Busca avançada
Ano de início
Entree

Padronização e validação de PCR em tempo real para certificação sanitária de embriões de bovinos produzidos in vitro

Processo: 15/01176-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de março de 2015
Vigência (Término): 31 de agosto de 2015
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Reprodução Animal
Pesquisador responsável:Juliana Hayashi Tannura
Beneficiário:Tamie Guibu de Almeida
Empresa:In Vitro Brasil Ltda
Vinculado ao auxílio:14/50169-4 - Padronização e validação de PCR em tempo real para certificação sanitária de embriões de bovinos produzidos in vitro, AP.PIPE
Assunto(s):Vírus   Bovinos   Embrião   Fertilização in vitro

Resumo

A produção de embriões in vitro (PIV) aumentou significativamente durante a última década. Grande parte deste crescimento ocorreu aqui no Brasil. Em 2011, 373.836 embriões produzidos in vitro foram transferidos para receptoras, sendo que o Brasil contribuiu com 85% deste total (Stroud, 2012). Com relação aos controles sanitários há apenas legislação para comércio de embriões coletados in vivo (Resolução MERCOSUL, IN 23/2013). Com relação a PIV há restrições no comércio internacional devido a falta de uma metodologia diagnóstica validada para avaliar os riscos sanitários de embriões. A carência de dados científicos dificulta as autoridades sanitárias a estabelecer mecanismos preventivos que possam aumentar a segurança sanitária dos embriões FIV. Vários pontos críticos são detectados nos procedimentos de FIV, amplificando o potencial de introduzir contaminantes virais e protozoários, sendo eles: fonte do oócito doador, sêmen, a quantidade de manipulação e exposição aos meios contendo produtos de origem animal (soro, albumina de soro bovino e co-cultivo com células somáticas). Portanto, precauções adicionais e testes sanitários são necessários para validar a segurança e a saúde de embriões PIV. Dentre os patógenos relacionados com problemas reprodutivos e potencialmente transmissíveis por embrião se destacam o vírus da diarréia bovina (BVDV), Herpesvirus bovino (BoHV), o vírus da língua azul (BTV), o vírus da leucemia bovina (BLV) e o Neospora caninum (OIE, 2012). Considerando os fatos acima relacionados, os objetivos do projeto proposto são: 1) validar metodologias diagnósticas confiáveis de PCR em tempo real (qPCR) para detecção dos vírus da diarréia bovina (BVDV), herpesvirus bovino (BoHV), língua azul (BTV), leucemia bovina (BLV) e do protozoário Neospora caninum, 2) testar os insumos utilizados para a produção de embriões bovinos in vitro (soro albumina bovina, soro fetal bovino e sêmen), 3) avaliar o efeito no embrião quando exposto aos agentes supracitados, 4) avaliar meios e embriões não-desenvolvidos como indicadores válidos de contaminação de embriões. Os resultados do projeto contribuirão com dados científicos para tomada de decisão sobre a legislação sanitária brasileira para produzir embriões PIV certificados sanitariamente para o comércio internacional e além disso poderão ser compartilhados com a IETS e OMSA para colaborar no desenvolvimento de um protocolo universalmente reconhecido para a saúde e a segurança dos embriões PIV.

Matéria(s) publicada(s) na Revista Pesquisa FAPESP sobre a bolsa:
Referência mundial em produção