Pesquisa avançada

Trabalho e saúde dos trabalhadores portuários de Lisboa: estudo comparativo com o porto de Santos-Brasil

Processo: 14/22654-5
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Pesquisa
Vigência (Início): 08 de fevereiro de 2015
Vigência (Término): 07 de fevereiro de 2016
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Saúde Coletiva
Pesquisador responsável:Maria de Fátima Ferreira Queiróz
Beneficiário:
Anfitrião: Raquel Cardeira Varela
Instituição-sede: Instituto de Saúde e Sociedade (ISS). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus Baixada Santista. Santos, SP, Brasil
Local de pesquisa: Universidade Nova de Lisboa, Portugal  
Assunto(s):Saúde do trabalhador

Resumo

Este projeto apresenta a proposta de investigar a organização do trabalho e a saúde dos trabalhadores do Porto de Lisboa. Trata-se de pesquisa de pós-doutoramento sob a orientação da Doutora Raquel Cardeira Varela, historiadora, pesquisadora e coordenadora da Linha de Estudos do Trabalho e dos Conflitos Sociais da Universidade Nova de Lisboa, que se constitui como importante universidade pública da área Metropolitana de Lisboa.O processo de modernização dos portos vem transformando as formas de organização e os processos de trabalho, identidades, formas de sociabilidade e valores de uma categoria profissional, os trabalhadores portuários. As mudanças em curso e suas repercussões nas experiências de saúde, adoecimento, bem como nas estratégias de cuidado desses trabalhadores, ainda pouco conhecidas, são aqui tomadas como objetos de investigação.O objetivo geral é analisar o processo de trabalho no porto de Lisboa nas formas de organização do trabalho das empresas portuárias e na configuração de diferentes experiências de saúde e adoecimento dos trabalhadores. Os objetivos específicos contemplam as análises processo de trabalho aprofundando o olhar sobre a organização do trabalho; avaliação de sinais e sintomas da fadiga, de distúrbios musculoesqueléticos, da lombalgia e dos acidentes de trabalho, relacionando-os com a organização do trabalho no porto de Lisboa. Propõe-se ainda a uma comparação dos resultados, encontrados no porto de Lisboa, com os resultados da Pesquisa Processo de Modernização Portuária em Santos: implicações na saúde e no adoecimento dos trabalhadores (projeto este subvencionado pelo Conselho Nacional de Tecnologia e Pesquisa-CNPq-Brasil Processo 473727/2008 0). A consecução deste objetivo se dará considerando o olhar interdisciplinar compartilhado com as (os) pesquisadoras (es) do Grupo de Investigação sobre História Global do Trabalho e dos Conflitos Sociais, da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, da Universidade Nova de Lisboa, de modo a garantir análises mais detalhadas sobre o objeto de pesquisa.Estão previstas etapas metodológicas, de abordagem quantitativa e qualitativa que contemplam: o conhecimento do processo e das condições de trabalho propondo uma investigação não exaustiva sobre as condições de trabalho de atividades selecionadas, pautado na ergonomia; o conhecimento do quadro de saúde/adoecimento dos trabalhadores através da avaliação da sensação de fadiga, dos distúrbios musculoesqueléticos, da lombalgia e dos acidentes de trabalho. Será também avaliada a Organização e Processo de Trabalho no porto de Lisboa através do discurso dos trabalhadores.Os resultados poderão contribuir para ampliar o conhecimento sobre o processo de trabalho, e organização deste, e suas implicações nos processos de saúde-adoecimento dos trabalhadores do porto de Lisboa (geração de fadiga, prevalência de lombalgia relacionada ao trabalho, distúrbios musculoesqueléticos e de acidentes de trabalho) e das representações e significados que os trabalhadores constroem sob a lógica do capital globalizado e dos conflitos gerados nesta relação no âmbito do porto de Lisboa.A pesquisa apresenta elementos que podem contribuir na construção de uma política de Trabalho e Saúde para os trabalhadores portuários de Portugal, a partir de pesquisa no porto de Lisboa, procurando garantias de política pública de saúde para estes trabalhadores. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Revista Pesquisa FAPESP sobre a bolsa:Vida de estivador