Bolsa 14/15989-0 - Vegetação, Isótopos estáveis - BV FAPESP
Busca avançada
Ano de início
Entree

Vegetação e solo como indicadores de relevantes fontes secundárias de poluentes em ecossistemas antárticos

Processo: 14/15989-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de março de 2015
Vigência (Término): 31 de maio de 2019
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Oceanografia - Oceanografia Química
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Rosalinda Carmela Montone
Beneficiário:Caio Vinícius Zecchin Cipro
Instituição-sede: Instituto Oceanográfico (IO). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):15/07209-8 - Vegetação e solo como indicadores de relevantes fontes secundárias de poluentes em ecossistemas antárticos, BE.EP.PD
Assunto(s):Vegetação   Isótopos estáveis

Resumo

Dada a mínima interferência humana direta na Antártida, surge a questão de como compostos necessariamente sintéticos, como os POPs (Poluentes Orgânicos Persistentes), chegam a essa área isolada e remota. Tais compostos evaporam em regiões mais quentes, sofrem transporte atmosférico para regiões remotas frias (tais como as polares), conseqüente condensação e possível entrada na trama trófica num processo conhecido como "destilação global", classicamente apontado como o maior responsável pelos aportes de contaminantes nesses ecossistemas. O mesmo se repete, em menor escala, para contaminantes inorgânicos como Hg e Cd, já que possuem fontes naturais. Contudo, a concentração desses contaminantes ao longo da vida dos organismos, bem como ao longo da trama trófica e o fato de indivíduos se reunirem em grandes números e excretarem em terra são particularmente notáveis na avifauna durante a reprodução. Poucos trabalhos propuseram tais colônias como fonte secundária importante de contaminantes. Um trabalho prévio do proponente, através de uma abordagem até onde se sabe, inédita, confirmou, mesmo com um conjunto amostral modesto, esse papel de fonte não negligenciável, usando amostras de vegetação como indicadores e correlacionando a volatilidade dos poluentes com a volatilidade da matéria orgânica de origem animal absorvida, através de seu fracionamento isotópico ao ser degradada. O presente projeto, portanto, se propõe a avaliar a influência de colônias de aves como fontes secundárias de poluentes orgânicos e inorgânicos usando solo e vegetação como indicadores em ecossistemas antárticos, ampliando geograficamente e refinando esse trabalho base ao incluir variáveis até então não consideradas. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Poluição por metais pesados atinge ilhas remotas 

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
CIPRO, C. V. Z.; BUSTAMANTE, P.; PETRY, V, M.; MONTONE, R. C. Seabird colonies as relevant sources of pollutants in Antarctic ecosystems: Part 1-Trace elements. Chemosphere, v. 204, p. 535-547, AUG 2018. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.