Busca avançada

O papel do Atlântico Sul na distribuição de calor e de equilíbrio de massa na circulação global: hiato da mudança climática?

Processo: 15/11366-1
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2015
Vigência (Término): 29 de fevereiro de 2016
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Oceanografia - Oceanografia Física
Pesquisador responsável:Edmo José Dias Campos
Beneficiário:
Supervisor no Exterior: José Luis Pelegrí Llopart
Instituição-sede: Instituto Oceanográfico (IO). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Local de pesquisa: Institut de Ciències del Mar (ICM), Espanha  
Vinculado à bolsa:13/08572-3 - Trocas oceânicas inter-hemisféricas: conexões Trópico-Extratrópico no Atlântico Sul - análises de observações e resultados numéricos, BP.PD
Assunto(s):Mudança climática   Transporte de calor   Transporte de massa

Resumo

A troca de calor para o norte pela célula de revolvimento meridional do Atlântico (Meridional Overturning Circulation - MOC) é um dos principais mecanismos que regulam o clima da terra. O atual conhecimento com relação a MOC e seus mecanismos têm sido principalmente descritos através de modelos numéricos robustos. No marco global, estudos recentes sugerem que o fortalecimento dos ventos do leste no Pacífico tem se incrementado, provocando uma acumulação de agua quente na margem ocidental a qual é filtrada pelo canal da Indonésia em direção ao Índico, o que resulta em um incremento durante a última década no qual 70% do ganho global de calor do oceano está nos primeiros 700m da coluna de água, o que faz do Índico uma bacia de armazenamento de calor. Com o objetivo de ajudar a compreender a variabilidade do transporte global de calor e massa focado no papel do Atlântico na dinâmica global, um esforço internacional é feito no Atlântico Sul através do projeto SAMOC (FAPESP: 2011/50552-4), o Laboratório de Modelagem Numérica do IO-USP, desenvolve estudos numéricos da circulação do Atlântico com modelos oceânicos forçados com produtos de reanalise. Na busca em responder a nova redistribuição de calor global, as repercussões na MOC, e o papel do oceano Atlântico. Atualmente uma simulação global tem sido finalizada no LABMON, com uma resolução horizontal de 1/12 de grau e 32 camadas verticais. O trabalho a ser desenvolvido visa reconhecer a variabilidade dos transportes interoceânicos Pacífico-Indico, e o impacto no Vazamento das Agulhas. Por último identificar também as alterações que este impacto em Agulhas gera no Atlântico e no sistema de circulação Global. (AU)