Busca avançada
Ano de início
Entree

Terapia laser de baixa intensidade no controle da dor neuropática crônica e na regeneração do nervo isquiático de ratos

Processo: 14/24660-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de março de 2015
Vigência (Término): 30 de junho de 2018
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Anatomia
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Marucia Chacur
Beneficiário:Mara Evany de Oliveira Silva
Instituição-sede : Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Assunto(s):Fatores de crescimento neural   Hiperalgesia   Substância P   Neuroanatomia   Terapia a laser de baixa intensidade

Resumo

A técnica de laserterapia é um método não-invasivo que tem demonstrado tanto na pesquisa básica, como na pesquisa clínica ser eficaz na redução da sensibilidade à dor e consequentemente na melhoria da qualidade de vida de pacientes com dor neuropática, dor esta, que é caracterizada por diversas alterações de mediadores químicos e metabólicos. Pacientes portadores de neuropatias periféricas evoluem com alteração da temperatura, ou seja, anormalmente quente, devido à alteração no metabolismo local e no impulso neural. Portanto, decidimos empregar em nosso estudo a termografia infravermelha (IR), que é utilizada como ferramenta de auxílio para o diagnóstico na prática clínica devido a sua sensibilidade na capitação de alteração da temperatura corpórea, permitindo assim o mapeamento de regiões que apresentem alterações indicando anormalidades. O presente estudo visa examinar também, os efeitos da aplicação do LASER sobre a sensibilidade dolorosa e reparação do nervo isquiático, induzida pela lesão constritiva crônica (CCI) em ratos Wistar, utilizandos ensaios in vitro, análise comportamental e prováveis alterações da temperatura local utilizando a termografia infravermelha. Ao finalizarmos o tratamento com LASER e os ensaios comportamentais, os animais serão eutanaziados e os tecidos como, nervo isquiático e gânglios das raízes posteriores (L4-L6) serão retirados para posterior análise de substâncias como: Proteina Zero (P0), Fator de Crescimento Neural (NGF), Substância P e TRPV1. Nossos resultados preliminares apontam para uma melhora nos testes comportamentais no grupo tratado com o LASER quando comparado com o grupo lesionado e sem tratamento. Ainda, podemos observar um aumento da imunorreatividade para NGF no nervo isquiático dos animais submetidos ao tratamento com LASER em comparação aos sem tratamento. Baseados nos nossos resultados, até o momento, podemos sugerir que o tratamento com LASER de baixa intensidade (LBI) melhora a nocicepção induzida pela lesão crônica no nervo isquiático, além de induzir uma melhora na regeneração do nervo isquiático. No entanto, ainda faltam estudos demonstrando o envolvimento desta técnica na manutenção desta síndrome dolorosa e na reparação dos nervos periféricos. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Grupo da USP investiga como a fototerapia combate a dor neuropática