável:Maurício Lacerda Nogueira
Beneficiário:
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (FAMERP). Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia (São Paulo - Estado). São José do Rio Preto, SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/21719-3 - Estudo epidemiológico da dengue (sorotipos 1 a 4) em coorte prospectiva de São José do Rio Preto, São Paulo, Brasil, durante 2014 a 2018, AP.TEM
Assunto(s):Filogenia   Virologia   Dengue   Vírus da dengue   Epidemiologia molecular   Resposta imune   São José do Rio Preto (SP)

Resumo

A Dengue é uma doença febril aguda transmitida por mosquitos do gênero Aedes (Ae. aegypti e Ae. albopictus), que se tornou um problema de extrema importância para a Saúde pública. Estima-se que mais de 40% da população mundial viva em áreas endêmicas e sua erradicação está diretamente relacionada com o controle do vetor. O vírus da Dengue é considerado atualmente um dos principais arbovírus devido a sua disseminação para diversas regiões tropicais e subtropicais do mundo, onde o vetor é melhor adaptado. Pertence ao gênero Flavivirus e apresenta quatro sorotipos (1 a 4) subdivididos em genótipos e linhagens, com diferentes características biológicas e dinâmica de circulação complexa na população. Diversos fatores podem influenciar a substituição de um genótipo e/ou linhagem em uma população. Este projeto pretende avaliar diferenças de fitness viral e epidemiológico in vitro, in vivo e in silico entre isolados de duas linhagens de DENV-1 co-circulantes em São José do Rio Preto, de 2010 a 2012, selecionados por análise filogenética prévia. O estudo está em desenvolvimento no Laboratório de Pesquisa em Virologia da FAMERP e permitirá realizar análises levando em conta a interação vírus, vetor e hospedeiro para correlacionar características moleculares, biológicas e epidemiológicas entre as linhagens, fornecendo dados sobre o fitness do DENV. (AU)