Busca avançada
Ano de início
Entree

Uso de recobrimento comestível na conservação de compostos bioativos e qualidade comercial de cenoura roxa

Processo: 15/06378-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de agosto de 2015
Vigência (Término): 31 de maio de 2016
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos - Ciência de Alimentos
Pesquisador responsável:Ricardo Alfredo Kluge
Beneficiário:Bruna Thome Nastaro
Instituição-sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba, SP, Brasil

Resumo

A cenoura (Daucus carota L.) possui uma produção de cerca de 36 milhões de toneladas em todo o mundo, sendo a 5ª hortaliça de maior importância econômica para o Brasil. Porém, as perdas de cenouras no país chegam a 27%, limitando a disponibilidade desta hortaliça. Para reverter este quadro, são necessárias técnicas pós-colheita eficazes na redução de perdas e manutenção da qualidade total do produto. A cenoura roxa é uma variedade nova no Brasil e rica em compostos bioativos, como antocianinas e carotenoides o que a torna uma importante fonte natural de compostos funcionais para a dieta. Entretanto, uma das características dessa variedade é sua durabilidade pós-colheita menor em relação à cenoura laranja. O uso de revestimentos comestíveis, por sua vez, se apresenta como uma boa alternativa às embalagens convencionais na conservação de frutas e vegetais por serem biodegradáveis, comestíveis e seguros ao consumo. Além disso, esses materiais formam barreiras semipermeáveis que regulam as trocas gasosas e diminuem a transferência de vapor de água entre o alimento e o ambiente. Tais propriedades previnem a deterioração do produto, estendendo a sua vida útil ao mesmo tempo em que mantém sua qualidade sensorial, nutricional e a segurança do alimento. Desta forma o presente trabalho visa avaliar a aplicação de revestimentos comestíveis feitos a partir de cera de carnaúba e de quitosana na conservação de compostos bioativos e manutenção da qualidade comercial de cenouras roxas recém introduzidas no Brasil, afim de que o produto chegue em condições ideais até o consumidor, evitando perdas na qualidade ao longo da cadeia produtiva.